Fórum dos Leitores

PESQUISA

O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2014 | 02h05

Antipetismo

Em meio ao mar de lama da corrupção desenfreada, com metástases por todo o corpo do País nos últimos 12 anos de desgoverno, causa espécie o PT ter encomendado pesquisa de opinião para descobrir as razões do antipetismo que se espalha e cresce Brasil afora. O partido, nascido e batizado sob a égide da transparência, da ética e do respeito à coisa pública, acabou mudando de lado, seduzido pelo canto da sereia, misturando, criminosamente, o público e o privado e fazendo do governo uma fonte inesgotável de "malfeitos" e negócios escusos superfaturados. O crescimento do movimento antipetista é o reflexo clarividente do desencanto e da desaprovação dos que outrora acreditaram nas pregações do partido quando confrontados com os estarrecedores fatos e feitos que envolvem a agremiação nos últimos anos. Alguma dúvida?

J. S. DECOL

decoljs@globo.com

São Paulo

O PT vai contratar empresa para consultar eleitores para saber as causas da rejeição ao partido, patente no último pleito? Será que não entenderam que os trabalhadores de fato estão cansados de tanta enganação - dos 300 picaretas de outrora hoje temos, no mínimo, o dobro -, de ver os impostos escorchantes serem consumidos pelo ralo da corrupção como nunca antes neste país? Será que é preciso desenhar?

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Já que o PT vai fazer pesquisa para entender a razão do antipetismo, resolvi colaborar. Antes mesmo de ser ouvida pelo pesquisador, já adianto minhas razões. Aviso logo que não sou antipetista por ser branca. Nem por ser paulistana. Não tenho olhos azuis. Gosto dos nordestinos, defendo a causa gay e odeio o preconceito e a pobreza, jamais os pobres. E, deixo bem claro, sou contra qualquer intervenção militar no governo do Brasil. Sou antipetista por razões que os corações petistas desconhecem - ou fingem desconhecer. Sou antipetista por causa das mentiras. Os integrantes do PT mentem desde sua fundação. Mentiram na oposição ao FHC, mentiram na situação, com Lula e Dilma. Sou antipetista por causa do populismo, tão caro ao partido; por seu projeto de hegemonia; pela simpatia que eles têm pelas ditaduras espalhadas pelo mundo; por causa do mensalão, do petrolão e tantos ãos mais que assolam o País; pela má gestão da economia e pelas manobras utilizadas para disfarçar os erros dessa gestão; pela incoerência das alianças com Sarney, Renan, Collor, Maluf e tantos outros. Sou antipetista, enfim, porque não gosto de ser enganada, roubada, espoliada. Fui clara? Espero ter ajudado a compreender o motivo da aversão (pelo menos a minha) que existe contra a sigla.

CELY MCNAUGHTON

cely@mcnaughton.com.br

São Paulo

Sobre as causas da impopularidade do PT, que serão objeto de pesquisa, eis mais algumas hipóteses. O roubo - O povo mais pensante não aprecia ser roubado nem que a militância repita em uníssono: "Mas todo mundo rouba...". A mentira - O discurso petista é desmentido pelos fatos. "Eu não sabia", "não há inflação", "vocês quebraram o Brasil três vezes". A economia - Inflação, nenhum crescimento, juros altos, dívida pública, balanço de pagamentos e situação da indústria formam um cenário de horror. Luta de classes - Lula prega o "nóis contra eles". Chegou até a chamar os oponentes de nazistas. O que esperar em troca? Doce amor? Péssimos serviços públicos - Enquanto Dilma passeia de Aerolula e se hospeda em hotéis de 8 mil, o povo - para quem o PT diz governar - espera meses por uma consulta médica. E ainda querem beijinhos?

CLODER RIVAS MARTOS

closir@ig.com.br

São Paulo

Menos trouxas

Malandros fazem carreira enganando os outros. Desnecessário nomear a quais políticos a afirmação se aplica. O pior de tudo é que a reclamação só pode ser feita pelo eleitor nas urnas e para isso vai aguardar mais quatro anos de engodo. Pelo menos ficou claro que o número de trouxas diminuiu.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Generalizada

Corrupção e desmando é a marca registrada desse governo desde que assumiu o poder, em 2003. A partir daí a corrupção foi institucionalizada. O que está acontecendo na Petrobrás, no que foi até hoje o maior assalto aos cofres públicos da História da República, com certeza também vem ocorrendo nos demais órgãos que estão nas mãos dessa quadrilha. É só ciscar que acha.

