Fórum dos Leitores

MENSALEIRO FUJÃO

O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2015 | 02h02

Isonomia

Em apelação à Itália, o Brasil garante condição privilegiada ao condenado Henrique Pizzolato (para ele voltar ao País). De duas, uma: ou estão mentindo ou privilegiando um cidadão brasileiro não tão igual perante a lei. Não que eu esteja pensando em cometer algum delito, porém guardarei essa notícia do Estadão com o maior zelo. Se um dia, por desventura, precisar, creio ser um belo argumento a meu favor.

BENEDITO ANTONIO TURSSI

turssi@ecoxim.com.br

Ibaté

Bom 'cumpanheiro'

Dentro dos padrões com que a sra. presidente da República nomeia o seu pessoal de confiança, sugiro reservar a vaga de presidente do Banco do Brasil (BB). O Pizzolato está chegando.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Tripa-forra

Quando o Pizzolato soube do valor da aposentadoria de Aldemir Bendine no BB, pediu pelo amor de Deus às autoridades italianas que o mandassem de volta. Afinal, o mensalão já é página virada. Então, além de faturar uma polpuda aposentadoria, ainda tem a bolsa reclusão.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Procela

Será que com Pizzolato no Brasil teremos mais uma delação premiada? E será uma marolinha ou um tsunami?

MOISES GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Dilma x Lava Jato

Diz o "cara-pálida" José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, que envolver a sra. Dilma Rousseff na Operação Lava Jato e defender o impeachment dela revelam problema psicológico (12/2, A5). Será que a maioria da população brasileira está com problema psicológico? O sr. ministro tem de ficar vermelho ao afirmar que avançou muito no combate à corrupção. A investigação de hoje não se deve ao PT, e sim à Polícia Federal, ainda independente, e às delações premiadas. O ministro vem afirmar agora que caixa 2 é crime, corroborado pelo presidente do PT, Ruy Falcão, quando foi largamente divulgado, no processo do mensalão, que o PT se utilizava de caixa 2 como todos os outros partidos. E pare de falar em golpe do terceiro turno. A população que hoje quer total apuração dos desmandos do PT e da Petrobrás nunca pleiteou outra eleição.

WALTER LÚCIO LOPES

wll@uol.com.br

São Paulo

Incoerências

Na entrevista publicada ontem, quando perguntado da situação do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, acusado de ter desviado US$ 200 milhões da Petrobrás para abastecer o caixa do partido, diz Cardozo: "O que é importante ter claro é que jamais poderemos prejulgar alguém, seja ele tucano ou quem quer que seja". No entanto, insiste em que a corrupção na Petrobrás existe desde o governo de Fernando Henrique Cardoso, sem ter provas de que o ex-presidente tivesse conhecimento dela ou estivesse envolvido nos roubos, como ocorre neste governo. Enfim, uma entrevista cheia de incoerências.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Exasperado

O ex-gerente da Petrobrás Pedro Barusco denuncia o desvio de US$ 200 milhões da Petrobrás para o PT, e o que acontece? Ruy Falcão, presidente do PT, chama-o de bandido, alega que o partido só recebeu doações legais e diz que vai processá-lo civil e criminalmente por causa da delação. Ora, todo mudo sabe que quem recebe propina procura não deixar rastros e provas que possam incriminá-lo, estratégia comum entre corruptos e corruptores. Por isso não entendemos o porquê de tanta indignação do exasperado Falcão. É a Justiça que vai avaliar se a delação tem fundamento ou não.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Brejo

O PT, como sempre fez e faz, por intermédio de seu presidente, Rui Falcão, critica agora a Operação Lava Jato e o delator Pedro Barusco, que classificou como bandido por ter ele dito que o partido foi beneficiado com US$ 200 milhões. E também para se defender pede que investiguem o governo PSDB pelos mesmos motivos. Ou seja, como todo mau elemento, é covarde e ao afundar no brejo quer puxar outro junto, custe o que custar, né não?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Ladainha

Novamente vem o PT com a mesma cantilena. Em vez de se defender das acusações de corrupção, imediatamente aponta seu dedo pontiagudo para o arquirrival PSDB. Como se já não fossem graves os fatos que lhe são imputados, o partido confirma sua índole de alcaguete, que para se defender do público e notório entrega o sempre disponível ninho dos tucanos, é claro.

CARLOS FERNANDO BRAGA

cafebraga@yahoo.com.br

São Paulo

Manobra diversionista

O PT mostra claramente seu desespero ao incriminar a oposição com ideias que remetem à própria culpa (12/2, A6). Além disso, o partido ainda tem a petulância de recorrer à Polícia Federal e ao mesmo tempo atacá-la. É o cúmulo do desespero na tentativa de apagar a própria imagem de "partido de criminosos".

LUCAS RENÓ GONZAGA

lucasrg72@gmail.com

São Paulo

Palocci

Demorou, porém a Operação Lava Jato encontrou o nome do ex-ministro da Fazendo Antônio Palocci, aquele que comprou à vista um apartamento no valor de quase R$ 2 milhões e também fazia parte da famosa República de Ribeirão Preto.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

CRIATURA E CRIADOR

Consulta

Brasileiros, fiquem tranquilos, a Dilma foi consultar o Lula. Aquele que começou a afundar o Brasil e ela ajudou a piorar!

