Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2015 | 02h08

Decifra-me ou te devoro

O que é que gerencia mal, mente na TV, tira três períodos de folga em menos de dois meses, esconde a situação e depois some por mais um mês sem dar satisfação? E as pessoas ainda se perguntam como o Brasil chegou a essa situação vexatória.

PAULO REIS

paulomarcelomr@gmail.com

São Paulo

Ela acredita no que diz?

Após quase um mês sumida a presidente fez uma reunião com seus 39 ministros (ela sabe o nome de todos?). Seu discurso foi uma versão dela do que acontece no País. Afirmou que os juros altos, a elevação de tarifas e de inflação, as mudanças no seguro-desemprego, que ela acusava seu opositor de planejar, fazem parte do seu "projeto vitorioso". Difícil saber se ela acredita mesmo que todos os brasileiros são trouxas e desinformados. Dizer que o que está em curso faz parte de seu plano de governo é até ofensivo. Continua alegando que nossas dificuldades são causadas pelo encolhimento da economia dos outros países e esquece que os EUA crescem à taxa de 5% ao ano e a China, a 7%. Até países nossos vizinhos têm crescimento muito maior que o nosso. E diz que a Petrobrás, que divulgou na calada da noite um balanço não auditado que não serve para nada, é vítima de malfeitores que não têm que ver com seu governo. Segundo ela, a Petrobrás passa por "rigoroso processo de aprimoramento de gestão". E publica um balanço em que ninguém acreditará?! É incrível que a presidente não se dê conta disso. Enfim, temos um governo que não governou, não governa e jamais governará.

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

Balanço da Petrobrás

O departamento financeiro da estatal adotou o estilo "samba do senhor emocionalmente perturbado" da nossa presidenta.

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

Especialidade

Enfim, apareceu a "Escondidilma". E a "presidenta" pediu aos ministros que reajam a "boatos". Nada como uma especialista no assunto, que o digam Marina Silva e Aécio Neves.

WILSON LINO

wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

Mentir sempre

Dilma pedir aos ministros que reajam a "boatos" quer dizer: ignorem os fatos. Portanto, é para seguir mentindo, enganando a população. Disse também que "as empresas têm que ser preservadas, as pessoas que forem culpadas têm que ser punidas". Seguindo seu raciocínio, a instituição Presidência da República do Brasil, ora sob sua gestão, é lógico que tem de ser preservada. Erros podem ocorrer involuntariamente, o que foi praticado na Petrobrás é crime e ponto final.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Discurso presidencial

Como sempre, foi estarrecedor o pronunciamento da presidenta, pela superficialidade e pelas mentiras. As causas das "medidas corretivas" não foram mencionadas porque implicariam admitir os erros - e Dilma não erra jamais, nem Lula, nem o PT. Depois de mexer na legislação trabalhista, afirmou que não o fez. Não mencionou o aumento de impostos e dos juros, promessas de campanha desmentidas na prática do governo. E os ministros não combaterão os graves problemas do País, mas lutarão a batalha da comunicação para que a versão petista dos fatos vença. Por quê? Para que nas próximas eleições o PT vença e continue a viver à custa do Estado. Essa turma só pensa nisso.

CLODER RIVAS MARTOS

closir@ig.com.br

São Paulo

A vaca tossiu

Fazendo o diabo na campanha para conseguir sua reeleição, Dilma garantiu, entre outros engodos, que não mexeria nos direitos trabalhistas "nem que a vaca tussa". Saindo do silêncio em que se mantinha até agora, usou em reunião com seus 39 ministros o eufemismo "ajustes" para justificar a falta à palavra dada. Tentando sair do brejo em que foi afundada pela economia dilmista, à vaca só restou tossir.

HÉLIO DE LIMA CARVALHO

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

O dito e o desdito

É difícil viver num país onde o governo não sabe aonde quer chegar. Num dia, o governo Dilma anuncia mudança no seguro-desemprego e noutro recua. Num dia diz que não há inflação, noutro sai aumentando impostos e cortando gastos para conter o dragão. Desse jeito fica difícil até para quem quer muito acreditar no PT.

SYLEI PINTO

syleisp@hotmail.com

São Paulo

Sorriso do lagarto

A foto estampada na capa do Estado de ontem dá a real dimensão do descaso da Dilma: todos sorrindo ao apresentar medidas para corrigir erros deste governo mentiroso, que se diz do trabalhador, mas, no final, é contra o trabalhador. Isso porque as medidas nos atingem sempre, pois o patrão, para atender aos interesses do governo, se vê obrigado a aumentar o preço dos seus produtos e nós, trabalhadores, pagamos a conta nas compras.

JORGE PEIXOTO FRISENE

jpfrisene@zipmail.com.br

São Paulo

Coisas desconectadas

As palavras da presidente Dilma Rousseff ditas durante a reunião com os 39 titulares das pastas ministeriais (27/1) devem ter causado um tremendo barulho ensurdecedor na Torre de Babel. Não se entende como é possível juntar coisas desconectadas do passado de dois governos do ex-presidente Lula com as de sua própria gestão anterior e as propostas para o seu novo governo, com tantas desarticulações, entre tantas incoerências.

RAIMUNDO NONATO VELOSO

veloso@secrel.com.br

Fortaleza

CONGRESSO NACIONAL

Dia Nacional do Milho

Impressionante como o Brasil vai de mal a pior e sem a menor perspectiva de achar o fundo do poço: corrupção desenfreada e institucionalizada; apagões elétricos e morais; falta d'água e de caráter generalizada; insegurança pública escancarada; saúde pública no umbral; a presidenta reúne os seus 39 ministros e não consegue parar de gaguejar ao expor o que pensa... Enquanto isso, o Congresso decreta que o dia 24 de maio é o Dia Nacional do Milho - leia-se Lei Federal n.º 13.101/2015. Fica cada vez mais difícil acreditar que este país um dia será minimamente sério.