HUMBERTO BOH

hubose@gmail.com

São Paulo

Laranja

Estava demorando, mas PT e PMDB acharam um laranja (Fernando Baiano) para tentar envolver o governo FHC no petrolão.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

GOVERNO DILMA

Reserva fiscal

Então, a reserva do governo, de R$ 10 bilhões, é menos da metade do roubado na Petrobrás?

LUCIA MELCHERT

luciamelchert@gmail.com

São Paulo

Investimento?

Quem compraria ações de uma empresa que vive falando em contabilidade criativa, pedalada, mudança de metodologia, critérios alternativos, plano B, etc.?

SÉRGIO BARBOSA

sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

Lógica do PT

Depois de muito pensar, a presidente vai nomear Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. Ouvindo o povo, que afirma que "o barco está afundando", ela acha que a melhor solução é Levy por ser engenheiro naval...

PEDRO XAVIER DA SILVEIRA

pxsaaa@gmail.com

São Paulo

Cartão de visita

A rejeição do PT a Levy (23/11, A1 e A8) só o recomenda. Que ele atue na Fazenda por todos os brasileiros, que Dilma diz pretender governar no novo mandato. E assim Levy barre o projeto do PT de falir o Brasil, em solidariedade aos cubano-bolivarianos ou sob as ordens destes.

SUELY MANDELBAUM

suely.m@terra.com.br

São Paulo

CORREÇÃO

A Copa da Fifa na Argentina foi disputada em 1978, e não em 1974 (artigo Sem restos para aproveitar, de Rolf Kuntz, 23/11, A2).

A VIAGEM DE JOSÉ DIRCEU

Rápida ou não, a autorização dada pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal para que José Dirceu viesse a São Paulo resolver problemas em seu escritório é significativamente suspeita. Justamente quando um de seus pupilos foi incriminado na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, podemos supor que, quando preso, Dirceu não teve oportunidade para “sumir” com documentos comprometedores. Ele nem precisava de vários dias. Apenas de algumas horas, como teve, seriam suficientes. Provavelmente sua permanência em São Paulo foi revogada pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), depois de tudo acertado. Essa é a (in)Justiça brasileira a mando da bandidagem.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
PASSANDO DA CONTA

José Dirceu – que deve cumprir prisão domiciliar pela condenação no caso do mensalão – pede para viajar a São Paulo, para sua terra natal, em Minas, e daqui a pouco para passear em férias para Miami. A Justiça brasileira está passando da conta! Isso é um verdadeiro deboche, uma bagunça republicana, um acinte ao cidadão brasileiro e aos demais condenados que não podem contratar advogados caríssimos. Trata-se de um desequilíbrio, uma falta de proporção no trato com os demais condenados anônimos cumprindo pena nos diversos regimes a que estão submetidos. Os condenados do mensalão estão acabando com uma réstia de esperança que havia na Justiça e deixando os jovens apáticos com o que está ocorrendo com a política, com a Justiça, com a economia e com o Brasil.
 
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
SE CONSELHO VALESSE

Zé, fica quieto, Zé! Você já está em casa, Zé! Fica por aí, Zé!

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
DEVOLUÇÃO

Quando se fica devendo ao governo, paga-se com multa e juros. A quantia que os mensaleiros devolveram aos cofres públicos foi irrisória, e ainda fazendo vaquinha. Agora estão se vangloriando por que os envolvidos no Petrolão aceitaram, até aqui, devolver R$ 500 milhões, quando o rombo é de bilhões. Cadê a Justiça?

Zilá Camargo Pires da Silva zilkpsil@yahoo.com.br 
São José do Rio Preto

*
OPERAÇÃO LAVA JATO

Quando um político ou empresário corrupto põe o seu sigilo bancário à disposição da Justiça, é porque a dinheirama surrupiada ilegalmente foi depositada não em sua conta, mas em conta bancária de pessoa de sua confiança. Talvez tal fato tenha ocorrido em relação a Humberto Costa, líder do PT no Senado, caso seja verídica a denúncia originária de depoimento de Paulo Roberto Costa durante processo da delação premiada, de que o senador recebeu R$ 1 milhão do esquema de corrupção na Petrobrás. Cabe ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) fornecer dados à Polícia Federal (PF). E que a PF investigue o caso a fundo, para que a verdade seja esclarecida.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*
INGÊNUOS? NUNCA
 
Mais uma vez um político faz pouco caso de nossa percepção sobre fatos delituosos. O senador Humberto Costa, líder do PT no Senado, recebeu R$ 1 milhão, segundo delação do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa. O senador alega que nada recebeu e, pretendendo provar inocência, põe suas contas bancárias à disposição para exames. É evidente que, ao receber essa propina, a última coisa que ele faria seria depositá-la em sua conta corrente, pois é político experiente, sabedor exímio de que dinheiro sujo não se contabiliza. São mesmo caras de pau esses políticos.
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
DE CARONA NO LAVA JATO

