Fórum dos Leitores

PETROLÃO

O Estado de S.Paulo

20 Fevereiro 2015 | 02h07

Nova pizza?

Depois de vermos quase todos os mensaleiros soltos, José Dirceu deitando e rolando, o ministro José Eduardo Martins Cardozo reunindo-se com os advogados dos réus, a presidente exigindo resposta deste às corretas observações do ex-ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Luís Barroso, convenientemente indicado por dona Dilma Rousseff, anulando as provas da Operação Castelo de Areia, restam-nos poucas esperanças de que toda essa roubalheira apurada na Operação Lava Jato tenha desfecho diferente do mensalão, em que o único preso é o sr. Marcos Valério - e sabe-se lá a que custo para não denunciar outros peixes graúdos envolvidos! Aguardemos os próximos capítulos desta novela, a ver se algum político importante será denunciado e punido. Aproveitando o tema roubo/desvio de recursos, deve haver muita gente sem dormir se a operação contra o banco HSBC se tornar pública, pois nada menos que cerca de 9 mil brasileiros mantinham contas secretas na Suíça.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

O recuo

Noticiou-se que alguns do empresários envolvidos no petrolão recuaram de fazer acordo de delação com a Justiça sob a alegação de ser "duro" demais. Me engana que eu gosto... Por que tal recuo saiu logo após advogados dos acusados se reunirem com o ministro da Justiça, num encontro fora da agenda dele? Sabe-se lá o que foi discutido, principalmente com justificativas dele que não colaram. Fosse num país de Primeiro Mundo, o ministro já teria sido demitido, pois tal cargo não pode ser objeto da mínima desconfiança.

LAÉRCIO ZANNINI

arsene@uol.com.br

Garça

Estranha reunião

O que poderia motivar uma reunião entre o ministro da Justiça do Brasil e os advogados dos corruptos da Petrobrás? Algum tipo de acerto? Ou talvez eles tenham muita coisa em comum, afinal, estão todos no mesmo barco. A dedução mais lógica é justamente esta: "Eu ajudo vocês e vocês me ajudam, já que estamos todos envolvidos". Até quando este país vai continuar convivendo com isso?

ELIAS SKAF

eskaf@hotmail.com

São Paulo

Palhaçada

O ministro da Justiça está de palhaçada quando diz que é normal encontrar-se com os advogados dos suspeitos de envolvimento no petrolão. Como destacou o juiz federal Sergio Moro (da Operação Lava Jato), é óbvio que as empresas sob suspeita buscam interferência política. E José Eduardo Martins Cardozo está com uma cara de quem quer ajudar!

VINÍCIUS BESSA DE ANDRADE

bessavini@hotmail.com

Bauru

Ministro da Injustiça

Já que, de acordo com a turma petralha, o ministro tem obrigação de receber qualquer pessoa, não só o advogado de Ricardo Pessoa, gostaria de saber quando posso ir pessoalmente pedir-lhe esclarecimentos sobre a morte de Celso Daniel e as ameaças covardes ao então presidente do STF, Joaquim Barbosa.

RICARDO C. T. MARTINS

rctmartins@gmail.com

São Paulo

Convite

Sr. ministro da Justiça, como tenho uns dez juízes e um delegado na minha lista negra, gostaria de marcar uma reunião - em parte secreta, por ser segredo de Justiça - para debatermos essa importante situação, que vem prejudicando meus cientes. Pode ser no seu gabinete, no meu escritório, na sua casa, na minha casa, no bar, onde desejar. Espero ser atendido tão prontamente quanto os meus colegas advogados do petrolão - para recordar, trata-se daquela investigação que acredito que V. Exa. acha que não vai dar em nada!

JOSÉ RUBENS MACEDO SOARES

ferdermacedo@terra.com.br

São Paulo

O intermediador

Estou pensando em processar o Estado brasileiro para me devolver o que me roubaram do dinheiro do petrolão e todo o dinheiro que o Estado me tem roubado nestes últimos 50 anos. Será que o ministro Cardozo me recebe em seu gabinete para discutir esse assunto e ouvir meus choramingos, assim como fez com os advogados dos todo-poderosos envolvidos no caso do petrolão? Acho que não passaria da porta de entrada do ministério... Afinal, quem sou eu? Ah, eu sou aquele que paga impostos, feito de palhaço neste país de mentira! Sou o povo que aquele cara da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) diz que tem direitos! Quem a OAB defende, afinal? Seus advogados associados ou a ética de um país e seu povo, hoje jogados na sarjeta?

ARMANDO FAVORETTO JUNIOR

afjsrf@ig.com.br

São José do Rio Pardo

Blá-blá-blá

O sr. José Eduardo Cardozo é ministro de Justiça do Brasil ou do Planalto? O sr. Joaquim Barbosa pode pedir a demissão do ministro a qualquer momento, pois hoje é um cidadão comum, como nós. Aliás, é o que também pede toda a população brasileira coerente, pois é inadmissível que o dr. Cardozo receba em seu ministério, sem anotação em sua agenda, advogados que lutam pela absolvição dos acusados - culpados, no que tudo leva a crer - na Operação Lava Jato. Afinal, pelo que o ministro da Justiça luta? Para se fazer justiça ou para tripudiá-la? O seu ministério trabalha para o povo brasileiro ou para as empreiteiras? Acho que o Ministério da Justiça e a OAB deveriam deixar de blá-blá-blá e dizer que o advogado tem o direito de ser recebido, a qualquer tempo, por quaisquer Poderes, mas desde que o único objetivo não seja a interferência no processo judicial em andamento.

