Fórum dos Leitores

DILMA 2

O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2015 | 02h02

Por mixaria

Dilma manda ministro (do Planejamento) desmentir mudança no reajuste do salário mínimo. Realmente, este governo parece um saco de gatos. De qualquer modo, com ou sem mudança, vão continuar discutindo esmolas de alguns míseros reais!

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

Irritada com Barbosa

A primeira bronca a gente não esquece... O público não há de estranhar a reprimenda da presidenta, tão própria da personalidade truculenta e rude da ex-guerrilheira não afeita ao contraditório. Resta saber de que escol são feitas a convicção e a moral do seu ministro do Planejamento. Essa será a oportunidade de Nelson Barbosa mostrar a que veio: se para obedecer ordens ou defender um plano que - quero acreditar - foi traçado antes de considerar assumir a pasta.

MANOEL ILDEFONSO PAZ LANDIM

milandim78@gmail.com

Jales

Vaquinhas de presépio

Presidenta, sem lhes conceder autonomia para eles poderem exercer as suas atividades, para que ter ministros?

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Sonho de controlar a mídia

Duas vezes engraçado: ver Ricardo Berzoini ministro das Comunicações e, mal tomou posse, ouvi-lo falar em controle da mídia! Toda vez que o PT quer tomar uma atitude inconstitucional, eles falam em "conversar com grupos sociais". Provavelmente ainda sonham com a tal "Constituinte" que vivem defendendo, já que o PT entra nesse governo apequenado e desmoralizado! Seria melhor Berzoini se preocupar com sua defesa no caso Bancoop, de onde roubaram mais de R$ 100 milhões para eleger o "mentor" em 2002. Provavelmente ele sairá do ministério para fazer companhia aos mensaleiros na Papuda! Dá para acreditar numa figura dessas falando em controle da mídia?

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Piada

Ver esse despreparado e incompetente Berzoini dizer que fará debate sobre a regulação da mídia, cuja proposta lulopetista nem ele deve saber, realmente é uma piada.

SERGIO DIAMANTY LOBO

diamanty18@gmail.com

São Paulo

Soltaram cabrito na horta

O ministro Berzoini mal assumiu e já levou o PMDB a declarar ser absolutamente contra a pretendida regulamentação. O sonho do PT é poder esconder as suas mazelas e safadezas.

CANDIDA BARROS

candy.barr@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Negar sempre

"A honestidade fingida é desonestidade dobrada" (Publílio Siro). Em sua despedida da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, ao declarar "não somos ladrões", admitiu que o governo sabe muito bem o que as parcelas mais lúcidas da sociedade pensam dos atuais inquilinos do Planalto. Nunca antes na História deste país um secretário-geral de governo (!) se viu forçado a negar ladroagem. Não custa lembrar, quase todos os condenados na Justiça negam suas malfeitorias, a começar pelos mensaleiros do PT, os "heróis do povo brasileiro"! Carvalho perdeu ótima oportunidade de ficar calado, já que as evidências divulgadas na mídia - que o PT, valendo-se de subterfúgios, insiste em calar - dizem o oposto. Durante sua gestão à frente da pasta o ex-ministro cometeu vários sincericídios, deixando Dilma em saia-justa. Teria sido melhor para ele e para o governo que ele se empenha em defender que, depois de tudo, saísse de fininho, na miúda, sem desabafos nem polêmicas. Ninguém é bom juiz em causa própria e honestidade não se proclama, pratica-se.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Confissão

Mais sincericídio, impossível. "Excusatio non petita, accusatio manifesta".

JORGE ZAVEN KURKDJIAN

zavida@uol.com.br

São Paulo

Carapuça

O fato de o ex-ministro Gilberto Carvalho dizer "não somos ladrões" não implica nada. Acontece que a carapuça vem servindo bem em quem entra, fica ou sai da equipe do atual governo. Ficou a imagem que vale por milhões de negações.

EDNEI SEGATO

ednseg@gmail.com

São Paulo

Más companhias

Se Gilbertinho não é ladrão, no mínimo, é incompetente! Como ex-seminarista, deve conhecer o ditado "dize-me com quem andas e te direi quem és".