Na velocidade de um jato, as investigações sobre desvios de recursos da Petrobrás seguem. Novos nomes de supostos beneficiados aparecem e são divulgados pela imprensa. O líder do PT no Senado, o pernambucano Humberto Costa, é citado pelo delator Paulo Roberto Costa por ter recebido R$ 1 milhão, lógico, de forma ilícita, para custear sua campanha eleitoral de 2010. O citado parlamentar age com a santidade de um petista neste inferno da corrupção protagonizado pelo seu partido. E, em tom irado, diz que abre mão de seu sigilo telefônico, bancário e que as acusações são caluniosas, assim como afirmavam também na época do mensalão José Genoino, Delúbio Soares, João Paulo Cunha e o chefe do bando, José Dirceu. E deu no que deu... Humberto Costa foi mais longe, afirmando que seu contato com Paulo Roberto Costa, na época diretor da estatal, era puramente institucional. Certamente o senador em questão vai ter de comprovar sua inocência lá no Supremo, com todo o direito constitucional de defesa que os seus camaradas condenados pela Ação Penal 470 tiveram. E o senador do PT não estará sozinho nesta suposta lista de beneficiários do Petrolão, que inclusive comporta o nome de sua colega de partido Gleisi Hoffmann. Pelos rumores dos que acompanham de perto os desdobramentos imprevisíveis da Operação Lava Jato, já se fala em torno de 70 parlamentares. Aliás, com o alto conhecimento de Lula e Dilma, conforme indica um e-mail enviado por Paulo Roberto Costa ao Planalto, encontrado pela PF e divulgado pela revista “Veja”, prova de que Dilma sabia de toda esta festa de “arromba cofres” da Petrobrás.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
‘ACUSAÇÃO CALUNIOSA’?
 
Me engana que eu gosto, senador Humberto Costa. “Acusação caluniosa”? Ora, processe, leve à Justiça o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, que o acusou. O que causa espécie é a ingenuidade do senador do PT. Só amadores deixam pistas. O DNA dos petistas é profissionalíssimo. Sugestão: senador, demonstre que pernambucano não falha e abra mão da sua imunidade parlamentar. Aí, sim, vamos ver quem tem razão.
 
Pedro Ravelli pedroravelli@uol.com.br 
São Paulo

*
O E-MAIL PARA A MINISTRA DILMA

A sepultura política de Dilma Rousseff já estava aberta, e o e-mail de Paulo Roberto Costa, o “Paulinho”, é apenas uma pá de cal nela. 

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br 
São Paulo

*
PROXIMIDADE

O diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa estava preocupado com a paralisação de obras da Petrobrás a pedido do Tribunal de Contas da União (TCU). O presidente da Petrobrás então, Sérgio Gabrielli, não? Isso demonstra claramente a proximidade entre “Paulinho” e seu criador, Lula.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com 
Sorocaba

*
RESPOSTA

A reação do Palácio do Planalto à reportagem da revista “Veja” me lembra a história do capiau que, questionado se um urubu havia defecado sobre sua cabeça, reagiu indignado dizendo “não é verdade, era um pintassilgo”!

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo

*
CONSULTORIAS MILIONÁRIAS

Todo malandro, quando deixa um cargo público, mas tem como tirar uma grana do governo por meio do uso de suas ligações com os companheiros que lá permanecem, vira consultor e, dessa forma, tenta explicar o seu súbito enriquecimento. Foi assim com Fernando Pimentel, que deu consultorias milionárias, e, agora, com o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque, que diz que recebeu R$ 1,6 milhão por consultoria.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
‘APOCALIPSE AGORA’
 
Brilhante e genial o artigo de Fernando Gabeira (“Apocalipse agora”, 28/11, A2). Nada poderia expressar melhor o desespero e a revolta do povo brasileiro diante do descalabro do desgoverno do PT. Quem ama este país não demorara reagir.

Antonio Camargo antonio.camargo37@gmail.com 
Piedade

*
CULTURA DA CORRUPÇÃO

“Corrupção é ‘cultural’”, disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (22/11, A7). Então, finalmente, devemos admitir que Lula é uma pessoa muitíssimo culta.

