Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

21 Novembro 2014 | 02h03

Improbidade

Há muito o Brasil não tem um presidente tão irresponsável e ímprobo quanto Dilma Rousseff. Impressiona que ela não se importe com a volta da inflação, as dificuldades financeiras e os prejuízos de Petrobrás e Eletrobrás, o enorme atraso de todas as obras do governo e, aparentemente, também com a corrupção. Tampouco ela se importa com o desemprego, que agora aumenta, e tudo indica que 2015 será um ano de passeatas, pois há muitas pessoas que não aceitam um governo tão irresponsável. É vergonhoso e extremamente revoltante o Congresso Nacional ter de mudar a meta de superávit primário para corrigir a irresponsabilidade da presidente, sob risco de incorrer em infração da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Essa não é a primeira nem a única demonstração de leviandade na condução do País, nem de falta da probidade necessária a um presidente, eis que, segundo se apurou nas investigações da Petrobrás, a campanha de Dilma em 2010 teria sido financiada com dinheiro roubado da estatal. Agora a presidente quer nomear um ministro da Fazenda competente para regularizar a desordem total na economia brasileira, que, em todos os sentidos, está um caos. Vai ser difícil conseguir alguém competente e responsável que se submeta à irresponsável presidente.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Lei? Ora, lei...

Quer dizer, então, que esse (des)governo, ao verificar que seus atos não estão de acordo com a lei, envia ao Congresso projeto para adaptar a lei às suas conveniências? Será que o Congresso vai deixar? Será que vai ter início uma nova rodada de mensalão? Afinal, sem Joaquim Barbosa as coisas podem ficar mais fáceis.

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

Superávit primário

Tia Dilma segue fielmente a orientação do seu padrinho político. A vaca vai pro brejo, daí os deputados e senadores, irresponsavelmente, transgridem as leis para mascarar o superávit primário e burlar a LRF e, assim, Dilma/Lula ficam impunes. E nós, como sempre, pagamos a conta.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Ministério da Fazenda

O mercado aguarda a definição do novo ministro da Fazenda. O tempo não volta e agora que o lulopetismo mostrou seu objetivo em termos de poder, não há como o mercado voltar a acreditar em cartas de intenções ou que alguém indicado por Lula será muito diferente de quem Dilma escolher diretamente para administrar (sic) nossa economia. Sabemos que será apenas um jogo de ilusões para que eles possam recompor-se e voltar a ser o que são. A única diferença é que, se escolhido por Lula, Dilma pode pendurar as chuteiras já antes de tomar posse do novo mandato.

JORGE ALVES

jorgersalves@2me.com.br

Jaú

Drone do chefe

Agora é definitivo. Se alguém ainda tinha dúvida, não tem mais. Nossa presidenta procurar o antecessor para saber quem deve nomear para a Fazenda, está esclarecido que ela é o drone do Lula no Palácio do Planalto.

ATTILIO CERINO

attiliocerino@yahoo.com.br

São Paulo

Trabuco? Nonsense...

Terei entendido direito? Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, foi convidado para assumir o Ministério da Fazenda no segundo mandato de Dilma Rousseff?! Por certo deve haver algum engano. Dilma não desceria a semelhante nonsense. Afinal, ainda há bem pouco, na campanha eleitoral, ela espinafrou sua adversária Marina Silva exatamente por ter advogado a autonomia do Banco Central. Dilma chegou a martelar na TV que Marina tinha planos de entregar o Banco Central aos "banqueiros". E sempre aproveitando para nos lembrar que Neca Setubal, herdeira do Itaú Unibanco, assessorava Marina. E agora, Dilma esqueceu tudo o que disse? Pretendia entregar a Fazenda, de porteira fechada, ao presidente do Bradesco (que recusou o convite)?

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Conflito de interesses

O fato de ter cogitado da nomeação do sr. Trabuco como ministro da Fazenda é uma tremenda incongruência, falta total de discernimento, mais uma prova cabal - aliás, o que todo o País está cansado de saber - da incompetência na gestão da coisa pública. Sendo o governo federal dependente dos bancos privados e o sr. Trabuco, presidente de um deles - o Bradesco -, conclui-se que se trataria de visível estabelecimento de futuro conflito de interesses. Imaginar que ele olvidaria suas profundas raízes é puro sofisma. Como experiente dirigente que é, o sr. Trabuco não cairia nessa esparrela.

GERALDO C. MEIRELLES

gmeirelles.adv@gmail.com

São Paulo

Roubada

O sr. Luiz Carlos Trabuco teve juízo e não entrou nessa roubada. O PT está destruindo o País e agora que a vaca está indo pro brejo queria aliar-se a um banqueiro? Lulla não odeia banqueiros?! Ora, o PT que se vire. Quem sabe um ex-sindicalista não resolva o problema...

