Fórum dos Leitores

DILMA 2

O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2015 | 02h02

O fracasso do Bolsa Família

Próximo à recondução de Dilma Rousseff ao poder, o IBGE, estranhamente pós-eleição, apresentou estudo que teria derrubado a presidente. Concluiu que o programa de transferência de renda falhou ao não permitir ao cidadão livrar-se da ajuda. Não há porta de saída no Bolsa Família, diz o IBGE. Como muitos advertiram ao governo Dilma, faltou educação, em especial profissionalizante, para os beneficiados poderem prescindir do auxílio. Pior ainda, segundo o IBGE, conforme publicado no Estadão (29/12, A3), aumentou o número de pessoas que precisam dessa transferência de renda. Ou seja, aumentou a pobreza no País governado pelo Partido dos Trabalhadores. Mais uma derrota para Dilma do PT - depois da econômica, da industrial, da trabalhista e muitas outras -, que, infelizmente, foi reeleita, embora por pequena margem de votos. A ninguém escapa que a direção do socialismo é o empobrecimento da população.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Cuidado

Dilma que obedeça sem pestanejar a tudo o que Joaquim Levy mandar. Caso contrário, perderá seu cargo rapidamente.

VALDIR SAYEG

valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

Análise rápida

Já no início do segundo governo os contribuintes brasileiros poderão sentir se a presidente deseja mesmo mudar o que aí está em nossa economia. Vai precisar cortar na carne. Há milhares de servidores públicos ligados às administrações autárquicas, milhares ligados politicamente às estatais e, ainda, milhares de cargos em comissão que podem ser extintos, para não falar nos penduricalhos existentes nos 39 ministérios. A reforma precisa ser geral, e vai doer nos milhares de integrantes do lulopetismo, o que, desde já, serve para pôr em dúvida a atuação presidencial. Os bons técnicos trazidos para o governo só nele ficarão se puderem agir de forma a pôr a economia nos trilhos devidos. É ver para crer que dona Dilma fará o necessário e oportuno e que os técnicos ficarão!

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Ministério

A "presidenta" anuncia a extensa lista dos ministros que integrarão seu segundo mandato. Mas, infelizmente, o "critério" parece ser o mesmo: fatiamento dos cargos entre os partidos que a apoiaram. Muitos nomes já citados têm problemas com a Justiça, outros, especialmente o indicado para o Esporte, só entende de carregar malas e nada sabe do assunto de sua pasta... Enfim, será a mesma salada mal temperada, com pessoas inadequadas e/ou inexperientes.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Várzea

O Íbis já não é "o pior time do mundo". Dilma montou o seu Ministério II.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Será verdade?

Ou é só um ardil? Manchete do Estadão de 30/12: Dilma exclui ala ligada a Lula do núcleo do Planalto. O mentor e alter ego da presidenta é tão maquiavélico e ela, tão pouco dotada de perspicácia (ou conivente?) que dá para elucubrar: sabedor do fiasco que foi o último e será o próximo quadriênio, ele estaria tirando o corpo fora para reaparecer, messianicamente, em 2018 como o grande artífice da redenção do País. E até com direito a herança maldita! Só que dessa vez não vai suceder a Fernando Henrique Cardoso...

RICARDO HANNA

ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

Se Dilma está se afastando de Lula, é sinal de que deve saber de coisas escabrosas sobre o padrinho político.

SERGIO DIAMANTY LOBO

diamanty18@gmail.com

São Paulo

A quem Dilma quer enganar com o desligamento da ala ligada ao núcleo lulista no Planalto? Poste é poste!

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

A farra continua

O PT está mobilizando 30 mil militantes para a festa da posse da "presidenta" Dilma. Como perguntar não é ofensa, quem vai pagar as passagens e a estadia dessa cumpanheirada?

