Fórum dos Leitores

NATAL

O Estado de S.Paulo

25 Dezembro 2014 | 02h02

Meu desejo

Dia de Natal, em breve réveillon, enfim, época de coração mole e de bondades. É quando externamos nossos votos e desejos para os próximos tempos. Sinceramente, é meu desejo que a Operação Lava Jato, conduzida pela Polícia Federal, se desdobre para apurar todas as maracutaias e roubalheiras que se praticam no Brasil. Desmascarando, processando e pondo na cadeia a horda que se dispôs a transformar a res publica em cosa nostra, de forma nunca antes vista no mundo. Aos políticos desonestos deste país e seus asseclas, desejo que tenham pela frente a Polícia Federal, o Ministério Público e o juiz Sérgio Moro. Faço votos de que a Justiça seja implacável com os corruptos e que tome as decisões necessárias para acabar com as maldades que se praticam contra o Brasil, sem se preocupar em render vassalagem aos políticos de plantão. Acho que não seria demais desejar também que os falastrões da vida pública deixassem de defender o indefensável e se rendessem aos fatos. Feliz Natal e ótimo 2015.

LOURENÇO INNOCENTINI NETO

lorencoinnocentini@gmail.com

São Carlos

Votos

Não é ironia: desejo um ótimo Natal e um 2015 repleto de alegrias. De onde virão estas? Boa pergunta!

ALEXANDRU SOLOMON

asolo@alexandru.com.br

São Paulo

Alô, 2016!

Dívida pública brasileira atinge R$ 2,2 trilhões; petrolão a todo vapor e "eletrolão", a caminho; Celso Daniel insepulto; a morte de Eduardo Campos inexplicada; crescimento zero com inflação alta; baixa taxa de poupança; Lula bilionário; Dirceu em casa; LDO estuprada; petralhada reeleita. Bom 2016 a todos!

RICARDO C. T. MARTINS

rctmartins@gmail.com

São Paulo

Reta final

O Banco Central, no apagar das luzes do ano, revisa sua meta de crescimento para a economia brasileira em 2014. Mudança mínima, coisa de vírgula: começou o ano com 2,00%, terminou com 0,20%. Com esse resultado, após deixar o governo Guido Mantega tem duas alternativas: vai fazer um curso no Pronatec, seguindo conselho de Dilma Rousseff, ou vai trabalhar num instituto de pesquisas. Neste, seus erros decimais passariam despercebidos, já na nossa economia...

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

NOVO MINISTÉRIO

13 nomes

Com exceção da próxima equipe econômica, a presidente Dilma Rousseff, ao anunciar 13 de seus novos ministros, está sinalizando que permanece o loteamento dos ministérios entre partidos aliados e que a pobreza intelectual e a falta de capacidade técnica dos donos dos cargos continuarão por mais quatro anos. Aqui, no Brasil, funciona assim: perdeu a eleição, foi rejeitado pelo povo, é premiado com um ministério. Agora é que a Educação, por exemplo, com Cid Gomes (PROS) à frente, vai definitivamente para o brejo.

JOSÉ MILLEI

millei.jose@gmail.com

São Paulo

Portas abertas

Mais alguns ministros do novo governo Dilma foram escolhidos. Novamente a máquina estatal é loteada entre os partidos da base governista. Novamente foram deixadas de lado competência e ética. Se alguém esperava alguma mudança importante neste segundo mandato de Dilma, pode perder a esperança. Os métodos continuam os mesmos. As portas dos desacertos e da corrupção continuam abertas. Pobre Brasil, não sei se terá forças para suportar mais quatro anos de lambanças.

CELSO BATTESINI RAMALHO

leticialivros@hotmail.com

São Paulo

Mais espaço para o PMDB

Analisando a relação dos 13 novos ministros do próximo governo Dilma, está claro que o PT continua sendo laranja do PMDB: ganha a eleição, não governa e paga o PaTo.

ANTONIO FAVANO NETO

nico@recency.com.br

São Paulo

Exceção

A presidente Dilma continua a escolher cupinchas derrotados nas eleições. Meritocracia e especialização, que são bons e necessários, nada. Exceção feita ao Ministério da Fazenda, que, justamente por ter um bom nome à frente, terá dificuldade para trabalhar neste governo.

MARCO AURÉLIO REHDER

marcoarehder@yahoo.com.br

São Paulo

Ministérios demais

Dona Dilma perdeu uma grande oportunidade de enxugar o megaministério idealizado pelo seu padrinho, o ex-presidente Lula. A necessidade de acomodar os partidos políticos da chamada "base de apoio" impôs ao Poder Executivo a manutenção de 39 ministérios. Os recursos para sustentar essa máquina deveriam estar direcionados à saúde, à educação, à segurança. Com o horizonte da economia do País na UTI, Dilma teria um bom motivo para acabar de vez com esta pouca-vergonha de cotas do PT, cotas do PMDB, cota pessoal, entre outras. Os ministérios deveriam ser poucos e os ministros, terem conhecimento técnico da matéria da pasta.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

PETROBRÁS

Incompetência promovida?

A ex-gerente executiva da Petrobrás Venina Velosa da Fonseca foi investigada por comissão interna da estatal e responsabilizada por prejuízos de apenas R$ 25 milhões e é punida com uma promoção para um alto cargo em Cingapura? Presidente Graça Foster, entregue o cargo, por favor. Os sinais de incompetência e de conivência com as irregularidades já foram dados. O povo brasileiro agradece.

