Fórum dos Leitores

PETROBRÁS

O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2015 | 02h03

Explosão da plataforma

A plataforma de empresa terceirizada da Petrobrás que explodiu no Atlântico, ao custo da vida e da saúde de seus operadores, atuava em desconformidade com os padrões técnicos, segundo verificação do Conselho de Engenharia. Algo simplesmente inadmissível nessa história triste, provavelmente o capítulo mais depressivo da história brasileira no campo dos empreendimentos. Desenvolvimento sustentável não é só compatibilizar a construção com o verde, mas sobretudo com aqueles valores da pessoa humana inscritos na nossa Constituição. Tal empresa, de fundo de quintal, prestava serviços a outra que comporta a mesma classificação. E a presidenta cigana promete que retirará óleo entranhado nas profundezas do inferno, ou melhor, das camadas mais profundas de nosso mar.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Porca e parafuso

Essa plataforma onde aconteceu o acidente pertence a uma empresa norueguesa, estava arrendada à Petrobrás e, segundo se apurou até agora, toda irregular. Pois é, isso só foi descoberto por causa do acidente, senão ia continuar assim, sem registro no Crea e outros detalhes. A Petrobrás deve se achar acima do bem e do mal. Faz o que quer. Contrata irregularmente, como quer, quando quer, quem quer e por aí vai. Aproveitando o gancho, afinal qual o patrimônio próprio da Petrobrás? Pois quando há um acidente em alguma plataforma ou num navio se diz que é arrendado. A exploração em águas profundas foi feita por empresas estrangeiras contratadas, a maioria norueguesas. Então, cadê o know-how brasileiro? As chamadas "árvores de natal" são feitas por empresas estrangeiras e as sondas, também. O que é brasileiro nessa história? O parafuso e a porca de 3 mm?

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Nas mãos de Deus

Na situação em que se encontra a Petrobrás, o acidente da semana passada foi apenas uma amostra da péssima condição das plataformas em geral. Se Deus não fosse brasileiro, a situação poderia ser bem pior.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

PETROLÃO

Pizza assando

Coisas que só existem no folclore brasileiro, País dos mil e um jeitinhos! O que explicaria reuniões do nosso ministro da Justiça com advogados de defesa que trabalham para empresas implicadas na Operação Lava Jato, as quais pagavam vultosas propinas para angariarem obras na Petrobrás? O mais grave é que - nas palavras dos advogados - o ministro os tranquilizou, dizendo que o "Supremo vai acabar soltando seus clientes", e prometeu que o governo usará o seu poder para ajudar as empresas no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no Supremo Tribunal Federal (STF) e na Procuradoria-Geral da República. Diante dessas atitudes de José Eduardo Cardozo fica fácil acreditar que depois dos últimos 12 anos o Brasil não merece mais crédito.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Quando o carnaval passar

O que podemos esperar de um país que tem um ministro da Justiça que recebe em seu gabinete oficial advogado de ladrão da Petrobrás e lhe promete que o rumo das investigações do petrolão será outro depois do carnaval? O que entender por isso? Que ele, como "chefe" da Polícia Federal, vai impedir que a podridão continue a vir ao conhecimento da sociedade? Vai fazer pressão sobre o Ministério Público para beneficiar bandidos?

HUMBERTO DE L. FREIRE FILHO

hlffilho@gmail.com

São Paulo

Roubo com juros

Refletindo a respeito dos roubos na Petrobrás me dei conta de que boa parte do dinheiro surrupiado deve ter tido como destino algum tipo de investimento. Por essa razão, deve ter sido um empréstimo de longo prazo financiado pelo BNDES. Desse modo, esse dinheiro sairá do caixa da estatal por muitos anos vindouros, em parcelas mensais acrescidas de juros. Paradoxalmente, teremos assim um roubo parcelado.

FRANCESCO MAGRINI

framagr@ig.com.br

Cachoeira Paulista

Sede penhorada

É incrível e interminável esse circo dos horrores na Petrobrás, promovido pelos governos petistas. Agora a Refinaria de Manguinhos conseguiu na Justiça a humilhante penhora da sede da estatal, localizada no Rio de Janeiro, porque exige uma indenização de R$ 935 milhões por prejuízos sofridos com os preços dos combustíveis, que ficaram sem reajustes por ingerência nefasta do Planalto. Se os governos Lula e Dilma cometeram essa irresponsabilidade, fruto da sua vocação populista de represar os preços, arruinando o caixa da estatal, por outro lado escancararam sem piedade os canais da corrupção para camaradas e aliados dentro da Petrobrás, desviando R$ 10 bilhões, conforme investigação da Polícia Federal. Essa tem sido, infelizmente, a fórmula petista de administrar o País, sugando com suas quadrilhas o quanto possível os recursos das nossas estatais.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Aumento da gasolina

Sempre escuto a frase "a Petrobrás é patrimônio dos brasileiros" e eu, burro, pagando gasolina a R$ 3,20 o litro! Dá para entender? Se não tivessem quebrado a Petrobrás, a gasolina não seria bem mais barata?