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

ANO-NOVO

Aos nossos governantes

Palavras que nós, brasileiros, gostaríamos que fossem deletadas dos dicionários dos nossos governantes neste ano de 2015: corrupção, falsificação, aliciamento, extorsão, fisiologismo, nepotismo, clientelismo, suborno, perversão, venalidade, depravação, podridão, decadência, deterioração, conspurcação, degradação, deturpação, devassidão e mais um punhado delas. Pedimos apenas a volta das esquecidas moral e ética, deletadas desde 2002.

LEÔNIDAS MARQUES

leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e próspero ano-novo de ADS Comunicação Corporativa, Antonio Kandir, Assessoria Rosa Maciel, Aurélio Franco Guimarães - UDPR, Charles Desmartis - Grupo Carrefour Brasil, Chris Santos, Eluiz Alves de Matos - Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de São Paulo, Equipe de Relações com a Imprensa da Amil, Erreacom, Fernando Gabeira, Finep Inovação e Pesquisa, Fla Boutique, Floriano Pesaro, Francisco José Sidoti - FJS Consultoria de Infraestrutura & Associados, Galo Branco, Grupo Colorado, Gustavo Darrigran, Gustavo Loyola, Huge, Humberto Boh, Illy, Imagem Beauty International, Instituto Crispi de Cirurgias Minimamente Invasivas, Itaim Express, Jose Claudio Bertoncello, Jose Renato de Araujo (vice-prefeito de Tapiratiba), Jurema Cappelletti, Kahtia Elisa Pinto - Atelier de Ideia, Kakao Braga, Madis, Manhattan Café Theatro, Marina Lopez, Mario Ernesto Humberg - CL-A Comunicações, Marqueterie Assessoria de Comunicação, Mauricio Linn Bianchi, Menorah Rapidinhas, MKtMix Assessoria de Comunicação, Mundiware, Navarro Despachante, Ofner, Olímpia Escola de Futebol, Otavio Leite, Samuel Grossmann - Associação Brasil Parkinson, Stevita SoulMarkable Comunicação, Tatini Restaurante, Terra Mater Expedições, Theresia Miller, Unilever e World Wine.

2015 NASCE VELHO

Hoje toma posse o novo governo velho de Dilma Rousseff. Os brasileiros estão com a sensação de que quem ganhou a eleição foi a oposição, pois tudo o que Dilma rechaçou nas propostas de Aécio Neves está implantando em seu governo, com uma ressalva: o seu quadro de ministros é uma decepção. E a sua forma de consulta lembra muito o que fazem os bandidos que de dentro das prisões comandam o crime aqui fora. Dilma fez igual, segundo noticiado, recebeu José Dirceu e também consultou Valdemar Costa Neto sobre as indicações e apoios, ambos presos e condenados no caso mensalão, os presos continuam dando as cartas. Pobre Brasil, 2015 já nasce velho!

Luciana Lins lucianavlins@gmail.com
Campinas

*
DIREITOS TRABALHISTAS

Apenas uma pergunta à nossa “presidAnta”. Mexeram no bolso do trabalhador descaradamente, já pensou se fosse Aécio Neves quem tivesse feito isso? O PT iria fazer o diabo. Nunca antes na História desse país tivemos um partido tão ladrão, canastrão e incompetente.

Márcia Rossi Soares marciarossi1@hotmail.com
São Paulo

*
RECIPROCIDADE

A Dilma fez o diabo e agora o diabo está fazendo a Dilma...

César Garcia cfmgarcia@gmail.com
São Paulo

*
Ô GENTE MALDOSA!