WALTER LÚCIO LOPES

wll@uol.com.br

São Paulo

GOVERNO DILMA

Rejeição

Para tentar reverter o quadro de não aceitação da sua pessoa e do seu governo, Dilma vai protagonizar uma série de propagandas na mídia. Todos sabemos como custam caro tais aparições. Nada contra se o Brasil não estivesse no meio de uma crise financeira sem tamanho. Só que a realidade é muito diferente. Precisamos de dinheiro para investimento, não para demagogias. Quando se quer de fato fazer algo, não é preciso fazer alarde.

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

mdokrmo@hotmail.com

Bauru

A "presidenta" fez o diabo para ganhar a eleição e agora o diabo mandou a conta!

MARIUS ARANTES RATHSAM

mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

AS INDÚSTRIAS NO ESCURO

Notícia de quarta-feira de cinzas: “Conta de luz da indústria deve subir até 53% em março”, porque empresas do Sudeste terão de arcar com custo das termoelétricas. Nos finalmentes, quem vai arcar, mesmo, com esse custo é o burro de carga – o povo brasileiro – que não tem saúde, educação, segurança, infraestrutura (especialmente em saneamento e transporte). Mas dona Dilma promulgou, recentemente, o Dia do Milho, alimento muito importante para os asininos, de forma a estarem aptos a carregar o fardo imposto pelos impostos escorchantes que, por sua vez, alimentam os corruptos! E o seu salário... País rico é país sem pobreza, não?!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul 

*
MENTIRA NA ELEIÇÃO

Dilma prometeu em sua campanha eleitoral, que “a partir de agora, a conta de luz das famílias brasileiras vai ficar 18% mais barata”. “É a primeira vez que isso ocorre no Brasil, mas não é a primeira vez que o nosso governo toma medidas para baixar o custo, ampliar o investimento, aumentar o emprego e garantir mais crescimento para o País e bem-estar para os brasileiros.” “No caso da energia elétrica, as perspectivas são as melhores possíveis. Com essa redução de tarifa, o Brasil, que já é uma potência energética, passa a viver uma situação ainda mais especial no setor elétrico. Somos agora um dos poucos países que está, ao mesmo tempo, baixando o custo da energia e aumentando sua produção elétrica.” “O Brasil vive uma situação segura na área de energia desde que corrigiu, em 2004, as grandes distorções que havia no setor elétrico e voltou a investir fortemente na geração e na transmissão de energia.” Agora aumenta a conta de luz em 53% para as empresas somente no Sudeste? Eis o discurso da eleição. Cumpra-o! E parece que na Constituição todos são iguais perante a lei, e não para o Sudeste de um jeito e o resto do País de outro. 

Glória Anaruma glória.anaruma@gmail.com.br
Jundiaí

*
NÃO ADIANTA RECLAMAR

Conta de luz da indústria deve subir até 53% em março. Parabéns aos ongueiros “ambientalistas” que travaram a expansão hidrelétrica do País! Conseguiram seu intento. Meus pêsames para os governos covardes que não enfrentaram o problema em tempo. Agora não adianta reclamar dos milhões de empregos perdidos. A grande maioria vai sofrer pela ação de uma minoria politicamente muito bem organizada. 

Sônia M. Benfatti Resstel sbresstel@gmail.com  
São José do Rio Preto

*
ALUCINAÇÃO

Aumentar a luz elétrica em mais de 57%, sem contar o aumento dos combustíveis, só pode ser alucinação da presidenta Dilma para querer manter empregos e melhorar a economia. Esquece a presidente que o Brasil precisa, sim, é de redução de custos em geral, para os que votaram nela poderem manter o mesmo nível de vida e de consumo. Mas, pelo andar da carruagem, este jegue já foi para o brejo e o petrolão vai levar mais  alguma coisa junto. Lamentável tanta promessa vaga e mentirosa.

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br 
Rio de Janeiro
 
*
FOLIA COMPLETA

Muitos daqueles que dançaram na folia agora irão dançar para pagar as contas de energia elétrica que virão no mês de março.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
LEVY EM NOVA YORK

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em Nova York, com investidores e analistas, para acalmar o mercado, reconheceu a possibilidade de em 2015 o resultado do PIB ser negativo. Deu indicações, ainda, do “deslize fiscal” do governo Dilma no ano passado e que ora tomou “decisões importantes no ajuste de rumo”. Conversa para boi dormir, porque, se estes investidores acreditam nisso tudo – o que eu duvido –, nós não caímos nesta conversa de “decisões importantes”. 
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br 
São Paulo

*
MEDIDAS ANTICÍCLICAS

Será que Joaquim Levy, ao afirmar “ipsis litteris” que “o País está deixando as medidas anticíclicas para trás”, estaria adotando a política de ciclovias protagonizada por Fernando Haddad? 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
UMA PERGUNTINHA

O ministro Joaquim Levy ri do quê, hein?