Carlos Renato Napoleone crnapoleone_50@itelefonica.com.br 
Agudos

*
ESTÍMULO

Da declaração atribuída ao atual ministro da Justiça, na qual faz crítica ao cidadão que reclama dos políticos – imagino que inclusive os do PT –, mas comete ilícitos na vida privada, posso concluir que o PT venceu as eleições (quatro vezes consecutivas) por força de tal “identidade cultural”: não reclame dos nossos “malfeitos”, pois você, cidadão, também é desonesto. Já pensou o sr. ministro da Justiça que tal “cultura” tenha sido estimulada pela prática política, em especial a dos últimos 12 anos?
 
Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br 
São Paulo

*
‘CORRUPÇÃO NO BRASIL É CULTURAL’

A Operação Lava Jato está resolvida: segundo o ministro da Justiça, a corrupção no Brasil é endêmica e cultural e o culpado é o próprio povo brasileiro, que não sabe votar e elege políticos corruptos. Senhor ministro, não me lembro de ter votado em José Dirceu, nem em Delúbio Soares, nem em José Genoino, nem em João Paulo Cunha, nem em Paulo Roberto Costa, nem em Alberto Youssef, nem em Fernando Baiano, tampouco em Graça Foster, também nunca votei no PT, nem em Maluf, nem no PMDB depois de 2002. Será que mesmo assim continuo sendo considerado um corrupto, na sua avaliação? Obrigado, sr. ministro pela consideração com o povo brasileiro.

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br 
São Vicente 

*
EU NÃO!

O ministro da Justiça, sr. José Eduardo Cardozo, no ano passado, alegou que nosso sistema penitenciário é um verdadeiro inferno, mesmo o partido dele, o PT, estando no poder há longos 12 anos. Muito bem, agora ele diz que a corrupção no Brasil é “cultural” e que o comportamento da população está entre as “causas” da corrupção e que a classe política é um “reflexo da sociedade”. Por favor, senhor ministro, Cardozo, não nos meça com a sua régua nem nos misture com gente do seu partido político. Agora, se o sr. se dirigiu aos 51% dos brasileiros eleitores de dona Dilma, por favor, seja mais específico e informe a camada efetiva da sociedade que está acostumada com a “cultura da corrupção”, bem como isente os demais 48% que não votaram no PT justamente por não concordarem definitivamente com os desmandos costumeiros do partido.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté
  
*
INACREDITÁVEL

Quando o ministro José Eduardo Cardozo era deputado federal, achava sua atuação bastante inteligente, embora fosse do PT. Achava até, pelo que apresentava, que ele não merecia estar no PT, pois às vezes tinha comportamentos e declarações não condizentes com a linha do partido. Mostrava inteligência, o que, convenhamos, não é o forte do PT. Bem, foi só ser nomeado ministro e parece que a obtusidade do PT tomou conta dele. Não dá para acreditar que dê as declarações que temos visto. Completamente non sense. Me desapontou.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio e Janeiro

*
A SERVIÇO DO PARTIDO

As declarações de José Eduardo Cardozo à imprensa mostram o quanto ele é um ministro a serviço do PT, e não do Brasil. Se o País tivesse outro comando, ele já teria recebido seu bilhete azul por improbidade administrativa.

Leila E. Leitão
São Paulo 

*
QUESTÃO DE EDUCAÇÃO

A declaração do ministro da Justiça, de que a corrupção faz parte da cultura do brasileiro, precisa ser bem analisada: realmente, ela faz parte da cultura e da educação das famílias de políticos notórios e profissionais, que ensinam aos filhos e netos que é mais fácil roubar o erário do que assaltar um banco. Entretanto, creio que a grande maioria dos brasileiros, de todas as classes sociais, educa seus filhos e netos a serem probos, trabalhadores e honestos, tratando aquilo que não lhes pertence com mais respeito do que as próprias posses. Sinto vergonha do vice-presidente da República, como de outros políticos profissionais, que dizem que não podem prender todos, senão as obras e o País param. Precisamos passar o País a limpo de qualquer maneira, para não sermos mais como bolivarianos e castristas, mas, sim, brasileiros, com orgulho da nossa nação.

Sergio Aureliano Massera masserasergio@gmail.com 
Jundiaí

*
POVO BRASILEIRO É HONESTO

O já saudoso sr. Samuel Klein, fundados da Casas Bahia, descobriu, lá pelos anos 50, que o povo brasileiro mais humilde era muito honesto e construiu um império em cima deste pressuposto. Hoje, vem um ministro e cria outro pressuposto ao revés, de que o povo brasileiro é desonesto, por isso os políticos são seu espelho. Isso explica por que os três governos dos petralhas viraram um Titanic.
  
