Fórum dos Leitores

TERRORISMO

O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2015 | 02h05

Horror Islâmico

É impossível nos mantermos em silêncio diante da barbárie do terrorismo islâmico, orquestrada pelo grupo radical Isis. Não bastasse o genocídio que promove contra seus próprios conterrâneos, exterminando sem piedade homens, mulheres e crianças, os diabólicos militantes do Isis querem horrorizar e amedrontar o Ocidente com suas execuções chocantes de estrangeiros. Conseguiram chocar, sim. Mas não nos assustarão, nem nos vencerão. Ao contrário, pagarão caro pelo horror que estão orquestrando.

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

Faltou diálogo

Os radicais do autodenominado "califado" dos Estados Islâmicos queimaram vivo o piloto jordaniano que por eles havia sido sequestrado. Se a presidente Dilma Rousseff e Eduardo Suplicy tivessem dialogado com os executores, é provável que essa barbárie tivesse sido evitada...

ULISSES NUTTI MOREIRA

ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

CORRUPÇÃO

Petrobrás

Precisava desse desgaste todo, dona Dilma? Por que tanta demora para demitir a diretoria da Petrobrás? Em qualquer país civilizado, com bom senso e coerência, ante tanta corrupção exposta e comprovada a direção da Petrobrás estaria fora no primeiro momento. Manter essa turma foi tiro no pé, incompetência ou conivência com o ilícito. Ou era para acobertar as falcatruas?

WALTER LÚCIO LOPES

wll@uol.com.br

São Paulo

Graça deve satisfações

Petrobrás sem Graça e na desgraça... Gostaria de saber se a sra. Graça Foster e seus auxiliares sairão da Petrobrás sem dar satisfação alguma sobre a roubalheira com a qual conviveram nestes últimos anos como se fossem trâmites normais e que levou a maior empresa brasileira à beira da falência. Com a palavra Lula, Dilma e companheirada do PT.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Petrolão

O maior acionista vai trocar todo o encanamento na tentativa de acabar com o vazamento. Mas deixará um ladrão - entenda-se por aquele cano que fica na parte alta da caixa - para controle de um excedente eventual, por conta do aumento do preço de combustíveis, da Cide, etc. Bem pensado! Só nós não pensamos nisso.

M. MENDES DE BRITO

voni.brito@gmail.com

Bertioga

Reforço?!

Não é de reforço que está precisando a Petrobrás, como disse Rui Falcão. Necessita, sim, de homens honestos e competentes para não deixar que a estatal vá definitivamente para o buraco.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

A hora é agora

Pena que o povo brasileiro não é conscientizado e politizado o suficiente para exigir a privatização da Petrobrás. Mudança da presidência e da diretoria baseada no fisiologismo e no clientelismo de nada adiantará, pois, como diz o dito popular, "mudam as moscas, mas o lixo continua o mesmo". Obviamente que a privatização não impede a empresa de continuar sendo foco de corrupção, mas pelo menos quem vai pagar o butim não mais será o cidadão, principalmente o mais humilde e desprovido.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

LÍDER DO GOVERNO

Dólares na cueca

Finalmente dona Dilma acertou a mão: escolheu para líder do PT na Câmara dos Deputados ninguém menos que José Guimarães, notório por ser irmão de José Genoino, mas principalmente por ter seu assessor sido flagrado no aeroporto de São Paulo com dólares na cueca. Essa provavelmente será a versão 2015 do mensalão - ou seria mais bem designado como cuecão?

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Os quadros do PT

O PT mexe, remexe, dança um cortado na hora de escolher um nome para substituir seus quadros e no final acaba por indicar os mesmos pendurados na Justiça, apanhados em situação de delito explícito. O homem dos dólares na cueca e defensor árduo da "democratização" da mídia José Guimarães será o novo líder do governo na Câmara. José Dirceu frequenta reuniões e faz articulações políticas sem nem ao menos ter terminado de cumprir a sua pena. E a nossa presidente da República, em cujo mandato a Petrobrás foi grosseiramente subtraída, sem falar que levou o País ao caos econômico, à falência das contas públicas, está aí, intacta, como se nada fosse por causa dela... Não é possível! Quando o Brasil vai ficar livre desses aventureiros?

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

MARKETING POLÍTICO

Uso indevido

O professor Roberto Romano, no artigo Fanatismo e ideologia, as batalhas do marketing (4/2, A2), faz dezenas de citações eruditas para concluir que "o marqueteiro é um avatar do sofista". Em linguagem mais simples, afirmo que o marketing político tem sido mal compreendido por causa do uso indevido que algumas vezes se faz dele, no Brasil. Não há como discutir sua existência. É uma atividade, um instrumento que, como qualquer outro, pode ser bem ou mal utilizado. (Não se condene a medicina de reprodução humana pelos feitos de Abdelmassih.) É necessário, contudo, conter o ímpeto de "profissionais" que se utilizam de ferramentas do marketing político para conseguirem resultados a qualquer preço.

