Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

14 Fevereiro 2015 | 02h05

Cego em tiroteio

A presidente Dilma Rousseff está feito cego em tiroteio e parece ter concluído, enfim, que não tem mesmo capacidade para governar um país complexo e dividido por ela mesma durante a campanha eleitoral. Sem saber que rumo seguir, colhe os frutos da planta daninha que semeou, juntamente com seus companheiros de partido, sob a orientação de Lula. Eles alimentaram um projeto de poder dentro da Petrobrás e a sugaram ao máximo, a ponto de reduzi-la a nível baixíssimo, arranhando até a credibilidade brasileira no exterior, como fez público a Operação Lava Jato. Tamanha é a sua angústia que mesmo com o relacionamento estremecido com o poderoso chefão foi até ele de chapéu na mão pedir ajuda para sair do emaranhado em que se meteu. Quer encontrar um meio de cooptar os parlamentares oferecendo cargos de segundo escalão a fim de reconstituir a base aliada, que se encontra sob a liderança do presidente da Câmara. A meu ver, está cheirando a mensalão com roupa nova, porque nenhum congressista lhe estenderá a mão direita sem que algo auspicioso lhe caia na mão esquerda. Caso contrário, os efeitos da Operação Lava Jato seguirão pondo os pingos nos is, esclarecendo a realidade dos fatos, dando ao povo as necessárias informações para a continuidade dos protestos em todos os Estados da Federação.

VICENTE MUNIZ BARRETO

dabmunizbarreto@hotmail.com

Cruzeiro

Ponte aérea

E mais uma vez a gerentona, em sua infindável capacidade de solucionar problemas decorrentes do cargo, pega o avião presidencial para vir a São Paulo se aconselhar com o criador. Pergunto: estariam os eleitores satisfeitos em saber que aquela que fez o diabo para vencer as eleições (e venceu) sempre recorre a seu criador toda vez que topa com algum problema? Será que os eleitores de Dilma queriam mesmo é votar no Lula e ela, após ter captado o recado e não desejando decepcioná-los, mantém contato frequente com o babalorixá de Banânia? Parabéns ao marqueteiro presidencial, que prometeu, por R$ 70 milhões, mudanças, dinamismo e boa gestão e entregou Dilma Rousseff.

PAUL FOREST

paulforest@uol.com.br

São Paulo

Guru

Dona Dilma acreditou no guru João Santana e viu no que deu. Agora, aguente. Reze para acabarem logo os quatro anos.

OLAVO FORTES C. RODRIGUES

olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

Marquetagem

Digníssima presidenta, se for para melhorar a imagem, acho melhor continuar escondidinha.

DÉCIO ORTIZ

decio.ortiz@uol.com.br

São Paulo

CÂMARA DOS DEPUTADOS

Retrocesso

O novo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), representa um grande retrocesso para o País. Mal assumiu e já defende abertamente bandeiras conservadoras e reacionárias - contra a adoção por casais gays, a favor do "Dia do Orgulho Hétero" e outras pérolas desse tipo. É inaceitável que tenhamos num dos cargos mais importantes da República uma figura tão despreparada e com tais "predicados". Por aí se vê o quadro negativo que o Brasil vive neste momento, sem lideranças autênticas e com as piores pessoas ocupando cargos de destaque, em detrimento de toda a sociedade brasileira e do Brasil.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Eduardo Cunha, presidente recém-eleito da Câmara, assumiu seu posto com a Casa de cabeça para baixo, porém nos surpreende com sua preocupação em dar prioridade à criação do "Dia do Orgulho Hétero". Importantíssimo e indispensável para o nosso dia a dia, né não?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Incentivo a preconceitos

O presidente da Câmara dos Deputados devia entender que não pode transformar a Casa do Povo em púlpito das suas convicções religiosas e pessoais, desconsiderando o restante da população. Logo, logo, ele vai querer criar algo do tipo Estado Islâmico no Brasil: ou segue a minha crença ou morre!

LUIZ LUCAS CASTELLO BRANCO

whitecastel.castellobranco@gmail.com

São Paulo

Estado laico

A eleição de Eduardo Cunha para presidente da Câmara dos Deputados e as propostas dele mostram que o "taleban evangélico" está crescendo a olhos vistos. Urge salvar a laicidade do Estado!

TIBOR RABÓCZKAY

trabocka@hotmail.com

São Paulo

GOVERNANÇA

Administração e política

Seria o momento de discutir a separação entre administração e políticas públicas? Parece que a administração de um governo está cada vez mais voltada para atender a interesses particulares, quer seja de governantes ou de "cidadãos", por meio da destinação política de verbas. E a política cada vez mais está relegada aos interesses de grupos, e não aos da sociedade como um todo. Um dia Igreja e Estado viveram o mesmo dilema e a separação entre eles foi benéfica. Claro que hoje muitos buscam o retrocesso, promovendo a inserção de uma no outro e há Estados nacionais com fulcro exclusivo em ditames religiosos. Mas fica a dúvida inicial.

