Fórum dos Leitores

CAOS EM SÃO PAULO

O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2015 | 02h09

O PT no poder

Caos total! Assim foi o retorno para casa a partir das 18h30 de anteontem. Grandes avenidas com todos os semáforos apagados, árvores caídas, alagamentos, centenas de quilômetros de congestionamentos... Na busca por deixar sua marca na administração da cidade, o prefeito Fernando Haddad gasta dinheiro público na tinta vermelha das ciclovias/ciclofaixas, na destruição de pistas de ônibus operantes para construir outras que justifiquem alterações na Lei de Zoneamento. Enfim, o sonho de voos mais altos justifica o abandono de serviços básicos, que não aparecem para a plebe ignara, mas são essenciais, como manutenção dos semáforos, poda e controle das árvores, desentupimento de bueiros. É o estilo PT numa de suas melhores formas. Fica aqui uma sugestão: que se permita o tráfego de veículos nas ciclovias durante chuvas torrenciais.

MEIER STRENGEROWSKI

mauro@opeco.com.br

São Paulo

De fato, o caos instalou-se na cidade na tarde de quarta-feira. Já houve chuva e vento mais fortes, mas jamais houve tanto alagamento por bueiros sujos e tanta queda de árvores por falta de manutenção. Com relação a estas, importa também as que ficam: estão podres, ocas e, agora, ensopadas de água pela própria chuva e pelo alagamento das raízes. Sim, elas vão cair mais dia, menos dia. Salve-se quem puder.

MARCIA MEIRELLES

marciambm@yahoo.com.br

São Paulo

A Prefeitura instalou no Largo da Batata, em Pinheiros, um "mobiliário ecológico", uma primeira peça do programa municipal que prevê a instalação de bancos produzidos com resíduos de árvores (leia-se árvores que caíram nas últimas semanas) em espaços públicos da cidade. Ficou bonito, e ficaria ainda mais se colocassem duas cruzes no local, em homenagem aos dois cidadãos que já morreram vítimas de árvores que caíram por falta de manutenção, poda e corte.

CYRO QUEIROZ FIUZA

cyrofiuza@uol.com.br

São Paulo

MORDOMIAS E PRIVILÉGIOS

A farra do boi gordo

A Câmara dos Deputados aprovou verba extra para as passagens dos cônjuges dos que só pensam neles mesmos. Dinheiro para essas e outras o governo tem, porém para pagar as perdas dos aposentados, do FGTS, que estão esperando a aprovação de seus recursos, a ladainha é que o governo não tem dinheiro para isso. Pobre povo brasileiro!

TANAY JIM BACELLAR

tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

Esfolando o povão

Ajuste fiscal na Câmara dos Deputados, nem pensar. Ajuste é para o povo. Não basta ser privilegiado, tem de esfolar! Começou bem Eduardo Cunha...

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

O público e o privado

A separação entre o público e o privado está cada vez mais aviltada pelos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Seus membros se julgam donos absolutos dos cargos, que devem atender exclusivamente a seus interesses particulares. Os políticos não se candidatam para servir ao povo, mas para se servirem dele e construírem um projeto de vida pessoal de altíssimo nível. E o povo que se dane, cada um se vire como puder.

REGINA ULHÔA CINTRA

reginaulhoa13@outlook.com

São Paulo

A corte baila, debocha

A corte vive o alumbramento da farra com dinheiro do povo. Que outro nome dar ao que se lê, vê e aturde? Brasília diverte-se, provoca, debocha. Não faz mês que juízes, desembargadores e ministros do Judiciário foram socorridos com o auxílio-moradia. Agora, supostamente moralizador dos costumes e restaurador da independência do Legislativo, o novo presidente da Câmara de uma só porretada aumentou as verbas de gabinete, a remuneração de assessores, o auxílio-moradia dos pares que não ocupam apartamentos funcionais, além da bolsa-avião para mulheres ou maridos de parlamentares. E para o povo? O farelo, o pacote de ajuste fiscal - ou de maldades - do ministro da Fazenda. Ao povo resta pagar com suor e desassossego a incompetência do governo Dilma Rousseff, que arruinou a economia e pôs o Brasil, com a Petrobrás, na vitrine mundial da corrupção depravada.