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com 
São Paulo

*
CRISE MORAL NO BRASIL 

O editorial do “Estadão” “A meia-verdade do pedágio” (24/11, A3) apenas reforçou aquilo que a sociedade já sabia, ou pelo menos desconfiava, de que na extorsão a que as empreiteiras são submetidas pelos políticos, como no caso da Petrobrás, a propina já estava embutida no orçamento apresentado à estatal. Perdedor, mesmo, só há um: o contribuinte brasileiro. A crise econômica, quando atinge um país, é passageira, porém a crise moral que o Brasil atravessa no momento levará um longo tempo para ser superada.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas

*
‘BOLSISTAS’ DA PETROBRÁS

Há um certo exagero com respeito aos desvios identificados pela Operação Lava Jato. Os beneficiários do esquema nada mais são do que “bolsistas” da Petrobrás.
 
Luiz Carlos G. Pannunzio giotto.pan@gmail.com 
São Paulo

*
O FIO DA MEADA

O caso Petrolão, o mais comentado atualmente, não é o único caso de desvio de verbas bilionárias. Se as investigações se abrirem como um leque, vão descobrir desvios bilionários no Ministério dos Transportes, no Ministério da Saúde (nos hospitais não existem remédio, médicos, equipamentos de diagnóstico, um simples aparelho de raio-x, por exemplo). A Petrobrás tem sido o boi de piranha do governo Dilma, pois, se investigados todos os ministérios e estatais, o País para, fecha para balanço e só reabre após a privatização de tudo. Dos 39 ministérios, bastam 6 ou 7 para o Brasil funcionar. A investigação da Petrobrás vai demorar no mínimo 10 anos, o julgamento mais 10, e, se abrir o leque, vamos para a terceira divisão no cenário mundial. Quando se descobriam desvios de alguns milhões de reais, o Brasil todo se indignava. Hoje o referencial é outro, são dezenas de bilhões de reais, e o povo não fica indignado porque não faz a mínima ideia do que isso signifique. Não merecemos ouvir e assistir a mais um espetáculo do tipo mensalão sabendo que não vai dar em nada.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br
Osasco

*
MILHÃO OU BILHÃO

Ex-diretor da Petrobrás diz que líder do PT recebeu R$ 1 milhão. Não haveria engano de uma letra?

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*
FAZ PARTE DO JOGO

Os políticos entram na política sabendo que todos têm de cometer atos ilícitos porque faz parte do jogo? Logicamente, são desonestos desde o primeiro passo, corruptos confessos, e não têm como alegar sua inocência de nada.

William W. B. Veale william.veale@terra.com.br 
Sorocaba

*
LEMBRANÇA E ESQUECIMENTO

O mensalão fez esquecer os roubos e o fracasso da Copa do Mundo. O Petrolão fez esquecer o mensalão. E toda esta infâmia faz lembrar o regime militar, cujos únicos e relevantes senões foram os desvios no que tange aos direitos humanos.
 
Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com 
Salvador

*
AUDITORIA NA PETROBRÁS

Oito meses foi o tempo que a Petrobrás levou para concluir as três auditorias internas sobre denúncias de corrupção, nas Refinarias Abreu e Lima (PE), Comperj (RJ) e Pasadena (EUA). O relatório tem 3 mil páginas e só para a conclusão do (des)caso Pasadena consumiu 150. Mas para a PricewaterhouseCoopers (PwC), empresa que audita as contas da petroleira, a medida não foi suficiente para convencer os auditores a aprovarem o balanço trimestral da companhia. Segundo fontes próximas ao Conselho de Administração, o adiamento da apresentação de resultados é uma tentativa de blindar a PwC dos escândalos. “Ela audita as contas da Petrobrás desde 2012 e nunca apontou nada”, disse um conselheiro. Será que os relatórios apresentados pela conceituada empresa americana desde 2012 também são “técnicos e juridicamente falhos”? A grande verdade é que “o diabo é muito mais feio do que se pinta”.

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*
REFINARIAS DA PETROBRÁS

Os polêmicos contratos (ainda vigentes) de construção e fornecimento de equipamentos, no caso de existência de sobrepreço, deverão ter seus valores deduzidos no fluxo de pagamentos aos contratados, revertendo-se em resultado positivo para a Petrobrás. Há, portanto, uma importante tarefa de engenharia de avaliação que deverá transcorrer em paralelo com os procedimentos judiciais. Trata-se de recursos que, ao serem resgatados, terão o destino conhecido: a Petrobrás. Jamais deverão ter destino difuso, como muitas vezes considerado por alguns juristas.