CHICO SANTA RITA, consultor

em marketing político, autor

da trilogia 'Batalhas Eleitorais',

coordenou mais de 150 campanhas majoritárias

chicostarita@uol.com.br

São Paulo

JUSTIÇA

'Prisão esportiva'

Muito apropriada a leitura do dr. Renato Zupo (3/2, A2), pois o Brasil, pelas mãos do Judiciário, se transformou num país onde só os bandidos e políticos gozam os privilégios legais. A falta de senso na aplicação da justiça, que seria a principal missão dos juízes, transformou-se num poço de inépcia e desdém às vítimas. Com o Supremo "aparelhado" pelo PT e a classe de juízes condescendentes com bandidos, salvo raras exceções, o principal problema do Brasil é a falta de justiça, em que pesem o custo do Judiciário e as mordomias patrocinadas pelo contribuinte.

JOÃO CESAR RIBEIRO

cesar.ribeiro8@hotmail.com

São Paulo

ENFIM, A RENÚNCIA

Como já era esperado pelos analistas econômicos, a presidente da Petrobrás, Graça Foster, e mais cinco diretores renunciaram de seus cargos na estatal. Porém, quer maior exemplo de amadorismo empresarial do que manter o ex-ministro Guido Mantega no comando do Conselho de Administração que irá eleger a nova diretoria da estatal, em reunião marcada para sexta-feira (6/2)? O ex-ministro já deveria ter sido demitido há tempo. E mais: não será nada fácil encontrar um executivo experiente para comandar a Petrobrás - e que suporte as pressões do Planalto. Tomara que tudo dê certo, pois o vácuo na Petrobrás pode causar mais instabilidade econômica ao País. 

Edgard Gobbi 
edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
PRÓXIMOS PASSOS

A saída de Graça Foster, bem como de parte da diretoria da Petrobrás, era fato premente e esperado pela maioria dos cidadãos brasileiros. O sangramento contínuo que ocorria com a descoberta da corrupção que havia em sua diretoria poderá será estancado e ser este o início de uma recuperação da empresa. O cerne da questão está no influxo da ação política que gerou decisões erradas e perdas da ordem de R$ 88 bilhões. Esperamos que o critério para a substituição da nova diretoria seja direcionado para os técnicos de carreira e com a expertise necessária para levantar a empresa das profundidades do pré-sal e colocá-la de novo na superfície. Entretanto, essa ação não fecha o caminho que está aberto para o processo de impeachment da presidente Dilma. A previsão do senador José Serra poderá se confirmar: Dilma não terminará seu mandato. 
 
Mário Negrão Borgonovi 
marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
A SAÍDA DE GRAÇA FOSTER

Renunciaram a Graça ou caiu em desgraça?

Oscar Rolim Júnior 
rolimadvogado@ibest.com.br
Itapeva

*
FORA, DILMA!

Graça Foster, mergulhada até o pescoço no mar de lama que engolfou a Petrobrás, renunciou. Dilma Rousseff, mergulhada até o pescoço no mar de lama que engolfou o Brasil, está esperando o que para seguir o exemplo de sua subordinada? Não é necessário ter bola de cristal para saber que, se Dilma não sair pela renúncia, sairá pelo impeachment. 

Túllio M. Soares Carvalho 
tulliocarvalho.advocacia@gmail.com 
Belo Horizonte 

*
CORRUPÇÃO

Graça Foster e demais diretores da Petrobrás deixaram seus cargos. Dilma procura nova diretoria. Uma sugestão: que tal colocar a turma do mensalão, sob a presidência do Zé Dirceu, para chefiar a empresa? Pelo menos estes já têm pratica em sonegar. Aí não tem mais escândalo, porque, enquanto o PT for governo, existirá a corrupção.

Ronald Martins da Cunha 
ronaldcunha@hotmail.com
Monte Santo de Minas (MG)

*
ATÉ QUANDO SUPORTAREMOS?

Já são, declaradamente, R$ 80 bilhões (!) só na Petrobrás. E ainda tem todo o setor de geração de energia para nos arrepiar. E pensar que Fernando Collor sofreu impeachment por causa de uma Elba e a reforma do jardim da casa da Dinda. Precisamos de uma foto de Lula e de Dilma com dinheiro escondido na roupa de baixo (como no caso do assessor do novo líder do governo no Congresso) para colocar todo este povo fora do Planalto e na cadeia? Até onde vai a tolerância com a corrupção do nosso povo?

Oscar Thompson 
oscarthompson@hotmail.com 
Santana de Parnaíba

*
A VALORIZAÇÃO DAS AÇÕES

A Petrobrás perdeu a graça mas ganhou na Bolsa.
 
Cláudio Moschella 
arquiteto@claudiomoschella.net
São Paulo    

*
FRITURA

Indagada sobre a eventual fritura de Graça Foster, a elite do PT saiu-se com esta: a gata está no telhado a caminho da chaminé...
  
Marcos Catap 
marcoscatap@uol.com.br
São Paulo

*
BANQUINHOS

Demorou para Graça abandonar a mamata. Acredito que agora a sua cadeira será um banquinho. Dilma podia aproveitar e entregar a sua cadeira, pegar logo um banquinho, pois logo, logo haverá falta deles. 
 
Jorge Peixoto Frisene 
jpfrisene@zipmail.com.br 
São Paulo 

*
O SUBSTITUTO DE GRAÇA FOSTER 

O noticiário informa que Lula "sugeriu" a Dilma o nome de Henrique Meirelles para substituir Graça Foster. Noticiário errado, porque Lula não sugere, ele manda! Não importa quem ocupará o cargo, pois, assim como outros, será mais um dos capachos de Lula.