ARNALDO LUIZ DE OLIVEIRA FILHO

arluolf@hotmail.com

Itapeva

BOLIVARIANOS

Socialismo capitalista

Você acredita que isso exista? Se for dos bolivarianos, existe. Uma publicação suíça informa que nas investigações feitas no banco HSBC foi encontrada uma conta-corrente com US$ 12 milhões cujo correntista era o finado Hugo Chávez, amigão de Lula, Dilma, Cristina, Maduro, Evo. (As contas destes ainda não foram encontradas.)

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

FALTA D'ÁGUA

Novo hidrômetro

A Sabesp está instalando um hidrômetro blindado contra o uso de ímã para furtar água, uma fraude comum e crescente, segundo a empresa. Não precisaria desse investimento se parasse com a prática de furtar o consumidor vendendo, muitas vezes, ar no lugar da água.

JATIACY FRANCISCO DA SILVA

jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O BRASIL EM FESTA

Antevendo carestia, apagões e escassez de água, a sociedade brasileira estertora durante os festejos carnavalescos, cobrindo o amanhã com peneira.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
SONETO AO CARNAVAL

O povo vai ser rei, vai ser feliz, chegou a hora,
é só alegria, o samba passando, explosão geral,
sorrisos, sonhos, em qualquer lugar é agora...
confetes, serpentinas, suor, vida... é carnaval.

É o encanto da mulata, é o sorriso nacional,
a festa é nossa, ninguém tasca... cuíca chora,
é calor, é gingado... não há nada de igual,
só enfeitar o bloco do amor... "Simbóra"...

Mas, a máscara cai... pena, tudo mudou demais,
em vão buscamos a folia dos salões... a pureza,
o encanto das marchinhas dos velhos carnavais.

Enfim, o samba dorme... longe soluça a avenida,
é quarta-feira, tudo acabou... desfila a tristeza,
é o despertar da fantasia... no repique da vida.

Carlos Iunes  carloiunes@gmail.com 
São Paulo

*
RETRATO DA ALIENAÇÃO
 
Blocos de carnaval levaram milhares de pessoas às ruas de São Paulo nos últimos dias. Eis aí o retrato fiel da alienação do brasileiro num momento em que o País atravessa uma grave crise moral e financeira, sem contar a violência generalizada. Disposição para ir às ruas pedir mudanças na condução do Brasil não existe. 
 
Sérgio Luiz Corrêa seluco@uol.com.br 
Santos

*
NAS RUAS

Milhares de pessoas saíram nos blocos carnavalescos pelas ruas do Rio de Janeiro nos últimos dias, inclusive pagando até R$ 180,00 pelo "abada", e o mesmo se repetiu por este Brasil afora. Infelizmente não vemos nenhuma passeata de protestos com este número de participantes contra a violência e as balas perdidas, contra a falta de escolas decentes, a falta de hospitais dignos, contra a corrupção latente e endêmica na PeTrobrás e contra este desgoverno há longos 12 anos no poder enganando seu eleitores. Como um povo poderá ser considerado de Primeiro Mundo não sabendo ou não querendo reivindicar os serviços públicos de qualidade e governança decente, para os quais são pagos escorchantes impostos, quase cinco meses de um ano de trabalho, e nada é revertido em prol da população? Acorda, Brasil, tanto a quarta-feira de cinzas como 2018 estão muito próximos.
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté

*
DESEQUILÍBRIOS

O carnaval não é bom nem ruim. O que faz do carnaval uma festa de exageros e de mortes são os pensamentos e sentimentos desequilibrados dos que vão para a festa. O que não é certo passa a parecer certo quando as ondas mentais de sensualidade e violência correm o ar. Para alguns, o melhor é procurar um local calmo, ler um bom livro ou curtir a família. Paz e boas vibrações neste carnaval!