Lendo a revolta dos leitores, em suas cartas aos jornais, sobre a promessa de campanha da "presidenta" de não mexer nos direitos trabalhistas “nem que a vaca tussa”, fiquei deveras indignada com tanta maldade: quem disse que a cria do criador está mexendo nos direitos trabalhistas? Vejam a belíssima dança das cadeiras (digna de qualquer sarau dos séculos passados) entre os agraciados com emprego nos ministérios! Fora aqueles amigos (ou cúmplices?) que foram rejeitados nas urnas! E os “cumpanheros” da finada Petrobrás? A amiga sem graça continua firme e forte na presidência da companhia, com todos os direito preservados! Além de tudo, as medidas que estão sendo tomadas hão de propiciar economia de forma a garantir as benesses e/ou pagamentos aos aliados para votações de interesse do governo! Os direitos de aliados e companheiros estão preservadíssimos e o salário mínimo recebeu o fabuloso aumento de... 8%. Querem maior felicidade para 2015?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com
São Caetano do Sul

*
DILMA 2

O vento levou as promessas de campanha e Dilma acabou tossindo. Vem aí 2015.Salve-se quem puder!

J. S. Decol decoljs@globo.com
São Paulo

*
REMÉDIO

O veterinário que descobrir um remédio para tosse de vaca vai ficar rico.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com
São Paulo

*
ANO-NOVO DA HORA!

Até o Natal, nada de estragar a festa: Dilma ficou silente sobre suas propostas e dedicou-se a refazer sua governabilidade, de certa forma substituindo alguns e deslocando outros ministros. Porém quis que o ano que se inicia começasse com novidades. E que novidades! Vetou a provação da nova tabela do Imposto de Renda que beneficiava os contribuintes. Neste aspecto vamos ver se o Congresso terá a coragem de rejeitar o veto. Modificou as regras da concessão de benefícios, tornando-os acessíveis apenas a prazo mais longo. São eles: abono salarial, seguro-desemprego, seguro-defeso, pensão por morte e auxílio-doença. Em suma, foram prejudicados o trabalhador e o contribuinte, figuras que se confundem. E, por que isso quanto aos benefícios? Para fazer caixa, manter dinheiro no caixa virtual. Será? As novas medidas, disse-se, objetivam uma economia anual de R$ 18 bilhões. Não seria melhor ir buscar os bilhões que os corruptos desviaram? Mas... isto é difícil, pois será necessário meter a mão no próprio bolso, parece. O que temos, portanto, é a política pública de como acabar com a fome: para acabar com a fome deve-se deixar morrer de fome quem tem fome. E depois, quando o povo grita, fazem-se concessões para dizer que são dirigentes bonzinhos e compreensivos, pois o que estão fazendo, di-lo o Mercadante, são "correções de distorções". Ora, há muitas distorções em outros pontos da administração pública, cuja correção representará muito mais do que "fazer caixa" para segurar as pontas... estragando, de véspera, o esperado dia de entrada do ano-novo. O que podemos esperar nos demais dias do novo ano?

Pedro Luís de Campos Vergueiro edroluisvergueiro@gmail.com
São Paulo

*
GOVERNO

Dilma 2015, mais do mesmo, obscurantismo, mentiras, corrupção, fraude, incompetência, o resto é cortina de fumaça, quem viver verá!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com
São Paulo 

*
NOMEAÇÕES FINALIZADAS

Depois de tantas nomeações de investigados, só faltava Paulo Maluf para ministro da Justiça.

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net
São Paulo

*
A MANDONA

A razão principal desse fraquíssimo Ministério escolhido pela presidenta fica bastante clara. Políticos inexpressivos para comandar todo mundo "a la Mantega". Resta saber se o Joaquim Levy, um estranho no ninho, vai se dobrar e deixar o barco afundar.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br
Teresópolis

*
FUTURO DO BRASIL

As mensagens publicadas no Fórum de Leitores do “Estadão” quando finaliza o ano 2014 transmitem as mais do que justificadas vozes de uma matiz de amargura, aflição e protesto diante da calamitosa desestabilização econômico-social causada pelo governo Dilma, agravada pelas características de impunidade, a que perdura em nosso país, e a incomensurável corrupção, desviando muitos bilhões de reais de dinheiro público tão necessário para a deficiente saúde, educação, segurança e a infraestrutura. As vozes desses leitores observam com pouca esperança e/ou ceticismo a possibilidade dum futuro melhor. Acho, infelizmente, essa tendência de pessimismo ser justificada. O emaranhado saneamento do caos dessa conjuntura criada pelos governos petistas, o que requer drásticas medidas penosas e antipopulares, dependem da interferência do Congresso Nacional, o qual com a sua passividade, se não conivência ante a grave situação criada, será o maior obstáculo. Perguntaríamos ao Lulla, "quantos picaretas tem agora o Congresso?". Sua resposta: "Hum, não sei... não sei de nada”.