CESAR ROMERO GALARDO

crgalardo@terra.com.br

São Paulo

Quadrilha dos pobres

Tem razão Gilberto Carvalho ao dizer que faz parte da quadrilha dos pobres, pois a cúpula do PT e comparsas instalados nas empresas públicas não pertenciam às classes ricas até se locupletarem com o dinheiro do mensalão e do petrolão. "Quem fala a verdade não merece castigo".

FLÁVIO BATISTA

f22batista@gmail.com

São Paulo

Pirotecnia verbal

O que se produziu de frases de efeito nesse governo dá para compor enciclopédias de asneiras. O problema não está nos efeitos das frases, mas nos defeitos dos atos. Fiquemos em apenas duas correlacionadas. Quando era um poderoso ministro do PT, disse José Dirceu: "Este governo não rouba nem deixa roubar". Desmentido, acabou cumprindo pena simbólica, na Papuda com outros membros do partido, sendo aclamados como heróis por seus correligionários. Agora outro ministro petista vem bradar para essa costumeira claque: "Não somos ladrões". Pelo andar dos processos em andamento envolvendo seus pares, temos de prever que em breve haverá aumento de cumpanheiros naquele presídio.

EDISON RIBEIRO PEREIRA

edisonribeiro@hotmail.com

São Paulo

JABUTICABAS

Extintores ABC

Será que aceitarão como parte de pagamento estojos de primeiros socorros e algumas tomadas e benjamins antigos?

SERGIO BALDASSARINI

sergiobaldassarini@terra.com.br

São Paulo

O CIRCO
Quem tinha alguma esperança com a entrada no circo de uma nova fera, com a volta de uma já meio domesticada e com a permanência de uma bem comportada, pode ir perdendo o otimismo. A domadora continua com sua arrogância, incompetência e ignorância a comandar o espetáculo desse circo, que envergonha essa arte tão popular. A fera que voltou acaba de levar uma paulada que a fez, humildemente encolhida, com o rabo entre as pernas, voltar ao tamborete de onde tinha emitido um suave rugido, no dia de sua volta ao espetáculo. A fera bem comportada, por bem domesticada, nada estranhou do ocorrido. Quanto à fera recém-chegada, deve, no mínimo, estar pondo as barbas de molho. A nós, pagantes desse espetáculo sem graça e deprimente, só resta esperar que o circo pegue fogo e acabe com esse espetáculo mambembe que já dura 12 anos. As feras terão vida mais amena quer na selva do mercado, quer no aconchego das jaulas acadêmicas.
Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br
Campinas 

*

A PRIMEIRA HUMILHAÇÃO
O ministro Nelson Barbosa, do Planejamento, um dos poucos escolhidos fora dos partidos e, portanto, com competência para a pasta para a qual foi indicado, foi humilhado publicamente pela presidente, fazendo-o voltar atrás na sua afirmação sobre o reajuste futuro do salário mínimo, apenas após 24 horas da sua posse. Não que a declaração do ministro fosse equivocada, muito pelo contrário, trata-se de proposta inserida na tarefa de equilibrar as contas públicas. Acontece que a presidente teve mais um chilique, pensando, como sempre faz, na sua cotação junto ao eleitorado. Além de um mau começo, essa humilhação tira força do ministro nas futuras declarações e atos no ministério. Com o currículo que tem de bons serviços prestados, me surpreende que tenha aceitado essa situação. Esperava dele uma reação diferente, que mantivesse sua dignidade pessoal. Acredito que um pedido de demissão seria a atitude mais adequada. Começa mal a vida de um dos dois ministros confiáveis do governo recém-empossado.
Celso Battesini Ramalho leticialivros@hotmail.com
São Paulo 

*

Dilma desautoriza mudanças no salário mínimo. Mal iniciou seu mandato e Dilma já interfere nas decisões do ministro Barbosa. Pelo visto teremos mais uma divina comédia de governo."Lasciate ogne speranza, voi ch'intrate"- Canto III.
Airton Moreira Sanches moreira.sanches@uol.com.br
São Paulo