Paulo R. Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com 
Fortaleza

*
FUGA DA REALIDADE

Uma das salutares características do nosso carnaval é poder vivenciar certas fantasias de nosso subconsciente, fugindo um pouco da dura realidade do cotidiano. Plebeus comuns se tornam belos e esbeltos príncipes e princesas, que, dizem os especialistas, é benfazeja para nosso equilíbrio emocional. Esse hiato momesco é bem-vindo, para que possamos enfrentar os grandes desafios na solução de nossas vulnerabilidades, que estarão de volta na ordem do dia, logo daqui a poucos dias. Evoé.

José de A. Nobre De Almeida josedalmeida@globo.com 
Rio de Janeiro

*
FESTA IMORAL

O carnaval, festa idolatrada em todas as partes do Brasil, é oriundo do paganismo do Império Romano. Vem das famosas e indecentes saturnais, e das degradantes bacanais, cujo nome se refere ao deus Baco, deus do vinho, da embriaguez e do sexo desbragado e insano. É a festa da promiscuidade e da devassidão, que confunde liberdade com licenciosidade, alegria com orgia. Por muitos, o carnaval é rotulado de cultura, como disfarce do que realmente é: festim dissoluto e depravado. Nenhum cristão genuíno, ou adepto sincero de qualquer outra religião, ou mesmo sem religião, que tem respeito por si mesmo e pela família participa desta festa imoral.
 
Tercio Sarli terciosarli.edicoes@r7.com
Campinas

*
SEGURANÇA NO PAÍS DO FAZ-DE-CONTA
 
Há muito tempo o brasileiro não vive momento de baixo astral como hoje. Seu habitual otimismo foi substituído pela decepção e incerteza e o leva a manifestações que vão desde a recusa ao aumento do ônibus até o desejo de derrubar o governo. Enfraquece o poder das autoridades e instituições, a economia se debilita e o crime se potencializa nas diferentes formas e instâncias. A classe política das últimas décadas, oportunisticamente, embebedou-se de democracia, mas se esqueceu de observar os pressupostos da própria democracia. Não basta ter eleições em datas certas. É preciso manter o país, sua economia e as instituições em funcionamento, inclusive no que tange ao cumprimento das leis. Os partidos políticos só pensam no poder e pouco ou nada representam no contexto social. Governantes e parlamentares, motivados por sonhadores e interesseiros de plantão, promovem a distribuição de direitos e benesses sem a contrapartida de obrigações. As bolsas, abonos e assemelhados entregues às exploradas minorias servem mais de sustentáculo para o poder do que para benefício dos destinatários. A democracia dos direitos sem deveres, da economia mágica, da corrupção endêmica e do estado ineficiente não tem futuro. É preciso mudar, enquanto ainda é tempo. A massa está perdendo a paciência e o caos já está anunciado...
 
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
VIOLÊNCIA PELO PAÍS
 
Ocupado por bandidos, que invadem cidades de seu mais próspero Estado, São Paulo (na região de Ribeirão Preto), com armas pesadas, capazes de atravessar carros blindados, põem a Polícia Militar a bater em retirada, atiram para o alto em comemoração da conquista bélica e surrupiam violentamente os cofres eletrônicos e as agências bancárias. Estamos em guerra ou não? A Constituição da República não escreve que é dever do Estado Nacional e dos Estados Federados garantir a paz de seus habitantes? O constituinte não precisaria prever o inimaginável e proclamar o óbvio, que promana dos fundamentos de uma sociedade organizada. O que aguardam nossos governantes para enfrentar e dizimar esses grupos de delinquentes e terroristas que nos atacam e infernizam as noites de nossas populações?  
 
Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
CORRUPÇÃO X VIOLÊNCIA

É inacreditável o que está acontecendo neste país. Temos um governo que acabou de começar, mas que já parece muito velho. A roubalheira que estão descobrindo na Petrobrás é de um tamanho tão grande que parece que não tem fim. A falta de vergonha impera, vemos partidos enfiados até o pescoço neste escândalo que ainda têm a coragem de dizer que é tudo invenção da imprensa, como se fosse a imprensa que prende e ouve as delações e os implicados. O ex-presidente Lula, em cujo mandato essas falcatruas tiveram começo, tem a coragem de discursar no evento de seu partido se dizendo atingido por mentiras. Enquanto isso, o povo que acreditou no estelionato praticado nas últimas eleições paga mais caro por tudo, desde os alimentos à energia, enfrentando uma inflação que só tende a aumentar. Aqueles que acreditaram no discurso de Dilma dizendo que éramos autossuficientes em energia e que tudo iria baratear agora estão se defrontando com aumentos enormes em suas contas de luz. Aqueles que acreditaram que ela enfrentava a corrupção estão se dando conta de que ela convive muito bem com os desmandos e as roubalheiras. Impossível dizer que não sabia de nada, como Lula sempre disse. Até quando acham que a população vai engolir estes discursos falsos? E as cidades, principalmente as do Nordeste e do Norte, onde sua votação foi espetacular, estão mergulhadas no crime com números de violência maiores do que em muitas regiões em guerra. A conexão entre falta de segurança e violência com a falta de escrúpulos e a roubalheira é muito grande. O exemplo que o povo tem das autoridades é o pior possível, então como exigir delas atitudes honestas e sérias? Enquanto tivermos corruptos a nos governar, será impossível diminuir a violência.
 
