Fórum dos Leitores

PETROLÃO

O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2014 | 02h04

Raposas

Além de ignorar os desvios denunciados pela geóloga Venina Fonseca, a Petrobrás instalou comissão interna que concluiu não ter havido desvio. Interessante: houve denúncia de raposas comendo galinhas no galinheiro e foi instalada uma comissão de raposas que concluiu que não havia raposas no galinheiro!

GILSON SEIJI NAKAMURA

nakamuragilson@ig.com.br

São Paulo

O papel de Graça Foster

Após tanta denúncia comprovada das roubalheiras na Petrobrás (de pôr um exército em fuga), mais agora as acusações de uma ex-funcionária que vivenciou as maracutaias sob a mira de Graça Foster, e depois de esta pedir para sair, sem sucesso, há que perguntar: que estará fazendo ainda essa senhora na empresa, qual seria seu papel a não ser o fato de blindar a amicíssima Dilma Rousseff, que antes de ser levada ao cargo de "presidenta" do Brasil mandou na Petrobrás como ministra de Minas e Energia, presidente do Conselho de Administração e ministra-chefe da Casa Civil? Não há como saírem ilesas diante da incontestabilidade das provas. O tempo dirá!

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

PeTrobrás

A esta altura dos acontecimentos, até os mais puros dos inocentes, os que acreditam em Papai Noel e coelhinho da Páscoa, já têm certeza que as "chefas" Rousseff e Foster, assim como o chefe de todos, o maior corrupto da História deste pobre Brasil, sabiam, sim, de tudo e só não tomaram as providências para estancar ou, ao menos, minimizar a corrupção na PeTrobrás porque estavam diretamente envolvidos no maior "propinoduto" de que já se ouviu falar neste país (até o momento em que escrevo este desabafo). Se a PeTrobrás de hoje fosse um banco, já estaria sob intervenção do Banco Central, sua presidente e seus diretores estariam afastados e seus bens, bloqueados. Como não é, resta-nos aguardar as ações da nossa Comissão de Valores Mobiliários, que dificilmente tomará uma atitude digna de um órgão com suas atribuições. Ressuscita, Brasil!

ARIOVALDO MARQUES

arimarques.sp@gmail.com

São Paulo

Já encheu

Estou enjoado, toda vez que surge uma denúncia contra o PT - o que, aliás, é todos os dias -, vem aquela resposta: "Repudio com veemência" ou "não sei de nada". Será que não daria para mudar o discurso?

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

É, eles roubam a Petrobrás e saem gritando: pega ladrão, pega ladrão!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Ações viram pó

Em 1986 adquiri algumas poucas ações da Petrobrás visando uma velhice mais tranquila. Hoje, aos 77 anos, vejo que só tenho pó. Todo dia ao acordar, vendo o pó sumir, me lembro das mãezinhas daqueles que contribuíram para isso, principalmente daquela que nasceu analfabeta e não pôde ver seu filhinho morar num apartamento triplex.

HAMILTON PENALVA

hpenalva@globo.com

São Paulo

Comunicado relevante

Ontem, 15/12, o preço das ações PN da Petrobrás furaram a camada do pré-sal, atingindo o preço de R$ 9,52, às 13h27. Nunca antes neste país...

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Privatização

Privatizar ou não, em duas perguntas: a classe política é confiável? Quem manda nas empresas estatais? Logo...

JOÃO EZIRIO

bemvenutti@hotmail.com

Curitiba

GOVERNO DILMA

Quem vai pagar a conta?

No Estadão de domingo, a tão esperada equipe econômica comandada por Joaquim Levy não traz nenhuma novidade. A gastança de Dilma causou um rombo no presente e no futuro, mas a receita para encher novamente os cofres é fácil: aumentar impostos e cortar benefícios previdenciários - pensão por morte e auxílio-doença - e do seguro-desemprego. Ou seja, ella gasta e nós pagamos! O pior é saber que a nova gastança vai ser para manter o seu eleitorado satisfeito para em 2018 votar no Lula, o pai dos pobres e oprimidos pela elite branca, pela burguesia que tem demais. Quem é que tem de ficar mesmo com três pulgas atrás das orelhas, dona Dilma?