JOSÉ MARIA LEAL PAES

josemarialealpaes@gmail.com

Belém

LULOPETISMO

O golpe do ex

É fácil perceber os objetivos de Lula ao ameaçar convocar o exército de Stédile para defender o governo. Mas, a meu ver, o mais importante deles é inibir os protestos nacionais convocados para 15 de março, pois o resto se resolve na conversa em felpudos tapetes. Foi assim, "na porrada", que em meados do ano passado, após aquele milhão de pessoas ir às ruas, os cidadãos comuns se recolheram à segurança - aparente - do silêncio. Mas não encontro explicações para duas questões. Uma é por que a ABI, casa da liberdade de imprensa, aceitou ser o palco do insólito discurso de Lula. A outra: embora haja muitas críticas, ninguém se dedicou a analisar a fala do ex-presidente à luz do Código Penal Brasileiro. Penso que Lula, agora sem foro privilegiado, cometeu crimes ali capitulados.

ROBERTO MACIEL

rvms@oi.com.br

Salvador

Ao citar o exército de Stédile, Lula poderá ser processado por ato contra a ordem política e social, Lei n.º 1.802, de 5/1/1953, artigo 2.º, IV. Fim!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Extrapolou

Lula, tenha dó do povo brasileiro. Chega. Já falou demais. Por que não te calas?

ROBERTO CURSINO BENITEZ

benitez.gimenez@hotmail.com

São José dos Campos

Lula é um Maduro mal-acabado.

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

DIPLOMACIA

Contestação

Lamento a publicação do texto Aqui nas nossas barbas (25/2, A7), tanto por referir-se a conversa que jamais ocorreu como por adotar tom altamente desrespeitoso em relação a um diplomata que sempre tratou a imprensa com respeito.

ANTONIO DE AGUIAR PATRIOTA, embaixador, representante permanente junto à ONU

pr.delbrasonu@itamaraty.gov.br

Nova York (EUA)

A GREVE DOS CAMINHONEIROS

O ministro Miguel Rossetto, após 12 dias da greve dos caminhoneiros, com sérias consequências para o Brasil, percebeu que seria importante dar uma entrevista sobre o assunto. Perguntado por que não tinha recebido representantes da categoria anteriormente, disse que não falaria sobre esse tema. Como essa pergunta não é um tema, o repórter insistiu e ele disse que falaria sobre esse assunto. Alguém precisa dizer a esse ministro que a pergunta não é tema nem assunto, e, sim, um fato. Na verdade, arranjou um jeito capenga de fugir da pergunta que era super pertinente. Mais que acuado, encerrou abruptamente a entrevista dizendo que precisava trabalhar. Ora, senhor ministro, há trabalho mais importante que resolver esta greve que está trazendo gravíssimas consequência para o País?

Geraldo Siffert Junior siffert18140@uol.com.br   
Rio de Janeiro

*
DOIS PESOS

Para black blocs e outros bandoleiros que destroem patrimônio público e até matam, tratamento vip. Para os coitados dos caminhoneiros que trabalham honestamente, ameaças e multas. Tem alguma coisa de muito errado nisso tudo. Que país é este?