Laércio Zannini 
spettro17@hotmail.com 
São Paulo

*
A LAMA ESTÁ CHEGANDO

Aleluia! Aleluia! Enfim a lama (para ser educado e não dizer exatamente qual substância é) está chegando aos pés (por enquanto) de sua santidade boquirrota, Luiz Inácio. Aquela foto do ex-presidente vestido de macacão laranja com as mão sujas era um prenúncio. O macacão não era de petroleiro, mas, sim, de presidiário, e as mão sujas não eram de petróleo, e, sim, da referida substância, da qual os petralhas são exímios produtores.

Renato Otto Ortlepp 
renatotto@hotmail.com  
São Paulo

*
UM NOME DO SETOR

Como a presidente quer algum executivo do setor de petróleo, será que Eike Batista tem chance?

Ely Weinstein 
elyw@terra.com.br 
São Paulo

*
NOVO CHEFE DO PETROBANDO

A culta, magnânima e ilustrada economista presidente Dilma Youssef, digo, Rousseff, ao invés de escolher a substituta de "Gracinha", poderia, com a capacidade que tem, acumular o cargo na estatal, pois já o conhece de longa data. Nada mais justo e útil para o Brasil.

Iracema M. Oliveira 
mandarino-oliveira@uol.com.br 
Praia Grande

*
PETROLÃO

O que fizeram com a Petrobrás, principalmente na incompreensível compra/venda da refinaria de Pasadena, não foram somente atos de corruptos e corruptores, foram atos de verdadeiros débeis mentais. 

Jose J. Rosa 
jjrosa1945@yahoo.com.br 
Santa Terezinha 

*
FESTA ERRADA

Cobertos de razão Nestor Cerveró e Graça Foster quanto à indignação por utilizarem suas imagens para confecção de máscaras carnavalescas. Elas deverão ser usadas apenas no Dia de Halloween.
 
Fernando Blank 
drblank@ig.com.br 
Indaiatuba

*
A PETROBRÁS É SÓ O COMEÇO

Estamos todos preocupados com a roubalheira na Petrobrás. Nada mais justo. No entanto, alguém já se perguntou o que tem acontecido no Banco do Brasil, na Caixa Econômica Federal, nos Correios e em tantas outras empresas tomadas de assalto pelo bando que tomou conta do Planalto em 2002? Se o juiz Sérgio Moro resolver investigar também essas outras estatais (fora os ministérios), o rombo será muito maior que o PIB de muitos países. Vamos passar o Brasil a limpo.

Geraldo R. Banaskiwitz 
geraldo.banas@gmail.com 
São Paulo

*
O FIM

A empresa Sete Brasil foi criada pelo PT para refundar a indústria naval brasileira. Sua sede é um dos mais belos símbolos do delírio petrolífero petista, com vista para o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Os sócios da empresa são bancos privados (BTG, Bradesco e Santander), fundos de pensão e a PTbrás. Era um sonho para poucos, essa empresa iria administrar as sondas de exploração do pré-sal, conforme revelou a revista "Veja". Mas, como tudo nesta vida um dia tem fim, eis que apareceu a Operação Lava Jato no caminho e a Sete Brasil está mal das pernas, perigando quebrar, pois as empreiteiras donas dos estaleiros estão no olho do furacão da operação em curso. Nomes como Pedro Barusco, muito próximo de José Dirceu, Renato Duque e o ex-presidente da Sete Joao Carlos Ferraz, indicado por Sérgio Gabrielli, figuram na lista. Os sócios da Sete recorreram a Dilma, que mandou a PTbrás atender ao apelo dos acionistas. Serão R$ 8 bilhões do BNDES - leia-se, o meu, o teu, o nosso dinheiro. Afinal, o que são mais R$ 8 bilhões num país que esvazia o cofre com o aval de 53 milhões de brasileiros?
   
Izabel Avallone 
izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
INIMPUTÁVEIS

Ninguém de sã consciência poderia acreditar que os principais escândalos de corrupção que vivemos hoje no País tenha sido obra de pessoas isoladas. Os escândalos são protagonizados por cidadãos nomeados e de confiança de dois presidentes da República, de dirigentes e políticos renomados e dos partidos que os apoiam. A abrangência e o poder destas pessoas que protagonizaram vários escândalos, entre eles o mensalão e o agora petrolão, não poderiam acontecer sem o apoio e participação do PT que governa o País.  No entanto, o que vemos é a negação do óbvio, através dos constantes pronunciamentos da presidente da República e dos políticos que a apoiam, baseados na hipocrisia e nos sofismas criados pelo seu marketing antiético. Defendem condenados e se recusam a expulsar os seus malfeitores. O mais preocupante é que mesmo a Justiça e os órgãos da imprensa silenciam e evitam investigar e indicar os verdadeiros responsáveis pelos fatos. Ficam inatingíveis os dirigentes do partido e os presidentes da República. Estamos numa situação muito perigosa, em que o mau exemplo vem de cima, e em cima há a inimputabilidade. Ou estaremos nos transformando num país de "trouxas" onde o que prevalece é a negação, a mentira e os sofismas de poucos poderosos? Ou seja, o poder político está destruindo a moral e os bons costumes de um país? Aonde chegaremos com isso? Um partido e um governo que não se desculpam, não punem os condenados, recebem dinheiro ilegal, permitem que o País e a sua melhor empresa sejam dilapidados, podem continuar? Recebimentos de dinheiro do exterior e de recursos ilegais são motivos que, isoladamente, podem provocar a extinção do PT? A continuar assim, será que este será o desfecho deste cenário? Ou o PT é inimputável? 

