Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2014 | 02h03

E o Foro de São Paulo?

Em agosto último reuniu-se em La Paz a turma do Foro de São Paulo. A parte central da agenda previa a elaboração de um programa para "derrotar a pobreza e a contraofensiva imperialista", seja lá o que isso queira dizer. Mas o ponto alto da reunião foi o pedido de apoio para os candidatos de esquerda, a saber: Evo Morales (Bolívia), Tabaré Vásquez (Uruguai) e Dilma Rousseff. Não faltou um vídeo significativo de um dos líderes e fundador do Foro de São Paulo, Lula da Silva, pedindo votos justamente para as três candidaturas. E agora vem a presidente em entrevista, naquele seu típico linguajar, dizer que repudia qualquer ilação a respeito do bolivarianismo do seu mandato? Me engana que eu gosto!

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Bolivarianismo aqui

O ministro venezuelano Elías Jaua veio ao Brasil assinar com o MST "convênio para treinamento, organização e conscientização do povo para a revolução". Este é mesmo um país sem vergonha e sem governo. Imaginem se fosse um norte-americano... Brasília já estaria correndo em "círculos". É nisso que dá a petralha no poder, os bolivarianos sentem-se à vontade para desestabilizar os nossos valores dentro da nossa casa. Que vergonha!

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

ggveiga@outlook.com

São Paulo

Casa de Noca

O venezuelano Elías Jaua, justamente ministro das Comunas e Movimentos Sociais (ver o Decreto 8.243/2014, da presidente da República), entra e sai do Brasil a seu bel-prazer e vai organizar e instruir o MST mediante convênio. Para disfarçar, opera a mulher dele em São Paulo - como deve ser ótima a medicina cubana/venezuelana. Pergunto: se um ministro de país "imperialista" trouxesse a esposa para se operar no Brasil (mesmo que fosse uma plástica) e começasse a fazer convênios e instruir grupos contrários ao petismo, o que aconteceria? Olho por olho, dente por dente - pela igualdade de procedimentos!

CANDIDA BARROS

candy.barr@uol.com.br

São Paulo

Para variar...

Mais uma vez o Planalto e Lula "não sabiam" da visita de tão ilustre cumpanheiro. Como diz o surrado ditado popular, me engana que eu gosto.

JOSÉ CARLOS THOMAZ

josecthomaz@gmail.com

São Paulo

Prioridades da presidente

Com tantos problemas diante de um Brasil quebrado em sua economia, entre outros dados muito ruins, Dilma determina que sua prioridade é censurar a mídia. E o que é pior, não será com o consenso do Congresso Nacional. Os apoiadores dessa medida pregam que se há de simular discussão popular dizendo que essa providência atende aos anseios do povo. O governo vem com aquele truque de "regulação econômica da mídia", totalmente desnecessária, pois para esse setor temos o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), portanto, os propósitos estão bem claros. Esperamos que nossos representantes no Congresso não permitam que esse descalabro se concretize. Dilma diz que representa a Presidência do Brasil, e não o PT. Mas acena para o anseio do partido de transformar o País em mais um representante das ditaduras bolivarianas.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Novo governo

Duas notícias na capa do Estadão de sexta-feira, 7/11: Dilma diz que fará 'dever de casa' contra a inflação e Petrobrás reajusta gasolina em 3% e diesel em 5%. É dessa forma que a excelentíssima presidente vai fazer o "dever de casa"?

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

Carestia

Passaram as eleições e já começou a rodada de aumentos. Estelionato eleitoral. Mas cuidado: para o lulopetismo, manifestações são "golpe"!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Pacote de maldades

De fato, mal se passaram duas semanas desde a eleição e a conta já começou a chegar para os brasileiros. Todas as maldades que Dilma atribuiu aos seus adversários na campanha, agora, eleita, é ela que está fazendo: aumentou os juros e as tarifas de energia elétrica, escondeu a notícia de que a miséria aumentou no País e reajustou o preço da gasolina. A fatura, como se previa, está chegando. E não vai parar por aí, não. Vai continuar chegando em doses homeopáticas. Os incautos que votaram em Dilma acreditando que ela faria milagres agora vão ver o que é acreditar em mentiras. Se ela fosse uma boa gestora, não teria deixado o Brasil chegar aonde chegou. Caberá a ela tirar o País do buraco ou enterrá-lo ainda mais. O tempo dirá.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Loroteira