GLÓRIA ANARUMA

glória.anaruma@gmail.com

Jundiaí

VIOLÊNCIA

Jovens da favela

"Jovens da Favela do Moinho, em São Paulo, compartilham filmadoras com verbas recebidas do município e agora registram ações policiais para denunciar possíveis abusos." Essa notícia está na capa do Estadão de domingo. Salvo melhor juízo, mais positivo e mais civilizado seria que esses jovens e quem lhes dá apoio registrassem ações de marginais que desrespeitam as leis e perpetram os mais diferentes crimes e, assim, colaborassem com as forças da ordem e em defesa da sociedade. Os munícipes e contribuintes de São Paulo talvez preferissem que verbas municipais tivessem melhores critérios de alocação.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Alcides Lopes Tápias - Aggrego Consultores, Angelo Piccardi e família, Brasil Sem Grades, Carlos Alberto Di Franco - Instituto Internacional de Ciências Sociais, Carlos Battesti e equipe Convergência Comunicação Estratégica, Centrocor - Clínica do Coração de Marília e dr. José Eduardo Zambon Elias, Cheida, Consulado Geral do México em São Paulo, Danielle Ardaillon, Equipe EverSys, Equipe Vera Moreira Comunicação, Fábio Landi, Fernando Faruk Hamza, Flexmetal, FSB Comunicações, Gloria Alvarez e equipe - Eletrobras/Eletronuclear, Ingaí Incorporadora S.A., Irene Maria Dell'Avanzi, José Cloves, José Eduardo Coelho, José Piacsek Neto, José Rubens - Colégio Bilac, Klaus C. Reider, Meu Móvel de Madeira, Olímpia Escola de Futebol, Paulo Roberto Girão Lessa, Paulo Panossian, Pedro A. Mariani e Alexandre V. Loures - Ambev, Penteado Mendonça e Char Advocacia, Printec Comunicação, Reale e Moreira Porto Advogados Associados, Sebrae, Sinicesp, Topema, Ulisses Nutti Moreira e família, Virgílio Melhado Passoni, Visitex, Wanderley Rebello Filho e equipe.

POUCO-CASO

A presidente Dilma Rousseff esteve no Rio de Janeiro para a solenidade de inauguração do estaleiro de  construção de submarinos da Marinha e foi questionada por um jornalista sobre a mais nova denúncia contra as irregularidades na Petrobrás, feita pela sra. Venina Fonseca, geóloga que trabalhou na Petrobrás durante 24 anos. Sem parar para responder, Dilma  jogou beijinhos na direção do jornalista, num gesto de pouco-caso. Só faltou dar um beijinho no ombro, demonstrando, assim, que não está nem aí para este escabroso escândalo na maior estatal brasileira.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com 
Porto Feliz

*
AS DENÚNCIAS DE VENINA 

Se por diversas vezes secretárias, jardineiros e motoristas fizeram estragos na vida de políticos – Fernando Collor que o diga –, agora a presidente da Petrobrás, Graça Foster, talvez tenha recebido o tiro de misericórdia que precisava para deixar em definitivo o seu alto cargo na estatal. Com muita coragem, a geóloga Venina Velosa da Fonseca, funcionária da estatal, em entrevista ao jornal “Valor”, afirmou ter alertado por diversas vezes Graça Foster das inúmeras irregularidades nos contratos da empresa com seus fornecedores. Venina foi intimidada, uma arma foi apontada para sua cabeça, e seus filhos foram ameaçados. Tudo porque seus alertas incomodaram muita gente dentro da Petrobrás. É um depoimento gravíssimo e demonstra que realmente nas nossas estatais se concentram verdadeiras quadrilhas a serviço do PT e de seus aliados. Felizmente, tudo está sendo desvendado milimetricamente pela Polícia Federal e pelo juiz federal Sergio Moro, no curso das investigações que já estão bem adiantadas na Operação Lava Jato. Os ventos destas excrescências sopram fortes para dentro do Palácio do Planalto. E afloram a cada dia as expectativas de um novo impeachment na história desta República.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
DEDURADA

Foram desviados R$ 10 bilhões, já se fala em R$ 20 bilhões, uma gangue de empreiteiros famosos denunciados e presos, um ex-diretor e um doleiro, delatores do esquema, confessaram o assalto à Polícia Federal e de como agiam para dilapidar a maior estatal brasileira e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebatendo as verdades ditas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre a caótica administração da empresa, disse que há “fortes indícios” de corrupção? Será que os “fortes indícios” vão continuar depois das declarações da ex-gerente executiva da Diretoria de Abastecimento ao jornal “Valor Econômico”, de que Graça Foster sabia das irregularidades antes da Operação Lava Jato? E a “dedurada” no retrato, como é que fica? Afirmou Venina Velosa da Fonseca ao jornal que, ao procurar Paulo Roberto Costa, então caixa-forte do esquema, para denunciar irregularidades nas despesas com “pequenos serviços” (de R$ 39 milhões para R$ 133 milhões), e da elevação dos custos na Refinaria de Abreu e Lima (de US$ 4 bilhões para US$ 18 bilhões), este teria apontado o retrato do então presidente Lula e dito: “Você quer derrubar todo mundo”? Pronto, para a alta cúpula do PT a pandemia instalada da Petrobrás virou  “factoide”. O esquema do mensalão também recebeu a mesma classificação, porém restou provado e dezenas foram condenados à cadeia, incluindo a base de sustentação do governo Lula. E assim, de “factoide em factoide” o Brasil vai se deteriorando.

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*
A PETROBRÁS PÓS-VENINA

Por muito menos e com o depoimento vindo de um humilde caseiro, Antonio Palocci foi derrubado tal a contundência dos fatos que acabaram sendo revelados. Será que essa turma da Petrobrás, de Garça Foster a Dilma Rousseff, conseguirá manter-se após as revelações da geóloga Venina, que exerceu cargos de relevância na empresa, além de ter tido uma carreira exemplar na mesma?