Alfredo Mário Savelli a.m.savelli@uol.com.br
São Paulo

*
NOVO MINISTÉRIO

Lamentável que a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) tenha chamado a ruralista e latifundiária Kátia Abreu (PMDB-TO) para comandar o Ministério da Agricultura. Kátia Abreu é inimiga declarada dos ambientalistas e representa os interesses dos latifundiários e grandes proprietários de terras no País. Não poderia haver escolha pior. É uma afronta ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e aos movimentos sociais que deram sustentação e ajudaram a reeleger a presidente. Impressionante como Dilma está enredada em acordos, loteamento de cargos, troca de favores e cercada de maus elementos por todos os lados. Um horror!
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br   
São Paulo

*
EM BUSCA DE APOIO

A nomeação de uma ruralista puro-sangue para a emblemática pasta da Agricultura sinaliza uma desesperada busca de apoio, oriunda do PMDB. Portanto, qualquer aventura “bolivarianista” fica afastada por enquanto.

Caio Augusto Bastos Lucchesi cblucchesi@yahoo.com.br  
São Paulo

*
REFORMA MINISTERIAL

O governo lulopetista lembra uma galinha estressada prestes a cair do poleiro: tem voo curto, cisca muito, cacareja adoidado e não bota ovo...

A.Fernandes standyball@hotmail.com  
São Paulo

*
A LISTA DE DILMA

Ora, ora, durante campanha eleitoral a presidente Dilma desceu a lenha nos banqueiros. Não mediu esforços para tanto. E seu padrinho, Lula, idem. Pois bem, agora o primeiro da lista para comandar a economia no País não era ninguém menos que Luiz Trabuco, presidente do Bradesco e homem forte de Lázaro Brandão. Dá para acreditar nessa senhora?

Pedro Sergio Ronco sergioronco@uol.com.br  
Ribeirão Bonito

*
DO PRÓPRIO VENENO

Que a presidente Dilma se importe com a opinião do PT sobre os nomes para seu ministério é compreensível. A questão é que a conjuntura econômica é tão desanimadora, consequência do lamentável desempenho do atual governo, que nem o próprio PT tem consenso quanto ao nome para o Ministério da Fazenda (“Dilma tenta lidar com resistência de petistas – partido é contra indicação de Joaquim Levy para o comando da Fazenda”, “Estadão”, 23/11, A8). O PT já está experimentando do próprio veneno. E quem sofre é o Brasil. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com  
São Paulo

*
SONHO

Joaquim Barbosa e Nelson Levy, novos ministros. Upa! Um sonho!

Nelio Esquerdo nelioesquerdo@terra.com.br 
São Paulo

*
LULA CONTRA OS CRÍTICOS DO GOVERNO
 
Em discurso proferido em Foz do Iguaçu na semana passada, Lula voltou a vergastar os que atacam o governo Dilma. “A oposição não vê que a eleição acabou”, disse, aduzindo que “vão ter uma surpresa extraordinária, porque ela sabe que ela tem que fazer o melhor governo deste país (...) e vai ter que escolher qual a imagem que ela quer deixar” após cumprir seus oito anos. Nessa linha, vociferou que sua pupila é vítima de “ódio” porque ela é “filha de um pequeno agricultor” e que “está virando doutora neste país”. Para Lula e seus sequazes, quem critica objetivamente as políticas equivocadas do PT não se sente bem vendo os humildes ascendendo socialmente. Lula, o mesmo que aplaudiu com entusiasmo o discurso de ódio contra a classe média (!) proferido por sua correligionária, a professora da USP Marilena Chauí, fiel ao decálogo leninista, acusa os demais daquilo que ele próprio é useiro e vezeiro em fazer. Aliás, seu discurso é monotemático: luta de classes. Lênin ficaria orgulhoso de seu pupilo – e dos resultados (eleitorais) que tem alcançado –, se vivo estivesse.  Vimos essa mesma arenga leninista nas últimas eleições, quando procurou defender a “mulher” Dilma de supostos ataques de seu opositor Aécio Neves, a quem a propaganda de seu partido incumbiu-se de colar os epítetos de “playboy”, “fumeta”, “espancador de mulheres” e outras idiotices que, malgrado o despropósito, encontraram eco nas camadas mais incultas e desinformadas da sociedade. Quem ouviu Lula em Foz pode até acreditar que a “mãe” do empacado PAC nasceu numa casinha de sapé perdida num cafundó do norte de Minas Gerais e que, por isso – e só por isso – é “odiada”. No mais, Dilma tem, sim, se revelado “doutora”, só que na arte de afundar um país com enormes potencialidades como o Brasil, como o demonstram a derrocada de todos os indicadores econômicos. Lula que me perdoe, mas dificilmente teremos uma “surpresa extraordinária” ao cabo dos 8 anos do atual desgoverno. Surpresa haverá, sim, se, em 2018, e no desditoso rumo que está a seguir, o Brasil ainda não tiver virado uma Argentina – ou, pior, uma Venezuela – e persistir integrando o “top 10” entre os maiores PIBs globais.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com       
São Paulo

