Fórum dos Leitores

NATAL

O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2014 | 02h04

Mensaleiros em casa

Mais um mensaleiro liberado para passar as festas de fim de ano em casa. Desta vez foi o prisioneiro João Paulo Cunha (PT-SP) que ganhou a autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, para quem o mensalão foi só um "ponto fora da curva" no tribunal. Cunha passará sete dias em casa, e não nove, como havia solicitado sua defesa. Ah bom, porque nove dias seriam um exagero que macularia o STF, não é?

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Mal comparando

Já que o STF proporcionará ao ex-deputado João Paulo Cunha um Natal feliz em família, por que não conceder o mesmo benefício ao Marcola? Ou não são todos iguais perante a lei?

ROBERTO L. P. E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Discurso insensato

Em entrevista publicada no domingo no jornal chileno El Mercurio, a presidente Dilma Rousseff declarou que "o Brasil não vive uma crise de corrupção, como afirmam alguns". E por acaso o prejuízo na compra da refinaria de Pasadena, o superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima e as barbaridades descobertas na Petrobrás pela Operação Lava Jato não são exemplos gritantes de corrupção? Na sua cerimônia de diplomação como presidente, ela já havia declarado que "temos de fechar as portas, todas as portas para a corrupção", sem nos informar como vai, concretamente, fazer isso. Pretende abrir ao controle externo e imparcial as caixas-pretas das estatais (lembrando que a Petrobrás ainda nem conseguiu divulgar seu balanço auditado)? Daqui para a frente, vai nomear os dirigentes das estatais com base na competência técnica, e não na amizade ou indicação partidária? Pretende implementar reformas políticas para coibir a festa do PT e de seus aliados com o dinheiro do contribuinte? Chega de discurso vazio!

OMAR EL SEOUD

ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

Corrupção em crise

Dona Dilma está confundindo "crise de corrupção" com corrupção em crise. Claro, dona Dilma, que a corrupção nunca na história deste país esteve tão bem quanto hoje!

JOSÉ GILBERTO SILVESTRINI

jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

Denúncia e discurso

Na edição do Estadão de ontem, duas coisas me surpreenderam. A primeira foi a coragem com que a ex-gerente da Petrobrás Venina da Fonseca expôs o baixo caráter moral das pessoas que comandam a Petrobrás. E a segunda, as declarações da presidente Dilma, de que "não há crise de corrupção" nem "intocáveis" no Brasil, e de Lula, dizendo que "o povo quer mais democracia e ética". Será que alguém acredita no que disseram Dilma e Lula? A sra. Venina não pode mais ser uma voz solitária.

WILSON MATIOTTA

loluvies@gmail.com

São Paulo

Ex-Petrobrás

Venina é um veneno para o PT.

DIVA ALVES

dalasp@hotmail.com

São Paulo

Crime de responsabilidade

Da maior gravidade o que disse o jurista Modesto Carvalhosa em artigo no Estadão (O crime consumado de responsabilidade, 22/12, A2). A presidente da República vai tentar conceder verdadeira anistia às empreiteiras que participaram por anos do assalto à Petrobrás. Esse movimento, que tem a concordância da Controladoria-Geral da União, consiste em não aplicar a essas empresas a Lei Anticorrupção, que está em vigor desde janeiro, sob a alegação de que ela carece de regulamentação e de que os crimes de desvio por corrupção no caso da Petrobrás não seriam de natureza contínua. Trata-se de uma manobra diversionista, que, como conclui o jurista, poderia ensejar até mesmo a responsabilização constitucional da presidente.

ADEMIR VALEZI

adevale@gmail.com

São Paulo

SANTA CASA

Meritória e pujante

A Santa Casa de Misericórdia é uma entidade meritória e pujante. Meritória porque, nos diversos séculos de sua existência, tem cuidado exemplarmente da saúde de todos os que a procuram - note-se bem, "todos" os que necessitam. Foi "hospital de sangue" nas diversas revoluções, a exemplo da gloriosa Revolução de 1932. Colaborou com as autoridades de saúde em diversos surtos e epidemias. Foi pioneira nos transplantes de órgãos. Cuidou das crianças abandonadas nas rodas dos enjeitados. Seu pronto-socorro sempre foi - e continua sendo - muito atuante e modelo para outras entidades. É uma entidade pujante porque continua tendo múltiplas atividades e grande civismo. Assim, criou e mantém uma faculdade reconhecida internacionalmente por formar médicos e outros profissionais da área de saúde de elevado nível. Sua pesquisa científica é considerada até nos países do Primeiro Mundo. Suas diversas clínicas médicas, cirúrgicas, ortopédicas, etc., representam o atendimento com que grande fatia da nossa população pode contar, acolhendo enfermos de todos os quadrantes do Brasil - basta ver o grande número de ambulâncias de diversas procedências que chegam ali. Ao longo de sua história, por ser uma entidade sem fins lucrativos, tem passado, periodicamente, por dificuldades superadas sempre pelo entendimento que a nossa gente tem da sua importância. Sua diretoria continua heroicamente lutando pelo equilíbrio da sua economia, e não há como entender por que pessoas e grupos têm feito sistematicamente campanhas contra a meritória e pujante Santa Casa.