EDUARDO BIRAL

elbiral@ig.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Amadeu Garrido, Angelo Tonelli, Argeu de Almeida Ferraz Filho, Associação Comercial de Ubatuba, Cloder Rivas Martos, Domínio Tecnologia, Família Graça Filmes, Francisco Zardetto, Gloria de Moraes Fernandes, Hugo de Oliveira - delegado da Coopmil, Itaim Express, João Alberto Ianhez e família, João Ricardo Silveira Jaluks, Luiz Alevato Grijó, Luiz Gonzaga Mezzalira, Marina Atlântica, Nelson Maciel, Ricardo Viveiros & Associados, São Paulo Companhia de Dança, Silvio Natal, Tendências Consultoria Integrada e Tonico Senra Assessoria de Imprensa.

NATAL FELIZ
 
Em cada bolinha endereçada à árvore, em cada enfeite adaptado ao lar, um sonho compartilhado. O Natal é um período repleto de significados. Cada pessoa constrói o seu. O que estão construindo? Presentes - muitos - a serem entregues a quem se deve consideração? Consumismo implacável? No fundo, essa relação comercial bate na couraça do que verdadeiramente importa. Natal, como essência, integra o universo da paz e do bem. Ele contribui para o relacionamento entre pessoas que se amam. E, no encontro das gerações, as reminiscências de um passado brilhante, passando por um presente acolhedor, para estacionar na última estação, ungida pelos melhores sentimentos que nos ligam ao futuro. Abrace seu pai, sua mãe, seus irmãos. Suplante a exigência material dos presentes. Sinta mais, seja mais, beije mais. E busque a felicidade, acima de qualquer coisa. Boas festas.
 
Gabriel Bocorny Guidotti gabrielguidotti@yahoo.com.br 
Porto Alegre
 
*
FESTA DE LUZ
 
Natal é festa da alegria. Faça de seu Natal um exemplo de amor aos irmãos. Natal é festa da família. Ame primeiro a sua família. Vá em busca do seu familiar. Ele te ama e espera uma atitude de carinho. Natal é festa de luz. Vamos parar para admirar as luzes do Natal e iluminar nossos corações. Vamos fazer da festa do Natal uma oportunidade de sintonia com o bem e a paz. Feliz Natal!
 
Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com 
Fortaleza 
 
*
SÍMBOLOS NATALINOS
 
Tradicionalmente, por força de uma miscigenação que amalgamou culturas tão diversificadas como a do europeu, a do ameríndio e a do negro africano, foi fácil para o produto desse cadinho de raças absorver um símbolo natalino que nada tem que ver com o clima dos trópicos nesta época do ano. A versão do jingle bells fala em sino de Belém, Deus menino, rezas na capela, noite bela. Lembram guizos do animal que puxa pero trenó num alegre passeio pelos campos que poderia realizar-se em qualquer país em período nevado do ano. No Brasil, o Natal é um costume proveniente dos países cristãos onde o trenó, a neve e a rena se identificam, e próprios do Polo Norte e da Lapônia. Inserido no contexto do sobrenatural e do divino, Papai Noel homenageia o Menino Jesus nascido há 20 séculos, quando recebia presentes régios. Papai Noel apareceu no fim do século 19 como um artifício de propaganda para vender Coca-Cola, mas depois passou a ser "menino-propaganda" de outras coisas. Papai Noel é um protagonista no Natal que põe o aniversariante, Jesus Cristo, no papel de coadjuvante. O bom velhinho aparece nos presentes suntuosos, enquanto o menino da manjedoura aparece nas pouco frequentadas missas do galo.
 
Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com  
Vassouras (RJ)
 
*
DIA DE LEMBRANÇA E REFLEXÃO
 
É dezembro, assim surgiram as pequenas douradas, as decorações natalinas, os pisca-piscas coloridos, as árvores e as decorações de Natal nos prédios, nas lojas dos shoppings e a figura de Papai Noel nas fachadas das casas. Prédios públicos enfeitados nesta época do ano trazem alegria. Essa iluminação moderna é maravilhosa, a Avenida Paulista está um luxo só, pois a cada ano se moderniza e se modifica para melhor anunciar a aproximação do Natal. Todos se conscientizaram de que o Natal precisa cada vez mais ser iluminado. As luzes do Natal mostram que Jesus está cada vez mais próximo de nós e a confraternização é também decidida a dar um pouco mais de amor ao próximo. Mesmo com dificuldades, o trabalhador brasileiro, antes de tudo, um forte, um sofredor, mostra seu lado humano neste período do ano. Natal é uma trégua para a reflexão. É tempo de buscar a paz interior, a harmonia, entendimento, confraternização, reconciliação e todos os preceitos oriundos do cristianismo. É o dia do aniversário de Jesus Cristo, que criou uma religião, ou filosofia de vida, denominada cristianismo. O dia 25 de dezembro é consagrado à lembrança de que Jesus Cristo viveu entre nós, sofreu e morreu na cruz, deixando um legado de princípios éticos e morais que, se fossem seguidos à risca, tornariam a vida mais feliz. Natal, por esse motivo, é dedicado à reflexão, à análise de nosso comportamento, de nossa vida e das coisas que passam à nossa volta. No entanto, o que destoa de tudo isso é a maioria dos políticos brasileiros - sempre há exceções -, que atuam sem ética, sem moral e sem honestidade em cargos públicos, pois foram escolhidos pelos eleitores (povo). Ocupam cargos públicos apenas para tirar vantagem para si e em nada beneficiam os que os elegeram. Ainda bem que Natal é mais importante do que isso. A trégua é necessária e importante e, assim, as coisas ruins devem ser deixadas de lado. Nada mais justo. Desse jeito, podemos comemorar e homenagear Jesus Cristo no dia de seu aniversário. Feliz Natal a todos!
 
Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com  
São Caetano do Sul
 
*
ESPÍRITO DE NATAL

No momento em que, junto com grande parte da humanidade, comemoramos o Natal, urge que façamos uma serena reflexão. Falo de que cada um de nós em sua individualidade reflita sobre nosso próprio comportamento e procure mudar eventuais posturas egoístas que temos em nosso dia a dia. Essa é a essência da maior festa da cristandade e, se executada, melhorará em muito nosso processo de civilização. 

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 
Rio de Janeiro

*
NOSSO DIA DE NATAL
 
Feliz dia de Natal a todos nós, com muitos presentes, exceto à elite petista, porque eles já têm Natal o ano inteiro com seus petrolões, aparelhamentos e demais locupletações do País.
 
Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br  
São Paulo
 
*
PEDIDO DE NATAL
 
Papai Noel, não me traga nada, apenas me dê saúde para ver o chefe supremo dos "petralhas" na Papuda! Bom Natal a todos!
 
Ricardo C T Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo
 
*
MENTIRAS NATALINAS
 
O governo federal vem oferecendo ao povo brasileiro neste 2014 eventos natalinos bem diferentes de todos os anteriores, sempre na linha do "nunca antes neste país". O desta semana destaca-se pelo embate entre a presidente da Petrobrás, Graça Foster, e a ex-gerente da estatal Venina Velosa da Fonseca. Em entrevista ao programa "Fantástico", da Rede Globo, Venina Velosa revelou que alertou ainda em 2011 Graça Foster, bem como a Paulo Roberto Costa, sobre os fatos incomuns que estariam ocorrendo naquela petroleira. Hoje sabemos que, ao alertar Costa das prováveis maracutaias, falava com um dos "capos da máfia". A atual presidente da Petrobrás, em entrevista ao "Jornal Nacional", da Globo, rebateu a afirmação dizendo que a ex-gerente da Diretoria de Abastecimento nunca fez uma denúncia formal à companhia sobre irregularidades na estatal nem mencionou a palavra corrupção. Diante de tantas mentiras, que brotam deste governo mais que tiriricas, em quem acreditar? Eu, particularmente, fico com Venina, por uma questão de lógica. É evidente que a ex-gerente, reconhecida como funcionária competente pela atual presidente, não poderia fazer uma denúncia formal, como disse Graça Foster. Quem trabalhou no serviço público sabe muito bem disso. Ao citar "licitações ineficientes", Venina deveria estar se referindo especificamente aos editais das mesmas, que poderiam estar mal elaborados ou até dirigidos a determinadas empresas, o que infelizmente não é incomum. Pelo que entendi, era um alerta de uma técnica séria e eficiente sobre determinados critérios técnicos e vultuosas importâncias que chamaram a sua atenção por conter valores fora da curva, como diria o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). Também quando afirmou que os custos da construção da Refinaria de Abreu Lima estavam aviltados, igualmente não poderia mesmo fazer uma denúncia formal e muito menos afirmar que era por causa da existência de corrupção. Mas em ambos os casos, como ocupante de um cargo de diretoria, deveria ter procurado se inteirar da situação e, se fosse o caso, alertado os seus superiores, mas jamais se omitir. De qualquer maneira, diante de tais fatos e do conjunto das denúncias dos delatores, a presidente Dilma Rousseff deveria afastar Graça Foster da presidência da Petrobrás. Não que tal atitude implicasse supor que ela estaria ligada ao grupo dos quadrilheiros, mas no mínimo como resposta ao mercado de ações.
  
Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br  
São Paulo
 
*
SEM RISCO
 
Logicamente, Dilma Rousseff fará tudo pela permanênia de Graça Foster na Petrobrás. Vai que ela põe outro presidente no cargo e este se disponha a mexer no vespeiro e tornar públicas as falcatruas lá dentro?
 
Orivaldo Tenorio de Vasconcelos  professortenorio@uol.com.br 
Monte Alto
 
*
NÃO HÁ PROVAS
 
Realmente ainda não foi apresentada prova de corrupção contra a conduta da Graça Foster. Mas nada disso é preciso para afastá-la da Petrobrás. Ela foi no mínimo incompetente ao não perceber nada de errado com os enormes rombos nas finanças da empresa e com os visíveis assaltos ao seu redor.
Fora com ela!
 
Walter Lúcio Lopes wll@uol.com.br  
São Paulo 
 
*
APOIO INCONDICIONAL
 
Não será de estranhar se inverterem totalmente a situação e envolverem a ex-gerente Venina Velosa, da Petrobrás, em irregularidades, acusando-a de delatar fatos falsos e negando tudo o que ela revelou. Basta ver o apoio incondicional de Dilma Rousseff a Graça Foster, que mostra total conivência entre ambas. Vergonhoso.
 
Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  
São Paulo
 
*
AS RAZÕES DO FORMALISMO
 
Segundo asseverou a presidente da Petrobrás, Graça Foster, a gerente Venina não usou as palavras "corrupção" ou "conluio" em suas mensagens de advertência à direção da empresa, o que elidiu a abertura de procedimento investigativo mais amplo com visos à apuração dos "malfeitos" dentro da Petrobrás. Para Foster, Venina teria de ter sido mais agressiva, mais direta. Deixar as meias palavras e acusar seus colegas de empresa (formalmente), de preferência - quem sabe? - com uma planilha detalhada da pilhagem acompanhada de um boletim de ocorrência registrado em algum distrito policial - ainda que as atividades de investigação não fizessem parte da descrição do cargo que a gerente ocupava na Petrobrás. Meias palavras, meras evidências não atenderiam ao rigoroso formalismo da presidência. Sendo assim, acabamos de tomar conhecimento de que o risco de ocorrência de pilhagem dentro da Petrobrás seria, no frigir dos ovos, o de menos. Importante seria a "forma", exatamente como num processo criminal que deve atender aos ritos processuais, sob pena de nulidade. Sem o preenchimento das devidas formalidades e do uso das palavras "certas" - pelos critérios de Graça Foster -, nada feito! Como Venina não foi eloquente o suficiente para deixar claro que a empresa estava sendo roubada à luz do dia, Graça Foster alegou não ter visto razão para levar a coisa adiante. É bizarro... Executivo algum da iniciativa privada, ante um episódio semelhante e preocupado em defender sua empresa e seus acionistas, agiria assim, mas Graça Foster, presidente da Petrobrás, agiu. Até entendo a posição da executiva. Além do conhecimento do negócio em si, aquele cargo implica enorme responsabilidade política. Caso impusesse devassa à empresa à conta das denúncias que recebera, a presidente da Petrobrás estaria abrindo um flanco político a ser explorado pela oposição, com consequências que poderiam ser devastadoras para seu grupo, mormente considerando o adverso horizonte eleitoral a partir de junho de 2013. Podem negar o quanto quiserem - e nisso são especialistas -, mas foi política a verdadeira explicação para deixarem "passar batido" as queixas de Venina. Em boa hora FHC privatizou a Vale e outras estatais. Imagine-se o que seria daquelas corporações, se expostas aos apetites políticos do atual grupo dominante.
 
Silvio Natal  silvionatal49@gmail.com  
São Paulo
 
*
BELA VENINA E OS SETE ANÕES
 
Funcionária top é ignorada, exilada e demitida em estatal! Puxa, o que ela fez deve ser grave! Vejamos: Venina foi exilada na superagradável Cingapura depois de levar notícias de irregularidades em muitos contratos bilionários até Graça Foster e a toda a diretoria da empresa. Mas Graça insiste em que não eram exatamente "denúncias", eram apenas queixas vagas, não suficientemente claras feitas num Power Point e registradas em cartório com provas anexas. Mas Graça diz ao "Jornal Nacional" que Venina foi expulsa do Brasil por causa de uma briga com Paulo Roberto Costa (aliás, este muito elogiado por Graça em sua carta de demissão). Graça também diz à Globo que não sabe por que eles brigaram. Puxa, a ponto de ser expulsa do País e dos negócios da Petrobrás, deve ser algo bem grave, mas a chefona e "muy amiga" Graça não sabe de nada - que possa ser dito na frente da câmera da Globo. Depois do exílio, Venina foi demitida, segundo Graça, por "não conformidades", mas Graça não soube explicar direito aos brasileiros o que seriam essas gravíssimas "não conformidades". A presidente da "Petropina" não deve ter visto até hoje a sindicância e o processo administrativo da demissão de sua amiga - se é que existem esses processos. Conheço casos de estranhas demissões em estatais onde não existe nem sombra de processo administrativo. Mas a Rainha do Ouro Negro e seus auxiliares da Diretoria Financeira também não sabiam que sua refinaria Abreu e Lima sairia por uma bagatela de cerca de dez vezes mais que o orçamento inicial, tudo superfaturado; e que Pasadena gerou prejuízo de R$ 1,5 bilhão, por causa de decisões de má-fé, segundo auditores do próprio governo. Será que ela ainda sai por aí dizendo que foi um excelente negócio, como fazia até há pouco tempo? Gracinha também não sabia que seu marido - pessoa muito próxima dela - tinha vários contratos comerciais milionários com a Petrobrás. E disse ao Congresso que não sabia que a Petrobrás estava repleta de irregularidades, enquanto as autoridades holandesas já haviam punido a empresa holandesa corruptora, com toda a sujeirada mapeada - parece que ela está sendo processada por mentir ao Congresso sobre isso. Pelo visto, a nossa Rainha fica no seu trono real o dia todo falando com seu espelho mágico, perguntando se ela é mais bonita que a Bela Venina. Só faltam agora a maçã e os Sete Anões nesta história. A presidente do Brasil, por sua vez, diz que está tudo pacífico e que confia em sua indicada - de absoluta confiança - na estatal. Mas por que confiar em alguém que jamais soube o que se passava ao seu redor? Alguém tem a resposta?
 
Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br  
Cotia
 
*
ABRAÇO DAS AFOGADAS
 
A presidente da Petrobrás defendendo-se das acusações na TV e, em seguida, Dilma dando total apoio à amiga de todas as horas, fiel e competente. É trágico o abraço das afogadas. Foram levadas a isso por uma única razão: saindo Graça Foster, a única vidraça que sobra é Dilma, e consequentemente seu governo. A tática de negar as mensagens recebidas, arquivadas nos computadores, impossíveis de serem adulteradas, não daria certo. Negar as denúncias de Venina alegando que nunca foi usada a palavra corrupção é colar na testa de cada brasileiro uma etiqueta escrita "otário". Presidentas Dilma e Graça: um bom estudante com o segundo grau completo sabe o que são sinônimos. Palavras que têm o mesmo sentido e forma diferente, mas com o mesmo significado. As palavras usadas por Venina, uma pessoa extremamente culta, diferente da pessoa com estudo e pouca cultura, usadas no texto das mensagens eletrônicas e no diálogo direto está repleta de sinônimos que de forma polida deixam claro para qualquer pessoa minimamente culta que estavam sendo denunciados atos de corrupção, desvios de verba, roubo, maracutaia, tramoias. Posso citar mais sinônimos, se for necessário, mas descendo a escada da moralidade até onde os sinônimos podem chegar para dizer claramente. Foi denunciada corrupção, e as senhoras presidentas, de mãos dadas, nada fizeram, cientes de que na escala de poder eram duas presidentes contra uma "funcionária qualquer" que convocou toda a Petrobrás honesta, a imensa maioria, a denunciar tudo o que está ocorrendo de errado na empresa, mas tendo o cuidado de usar as palavras certas: desvio de verbas é sinônimo de roubo de dinheiro e quem rouba é ladrão. Então, quem for denunciar esqueça a delicadeza e fale claramente: fulano de tal está roubando, se houver testemunhas, melhor, se houver fotos, anexem à denúncia, pois, se não for assim, a vítima pode ser você. Gostaria de desejar um final de apuração dos fatos com a merecida punição dos culpados, sua condenação e o ressarcimento do montante desviado. (É duro escrever o que se pensa utilizando os malditos sinônimos. Saem as palavras, mas o nó na garganta continua!)
 
Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br  
Osasco 
 
*
GRAÇA MENTE
 
A comprovação de que Graça Foster está mentindo quando diz que não foi alertada por Venina dos problemas na Petrobrás é que, sabedora de que não teria como fugir do seu envolvimento nas falcatruas, mesmo que por omissão, ou por ter fechado os seus olhos para o que estava acontecendo, passou os seus bens para o nome de filhos logo que estourou a Operação Lava Jato. 
 
Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com  
Rio de Janeiro  
 
*
NO MUNDO DA LUA
 
Graça está em outro espaço, talvez na Lua, quando fala que Venina não falou em corrupção, fraudes, cartel e outros. A presidente da Petrobrás pensa que está falando para um povo sem inteligência, mas que lê e entende que superfaturamento, comissão e nota fiscal fria são também meios de corrupção, conhecidos também como mão grande. Ela e os petralhas precisam entender que no Brasil ainda tem gente do bem.
 
Wagner Monteiro wagnermon@ig.com.br  
São Paulo 
 
*
A LISTA
 
Em entrevista ao jornal chileno "El Mercúrio", a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Brasil não vive uma crise de corrupção. Pela primeira vez foi sincera, o País não vive uma crise de corrupção, mas está infestado desse cancro maldito. Só não eclodiram outras crises porque outras estatais ainda não começaram a ser investigadas. Esta semana, no café da manhã com jornalistas, Dilma disse que vai consultar o Ministério Público antes da nomeação de futuros ministros, com a seguinte pergunta: "Há alguma coisa contra fulano que me impeça de nomeá-lo"? Sugiro à presidente que forneça ao Ministério Público uma lista com dez ou mais nomes para cada ministério disponível e, mesmo assim, correrá um sério risco de ouvir dos procuradores, em resposta ao seu questionamento, que nem fulano nem beltrano nem ciclano estão aptos para assumir qualquer cargo de responsabilidade, que a folha corrida na Justiça é imensa. Aí cairá a ficha (será?) de que a maioria dos políticos está mais para a Papuda do que para uma vida pública honesta.   
 
Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com  
Jundiaí  
 
*
SEM CORAGEM PARA A VERDADE
 
"O Brasil não vive uma crise de corrupção, como dizem alguns. Nos últimos anos, começamos a pôr fim a um largo período de impunidade. Isso é um grande avanço para a democracia brasileira", disse a presidente, após ser questionada sobre se o escândalo na Petrobras pode afetar a estabilidade política necessária para o segundo mandato. É muita leviandade dizer que o País não vive uma crise de corrupção. Então o mensalão e o petrolão, do período petista, inexistiram na visão dissimulada de Dilma Rousseff? Trata-se de uma governanta impostora e que não tem coragem de assumir responsabilidade para falar a verdade. Se não fosse a mídia investigativa denunciar as falcatruas do PT, o povo não ficaria sabendo de nada, nem a Polícia Federal, Ministério Público e Judiciário teriam intervindo. A verdade é que o governo petista jamais teve a iniciativa de investigar alguma irregularidade. Assim, a presidente Dilma blefa vergonhosamente e tenta vender uma imagem irreal, no exterior, do momento corrupto brasileiro. Depois da bombástica entrevista com a ex-gerente da Petrobrás Venina Velosa da Fonseca no programa "Fantástico", da Rede Globo, no domingo (21/12), qual é a justificativa para não ser demitida a presidente da Petrobrás? Poucas vezes se viu alguém com riqueza de detalhes e firmeza confirmar que fez pessoalmente alerta sobre irregularidade na estatal. Só a falta de respeito com o povo brasileiro pode levar a presidente Dilma Rousseff a declarar no Chile que inexiste crise de corrupção no País.
 
Júlio César Cardoso juliocmcardoso@hotmail.com  
Balneário Camboriú (SC)
 
*
CRISE VENENOSA
 
Em recente artigo publicado neste jornal (22/12, A2), o jurista Modesto Carvalhosa constata que Dilma Rousseff não pretende abrir processos penais administrativos contra as empreiteiras envolvidas no "petrolão". Nega-se, assim, a aplicar a Lei Anticorrupção e fere, portanto, o Artigo 85 de nossa Constituição, que a obriga a cumprir as leis. Corre o risco de sofrer um processo de impeachment. No café da manhã com os jornalistas, esta sra. saiu-se com a pérola de que consultará o Ministério Público sobre a probidade dos amigos que pretende indicar para seu ministério... Nesse mesmo evento, disse ela que vai mudar o Conselho de Administração da Petrobrás, abusando vergonhosamente de nossa inteligência, ao mencionar que "nós não admitimos na Petrobrás indicação política". Devia estar febril... A lista diária de despropósitos pode ser aumentada "ad nauseam". E essa sra. tem ainda o desplante de declarar ao jornal chileno "El Mercurio" que o "Brasil não vive uma crise de corrupção". Realmente, sob seu comando e do PT, nunca dantes neste país a corrupção gozou de saúde tão robusta e vicejante, ao ponto de a outra "presidenta", a da Petrobrás, praticamente exigir B.O. das falcatruas denunciadas pela gerente Venina Velosa da Fonseca...
 
Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br  
São Paulo
 
*
ANISTIA DA CORRUPÇÃO
 
Palavras de Dilma: "Chegou a hora de firmarmos um grande pacto nacional contra a corrupção...". Cheira mal tal proposta. Minha leitura é de que ela pede que se passe uma borracha no que foi feito e que, daqui para a frente, nada vai acontecer. Claro que vai. A turma ficou mal acostumada. Então só um corretivo forte, e não sentenças ridículas, bem como a descoberta do capo é que minimizará a corrupção daqui para a frente. No fundo ela quer uma anistia para os corruptos. Tudo deve ser apurado, doa a quem doer. "Nunca antes" no mundo se viu uma proposta tão indecente.
 
Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com  
Rio de Janeiro
 
*
ESTÁ MUDANDO
 
A corrupção, durante séculos, esteve presente nos mais diferentes setores deste imenso Brasil. Mas, para muita gente, corruptos são os políticos e quem lida com verbas públicas. Pelo visto o quadro está mudando. O escândalo envolvendo dirigentes da Petrobrás está incriminando também empresários que há longos anos atuam em obras públicas. Que tais fatos sirvam para motivar a criação de mecanismos que acabem com as falcatruas, que punam corruptos e corruptores. 
 
Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos
 
*
O QUE ESPERAMOS DA OPOSIÇÃO
 
A oposição ao governo está cogitando criar uma outra CPI para "aprofundar as investigações das denúncias que envolvam a Petrobrás". Não percam mais tempo com esse assunto, pois as apurações já estão muito adiantadas e bem conduzidas pelos órgãos competentes, tais como Polícia Federal, Ministério Público e Justiça Federal. Agora, a oposição precisa se organizar e se preocupar em dar continuidade ao trabalho já realizado, punindo todos os políticos envolvidos no Petrolão com a cassação dos mandatos e o impeachment da presidente Dilma. É isto que nós esperamos da oposição e dos políticos honestos da base aliada: um trabalho sério e responsável, para salvar um pouco da nossa dignidade. Chega de impunidades.
 
Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br  
Americana
 
*
CARTÃO DE NATAL
 
Cadeia para os parlamentares e empresários já aceitos pelo ministro do STF Teori Zavascki como envolvidos nos escândalos do mensalão e da Petrobrás. Isso é o que o povo brasileiro deseja para eles no ano de 2015. Se possível, junto com os delatores. Esse é o cartão de Natal que "eles" receberão da maioria do povo brasileiro.
 
Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br  
Volta Redonda (RJ)
 
*
MINISTÉRIO DO GOVERNO DILMA

Gilberto Kassab no Ministério das Cidades é um presente ao ex-prefeito de São Paulo, que não conseguiu se eleger senador. Desempregado, arrumou uma boquinha, assim como Elder Barbalho, que não foi eleito, e Eduardo Braga, dois que também ganharam ministérios no próximo governo. Muitos são os partidos, o queijo precisa ser fatiado aos ratos de plantão. Como se pode notar, não são a eficiência nem a competência que importam. O que conta são as indicações políticas e a preservação dos empregos dos aliados derrotados nas urnas.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
EXPERIÊNCIA

Na minha opinião a "presidenta" Dilma Rousseff acertou na escolha de Helder Barbalho para ser o  ministro da Pesca. Com a farta experiência que seu pai, o ex-senador Jader Barbalho, teve como criador de rãs, presumo que Helder tenha adquirido experiência na criação de peixes também.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
JAQUES WAGNER NA DEFESA

Amigos militares revelaram, logo após a indicação de Wagner, surpresa e satisfação. Qualquer nome que não um dos "aloprados" seria bem aceito no lugar de Celso Amorim. Amorim destruiu o Itamaraty e jogou as Forças Armadas no lixo da República. Sugou delas tudo o que podia e as abandonou diante de uma Comissão (abjeta) da Verdade, transformou-as em polícia do Rio, deixou o seu pessoal à míngua em termos salariais e de moradia e degradou o seu sistema de saúde. Mas o pior mesmo foi a falta de solidariedade com os que deveria liderar, a quem sempre mostrou desprezo. A gente fardada sabe que nem tudo o que quer pode ser feito em seu benefício, mas um chefe (de militares) tem de dar demonstrações claras de que se importa com os seus subordinados. Não venha Wagner falar em jatos e submarino nuclear: cuide dos seus homens e mulheres, e eles cuidarão de tudo o mais. Seu tempo de Colégio Militar é um bom começo.

Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br 
Salvador

*
MINISTROS ANUNCIADOS

Equipe perfeita para disputar a repescagem da terceira divisão do campeonato piauiense de futebol de várzea. Pobre Brasil.

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo

*
INDICAÇÕES POLÍTICAS

Fiquei estarrecida com os escolhidos de dona Dilma. Francamente, é mais ou menos assim: "se ficar o bicho come, se correr o bicho pega".

Celia H. Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com 
Avaré 

*
AINDA OS 39

Se alguém tivesse alguma esperança neste governo, ela acabou de deixar de existir, continuam os 39 ministérios, que mais parecem um filme de horror.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br
São Paulo

*
SEGUDO MANDATO
 
Somos um país fantástico: elegemos o mesmo governo para nos destruir novamente...
 
Luiz Ernesto Otero Mello  luizeom@terra.com.br  
São Paulo
 
*
CONSULTA AO MINISTÉRIO PÚBLICO
 
"Que degradação institucional! Nossa presidente vai consultar órgão de persecução criminal antes de nomear um membro de seu governo!" Assim reagiu Joaquim Barbosa à notícia de que Dilma Rousseff pretendia consultar o Ministério Público antes de confirmar a nomeação de novos nomes para seu ministério. Quer dizer, quando interessa manter alguém no poder, como a amicíssima e toda-poderosa Graça Foster, ela não consulta ninguém, nem mesmo a lista de presença nas falcatruas da Petrobrás, mas, se é para puxar o tapete, lá vai dona Dilma transgredir a lei, pois fornecer informações sigilosas é crime. Perguntar não ofende: foi o Ministério Público que indicou Cid Gomes para a pasta da Educação? E Ricardo Berzoini para as Comunicações? Ora, se o que já está ruim pode piorar ainda mais, imaginemos a qualidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e Berzoini mais Rui Falcão se ocupando do "controle social da mídia". Melhor festejar bastante neste ano, pois não sabemos se teremos Natal no ano que vem.
 
Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br   
São Paulo
 
*
DESCONFIANÇA
 
Chega a ser risível o apelo da presidente Dilma ao Ministério Público em busca de informações sobre a existência ou não de envolvimento em ilícitos de alguns de seus possíveis escolhidos para os ministérios. Pelo sim ou pelo não, sua desconfiança fica patente quanto à escolha de alguns dos seus subordinados. Tem a faca e o queijo na mão, mas teme que ele esteja com a data vencida, impróprio para o consumo. 
 
Aloisio A. de Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br   
Limeira 
 
*
FALIU
 
A ideia da presidente Dilma de consultar o Ministério Público antes de nomear o novo ministério é a prova da incompetência e da total falta de preparo dos assessores da Presidência. Ela que nomeie sob sua responsabilidade. Se, como disse, no Brasil não tem corrupção, qual a razão da consulta? É a falência de um governo.
 
Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com   
Rio de Janeiro
 
*
FUNDO DO POÇO
 
A presidente Dilma tem toda razão em considerar todo político um potencial corrupto. Sabiamente, Dilma pensou em consultar o Ministério Público para apurar quais de Vossas Excelências estariam aptas a assumir um ministério sem correr o risco de ver o elemento ser afastado ou preso logo depois da sua posse, como ocorreu com quase todos os ministros do seu primeiro mandato. Só faltou a presidente Dilma oferecer um mimo, uma lembrancinha, para o procurador-geral da República, que se negou a fornecer a informação solicitada pela presidente. O Brasil está rastejando na lama, nunca antes o País desceu tão baixo. Quem sabe quando o braço político da Operação Lava Jato for afastado e preso o País possa finalmente sair do atoleiro. 
 
Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br   
São Paulo
 
*
FEELING PRESIDENCIAL
 
O Ministério Público não é um órgão consultivo. Que dona Dilma se valha da mesma intuição que usou para garantir dona Graça na presidência da Petrobrás ou deixe para nomear os seus ministros só depois do carnaval.
 
Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br   
Monte Santo de Minas (MG)
 
*
QUANTO MAIS MUDA...
 
A "presidenta" parece que está com dificuldade de escolher os próximos ministros. Presidente, pare de fazer cena, o seu partido e aliados estão transbordando de pessoas competentes para assumir os cargos, são todos da mesma estirpe dos que estão saindo agora. Fique tranquila, a senhora foi eleita democraticamente e todos nós estamos sujeitos a cometer erros.
 
Jose Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com   
São Paulo
 
*
PIADA
 
Com evidente dificuldade para completar seu quadro de ministros, que tal Eduardo Suplicy e Marta Suplicy? Afinal, no país das piadas, duas a mais não farão diferença.
 
Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com  
São Bernardo do Campo
 
*
A PRÓXIMA VÍTIMA
 
Minha empregada quebrou o braço, foi ao INSS solicitar "auxílio-doença" e marcaram a perícia para o dia 2 de fevereiro de 2015. Até lá, seu braço estará bom. E terão lhe tirado o que lhe é de direito. Mas já tínhamos sido avisados: a economia que a "presidenta" pretende fazer no seu segundo mandato seria em cima dos benefícios do INSS, principalmente do "auxílio-doença" e do "auxílio-desemprego". Dito e feito! Enquanto isso, os picaretas de Brasília aumentaram seus próprios salários, causando uma cascata de aumentos Brasil afora. Viva a economia (mas minha empregada tem de ficar sem o auxílio-doença dela...)! Tem mais: na diplomação dos picaretas daqui, o presidente do TRE cita letra de música: "Vejo uma nova era com gente fina, elegante e sincera!" Não me faça rir, presidente! Não tem finura, nem elegância, nem sinceridade coisa alguma nessa gente. Tirando meia dúzia, são todos aproveitadores, querem apenas saber de grana e poder. O povo que se lixe! Minha empregada que se lixe! E vem dona Dilma, por sua vez, e joga na nossa cara que o brasileiro é corrupto por natureza. Uma ova, minha senhora! Quem rouba o País são os deputados, senadores, vereadores, governadores e prefeitos eleitos por um povo crédulo e simples. Roubam, esfolam, menosprezam o povo e fazem cara de paisagem quando alguém os aponta: "Não vi. Não sei. Não conheço. Nunca estive com este senhor". E ainda por cima querem estigmatizar gente como Joaquim Barbosa e o juiz Sérgio Moro. A próxima vítima será esta moça, Venina, que ousou abrir a boca. E que boca! Nada vai faltar à minha empregada, não vou deixar. Mas ela está sendo roubada! Pelo governo federal, que é o responsável pelo INSS. Ela e os milhares de aposentados, como eu, que recebem miséria de um governo que não tem vergonha na cara.
 