Tânia Pinotti tkita@uol.com.br  
Pompéia

*
DIREITOS

Os caminhoneiros em greve em vários Estados brasileiros bloqueiam as principais estradas do País reivindicando menor preço do combustível e aumento na remuneração dos seus serviços. Até aí, tudo bem, pois a greve é um direito, mas há direitos outros como o direito constitucional do cidadão de ir e vir, e, dada a sua essencialidade, prevalece quando em confronto com o interesse de uma minoria, no caso, os caminhoneiros. Está aí o que os juristas denominam “segurança jurídica” e que deve ser considerada pela Advocacia-Geral da União, quando milhares de trabalhadores têm a sua locomoção prejudicada, bem como a redução da produção industrial em razão da falta de matéria-prima e de componentes retidos nos bloqueios.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com  
Campinas 

*
FINAME PRÓ-CAMINHONEIRO

Aproveitando o imbróglio do momento, que é a greve dos caminhoneiros – muito mal executada e simplista em suas exigências –, com um pouco de conhecimento na área de vendas e financiamento de caminhões, via Finame pró-caminhoneiro, bandeira populista e demagógica do ex-presidente Lula, os inocentes autônomos, ao solicitarem essa linha de crédito, dificilmente passavam pelo crivo dos gerentes dos bancos e financeiras. Suas propostas, pelas fragilidades cadastrais, simplesmente eram engavetadas e, quando cobradas pelos pobres autônomos, a cantilena era sempre a mesma: ainda está em estudo pelo BNDES. Pouquíssimos autônomos conseguiram tal proeza do Finame pró-caminhoneiro. Quanto ao frete baixo, enquanto algumas empresas estiverem amarradas a agenciadores de cargas (não têm um único mísero caminhão), os valores reais do frete são repassados em valores humilhantes a quem realmente presta os serviços. As grandes empresas transportadoras, mesmo sendo sangradas pelo alto valor dos tributos, pedágios, pessoal, combustíveis e canetadas de juízes trabalhistas, não conseguem readequações periódicas nos contratos do serviço – ao contrário, são sempre chantageadas com valores menores, devido ao famoso “tem quem faz por menos”. O caminhoneiro autônomo verdadeiro, se quiser chegar a um denominador comum em se tratando de valores do frete justo, tem de se unir em cooperativas e disputar os melhores fretes em licitações com as grandes transportadoras. Do contrário, estará fadado a sumir de nossas estradas. O resto é balela.           

Aloisio A. de Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br  
Limeira

*
À NOSSA CUSTA

Os caminhoneiros estão certos: têm de reclamar e se manifestar. Enquanto o petróleo caiu mais de 50% no mercado internacional, aqui os preços dos combustíveis subiram muito. Os petistas de Brasília estão querendo tirar a Petrobrás do atoleiro em que a puseram, mais uma vez, à custa dos contribuintes e proprietários de veículos. E ainda tem o aumento dos pedágios. O mercado já sente a falta de produtos alimentícios e outros itens. Êta governo louro.

Mário A. Dente dente28@gmail.com 
São Paulo

*
VENENO

O governo petralha irresponsavelmente ferrou com a economia do País e jogou o esforço de todo o povo brasileiro na lata do lixo em 12 anos. Os vermelhos pensam que o dinheiro cai do céu e suas medidas são de inconsequentes interferências na economia. Agora estão experimentando o veneno que sempre injetaram nos diversos segmentos quando eram oposição, por meio do sindicalismo por pura demagogia, pois só interessava sair bem na foto em busca do poder a qualquer preço e sem compromisso verdadeiro com nosso Brasil.
 
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com  
São Paulo

*
CAMINHO ERRADO

A greve dos caminhoneiros mostra que o Brasil lulopetista está no caminho errado.
 
A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
DILMA E OS CAMINHONEIROS

Muito me intriga a velocidade do governo em acabar com movimentos que não lhe são favoráveis, como esta greve dos caminhoneiros. Todo mundo está vendo que eles estão reivindicando nada mais que sua sobrevivência. Não vemos a mesma velocidade das nossas autoridades em aplicar a lei quando os infratores são invasores de terrenos, propriedades rurais, reivindicações sindicais com obstruções de ruas causando tanto ou mais transtornos do que esta greve atual. Não adianta a presidente candidamente dizer que o óleo diesel não subiu e o que aumentou foi a Cide. Infelizmente, o motorista não pode chegar ao posto de combustível e pedir para encher o tanque com óleo sem a Cide, PIS, Cofins, etc. Leis temos em excesso no Brasil, o que falta é aplicá-las com o mesmo peso nas  situações iguais.