ATALIBA M. DE MORAES FILHO

ataliba@outlook.com

Araçatuba

ROMBO NA PETROBRÁS

A novela em torno do balanço do 3.º trimestre de 2014 (3T14) da Petrobrás, divulgado na madruga desta quarta-feira (28/1), parecia caminhar para um desfecho. No entanto, surpreendendo as expectativas de muitos analistas econômicos e investidores, o rombo nas contas da estatal, estimado por volta dos R$ 10 bilhões, pode, na verdade, ser de até oito vezes maior do que se imaginava, segundo relatam interlocutores internos que na véspera da divulgação do balanço participaram da reunião do colegiado de membros do Conselho Administrativo da Petrobrás. Na reunião, estavam presentes o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e Miriam Belchior, chairman e conselheira da empresa. Seguindo a maracutaia da "contabilidade criativa" e do trambique próprios do Partido dos Trabalhadores (PT) do sr. Lula e da excelentíssima presidente Dilma Rousseff, o ex-ministro voltou à cena com todo o vigor para fazer de tudo para tapar o rombo das baixas contábeis da Petrobrás, não divulgadas no balanço. Motivo? A peça de ficção montada por Mantega e pelos demais interessados até pretendeu esconder do País os quase R$ 88,6 bilhões referentes às perdas com os desvios de dinheiro dos escândalos de corrupção investigados pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, mas o que estava oculto foi revelado. Que rombo, hein! Essa novela pelo jeito vai longe... quem sabe vai parar lá na boquinha do pré-sal.

Emanuel Angelo Nascimento 
emanuellangelo@yahoo.com.br  
São Paulo

*
CULPADOS

A direção (?) da Petrobrás preferiu não contabilizar o montante dos desvios investigados, por enquanto na conta de R$ 88 bilhões. Mas é possível desde já afirmar quem são os principais culpados: FHC e os seus governos neoliberais envergonhados que não privatizaram a companhia. Se o tivessem feito, os "cumpanheiros" petistas e aliados não a teriam tomado para si, não a teriam particularizado.

Marco Antonio Esteves Balbi 
mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

*
O BALANÇO E OS LADRÕES

A Petrobrás divulgou o balanço do terceiro trimestre de 2014, em que obteve um lucro de R$ 3 bilhões, valor 38% menor em relação ao trimestre anterior. Tudo se justifica quando a famigerada corrupção se alastra. "Ali Babá e os 40 ladrões" foi uma fábula, já a Petrobrás é uma realidade de incontáveis ladrões. E a "nossa" presidente, após sumiço, disse: vamos combater a corrupção! Se isso fosse mesmo sério, Dilma romperia com o PT, com seu criador, Lula, e renunciaria para o bem da Nação! Mas isso nunca vai acontecer, e teremos de conviver com a gangue. Socorro!

Alex Tanner 
alextanner.sss@hotmail.com 
Sumaré

*
ESTÁ LÁ

Está certo o lucro da Petrobrás, porque o valor desviado já está na contabilidade. Todo desvio foi feito com nota fiscal, portanto não tem de abater o valor desviado do lucro anunciado.

Paulo Seiji Isewaki 
Isewaki@superig.com.br 
Sao Bernardo do Campo

*
SÓ POR UM MILAGRE

Com tanto roubo e corrupção, o balanço da Petrobrás a ser divulgado em abril será estarrecedor, a menos que milagres contábeis aconteçam.
 
Roberto Twiaschor
rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
SUPER AÇÃO

A cara de pau dos diretores atuais da Petrobrás, ao fazerem a nova edição de propagandas da empresa, é de espantar. E o termo "superação" é enfatizado como se, por si só, causasse o efeito esperado. História para boi dormir, não nos faz mais do que lembrar da "super ação" de desmonte da Petrobrás por todos estes que agora tentam injetar ânimo na população lesada, enganada, roubada e humilhada em seu orgulho que, embora pouco, ainda restava. E a "super ação" dos quadrilheiros, esta, sim, está impossível de superar. Os supersacanas continuam tentando nos tratar como estultos e panacas... Polícia Federal neles!

José Jorge Ribeiro da Silva 
jjribeiros@yahoo.com.br 
Campinas

*
CASO PASADENA

"Presidente do TCU quer reverter decisão que apontou prejuízos no caso Pasadena" ("Estadão", 25/1, A4). A atitude do novo ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, causa ainda mais estupefação quando se considera que seu filho, Tiago Cedraz, é citado na Operação Lava Jato, acusado de intermediar outro negócio suspeito: a venda da refinaria da Petrobrás em San Lorenzo, Argentina. Ele era sócio do escritório Cedraz & Tourinho Dantas, uma das partes do contrato que previa repasse de uma "taxa de sucesso" de US$ 10 milhões, caso se concretizasse a venda da refinaria a um empresário do jogo na Argentina. Pelo próprio regimento interno do TCU, Cedraz pai não poderia emitir nenhum parecer. O artigo 39 diz, claramente, que é vedada a atuação de ministros em processos "de interesse próprio, de cônjuge, de parente consanguíneo". O ministro Cedraz deveria "pedir para sair". Mas, sabemos, o Brasil está ainda longe de ser um país com vergonha na cara. O próprio corregedor do TCU, Raimundo Carrero, faz vistas grossas ao absurdo. Estamos nas mãos de gente da pior qualidade.

