Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2015 | 02h05

Jogo de xadrez

Todas as peças estão alinhadas no tabuleiro, os peões, os cavalos - ou burros -, os bispos e as torres, todos correndo risco de vida para proteger e salvar o rei e a rainha. Assim, esse jogo só vai terminar quando o rei e a rainha forem capturados. A questão é: quando?!

DIONYSIO VECCHIATTI

dio.vecchiatti@terra.com.br

Valinhos

O móvel do crime

Os argumentos da defesa de Gerson de Mello Almada, executivo da Engevix Engenharia, um dos alvos da Operação Lava Jato, em tudo lembram o mensalão. Nesse escândalo, que levou a cúpula do PT, parlamentares, executivos de bancos e empresários à cadeia, o objetivo era levantar - e branquear mediante triangulações - recursos públicos para compra de apoio político a fim de manter o PT no poder. Já neste novo escândalo, chamado de petrolão, nada muito diferente: obras e contratos superfaturados da Petrobrás num esquema ainda mais danoso aos interesses do País, montado para continuar comprando apoios ao governo federal e assegurar a manutenção do poder. O traço de união entre ambos os escândalos é a volúpia pelo poder que fez o PT dar de ombros para o antigo discurso da ética e superar, na bandalheira, todos os que antes criticava. O que os diferencia é algo meramente argentário, numérico: falo da prodigiosa montanha de recursos - na casa dos bilhões! - desviados da Petrobrás, fraude que, a olhos vistos, faz os "trocados" do mensalão parecerem coisa de principiantes na arte da gatunagem.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Graves riscos

Não se encontram mais qualificativos na língua portuguesa - aliás, muito rica - que sejam adequados para classificar essa corja indecente que furtou dinheiro da Petrobrás. Chega ao cúmulo de o delator Paulo Roberto Costa ter recebido US$ 1,5 milhão para ficar calado e não atrapalhar a nefasta compra da refinaria de Pasadena, cujo prejuízo ao erário foi de US$ 792 milhões. Uma punição com confisco total de bens e pena máxima para esses malfeitores! Senão será a falência moral do País.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Turma da Petrobrás

Essa turma é uma gracinha. Agora o tal Costa diz que foi obrigado a receber propina... É como ladrão tentando se justificar como sendo obrigado a roubar!

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Será que entendi direito?

Políticos petralhas, funcionários da estatal e empresários das empreiteiras assaltaram a Petrobrás descaradamente. O petróleo teve seu preço internacional reduzido pela metade, mas aqui, além de o preço não baixar, aumenta por conta de um tal imposto chamado Cide. Assim a Petrobrás se recupera financeiramente à custa do contribuinte, que, no final, está sendo roubado duas vezes. É isso mesmo?

FREDERICO FONTOURA LEINZ

fredy1943@gmail.com

São Paulo

Demorou...

Apesar de seu incomparável conhecimento das técnicas de geração, transmissão e distribuição de hidreletricidade, e acumulando a preciosa qualificação profissional de ser tesoureiro do PT, João Vaccari Neto vem de ser exonerado do cargo de conselheiro da Itaipu Binacional. Foi nomeado para substituí-lo Giles Azevedo, ex-chefe de gabinete de Dilma. Tem coisa aí...

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Devastação petista

A atuação petista representa um tsunami grandioso a devastar estruturas, crendices éticas e postulados morais. Desde o envolvimento de José Dirceu e asseclas com os dinheiros públicos até as propinas vultosas da Petrobrás, o processo de devastação continua, inclusive pela omissão administrativa vergonhosa, como é o caso da importação de energia elétrica da Argentina. Petistas reconhecidamente corruptos, ocupando cargos de projeção, como é a situação de Vaccari Neto, apenado, enfim, pela presidente. Somam-se a este casos de vergonhosas barganhas e acertos com políticos da base aliada, à custa dos dinheiros da Petrobrás e do BNDES. Eis que o tsunami criou Eike Batista, com os dinheiros do BNDES, para mostrar milionário produzido, mas o tsunami da verdade derrubou-o, e às mentiras petistas também. A devastação petista acarretou, agora, a adoção obrigatória de uma política de terra arrasada, com quadros competentes e de fora da agremiação, que, aliás, é muito carente de talentos fora da especialidade corrupção.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

GOVERNO DILMA

Terra arrasada

Mentiras e traições são mesmo com o PT. "Ela" dizia que o segundo mandato seria melhor, mas como? Com aumento de impostos na gasolina, no crédito, na importação; com demissões em massa nas fábricas; com preços abusivos nos alimentos, na energia elétrica (mesmo com apagões), no vale-transporte; com a inflação voltando com tudo e os empregos em recessão?! Como vemos, eles são iguais a Átila, o huno: onde passam, nem grama nasce. O País está paralisado!

NELSON SCATENA

nelson.scatena@hotmail.com

São José dos Campos

Rombo recorde

É inaceitável que o Brasil tenha fechado 2014 com um rombo recorde de US$ 91 bilhões nas contas externas. A incompetência, o despreparo e a falta de visão do governo federal saltam aos olhos. O resultado, desastroso, é esse que estamos vendo, com a débâcle da economia brasileira. E o pior é que a presidente Dilma Rousseff (PT) parece viver em outro planeta, sem a menor autocrítica e sem reconhecer e corrigir os seus erros, em prejuízo de todo o País.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Lição de casa

Pois é... Com o ministro Joaquim Levy finalmente começou, com atraso, a lição de casa. Que vai cair como chicote no lombo do escravo, quer dizer, do povo: crédito mais caro, alta de impostos e inflação. E vá o povo trabalhando bastante, que temos muitos rombos para cobrir: mensalão, petrolão, dinheiro para ajudar a Venezuela e outros "irmãos"... etc., etc. Quousque tandem Catilina?EDMÉA RAMOS DA SILVA

paulameia@terra.com.br

Santos

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

SÃO PAULO 461 ANOS

São Paulo comemora 461 anos de vida em meio à falta d'água e racionamento à vista, quedas diárias de árvores e longos apagões, trânsito caótico e congestionamentos sem fim, cercada de insegurança por todos os lados, entre tantos outros problemas graves que nos afligem. São Paulo, rogai por nós, paulistanos!