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*
O CAMINHO É A EDUCAÇÃO

Enquanto não houver uma educação levada a sério, em que seja ensinado que o meu direito termina quando começa o do próximo; uma minimização da certeza da impunidade, visto que só 10% dos homicídios são esclarecidos; uma legislação mais rígida, que iniba a ação delituosa; e uma campanha sistemática contra o uso de drogas, continuaremos infelizmente no topo do ranking da violência mundial.

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
O PREFEITO SE EXPLICA

Ouvi entrevista do grande e competente prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, em rádio e fiquei abismada com as explanações sobre as ciclovias na cidade: todos os países desenvolvidos as têm! Ah bom! O ilustre e ilustrado prefeito quer equiparar a cidade às dos países mais desenvolvidos. Fico conversando com meus botões (como qualquer cidadão mais bem informado) e gostaríamos de saber: a topografia da cidade é favorável a estas ciclovias? Por que existem ciclovias nos locais mais estranhos, tais como calçadas (muitas inclinadas)? Neste caso, como ficam os pedestres? O montante de dinheiro gasto não estaria faltando para obras mais prementes? Quando perguntado sobre a contratação de amigos do filho, afirmou não se tratar de parente, portanto... Quanto aos perdedores (Eduardo Suplicy e Alexandre Padilha), são competentes e merecem as colocações (úberes fartos?). Francamente, pobres paulistanos!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com  
São Caetano do Sul 

*
A CIDADE POSSÍVEL

É difícil de entender, no marasma da cidade, as razões pelas quais os conceitos básicos do urbanismo, a mobilidade, a segurança, a distribuição de energia, a coleta do lixo, o fornecimento de água funcionam quase sempre em modo precário, ou deixam de funcionar por adversidades climáticas. Não faltam no País urbanistas famosos, normas técnicas abrangentes, profissionais competentes tecnologias de ponta, mas com tudo isso a disposição, a política, os conflitos de interesses, a corrupção derrubam a possibilidade de fazer a coisa certa. O urbanismo é excessivamente dependente de arbitrariedades, de interesses políticos e empresariais, lembrando também a importância de saber o que deve e não deve ser feito. A mobilidade urbana é prejudicada pelo automóvel que todo mundo critica, mas do qual ninguém quer desistir, o governo e as montadoras incentivam a venda e a produção. Os centros urbanos, que deveriam ser vetados aos carros, são cheios de convidativos estacionamentos que roubam o espaço ao verde e ao solo permeável. O rodízio não resolve muito, o transporte público não satisfaz, a manutenção dos serviços, naturalmente complicada, se torna mais difícil pelo tamanho da megalópole. A segurança e a violência não terão fim se o usuário de drogas não for criminalizado, as fronteiras (peneiras) de onde entram armas, vigiadas, a polícia, mais bem treinada e equipada, a Justiça funcione, as prisões se tornem mais humanas e, enfim, a educação cumpra sua missão de instruir sem esquecer a formação de conceitos éticos e morais. Nossos administradores poderão simplesmente utilizar soluções adotadas por outros países ou criar soluções tupiniquim, mas terão sempre a difícil tarefa de consertar os erros do passado. O importante, porém, é querer e começar.