Rubens Guiguet Leal rubensgleal@uol.com.br 
Americana

*
SIGAM O DINHEIRO

Quem diria, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) pediu à Procuradoria-Geral da República que siga os passos de países como França, Bélgica, Argentina e Estados Unidos e solicite abertura de investigação para apurar o envolvimento de brasileiros no esquema bilionário de sonegação de impostos e evasão de divisas por meio do Banco HSBC na Suíça, onde o Brasil é o 4.º colocado com 8.667 clientes e movimento de US$ 7 bilhões. Entre estes figuram políticos, artistas, desportistas, empresários e acusados de atividades criminosas como terrorismo, tráfico de drogas, de armas e de diamantes. Pelo menos 11 pessoas (dos 106 mil clientes que aparecem na lista) são citadas na Operação Lava Jato, entre eles Pedro Barusco, que assumiu, em delação premiada, ter recebido cerca de US$ 97 milhões em propina. Se a Procuradoria-Geral da República seguir essa orientação, será um grande passo para confirmar o que já sabemos (e que políticos, advogados e até ministros tentam esconder), e muitos outros casos, com certeza, vão aparecer. Deve ter muitos “cidadãos” brasileiros com aquilo na mão. 

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net
São Paulo

*
MICARETA

A micareta, aquela festa de carnaval fora de época, estará em breve começando nem bem terminou o carnaval de época. Só que desta vez, diferentemente da tradição de ser, via de regra, no Nordeste, esta terá início no Planalto central. As próximas semanas serão por lá um verdadeiro carnaval, com muita gente dançando ao som de alguma marchinha executada pela “banda” petrolão. 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
OPERAÇÃO LAVA JATO

Só porque o sr. Barusco disse na delação premiada que iniciou o processo de recolhimento de propina em 1997, os políticos do PT, incluindo aí o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, querem que a Operação Lava Jato e a nova CPI remontem ao governo de FHC. Gente, ele disse que iniciou em 1997, mas não citou em nenhum momento que o “aproveitador” da propina fosse alguém do governo ou do partido do governo daquela época, podendo ser os mesmos partidos da era petralha de Lula da Silva e de dona Dilma: o PT, o PP e o PMDB, atualmente envolvidos até o pescoço na Operação Lava Jato.
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com
Taubaté 

*
BASTA!

Os brasileiros não aguentam mais conviver com políticos desonestos, aproveitadores, corruptos. Queremos transparência, respeito, dignidade. Cada hora é um que transgride regras e leis: agora chegou a vez do ministro da Justiça, que sorrateiramente está combinando estratégias com advogados de empreiteiros que lesaram o País. Basta!

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br
São Paulo

*
MINISTRO CARDOZO QUE SE CUIDE

O dr. Joaquim Barbosa fez críticas sobre a atuação de advogados de presos da Operação Lava Jato. Concordamos que seja um direito de advogados procurarem autoridades. Entretanto, quando o objetivo é mudar o trâmite de um processo, como afirmou o ministro Cardozo, para que os acusados possam respirar aliviados, entendo, drs. Alberto Toron e Celso Vilardi (“Estadão”, 14/2, A4), que nada do que está sendo feito em Curitiba pelo juiz federal Sérgio Moro tenha alguma validade. Se V. Excia., ministro Cardozo, já era detentor de tanto poder, depois de tanto sofrimento dos ilustres presidiários,  por que demorou tanto a agir? Cuide-se, sr. ministro, para que não receba uma forte reprimenda de seus superiores!

José Wilson Lopes jwlopes@uol.com.br 
Garça 

*
MENINO DE RECADOS

O nosso ministro da Justiça não passa de menino de recados de Dilma e de Lula, pois é exatamente o que ele está fazendo. Lula mandou ele intervir em favor das empreiteiras, pois já foi ameaçado de que, se não o fizesse, mais sujeira iria sair contra ele e Dilma logo após o carnaval, e ele já se pôs a campo para obedecer à ordem do chefe. E cadê a oposição, que está dormindo em berço esplêndido? Deus nos livre do mensalão e petrolão virar pizza, aí só indo embora deste país.

Soely Ferraro Barcellos  tyrsoelysa@gmail.com
São Paulo

*
ELE SE SALVA

“Je suis Joaquim Barbosa”, não abro mão. O único cidadão corajoso deste país de alienados!

Dalmacia de Arruda Campos dalmacia@terra.com.br 
São Paulo

*
MINISTRO SUSPEITO

Não fossem as empreiteiras rés confessas de corrupção e não fosse o escândalo do petrolão da magnitude de US$ 80 bilhões, conforme estimativa grosseira da Petrobrás, o ministro da Justiça deveria querer distância dos advogados desse pessoal. Mas Cardozo acha isso tudo muito natural. Acho que o ex-ministro Joaquim Barbosa tem razão: este ministro da Justiça deve ser demitido.

