Fórum dos Leitores

PETROBRÁS SAQUEADA

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2014 | 02h03

Dendê

Mais denúncia contra a PeTrobrás, desta vez da geóloga recentemente demitida da estatal Venina Velosa da Fonseca, envolvendo, além da presidente Graça Foster, os "novos baianos" José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da estatal, o ex-governador Jaques Wagner, enfant gâté da presidente Dilma, e o substituto - e que substituto! - de Paulo Roberto Costa, José Carlos Cosenza. Os crimes, sempre os mesmos e continuados, mostram o absoluto desprezo do governo petista pela moralidade do bem público, preterindo-a em favor da corrupção por seus interesses pessoais e partidários. Agora começa a sessão de desmentidos e desqualificação da denunciante, até aparecerem as provas. A partir daí culparão terceiros, começando pela imprensa - que já condenou o PT, segundo Lula; justo ele, que nunca sabe de nada, só sua foto estava nos escritórios dos nomeados onde a gatunagem operava.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

E os outros?

Da mesma forma que a geóloga Venina Fonseca, outros altos funcionários da Petrobrás devem saber das inúmeras falcatruas na empresa. Impossível não saber. Um diretor não conseguiria, sem colaboração de subordinados, levar a efeito tanta corrupção durante tanto tempo.

ADEMIR VALEZI

adevale@gmail.com

São Paulo

Venina veneno

Os escândalos envolvendo governo e aliados parece um motoperpétuo a enlamear as páginas dos jornais num crescendo que parece que só terá fim com a própria Petrobrás. A bomba da hora, a ex-funcionária e geóloga Venina Velosa da Fonseca, declarou ter avisado a presidente da estatal, Maria das Graças Foster, do roubo nos contratos de serviço efetuados com a Petrobrás, desde 2008. Não se entende como Gabrielli, Lula, Dilma e Graça Foster conseguem se blindar diante de tamanho saque. O aparelhamento total do Estado, de suas instituições, o desrespeito à Constituição levam o País a um estado de anarquia.

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Contradição

A presidente Dilma Rousseff não se cansa de dizer que seu governo não aceita corrupção. Lembram-se de Erenice Guerra? E agora, Graça Foster. São estranhas a ela? Esqueci: ela nunca sabe de nada, como o Lula...

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Dogma petista

Primeiro foi Lula, depois Dilma, agora Graça Foster: "Eu não sabia". Mentir é o primeiro mandamento do PT.

RONALD MARTINS DA CUNHA

ronaldcunha@hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

Os Intocáveis

Cresce a lista de candidatos a Intocáveis brasileiros com Venina Fonseca. Ao lado de Denise Frossard, Eliana Calmon, Joaquim Barbosa, Sergio Moro,alguns motoristas e caseiros, chegarão um dia, como Eliot Ness, a pôr no xilindró o Al Capone nacional ainda oculto, como sempre, nos desastres da Petrobrás e do Brasil. Seu dia chegará!

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Conversa fiada

Talvez já tenha precisado, mas hoje o Brasil não precisa mais de uma petroleira estatal. A melhor receita para evitar a repetição dos escândalos de corrupção na Petrobrás é a sua venda. Essa história de que a empresa deve ser estatal para atender a pressupostos estratégicos é pura conversa fiada.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euros@ig.com.br

Avaré

Pobre país

Com a dilapidação da Petrobrás, de primeira a quarta empresa brasileira, o País vai empobrecendo e ficando desacreditado internacionalmente. Os investidores já vão se mandando e as ações da petroleira estão na faixa dos R$ 10. Uma lástima. Agora, as denúncias da sra. Venina Fonseca - ela tem de ser superprotegida, como também sua família - comprovam que todo mundo sabia, até a dirigente máxima da empresa, Graça Foster, tinha conhecimento de tudo por meio de e-mails a ela enviados. Aliás, dona Graça mentiu na CPI, como mentem todos, já que nunca antes na História deste país se roubou tanto. Vergonha. Lama podre. Asquerosos.

SCHINDLER PEDROZA

s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

Que será do Brasil?