M.Cristina Rocha Azevedo 
crisrochazevedo@gmail.com 
Florianópolis

*
NEGÓCIO SOB SUSPEITA

Aroldo Cedraz abre uma vala vital para que pelo rego escoe do tremedal a água podre e fétida que vai inundar o Palácio, para o mais longe que puder. A sugestão, ou ordem, do presidente do TCU traz à lembrança escritos de Von Ihering nessa matéria, ou seja, da condescendência da "Justiça" para com o devedor. "... O direito privado não conseguiria, por si só, cultivar e defender um estado de espírito proscrito em todos os outros setores; aqui, como em toda parte, o mesmo teve que ceder lugar ao espírito dos novos tempos! Seria de esperar que encerrasse as características do despotismo: o rigor, a implacabilidade. Mas a visão que nos oferece é diametralmente oposta: é uma visão generosa e humanitária. Mas trata-se de uma generosidade carregada de violência, pois rouba de um aquilo que presenteia a outro. É a generosidade do arbítrio e do capricho, não do caráter; representa certo tipo de remorso gerado pela violência, que quer reparar a injustiça por meio de outra injustiça (...) trata-se da benevolência, da tolerância dispensada ao devedor à custa do credor (...): a simpatia para com o devedor é uma das características das épocas de decadência."

Oswaldo de Toledo de Carvalho 
otcarvalho@gmail.com
São Paulo

*
AOS TRIBUNAIS

O ex-secretário da Presidência Gilberto Carvalho, em razão agora de o mensaleiro José Dirceu aparecer na Operação Lava Jato, disse que "querem nos levar aos tribunais". Não, sr. Gilberto. Pelo menos eu não. Por mim, seriam levados a uma ilha deserta, cercada de tubarões e com provisões de comida e água jogadas de helicóptero. Ainda acho pouco, mas é o mais humano que consigo vislumbrar para o que vocês fizeram ao País.

Panayotis Poulis 
ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO

O "Estado" não é o "Charlie Habdo", mas seu editorial "Reinações de Gilbertinho" (28/1, A3) foi inspiradíssimo, ao lembrar a "torneira de bobagens" que se abre para justificar travessuras. Neste governo, o habilidoso esquema infantil não é privilégio exclusivo de Gilberto Carvalho. Vivemos diariamente no Sítio do Pica-Pau Amarelo, com a diferença de que não é um sítio de descanso e paz,  bondades e divertimentos. Mas temos Emília, Pedrinho, o Visconde de Sabugosa e uma plêiade de muitos, muitos, Burros Falantes. 
  
Amadeu R. Garrido de Paula 
amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
FÁBULA

O editorial do "Estado" foi de rara felicidade ao chamar de fabulações as maquinações do sr. Gilbertinho do PT. Precisão de linguagem. Fábula não é a narrativa em que os animais falam?
 
Alexandre de Macedo Marques 
ammarques@uol.com.br 
São Paulo

*
NUNCA MAIS

Gostaria que Gilberto Carvalho fosse fazer suas traquinagens na "terra do nunca"... mais!

Celia Henriques Guercio Rodrigues 
celitar@hotmail.com 
Avaré

*
EM DEFESA DE DIRCEU

O ex-ministro Gilberto Carvalho perdeu a oportunidade de manter-se calado. Saiu em defesa de José Dirceu, sobre as novas denúncias que atingem aquele senhor (agora não será mais réu primário). Disse que as denúncias são obra  da oposição. Afirmou: "Eles não querem a nova candidatura de Lula". Eles quem, cara pálida? Deveria saber que as denúncias estão partindo da Polícia Federal e de demais órgãos responsáveis pela apuração do caso Lava Jato. Há, sim, um temor de que, finalmente, a corrupção que grassa neste governo comece a ser punida. Oremos!

Sergio Cortez 
cortez@lavoremoveis.com 
São Paulo

*
O PT DE GILBERTINHO

"Gilbertinho",  aquele integrante da quadrilha dos pobres, repete uma fala do Zé ("o PT não rouba e não deixa roubar") e, pasmem, 54 milhões de eleitores  acreditam nisso.

J. A. Muller 
josealcidesmuller@hotmail.com 
Avaré

*
A CABEÇA DE JOSÉ DIRCEU

O ex-chefe da Casa Civil José Dirceu nunca sai do noticiário, sempre com más notícias. Parece que o "Zé" não acerta uma! É um estrategista, um planejador de primeira, mas as coisas sempre terminam  mais ou menos como o planejado. A eleição de Lula teve participação sua, a  cassação de seu mandato foi uma decisão sua, pois era ele ou Lula e o projeto de poder do PT. Colocou a corda no pescoço e pulou da escada, mas sobreviveu. Agora, está vendo Dilma na Presidência, Dilma, aquela que era um filhote de lambari, a isca na época da ditadura no lugar do "tubarão" do PT, o lugar que é seu por direito! O que ele não contava era com o apetite do baixo clero, da base aliada. Não bastou sua cabeça, o negócio era dinheiro para campanha e para garantir a sobrevivência por várias gerações. Do mensalão ao petrolão, foi um passo pequeno, pois, se o mensalão não derrubou Lula, pelo contrário, o fortaleceu, não seria um pequeno desvio na Petrobrás que derrubaria o PT, pois a Petrobrás e o PT se confundem e se fundem numa só peça. Quem iria imaginar que a bomba iria estourar e a prisão dos empreiteiros se tornaria realidade? Sobrou outra vez para o "Zé", sendo culpado ou inocente. Todos querem sua cabeça, pois ela paga todos os pecados do resto do governo.

Luiz Ress Erdei 
gzero@zipmail.com.br 
Osasco

*
A LIÇÃO DE MARCOS VALÉRIO

Marcos Valério perdeu o "timing", confiante na "palavra de alguém", mas permaneceu municiado para promover uma vingança maligna em busca de justiça: publicar um livro de memórias.

Sergio S. de Oliveira 
ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
REUNIÃO MINISTERIAL

Na primeira reunião com os 39 ministros do segundo mandato do governo Dilma, realizada na Granja do Torto na terça-feira, em Brasília, a presidente Dilma Rousseff pediu que todas as pastas se ponham em sintonia com o esforço do governo para reduzir gastos. Como reduzir gastos, se a política brasileira está tão banalizada com tantos partidos nanicos e ministérios, conforme a afirmação do vice-presidente Michel Temer em palestra na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)? E o que dizer do orçamento federal, em que 75% é para pagar salários e benefícios, como conta o analista econômico Raul Velloso? 