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

Mágicas planaltinas

O governo federal diz que a taxa de desemprego atual é de apenas 4,7%. Vamos fazer umas continhas: 1) cidadãos com mais de 14 anos ainda não aposentados, incluindo os que recebem auxílios do governo; 2) número de pessoas empregadas que contribuem para o INSS e para os fundos de aposentadoria dos funcionários públicos; como os empregados, por lei, contribuem para os fundos de aposentadoria futura, é só dividir B por A e teremos o resultado, que é muito diferente do criativo do governo. Os jornais e revistas, que têm como obter os números aproximados de A e os corretos de B, podem tirar a dúvida.

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

Taxa de desemprego

Taxa de desemprego em outubro, 4,7%? "Me engane que eu gosto"... Considerar Bolsa Família como emprego assalariado é o fim da picada!

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Dúvida cruel

É legítimo um governo eleito com base em mentiras? E o reeleito que esconde dados oficiais para proveito próprio?

ADALBERTO AMARAL ALLEGRINI

adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista

A AGONIA DA PETROBRÁS

Um tiro de misericórdia contra a imagem da estatal de petróleo veio do banco americano Morgan Stanley, indicando que a perda da Petrobrás com desvios de recursos pode alcançar R$ 21 bilhões.  Nessas circunstâncias, o adiado balanço que a empresa de auditoria se negou assinar e que poderá ser divulgado provisoriamente somente em 12 de dezembro poderá trazer números tão negativos que afugentem mais ainda os investidores. E, se não bastasse a avalanche de denúncias de corrupção que nossa imprensa vem divulgando nos últimos meses, que envolvem altos dirigentes da estatal e empreiteiras contratadas para importantes obras da empresa, a possibilidade de que as agências classificadoras de risco rebaixem a nota da Petrobrás é inevitável. Materializada essa situação, a Petrobrás vai pagar mais caro para financiar a rolagem de sua descontrolada dívida, já que no curto prazo, ou seja, em 2015, vencem empréstimos num total de US$ 57 bilhões. E a estatal corre sério risco de não ter condições para esse refinanciamento, se os desdobramentos da Operação Lava Jato atingirem também o Palácio do Planalto. E, como o governo federal está com o caixa vazio, sem conseguir entregar até um pífio superávit primário, também não terá condições de aportar recursos para ajudar a Petrobrás. Que se faça justiça: a Petrobrás só está nessa penúria por culpa exclusiva do governo petista, que indicou para os postos mais altos da estatal dirigentes do mais baixo calibre moral e, de quebra, não permitiu demagogicamente que os preços dos combustíveis fossem reajustados nos mesmos níveis do mercado, o que prejudicou drasticamente a liquidez da empresa. A digital deste malogro se constata no preço da ação da estatal na Bolsa de Valores, que teve nos últimos anos queda de 70%.  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
NUNCA ANTES...

Parafraseando Lula, o que não sabe de nada, nunca houve neste país tanta corrupção, incompetência e desonestidade como nestes três governos do PT.  Fora PT! Antes que acabem com a Petrobrás e outras estatais!

Orlando Cesar de O. Barretto ocdobarr@usp.br  
São Paulo

*
HIERARQUIA E RESPONSABILIDADE

Reportando-se ao princípio que acontece nas unidades do Exército em que o comandante é o responsável pelo que acontece e pelo que deixa de acontecer em sua unidade, é oportuno fazer uma ilação com o que aconteceu na Petrobrás: o rombo de R$ 21 bilhões. Presidente do Conselho de Administração, presidente, diretores da alta administração, etc. continuam blindados, enquanto deveriam estar respondendo por crimes de omissão, incompetência, má administração e até por prevaricação. Ao contrário, um deles chega a autodenominar-se atual condutor da Lava Jato.

José Ávila da Rocha peseguranca@yahoo.com.br
São Paulo

*
DOMÍNIO DO FATO
 
Nos últimos dias, os jornais publicaram entrevistas de ilustres advogados explicando o significado jurídico de “domínio do fato”. Os dicionários de Latim Forense ensinam o aforismo: “Ubi eadem legis ratio, ibi eadem legis dispositio”. Onde há a mesma razão da lei, aí (deve-se aplicar) a mesma disposição legal. A frase aplica o princípio da analogia legal. Assim, os responsáveis pela nomeação dos diretores corruptos da Petrobrás devem ser julgados com base nesse aforismo jurídico. Domínio do fato neles!
 
Braz Juliano bjuliano@uol.com.br 
São Paulo

*
SIGAM O DINHEIRO

O que me impressiona muitíssimo é perceber que até agora não se falou como todo esse dinheiro desviado da Petrobrás andou para lá e para cá e o sistema financeiro não viu nada nem percebeu essa pequena quantidade de dinheiro circulando por aí. E a Receita Federal, que pega o cidadão comum por causa de recibos de médicos e dentistas, bloqueia imediatamente a restituição e castiga o contribuinte por míseros centavos também não percebeu nada? Uma piada. É realmente de dar nojo em qualquer cidadão pensante. Espero que a operação leve a fundo mesmo essa investigação e vá para os bancos e para os responsáveis na Receita Federal, por não terem percebido nada disso. Aliás, sabemos que essas transações acontecem em todo o País e imagino que quase 100% das obras e licitações se dão dessa maneira. Movimentações financeiras bastante significativas e imperceptíveis aos olhos dos astutos agentes que nos policiam o tempo todo. Qualquer cidadão comum que fizer depósitos maiores é chamado a dizer do que se trata. Pobres de nós! Que cinismo!

