Fórum dos Leitores

DILMA E O PETROLÃO

O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2015 | 02h05

Governo irresponsável

Mais preocupada com sua dieta e depois de dois meses de sumiço, a presidente retornou argumentando com uma enxurrada de besteiras ao tentar transferir a responsabilidade pela roubalheira praticada na Petrobrás para o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Perdeu a noção da coerência, da decência e das responsabilidades que cabem ao chefe da Nação. Continua tentando enganar e confundir a população com a mesma tática que utilizou na campanha eleitoral, orientada pelo sr. João Santana, marqueteiro do mal. A vida de dona Dilma está cada vez mais difícil, haja vista as derrotas que vem sofrendo, até com a participação da base aliada. Serão longos quatro anos, para nossa infelicidade.

SERGIO EDUARDO STEMPNIEWSKI

sergueistemp@uol.com.br

São Paulo

O dono da voz

Pelas falas da sra. Dilma, percebe-se que o marqueteiro voltou a dar as cartas no governo.

SINCLAIR ROCHA

sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

Sempre ele...

A presidente Dilma reapareceu no seu estilo de repetir o que lhe mandam dizer, após longo e constrangedor silêncio. Agora diz que se em 1997, no governo de FHC, o funcionário Pedro Barusco tivesse sido descoberto e punido por crimes de corrupção a situação na Petrobrás não teria chegado ao nível a que chegou. Quer dizer, então, que Nestor Cerveró, Paulo Roberto Costa e Renato Duque foram nomeados porque FHC não descobriu e puniu o Barusco em 1997? O Barusco é mais uma herança maldita do governo FHC? Quanta saudade do silêncio da presidente!

MAURÍCIO RODRIGUES DE SOUZA

mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

Só rindo

A "presidenta" Dilma disse que as falcatruas na Petrobrás vêm da década de 1990. Estou começando a desconfiar que foi FHC quem apresentou Paulo Roberto Costa ao Lula... rsrsrsrs.

HOOVER AMERICO SAMPAIO

hoover@mkteam.com.br

São Paulo

É, segundo Dilma, o esquema de corrupção na Petrobrás foi montado durante o governo FHC. O que eu não sabia é que os tucanos haviam montado um esquema que serviu apenas para abastecer os cofres do PT.

FREDERICO D'AVILA

fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

Trocando em miúdos

A presidente Dilma insinuou é que, se no governo FHC tivesse sido detectada a corrupção na Petrobrás, a turma dela não teria a oportunidade de roubar tanto dinheiro da empresa a partir de 2003. Verdade.

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Maldito FHC!

Se não fosse ele, o PT jamais estaria envolvido até o último fio de cabelo no maior escândalo de corrupção da nossa República, logo depois de ter saído de outro igualmente escabroso. Por causa de FHC é que o PT não conseguiu manter a sua sina de salvador, defensor dos oprimidos, redentor e porta-voz dos bons costumes e da ética, livrando o Brasil de intermináveis 500 anos de profundas trevas. O PT era o projeto da bondade, da lisura e da justiça, mas FHC pôs tudo a perder. Esse raciocínio acima é a lógica petista. E ela é ridícula.

JOÃO ROBERTO CARAMURÚ

jrcaramuru@gmail.com

São Paulo

Velharias

Como sempre, a presidente Dilma joga a culpa de seus atos no PSDB. Mas não foi o PSDB que comprou o bonde de Pasadena. No início do mandato a presidente deveria falar do tempo e dos fatos presentes e anunciar planos para o futuro. Afinal, governar é construir o futuro. Em vez disso, Dilma repete a velha cantilena ensinada por João Santana, "no governo FHC...", para tentar vencer a batalha da comunicação. Talvez vencesse se usasse decência e verdade na luta.

CLODER RIVAS MARTOS

closir@ig.com.br

São Paulo

POLÍTICA

Corrupção

O Brasil transformou-se num megateatro onde estão atuando mais de 200 milhões de atores, todos fingindo que a situação está perfeitamente normal, principalmente a oposição política. Portanto, está como os donos do poder querem.

NILSON SOARES DA SILVA

nilson.ssilva@uol.com.br

Conchas

Balaio de gatos

Neste nosso querido Brasil, o balaio de gatos é tão grande que a oposição está perdendo o pouco tempo que tem para continuar sendo a atual oposição, pois o PT, partido da situação, está trabalhando ferrenhamente para ser sua própria oposição e, também, se opondo à atual oposição, que, por sua vez, ficará a ver navios. Isso significa que o próprio PT poderá ser o partido que pedirá o impeachment da presidente, e não a atual oposição. Dá para rir bastante dessa nossa incongruente política oposicionista, não é?