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Aconselhamento

Com a volta do ventríloquo, pelo menos as mentiras do boneco serão de grife petista.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

O CERCO SE ABRE 

Este país é um paraíso. Tribunal de Contas da União (TCU) livra Graça Foster, ex-presidente da Petrobrás, de bloqueio de bens. O Supremo Tribunal Federal (STF) livra o ex-diretor da Petrobrás Renato Duque, envolvido na Operação Lava Jato, de ficar detido a pedido do Ministério Público Federal do Paraná, por temer que o ex-diretor possa fugir do País. O STF entendeu que não havia esse risco. Quem é o próximo da fila de benesses? Já estou imaginando o tamanho desta pizza.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ALDEMIR AMÉM

A saída de Graça Foster da Petrobrás permitiu uma alternativa para o governo acertar e iniciar uma nova fase na estatal, mas a teimosia, a arrogância e a incapacidade de olhar além do próprio umbigo fizeram Dilma se cercar de mais um capacho, mais um para lhe bater continências. Para o PT e para Dilma, tudo de ruim que acontece – perdeu a eleição para a presidência da Câmara, a inflação de janeiro foi a mais alta desde 2013, a Operação Lava Jato, os problemas de energia e de água – é obra dos adversários e da imprensa. E agora surge Aldemir Bendine, e as páginas da imprensa estão recheadas de casos constrangedores envolvendo seu nome. Mas é um frequentador assíduo do Palácio do Planalto e sabe dizer amém aos chefes.

Carlos Iunes carloiunes@gmail.com

Bauru

*

ORGULHO E VERGONHA

Duas notícias ligadas ao mundo empresarial brasileiro foram destaque esta semana. Na primeira, com grande orgulho, a Bolsa de Nova York cotou as ações da Inbev, dirigida pelo brasileiro Carlos Brito e controlada pelos trio Newman, Telles e Sucupira, em US$ 200,5 bilhões, ou seja, a maior empresa de bebidas do mundo, superando a segunda colocada, a Coca-Cola, em 9,8%. Mais que isso, num modelo de gestão para o mundo atestado por ninguém menos que o megainvestidor Warren Buffet. Especula-se que os brasileiros poderiam, depois da Anhauser Busch, Heinz e Burger King, adquirir a Pepsi, terceira colocada, ou a própria Coca-Cola, segunda. A segunda notícia, para nossa vergonha como brasileiros, a administração desastrada dos últimos 12 anos do PT, de Graça Foster e de Sérgio Gabrielli na Petrobrás, resultando no maior escândalo de corrupção do mundo e em R$ 88 bilhões de prejuízo, para o Estado e, consequentemente, para o povo do Brasil. Pior ainda: a absolutamente incompetente presidente Dilma nomeia para o seu lugar um bancário (ex BB) sem conhecimento no ramo e sem credibilidade no mercado, contra quem já pairam algumas dúvidas sobre um empréstimo para a perua Val Marquiori, compras altamente suspeitas de imóveis e entregas de dinheiro vivo denunciadas por um ex-motorista. A única qualidade de Bendine é sem dúvida seu maior defeito: ser petista de carteirinha e ser considerado pessoa totalmente fiel ao partido, inclusive em suas trapalhadas. Ao contrário do que aconteceu com a direção da Inbev, o mercado reagiu de forma negativa, conhecendo o histórico do partido e sua capacidade de socializar o prejuízo e repartir o “lucro” da pilhagem de empreiteiras e fornecedores com seus tesoureiros e as campanhas. O Brasil tem dezenas de executivos com conhecimento de administração e de mercado em nível mundial que poderiam colocar a Petrobras nos eixos, voltando ela a ser uma empresa orgulho dos brasileiros, ou até mesmo privatizá-la valorizada, impedindo pilhagens futuras e levantando dinheiro para saúde, educação e infraestrutura, estas, sim, obrigações do Estado. Mas o partido que nunca enxerga nada e nunca sabe de nada continua nomeando “cumpanheiros” para as funções e fazendo uma verdadeira pilhagem nos cofres públicos. Mais ainda, o ex-presidente Lula, perdendo a noção de ridículo, convoca militantes do partido (se é que ainda existem ao menos espontâneos) para ir as ruas não contra a corrupção, mas para defender os corruptos petistas e contra os seus investigadores e a imprensa livre que os denuncia.   

Márcio M. Carvalho mmcoak@hotmail.com

Bauru

  

*

DETECTOR DE MENTIRAS

 

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, disse em entrevista ao “Estado” que a iminente instalação da CPI na Câmara dos Deputados para investigar denúncias de corrupção envolvendo a Petrobrás “pode fazer palco, mas não revelará nem um milímetro a mais do que já está revelado”. O ministro poderá estar enganado se a CPI puder contar com o detector de mentiras da marca “impunidade”, moderno, de última geração, do tipo que acende a luz verde quando o depoente fala a verdade, amarela quando começa a embromar e vermelha quando começa a mentir.

 

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

 

*

CPIS PARA QUÊ?

 

Nossos “nobres” parlamentares, deputados e senadores, não devem fazer CPIs para a Operação Lava Jato, que investiga a Petrobrás. CPIs para quê?  Nós já temos pizzarias em todos os cantos da cidade. Não queremos mais. Toda a população esclarecida sabe que as “Excelências” de Brasília, em sua grande maioria, são os causadores e beneficiários não apenas deste escândalo, mas de muitos já ocorridos sem punição e de outros que certamente ainda virão à tona. Elas escolhem e nomeiam essa “gente”. É preciso deixar o Ministério Público e a Polícia Federal trabalhar em paz para termos um resultado confiável. Com eles atrapalhando, não dá. Como brasileiro que sempre trabalhou e pagou impostos, hoje aposentado e decepcionado com esta “democracia”, penso que bem poucos deles, talvez nenhum, estejam mesmo interessados em punir corruptos, porque muitos são farinha do mesmo saco. Não podemos confiar. Tanto a situação como a oposição querem, como já vimos tantas vezes, apenas livrar a cara dos colegas de partido e aliados. Não estão absolutamente interessados na verdade. Quanto aos denunciados, seria muita ingenuidade acreditarmos que roubaram apenas as quantias reveladas em depoimentos. Roubaram muito mais. É, portanto, inteligente, prudente e justo pedir o bloqueio de todos os seus bens, bens de familiares e de outros “laranjas”. Não sendo assim, estarão saindo no lucro, enquanto nós perdemos pagando a conta. Vendo que valeu a pena, amanhã ou depois, mais bem organizados, eles atacam novamente. Lembrem-se de que “o lobo perde o pelo, mas não perde o vício”.