Mara Bassan marabassan@gmail.com
São Paulo

*
DEVOLUÇÃO
 
Se o barão (ex-gerente-executivo de Engenharia da Petrobrás), no caso mero estafeta de Renato Duque, acordou devolver R$ 252 milhões ao erário, imagine-se o montante que este último deverá restituir, dando de barato, é lógico, que o dinheiro afanado é o que eles declaram. Quanto aos débitos do rei e da rainha, então, com quem estará a supercalculadora que os revelará?
 
Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br 
Pirassununga

*
UM BOM USO DO DINHEIRO

Bilhões serão recuperados pela Justiça ou devolução na delação premiada. Para dar exemplo ao mundo, a Justiça deveria determinar que toda essa dinheirama fosse destinada exclusivamente para a construção da maior cadeia no Brasil, a fim de recepcionar todos os condenados neste roubo gigantesco. De quebra, oferecer prioritariamente empregos para os que recebem a Bolsa Família, para que adquiram a dignidade de um trabalho. Se possível, determinar essa construção na região onde o PT obteve maior número de votos proporcionais para reeleger a presidenta.

Wilson Lino wiolino@yahoo.com.br 
São Paulo

*
CHOQUE DE REALIDADE

Parece que o Brasil ainda não se deu conta do tamanho do problema que o escândalo da Petrobrás vai causar. A multa que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos deverá impor à Petrobrás será de dezenas de bilhões de dólares. Lula fala em trocar Graça Foster por Jaques Wagner, o Congresso fala em pequenas restituições dos exageros cometidos, está claro que todos querem que o jogo recomece o mais cedo possível. Sugiro que, para pagar a multa bilionária que o Brasil vai receber, sejam desapropriadas e vendidas as empreiteiras responsáveis pelo roubo e que sejam confiscados os recursos do Fundo Partidário e do caixa 2 dos partidos envolvidos. Quem sabe assim o Brasil muda para sempre. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
QUESTÃO DE TEMPO

Se de fato as empreiteiras envolvidas nas bandalheiras do Petrolão tiverem de devolver o dinheiro, segundo a Controladoria Geral da União (CGU), será melhor esperar deitado. Primeiro, farão acordo para pagar como querem, e usando o resultado obtido com o dinheiro ilegalmente recebido. Segundo, alegando que só eles têm competência técnica para a execução de grandes obras, abrirão novas empresas ou associar-se-ão com outras não envolvidas para participar das licitações. Terceiro, atendendo às necessidades dos petistas, outros caminhos serão abertos às futuras gatunagens. Senhoras e senhores, passado algum tempo e atendendo ao padrão, ficará “como dantes no quartel de Abrantes”.
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
NÃO MAIS E NUNCA MAIS

É estarrecedor para nós, que trabalhamos honestamente para ganhar e pagar nossas despesas, tomar conhecimento de que só na Petrobrás foram desviados R$ 21 bilhões. Some-se a isso, pela lógica, ser provável que desvios também tenham ocorrido em outras estatais. Fica fácil imaginar a enorme quantidade de bilhões roubados no total. E então imediatamente ocorre a terrível constatação: quem pagará por todo esse prejuízo seremos nós, exatamente essa “odienta classe média” que paga seus impostos em dia e, diga-se de passagem, um dos mais altos do mundo. Eles nos espoliam sem dó nem piedade para se tornarem cada vez mais poderosos, numa voracidade sem fim. Pagaremos, pois, duas vezes: uma para financiar os serviços a que teoricamente teríamos direito (mas não temos) e outra para cobrir os rombos dos cofres públicos causados por essa avassaladora corrupção, sem contar a incompetência de gestão de um oneroso Estado inchado por tanto aparelhamento. Os arautos deste partido que nos governa alardeiam que a corrupção não foi inventada por eles, como se isso justificasse tantos delitos cometidos por seus aloprados, pegos com a mão na cumbuca após investigações a mando da Justiça. Após tantas notícias que nos assombram dia após dia, somos obrigados a concluir que “nunca na história deste país” a corrupção foi tão devastadora. Ainda bem que tivemos um Joaquim Barbosa e, agora, um Sergio Moro para deter essa avalanche de dinheiro sendo desviado dos cofres públicos. Já que essa conta teremos de pagar, que pelo menos sejam punidos todos os responsáveis por tais crimes horrendos que tanto prejuízo causam, especialmente aos mais pobres. Se assim não for, que tomemos as ruas para que nossas vozes de repúdio possam ecoar aos quatro ventos e que o mundo todo tome conhecimento de que nós, brasileiros, não iremos mais tolerar tanta espoliação de cabeça baixa e com a voz de revolta embargada na garganta. Não mais e nunca mais! Podem crer.
 