BENEDITO LIMA DE TOLEDO

bltoledo@uol.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Andreas de Souza Fein, Arnaldo de Almeida Dotoli - Somma Assessoria Imobiliária Ltda., Carlos Renato Napoleone, Carmela Tassi Chaves, Dom Odilo P. Scherer, Edgard Gobbi, Equipe Itaú Personnalité, Gladys e Cristovam Buarque, João Mellão Neto, José Pastore, Legião da Boa Vontade (LBV), Leônidas Figueiredo, Luiz Alberto Olivi, Marcelo de Paiva Abreu, Roberto Barros, Roberto Fendt, Roberto Moreira da Silva, Santander, Sérgio Amad Costa, Solução Áudio e Vídeo, Supermercado Bernardão, Tela Mágica Produções, The New York Times, Unesco, Uniad, Vera Dalla Vechia - Giroil Agroindústria Ltda., Vera Helena Soares de Camargo Cappellano, Vi Fest, Via Pública Comunicação, Vicente Limongi Netto e Waldomiro Carvas Junior.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com

CORRUPÇÃO NA PETROBRÁS

Depois da entrevista da ex-gerente da Petrobrás Venina Velosa da Fonseca ao "Fantástico", em que ela disse que a presidente da Petrobrás sabia das irregularidades na estatal, a presidente Dilma Rousseff reiterou ontem que vai manter Graça Foster na presidência da Petrobrás. Então, convenhamos, ela é chegada ao suicídio político e quer quebrar a empresa.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
OUVIDORIA

Pergunta que não quer calar: por que a ex-gerente executiva da Petrobrás Venina Velosa não denunciou as supostas irregularidades à Ouvidoria Geral da Petrobras, órgão responsável por analisar denúncias de atos contra o Código de Ética da empresa? Será que ela acha que Maria Augusta Carneiro Ribeiro (Guta), ouvidora-geral à época, também sabia do esquema de corrupção?

Manoel Rebello de Rezende Filho manoel.rebello@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
INDIGNAÇÃO SEM FIM

Estamos cansados de tanto cinismo, de tanta mentira e de tanta corrupção que grassa neste país. Ficamos mais devastados quando ouvimos uma presidenta da República dizer que nunca se combateu tanto a corrupção como agora, ela que aprovou a compra de uma refinaria, baseada num relatório incompleto, com superfaturamento julgado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de US$ 792 milhões. Ficamos muito mais preocupados quando ouvimos uma ex-gerente da Petrobrás, sra. Venina Velosa da Fonseca, dizer-se perseguida e ameaçada porque  simplesmente tentou alertar os dirigentes para o superfaturamento na Petrobrás (roubo confessado por inúmeros participantes delatores). Nossa preocupação aumenta quando, ao final do depoimento da sra. Venina, a Rede Globo, numa mensagem subliminar, encerra o "Fantástico" com os desmentidos das autoridades envolvidas e, como não podia deixar de ser, o "não quis se manifestar" "delle". A nossa débil esperança recai sobre os demais funcionários honrados da Petrobrás, para que aceitem o pedido de socorro da sra. Venina,  denunciando os fatos que conhecem. Assim desnudariam os cínicos e os mentirosos que querem nos fazer de palhaços.
 
Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo

*
VENINA VENENO

Depois dessa clara e contundente entrevista concedida pela geóloga Venina da Fonseca a Glória Maria no "Fantástico", Graça Foster deve estar cantando "Venina veneno o mundo é pequeno demais para nós duas...".

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
QUEM NOS DEFENDERÁ?
 
Dona Dilma (PT), além de mentirosa, vide campanha eleitoral, é descarada. Não demite dona Graça Foster, pois isso seria sua confissão de responsabilidade pelos roubos na Petrobrás. Então ou pede demissão junto com a dona Graça ou o País terá de pedir mais um impeachment!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*
ONDE ESTÁ A VERDADE?

Durante entrevista ao "Fantástico", Venina Velosa da Fonseca destilava verdade em seus olhos e no semblante quando afirmava ter alertado Graça Foster pessoalmente sobre os desmandos na Petrobrás. Se tudo o que ela diz ter feito é mentira, por que então foi transferida para Cingapura? Não seria por medo de que a verdade aflorasse? 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
CHEGA DE HIPOCRISIA

Venina para presidente já! Chega de hipocrisia e velhacaria.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo

*
PIZZA?

A notícia de que Graça Foster foi alertada pessoalmente sobre as irregularidades na Petrobrás tem um sabor do "ópio barato", expressão que alguns críticos de cinema usavam para se referir aos "western", para todos os gerentes que já fizeram uma denúncia e nada aconteceu. Vamos acompanhar até o fim para ver a "pizza" que vai dar. Os gerentes e menores certamente sofreriam a dispensa e algo mais caso não estejam preparados.