ADILSON ROBERTO GONÇALVES

prodomoarg@gmail.com

Lorena

REFORMA POLÍTICA

Voto distrital

A proposta do voto distrital inicialmente para os municípios (vereadores) é uma ideia brilhante do senador José Serra (Por uma democracia mais... democrática!, 12/2, A2). Parabéns!

MARIUS ARANTES RATHSAM

mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

Excelentes tanto o artigo como a proposta do senador José Serra! É muito importante esse primeiro passo significativo para a reforma política.

DARCY ANDRADE DE ALMEIDA

dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

FALTA D'ÁGUA

Dessalinização

Estão propondo uma usina de dessalinização no litoral paulista para jogar água 700 metros acima, no País que tem mais água doce no mundo? Alguém enlouqueceu e acho que não fui eu.

EDUARDO BRITTO

britto@znnalinha.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

AS PROPINAS DA PETROBRÁS

Causou enorme "surpresa" a manchete do "Estadão" de ontem, que informa que o doleiro Alberto Youssef aponta José Dirceu, João Vaccari Neto e Antonio Palocci como as pessoas que recebiam propina pelo PT. Os outros dois personagens faltantes não aparecem, pois não são novidade.
 
Luiz Bianchi luizbianchi@uol.com.br  
São Paulo

*
PARA CHAMAR DE SEU
 
Desde o acidente, no governo Fernando Henrique Cardoso, com a plataforma P-36 da Petrobrás, os petistas não perderam uma única oportunidade para vergastar o tucano, acusando-o pelo sinistro. Também pegaram no pé com a história da existência de um estudo que considerava a troca do nome de Petrobrás para Petrobrax, sugerindo que aquilo seria a evidência cabal da virtual privatização da empresa. De nada adiantaram as negativas e o simples estudo para a troca de nome foi considerado crime de lesa-pátria. Agora - quem diria? - que vemos a dimensão bilionária do esbulho praticado por estes verdadeiros carniceiros da República abrigados sob a sigla que um dia posou de vestal da ética, temos, para "completar", um sério acidente, com vários mortos e feridos, num navio-plataforma na bacia do Espírito Santo. O PT, que não mudou o nome, mas privatizou nossa petroleira para seu usufruto, como provam as investigações da Operação Lava Jato, já tem um sinistro de graves proporções para chamar de seu.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     
São Paulo

*
ACIDENTE NO ESPÍRITO SANTO

A cada dia, a imagem da Petrobrás chega cada vez mais perto da profunda camada do pré-sal. Até quando?!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
A MAIOR EMPRESA

Ao assistir na TV à entrevista concedida pelo presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) do Espírito Santo e vê-lo informar que o navio plataforma acidentado na costa capixaba está em situação irregular no Brasil, e a Petrobrás sendo a única responsável pelo dito acidente, chego à conclusão de que de fato e realmente pelos fatos acontecidos a Petrobrás é a maior empresa brasileira mesmo. Disso não restam mais dúvidas. O único senão é que essa é a maior empresa brasileira para o PT e seus asseclas.
 
José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava 

*
NOTÍCIAS DE IMPACTO

Qual das hipotéticas notícias a seguir causaria maior impacto? 1) Explosão em plataforma mata 100, linha fina abaixo do título: 333 feridos, etc., etc. 2) Explosão na sede da Petrobrás mata 10, linha fina abaixo do título: contratos e compras, 50% cada, etc., etc. Ou 3) explosão da Petrobrás implode o Brasil, linha fina abaixo do título: necessária?

José R. Jimenez Costa jjimenezxng@gmail.com 
São Paulo

*
'CHOVE SÓ NA PETROBRÁS'

Quero cumprimentar o jornalista e escritor Flávio Tavares pelo artigo "Chove só na Petrobrás" (11/2, A2). Esta iniciativa prende-se principalmente ao penúltimo parágrafo do referido artigo, pois não é comum o destaque de fatos da história recente tão relevantes. Os menos informados têm a impressão de que tudo andava tão bem e, a partir de 2002, degringolou. Apesar de todos os malfeitos atuais e que devem ser apurados e punidos, estamos muito melhor do que nos chamados "anos de chumbo", porque mal ou bem o processo democrático funciona. Devemos aperfeiçoá-lo, sempre.