Manoel Sebastião de Araújo Pedrosa 
link.pedrosa@gmail.com
São Paulo

*
ISTO É MÁ GESTÃO

Muitos consumidores já sentiram o peso dos primeiros aumentos em suas contas de luz, mas os reajustes poderão chegar a 40%. O mais impressionante é a incapacidade do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) em prever algo tão óbvio. Em 2013, a arrogância do Palácio do Planalto foi decisiva para jogar as distribuidoras no caos. Baixar as contas na luz com uma medida absolutamente mal planejada demonstra a incapacidade administrativa de um governo que não admite suas próprias falhas. É igualmente importante frisar a falta de investimentos. A estiagem que afeta as Regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste foi prevista há anos, ou seja, se houvesse o mínimo de seriedade na gestão do setor elétrico, a nossa matriz seria diversificada, reduzindo a dependência no ciclo hidrológico e, principalmente, minimizando os reajustes. O que estamos presenciando é uma série de equívocos que foram ocultados durante a campanha eleitoral. Será que a então candidata à reeleição não sabia da crise financeira de seu governo, da fragilidade do setor elétrico e das modificações (em estudo) na concessão de benefícios trabalhistas e previdenciários? 

Willian Martins 
martins.willian@globo.com 
Guararema 

*
CONVOCAÇÃO DE REDE

A presidente Dilma está devendo ao brasileiro e à brasileira a convocação de uma rede nacional de comunicação para anunciar que a conta de energia elétrica vai sofrer aumentos que chegarão perto de 50% em algumas regiões e prevenir a população para os risco de racionamento e apagões, no mesmo molde que usou para, no ano passado, comunicar exitosamente a redução de 18% nessas mesmas contas e garantir que temos energia de sobra para agora e no futuro.

Abel Pires Rodrigues 
abel@knn.com.br                                     
Rio de Janeiro 

*
TARIFAÇO E TARIFAZINHA

A notícia de que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprova mais aumento nas tarifas de energia, sendo que as Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste vão levar a maior cacetada, 20%, e as Regiões Norte e Nordeste, tratadas mais uma vez com paternalismo descarado, pagarão 3,89%, é de causar indignação aos brasileiros que estão sofrendo as consequências do desgoverno que está arrebentando com o Brasil. Fazer gracinha com o chapéu alheio é muito fácil. Ah, quando será que o nosso povo vai acordar? E os partidos de oposição, o que estão fazendo? Nunca antes na história do nosso Brasil houve tanta canalhice.                
                                             
Jeovah Ferreira 
jeovahbf@yahoo.com.br 
Taquari (DF)

*
MÁS NOTÍCIAS

A maré não está mesmo para peixe. Uma rápida passada d'olhos nas páginas do caderno de "Economia" do "Estadão" de terça-feira (3/2) dá o tom do momento: "Conta de luz pode ficar até 33% mais alta a partir de hoje" (página B1). Na página B2, o editorial econômico: "Escândalo e demanda fraca afetam construtoras". O nível de emprego da construção civil só faz cair! Na página B3, prosseguem as más notícias: "Mistura na gasolina vai passar de 25% para 27%", o que afetará ainda mais o motor dos que têm carro a gasolina. E, por falar nisso, na mesma página B3: "Combustíveis sobem nos postos com alta do PIS/Cofins". O litro de gasolina já passa de R$ 3,00 na maioria dos postos, mais que o dobro do preço nos EUA. Na página B4, a matéria "Estatais federais investiram 15,7% menos em 2014" mostra parte do impacto da Operação Lava Jato sobre o ritmo das obras de infraestrutura. Na B5, "Balança inicia o ano com déficit: US$ 3,1 bilhões". Prossegue a olhos vistos a erosão da balança comercial, com a menor média diária para o mês desde 2010. A página B6 - "Nem liquidação salva venda de janeiro" - aponta recuo nas vendas a prazo e nos negócios à vista. Na mesma página, "Venda de carros cai 31,4% no pior janeiro dos últimos quatro anos", fica claro o porquê de as montadoras estarem demitindo ou fazendo lay-off. E a matéria adverte que fevereiro poderá ser ainda pior! Na página B8, a matéria "Dólar segue escalada e soma quarta sessão de alta ante o real" dispensa maiores explicações: o real está entre as moedas mais desvalorizadas nos últimos tempos. Esse, como dito, foi o resumo de apenas um dia de notícias econômicas do Brasil, aquele país do "nunca antes", que tinha tudo para virar potência sob a competente batuta do Partido dos Trabalhadores. E ainda há quem insista em se iludir, acendendo boa vela no altar pagão e cheio de cupim do PT.
 
Silvio Natal 
silvionatal49@gmail.com 
São Paulo

*
'QUADRO DIFÍCIL'

Parafraseando Celso Ming ("Quadro difícil", "Estadão", 3/2, B2), se o ano 2014 foi péssimo para a economia brasileira, vejam o que nos espera, pelas notícias econômicas de 3/2/2015: "nem liquidação salva venda de janeiro", "vendas de carros caem 31,4% no pior janeiro dos últimos quatro anos", "balança inicia com déficit: US$ 3,1 bi", "combustíveis sobem nos postos com alta do PIS- Cofins", "escândalo e demanda fraca afetam construtoras", "conta de luz pode ficar até 33% mais alta a partir de hoje", "após derrota na Câmara, governo 'negocia' 2.º escalão". E, para fechar, "Dilma fala em ajuste, mas 'sem recessão'". 