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com 
Bertioga

*
A PERVERSIDADE DA CORRUPÇÃO

O caso envolvendo desvios de dinheiro na maior empresa brasileira, a Petrobrás, é um pequeno exemplo do que ocorre diariamente Brasil afora. Evidentemente que a Operação Lava Jato tem demonstrado ser o maior e mais notável escândalo de corrupção da história recente brasileira, muito embora a presidente Dilma Rousseff e os executivos da petroleira brasileira neguem, com veemência, terem tido conhecido das irregularidades. Em entrevista concedida à TV Globo, a ex-gerente da Petrobrás Venina Veloso deixou claro que a alta cúpula da companhia estava ciente das irregularidades cometidas, ou seja, desde 2008 ela reportava os problemas aos seus superiores, algo que Graça Foster, principal executiva da estatal, nega categoricamente. O caso demonstra, em minha opinião, os graves problemas que afligem a sociedade brasileira. Os corruptos têm a certeza de que suas ações passarão impunes e, portanto, agem como se nada fosse ser descoberto. Reconheço que a presidente Dilma não tem condições de punir os envolvidos, até porque isso é uma prerrogativa do Judiciário. Mas ela deveria, por atribuição constitucional, indicar pessoas de nível técnico e que tenham conduta ética. Não estou, aliás, acusando por antecipação qualquer executivo; entretanto, é inaceitável que uma empresa da envergadura da Petrobrás seja vítima da ingerência política e partidária. Voltando à questão, é preciso que fique bem claro que a União exerce poder fundamental dentro da estatal e, por isso, tem responsabilidade quanto às ações de seus indicados. A Justiça brasileira é morosa e falha. O caso envolvendo o mensalão mostra isso de forma clara e inconteste. Os réus foram, comprovadamente, responsáveis por um esquema de corrupção e, ainda assim, estão usufruindo de benefícios previstos em lei, mas que poderiam ser postergados. Isso traz ao cidadão de bem a sensação de que ser honesto, no Brasil, é uma questão opcional e, no mais das vezes, de pouco ou nenhum reconhecimento. Enfim, é chegado o momento de reavaliarmos o nosso caminho e, principalmente, promover uma onda de moralidade dentro da administração pública. A corrupção, por incrível que pareça, mata mais que qualquer guerra. Prova disso é o caos vivido pelo sistema público de saúde, segurança, educação e tantos outros.

Willian Martins martins.willian@globo.com   
Guararema

*
COMBUSTÍVEL SUPERFATURADO

O e-mail enviado pela sra. Venina Velosa da Fonseca, ex-gerente de uma das áreas da Petrobrás, que foi mostrado durante a entrevista na Globo, peca pela falta de objetividade. Nem parece uma comunicação tipo "subordinado-chefe", além de ser extenso demais. O que acontece nestes casos é a correspondência ser passada para um assessor para filtragem, e o destinatário nem tomar conhecimento. O que me chamou a atenção foi uma citação feita pela entrevistada, talvez nem percebida pela repórter, sobre "compra superfaturada de combustíveis". Se for o que estou pensando, essa simples frase pode esconder valores quase tão expressivos quanto os que foram apurados até agora. Imaginem que a Petrobrás pague por uma importação de 1 milhão de barris de diesel, por exemplo, mas o navio petroleiro só entregue, digamos, 700 mil? Trata-se apenas de uma suposição, mas que pode representar cifras vultuosas a serem "rachadas" entre os envolvidos. Por outro lado, por causa do constante movimento de entrada e saída dos combustíveis nos grandes reservatórios da empresa, uma farsa dessas seria de difícil comprovação. Portanto, vale a pena explorar o tema com a sra. Venina.

Nestor Rodrigues P. Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 
São Paulo

*
PRÉ-SAL

Sempre foi alardeado que a exploração do pré-sal só será viável se o barril de petróleo for mantido no mínimo a US$ 100. Leio no "Estadão" que João Carlos de Luca, presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) diz ser viável a sua exploração mesmo com o petróleo a US$ 45. Quem tem a razão?

Adalberto Amaral Allegrini adalberto.allegrini@gmail.com 
Bragança Paulista

*
ANTONIO PALOCCI

Li, ontem, no "Fórum dos Leitores" (página A3), a carta de Antonio Palocci e também a nota da redação que confirma as informações da reportagem que conta que Palocci consta da lista de políticos envolvidos na corrupção da Petrobrás, fornecida por Paulo Roberto Costa em seus depoimentos à Justiça federal. Se Palocci pudesse, deveria ter mostrado provas ou, então, ficar calado, uma vez que não as tem. Ele, rezando na cartilha do chefe Lula, como todo petista, fala: sou inocente e desconheço todos os fatos e denúncias feitas sobre minha pessoa. Parabéns pela reportagem. 

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br  
Campinas

*
CREDIBILIDADE

Entre as afirmações, publicadas no "Fórum dos Leitores" do dia 22/12, do sr. Antonio Palocci, investigador de contas bancárias alheias, e as do sr. Paulo Roberto Costa, beneficiário da delação premiada, fico com as do sr. Paulo Roberto Costa. Entre as mesmas afirmações do sr. Antonio Palocci, contradizendo matéria publicada pelo "Estadão", e as reportagens do "Estadão", creio na publicação do jornal. 

Cláudio Eustáquio Duarte claudio_duarte@hotmail.com 
Belo Horizonte

*
DELAÇÃO PREMIADA

O sr. Antonio Palocci, bem como a trupe completa do PT, aprendeu corretamente com o chefão Lula a negar, a mentir e a dizer que desconhece qualquer ato que envolve seu nome. Daqui a pouco também vão dizer que a Polícia Federal está mentindo a respeito da Operação Lava Jato. Além de colocarem na cadeia esses corruptos lesa-Pátria, ainda terão de devolver o que foi surrupiado e seus bens serem bloqueados, para sanar o rombo feito na Petrobrás. 

