Fórum dos Leitores

PREFEITURA PAULISTANA

O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2015 | 02h02

Ineficiência

Recebi meu IPTU com aumento de 10%. Onde estão as creches e unidades de saúde tão prometidas pelo prefeito Fernando Haddad? Segundo notícia, as faixas de ciclovias custam R$ 650 mil por quilômetro, um preço altíssimo! Uma ou outra ainda se admite, porém a maioria é plenamente dispensável, pois prejudica enormemente o já caótico trânsito em São Paulo. Além dessa aviltante ineficiência administrativa, ainda temos de bancar salários de quem perde eleição e ganha emprego na Prefeitura?

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Palhaçada

Também recebi o carnê do IPTU e quase caí pra trás duas vezes. Na primeira, com o alto preço. Na segunda, lendo a cartinha cínica do prefeito informando para onde vai minha grana. 1) Para a educação. Cadê educação? Prometeu fazer não sei quantas creches, fez metade e fajutou os números para enganar os trouxas. 2) Para a saúde. Cadê? Tem gente morrendo na porta de hospitais e, no que me diz respeito, a única coisa que posso contar como retorno (retorno?) é a medição da minha pressão arterial, que faço no posto de saúde perto de casa, onde sou recebida com cara de poucos amigos por funcionária mal-humorada e arrogante. 3) Para a mobilidade urbana. Aí o prefeito se excede em cinismo: diz que o meu dinheiro serve para a construção de mais corredores de ônibus e mais ciclovias. Ele chama a isso mobilidade urbana! Enquanto faz corredores e pinta de vermelho o meio-fio, dizendo que fez ciclovias, eu e os milhões de proprietários de carros da cidade temos de nos espremer entre os corredores de ônibus e as ciclovias sempre vazias, rodando no asfalto esburacado, em ruas com faróis quebrados e sempre mal regulados, tomando multas a três por dois. Já disse e repito: o prefeito e o PT têm ódio de quem tem carro. (Só gostam dos carrões oficiais que os carregam pra toda parte, com motoristas sempre de plantão, claro!) Apesar de dona Dilma ter incentivado a compra de carros, reduzindo o IPI, o ódio a quem tem carro, por parte dos nossos governantes da estrela vermelha, não diminui nem que a vaca tussa. Leito carroçável para automóveis tem de ser esburacado, mal feito, sucateado, espremido! O prefeito suvinil só pensa em tinta vermelha para as ciclovias sem ciclistas. E agora, também, em tinta de algumas cores variadas para danificar com grafite os arcos da Rua Jandaia, patrimônio municipal. E dizer que ele foi ministro da Educação... Tanta tinta desse jeito, em cores berrantes, é por causa do carnaval? Só cantando Máscara Negra: "Tanto riso, oh!/ Quanta alegria/ mais de mil palhaços no salão..."

REGINA HELENA DE PAIVA RAMOS

reginahpaiva@uol.com.br

São Paulo

Indústria das multas

A finalidade das faixas é gerar mais caixa, via multas. O próximo passo é a "chapa municipal" para as bikes e radares nas faixas vermelhas. Mais caixa com taxas e mais multas para o caixa! Está aí, paulistanos, votem no PT e depois não reclamem.

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Ciclovia na Pompeia

Convido os srs. Fernando Haddad e Jilmar Tatto, antes da pintura da ciclovia, a irem de bicicleta pela Avenida Pompeia, vindos da Rua Heitor Penteado e seguindo até a Avenida Professor Alfonso Bovero. Para que o trajeto não seja afetado sugiro que não o façam em dia chuvoso! Se conseguirem o feito, os moradores da região com certeza aprovarão a ideia. Caso contrário...

MARLENE S. LUIZE

madriluize@bol.com.br

São Paulo

URBANISMO

Atentado cultural

Verdadeiro atentado à nossa cultura histórica a intervenção de cunho pictórico realizada nos arcos da Rua Jandaia, no Bexiga. Em se tratando de local tombado, esse monumental trabalho de cunho arquitetônico feito com tijolos à vista, construído no século 19, não poderia ser tocado sem antes passar pelo crivo do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). O prefeito Haddad parece desconhecer a tradição histórica e cultural do povo que governa!

PEDRO PAULO PENNA TRINDADE

pennatrindade@gmail.com

São Paulo

Arcos do Jânio

De acordo com o artigo 23 da Constituição federal, é de responsabilidade da União, dos Estados e municípios a proteção dos bens de valor histórico. Portanto, ao autorizar a pichação dos arcos do Jânio, o Conpresp é o responsável pelo fato em todas as instâncias, inclusive judiciais. Um instituto de preservação de bens históricos deveria estar acima de interesses políticos.