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro   

*
INFERNO ASTRAL NA PETROBRÁS
 
Alguns poderiam classificar como de “tempestade perfeita” o clima em que vive nossa maior estatal, a Petrobrás. A descoberta pela Polícia Federal de um mega esquema de corrupção na companhia – coisa de muitos bilhões – destruiu a imagem de seriedade de que um dia a petroleira desfrutou. Nem mesmo apresentar suas contas a empresa consegue, já que a PricewaterhouseCoopers recusa-se a dar seu aval ao balanço do 3.º trimestre. Acionistas, no Brasil e no exterior, já ingressam com demandas na Justiça americana reclamando vultosas indenizações por perdas decorrentes da queda dos papéis como efeito colateral da pilhagem realizada em seus cofres à sombra do governo daquele partido que jurava “não roubar e não deixar roubar”. Não fora o suficiente, a commodity (petróleo) está em queda livre no mercado, com o barril recuando a menos de US$ 60 nos EUA  – o menor valor em mais de cinco anos. Há quem já fale em barril de US$ 40, o que, caso se dê, comprometeria dramaticamente os planos de exploração do pré-sal, que tem custos elevados, e no qual o governo do PT apostou suas melhores fichas. Na Bovespa, os papéis ON e PN da estatal estão em queda livre há meses, já havendo despencado para abaixo dos R$ 10, o que não se via desde fevereiro de 2005. Observe-se que R$ 10 em 2005 – considerada a inflação – valiam o dobro que os mesmos R$ 10 de hoje, “detalhe” que dá a dimensão da derrocada. Trabalhadores que usaram o FGTS para aplicar suas economias na petroleira não estão nada satisfeitos. Há, ainda, a par da acentuada queda do valor de mercado da estatal, sua monumental dívida – a maior do mundo corporativo – e que só faz crescer porque 80% é referenciada em dólar, que se valoriza muito ante o real por causa da retomada americana e do péssimo ambiente econômico em que vive o Brasil. As expectativas nesse “front” (cambial) são pouco animadoras porque os indícios são de que o Fed – banco central americano – não tardará em elevar os juros, o que fará o dólar disparar por aqui, aumentando ainda mais, em reais, a dívida da antiga “joia da coroa”. Por causa dessas e de outras, não será surpresa se a empresa perder o “investment grade” em breve, o que azedará definitivamente as coisas. Para completar a derrocada e servir como “cereja do bolo”, só falta acontecer algum acidente em campo offshore, como ocorreu nos idos de FHC, quando uma plataforma acidentou-se. Pelo sim, pelo não, já que nossas melhores apostas estão no mar, e considerando o caráter plural e ecumênico de suas convicções religiosas (como vimos em campanha), não custava nada a “presidenta” pedir uma ajudinha a Iemanjá na virada do ano.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     
São Paulo

*
O BALANÇO NÃO DIVULGADO

Se o balanço da Petrobrás for igual às feições de sua presidente, os acionistas podem ter certeza de que a empresa está à beira da falência. E ainda mais agora, com as denúncias de uma gerente que disse ter alertado durante mais de cinco anos a diretoria sobre os descaminhos.

Iria De Sá Dodde iriadodde@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*
O  VALOR DOS E-MAILS

Graça não achou a menor graça no veneno da Venina.

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
FESTA DE POSSE

Sugiro que os milhões que seriam gastos com a nova posse da presidente Dilma sejam usados para cobrir o rombo causado no escândalo da Petrobrás. Isso evitaria o ridículo de fazer uma grande festa para dar posse a uma presidente que será cassada em poucos meses, quando a Operação Lava Jato atingir o braço político da quadrilha criminosa que roubou o País. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
CUSTO BRASIL

Para demonstrar ao consumidor o "custo Brasil", passou a ser obrigatório discriminar nas notas fiscais o valor dos impostos embutidos nos preços dos produtos. Porém a maior parcela do "custo Brasil" continua oculta. Para dar transparência total, deveria também ser destacado, nas notas fiscais de serviços, o valor das propinas pagas aos políticos e partidos que controlam as empresas estatais. Se possível, com a identificação dos beneficiários.

Cláudio Juchem cjuchem@gmail.com 
São Paulo

*
REFRÃO

Bezerra da Silva consagrou com a sua música “Reunião de bacana” o refrão – “se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão”. Parafraseando o sábio Bezerra: “se gritar propina e superfaturamento, não fica uma empreiteira”.
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
SAUDADES

Sinto falta da Delta e do sr. Fernando Cavendish. Estranho...

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br 
São Paulo 

*
INDICAÇÃO DESASTROSA
 
Que audácia esta, sem precedentes na história do País, do ex-diretor da área de Serviços da Petrobrás Renato Duque? Indicado por José Dirceu, segundo notícia, movimentou R$ 650 milhões em distribuição de propinas durante sua gestão. A nosso ver, esse crápula não deveria sair nunca mais da cadeia, após ser julgado, pois foi o grande mentor da ruína da nossa maior empresa. Então, como fica agora o patriota José Dirceu, após essa indecorosa indicação? Meus caros patrícios, se desta vez não houver uma punição adequada para este e outros bandidos, não sabemos que futuro terá o nosso Brasil.
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
QUEBROU!

Diante das últimas denúncias, corrupção, lavagem de dinheiro e uma expectativa de volume, o PT não quebrou a Petrobrás, quebrou o Brasil!