J. S. Decol decoljs@globo.com
São Paulo

*
NON DVCOR DVCO

No brasão da cidade de São Paulo, criado em 1916 no governo municipal de Washington Luís, que em 1926 foi eleito presidente da República após ter sido senador, há o dístico Non Dvcor Dvco, que em latim significa "não sou conduzido, conduzo" e valoriza a independência das ações desenvolvidas pela cidade e seu papel de liderança no Estado e no País. Desde a data de sua criação a cidade vem honrando este significado, demonstrado inclusive na votação expressiva da última eleição majoritária, em que rejeitou a continuidade de um governo que está longe de representar o que o Brasil já foi à época da criação deste brasão. Em 26 de dezembro de 2014, na calada da noite e no recesso entre o Natal e o ano-novo, o prefeito da cidade publicou a nova lei de zoneamento da cidade, que modifica significativamente as características da cidade e que será votada no próximo dia 31 deste mês. Contudo, a participação da população foi apenas simbólica, tendo sido redigida de cima para baixo, evidentemente para satisfazer ao interesse de grupos e esquecendo a vocação história e a tradição de determinados bairros e regiões da cidade. Para que seja de fato uma lei que venha a melhorar a cidade, há que se fazer um questionamento bairro a bairro, para que a população opine se quer mudar algo e forneça as diretrizes. Trata-se de consultas à população como um recenseamento, e, compilados os dados coligidos, ter-se-á um perfil fidedigno dos anseios da população, para então partir para a redação da lei. Oxalá a população acorde em tempo para a desgraça que se avizinha com esta nova lei e lembre-se sempre: Non Dvcor Dvco!

Luiz Felipe de Camargo Kastrup lfckastrup@gmail.com
São Paulo  

*
ANIVERSÁRIOS

O "Estadão" e São Paulo fazem aniversário em janeiro. O nosso jornal comemorou nos presenteando com primoroso caderno/arquivo e nos levando a passear pelas atrações culturais desde a sua criação, em 1875. Como paulistana de nascimento, quero prestar minha singela homenagem a ambos, com esta trova: "Morreram, de tão antigos / os bondes, a procissão / A seresta dos amigos / embaixo de um lampião". Parabéns, "Estadão"!  Parabéns, São Paulo!

Ecilla Bezerra ecillabezerra@gmail.com
Peruíbe

*
ANIVERSÁRIO MELANCÓLICO

Como comemorar o aniversário de um moribundo? A maior e mais rica cidade do País regride em todos os sentidos nos últimos anos: a tão alardeada Nova Luz é hoje conhecida como cracolândia, assombrada dia e noite por traficantes e consumidores de drogas pesadas; os dois maiores rios que cruzam a cidade, Pinheiros e Tietê, são valas gigantes de esgoto a céu aberto, apesar de mais de 20 anos de recursos financeiros, até do governo do Japão, destinados ao saneamento, mas jogados fora ou, mais provavelmente, embolsados por autoridades sem moral; cidadãos vivem e se locomovem em condições sub humanas, utilizam ônibus sem ar-condicionado, infestados de baratas, e moram em bairros sem segurança. A saúde pública só existe em propaganda política, as Amas e hospitais são insuficientes, não têm leitos, não têm médicos, não têm medicamentos. As ambulâncias muitas vezes não aparecem por inexistirem ou "porque a maca ficou no hospital". Os cemitérios estão abandonados e deixados para os vândalos. As vagas nas creches são superestimadas pelas autoridades, as crianças, quando matriculadas, são contabilizadas em duplicidade para maquiar a realidade, e as mães não podem trabalhar pois não conseguem creches nem escolas para as crianças. A Educação só atende aos objetivos políticos de manter a semialfabetização, e assim o povo não consegue ler as notícias sobre a realidade. O leito carroçável é recoberto de asfalto de péssima qualidade, fazendo a população chacoalhar nos ônibus ou nos carros próprios, mas o IPTU e o IPVA são pagos e desviados pelos administradores incompetentes ou de honra duvidosa. A mão de tinta vermelha sobre este asfalto esburacado custa pouco (se é que não esteja sendo superfaturada...) e aparece, apesar de muito pouco utilizada. Falta água, falta luz, sobram reclamações sobre as árvores condenadas e a ineficácia da Prefeitura em podá-las. Foi preciso cairem mais de mil árvores, causando prejuízos e até mortes, em bairros nobres para, enfim, surgir um plano de podas que nós, contribuintes, sabemos que logo cairá no esquecimento até o próximo verão com suas chuvas e ventos. Apesar da seca, os bueiros não foram limpos (pintar faixas vermelhas é prioritário) e, quando chove, as grandes avenidas viram rios caudalosos. Com uma administração que escolhe os secretários de acordo com a conveniência política, e não pela sua lisura ou competência, estamos mais em posição de velar do que apagar velinhas por nossa cidade, que nunca esteve tão abandonada nem perigosa quanto hoje.

Paulo Ruas pstreets@terra.com.br
São Paulo

*
SÃO PAULO QUERIDA!

A garoa fina caía sobre a maior cidade da América Latina no dia em que o capitão do tri erguia a taça do mundo. A música "Pra Frente Brasil" tocava intensamente na Rodoviária da Luz. "Noventa milhões em ação, pra frente Brasil do meu coração." Quando desembarquei, a minha cabeça girava como um peão na mão de uma criança. A caminho do apartamento, com a fina garoa acariciando o meu rosto, o meu peito se enchia de alegria. Cantarolando a música eu ia pensando no meu trabalho e nos meus estudos. Foi esta terra que me proporcionou tudo: o meu amor de 37 anos de duração e os meus 3 filhos, que cresceram e se formaram nesta terra abençoada. Por isso, São Paulo, querida, apesar dos pesares, dos erros e acertos, parabéns pelos seus 461 anos de batalhas e glórias. 

