Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

15 Fevereiro 2015 | 02h05

Prólogo e epílogo

Às vésperas dos indiciamentos na Operação Lava Jato, há muita apreensão no Planalto e na sociedade em geral. No mensalão houve uma só delação, não premiada, do então deputado Roberto Jefferson. Os envolvidos alegavam não haver provas concretas, que o julgamento era político e tudo mais. Jamais admitiram a corrupção. Mas acabaram sendo condenados graças à aplicação da teoria do domínio do fato pelo STF. No caso da Petrobrás, há 13 delações premiadas descrevendo com detalhes, e provas, todo o esquema, o que torna a situação mais complicada. Por mais que o presidente do PT, Rui Falcão, diga que foram feitas legalmente todas as doações das empreiteiras ao PT e outros partidos, isso não elimina o fato de tais doações serem de origem criminosa, é roubo de dinheiro público. Em suma, o mensalão foi o prefácio e o petrolão é o epílogo.

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Arquivo (ainda) vivo

É melhor Dilma Rousseff deixar (o mensaleiro) Henrique Pizzolato quietinho na Itália. O estrago será grande se, extraditado, ele aderir à delação premiada.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

Topete

Rui Falcão é muito topetudo por questionar delegados da Polícia Federal e procuradores da República da Lava Jato. Para ele e a "cumpanheirada" do ético, honesto e incorruptível PT, quem vai contra o partido é bandido.

EMERSON LUIZ CURY

emersoncury@gmail.com

Itu

Nova versão dos fatos

Tudo o que se apura do PT em juízo é mentira, tudo o que o PT diz é verdade. E o Sol gira em torno da Terra!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Incongruência

Curioso o PT: chama Pedro Barusco de bandido, mas acusa o governo FHC de participar de tramoias na Petrobrás com base em declarações do bandido. Nunca vi gente tão esquipática.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

FHC x lulopetismo

O ministro José Eduardo Cardozo quer desviar o escândalo da Petrobrás da "chefa", pondo FHC no lugar dela. Acho até que, se quiserem, podem (e/ou devem) apurar irregularidades na empresa no período anterior ao de Lula. Mas a compra da refinaria de Pasadena, a construção da refinaria de Abreu e Lima, a Comperj, os problemas dos gastos com as plataformas, na Argentina, na Bolívia e na África, tudo isso foi na era lulopetista. Em todo esse período lá estava a todo-poderosa ministra de Minas e Energia, da Casa Civil, gerentona do Lula, mãe do PAC e "presidenta". Se não obteve vantagens pessoais, como candidata em 2010 e 2014 é fato. Administrações incapazes ou coniventes?

ÉLLIS A. OLIVEIRA

ellisnh@hotmail.com

Cunha

Prescrição

Seria piada se o autor da afirmação não fosse nosso ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Ao PT só está sobrando fazer garimpagem de "malfeitos" na História do Brasil para justificar os onipresentes "malfeitos" petistas. Daqui a pouco vamos fazer investigações na República Velha, na era Vargas. E por que não uma CPI por nepotismo contra Pero Vaz de Caminha? Além do mais, o mínimo que um ministro da Justiça deveria saber é que crimes de corrupção ativa na época de FHC já estariam prescritos (artigo 109 do Código Penal). É deprimente ver um ministro com aspirações ao STF tornar-se expoente da mais primária política de palanque.

LUIGI PETTI

luigirpetti@gmail.com

São Paulo

A falência do PT

O sr. Rui Falcão, presidente do partido que está no poder e nele pretende perpetuar-se, ignorando a situação insustentável em que se encontra, tem feito declarações as mais estapafúrdias tentando negar o óbvio que toda a sociedade brasileira já sabe e não tem mais dúvidas: o total envolvimento do PT nos escândalos de corrupção que principalmente a Operação Lava Jato desvendou e escancarou, para espanto nosso. Nas declarações de Falcão, Lula, Dilma, Cardozo, etc., etc., as desculpas são as mais esfarrapadas, achando sempre os mesmos culpados, "eles", a mídia golpista, inimigos internos e externos, os que estão querendo privatizar a Petrobrás... Os petralhas são incompetentes até nas bandalheiras. Abram os olhos, a casa caiu.