Carlos de Oliveira Avila gardjota@gmail.com  
São Paulo

*
‘GOVERNANÇA E CONFORMIDADE DE GESTÃO’

Eu acrescentaria à mais recente propaganda da Petrobrás: “agora com desconfiômetro”.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
FORA COM ELE

Dilma Rousseff falou em linhas gerais que queria passar o País a limpo apurando com rigor todas as denúncias de corrupção de seu governo e outros. Seu ministro da Justiça, por ignorante, tenta fazer uma pizza descumprindo as ordens da chefe imediata e também de Lula, que já havia se manifestado no mesmo sentido. Praticou, então, simultaneamente, prevaricação e advocacia administrativa, duas faltas graves. Para isso só há uma saída: demissão imediata e inquérito para indiciá-lo em crimes contra a administração pública. Não precisava nem Joaquim Barbosa sábia e oportunamente se manifestar. 

Paulo H. Coimbra de Oliveira  h.coimbraoliveira@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
QUE ANO!

O ano mal começou e já temos ministro da Justiça atendendo advogados de operadores de desvios da Operação Lava Jato – atitude no mínimo duvidosa no conceito do cargo que ocupa. Segue-se a abolição da ficha suja da prática do trabalho escravo pela Caixa e pelo BNDES, para avaliação de financiamentos de incorporadoras imobiliárias, corroborado por liminar do ministro Lewandowski, do STF.  E, para finalizar, a Beija-Flor ganha o título de campeã do carnaval do Rio de Janeiro patrocinada por uma ditadura africana feroz. Arrematando o cenário, há a indicação de que 2014 foi o ano em que o PIB caiu. Uma alternativa para uma agenda positiva seria fazer como a presidente da Argentina e homenagear a China, também nossa grande parceira comercial. A China iniciou seu ano novo nesta quarta-feira. Um alerta: o ano da ovelha, cabra ou gazela que se inicia não é considerado auspicioso pelos chineses.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba 

*
O CARNAVAL PRAGMÁTICO

Por mais que se queira, é quase impossível dissociar o carnaval da Beija-Flor, tecnicamente impecável, do enredo por ela escolhido que, talvez involuntariamente, serviu para promover um governo despótico e sanguinário, o da Guiné Equatorial, que teria, segundo fortes rumores, patrocinado a pompa e o luxo ostentados no desfile. O país é, por outro lado, um dos mais pobres do mundo, vivendo seu povo abaixo da mais humilhante linha de miséria e subjugado por ditadores há mais de 35 anos no poder, proprietários de várias mansões mundo afora e titulares de polpudos ativos financeiros aninhados em alguns dos inúmeros paraísos fiscais espalhados pelo planeta. Os carnavalescos e dirigentes da agremiação apressaram-se em afirmar que o dinheiro proveio de empreiteiras com interesses na Guiné e não dos seus cofres públicos, o que não alivia a sensação de pragmatismo indecente vislumbrado pelos donos da Escola, aquele que justifica qualquer postura – o vale-tudo – e que sublinhou a diplomacia praticada pelo PT ao longo da execução de uma política externa que, afinal, não redundou em benefício para o progresso das transações comerciais, mas tirou o Brasil dos fluxos de riqueza, culminando com o estigma criado pelo melancólico apelido de “anão diplomático”. Por mais que se admire e se apoie a maior festa popular do mundo, há que serem observados por parte dos organizadores alguns limites quanto às homenagens, para que sejam evitadas no futuro lembranças como a do nazismo ou do estado islâmico, por exemplo, temas capazes de, nas mãos de competentes coreógrafos, produzirem desfiles também perfeitos.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*
BLOCO DOS HIPÓCRITAS

Acabou o carnaval, mas o bloco dos hipócritas e donos de araque do monopólio da verdade continua fantasiado, desafinando o samba na avenida. Por que não reclamaram ou denunciaram antes de o carnaval começar que a Beija-Flor recebeu patrocínio da ditadura da Guiné Equatorial? Por que as vestais grávidas não criticam artistas, políticos, jogadores de futebol e jornalistas que em carnavais recentes achavam uma maravilha usufruir das mordomias dos camarotes de banqueiros do bicho? Francamente... 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 
Brasília

*
PLÁGIO
 
Será que nossas empresas de construção exportaram o “modus operandi” das “doações” para a Guiné Equatorial, como fazem aqui?

Tânia Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*
NANICOS

Beija-Flor vence o carnaval homenageando a ditadura africana, bem ao gosto do sapo barbudo Lula. Somos nanicos mesmo.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
IMISCUINDO-SE

Reconhecidamente, escolas de samba com temas, patrocínios e presidentes polêmicos não são suficientes para afastar dos desfiles uma gama enorme de personalidades das mais diversas áreas, que encaram tudo isso como uma grande brincadeira.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
O PÁSSARO É OUTRO

Com patrocínio de ditador, melhor seria a escola mudar de nome: “Urubu de Nilópolis” estaria de bom tamanho.