Enquanto os escândalos de corrupção na Petrobrás se multiplicam a cada dia, o secretário-geral da Presidência chama o líder da oposição de "playboyzinho", o ex-presidente Lula inaugura seu triplex de alto luxo no Guarujá, a presidente Dilma institui a chantagem oficial como prática de governo e nossos nobres parlamentares se vendem sem um pingo de vergonha na cara. Que será do Brasil, meu Deus?

FÁBIO AULÍSIO

faulisio@hotmail.com

São Paulo

Arrependimento

Milhares de trabalhadores estão sendo demitidos nas refinarias e nos estaleiros em obras de construção pelas empresas prestadoras de serviço da estatal Petrobrás, e sem receberem suas indenizações trabalhistas. Isso, segundo as empresas, se deve ao não cumprimento dos contratos do governo federal com as empreiteiras, que não tiveram reajustes. Esses trabalhadores e suas famílias terão um Natal sem peru e sem presentes. Enquanto isso, as empresas, que usaram o dinheiro do fundo do trabalhador (FGTS) para financiar suas contratações na base de propina estarão brindando com champanhe, junto com os políticos corruptos e doleiros. Só a Odebrecht tem participação de R$ 4 bilhões do FGTS. Agora só resta o arrependimento a esses trabalhadores por terem confiado no PT, partido dos "trabalhadores", por terem dado seu voto à presidente Dilma Rousseff para governar o País por mais quatro anos.

VALDY CALLADO

valdypinto@hotmail.com

São Paulo

Corrupção e sonhos

Sou professor de ensino médio e estou impressionado com a quantidade cada vez maior de alunos que querem deixar o Brasil para tentar uma vida melhor. Afirmam que o País não tem mais jeito. Atualmente até os sonhos estão sendo roubados. Que lástima.

JOSUÉ GOMES TENENTE

josuegt@uol.com.br

São Paulo

OPERAÇÃO LAVA JATO

O Ministério Público Federal acusou formalmente executivos de seis empreiteiras de terem praticado corrupção, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa. São as conclusões das investigações da Operação Lava Jato. Fica uma questão sem resposta imediata, ou seja, como ficam os contratos dessas empresas com prefeituras, governos de estados e federal? Qualquer leigo sabe que, para prestar serviços e participar de concorrências de obras públicas, é preciso não ter nada que seja considerado irregular no prontuário. E, se for levada em conta a morosidade do sistema judiciário, está sendo criado um problema muito sério. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
CORRUPTOS E CORRUPTORES

Cumprimento o Ministério Público Federal por classificar a Petrobrás como vítima, e os demais, independentemente de quem sejam, se executivos de empreiteiras ou da Petrobrás, ou ainda funcionários, como bandidos e ladrões. Portanto, doa a quem doer, cadeia neles.
 
Arnaldo de A. Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
ELES SABIAM

Reportagem no jornal “Valor Econômico” de 11/12 revelou que tanto a diretoria anterior da Petrobrás, comandada por José Sérgio Gabrielli, como a atual diretoria, comandada por Graça Foster, foram informadas por funcionários, por meio de e-mails, sobre os desvios que estavam ocorrendo na empresa, mas não fizeram nada. E acabou sobrando para os funcionários, que foram perseguidos na companhia.  A verdade é que a Petrobrás está indo para o fundo do poço e, num fato como este no setor privado, toda a diretoria já teria recebido bilhete azul há muito tempo.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas

*
A INOCÊNCIA DE GRAÇA FOSTER

O ministro José Eduardo Cardozo está enganado quando afirma que "não existem indícios que recaiam sobre Graça Foster" no escândalo da Petrobrás. As dezenas de contratos que o marido dela mantém com a Petrobrás já seriam motivo suficiente para que ela fosse afastada do cargo. Não saber de nada do que acontece na empresa que preside é outro ótimo motivo para o afastamento dela. Quem sabe se um dia os acionistas roubados pela Petrobrás se dessem ao trabalho de ir protestar na frente da casa de Graça Foster, no Rio, ela finalmente perderia a sua graça. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
EFEITO DOMINÓ

Dilma Rousseff ainda será levada à renúncia pelo efeito "dominó" da Operação Lava Jato.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*
O TAMANHO DO ROMBO

Petrobrás balanço com correção de valores superfaturados. Para poder fazer essa correção, alguém na administração financeira da empresa deveria saber exatamente de quanto foi esse superfaturamento e, por tabela, estar a par de todas as maracutaias. Chamem o Barbassa!