Olavo Bruschini o.bruschini@terra.com.br  
Monte Azul Paulista 

*
CAMINHOEIROS & JUSTIÇA
 
Só o MST pode paralisar ruas, avenidas, rodovias, promover quebra-quebras, invadir propriedades, etc. Enfim, este é o país em que os magistrados permitem que aconteçam tais absurdos sem que os baderneiros sejam importunados pela Justiça. Enquanto isso, os trabalhadores que levam grande parte da economia nacional, são intimados a recuar em seus propósitos justificáveis por medida esdrúxula da Justiça em não respeitar seus direitos. Brasil, ops, “brasiu” mostrando sua cara.
 
Eugenio de Araujo Silva eugenio-araujo@uol.com.br  
Canela (RS)

*
NÃO ÉRAMOS AUTOSSUFICIENTES?

Ao rever meus arquivos do “Estadão”, na edição de 21 de abril de 2006 (Lula inaugura plataforma que deixa Brasil autossuficiente), o então onipotente deus bolivariano Luiz Inácio Lula da Silva vociferava em alto e bom som que, com a inauguração da plataforma P-50 em Campos dos Goytacazes, o Brasil seria autossuficiente em petróleo. Pois bem. Hoje, nove anos depois, a cria da divindade cuinca em baixo som que o Brasil não consegue baixar o preço do diesel para salvar os caminhoneiros. Logo, está comprovado que a escola “Goebbels” petista teve o seu pontapé inicial bem lá atrás. Só não viu quem não quis. 

Ataliba Monteiro de Moraes Filho ataliba@outlook.com  
Araçatuba

*
A PETROBRÁS REBAIXADA

A sra. presidente Dilma Rousseff declarou, após entrega de casas populares, que a agência de avaliação de riscos Moody’s rebaixou a nota da Petrobrás porque desconhece a atual situação da empresa. Não, sra. presidente, a Moody’s rebaixou a nota por causa do seu profundo conhecimento da real situação calamitosa em que a senhora e seu partido deixaram a Petrobrás. Basta de mentiras! O País e o povo brasileiro não suportam mais tantas mentiras e falsas verdades do governo e do PT. Se o Brasil fosse uma empresa, a senhora, como gestora, já teria sido sumariamente demitida.

Carlos R. Barreto Barsotti cbarsotti1@hotmail.com 
São Paulo

*
DESCONHECIMENTO DE QUEM?

A quem realmente falta conhecimento? A Moody’s, empresa respeitada internacionalmente em sua especialidade, ou a presidente que em quatro anos, com uma “escorregadinha”,  conseguiu desequilibrar  seriamente  a economia brasileira?

Odilon Otávio dos Santos
Marília

*
SABE DE NADA

Muito atrevimento desta Moody’s vir meter o bedelho em terra onde ninguém sabe (ou sabia) de nada. Recebeu a comenda local: “Não sabe de nada”.

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br 
Pirassununga

*
O INFERNO SÃO OS OUTROS

Ação da Petrobrás despenca e Dilma culpa a agência Moody’s. É isto, quanto mais Lula defende a Petrobrás, mais ela perde valor. Dilma, não se esqueça de que o culpado de tudo é sempre FHC!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br 
São Paulo

*
NA CONTA DE FHC

Já que o governo brasileiro não vai conseguir demitir o funcionário da Moody’s, então será mais uma herança maldita de FHC.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br  
São Paulo

*
DELÍRIO

O delírio lulopetista alienado da realidade superou-se na justificativa do líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), aquele do cuecão, a justificar o rebaixamento pela agência Moody’s da nota de avaliação da Petrobrás diante da corrupção: “Já esperava pelo rebaixamento em virtude do cenário que tomou conta da estatal”. Para o líder, o que está em jogo não é o combate à corrupção, mas o projeto da oposição de mudar o modelo de partilha do pré-sal e entregá-lo às grandes petrolíferas estrangeiras. O desvairo do exaltado parlamentar deixou de indicar quais petrolíferas. Quem sabe, entre elas, a venezuelana PDVSA, que vai indo pelo mesmo caminho da nossa petroleira.
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br 
São Paulo