Pablo L. Mainzer plmainzer@hotmail.com
São Paulo

*
CRUZ-CREDO!

Diante do que estamos assistindo, pensei em desejar um feliz 2018. Aí me lembrei numa possível “vollta”...

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br
São Paulo

*
O COMEÇO DO FIM DO PT

Esse "affair" Marta, Padilha e Juca Ferreira é o começo do fim de Marta no PT (indo para o PMDB?) e demonstra pouca influência de Lula no PT. Começa a ser, em verdade, o começo da perda de liderança de Lula nesse processo como um todo. Com o declínio de Lula o PT começa aos poucos um processo de desmanche. Bem ou mal comparando, é o mesmo que um time de futebol que depende de um só jogador para vencer a partida. À medida que Lula vai sendo alijado do processo, o PT começa a sair de cena. 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com
Avanhandava 

*
PÁTRIA AMADA

Será que em 2015 o verdadeiro gigante vai acordar? E o teu futuro espelha essa grandeza. 

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com
Casa Branca 

*
Os petistas não amam o Brasil, porque se amassem não seriam corruptos!

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*
Adeus ano velho, feliz ano-novo, rogamos que os assaltos feitos nos cofres públicos em 2014 não se repitam em 2015.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com
Jandaia do Sul (PR)

*
ANO NOVO, VIDA NOVA

E lá vem mais um, e que sejam muitos ainda por vir. Um hábito judaico é desejar a todos viver até os 120 anos, uma vez que Moisés tinha 120 anos quando faleceu e sua vida foi considerada perfeita e completa. Então, que assim seja para todos nós, mas que cada ano seja melhor que o anterior e "menos melhor, mas bom demais" que o que está por vir. Saúde e disposição. Feliz ano-novo. Shana Tovah Umetukah, ("um ano bom e doce").

Luiz Nusbaum, lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
FELIZ 2015?

Manda a boa educação que nesta época do ano desejemos e recebamos votos de um feliz ano-novo. Difícil é enxergar no horizonte do Brasil, após vermos o índice negativo da nossa balança comercial, inflação bem acima da meta e sem controle, um PIB de um país sem mandatário. Falei mentira? Os desmandos ainda não resolvidos do escândalo do petrolão, agravado agora por lesar investidores estrangeiros que já estão entrando com processos, contra a Petrobrás diminuindo ainda mais a credibilidade de investimento no nosso país, da continuidade da mesma presidente, que, quer queiram ou não, é a grande responsável por todos os escândalos que presenciamos no ano de 2014, e por último um Ministério com pessoas na sua grande maioria sem nenhuma condição técnica de estar à frente das pastas para as quais foram escolhidas. Para terminar, nós, paulistanos, ainda temos de suportar um prefeito poste, que brinca e menospreza a nossa inteligência com declarações e explicações das mais estapafúrdias sobre vários problemas que nós, paulistanos, enfrentamos por total falta de competência para gerenciar a nossa cidade. Será que estou sendo pessimista ou tenho os pés no chão?

Hilo de Moraes Ferrari hiloferrari@hotmail.com
São Paulo

*
FELIZ ANO-NOVO!