JOSÉ EDUARDO LA TERZA

jelat_esc@terra.com.br

São Paulo

FALTA D'ÁGUA

Ar, caro ar

O Ministério Público vai investigar a cobrança de ar pela Sabesp. Quando é retomado o fornecimento de água, o ar acumulado nos canos movimenta o hidrômetro e nós pagamos por isso. Aqui vai uma dica: a Sabesp e outras companhias de fornecimento d'água sabem perfeitamente dessa ocorrência, os consumidores já alertam há muito tempo sobre essa prática lesiva, mas nenhuma providência é tomada; cabe ao Ministério Público encontrar meios legais de obrigar todas as companhias a instalar, à sua própria custa, isto é, sem repassar os custos ao consumidor, aquele aparelho que as empresas privadas vendem para inibir esse "furto reverso", que vem prejudicando o consumidor há anos.

JATIACY FRANCISCO DA SILVA

jatiacy.com@gmail.com

Guarulhos

São Pedro x São Paulo

Parece anedota, mas é uma verdade: São Paulo é o único lugar do planeta onde chove a cântaros e existe uma ameaça constante de seca. Vou trocar de fornecedor, transferir a minha conta de água para o céu, aos cuidados de São Pedro. As torneiras lá de cima, ao contrário das daqui da Sabesp, jorram água em abundância. A Sabesp tem mais é que fechar. Trata-se de um bando de incompetentes.

MARCELO DE LIMA ARAÚJO

marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Mogi das Cruzes

NOVE ANOS DE ATRASO 
 
Não são somente os governos de Lula e Dilma, pródigos em atrasar obras (além dos superfaturamentos e das gordas propinas), por exemplo, a Refinaria Abreu Lima e a transposição do Rio São Francisco estão no topo de administradores públicos fiéis às promessas não cumpridas. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também tem seu “troféu promessinha” em seu currículo, como o da Linha 4 – Amarela, do Metrô (Estação da Luz até o Morumbi), que, iniciado em 2004 e prometido para 2009, das 11 estações, apenas 7 foram entregues. E a nova data para sua conclusão fica para o distante ano de 2018. E a desculpa, agora, é que o consórcio composto pelas empreiteiras Isolux-Corsan-Corvian não cumpre os prazos que foram estabelecidos para a obra. Ou seja, nove anos de atraso, repletos de desculpas não convincentes, e milhões de usuários que vão continuar sendo humilhados pela falta de um digno transporte urbano na Região Metropolitana de São Paulo. 
 
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 
São Carlos
 
*
METRÔ HIGIENÓPOLIS-MACKENZIE
 
Moradores de Higienópolis tomaram conhecimento, com revolta, do novo adiamento da inauguração da estação do Metrô-Mackenzie, relegada para um futuro distante. Informam os estudantes do Mackenzie, principais prejudicados com o adiamento, “que o Metrô já está passando por baixo há muito tempo e o mais fácil, que é fazer a estação, eles não fazem!”. Saberão em quem votar nas próximas eleições.
 
Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br 
São Paulo
 
*
ALÉM DO RAZOÁVEL
 
A construção da Linha 4 do Metrô está demorando tanto que já mereceria a denominação de Linha Penélope, em homenagem à esposa de Ulisses, o herói grego. Ela teceu a sua teia indefinidamente à espera do marido. Reportagem realizada pela TV Globo esclarece, agora, o motivo de tanta demora de uma obra que foi iniciada em 2004, com conclusão prevista para 2009, com as suas 11 estações em pleno funcionamento. Atualmente, ainda faltam quatro estações. No canteiro de obras da futura Estação Oscar Freire, a reportagem constatou que os trabalhadores atualmente não fazem nada e estão há cinco meses sem ter o que fazer. Na futura Estação Higienópolis-Mackenzie, as obras começaram em 2012 e pararam no ano passado. Na Estação Morumbi, as detonações mal começaram e já pararam, e, na Vila Sônia, há apenas material estocado. Segundo o Metrô, se o ritmo das obras não for retomado até o fim de fevereiro, o contrato com o consórcio deve ser rompido. Já a versão do consórcio Isolux-Córsan-Corviam diz que os projetos que deveriam ser entregues por empresas contratadas pelo Metrô atrasaram, isso aumentou o prazo da obra em 50% e a estatal demora para aprovar serviços que não estavam no contrato inicial, o que o Metrô contesta, rebatendo que todos os projetos necessários foram entregues e que está aplicando as punições previstas em contrato. Com tais explicações, não dá para entender como o Metrô teria dado ordem de início das obras se existiam projetos para ainda serem entregues. Mesmo na hipótese de obstáculos imprevistos, não justificaria o atraso de tal magnitude no término das obras. Em aceitando-se um atraso de 50%, como alega o consórcio, o ramal por inteiro já deveria estar pronto no máximo até 2012. Também não há lógica em tanta demora para a Companhia do Metrô tomar as providências necessárias contra o consórcio, inclusive o cancelamento do contrato. Se as obras estão paralisadas há cinco meses, o prazo que agora foi dado ao consórcio para até o fim deste mês deveria ter ocorrido há cinco meses. Está mais do que na hora de o próprio governador vir a público esclarecer com transparência o imbróglio da construção da Linha Amarela, pois suas obras há muito tempo já ultrapassaram o limite do razoável.
 
Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo
 
*
LINHA AMARELA
 
Por que a Estação Fradique Coutinho, na qual não entra nem sai ninguém do trem, mesmo em horário de pico, já foi inaugurada e as Estações Morumbi e Vila Sônia, que terão um movimento enorme de pessoas, ainda nem têm previsão de inauguração? Não precisa explicar, eu só queria entender.
 
Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com 
São Paulo
 
*
E O TRANSPORTE DO ABC?
 
Na semana passada, na estação de Ribeirão Pires, uma composição de trem da CPTM pegou fogo. Demorou! O governo de São Paulo, por meio da CPTM, prejudica sistematicamente os trabalhadores usuários da linha turquesa (Rio Grande da Serra/Braz). Essa ferrovia, parte da antiga EFSJ, responsável pelo desenvolvimento do Estado desde as exportações do café até hoje, há décadas sobrevive no abandono, relegada a último plano pelo governo do Estado, que desrespeita o passado. Uma ingratidão e, mais do que isso, uma vergonha! No tempo da Santos a Jundiaí, viajávamos o percurso todo sem trocar de trem. Claro que a população era menor, mas a arrecadação também! Depois somente até Francisco Morato, mais tarde até a Luz e, agora, apenas até o Braz. Logo teremos de descer todos na Estação Tamanduateí. Perdemos o acesso direto a São Paulo. Pode ter havido progresso, sim, mas não para nós, do ABC, que nem de ônibus entramos mais na cidade. Progresso só existe sem perda de conforto e isso perdemos ainda mais com trens superlotados e novas baldeações. Nossas viagens de ida e volta à Luz são mais demoradas e cansativas. Os trens são velhos, mal conservados, com apenas 6 carros, 2 portas cada e em menor número que os modernos trens das linhas zona leste com 8 carros, trânsito livre de um carro para outro, com 4 portas facilitando embarque e desembarque. E não é só. A população da zona leste conta com a linha coral, expresso leste, linha safira, Metrô e, em breve, outra até Cidade Tiradentes. Nós, do ABC, não temos nada. Será que fomos esquecidos porque nunca incendiamos trens, não depredamos a ferrovia nem invadimos estações quebrando tudo? A verdade é que os governos eleitos ao longo destes 30 anos de “democracia”, mesmo vendo o crescimento da população, não investiram na mesma proporção em que crescia também a arrecadação com impostos. Como sempre, levam tudo com a barriga, enchem-se de privilégios, de assessores, sobem impostos, somem com o dinheiro, gastam em propaganda, dão desculpas esfarrapadas e só tomam providências de última hora. A atual crise no abastecimento da água é um exemplo. Acontece mais pela falta de projetos e de ação que pela ausência das chuvas. Com os níveis nas represas caindo a cada ano, o que fez o governo? Deixou a solução para São Pedro. Economizando, nós fizemos a nossa parte, São Pedro não e o governo, menos ainda. Mesmo assim, quer que paguemos multas. Pode?
 