GILBERT OTONIEL TONI, arquiteto

Cristiane@fami.com.br

São Paulo

Esfuziante, doidona

Excelente a crônica do fabuloso Ignácio de Loyola Brandão Tornar São Paulo colorida, esfuziante, doidona (Caderno2, 6/2). Atingiu, a meu ver, o cerne das trapalhadas que vêm ocorrendo em nossa cidade. Aquelas pinturas, em sua grande maioria, agridem, sim, a cidade de São Paulo, já tão desmoralizada em muitos detalhes. Tomara que o prefeito não leve a sério as insinuações do cronista. Foi só brincadeira, viu? Foi só para ridicularizar o que vem sendo feito. Nada contra os grafiteiros, por favor. Mas há lugares e lugares que podem ser usados por eles. A desconstrução de uma cidade, com certeza, não está em suas mãos!

MAÍZA COSTA NEIVA

famcostaneiva@uol.com.br

São Paulo

Grafitagem

Se o sr. Fernando Haddad fosse prefeito de Roma, mandaria grafitar o Coliseu, para dar um toque de modernidade.

LUIGI PETTI

luigirpetti@gmail.com

São Paulo

PETROBRÁS

Nitroglicerina pura

Dona Dilma teve tanto tempo para indicar um substituto de Graça Foster, já que esta balançou no cargo mais de seis meses, e acabou indicando justo Aldemir Bendini, que não tem reputação ilibada. Indicado que foi por Rose Noronha, e Lulla aceitou, para presidir o Banco do Brasil, em 2009, tinha intimidade com Bendine que o chamava pelo apelido, Dida. Bendine é aliado de Lulla e Gilberto Carvalho e eles devem ter pressionado Dilma para indicá-lo. Essa indicação está cheirando a nitroglicerina pura, que para Dilma, diante das investigações da Operação Lava Jato, poderá fazer explodir seu mandato. Em tempo: Rose é aquela que se envolveu e caiu na Operação Porto Seguro, até hoje guardada a sete chaves.

AGNES ECKERMANN

agneseck@gmail.com

Porto Feliz

REFORMA POLÍTICA
 
Como noticiou "Estadão" na semana passada, a presidente Dilma Rousseff, após levar uma derrota acachapante com a eleição do peemedebista Eduardo Cunha para presidente da Câmara dos Deputados, nem compareceu àquela Casa no dia da posse do novo Congresso e preferiu enviar um discurso de mais de 50 páginas que foi lido pelo secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP). Além do chamado orçamento impositivo, prioridade de Eduardo Cunha,  que impõe ao Executivo prazo para o pagamento de emendas parlamentares a esse projeto, a sociedade brasileira ficará torcendo para que ainda este ano aconteça a tão esperada reforma política, conforme afirmou o vice-presidente, Michel Temer, em palestra na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A sociedade brasileira não suporta mais tantos partidos nanicos (parasitas) que estão mais interessados nos milhões distribuídos pelo tal Fundo Partidário.
 
Edgard Gobbi 
edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
AGENDA DA LEGISLATURA

Há uma semana os 513 deputados federais e 27 senadores tomaram posse em Brasília, prometendo respeitar a Constituição e honrar a confiança depositada pelos brasileiros. Sabemos que a cerimônia é uma regra regimentar, ou seja, faz parte do ritual do Poder Legislativo. É sempre importante comemorar o fortalecimento das instituições e do sistema democrático, afinal todos foram eleitos por meio do voto popular. Devemos, todavia, nos manter vigilantes quanto às propostas debatidas no Congresso Nacional, cobrando dos deputados e senadores as modificações tão necessárias para a modernização da legislação brasileira, garantindo que o princípio elementar da representação seja mantido: o de fazer valer o desejo da sociedade. Reforma política, redução da maioridade penal e fiscalização dos atos do Poder Executivo são alguns dos temas que estarão em pauta. É preciso que cada empossado faça jus à confiança depositada pelos brasileiros.

Willian Martins 
martins.willian@globo.com 
Guararema 

*
UMA PROPOSTA

Proposta para a reforma política: o partido beneficiado por propinas e quaisquer aportes financeiros ilegais teria seu registro cassado e, "a fortiori", igualmente invalidados ficariam todos os mandatos populares de seus representantes. Não há como ser mantido no interior do sistema jurídico-partidário entidade que descambou para o ilícito e, do mesmo modo, aqueles que se beneficiaram de ilegalidades permanecerem vivos, inobstante frutos de árvore envenenada. 
 