 

Nilson Martins Altran nilson.altran@hotmail.com

Sta. Maria S. C. do Sul

 

*

A LAVA JATO ESTÁ PRONTA

 

Até aqui, cerca de uma dezena de delatores já prestou depoimentos com aprovação da Justiça. Acredito que suficientes para denunciar muitas pessoas, quem sabe 40 ou 50, inclusive políticos e empresas. Se as pessoas que estão, agora, sendo supostamente acusadas procurarem a Justiça com caras de delatores, com provas contra várias daquelas pessoas, propondo delações premiadas, a Justiça acatará a delação? Quem será punido afinal? Acredito que a Lava Jato já esteja pronta ou, então, à beira do conflito: todos são culpados ou serão todos delatores premiados? Com certeza, a Lava Jato deveria encerrar tantas etapas e ainda com perspectivas de outras tantas. Deverá declarar os nomes daqueles já investigados para a Justiça, para condenações cabíveis. E qualquer nova etapa de investigações somente acontecerá se fatos novos surgirem, os quais serão investigados para novas condenações, se houver provas juridicamente aceitáveis.

           

Raimundo Nonato Veloso veloso@secrel.com.br

Fortaleza

 

*

O CONTO DA PETROBRÁS

 

Era uma vez uma princesa muito linda chamada Petrobrás. Ela, além de linda, era muito rica, e por isso disputada por muitos e bons partidos. Num belo dia apareceu um feiticeiro do mal, com aspecto de ogro, barbudo, com nove dedos e com a língua presa. Esse ogro lançou uma maldição contra a princesa Petrobrás e, desde então, ela foi perdendo as energias. Fizeram de tudo: contrataram as melhores cabeças para sanear a Petrobrás, mas ela, já muito debilitada, não reagia, e consequentemente entrou em coma. Todos os bons partidos sumiram, inclusive o ogro feiticeiro, e nem mesmo os laranjas apareceram. Foi então que em um belo dia apareceu um príncipe encantado chamado FMI. E, então, o resto da história vocês já sabem.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

E PIOROU...

 

Não bastasse ser a Petrobrás assaltada, agora acontece a explosão de um navio plataforma. É muito socó para um socó só coçar.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

ALERTA DE INSEGURANÇA OPERACIONAL

 

Com o histórico recente de corrupção, politicagens intervencionistas, incompetência administrativa, contratação de equipamentos e serviços irregulares e desvios que são noticiados sobre a Petrobrás, precisamos atentar para que este “status quo” está fomentando também a possibilidade de acidente de vazamento de petróleo na área do pré-sal. Este fato certamente mancharia ainda mais a imagem da empresa orgulho brasileiro, bem como nossas águas. Caso venha a ocorrer um desastre dessa natureza, os “malfeitos” ambientais serão de difícil negativa, porém, como de costume, não existirá responsável, seguindo atuais procedimentos de apuração e punição. Cuidado, Brasil. Muda, Brasil!

 

Vittorio Antonio Marcelo Biseo vittoriobiseo@uol.com.br

São Paulo

 

*

A PETROBRÁS PROCESSADA

 

Durante a euforia do pré-sal o ex-presidente Lula prometeu que o Brasil estava no caminho de ingressar no seleto clube da Organização dos Produtores e Exportadores de Petróleo (Opep). O que conseguiu foi levar uma das mais poderosas empresa petrolíferas do mundo a uma semifalência e à exposição vergonhosa de valhacouto de bucaneiros modernos. A Petrobrás está nos jornais tanto como a data dos periódicos. Fundos de pensão dos Estados americanos de Ohio, Havaí e Idaho processam a Petrobrás, segundo o procurador-geral de Idhao, Mike de Wine, alegando que o fundo de pensão do Estado que representa perdeu mais de US$ 50 milhões devido à sucessão de escândalos. No ano se 2014, ano da reeleição, tudo foi permissível como a desoneração de R$ 104 bilhões quando a indústria teve um tombo de 3,2%. A sinalização do PIB e da inflação para este ano nos arremete a uma recessão. Na hora do aperto das contas, penaliza-se a parte mais fraca, enquanto os gastos do governo são intocáveis. O custo de vida vai levar o povo às ruas, o aumento das tarifas vai indignar até os 52% que votaram em Dilma Rousseff. Pedido de impeachment é um direito constitucional.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

PROMESSA É DÍVIDA

 

O governo anunciou que o litro de gasolina vai baixar para 800 ml. É o PT cumprindo suas promessas de campanha!

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

DESVIOS NA PETROBRÁS

 

Sejamos honestos, não há como desvincular “o cara” e “o poste” do envolvimento até o pescoço no caso escabroso do petrolão. Isso é fato! Só será feita justiça quando os dois derem com seus ossos na Papuda. É o mínimo que se espera para desmascarar de vez este governo corrupto que se instalou no poder em 2003.

 

Humberto Boh hubose@gmail.com

São Paulo

 

*

PURO DELÍRIO

 

O sr. Lula da Silva disse, recentemente, no encontro de comemoração dos 35 anos do PT, que a mídia e setores da direita são golpistas. Prezado sr. Lula da Silva, tudo o que se escreve e o que a imprensa publica é pura ficção, mero e desprezível jogo político contra o PT, pois o PT e seus políticos são incapazes de cometer atos criminosos, torpes, infamantes, vergonhosos e indignos. É só fazer uma análise retrospectiva de recente período histórico para constatar que não há nenhum líder, dirigente ou integrante do PT preso. Além de os membros do PT se situarem acima do bem e do mal, são todos eles a personificação do mais puro espírito republicano. É inaceitável e profundamente injusto compará-los a Ricardo III, rei da Inglaterra celebrizado numa das peças históricas de Shakespeare, personagem real que concentrou em si próprio todas as vilanias e maldades humanas possíveis. Inaceitável também, sr. Lula da Silva, para não dizer delirante, pretender identificar esses dirigentes e políticos do PT com Caio Verres, o governador corrupto da Sicília, cujos atos criminosos (notadamente atos de corrupção) sofreram duríssima acusação, contida nas célebres “Sete Verrinas”, formulada, em 70 a.C., pelo então jovem jurisconsulto Marco Túlio Cícero, que se tornaria, anos após, senador e cônsul (máxima autoridade) da República romana. Não, nada disso! Nos episódios do mensalão e agora do petrolão, o PT e seus políticos e dirigentes representam a expressão de superlativa probidade moral, não se lhes podendo imputar, por isso mesmo, o menor deslize, pois suas mãos estão limpas, limpíssimas, desse lodaçal que só existe no espírito de quem não ama a República. Não lhes parece, srs. Lula e Dilma?