Nilson Martins Altran nilson.altran@hotmail.com 
São Caetano do Sul

TODOS SALVOS
 
Finalmente, com a ajuda do Tribunal de Contas da União (TCU), salvaram Lula, Dilma Rousseff e a quadrilha toda a que se uniram para depenar a Petrobrás. Agora só ficou faltando prenderem os juízes Sérgio Moro e Joaquim Barbosa, para não os atrapalharem mais. Então a quadrilha petista, com seus companheiros, as empreiteiras, ficariam mais confortáveis para buscar outra estatal para depenar, se é que ainda existe alguma.
 
Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br
São Paulo
 
*
JUSTIÇA CEGA?
 
Enquanto assistimos ao arresto de absolutamente todos os bens pessoais da esposa, ex-esposa, filhos e do próprio Eike Batista, que nem condenado está dentro do processo que está sofrendo na Justiça, os políticos condenados do mensalão e os principais diretores estatutários no período do escândalo do petrolão, em que não há qualquer dúvida de conduta de violação de inúmeras leis, não só não têm seus bens arrestados ou bloqueados, como também têm as decisões de venda de seus bens pessoais como parte da execução de suas penas revertidas. Justiça cega? Não sei. Mas certamente tem dois pesos e duas medidas.
 
Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com
Santana de Parnaíba
 
*
A MASSA DA PIZZA
 
Embora incomparavelmente prejudicial ao erário, o petrolão, em grandeza muito superior aos desfalques de nossas finanças em relação ao mensalão, a massa desta pizza está no preparo: julgamento dos políticos por turmas do Supremo Tribunal Federal (STF), e não transmitidas pela televisão ao povo; composição diversa do STF; e ajustamentos firmados com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Os executivos da Camargo Correia preferem não se beneficiar de delação premiada, em processo que poderia resultar em anos de reclusão. E, se a PEC da bengala for rejeitada, a pizza será daquelas especiais, de sabores agradabilíssimos. 
 
Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br
São Paulo
 
*
GRAÇA FOSTER DE FORA?
 
Qual o grau de responsabilidade de Graça Foster na contratação de um navio norueguês, cheio de gambiarras, fora dos padrões internacionais de conduta comercial, ajudando a levar Petrobrás mais ainda para o fundo do poço? Não seria ela a responsável por ter tido tantas funções de chefia na empresa, ter colocado em prática este “modus operandi” nefasto, sujo e causador de tantos prejuízos? Acho engraçado ela estar fora de tudo, ter transferido riqueza para seus filhos e nada lhe acontecer. Estranho.
 
Julio José de Melo julinho1952@hotmail.com
Sete Lagoas (MG)
 
*
PROMISCUIDADE
 
O juiz Sérgio Moro, à frente da Operação Lava Jato, ratificou a afirmação de seu colega ex-presidente do STF Joaquim Barbosa, que criticou o contato do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com os advogados dos empresários envolvidos na corrupção da Petrobrás. A promiscuidade que fatalmente ocorre nestes encontros é tão óbvia, clara e patente quanto ver uma mãe proteger seu filho contra um agressor. Será possível que a presidente Dilma não percebe que manter um ministro da Justiça que se expõe publicamente em contato com advogados de suspeitos desgasta e aumenta o descrédito em seu colossal quadro de ministros? Será que a presidente não se interessa por cuidar da inflação, da produção, do desmatamento da Amazônia, da saúde em frangalhos, da educação, das fronteiras desguarnecidas, da segurança pública, enfim, de governar o País com vistas à harmonia da sociedade, da economia, da produção, e deixa a Justiça trabalhar em paz para extirpar o câncer da corrupção que destrói o futuro das novas gerações?
 
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro
 
*
O ÓBVIO
 
É de uma obviedade impressionante, espantosa, que beira o ridículo, Dilma Rousseff afirmar que quem pratica a corrupção na Petrobrás são seus funcionários, e não a empresa. Parece lógico, claro e evidente que a Petrobrás não pode se materializar em ser vivo e promover picaretagens. Quem as pratica são alguns de seus diretores e gerentes, normalmente escolhidos por governos coniventes com as bandalheiras.
 
Leão Machado Neto lneto@uol.com.br
São Paulo
 
*
AJUDA POLÍTICA
 
Sobre a solicitação da “ajuda política” pleiteada pelas empreiteiras junto ao ex-presidente Lula, tenho a seguinte dúvida: afinal, qual é o papel do “ex-presidente” no cenário político atual? Seria o papel de “lobista”? Seria o papel de “eminência parda”? Ou seria o papel de “presidente de fato” deste desgoverno?
 