José Martin jlmartin@estadao.com.br
São Paulo

*
SÃO PAULO, QUEM TE VIU E QUEM TE VÊ

Lembro-me como se fosse ontem. Tinha eu 12 anos e a São Paulo da garoa comemorava seu IV centenário. Havia terminado o curso primário com outros meninos e meninas. Muitos mal falavam nossa língua. Eram filhos de italianos, espanhóis, portugueses, russos, alemães, polacos, sírios, libaneses, japoneses. Vivíamos rindo por causa das pronúncias engraçadas de cada um. Havia também netos de ex-escravos que, ainda vivos, contavam suas histórias. São Paulo, linda, tipicamente europeia, com poucos edifícios, já era a maior cidade do Brasil, que contava com 60 milhões de habitantes. Os prédios muito bonitos e bem conservados, as casas com muros baixos - muitas nem muro tinham. Não precisava. As ruas, calçadas, viadutos, praças públicas e jardins eram limpos, sem cercas ou pichações. Não havia violência, drogas nem inflação. Naquele tempo, mesmo com tantos estrangeiros, havia um sentido maior de civilidade e de amor por São Paulo. E as escolas ensinavam. Cantávamos sempre o Hino Nacional, o Hino da Independência e o Hino à Bandeira. Não quebrávamos, não pichávamos as escolas nem batíamos nos professores. Quando ficava de castigo, não contava em casa, para não apanhar. As famílias passeavam tranquilas, de dia ou à noite, sem medo ou preocupação. O povo era pobre, mas ordeiro e educado. Havia os ônibus e os bondes elétricos vermelhos da CMTC cortando a cidade de norte a sul e leste a oeste. Além deles, os trens "Maria Fumaça" partiam para o interior, onde as ferrovias linhas tronco se ramificavam em todas as direções, levando passageiros em carros ingleses de madeira, envernizados e limpos de 1.ª e 2.ª classes com os bancos reversíveis. Ninguém viajava de lado. Que saudade e quanta diferença no comportamento da "gente" de hoje! Então nasceu Brasília e tudo mudou! A "Nova Capi", como era chamada, não atraiu os políticos, que preferiram continuar no conforto de seus lares na cidade maravilhosa. O Rio continuava sendo de fato a capital federal. Para atraí-los, luxuosas mansões junto ao Lago Paranoá foram construídas e muitos outros privilégios lhes foram dados para que Brasília não continuasse às moscas. Disparava a inflação. Ao mesmo tempo, a vinda das montadoras de veículos resultou em novos imigrantes chegando aos milhares e por décadas seguidas à cidade que passou a crescer desordenadamente, perdendo cada vez mais suas características originais. Nasceram, cresceram e se multiplicaram as favelas. Morros, várzeas e mananciais hídricos foram invadidos irracionalmente. O medo e a violência, que até então desconhecíamos, entraram em nossa vida, estando em todos os lugares e crescendo sempre. As ferrovias, cerca de 40 mil km em todo o País, foram desativadas e sucateadas, dando lugar aos ônibus e caminhões, mesmo não havendo estradas. Hoje o aluno quebra, picha a escola e bate no professor. Conta em casa e ganha elogios. Não sabe o Hino Nacional e é aprovado, mesmo analfabeto. O povo só quer saber de direitos. A maioria não tem educação e a cidade é uma imundície. Não há lugar algum no mundo que aguente tantas invasões, barbárie e incivilidade. E, desgraçadamente, a população dependente dos programas sociais do governo e da caridade alheia, continua crescendo sem controle, sem orientação e muitos sem mostrar também qualquer carinho ou gratidão pela cidade que os acolheu. Pobre São Paulo, completando agora seus 461 anos. Quem te viu e quem te vê!
 
Nilson Martuns Altran nilson.altran@hotmail.com 
São Caetano do Sul 

*
O LIVRO DE JOÃO SANTANA

O marqueteiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Santana, escreveu livro se defendendo de acusações dos rivais sobre a campanha presidencial sórdida das ultimas eleições. Nem precisava escrever livro, bastava uma única frase: "Vale tudo por dinheiro". Porque, cobrando até R$ 80 milhões por uma campanha, vale tudo mesmo! Pintou o diabo sobre o programa de governo dos oponentes, para um mês depois a presidente Dilma copiar tudo. Santana, que tem lugar cativo no Palácio do Planalto, não sabia das mazelas econômicas causadas pela candidata que ajudou a eleger.  Ele foi o braço direito do diabo nesta campanha, portanto não adianta tentar desabafar contra rivais escrevendo livro. Que vá curtir sua fortuna, enquanto nós, brasileiros, pagamos a conta! 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br
São Paulo 

*
O TALENTO DO MARQUETEIRO

Marqueteiro defende ataques de campanha. "Não há ponto de vista que não possa ser defendido por meio de palavras", e João Santana prova a afirmação do doutor Johnson mais uma vez. O marqueteiro que embolsou R$ 70 milhões para orquestrar a mais infame, mentirosa e porca propaganda da história deste país ainda se vangloria do seu feito. Na verdade, João Santana está de parabéns, pois vendeu um produto com prazo de validade deteriorado, sem garantia nem "recall". Basta comparar a propaganda eleitoral da candidata com a realidade do governo Dilma para perceber o talento do marqueteiro Santana.

Cloder Rivas Martos closir@ig.com.br
São Paulo

*
MAU-CARATISMO EXPLÍCITO

A reportagem publicada pelo "Estadão" em 23/1 sob o título "Marqueteiro defende ataques da campanha" nos apresenta o sr. João Santana, marqueteiro do PT, com status de ministro no governo federal, pela sua importância nas eleições para os petistas, mas que é pouco conhecido do público em geral. Os termos da defesa deste senhor são de dar engulhos em avestruz e só é possível num país cujos políticos perderam toda a compostura. O referido cidadão afirma, a respeito das acusações de ter recorrido a mentiras e baixarias para reeleger a presidente, que "essa é a acusação mais falsa, mais hipócrita e sem sustentação da história eleitoral brasileira e comportamento de políticos derrotados e ressentidos, que confundem embate político com baixaria e manipulação". Em outro trecho, ao se defender da ignóbil peça publicitária que engendrou, em que a comida sumia da mesa de uma família, para desmoralizar a candidatura de Marina Silva, saiu-se com o seguinte argumento: "Se houve exagero, permita-me a presunção, foi da qualidade fílmica e criativa". E a entrevista segue nesse desfile de absurdos. Por causa dos princípios com os quais eu fui criado, tenho a convicção de que a atuação de marqueteiros em campanhas eleitorais deveria ser terminantemente proibida, para todos os cargos públicos. Não se pode vender um candidato a presidente como se vende um produto de péssima qualidade, por meio de uma publicidade enganosa, aliás, como foi o caso. O próprio Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) teria intercedido, se lhe fosse permitido. O que o sr. João Santana chama de qualidade fílmica e criativa é de fato uma propaganda imoral e mentirosa e deveria existir legislação punindo severamente quem assim se comportasse. Foi uma versão política do conto do vigário, e tanto ele como a candidata deveriam responder por isso na Justiça. Na realidade, utilizou uma deslavada mentira para compensar a má qualidade do produto que procurou vender aos incautos. E essa qualidade já se apresenta nos primeiros dias deste governo. O que os seus adversários fizeram não foi "pobreza teórica e lerdeza técnica", como diz, mas simplesmente se conduziram dentro de uma moral que o entrevistado aparenta não ter.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
GOVERNO DILMA