Edgard Gobbi 
edgardgobbi@gmail.com   
Campinas 
   
*
EXCESSOS
 
Dilma Rousseff fez sua primeira reunião com os 39 ministros de seu governo na Granja do Torto. Por que não no Palácio do Planalto? Pois, como se sabe, não há espaço para o acolhimento de tantos participantes.
  
Francisco Zardetto 
fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
GOVERNO DE MUDANÇAS

Na primeira reunião ministerial do seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff disse que quer fazer um governo de mudanças. Pelo visto, no seguro-desemprego, nas contas de água, de luz e no preço dos combustíveis as mudanças já começaram. Resta saber se a população menos favorecida irá suportar todas as mudanças.

Virgílio Melhado Passoni 
mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
ESTELIONATO ELEITORAL

Li na primeira página do "Estadão" de 27/1 que só o setor de autopeças já demitiu 19 mil trabalhadores em 2014. Agora faz sentido que a primeira ação de dona Dilma em 2015 tenha sido a de reduzir os benefícios do seguro-desemprego e dificultar a sua obtenção pelos trabalhadores demitidos. Portanto, o discurso do ministro do Trabalho, bem como o da petralhada pelega, não é verdadeiro, uma vez que eles sempre alegam que este governo reduziu o desemprego. Se essa alegação fosse verdadeira, obviamente não haveria necessidade de cortar parte dos benefícios do seguro-desemprego e muito menos de aumentar as dificuldades para que os trabalhadores desempregados adquirissem o benefício. Mais um estelionato eleitoral dos petralhas para se manterem no poder.
 
Antônio Carelli Filho 
palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté
  
*
DESEMPREGO X PROPAGANDA

A indústria de autopeças demitiu 19 mil trabalhadores, voltando ao nível de 2009, e o PT continua anunciando na sua propaganda que estamos vivendo em pleno emprego. Mentirosos!

Milton Bulach 
mbulach@gmail.com 
Campinas

*
A LOUCURA NA GESTÃO DO BRASIL 

Estamos caminhando para o caos. No Sudeste falta água, falta luz e, como consequência, em breve faltará alimentos também. Em 2001 já se sabia dos riscos da falta de infraestrutura elétrica. Em 2007 já havia sinais fortes de falta de energia, e a crise de 2008 deu uma folga. O governo federal já tinha estudos claros, desde 2001, de que faltariam energia e água para consumo caso houvesse falta de chuvas. Por que não fizeram nada? O Sudeste/Sul representa 50% da economia do Brasil, mas o que estamos assistindo nestes 12 anos é a pouquíssimos investimentos no Sudeste/Sul e no Centro-Oeste, principalmente em infraestrutura, enquanto o governo federal fez investimentos em portos, metrôs, usinas, estradas, etc. em outros países alinhados ideologicamente ao governo. Estará ele estrangulando o Sudeste/Sul para destruir nossa economia e, consequentemente, a força da oposição ao governo federal? Não consegue pelo voto então vai por estrangulamento mesmo? Pois então veja o quadro que estão desenhando: sem energia, sem água para consumo, indústria pedindo socorro e - próximo passo - com empresas que necessitam de água no processo de produção deixando de funcionar (o que significa desemprego), com paralisação na produção de alimentos por controle de água para consumo humano, vão colher o quê? Uma convulsão social? Destruirão a locomotiva do Brasil? Os vagões (19 Estados deficitários) aguentarão sozinhos ou faz parte também do plano piorar a vida deles? A continuar assim, nosso rico, lindo e adorável Brasil será destruído, e aí prevalecerá a tal Pátria Grande tão desejada por meia dúzia de psicopatas sedentos de poder descompromissados com nossa Pátria Brasil.

Nelson Pereira Bizerra 
nepebizerra@hotmail.com 
São Paulo

*
COLHEITAS

Dizem que, se a lição de casa for feita, a colheita começará em 2016. Não sei, não, com toda essa falta de chuva e de competência, acho que em 2016 vão nos dizer que a colheita será em 2017, e, em 2017, que será em 2018, etc. Enquanto isso, nossos políticos continuam caprichando nos sorrisos quando são fotografados. Alguém já viu uma foto de Joaquim Levy com cara séria (como as circunstâncias exigem)? Devem estar rindo de nós, pobres cidadãos vítimas desses estelionatos eleitorais.

Nelson Penteado de Castro 
pentecas@uol.com.br 
São Paulo 

*
A ÁRVORE INFRUTÍFERA

A propaganda de Dilma Rousseff se iniciou como uma doce matrona preparando uma macarronada, como uma inocente mãe, avó e que ainda tinha tempo de cuidar da Nação. Toda marquetaria garantia um Brasil cor-de-rosa, com obras importantes como hidrelétricas, a transposição do Rio São Francisco, a Ferrovia Transnordestina a todo vapor e o farto apelo social de um Brasil sem miséria e mais carinhosos. Tudo para todos. Após o resultado das urnas, o Brasil da doce matrona apresentou na telona o seu "The End" mandando o recado: já ganhamos, e tudo não passou de mais um truque marqueteiro, no qual o PT já provou ser "expert". Mas ela não é a responsável pelo presente sombrio em que vivemos. Lembrando a conhecida parábola da figueira que não dava frutos, na realidade, Dilma é o fruto amargo desta árvore plantada em 2003 por milhões de brasileiros, que por interesses ou omissões, através do voto, vem sendo cuidada e adubada a cada eleição. Como mostrou o "Estadão" na terça-feira (27/1), Dilma, como uma monarca e sua Corte, se reúnem em Brasília para dar o aval ao saco de maldades noticiado, mas que desde 2012 já se encontrava engavetado para ser anunciado somente após sua vitória, o que nos leva à conclusão de que, seguindo o conselho da parábola, já passou da hora de os brasileiros pegarem o machado para cortar esta árvore podre e inútil para plantarem outra que realmente dê bons frutos.