Dilma chamou de lorota o "choque de gestão" proposto por Aécio Neves. Parece-me que lorota é o que ela faz: continua a disseminar a mentira, insiste que a inflação está sob controle, propõe diálogo depois de todo o terrorismo na campanha, aumentou tarifas após as eleições e acredita que a economia está nos trilhos. Só se for nos trilhos do trem-bala, que não foi a lugar nenhum. Há mais de cinco anos!

ARY BRAGA PACHECO FILHO

ary.pacheco.filho@gmail.com

Brasília

Guenta!

O ainda ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que o governo vai reformatar gastos com benefícios sociais, que seguro-desemprego, auxílio-doença e abono devem sofrer cortes. Isso em seguida ao aumento da gasolina e da energia elétrica. Como esse governo não tem competência para mudar o atual quadro caótico da nossa economia com soluções inteligentes e criativas, faz só o feijão com arroz: cortar e aumentar. Quem acreditou no discurso de campanha de Dilma de que Aécio iria cortar benefícios e aumentar preços, e votou nela, agora "guenta"!

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

O 'gênio'

Sugiro o Prêmio IgNobel para o marqueteiro da presidenta. Conseguiu enganar mais de 50 milhões de brasileiros. Aliás, entendo que também deveria ser contratado para defender a turma da Petrobrás, tendo já provado a sua competência para enganar e convencer o próximo.

SINCLAIR ROCHA

sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

PÉSSIMO COMEÇO

Inexplicável e inaceitável o acordo feito pelo PSDB com o PT a fim de evitar a convocação de políticos e empresários citados nas delações premiadas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás, e do doleiro Alberto Youssef. Isso nos mostra claramente que todos têm telhados de vidro – uns mais dos que os outros, mas todos os têm – e que sempre é mais conveniente não forçar a convocação dos adversários, para não correr o risco de ver os companheiros convocados. Não foi para isso que dei, juntamente com outros quase 50 milhões de brasileiros desiludidos com o governo do PT, o meu voto a Aécio Neves. Péssimo começo desta dita “oposição mais vigorosa que o Brasil já viu” e a primeira grande decepção pós-eleição. Além do mais, conseguiram fazer o que o PT mais queria: desmoralizar o PSDB.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro 

*
INFELIZMENTE

Aécio perdeu as eleições por um pouco mais de 3%, mesmo durante todo o festival de denúncias contra o PT e Dilma. O que faltou para que o PSDB ganhasse as eleições, até alguns dias atrás, era uma grande incógnita. Mas na semana passada aparece o acordo do PSDB com o PT para não serem convocados alguns políticos de ambos os partidos para deporem na CPI da Petrobrás.
Para mim ficou claríssimo por que muitos eleitores, na dúvida, não confiaram em Aécio e votaram em Dilma, pois, afinal, tratava-se de farinha do mesmo saco. Este mesmo acordo, negado por ambos os partidos, foi também feito em 2005, quando da CPI dos Correios, e, segundo membros do PSDB, o partido se arrependeu disso por todos estes anos. Infelizmente, quem se arrepende não faz de novo. Infelizmente, Marina Silva estava certa dizendo que PT e PSDB eram a mesma coisa, ou seja, não mudaria nada. Infelizmente, como todo político, uma semana depois ela apoiou Aécio, contra inúmeros dirigentes do PSB. Infelizmente, teremos de fazer como Lula fez: criar um outro partido e começar a lutar por mudanças sem carregar o passado que acaba mudando o presente. Se não, infelizmente…

Carlos Brisolla carlos.brisolla@terra.com.br 
São Paulo

*
A VELHA PRÁTICA

A oposição no Congresso Nacional, tudo indica, está voltando à velha técnica do silêncio dos inocentes úteis.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 
São Paulo

*
PT + PSDB

Isso é uma vergonha! Tudo farinha do mesmo saco! O povo brigando por causa deles, e eles fazendo acordo para livrarem a pele. 
 