Renato Rangel renurangel@gmail.com
São Paulo

*
NEM AÍ

A criatura de Lula ainda está na Base Naval baiana? Ora, o PIB é zero; a inflação, 7,15%; o dólar a R$ 3,00; o arrocho dos direitos trabalhista avançando; aumento da gasolina e de impostos, nem se fala; Aldemir Bendine perdido na Petrobrás; Guido Mantega continua no Conselho da Petrobrás; a Petrobrás está sendo arrasada; o PT contribuindo vergonhosamente para aparelhar o País; a Corte Americana protegendo a perda acionária dos norte-americanos; pesquisa de aprovação do governo do Planalto despencou pela metade; a soberba Dilma Rousseff não está nem aí, mesmo sendo a mais grave ameaça concreta nos 12 anos petistas, mas insiste em dialogar com os degoladores do Estado Islâmico. Alheia a tudo, se houver impeachment, nem vai perceber e tão pouco fazer falta.     

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br
São Paulo

*
O PAÍS PAROU

Por onde andarás, Luiz Inácio? Será que dona Marisa já lavou aquele uniforme alaranjado que ele usou naquela manifestação pró-Dilma dias antes da eleição em frente ao prédio da Petrobrás, todo suado, despenteado, afinal estamos em tempo de carnaval e a fantasia me parece apropriada? Por onde andarás, João Pedro Stédile (MST), que dizia fazer greve todos os dias se a oposição ganhasse a eleição. Dizia que pararia o País - aliás, onde anda o movimento dos sem terra? Pois é, nem precisou fazer greve. O País parou sozinho.

Paulo César Zorzenon ipcamposnfe@gmail.com 
Ipeúna

*
O PMDB NO PODER                                                

O PMDB chegou ao poder em 1985 por obra do acaso. Tem, agora, uma grande chance de reconquistar o poder. Basta, para isso, propor o impeachment de Dilma Rousseff. Isso não quer dizer que a situação vá melhorar, mas é o suficiente para alijar do poder o partido mais corrupto da história brasileira. Nunca antes neste país a roubalheira foi tão grande.

Jose Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com 
Avaré

*
A ACUSAÇÃO DO MINISTRO

José Eduardo Cardozo (PT), ministro da Justiça de Dilma, afirmou em entrevista ao "Estadão" que quem defende o impeachment da presidente tem "problemas psicológicos". Na realidade, o povo brasileiro que hoje vislumbra que ocorra o impeachment de Dilma tem é vergonha na cara. É cúmplice do exercício da ética e está enojado com o protagonismo do PT, de Lula a Dilma, que não para de emporcalhar o País. Não somente com os fundamentos da nossa economia, que vive hoje um caos, mas, principalmente, com esta corrupção que está destruindo a nossa Petrobrás. Entre outros tantos, um único motivo já justifica o impedimento do mandato de Dilma: a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, quando a presidente do Conselho da Petrobrás na época, que autorizou a fraude deste negócio de grandes prejuízos acarretados para a estatal, era exatamente Dilma Rousseff, que infelizmente não tem tido a dignidade de assumir seu erro. Lamentável é que o ministro Cardozo, antes respeitado como deputado, hoje afunde também com o seu PT.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
CADA VEZ MAIS REVOLTADO

Simplesmente revoltantes as respostas dadas aos repórteres do "Estadão" pelo ministro da Justiça. Quando perguntado se o governo Fernando Henrique Cardoso fechou os olhos para a corrupção na Petrobrás: "O que digo é que não existe fato que possa implicar a presidente Dilma". O referido ministro, acho que na expectativa de ser nomeado para o STF, esqueceu-se de que a atual presidente era presidente do Conselho de Administração da Petrobrás quando adquiriu a refinaria de Pasedena. Era apenas figura decorativa, que quer justificar que votou pelo parecer enviado ao conselho. A gente vai ficando cada vez mais revoltado e, às vezes, envergonhado de ser brasileiro.
 
Celso Xavier da Rosa celsoxr@hotmail.com
São Paulo

*
POBRES ARGUMENTOS 

É lamentável que um ministro da Justiça, ainda que integrante de um partido político (PT), use dos mesmos argumentos para "justificar" as mazelas partidárias: sempre houve corrupção na Petrobrás, antes do PT no governo. Parece que o senhor ministro da Justiça encampou o discurso de companheiro presidente do PT: as declarações de Pedro Barusco, relativas ao PT, dando conta das centenas de milhões de dólares destinados ao partido, são coisa de "bandido". Mas, quando relativas ao governo de FHC, devem ser investigadas. Não valem no que afeta o PT, mas valem para o que afeta o PSDB. Estiveram 12 anos à frente da empresa e não conseguiram detectar a corrupção? Seria só incomPeTência?