*
ARROGÂNCIA

Parece que a arrogância do sr. Lula não para de crescer. Numa palestra realizada em Foz do Iguaçu, disse que o ódio demonstrado contra a presidente não se deve ao fato de ela ter prejudicado o sistema financeiro ou os empresários, e, sim, porque “a filha de um pequeno agricultor está virando doutora neste país”. Indagado sobre a Operação Lava Jato, Lula respondeu aos jornalistas com sua delicadeza contumaz: que fossem procurar a PF e o Ministério Público. Com toda essa péssima educação, para não dizer estupidez, como pode ainda ser tão aplaudido?  Talvez fosse interessante chamar a filósofa Marilena Chauí para, juntos, poderem destilar todo o ódio que ainda pulsa para fora. 
 
Heloisa Durgante Cintra helodurgante@uol.com.br 
São Paulo

*
DISCURSO DE ÓDIO

Por que será que o ex-presidente Lula está sempre tentando despertar o ódio da classe menos favorecida contra a “elite”? Lula diz: “O ódio demonstrado contra a presidente Dilma Rousseff é porque a filha de um pequeno agricultor está virando doutora neste país” (21/11, A7). Quem parece que não percebeu que a eleição já acabou é o próprio ex-presidente, e não a oposição, até porque oposição não se faz só em tempo de campanha política. Em qualquer momento Lula aproveita para criticar os adversários. Suas mais recentes críticas, totalmente sem sentido e fora do contexto, foram feitas durante uma palestra cujo tema era “Cultivando Água Boa”, que nada tinha que ver com o resultado das últimas eleições. Sem contar que o pai da presidente Dilma era advogado e empreendedor búlgaro naturalizado brasileiro, não “um pequeno agricultor”. Mas, já dizia Joseph Goebbels, “de tanto repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade”. E assim os petistas vão espalhando inverdades. No segundo turno da campanha presidencial, o ex-presidente dizia que o candidato Aécio era “o candidato dos banqueiros”. Agora, vencidas as eleições, Dilma Rousseff convida um banqueiro – que felizmente não aceitou o convite – para ser ministro da Fazenda. Se ainda existe algum petista com um mínimo de honradez, deveria deixar o partido para poder, pelas ruas, continuar andando de cabeça erguida.
 
Mirna Machado mirnamac@uol.com.br  
Guarulhos

*
HÁ 12 ANOS

Lula, ao se pronunciar em Foz do Iguaçu, disse que aqueles que atacam o governo Dilma Rousseff atuam como se as eleições não tivessem acabado. O que dizer dele e de Dilma, que vêm atacando o governo anterior há 12 anos?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  
São Paulo

*
OPOSIÇÃO

Opor-se a planos de governo que a oposição julga não terem mérito não significa não ter acatado o jogo democrático, como ministros governistas e Lula querem fazer a população crer. Nós nos manifestamos contra aquilo a que nos opomos. Representantes políticos dessa linha de pensamento devem exercer seu papel de oposição. Saem-se bem tendo em vista o desconforto repercutido por políticos governistas.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br  
Indaiatuba

*
CORRUPÇÃO EM PORTUGAL

Portugal prende pela primeira vez um ex-ministro acusado de corrupção, fraude fiscal e lavagem de dinheiro. Não é piada, não! O que estamos esperando? Em dez anos no Brasil lotaríamos todos os presídios existentes e teríamos de construir muitos outros presídios, mas com suítes diferenciadas para as tão conhecidas autoridades. Que exemplo!
 
Fernando Silva lfd.dasilva@2me.com.br 
São Paulo

*
LÁ E CÁ

Em Portugal, o ex-primeiro-ministro foi aprisionado por denúncias de corrupção, desvios de dinheiro público e outras tramoias. Enquanto isso, aqui, o “chefão” continua solto e sumido. Até quando?

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*
CAMPEÕES

No campeonato mundial de Fórmula 1 de 2014, diferente de anos anteriores, a decisão ocorreu somente no último GP, em Abu Dhabi, onde o carismático piloto inglês Louis Hamilton se tornou com méritos o campeão, obtendo 11 vitórias e 384 pontos. Já o limitado brasileiro Felipe Massa fez sua melhor corrida na temporada. E, no Campeonato Brasileiro de futebol, o time mineiro Cruzeiro, líder da competição desde a sexta rodada, sagrou-se campeão com duas rodadas de antecedência. Enfim, diante dos números, nas duas competições, F1 e futebol, prevaleceram, sem sorte, os melhores. Ou não?