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br
São Paulo

*
SUJA A JATO

A Polícia Federal está fazendo a Operação Lava Jato porque o PT suja a jato, melhor dizer, na velocidade da luz, desde que assumiu o poder. Haja cândida...  

Mário A. Dente dente28@gmail.com 
São Paulo

*
COBERTURA JORNALÍSTICA

Recomendo ao “Estadão” iniciar um novo caderno para tratar unicamente do escândalo na Petrobrás. Também recomendo um novo jornal para tratar das falcatruas e corrupção no meio político. Por último, seria prudente plantar uma nova Floresta Amazônica de eucaliptos para que não falte papel, caso sejam aceitas as recomendações acima.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo

*
ANOS DOURADOS DA PETROBRÁS

Por omissão também se cometem injustiças. Jornalistas de todo o Brasil vêm citando o governo Sarney como o início do ciclo da corrupção generalizada na Petrobrás. Não declaram textualmente, por medo de patrulha, certamente, que antes disso os que presidiram a estatal foram homens da estirpe de Geisel, que levaram a empresa ao topo e morreram pobres. A patriazinha, como lhe chamou Vinicius, está exaurida, com um povo à espera de um novo Messias. Lula, uma esperança, foi um falso profeta. Falta-nos um Andrada, um Rui, um Caxias. Aliás, Geisel, ao limitar fortemente a propaganda eleitoral, agiu com acerto. Nos dias atuais, com a internet, empresas de marketing mais enganam que esclarecem o eleitor.

Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br 
Salvador

*
A HORA DA VERDADE

Está chegando a hora da verdade sobre a origem do fabuloso e inexplicável enriquecimento do ex-presidente Lula. Somente com os salários de presidente e eventuais receitas de palestras, jamais Lula amealharia os bilhões de reais que possui, junto com seus familiares. A Polícia Federal e o Ministério Público têm a obrigação de esclarecer ao povo brasileiro a origem dessa imensa fortuna. Uma investigação independente de pressões palacianas certamente trará à tona um mar de lama superior ao do mensalão, da Lava Jato e do Petrolão juntos. 

Roberto Twiaschor rtwiacshor@uol.com.br 
São Paulo

*
LULA EM 2018
 
“Candidato Lula volta à zona de conforto...”, diz o “Estadão” sobre os preparativos do homem que nunca soube de nada para voltar à Presidência do Brasil em 2018. Isso se, até lá, ele não estiver numa outra zona de conforto, em descanso eterno.
 
Sérgio Luiz Corrêa seluco@uol.com.br
São Paulo

*
ETERNO CANDIDATO

Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à Presidência da República em 2018, 2022, 2030, 2034..., e assim por toda a eternidade. Haja palanque!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
EM CAMPO

Lula quer agregar valor à defesa do PT compondo um grupo de “notáveis” para possibilitar, ao menos, disputar as eleições de 2018. Sugeriu nomes como Gilberto Carvalho, Marco Aurélio Garcia, Luiz Dulci, Humberto Costa. Mas... cadê os notáveis? Com esse grupo, o povo não precisará nem escalar Aécio Neves e Joaquim Barbosa para o ataque. Basta colocar Lobão (cantor) no ataque, caindo pela direita, e Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa como alas. Se precisar, temos um bom banco de reservas, também craques, que jogam limpo. Agora, se a Polícia Federal estiver presente, o grupo de “notáveis” do PT pode ser expulso e, quem sabe, ir direto para a concentração (Papuda). 

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net 
São Paulo

*
NOTÍCIA

Lula é notícia novamente... Pena que não a esperada!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br 
São Paulo

*
ABRAHAM LINCOLN PROFÉTICO

Será que Lincoln, em meados do século 19, incorporou o espírito de Nostradamus e previu o aparecimento do PT, no Brasil, e de outros do mesmo naipe e com os mesmos propósitos demagógicos, noutros países subdesenvolvidos? Leia pensamento a seguir: “Não criarás a prosperidade se desestimulares a poupança. Não fortalecerás os fracos se enfraqueceres os fortes. Não ajudarás o assalariado se arruinares aqueles que o pagam. Não estimularás a fraternidade humana se alimentares o ódio de classes. Não ajudarás os pobres se eliminares os ricos. Não poderás criar estabilidade permanente baseada em dinheiro emprestado. Não evitaras dificuldades se gastares mais do que ganhas. Não fortalecerás a dignidade e o ânimo se subtraíres ao homem a iniciativa e a liberdade. Não poderás ajudar os homens de maneira permanente se fizeres por eles aquilo que eles podem e devem fazer por si próprios”.