HENRIQUE SCHNAIDER

hschnaider4@gmail.com

São Paulo

'Os suspeitos de sempre'

A leitura do artigo de Fernando Gabeira Os suspeitos de sempre (12/2, A2) remete ao romance de Kazuo Ishiguro Vestígios do Dia. Ishiguro enfatiza longamente a questão da "dignidade" como principal característica do servidor. Gabeira, em trecho de seu artigo, diz que, "se alguém com talento conseguisse sobreviver no governo petista, decerto seria alvejado pelos atiradores do PT ao revelar alguns vestígios de autonomia". Com 39 ministros escolhidos entre o que de melhor existe no País em termos de mediocridade e subserviência, o governo nega as evidências de "malfeitos", fica na defensiva e adota a tática de sempre: imputar à oposição e à mídia a "criminalização" do PT, um partido de virtuosos esquerdistas. Até quando isso vai aguentar?

JOSÉ ROBERTO DE JESUS

zerobertodejesus@gmail.com

Capão Bonito

Repúdio

José Dirceu repudia veementemente, Rui Falcão também, João Vaccari Neto e Antônio Palocci idem, idem. Nunca antes na História deste país houve tanto repúdio a acusações de recebimento de propina. Isso é uma infâmia, foi dinheiro de consultorias... US$ 200 milhões!

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

Negar como método

Algum ladrão confessa o crime logo de cara? Até hoje um ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, atual deputado, apesar da Lei da Ficha Limpa, nega ter dinheiro no exterior!

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Carnaval chocho

O PeTrolão deixou muita gente com medo de sambar.

NELIO ESQUERDO

nelioesquerdo@terra.com.br

São Paulo

EM BUSCA DE AJUDA

Pode parecer incrível, mas a criatura, no caso a presidente da República, Dilma Rousseff, em meio a crises diversas, veio buscar ajuda do seu criador, o ex-presidente Lula. Somente no Brasil um ex-presidente manda mais que a presidente. Explica-se: Lula referendou Dilma para dirigir o País, vendeu a imagem de uma mulher forte, competente e combativa. Só que se esqueceu de combinar com ela tais atributos. Na prática, Dilma 2 é o retrato da incompetência, péssima gestora e ruim no diálogo com aliados e subalternos. Lula errou feio na indicação, mas era o que lhe restava de última hora, visto que José Dirceu e Antonio Palocci, suas primeiras opções, tiveram de deixar seus postos por estarem envolvidos em denúncias de corrupção. Hoje Dirceu está preso e Palocci, que até então reinava tranquilo fora do governo dando suas consultorias, deve estar de cabeça quente. É preciso aguardar os desdobramentos da Operação Lava Jato, que investiga a corrupção na Petrobrás, para ver onde tudo isso vai dar. Duas coisas absurdas: uma, a presidente ficar refém das ordens de Lula, duas, toda essa roubalheira acabar em pizza. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
POBREZA DE ESPÍRITO

Pobre Brasil, tão mal informado. Preocupamo-nos com reality shows e novelas e damos as costas ao noticiário político e econômico. Mas, na hora de pagar a conta do supermercado, da eletricidade, a tarifa de ônibus, o combustível e tantos outros itens, além do risco de ficarmos sem luz e sem água, começamos a ter a atenção despertada para uma realidade que não víamos, ou porque não queríamos ou porque não nos interessava. Imagina-se, então, que nossos dirigentes se proponham a lutar contra este estado de coisas, falando a verdade para a Nação, assumindo erros e propondo soluções, enfim, encarando o problema de frente. Mas eis que se percebe que a grande preocupação deles é "manter a base de apoio", praticando a forma de governar mais desprezível, qual seja, a do "é dando que se recebe", com a única intenção de manter o poder a qualquer custo, nem que para isso tenha de infligir às pessoas, especialmente às mais humildes, para quem dizem que governam, mais sofrimento, humilhação e vergonha.  Que pobreza de espírito, que falta de civismo.
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br 
São Paulo

*
GEPETO E PINÓQUIO
 
Certa vez um velho carpinteiro chamado Gepeto fez um boneco de madeira. Deu-lhe o nome de Pinóquio. Queria fazer de Pinóquio um menino educado. Muito tempo depois, um velho metalúrgico chamado Lula fez uma boneca e deu-lhe o nome de Dilma. Queria fazer de Dilma uma administradora pública eficiente. Mas Lula falhou na criação, porque o nariz de Dilma nunca cresceu. Às vezes, dá a impressão de que ele encolhe, na mesma proporção em que encolhe a riqueza brasileira. Essa boneca já perdeu a graça.
  