Adriano Pereira de Oliveira adrianodetapirai@gmail.com   
Tapiraí

*
ACERTO VERGONHOSO

É desalentador ver a falta de compostura e de dignidade dos políticos deste país. O acerto entre PT e PSDB para evitar a convocação na CPI da Petrobrás de políticos e empresários citados nos depoimentos dos acordos de delação premiada de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef é, para dizer o mínimo, vergonhoso e desabonador. Quanto à atitude do PT, nada a estranhar. O PT é um antro de marginais que enxovalham nossas instituições. Agora, ver o PSDB em conluio com a marginalidade petista é simplesmente estarrecedor, especialmente quando o que se esperaria desse partido, dito de oposição, seria um sério e responsável comportamento digno dos votos que recebeu nas últimas eleições. Com políticos sem caráter e um mínimo de conduta ética não podemos ter esperança de vir a ser um país respeitável. A Nação deveria vestir-se de luto e abominar esses marginais.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 
Campinas

*
ROTOS E RASGADOS

No Brasil não há nem nunca houve oposição. Faço minhas as palavras de Dora Kramer: na hora  do  vamos ver, as onças se acomodam e bebem água no mesmo riacho, melhor dizendo, no mesmo coxo. A oposição discursa cobrando investigação, mas, quando há o risco de que os seus sejam envolvidos, dá o dito pelo não dito. Como diria minha saudosa vovó Ana Maria, é o roto falando do rasgado.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
A BOMBA DA PETROBRÁS

O escândalo da Petrobrás tem o potencial de derrubar o governo e levar junto os aliados e a oposição. Se for provado tudo o que dizem os delatores, o mapa político do Brasil não será mais o mesmo, partidos inteiros correm grave risco de serem cassados. A presidente Dilma disse que vai apurar a fundo as denúncias, mas se limita a tentar controlar a Polícia Federal, uma vez que o Supremo Tribunal Federal (STF) vai jogar a favor do governo. As instituições democráticas brasileiras vivem o mais grave risco de sua breve história, a ajuda pode vir de fora, por meio da auditoria internacional que será feita e poderá comprovar as denúncias. Das CPIs e bravatas da presidente não se espera mais nada. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
PUNIÇÃO ADEQUADA
  
A Petrobrás foi saqueada descaradamente em R$ 10 bilhões, por corruptos incrustados no governo. Ao término das eleições, a presidente Dilma dá aval para que a empresa estatal tenha liberdade de aumentar o preço da gasolina. Fica evidente que quem vai pagar a indigesta conta desse furto sofrido pela Petrobrás é o contribuinte brasileiro. Mais uma evidência de que, no Brasil, a corda arrebenta sempre do lado mais fraco. Contudo, temos uma tênue esperança de que a Justiça brasileira cumpra o seu papel, punindo com rigor estes malfeitores, não somente com a devida prisão, mas também recambiando aos cofres da estatal o que lhe foi surrupiado.
 
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
AÉCIO NEVES

Na volta ao Senado, em seu primeiro discurso após a derrota nas urnas, o senador Aécio Neves, agora líder da oposição, com 51 milhões de votos,  além de desinformado, e com a hipocrisia que lhe é peculiar, veio novamente  com o mesmo discurso da campanha eleitoral, citando a corrupção da Petrobrás. Bem que poderia dar um exemplo de honestidade e cidadania também, exigindo a apuração do mensalão mineiro, bem como  apresentar documentos que comprovem a total isenção na construção do aeroporto em terras particulares (do tio) com verbas públicas. E já que foi o grande vencedor no Estado de São Paulo, bem que poderia agraciar os paulistas, como recompensa eleitoral, com o pedido de abertura de uma CPI para investigar a escancarada corrupção tucana  nos trens metropolitanos (Siemens, Alstom, Bombardier, CAF e Mitsui) em São Paulo, se quiser ser o grande líder para 2018.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 
Itapeva

*
LIDERANÇA NA OPOSIÇÃO

Aécio Neves não pode decepcionar seus eleitores. CPI já, doa a quem doer. Hoje nossa única esperança é o senador, então que ele não jogue a toalha, mas enfrente tudo e todos que vão contra seu discurso, que nos animou a ter um país mais sério e justo. 