Francesco Magrini framagr@ig.com.br 
Cachoeira Paulista 

*
CICLOFAIXAS

O prefeito Fernando Haddad deve responder por má utilização do erário nas pinturas das ciclofaixas. Sou ciclista e apoio ciclovias e ciclofaixas, mas não da forma irresponsável como vêm sendo pintadas, não há projeto nem metodologia dos trajetos, estão jogando tinta e dinheiro fora, pois pintam sobre as laterais das ruas, ignorando a topografia do escoamento de águas, ignorando buracos e pintando sobre todos eles, sem recapeamento adequado para que seja uma ciclovia de fato. Rua João Moura, Rua Lopes de Azevedo, Avenida Rouxinol, para citar algumas vias onde é simplesmente impossível de pedalar, pelo excesso de buracos, altimetria acentuadíssima e trajetos que só com indumentária para atletas de alta performance é possível pedalar, pois vai praticar um verdadeiro mountain bike e chegar suando e todo molhado aonde quer que vá. Estou indignado com tamanha ignorância do engenheiro responsável e dos projetistas, se é que existem. Há que se levar em conta o preço pago por km, em comparação com outras cidades do mundo, e mais uma vez a prefeitura do PT supera todas do mundo na má utilização do erário. Cadê o Ministério Público? Cadê o Tribunal de Contas do Município? Quem decide onde será implantada? Pedala? Lógico que não, obvio que não. Com o IPTU pago, todas as ruas de São Paulo deveriam ter pavimentação de Primeiro Mundo, e não esta atrocidade com o contribuinte que é motorista, pedestre e ciclista. O prefeito ignorante se tornou a maior vergonha da colônia árabe no Brasil.

João Helou helouhelou@gmail.com
São Paulo

*
TINTA CARA

Resolvi fazer uma conta simples com a ajuda da calculadora de tintas de um site de tintas: para pintar uma faixa de 1 mil metros por 1,5 metro, segundo o mesmo site, com 3 demãos, seriam necessárias 16 latas de 18 litros de tinta acrílica (tinta boa). A um preço de R$ 294,55 a lata, teríamos um custo de tinta por 1 km de R$ 5.301,00. Alguém pode me explicar por que o km de ciclovia de Fernando Haddad, que não passa de asfalto esburacado mal pintado, custa R$ 650 mil? Ou seja, 122 vezes mais? O restante é rolo, pincel e mão de obra?

Eduardo Biral elbiral@ig.com.br 
São Paulo

*
BICICLETÃO

Parece que teremos mais uma modalidade do mensalão: o bicicletão de Fernando Haddad. R$ 650 mil o km de ciclovia?!

Elisa M. P. C. Andrade elisa@spcesar.org 
São Paulo

*
ENQUANTO ISSO...

Enquanto isso, no país da Petrobrás, não havia água, mas tinha estádios; não havia luz, mas tinha Olimpíada; não havia transporte, mas tinha ciclovias; não havia governo, mas tinha o PT. Algo mais, senhor?
 
Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br
São Paulo

*
PETROLÃO

Quer, então, dizer que a presidente Dilma vai se interpor no caminho daqueles que querem "destruir" a Petrobrás e que, segundo ela e o ex-presidente Lula, estão criando os fatos com a intenção de obter ganhos políticos? Acreditam que tudo é invenção? Não sabiam e não sabem de nada, e os que revelam as falcatruas, que eles tinham a obrigação de conhecer, são antipatriotas que querem destruir, repito, a nossa maior empresa? Essas afirmações é que estão levando (finalmente... ufa!) o povo a abrir os olhos e ver melhor a nossa triste realidade, coisa que se reflete na baixa significativa dos índices de aprovação do governo.

Décio Antônio Damin deciodamin@terra.com.br 
São Paulo

*
JUÍZO FINAL

Logo após o carnaval, que é quando o País começa a funcionar, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de abertura de inquérito contra parlamentares suspeitos de envolvimento nas fraudes em contratos de empreiteiras com a Petrobrás. As informações sobre a decisão do procurador-geral chegaram a pelo menos três ministros, dois do STF e um do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Janot deve pedir investigação sobre 42 fraudes narradas pelos ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa e pelo doleiro Alberto Youssef, ao longo das investigações da Operação Lava Jato. Janot emitiu sinais a alguns ministros de que fará os pedidos de investigação antes do final deste mês. Os dados que darão base aos pedidos de investigação estão sendo coletados e sistematizados por uma força-tarefa criada em dezembro para dar agilidade aos procedimentos relacionados à Lava Jato no STF. Os procuradores estão trabalhando em ritmo intenso para atender aos prazos traçados inicialmente e apresentar o resultado ao procurador-geral em até duas semanas, segundo uma autoridade que acompanha o caso de perto. A indefinição sobre os alvos prováveis dos inquéritos tem causado inquietação no Congresso Nacional, apavorado, e aterrorizado e traumatizado o "Partido Trambiqueiro" e até no governo da Dilma. Nas denúncias que fizeram sobre fraudes em contratos de empreiteiras com a Petrobrás, Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef teriam mencionado os nomes de 30 a 40 políticos, todos da base aliada do governo, entre eles deputados, senadores e ex-governadores, todos eles chefiados por Lula. São situações que podem ter forte impacto sobre a nova CPI da Petrobrás, a ser instalada depois do carnaval e também na agenda no Congresso Nacional. Costa e Youssef confessaram crimes e apontaram o envolvimento de políticos, na sua maioria do "Partido Trambiqueiro", uma verdadeira organização criminosa travestida de partido político e empreiteiras com fraudes na Petrobrás. Além do relato sobre os casos específicos de corrupção, os dois se comprometeram a devolver aproximadamente R$ 130 milhões, soma de recursos mantida em contas bancárias e bens adquiridos a partir de desvios da Petrobrás. O Ministério Público Federal e a Polícia Federal vão acelerar as investigações da Lava Jato, que estão sendo oficiadas pela 13.ª Federal do Paraná, para que todos os investigados possam ser processados, julgados e presos, inclusive o chefe. As conclusões das CPIs vão ajudar a instalação do impeachment de Dilma Rousseff. Temos de tirar os PeTralhas do poder, a qualquer custo. Brasil, um país de tolos e bobos que ainda acreditam neste governo. País rico é país sem safadeza. O "Partido do Trambique" é o cavalo de troia dos brasileiros. É uma grande mentira. É uma grande falcatrua. É um grande estelionatário eleitoral. É uma grande enganação. É um bando de bandidos. 