Amadeu R. Garrido de Paula 
amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
TESTE

Já que temos um novo (novo?) presidente do Senado e um novo (novo?) presidente da Câmara dos Deputados e que fala-se tanto em reforma política, tenho uma sugestão: o candidato a qualquer cargo eletivo, mesmo síndico de prédio ou capitão do time de futebol do bairro, antes de ter confirmada sua candidatura, deverá prestar exame em quatro provas (escritas e não de múltipla escolha) aplicadas por instituição confiável, jamais pelo Ministério da Educação. As provas que deverão ter sua nota de corte 7 são: 1) História do Brasil; 2) Geografia do Brasil; 3) Atualidades; e 4) Redação e Português. Na boa, não ficava nem 10% do que está aí.

Marcos T. de Mendonça 
marcosmendonca@floridacenter.com.br 
São Paulo

*
UM COMEÇO

Reforma política já! Que tal começarmos com a redução do número exagerado dos nossos representantes no Congresso Nacional? Vamos começar com o número dos nossos senadores. Antes da ditadura, eram dois os representantes  de cada um dos nossos Estados no Senado federal, e não há razão para haver mais do que um. Na nossa Câmara federal, então, a "farra" é total: mais de 500 deputados! Está na hora de afastarmos de lá os "300 picaretas" que o nosso "salvador da Pátria" encontrou por lá. Com os recursos economizados, nossas escolas e nossos hospitais ficariam muito gratos. Mãos à obra, pois.

Nivaldo Ribeiro Santos 
nivasan1928@gmail.com
São Paulo

*
NOSSO SISTEMA POLÍTICO

A independência e a harmonia entre os Poderes da República não será alcançada enquanto o Judiciário depender da aprovação dos nomes indicados e da nomeação pelo Congresso Nacional e pelo Executivo. Ou enquanto o nosso Legislativo vigorar no sistema bicameral (Câmara federal e Senado). Outra questão que vem se agravando cada vez mais no nosso sistema político é a corrupção para o financiamento das campanhas eleitorais pelas empresas e por grupos privados, de origens duvidosas. Nenhuma empresa que respeitas os seus acionistas faz doações (investimentos) sem perspectiva de retorno. Outros fatores como barganha política e as negociações nas eleições e na composição das bases de apoio ao governo ou nas eleições da Câmara e do Senado destroem e comprometem o nosso sistema político.

Sinésio Müzel de Moura 
sinesiomuzel.demoura@gmail.com
Campinas

*
VINGANÇA
 
O governo federal foi derrotado na eleição do presidente da Câmara. A sua vingança vai ser a nomeação de aliados para o 2.º e 3.º escalões nas empresas estatais, o que justifica o horror que os petistas têm da privatização... Algo novo? De jeito nenhum! Nunca antes na história deste país houve tanto desperdício financeiro para comprar mentes e corações. Começou com o mensalão, quando dinheiro ao vivo era pago, sem pudores, à boca do cofre, ou até sacado diretamente no banco cooptado. Continuou com o almanaque de ministérios, este monstro disforme de 39 faces, desde incompetência a dívidas com a Justiça. Agora, as nomeações, não de pessoas competentes, mas das que podem influenciar nas votações do Congresso. O custo Brasil? Que se dane, tudo para evitar as CPIs e blindar o governo, para que o poder seja mantido. Não creio, pois o PT se esvai a cada dia...
  
Luiz Sérgio Silveira Costa 
lsergio22@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
A PROMESSA DO BOLSA FAMÍLIA

Conversando com uma pessoa que tem parentes em Vitória de Santo Antão, no Recife, fiquei sabendo que antes das eleições foi oferecido às pessoas o Bolsa Família. Foi uma correria para fazer o cadastro, mas a explicação dada em outubro foi de que o pagamento só seria feito após as eleições. Muito bem, o estelionato eleitoral aconteceu, a mulher ganhou e ninguém recebeu nada. É preciso dizer mais alguma coisa? Até quando a justiça vai se comportar fingindo nada saber? 