Flavio Cesar de Toledo Pinheiro flaviopinheiro.adv@uol.com.br  
São Paulo

*
O CERCO ESTÁ SE FECHANDO

Toda vez que a presidente Dilma Rousseff está em apuros, como diante da atual crise no Congresso, onde ela não consegue aprovar seus projetos, ela sai correndo para se aconselhar com o ex-presidente Lula. Finalmente, quem governa este país, Dilma ou Lula? Será que a presidente ainda não se atinou de que o cerco da Operação Lava Jato está se fechando em torno dos chefões do PT e que, logo, estarão todos a caminho da Papuda? Cuidado, presidente Dilma, este caminho que a senhora está trilhando é altamente perigoso, podendo levá-la a um precipício.
 
Valdy Callado valdypinto@hotmail.com  
São Paulo

*
BORDÃO SOBRE O PETROLÃO

Prezados Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, quem não sabia de nada era o povo brasileiro.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
VINDE A MIM

A posição e o comportamento de Lula perante o "governo Dilma" é de um ser absoluto, prepotente e seguro, pois foi a "presidenta" que se deslocou até São Paulo para que pudessem se encontrar, para ser comandada e orientada a que fazer perante a atual situação. Para camuflar tal comportamento, armaram exames que ela teria a fazer no Hospital Sírio-Libanês, o SUS dos políticos. Ou seja, vinde a mim os fracos, cansados e oprimidos.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
CONVERSA DE SÓ NÓS DOIS 

"Eu vou continuar sumido por mais um bom tempo e você vá fazendo devagar as vontades dos opositores, e vamos ver se a poeira baixa. Neste momento não há o que fazer. Só aguardar!"

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
QUAL SERÁ O PRÓXIMO GOLPE?

No último encontro secreto em hotel de que tivemos notícia pela imprensa, inclusive filmado pela câmera, estavam presentes um que respondia pelo mensalão e o outro que foi lá prestar conta do petrolão. E agora, qual será o próximo golpe?
 
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com 
São Paulo

*
A POPULARIDADE DE DONA DILMA
 
Com queda de 19 pontos, veio a popularidade de dona Dilma para os 23% dos entrevistados, em patente demonstração de que os brasileiros não mais lhe estão dedicando apoio expressivo. Certamente que as verdades e os assaltos à coisa pública demonstrados pela imprensa realizaram a tarefa de redução da popularidade, da mesma forma que a tendência será sempre a redução ou estagnação da popularidade, porque a Polícia Federal, por certo, continuará seus trabalhos, inclusive no BNDES, no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal, onde encontrarão malfeitos à vontade e que não terão a força de aumentar a popularidade presidencial. É só aguardar para ver.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
MELHORAR A IMAGEM

Se Dilma Rousseff quiser melhorar um tiquinho sua imagem, é só proibir os vassalos de ficarem chamando-a de "presidenta". O termo já virou chacota.

J. Treffis jotatreffis@outlook.com  
Rio de Janeiro

*
QUEDA NA APROVAÇÃO

Será que agora e definitivamente o povão vai dar um fim no PT. A queda no índice de aprovação da Dilma na última pesquisa indica que o povo acordou. Agora ê só agir e excluir, finalmente, esses corruptos do poder. O Brasil agradece.

Lares Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
COMPORTAMENTO INADEQUADO

A mais recente pesquisa sobre o atual governo federal está provocando reações como se fosse o resultado de uma eleição. Ora, o segundo mandato está apenas começando, há divergências no partido, há comportamento inadequado de alguns militantes, a perda de apoio de congressistas e até o desrespeito a segmentos aliados, como o sindicalismo. A superação desses problemas é o grande desafio a ser enfrentado, e não apenas pela presidente. O tempo e novas pesquisas por certo serão diferentes.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos 

*
PACOTE ANTICORRUPÇÃO

Dilma Rousseff pretende criar um pacote anticorrupção. Sugiro que logo de saída acabe com o PT. Já será um grande passo.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br 
Teresópolis (RJ)