Orélio Andreazzi orelio@andreazzi.com.br 
Suzano

*
É PRECISO AÇÃO

A população brasileira precisa exigir a apuração das denúncias do envolvimento de políticos nas ilicitudes ocorridas na Petrobrás. Não dá para ficar de braços cruzados balançando a cabeça. É preciso ação. Homens que deveriam estar acima de qualquer suspeita e que foram escolhidos para trabalhar em prol da sociedade não podem estar metidos em atos de devassidão. Chega de canalhas dando a volta por cima. Não podemos continuar à mercê de enganadores. Exijamos retidão de conduta. Gritemos por punição dos usurpadores.                                                              

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br 
Taquari (DF)              

*
DECLARAÇÕES QUE NÃO CONVENCEM

Surpreso, deparo-me com algumas declarações, no "Estadão" de segunda-feira, acreditando, como eu, que muitos leitores se sentiram enganados. Numa matéria, Lula afirmou "continuar a política forte no combate à corrupção onde toda e qualquer coisa deve ser dita porque um governo não pode esconder nada". E, em entrevista a um jornal chileno, Dilma Rousseff disse que "o País não vive uma crise de corrupção" e que "não há intocáveis no País". Será que uma pessoa de bom senso se convence dessas declarações? Se tudo isso que foi dito fosse verdade, a Petrobrás não estaria hoje valendo um sexto do seu valor de mercado.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br 
São Paulo

*
CRISE DE CORRUPÇÃO
 
A presidente Dilma Rousseff está, na realidade, pouco exigente para considerar existência de crise de corrupção no País. Eis que com os envolvimentos e os atos de corrupção apurados pela Operação Lava Jato da Polícia Federal, na Petrobrás, a participação de dezenas de políticos da base do governo e, ainda, com nomes de participantes das agremiações políticas que comandam a Nação, temos uma enorme crise de corrupção no País, tanto que o volume escandalizou o planeta, e não só o Brasil. Os gestos e as manifestações presidenciais tendentes a minimizar o que é grave e intolerável causam mais revolta do que pacificação no julgamento dos brasileiros. Seria muito melhor que ela combatesse abertamente a corrupção, demitindo e punindo exemplarmente aqueles que estão sob o seu comando. Os brasileiros querem ação, e não contemplação.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
INTOCÁVEIS

A "presidenta" Dilma afirma que neste nosso pobre Brasil não há intocáveis. Só vou acreditar nisso quando souber que o "chefe" e seu filhinho prodígio estão sob investigação da Polícia Federal. Já tenho até sugestão de nome para essa operação: "Lava Alma", uma justa homenagem aos 50% dos brasileiros que enxergam e que pagam a conta das falcatruas que aí estão. Ressuscita, Brasil!

Ariovaldo Marques arimarques.sp@gmail.com
São Paulo

*
QUEM ACREDITA?

Dilma foi para Santiago para dizer que não há crise de corrupção com a Petrobrás. Será que os chilenos acreditaram?

Silvio Leis  silvioleis@hotmail.com 
São Paulo

*
CORRUPÇÃO PERMANENTE

Realmente o Brasil não vive crise, com a ocupação petralha e seus aliados, ele está em estado de corrupção permanente.
 
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com 
São Paulo
 
*
NOSSA CORRUPÇÃO

Durante a leitura do "Fórum dos Leitores", fiquei incomodada com os cidadãos que se sentiram ofendidos com o discurso da presidente Dilma, no que diz respeito às nossas raízes socioculturais que dão origem à corrupção que vemos na mídia, como o caso da Petrobrás. No entanto, esses leitores muito provavelmente ignoram o fato de que a corrupção não se manifesta só no Planalto, mas sim em nosso cotidiano, a cada vez que infringimos as leis de trânsito para chegar mais rápido, colocamos TV a cabo por meio de "gato" ou pagamos para outra pessoa fazer nossos trabalhos na faculdade, entre muitos outros exemplos do dia a dia. Não quero comparar o roubo de milhões dos cofres públicos a uma simples infração no trânsito, no entanto, é preciso que reconheçamos a nossa própria corrupção, o "jeitinho brasileiro", que surge quando não sabemos separar o público do privado e somos tomados pelo personalismo, como já dizia Sérgio Buarque de Hollanda. Afinal, se estamos numa democracia, que é o governo do povo, como podemos esperar governantes altruístas e honestos se nós mesmos nos corrompemos a cada dia?

Ana Carolina Queiroz anacarolpqueiroz@hotmail.com 
São Paulo

*
'HÁ SINCERIDADE NISSO?'

O editorial de 21/12 desconfia do discurso anticorrupção de Dilma, e com razão. Se a faxina de 2011 tivesse sido para valer, a Petrobrás estaria melhor. Dilma quer ser vista como um novo gestor, que não tem rabo preso com erros do passado e critica tudo. Mas tem passado, sim, que infelizmente já está se fazendo cada dia mais presente. Seu nome é Lula. Em declarações recentes esse "passado" provou que nada vai mudar. "Plus ça change, plus c'est la même chose" (quanto mais se muda, mais é a mesma coisa).