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br
São Paulo

*
‘EU NÃO REPRESENTO O PT’

A presidente reeleita, Dilma Rousseff, selecionou quatro grandes jornais do País para discorrer sobre tudo e mais alguma coisa. Parece não ter ficado assunto algum para ser questionado. Até sobre platitudes se falou. Há uma série de incongruências nas palavras da presidente. Uma das que mais me chamou a atenção foi a de que ela não representa o PT, dois dias depois de se reunir com o presidente de honra do partido para tratar da formação do "novo" governo. O assunto da reunião teria sido...

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

*
PROMESSAS

A presidente Dilma prometeu fazer “dever de casa” contra a inflação, “reduzir gastos” e quer “responsáveis punidos” nos escândalos de corrupção. Por que não fez tudo isso até agora, no seu primeiro mandato? Parecem ser promessas pré-eleitorais.

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*
REGIME

A “presidenta gerenta” Dilma disse que “fará a lição de casa” com relação aos gastos públicos que vêm deixando o caixa do governo nocauteado e na lona. Se a tal lição de casa for de acordo com a “gordura” adquirida por Dilma nos últimos quatro anos, estamos mal. Porque, para o viciado em comida, diante de uma mesa farta, fica muito difícil de fechar a boca. A compulsão é a mesma, porque, diante de dinheiro público que aparentemente brota não se sabe de onde, a gastança fica irresistível e quem paga a conta é a “pobreza extrema”. Uma das principais características da “presidenta” desde a adolescência foi a rebeldia. Basta o mercado sinalizar os rumos da economia para ela ir para o caminho inverso. Freud explica.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
LIÇÃO DE CASA

“Não aumentarei a taxa de juros!” Aumentou! “Não reajustarei os combustíveis!” Aumentaram! “Combaterei a inflação!” Há, há, ha! “Diminuirei as despesas!” Me engane que eu gosto!

Milton Bulach mbulach@gmail.com 
Campinas 

*
SABER GOVERNAR

A presidente Dilma disse que a oposição, derrotada nas urnas, precisa “saber perder”. É preciso saber ganhar, saber perder e saber governar. O País já está rouco de tanto ouvir monólogo. A voz das urnas exige o diálogo. Muda, Brasil!

J. S. Decol  decoljs@globo.com 
São Paulo

*
DILMA II

Em seu 2.º mandato, a presidente Dilma será uma figura politicamente muito fraca. O Congresso que ela chegou a controlar está distante e demandara muito mais “compensações” do que no atual, pois haverá mais partidos nanicos. Terá muito menos prestígio, por causa das suas promessas não cumpridas e das inverdades que disse em várias ocasiões. Aparentemente, ela não liga ao dizer uma mentira. A economia estará um caos em razão da sua incompetência em administrar. O País estará muito mal e os investidores perderam completamente a confiança. Ninguém imagina que seu governo melhorará, muitos acreditam que é proposital a administração da economia de forma inadequada.  Sendo o país mais pobre, haverá mais facilidades de transformá-lo em “bolivariano”.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*
O PT NO SEGUNDO MANDATO
 
Aproveitando a grandiosa oportunidade da reeleição de Dilma Rousseff na Presidência da República, o Partido dos Trabalhadores (PT) dá sinais de que tentará algumas empreitadas políticas e ideológicas. Primeiramente, vai batalhar pelo controle da mídia, usando artifícios para mascarar o desejo imenso de censurar a imprensa deste país. Daí que os democratas precisam ficar atentos para a luta contra a absurda pretensão. De outro lado, o petista Valter Pomar, expressando o desejo da esquerda radical petista, postula a criação de um grande jornal e de uma agência de notícias, obviamente com o dinheiro do Estado, porque as verbas virão das mensalidades pagas pelos petistas e obtidas no exercício de cargos públicos. Assim, não será muito difícil de manter um periódico estatal, faccioso e promotor dos interesses da agremiação. Ainda tentará o partido arrebanhar partidos nanicos com a finalidade de deixar a área limpa no Poder Legislativo para as pretensões remetidas para as Casas de Leis. Em suma, teremos, neste mandato presidencial a tentativa de implantar no País o bolivarianismo, ou seja, o socialismo da miséria, da discórdia e do retrocesso. As forças vivas da Nação precisam ficar atentas para as pretensões petistas.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
EM BUSCA DO SILÊNCIO