*
HERANÇA MALDITA

Estamos todos nos preocupando com o imediato. Este não tem mais jeito: Dilma foi eleita e vai governar até 2018. Ponto final! No entanto, imaginem o que espera o governante que assumir em 2019 (eleições de 2018), que, por certo, não será o PT ou alguém de sua camarilha. Estado despedaçado e ocupado por militantes. Estatais destruídas e ocupadas por militantes. Congresso desacreditado e ocupado por militantes e asseclas. Supremo Tribunal Federal (STF) ocupado por militantes. Enfim, um país totalmente destruído. Exatamente como pretende o bandoleiro-mor. Isso, para que os governantes que assumirem não consigam fazer absolutamente nada durante os quatro anos de governo, e para que os bandidos possam voltar a comandar o País por mais algumas dezenas de anos. Na verdade, essa é a única opção que se depara à nossa frente. A não ser que comecemos a desmontar esta estrutura de bandidagem que comanda o País desde 2002.

Geraldo Roberto Banaskiwitz geraldo.banas@gmail.com 
São Paulo 

*
O ASSUNTO DO MOMENTO

O impeachment da presidente Dilma é o assunto do momento. Aborda-se esse tema nos botequins, nas sarjetas, nos escritórios e, principalmente, no Congresso Nacional. Por muito menos, Collor foi tirado de sua cadeira, porém Dilma se mantém no poder apesar de seus erros, da megacorrupção na Petrobrás, das inverdades propaladas durante a publicidade nas eleições, da sua falta de compromisso com a verdade e com suas promessas. O ex-estudante comunista da UNE Lindbergh Farias ficou irritado com a afirmação do senador Cássio Cunha Lima de que o impedimento de Dilma é legítimo. Por que o nervosismo? Segundo Aécio Neves, "não é crime falar em impeachment".
  
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
DESESPERO

O senador petista Lindbergh Farias usou frágil argumento na ânsia desesperada de retrucar senadores da oposição que exigem o impeachment de Dilma. Alegou que existiam denúncias que justificavam o impeachment de Collor, situação que, de acordo com ele, não ocorre agora. Na verdade, a maior bandeira das patifarias usadas pelos algozes de Collor foi um carro Fiat Elba, que servia à cozinha da Casa da Dinda. Outra aberração em forma de matéria investigativa que os paladinos de barro também usaram contra Collor foi uma leviana e irresponsável matéria da revista "Veja". Tratava-se de uma capenga e atormentada entrevista de um ressentido e já doente irmão de Collor, com grotescas e infundadas acusações. Collor foi apeado da Presidência da República por um orquestrado e imundo jogo político, e não por corrupção. Filme que grupos políticos querem agora reprisar a todo custo. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 
Brasília

*
RESPOSTA NO MESMO NÍVEL

O pretensioso ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com inusitada deselegância, está propagando na mídia a "tese" de que aquele que defende o impeachment de Dilma tem "problemas psicológicos". Não se dá conta de que está ministro de Estado (art. 87 do CPC) e não do partido que temporariamente detém, e se apossou do "governo", causando espécie a maneira arrogante com que trata a tormentosa questão de relevante interesse nacional. Deveria ler com mais atenção e respeito os textos sobre o tema, da lavra de juristas (estes, sim) do porte de Ives Gandra, Modesto Carvalhosa e Ary Oswaldo Mattos Filho, os quais, por razões mais que óbvias, não devem estar com problemas psicológicos. Leia, reflita e responda no mesmo nível, se for capaz... Deveria escutar com humildade a voz do povo, que considera aquela que ele tem por patroa (patrões somos nós, os contribuintes) "pessoa falsa, mentirosa e desleal", portanto, indigna de ocupar o mais alto posto da hierarquia do Poder Executivo. Parece-nos que quem está com problemas emocionais, causados pela ansiedade e incerteza aflitiva, é o ministro em comento, que fez letra morta do que aprendeu nos bancos acadêmicos e nas lides, produzindo ofensas no afã de desprestigiar os opositores para servir a uma causa inglória, pretendendo receber, como recompensa, a toga do Supremo. Vade retro!                     
 
Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br 
Jundiaí

*
TERCEIRO TURNO

O sr. José Eduardo Cardozo voltou a falar que opositores forçam um terceiro turno com a Operação Lava Jato. Bem lembrado, pois foi o que o partido dele passou a vida toda fazendo, quando na oposição. Até governo paralelo Lula criou, estão lembrados?

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*
IMPEACHMENT

Num país que já conhece as motivações e os caminhos para o impeachment, a situação política da presidente Dilma afasta com segurança a ideia de que pensar no dispositivo, previsto na nossa Constituição, seja golpismo. O ex-gerente da Petrobrás Pedro Barusco, subordinado ao ex-diretor Renato Duque, que foi alçado ao cargo pelo partido da presidente, delatou que parte do dinheiro desviado da empresa financiou as campanhas de 2010 e de 2014 da candidata Dilma. Dentro dessa real e gravíssima situação, falar que impeachment é golpe pode ser, na realidade, um golpe contra o próprio impeachment.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                    
Rio de Janeiro 

*
INSUFICIENTE

O impeachment da presidente Dilma é condição necessária, mas não suficiente para resgatar a dignidade do Brasil. Não fará sentido simplesmente afastar a pior presidente que o País já teve e deixar que as instituições sigam o jogo dando posse ao vice, que certamente sabia de tudo o que acontecia no governo. Para que o Brasil volte a existir como um país digno, será preciso muito mais do que colocar a presidente Dilma na cadeia pelos crimes cometidos na sua gestão à frente da Petrobrás. Será preciso reconstruir as instituições, será preciso extinguir todos os partidos políticos que participaram do assalto à Petrobrás, será preciso uma nova Constituição. O Brasil precisará ser reinventado. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
O BRASIL EM FRANGALHOS

No Brasil tudo empobreceu, regrediu, incivilizou, involuiu. Da moral à falta de vergonha, da política à economia, da honra à baixaria geral, da ordem à criminalidade, tudo no Brasil banalizou-se, corrompeu-se, roubou-se. Até a música empobreceu, embruteceu, banalizou, roubou-se sua poesia, ficou a grosseria, perdeu-se o poema de um garota de Ipanema de um ontem saudoso. Este é o Brasil de hoje, que se apequena, retrato de desesperança. O mentor dessa tragédia nacional cala-se, esconde-se atrás de palavras vãs e chavões populistas que a cada dia esvaem-se no mar de lama que criou e, quem sabe, irá junto. Este é o Brasil de hoje, descarnado, sujo, podre, carcaça atacada por hienas vorazes que não se importam se suas garras se sujam de sangue do que resta e um dia foi uma pátria. 

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com
São Paulo

*
RALI DO CAOS

Não sei qual dos Três Poderes ajuda mais a destruir o País. O Executivo diuturnamente tomando medidas que vão da incompetência à pura rapinagem. Ou o Legislativo ou o Judiciário, pela lerdeza e inoperância, bem como pela sangria irresponsável dos recursos públicos em salários nababescos e mordomias impensáveis em qualquer lugar do mundo. É o próprio rali do caos, onde com certeza não haverá ganhadores. Roubarão até o pódio.

Paulo H. Coimbra De Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
BOAS LEIS FAZEM BONS POLÍTICOS

Já há indícios mais que suficientes da participação da dupla Lula e Dilma no esquema de corrupção da Petrobrás, mas, inexplicavelmente, até agora nenhum deles foi chamado a depor. Será que vai acontecer o mesmo que aconteceu no mensalão, quando, apesar de todas as evidências de envolvimento, Lula foi "gentilmente convidado a prestar esclarecimentos", e, obviamente, não compareceu, porque de trouxa só tem a cara? Lula, como sempre, alegou que não sabia de nada, mas não é exatamente isso o que todos os culpados alegam quando a casa cai? Por que todos os outros suspeitos foram intimados e Lula foi convidado? Esse cidadão está acima da lei? Não podemos permitir que este caso termine como o mensalão, em que os criminosos deram uma rasteira na lei e transformaram a prisão numa pousada cheia de mordomias, em que faziam o que bem entendiam e ainda saíram de lá rindo da nossa cara (leia-se José Dirceu, o mentor intelectual de Lula). Com um "castigo" assim, quem precisa ser inocente? O grande problema do Brasil, além dos políticos ladrões, é que temos um código de leis ridículo, completamente ultrapassado, o que incentiva as pessoas a cometerem atos ilícitos. Praticamente, todas as leis dão margem a várias interpretações e qualquer advogado mediano consegue driblá-las com facilidade. Imaginem, então, o que fazem com elas os advogados contratados a peso de ouro (nosso suado dinheiro), pelos políticos corruptos. Sem contar que aqui o Direito e a Justiça nem sempre andam de braços dados. Vamos exigir que os culpados (TODOS) paguem, de maneira exemplar, por terem saqueado o maior patrimônio do País.