Izabel Avallone 
izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
PLANOS ECONÔMICOS E DESAPOSENTAÇÃO

Enquanto os bancos comemoram mais um recorde de faturamento e lucro, os poupadores dos planos Verão, Bresser, Collor I e II continuam aguardando a decisão das autoridades sobre o ressarcimento de suas perdas. Já se passaram mais de duas décadas e meia e nossos ministros continuam "estudando e avaliando" a possibilidade da devolução destas perdas . Os banqueiros, por sua vez, seguem sua sina demoníaca de tentar, a todo custo, inviabilizar esta devolução, fazendo lobby junto aos nossos ministros do Supremo, na esperança de dar um calote na população brasileira. A desaposentação, por sua vez, direito legítimo de que se aposentou e continuou pagando o INSS, segue na mesma toada dos planos econômicos: protelação e desinteresse por parte do STF. É a Justiça brasileira atendendo aos interesses do poder econômico e político.

Elias Skaf 
eskaf@hotmail.com 
São Paulo

*
PACOTE DE MALDADES

Atenção, você que vai se aposentar, que trabalhou e contribuiu a vida inteira para o INSS e quer deixar sua esposa com 100% do seu beneficio, você tem até o dia 28 de fevereiro para morrer. Isso mesmo, morra até 28 de fevereiro. Lula e Dilma mudaram as regras para a aposentadoria e, a partir de março de 2015, a viúva vai ficar com a metade da sua pensão. Isso mesmo, o cônjuge terá direito somente a 50% do benefício do falecido. A Medida Provisória (MP) 664/2014, de 30/12/2014, assinada pela presidente Dilma Rousseff, altera as Leis 8.112/1990, 8.213/1991, 10.666/2003 e 10.876/2004. Se  estava ruim, ficou pior. É mais uma MP que chega para mandar o aposentado "sifu". Até quando vamos continuar aceitando as arbitrariedades impostas pelos Poderes Legislativo e Executivo da República, certamente mancomunados com a maioria das associações de aposentados e pensionistas do País? Chega! Precisamos com urgência usar com mais frequência os jornais, as revistas, as rádios e os canais de TV que nos dão espaço para, num grito uníssono, protestar contra estes pacotes de maldades. 
 
Leônidas Marques  
leo_vr@terra.com.br 
Volta Redonda (RJ)

*
ESMOLA

Em meu nome e no de demais aposentados, quero agradecer a presidente Dilma pela "esmola" que nos deu, considerado aumento da aposentadoria.

Laert Pinto Barbosa 
laert_barbosa@globo.com 
São Paulo

*
E O REAJUSTE?

Perdi a contagem do tempo. Mas acho que há mais de dez anos que este nosso cruel e insano governo federal do Brasil não dá, sequer, um reajuste aos proventos minguados dos indefesos e marginalizados aposentados comuns. Atitude, esta, copiada nas esferas administrativas estaduais e municipais. É inconcebível e inadmissível tamanho descalabro. Cruciante desrespeito e desumanidade total jamais visto. Toda patuscada entregue ao domínio da maldade demoníaca. Enquanto isso, diariamente, vemos pelos jornais, com a rapidez costumeira e peculiar no trâmite das leis para imediata vigência. Tudo em causa própria e em favor das viciadas categorias dominantes deste país e alhures. Legitimam nas caladas da noite estratosféricos absurdos, muito além da inflação, embutida ao longo do tempo. Dizem unanimemente: "Dizimar os velhos do Brasil é preciso". Vergonhoso mau exemplo de caráter.

Júpiter A. L. Azevedo 
jupiteraze@gmail.com 
Vinhedo

*
INFLAÇÃO

IPC-Fipe vai a 1,62% em janeiro. Tradução: o controle da inflação já era!

José Carlos Alves 
jcalves@jcalves.net
São Paulo

*
2015 

Inflação, desemprego, desabastecimento e crise hídrica. Feliz 2015, Brasil!

J. S. Decol 
decoljs@globo.com   
São Paulo

*
A CRISE NA PETROBRÁS

O ex-gerente da Petrobrás Pedro Barusco afirmou à Polícia Federal que começou a receber propina ainda durante o governo de FHC (PSDB), em 1997. Ele contou ter aberto uma conta na Suíça e que recebeu US$ 22 milhões de propinas da empresa holandesa SBM até 2010. Por aí se vê como a corrupção na Petrobrás é antiga, endêmica e que nenhum partido político escapa. Seja PT, PSDB, etc., a verdade é que estão todos envolvidos, comprometidos e com o rabo preso.
 
Renato Khair 
renatokhair@uol.com.br
São Paulo

*
NÃO SABE?

US$ 200 milhões desviados da Petrobrás, a maior parte para os cofres do PT, e o dono e mandachuva do partido, Lula, não sabia de nada? Então ele não sabe quanto o partido gasta e como as contas são pagas? Pelo menos devia sair da toca e comentar a acusação de funcionário de sua confiança na estatal.