Os bandidos ideológicos do PT não desistem: querem porque querem calar a mídia, que lhes expõe diariamente as enormes falcatruas.

Renato Pires repires49@gmail.com 
Ribeirão Preto

*
OS EXEMPLOS NÃO SÃO BONS

Ao invés de se concentrar na procura de soluções que atendam ao cumprimento de suas promessas de campanha, eis que surge a presidente Dilma falando em regulação da mídia, velho sonho que o PT sempre defendeu, quando os meios de comunicação livres trazem notícias que não agradam o ParTido. Diz a presidente em sua fala que não há intenção de se controlar o conteúdo das noticias, apenas acabar com o monopólio dos grandes meios de comunicação, experiência danosa que, na Argentina, fez alguns jornais sentirem a mão pesada do bolivarianismo deflagrado por Cristina Kirchner, também alinhada ao ideário autoritário petista, com a fragmentação e o enfraquecimento do principal jornal crítico ao governo, o “Clarín”, que foi forçado judicialmente a dividir as empresas do grupo para depois entregá-las a preços camaradas aos amigos do poder.  Fica a dúvida: como confiar na proposta de uma presidente cujo partido prega na própria resolução uma revolução cultural que inclui construção de hegemonia na sociedade acompanhada de um pedido de urgência na democratização da mídia, “eufemismo usado que traduz mordaça”. Como acreditar nas boas intenções de uma presidente que se cala diante do massacre promovido na Venezuela por um ditador amigo “Nicolas Maduro” que cala a voz das ruas com sua guarda bolivariana que prende tortura e mata? Não presidente, após 12 anos de reinado petista onde propostas esdrúxulas como o PNDH-3 um emaranhado de absurdos que faria gosto ao Stalin ou o decreto 8243 recentemente assinados que tira a prerrogativa do Congresso trasnferindo-a para conselhos “soviets” foram assinados na calada da noite, fica difícil crer em boas intenções. Resumindo: se V. Ex.ª quer mesmo demonstrar de que esta aberta ao dialogo respeitando os limites da democracia, comece por repudiar de imediato essa resolução autoritária aprovada por seu partido que tanta calar a democracia aos moldes do Foro de Sao Paulo.

Peter Cazale  Pcazale@uol.com.Br 
São Paulo 

*
O PODER PELO PODER
 
 O PT de Dilma quer, a todo custo, ser o dono do Brasil. Sua busca é a do poder pelo poder, não tendo qualquer compromisso com a Nação como um todo. Seu objetivo é controlar todos os segmentos da sociedade para implantar sua ideologia anárquico-populista. Nas mãos dele, o Brasil será uma nova Venezuela ou Cuba. Daqui a pouco vamos ter igreja evangélica do PT, igreja católica do PT, Polícia Federal do PT, Receita Federal do PT, Ministério Público do PT, Supremo Tribunal Federal do PT. Ou seja: estaremos todos de mãos e pés atados em pleno Estado de Direito. 
 
Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br 
Mogi das Cruzes

*
CONVOCAÇÃO 

O direito de criticar, opinar, protestar é democrático! Agora pedir à militância do PT para que se arme, isso, sim, é regime ditatorial, isso, sim, é a vinda do pior fantasma que o PT sempre criticou, mas quer a toda força implantar no Brasil. Quanta demagogia, quanta ignorância! Deus nos livre destes bolchevistas lunáticos.