Iara Moraes iaramoraes1@hotmail.com
Bragança Paulista

*
OS INTOCÁVEIS

Não entendo por que Lula e, agora, Dilma continuam incólumes...

Cristina Hesketh Braun ch.braun@globo.com 
São Paulo 

*
ODEBRECHT

Por que, embora citada na Operação Lava Jato, a construtora Odebrecht não tem nenhum de seus diretores preso, ninguém em destaque, como se a mesma não fizesse parte do esquema? Será por que foi a empresa que mais doou para as campanhas lulopetistas? E a extinta construtora Delta, com envolvimento sério nos aditivos dos contratos das obras do PAC? Muito estranho. Muito estranho.

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com 
Cunha 

*
NÃO PASSARÃO

Ainda não se chegou ao fim deste imbróglio envolvendo a Petrobrás e chega-se à conclusão de que o País está doente e só tem um remédio que possa curá-lo desse câncer que está a corroer-lhe até os ossos: se não houver uma ação que defenestre este governo do poder, o petrolão será mais um capítulo, junto ao mensalão, da novela "A gigante que virou pigmeu". Estamos numa fase surreal na administração pública. A diretoria da Petrobrás prepara um manual de contratação em que dedica um item especial sobre ética, que esteve ausente nos contratos da estatal durante os últimos 12 anos. Se a escolha de Aldemir Bendine foi a melhor entre os prováveis, então a vaca no brejo não tem salvação. Nota-se na Câmara dos Deputados, em gestação, um cisma entre o PMDB e o PT, com o primeiro querendo vantagem em tudo. Eduardo Cunha, presidente da Casa, já se manifestou quanto ao aborto e à regulamentação da mídia: "Não passarão". Os índices de aprovação da presidente Dilma, se não houver uma reação e se despencarem ainda mais, levarão à reedição, em pouco mais de 20 anos, do impeachment de Fernando Collor em 1992.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
BONS TEMPOS

O saudoso mestre Roberto Campos não era contra a Petrobrás ser uma estatal, mas era radicalmente contra ela ser monopolista.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
HERANÇA DOS DESCOBRIDORES

A coisa está se estendendo. Segundo o delator Augusto Ribeiro de Mendonça, da Setal Engenharia, o Clube das Empreiteiras existia desde os 90, com 9 empresas. Em 2004 aumentou para 16 empresas, mas a efetividade só passou a existir com os ex-diretores Paulo Roberto Costa e Renato Duque. Os anos 90 pegam os governos Collor, Itamar Franco e FHC. Em 2004 já era o PT, com o 1.º mandato de Lula, que turbinou o esquema. Se cutucar mais um pouco, vai-se chegar à época do descobrimento. A colonização no Brasil não terminou. Isso é herança dos descobridores. Só não entendo por que blindam os ex-presidentes Collor e FHC nesta Operação Lava Jato. Vários delatores já disseram que este esquema vem da época deles. Bem, de repente eles não sabiam de nada também, certo? Não que eu queira defender o PT, longe disso. Acho que o PT raspou o fundo do tacho. Escancarou e saqueou a empresa. Se é para apurar e passar a limpo, tem de ir até onde tiver de ir. Não pode ser do tipo "ah, com esse não mexa", "ah, com aquele também não". Então é melhor melar este jogo.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
CORTINA DE FUMAÇA