Queria dar três conselhos aos brasileiros de fibra, que estão desolados com o início do governo Dilma e inconformados com tanta corrupção gerada no centro do poder governamental: 1) Esqueçam o governo. Não produzirá nada de bom fora da área fiscal no longo prazo. 2) Trabalhem com denodo, só o trabalho de cada um fará este país ressurgir. 3) Passem a observar a ética, como uma atitude individual tipo você e sua consciência. Acho que a combinação dessas três ações purgará e levantará o Brasil.

Jose J. Rosa jjrosa1945@yahoo.com.br
São Paulo 

*
NOSSO DESTINO

Creio que, da forma como está agindo, Dilma Rousseff e o PT estão conduzindo o Brasil para um regime comuno-gramcista. Na surdina, vão surrupiando tudo de todos, tomam medidas indecentes que na campanha presidencial disseram que não fariam, como aumentar impostos, criar outros, restaurar antigos, deixar a Petrobrás falida, gerar uma crise energética, apresentar obras superfaturadas e inacabadas, além da corrupção como nunca se viu - e ainda fica 30 dias sem governar e critica Joaquim Levy, que seria o salvador da Pátria. Afinal, as maldades já estão sendo tomadas todos os dias. Precisamos de mais energia, no entanto construíram uma hidrelétrica na Nicarágua,  estradas na Bolívia, onde o rei momo de lá tomou posse agora (e madama foi, quando deveria ter ido a Davos), construíram um porto em Cuba, quando estamos necessitando de obras em muitos dos nossos portos, enfim, esbanjaram o nosso dinheiro como puderam, receberam muitas propinas, e muitas dessas operações estão investigadas e muitas maldades já foram apuradas. Até quando iremos aguentar tudo isso? Nossos bolsos já estão rasgados e nossa paciência terminou... Quem poderá tomar medidas contra tudo isso que todos estão vendo? Temos mesmo é de formar um movimento civil e fazermos isso com líderes, como o foi Carlos Lacerda.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com 
São Paulo

*
ME ENGANA QUE EU GOSTO

Pois é, para você que mais uma vez foi enganado com as falsas promessas do PT, Dilma e Lula, vai se preparando, pois a sacanagem com o trabalhador só está no começo. Lembram o que disse a presidente em sua campanha da mentira? "Não vou aumentar juros para enriquecer banqueiros"; "não vai faltar energia elétrica para o povo"; "não vai ter aumento de combustível"; "não vou aumentar os impostos"; "vou corrigir a tabela do Imposto de Renda pela inflação e repor a defasagem acumulada que passa de 64%"; "a inflação será reduzida ao mínimo"; "vou ser implacável com a corrupção"; "não vou mexer nos direitos dos trabalhadores nem que a vaca tussa". Pois é, "a vaca tossiu e foi pro brejo, e todos fomos enganados, mesmo quem não votou na Dilmalula. 

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com 
São Caetano do Sul

*
ARRASA-BRASIL

Aproveitando as analogias frequentes do ex, ouso escalar o time titular do PT, o "Arrasa Brasil", a saber: Dilma, Carvalho, Zé Dirceu, Delúbio e Vargas, João Paulo, Genoino e Falcão, Garcia, Haddad e Genro. Técnico: Lula. Preparadoras físicas: Marta, Ideli e Hoffmann. Marketing, João Santana. Maiores troféus: mensalão e petrolão. Receitas: muitos bilhões, ainda sob auditoria. Torneio atual: Lava Jato, com grandes possibilidades.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com
São Paulo

*
DILMA, O DESGOVERNO

Prezada presidenta Dilma, muito já se escreveu sobre sua incompetência e do PT em administrar este país, levando-o à breca e ao desrespeito internacional. Pergunto-me o que a sra. e os nobres políticos do PT e base aliada pretendem deixar para seus filhos e netos - nem menciono o povo, pois o que é o povo para vocês, senão peças de manobras eleitoreiras? Vocês deixarão isto que aí está? Vocês não têm vergonha? Vocês acabaram com tudo, pisaram na garganta do povo e este, por causa da esmola recebida, ainda os apoia, mas um dia a casa cai. E aí? Vocês pegarão suas trouxas e irão para Miami?

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com 
São Paulo

*
PREMIADOS PELA INCOMPETÊNCIA

Como você se sentiria sendo nomeado para um importante cargo, tendo como critério a sua incompetência para tal? Pois foi o que aconteceu com a maioria do novo ministério da sra. Dilma. Os novos despreparados têm como missão blindar a presidente das maldades praticadas, e só. Haja dobradiça para tantas colunas! Assim vão acabar mostrando os traseiros desnudos. Esdrúxulo.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br
Batatais 