Elie R. Levy elierlevy@gmail.com  
São Paulo

*
QUEDA NA BOLSA

Quem investiu em Petrobrás não perdeu tudo. Os papéis ainda servem para reciclagem.

Marcos Catap  marcoscatap@uol.com.br
São Paulo

*
GOLPISMO

Muito se fala em golpe, mas o golpe já foi dado, no preço das ações da Petrobrás.

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br  
São Paulo

*
PROCESSO NOS EUA

Compradores de ADR da Petrobrás nos EUA entraram com ação reparadora e indenizatória por comprarem papéis da estatal baseados em dados enganosos que turbinavam seus resultados. Aqui, trabalhadores aplicaram suas economias visando a uma aposentadoria mais digna, confiantes na gestão da empresa orgulho nacional. Notícias cotidianas demonstram que a administração da empresa foi coadjuvante e omissa, para dizer o mínimo, com o assalto e quase quebra da empresa, que hoje tem dívida duas vezes maior que seu valor de mercado. Aparelhamento por afilhados cujo principal objetivo era angariar fundos partidários, desviar bilhões de reais. Fatos que dão total razão ao sr. Rodrigo Janot em sua avaliação sobre a Petrobrás de hoje.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba

*
E AGORA, PETROBRÁS?

Com a ação coletiva que um escritório de advocacia americano entrou contra a empresa num tribunal de Nova York, em nome de uma multidão de acionistas que se sentiram lesados ao comprar ações da petrolífera, pois foram enganados ao não terem sido alertados sobre a existência do esquema multibilionário de corrupção, suborno e lavagem de dinheiro existente há muitos anos na empresa, além de ela ter inflado falsamente o valor do seu patrimônio para tornar mais atraente essa compra, por conta de um exagerado superfaturamento em tudo o que comprava e contratava. Lá, em português popular, o buraco é mais embaixo. Não há tribunais aparelhados politicamente e tudo indica que a pena será exemplar, atingindo inclusive intocáveis brasileiros que tiveram responsabilidade em tudo o que ocorreu. Se alguém tiver alguma dúvida se dá para conversar com o juiz, pergunte ao Maluf. Ele sabe muito bem como a Justiça de lá funciona. 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
LÁ E CÁ

É preciso que o Supremo Tribunal Federal não esqueça que sua prioridade é defender o Estado brasileiro e seu povo. Na ação coletiva contra a Petrobrás num tribunal de Nova York, as indenizações serão cobradas em milhões de dólares. Ao contrário daqui, a Justiça norte-americana não é benevolente e a lei funciona. Por essa razão, exigir o pagamento de altíssimas indenizações dos infratores e criminosos é comum e eles pagam ou vão para a cadeia. Esses milhões de dólares que serão cobrados deverão ser pagos pelos responsáveis, que direta ou indiretamente participaram e usufruíram do gigantesco assalto ao cofre da empresa, com seus próprios bens. Os inocentes contribuintes nada têm que ver com isso. 

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
LEI É LEI

Até aqui, no Brasil ela é feita para todos? Infelizmente não é assim que pensam os governantes do PT e seus advogados. Ela existe para revogar a Lei da Anistia, que se dizia irrestrita, porém não serve para acusar e prender ladrões de bancos, armados de metralhadoras, entre os quais, em pelo menos um, estava a nobre senhora presidente? No mensalão, no petrolão e em mais umas dezenas de “ãos” que irão aparecer em breve, aqui, em nossa terra, a lei servirá para prender os corruptores, mas não os políticos corruptos, que fizeram uso desta imensa montanha de dinheiro até mesmo para se eleger. Devemos nos assustar quando até o Supremo se esquece das leis deste país. 