Ariovaldo Marques arimarques.sp@gmail.com
São Paulo
 
*
LULA
 
Já não aguento mais ver a cara do ex-presidente nos jornais e nas revistas do País. Afinal, quem é o presidente do Brasil, Lula ou Dilma? Ele se coloca como se fosse o salvador da Pátria e as empreiteiras da Lava Jato o procuram para tirá-las do fundo do poço. Quero saber aonde vai dar isso, pois, pelo andar da carruagem, a cada dia a linha fica mais embaraçada e difícil de chagar ao “fim” da meada. 
 
Orélio Andreazzi orelio@andreazzi.com.br
Suzano
 
*
MÚLTIPLA ESCOLHA
 
Teste de múltipla escolha, para todos: 
1) O ministro Cardozo recebeu os advogados por ordem de:
a. Lula;
b. José Dirceu;
c. Dilma;
d. Todos os anteriores.
2) O dinheiro na Suíça preocupa demais:
a. Lula;
b. José Dirceu;
c. Dilma;
d. Todos os anteriores.
Quem errar não ganha um pirulito sabor pizza.
 
André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com
São Paulo
 
*
OS VAZAMENTOS NO ‘PETROLÃO’
 
Há poucos dias, uma advogada escreveu neste jornal seu protesto, de forma bastante dura, contra os vazamentos de informações da Operação Lava Jato, numa situação que não respeita os diretos legais de cada um deles que têm nomes revelados e acusações às quais respondem. Como ela diz, se o caso corre em segredo de Justiça, nada pode vazar – e eu assinaria até as vírgulas e pontos embaixo de seu texto, não fosse um detalhe: aqui não é país de Primeiro Mundo e, se não ocorrem os vazamentos, como aconteceu neste processo “petrolão”, com envolvimento de empresários donos de grandes empresas, corre-se o risco de chegar ao fim sem nenhum deles pagando pelos seus crimes. O vazamento, aqui, é um recurso que abre a nós todos acompanharmos o processo e cobrarmos a quem de direito a aplicação de penas, como ocorreu no julgamento do “mensalão”, que, não fosse transmitido via TV, duvido que alguns dos nomes envolvidos no processo teria ido para a cadeia.
 
Laércio Zanini spettro17@hotmail.com
Garça
 
*
PRÓXIMO MINISTRO DO STF
 
O juiz Sérgio Moro seria muito, mas muito melhor no Supremo do que o atual ministro da Justiça. Mas, neste desgoverno de mensalão e petrolão, sua chance, infelizmente, é zero.
 
F. G. Salgado Cesar fgscesar@hotmail.com
Guarujá 
 
*
MARIDO TRAÍDO
 
Não foi por falta de alerta: a revista “Veja” e o jornal “O Estado de S. Paulo” há anos têm nos alertado de que chegaríamos a isso que está aí. Como pudemos deixá-los agir impunemente por todos estes anos? Esses governantes, democraticamente eleitos, há anos perpetuam a roubalheira generalizada. Nós, que não votamos neles, ao menos poderíamos ter alertado os que o fizeram – pela terceira vez. É culpa da herança cartorialista portuguesa – dos poucos 25 anos de democracia plena –, da indústria da seca, da miséria e da ignorância. Nada fizemos, principalmente para dizer a estes políticos, empresários e funcionários corruptos que se governa para a Nação, e não para um partido, uma ideologia. Muitos escândalos e incompetência gerencial ainda estão por vir, jogando no ralo todo o esforço de gerações passadas que lutaram por um país melhor para seus filhos – nós, os brasileiros de hoje. Somos, portanto, culpados – os maridos traídos, ou, como se diz popularmente, os ...
 
Julio Cesar Simonetti jsimonetti@tjsp.jus.br
Jundiaí 
 
*
PRIORIDADE
 
O governo federal elegeu a sua prioridade: ontem, o mensalão e verbas dos médicos cubanos; hoje, o petrolão; e sempre, a corrupção.
 
Newton A. Prado newtonaprado@gmail.com
Americana
 
*
QUE PAÍS É ESTE?
 
O que fizeram com o Brasil? No exterior, com o petrolão (esquema de corrupção que está sendo investigado pela Operação Lava Jato), ganhamos notoriedade. Ficamos conhecidos como um dos países mais corruptos que existem e que aceita dinheiro banhado de sangue para fazer o seu carnaval. Aqui dentro, e disso o mundo não sabe, viramos escravos para, com nossos impostos, manter toda uma corte intocável e indiferente ao sofrimento de cada um de nós, brasileiros. Só uma palavra define o sentimento em relação a este partido que não quer largar o poder, nem que precise fazer “o diabo”: asco.
 