João Carlos Ferreira jcarlos@jofer.com.br 
Birigui

*
CORRUPÇÃO NO BRASIL

A corrupção está generalizada em nosso país: o prefeito de Americana (SP), minha cidade, Diego Denadai (PSDB), foi cassado; a Petrobrás está vivendo o seu pior momento, com tantas falcatruas e sendo processada até internacionalmente; deputados e senadores votam conforme o interesse do Executivo, aprovando o PLN n.º 36, para receberem as verbas parlamentares; e até a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) está corrompida, conforme relatório divulgado pela Controladoria Geral da União (CGU). Para protestar contra a corrupção envolvendo a CBV, os jogadores do Canoas e do Taubaté entraram em quadra com narizes de palhaço. Pena que os brasileiros só protestem quando a corrupção prejudica o seu interesse pessoal e não protestam quando a corrupção prejudica o interessa nacional. Será que esses jogadores participaram das manifestações ocorridas em 2013, durante a Copa das Confederações? Ou os brasileiros se unem para protestar contra a corrupção generalizada ou todos serão prejudicados amanhã. Não adianta derrubar o ministro da Fazenda, a diretoria da Petrobrás ou o técnico da seleção brasileira de vôlei. Precisamos derrubar a presidente da República, Dilma Rousseff, quem dá guarita para a continuidade da corrupção.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
IMPUNIDADE SEM FIM

Escândalos e corrupção no esporte também. A CBV está na berlinda, com desvios e contas suspeitas na gestão de Ary Graça. Isso é passagem de bastão. O presidente anterior, reeleito não sei quantas vezes, numa delas de forma muito estranha, pois a Assembleia ocorreu no porão de um hotel em Copacabana e o edital de convocação, publicado num pasquim qualquer. Prometeu transformar o País em potência olímpica, já para as de 2016. Estamos esperando. Os Jogos Pan-Americanos, que deveriam ser auditados em razão do quádruplo do custo previsto, ficou por isso mesmo e a CPI pedida pelo deputado Miro Teixiera não teve as assinaturas necessárias para se instalar. Assumiu Ary Graça, e segue a trilha. A Federação Internacional de Voleibol (FIVB) pune agora o técnico Bernardinho e alguns jogadores por indisciplina no mundial deste ano na Polônia. No futebol, a Fifa também está sob suspeita em razão da escolha das sedes das Copas de 2018 e 2022, de forma suspeita. “Até onde vai essa impunidade?”, perguntou a jogadora Sheila. Não vai, Sheila. Isso é endless.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
MUDANÇA DE ATITUDE

O governador Geraldo Alckmin admitiu que pode trocar o comando da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Pode não, deve. Se o presidente da estatal é suspeito de envolvimento com esquema de cartel ferroviário em São Paulo, deve ser afastado do cargo até que se prove sua culpa ou inocência. Assim como a presidente Dilma Rousseff deveria afastar a diretoria atual da Petrobrás, principalmente depois que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu essa substituição, por suspeitas de envolvimento na roubalheira que se perpetrou na empresa. O próprio ministro da Justiça admitiu corrupção na estatal, mas, após conversar com a presidente, enfatizou que não há suspeitas sobre a atual diretoria, apesar de a presidente da empresa, a senhora Graça Foster, andar com os nervos à flor da pele. Aliás, a atitude dos petistas, de todos os escalões, é negar sempre, simplesmente negar e nunca tentar explicar, como se isso fosse suficiente e encerrasse a questão. Isso tem funcionado, no entanto parece que as instituições brasileiras e, principalmente, o povo brasileiro já não estão aceitando mais esse posicionamento e esperam que o projeto de mudança, tão alardeado pela presidente na campanha eleitoral, realmente aconteça.

José Roberto de Jesus zerobertodejesus@gmail.com 
Capão Bonito 

*
AS GRANDES MUDANÇAS DE DILMA

Anthony William Matheus de Oliveira, vulgo Garotinho, que responde por várias acusações que o impediriam de estar limpo em plena probidade, é convidado de Dilma para tomar conta da vice-presidência do Banco do Brasil. Ideli Salvatti, que sabemos não é possuidora de grandes “virtudes”, é a mais nova convidada, também pela presidente, para ser diretora da Caixa Econômica. Só está faltando convidar Paulo Maluf para presidente do Banco Central, para que Dilma cumpra sua promessa de campanha de efetuar as grandes “mudanças”. Não dá para acreditar, pelo menos poderia escolher pessoas com o mínimo de saber técnico para cargos de extrema responsabilidade e possuidoras de probidade comprovada. “Só mesmo tirando os tubos”!

Leila E. Leitão
São Paulo

*
MAU SINAL

Para quem coloca o Garotinho no Banco do Brasil, só podemos esperar o Lobão na presidência da Petrobrás.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br
São Paulo

*
DAS HERANÇAS E SUAS QUALIFICAÇÕES

Depois de 12 anos, ficou claro o que alguns petistas queriam dizer com a esotérica expressão “herança maldita”. Referiam-se à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Bingo! Pena que a mesma qualificação não tenha sido usada para o foro privilegiado e o cartão corporativo. Estes certamente estão classificados como benditos. Já a compra casada de votos, apesar da laicidade constitucional, corre o risco de ser santificada.

Hermínio Silva Júnior hsilvajr@terra.com.br 
São Paulo

*
APOIO SE CONQUISTA, E NÃO SE COMPRA

Sensibilizado com o desafio da presidente Dilma em minimizar os altos custos da sua gestão, achei por bem sugerir o que segue: 1) deixar de comprar apoio político, como fez recentemente; 2) reduzir o número de ministérios, de 39 para 15, como são nos Estados Unidos e na França, ou, na pior das hipóteses, para 21, que era o número na gestão FHC.