 

José Erasmo Negrão Peixoto jenp@bitweb.com.br

Tatuí

 

*

O ENCONTRO DE DILMA E LULA

 

A presidente da República em exercício se encontrou com o presidente de fato, Luiz Inácio, em São Paulo ontem, após a queda na aprovação do governo nas pesquisas e as sucessivas derrotas do governo no Parlamento. Estaria ela preocupada com as agruras pelas quais o povo está passando após o seu pacote de maldades (aumento de impostos, redução de benefícios trabalhistas, etc.)? É possível que madame imite a rainha Maria Antonieta, da França, e nos mande comer brioches...

 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

EM BUSCA DA CREDIBILIDADE PERDIDA

 

Ao ler a chamada da reportagem do “Estadão” na terça-feira, 10/2, “Dilma acelera medidas anticorrupção”, fiquei surpreso. Será que ela iria renunciar? Será que Lula e seus familiares iriam explicar ao Brasil como ficaram tão ricos? Será que José Dirceu iria explicar como foi que montou o esquema na Petrobrás e em outras empresas mais? Aí veio a desilusão ao ler a reportagem por completo: era mais uma fraude eleitoral, aquela do tipo “me engana que eu gosto”. Dilma vai correr o País – e não correr do País – para falar aos incautos e ingênuos as maravilhas que o PT fez e que o PT fará. Infeliz Brasil e infelizes brasileiros! A pior das corrupções não é o valor roubado apenas, que, no Brasil, nunca foi tão grande. A pior corrupção é a das obras superfaturadas, mal feitas e inacabadas, como a transposição do Rio São Francisco, o Engenhão, os estádios da Copa do Mundo, que estão apodrecendo, as obras que ficaram nos projetos, os projetos que custaram três vezes o valor orçado e não serão realizadas e muito mais, que o PT fez e fará.

 

José Rubens Macedo Soares federmacedo@terra.com.br

São Paulo

 

*

O POVO NÃO É BOBO?

 

Nas manifestações populares contra políticos, sempre há cartazes com a frase “o povo não é bobo”. Uma ilusão. E pior ainda é julgar-se esperto...

 

Laércio Zannini spettro17@hotmail.com 

São Paulo

 

*

PACOTE ANTICORRUPÇÃO

 

Não será com um pacotão de medidas anticorrupção a ser enviado ao Congresso Nacional que a presidente Dilma estará mostrando o que não existe, ou seja, moralidade de seu governo. Todavia, se ela estiver mesmo disposta a combater agora o que, por ação e ou omissão, permitiu, nada melhor que um só pacotinho voltado à anular o epicentro da corrupção, com a extinção do PT, do qual faz parte.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

 

*

LEI ANTICORRUPÇÃO

 

O mais importante neste momento não é propor novas medidas, como a presidente Dilma planeja fazer, mas liberar a regulamentação da Lei n.º 12.846 (Lei Anticorrupção), que está parada (engavetada?) com ela há cerca de um ano. Embora haja juristas que defendem a autoaplicabilidade da lei, é necessário definir quem proporá as ações, entre outros detalhes importantes para evitar o aumento do já grande índice de concussão por servidores públicos.

 

Mario Ernesto Humberg Marioernesto.humberg@cl-a.com

São Paulo

 

*

BADERNA GENERALIZADA

 

Pois é, esta é a democracia que os revolucionários almejaram... A baderna generalizada está instituída e tem nome: PT. Essa organização política atua por meio de articulações ardilosas, manobras astutas sobre políticos degenerados, estendendo seus domínios sobre todos os Poderes da República, corrompendo todas as instituições públicas, privadas e o poder constituído, arrebentando tudo o que demoramos anos para conquistar. Definitivamente, precisamos levantar a bandeira que trata a corrupção como crime hediondo, convocando o povo para se manifestar por meio de plebiscito, considerando inclusive a retroatividade da lei.

 

Robinson Bicchi bicchi2010@hotmail.com 

Santo André

 

*

ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS

 

Na Sicília, Itália, havia uma poderosa organização criminosa mafiosa que chamavam de “Cosa Nostra”, destinada a enriquecer seus membros praticando crimes variados: tráfico de drogas, prostituição, qualquer coisa. Lá, o Judiciário prendeu todos. No Brasil, desde que os petistas assumiram o poder, há uma organização criminosa chamada política que manda nos outros poderes – Congresso e Judiciário – e consegue manter-se impune usando os impostos para comprar tudo, inclusive eleitores, ou, como corre na web, fraudando os resultados das eleições usando um sistema de apuração rejeitado em outros países.

 

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

 

*

NAUFRÁGIO

 

Da forma como vem agindo a nossa excelentíssima presidente da República, aliás “democraticamente” reeleita, certamente vai provocar um verdadeiro naufrágio deste nosso grande navio chamado Brasil, tal como ocorreu com o Costa Concórdia há dois anos. Aliás, o comandante daquele navio, Francesco Schettino, acaba de pegar 16 anos de prisão. Quantos anos, então, pegariam os comandantes desta grande embarcação chamada Brasil, que está totalmente à deriva, afundando dia a dia com mais de 200 milhões de viajantes? Cadê os verdadeiros líderes deste país que podem corrigir corajosamente a rota desta grande embarcação chamada Brasil, antes que seja tarde demais? É preciso mudar democraticamente o comando deste navio, com base em fatos tristes e repugnantes que aí estão. 