Eliana França Leme efleme@terra.com.br 
São Paulo

*
A LAVA JATO E A POLÍTICA

Como bem salientou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, é o povo que quer saber o que acontece na Petrobrás, o que vem sendo feito satisfatoriamente pela Polícia Federal, por meio da Operação Lava Jato. Não há que falar em terceiro turno, como enfatizou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, nem em outras explorações oposicionistas, porque a caixa preta da Petrobrás foi aberta e nela se encontraram todos os integrantes do lulopetismo que resolveram dedicar-se à corrupção. Na verdade, contra fatos não há argumentos destrutivos, desde que a veracidade dos fatos seja comprovada, o que tem acontecido com as descobertas da Polícia Federal, tanto assim que os delatores premiados foram conclusivos nas suas exposições e confissões à Justiça Federal do Paraná. No pé em que estão as investigações e descobertas da PF, poderão, em breve, chegar até os pés de dona Dilma e de Lula.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br 
Rio Claro

*
JUÍZO FINAL

A Polícia Federal despistou suas investigações da Lava Jato nomeando a operação, ficticiamente, como “Cana Verde”, evitando vazamentos. E, na verdade, colocou muitos em “cana preta”...

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br
São Paulo

*
A IMPUNIDADE SUBIU À CABEÇA

As notícias sobre a roubalheira na Petrobrás que não param de sair, os valores que são informados, a quantidade de pessoas envolvidas, a maioria executivos de grandes empresas, e as pessoas que ainda vão aparecer no caso deixam qualquer brasileiro que obedece às leis estarrecido (expressão muito usada pela presidente Dilma). Quando lembramos o famoso Fiat Elba de Collor, parece que foi um pesadelo levíssimo e que os bilhões agora envolvidos são, mesmo, o fim do mundo. Quando se vê que um mero gerente da Petrobrás concorda em devolver US$ 97 milhões, temos a certeza de que está tudo muito podre. Esse dinheiro seria o que sobrou para este senhor, ou ele é laranja de alguém? Quanto teria desviado, então, o seu chefe, o petista Renato Duque? E o chefe deste? E os outros milhões que são mencionados? Como alguém da empresa nunca desconfiou? Como a presidente Graça Foster pode vir a público dizer que soube há meses pelos holandeses de que havia propina na empresa e nada fez? Como ainda continua no cargo? E como teve a coragem de mentir na CPI ao dizer que não havia nada de errado na empresa, quando já sabia disso e nada tinha feito? Até quando vamos ouvir coisas inacreditáveis, mentiras de dimensões enormes e ficar com cara de bobos? Acham que porque ganharam as eleições podem fazer tudo isso impunemente?
 
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*
SUPERAÇÃO

O milionário norte-americano que disse ser o melhor negócio do mundo uma petrolífera bem administrada e o segundo melhor negócio do mundo uma petrolífera mal administrada não conseguiu imaginar o que o governo conseguiria fazer com a Petrobrás.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br 
Atibaia

*
ONDE ESTÁ O PT QUE NADA TEME?

A CPI mista da Petrobrás aprovou a quebra dos sigilos bancário, telefônico e fiscal de João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, por 12 votos a 11. Vaccari foi acusado por Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef de ser o homem que coordenava a propina para o partido. Também foram aprovadas pela comissão as convocações de Duque, de Sérgio Machado, presidente licenciado da Transpetro, e de outros dois ex-diretores da Petrobrás: Ildo Sauer (Gás e Energia) e Nestor Cerveró (Internacional), que terá de fazer uma acareação com Costa. Se o PT, como alardeia Brasil afora, não tem nada a esconder, por que fez de tudo para evitar a quebra dos sigilos de Vaccari? Respondo: porque uma coisa é a teoria e outra, a prática, a prática de não deixar nada ser descoberto. Sabemos que muito pouco restará nessa quebra de sigilo, a essa altura a pulverização nas contas foi feita. Diferente de Pedro Barusco, que admitiu ter US$ 97 milhões em contas no exterior – o correspondente a R$ 252 milhões. Dormiu de toca ou jamais esperava ser pego?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
VACCARI, O INTOCÁVEL?
 