Victor Estrotra victore@globomail.com
São Paulo

*
DILMA É INCOMPETENTE OU CONIVENTE
 
Nosso país está de pernas para o ar. Enquanto a imprensa divulga, a todo instante, o aparecimento de novos escândalos, as “autoridades” diretamente envolvidas fazem ouvido de moucos e continuam a manter a pose de intocáveis, investindo em novos casos de corrupção – ou não seria corrupção publicar, taxativamente, que liberaria alto valor monetário caso fosse aprovada pelo Congresso a nova Lei de Diretrizes Orçamentária, que a livraria de responder por ter quebrado o País. Não somente ela deveria ser acusada de corruptora, como todos os que se venderam no Parlamento, aprovando a quebra do respeito que o mundo ainda poderia ter pelo nosso país. Complementado as razões para ela ser cassada está o fato de ela usar dinheiro público para comprar votos, por meio de esmolas inteligentemente batizadas de Bolsa Família. Se tudo isso ainda fosse pouco, ela deveria ser enquadrada por incompetência ou conivência no caso Petrobrás, pois durante o pior período da empresa a responsável no Conselho de Administração da estatal era ela. Nem o desvio das atenções para a divulgação do relatório da Comissão Nacional da Verdade conseguiu esconder esse escândalo.

Ruy Telles ruytelles@hotmail.com 
Brasília 

*
COMISSÃO DA VERDADE

No relatório final, uma das recomendações da Comissão Nacional da Verdade (ou da meia verdade) é que as Forças Armadas façam confissão pública de suas transgressões de direitos humanos cometidas durante o governo militar. E por que não recomendar a mesma coisa aos subversivos da época, aos extremistas de esquerda que cometeram os mesmos desvios do direito, na tentativa de implantarem em nosso país um regime totalitarista e violento semelhante aos de Cuba e da União soviética? Esses ficam livres dessa recomendação só porque agora estão no poder?

Tercio Sarli Terciosarli.edicoes@r7.com
Campinas

*
O ‘PAPEL’ DA CNV

A declaração do comandante da Marinha de que a Comissão Nacional da Verdade (?) "cumpriu o seu papel" foi de uma infelicidade completa. Primeiro porque a comissão descumpriu a lei que a criou em todos os trabalhos que realizou. Ouviu apenas um dos lados, não apurou todos os fatos, omitiu o tempo da ditadura Vargas, fixando-se apenas no período 1964/1985 e, ao final, ainda produziu um relatório absurdo. Fez recomendações que não lhe foram solicitadas, "esqueceu-se" de mais de 120 vítimas e enlameou 377 nomes sem nenhuma fundamentação. Enfim, ao invés de buscar a reconciliação, trouxe a desarmonia. Caberia ao comandante da Marinha, assim como aos seus colegas do Exército e da Aeronáutica, vir a público de imediato para repudiar a inclusão de nomes de ilustres e ilibados chefes militares do passado. Caso não o façam, perdem a credibilidade de líderes perante os seus superiores, pares e subordinados. Poderão até mandar, mas comandar, jamais!

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

*
‘CNV CUMPRIU PAPEL’

Isto é, fez um relatório, que os ministros militares nem sequer leram para comentar. A foto no “Estado” de 13/12 é patética, dona Dilma, os três "generais" e nada do nanico comunista Amorim.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
ESTA É A PRESIDENTE

Na sexta-feira, na reunião com os comandantes das Três Armas do Brasil, após a Comissão da Verdade divulgar seu documento final, um repórter interpelou a presidenta Dilma sobre as bandalheiras da Petrobrás e recebeu dela como resposta aquele gesto que moleque de rua faz quando quer mandar alguém para a p.q.p., em vez de se fazer de surda. Essa é a presidenta que o Brasil tem e terá por mais quatro anos. 

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br    
Campinas

*
MORDE E ASSOPRA

Não adianta, agora, a presidente Dilma Rousseff, após morder os militares por meio do relatório da Comissão Nacional da Verdade, tentar assoprar as mãos dos ministros da Marinha, do Exército e da Aeronáutica com a intenção de amenizar o estrago unilateral que essa comissão tenta fazer ao regime militar que livrou o nosso país das mãos dos comunistas soviéticos e cubanos.
 
Valdy Callado valdypinto@hotmail.com 
São Paulo

*
A VERDADE SOBRE OS MILITARES

Muitos querem fazer crer que os militares de ontem são diferentes dos militares de hoje. É a mais absoluta verdade! Nós, os de ontem, entregamos o bastão aos de hoje, que continuam a cumprir a finalidade constitucional da Forças Armadas, com outras armas. Há um fio invisível, entretanto, a unir estas gerações e a aproximá-las. Não se trata de conhecimentos, trata-se de valores. O general Etchegoyen, que hoje defende a memória do pai, acusado, sem culpa formada, pela Comissão da Verdade que ora se enc(t)erra, não é, certamente, o mesmo capitão que foi encarcerado pelo seu comandante em 1983, em pleno governo militar, por defendê-lo. Eles só são iguais nos valores que guardam. No caso, valor maior que qualquer lei ou regulamento: honrar pai e mãe. O que aprendi e repassei às novas gerações não foi fazer a guerra de ontem, mas a nortear-se pela honra, pela justiça, pela verdade, pela coragem (mais moral que física), pela aplicação, pelo exemplo, pelo sentimento de cumprimento do dever. Partilho com cada homem e mulher de bem do nosso Brasil os versos de uma velha canção que anima os militares de todos os tempos: "Antes o sol / sem eflúvios, sem luz e sem calor / nos encontre no chão a morrer /, do que vivo sem te defender".