 

Michele Capriglione capriglione@uol.com.br

Santana de Parnaíba

 

*

IMPEACHMENT

 

Com todo o respeito que as conceituadas colunistas Dora Kramer e Eliane Cantanhêde (11/2) merecem, já há indícios suficientes para responsabilizar a presidente da República em diferentes crimes, desde o eleitoral utilizando recursos oriundos da maracutaia petroleira até o crime de responsabilidade por omissão em administrar fatos lesivos ao interesse de bens públicos. Renomados juristas, alguns até articulistas deste diário, já se expressaram com propriedade. Basta, pois, a decisão política de iniciar o processo, desenrolando o fio da meada. Mas, que ela é ruim de gestão, é. Já provara como sócia da lojinha de R$ 1,99 que ajudou a falir. Agora, vamos deixá-la falir o Brasil?

 

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

ILUSTRES PRESIDIÁRIOS

 

O Brasil mais uma vez é exposto ao vexame perante a opinião pública por este equivocado governo que há já 12 anos dita regras ideológicas e retrógradas no relacionamento com os outros países. Apesar do artigo 5.º da Constituição federal afirmar que todos são iguais perante a lei, o Brasil declarou em alto e bom tom que Henrique Pizzolato, como os outros presos do mensalão, fazem parte de uma “categoria de presos cuja condição de detenção é marcada pelo pleno respeito da lei e com notável nível de conforto”, “por se tratarem de presos ilustres” e com garantias diplomáticas, dadas pelo ministro da Justiça, de que ele receberá um tratamento bem melhor em comparação aos demais presos.  Como se um infrator da lei condenado  pudesse ser considerado ilustre.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

ENTREVISTA JOSÉ EDUARDO CARDOZO

 

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é craque em falar bobagens (“Estadão”, “‘Usam a Lava Jato para fazer terceiro turno’, diz ministro”, 12/2, A5). Na tentativa de proteger colegas, incluindo a presidente Dilma Rousseff, ele tenta desviar o foco do esquema de corrupção (leia-se roubalheira) que se instalou na Petrobrás criticando adversários. Vá trabalhar, sr. ministro.

 

Tábita Peres Rodrigues tataperes6@gmail.com

São Paulo

 

*

‘PROBLEMAS PSICOLÓGICOS’

 

“Usam a Lava Jato para fazer terceiro turno.” Que desculpa mais esfarrapada! O ministro Cardozo, da Justiça, mente, como é de hábito mentir no PT, criando versões que lhes convenham ou desvirtuando a realidade. Então vamos aos fatos: “Quem defende o impeachment tem problemas psicológicos”, disse ao “Estadão” (12/2, A5) o ministro. Ninguém imaginaria vê-lo capaz de diagnósticos desta natureza, já que a psicologia não é o seu ramo. Mas eu, que sou psicóloga, ouso afirmar que quem sofre de sérios distúrbios psicológicos são vocês, do PT, que sofrem de TOC, que se trata de transtorno obsessivo-compulsivo. Explico: vocês têm obsessão pelo poder custe o que custar, valendo até mesmo destruir a Petrobrás, e sofrem também de compulsão por roubar, não conseguindo exercer uma função em que não tarde a aparecer denúncias de fraude, ilícitos e desvio do dinheiro público. Nem é preciso aqui citar exemplos, porque todos os conhecem “ad nauseam”. Diz também o sr. Cardozo, com a maior cara de pau, que, se não fossem os governos petistas, não haveria as investigações do padrão de hoje. Ora, ministro, nos poupe de seu cinismo. As investigações surgiram de denúncias feitas pelo Ministério Público, que vocês, do PT, tentaram acobertar o quanto puderam. E o trabalho de apuração tem sido feito à revelia, pelo juiz Sergio Moro, que Deus o proteja! E não venham agora, para completar a sujeirada que costumam fazer ao se refestelarem após a comilança, envolver o ex-presidente FHC, que nada, mas nada mesmo, tem que ver com toda esta lambança. É bom que o ministro lembre que em boca fechada não entra mosquito, até para que suas palavras não se voltem de forma mais cruel ainda contra seu partido, o PT, ao desprezar a capacidade de discernimento do povo brasileiro aprofundando o lamaçal em que hoje chafurda a “cumpanherada”.

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

DEFENDENDO O INDEFENSÁVEL

 

Já está se tornando ridícula a combinação armada entre os defensores de Dilma tentados eximi-la de culpa pelas roubalheiras na Petrobrás. Muito nos admira que um ministro da Justiça, que minimamente deveria ser neutro e defender os interesses do povo, vir a público acusar a “oposição” de problemas psicológicos e afirmar que os roubos da petroleira são anteriores aos governos do Lula e da presidente. Lembre-se, senhor Cardozo, de que são o Ministério Publico, a Polícia Federal e a Justiça que estão mostrando a roubalheira que foi efetuada por pupilos contratados pelo PT, gente de confiança de Lula sob a responsabilidade da ministra da Casa Civil, e presidente da Petrobrás à época em que se deu toda essa bandalheira que nos deixou perplexos e enojados. O que nos dá maior desconfiança é ver que toda as vezes que são pegos pilhando o dinheiro público (mensalão, petrolão...) se reportam à era de FHC quando o PT era oposição ferrenha e nada conseguiu demonstrar de irregular às acusações que são implantas 12 anos depois. Não dá mais para defender o indefensável, mesmo porque a aflição que demonstram todos os petistas diante da clareza das circunstancias já é vista por todos até mesmo por aqueles que eram petistas de corpo e alma. Chega de balela a casa caiu e a roubalheira está na boca do povão, as desculpas de “João sem braço” não está colando mais, mesmo porque quem mentiu sobre o combate à corrupção foi o próprio governo.

 

Leila E. Leitão

São Paulo

 

*

MINISTRO DA JUSTIÇA

 

José Eduardo Cardozo afirmou que o escândalo da Petrobrás começou no governo FHC. E o Brasil foi descoberto em 1.500 d.C. Que falta de criatividade!