Ademir Valezi 
adevale@gmail.com 
São Paulo 

*
PIADA DE SALÃO

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, mesmo cumprindo pena por ser réu condenado em maracutaias, continua com toda a razão quando disse que o "mensalão" seria lembrado como "piada de salão". Diante do "petrolão", não há termos de comparação. O problema é que o povo não acha graça de nenhum dos dois. Lamentável!

Leila E. Leitão
São Paulo

*
CONSTATAÇÃO LAMENTÁVEL

Um executivo que foi colocado como um dos delatores da Operação Lava Jato informou à Polícia Federal que pagou propina de R$ 12 milhões a um ex-diretor da Petrobrás. E alega que, se as propinas não fossem pagas, os contratos não seriam levados adiante. Por que ele não denunciou na época? E mais, se os fatos não fossem investigados agora, quanto tempo mais e quanto ele continuaria pagando para levar vantagem como empreiteiro? É lamentável essa constatação.

Uriel Villas Boas 
urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
DESINTERESSANTE

Duvido que, com o possível saneamento da Petrobrás, os políticos vão querer cargos na estatal, pois sem possibilidades de desvios na estatal não haverá mais nenhum interesse.

Luiz Frid 
luiz.frid@globomail.com  
São Paulo

*
REBAIXAMENTO

A agência internacional de classificação de risco Moody's rebaixou a nota de crédito da Petrobrás, em decorrência da situação da empresa, classificada por analistas como desesperadora. É a terceira nota de rebaixamento em quatro meses, podendo a petroleira, caso ocorra mais um rebaixamento, perder o grau de investimento, o que, aliás, já é aceito pelos acionistas, porquanto as ações da empresa caíram para o menor valor em dez anos. Sendo inquietante a situação da petroleira, com demandas nos EUA e com apurações sendo realizadas pelo Poder Judiciário, auxiliado pela Polícia Federal, poderá a empresa ainda ter maiores desmandos desvendados, o que interferirá ainda mais negativamente na sua conceituação pelas agências de risco. Eis que uma empresa, quando perde os atrativos de investimentos de interessados, passa a trilhar o caminho da decadência plena, cuja acentuação aumentará muito rapidamente e até o caos irremediável.

José Carlos de Carvalho 
carneiro.jcc@uol.com.br   
Rio Claro

*
MUITO SACRIFÍCIO

Para tirar a Petrobrás do pré-sal da imoralidade, só impondo a seus empregados muito sacrifícios. Demissão em massa, principalmente de terceirizados, é seguramente uma das medidas  mais urgentes a serem tomadas. Durante alguns anos, participação de lucros nem pensar, para os empregados e muito menos para a diretoria. Redução dos nababescos salários pagos a seus diretores e gerentes faz parte deste plano de recuperação. Seus acionistas tão cedo verão dividendos. Só assim se recuperara do desastre que foram os 12 anos de administração petista. 

Iria De Sa Dodde 
iriadodde@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*
POBRE RICA PETROBRÁS

A gigante Petrobrás, a maior empresa do Brasil e estatal para júbilo do Partido dos Trabalhadores, incubadeira da maior quadrilha já instalada neste planeta, de fazer inveja a Alfonse Capone, em Chicago ou as máfias da Itália como a Cosa Nostra (Sicília) Camorra (Nápoles) e Sacra Canora Unita (Apúlia). Essa gigante foi duplamente vilipendiada, pois, além dos espetaculares R$ 88 bilhões desviados em grande parte para a sustentação do poder político, conseguido até agora, a empresa sofreu, além da sua desvalorização cambial ocupou no cenário empresarial do mundo uma vergonha para o Brasil. A relutância da presidente Dilma em demitir a diretoria logo após o estouro do escândalo da Operação Lava Jato e da compra escandalosa da refinaria de Pasadena faz com que a nova diretoria da empresa não tenha independência e segurança. Uma diretoria que atuará sob vigilância e sem o direito de desagradar o governo. A demissão da diretoria anterior passou da hora certa. Bastaria Pasadena para que isso ocorresse. Por tudo que ocorreu na Petrobrás, a demissão pura e simples isentará Graça Foster, demais diretores e ainda Dilma Rousseff de responsabilidade? Parece que o Reino da Dinamarca já encontrou os seus podres. Carece sanear.