Glória Anaruma 
gloria.anaruma@gmail.com
Jundiaí

*
CORAÇÃO VALENTE? VAMOS VER

Curiosa e paradoxal a imagem projetada pelo marketing petista sobre a personalidade de Dilma Rousseff. Cadê aquela indômita figura amedrontadora a ralhar com todos os seus subalternos, exigente e com perfil de gerentona, chamada na campanha de "coração valente", e que agora se mostra acuada, amedrontada, distante da mídia e incapaz, como mandatária deste país, de dar qualquer satisfação ao povo que a elegeu e ao que não a elegeu sobre as medidas que estão sendo tomadas e que irão afetar a vida de cada um de nós? Ou será que seus arroubos de braveza só aconteciam porque se imaginou mais poderosa do que realmente era, dadas as fantasias de onipotência que tomaram conta de sua personalidade arrogante? Coisa lamentável tomar conhecimento de que Joaquim Levy se tornou o porta-voz do Palácio do Planalto em Davos, onde presidentes dos países importantes do mundo lá estavam, orgulhosos de estarem lá a representar seu país! Incapaz de assumir seus erros do mandato anterior, Dilma preferiu frequentar outras plagas, mais condizentes com sua autoestima, sentindo-se à vontade entre mandatários medíocres, populistas e pretensiosos, e, pior, narcísicos que só fazem o que lhes dá na cabeça, mas incapazes de olhar as consequências de seus atos para o destino de seu povo. Para estes, os bolivarianos, vale mais sua autoimagem do que o bem-estar do povo, ainda que o discurso venha na contramão dessa realidade. Coração valente tem, mesmo, dona Dilma, quem não foge de si mesmo e não teme reformular tudo o que for necessário, de cabeça erguida, tendo como objetivo não o poder pelo poder, mas pelo povo e para o povo, pois é isso o que se espera de um estadista e é isso que estamos muito a merecer.  

Eliana França Leme 
efleme@terra.com.br 
São Paulo

*
OMISSÃO 

A omissão da presidente Dilma Rousseff, ao esconder-se durante mais de um mês da imprensa, envergonhada talvez pelas medidas que está sendo obrigada a tomar que constituem exatamente o oposto do que pregava durante a campanha presidencial, e ao esquivar-se de comparecer ao mais importante fórum mundial de economia, onde teria a oportunidade de restabelecer a confiança da combalida economia do País diante da comunidade internacional, preferindo prestigiar a posse para terceiro mandato de Evo Morales, seu companheiro no decadente Mercosul, lembra, apelando para a analogia com o futebol, tantas vezes empregada  pelo seu guru e fabricante de postes, o  ex-presidente Lula, a atitude do zagueiro da seleção brasileira durante a melancólica Copa do Mundo de 2014 no Brasil, Thiago Silva, que, como capitão da equipe de Felipão, recusou-se a cobrar pênalti para decidir a partida contra o Chile, preferindo chorar e virar as costas para o gol onde a disputa estava sendo realizada. 

Paulo Roberto Gotaç 
prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro  

*
CÁLCULOS INCÔMODOS

Para que o Brasil não quebre, o governo tem de arrecadar extras R$ 20,6 bilhões. Nesta época de arrocho, que apenas se inicia, é que surgem perguntas incômodas: Fazem falta os dólares doados por Lula a ditaduras africanas? Por que nós temos de nos apertar tanto, enquanto perdoamos dívidas de ditadores? Faz falta, tanto para o Brasil como para a Petrobrás, a refinaria que nos foi expropriada (leia-se roubada) pelo companheiro Evo? Agora uma pergunta mais incômoda: Houve algum tipo de "acerto" nessas "doações" que fizemos? O caixa do PT - ou a conta de algum "cumpanhero" - aumentou? Pelo que vimos em Abreu e Lima, a pergunta procede! E, já que estamos falando da fabulosa refinaria Abreu e Lima, sabiam que o custo extra ao inicialmente orçado daria para pagar duas vezes o rombo de R$ 20,6 bilhões que agora nos "convidam" a cobrir? Pois é, se Abreu e Lima tivesse custado o orçado, o Brasil teria economizado US$ 16 bilhões! Ou quase R$ 40 bilhões! E agora um país inteiro tem de se apertar, por muito tempo, para compensar essa cratera administrativa. É de estarrecer, como dizia na campanha a "presidenta".

Julio Cruz Lima 
São Paulo

*
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Até o homem mais poderoso do planeta, o presidente dos Estados Unidos da América, presta contas de seu governo cada ano, por meio de sua State of the Union Message, transmitida em cadeia nacional. Assim deveria ocorrer em todas as democracias nas quais os governantes são eleitos pelos cidadãos para, idealmente, realizar um governo "do povo, pelo povo e para o povo" (conforme as famosas palavras de Abraham Lincoln em sua Gettysburg Address). Mas, infelizmente, aqui não temos a cultura da responsabilidade. Nem em nossos governantes nem na oposição. Parece que todos querem mesmo as vantagens e o dinheiro do cargo, e ninguém quer assumir a responsabilidade e a obrigação de prestar contas aos que sofrem para pagar seus ricos salários.    Cortar gastos, nem pensar. Querem sempre nos cobrar mais, sem nenhuma preocupação em corresponder com bens e serviços públicos de qualidade. Entra ano, sai ano e tudo continua na mesma. Nós pagando contas cada vez mais pesadas e eles acomodados em não prestar contas. Nosso sonho é um dia termos um Brasil mais sério e responsável. Por enquanto, só temos um triste pesadelo!
 