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

O PIOR CEGO

 

Sobre as declarações do ministro da Justiça ao “Estadão”, dizendo que as pessoas que desejam o impeachment de dona Dilma sofrem de problemas psicológicos, acho que essa dieta que ele está fazendo junto com sua companheira Dilma está afetando o seu cérebro.

 

João Ricardo Silveira Jaluks joaosilver45@gmail.com

São José dos Campos

 

*

VÍTIMAS?

 

Em 2005, após eclodir o escândalo do mensalão, o mestre criador deu aquela estranha entrevista em Paris dizendo que seu partido fez o que é feito sistematicamente no País. Passados quase 10 anos, podemos depreender que a quadrilha, digo partido, não só continuou a “lambança”, mas aperfeiçoou aquilo que “todos” faziam, tudo dentro da “normalidade”. Em vista deste novo escândalo, desnudado pela Operação Lava Jato, os subalternos (ministro da Justiça e o cândido presidente do PT) têm a coragem de afirmar que a oposição pretende terceiro turno?  São vítimas? Como assim, excelências?

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

AS CAUSAS DA CORRUPÇÃO

 

Frequentemente tem sido denunciado no jornal o aparelhamento das organizações do Estado: a Constituição brasileira permite a indicação para cargos de confiança nas organizações do Estado, administração direta e indireta (federal, estaduais e municipais), o que é um grande estímulo para a criação de partidos e, naturalmente, para o loteamento das organizações, tornando-as ineficazes, ineficientes e corruptas. Não há proposta dos partidos e de seus afiliados para acabar com o loteamento político, o que os desqualifica moralmente. Nossos partidos mais se assemelham a quadrilhas de parasitas do Estado.

 

Darcy Andrade de Almeida dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

 

*

FEIRÃO GOVERNISTA

 

Conforme matéria do “Estadão” (9/2), uma democracia só é digna quando o partido político é considerado uma organização constituída por cidadãos em torno de ideias e movido pelo espírito público. Quando conversamos com amigos e conhecidos, ninguém fala em partido político, com raras exceções, e por que será que partido político é uma realidade ausente do povo brasileiro? A razão desse desinteresse está no atual sistema partidário brasileiro, com 32 partidos instituídos e 40 na fila da Justiça Eleitoral à espera de autorização. Nestes, os donos da legenda estão mais interessados nos recursos públicos vindos do Fundo Partidário – que somente em 2014 superou R$ 300 milhões. E o que dizer do “presidencialismo de coalizão”, que originou os atuais 39 ministérios que acomodam as tais legendas de aluguel no atual governo Dilma?

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

‘ A FARRA DOS PARTIDOS’

 

O “Estadão”, no editorial de segunda-feira “A farra dos partidos”, com a propriedade habitual, aborda a imoralidade do sistema partidário vigente na Pindorama. Em certo momento, chama de “mascates políticos” os que se dedicam à proliferação de partidos com fins que só a esperteza maléfica e os fins escusos explicam. Não creio que tenha sido intenção do jornal nominar um certo político matreiro, ainda jovem, mas que desponta como operador do PT na área, sempre aberto a quaisquer negócios políticos. Desponta com todo o engenho e arte do que poderíamos definir como “o Maluf com outro nome”. E, talvez, outro comércio.

 

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

 

*

REFORMA POLÍTICA

 

O editorial “Reforma é para melhorar” (8/2, A3) mostra o perigo que o sistema político pode sofrer quando parlamentares aceleram a votação da reforma política para fins próprios. Uma reforma política não pode ser feita unicamente pelos congressistas, a sociedade deve participar desse processo, pois corremos o risco de os parlamentares reforçarem o financiamento privado de campanha, fato danoso para o processo eleitoral e que não contribuiria para o aperfeiçoamento da nossa democracia.

 

Israel Gonçalves educa_isra@yahoo.com.br

Limeira

 

*

CRISE E OPORTUNIDADE

 

Em chinês, a palavra crise é composta de dois caracteres: um representa perigo e o outro, oportunidade. Na nossa situação atual, o perigo é o PT sair ileso dos desmandos e da corrupção que utiliza para se manter no poder. A oportunidade é o povo se levantar e exigir que as leis sejam cumpridas e este bando de picaretas seja condenado e levado para a Papuda, ou para Tremembé, sendo o dinheiro roubado dos nossos impostos devolvido aos cofres públicos.

 

Airton Moreira Sanches moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

 

*

ECONOMIA ARREFECENDO

 

A fase pujante da economia mundial voltará, mas quanto? O governo irresponsável continuou gastando mais do que arrecada, e mal. Agora temos de pagar a conta, a juros extorsivos, e adeus investimentos produtivos, salvo parcerias com o setor privado. A incúria contaminou toda a atividade econômica em que o governo interfere, são incontáveis os malfeitos. Não faltam motivos legais para o impeachment da presidente, mas nada afastará o Congresso das tetas. A presidente quer lisura de fato? Convide o ministro Joaquim Barbosa (e será expulsa do PT, certamente). Arre!

 

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

 

*

CASA DESARRUMADA

 

Como não bastassem a absoluta incompetência e as espertezas desprezíveis ao longo destes 12 anos de desgoverno, agora o obra petista está completa, pois destruíram política, econômica e moralmente um País que caminhava para sua emancipação global e, por consequência, para a valorização dos seus cidadãos. Jamais vimos ou assistimos tamanha falta de vergonha e despudor sobre nosso destino, sem contar com o enriquecimento de párias oportunistas que se locupletam com seus agregados partidários e ainda afirmam nada saber sobre desvios. Estão comemorando 35 anos do partido com que obras a apresentar? Não será fácil, mesmo para gente do bem, tentar arrumar uma casa que infelizmente virou um antro. Nunca antes na história deste país passamos tanta vergonha e estamos tão desmoralizados. Triste demais.