José Carlos Alves 
jcalves@jcalves.net
São Paulo

*
DISCURSO PARA BOI DORMIR

Dona Dilma Rousseff está tal qual um disco rachado, repetindo "ajuste fiscal", insistindo, vergonhosamente, em que é para "corrigir excessos em programas sociais", com preservação de direitos trabalhistas e sociais e ainda sem recessão. Mentindo sem pudor, já cortou os mesmos e continua aumentando a carga tributária, luz, gasolina e o que vier pela frente. Enquanto isso, a farra do PT continua. Escandalosamente, a Prefeitura de São Paulo, sob o comando de Fernando Haddad, virou um cabide de empregos para os "cumpanheiros" rejeitados nas urnas, incluindo o ensandecido Eduardo Suplicy, que quer dialogar com os black blocs, numa piada de mal gosto. Mas o PT se esquece de que quem paga mais esta farra de salários são os contribuintes. De quebra, Haddad vai pagar para os travestis o valor de R$ 840,00, além das bolsas a estrangeiros, dando um chute na Constituição federal e no discurso para boi dormir de Dilma, já que a vaca foi para o brejo. Então o tal ajuste fiscal é para quê? Para quem? Infelizmente, a oposição silencia. Essa é a razão pela qual o PT está onde está e faz o que faz, porque ninguém os enfrenta e os põe na linha.
 
Glória Anaruma 
gloria.anaruma@gmail.com
Jundiaí

*
A MENSAGEM INACREDITÁVEL

A mensagem da presidente Dilma Rousseff (PT) na abertura dos trabalhos do Congresso Nacional em 2015 foi de que o País chegou "ao limite fiscal", afetado por "mudanças no cenário econômico e climático", e que ajustes "são necessários para que a economia volte a crescer". É inacreditável a cara de pau na mensagem, tratando como se fôssemos todos idiotas desconhecendo a razão do limite fiscal, sinônimo da farra com o dinheiro público objetivando à reeleição. Não satisfeita, Dilma espera compensar a mediocridade de seu nefasto governo culpando fatores exógenos econômicos e os climáticos, a que todos os demais países estariam sujeitos, e não só os bolivarianos, vítimas da própria incompetência - e que o digam a Venezuela e a Argentina, os mais notórios dos "cumpanheiros". 
Mario Cobucci Junior 
maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
ECONOMIA

Brasil a passos largos a caminho da Venezuela.

Francisco José Sidoti 
fransidoti@gmail.com 
São Paulo

*
PARA ENTENDER

Em janeiro, Dilma trocou Davos por La Paz para poder perguntar a Evo Morales como se faz para crescer 5,5%, taxa de crescimento do produto interno bruto (PIB) boliviano.

Adalberto Amaral Allegrini 
adalberto.allegrini@gmail.com 
Bragança Paulista

*
'ATÉ QUANDO', DILMA?

39 ministérios em que a maioria não sabe o que faz. Servem para comprar o apoio ao governo no Congresso Nacional. O partido do governo perde na Câmara dos Deputados. São inúteis, portanto, os ministérios. A dívida pública só aumenta. A indústria recua, com o consequente desemprego. A inflação aumenta. A maioria do povo está infeliz. A venda de charretes puxadas por cavalos aumenta - é para economizar combustível. A classe média está empobrecendo. Somente políticos e altos funcionários públicos têm dinheiro vindo da corrupção. Tem professor remendando calçado com pedaços de papelão para poder ir dar aulas. "Quosque tandem", Dilma?

Ronald Martins da Cunha 
ronaldcunha@hotmail.com
Monte Santo de Minas (MG)

*
DILUIÇÃO

O governo Dilma quer diluir em 12 meses o pagamento do abono salarial. Presumo que essa seja uma excelente medida, principalmente se as contas de água, luz e telefone que a sociedade paga forem diluídas também.

Virgílio Melhado Passoni 
mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
ANOS INFERNAIS
 
O ciclo chegou ao fim! O Brasil deve perder US$ 14 bilhões em exportações em 2015. Somados aos descalabros da Petrobrás, inflação alta, crescimento nulo ou negativo, falta de água e energia, o ano vai ser infernal, mesmo em Brasília, a Ilha da Fantasia ou o Brasil Mágico. Com isso, fica muito mais evidente a gerência incompetente e irresponsável de 12 anos de PT. Lula, em época de alta de nossas commodities, maioria no Congresso e apoio popular, não fez as reformas, cada vez mais necessárias ao desenvolvimento do País. Nem Dilma! O mundo está mostrando a desintegração dos irresponsáveis fiscais, o bolivarianismo venezuelano e o populismo grego. E aqui, nada de reduzir despesas, apenas aumentar impostos. Nada de trabalho de formiguinha, de, em tempos de bonança, perscrutar o futuro e trabalhar para que ele nos seja benfazejo, apenas a fanfarronada da cigarra, a gastança, a desfaçatez, a mentira deslavada e repetida. 2015 e os anos seguintes vão ser infernais, literal ou figuradamente.
 