Silvano Corrêa 
scorrea@uol.com.br
São Paulo

*
JUROS E INFLAÇÃO

Assino embaixo do artigo de Paulo Rabello de Castro ("Juro alto não derruba inflação em 2015", 27/1, A2), sem nenhuma restrição. É simplesmente o mais lúcido comentário que li nos últimos tempos sobre o uso dessas taxas de juros pornográficas para combater a inflação. Conforme ressalta, fora todas as imoralidades subjacentes, essas agigantam os encargos financeiros da dívida pública e tornam quase impossível a produção de superávits fiscais capazes de cobrir esses mesmos encargos. "Quem arcará com essa conta dantesca?", pergunta ele. A resposta é óbvia: nós mesmos, indivíduos e empresas que lutam para produzir e pagar impostos, para o deleite dos rentistas.

Marco A. C. Martins 
macm@aeconomiadobrasil.com.br
São Paulo

*
CHEQUE ESPECIAL A 200% AO ANO

Juros sobre o cheque especial ultrapassam 200%. Um assalto, considerando que, no caso de contrapartida, ao aplicar o nosso minguado dinheirinho nos mesmos bancos, recebemos "rendimentos" (eu chamo de correção) de 6% a 8% ao ano. Gostaria de ouvir sobre isso um comentário de Joaquim Levy, o manda-chuva do governo, "emprestado" pelo Bradesco para o Ministério da Fazenda.   

José Carlos Alves 
jcalves@jcalves.net
São Paulo

*
UM SACO DE MALDADES

Nossa presidente não cansa de nos surpreender negativamente, senão vejamos: reajuste dos magistrados que ganhavam a "módica" quantia de R$ 29 mil e passaram para R$ 33 mil, isso pode; eliminar pelo menos uns 20 ministérios que não fazem nada em prol do País, a não ser servirem como um belo cabide de empregos no troca-troca político, nem pensar; diminuir a verba gasta com propaganda enganosa do Planalto em todos os meios de comunicação não dá;  mas reajustar em 6,5%  a tabela do Imposto de Renda, que afeta todo trabalhador registrado e que, aliás, já está há muito tempo defasada, ahhh, isso não pode, "vai acabar com as finanças do Brasil".

Luiz Roberto Savoldelli 
savoldelli@uol.com.br 
São Bernardo do Campo 

*
'PARTIDO DAS ZELITES'

O Partido dos Trabalhadores (PT) deveria mudar seu nome para "PZ", Partido das Zelites, pois, pelas últimas medidas tomadas, ao cortar benefícios trabalhistas e previdenciários, ao aumentar a conta de eletricidade, o preço da gasolina, o IPI, o IOF e ao não ajustar a tabela de Imposto de Renda em 6,5%, que está defasada em aproximadamente 65%, está prejudicando toda a classe trabalhadora. Ao manter 39 ministérios e concordar com aumentos estratosféricos de salários de congressistas e todo tipo de auxílio para quem não precisa, ou seja, a "zelite", está diretamente prejudicando a classe trabalhadora, que vai pagar tudo isso, e está diretamente beneficiando quem não precisa.
 
Virginia Andrade Bock Sion
vickybock@hotmail.com 
São Paulo 

*
O MITO CAIU

Há décadas empurrados com a barriga, os problemas brasileiros finalmente parecem maiores do que nós, e suas soluções, mais distantes, se não, impossíveis. O mito do país do futuro caiu por terra, e agora o presente pesa em nossos ombros. Deixo aos meus trinetos o sonho de ver minha pátria de pé, mas, ainda assim, temo decepcioná-los.

Ricardo C. Siqueira 
ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
NÃO GOSTO DE POLÍTICA! 
 
Compreensível porque muitos não gostam de política, mas é uma opção de indiferença que pode levar ao êxtase os que fazem dela instrumento de desvio de sua finalidade principal, que é cuidar do bem comum. Com a posse recente dos novos administradores públicos, e já ministradas as primeiras doses amargas, típicas de novos governos, com cortes de gastos, aumentos de juros, ajustes fiscais, o primeiro a sentir esse gosto indesejado é a população, o eleitorado. Daí que se torna pouco palatável qualquer assunto relacionado a política neste momento, ponto alto da decepção e da aversão com os  políticos derivados dela. Mas é aí que se aloja o perigo, pensar somente no calor de uma eleição que isso ou aquilo deveria mudar, porque mudanças significativas só acontecem após longo processo de mobilização popular, de debates envolvendo conflitos de interesses, não só de caráter público, pois de forma dissimulada quase sempre estará o privado, e de quebra, uma longa tramitação burocrática até resultar em leis ou medidas de utilidade pública. O senador Pedro Simon, que recentemente deixou o Congresso, após 60 anos na política, 32 deles no Senado, em entrevista à revista "Veja" (edição 2.408 de 14/1/2015, página 14), revelou como as coisas funcionam: "Costumo dizer que não se podem esperar iniciativas do Congresso Nacional. O povo precisa pressionar os parlamentares. O Congresso é um ajuntamento de corporações - sindicatos, empreiteiras, multinacionais. Ninguém ali fala pelo povo. Se deixar tudo calmo, não fazem nada, ou só fazem coisas de interesse de determinados grupos. Por isso, sempre digo: não esperem nada do Congresso. Só tem mudança com povo na rua. Foi assim nas grandes questões". Pauta do que pode e deve ser mudado não falta: reeleição, reforma política e tributária, combate à corrupção, ao populismo, planos de perpetuação no poder, etc. E assim, se há um desejo de mudança, este deve se manifestar não apenas nas eleições, ou quando alguma medida governamental atinja o bolso, mas a todo tempo, pois este tem passado cada vez mais rápido, sem socorrer aos que dormem, assim como aos que não pensam e se conformam com a situação, ainda que não seja ela nada promissora.
 