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com 
São Paulo

*
COMISSÃO DA VERDADE NA PETROBRÁS

Já que as CPIs acabaram em pizza, blindadas que foram pelo governo federal, que seja, então, instaurada, sem mais delongas, uma Comissão da Verdade sobre o escandaloso e escabroso propinoduto da Petrobrás. É preciso que os fatos venham à tona para não mais se repetirem. Basta!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
PALESTRAS ESCRITURAIS
 
Deveras irrespondível o questionamento que fez Dora Kramer em sua coluna de 10/12 (A6) sobre o contrato de “prestação de serviços” firmado em 2010, no valor de R$ 900 mil, entre José Dirceu, então réu na Ação Penal 470 (mensalão), e a construtora Camargo Corrêa. Como imaginar uma empresa minimamente preocupada com a imagem de seriedade que sua publicidade projeta vincular seu nome ao do prócer petista enrolado com a lei até a raiz do cabelo? Que empresa minimamente zelosa por sua reputação faria algo semelhante? Considerando tudo, restam verossímeis as três hipóteses aventadas pela colunista para explicar essa singular avença: indiferença aos marcos da legalidade, confiança na impunidade e artifício para esquentar um pagamento espúrio, decorrente de tráfico de influência. Ao fim e ao cabo, calculados débitos e créditos, a “conta” pelas palestras escriturais foi pendurada, por vias transversas, no lombo dos otários de sempre: nós.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     
São Paulo

*
O FILÃO DA CONSULTORIA

Atualmente, o modo mais fácil de roubar neste país é ser consultor. Todo mundo agora é consultor. Mas tem que residir em Brasília. Faz o lobby, ganha a concorrência e emite-se a fatura da consultoria. E que faturas! Simples assim. Afinal, quanto vale uma consultoria? No final dessa história, o povo paga toda a conta. Paga a obra superfaturada, a porcentagem do consultor (?), a propina do partido, do diretor, o dinheiro do doleiro, do carregador das sacolas, o cala-boca do garçom do restaurante que ia delatar a propina do motorista de táxi que também ouviu, do porteiro do prédio onde os acertos aconteciam, do ascensorista, da amante, dos barbeiros das duas casas, do rapaz do cafezinho, da cafetina, da ex-esposa, dos caseiros da fazenda e da casa da praia... É cala-boca para todo lado! E ninguém sabe de nada e ninguém viu nada... Quanta cara de pau!
 
Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br 
Sao Jose do Rio Pardo 

*
ELE VOLTOU
 
Gostaria que alguém me explicasse qual o interesse da empreiteira Camargo Corrêa em contratar o sr. José Dirceu, pagando R$ 900 mil, para discorrer sobre o tema “análise dos aspectos sociológicos e políticos do Brasil”. Ou somos todos idiotas ou eles acham que somos.
 
Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@hotmail.com
São Paulo

*
JD ¬– ASSESSORIA E CONSULTORIA

A coisa estava tão maneira para o senhor José Dirceu que nem lhe passou pela cabeça dar uma “camuflada” na razão social da sua empresa.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
R$ 900 MIL

Gostaria que alguma empresa séria e ética de consultoria do mercado avaliasse se o valor de R$ 900 mil pago por um ano de assessoria da empresa do mensaleiro José Dirceu está dentro dos parâmetros de mercado.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br 
São Bernardo do Campo

*
DITADO

Mais uma vez o nome de Zé Dirceu envolvido em falcatruas governamentais com estatais. Cai aqui muito bem o ditado: o lobo (Dirceu) perde o pelo (presença dentro do governo), mas não perde o jeito (desvio de dinheiro público).