*
CARTA DE CONFORTO

Por mais respeito que tenha pelo ministro Joaquim Levy, ele deveria saber que, para bons financistas, incluindo os analistas das agências de avaliação de risco de crédito, cartas de conforto não são garantias legalmente exigíveis em nenhum lugar do mundo, e, em se tratando de uma administração sem nenhuma credibilidade, trata-se de um documento sem qualquer valor (nem moral). Ainda que a presidente Dilma ache que a Moody’s não entenda nada de Petrobrás (mesmo que a própria Dilma legalmente venha alegando que não sabe de nada do que acontece com a companhia), o quadro é complexo. Se a intenção é real e verdadeira no sentido de garantir as dívidas da Petrobrás, o governo federal não poderia formalmente garantir somente os credores financeiros. Todas as dívidas da companhia, inclusive as comerciais, deveriam ser garantidas. Isso provocaria uma avalanche de demandas financeiras contra a Petrobrás, já que não só é amplamente sabido que a companhia não vem honrando regularmente seus compromissos financeiros com seus fornecedores, como também, estando a poucos dias de entrar em default técnico em provavelmente toda dívida financeira emitida nos mercados públicos, e como esses títulos estão sendo negociados a um forte desconto, haveria uma corrida para a boca do caixa da Petrobrás pelos detentores de títulos de dívida da companhia. Portanto, no cenário de uma garantia formal do governo federal, o Tesouro precisaria fortemente capitalizar a Petrobrás. Isso significaria uma efetiva reestatização da Petrobrás, que seria, no meu julgamento, pessimamente recebida pelo mercado acionário. Ou seja, ainda que a tal da carta de conforto fosse provavelmente a proposta mais responsável que o governo federal poderia fazer no momento, a mesma só serviria como papel de parede (ou papel higiênico). 

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com 
Santana de Parnaíba

*
SÓ COM O IMPEACHMENT

Por que será que, mesmo sendo avisada de que a nota seria rebaixada no fim do dia, as ações da Petrobrás subiram mais de 4% e o Ibovespa fechou em alta de 1,16%? Será que os investidores “avisados” acreditaram que a “carta de conforto” e o “bom” nome do ministro Joaquim Levy seriam suficientes para mudar a decisão da agência de classificação de risco Moody’s? A Moody’s interpretou muito bem a troca de Graça por Bendine e sabe que dificilmente sairá um balanço auditado da Petrobrás enquanto Dilma estiver na Presidência da República. Quem sabe após o impeachment de Dilma a Petrobrás não recupera seu grau de investimento novamente. Para isso, é importante que todo brasileiro honesto, trabalhador e pagador de impostos vá para as ruas no próximo dia 15/3. Vamos lutar por um Brasil melhor e garantir o futuro da próxima geração.

Maria C. Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
LULA E A PETROBRÁS

O ex-presidente Lula, falando para uma plateia amestrada esta semana nas dependências da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), insuflou e incitou seus asseclas a irem para as ruas, para afrontar quem está criticando todo o escândalo da Petrobrás e, consequentemente, pedindo a cabeça da gerentona de araque. As fotos de capa do jornal  “Estadão” de 25/2 mostraram a violência dos “vermelhos” de quem se insurge contra seu guia e o projeto de poder. Uma pergunta: por que ninguém  indicia Lula por insuflar a violência e a ordem? Provas existem aos montes, inclusive o vídeo em que Lula falou na ABI, deturpando a verdade, que eles “sabem brigar, sobretudo quando Stédile colocar o exército dele na rua”. 