O PT, com o perdão da palavra, dá nojo. Primeiro, por ter cometido o maior embuste de todos os tempos, com aquela cantilena de fazer um país "melhor para todos", esquecendo de acrescentar à frase "os caciques petistas e os asseclas" que, juntos, vêm praticando o maior roubo aos cofres públicos da Nação. E, em seguida às fraudes eleitorais, quem sabe até nas urnas, por prometerem nas campanhas não fazerem com os trabalhadores exatamente o que têm feito (cortando direitos trabalhistas, aumentando os juros, taxa de desemprego, dólar, etc.), assistir a políticos do PT e sua base alugada, líderes na Câmara e no Senado, dizerem que a roubalheira começou em governos anteriores, atribuindo-lhes toda a culpa, tentando quase que inocentar os que praticam malfeitos nestes 25 anos. Dentro e fora da Petrobrás. Mas o asco não para por aí. Ouvi-los dizer que "cortarão na própria carne, se preciso for", durante a suposta CPI da Petrobrás, caso fique evidenciada a culpa dos "companheiros" nos escândalos, é uma mentira que nossos ouvidos não suportam mais.
 
João Direnna joao_direnna@hotmail.com 
Quissamã (RJ)

*
DO FIAT ELBA AO PETROLÃO

Marolinha é o Fiat Elba que provocou o impeachment de Collor. Tsunami é a roubalheira na Petrobrás. 

Moises Goldstein moisesgoldstein1@gmail.com 
São Paulo

*
DE TEMPOS IMEMORIAIS

Acusam a prostituição de ser a mais antiga e abjeta profissão. Não é! Tem uma muito mais abominável: a corrupção! É o caso deste governo.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*
RETRATO DO BRASIL

A música brasileira e nossos compositores geniais têm sempre uma frase para definir o que se passa no nosso país, em qualquer momento. Nesta terra governada por bandidos, com Poder Judiciário corrupto e fraco, legisladores mercenários, onde a violência e o tráfico de drogas imperam, com gente morrendo nos hospitais, descaso com o meio ambiente (e estamos vendo os resultados), corrupção, roubalheira, mentiras e enganações, temos duas músicas que definem o quadro atual: "Promessas do sol", de Milton Nascimento, na qual ouvimos "que tragédia é essa que cai sobre todos nós...", e o eterno Cazuza em "O tempo não pára": "Transformam um país inteiro num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro..." Melhor para definir o momento atual não há.
 
André Coutinho arcouti@uol.com.br 
Campinas

*
UMA PENA!

Quando se esperava que o Partido dos Trabalhadores (PT) aproveitasse as comemorações dos seus 35 anos de existência para conclamar todos os segmentos da sociedade no sentido de  enfrentar os enormes problemas da economia fragilizada e da política desordenada, grande parte dos quais originados, potencializados e amplificados por seus representantes ao longo dos mais de 12 anos de exercício de poder, eis que seus principais cardeais, ex e atual presidentes incluídos, adotam um tom de metralhadora giratória e conteiram suas alças de mira para a mídia, grande responsável, segundo eles, por conduzir e controlar julgamentos "políticos", assim qualificados através de suas lentes, que condenaram vários de seus figurões a crimes em esquemas de corrupção sem igual na História. É claro, como corolário, que as referências às ações deletérias "dazelite" e a lembrança insólita do "nós e eles" também foram enfatizadas e embandeiradas. Verifica-se dessa forma que, do alto de sua arrogância e falta de liderança construtiva, o partido, representado pelos seus principais próceres, perdeu uma excelente oportunidade de incentivar a união das forças nacionais neste momento difícil e acabou dando uma demonstração de desanimadora frustração. Uma pena!

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com   
Rio de Janeiro

*
ABDUÇÃO

Penso eu que os petistas foram abduzidos, que estranhos seres das trevas os dominaram, os cegaram, apagaram as suas memórias, seu caráter, os tornaram incapazes de distinguir o bem do mal, somente sobreviveram a vontade e a volúpia da sede de poder. Realmente não são mais brasileiros.

João Luiz Piccioni piccionijl@me.com 
São Paulo

*
DEFEITO

O grande problema do PT são os petistas. São tão incompetentes e despreparados que não servem nem para delinqüir, porque são logo descobertos. 
  
Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com
São Paulo

*
A INDEPENDÊNCIA DO PMDB

O PMDB "velho de guerra", antevendo, à distância, o desastre político-administrativo-econômico que prenuncia ser o segundo mandato de Dilma, proclamou, em alto e bom som, sua independência informal do Planalto, declarando que vai partir para um plano de voo solo, com uma agenda própria e autônoma. Enquanto isso, a presidente, isolada na torre do seu castelo de areia com os dilmistas de ocasião, parece ainda não se dar conta da dura e triste realidade que a cerca, fazendo de conta viver num mundo de faz de conta. É o princípio do fim, com ou sem impeachment.