 

João Batista Pazinato Neto Pazinato51@hotmail.com

Barueri

 

*

MICROGERAÇÃO DE ENERGIA

 

Escrevo ao “Fórum” para fazer uma autocrítica. Quero me penitenciar pelas minhas intervenções quase sempre negativas em relação aos assuntos por mim abordados e para os quais não apresentei alternativas viáveis. Criticar é uma atitude válida do ponto de vista da liberdade de expressão, mas a mera crítica não constrói nada, somente cria ecos que amplificam as mesmas ladainhas desprovidas de qualquer contribuição. Considerando o meu desabafo, quero insistir num assunto que considero altamente propositivo: microgeração de energia elétrica. Na quarta-feira, no caderno de “Economia” do “Estadão”, li: “Governo dará incentivo à geração caseira de energia”. É um texto que fala de uma grande solução que, para ser implementada, precisa de ações efetivas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do governo federal, dos governos estaduais e do Congresso Nacional, com a ajuda da mídia. Cientistas do nível do professor José Goldemberg atestam a efetividade dessa tecnologia. Infelizmente, os custos dos equipamentos para sua implantação são agravados por altas taxas de impostos e sobre a energia gerada para a rede de distribuição é cobrado ICMS. Num momento como o que estamos vivendo, de crise energética e hídrica, seria extremamente propositivo que a mídia, o Congresso, a Aneel, o governo federal e os governos estaduais discutissem este assunto séria e celeremente para alcançar soluções viáveis que permitam a implementação da tecnologia de microgeração, especialmente a fotovoltaica.

 

Filippo Pardini filippo@pardini.net

São Paulo

 

*

ÁGUA E ENERGIA EM CRISE

 

Cumprimento o repórter Gabriel Manzano e o professor José Goldemberg pela brilhante entrevista, sob vários aspectos (“O governo precisa criar juízo e adotar um projeto energético que funcione”, 9/2, C2). O conteúdo, a conduta da reportagem, a ética de um ex-reitor da USP e, principalmente (tapa com luva de pelica), a fotografia. Uma fotografia que vale por mil palavras. Uma fotografia que demonstra que a USP é uma das 127 melhores do mundo. Vejam a informação (90% da energia no instituto é produzida por células fotovoltaicas). Aos inúmeros economistas (salvadores da Pátria) o custo benefício é pequeno levando-se em conta a gravidade em que se encontra o País em matéria de energia e abastecimento de água. Ainda sobre a ética, uma demonstração aos 65 reitores das universidades federais que foram solicitar aumento de vencimento sem apresentar uma contrapartida como esta. A ética de não informar abertamente que o governo federal há mais de 12 anos é responsável, sim. Tanto pela crise energética como também pela hídrica. Um governo que assinou o Protocolo de Kyoto na época e deixou que o desmatamento da Floresta Amazônica crescesse 375%, o que obrigou a floresta a emitir 0,51 petagrama de carbono que equivalem a 510 mil toneladas de carbono na atmosfera. Um governo que assinou uma portaria para desmatamento (Belo Monte) sabendo que a usina de Capivara foi superfaturada e seu fluxo de água é somente 40% aproveitado. Ao ser questionada sobre energia eólica, a presidente da República assim se manifestou: “Ainda não conseguimos armazenar vento, quando conseguirmos isso, vamos investir na energia eólica”. Na Holanda, foi uma histeria geral – o país que se orgulha de sobreviver desde tempos medievais à custa de ventos. O pior é que Dilma falou isso sem sorrir (poderia passar por piada de mau gosto). Aliás, tem outra frase dita por ela (sobre o desmatamento de Belo Monte): “Esses países que tiveram sua matas e as degradaram agora querem nos ensinar o que fazer com as nossas”.

 

Flávio Prada flavioprada39@gmail.com

São Paulo

 

*

SEM CESSAR A ECONOMIA

 

Os níveis dos reservatórios de São Paulo subiram esta semana. Ainda bem! Mas não podemos relaxar e deixar de economizar. Que chova muito e que o povo poupe o máximo que puder deste precioso bem natural.

 

Rafael Auad rafael.g.auad@gmail.com

São Paulo

 

*

QUARTO VOLUME MORTO?

 

Se o governo paulista esta feliz por ter encontrado uma nova reserva de água na lama do Cantareira, imaginem o dia em que descobrirem o Aquífero Guarani. Vai ser uma festa!

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

SÃO PAULO SECA

 

Se a seca prosseguir, como lamentavelmente indica a previsão do tempo, em breve São Paulo vai virar sertão nordestino e os paulistas, retirantes em busca d’água País afora. Quem diria que o Estado mais rico da Nação, capital financeira e locomotiva do Brasil (quiçá da América Latina), chegaria um dia a este estado de coisas? Oremos...

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

ADMINISTRAÇÃO ‘EFICIENTE’

 

Reportagem no “Estadão” sobre as obras dos mananciais de nossa cidade nos dá um bom exemplo de uma “administração moderna e expedita”. Ocorre que são obras do Programa Mananciais, que vinha sendo desenvolvido desde 1994 e tem como objetivo levar saneamento básico e regularização para bairros inteiros surgidos às margens das represas a partir dos anos 80. Tomamos conhecimento, agora, de que o prefeito Fernando Haddad vai rever o custo de R$ 3,5 bilhões referentes às obras, pois os contratos assinados pela gestão Kassab não respeitaram regras da Caixa Econômica Federal no que se refere ao teto dos insumos usados na composição dos preços, pois, como as obras contam com verba do PAC, o custo dos insumos não podem ultrapassar os valores da tabela do Sinap (uma cesta de índices da construção civil). Eis o argumento oficial que envolve a paralisação das obras. Ocorre que a prefeitura, por sua vez, utiliza há pelo menos seis décadas os valores das tabelas elaboradas por EDIF, atualmente subordinada à Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras, as quais que têm valores diferentes do Sinap. Cabe, aqui, esclarecer que a Prefeitura do Município de São Paulo, ao contrário da quase totalidade dos municípios brasileiros, possui o seu Tribunal de Contas do Município, que fiscaliza muito bem as despesas do município. Então temos aqui uma incongruência a ser discutida. Se o governo federal, por meio do PAC, está colaborando coma a prefeitura da capital de São Paulo, não tem muito sentido impor as tabelas da Caixa Econômica Federal a uma administração da grandeza de São Paulo e que tem um orçamento e um corpo técnico maiores que o da maioria dos Estados brasileiros e um Tribunal de Contas, que funciona exatamente como os estaduais e o da União. A reportagem informa também que as obras foram paralisadas assim que o atual prefeito assumiu a prefeitura, mas só dois anos depois está tomando alguma atitude. As obras foram divididas em regiões, pela sua grandeza e área envolvidas e com elas seriam removidas 13 mil famílias em áreas de risco, as quais receberiam novas moradias, beneficiando cerca de 135 mil pessoas. E a Grande São Paulo ganharia com a preservação das represas. Parece que o prefeito ignora que uma das causas da estiagem que nos assola é consequência das invasões das áreas de mananciais e a extinção de muitos deles. A mim está parecendo mais uma persistente decisão política que prejudica o nosso país há anos, ou seja, a cada nova administração, começa-se tudo de novo, pois nenhum político quer colocar a azeitona na empadinha de outro. E a população continua sem a empadinha. Eis um dos grandes motivos por que este país progride a passos de cágado.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