Jair Gomes Coelho 
jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
VESPEIRO

Muitos amigos me perguntam se o caso Petrobrás vai acabar em pizza. Os estrangeiros, acostumados mais às leis de outros países, estranharam que no mensalão os mentores dos crimes (os políticos) foram os menos apenados, quando nos países deles os mais apenados são os mentores ou os mandantes desses crimes. E o que acontecerá com a ligação Petrobras-partidos-governo e povo? Quais serão as consequências? Respondendo que os partidos e governo foram longe demais, porque quando mexeram no mensalão foram os Correios (empresa brasileira sem ações em bolsas estrangeiras), mas no petrolão não atentaram para este detalhe, e agora entraram com a mão num vespeiro. A Petrobrás, como alguns bancos brasileiros e outras empresas incluindo a Eletrobrás (em número de 20), tem ações na Bolsa de Nova York. Com isso, está sujeita às leis do governo americano (através do Departamento de Justiça) e ao Secutiry and Exchange Commission (SEC da Bolsa de Nova York). E lá, ao descobrirem pequenos casos de corrupção, eles multam e pesado. São conhecidos os casos em que uma propina de US$ 500 mil numa petrolífera francesa recebeu uma multa de quase US$ 400 milhões, e o caso da Alstom na Indonésia, em que a multa chegou a quase US$ 800 milhões. Assim, este mesmo time irá julgar a Petrobrás, ou melhor, trabalhar no caso Petrobrás. Portanto, pelo menos as investigações não podem terminar em pizza. 

Ciro Bondesan Dos Santos 
cirobond@hotmail.com 
São José Dos Campos

*
JE SUIS MORO

O labirinto-Brasil tem saída? Até agora, o brasileiro mais próximo da porta é o juiz federal Sérgio Moro, que, apesar do heroico esforço, não poderá cobrir sozinho cada curva, esquina ou fronteira de um país tão devastadoramente corrompido, papel que ele precisa, e espera, dividir com todos nós.

Ricardo C. Siqueira 
ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
APAGÃO

O governo admite que o risco de faltar energia rompeu nível máximo tolerado de 5%.  Bons tempos em que sempre havia uma luz no fim do túnel. Com os governos do PT, os túneis foram licitados, mas nunca concluídos, e a famosa luz no fim do túnel desligou pelo apagão.

Claudio Juchem 
cjuchem@gmail.com
São Paulo

*
AUMENTO NA CONTA DE LUZ

Alguém poderia me ajudar a entender direito a situação: tempos atrás, dona Dilma mandou reduzir a conta de energia elétrica (para ganhar votos?) de forma a compensar cobranças indevidas feitas pelas distribuidoras. Investimentos na área não foram feitos ou houve muiiiita ladroagem.  As notícias nos dão conta de que a energia elétrica há de subir, no mínimo, 30% neste ano e nos próximos. Por que o público pagante terá de arcar com essa esbórnia e incompetência? Será que nós poderíamos, usando contabilidade criativa, nos eximirmos de pagar os pesados impostos, já que não existe a contrapartida em serviços de obrigação do governo? Por que ninguém fala em enxugar a máquina administrativa? Por que o "segredo de Estado" dos cartões corporativos? Por quê?

Aparecida Dileide Gaziolla 
aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul 

*
CRITÉRIO POLÍTICO?

Nossa região sofrerá uma majoração na conta da luz da ordem de 19%. Aparentemente, não haverá aumento para a Região Norte-Nordeste. O critério para determinar aumento foi político? Áreas que votaram contra Dilma serão punidas com um aumento maior e as que foram a favor serão isentas? Caso positivo, onde foi parar a alegada disposição para dialogar com os contrários?

Sergio Holl Lara 
jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba 

*
AGRADECIMENTO AO PT

Sou aposentando e tive, como todos os colegas, um aumento de pouco mais de 6%. Ao receber minha conta de luz hoje, quase enfartei. Está lá uma cobrança enorme porque meu consumo ultrapassou aquilo que posso gastar. Esqueceram-se de que no final de ano todos recebem parentes em casa e, assim, o consumo aumenta. Será que diante da filosofia petista-bolivariana-cubana, eu sou um burguês? Na conta estão embutidos: bandeira vermelha, PIS-Cofins e ICMS. Isso tudo quase representa a metade da conta. Onde está o PT, que dizia amar os pobres? Estamos pagando até o programa Luz para Todos (23 bilhões) que o PT dizia ser gratuito. No tempo de FHC, ele foi malhado pelo PT porque cobrava pela luz instalada! E agora, camaradas, como fica a situação? O pior de tudo: onde está Lula? Será que está arquitetando mais uma maneira de o povo pagar pelos roubos da Petrobrás perpetrados pelo seu partido?