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com 
Sumaré

*
CAMPEONATO BRASILEIRO 2014

Que o bicampeonato do Cruzeiro sirva de exemplo aos demais clubes brasileiros de como se deve administrar e gerir um time de futebol, com profissionalismo, planejamento, competência, transparência e amor à camisa. Título merecidamente biconquistado. Parabéns ao campeão!

J. S. Decol decoljs@globo.com  
São Paulo

*
PALMEIRAS

É isso aí, mais uma derrota sofreu o Palmeiras no domingo, agora para o Coritiba. Conseguiram fazer um time palmeirense pior do que aquele de Felipão. No seu centenário, o clube é campeão em camisas comemorativas e dirigentes incompetentes...

José E. Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br 
Marília

*
SEM TIME

Diretoria do Palmeiras, não adianta ter uma arena de Primeiro Mundo e um time que é o fim do mundo. Meus netos já estão estudando outras opções.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
EM MAUS LENÇÓIS

Como medida de economia, Paulo Nobre pensa em deixar a nova arena do Palmeiras para os shows e alugar o Canindé para o Palmeiras mandar seus jogos. Cogita também mudar o nome para Associação Italiana de Desportes.

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 
Vinhedo

*
OS MASCOTES DE 2016

Foi aberto o processo de escolha dos nomes para os mascotes da Olimpíada e da Paraolimpíada de 2016. Gostaria de dar sugestões. Em homenagem à fauna brasileira: “Extinção”. E, em homenagem à flora brasileira: “Desmatamento”. Fica bem de acordo com o que vivemos no Brasil. Mas, se quiserem fugir do tema natureza, pode-se também sugerir: “Corrupto”, “Ladrão”, “Mensaleiro”, “Petrolino” ou “Mentiroso”. Todos combinam com o momento que vivemos no País. 

Sérgio Luís dos Santos sersan@netpoint.com.br 
São Paulo

*
LULA E DILMA

Para os mascotes da Olimpíada e da Paraolimpíada, sugiro os nomes de Dilma e Lula. Que horror! É brincadeira.

Iria de Sa Dodde iriadodde@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*
ESCLARECIMENTO

A respeito da reportagem “Comércio paga vigias para expulsar sem-teto”, na edição de 22/11, com chamada na primeira página e no caderno “Metrópole”, como munícipe, morador e síndico de um condomínio ao lado do Metrô Marechal Deodoro, gostaria de esclarecimento, fazendo três perguntas: 1) assim como o “Estadão” e outras firmas têm legitimamente o direito de ter seu serviço de segurança, para preservar seu patrimônio e a integridade física de seus funcionários, esse direito não seria também válido para os comerciantes e moradores de São Paulo e, especificamente, aqui, na nossa região, degradada pelo famigerado Minhocão? 2) A sra. secretária de Desenvolvimento Social do município, Luciana Temer, que dispõe de milionária verba, não gostaria de fazer experiência em sua área, instalando em sua rua “equipamento de acolhimento”, para, assim, estando mais perto, poder dar melhor assistência a esses moradores de rua? 3) Nós, munícipes, que pagamos religiosamente em dia os escravizantes e abusivos impostos, não temos também direito à segurança, à saúde, ao sossego e ao bem-estar? Gostaria de convidar a sra. Luciana Temer para visitar a área abordada na reportagem e ver, por exemplo, os grupos de moradores de rua, alguns drogados, que fazem toda espécie de algazarra, de dia e de noite, com brigas, palavrões, extorquindo motoristas dos carros e transeuntes. Vivemos num Estado de Direito e ninguém em sã consciência pode ser favorável e atos de violência contra quem quer que seja. Não se pode ser a favor de “limpeza” e “higienização”, promovendo atos de violência contra quem quer que seja. Mas nós, moradores da região, estamos sendo, sim, vítimas da violência de elementos que, abusando de seu estado  de morador de rua, promovem atentados como os indicados acima. Frequentamos a paróquia de Santa Cecília e ficamos penalizados com o pároco, padre Alfredo, que, conforme declarou, viu cair em mais de 40% a frequência à igreja por causa da minicracolândia instalada na frente do lugar, amedrontando os fiéis. Ou seja, nem o direito a ir à  igreja se pode mais ter?
 
Francisco Gomes Machado fmachadosp@uol.com.br 
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.