Acusado de ser operador do Petrolão por Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, causa estranheza que o tesoureiro do PT, o notório João Vaccari Neto, tenha sido poupado, até agora, tanto pelo Judiciário quanto pela CPI mista da Petrobrás, constituída para investigar as gritantes irregularidades na principal estatal do País. Mas parece que os dias de paz do tesoureiro findaram. A notícia, agora, é a de que o pedido de quebra de seus sigilos passou, ainda que “apertado” (12 votos a favor e 11 contra), em dita CPI. Deixo registrada certa dificuldade para entender como, exatamente, 11 representantes do povo (!), membros de uma comissão supostamente constituída para averiguar a corrupção numa empresa dita “do povo”, se posicionam contra um pedido para esquadrinhar os sigilos (bancário, fiscal e telefônico) de alguém que: 1) carrega em seu currículo o fantasmagórico caso Bancoop; 2) é o responsável pelos dinheiros de um partido político com membros destacados cumprindo pena de prisão – a começar pelo ex-tesoureiro; e 3) não bastasse, Vaccari foi apontado, em delação premiada, pelos dois principais envolvidos no esquema de cobrança de propinas na Petrobrás (Costa e Youssef). Afinal, esse inquérito no Parlamento é mesmo para valer ou apenas mais um joguinho engana-trouxa? Só para registro, não é verossímil que alguém ocupando o cargo de tesoureiro do PT seja tão absurdamente ingênuo a ponto de manter valores “não contabilizados” (como diria um outro tesoureiro da sigla) em sua própria conta bancária. Até os bebês-cangurus de Brisbane, na Austrália, onde a cumpanhera presidenta esteve há pouco, devem saber que é exatamente para isso que servem os laranjas... Se quiserem apurar alguma coisa, bem que poderiam começar examinando as contas da cunhada – segundo a Polícia Federal, a suspeita n.º 1 do setor cítrico. Haverá coragem?
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     
São Paulo

*
ESCÂNDALO NA PETROBRÁS

E, como ficam os contratos do Mr. Colin Foster, aquele que é marido da Gracinha Foster?

Armando Salles Galbi gallessalbi@gmail.com
São Paulo

*
ODEBRECHT

Se advogados das cinco maiores empreiteiras do País buscaram fechar um acordo bilionário com o Ministério Público Federal, na véspera da deflagração da 7.ª fase da Operação Lava Jato, estando entre eles os advogados da Odebrecht, que sabidamente é a campeã de conseguir obras com governos e estatais e depois recheá-las com caríssimos aditivos, por que entre os presos e indiciados não vimos ninguém dessa empresa? Será que a Odebrecht conseguiu sozinha esse acordo pretendido pelo grupo e que foi recusado pelo MP?

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
PETROBOLA

A propósito, de quanto foi o superfaturamento da construtora do Itaquerão (Odebrecht), time do coração de Lula, que todos nós, que não somos corintianos, estamos pagando?

Carlos Norberto Vetorazzi cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br 
São José do Rio Preto

*
SUMIDO

Lula, oh, Lula, onde estás que não respondes? Sempre quando se apuram denúncias de corrupção, quando se investiga algo de “malfeitos” de políticos e da cumpanheirada, ele se esconde, tal qual avestruz. Provavelmente, ele e seu sortudo filho devam prestar esclarecimentos. Quantos hospitais, creches, escolas, estradas e casas deixam de ser construídos em decorrência desta corrupção insuportável? Basta!

Emerson Luiz Cury emersoncury@gmail.com
Itu

*
O PETROLÃO NO SUPREMO

Os nobres, competentes e caríssimos advogados dos petroleiros já iniciaram o esperado, ou seja, tentar levar o processo para o Supremo Tribunal Federal (STF) – agora SPTF –, pois já viram que o juiz atual não é igual aos de lá. Aliás, muito diferente, pois aplica a lei sem olhar a filiação partidária. Brasília, a capital da esperança...

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com
São Paulo

*
FALTAM ADVOGADOS

No tempo do mensalão, era uma delícia assistir na TV aos advogados com suas reluzentes becas, desfilando um interminável e sofisticado conjunto de argumentos jurídicos para tentar salvar seus clientes das grades. Agora, com o Petrolão, a ganância dos mensaleiros ficou modesta e, do jeito que as coisas caminham, tudo indica que desta vez vai faltar advogados...

Jose Eduardo Bandeira de Mello jbandeiramello@bol.com.br 
São Paulo

*
O NÚCLEO POLÍTICO

Se até agora os delatores vão devolver mais de R$ 400 milhões, podemos dizer sem medo de errar: segurem, PT, PMDB e PP, que o ferro está em brasa e louco para pegar vocês.
 
Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br 
São Paulo

*
PROPINAS GERAIS E IRRESTRITAS

Nesta Operação Lava Jato, levantou-se a suspeita de que o ganhador desta ou daquela licitação já estava combinado. Todos sabiam quem ganharia. Descobriram a pólvora. Se não sabiam disso, que todo mundo sabe, são muito ingênuos. Isso existe há anos e em qualquer setor. Construção civil, elétrico, farmacêutico, telecomunicações, etc. Quando há uma licitação pública, em qualquer nível, federal, estadual ou municipal, todos sabem quem vai ganhar. Já está combinado entre eles. Você ganha esta, eu ganho a outra e por aí vai. E o povo toma na cabeça.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
A ELETROBRÁS TAMBÉM?