José Milton Galindo 
galindo52@hotmail.com 
Eldorado

*
O MINISTRO

Depois de governar o Estado do Amazonas e cumprir mandato de senador, o ministro Eduardo Braga, de Minas e Energia, em meio à mediocridade da plêiade de ministro nomeados, despontava como bom nome para ocupar o cargo. Mas, em meio à primeira dificuldade, Eduardo revelou que a administração do maior Estado do País, em termos territoriais, mas de pouca relevância na questão socioeconômica, tampouco o inexpressivo mandato legislativo, não lhe conferiram o perfil de gestor capacitado, condição demonstrada diante da dificuldade de entender um "apagão" na distribuição de energia e sua incapacidade de vislumbrar uma saída administrativa - preferindo invocar o poder divino para o País superar a dificuldade. Manifestamente, não conseguiu alcançar a gravidade da crise energética que assola o País, preferindo posar de crente, por certo como fazia com o povo amazonense - parece que acabou advertido pela presidente 

Noel Gonçalves Cerqueira  
noelcerqueira@gmail.com 
Jacarezinho (PR)

*
SOLUÇÃO NUCLEAR
 
Bem que o então presidente Ernesto Geisel tinha razão e parecia ter um bola de cristal. Isso por causa da criação, no seu governo, das usinas nucleres de Angra dos Reis, tão combatidas durante anos. Nessa enorme crise atual, podemos nos imaginar sem elas? Curiosamente, não vemos ninguém do governo e setores ligados à energia elétrica mencionarem a necessidade de urgentememnte se incrementar a onstrução de usinas nucleares - preferem citar os raros acidentes, da mesma forma que aviões tambem caem. Dizem que o Brasil tem enormes recursos hídricos, todavia isso parece que não adianta e o caminho é o nuclear, hoje já aceito por boa parte dos próprios ambientalistas. Do sol e do vento não se obtém energia elétrica suficiente. Por outro lado, obter água potável por dessalinização demanda uma grande quantidade de energia elétrica. O que espera o governo para urgentemente incrementar o programa de usinas nucleares, começando pelo litoral paulista? A França é hoje um dos países europeus mais independentes em matéria de energia elétrica justamente pelo seu alto número de usinas nucleares.
 
Heitor Vianna P. Filho 
bob@intnet.com.br 
Araruama (RJ)

*
PAGANDO CARO

Ressentimentos, ideologia arcaica e burrice ambientalista retardaram a construção de três usinas nucleares, geradoras de eletricidade, imunes a quaisquer fenômenos da natureza. Angra 1, cuja construção foi iniciada em1972, Angra 2, em 1976, e Angra 3, em 1984, todas durante a "ditadura" militar, que as consideraram prioritárias para garantir o futuro energético do Brasil.  A população brasileira está pagando caro por tantos desmandos.

Sergio S. de Oliveira 
ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
CRISE HÍDRICA

Diante da maior crise hídrica que está assolando o Estado mais rico da Federação, talvez por falta de competência de nossos governantes, já passou da hora de Geraldinho Alckmin tomar as providências cabíveis, antes que o barco afunde de vez. Será o receio do caos já instalado?

Arnaldo Luiz De Oliveira Filho 
arluolf@hotmail.com 
Itapeva

*
DURA LIÇÃO

Jamais pensaríamos anos atrás, que viveríamos a atual crise hídrica desses dias tórridos do atual verão, posto que somos a nação com maior   potencialidade de água doce em todo o planeta. Talvez por isso nos acostumamos a esbanjar o precioso líquido que agora precisa ser usado com parcimônia por todos. Esperemos que daqui em diante aprendamos a lição que outros países já adotaram, para uso de tal dádiva da natureza, cuja escassez parece vai durar algum tempo.

José de A. Nobre de Almeida 
josedalmeida@globo.com 
Rio de Janeiro

*
DESINFORMADOS

Quer dizer que o gado está morrendo há meses no Rio de Janeiro e muitas cidades de Minas Gerais já entraram em colapso por conta da falta de água? O brasileiro não sabe disso porque os jornais só se preocupam com São Paulo. O Brasil tem 27 Estados, mas parece que os únicos a sofrer são os paulistas, cujo governo do Estado, no entanto, alerta há mais de ano sobre a crise. O que será de nós, mineiros e cariocas, cujo silêncio da imprensa só faz enganar sobre a real situação de calamidade? A mídia, sem apresentar todos os fatos, sem divulgar todas as notícias, presta um desserviço a sociedade.