*

O FUTURO DA ECONOMIA NACIONAL
Nos primeiros dias do novo ano, as pessoas conscientes estão com a inquietante expectativa do que se passará neste decisivo ano 2015 com o programa decidido para restaurar a estabilidade econômico-financeira do País, requerendo a tomada de drásticas, penosas e impopulares medidas. Os seus atores de atributos e objetivos tão opostos, se não antagônicos, não permitem grande esperança de sucesso nos tão prementes desígnios. Esperemos que a evolução do programa não se assemelhe ao show de uma conhecida dançarina do ventre com movimentos para a frente e para trás, ao irregular compasso da música escolhida pela regente de uma banda desafinada, resultando na irritada interrupção da bailarina, correndo à porta de saída!
Pablo L. Mainzer plmainzer@hotmail.com
São Paulo

*

APENAS QUATRO DIAS!
Mal começou o ano, mas não precisamos esperar mais nenhum minuto para perceber que Dilma insistirá, em seu segundo mandato, com seu jeito desastroso de governar. Desde o começo da era petista, o salário mínimo sobe mais que a produtividade, estagnada por incompetência governamental, atiçando a inflação, todo ano beirando os inaceitáveis 6,5%. Quando o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, anuncia querer corrigir essa distorção, é imediatamente censurado pela chefe! E não passaram nem 4 dias desde a posse dos ministros! É Dilma fazendo jus à pérola de seu discurso de posse, tornando as distorções aqui referidas "ainda melhores"!
Daniel Arjona de Andrade Hara haradaniel734@gmail.com
Griesheim bei Darmstadt (Alemanha)

*

O MESMO DO MESMO
A lambança continua. Governo Dilma determina que o novo ministro do Planejamento desminta alterações sobre o cálculo do salário mínimo. Dilma coloca no Ministério do Esporte ministro que se confessou "divorciado" da pasta, preferindo substituir o anterior que, mal ou bem, estava mais familiarizado com o tema para a realização da Olimpíada. Assim só nos resta aguardar o desempenho dos demais desconhecidos nomeados nesses 39 ministérios. Que tenham, no mínimo, "cacoete" para exercer suas funções. 
Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 
São Paulo

*

ALEA JACTA EST - 2
Apesar do evidente estelionato eleitoral, faltou "coragem" ao brasileiro de bem para impedir a posse, com a mídia e até os comentaristas mais lúcidos espezinhando quem apenas pensasse em intervenção militar... Já no terceiro dia do "novo governo" a presidenta desautoriza um de seus mais importantes ministros e manda manter tudo como era antes? Negras perspectivas para o Brasil! Alea Jacta Est...
Gilberto Dib www.dib.com.br
São Paulo

*

O RECUO DE BARBOSA
Com relação ao sistema de reajuste do salário mínimo, foi inexperiência de Nelson Barbosa, ministro do Planejamento, quando falou a respeito ou um recado de dona Dilma: "quem manda sou eu"? Coisas assim devem ser tratadas em particular, e não em público, de modo a constranger um ministro. Vamos ver até quando os ministros da área econômica vão aguentar os desmandos, caprichos e chiliques da presidente Dilma Rousseff? Mantega aguentava, mas Mantega era outra coisa. Pessoas sabidamente inteligentes e competentes em suas áreas não vão aturar broncas e submeter-se a constrangimentos públicos. Isso é para companheiros menos esclarecidos. 
Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com
Santo André

*

Esperamos que, por amor à Pátria, os ministros da área econômica não chutem o pau da barraca!
Cristiano Walter Simon cws@amcham.com.br]
Carapicuíba

*

SINAIS QUE NADA MUDOU
Muito cedo para saber se a retratação do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, sobre o "salário mínimo", obrigado pela presidenta gerenta Dillma, foi por submissão ou "amor à Pátria". O tempo dirá, mas pelo jeito a equipe econômica recebeu o primeiro recado da presidenta: "Quem manda aqui sou eu e não admitirei nenhuma insubordinação"! Será muito triste percebermos que pessoas idôneas e comprometidas em salvar o País dos quatro anos de incompetência da "rainha mãe do empacado PAC" venham a se subordinar aos destemperos e cretinices já vistos no primeiro mandato e que levaram o País inteiro à bancarrota! Se ordens destrambelhadas forem recorrentes, que façam demissão em massa e deixem a presidenta gerenta incompetenta à própria sorte! Doa a quem doer!
Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br
São Paulo 