Socialismo/comunismo “moderno” inventado por corruPTos que enrique$$em e quebram empresas estatais. Estranho, não? Como se não basta$$e a Petrobrás, chegou a vez da Eletrobrás, que triplica o seu prejuízo líquido no 3.º trimestre, em relação a 2013 – chegou-se a R$ 2.738 bilhões de prejuízo. Bela administração! A incompetente gestão petista de dona Dilma não é motivo de pedido de impeachment pelo no$$o eficiente Congre$$o? Collor, por muito menos, teve aprovado o seu impeachment. Estão esperando os novos congressistas mostrarem para que foram eleitos? Será que estamos começando a criar vergonha? Que bom!
 
Fernando Silva lfd.dasilva@2me.com.br 
São Paulo

*
LEI ANTICORRUPÇÃO

Quanto mais leis escrevermos, pior será (“A falta que faz a Lei Anticorrupção”, 19/11, A3)! A Lei Seca funciona em virtude da fiscalização, não por ser lei. Estatutos os mais diversos são inúteis: o das cidades, o do idoso, o da infância, etc. Nada substitui os recursos humanos éticos e sérios na administração.

Álvaro Pessôa apessoa@ppmkfadv.com.br 
Rio de Janeiro

*
‘A FALTA QUE FAZ A LEI ANTICORRUPÇÃO’

Com a palavra, a presidenta Dilma “doa a quem doer” Rousseff.

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com 
São Paulo

*
MINISTÉRIO DA VERDADE

Nunca antes neste país a ficção se aproximou tanto da realidade. O governo deveria criar logo o seu 40.º ministério, o Ministério da Verdade, e convidar João Santana, que já é ministro de fato, para ser também de direito, com todas as honras e benefícios do cargo. Concebido no livro “1984” por George Orwell, o Miniver tem como objetivo exatamente o oposto da Verdade. Ele é diretamente responsável pela falsificação da história. Em novilíngua, a língua falada no livro, o nome é muito apropriado, já que "verdade" é aquilo que o Estado quer que seja verdade. Lendo o livro, ou consultando a Wikipedia, ficamos sabendo que o Ministério da Verdade cuida das notícias, entretenimento, artes e educação. O seu propósito é reescrever a história e alterar os fatos, de forma que eles se encaixem na doutrina do partido. Por exemplo, se o Grande Irmão (pode ser Lula ou seus auxiliares, Dilma, Guido Mantega, Rui Falcão, etc.) fez uma previsão que se revelou errada, os funcionários do ministério devem reescrever a história de forma que a previsão do Grande Irmão seja precisa. A razão para a existência desse ministério é criar a ilusão de que o partido é absoluto. O partido não muda suas diretrizes e não comete erros (o partido não demite membros nem faz previsões erradas sobre suprimentos), porque isso implicaria fraqueza e, para manter o poder, o partido deve parecer eternamente correto e forte. Tem coisa que se encaixa melhor que este ministério no governo Dilma?

Paulo Avelino de Souza Costa paulo.avelino@icloud.com 
São Paulo

*
MINISTÉRIOS
 
Sabem quem nos salvou do 40.º (quadragésimo) ministério? A história de Ali Babá e os 40 ladrões. 

Marius Arantes Rathsam mariusrathsam@hotmail.com 
São Paulo

*
A ESCOLHA DO MINISTRO DA FAZENDA

Li o artigo de quinta-feira de Roberto Macedo (“Dilma passou, mas com dependências”, A2) e achei interessante o conselho do primeiro-ministro da Espanha Felipe Gonzáles ao nosso Tancredo Neves, que lhe perguntou sobre o segredo do sucesso do seu governo. Reposta: “Escolha um bom ministro da Economia e 80% de seus problemas estarão resolvidos”. Concordo em “gênero, número e grau”, mas, se a presidente, com seu modo de gerentona, meter a “colher torta” e ele não aceitar, há duas hipóteses: ou ele se demite ou acabará como Guido Mantega, desacreditado, apesar dos méritos que deve ter, mas, por ser do partido, aceita ser “bode expiatório”. Conclusão: deve ser escolhido um bom ministro da economia, sem que haja intenções partidárias e que seja muito qualificado, e que possa cercar-se de uma competente equipe econômica, como bem salientou o articulista, com a qual possa tratar os assuntos econômicos, sem nenhuma interferência das demais áreas do governo.

Diva A. L. A. Almeida Diva dalasp@hotmail.com 
São Paulo

*
CONTABILIDADE CRIATIVA

“Mantega acredita ser possível superávit primário de 2% em 2015.” Como estamos em épocas de contabilidade criativa, talvez isso seja possível “exportando” os Estados do Maranhão e do Piauí para uma “entidade” chamada Brasil no exterior.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo
  
