Fórum dos Leitores

DILMA 2

O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2015 | 02h05

Brasil cor-de-rosa

Acompanhando o pronunciamento de posse da presidente Dilma Rousseff (PT), eu me senti em outro Brasil. Ela afirmou que jamais deixou de promover investimentos e haverá a partir de agora mais recursos para a educação e outros setores sensíveis e vulneráveis. Não há dúvida que mais investimentos são sempre bem-vindos, mas sabemos que é igualmente importante empregar esses recursos de forma responsável, coerente e produtiva. Precisamos modernizar a máquina pública. Não falta dinheiro, falta boa gestão. Ela falou também sobre a corrupção. Os últimos 12 anos foram marcados por inúmeros escândalos de desvios e "malfeitos". O combate à corrupção não é favor, é obrigação de qualquer mulher ou homem público com um mínimo de senso democrático e responsabilidade. Enfim, ela desenhou um País ideal, como se o Brasil de hoje fosse maravilhoso e o de amanhã, completamente cor-de-rosa. Não vejo tantos motivos para comemorações, afinal, as bruscas alterações na concessão de benefícios trabalhistas e previdenciários evidenciam que o governo se prepara e nos prepara para um 2015 dramático e muito difícil.

WILLIAN MARTINS

martins.willian@globo.com

Guararema

Discurso de posse

Assim que a PresidenTa realizar o PromeTido no seu discurso de posse, seremos o primeiro país do Primeiro Mundo! Oremos...

NELSON CARVALHO

nscarv@gmail.com

São Paulo

Quisera eu - e milhões de brasileiros - acreditar nas palavras do discurso de posse de Dilma Rousseff e do discurso de Renan Calheiros. Os fatos e a situação do País, contudo, mostram claramente a enorme dicotomia entre as palavras e a realidade dos atos e fatos. Que a oposição seja forte e responsavelmente atuante em 2015.

LENKE PERES

Cotia

Mistificação

Em 2002, na sua posse, Lula abriu o discurso falando em mudanças. Passados 12 anos, Dilma também abre o discurso falando em mudanças. Eles mudaram o País, sim. Para pior. Aliás, Lula pode usar o discurso de posse de Dilma para sua campanha de 2018. É só retórica, não dá mais para suportar... No quesito educação, o novo slogan "Brasil, pátria educadora", com Cid Gomes e recursos do pré-sal, seria cômico, não fosse trágico.

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Forças ocultas e ETs

Finalmente, em seu longo discurso de posse, a presidenta Dilma trouxe para os brasileiros e brasileiras uma esperada explicação para os "malfeitos" na Petrobrás: "forças ocultas" nacionais e principalmente internacionais têm interesse em derrubar a estatal. Ela é que tome cuidado, pois forças ocultas derrubaram o presidente Jânio Quadros.

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

Soaria mais "sincero" e atraente a presidente Dilma pedir a defesa da Petrobrás contra alienígenas, o que, igualmente fantasioso, seria muito mais impactante, não? A presidente prefere tapar o sol com peneira a admitir que, segundo as investigações da Polícia Federal, a Petrobrás foi carcomida por dentro pela corrupta, mal-intencionada e espúria aliança entre políticos governistas, executivos da Petrobrás, empreiteiros oportunistas e sindicalistas pelegos com cargo na estatal. Isso, sim, é herança maldita para ninguém botar defeito.

FELIPE PUGLIESI JR.

pugliesijr@gmail.com

São Paulo

Deboche

A ex-presidente do Conselho de Administração da Petrobrás que autorizou a compra de Pasadena tomou posse, ontem, na Presidência do Brasil. Deboche!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Uma esperança abortada

Reafirmação do primeiro mandato seria a expressão mais apropriada para as festividades que confirmaram 16 anos de dominação política do PT. Para os 48% de eleitores que votaram na oposição, a festa do PT tem gosto de cerimônia de velório. Na verdade, a oposição comandada pelo PSDB só terá oportunidade de promover uma festa de posse presidencial quando o Sudeste e o Sul se tornarem uma unidade separatista - sonhos, devaneios, utopias, pode. A sociedade não deve acalentar grandes esperanças para os próximos anos, tendo em vista o Ministério montado por Dilma, o pior dos últimos tempos da República, mas perfeitamente entrosado no espírito de loteamento de cargos desde que a preservação do poder seja a meta a ser alcançada pelo governo. Dilma era presidente no vexame da Copa do Mundo de Futebol e agora será presidente nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Repetição de vaias e mais vexames. O Brasil não merece.