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br 
São Paulo

*
TERCEIRO TURNO

O fraquíssimo ministro da Justiça, na ânsia de falar algo para defender o combalido, caído e corrupto PT, diz que a Operação Lava Jato está sendo usada para fomentar um terceiro turno das eleições. Apenas como aviso a este ministro: quando Henrique Pizzolato puser a boca no mundo, aí, sim, o bicho vai pegar e as esfarrapadas desculpas irão para o ralo da vergonha petista. 
 
Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br 
Rio de Janeiro

*
CLIMA PASSIONAL

Clima passional, ministro Cardozo? Só se for aquele de Rose Noronha (sumida) com "o cara".

José Luiz Tedesco tedescoporto@hotmail.com 
Presidente Epitácio 

*
CAIXA 2

Cercado pelas denúncias de corrupção, o PT monta um ofensiva para furar o cerco. O presidente da legenda, Rui Falcão, ameaça processar Pedro Barusco enquanto nega a existência do caixa 2 petista. Só se for agora. Em 2013, em célebre entrevista em Paris exibida no "Fantástico", Luiz Inácio Lula da Silva declarou que o partido dele fazia o que os outros também faziam: caixa 2. Além disso, nada impedia que as empreiteiras doassem o dinheiro da propina de forma legal, uma vez que a propina era acréscimo a uma operação legal. PT, teu passado te condena!

Cloder Rivas Martos sheinerivas@hotmail.com 
São Paulo

*
CARA DE PAU

A cara de pau de Rui Falcão, presidente do PT, realmente representa-o dignamente. Vir a público chamar os "delatores" da Petrobrás de "ladrões" é o fim da picada. Está querendo enganar a quem?

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
CÔMICO, SE NÃO FOSSE TRÁGICO

O presidente do PT, Rui Falcão, é digno de nossas mais sinceras gargalhadas. Seu partido está atolado na lama em que se enfiou de tanto roubar dos bolsos dos brasileiros, e que tem coragem de partir para o contra-ataque, chamando os outros de bandidos. Bandidos são os mensaleiros, os aloprados e os que assaltaram a Petrobrás. 

Flávia Alves de Souza flavia_patricia10@hotmail.com 
São Paulo

*
A REAÇÃO DO PETISMO

Interessante o comportamento do sr. Rui Falcão, que critica a Polícia Federal e o Ministério Público, por causa das apurações dos "malfeitos" dos seus companheiros. Ele queria o quê? Conivência com a bandalheira? Deve este senhor entender que por aqui ainda não temos KGB ou Gestapo a serviço do poder. Quanto a Sibá Machado, melhor nem considerar o que esse inútil fala.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*
A QUEM QUEREM ENGANAR?

O PT e seus principais próceres, Lula, Dilma, seu presidentinho, não em razão de sua diminuta estatura, mas pelo seu proceder, podem fazer barulho, ameaças, interpelações, etc. Mas a corrupção em si não está apenas unicamente julgada, mas suficientemente provada, tanto material como testemunhalmente. As simples negativas de autoria não bastam, as evidências estão claras e óbvias. O projeto do partido (perenidade no poder), se é que pode ser chamado dessa forma, deveria ser reestruturado ou, melhor, novamente iniciado, não com propaganda enganadora. Já não bastasse o mensalão, agora, por enquanto, o caso Petrobrás, mas que no futuro poderá haver desdobramentos: BNDES, Eletrobrás e assim por diante. Sejamos realistas, quem se locupleta com o dinheiro do povo deve pagar, ou, aliás, já deveriam estar preparados para isso. Justiça seja feita!