*
PRESSÃO SOBRE O CONGRESSO

Talvez inebriados com a assustada vitória do governo na reeleição de Dilma Rousseff, a tropa de choque da Comissão Mista de Orçamento "cochilou" e foi derrotada na quinta-feira, 19/11, pela oposição, não sendo votado o projeto que permite ao governo ter déficit. Irritado, o senador Romero Jucá protagonizou uma cena indigna do cargo de senador da República. Em discussão com um deputado, Jucá desceu às vielas do banditismo ameaçando o deputado afirmando que usava dois palmos de distância para a conciliação e o entendimento e outros dois palmos para a porrada. Constrangedor. A aprovação desse projeto, que parece ter sido concebido nas entranhas da górgona Medusa, tem outro defensor do terrorismo que foi disseminado durante a campanha eleitoral. O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que, usando a ferramenta tão bem utilizada pelo governo, praguejou que, se o filhote da Medusa não for aprovado, se o Congresso não avalizar essa excrescência política, "os investimentos serão suspensos no ano que vem, o que levará o País à recessão e ao desemprego". O governo tem o Congresso aparelhado, mas há sinais de resistência pelos aliados. O PT, o PMDB e aliados pariram mais quatro anos para Dilma. Que o embalem.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
DÉFICIT = SUPERÁVIT

Dilma Rousseff, por meio de Romero Jucá, tenta levar o Congresso a transgredir a Constituição infringindo a Lei de Responsabilidade Fiscal, que impede aos governos gastar mais do que se propuseram em seus orçamentos. Na prática, Juca propõe que o superávit seja igual ao déficit (?). Num país democrático, isso seria no mínimo motivo para pôr em impedimento o presidente em exercício, mas na pátria da Banânia o que impera é a desfaçatez. Para a tristeza de mais de 50 milhões de brasileiros. 
 
Leila E. Leitão
São Paulo

*
NOME AOS BOIS

Segundo o governo, a Operação Lava Jato pode afetar crescimento econômico em 2015. É preciso dar nome aos bois certos: bandidos ladrões e corruptos que estão sendo investigados e condenados. 

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*
MEGA SENA

Acumulou novamente! É impressionante como a Mega-Sena acumula próximo do fim do ano!

Nélio Alves Gomes raytomonelio@hotmail.com
Curitiba

*
20 DE NOVEMBRO

Duas mortes de pessoas importantes neste 20 de novembro no Brasil. Morreu o advogado criminalista Márcio Thomaz Bastos, que defendeu com maestria bandidos e assassinos de toda estirpe. Poderia ter escolhido pessoas inocentes, o que não foi o caso. Foi aliado daqueles que vêm destruindo nossa República. Já o falecimento do grande empresário Samuel Klein deixa grande lacuna entre os grandes empresários do País. Ele criou o império das Casas Bahia, que por sua audácia levou a quase todos os recantos pobres do País suas lojas, dando condições para que as populações pobres adquirissem em suaves prestações seus utensílios domésticos. Gerou milhares de empregos. Klein poderia ter escolhido outro caminho, porque sofreu as agruras de ver sua família exterminada pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial. Conseguiu fugir do massacre e, ao vir se estabelecer em nosso país, deixou de lado o sofrimento e ousou criar para si uma vida de orgulho. Thomaz Bastos poderia ter escolhido, com sua inteligência, defender pessoas inocentes e injustiçadas. Mas não foi bem o caso. Defendeu verdadeiros bandidos de toda espécie, classe social e política. Que diferença de biografia.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
MORRE UMA LENDA

São Caetano do Sul, o ABCD, São Paulo e o Brasil perderam um de seus homens, que revolucionou o varejo no Brasil. Samuel Klein foi, sem dúvida nenhuma, o precursor das vendas para uma classe de consumidores de baixa renda em todo o País, fundador das Casas Bahia, imigrante fugido da Segunda Guerra Mundial na Polônia, fez do Brasil sua segunda pátria, dando emprego a milhares de trabalhadores. São Caetano perde um filho adotivo e o Brasil perde um de seus principais empresários e homem de visão e negócio. Seu legado de empreendedor ficará perpetuado. Que sua alma descanse em paz!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com 
São Caetano do Sul

*
MÁRCIO THOMAZ BASTOS

Além da advocacia, Marcio Thomaz Bastos foi nosso palestrante e coautor da obra “Grandes Advogados”. Exemplo para a advocacia, criou parâmetros para a atuação na Justiça Criminal. Como ministro, pode-se afirmar que estabeleceu dinâmica relevante para enfrentar os desafios que a função impõe. Meus sentimentos à família.
 
Pierre Moreau, sócio da Casa do Saber e do Moreau Advogados
São Paulo

*
O movimento do Pensamento Nacional das Bases Empresariais (PNBE) lamenta a perda do advogado Márcio Thomaz Bastos. A sua atuação profissional e em defesa das instituições constitui capítulo relevante da formação do Estado Democrático do Direito em nosso país. Sentimentos à família e à advocacia nacional.
 
Mário Ernesto Humberg, primeiro coordenador do PNBE
São Paulo

*
A atuação de Márcio Thomaz Bastos na advocacia foi determinante para a criação de modelos a serem seguidos. Advogado exemplar, exerceu a profissão em sua plenitude e, sem dúvida, deixa um legado de inspiração para a história da advocacia brasileira. Sinceros sentimentos à família!