Roberto Maciel dos Santos rvms@oi.com.br 
Salvador

*
IGNORÂNCIA

Os neofascistas mal informados que dizem agora que a Comissão da Verdade, que avaliou os crimes da ditadura militar (canalha de 64, segundo Millôr Fernandes), seria tendenciosa e deveria investigar ambos os lados não devem saber, por ignorância, claro, que uma resolução da ONU permite que o povo se volte armado contra toda espécie de ditadura, e não que essa ditadura violenta, decrépita e senil, bancada pela corrupção, se autoanistie. Isso posto, igreja, mídia, sociedade paulista, todos são inocentes, assim na terra como no céu? A Anistia perdoou, mas não devolveu nem puniu a caterva de seus mentores, porque toda história é remorso?

Silas Correa Leite poesilas@terra.com.br  
Itararé

*
VAI ENTENDER...
 
A Lei da Anistia foi o início para que o Brasil retornasse à realidade. Na intervenção militar em 1964, quem vivenciou aquela época se lembra bem que foi atendendo ao anseio popular, tamanha era a desorganização reinante descambando para o comunismo. De 1964 a 1985 excessos aconteceram dos dois lados, com baixas de 434 guerrilheiros e 120 militares. A Anistia hasteou a bandeira branca, foi o perdão geral. A Comissão da Verdade, instaurada em 2012 para apurar violações, violou a Anistia ao ser tendenciosa, ignorou as baixas militares. Para uma população nos idos de 1960 de 72 milhões, a baixa brasileira foi de 554 pessoas, enquanto estima-se que Fidel Castro, para uma população de 7,2 milhões de pessoas, sumariamente fuzilou 20 mil cubanos. O curioso é que as nossas lideranças e alguns intelectuais brasileiros idolatram Cuba, mas vivem no Brasil. 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 
Vila Velha (ES)

*
PERDÃO

Concordo com o clube militar acerca de que as Forças Armadas têm de se manifestar, principalmente para pedir desculpas pelos crimes cometidos, pelas torturas, contra a liberdade de se expressar e o sumiço de pessoas comuns.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com 
Casa Branca

*
‘A QUESTÃO MILITAR’

Excelente o artigo “A questão militar”, publicado no “Estadão” de 15/12. O País aguarda há muito uma reação desmentindo as infindáveis falácias produzidas pela tal “Omissão da Verdade”. Que não mais permitam as Forças Armadas serem carimbadas como criminosa e os terroristas como heróis. Criem uma verdadeira comissão da verdade e a divulguem intensamente relatando inclusive, as mazelas ocorridas nos dois lados e o que provocou o chamado golpe de 1964, que, infelizmente, permaneceu por 20 anos. Aproveitem para relatar minuciosamente os nomes e as atrocidades praticadas pelos terroristas de ontem e que hoje passaram a se autoproclamar defensores da democracia, democracia esta que um dia quiseram derrubar para implantar o comunismo no Brasil e, infelizmente, ainda não desistiram. 

Frederico Fontoura Leinz fredy1943@gmail.com 
São Paulo 

*
BOM SENSO

O artigo do professor Denis Lerrer Rosenfield, “A questão militar”, nos dá uma aula de justiça e bom senso, algo que falta aos integrantes da famigerada e pretensiosa CNV.

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com 
São Paulo

*
A COMISSÃO DA MEIA VERDADE 
 
Do jeito que terminou – sugerindo o fim ou o enfraquecimento das Polícias Militares e da Justiça Militar e questionando a aplicação da Anistia – a Comissão Nacional da Verdade não passou de um instrumento de apologia, propaganda e bajulação aos insurgentes do passado que hoje estão no poder. Os notáveis que compõem o órgão deveriam agir de forma mais isenta e, para bem cumprir suas missões, apurar todos os fatos daquele período de convulsão nacional para, a partir da verdade apurada, dar à sociedade a melhor visão histórica, como um alerta para a inconveniência de sua repetição. Quando sugerem que os agentes do Estado – que cumpriram ordens ou simplesmente se excederam – sejam responsabilizados, buscam excluí-los do benefício da Lei da Anistia e reacendem o estopim da discórdia. Se os agentes públicos forem penalizados, com certeza, também haverá um meio de se fazer o mesmo com os opositores que assaltaram bancos, seqüestraram, mataram e tentavam derrubar o governo de então. O trabalho termina melancolicamente apenas com titular da meia-verdade apurada. Não pode seu relatório incompleto gerar medidas de desmonte de estruturas, instituições e legislações que sustentam o Brasil de hoje. A peça também não pode servir como elemento de marketing para desviar a atenção nacional das apurações dos grandes escândalos que envolvem a Petrobras, os sistemas de trens e outros setores onde o dinheiro público foi saqueado. Isso seria um desserviço à Nação...
 