Luiz Sérgio Silveira Costa 
lsergio22@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
BRASIL E GRÉCIA

Ambos os governantes desses países, ao invés de se espelharem nas nações desenvolvidas, se espelham nos ranços atrasados de governinhos comunistas. Por essas e outras, a União Europeia é inviável. É como esperar que água se misture com óleo, quando sossega, se separam naturalmente. A Europa é um balaio de gatos de regimes de governos, de culturas, de desenvolvimento capitalista, etc. 

Ariovaldo Batista 
arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
O PT E SUAS BOLSAS

O Partido dos Trabalhadores (PT) não cansa de surpreender-nos (negativamente, é claro), pois não é que a partir desta segunda-feira o prefeito Fernando "Malddad" brinda o grupo LGBT que vive nas ruas de São Paulo com uma bolsa chamada Transcidadania, no valor de R$ 840,00? E é claro que será paga por nós, cidadãos contribuintes. Espere aí, sr. prefeito, não tenho nada contra este grupo, mas oferecer-lhes sem contrapartida um benefício superior ao salário mínimo em nosso Estado, onde o trabalhador de verdade levanta às 4 horas da manhã, pega 4 ou 5 conduções, leva de 3 a 4 horas para chegar ao seu local de trabalho e recebe, no fim do mês, R$ 788,00, é para deixar qualquer um revoltado. E, cá entre nós, quem garante que este grupo não vai faturar os R$ 840,00 e continuar fazendo seus programas habituais, onde certamente ganham bem mais do que isso?

Luiz Roberto Savoldelli 
savoldelli@uol.com.br 
São Bernardo do Campo 

*
DISCURSO PRÓ-ASSISTENCIALISTA

Talvez em função dos marqueteiros ou de análises ingênuas, já faz algum tempo que se confunde ação social e legado social com assistencialismo, sendo este último o responsável por estelionatos eleitorais, malversação de recursos públicos e fomentador da luta de cidadãos menos favorecidos contra outros cidadãos nem tão favorecidos assim. A manutenção do assistencialismo como meta tem desviado o foco de muitos jovens que, em vez de percorrerem o caminho árduo do esforço, preferem se sentir injustiçados ou são impelidos pelo entendimento incipiente a bradar palavras de ordem contra as desigualdades, que persistem até mesmo nos chamados regimes comunistas consolidados que mantêm elites privilegiadas patrimonialmente. O discurso pró-assistencialista fomenta o crescimento da geração nem-nem, para quem fazer parte de um sistema "injusto" é tão temido que é preferível não fazer nada. O assistencialismo, como os jornais estampam todos os dias, só favorece privilégios, desvios e manipulações que prejudicam o funcionamento da democracia e das instituições, e é diferente de um legado social, pois, enquanto o primeiro tem foco em pessoas supostamente carentes, políticas sociais visam a atender à cidadania de uma forma mais ampla. Feita essa análise, é temerária a proposta recém-apresentada pelo prefeito Haddad de manipular a fila da Cohab, para privilegiar pessoas que vivem em áreas de risco, e não inscrições por ordem cronológica. O atual mandatário pretende fazer o papel de Deus, determinando quem necessita mais da ação governamental, cometendo o grande erro de não perceber que, uma vez assimilado o critério, pessoas oportunistas contempladas voltem para a mesma condição, a fim de obter novo benefício para si ou para outro membro da família, e assim sucessivamente, gerando, afinal, a mesma excessiva demanda que a municipalidade não tem sido capaz de atender. Pior: pode incentivar ainda maior degradação dos recursos naturais, na medida em que pessoas que invadirem as margens dos mananciais, por exemplo, tenham prioridade na fila da casa própria, fazendo-as tornar a invadir áreas de proteção de mananciais e de proteção ambiental, reforçando um círculo vicioso que já pode ser verificado em muitas das atuais invasões. Na minha avaliação, uma política social sustentada com recursos públicos só deveria ser mantida se houvesse condições para atender a todos num prazo razoável. Como a municipalidade jamais conseguiu fazê-lo, melhor seria eliminar a política habitacional que financie patrimônio ainda que para as pessoas supostamente mais necessitadas. Essas pessoas poderiam ser atendidas com a ampliação de albergues em regiões centrais, mantidos sob a propriedade da Prefeitura, com regras e apoio para a busca de trabalho, treinamento e escolarização. Infelizmente, as políticas sociais e as gratuidades com recursos de todos os cidadãos são implantadas num ambiente exageradamente ideologizado, quem se coloca contra projetos assistencialistas é tachado de "fascista" e quem se coloca a favor é chamado de "progressista". É espantoso que um mandatário aparentemente esclarecido como o atual prefeito paulistano sucumba ao discurso fácil assistencialista. Talvez isso seja mais uma das consequências do projeto de manutenção do poder a qualquer custo do seu partido, mesmo que na base da demagogia, do populismo e da cisão da sociedade.

Airton Reis Júnior 
areisjr@uol.com.br 
São Paulo

*
TODOS SE CURVAM À CANALHADA

O episódio da eleição na Câmara dos Deputados e no Senado me lembra um artigo de Arnaldo Jabor em que ele diz que todos, todos mesmo, até os mais poderosos, até mesmo o PT, terão de se curvar à canalhada. É ela quem comanda, é ela quem governa, é ela quem elege, é ela quem coloca o País de joelhos desde sempre. Todos que tentarem o poder terão de beijar a mão da canalhada. Retrógrada, hereditária, corrupta, patrimonialista, ela se une em seus currais para deter qualquer forma de governo, seja quem for, até mesmo o ex-poderoso PT. Somos um país refém da canalhada.
  