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com
Jales 

*
ELEMENTAR
 
Todos sabemos que o PT sempre se mostrou fóbico em "regular a mídia'. A notícia veiculada pelo “Estado” informando que José Dirceu recebeu R$ 900 mil da empreiteira Camargo Corrêa em 2010, quando já era réu no indecoroso esquema do mensalão, deixa claro mais uma vez o porquê dessa obstinada intenção de calar a nossa imprensa livre.
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
INDENIZAÇÃO

O relatório elaborado pela Comissão Nacional da Verdade e apresentado na semana passada nada tem que ver com Dilma Rousseff, que não sabe o que é verdade. Quanto ao relatório, ressalvando-se a parte histórica, que vai servir para o País se preparar melhor para o futuro, há uma pergunta: por que o sr. Lula, que não foi político, não foi exilado nem cassado, só descansou no DOPS por 30 dias, dormindo em beliche com colchão e no sofá de couro da sala do delegado Romeu Tuma, onde “dedurou” vários companheiros, recebe quase R$ 5 mil mensais sem desconto do Imposto de Renda? A título de quê?

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 
São Paulo

*
RECURSOS HUMANOS

No holerite do “Bolsa Ditadura”, no campo cargo ou função estaria grafado "herói do povo brasileiro"? Taí uma coisa que o tal relatório da Comissão Nacional da Verdade poderia informar...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
COMISSÃO DA VINGANÇA?

De uma comissão que já nasceu "bichada" não se esperava outra conclusão. Deveria, sim, ser chamada Comissão da Vingança. Ambos os lados cometeram erros e atrocidades, por que tentar transformar um lado em vilão e o outro em herói? Infelizmente, a História é escrita pelos vencedores ou pelos que estão, no momento, no poder. Uma vergonha!

Julio Walder julio.walder@gmail.com 
Santos

*
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
 
Estou errado ou ouvi no rádio que o Brasil foi declarado pela ONU o país mais violento do mundo? Se for, é uma ironia sem tamanho que este “prêmio” venha no mesmo dia em que a Comissão Nacional da Verdade entregou o seu relatório final ao governo federal. Mesmo que eu tenha ouvido mal, é fato inegável que após a eleição de Lula, Dilma e seus companheiros o Brasil vem sofrendo uma escalada de violência sem precedentes na história. Não deve causar surpresa que boa parte da população esteja furiosa e disposta a qualquer coisa para tentar frear a barbárie. Boa parte da sociedade apoiou este pessoal que ai está por que eles, principalmente na época do regime militar, nos prometeram paz, justiça social, fim da corrupção, dignidade, inteligência, educação, um futuro próspero para todos... Hoje o Brasil está dividido, loteado entre os amigos, e pintado de vermelho do sangue da epidemia de homicídios. Essa é a verdade. 
 
Arturo Condomi Alcorta arturoalcorta@uol.com.br 
São Paulo

*
RELATÓRIO DA CNV

A Comissão Nacional da Verdade (CNV) comportou-se como uma ONG ao difamar dignos representantes e militares das Forças Armadas, que são instituições permanentes do Estado, em que o conceito de "graves violações dos direitos humanos" é amplo, não relacionado apenas a violações de agentes de Estado, como adotam os advogados e juristas membros da CNV, que não agiram com imparcialidade e continuaram protegendo seus parentes e clientes de ontem que reagiram contra o regime militar, e só apontaram, em puro ato revanchista, os malfeitos de agentes do Estado. A CNV demonstrou que não  conhece os valores que são ensinados nos estabelecimentos de ensino das Forças Armadas, defensoras do Estado, a Nação politicamente organizada, e não interesses de grupos ideológicos armados que queiram perturbar a ordem  vigente e que sempre levarão a pior no confronto:  lamentaremos suas inúteis perdas de vidas. Os militares juraram dar a própria vida em defesa da Nação, assim morrem honrosamente.

Paulo Marcos Gomes Lustoza pmlustoz@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
EQUILÍBRIO

O que é mais importante? Dar ênfase à Comissão “Atual” da Verdade ou ficar tentando desviar a atenção dos brasileiros recordando o governo militar? Por falar nisso, alguma vez alguém ouviu falar que algum general tinha milhões de dólares no exterior? O que é mais importante, defender a Pátria ou o bolso dos políticos? O primeiro lutou pelo equilíbrio social e econômico, o outro pelo desequilíbrio.