Iracema M. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br 
Praia Grande

*
NOTÍCIAS REVOLTANTES

O "Estadão" de quinta-feira (12/2) só nos trouxe notícias que causam revolta e indignação. De pronto o jornal nos informa que a presidente Dilma, em meio à crise, recorre a Lula. Veio para São Paulo pedir socorro ao ex-presidente, de quem andava afastada. Só essa notícia nos dá uma boa ideia da sua capacidade de governar o País. Já no "Metrópole" encontramos outra notícias que nos dá uma amostra do desgoverno em que vivemos. Um grupo de sem-tetos, agora haitianos, invadiu um prédio desocupado na Rua Oscar Freire. Entenda-se, o governo federal tem incentivado a vinda de haitianos para o Brasil, o que, aliás, faz muito bem, mas aqui chegando eles são enviados para São Paulo. O governo federal tem a obrigação de acomodá-los de maneira digna, e não transformá-los em sem-teto. Isso é desumano. Na página A9, li que o ministro do Trabalho, Manoel Dias, do PDT, baseado em documentação questionável, tomou decisão que levará a Central dos Sindicatos Brasileiros, ligada ao PMDB, a receber este ano cerca de R$ 15 milhões em Imposto Sindical. O presidente da CUT reagiu dizendo que o ministro não tem poder para tanto. Mas a notícia que mais me chamou a atenção foi publicada na coluna de Sonia Racy, segundo a qual a Petrobrás deve ao Estado de São Paulo quantia estimada em R$ 10 bilhões de ICMS. O fato decorre de uma manobra, através da qual no gasoduto que vem da Bolívia para São Paulo foi instalado um medidor do gás "para checar o volume" importado, na cidade de Corumbá, Mato Grosso do Sul, sabe-se lá porque, mas dá para imaginar. Na época, aquele Estado era governado por Zeca do PT e o Brasil, pelo presidente Lula. Por causa desse pit stop, como diz Sonia Racy, aquele Estado ficou com o correspondente ICMS. São Paulo entrou na Justiça, pois a Constituição estabelece que esse imposto é cobrado no destino final. O procurador-geral da República já deu parecer favorável a São Paulo e o processo está no Supremo Tribunal Federal (STF), onde tramita desde 2006, e está atualmente com o ministro Gilmar Mendes. Cabe, aqui, um comentário final: se o processo ficou de 2006 até 2014 com o ministro Celso de Mello, e ainda não foi julgado, seria interessante saber por qual motivo, já que se passaram oito anos e o valor do tributo certamente fez e faz muita falta à população paulista.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
PODER DE DECISÃO

Lá veio Dilma Rousseff pedir a bênção mais uma vez ao seu criador, Lula, para assim ser orientada pelo professor sobre qual é a melhor maneira para continuar burlando e iludindo a população brasileira, ou seja, transfere o poder de decisão mais uma vez a ele, só que agora oficialmente. Embora quisesse manter sigilo de sua vinda a São Paulo, a informação vazou. Quem sabe venham a criar mais uma "bolsa", comprando a população para aumentar seu índice de aprovação e popularidade, que despencou, e para preparar a cama para Lula em 2018.  

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
VERGONHA NA CARA

Se o Brasil fosse o Japão, e o presidente estivesse na situação em que a nossa está, este já teria feito um haraquiri há muito tempo...

Cristina Hesketh Braun ch.braun@globo.com
São Paulo 

*
VIVA A PÁTRIA EDUCADORA!
 
O professor Ricardo Vélez Rodriguez evidenciou em artigo publicado no "Estadão" (12/2, A2) que um dos mais importantes fatores que deterioram nosso modelo social "vem de baixo, da grande massa das famílias" enfatizando que o Brasil é "campeão mundial em mau comportamento em sala de aula", o que consome muito tempo do professor ao tentar manter a disciplina. Merece destaque, entretanto, a foto estampada na capa do referido jornal, retratando a postura dos ilustres professores do Paraná que tomaram o prédio da Assembleia Legislativa, "pouco se lixando" com a ordem de reintegração determinada pelo Poder Judiciário, fato suficiente para caracterizar o péssimo exemplo. Ornamentados com a cor vermelha do ParTidão, vê-se uma "lutadora" deitada no chão com os pés descalços depositados sobre um móvel, bem público; outra, esparramada, pernas abertas à mostra ao nível da virilha; outro, de camisa listrada esparramado numa confortável poltrona, "coçando o saco" (literalmente)... Eis aí os nobres educadores, lídimos parceiros da dona Dilma, responsáveis pela educação dos jovens brasileiros... E basta!
 
Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br 
Jundiaí

*
O CARNAVAL DA BEIJA FLOR

A escola de samba Beija Flor de Nilópolis, por uma questão moral e ética, não deveria aceitar os R$ 10 milhões oferecidos pelo presidente ditador da Guiné Equatorial para seu desfile de carnaval. É dinheiro tirado de um povo pobre. R$ 10 milhões que somem em 85 minutos de desfile. Mas, como moral e ética neste país passaram a léguas de distância e o governo faz muito pior do que isso...

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
FINANCIAMENTO DA FESTA

O Rio de Janeiro livrou-se dos bicheiros no carnaval para cair nos braços de um ditador africano. Cruzes, Beija Flor!

Tânia Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*
CALENDÁRIO CARNAVALESCO

Os dias de carnaval são determinados pelo calendário litúrgico, mas não constituem dias santos de guarda - conforme a nomenclatura da Igreja Católica. Portanto, servem apenas para marcar o início da quaresma. O carnaval virou um negócio com interesses econômicos e turísticos. Seguir o calendário de conformidade com o da Igreja deixou de fazer sentido, até porque o nosso Estado é laico. Na Bahia, o carnaval dura o ano todo. Em Londres há um carnaval em agosto; em Houston (EUA), em setembro, na alta temporada; no Japão, é uma réplica do carnaval carioca e ocorre também no verão setentrional, em agosto. A proposta do diretor cultural da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Hiram Araújo, é a fixação dos desfiles de carnaval na última semana de fevereiro, com o que todos ganharão. 