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
CONVERSA PARA BOI DORMIR

Ao ser diplomada para o seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff propôs um pacto nacional contra a corrupção, conforme informou o "Estadão" de 19/12. Afirmou ainda, e aí com razão, que "temos que punir as pessoas, não destruir as empresas. Temos de punir o crime, não prejudicar o País e sua economia. Temos que fechar as portas, todas as portas, para a corrupção. Não temos que fechá-las para o crescimento, o progresso e o emprego".  Uma proposta que seria mais do que bem-vinda, se fosse lançada pelo ex-presidente Lula durante a posse de seu primeiro mandato, ou na anterior da presidente ora reeleita. É claro que nenhum brasileiro dono das suas faculdades mentais pensa em punir a empresa, e, sim, todos os quadrilheiros, sem exceção, que perpetraram o maior assalto aos cofres públicos em toda a história do Brasil, além do mensalão, bem de acordo com a decantada frase do ex-presidente Lula "nunca antes neste país". Lançá-la nas atuais circunstâncias, quando a Operação Lava Jato já vai enquadrando os larápios e após a presidente fazer parte do governo Lula durante oito anos, sempre ocupando cargos relevantes e, o mais grave, ligados diretamente à Petrobrás e, ademais, como a autoridade máxima do País nos últimos quatro anos, que me desculpe a presidente, mas é "conversa para boi dormir". E o pronunciamento presidencial fica mais estranho quando no mesmo dia a imprensa nos informa a relação dos políticos identificados pelo delator Paulo Roberto Costa, a quase totalidade deles da base aliada do governo, aquela formada "em nome da governabilidade". Acrescente-se ainda a notícia de que a CPI mista do Congresso aprovou o relatório do deputado Marco Maia, do PT, pedindo o indiciamento de 52 pessoas e confirmando os prejuízos aos cofres da Petrobrás na compra da refinaria de Pasadena. Cabe, por final, salientar que é incrível que um roubo de tal magnitude tenha passado despercebido, tanto pelo ex-presidente Lula como pela presidente Dilma Rousseff.  

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
RECADO

A nossa "presidenta" mandou um recado: "Vamos punir as pessoas e não destruir a empresa". Faltou completar: isso "elas" sabem fazer muito bem, tanto que, se fosse empresa privada, já estaria em declarada recuperação judicial.
 
José Sergio Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com  
São Paulo

*
O DIPLOMA DE DILMA

Na quinta-feira (18/12), Dilma discursou na esteira do nacionalismo. A ocasião era mais do que especial para ela: do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu a diplomação relativa à sua vitória no pleito deste ano. No mesmo dia, uma polêmica rapidamente contida. O que parecia estar se desenhando como um terceiro turno eleitoral foi cancelado. O PSDB tentou impedir a solenidade no TSE ao protocolar pedido de cassação de registro da candidatura da atual presidente, em favorecimento ao segundo colocado nas eleições, Aécio Neves. O argumento do partido articulou-se na tese de que as campanhas do PT teriam sido financiadas com dinheiro de corrupção na Petrobrás, o que tornaria Dilma "ilegítima". É de suspeitar que essa epopeia da polarização não termine por aqui. Nos próximos anos, os ataques prometem ser ainda mais vorazes, de parte a parte.
 
Gabriel Bocorny Guidotti gabrielguidotti@yahoo.com.br 
Porto Alegre

*
CONTO DE FADAS

Quando vejo Lula publicar vídeos no site do Instituto Lula falando sobre combater a corrupção no País, quando vejo Dilma dizer que não há crise de corrupção no País, penso estar vivendo um conto de fadas. Como é possível que alguns executivos, diretores e gerentes roubem bilhões do dinheiro público do País? Como pode o amigo íntimo Dirceuzinho arrebatar R$ 40 milhões em "consultorias" e os dois, em seus discursos hipócritas, tentarem nos fazer crer que nada sabem sobre esta farsa de poder que vai matar o País? Como esses dois seres podem ter a cara de pau de menosprezar nossa inteligência? Estamos bem cansados desses mentirosos. Mas com certeza esse projeto de poder vai ser um fracasso e vai ruir neste segundo mandato, porque não há clima para essa mentira continuar. 
 
Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br 
Sao Jose do Rio Pardo 

*
O QUE O POVO QUER

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse: "O povo quer mais democracia, mais participação, mais esperança, mais ética. O povo quer continuar sonhando". Gostaria de dizer a ele que o que realmente o povo quer é que políticos que sangram os cofres da União deixem definitivamente a vida pública brasileira, até porque a Pátria amada não está suportando tanta roubalheira.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
À TOA NA VIDA

Gostaria de saber o que Lula estava fazendo na cerimônia de entrega de casas populares. Ele exerce algum cargo público? Isso é inadmissível. Este governo é vergonhoso, ridículo, sem vergonha  alguma.  Fora, PT! 