Armando Favoretto Junior 
afjsrf@ig.com.br 
São José do Rio Pardo

*
A PRESIDÊNCIA DO CONGRESSO

E Renan Calheiros é o novo presidente do Senado brasileiro? Só posso dizer que estou indignado. Não é possível que, entre 81 senadores, não existisse alguém com uma ficha corrida melhor. Não posso culpá-lo, porque ele venceu com 46 votos. Pelo jeito, os outros 45 que votaram nele são da mesma categoria. Vixe!

Sérgio Barbosa 
sergiobarbosa@megasinal.com.br 
Batatais 

*
PMDB, DONO DO CONGRESSO NACIONAL

Pode ser que agora o PMDB suba a rampa, aquela que o digno Ulysses Guimarães tentou e não conseguiu. 

Luiz Carlos Tiessi 
tiessilc@hotmail.com 
Jacarezinho (PR)

*
DISCURSO DE AUSTERIDADE

O reeleito Renan aprendeu muito com Dilma. Discurso vazio. O plenário nem olhava para ele. Palavras sem nexo. Falou sobre economia de gastos. O cara-pálida economizar em orçamentos inflados é mole. Quero ver é propor reduzir quantidade de senadores e assessores, reduzir salários, reduzir mordomias, pagar passagens aéreas do próprio bolso, etc. Até para ser compatível com o que fazem (nada)... E a receita de onde vem? Renan, conta outra piada, pois essa não teve graça. 

Paulo H. Coimbra de Oliveira 
ph.coimbraoliveira@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
OS MESMOS DE SEMPRE

Você desanima ao ver os mesmos políticos de sempre serem eleitos para presidir a Câmara e o Senado, o Cambalacho Nacional? Um deles afirma até que não será oposição, mas também não submisso ao Executivo (uma mentirinha, visto que terá aprovado o que quiser, desde que ao custo dos mais de 20 mil cargos para distribuir a uma politicalha que faz do Brasil um país posto entre os mais corruptos do mundo).

Laércio Zanini 
spettro17@hotmail.com 
Garça

*
MINISTRO DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

Mangabeira Unger novamente no governo?! Só está faltando mesmo uma praga de gafanhotos. Foi pro ralo...

Celia H. Guercio Rodrigues 
celitar@hotmail.com 
Avaré

*
DILMA AMERICANÓFILA

Dilma continua mais perdida que ideia boa em assembleia do PT. Além de se cercar de gente do outro lado e ter de demitir a coleguinha que ajudava a ocultar coisas e mais coisas, agora chama o americanófilo Mangabeira Unger para tentar acabar de vez aquele complexo de vira lata terceiro-mundista que tanto a incomoda.

J. Treffis 
jotatreffis@outlook.com 
Rio de Janeiro

*
MEMÓRIA CURTÍSSIMA

Em sua mensagem ao Congresso Nacional, lida - receio da exposição? - pelo primeiro secretário da instituição, Beto Mansur (PRB-SP), a presidente Dilma enfatiza a necessidade de reequilibrar o quadro fiscal do Brasil, completamente esfacelado, no limite, conforme explicitado na alocução, e que chegou, segundo o mesmo texto, à presente situação em decorrência da conjuntura internacional, ligada à diminuição do rimo de crescimento da China e do Japão, agravada pelo cenário climático interno. Esqueceu-se, no entanto, de acrescentar que o atual estado das contas do País, deplorável, aliado ao baixo crescimento econômico, atingiu seu auge ao fim de 12 anos de governo petista, superlativado com os custos associados à sua reeleição, bancados pelo Executivo e que não conheceram limites financeiros nem éticos e ainda que, quanto às fatalidades climáticas, seu governo foi em grande parte responsável pela tragédia que vinha sendo anunciada, mas ignorada e até agravada pela mensagem demagógica por ela bradada em 2013, quando anunciou, por meio de medida irresponsável, a redução nos preços da energia ao consumidor eleitor. Nada como governar uma sociedade de memória curtíssima, não é verdade, presidente?

Paulo Roberto Gotaç 
prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro

*
LULA, O GRANDE CULPADO

Todo dia leio no editorial deste jornal os absurdos da nossa "presidenta" na condução do País. Ocorre que acabamos nos esquecendo de que Dilma Rousseff não é nada, não tem o mínimo preparo para o cargo que ocupa e é uma invenção do não menos incompetente e enganador Luiz Inácio Lula da Silva. Pior do que não ser qualificada para o cargo é achar que é! De ter a soberba de não escutar ninguém e desqualificar quem a contrarie. Um exemplo do seu despreparo é a equipe que escolheu para assessorá-la. O que dizer de um Aloizio Mercadante, de um Jaques "Daniels" Wagner, de uma Ideli Salvatti, de um George Hilton? Só se salva o Levy, que não é do time. O grande e principal culpado de tudo isso é Lula, que deve ser desmascarado e preso, excluído da política nacional. É contra ele que a mídia e a nossa fraca oposição devem virar seus canhões e dar ciência à grande massa de ignorantes e desinformados que vota ainda no PT.