Roldão Simas Filho rsimasfilho@gmail.com 
Brasília

*
COISA MUITO SÉRIA
 
O carnaval não é, de forma algum, um assunto fútil. Muito pelo contrário, é coisa muito séria. A busca de identidade é muito forte na alma humana. Alguns afirmam sua identidade praticando crimes. À margem da sociedade, sem qualquer tipo de reconhecimento, só a prática de atos criminosos lhes confere presença no mundo. No submundo do crime têm nome e são ouvidos. A autoafirmação pela rota do crime é prejudicial à coletividade e frustrante para a pessoa que tenta fugir do anonimato através desta enganosa solução. Muito mais sábio é buscar ser pessoa através da participação numa escola de samba ou bloco de carnaval. Quem pertence a uma escola ou bloco tem endereço, raiz, deixa de ser alguém sem lenço e sem documento. As escolas de samba permitem que os mais pobres, dentre os pobres, pelo menos por um dia sejam aplaudidos nas avenidas e reconhecidos como gente com alma e coração. Na biografia de alguns cidadãos, que prestaram grandes serviços à comunidade, registra-se que passaram por uma escola de samba. Vibro com as escolas, sim, mas vibro ainda mais com o rosto feliz dos sambistas. Esses rostos me emocionam. Aquele gari que nunca ouviu um "muito obrigado" pelo seu importante trabalho de limpeza das vias públicas é aplaudido com entusiasmo quando desfila fantasiado de príncipe, marinheiro ou aviador. O desfile de uma escola de samba é o teatro do povo, e o teatro, por uma longa tradição, construiu consciências. Não é por acaso que temas de escolas de samba foram vetados nas ditaduras brasileiras. Hoje vivemos um clima democrático. As escolas de samba podem satirizar a presidente da República, governantes em geral, legisladores, magistrados. Apesar de todas as dificuldades enfrentadas pelo povo, que tesouro sem preço é a liberdade.

João Baptista Herkenhoff bpherkenhoff@gmail.com
São Paulo

*
OLHOS VENDADOS

É notório o agravamento do caos urbano no Rio, em consequência dos preparativos para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, para os quais a cidade reconhecidamente não estava preparada, embora não saiam de nossas memórias as manifestações histéricas, ao vivo e a cores, de natureza politiqueira, dos então governantes das três esferas públicas, Lula, Cabral e Paes, este remanescente, no momento do anúncio pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Os custos para a realização do evento já estouraram as previsões embora a grande atenuante seja o chamado legado dos jogos para a cidade, aspecto extremamente duvidoso, se compararmos o esperado com o real, quase nenhum, decorrente do pan-americano de 2007. É evidente que, para a Olimpíada, não há volta, ultrapassamos há muito o ponto de possível retorno. Assim só nos resta, para simbolizar a aventura, propor a modalidade olímpica de saltos ornamentais... de olhos vendados. 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com   
Rio de Janeiro

*
GRAFITE NOS ARCOS DO JÂNIO

O prefeito de São Paulo, em comum acordo com o tal Compresp, órgão da prefeitura que deveria se encarregar de preservar os monumentos da cidade, simplesmente autorizou a pichação dos Arcos do Janio, obra tombada que data de 1920. Os pichadores tiveram a audácia de, além de emporcalhar a cidade com obras de gosto duvidoso, pintar a caricatura de Hugo Chávez, ditador já falecido da Venezuela, como se fosse figura pública brasileira a ser homenageada. Essa atitude lembra os facínoras do Taleban, que, há dez anos, implodiram no Afeganistão a estátua do Buda erigida no século 5. Com esse tipo de atitude, a prefeitura está dando aval aos tais grafiteiros para emporcalharem livremente a cidade e seus monumentos, contando, agora, com autorização explícita das "autoridades" municipais, que têm doentia atração por facínoras e ditadores.

Frederico Fontoura Leinz fredy1943@gmail.com 
São Paulo 

*
MEMORIAL AO BOLIVARIANISMO

Não bastasse o crime perpetrado contra o patrimônio histórico, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, provoca e desafia os paulistanos permitindo a grafitagem do rosto do coronel Hugo Chávez num dos vãos dos Arcos do Jânio. Só falta pintar nos demais vãos Cristina Kirchner, Fidel Castro e Evo Morales e passar a chamar a famosa arcada de "memorial ao bolivarianismo".