Carlos A. Ramos Soares de Queiroz soares.queiroz@terra.com.br
São Paulo

*
ALÉM DE EIKE BATISTA

A Justiça deve autorizar a busca e apreensão de bens dos diretores da Petrobrás, que, a exemplo de Eike Batista, supervalorizaram ativos e fraudaram credores, causando amargas perdas aos acionistas minoritários e aos milhares de trabalhadores que usaram o FGTS para comprar papéis da empresa.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br 
São Paulo

*
É DE QUEM?

Tempos atrás os brasileiros diziam com orgulho: "A Petrobrás é nossa". Infelizmente, hoje, isso não é mais possível. Essa frase agora tem duplo sentido. E é necessário perguntar: "Nossa de quem?".
 
José Etuley Barbosa Gonçalves etuley@uol.com.br 
Ribeirão Preto

*
NEGAÇÃO

Até quando os advogados de defesa dos envolvidos na Operação Lava Jato vão seguir negando veementemente o que é veementemente inegável?!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
SAMBA

Não sei por que de uns tempos para cá não sai da minha mente um samba cantado por um dos nossos grupos de pagode em que um pequeno versinho diz: "Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão. Se gritar pega ladrão...".

Jose J. Rosa jjrosa1945@yahoo.com.br 
São Paulo

*
A ECONOMIA DE VOLTA AOS TRILHOS

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, na reunião do G-20, há poucos dias, tentou convencer os estrangeiros de que o Brasil votará aos trilhos. Ele só se esqueceu de pedir tempo a eles para que pudesse achar os trilhos e, depois, ver qual o milagre que poderão fazer para colocar o Brasil neles.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
TRILHOS PERDIDOS

Nosso Tombini, que está presidente do Banco Central, disse ao G-20, em Istambul, que o Brasil voltará aos trilhos. Esqueceu de dizer que isso ocorrerá se encontrarem os trilhos, é claro.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 
São Paulo

*
PREVISÕES PARA 2015

Com previsão de inflação de 7,15% e crescimento econômico zero, provavelmente Dilma Rousseff irá continuar na moita.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
IMPEACHMENT OU GOLPE

O ano legislativo ainda nem começou, mas os rumores de um eventual processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) vêm ganhando força no Congresso e nas ruas de todo o País, sobretudo após novas revelações das investigações sobre os desvios de recursos públicos da Petrobrás pela Operação Lava Jato. Embora os governistas aleguem ser golpe cogitar a cassação de mandato da presidente, é importante frisar que o processo só terá continuidade se comprovada a sua participação nos desvios ou, então, conivência e conhecimento sobre o rombo encontrado nos cofres da maior estatal brasileira. Ninguém pode ser impedido de cogitar essa possibilidade, até porque todo e qualquer cidadão pode apresentar ao Congresso Nacional o pedido de impeachment, desde que sejam apresentadas as provas e haja lisura em todo o processo. Por fim e não menos importante, é sempre bom refrescar a memória: o PT também cogitou de pedir a cassação de mandato do então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Será que eles também articularam um golpe de Estado?
 
Willian Martins martins.willian@globo.com 
Guararema 

*
MEDO DE QUÊ?