Fátima P. Niccioli mfpniccioli@hotmail.com 
Jacutinga (MG)

*
SEM MÁSCARA

É com estupefação, mas nenhuma surpresa, que recebo a notícia do chamamento do PT aos militantes, sugerindo que esses indivíduos devam buscar informações nos seus canais, para se armar com argumentos a fim de rebater a ignorância nas ruas e nas redes sociais de forma a combater o “terceiro turno”. O que está claro, tanto nas ruas como nas redes sociais, é o inconformismo com a degradação do País em nome de um poder podre; a revolta pelo jogo sujo do “nós contra eles” e toda a gama de implicações advindas dessa cisão plantada  para jogar brasileiros contra brasileiros; o nojo pela  tentativa da tal “regulação” da mídia e o patrulhamento ideológico, de forma a impedir que opiniões divergentes sejam debatidas a fim de exercer fiscalização nos desmandos desse governo.  O povo e o Brasil são muito maiores do que os amigos de ditaduras cruéis pensavam, e isso ficou patente neste último pleito. Seria o pavor dessa descoberta que os fez tirar a máscara de cordeiro?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul

*
PARA O BREJO

O totalitarismo que o PT está implantando no Brasil caminha a passos largos. O Supremo Tribunal Federal (STF) e a Polícia Federal sob a batuta da maestrina Dilma Rousseff nos levam a crer que a nossa frágil democracia está indo para o brejo. Precisamos reagir urgentemente.

Jose Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 
São Paulo

*
DISCURSO

Escancarado seu abjeto totalitarismo, a característica maior do discurso lulopetista é a estupidez do estilo.

A.Fernandes standyball@hotmail.com  
São Paulo

*
MEDO DA DITADURA VERMELHA

Uma grande parcela da população brasileira está com medo do atual governo, que mantém fortes laços de amizade com governos ditatoriais, tais como Cuba, Venezuela e Colômbia. E, após perceber que a oposição (PSDB) foi ou é fraca e para tentar se defender de uma ditadura, ela está pedindo ajuda aos militares. Acredito que esses brasileiros não querem o retorno na ditadura militar instaurada em 1964, e, sim, a sua força e ajuda para manter a democracia restaurada em 1984 e que atualmente está correndo risco de ser suprimida pelo PT, que deseja manter-se no poder a qualquer preço, aparelhando os Poderes Legislativo e Judiciário, matando reputações, desejando o controle da mídia com a restrição da liberdade de expressão. Tenho me posicionado nas redes sociais que, entre o vermelho PT e o verde-oliva Brasil, eu prefiro o verde-oliva Brasil. Torço pelo Brasil, torço pela manutenção de nossa democracia. Fora petralhas.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
INTERVENÇÃO MILITAR

A rejeição desproporcional à meia-dúzia de cartazes pedindo intervenção militar na manifestação de 1/11, da qual participei e que inclusive filmei, é a prova de que talvez ela seja mesmo necessária. Acabou a liberdade de expressão. A maior ameaça à democracia não são esses pedidos, mas, sim, o avanço do bolivarianismo chavista, orientado pelo Foro de São Paulo e instrumentalizado pelo PT. Contra esse avanço perverso e satânico vale qualquer coisa, até a intervenção militar. 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
CEGUEIRA DO PSDB?

O ex-coordenador da campanha de Aécio Neves, falando sobre manifestação visando a impeachment, declarou que “quem concordar com as teses dessa turma aguerrida que vê o comunismo chegando (...)”. Ora, será que o sr. Xico Graziano é cego? Ele não está vendo o comunismo chegando? Não viu que agora a Polícia Federal também vai ser completamente aparelhada? 

Carlos Renato Napoleone crnapoleone_50@itelefonica.com.br
Agudos 

*
‘TOQUE DE REUNIR’

O artigo de Dora Kramer de 5 de novembro (“Toque de reunir”) me fez lembrar 1964: o discurso petista é o mesmo da dupla Jango-Brizola, reformas "na lei ou na marra". Quanto ao Exército, melhor deixá-lo de fora, sem esquecer, entretanto, que o instituto da legítima defesa vale tanto para o indivíduo quanto para a sociedade.