Bruna Bragante Dinardi 
brunabd@gmail.com 
Belo Horizonte 

*
RACIONAMENTO DE ÁGUA

Um país que possui 20% da água doce de todo o mundo ter de passar por esse sacrifício de rodízio e racionamento só pode ser incompetência ou má-fé de nossos governantes.

Yvette Kfouri Abrão 
m.abrao@terra.com.br 
São Paulo

*
CARNAVAL E ÁGUA

Se tivéssemos políticos sérios e preocupados com o bem-estar da população, já haviam cancelado as festas de carnaval pelo Brasil, afinal, o consumo de água e energia poderá tornar a oferta ineficiente para a demanda e faltar água ao povo, sofrido e temeroso, criando um mal estar ainda maior do que os dos dias de hoje.

Julio Jose de Melo 
julinho1952@hotmail.com 
Sete Lagoas (MG)

*
CARTA AO PREFEITO FERNANDO HADDAD

Alguns projetos do atual prefeito, parece-me, devem ser reformulados ou mais bem estudados, exigindo mudanças. Não há cabimento, por exemplo, faixas de ciclovia espalhadas de forma generalizada pelas ruas da capital, sem um planejamento mais adequado. Não somos contra ciclovias. Mas, digamos que elas prevaleçam em canteiros centrais de grandes avenidas, onde possam comportar essa inovação e jamais nas faixas ou leito carroçável de ruas, prejudicando a movimentação de veículos, da forma irracional como foi implantada e está sendo ampliada, pondo em risco a vida de ciclistas. Ideia que também poderia ser acatada pela administração petista seria implantar ciclovias em algumas calçadas largas em todo o perímetro urbano, onde nelas exista pouco movimento de pedestres, sem que estes sejam prejudicados em suas andanças diárias. Assim ninguém reclamaria e todos seriam beneficiados, bem como acidentes poderiam ser evitados. A ideia está lançada. Este que ora lhe escreve é um cidadão com muita experiência de vida e enxerga de longe erros e defeitos de muitas administrações públicas. Acredite! 

João Rochael 
jrochael@ibest.com.br
São Paulo

*
MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO

Um verdadeiro mau uso do dinheiro público são as implantações das ciclovias onde elas estão sendo implantadas. Na Avenida Paulista e também sob o Minhocão, entre o Largo do Arouche e a Rua da Consolação, os pisos centrais foram há pouco tempo trocados, e hoje estão quebrando tudo para construção delas. Vamos ver depois de prontas se realmente vão funcionar.

Antonio Silva 
arrsantonio@gmail.com
São Paulo

*
ABAIXO O BARULHO
 
Parabéns ao jornal "O Estado de S. Paulo" pelo editorial "E o barulho continua" (5/2, A3). Realmente concordo que um dos principais problemas enfrentados pelos paulistanos é o barulho. Fui um dos autores, na Câmara Municipal, da Lei 15.777, conhecida como "Lei dos Pancadões", porém a norma foi feita e não é aplicada. Pelo lado da segurança, o barulho também é hoje um grande aborrecimento de São Paulo e que atinge todas as camadas sociais. As famílias precisam de descanso.
 
Alvaro Bastista Camilo, vereador 
contato@coronelcamilo.com.br
São Paulo

*
SÃO PERNILONGO 

A cidade de São Paulo deveria trocar de nome na gestão municipal atual. Deveria ser chamada São Pernilongo. Nosso prefeito só se preocupa com pinturas de rua, sem sentido e sem técnica. E não fez, e não faz, o dever de casa, como tratar das margens dos rios, matando os pernilongos, cortar as árvores, antes que caiam na cabeça dos paulistanos e limpar esgotos e piscinões. Quem vive, como minha família, próximo ao Rio Pinheiros não aguenta mais matar tanto pernilongo. Nem no governo Pitta foi tão ruim. E por falar em rios, já que o prefeito pretende ser reeleito, além de aconselhá-lo a fazer o seu dever, vai uma bela sugestão: por que não dar início a uma limpeza geral do Rio Pinheiros e Tietê? Um empreendimento em conjunto com o Estado. Ficará famoso! Imaginem, será o homem que recuperou São Paulo, e não o pintor de ruas. E os rios servem como transporte alternativo de massa, barato, ao turismo, à pesca, desde que limpos, é claro. Exemplos não faltam, como o Rio Tâmisa, em Londres, e a raia olímpica da USP. Foi uma obra realizada com água do Rio Pinheiros para os Jogos Pan-Americanos. 

José Rubens Macedo Soares 
joserubens@federmacedoadv.com.br 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.