Eis que de repente surge uma onda, ainda pequena, mas significativa, de políticos e jornalistas quase que se penitenciando por terem trazido a público todas as mazelas ou malfeitos do governo Dilma 2, coroação do reinado petista, tentando se perpetuar no poder "ad aeternum". Esta turma agora acha prematuro discutir o impeachment pela falta de consistência nas provas até agora colhidas e até chegam a considerar golpistas aqueles que o fazem. Ora, por muito menos o povo foi às ruas e colaborou enormemente para que os políticos cassassem o mandato delle! Foi por um Fiat Elba em quase três anos! Hoje temos dois Fiats Elba por dia! Acordem!

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

*
NA BOCA DO POVO

O senador Cristovam Buarque (PDT), ex-ministro da Educação no governo Lula, afirmou que "o impeachment da presidente Dilma Rousseff está na boca do povo". Realmente, parece que este movimento ganhou forças nos últimos dias e eu não duvido de que quem esteja por trás disso seja ele, o "Barba". O que você acha, Romeu Tuma Jr.? Será que o "Barba" vai entregar Dilma e alguns companheiros para se safar novamente? Ou será que o impeachment é para abafar uma intervenção militar no País? Enfim, eu espero que alguma coisa aconteça, e que seja para o bem do Brasil.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
A TOSCA DEMOCRACIA BRASILEIRA

A democracia no Brasil funciona assim: qualquer um pode se candidatar a qualquer cargo, as únicas limitações são políticas. O candidato pode mentir à vontade na campanha, pois, uma vez eleito, ele jamais poderá ser cobrado ou interpelado. Alguém acha que Geraldo Alckmin vai ser cassado porque falou que não haveria racionamento de água? A presidente Dilma vai sofrer um impeachment pelas tantas mentiras que falou em sua campanha? Claro que não! Uma vez eleito, o cidadão se torna uma entidade acima da lei, um ser superior, uma fortaleza inexpugnável, não pode sequer ser investigado por ser detentor de imunidade parlamentar. Os erros de formatação da jovem democracia brasileira criaram distorções absurdas. O Brasil é como um edifício onde o zelador eleito tem poderes faraônicos, manda em tudo, rouba à vontade, faz só o que quer, é chamado de Vossa Excelência, não pode ser demitido nem questionado e os donos dos apartamentos se comportam como gado servil, que tolera essa situação ridícula que vivemos hoje. Em poucos anos dessa democracia tosca o Brasil se tornou a Meca da corrupção, a Disneylândia da impunidade, o paraíso da incompetência, sem nenhuma esperança de solução de continuidade para essa porcaria toda que aí está. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
AUXÍLIO-MORADIA

Eu também quero ajuda financeira para pagar meu aluguel, como os deputados fizeram. É vergonhoso. Eles já ganham uma fortuna, e a maioria mora bem perto das Assembleias e tem casa própria, mais os outros benefícios. É monstruoso. Povo brasileiro, está na hora de tomar uma posição. Ninguém está nem aí com a situação do País, só do próprio bolso.

José Claudio Canato jccanato@yahoo.com.br 
Porto Ferreira

*
O POVÃO NÃO ENTENDE

Uns roubam a Petrobrás e outros se aproveitam da confusão para receber auxílio-moradia, mesmo que residam em imóvel próprio no local em que trabalham. Tudo sob as vistas do povão, que nada pode fazer, embora não entenda como isso possa acontecer numa democracia que se pretende representativa.
 
Ademir Valezi valezi@uol.com.br 
São Paulo

*
NA TV

Se me permitem, vai aqui uma pergunta: lugar de político é no Congresso ou diariamente em canal de TV "tratando do direito dos cidadãos" e se promovendo à candidatura à Prefeitura de São Paulo em 2016?

Mario Zanni mzanni@terra.com.br 
São Paulo

*
UTILIDADE PÚBLICA

O assunto é sério, mas não é tratado com a seriedade e a divulgação que merece. Falo do uso de utensílios de alumínio na preparação de alimentos. Fala-se que o metal é tóxico e deveria ser banido, como ocorre em alguns países. Fala-se que não se podem utilizar esponjas metálicas ou materiais abrasivos no interior dos utensílios. Enfim, fala-se muita coisa, sem que se saiba se é mito ou verdade. Torna-se necessário que o assunto seja esclarecido com base em estudos científicos e que a população seja bem informada. Quem entende do assunto prestará um grande serviço para a saúde das pessoas dando as informações corretas, pelo que já agradeço. O famoso "me falaram" só atrapalha.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br 
Batatais 