Ricardo Nóbrega 
cnc.eng@terra.com.br
São Paulo

*
SUPLICY E OS BLACK BLOCS

O ex-senador Eduardo Suplicy (PT), que acaba de assumir a Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, afirma que quer dialogar com os baderneiros que infernizam a cidade, os black blocs. Ou seja, maluquice aguda! Para completar a nossa indignação, só falta a este novo secretário de Fernando Haddad anunciar também que vai dialogar com a organização criminosa do PCC. Porém, fica uma sugestão: como secretário de Direitos Humanos, faria bem ao País se o ex-senador viesse a público criticar o seu partido, o PT, que ao dar um golpe mortal na ética prometida desvia bilhões de reais das nossas estatais e inviabiliza por falta de recursos um bom atendimento a milhões de brasileiros nos setores de saúde, educação, saneamento básico, etc.  

Paulo Panossian 
paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
IDEIA DE JERICO

O ex(ainda bem)-senador por São Paulo Eduardo Suplicy assumiu a pasta de Direitos Humanos na Prefeitura de São Paulo propondo o diálogo com as minorias. Até aí, nada de novo, já que Suplicy adora bancar o "frei caridoso". Espanta, contudo, sua intenção em dialogar com os black blocs, baderneiros criminosos, causadores da discórdia e da violência anarquista. Com picareta não há conversa. Essa gente não quer propor nada, quer destruir. Será que Suplicy está tão lelé que não entende mais as coisas? Deveria se aposentar de uma vez por todas.

Sérgio Eckermann Passos 
sepassos@yahoo.com.br 
Porto Feliz 

*
SECRETARIAS MUNICIPAIS

Sempre alegando falta de recursos, o prefeito Haddad aumentou o ITBI em 50% e o IPTU e demais tarifas municipais bem acima da inflação. Entretanto, sobra dinheiro para inventar "secretarias" para petistas desempregados, como Eduardo Suplicy e Alexandre Padilha. Administração pública, para o PT, é sinônimo de "vaquinha leiteira".

Luigi Petti 
luigirpetti@gmail.com 
São Paulo

*
EXAGEROS

As duas fotos de primeira página do "Estadão" de ontem (4/2) nos mostram dois exageros, a saber: 1) a presidente demitida da Petrobrás com os sapatos nas mãos para passar pelo detector do aeroporto de Brasília... Será que pediram para ela senhora tirar os sapados para confirmar que não estaria escondendo as chaves do cofre da empresa? Que absurdo! 2) O piloto jordaniano sendo queimado vivo dentro de uma cela de prisão pelo Estado Islâmico. Que desumanidade! Ambas as fotos afrontam qualquer cidadão de bem, mas o Estado Islâmico está extrapolando os limites do ser humano. Aonde pretendem chegar? Esperem pela punição e pela revolta dos países vitimados por seus cidadãos trucidados pela violência. As imagens mostradas estarrecem o mundo.
 
Luiz Dias 
lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*
CONDENAÇÃO

O Estado Islâmico é algo que ultrapassa todo tipo de maldade. Nem nos piores filmes e pesadelos vimos tanta maldade, e a desculpa de fazer o que fazem em nome de Deus nunca foi contestada de fato pelo Islã, que condenava o que faziam, mas sempre com um "porém" ou desculpa de terem sido provocados. Precisou um jordaniano ser queimado à vista do mundo todo para, enfim, o Islã condenar de forma incondicional o terror, graças a Deus! Antes tarde do que nunca.
 
Roberto Moreira da Silva 
rrobertoms@uol.com.br 
São Paulo

*
COMBATE AO ESTADO ISLÂMICO

Contra o Estado Islâmico, a guerra eletrônica mostra-se insuficiente. Portanto, uma ocupação física torna-se necessária. Uma combinação de tropas profissionais, formada pelos Marines, pela Legião Árabe, as Brigadas Gurka e a Legião Estrangeira, poria fim aos delírios hegemônicos destes homens, sem muito esforço.

Caio Augusto Bastos Lucchesi 
cblucchesi@yahoo.com.br 
São Paulo

*
ARGENTINA

Recentemente fui a Buenos Aires, capital da Argentina. A viagem foi de carro, 5 mil km entre ida e volta. Na fronteira de Foz do Iguaçu, fui parado e questionado sobre minha entrada no país. Após andar 35 km, fui parado novamente e me solicitaram a "carta verde", que é uma taxa que pagamos pelos dias de permanência, e, como eu não tinha a tal carta, mandaram-me voltar ao Brasil. Retornando, fui parado oito vezes e ainda tive de comprar um kit de primeiros-socorros, mais um triângulo e um cambão (engate), para não ser multado. O povo argentino do interior é simples, muitas cidades pobres e sem asfalto, já na capital, os habitantes não são atenciosos e são pouco pacientes com os brasileiros, raros foram os educados. O peso argentino está desvalorizado, R$ 1,00 vale 3 pesos, porém, tudo lá é muito caro; o litro da gasolina custa 15 pesos (R$ 5,00), água ou refrigerante, 15 pesos (R$ 5,00), hotéis a partir de 900 pesos (R$ 300,00), a comida de uma forma geral é o dobro. Enfim, eu não tinha nada contra a Argentina, agora eu tenho!
  
Alex Tanner 
alextanner.sss@hotmail.com 
Sumaré

*
VICE-MISS AMAZONAS

Bonitinha, mas ordinária!

José Piacsek Neto 
bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.