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Escolta

Manchete: governo Dilma "aposta em receitas extras, sociais e previdenciárias, para arrecadar R$ 45 bi", depois a vaca tossiu e foi pro brejo. Assim, nada mais justo que 7,6 mil homens fazendo a sua segurança na posse....

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Pacote indecente

Não é preciso ser nenhum perito em atuária para saber que uma contribuição mensal de 23% do salário (11% do empregado mais 12% do empregador), por 35 anos, é mais do que suficiente para proporcionar uma aposentadoria tranquila, sem exigir nenhum "ajuste" ou "correção de distorções", após a concessão do benefício. Desta maneira, é profundamente revoltante assistir a essas manobras estapafúrdias da Previdência Social para com o trabalhador da iniciativa privada. Porque todos sabem que o rombo absurdo e sempre crescente na Previdência Social é motivado pelos funcionários públicos, que pouco ou nada contribuem e gozam de aposentadorias integrais, sobre as quais nunca incidiram quaisquer "ajustes". Assim, mais uma vez assistimos ao lançamento de novas regras da Previdência, alterando a pensão por morte de uma pobre viúva, que passará a receber 50% da minguada pensão pela qual seu cônjuge trabalhou 35 anos; ao passo que os deputados e senadores, os membros do Judiciário e os funcionários do Poder Executivo não serão atingidos pelo novo e indecente pacote.

LUIZ ANTÔNIO ALVES DE SOUZA

zam@uol.com.br

São Paulo

___________________________________


POSSE SOB TOTAL DESCONFIANÇA

Mais um dia triste para nossa República! Dilma Rousseff, toma posse para um novo mandato sob total desconfiança da sociedade. Porque além de ter desfigurado os fundamentos macroeconômicos, assim como seu antecessor, o Lula, também se lixou para a ética. E em seu discurso de posse lhe faltou a humildade dos verdadeiros estadistas, não pediu desculpas à Nação e preferiu o uso da demagogia ao se lambuzar de frases de efeito desconexas com a realidade de seu governo! E tudo pelo poder... Como melancolicamente, e sem ruborizar a presidente pede a defesa da Petrobrás, contra "inimigos externos", quando na realidade os tais "inimigos" desta hoje destroçada estatal estão dentro do próprio Palácio do Planalto. Porque, assim como o ex-presidente Lula, a Dilma, também preferiu manter, ou indicar para os postos-chave da companhia gente de baixa estatura moral, em conluio com seus aliados. E mesmo tendo autorizado como presidente do Conselho da Petrobrás, na época, a compra escandalosa, e criminosa da refinaria de Pasadena, nos EUA, a presidente teve a coragem de afirmar em seu discurso: "Não compactuei com qualquer ilícito ou malfeito". Não satisfeita, e para nos indignar ainda mais, teve a petulância de propor um pacto nacional contra a corrupção... Se verdadeiro fosse esta sua proposta, Dilma, deveria dar o exemplo, renunciando ao seu mandato.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.coam

São Carlos

*

E OS 'INIMIGOS INTERNOS'?

Se o governo vai defender a Petrobrás de "inimigos externos", quer dizer que dentro da estatal a farra vai continuar?

Odilon Otavio dos Santos o.o.snts@hotmail.com

Marilia

¨*

TERCEIRIZANDO CULPAS

"A Petrobrás tem 86 mil funcionários dedicados, honrados e sérios. Alguns servidores não souberam honrá-la, sendo atingidos pelo combate à corrupção. (...) Temos muitos motivos para defender a Petrobrás de predadores internos e de seus inimigos externos. Por isso vamos apurar com rigor tudo de errado que foi feito e fortalecê-la cada vez mais". Palavras textuais do discurso de posse de Dilma Rousseff. Duas ressalvas. Primeira, não foram os servidores os que não "honraram" a empresa, mas agentes políticos a serviço de partidos em que estão Dilma e aliados. A servidora - esta, sim - Venina Velosa da Fonseca, por exemplo, procurou honrar seus misteres funcionais denunciando a roubalheira contra tudo e contra todos, sendo até ameaçada de morte, seguramente por algum inimigo interno. Segundo, faltou Dilma nomear os "inimigos externos" que estariam prejudicando a petroleira. Até agora, pelo que sabemos os inimigos da Petrobrás são tudo menos "externos". A esquerda velha de guerra vive à procura de um bom "inimigo externo" para usar como bode expiatório pelos seus "malfeitos": uma hora é o Fed, outra o FMI, também a "crise externa", a "guerra cambial", a "espionagem de Tio Sam" e outros fantasmas sobre cujos ombros é de bom alvitre jogar suas próprias culpas. Nicolás Maduro, presente à cerimônia, e que chegou a dizer que o câncer que vitimou Hugo Chávez era obra dos americanos, deve ter ficado orgulhoso. Só faltou algum "cumpanheiro", em plenário, gritar "fora, ianques" !