 

*

NOVA PRESIDENTE DA CAIXA ECONÔMICA

 

Quais são os predicados da Miriam Belchior para assumir tantos cargos importantes em Lula 1 e Lula 2 e em Dilma 1 e Dilma 2? Ou o predicado maior seria o seu silêncio em relação ao assassinato de seu marido, Celso Daniel, quando tentava desmontar um esquema de desvio de dinheiro público na prefeitura de Santo André, às vésperas da posse de Lula?

 

João Paulo Mendes Parreira jpmparreira@hotmail.com 

São Caetano do Sul

 

*

MIRIAM BELCHIOR

 

Parece que o PT resolve de vez a “herança” da ex-mulher do crucificado Celso Daniel. Vê se pode, uma ex-mulher de “condenado político pelo PT” ser guinada a uma instituição bancária como a CEF. É coisa séria de PT mesmo.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

O EXAGERO NAS CICLOVIAS DE SP

 

156 km de ciclovias feitos a um custo de R$ 650 mil por quilômetro, ou seja, mais que R$ 100 milhões já gastos nesta obra. O custo é um recorde: Curitiba e Porto Alegre conseguem fazer o mesmo com um preço 28% menor; e em São Paulo as ciclovias custam cinco vezes mais do que em Paris e 39% mais do que em Nova York. Por que esse exagero e descontrole de orçamentos? Além de tudo, o tráfego em São Paulo já está insuportável, ruas e avenidas em horário de pico sempre entupidas por longos quilômetros, e com estas ciclovias se perdem ainda mais pistas para carros e elas são pouquíssimo utilizadas por ciclistas. Não considero correto comparar-nos com outras cidades mundo afora que já têm muito mais ciclovias que São Paulo. Em investimentos, deverão ser definidas as prioridades, e não a fama política. Este dinheiro não deveria ter sido muito mais bem aproveitado em obras mais importantes, como, por exemplo, a correção dos vazamentos nas tubulações da Sabesp, a disciplina do depósito de lixo em vias públicas, nos rios e represas, e para fazer aquela manutenção nas árvores plantadas nas ruas e praças?

 

Erhard Franz Adolf Dotti erdotti@gmail.com

São Paulo

 

*

ANARQUIA

 

Frase clichê atribuída a Winston Churchill dizia que a democracia é o pior dos regimes, com exceção dos demais. Infelizmente, vivemos todos sob um regime de anarquia, ou seja, sem governo e sem esperanças para os contribuintes em face dos desmandos dos pseudogovernantes, que, para cobrir seus desmandos, nos impõem impostos escorchantes e ciclovias sem que existam ciclistas. E dizer que antigamente cheguei a amar esta cidade...

 

Isac Teperman isacteperman@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

FARMÁCIA POPULAR

 

Sou cardiopata, fazendo uso diário do medicamento sinvastatina 20mg, adquirido, mensalmente, pelo sistema da Farmácia Popular, programa do governo federal. Desde janeiro, não consigo obter autorização para adquiri-lo com subsídio governamental. Gostaria de saber do Ministério da Saúde o que tem em desfavor da minha pessoa, já que, prestes a contar 72 anos, as únicas coisas que podem incomodá-lo são minha idade e a língua afiada a críticas pelos desmandos que estão sendo cometidos, como nunca antes na história deste país.

 

Sebastião Paschoal s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

*

METRÔ DE SÃO PAULO

 

A corrupção que reina absoluta na política brasileira tem ingredientes fundamentais, a impunidade, uma justiça morosa e injusta, que só manda para a cadeia “pobre, puta e preto”, e agora o STF acaba de corroborar isso arquivando mais um processo, agora o do Metrô de São Paulo.

 

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

 

*

VIOLÊNCIA

 

Segundo a Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar, a cada quatro dias um policial militar foi morto em 2014. Além dos baixos salários, o policial tem contra si a situação de abandono das fronteiras nacionais, de responsabilidade da União, e a atuação de ONGs internacionais de direitos humanos a favor de bandidos. Existe uma prática incontrolável e generalizada de violência na sociedade. A guerra de hoje é a do bem contra o mal e o mal está vencendo.

 

Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br 

Mogi das Cruzes

 

*

TIRO NO PÉ

 

A respeito da notícia que os EUA estariam fornecendo arsenal ao Líbano para combaterem jihadistas, já não basta a lição que os americanos aprenderam fornecendo armas para Saddam Hussein no Iraque? O que é que os libaneses vão fazer com o arsenal provindo dos Estados Unidos para combater os jihadistas depois que os mesmos forem expulsos? Com certeza os libaneses vão usar seus novos recursos contra Israel. Parece-me que a estratégia americana para combater o terrorismo jihadista está caindo na armadilha do círculo vicioso.

 

Richard Haber rchbra@gmail.com

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.