Luigi Petti luigirpetti@gmail.com 
São Paulo

*
MAU GOSTO

Aqui, na cidade de São Paulo, preferem grafites à natureza. Grafitaram um rosto parecido ao de Hugo Chávez num monumento histórico. Se for para isso, temos bandidos muito mais interessantes para homenagear. Pura arrogância e nada de provocação artística. Ninguém merece a cara de Hugo Chávez estampada em lugares públicos da cidade de São Paulo. Por se tratar de espaço público, o ideal é pintar grafites agradáveis. 

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br 
São Paulo

*
ESTARRECIDO

Sou do interior, mas já morei em São Paulo por 35 anos e fiquei estarrecido com as pinturas feitas nos Arcos do Jânio. Pelo que sei, este monumento é tombado pelo patrimônio, mas mesmo assim o PT e sua arrogância insistem em pintar o rosto do bandido Hugo Chávez ali, mostrando claramente que o Brasil caminha a passos largos para o comunismo. Temos de dar parabéns a este povo que elege indivíduos desta índole. O Brasil, em poucos anos, estará igual a Cuba depois de 50 anos sob o regime socialista: estagnada, com construções em ruínas. Recado ao PT: o Brasil é muito grande e um dia essa onda passará, por bem ou por mal.
 
Urias Borrasca urias@mercosulrefratários.com.br 
Sertãozinho

*
DESRESPEITO

A incompetência do prefeito Haddad em gerir nossa cidades é de tirar do sério qualquer pessoa com um pingo de bom senso. Autorizar pichações numa estrutura tombada pelo Patrimônio Histórico, como os Arcos do Jânio, é um desrespeito à cidade de São Paulo, agravado ainda pela infeliz ideia do pichador de retratar o medíocre Hugo Chávez. Se fosse prefeito de Roma, Haddad provavelmente autorizaria a pichação do Coliseu, com o retrato do padrinho Lula.

Fernando Fenerich ffenerich@gmail.com 
São Paulo

*
VAIDADE

O prefeito de São Paulo parece querer que os Arcos do Jânio passem a ser chamados de Arcos do Haddad. Não vai colar. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
GESTÃO RUIM DEMAIS

Se viver em São Paulo se tornou muito difícil, atualmente está quase que impossível. O atual prefeito nunca começou a administrar de verdade o município e só se dedica a fazer politicagem com as esquerdas que o apoiaram, deixando que as ruas se afundem em buracos e enchentes que são ajudadas pelo lixo que se propaga por toda parte. Sem ter a menor habilidade para ser eficiente, o que já foi comprovado no período em que foi ministro da Educação, Haddad nem se preocupa com nada que não seja propaganda para aparecer na imprensa, que, por sinal, parece adorá-lo. Tingiu as ruas de São Paulo com tinta vermelha dizendo que aquilo são ciclovias (a um preço para lá de exorbitante) e, não satisfeito com esta grande "proeza", liberou os Arcos do Jânio, patrimônio municipal prestes a completarem 100 anos, para grafiteiros colocarem ali seus desenhos coloridos, numa desobediência flagrante à lei que determinou que eles sejam preservados. Será que, se fosse prefeito do Rio, ele mandaria pintar os Arcos da Lapa? Ou, se de Segóvia, pintaria os arcos do famoso aqueduto? Além disso, liberou aos viciados em crack e outra drogas o uso dessas drogas, já que com seu programa Braços Abertos o objetivo parece ser este mesmo, sem exigir um mínimo de responsabilidade por parte destes. Para enumerar os problemas que os paulistanos têm enfrentado, levaria um enorme tempo. Ao receber o IPTU, a população se aperta para pagar os aumentos injustificáveis, já que a cidade está abandonada, pintada de vermelho e de faixas brancas dos corredores de ônibus. Parece ser só isso que ele faz, pois todos os dias vemos notícias de zonas paulistanas completamente jogadas à sua sorte, sem se ver ali a presença do poder municipal. Não por menos, sua aprovação cai a cada dia, mas ele nem se preocupa, pois tem a seu lado os "movimentos sociais", aqueles que ele defendeu até para ocuparem área de mananciais. Só nos livraremos destas pragas petistas quando os eleitores começarem a acordar e verificar que não há saída para populismo e demagogia. Precisamos de trabalho e seriedade, e não de marqueteiros e de suas criaturas.
 