Glória Anaruma glória.anaruma@gmail.com
Jundiaí 
 
*
REVISÃO DO CÓDIGO PENAL
 
Aquele que está lendo isso sabe que ele pode ser a próxima vítima a qualquer momento dos bandidos que estão soltos por toda parte de norte a sul do Brasil – segundo estatísticas, 70% destes são reincidentes com ficha na polícia. Isso porque o nosso ultrapassado Código Penal, elaborado nos idos de 1940, ainda está em vigor, bem como as leis de execuções penais, que estão muito mais preocupadas com garantir os direitos humanos desses celerados do que da grande maioria da população, ordeira e trabalhadora. Este descalabro se deve tão exclusivamente ao nosso Poder Legislativo, que é também conivente com o crime, foi que elaborou essas leis que incentivam o crime, e não está nem um pouco preocupado com a segurança da população. A Polícia prende, cumpre seu dever, mas a Justiça solta porque tem de obedecer às leis elaboradas pelos nossos parlamentares. Atualmente, o Parlamento está finalmente revendo o velho Código Penal e, consequentemente, as leis de execuções penais. A população insegura espera que essa revisão seja feita em seu favor, e não em favor da criminalidade.
 
José Carlos de Castro Rios jc.rios@globo.com
São Paulo
 
*
CAÇA AOS CORRUPTOS
 
Ministério Público Estadual (MPE) ajudará a Prefeitura de São Paulo a pegar “pequenos corruptos”, atos cometidos por servidores públicos e em autarquias municipais. Não haverá no País cadeias suficientes para prendê-los, né não?
 
Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br
São Paulo
 
*
GESTÃO HADDAD
 
Em entrevista à rádio “Estadão”, o prefeito Fernando Haddad chamou de sórdidas as críticas à sua gestão, reiterando, entre outras coisas, que suas intermináveis ciclovias são importante e moderna obra de mobilidade, comparável à de outras grandes capitais. O prefeito parece não entender, ou faz de conta que não entende, que as críticas não se referem à procedência do projeto, mas à forma atabalhoada como ele foi e está sendo implantado, sem planejamento adequado (em alguns locais sem planejamento algum), atrapalhando o já caótico trânsito da cidade, a um absurdo custo de R$ 650 mil o km! Será que ele está preocupado com os motivos do seu altíssimo índice de rejeição? Parece que não.
 
Luciano Harary lharary@hotmail.com
São Paulo

*
CICLOVIA EXCLUSIVA
 
Morador do Butantã, passo frequentemente pelo trecho da Avenida Corifeu de Azevedo Marques onde foi feita uma ciclofaixa. As duas únicas ocasiões em que vi pessoas pedalando na mesma foram em dois domingos, e, por incrível que pareça, tratavam-se dos dois mesmos cidadãos. Essas pessoas devem estar muito orgulhosas, pois sentem que a ciclofaixa foi feita só para eles. Desafio a Prefeitura a colocar um funcionário munido de câmara fotográfica no local para verificar quantos munícipes estão se beneficiando desse estorvo.
 
Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 
São Paulo
 
*
CONTRASSENSO
 
Uma das primeiras ciclovias pintadas em São Paulo é a que contorna parte do autódromo de Interlagos. Funcionaria aos domingos, se tivesse frequentadores. Mas não tem ninguém lá, a não ser carros e funcionários da CET, desperdiçando o dinheiro do paulistano. Na região, muito abandonada, nunca se veem esses servidores, a não ser aos domingos, tomando conta das faixas pintadas no solo. Para contrabalançar os gastos inúteis, a prefeitura não abastece a Unidade de Saúde do Jardim Icaraí com medicamentos de urologia (a única da região). É contrassenso evidente.
 
Ademir Valezi adevale@gmail.com
São Paulo 
 
*
SÃO PAULO NÃO É PARA TESTES
 
Alguém poderia avisar o prefeito Haddad de que na cidade de São Paulo vivem trabalhadores, empresários e estudantes, além das cobaias?
 
Luiz Frid luiz.frid@globomail.com
São Paulo
 
*
DE OLHO NO INVERNO
 
E, enquanto isso, na capital das ciclovias, não estranhem se o prefeito, em mais um de seus brilhantes repentes e preocupado com o rigoroso inverno que se avizinha, pleitear a construção de pistas de esqui.
 
Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br
São Paulo
 
*
TRAVESSIA DIFÍCIL
 
Moro há bastante tempo na Avenida Alcântara Machado e tenho notado o quanto o pedestre é desrespeitado em todas as travessias no local: cinco minutos para a passagem dos veículos e somente 30 segundos para os pedestres atravessarem as quatro pistas. Um absurdo. Para as pessoas jovens e bem fisicamente já é pouco, imagine para pessoas com deficiência física, idosos, mulheres grávidas ou com criança de colo.
 
Agostinho Locci legustan@gmail.com
São Paulo
 
*
QUESTÕES INTERNAS
 
A presidente Dilma Rousseff resolveu não aceitar temporariamente as credenciais do embaixador da Indonésia, Toto Ryanto, confirmando a existência da sombra nas relações entre os dois países que o nosso mago da diplomacia, Marco Aurélio Garcia, havia antecipado, por ocasião da recusa de reconsiderar, a pedido do governo brasileiro, numa clara tentativa de interferência nas leis de um país soberano, a pena de morte imposta pela sua justiça ao traficante Marco Archer, flagrado tentando lá entrar com 14.5 kg de cocaína, quantidade suficiente para degradar a vida de uma boa quantidade de usuários viciados e introduzir outros no jugo das drogas. À mesma cerimônia na qual o embaixador indonésio teve seu comparecimento vetado, um dia após o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ter determinado, sem julgamento, a prisão do líder oposicionista Antonio Ledezma, prefeito da área metropolitana de Caracas, também se apresentou com as respectivas credenciais, que foram aceitas, a embaixadora da Venezuela, Maria Lurdes Urbaneja Durant. Questionada se a atitude unilateral, arbitrária e antidemocrática do sr. Maduro não estaria causando constrangimento, a nossa presidente afirmou que a aceitação de um embaixador não pode, é evidente, ser influenciada por questões internas do país que representa. Ora, partindo do princípio válido de que as resoluções da Justiça da Indonésia fazem parte do arcabouço de suas questões institucionais internas, conclui-se, seguindo seu raciocínio, ser inconsistente o adiamento do recebimento das credenciais de embaixador daquele governo. 
Mais uma vez nosso país dá demonstração de sua baixa estatura diplomática, ao lidar com situações análogas usando interpretações opostas mas convenientes à condução de sua equivocada política externa. 
 
Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro
 
*
FELIZ 2016!
 
O mercado projeta um cenário de nuvens carregadas para 2015: queda de 0,42% do produto interno bruto (PIB), acompanhada do desempenho negativo de 0,43% da indústria, desaceleração do setor de serviços, juros em alta, contínua desvalorização do real, inflação de 7,27%, muito acima do teto da meta, e correção dos preços administrados em mais de 10%. Se já não fosse o bastante, ainda tem-se pela frente a crise hídrica e o racionamento de energia elétrica. Em meio a tudo isso, a desvalorização das commodities no mercado internacional e o escândalo do petrolão. Para piorar o quadro, uma presidente totalmente despreparada para a função, o PT dividido e o Parlamento medindo forças com o Executivo. Haja estômago e paciência. Feliz 2016, Brasil!
 
J. S. Decol decoljs@globo.com
São Paulo
 
*
JUROS DE 13,24% AO MÊS
 
Recebi extrato de um dos maiores bancos no Brasil informando que os juros cobrados, por eventual utilização de cheque especial, serão de 13,24% ao mês. Isso posto, caso utilize R$ 100,00 por um ano, pagarei R$ 444,63 ao final do período. Pode? Isso é roubo! Ninguém toma providência para consertar este abuso? Já que o Poder Legislativo não tem capacidade para mudar essa situação, agora estão preocupados com os “casais gays” e o dia do “orgulho hétero”.
 
José Carlos Alves jcalves@jcalves.net
São Paulo
 
*
INFLAÇÃO
 
O meio mais eficiente para multiplicar os miseráveis é o aumento da inflação. Isso se dá quando o governo gasta muito e gasta mal. E, para reduzir a pobreza, o governo começa a dar subsídios e presentes. Ocorre que essa bondade do governo não resolve o problema das pessoas. Com a inflação sem controle, o resultado é o descontrole da economia. A alta do dólar atinge diretamente o bolso dos consumidores. Quem não ganha não consome, a cesta básica aumenta, os empregos minguam, o consumo cai e o próximo passo é a recessão. E aí não há discurso que se sustente. O Brasil está longe de ser um país rico e, portanto, sem miséria. A corrupção e a má gestão do governo do PT acabaram com o País. 
 
Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com
São Paulo
 
*
SOCIEDADE ANÔNIMA
 
Brasil S/A, uma sociedade que se afunda nas “bolsas” e nos “bolsos”.
 
Carlos D. N. da Gama Neto delphim@ibl.com.br
Santos
 
*
EMPRÉSTIMO CONSIGNADO
 
Tenho 70 anos e estou sendo impedido de renovar um empréstimo consignado por causa de uma dívida de IPVA de um carro adquirido através de um leasing com o Banco Itaú. O Banco Itaú, que assumiu totalmente a carteira de empréstimos consignados do Banco BMG, no qual já faço empréstimos há mais de dez anos e onde nunca tive problemas. Agora, com o Itaú, estou sendo discriminado e sem condições de poder saldar qualquer compromisso pela simples ligação pelo Itaú entre o IPVA e o empréstimo consignado. Gostaria de saber o que tem uma coisa com a outra. Nem o Serasa ou o SPC ou qualquer outro órgão interferem no consignado. Com a palavra, o governo, o INSS, etc.
 
Vasile Yachimciuc vasile@estadao.com.br
São Paulo
 
*
MUNDO CÃO
 
Qualquer cidadão precisa trabalhar 30 ou 35 anos para se aposentar. Já 242 deputados e senadores conseguiram pensão especial com apenas oito anos de contribuição, e o montante que cada um recebe seria suficiente para pagar quase 40 milhões de aposentados do INSS. Brasil, um país de todos.
 
Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com
Jandaia do Sul (PR)
 
*
MINHA IDADE
 
Estou me perguntando e perguntando a quem sabe por que na procura de um trabalho a idade avançada represente quase sempre um obstáculo para a contratação de um candidato. Os meus mais de 40 anos de trabalho, vividos entre as problemáticas da gestão e a reestruturação de empresas em dificuldade, foram se somando, contribuindo para a formação de uma visão abrangente das problemáticas empresariais, tornando fácil a adoção de medidas coerentes e integradas para a solução dos problemas. A formação e o conhecimento do planejamento industrial andaram se alinhando com as exigências econômicas e financeiras, gerando uma visão global da estrutura empresarial, identificando os fatores de influência no resultado e solucionando os problemas. Questões que por muito tempo constituíam incógnitas e me pareciam difíceis de solucionar se tornaram lógicas e intuitivas. Nas empresas onde trabalhei, alcancei sempre os objetivos estabelecidos, entretanto, quando confesso meus quase 83 anos, parece que os conhecimentos assimilados e os resultados obtidos signifiquem muito pouco, ou nada. Os romanos diziam “procura saber e será livre” (fac sápias et liber eris). Por enquanto , estou livre somente para sonhar.
 
Francesco Magrini framagr@ig.com.br
Cachoeira Paulista
 
*
PRONATEC
 
Governo repassa somente 39,2% da verba que deveria ser confirmada ao Pronatec , bem como deixa de repassar mais de R$ 17 bilhões a quatro entidades governamentais incluídas no Orçamento da União para 2014. Ou seja , o PAC realmente está "emPACado" , como disse com muita propriedade José Neumane , em sua coluna no Estadão de 11/2. Mesmo assim a enorme cifra da Propina gerada pela corrupção na PeTrobrás não deixou de correr solta , conforme disse o Juiz Federal Sergio Moro , na condução da Operação Lava Jato . Ou , realmente , este governo é incompetente demais , ou as coisas andaram e ainda andam muito frouxas na administração daquela que já foi o nosso maior orgulho !!!
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com
Taubaté 
 
*
HOJE COMEÇA O ANO
 
Apesar de já termos festejado o ano novo pelo calendário gregoriano, pelo calendário brasiliano o ano está por começar. Desta vez será em 23 de fevereiro, quando se espera que tudo volte a funcionar como necessário. Que possamos ter um ano repleto de alegrias, muita saúde e, em especial, que a justiça seja feita, dentro do espírito democrático, e o País possa livrar-se da corja que o assalta a cada momento e que possamos passar a pagar o preço justo por tudo o que se compra, inclusive que deixemos de sustentar esta máquina enferrujada, dispendiosa e corrupta.
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.