Paulo Roberto Santos prsantos1952@bol.com.br 
Niterói (RJ)

*
ELEIÇÃO SEM SUSPEITAS

A decisão por unanimidade do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de liberar dados requisitados pelo PSDB para uma auditoria do resultado das eleições, será uma oportunidade e tanto para acabar com qualquer tipo de dúvidas na eleição presidencial. As declarações de Dilma, que faz “o diabo” para vencer a eleição, e de Lula, dizendo “eles não sabem do que nós seremos capazes de fazer pela reeleição”, só podiam gerar a desconfiança geral dos eleitores na lisura dessa eleição. Essa decisão do TSE foi muito comemorada pelos deputados do PSDB na Câmara Federal.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
URNAS ELETRÔNICAS NUNCA MAIS

Cinquenta e um milhões votaram em Aécio Neves porque não queriam a continuidade do governo petista et caterva. Somem-se a estes os 28 milhões que se abstiveram de votar e temos um total de 79 milhões de eleitores que não desejam a continuidade de Dilma Rousseff. Logo, esses milhões de contrários a Dilma correspondem a mais de 70% da oposição a Dilma. Esses números, por si sós, seriam suficientes para que o sistema de votação fosse avaliado, reforçado pelo fato de que nenhum país desenvolvido deseja. A democracia do Brasil é do tipo tropical. É diferente. Penso que houve tempo de sobra para que se contestasse o uso desse sistema de votação. Perdeu-se tempo na troca de amabilidades impróprias para quem quer dirigir um país do porte do Brasil. No silêncio da oposição, vista grossa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), adredemente dirigido pelo ministro Dias Toffoli, ex-advogado do Partido dos Trabalhadores, as urnas eletrônicas foram absolvidas, reinaram impávidas, soberanas, obedecendo ao desesperado desejo de permanecer no poder. Depois que o TSE proclamou o resultado final, tudo o que for feito para reverter o resultado merece todo o respeito, mas não passa de um "sonho de uma noite de verão". Esperar 2018, eis a questão.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
HÁ 18 ANOS

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) descarta auditoria pedida pelo PSDB nas últimas eleições realizadas e o ministro Dias Toffoli diz que "urna eletrônica" vigora há 18 anos. Não será por isso, então, que o PT está no "pudê" há 12 anos?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  
São Paulo

*
A VOTAÇÃO

A julgar pela posição do partido que hoje está no poder e de seus simpatizantes, aparentemente ganharam as eleições. Aparentemente, pois qual o receio em confirmar o resultado? Esse receio, sim, é temerário à democracia, e digo mais: estas pessoas e partidos que tanto falam em preservar a democracia não a praticam. O PT invoca a militância a sair às ruas, a se armar, ora, pois, pois, vejamos: as grandes democracias não pedem a seus militantes para se armarem, é essa prática que chamam de democracia? Entre os fantasmas do passado que o PT tanto evoca, será que incluem os mensaleiros? (O petrolão é presente.)

Manuel José Falcão Pires manuel-falcao@ig.com.br 
São Paulo

*
DOMINAÇÃO COMPLETA

O PT tentou suprimir o poder do Legislativo por meio do recente e tão falado Decreto 8.243, mas para que reger os legisladores se o Judiciário já é deles, não é mesmo? O fato de o TSE se recusar a criar auditoria para as últimas eleições deixa bem claro que o PT está mandando e desmandando nos nossos poderes, que de harmônicos e independentes entre si, como prevê o Artigo 2.º da nossa Constituição federal, não têm mais nada. Espero que o povo acorde e perceba que não tem mais poder nenhum. É uma pena, o PT destruiu a nossa democracia.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com
São Paulo

*
AFINAL, MEDO DE QUÊ?

Senhor procurador-geral da República, por favor, não precisa ser defensor do partido do governo informando que o PSDB força um terceiro turno. Eu e mais 70% da população brasileira (votos válidos, em branco, nulos e ausentes) queremos “bloqueio total) às ações malévolas (ou diabólicas) do PT. Auditoria já. O mestre da Papuda já se encontra em atividade novamente. As urnas eletrônicas são 100% fraudáveis. Democracia já!