*
UM PAÍS SE DESINTEGRANDO 

Parafraseando o ex-presidente, que começou todos estes desmandos e ainda nos enfiou goela abaixo a atual presidente da República, "nunca antes neste país" a situação foi tão deplorável como agora! Todos os indicativos econômicos são péssimos. A indústria está sucateada e demitindo, a área de serviços anda de lado, os juros são um dos maiores do mundo, os índices educacionais são uma piada, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) são sai do lugar, a corrupção só aumenta, a dívida pública está na estratosfera (mas neste caso se faz um "ajuste" e tudo bem, afina para que cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal?), e, por mais que o governo tenha tentado esconder nas eleições, a pobreza aumentou no País. Há um total desmando. Uma farra nos ministérios para acomodar interesses políticos. O ministro do Esporte foi pego carregando malas de dinheiro, o sr. Cid Gomes pôde escolher o ministério que quisesse (palavras da presidente). Que bom, temos um gênio no ministério que entende de todas as 39 áreas administrativas! Um ministro do Desenvolvimento Agrário que vai contra a ministra da Agricultura, que, por sinal, é o único setor que ainda carrega o País nas costas. Isso sem falar na Petrobrás! Ah, a Petrobrás! A maior empresa do País foi assaltada, roubada, dilacerada, arrasada por uma administração corrupta e incompetente. Mas a presidente Graça Foster ainda é prestigiada pela presidente da República! Sra. presidente, só existem duas opções para a sra. Graça: ou ela é corrupta e participou de toda a roubalheira ou ela é incompetente por não ter percebido toda a roubalheira! Não existe uma terceira opção, portanto, quando a presidente da República mantém esta senhora no cargo, torna-se cúmplice de uma das duas hipóteses! E o povo brasileiro? O que aconteceu com o povo brasileiro, que foi capaz de exigir Diretas Já e que foi às ruas pedir a saída de Fernando Collor? Onde está esse povo? Sumiu? Por que o povo que vejo agora nas ruas é uma pequena parcela de baderneiros que faz protesto por R$ 0,50 de aumento da passagem de ônibus e esquece os R$ 10 bilhões de roubo da Petrobrás. Este que está na rua é um pequeno grupo de visão distorcida, manipulado, que age por interesse próprio. Parece que as pessoas estão cada vez mais egoístas e olhando para seu próprio umbigo. Não perceberam que o País está se desintegrando e indo por um caminho sem volta. Será que a única coisa que importa é que a cerveja está gelada, o sol está quente, que a praia está cheia e o Corinthians está na Libertadores? Vai, Brasil! A beira do penhasco está próxima!

Carlos Roberto Barreto Barsotti cbarsotti1@hotmail.com 
São Paulo
   
*
DILMA ESCONDIDA

Estamos aguardando ansiosamente e em rede nacional as explicações da presidente Dilma Rousseff sobre seus compromissos de campanha expostos com total clareza antes das eleições, mas que verificamos, atônitos, estarem eles em total contradição com a realidade de suas primeiras providências assumidas tão logo assumiu a chefia do Executivo. O povo brasileiro merece consideração e respeito, valores a que nenhum partido político pode virar as costas, seja ele qual for.

Regina Ulhôa Cintra reginaulhoa13@outlook.com
São Paulo

*
MARCA REGISTRADA

A presidente Dilma, que não me representa, já apresentou à Nação brasileira a marca registrada de sua governança: mentira e covardia. Infelizmente, não temos oposição.

Glória Anaruma gloria.anaruma@gmail.com
Jundiaí

*
O DESMANCHE DA DECÊNCIA

Mantenhamos aceso o tesão da alma enquanto temos os corpos. O verso integra ode à paixão, ao que nos resta de harmonia e felicidade na cápsula individual, isolada do que se decompõe ao redor. Escrevi para celebrar nascimento untado de carinho, companheirismo, compreensão, quase cumplicidade em total indiferença ao tempo, em absoluta reverência ao caminho e à convergência do acaso e das circunstâncias. Ao reler a ode no amanhecer, contrapus ao nauseabundo odor exalado da inhaca moral de homens e mulheres desta infeliz República de patifes, ladrões, canalhas. Aos fatos escabrosos que a imprensa revela todo santo dia pipocam desmentidos cuja baba redacional dos marqueteiros acaba por reafirmar a velhacaria como tática para que incompetentes e ladravazes se mantenham no poder. Razões de um Estado putrefato. No Brasil, o poder destrói esperanças, furta, rouba ou assalta sonhos, engorda novos e velhos sobas. O governo julga que escreve e fala para otários. "Ils sont tous connards", pensa o governo. Tudo é falso e suspeito nas manhas dos apelidados poderes da República, zoos de rapinantes do erário. Ao povo parece não mais incomodar a ruinaria material e o desmanche da decência. Tudo se resume à monumental falta de caráter que fez da Petrobrás desvario criminoso - liderado pelo PT, acolitado por PMDB e PP -, totem bandido exposto à consideração mundial de como se rouba no Brasil sem que nada aconteça aos marginais chapa-branca.

José Maria Leal Paes josemarialealpaes@gmail.com
Belém

*
MENSALÃO + PETROBRÁS = PETROLÃO

Ao perceber que o mensalão foi descoberto e que a fonte secaria, os petralhas se lembraram da Petrobrás, outrora orgulho e respeito dos brasileiros. Ao desmontar a empresa, com desvios e mais desvios, que a cada dia são revelados com novos e reveladores depoimentos, ficamos sabendo que a camada de pré-lama foi atingida há muito tempo, porém com resultados mais que desastrosos para todos os envolvidos, sejam eles fornecedores, funcionários, políticos, etc. Claro que tudo isso foi feito sem a concordância e a aprovação do criador de postes. Assim como o poste reeleito, este senhor acha que está a salvo de possíveis respingos pela bandalheira impetrada. Sr. Rodrigo Janot, por favor, coloque todos na cadeia, sem exceção, que é o lugar de bandidos. Dou-lhe um conselho, peça proteção à Polícia Federal e não fique sozinho na sua casa num domingo à noite, especialmente na véspera de depoimentos a algum tribunal, afinal, como dito por um jornalista argentino, nem sempre os suicidas se matam porque querem.

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br
São Paulo

*
'OREMOS'

Sobre o que escreveu Eliane Cantanhêde em 22/1 (página A7), é difícil de definir o governo petista em sua nefasta malignidade, e é difícil de entender a passiva miopia de grande parte do eleitor brasileiro. Parece que não há espaço para o bom senso e a lógica na percepção popular. Quanto maior o descaso e a criminalidade oficial, maior o anseio em se deixar enganar pelo surrealismo do marketing do regime. Quando o povo brasileiro erguer-se-á do seu berço esplêndido, para sacudir o conformismo e extirpar os parasitas encrostados em seu seio?
 
Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com
Capão Bonito

*
O BRASIL E O PARTIDO DA TRAIÇÃO
 
Na verdade, o Brasil e o povo deste país foram vilipendiados pelo "Partido da Traição", sendo que alguns traidores integrantes da agremiação desejam poderes maiores para mais trair. Não são heróis nacionais, mas safados de plantão. Outrossim, o "Partido da Traição" usou seus traidores para auferir vantagens da coisa pública, assaltando a Petrobrás e canalizando recursos públicos para seu erário particular. Eis que o "Partido da Traição" rasgou o seu livreto de ética e jogou o seu conteúdo mentiroso na lata do lixo das decepções, o que, por certo, impedirá perenemente seus doutrinadores de mentirinha de dar aulas de moral e de dignidade, mesmo porque os que sobraram com ética e decência já estão fugindo da arapuca e indo para lugares mais salubres. Assim morre o que escondeu propósitos e assim será enterrado o baluarte de centenas de falsos e de mentirosos. Aos pobres, tudo o que mentiram, e aos ricos, tudo o que falsificaram.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br
Rio Claro

*
O IDOS DE DILMA

Os idos de março do governo Dilma serão em fevereiro, com as denúncias da Procuradoria-Geral da República!

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*
PT DUPLAMENTE DESONESTO
 
Todos que são ou foram de alguma forma ligados ao PT repetem que a corrupção sempre foi assim e que a diferença é que agora estão investigando. Desta vez a frase veio de uma ex-jornalista, mas estou cansado de ouvir o mesmo de funcionários públicos e outros cidadãos que estiveram em posição real de agir e se calaram. Por que silenciaram? Por que o partido não usou informações de seus partidários quando era oposição? É quase certo que sempre tenha havido corrupção e roubo da coisa pública, mas provavelmente não nesta escala e desta forma. O fato é que PT, seus partidários, aliados e eleitores, até mesmo os que hoje têm peso na consciência, são duplamente desonestos. Apoiaram e calaram.
 
Arturo Condomi Alcorta arturoalcorta@uol.com.br 
São Paulo

*
SUGESTÃO

Presidenta Dilma, aqui vai uma sugestão deste missivista, que deve ser a mesma de grande parte do povo brasileiro: nomeie o juiz federal Sergio Moro para o lugar o ex-ministro Joaquim Barbosa. Pode ter certeza, a aprovação será de 100% da população brasileira.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 
Itapeva

*
DILMA NA POSSE DE EVO MORALES
 
Dilma viu Evo. O que Dilma não viu, mas todos veem, é que Evo Morales - que é cocaleiro de origem - é um autocrata que pretende perpetuar-se no poder, com o apoio dos produtores de coca, a planta que é a base da produção de cocaína, droga que invade nossas favelas e cracolândias e transforma em zumbis tantos brasileiros. Dilma viu Evo, mas não vê que prestigiar autocratas que fecham os olhos para as atividades do tráfico e do contrabando em nada contribui para a grandeza de nosso país, já tão fustigado pelo crime e pela violência. Dilma viu Evo, mas, talvez, seja demais pedir-lhe que veja um vínculo entre a vista grossa que faz Evo Morales em relação ao cultivo e produção de drogas e brasileiros que estão sendo condenados à morte na Indonésia por tráfico internacional de cocaína, aquele que é, talvez, o mais conhecido "produto" de exportação do país visinho, depois do gás. Há algum tempo, Evo expulsou agentes do DEA (departamento antidrogas dos EUA) que atuavam na Bolívia. Disse ele: "Me perdoem a expressão, mas (na Bolívia) não mandam os gringos, mandam os índios". Só faltou acrescentar "...e também os produtores de drogas, a quem meu governo está intimamente ligado".
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com
São Paulo

*
O FORO E O NOSSO CAMINHO

Reunião ocorrida no Foro de São Paulo concluiu que o Brasil seria um dos países mais difíceis de se tornar socialista. Os motivos eram o tamanho da economia brasileira e sua força. Brasil tinha bom fornecimento de energia - eletricidade, petróleo e gás -, que é o que garantia a sua força econômica. No primeiro e no segundo governos Lula, não houve mudança nas condições da economia brasileira, que manteve as diretrizes do Plano Real. O governo Dilma já iniciou a mudança do status da economia.  Juntamente com Mantega, Dilma veio paulatinamente destruindo a força da economia do País. Atuou em todos os setores, sendo a energia elétrica a mais atingida e, posteriormente, o setor de petróleo. Aos poucos toda a economia do País caiu e voltou a inflação, Dilma abandonou a educação, a melhoria na infraestrutura, que estava sobrecarregada, e a produtividade do País foram ao chão, condenando a Nação à estagnação. Exportações diminuíram pela nossa falta de competitividade e os números da balança comercial pioraram tremendamente. Mesmo com educação, saúde, transporte urbano em níveis africanos, Dilma ganhou a eleição com muito pequena margem, o que compromete a eleição de Lula em 2018, como o PT pretende. Assim e numa situação de perda de controle, Dilma "teve" de nomear uma equipe econômica não comprometida com o PT e que consiga reajustar a economia e conter o gasto do governo, que, para Dilma, não havia limites, o que fez as finanças públicas explodirem. No Foro de São Paulo o PT foi recomendado a "comprar" metade do Congresso Nacional, para não policiarem o Executivo, como manda a Constituição. Assim, nenhuma prestação de contas de Lula e as de Dilma foram examinadas e aprovadas ou não pelo Congresso. Além disso, numa forma ilegal, o Congresso "liberou" Dilma de "crime de responsabilidade fiscal", por ter ultrapassado os limites de gastos do governo. No caminho para a socialização, a economia já foi enfraquecida. O Congresso e parte do Judiciário obedecem aos interesses do governo, o que facilita suas manobras, como já ficou comprovado. Naturalmente, a organização dos quadros do futuro poder socialista, eleições e outros atos dependem de recursos que o governo Lula já tratou de organizar, com o que se chamou "mensalão" e com o desvio de recursos da Petrobrás organizado por meio de diretores e funcionários indicados pelo PT e associados. A mesma organização foi feita para extrair recursos em outras estatais, tais como Eletrobrás e BNDES. Assim caminha o Brasil para o socialismo e esgota-se o tempo para que políticos patriotas se organizem, a população se manifeste em marchas ou as Forças Armadas assumam na impossibilidade de civis o fazerem. 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br
São Paulo