Ricardo Calil Fonseca 
ricardocalil@hotmail.com 
Itaberaí (GO)

*
AH, NOSSOS POLÍTICOS...

Netinho de Paula (PCdoB) alega ter se enganado na hora de pagar conta para divulgar mensagens no seu site, e o fez com verba mensal a que tem direito como vereador. Ou seja, além de querer nos enganar, agressor de mulheres e mau caráter, agora também é mentiroso. Este é o nível dos nossos políticos corruptos. 

Angelo Tonelli 
angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
FOI ENGANO!

O vereador Netinho de Paula do PCdoB utilizou a verba do seu gabinete para explicitamente pagar a publicidade de sua campanha para deputado federal em 2014, conforme reportagem publicada no "Estadão". Instado a esclarecer tal absurdo, que custou aos cofres do município R$ 27,5 mil, candidamente alegou que foram lançadas por engano, apesar de abrangerem os meses de junho a novembro de 2014. Claro que não foi por engano, e, sim, pela certeza de impunidade. Engano cometeram os eleitores que sufragaram o seu nome nas urnas e o elegeram vereador por São Paulo.

Gilberto Pacini 
benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
MARTA CONTRA O GOVERNO

Uma coisa é inegável: Marta Suplicy tem tiradas que vão ficar na história da política brasileira. Depois do célebre "relaxa e goza", esta, agora, referindo-se a Dilma dizendo que "vaca engasga de tanto tossir" é simplesmente sensacional. 

Ronaldo Gomes Ferraz 
ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
OPOSIÇÃO

Aécio Neves já era! A nova líder da oposição se chama Marta Suplicy e é do PT, por enquanto. 

Mário Barilá Filho 
mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
A CRISE HÍDRICA E DE INFORMAÇÃO

Na terça-feira, 27/1, o telejornal "Bom Dia Brasil", da Rede Globo, induziu o povo paulistano a entender que o governo de São Paulo, por meio da Sabesp, está fornecendo água contaminada da Represa Billings para os paulistanos. Uma meia notícia tendenciosa que visa apenas a desprestigiar o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB. A Rede Globo contratou até uma especialista ambiental da Faculdade de São Caetano do Sul para dar veracidade à meia notícia. Evidentemente, a água coletada direto da Represa Billings está completamente contaminada com os esgotos clandestinos das ocupações irregulares em torno da represa. A água dos outros reservatórios está tão contaminada quanto a da Represa Billings. Porém qualquer pessoa de bom senso sabe que essa água coletada passa por diversos processos de tratamento para descontaminação e purificação. A água coletada da Represa Billings é coletada, tratada e fornecida pela Sabesp para o paulistano há vários anos com total qualidade. O governo de São Paulo planeja apenas aumentar o volume de captação da Billings para a transposição para o Sistema Cantareira e o Alto Tietê. Essas informações não foram dadas durante o telejornal, talvez propositadamente para induzir o paulistano a acreditar que está bebendo água contaminada, o que é uma grande inverdade. A qualidade da água oferecida pela Sabesp é reconhecida internacionalmente e uma das melhores em todo o Brasil. A notícia, portanto, deve ser clara, imparcial e completa, sem comentários tendenciosos, para não induzir o telespectador a falsas interpretações. 

Vagner Ricciardi 
vbricci@estadao.com.br 
São Vicente 

*
A ÁGUA E AS OBRAS

Com a entrada do PAC para a ligação do Rio Paraíba do Sul com o Sistema Cantareira, creio que o sistema será reversível, podendo receber o Paraíba água do Cantareira. Falta informação sobre projetos de longo prazo, que deveriam ser cobrados pelo Ministério Público. O petróleo importado é bombeado de São Sebastião para São Paulo. Por que não se faz o mesmo com a água a partir do Ribeira, do Rio Paraná, etc.?

Alvaro Maia 
alvaro.maia@yahoo.com.br
São Paulo

*
APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA

Gostaria de saber por que não se fala em criar cisternas nas casas e nos prédios, como é feito em boa parte do Nordeste? Se essa massa enorme de água da chuva pudesse ser retida na grande São Paulo, teríamos menos enchentes e acredito que o uso desse volume de água no uso das privadas poderia aumentar o nível das represas. Como não é fácil de isso acontecer espontaneamente, podíamos, a partir de agora, pedir para que as aprovações de novas plantas de construção levem em consideração essa possibilidade. Eu mesmo tive essa experiência, pois o poço de uma obra onde eu trabalhava ficou sem água e tive de usar a água que caía do telhado. Foi grande a minha surpresa ao verificar a quantidade de água que o telhado recuperou. Com essa atitude, usando a água aqui, iríamos ter de imediato seu uso, sem despesas de tratamento.

Durval Ferreira 
durvalferreiratijolos@gmail.com 
São Paulo

*
PROTESTO

Grupos de pessoas vão ao bairro do Morumbi reclamar da falta de água e culpar o governo paulista. Mas são os culpados pelo gasto excessivo e não são racionais quando não economizam: torneiras abertas ou pingando, descargas nas privadas, lavar calçadas não usando vassouras, etc., etc. Por que não culpam São Pedro e a si mesmas? E com a luz vai acontecer o mesmo...