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
QUEM MANDA NO BRASIL?

O Poder Legislativo está se achando muito poderoso, porque está derrotando o Poder Executivo de Dilma, aprovando a PEC do orçamento impositivo e ferrando ainda mais os brasileiros. Enfim, quem manda no Brasil: o Executivo (Dilma), o Legislativo (Renan Calheiros e Eduardo Cunha) ou o povo? Só depende de você. Vai ficar em casa, no sofá, assistindo ao "Faustão" ou vai para as ruas hoje (15/3)?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
CONVOCAÇÃO

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ao convocar os 39 ministros para "maiores explicações" de suas respectivas pastas, terá de fazer uma séria programação de entrevistas/convocação. Se for um a um, semana sim e outra não, levará mais que um ano civil inteiro. Se considerar recessos, feriados e outros quetais, entra na metade do mandato da presidência, ou melhor, na metade deste período legislativo (2015-2018).

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
'DISTRITÃO' ABRE A CAIXA PRETA ELEITORAL
 
Os "distritão" será proposto pelo PMDB, como reforma política. Por ele, os candidatos mais votados da lista, independente de partido, serão os eleitos. Acaba a história do puxador de votos que elege concorrentes inexpressivos e reduz as margens de negociação do governo. Muito se fala em aperfeiçoar o processo eleitoral. Uma regra que poderia melhorar o meio político é a criação do senador, do deputado e do vereador vitalício, reservada aos ex-presidentes da República, ex-governadores de Estado e ex-prefeitos municipais. Eles ficariam num quadro especial dentro do Legislativo até completar 70 anos de idade, exercendo a atividade parlamentar com os vastos conhecimentos adquiridos no período em que governaram o País, o Estado ou o município. Com sua vivência, dariam grande contribuição à causa pública, pois, não tendo a preocupação de concorrer às próximas eleições, não precisariam transigir nem fazer concessões a ninguém e, com o lastro da experiência, teriam forte atuação como esclarecedores e moderadores do processo legislativo.
           
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
REFORMA POLÍTICA

Finalmente a Câmara dos Deputados decidiu exercer uma de suas principais atribuições constitucionais: legislar. Deputados deram início ao processo de discussão sobre a reforma política, assunto amplamente discutido por vários segmentos da sociedade, mas ainda desconhecido pela maioria dos eleitores. Atualmente, por exemplo, vereadores e deputados são eleitos pelo voto proporcional. Na prática, nem sempre o candidato mais votado ocupa assento no Parlamento, ou seja, cria-se um abismo surreal entre o eleitor e o eleito. Faz tempo que o Brasil carece de uma ampla revisão no sistema político, mas por má vontade dos congressistas o assunto jamais evoluiu como deveria. Comemoro e muito a iniciativa e espero, sinceramente, que o assunto progrida de forma satisfatória e participativa. Precisamos entender os benefícios e malefícios do voto distrital, voto distrital misto e dos demais temas a serem debatidos. Continuo sendo favorável à reeleição, até porque o eleitor tem o direito de decidir se o candidato merece uma segunda oportunidade (por mais errada que a escolha seja). E a questão do voto facultativo também me agrada, mas isso exigirá maturidade democrática da sociedade.

Willian Martins martins.willian@globo.com 
Guararema                                                      

*
NADA MUDARÁ

Muito se fala em reforma política, tema para os políticos justificarem a sua má conduta. Podemos criar ene projetos de reforma política eleitoral, que a situação continuará a mesma. É uma falácia achar que criando normas e regulamentos melhorará a qualidade dos nossos políticos. O que precisa melhorar é a formação moral e cívica dos candidatos a cargos no Legislativo e no Executivo. Vejam o caso de Gilberto Kassab, que está propondo a criação de um outro partido, cooptando participantes com a promessa de cargos ou benesses governamentais. Agora no Ministério, ele tem tempo e condições de arrebanhar um grande número de "bons" políticos com espírito público.

Adalberto Amaral Allegrini adalberto.allegrini@gmail.com 
Bragança Paulista

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.