*

ALGUMA DÚVIDA?
Se algum brasileiro, ainda tinha alguma duvida, esta ai na primeira pagina deste jornal, a confirmação de que quem tomara as decisões será a rainha.
Benedito Antonio Turssi turssi@ecoxim.com.br
Ibaté 

*

DITO PELO NÃO DITO
Seguinte: Joaquim Levy reagiria da mesma forma diante do puxão de orelha presidencial que Nelson Barbosa aceitou tão docilmente? A ver.
Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br
Pirassununga

*

NOVA ESQUIPE LOGO, LOGO
Já na sua primeira declaração como ministro, o dr. Nelson Barbosa foi obrigado a retratar-se pela presidente, na questão da futura fórmula de reajuste do salário mínimo. Profissionais de reconhecimento internacional como o próprio Barbosa e o dr. Joaquim Levy não vão sujeitar-se aos caprichos de palanque da companheira Dilma, pondo a perder um currículo que merecidamente conquistaram. Fica patente que a curtíssimo prazo teremos uma nova equipe econômica totalmente petista, para implodir de vez nossa economia. O medo pré-eleitoral se confirma: o Brasil está virando uma Venezuela continental. 
Luigi Petti luigirpetti@gmail.com
São Paulo

*

MINISTRO DO PLANEJAMENTO
A atitude da "presidenta" Dilma com relação ao recém-empossado ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, além de antiética é, no mínimo, vergonhosa. E é de admirar que alguém com o gabarito do citado ministro não tenha apresentado sua demissão diante de tal fato.
Sergio Leme Romeiro msilviagennaro@gmail.com
Campinas

*

AO MINISTRO NELSON BARBOSA
O senhor perdeu uma ótima oportunidade de manter sua credibilidade ao não entregar seu boné. Vá cuidar da sua vida. Desse mato não sai cachorro, não!
Marlene Santos msosantos@yahoo.com.br
São Paulo

*

DEMISSÃO JÁ!
Se o ministro Nelson Barbosa tiver um pingo de vergonha na cara, tem de pedir demissão do cargo imediatamente. Caso contrário, será mais um capacho deste governo medíocre.
Fernando Fenerichffenerich@gmail.com
São Paulo 
*
CANOA FURADA
Os srs. Joaquim Levy e Nelson Barbosa deveriam cair fora dessa canoa furada antes que seus brilhantes currículos sejam maculados por "pitos" públicos, que já começaram, e outras imposições que certamente virão.
Thomaz Oscar Marcondes de Souza Netto marcondesnetto@yahoo.com.br
São Paulo

*

SEM ILUSÕES
O ex-ministro Joaquim Barbosa sempre se portou como um gigante no Supremo Tribunal Federal. Já a dupla Joaquim e Barbosa precisa provar se possui também a mesma envergadura moral do magistrado. Pelo recuo do ministro Nelson Barbosa sobre o futuro cálculo do reajuste do salário mínimo não podemos, a princípio, esperar muita coisa.
Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com
São Paulo

*

NA GAVETA
O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, já viu o que é trabalhar com o PT. Já conheceu a parte xiita do partido, com a irritação da presidente Dilma ordenando que ele desmentisse que haveria mudança na regra do salário mínimo. Daqui a pouco será o ministro Joaquim Levy, da Fazenda. Sugiro que os dois deixem pronto na gaveta o pedido de exoneração. Na hora é só assinar, datar e entregar. Não vale a pena trabalhar para esses caras.
Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com
Rio de Janeiro

*

MINISTRO NÃO É ESTAFETA
A falta de ética de dona Dilma, tornando público um destempero que poderia ser resolvido entre quatro paredes, colocou o recém-empossado ministro Nelson Barbosa e sua competência numa saia-justa desconfortável. Se o assunto já estava sendo estudado, é porque havia uma brecha para sua divulgação. Um ministro merece respeito de seus superiores perante o público, não é um simples estafeta, mas, possivelmente, por sua soberba, ela se julgue no direito de fazer tal comunicado à Nação, em momento propício, para se promover, já que uma definição precisa ser dada no decorrer deste ano. É a única explicação para o fato, mesmo que medíocre.
João Roberto Gullino jrobertogullino@gmail.com
Petrópolis (RJ)