Mário A. Dente 
dente28@gmail.com
São Paulo

*
SINAL VERDE PARA A DROGA
 
Desde o dia 17 de janeiro 10 pessoas ficaram feridas e 4 morreram - entre elas duas crianças de 4 e 9 anos -  vítimas de bala perdida só no Rio de Janeiro. Ninguém, minimamente informado, desconhece que a gênese dessa violência está na droga e na ação dos traficantes, que se digladiam entre si procurando se impor à base da mais crua violência. A sociedade brasileira já é, de certa forma, refém dos problemas relacionados ao tráfico de drogas, seja vitimizada direta e indiretamente pela droga em si, que a tantos seduz com seu canto da sereia aliciador para, depois, submeter à escravidão moral os desavisados, sentindo no lombo a violência da guerra entre gangues que extrapola os becos e as "bocas" e atinge crianças e adolescentes até mesmo nos poucos locais de lazer de que hoje dispõem. Enquanto isso, a presidente Dilma Rousseff vai a La Paz prestigiar a terceira posse consecutiva de um déspota cocaleiro, apoiado pelos barões da droga locais, mas não sem antes chamar para "consultas" (uma atitude diplomática que revela grave descontentamento) o embaixador brasileiro na Indonésia, como que mostrando a língua para o presidente daquele país por ter honrado as leis locais e fuzilado um traficante brasileiro pego em flagrante delito. Nestes tempos inglórios em que, por aqui,  o simples ato de sair à rua já implica risco de vida, podemos esperar, para os próximos anos, a manutenção da atual política que revela abjeta tolerância com este que, após o aquecimento global, talvez seja o principal problema da sociedade moderna.
 
Silvio Natal 
silvionatal49@gmail.com     
São Paulo

*
FRONTEIRAS ABERTAS

No "Jornal Nacional", o secretário de Segurança do Rio de Janeiro disse, sobre balas perdidas: "A Segurança Pública começa nas fronteiras" e "a polícia é só um elo da segurança". Isso é verdade. Com a palavra, o governo federal. 

Arcangelo Sforcin Filho 
arcangelosforcin@gmail.com 
São Paulo

*
O ASSASSINATO DE ALBERTO NIZMAN

Está ficando cada vez mais óbvio que os responsáveis pela investigação da morte do promotor argentino Alberto Nisman não farão o mínimo esforço para sequer iniciar uma investigação séria que chegue ao autor, ou autores, do crime. O que mais chama a atenção é a passividade do povo argentino, que, ao invés de sair massivamente às ruas para protestar contra o governo, parece observar o desenrolar do caso como se fosse uma novela.

Luciano Harary 
lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
DÚVIDA?

Será que resta alguma dúvida de que o procurador Alberto Nisman foi assassinado por agentes iranianos com o apoio efetivo do serviço secreto argentino?

Friedrich von Braun 
friederichvonbraun@gmail.com 
Ponta Grossa (PR)

*
ALHEIAS A QUALQUER CONFLITO

Cada vez mais percebo que a única diferença entre a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e a presidente Dilma Rousseff é o idioma.

Luiz Frid 
luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
A GRÉCIA E A CRISE EUROPEIA

É uma boa notícia para o povo grego e para a política europeia em geral a vitória da esquerda progressista nas eleições da Grécia. Os neoliberais e conservadores da direita, com a defesa do mercado financeiro e da austeridade, levaram os gregos - e a Europa - para o buraco da recessão, crise econômica, desemprego e falta de perspectivas. Oxalá a Grécia e a Europa consigam sair dessa situação difícil e voltem ao bom caminho do crescimento, do desenvolvimento e da prosperidade.
 
Renato Khair 
renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
INSPIRAÇÃO

O novo primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, líder do partido Syriza - Coalizão de Esquerda Radical - e ex-membro do Partido Comunista (KKE), declara-se politicamente inspirado no modelo socialista-bolivariano da América Latina e em seus líderes Lula, Chávez e Morales. Pelo visto, o futuro do país berço da democracia não promete dias melhores. Quem viver verá.

J. S. Decol 
decoljs@globo.com 
São Paulo

*
POLÍTICAS POPULISTAS

Políticas populistas têm afundado países como os governados por Hugo Chávez, Nicolás Maduro, Evo Morales, os Kirchner, Dilma, Lula e outras figuras que se acham acima dos valores e das leis. Isso porque  sabem gastar dinheiro, mas não sabem produzir. A Grécia agora também vai para o buraco junto com eles, e aí os caras vão culpar os credores, os americanos, o Banco Europeu, os banqueiros, os empresários e todos mais que são citados nas cartilhas ideológicas, mas não vão abrir mão das "conquistas sociais", ou, melhor, das mamatas sem lastro que conseguiram. No Brasil, nós que somos altamente tributados estamos pagando essa conta.

Miguel Pellicciari 
emepe01@uol.com.br 
Jundiaí

*
CRISE NA VENEZUELA

Na Venezuela, a crise de alimentos é tão brava que vaso sanitário poderá se tornar uma peça de museu. Por completa inutilidade...

A.Fernandes 
standyball@hotmail.com
São Paulo

*
'VILA FERROVIÁRIA - PARANAPIACABA'

Com relação à carta "Vila ferroviária - Paranapiacaba", do leitor sr. Carlos J. V. Franco, publicada no dia 24 de janeiro, a Prefeitura de Santo André informa que o local, antiga propriedade da Rede Ferroviária Federal, ficou abandonado por alguns anos, principalmente após a privatização da Rede, em meados da década de 1990. Para que este patrimônio nacional não se perdesse, a Prefeitura de Santo André comprou a Parte Baixa da Vila, em 2002, e desde então tem investido, com recursos próprios e algumas parcerias, na recuperação e manutenção da Parte Baixa. Informamos ainda que em breve, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, do governo federal, terão início as obras de restauro de 242 imóveis da Parte Baixa, bem como outras construções que marcam a história da vila e da ferrovia. Com relação ao pátio ferroviário, área de responsabilidade da empresa MRS Logística e da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, uma ação do Ministério Público Federal em andamento determina a elaboração de um projeto para a manutenção do local, bem com a recuperação do sistema funicular. Já na Parte Alta, onde as propriedades são particulares, a Prefeitura de Santo André, junto com os conselhos de preservação do patrimônio, elabora um conjunto de normas para sua manutenção e restauro.

Marcos Imbrizi, Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Santo André 
MLImbrizi@santoandre.sp.gov.br
Santo André

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.