Aldo M. Thomé aldo@projex.com.br 
Ourinhos

*
MISSÃO CUMPRIDA

A divulgação pela Comissão Nacional da Verdade de alguns "métodos" de tortura nos "anos de chumbo" – que a mídia agora divulga – é horripilante. Se ditas revelações servirem para inibir  que tais barbáries se repitam, o objetivo principal da comissão já terá sido cumprido, independentemente dos demais efeitos jurídicos e institucionais que  posam  a ocorrer. 

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 
Rio de Janeiro

*
FIM

O ministro Marco Aurélio Mello está certo: esta Comissão da Verdade deveria ir para os quintos do inferno.

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br 
Ribeirão Preto 

*
VERDADE OU VERSÕES
 
Não se trata de defender um dos lados, mas apenas de fazer justiça. Será impossível alcançá-la pelo caminho que assistimos. Qual a guerra em que não se cometem atrocidades? Seriam justificáveis? Como condenar apenas os crimes de um dos lados inocentando, por exemplo, a morte (?) prematura de uns, como a do guarda civil desarmado, em São Paulo, na Rua Piratininga, esquina da Rua Visconde de Parnaíba, durante um dos frequentes assaltos a bancos? A família do autor do homicídio foi beneficiada com significativa pensão. E a vítima? Não teria sua família também, direito a uma ação reparadora diferenciada? Assim, concluindo, a verdade verdadeira sempre será de versões, quando não, partidárias.
 
Geraldo de Carvalho fredeniels@globo.com 
São Paulo

*
HISTÓRIA

O conceito de que são os vencedores que escrevem a História é mais do que universal, toda a gente o sabe e não se cansa de repeti-lo. Por aqui, terra da jabuticaba, as coisas são diferentes. Quem quer escrever a História são os perdedores. O relatório da Comissão Nacional da “Meia” Verdade é a prova disso. Se a Nação aceitar mais essa mistificação, não venha depois queixar-se de que foi iludida em sua boa fé e não confunda vencer as eleições, que podem ser fraudadas, com ganhar a guerra, que não admite manipulações.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 
Campinas 

*
PARA ONDE VAMOS?

Instituições e também poderes não funcionam mais no Brasil. É o que parece. No petrolão, tudo vai ficar em cartel? No metrô de São Paulo o desenho é este. Veremos? Nas contas da última eleição, aprovaram com ressalvas quando técnicos reprovaram. Daí vem um zelador com cara de preocupado dizer: precisamos estabelecer tetos, depois de dizer que gastaram meio bilhão de reais, como se isso fosse levado a sério por aqui. Para o passado, eles, o Executivo deferido pelo Congresso, "muda-se a lei", como já vimos esta semana. Para o futuro, o terceiro poder sinaliza com necessidades de mudanças. Ou seja, tudo continuará como nos últimos 12 anos e como sempre, ao invés de gestão, apenas preparam o cenário para fotos que usarão no próximo pleito. Todos com cara de poesia pensando que enganam ao povo. Hoje ouvi de um manobrista de estacionamento (do povo) ”anos atrás começaram falando em milhões, agora já falam em bilhões, breve chegaremos à trilhão".  Pois é hoje mesmo na imprensa já se falou em R$ 1 trilhão. Levantamentos estão dizendo que nos últimos 28 anos já se chegaram a US$ 1 trilhão. O que será que as esquerdas mundiais estão preparando? A nossa aqui com esta quantia está se preparando para a 3.ª guerra mundial e pela ganância pensam que será em nosso território.
 
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com 
São Paulo

*
EDUCAÇÃO

Somente  uma  educação de primeiríssima qualidade para todos poderá transformar o Brasil num país de Primeiro  Mundo. No dia em que o povo, na hora de votar,  souber separar politicamente o joio do trigo, com certeza absoluta não mais precisará invadir o Congresso Nacional, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Cônscios de seus direitos e deveres, os brasileiros saberão como retirar da vida pública os políticos que há décadas roubam e denigrem interna e externamente a imagem do nosso país. Neologismos vergonhosos como “mensalão, tremsalão, petrolão” e similares, que ultrajam a nossa pátria, não mais aparecerão nas manchetes dos jornais. Oxalá esse dia chegue logo para que do universo entre as nações a nossa resplandeça com mais intensidade.