*

CONFLITO EM BELO MONTE
Completando seus 140 anos de existência, terá sido mera casualidade o excelente editorial do “Estadão” sobre o conflito em Belo Monte? O que já era anunciado muito antes do início das obras como um desastre social e ambiental se corrobora nas páginas do caderno de Economia, ainda que não mencione as denuncias da procuradora Thais Santi, de Altamira. E haja PACs, devidamente azeitados por empresas inescrupulosas e hoje publicamente inidôneas! E para completar, se o que da força à economia de um pais é a tecnologia, temos o o artigo de Mac Margolis prenunciando o quanto evoluiremos nesse quesito.
Caio Quintela Fortes caioqf4@hotmail.com
São Paulo

*

‘ESTADÃO’, 140 ANOS
Parabéns pelos 140 aninhos de luta.
Pedro Galuchi, titular da cadeira 18 da Academia Itanhaense de Letras – Patrono Monteiro Lobato pgaluchi@gmail.com
São Paulo

*

Parabéns pelos 140 anos de sucesso!
Sidney Cantilena sidneycantilena@bol.com.br
São Paulo

*

Parabéns, “Estadão”, e muita felicidade nos próximos 140 anos.
Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br
São Paulo

*

Parabéns ao “Estado”, sou leitor desde que era adolescente, pois meu pai era assinante hoje sou assinante também Felicidades.
Emerson Martineli ejmartineli@ig.com.br
São Paulo

*

Desejo cumprimentar a equipe do “Estadão” pelos seus 140 anos na defesa de nossos ideais democráticos.
Edmar Darcy Fernandes, assinante há longa data edmardarcy@fforman.com
São Paulo

*

Parabéns a toda a equipe do “Estadão” pelos 140 anos de informação confiável, coragem e independência. Veículos como o “Estadão”, que prezam a liberdade de opinião, a liberdade de expressão são cada vez mais raros. Continuem lutando pela defesa da liberdade da imprensa. O Brasil precisa de jornais desse porte, que apuram os fatos e informam os leitores, que defendem a democracia. Abraços a todos.
Marilena Moraes marilena.moraes@globo.com
São Paulo

*

Com a seriedade do passado, a agilidade do presente e a visão voltada para o futuro, o"Estadão" acaba de completar 140 anos de vida,
Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com
Jandaia do Sul (PR)

*

O "Arauto" ficou mais velho sem envelhecer...
A. Fernandes standyball@hotmail.com
São Paulo

*

Há 40 anos lá estavam eu e meu saudoso pai na missa em ação de graças ao centenário do “Estadão”. O tempo passou e o “Estadão” não mudou!
José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com
Avanhandava
*
Parabenizo o Grupo Estado pelos 140 anos.
Nelson Ferreira nelsonpf61@gmail.com
São Paulo

*

Parabéns a "A Província de São Paulo" , hoje “Estadão”, pelos seus 140 anos de luta pela liberdade e democracia no Brasil. Fico feliz de ter acompanhado sua rota de lutas e sucessos, nos seus últimos 60 anos.
Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br
São Paulo

*

"O que você chama de história, a gente já chamou de notícia." Recentemente assisti ao filme “Getúlio”, que narra com muita fidelidade as últimas semanas da vida do ex-presidente Vargas; filme que, além de bem feito, muito me emocionou, trazendo recordações de um importante e traumático pedaço da nossa História, o qual acompanhei, dia a dia, lendo o “Estadão”. Parabéns a esse magnífico e insubstituível jornal, pelos seus 140 anos exemplarmente vividos.
Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br
São Paulo 

*

Parabéns ao Jornal “Estadão”. Ao meu ver, o melhor jornal do Brasil.
Emilio Araujo Costa emilioaraujocosta@hotmail.com
Curitiba

*

Parabéns pelo 140.º aniversário da empresa jornalística "O Estado".Ícone da História do Brasil, defensor intransigente da transparência e da liberdade de opinião, digno do título de "Patrimônio Cultural da Humanidade". Aplausos!
Antonio Ramos toninhoramos47@gmail.com
Atibaia