No futuro, 2014 repercutirá como uma lembrança histórica sustentada em diferentes acontecimentos de grande importância - e de grande interesse público - para nosso país. Invariavelmente, cada cidadão brasileiro se sentiu envolvido. A forma como a recordação virá, entretanto, é algo pessoal e intransferível, pois o tempo passa, mas a emoção de vivê-lo permanece em nossa memória. Tudo isso para dizer adeus, ano velho. As lembranças viram história; a história vira conhecimento. A humanidade é dinâmica o suficiente para proporcionar todo tipo de fato, positivo ou negativo. O aprendizado na vida minoriza o erro. O que podemos melhorar, coletivamente? O que você pode melhorar, individualmente? Portanto, que venha 2015 - espera-se que recheado de novidades - para alegrar nossa vida. Feliz ano-novo!

Gabriel Bocorny Guidotti gabrielguidotti@yahoo.com.br
Porto Alegre

*
NOSSO FUTURO

No penúltimo dia do ano de 2014 li o artigo de Arnaldo Jabor no "Estadão", sob o título "A Prática da Corrupção", que termina com a seguinte frase lapidar: "A corrupção cria, esculpe, organiza as imposturas, as perfídias, os sepulcros caiados, os beijos de Judas, os abraços de tamanduá, as lágrimas de crocodilo". Esse é o retrato dos nossos políticos e governantes atuais. Depois de causarem grandes prejuízos ao País e ao povo, em geral, tais como o mensalão (cerca de R$ 500 milhões), compra da refinaria de Pasadena (US$ 800 milhões), petrolão (mais de R$ 1 bilhão) e outros mais ainda desconhecidos, deixam ao povo uma herança maldita, um ano novo muito difícil, com inflação alta, desemprego, déficit nas contas públicas, violência, etc. E o que faz esse governo? Torna mais rígido o acesso aos benefícios sociais, fato que atinge, basicamente, as classes mais pobres e trabalhadoras. Por que não cortar os altos salários dos parlamentares, dos dirigentes de estatais, dos ministros de Estado, dos assessores de luxo? Por que não reduzir as enormes despesas do governo com viagens, estadias luxuosas no exterior, com o grande número de ministérios, muitos dos quais desnecessários e que só servem para acomodar os comparsas? Afinal, eles são os principais responsáveis pela situação crítica do País, mas, infelizmente, eles só pensam na manutenção do poder. Por muito menos Fernando Collor sofreu o impeachment, lembram-se? Abraços e feliz ano-novo

Roberto Sundberg Guimarães robertosun.guimaraes@hotmail.com
Campinas 

*
NOSSO 2015

Feliz Ano 2015 a todos nós - oxalá sem Marco Aurélio Garcia, o do top top, sem Gilberto Carvalho, o da m..., sem Franklin Martins, o pior jornalista que a Globo já teve, e em especial, sem o aparelhamento petista, a ser substituído pela meritocracia sem coloração partidária! Nós, 85% de brasileiros honestos e trabalhadores, merecemos.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br
São Paulo

*
REFLEXÃO E VOTOS

No frisson que todos nós sentimos nestes momentos de mudança do calendário anual, há que fazer uma reflexão sobre o futuro que nos espera. Queiram os deuses que nossas legítimas lideranças façam o mesmo e implementem ações que devem soluções factíveis a nossos angustiantes problemas, para que tenhamos um 2015 que venha em benefício de nossa generosa população.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com
Rio de Janeiro

*
A RESPONSABILIDADE DE CADA UM

O ano de 2015 precisa ser diferente. Mas para que isso aconteça é preciso começar pela avaliação sobre qual tem sido a atuação dos mais diferentes segmentos sociais em ações na busca de uma sociedade onde a relação entre pessoas tenha a amistosidade como fator preponderante. É preciso efetivamente buscar formas de mostrar um comportamento baseado na cidadania, onde os interesses pessoais e corporativos sejam colocados em segundo plano. E que prevaleça o encaminhamentos de propostas de interesse coletivo. Assim chegaremos ao fim de um ano com outro clima, que motive comemorações. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br
Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.