Manoel Antunes antunesmanoel@yahoo.com.br 
São José do Rio Preto

*
A DIREÇÃO DA CÂMARA DE VEREADOR

As Câmaras de Vereadores vão renovar suas mesas diretoras na virada do ano. Os dirigentes agora escolhidos – presidente, vice e secretários – ainda estarão nos cargos e disso poderão se beneficiar nas eleições de 2016. Os bem avaliados terão mais fácil a reeleição de vereador ou até poderão ser viáveis como candidatos a prefeito. No perverso sistema de loteamento do poder hoje vigente, o que seria apenas uma eleição interna das Câmaras, ganha notoriedade e praticamente deflagra a corrida eleitoral municipal com dois anos de antecedência. Embora afirmem ser a troca de mesa é “assunto interno” da Câmara, os prefeitos cedem cargos, oferecem vantagens e acabam se transformando no maior “eleitor”. Tudo para poder ter sua influência sobre os vereadores e não encontrar problemas com a aprovação dos seus projetos. O ideal seria que Executivo e Legislativo fossem efetivamente “poderes” harmônicos e independentes, como está diz a Constituição. Que o Executivo apenas fizesse suas obrigações administrativas e encaminhasse seus projetos para a apreciação do Legislativo e que este, sem qualquer ranço ou interesse que não fosse o do povo, fiscalizasse e legislasse. O imoral leilão de cargos cheira mal e enseja procedimentos indevidos. Precisamos, com toda pressa, promover a verdadeira separação harmônica entre Executivo e Legislativo para tanto um quanto outro possa bem cumprir sua função constitucional. O Legislativo precisa se conscientizar de sua magna tarefa de representar o povo... 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
PLANEJAMENTO É PRECISO

Dinheiro público sem um bom planejamento dá no que dá! Se o dinheiro do programa Mais Médicos, por exemplo, fosse para fiscalizar e apoiar  hospitais e Santas Casas, muitas tragédias seriam evitadas. Se o dinheiro para a criação de tantas faculdades fosse para criar um projeto educacional de base em que os alunos ficassem mais tempo nas escolas, começaríamos a fazer uma nação sem tanta desigualdade, violência e carências. O mesmo vemos na cidade de São Paulo: se tanto dinheiro gasto nessas ciclofaixas fosse utilizado para aumentar as ciclovias de fim de semana, arrumar os faróis, sincronizando-os, arrumar as calçadas, iluminar a cidade, aí, sim, as ciclofaixas poderiam ser pensadas e discutidas em quais lugares seriam viáveis e necessárias. Espero que a decisão do que fazer com o Minhocão não se limite a copiar Nova York, porque lá o contexto é completamente diferente. Em baixo do High Line foi fechado (não há uma Avenida São João embaixo). A estrutura do High Line é bonita, com rebites e metais, e não este cimento horroroso do nosso Minhocão. A manutenção é feita também por voluntários, são usadas máquinas para lavar o viaduto, há elevadores para subir no parque, etc. A minha opção é pela demolição, deixando apenas um pequeno pedaço como museu para lembrarmos o absurdo que foi sua construção na época. O dinheiro que seria destinado para a manutenção de um parque suspenso deveria ser destinado para revitalizar o Parque da Água Branca. 

Regina Moretti Ferrari ferrari@tavola.com.br 
Santana de Parnaíba 

*
DINHEIRO DESVIADO E RECUPERADO

A Prefeitura de São Paulo vai aplicar os R$ 47 milhões pagos pelo Deutsche Bank em creches. Finalmente uma obra honesta de Paulo Maluf, após quase 20 anos.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
OBRAS INTERMINÁVEIS

Por que no Brasil as obras demoram tanto para serem concluídas? Será que, quanto mais aditamentos, melhor? Em São Paulo, a linha amarela do metrô começou há nove anos e ainda não está concluída. A Avenida Hebe Camargo caminha a passos de tartaruga até hoje é uma avenida sem saída, assim de que adianta? O monotrilho na região do Estádio do Morumbi é para daqui a três ou quatro anos. O “minhocão” terá de esperar 15 anos para que se tome uma decisão, se fica ou sai. Não sei se é incompetência ou má vontade, lançar obras é fácil, o difícil é concluí-las.
 
Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com  
São Paulo

*
PAC 3

O governo federal anunciou o Programa de Aceleração do Crescimento 3 (PAC 3). Para quem achava que incrivelmente a despresidente havia achado o caminho  da razão, temos mais um capítulo da anedota pueril. Meu Deus, quanto tempo os meia dúzia de "Joaquins Levys" vão aguentar essa doença petralha se entranhando?

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo

*
GAROTINHO NO BANCO DO BRASIL?

Corre a notícia de que o Planalto está oferecendo uma vice-presidência do Banco do Brasil ao deputado Anthony Garotinho, recentemente derrotado na eleição para governador do Rio de Janeiro e que ficará sem mandato a partir de janeiro. Nada mal. Havemos de convir que, em  tempos de vacas magras na economia, a solução é apostar em medidas menos ortodoxas como transformar déficit em superávit, caixa 2 em caixa 1 e coelhos outros que a tal contabilidade criativa tira da cartola. Com Garotinho no Banco do Brasil, tal heterodoxia estará garantida, pois, em eventual apuro na área, sempre se poderá contar com providencial greve de fome. Por outro lado, o que as agências de classificação de risco pensam sobre isso já é uma outra história.
 
Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br 
Pirassununga 

*
SEM LIMITES

É impressionante a capacidade da presidente reeleita, Dilma Rousseff (PT), de fazer bobagens, repetir erros primários e de trair a confiança nela depositada por 53 milhões de eleitores nas últimas eleições. Não bastasse as nomeações de Kátia Abreu e Joaquim Levy como ministros, agora ela oferece ao ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho a vice-presidência do Banco do Brasil. É o fim da picada. Dilma não tem qualquer tipo de pudor ao colocar as raposas para tomarem conta do galinheiro. Incompetência e má-fé têm limites. Enquanto isso, o Brasil segue com crescimento medíocre, injusto, sem cidadania, sem direitos humanos, desigual, violento e perigoso de se viver.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
PRECATÓRIOS NÃO PAGOS

Neste Brasil velho de guerra, onde as astúcias e o mau arbítrio solapam a sociedade, ficam desacreditadas todas as instituições que estão levando à morte milhares de credores aposentados e doentes sem o devido pagamento dos diversos precatórios alimentares. Vem crescendo o receio dos diversos legisladores com o surpreendente descontentamento dos funcionários públicos aposentados. Um verdadeiro campo de concentração nazista! Esses campos vilipendiaram os judeus de uma maneira cruel e mortal. Esse é o sentimento do pobre funcionário publico aposentado, ou seja, de estarem sendo massacrados por um nazismo nos Estados e municípios. Essas instituições devedoras não têm compromisso real com a sociedade, principalmente com os idosos, e aproveitam como podem o prazer de viver. Deveria haver uma intervenção nas instituições devedoras? Os Tribunais de Justiça estão liberando o dinheiro conforme publicação nos Diários Oficiais? Onde foi depositado? É lamentável! No ano de 2012 e 2013 já morreram mais de 150 mil aposentados idosos e doentes em todo o Brasil sem receber seus respectivos créditos. Seria má a administração da Justiça, onde tentam  esclarecer que não existem funcionários para concluir os depósitos (no Estado de São Paulo), ou existem outros envolvimentos? Minha sogra, com 86 anos, está inclusa na estatística à epígrafe. E assim, desnorteados sem o aumento e sem receberem o que lhes é devido (precatórios e aumentos), percebem a vista fraca de nossos legisladores e administradores, que mal distinguem a estrada onde caminham.

Ubirajara Vieira Xavier ubirajaravieiraxavier@yahoo.com.br
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.