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
BEIJA-FLOR E GUINÉ EQUATORIAL

Surpreende-me a desfaçatez dos inúmeros comentários relacionados aos R$ 10.000.000,00 entregues à Beija-Flor, escola de samba campeã do carnaval do Rio de Janeiro 2015, pelo país africano Guiné Equatorial, comandado pelo ditador Teodoro Mbasongo há mais de 35 anos. Ora, carnaval financiado pelo “jogo do bicho” durante décadas foi permitido, carnaval atual e certamente financiado pelo tráfico de drogas, nada a opor, mas vender o enredo aos caprichos de um ditador não pode? Assim como nos financiamentos de campanha, no carnaval não há espaço para verbas provenientes do “jogo do bicho”, do tráfico de drogas, de ditadores, de dólares na cueca, do “mensalão” e do “petrolão”! Ao povo brasileiro cabe exigir e impor o que é correto e ético em todas as áreas, seja no carnaval, seja na política!     

Carlos Adolfo Bellio do Amaral Schmidt caschmidt@terra.com.br
São Paulo

*
CARNAVAL

A Guiné Equatorial traz um “incrível interesse” para o povo brasileiro. Agora também estamos vendendo o enredo das escolas de samba até para ditadores que querem comprar um pouco de propaganda. O exemplo vem de cima.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
VIL METAL

E não é que o vil metal falou mais alto? O cidadão é ditador de Guiné Equatorial há 35 anos, seu país tem o PIB praticamente zero, não tem educação, não tem saúde, é grande o número de mortalidade infantil, a corrupção é gigantesca, não tem segurança e tem um ditador que é um dos dez mais ricos do mundo e vem ao Brasil, compra uma escola de samba para homenagear seu país, e eles negam a dinheirama. Isso me leva infelizmente a compará-lo ao nosso Brasil, onde ninguém sabe de nada, são todos contra o governo, isso é coisa da mídia, etc. Quem sabe no próximo carnaval as escolas façam homenagens ao nosso país, ou provavelmente os homenageados serão Cuba, Venezuela...  

José Fernandez Rodriguez cholo@terra.com.br 
Santos

*
A VITÓRIA COM DINHEIRO SUJO

A Beija-Flor ganhou o desfile sendo financiada por um ditador cruel e sanguinário, há 30 anos no poder, e o oitavo governante mais rico do mundo, enquanto seu povo vive na miséria, apesar de a Guiné Equatorial ter a terceira maior produção de petróleo da África. O PT ganhou a eleição, também usando o dinheiro do petróleo, roubado especialmente dos pobres brasileiros, que poderia ter sido usado para reduzir a também nossa triste miséria, aqui, como lá, especialmente a moral. A vitória da Beija-Flor e a eleição da nossa presidente, com dinheiro sujo, são desrespeitos que as pessoas éticas e de bem deste  País não perdoarão jamais! É mais um volume morto no Brasil!
 
Luiz Sérgio Silveira Costa lsergio22@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
O DEDO DO BRASIL

O desfile da Beija-Flor, homenageando a Guiné Equatorial, teve o dedo do Brasil. No ano passado em Dili, capital  de Timor Leste, ou Lorosae em tetum, os presidentes da República dos outros países da CPLP não votaram e somente o representante do Brasil, um desconhecido, votou pela anexação do país  africano para fazer parte dos países de língua portuguesa. O presidente deste país agradeceu em francês, inglês e, pasmem, em espanhol. Não falou uma única palavra em Português, uma vez que a nossa língua não existe para eles. Ademais, há um outro problema: é uma ditadura onde há pena de morte. Parabéns, Brasil!

Arlindo Oscar Araújo Gomes da Costa araujodacosta@gmail.com 
São Paulo

*
HOMENAGENS

Homenagem à Guiné Equatorial, Porto de Mariel, Lula, o filho do Brasil, etc., isso é o Brasil feito pelo povo brasileiro, que vota e recebe de volta tudo com a mesma qualidade do seu voto. O outro tipo de eleitor, o que perde, paga a conta – são as regras do jogo, de bilhar. Ah, e ainda sobre o carnaval, tentaram com os rolezinhos acabar com o sossego da classe média nos shoppings; como não deu certo, vão destruir a Vila Madalena. Será que ninguém percebeu? Sabem de nada, inocentes...

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br
Osasco

*
BAGUNÇA NA VILA MADALENA

A que acontece na Vila Madalena, durante o carnaval, é um reflexo da falta de educação e respeito generalizada que impera nos dias de hoje. Isso acontece em vários locais da cidade, não só lá. No intuito de se “divertirem”, as pessoas que vão lá simplesmente ignoram os que moram e trabalham na região e se acham no direito de fazer barulho até altas horas, de assediar mulheres, às vezes até de maneira agressiva, de transformar as ruas em banheiro e em motel ao ar livre, de beberem até cair e até consumir drogas livremente, etc. E quem se sentir incomodado que se mude, como, aliás, algumas famílias estão fazendo. 