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com 
Porto Feliz

*
LULA E NERO

Ironia das ironias, o ex-presidente Lula compareceu a um evento no Rio de Janeiro, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), para – sente-se para não cair – defender a Petrobrás. A motivação hilariante do encontro deu vazão a Lula de lançar uma ameaça que não pode ser creditada a efeitos etílicos de uns goles de pinga. Lula quer incendiar o Brasil a exemplo de outro megalomaníaco, Nero, que governou o Império de 54 a 68 da era cristã. Faz parte da História o relato de que o imperador teria incendiado Roma enquanto tocava lira e culpava os cristãos. Lula é um apedeuta intocável, campeão mundial de títulos honoris causa, apresentado nas charges em estado de embriaguez. Governou o País por oito anos e elegeu um poste sem luz por mais oito anos. O que Lula afirmou nessa reunião deve ser filtrado pela sociedade representativa e, principalmente, pelas Forças Armadas. Disse Lula: “Quero paz e democracia. Mas eles (quem é contra o PT) não querem. E nós sabemos brigar também, sobretudo quando o Stétile (coordenador do MST) colocar o exército dele na rua”. A sociedade espoliada quer mudar essa política do “a polícia prende e a Justiça aparelhada solta”. O grande perigo reside na possibilidade de uma convulsão fratricida.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
O OCASO DE LULA

Lula comandou na terça-feira, no Rio, um ato “em defesa da Petrobrás”. O intuito seria o de reforçar o belo discurso petista (só na aparência) de que os corruptos que assaltaram a petroleira devem ser punidos ao mesmo tempo em que a empresa (que possui significativa participação em diversos setores da economia brasileira) deve ser preservada das investigações da Operação Lava Jato; a pantomima também serviu como nova tentativa de espalhar o delírio de que há estrangeiros interessados em se aproveitar do caso para tomar posse da empresa com o apoio da oposição. A verdade: o ato foi somente mais um espetáculo deprimente do PT na “batalha da comunicação” (defendida dias atrás por Dilma Rousseff) com a maioria da sociedade brasileira que condena os desmandos que destruíram a companhia, e uma nova jogada desesperada na busca do objetivo maior de evitar que o petróleo produzido pela empresa saia das mãos da companheirada e volte para a dos brasileiros honestos. O ex-presidente, ao mesmo tempo, age freneticamente nos bastidores para impedir a ocorrência de eventos que tornem cada vez mais prováveis tanto o impeachment de Dilma como a paralisação do projeto do partido de se consolidar como uma organização multibilionária e hegemônica por meio da apropriação ilegal (e imoral) das maiores estatais do País. Que triste papel Lula vem exercendo na vida política brasileira, ultimamente. A continuar assim, seu ocaso chegará mais rápido do que jamais pensou. 

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br 
Pindamonhangaba

*
UM POUQUINHO DE BRASIL, IAIÁ
 
É bem emblemática a foto de capa da edição de quarta-feira (25/2) do “Estado”: exortados por Lula, que acaba de aconselhar sua criatura a “levantar a cabeça”, militontos  petralhas trajando indumentária típica do “império” (tênis, jeans e t-shirts  vermelho-stálin com a mensagem “PT o partido que muda o Brasil”) são vistos dando prosseguimento à “mudança” anunciada nas vestes e partindo para cima de um “inimigo” (alguém que não reza pela cartilha do partido). Deve ser algum “coxinha” que não se conforma com o progresso que o PT está trazendo para o Brasil... Qualquer semelhança com o que acontece na Venezuela chavista, onde falar mal do governo dá cadeia, não é mera coincidência. A manchete “baixo-astral” do dia é “Crise faz Petrobrás perder o grau de investimento”, bola mais que cantada, como se diz na sinuca, à vista do enrosco que, como todos sabem, é culpa de FHC. O rebaixamento da nota de crédito foi anunciado pela Moody’s, mas em breve as agências Fitch e S&P irão a ela se juntar. Falando nisso, nesse mesmo dia caminhoneiros bloquearam estradas em protesto, inconformados com as más condições das rodovias e o alto preço do diesel fornecido pela... Petrobrás, a tal empresa “do povo” – entre outras coisas. E, enquanto a Operação Lava Jato emplaca a 24.ª acusação formal (nova denúncia contra Nestor Cerveró, ex-diretor da estatal), ampliando a artilharia do Ministério Público contra a quadrilha montada pelo ex-partido da ética para assaltar a antiga “joia da coroa”, o desgoverno faz que não sabe o que está acontecendo na terra de Nicolás Maduro, onde um estudante de 14 anos foi  brutalmente assassinado em San Cristóbal por um agente da polícia “bolivariana” do Mussolini local. Enquanto isso, Dilma Rousseff, nossa “presidenta”,  segue resoluta em sua cruzada a favor da clemência para traficantes de cocaína, dando ótimo exemplo à nossa juventude, chegando, para isso, a criar um incidente diplomático com a Indonésia, enquanto faz de conta que a Venezuela, onde tudo é caro, menos a vida humana, ainda tem “excesso de democracia” como um dia prelecionou o grande Guia dos Povos Oprimidos, aquele que nunca sabe de nada. Como diria Caetano Veloso, “isso aqui, ô-ô, é um pouquinho de Brasil, Iaiá...”. 
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     
São Paulo