*
CELSO DANIEL E O PROMOTOR ARGENTINO

Vejam o caso do promotor argentino que morreu na última semana, pois, ao que nos parece, é um caso semelhante ao do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, que foi assassinato. São casos semelhantes, porém com finalidades diferentes. Celso Daniel foi assassinado pelo PT, que por sinal era também o seu partido, inclusive um irmão fazia parte da diretoria. No entanto, já era a quarta eleição para presidente da República que Lula pretendia disputar, só que antes de ter a candidatura declarada pelo partido disputava internamente com Eduardo Suplicy, e 49% do partido era contra Lula, porque já não havia esperança de ganharem, pois precisava de dinheiro para a campanha, e esse dinheiro teria de vir de desvios de empresas prestadoras de serviços públicos contratados pelos municípios. Tirando a capital São Paulo, Santo André e Campinas eram as cidades que mais arrecadavam dinheiro, porém Celso Daniel não aceitou roubar dinheiro público para alimentar a campanha de Lula, e com isso se tornou uma pedra no caminho do PT e foi eliminado. O pior de tudo isso é sabermos que Lula saiu ileso do meio de tanta falcatrua. Talvez se tivesse encontrado um Joaquim Barbosa pela frente a história teria outro desfecho. Dizem até que Lula deve ter vendido sua alma para o diabo, só assim para continuar escapando da lei como o diabo da cruz.

Daniel de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br 
Paranavaí (PR)

*
HAJA MISTÉRIOS!

Há assassinato de prefeito cujas testemunhas, coincidentemente, morrem antes de que pudessem ajudar a desvendá-lo. Candidato a presidente da República que viajou em avião cuja caixa preta não gravou os diálogos de bordo. Há ônibus queimados sem que seus proprietários, bem como as seguradoras, venham a público protestar veementemente. Caixas automáticos de bancos são depredados e as respectivas seguradoras também não protestam. Há promotor de Justiça que, na véspera de apresentar graves denúncias, comete suicídio com arma de fogo sem que, entretanto, fiquem vestígios de pólvora nas suas mãos. Realmente, há mais mistérios entre o céu e certas Repúblicas ao sul do Equador além daquilo que possa alcançar nossa imaginação!

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br 
Itanhaém 

*
CLEMÊNCIA

Dilma Rousseff, peça clemência a mim. Estou condenado a pagar impostos até morrer sem receber nada em troca. Estou condenado a trabalhar para pagar meu plano de saúde particular e o de minha família. Estou condenado a pagar o seguro do meu carro para não o roubarem. Estou condenado a pagar o IPVA de Haddad, mesmo sem ter bicicleta. Estou condenado a viver num país onde os governantes fazem de tudo para aumentar seus próprios salários alimentando a ignorância da massa. Estou condenado a me conformar a viver num país onde a corrupção faz parte do processo. E, por favor, clemência por viver junto com pessoas que votaram em você. Deus me salve! Deus nos salve! Peça ao papa  para  livrar o Brasil do PT também.
 
Basilio Jose Bernal Junior bernaljunior@gmail.com
São Paulo

*
APELO AO GOVERNO INDONÉSIO

Está mais do que provado: dona Dilma gosta mesmo é de bandido.
 
Vitório F. Massoni suporte@eam.com.br
São Paulo

*
LEI É PARA SER CUMPRIDA 

Dilma Rousseff não fez mais do que a sua obrigação como presidente da República ao solicitar um pedido de clemência a favor do brasileiro Marco Archer, ao presidente da Indonésia, Joko Widodo. Porém, recebeu uma resposta negativa de Widodo, que não abre mão de cumprir a lei de seu país, que impõe a pena de morte aos traficantes de drogas. E, desta forma, mesmo sendo para nós uma lei absurda para se fazer justiça naquele país asiático, o brasileiro infelizmente foi executado pelo crime que cometeu.  E na mesma situação, também por tráfico de drogas, se encontra outro brasileiro, o surfista Rodrigo Gularte, que aguarda na própria Indonésia a data da sua execução. Se estes casos de Marco Archer e Rodrigo Gularte servirem de lição a milhares de jovens do nosso país, que diariamente são aliciados por traficantes em troca de ganhos fáceis, já será um conforto. Mesmo porque, acomodados que estão traficantes e criminosos em geral, com a baixa média conclusão nas investigações da nossa polícia, aliado também à crônica demora no julgamento de um crime pelo nosso Judiciário, acham que vão encontrar as mesmas facilidades quando praticam ilícitos em outros países, como até o do tal do jeitinho brasileiro...      

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
AGORA, NADA VAI BEM

Nós, brasileiros, estamos há muito tempo sendo enganados por este governo que aí está e que levou o Brasil ao caos. Estou com saudade do Brasil deixado por Fernando Henrique Cardoso. Nunca antes no nosso país um governo iludiu tanto a sociedade.  Agora, depois de ter conseguido mais um mandato, fato inacreditável, o que me faz até acreditar em bruxaria, abre o jogo e mostra o fruto da irresponsabilidade e da incompetência. Nada vai bem. Está tudo capengando. Lamentavelmente, quem vai "pagar o pato" é toda a população. Ah, se pudesse jogar nas costas somente do eleitorado que endossou a permanência por mais quatro anos tudo o que vamos amargar daqui para frente... Mas, infelizmente, dessa conta só participará quem se esbodega para ajudar no desenvolvimento da Nação.  Vou encerrar este texto com estas palavras que mostram um pouquinho do que estamos vivendo hoje: "Da minha  saudosa bisavó,  eu ganhei  uma lamparina. Jamais pensei que fosse usá-la. Mas, com o advento de Lula e Dilma, vira e mexe a sua luz a minha casa ilumina".  
 
Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br 
Taquari (DF)

*
'O CADÁVER ADIADO QUE PROCRIA'

O irrepreensível artigo do senador eleito José Serra publicado na quinta-feira no "Estadão" ("O cadáver adiado que procria") dá uma ideia sobre o tamanho do estelionato eleitoral de Dilma Rousseff. Só os aumentos das taxas de juros desde a sua eleição, 1,25%, representam o total do que o governo propõe recolher com o pacotaço fiscal. Os erros e desperdícios de oportunidades da era petista custam muito caro aos brasileiros. Sucatearam as indústrias barateando as importações e encareceram o preço externo de nossos produtos. Nunca tivemos ações tão deletérias para toda nossa economia. Até o Itamaraty, antes nosso orgulho, vive hoje dias sombrios ao ponto de não terem nem verba para pagamento das contas de manutenção de embaixadas. Várias delas tem recebido notificações de corte de energia por falta de pagamento. Além de nos envergonhar no exterior com discursos e atitudes impensáveis agora nos envergonham por passarmos por caloteiros. E com o nível da violência no país estamos cada vez mais recolhidos e amedrontados. Está cada dia mais difícil de ter orgulho de ser brasileiro.
 
Maria Tereza Murray terezamurray@homail.com
São Paulo

*
HISTÓRIA

E foi assim. Desde o início dos eternos 12 anos da administração lulodilmista, tudo era treva. Mas os deuses da ética e da moralidade, envergonhados com os descalabros do mensalão e do petrolão resolveram pôr fim ao caos e à desolação, e fez-se a luz, iluminando a lesiva compra da sucata da refinaria de Pasadena, assim como a roubalheira de Abreu e Lima. Destroçaram a Eletrobrás e, numa barbeiragem política, produziram o apagão da Nação, e, como tudo o que se faz de errado no PT, o ministro Eduardo Braga veio a público para colocar Deus no meio. Desconfio de que, na hora em que o STF começar a julgar os políticos do caso petrolão, os espertalhões vão ver que Deus já está com o saco cheio. 

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com
São Paulo

*
ECONOMIA 2015

A equipe econômica não fala em contenção de gastos públicos. Mais uma vez, a mágica é aumentar os tributos para compensar o desperdício. Vamos revelar o truque: o ilusionista arrecada R$ 20,6 bilhões, a maleta some no palco e o dinheiro só volta a aparecer no exercício posterior, surpreendentemente, saindo do seu bolso. 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
QUEM RI POR ÚLTIMO...

Que ninguém se engane: o riso de Joaquim Levy será o choro do contribuinte.

A.Fernandes standyball@hotmail.com
São Paulo

*
BLECAUTE

Quem diria! Este país do ufanismo tendo de importar energia elétrica da Argentina. Quanta humilhação!

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedroluisvergueiro@gmail.com
São Paulo

*
PAPEL HIGIÊNICO

Após o apagão, só falta ter de fazer fila para comprar papel higiênico.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 
São Paulo

*
FALCATRUAS

A mídia nacional tem registrado com bastante ênfase os vultuosos salários recebidos por alguns dirigentes de empresas estatais, membros de conselhos integrantes dos Três Poderes que chegam muitas das vezes até a R$ 100 mil mensais! Muitos destes benefícios engordam seus vencimentos com todo tipo de auxílio como para residência, compra de livros, planos de saúde, auxílio bolsa de estudos, aqui no Brasil e no exterior. Outra face melancólica é a dos aposentados do INSS que trabalham e contribuíram por toda uma vida e veem seus benefícios se aviltarem durante os tempos. Muitos se aposentaram com 3, 5 ou 10 salários mínimos, e hoje recebem uma miséria cujos valores são calculados pelo injusto fator previdenciário. É triste a falta de sensibilidade do poder público para com os aposentados em não estabelecerem novas normas para a aposentadoria, enquanto os cofres públicos são assaltados de forma impune. E os seus autores gozam de suas falcatruas.

Marcos Tito marcostitoadvogados@gmail.com
Belo Horizonte

*
CADÊ OS MANIFESTANTES?

Novamente reclamo: o povo vai em massa para as ruas e para o País por causa da Copa do Mundo e por causa de R$ 0,20 (sim, foi por causa de 20 centavos, pois quando cancelaram o aumento as manifestações se encerraram). Por que não param o País novamente por causa de medidas erradas do governo, roubalheira, corrupção desenfreada, ou mesmo para arrancar este governo do comando da Nação? Nossos valores continuam invertidos.

Euclides Souza eucsneto@gmail.com 
São Paulo 

*
COLETA DO LIXO AOS DOMINGOS

A opção da Prefeitura de São Paulo pelo não recolhimento do lixo aos domingos deixa a cidade ainda mais suja e repugnante, justamente num dia em que ela deveria estar mais bonita e agradável. As praças do centro, como as do Largo Santa Cecília e República, por exemplo, se tornaram verdadeiros chiqueiros ao ar livre, com montanhas de lixo e restos de comida pelo chão, oportunidade máxima para a proliferação de ratos e entupimento de bueiros. Não está na hora de a Prefeitura acordar para a realidade e reavaliar sobre a necessidade da coleta do lixo aos domingos?

Ricardo Acedo Nabarro ricnab@gmail.com 
São Paulo 

*
MEDALHA À VENDA

Triste saber que a medalha do ex-zagueiro e bicampeão mundial interclubes pelo Santos, em 1962/1963, Dalmo, esteja à venda, por ínfimos R$ 15 mil, para cobrir despesas médicas com o tratamento de Alzheimer. Dalmo foi o autor do gol do título e um dos heróis na vitória por 1 a 0 sobre o Milan, no Maracanã lotado, em 1963, que deu a taça mais importante ao clube em sua centenária e vitoriosa história. Onde está o Santos F.C., que não socorre seu ídolo e bicampeão? Onde está Pelé, para quem R$ 15 mil é dinheiro de pinga, peanuts? Onde está a imensa torcida santista que não o ajuda? E, sobretudo, onde está o Brasil, que maltrata seus ídolos e não assegura tratamento de saúde decente e digno para seus idosos? O drama vivido por Dalmo e sua família é um triste retrato do País, que abandona seus idosos doentes e não lhes assegura um mínimo de direitos e de dignidade em sua velhice.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br
São Paulo 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.