Regina H. de Paiva Ramos reginahpaiva@uol.com.br 
São Paulo
 
*
'TRAMBIQUE TAMBÉM NO FUTEBOL'
 
Sob esse título, o editorial do "Estadão" do dia 22/12 esclarece e mostra a sujeira montada no futebol profissional e que nos últimos anos aumentou significativamente, sobretudo sob o regime petista. Só os ingênuos podem acreditar não ter havido marmelada nas derrotas do Brasil de 7 a 1 e 3 a 0 na última Copa do Mundo. Ela foi criada com finalidade eleitoral e, se a Polícia e o Ministério Público inventarem de investigar, vão encontrar o paralelo Futebrás: muita sujeira, superfaturamento, desvio de dinheiro, etc. A Fifa, dona do futebol profissional, mandou no País, fez o que quis, levou grana grossa e ainda determinou: o campeão agora tem de ser europeu. E deu no que deu: Alemanha campeã, e não se discute. Os craques brasileiros, ao saberem da ordem, fingiram jogar, levando a sua vantagem em grana ou não prejudicando o seu futuro. É necessário que algum herói surja e faça como os delatores das Petrobrás: contem a verdade, agora!
 
Italo Poli Junior polijau@terra.com.br  
Jaú 
 
*
BOLA MURCHA
 
O perdão das dívidas dos clubes com o Fisco, algo em torno de R$ 3,7 bilhões, alimenta mais irresponsabilidade. O afago da impunidade era tudo de que o futebol brasileiro não precisava neste momento.
 
Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com  
Niterói (RJ)
 
*
CHUVAS E ENCHENTES
 
O atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, devagar quase parando, depois das chuvas que felizmente chegaram, disse que não deu tempo para executar as obras contra inundações. Ainda restam dois anos, será que vai dar tempo? No mínimo, ele tem dois anos para encontrar uma justificativa, enquanto nós vamos ter de aguentar mais dois anos de faixas exclusivas e ciclofaixas, que apenas estão colorindo o asfalto, mas sem nenhuma utilidade. Já foram jogados fora R$ 80 milhões para i$$o? Que exagero... Daria para fazer no mínimo 40 mil casas populares, ou mais. Afinal, quando vai mostrar trabalho? Trabalhar é bom e faz bem. A continuar com essa performance, o PT pode cogitar o seu nome para assumir a presidência da Petrobrás como única chance de recuperar ou terminar de afundar... Daí pode até perder a "graça", não é mesmo?
 
Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br  
São Paulo
 
*
ÁGUA DAS CHUVAS
 
Não entendo a razão de o governo de São Paulo não ter projetos para aproveitamento da água das chuvas que assolam a capital. Toda essa água poderia ser drenada e aproveitada, por meio de um projeto de reserva e bombeamento para centrais de tratamento. Nesta grande seca, perdeu-se uma oportunidade de iniciar esse projeto. A água da chuva nesta época seria uma aliada, se bem aproveitada, reduzindo as enchentes ao mesmo tempo.
 
Valdir Pricoli  cambuci@yahoo.com   
São Paulo
 
*
FALTA DE ÁGUA E MULTA
 
O engenheiro Benedito Braga, ao assumir a Secretaria de Recursos Hídricos, em vez de propor projetos para melhorar, mesmo que no futuro, nossos recursos hídricos, acena com a ideia primária de multar os que gastam mais água. Quem começa tão mal não pode trazer nenhuma esperança.
 
Jayme Murahovschi jmura@osite.com.br     
São Paulo
 
*
QUEDA DE ÁRVORES EM SP

Moro em Higienópolis e penso como é ótimo ver as árvores frondosas, fazendo sombra sobre as calçadas, sobre a via! E que pesar quando alguma cai, como aconteceu nos últimos dias na região. Isso não aconteceria se o prefeito Fernando Haddad (PT) caprichasse mais em plantar novas árvores, com proteção adequada contra os vândalos que as depredam e conseguisse com o governo federal mais verbas para o desenvolvimento de árvores resistentes a cupim e erva de passarinho. Isso resolveria o caso.
   
Luiz Gonzaga Mezzalira avaliadorluiz@gmail.com 
São Paulo

*
UFA, UMA BOA NOTÍCIA!
 
Finalmente o Congresso Nacional aprova um Projeto de Lei, de nº 13.058, o da Guarda Compartilhada, que contempla as crianças brasileiras com pais divorciados. Um avanço! Já que os filhos não têm culpa alguma sobre a separação do casal, agora vão poder dividir com os pais o tempo de convivência até que alcancem a maioridade. Isso pode minorar os possíveis reflexos traumáticos que uma separação pode causar nos filhos.
 
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 
São Carlos
 
*
DESCASO NA EDUCAÇÃO
 
É absolutamente ilógico e descomunal que alunos universitários que realizaram a prova do Enade ao fim do ano de 2013 (!) não possuam ainda os seus boletins de desempenho. É um verdadeiro descaso dos órgãos responsáveis (Inep/MEC) para com os alunos que, obrigatoriamente, serviram como indicadores, mas que, beirando o ano de 2015, não sabem ainda sobre o seu real desempenho. Esse fato é no mínimo suspeito. Quem ganhou o que e quanto com a realização do Enade naquele ano? É bom que as autoridades busquem a resposta a essa dúvida.
 
Lauane Almeida Alves lauane@live.com 
Curitiba
 
*
REDAÇÃO DEFICITÁRIA
 
Segundo o noticiário, um terço das escolas de Pernambuco foram reprovadas em redação no Enem de 2013. Isso é refletido nas redes sociais, quando as pessoas não aproveitam bem o espaço para formar opinião sobre qualquer assunto e preferem mostrar fotos sobre bobagens e dar respostas resumidas, como se não gostassem de escrever e de ler, mal também de muitos alunos. Até nos jornais vemos erros infantis que podem ser de Português ou talvez por falta de atenção durante a diagramação. Como eu não consegui assimilar nenhuma regra de Português na escola, aprendi a fazer essas minhas redações sofríveis como missivista da coluna de cartas, lendo e escrevendo durante os últimos 40 anos.
 
Cláudio de Melo Silva melo_riodoce@hotmail.com  
Olinda (PE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.