David Rechulski rechulski@dreadv.com.br
São Paulo

*
Márcio Thomaz Bastos foi um gênio em sua área, direito criminal, e ninguém me tira da cabeça que foi alçado ao posto de ministro da Justiça de Lula já pensando na defesa dos canalhas e seus sucessivos escândalos. Tenho também certeza de que sua assessoria fará muita falta a muitos do PT.
 
Alberto Souza Daneu albertodaneu.health@uol.com.br 
Osasco

*
Indiscutível a capacidade de advogado criminalista de Márcio Thomaz Bastos, falecido ontem, um dos maiores do País. Mas discordo de seu papel quando fez parte do governo Lula: foi mais ministro deste do que da Justiça do País. Não merece, amanhã, tornar-se nome de rua, como certamente algum vereador petista irá propor.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br 
São Paulo

*
Thomaz Bastos era inteligente, culto, porém usou sua profissão para trilhar outro caminho, ou seja, por meio dela fez muito mal para o Brasil. Dr. Thomaz Bastos agora terá de ajustar contas com a justiça divina. Nós, brasileiros de bem, não lamentamos sua morte.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com 
Porto Feliz 

*
Lamento que Thomaz Bastos tenha usado toda a tremenda capacidade que Deus lhe deu na defesa de corruptos. Que siga em paz. Corruptos, ex-presidentes e atuais devem estar preocupados: perderam seu melhor defensor. Deve cair a impunidade dos grandes escândalos.

Ferdinando Perrella fperrella@hotmail.com 
São Paulo

*
Com a morte de Márcio Thomaz Bastos, o Brasil perdeu um renomado advogado, Lula e Dilma perderam um grande amigo e os corruptos perderam um eficiente defensor. Descanse em paz.

Roberto Twiaschor  rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*
Lá se foi o amigão de Lula, o mais famoso dos cínicos e caríssimos advogados criminalistas, defensores dos grandes ladrões do dinheiro público, que sabem que seus honorários estão sendo pagos com o dinheiro roubado por esses meliantes.
 
Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com
São Paulo

*
Com súbito desaparecimento do Dr. Márcio Thomaz Bastos – minhas condolências à família –, dois caminhos diferentes, por personagens também diferentes, deverão ser seguidos. O doutor deverá seguir o do céu, enquanto outro, seu constituinte Lula, certamente deverá iniciar seu caminho para a Papuda. Quem viver verá.

Carlos B. Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com 
Rio Claro

*
Sapo barbudo iniciou a articulação de sua equipe no inferno...

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo 

*
DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

A consciência então deve ter se queimado ao sol da praia do Porto da Barra, nos dias inúteis de sábado e domingo, até se tornar negra. Negra e preconceituosa, daqueles que a fomentam e a alimentam com ervas de burro somente para encurtar os grilhões de uma escravatura que há muito deveria estar morta – não esquecida, mas morta definitivamente. Não bastasse a alma de alguns que, de tão diáfanas e compungidas, tingiram-se de negras para desafiar-nos o entendimento, ainda que o corpo permaneça branco pela bestialidade das ideias, ou preto pela eternidade dos fatos. Aqueles outros, de tão orgulhosos de si, pregam no peito: “Sou 100% negro”. Por aí vamos sem poder exibir nossas cores diversas de uma raça única. Mas quiçá não tivéssemos raça, como bem disse o escritor moçambicano Mia Couto, in “Terra Sonâmbula”: “Não gosto de pretos (...), também não gosto de brancos... Eu gosto de homens que não têm raça”. Somos iguais aos cachorros que têm pedigrees e muitas raças. Talvez, por isso, até já se escolheu e se propaga O Dia da Consciência Negra (20 de novembro), que leva ao palanque as autoridades políticas, e algum proveito vão tirar dessa data. Se criássemos “o dia da consciência branca”, decerto seríamos intoleravelmente tachados de preconceituosos, racistas, elitistas e indignos. Mais para a frente, diríamos soberbamente: haverá o dia da consciência indígena, loira, morena, mameluca e o dia final da consciência maluca em que todos juntos cantaremos uma canção nova de libertação para que nos matemos, uns aos outros, no meio das ruas, ou nos dividamos em lotes mínimos de duas cores: preta e branca. Pronto: o arco-íris não nos possa mais cobrir a cabeça, sob pena de nos transformar não em mulheres, como diz a lenda, mas em ignaros ruminantes. Por fim, não nos esqueçamos: somente aqueles que têm a consciência pura e lúcida poderão reivindicar o reino dos céus. Os demais vão se queimar no fogo do inferno ou lá nas bandas da mãe África que pariu filhos negros, iguais e com alguma consciência.  
 
Achel Tinoco achelltinoco@yahoo.com.br 
Salvador

*
INAUGURAÇÃO DO ALLIANZ PARK

O Palmeiras, que sempre teve uma grande e apaixonada torcida, agora também tem uma bela e novíssima arena. Só falta mesmo ter um time!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
PALMEIRAS

Já inaugurou o estádio, só falta inaugurar um time.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.