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo 

*
POR QUE NÃO ÀS CICLOFAIXAS

A revista "Veja" da última semana compara o custo de 1 km de ciclovia em São Paulo com o de outras cidades do Brasil e do mundo. Como aqui ele é muito superior, expõe a malversação de nosso suado e absurdo IPTU e traz à tona a inconveniência desta idiotice. São tantas as incoerências e inconsistências que consumiriam páginas para comentá-las. Só algumas. 1) São ciclofaixas, e não ciclovias; 2) transporte individual numa cidade carente de transporte coletivo; 3) usurpa áreas do leito carroçável enquanto o partido do prefeito, o PT, estimula a compra de carros novos; 4) a cidade de São Paulo é montanhosa, portanto bicicleta só como lazer ou treino para ciclistas tentarem correr a Volta da França; 5) São Paulo é uma cidade chuvosa e ainda não fabricam "bicicleta conversível"; 6) transporte excludente, pois só serve aos que têm preparo físico para tal; 7) na Faria Lima, pintaram ciclofaixa onde já havia uma - o Tribunal de Contas do Município declarou duplicidade de obras; 8) transmite ao ciclista a falsa sensação de segurança (põe em risco sua vida e a integridade do motorista que o atropelar).
 
Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo

*
CICLOVIA DA PAULISTA

Vejam que absurdo o que a Prefeitura está fazendo na Avenida Paulista: destruindo o canteiro central e concretando tudo para fazer ciclovias: a cidade perde o pouco de verde, e o trânsito vai piorar muito numa via de grande circulação - sabe-se que poucos vão usar essas ciclovias caríssimas, cujas verbas seriam muito mais bem empregadas para atender a reais necessidades da população (melhoria da saúde, da educação, dos parques que vêm dando lugar a empreendimentos privados, da provisão de serviços públicos decentes). Depois vamos sofrer os alagamentos com o desaparecimento do pouco de permeabilidade que ainda resta nas vias e calçadas, sem falar da feiúra da cidade sem verde, do aumento da poluição e do calor. A arborização que antigos urbanistas plantaram sistematicamente hoje vai se acabando - as árvores estão deixadas ao completo abandono e são bodes expiatórios de erros e carências de predadores do meio ambiente como a Eletropaulo. Reis da gambiarra! basta olhar para cima das nossas cabeças nas ruas - das subsecretarias que só sabem arrancá-las, da população que não se importa, habituada a aceitar qualquer coisa! Quem vai gritar contra tanta desurbanidade em plena era da sustentabilidade urbana, entre nós inexistente, além da oportunidade dada por este pequeno espaço de jornal?

Heliana Angotti angotti@usp.br 
São Paulo

*
PARQUE AUGUSTA

Estarrecedor! As "verdades" sobre o Parque Augusta elencadas pelas empresas do ramo de construções Setin e Cyrela, publicadas no "Estadão" em 12/2, sob título "Nota de esclarecimento", podem ser resumidas num único propósito a respeito do provável aproveitamento daquela área nobre da cidade de São Paulo: lucro imobiliário desmedido. É lógico, evidentíssimo mesmo, que qualquer bosque - aqui não importa o número de árvores plantadas, nativas ou não, e outras com a promessa de plantio num espaço de 10 mil m2 a ser agredido (esse é o termo) por torres provavelmente com altura superior a 100 metros - não resistiria por muito tempo a uma degradação ambiental como esta. Triste, muito triste. As construtoras mentem quando afirmam o compromisso de contribuir para o desenvolvimento e a preservação da história da cidade de São Paulo. Se realmente fosse esse o intuito, procurariam o sr. prefeito, vereadores, autoridades, ambientalistas, etc., propondo acordo, permuta ou outra forma aquiescente para evitar mais uma agressão aos pulmões da sofrida população paulistana. Triste, muito triste.
 
Carlos Laué Junior  bibalaue@volny.cz  
São Paulo

*
TORCIDA MISTA

Cumprimento os evoluídos, civilizados e maduros dirigentes gaúchos, que farão o tradicional clássico Gre-Nal com torcida mista e misturada dos dois arquirrivais, no Beira-Rio, em 1/3. São atitudes como essa que trazem a paz nos estádios e mostram que nem tudo está perdido no decadente e mal cuidado futebol brasileiro. Futebol é esporte, jogo, alegria, confraternização, diversão, lúdico. Não é guerra, muito pelo contrário. Os dirigentes de Inter e Grêmio deram uma importante lição de civilidade, inclusão, tolerância e cidadania, que deveria servir de exemplo a ser seguido pelo resto do país, sobretudo pelos tacanhos cartolas paulistas, cariocas, mineiros e da CBF.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
A LUTA CONTRA A DENGUE

Recebendo o agente de endemias em minha casa, ele disse-me que muitas casas do bairro não foram visitadas por estarem abandonadas. Os donos dessas casas foram notificados, mas alguns não permitiram a visita do guarda que nos protege contra a dengue. Será que ainda não entendemos a lição, que a dengue é uma doença séria e que pode levar à morte? Em Minas Gerais, depois de ser notificado três vezes, o oficial de Justiça tem a autorização de entrar nestas casas abandonadas, que podem ter focos da dengue. A dengue é uma doença social. Todos somos responsáveis por combatê-la.

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com 
Fortaleza

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.