Cristiana Cardoso ccardosoc@yahoo.com 
São Paulo

*
POPULISMO

No jornal de domingo, o sr. Lula, o bravateiro, disse: "Nunca vou me esquecer de uma casa que eu fui visitar em Governador Valadares (MG), quando eu entrei, se eu não fosse presidente da República e tivesse de respeitar  uma certa liturgia, eu teria me pegado de cacete com os caras que cuidaram daquela casa". Teria ele pedido para que fosse apurado o desrespeito para com o contratado, aí, sim, seria da liturgia do cargo. Sr Lula, o País está colhendo frutos de seu populismo, populismo nefasto, mas como a velha máxima não sai de moda (as armas mudam de mão), não demora a que todos os brasileiros, sem exceção, haverão de ver o nível de sua política. Fui seu torcedor no passado, hoje, como muitos dos brasileiros, clamo por justiça e creio que ela chega pode tardar ou vir a jato.

Manuel José Falcão Pires manuel-falcao@ig.com.br 
São Paulo

*
CORRUPÇÃO EM ITAGUAÍ (RJ)

Investigação da Polícia Federal acusa o prefeito de Itaguaí (RJ), Luciano Costa (PSDB), de desvio de verba. O esquema desvia verba que renderia R$ 30 milhões aos cofres público. Um terço da receita mensal do município. O prefeito é do PSDB? Alô, senador Aécio Neves. O seu partido vai pedir o afastamento do prefeito e dos secretários, a exemplo do que seu partido pede na questão da corrupção na Petrobrás, com o afastamento da presidente Graça Foster e das diretorias?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
O TSE DOS ÚLTIMOS TEMPOS

O PSDB entrou com pedido de cassação do diploma de Dilma Rousseff no TSE. O mesmo órgão que é suspeito de fraudar as urnas eletrônicas e que acaba de permitir a posse do ficha sujíssima Paulo Maluf. Vocês estão de brincadeira? Ou não sabem que, com a atual "Justiça" brasileira, as leis do bem, como a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), estão sendo substituídas por outras mais convenientes? Seria mais fácil se preocuparem em educar e informar melhor esses 250 mil eleitores do Maluf!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br 
São Paulo

*
DE DEODORO, MALUF E DILMA

Estamos vivendo no Brasil uma época surrealista que daria boa motivação para o grande pintor Salvador Dali. Com a maior cara de pau, políticos e autoridades de menor e maior escalão negam acusações e se escoram no maior projeto de aparelhamento estatal já visto desde que o Marechal Deodoro sem muita graça (olha ela aí) proclamou a República. Nem Lula, nem Dilma, nem Graça Foster, nem Marco Maia, relator da CPMI do Petrolão produziram a pérola que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) extraiu da concha do escárnio: transformar o objetivo da Interpol em ficha limpa. Enquanto isso, entra em cena o amigo fiel, o Ibope, e informa o resultado de uma pesquisa em que a represidente Dilma tem aprovação de seu governo de metade da população brasileira. Sem papel higiênico, agitando-se num mar de matéria fecal, o governo prepara uma super, megafesta em Brasília para comemorar a posse de Madame. Já foi mobilizada toda a militância, os áulicos e puxa-sacos de plantão sem embargo de a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad) anunciar que 7 milhões de brasileiros passavam fome em 2013, mas, por causa de incentivos do governo, possuem fogão, geladeira e TV.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
FICHA LIMPA

O PT vibrou com a notícia de que paulo maluf (minúsculo, por favor) é ficha limpa. Agora, abriu-se o caminho para o PT lançar a candidatura de Fernandinho Beira-Mar para presidente da República, podendo aumentar sua base na quadrilha. 

Delcio da Silva delcio796@terra.com.br
Taubaté

*
NA CONTA DA VIÚVA

Se somos surpreendidos pela decisão do TSE em considerar Paulo Maluf ficha limpa, por outro lado,  é noticiada submissão da aprovação de novo aeroporto para São Paulo, incluída numa medida provisória de outro propósito. Inclusão sorrateira. A má conduta de Maluf é tão popular que serviu até para criar um neologismo: o verbo malufar. No período em que congressistas e empreiteiras estão sendo investigados e punidos por más práticas, é de surpreender que alguém do Congresso se preste a favorecedor de um empreendimento que poderia muito bem ser cotado às claras pelo governo federal. Desfaçatez e a certeza de que a viúva pagará a festa de ambos.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba

*
MALUF TOMARÁ POSSE

De acordo com julgamento do TSE, Maluf cometeu roubo culposo (sem intenção de roubar). Se tivesse sido roubo doloso, aí, sim, teria o mandato cassado.
 
Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
SEM MORAL

A justiça eleitoral (minúsculo mesmo) no Brasil não tem moral. Autorizar Maluf a tomar posse é piada de péssimo gosto. Depois de "aprovar" as últimas eleições, podemos esperar tudo.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
DILMA OU MALUF

Na semana passada um dos assuntos mais comentados foi a ficha limpa de Paulo Maluf, que autoriza que ele assuma a vaga de deputado federal para a qual foi eleito pelo Estado de São Paulo. O assunto se tornou polêmico por conta das acusações de desvio de dinheiro que sofreu durante os períodos em que foi prefeito e governador de São Paulo. Ademais, vale ressaltar que ele foi um dos prefeitos que mais fez pela cidade de São Paulo, bem como pelo Estado. Porém, fazendo uma comparação com o governo de Dilma, notamos uma enorme diferença: ele roubou, mas não permitiu que funcionários e prestadores de serviços roubassem durante seu mandato, tanto é verdade que não há acusações contra qualquer servidor enquanto ele governou, e é aí que se destaca a diferença na administração de Dilma, em que ela nunca foi citada nos desvios de verbas, só que, no entanto, a lista de funcionários e prestadores de serviços que roubaram dinheiro público não para de crescer a cada dia, e o que isso tem que ver uma coisa com outra? É que Maluf, apesar de ter roubado, tinha seu governo sob seu controle, não permitia corruptos, era firme, já Dilma nunca sabe de nada, não tem firmeza e isso facilita que os malfeitores façam o que querem. Em outras palavras, ela é incompetente para o cargo que ocupa. Outra coisa, os valores desviados por Maluf são verdadeiras "merrecas" comparados com os valores desviados pelo PT, só que Maluf trouxe progresso para a cidade de São Paulo e o Estado, já Dilma e o PT estão devastando o que tínhamos de bom e valioso no País.

Daniel de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br 
Paranavaí (PR)

*
SARNEY ARREPENDIDO

O glorioso José Sarney, a quem o glorioso Renan Calheiros beijou a mão, coisa de filme de mafiosos, após "escapar" de cassação, subiu nas tribunas para se declarar arrependido de ter sido senador nos últimos anos. Ora, sr. Sarney, dê uma demonstração real de arrependimento e que tal devolver aos cofres públicos e aos brasileiros os milhões amealhados a título de jeton e outras "módicas" verbas, que certamente se juntaram às suas "merecidas" aposentadorias e o ajudaram a acabar de comprar o Estado mais pobre e menos desenvolvido da "Terra Brasilis", chamado Maranhão, apesar de sua candidatura ser pelo Estado do Amapá? Será que o ingleses que deram origem ao seu "sobrenome" entenderiam tal situação?! Eu acho difícil de explicar para qualquer pessoa com um mínimo de discernimento. Enfim, sinceramente comovido com seu pronunciamento, agradeço penhoradamente que o senhor largue o osso.

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br 
São Paulo

*
'CUBA LIBRE'
 
Os presidentes dos EUA, Barack Obama, e de Cuba, Raul Castro, anunciaram a retomada das relações diplomáticas entre os dois países. "Nas mais significativas mudanças em nossas políticas em mais de 50 anos, nós vamos acabar com uma abordagem ultrapassada que, por décadas, fracassou em promover nossos interesses e vamos começar a normalizar as relações entre os dois países", afirmou Obama. Digna de louvor a atitude dos dois presidentes, "sin embargo".
 
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net
São Paulo

*
LIVRES DE VERDADE

Ainda que discorde do presidente Obama, pela retomada de relações com Cuba, espero que os cubanos aprendam - com o nobre gesto americano - a cultivar um ideal democrático e livrem-se desta ditadura sócio-comunista, imposta pelos irmãos Castro há mais de meio século!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br 
Porto Feliz 

*
LIBERTOS

Espero que o gesto de Obama seja um importante passo para libertar o povo cubano da miséria que é viver sem liberdade para nada, sem poder trabalhar, empreender, viajar, ler, escrever, respirar sem pedir licença. Que o povo de Cuba redescubra como é viver com esperança, poder realizar seus sonhos, poder ir para a frente na vida sem medo. Que Cuba volte a ser um país livre e próspero, e que esse fantasma da ditadura castrista seja logo apenas uma triste lembrança, lembrança de um grande fracasso. Em nenhum lugar que foi implantado o comunismo deu certo, em Cuba não foi diferente, 50 anos perdidos numa teimosia ideológica cega, surda e tosca. Viva Cuba livre! 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
CUBA DE 1933 A 2014

Engraçado, o "Estado" publicou na edição de 18 de dezembro de 2014 extensa matéria sobre Cuba, inclusive uma cronologia histórica de fatos ocorridos de 1933 a 2014. Nesta cronologia, falou até dos prisioneiros levados para a base de Guantánamo pelos americanos. Mas em nenhum momento falou de fuzilados e presos políticos cubanos. Acho que faltou ao "Estado" uma Comissão da Verdade. De verdade, sem conveniências!