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

A POSSE DA DILMA

Pela televisão calcula-se em umas 4 mil pessoas assistindo à cerimônia da posse da Dilma. A maioria parecia ser do Bolsa Família. Quem pagou para elas irem lá? O PT deve ter gasto um prêmio da Mega Sena para promover tal espetáculo.

Ronald Martins da Cunha ronaldcunha@hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

O DISCURSO

Coitada da Dilma, esqueceram de avisá-la que a campanha eleitoral já terminou faz algum tempo e ela ainda pensa que está no palanque. Nunca antes na História deste país tinha visto Ali Babá reunido com tantas centenas de ladrões. POBRE POVO BRASILEIRO!

Claudete Nunes [nunes.claudete@yahoo.com.br

São Paulo

*

EDUCAÇÃO...

Com certeza, vai complicar a amizade da presidente Dilma Rousseff com o ex-presidente Lula e com a maioria do Congresso Nacional, ao afirmar em seu discurso de posse que só a educação liberta e que o lema do governo agora é "Brasil, pátria educadora". Só não vê quem não quer, elles detestam a educação. O que essa turma tem feito pela educação desde o ano 2002 é insignificante. Se bem que falar em brindar à educação depois de colocar Cid Gomes no ministério só pode ser brincadeira da presidente.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

TREVAS

A presidenta tomou posse de mais um mandato ridículo, de desmandos. Será um período tenebroso para os brasileiros de bem.

José Maurício jma.eng@uol.com.br

São Paulo

SEGUNDO MANDATO

No primeiro mandato, no primeiro turno e no primeiro tempo de um jogo pode-se cometer erros; no segundo, não. É tudo ou nada. Dilma tomou posse. Seja o que Deus quiser!

J.¨ S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

NOVO MINISTÉRIO

Diante da escolha de nomes tão inexpressivos para a composição do novo Ministério da "presidenta" Dilma, fica difícil não se manifestar. Em especial gostaria de comentar aqui sobre a nomeação de dois ministros: Antonio Carlos Rodrigues, que deve entender de transportes tanto quanto alguém que anda de ônibus, mas como provavelmente não se utiliza desse meio de transporte, há de se supor que não deve entender nada... O outro é o novo ministro da Defesa, Jaques Wagner, cuja nomeação representa uma afronta ao Exército e, consequentemente, ao povo brasileiro, pois, como governador do Estado da Bahia, simplesmente alterou o nome de um estabelecimento de ensino de "Garrastazu Médici" para "Carlos Marighella", ex-terrorista e provável companheiro da nossa "presidenta".

Sergio Leme Romeiro msilviagennaro@gmail.com

Campinas

*

VIOLAÇÃO DE DIREITOS TRABALHISTAS

Como nunca antes visto na História do Brasil, a vaca tossiu.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

MALDADES

Sem entrar no mérito da questão de que a vaca tossiu, esta é mais uma prova que o segundo mandato é o pior deles. No primeiro abrem o saco de bondades, fazem demagogia, e no segundo abrem o saco de maldades, tomam tudo de volta e ainda acrescentam mais maldades. Quem tem que ver isso são os eleitores da presidente Dilma, embora atinja a todos. Mas o que eu gostaria de dizer é que o PSDB, oposição, vocifera dizendo que votará contra as medidas e recorrerá ao Supremo. Bem, refresquemos a cabeça deles. O fator previdenciário foi instituído no governo de quem? FHC. A aposentadoria, limitada a 10 vezes o valor de referência, também foi no governo FHC. Obrigando o trabalhador a ter que aplicar em VGBL ou PGBL, sob pena de ter seu padrão cair consideravelmente. Mas o PSDB é contra simplesmente para ser contra? Por acaso ele acha certo o abono do PIS, ser pago, como é, com apenas um mês de trabalho do trabalhador? O seguro-desemprego ser pago com apenas 6 meses de trabalho? A Pensão ser paga vitaliciamente a viúvas/viúvos e sem relação com o número de dependentes? Não acha que isto é uma farra não? A única medida que eu não concordo é aumentar para 30 dias o custo do trabalhador afastado para o empregador. Acho que desde o 1º dia de afastamento já tem que ser por conta do INSS. Afinal o empregador vai ter que arcar com custo de quem não está produzindo. Não é correto. Para que então o empregador paga seguro e outros encargos ao INSS? Continua o PSDB mostrando total despreparo e agindo como partido nanico.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ARROCHO SOCIAL

Mercadante disse que as medidas de arrocho social não afetam a população. Então, de onde sairão os R$18 bilhões que serão economizados?