*
ANIMAIS EM ÔNIBUS

É uma vergonha a Câmara Municipal de São Paulo se dignar a votar um projeto autorizando o transporte de gatos e cachorros com até 10 kg nos ônibus da cidade de São Paulo. Senhores vereadores, boa parte da população é alérgica a pêlos de gatos e de cachorros e o transporte público é destinado a pessoas, e não a animais. Se vocês não têm nada de útil para fazer na Câmara, fiquem em casa com a família, com os cachorros e gatos, mas aprovar estas aberrações é um claro sinal da falta de estudo, cultura, bom senso, informação e respeito pela população. Pela regra, o dono do animal deve levar a carteira de vacinação, o atestado de saúde provando que o animal não tem pulgas ou sarna? Os cachorros devem usar focinheira? O dono deve levar algum acessório, como arreio?

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 
Osasco

*
FALTA D'ÁGUA E DE CIDADANIA

Faço um cavalo de batalhas todos os dias em minha casa para que todos deixem o xixi acumular para dar descargas, tomem banho em 5 minutos, lavem a louça com critério, aproveitem a água da máquina de lavar roupa. Enquanto isso, um faxineiro sem vassoura usa uma lavadora de alta pressão para lavar uma área enorme do piso do prédio onde trabalha. Será que é água de reúso? Tenho minhas dúvidas. Como saber? Quem vai fiscalizar essa falta de cidadania?

José Martin jlmartin@estadao.com.br 
São Paulo

*
POÇO À NOSSA CUSTA

Nossa Assembleia Legislativa se preocupa, finalmente, com a crise hídrica de São Paulo. Um poço será aberto, à nossa custa, pelo valor aproximado (sempre!) de R$ 150 mil, para que os nobres deputados fiquem tranquilos e independentes, livres da rede de abastecimento da Sabesp. É o primeiro passo, dizem, para a economia de 4,5 milhões de litros no valor de R$ 600 mil/ano que, no caso, poderia abastecer de 500 a mil residências do cidadão contribuinte. Tocante. Poderia, mas não pode, magnânimos senhores, pois sabem muito bem que não se abastece nada com o que mais falta no cano nosso de cada dia: água! Acabem, por favor, com este manjadíssimo e hipócrita teatro do absurdo e façam o que nunca fizeram: economizem, reduzam os 21% que gastaram a mais em 2014 e tenham respeito pelos verdadeiros donos da casa que os sustentam - o eleitor.

Gloria de Moraes Fernandes glorinhafernandes@uol.com.br 
São Paulo

*
O QUE FARÃO COM AS MULTAS?

Quem gastar mais água do que a média do ano passado vai ser multado. Sou a favor. Idem para a energia elétrica. Mas gostaria de saber o que Sabesp e Eletropaulo vão fazer com a arrecadação extra: encanar água de várias fontes onde sobram e trazê-la para os locais onde falta? Implantar linhas de transmissão onde haja sobra, usinas eólicas, etc.?

Mário A. Dente dente28@gmail.com 
São Paulo

*
A SABESP EM BUSCA DE RECURSOS 

Este jornal publicou há poucos dias uma matéria sobre a situação dos reservatórios que abastecem a região metropolitana de São Paulo e sobre Geraldo Alckmin em Brasília na busca de recursos para novos projetos como São Lourenço, um sistema que viria a aliviar principalmente o Sistema Cantareira.  Na edição de 12/2 havia uma informação de que o município de Guarulhos, tido como um dos que mais poluem os recursos hídricos da região metropolitana, tem uma dívida de R$ 140 milhões com a Sabesp, que lhe fornece água tratada, e a cidade revende aos munícipes, mas não paga a estatal e obriga a mesma a recorrer à Justiça para receber o que lhe é de direito. Essa informação lembra-me que num passado não distante outros municípios conveniados com a Sabesp também deviam à empresa, e então a pergunta: pagaram a dívida ou enrolam como sempre na expectativa de uma solução política que, para variar, pode terminar em perdão ao devedor e prejuízo à empresa?  

Laércio Zanini spettro17@hotmail.com 
Garça

*
FISCALIZAÇÃO E JEITINHO BRASILEIRO

As prefeituras anunciam fiscalização durante o dia no consumo desnecessário de água? Perda de tempo, os brasileiros impregnados do "levar vantagem" o fazem agora pela madrugada, à noite ou pela manhãzinha. Estão enganando a si próprios. Ou não?

Julio Jose de Melo julinho1952@hotmail.com 
Sete Lagoas (MG)

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.