Flávio Prada flavioprada39@gmail.com 
São Paulo

*
CRIME INAFIANÇÁVEL

É estarrecedor que o minúsculo PT permite-se considerar que cerca de 85% dos brasileiros, incluindo os eleitores da majoritária base aliada, não fazem parte do "povo brasileiro" (5/11, A3). Brasileiro é para eles quem faz parte de cerca de 15% do eleitorado que sempre vota no PT, somente. Despojamento de nacionalidade trata-se do pior tipo de discriminação – crime inafiançável – remediável pelo Judiciário. Quanto a mais esse posicionamento petista comunista-fascista, que a base aliada e a oposição assumam a sua obrigação de proteger os Três Poderes e a nossa frágil democracia.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br 
São Paulo

*
ELEIÇÃO DE MÁ-FÉ
 
A Amazônia desertificada nos últimos anos de governo de nossa rainha plenipotenciária; o aumento dos andrajosos e famintos; o desequilíbrio fiscal, com dinheiro entregue ao diabo. Falta a informação sobre a pobreza mental de nossas crianças, que deixam o curso básico sem saber contar e escrever. A capa da “Veja” não teria espaço para tanta desonestidade política. 
  
Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br  
São Paulo

*
‘FÓRUM DOS LEITORES’

Estatisticamente, não é possível. Todas as cartas ou mensagens são contra o PT, ou quase todas. Será uma epidemia de TOC?
 
Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br 
São Paulo 

*
COTAS RACIAIS NA DEFENSORIA

É preciso combater toda e qualquer forma de preconceito, discriminação e intolerância. Também são muito bem-vindas as ações afirmativas, que visam à inclusão e acesso à cidadania plena para todos. Porém, não podemos concordar com a implantação do sistema de cotas raciais no serviço público, em clara ofensa à meritocracia e ao princípio da igualdade. Somos um país miscigenado, uma grande mistura de brancos, negros e índios, numa diversidade étnica que só enriqueceu o povo brasileiro. Por isso, lamento que a Defensoria Pública de São Paulo, de forma demagógica, tenha aprovado a adoção de 20% de vagas no concurso para o sistema de cotas raciais. No concurso público de provas e títulos, o que vale é a meritocracia e são aprovados apenas os melhores e mais preparados, independentemente da cor da pele, opção sexual, religião, etc. Meritocracia, sim; demagogia, jamais!
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
A JUSTIÇA PAULISTA

“Para onde vamos?”, de José Renato Nalini, presidente do Tribunal de Justiça paulista e da nossa magistratura, é excelente artigo publicado no “Estadão” de quarta-feira (5/11). Lúcido, certeiro como raio que ilumina as noites escuras, mas é uma pena que tão brilhantes palavras não alcancem a inteligência dos nossos legisladores. Fico feliz em saber que o Judiciário paulista está em boas mãos. Peço a Deus que o ilumine.

Luiz de Gonzaga Santos lg.santos@terra.com.br   
Paraibuna

*
FURTO DE ÁGUA E ELETRICIDADE

A revelação da Sabesp, de que só entre janeiro e maio últimos foram encontradas 5.560 fraudes nos relógios marcadores de água dos consumidores, e a descoberta desta semana de que até um prédio da Avenida Ipiranga usa imãs para impedir a marcação do consumo (“Estado”, 7/11) são um grande problema. Principalmente agora, quando a empresa pede e até bonifica a economia e, mesmo assim, milhares de famílias penam com a escassez da água. Desde 1940, o furto de água (e também de eletricidade) da rede é crime, mas muitas vezes foi relevado em nome do social, punível com cadeia e multa. No entanto, a prática ocorre em áreas onde ninguém imaginava. Pelo número de fraudes detectado, fica claro que o sistema de controle ou as penalizações dos faltosos não têm dado resultados. O Estado, por seus meios e como poder concedente, tem o dever de garantir às concessionárias as condições para a eliminação de “gatos”, fraudes e quaisquer outras irregularidades que tornam ainda mais escassa a água que toda a população necessita. Todos os que consomem têm de pagar... 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.