Renato Indio da Costa Lemos reiclemos@uol.com.br 
Florianópolis 

*
INVESTIMENTOS EM CUBA

O grande problema da visão de mundo "lulopetista" fica claro na entrevista dada pelo embaixador brasileiro ("Estado", 21/12), que coloca a integração cubana e seu desenvolvimento como metas de nosso governo. A frase utilizada para justificar a construção de um porto - e já agora outras obras complementares de vulto - é apenas uma "cortina de fumaça". A frase a que me refiro é: "Mas é preciso esclarecer que não há investimento de empresas estatais. Tem financiamento de bancos estatais. Todo investimento é privado. E empresas só vêm se acharem que vão ter lucro". É verdade que as empresas só fazem negócios se tiverem lucro, mas essa é uma condição necessária, mas não suficiente, pois nenhuma empresa vai fazer negócios sem que, além do lucro, tenha garantido o retorno do investimento realizado para produzir/entregar o que vende, o que o governo cubano, dados os montantes envolvidos, não tem como garantir por si. Cabe então a pergunta: quem garante que a empresa vendedora receba do governo cubano? A resposta é clara, dado o envolvimento do governo "lulopetista" que justificou tal financiamento com argumentos falaciosos de que a construção do porto cubano gerou divisas (anuladas pelo empréstimo concedido pelo BNDES que não sabemos se será recebido) e empregos para o nosso país (que existiriam da mesma forma se o investimento fosse em nossos portos), além da possibilidade de empresas brasileiras se estabelecerem localmente para exportar (quando precisamos que elas invistam e produzam aqui): o garantidor da operação é o Tesouro Nacional do Brasil. O que contradiz solenemente que todo o investimento seja privado, conforme declaração do embaixador, pois, na verdade, deixando de lado os artifícios contábeis, o investimento é publico: do governo brasileiro com recursos subsidiados por nossos impostos! 

Jorge Alves jorgersalves@2me.com.br
Jaú 

*
O PORTO DE MARIEL

Li no "Estadão" de domingo as declarações do embaixador brasileiro em Cuba e fiquei imaginando se são verdadeiras. De qualquer modo, muitas perguntas deveriam ser respondidas, e eu listo as quatro principais: 1) Por definição (e até pelo próprio nome), o BNDES  não deveria só emprestar dinheiro para aplicação no Brasil? 2) É legal esse empréstimo para Mariel? 3) Como uma empresa brasileira vai fazer as obras? Houve licitação? 4) Quem vai fiscalizar a aplicação do dinheiro e investigar se não houve superfaturamento? (Afinal vai ser usado dinheiro do contribuinte brasileiro, e é necessário garantir se não haverá "um por fora").

Luiz Alevato Grijó luiz.grijo@gmail.com 
São Paulo

*
OBAMA SABIA

Agora apareceu a verdade sobre a espionagem americana no Planalto: Obama já sabia da doação do Porto de Mariel, só esperou a inauguração, quer suspender o embargo e agora fará exportação dos seus produtos sem investir nada e agradecendo ao Brasil.

Luiz Carlos Tiessi tiessilc@hotmail.com 
Jacarezinho (PR)

*
2015 SOB OLHAR DOS ANALISTAS

Cumprimento os jornalistas do "Estadão" pela construção do caderno de Economia de domingo (21/12).  Uma rica e extraordinária visão sobre as perspectivas econômicas do nosso país para 2015, descritas pelos nossos mais renomados mestres em macroeconomia. Os mesmos analistas que há tempos vêm alertando o governo federal das suas graves práticas cometidas na condução da nossa economia. E se o resultado que nós, brasileiros, já sabemos dos quatro anos de Dilma, de PIBs medíocres e do descontrole total das contas públicas, para 2015 não será diferente. Porque, pela desconstrução já consagrada dos nossos fundamentos macroeconômicos, o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, vai ter de fazer muito malabarismo (se Dilma permitir...) para que o ano de 2015 não seja pior do que 2014, conforme bem detalhado pela análise desses especialistas, que em boa hora o "Estadão" publica.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
TRAMBIQUE NO FUTEBOL

O editorial "Trambique também no futebol" (22/12) mostra mais uma vez que o quanto a paixão nacional causa prejuízo ao País. Depois de o governo ter gasto rios (de lama) de dinheiro público para a realização da Copa do Mundo, os clubes notoriamente trambiqueiros podem ganhar esse presentão de Natal. Detalhe: seria muito bom se as investigações da Petrobrás resolvessem olhar mais um esqueleto dentro do armário, o patrocínio milionário da estatal ao Flamengo, um notório sonegador da previdência. Aposto um ano de meu salário que muita coisa apareceria.
 
Luciano Nogueira Marmontel automat_br@ig.com.br 
Pouso Alegre (MG)

*
GABRIEL MEDINA

Precisou um campeão mundial aparecer sem ter tido apoio nenhum para a mídia passar a se regozijar com o surfe (agora com "e" no final...).

Domingos Carelli carelli@tamaita.com.br
São Paulo

*
ESCLARECIMENTO

Com relação à carta do leitor sr. Renato Khair, publicada na edição do dia 22/12, intitulada "Indústria da multa - viagem para o litoral", a Dersa - Desenvolvimento Rodoviário S/A esclarece que foram instalados seis novos radares no trecho de Serra da Rodovia dos Tamoios. A companhia informa que não houve alterações nos limites de velocidade no trecho, que são anteriores à duplicação da Nova Tamoios Planalto. A fiscalização foi reforçada para coibir acidentes na Serra.
 
Luiz Vita, assessoria de Imprensa Dersa imprensa@dersa.sp.gov.br
São Paulo

*
TUTTY VASQUES

O jornal "O Estado de S. Paulo" foi um dos estímulos para que eu me alfabetizasse, por volta dos anos 40. Hoje, dois filhos meus são assinantes do jornal, sendo eu a beneficiada numa das assinaturas. Sempre lamento quando algum colaborador desaparece do quadro e hoje estou muito triste com a falta de Tutty Vasques. Se fosse eu a assinante, seria a minha hora de descontinuar a assinatura.

Mirtela Sofia Gori Maia ggmaia@gmail.com 
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.