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
FRUSTRAÇÃO

O chefe Gilbertinho ficou frustrado com o relatório da Comissão da “Meia Verdade”? Frustrados estamos nós, o povo, que não viu nada apurado sobre os bandidos ditos revolucionários, que mataram, roubaram, sequestraram e torturaram.

José Luiz Tedesco tedescoporto@hotmail.com 
Presidente Epitácio 

*
O CHORO DE DILMA

Quem tem orgulho de seu passado terrorista sob pretexto pseudodemocrático e "joga" o Brasil neste mar de lama jamais vai convencer alguém de bom senso de que um verdadeiro sentimento seja manifestado com lágrimas de crocodilo. Cena deprimente a da presidente Dilma recebendo o relatório da Comissão Nacional da Verdade. Deveria receber o repúdio dos grandes atores que temos em nosso país. 

Batista Moretti batista.moretti@hotmail.com 
Cerquilho 

*
VIOLAÇÃO DE DIREITOS HUMANOS

Aqueles dois boxeadores cubanos que, nos Jogos Pan-Americanos do Rio, se desligaram da sua delegação e pretendiam ficar no Brasil, mas foram logo enfiados pelo governo do PT num avião cubano e levados de volta aos irmãos Castro, eles também eram seres humanos? É minha dúvida quando vejo manifestações petistas tão enfáticas a favor da importância da verdade dos tempos da ditadura.

Euclides Rossignoli  euros@ig.com.br 
Avaré

*
O CAVALEIRO DA DESESPERANÇA

Ele, Leandro Konder, “et caterva”, todos farinha do mesmo tacho. Perderam o bonde da história, souberam que haviam perdido, mas não tiveram peito para uma autocrítica ante mortem cujo legado seria de grande importância didática. Na minha opinião, a única coisa que aproveito da biografia de Prestes foi ter tecido severas críticas a Lula e ao PT ao declarar que “o compromisso moral já não tinha mais nenhum valor”. Acertou.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
BOA NOTÍCIA

Até que enfim uma boa notícia: o passaporte brasileiro passará a ter a validade de 10 anos, o dobro dos atuais 5 anos. Demorou. Felizmente, a presidente Dilma Rousseff (PT) teve o bom senso de assinar o decreto que dobrou o prazo de validade do passaporte brasileiro. O mesmo deveria ser aplicado para os demais documentos, como a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que deveriam ter validade permanente ou então por mais de 10 anos. O Brasil precisa urgentemente se desburocratizar, se modernizar, deixar de ser tão burocrático e formalista e passar a presumir a boa-fé do cidadão, e não o contrário.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
‘DICIONÁRIO DOS APAIXONADOS PELO BRASIL’

Encantou-me a matéria publicada na edição de domingo sobre o a publicação “Dicionário dos apaixonados pelo Brasil”, de autoria do brilhante jornalista Gilles Lapouge. Sou leitor assíduo dos artigos de sua autoria publicados pelo “Estadão”, sempre atuais, claros e ricos em suas considerações sobre temas de interesse do cidadão de qualquer parte do mundo que busca informações atualizadas sobre questões que afetam a sociedade moderna. Encantou-me sobremodo o texto por trazer a público traços da vida e da personalidade deste brasilianista, tão identificado com o Brasil e, certamente, desconhecidos pela grande maioria de seus leitores. Parabéns ao “O Estado de S. Paulo” por brindar os seus leitores com tão qualificado colaborador, e a este o reconhecimento de um brasileiro que também ama o seu país.

Carlos Alberto Felizola Freire cafreire@unisys.com.br 
São Paulo

*
UM JUSTO ENTRE AS NAÇÕES

O sacerdote português e aviador Joaquim Carreira, que salvou dezenas de judeus de caírem nas mãos dos nazistas, chegou à capital italiana no dia 4 de maio de 1940, com 31 anos, para ocupar o cargo de vice-reitor do Colégio Pontifício Português. Em 1941, com a morte do reitor, Monsenhor Manuel Pereira Vilar, passaria a reitor interino. Com a ocupação de Roma pelos alemães em setembro de 1943, salvou dezenas de judeus abrigando-os no colégio. Finalmente, mais de 70 anos depois o governo de Israel o homenageou no Memorial YAD Vashen em Jerusalém, no dia 11/12/2014. Mais um justo entre as Nações, conforme reportagem do “Estado” no dia 24 de agosto de 2011, sobre o cônsul português Aristides de Sousa Mendes.

Arlindo Óscar Araújo Gomes da Costa araujodacosta@gmail.com 
São Paulo

*
POLÊMICA INÚTIL

Sobre a "polêmica" surgida quando o bondoso velhinho, o papa Francisco, disse para um menino, triste pela morte do seu cão, que o mesmo seguira para o paraíso, só tenho a dizer o seguinte para os que debatem o tema se os animais vão ou não para o céu: como se diz no interior, vocês "estão com falta do que fazer" – vão se preocupar com coisas realmente importantes, gente!

Nestor Rodrigues P. Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.