*

Registro minha admiração a esse jornal não só pela independência com que conduz há décadas sua trajetória na imprensa brasileira, mas em particular por escolher colaboradores com opiniões isentas e respeitados pela carreira que construíram profissionalmente, caso da mais recente contratada do “Estadão”, Eliane Cantanhede. Não a conheço pessoalmente, mas admiro sua postura política e pessoal desde que era editora do nosso maior jornal aqui, em Brasília, e pelas avaliações sérias e criteriosas que faz na Globo News, no programa Em Pauta. Parabéns ao “Estadão”, cada vez melhor. 
Haroldo Michiles mhcesar@uol.com.br
Brasília

*
Enquanto o “Estadão” comemora 140 anos de vida com o mérito de ser um dos mais acreditados jornais do país, o STF, procrastinando o julgamento do mérito do processo "Boi Barrica", impõe-lhe uma ditatorial censura que já passa de 1.920 dias, demonstrando a caótica situação em que se encontram nossas instituições autodenominadas democráticas.
Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo
*
Parabéns, meu querido e admirável jornal, que sempre se pautou pela verdade e lisura. Atravessou ventos e tempestades, mas, não se vergou ou se deixou envolver em disputas que pudessem a abalar as suas e as nossas convicções.
Celia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com
Avaré

*

Aprendi a gostar do “Estadão” através de minha mãe, que sempre assinou o jornal e se viva fosse estaria com 114 anos. Ela disputava com sua irmã mais velha e vizinhas quem acabava em menos tempo as palavras cruzadas do Estadão; minha mãe, dona Conceição Dotoli, sempre foi campeã, resolvia tudo em menos de 15 minutos, o seu recorde foram 9 minutos, numa edição de não me lembro o dia de um mês de dezembro de 1960. Parabéns a todos vocês pelos 140 anos de informações sem nunca baixar a guarda e primar sempre pela verdade, doa a quem doer. Abraços a todos e mais uma vez, parabéns.
Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*

JORNAL DE ALMA DEMOCRÁTICA
Completar 140 anos de atividade é coisa rara no mundo dos negócios! Já para uma empresa jornalística como o Estadão, uma grande façanha, porque neste período o jornal teve que atravessar turbulências de várias ditaduras, e muita censura. Que infelizmente ainda hoje sobrevive na agenda petista o abominável objetivo de controle de conteúdo da mídia. Mas, nós orgulhosos assinantes comemoramos também esses 140 anos do “Estadão”! Esse veículo criado pela família Mesquita é parte integrante do nosso cotidiano! É a verdadeira seara que alimenta o nosso conhecimento logo nas primeiras horas do dia. E apesar dos 140 anos, é um jornal editado para todas as idades, e ousado, porque acompanha sempre com muito interesse as transformações tecnológicas. Ou seja, demonstra sua administração que o leitor é seu grande patrimônio! E a nós resta agradecer o trabalho competente de seus jornalistas, e colaboradores, e parabenizar por mais esse ano de vida do jornal "O Estado de S. Paulo". 
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*

UMA BÊNÇÃO!
Comemoro como leitor mais esta primavera do jornal “O Estado de S. Paulo” irmanado com os sentimentos de júbilo de todos os que, a cada edição, fazem a defesa da informação lastreada em jornalismo investigativo, imparcial e comprometido com a busca da verdade, contribuindo para a formação democrática de muitas gerações de brasileiros! No combate a corrupção o paulista "Estadão" – que foi esteio no Movimento Constitucionalista de 1932 – é exemplar e honra o ensinamento do jornalista Julio de Mesquita Filho: "Democracia se constrói com imprensa livre!". Nesta data “O Estado de S. Paulo”, apesar de 1.923 dias sob censura por decisão judicial ,aguarda, a seu pedido, o julgamento do mérito da ação movida por Fernando Sarney contra esse valoroso órgão de imprensa (vide: WWW.ESTADAO.COM.BR/CENSURA).
Herbert Silvio Augusto Pinho Halbsgut h.halbsgut@hotmail.com
Rio Claro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.