Alexandre Fontana alexfontana70@yahoo.com.br 
São Paulo

*
DESRESPEITO

Os cidadãos moradores na Vila Madalena (SP) perderam o direito à vida, ao descanso, à tranquilidade, à segurança, ao ir e vir. O caso é tão grave que o assunto não é restringir o número de foliões em até 15 mil, como propôs o secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes. Mas, sim, determinar outro local para acolher tais foliões, que de foliões nada têm, pois agem como perfeitos vândalos destruindo o que veem pela frente. 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
DESVIO DE DINHEIRO PÚBLICO

A entrevista com o senador Jorge Viana (PT-AC) – “‘Desvio de dinheiro é suprapartidário’, afirma senador” (19/2, A6) – mostra mais uma vez como é a sujeira da classe política. Quando ele ameaça o PSDB (partido no qual nunca votei) dizendo que este tem de tomar cuidado, isso significa que ele sabe de alguma coisa podre daquele partido, mas está usando isso como moeda de troca. Em outras palavras, se os integrantes do PSDB afrouxarem a pressão contra o PT, as safadezas de ambos serão mais uma vez jogadas para baixo do tapete e todos (os políticos, não a população) viverão felizes para sempre! É de vomitar…
 
Luciano Nogueira Marmontel automat_br@ig.com.br 
Pouso Alegre (MG)

*
O CERNE DO DISCURSO PETISTA

A entrevista do senador Jorge Viana (PT-AC) revela todas as mais importantes características do discurso petista. “Desvio de dinheiro é suprapartidário.” É a tese central do Partidos dos Trabalhadores: todos roubam e nós também. Trata-se de um belo sofisma: um crime não justifica o outro. Além disso, por que o PT daria dinheiro à oposição? O senador quer discutir a reforma política. Ótimo, vamos mudar de assunto que este não interessa. “Temos de fazer um ajuste para o País voltar a crescer.” Quais as razões que tornaram necessário o ajuste? O senador e o partido não tocam nas causas da crise. É mágico, façamos um ajuste e vamos ao paraíso. Os tremendos erros de Dilma não aparecem no discurso petista. E todos repetem esses argumentos como se os ouvintes fossem idiotas. Mudam apenas as palavras.
 
Cloder Rivas Martos closir@ig.com.br 
São Paulo

*
O PT ANTES E HOJE

Em entrevista ao “Estadão”, o senador do Acre generaliza a corrupção em todos os partidos. Mas espera aí, o PT não nasceu e cresceu com o discurso de ser o diferente? Então, além de chantagistas (ameaçando o PSDB), eles também enganaram milhões de brasileiros, e de fato “desviaram milhões de reais”. Agora, com as burras cheias, vêm falar em voltar às origens? Ora, que vá enganar trouxas na sua militância.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo 

*
QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ
 
Uma das atitudes mais desprezíveis, abomináveis, dissimuladas e asquerosas do ser humano, pior do que a ação tresloucada dos piores psicopatas e criminosos profissionais ocorre quando policiais, funcionários públicos pagos com o Tesouro (suor) da sociedade para a defesa da lei e da ordem social, agem como bandidos fardados, disfarçados, o que lhes confere a confiança cega do povo. Isso é alta traição e deveria ser punido com a mais severa das penas. Pois bem, faço analogia com os militantes de partidos políticos, que na década de 1980/1990 se notabilizaram e atraíram votos, inclusive meus, defendendo a moralidade na prática da política. Eram justiceiros de mãos e alma limpa, uma espécie de polícia, zeladores da ação política. Hoje, ocupando cargos oficiais na política, mostram todos os dias nas manchetes um comportamento muito pior do que aqueles que pesadamente criticavam e perseguiam no passado, como cães de caça. Mostram à luz do dia a verdadeira índole de desprezíveis farsantes, imiscuídos ao crime organizado.
 
Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br 
Cotia 

*
DE ONDE VEIO O DINHEIRO?

A cada nova denúncia de propina para o PT, o partido, por meio de seu presidente, Rui Falcão, é taxativo em dizer que todas as doações foram legais. Então vamos fazer as contas? Se somarmos todas as doações legais declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (excluindo as das empreiteiras envolvidas na Lava Jato) e somar aos recursos que foram desviados da Petro e suas subsidiárias, o valor total será muito mais que o que foi declarado pelo partido ao TSE. Logo se conclui que uma boa parte do dinheiro da propina não chegou ao caixa (seja 1 ou 2) do PT. Então ficou no bolso de quem? De Lula, de Zé Dirceu, do Moch ou de sabe-se quem mais. Parafraseando o personagem Elliot Ness, “follow the money!”. A propósito: até um mês atrás João Paulo Cunha tinha negado a sua progressão penal por só ter pago R$ 5 mil da multa de mais de R$ 550 mil referente às penas do mensalão. Havia, inclusive, pedido para pagar em prestações mensais de mais ou menos R$ 3 mil por mês, pois alegava não ter recursos ou patrimônio para tal. A justiça negou. Surpresa: nesta semana ele quitou à vista os mais de R$ 500 mil. Pergunta pertinente: de onde surgiu a grana? Vale a mesma sugestão: “Follow the Money!”.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 
São Paulo

*
AS CICLOFAIXAS DE FERNANDO HADDAD

Fernando Haddad, o prefeito pinta-faixas, entrevistado no “Estadão” da internet, afirmou que a implantação de ciclovias em São Paulo é um processo irreversível e de modernização da cidade. Segundo ele, há uma campanha contra a modernização de São Paulo. Então, numa cidade dinâmica, montanhosa e às vezes com chuva  e alagamentos, ciclovia  é modernidade? Com certeza está se referindo a “anfi-bykes” e a bicicletas motorizadas com capota conversível “deslizando” pelas suas ciclovias. Ciclovias   ou apenas  ciclofaixas pintadas com as cores de sua ideologia?
 
Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo

*
IMPROVISO, E NÃO PLANEJAMENTO

O prefeito não deixou por menos, e disse que “há uma campanha sórdida contra a modernização da cidade de São Paulo”. Ele se referia a reclamações sobre projetos que vem desenvolvendo na área de mobilidade urbana na capital paulista, como faixas exclusivas para ônibus e ciclovias. E mais: “E o que me espanta é que pessoas esclarecidas, que viajam para o exterior, não compreendem que temos que mudar o paradigma. A cidade não vai mais funcionar como funcionava antigamente”. E nisso eu concordo com ele plenamente. A nossa pobre cidade, onde eu nasci e sempre morei, não é mais a mesma há muito tempo. Cresceu desmesuradamente em população e da forma errada. Irreconhecível para alguém, como eu, que transitava por ela tranquilamente na década de 50 e sempre de transporte público. E cresceu de forma errada por culpa de administradores como o prefeito atual, que não planeja, improvisa. Eu procurei na internet o problema das ciclovias em outras capitais do mundo. Elas não têm um transporte público deficiente como o nosso. Mesmo Londres cuja malha do Metrô é muito maior do que a nossa, apenas 2,5% da população utiliza a ciclovia. Nova York, que implantou uma ampla rede de ciclovia, também possui uma rede de metrô muito maior do que a nossa. Tanto as ciclovias como, principalmente, os corredores do ônibus são importantes para a cidade, mas devem ser construídas com um planejamento sério e não ao sabor da vontade política de quem quer que seja. O prefeito precisa entender que ele não é o prefeito permanente de São Paulo, ele está prefeito e não pode pensar no curto prazo. Fala em modernização, mas ao mesmo tempo quer adensar as moradias, em uma cidade onde os ônibus, os trens do Metrô e da CPTM, transportam a população como gado. Quer adensar os bairros, pelo simples fato que os terrenos na cidade estão muito caros. Mas esquece que a área verde da cidade é de apenas 2,5m²/hab. ou seja, ridiculamente menor dos 12m²/hab. preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e é nas residências e ruas dos bairros que existem ainda árvores de grande porte, remanescentes da Mata Atlântica. Ainda neste aspecto vem não só autorizando como incentivando invasões de terrenos, mesmo em áreas de preservação ambiental. O prefeito não pode estar falando sério quando compara as grandes cidades do mundo com São Paulo em sua caótica situação atual. Para se ter uma ideia de como a cidade de São Paulo tem sido vilipendiada nas últimas décadas, basta comparar a extensão da nossa rede do Metrô, 75 km, com a de Seul, 287 km e ambas as cidades começaram a construí-los no mesmo ano, 1974. Engana-se o prefeito, esse projeto nas condições atuais não moderniza coisa nenhuma, muito pelo contrário. Quanto aos corredores de ônibus, serão bem eficientes se copiarem o modelo de Curitiba e não nas faixas da direita improvisadas.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
IGNORÂNCIA E CAOS

Haddad diz que há campanha “sórdida” contra São Paulo (14/2, A13) porque está mal assessorado por seu secretário de Transportes. Certamente, Tatto viaja à Europa ocidental de primeira-classe e não põe os pés fora de seu hotel cinco estrelas, pagos por nós, e portanto não sabe onde estão localizadas as ciclovias europeias. De fato, plano de ciclovias correto tem de privilegiar as vias locais de baixo tráfego, mais adequadas ao ciclismo, ou, só quando necessário, incluir vias coletoras de médio tráfego, excluindo as vias estruturais de tráfego elevado sempre que possível. Mas Tatto faz exatamente o contrário e, assim, implode as vias estruturais paulistanas. E, ainda, só faz de conta que segue Nova York (15/2, A3), já que impede a participação popular nos projetos a ela atinentes em infração à Constituição de São Paulo. Na China atual, há ciclovias em vias estruturais amplas nas quais há espaço para todos os modais motorizados necessários à mobilidade em quaisquer cidades grandes eficientes. Haja vista que o Plano Diretor estimula a construção de prédios enormes em áreas com vias carroçáveis já saturadas, e que não há qualquer melhoria na abrangência e na qualidade do transporte público nessa administração, só resta saber se Haddad e Tatto pretendem extinguir a mobilidade do paulistano e assim semear o caos na cidade.

Suely Mandelbaum, urbanista suely.m@terra.com.br 
São Paulo

*
A MALDITA CLASSE MÉDIA! 

Fernando Haddad já preparou o discurso à PT sobre sua péssima avaliação enquanto gestor. A culpa não é de tudo aquilo (e é muita coisa) que ele não fez ou fez mal feito. Sua avaliação negativa é responsabilidade de cada um de nós, paulistanos, retrógrados e incapazes de enxergar toda a sua genialidade. A culpa, claro, deve ser da imensa e horrenda classe média, que o PT vive a espezinhar, mas onde sonha colocar artificialmente todos os miseráveis do País. 