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com

São Paulo

*

GOVERNO NOVO?

A relação dos "novos" ministros (e partidos) escolhidos por Dilma mostra que ela só procura os próprios interesses/benefícios e o povo que se lixe. Esse é um governo velhíssimo, do qual nada devemos esperar. Mas se não houve trambiques na apuração (da eleição), como corre na web, o povo que a escolheu merece.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

CADÊ AS COTAS?

Após a confirmação dos novos ministros para o segundo mandato de dona Dillma, igualmente como já ocorrido no primeiro, a hipocrisia PeTralha também é confirmada. Para tudo os petistas impõem cotas de 20% para negros, mulatos e índios, entretanto, dos 40 ministros temos apenas uma negra empossada e na cúpula do partido, nenhum. Cadê o bom senso? O exemplo não tem que vir de cima? Não deveríamos ter pelo menos oito ministros negros, mulatos ou índios? Também, depois que a vaca PeTralha tossiu só falta ir para o brejo.

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

NANISMO

A nomeação do embaixador Mauro Vieira, novo chanceler a comandar nossas relações exteriores, terá o próprio poder para pôr nossa diplomacia de acordo com nossa História? Autoridade tem, todavia nossa política exterior durante o petismo esteve a serviço do Foro de São Paulo, operacionado pelo bolivarianismo sob comando, de fato, do cubanófilo Marco Aurélio Garcia de péssimas lembranças. Estando sempre na contramão dos países preocupados com o próprio desenvolvimento, o próprio bem-estar e o respeito à democracia, o petismo voltou-se para os venezuelanos, cubanos, bolivianos e argentinos, que nos exploram e, tal qual o Brasil, encontram-se em frangalhos econômicos e morais, mostrando pela enésima vez no que dá o socialismo, delirantemente, acreditando criar uma força anã a enfrentar os mais poderosos.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

PIADA PRONTA

Domingo à tarde, na loja M.A.C. do Shopping JK Iguatemi, estava Guido Mantega comprando maquiagem. Será que era para as contas que entregará ao Lewy?

Luiz Carlos Moreira lcm@tableau.art.br

Vargem Grande Paulista

*

DILMA 2

O pretenso afastamento de dona Dilma de Lula nada mais é do que o primeiro ato do teatro encenado visando a volta do "criador" à Presidência em 2018. O segundo ato será igual ao que Collor e Sarney encenaram em 1990, uma pretensa briga entre os dois quando o segundo mandato dilmista começar a afundar. Caso isso não ocorra, os dois se apresentarão de "abraços e beijos" na campanha para a Presidência em 2018, que agora eles iniciam.

José Gilberto Silvestrini jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

*

ANO DO BASTA!

Acabando por ter de arcar com o resultado da incompetência e ladroagem do atual governo e seus mancomunados, começamos o ano de 2015 com aumentos de tarifas, cortes de benefícios, uma previsão de ano dificílimo e uma porção de outras medidas para lá de amargas. Só uma pergunta cabe aqui. Por que os governantes não começam por cortar na própria carne? Quando escutamos que uma Roseana Sarney, dentre muitos, vai receber aposentadoria que ultrapassa R$ 50 mil mensais, entendemos que é prioridade e dever finalmente mexer nessa indecência, nessa injustiça, nessas leis ordinárias que trabalham contra os brasileiros. Por que tirar da população e não desses governantes que espoliaram o País, acumulando riquezas por décadas e vivendo vida de reis? Hora de trabalhar para e pelo povo e corrigir essas iniquidades, essas distorções imorais, essa sem-vergonhice na cara de todos. A agenda de 2015 deve começar por aí!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2018

Foi dada a partida para as eleições de 2018 É preciso saber como cada um dos partidos recebeu as unidades da Federação sob sua responsabilidade nos seus diversos aspectos, inclusive situação do caixa. Quais os critérios para escolher os secretários. A partir de agora, acompanhar as providências que serão implementadas e os resultados que gradativamente forem sendo obtidos. Assim, estaremos avaliando a capacidade de gestão de cada partido e nos preparando para as eleições de 2018. NÃO VAMOS DESISTIR DO BRASIL!