Paulo Marcelo Reis paulomarcelomr@gmail.com 
São Paulo

*
RECADO AO PREFEITO HADDAD

Primeiramente, não entendo como, após péssima atuação junto ao MEC e sendo um político completamente desconhecido em São Paulo, Haddad conseguiu eleger-se. Enfim, democracia é democracia. Após sua tomada de posse, fiquei esperando quais seriam as medidas principais efetuadas, e comecei a observar uma série de descalabros, predominantemente com os corredores exclusivos para ônibus, pouquíssimo usados pelos coletivos e dificultando quem usa automóveis. Acho que todos, já que foram feitos, deveriam ser usados somente em horários de picos. Outra obra considerada prioritária pelo senhor prefeito são as inúteis ciclovias. Poxa, sr. Haddad, nossa população não tem o costume de trabalhar de bike! Já imaginou sair de paletó e gravata (ou não) no calor ou debaixo de chuva para ir trabalhar de bicicleta? Que ciclovias mais inúteis! Litros e mais litros de tinta vermelha (olha a cor do PT!) sendo usados para nada. E a manutenção futura, daqui a um ano? Mais e mais tinta... Agora, observo um dos monumentos de São Paulo, já tombado pelo patrimônio histórico, os “arcos do Jânio”, que, até então, tinham grades de proteção para não serem pichados, terem sido pintados, não sabemos com que autorização, com figuras ridículas, principalmente com o facínora do ditador Chávez! É o cúmulo do absurdo! Sabemos que o senhor, sendo petista, tem, como nossa presidente, profunda admiração pelos comunistas sul-americanos (Chávez, Cristina, o reizinho cocaleiro, etc.), porém nós, paulistas, somos adeptos da democracia e temos nojo desses citados, principalmente desse que foi permitido ser retratado nos arcos. Sr. Haddad, caia na real, aqui é São Paulo, e estamos carentes de bueiros desentupidos, piscinões, limpeza dos córregos, coleta de lixo seletiva, restauro das ruas e avenidas esburacadas, criação de creches, etc., etc. Outra observação seria que o prefeito pare de fazer média com os grupos inexistentes como os “sem-teto”, com os estrangeiros que aqui são despejados indiscriminadamente, sem empregos e sem casas, e também em fazer mais médias com os “puxadores” de crack, contemplando-os com hospedagens em hotéis e dando bolsas a eles. Nós, de São Paulo, não somos adeptos do quanto pior, melhor! Nós aguardamos providências urgentes quanto à péssima administração de Haddad.
 
Paschoal L. Paione Paschoal paione@cantareira.br 
São Paulo

*
CICLOVIA NA AVENIDA PAULISTA

Uma das maiores obras antiengenharia de tráfego é a ciclovia na Avenida Paulista, onde deveria estar a faixa exclusiva de ônibus. Em horário de pico este tipo de transporte público leva aproximadamente uma hora para percorrer os quase três quilômetros de sua extensão, resultando numa incrível velocidade de 3 km/h! Todos os dias eu e mais centenas de milhares de paulistanos ficamos amontoados dentro dos ônibus que param constantemente, pois há inúmeros carros que entram à direita nas travessas, estacionamentos privados e de edifícios, carros-forte e táxis parados, carros que saem das faixas da esquerda para entrar à direita nas transversais obrigando os ônibus a frearem, ônibus que invadem as faixas da esquerda pois a faixa da direita exclusiva (de mentirinha) não anda, enfim, esta prefeitura incomPeTente conseguiu instalar o caos nesta avenida. Por onde anda o Ministério Público que não faz nada a respeito desta obra que é uma afronta aos trabalhadores pagadores de impostos que são obrigados a utilizar os ônibus?
   
Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com 
São Paulo

*
FAIXAS EXCLUSIVAS
 
Trafegando pela Avenida Jabaquara, sentido centro-bairro, notei que na faixa exclusiva de ônibus existem placas para estacionamento com cartão azul. Os ônibus que por lá transitam são obrigados a sair da faixa exclusiva e retornar assim que não houver carros estacionados. É a Prefeitura “fazendo o que precisa ser feito!”.
 
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net
São Paulo

*
ELITE PAULISTANA

A elite paulistana, que só olha para o próprio umbigo, está mais preocupada com a grafitagem artística, com ciclovias, faixas e corredores de ônibus do que com a falta d’água decorrente da inépcia de 20 anos de governos tucanos no Estado São Paulo. Pudera, caso o racionamento migre dos bairros periféricos para os bairros nobres, eles poderão contratar carros-pipa ou viajar para Miami e os menos favorecidos que se explodam. 
 
Paulo Sergio Fidelis Gomes psf.gomes@ig.com.br 
São Paulo

*
PARQUE AUGUSTA X CHÁCARA DO JÓQUEI

Por que o Ministério Público Estadual (MPE) escolheu o Parque Augusta para destinar os R$ 63 milhões que a prefeitura vai receber dos bancos UBS e Citibank, e não a Chácara do Jóquei, cuja entrega foi prometida à população para dezembro último?

Elisa M. Pinto Cesar Andrade elisa@spcesar.org 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.