Alfredo M. Dapena alfredomdapena@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ROTO E RASGADO

Dilma em campanha prometeu austeridade e respeito ao dinheiro público. Resumo da ópera: os 39 ministros continuam firmes e fortes, e gastando. Por outro lado, a oposição, no governo de Geraldo Alckmin, continua com 25 secretarias também gastando. Ou seja, não temos, na verdade, opção política no País. Na oposição tudo vai ser feito, já no poder, vinde a mim os parasitas e "cumpanheiros", afinal todos os políticos brasileiros querem mesmo é se dar bem.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

AGORA É NOSSO!

Assisti à posse dos novos eleitos, todos felizes, satisfeitos, saciados. As esposas sorridentes, já antevendo um futuro glorioso, novas compras, novas amigas, e os maridos nem disfarçavam a alegria: ,agora o "butim" é nosso!

Celia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

AINDA O ADEUS AO ANO VELHO

Ao término do ano 2013 eu estava otimista quanto ao ano novo de 2014, pois além da economia no ano que se findava ter sido péssima, fechamos com um PIB - Produto Interno Bruto de 2.3% , o ano então vindouro de 2014 teoricamente não poderia ser pior, pelo contrário deveria ser melhor pois imaginava-se algumas providências da área econômica do governo pois seria um ano de campanha eleitoral e a Presidente seria candidata à reeleição; nada mais que normal se algumas melhorias na vida dos brasileiros ocorressem, especialmente nas áreas da saúde, segurança, estabilidade econômica, juros em queda e providências enérgicas no âmbito do governo federal para estancar a corrupção que abalara a nação com o escândalo do mensalão. Reforçava-se esse sentimento o fato de ser um ano de Copa do Mundo e, o mais importante, seria no Brasil; certamente o governo esperava que a seleção canarinho fosse campeã a que lhes renderiam muitos créditos e agradecimentos do povo em forma de votos ao governo no poder. Mas para o desespero da classe empresarial, tanto da indústria, do comércio e de serviços, não houve melhora alguma, ao contrário pois foi um ano muito pior que o anterior. Resultado disso é o PIB de 2014 que deverá fechar em torno de 0,2% e ainda de quebra fechar a balança comercial do ano com déficit, o que não ocorria há 14 anos, o déficit acumulado de janeiro a novembro já era de US$ 4,2 bilhões. Outro termômetro foi o resultado da indústria nacional que encolheu 2,5%. Quanto a inflação e os juros melhor considerar as apontadas pelos bolsos dos consumidores, tudo subiu assustadoramente e os volumes de compras nos carrinhos dos supermercados reduziram e o preços subiram assustadoramente ; quanto aos juros do cheque especial, dos cartões de crédito e do crédito pessoal subiram a níveis que há muito não se viam. Quanto a Copa do Mundo foi um ano paradisíaco às construtoras e aos controladores das verbas. Gastaram-se o previsto e verbas extras intermináveis. Foram construídos e ou reformados verdadeiros elefantes brancos a um custo faraônico que jamais serão reutilizados em sua potencialidade, o que provocou críticas dos brasileiros de norte a sul do País. Ainda para complementar o Brasil não saiu campeão e sim humilhado após a derrota de 7 x 1 para Alemanha e de 3 x 1 da Holanda, não ficando nem em terceiro lugar. A economia então já capenga, piorou em muito com o evento, pois foram dias mais dias de negócios parados e o consequente efeito cascata em toda economia. Depois da Copa do Mundo chegou a campanha eleitoral para Presidência, governadores, Assembleias Legislativas e estaduais e federal e para o Senado Federal. Ai travou toda a economia em nome da campanha; medidas corretivas foram proteladas, aumentos de preços de energia e combustíveis foram represados, ficando tudo para após as eleições, como se numa economia de mercado as ações de governo pudessem interagirem quando bem entendessem. Quando a Nação brasileira imaginava e se escandalizava com o mensalão, em 2013, como se fosse o maior escândalo de corrupção que o Brasil já vira, em 2014 surgiu o escândalo da Petrobrás, o petrolão. A Polícia Federal (PF) mais uma vez presente desencadeia a Operação Lava Jato que estremece os alicerces de sustentação da democracia brasileira. Segundo a imprensa nacional e internacional trata-se não só do maior escândalo de corrupção do Brasil e sim do maior do mundo contemporâneo. O ano velho se foi há algumas hora, já estamos no ano novo, que a exemplo dos réveillons anteriores os brasileiros comemoraram a sua chegada. Quiçá possamos daqui a um ano fazermos um balanço positivo do ano que se inicia.

Gilson Marcio Machado gilsonmmachado@hotmail.com

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.