*
PROVOCAÇÃO

A iniciativa do ex-presidente de participar de uma manifestação em defesa da Petrobrás é uma verdadeira provocação ao povo brasileiro. Como pode alguém que é o maior responsável pela atual situação da Petrobrás, dado o aparelhamento da empresa que promoveu, além de ser presidente de honra (leia-se “dono vitalício”) do partido que mais se beneficiou dos desvios, sem contar que foi ele que delegou poderes para que a atual presidente mandasse e desmandasse na empresa durante 12 anos, querer agora aparecer como seu defensor? Se realmente quer desfazer tudo o que fez e permitiu que fosse feito de errado contra a Petrobrás, que se apresente ao juiz Sérgio Moro e diga tudo o que sabe.

Jorge Alves jorgersalves@2me.com.br
Jaú

*
O EX-PRESIDENTE VAI À LUTA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou à luta, em ato convocado pela CUT e pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), em defesa da presidente em decorrência dos desgastes que vem sofrendo por causa do petrolão. De acordo com o “Estadão”, ele disse que a presidente tem de deixar o negócio da Petrobrás para a Petrobrás, a corrupção para a Polícia Federal e dizer “eu ganhei as eleições”. Mas ocorre que não foi bem assim, como sabemos todos nós. A presidente não pode dizer o que o ex-presidente sugere, pois ela por si só não ganharia as eleições, já que a força política para tanto foi do ex-presidente Lula, que foi à luta no segundo turno, quando a situação da sua candidata corria sério risco. Também cumpre lembrar que ela foi a personalidade política que durante todas as administrações petistas sempre esteve ligada à Petrobrás. Disse ainda o ex-presidente em seu discurso que, quando alguém comete um erro, é preciso que se puna. “O que não pode é jogar a Petrobrás fora por meia dúzia de pessoas.” Ora, o ex-presidente sabe melhor do que ninguém é que ninguém neste país está querendo jogar a estatal fora, como ele disse. A realidade é que o povo brasileiro vai ter de realizar um esforço hercúleo para salvar a Petrobrás do abismo a que não uma meia dúzia de pessoas, mas uma enorme e voraz quadrilha formada de funcionários corruptos, políticos inescrupulosos e empresários desonestos a conduziu. Ainda hoje a agência de classificação de risco rebaixou a nota da Petrobrás de grau de investimento para grau de risco. E não foi ninguém da oposição e muito menos qualquer um de nós, da população, que levou a estatal a está lamentável situação. Foram os governantes petistas, desde o primeiro mandato do ex-presidente até os dias de hoje. Quiçá o ex-presidente volta à frente de batalha, porque a situação está cada vez mais complicada para os seus correligionários e, eventualmente, poderá caber a ele explicar algumas passagens desse imbróglio. Foi o maior roubo do dinheiro público na história do Brasil e não é nenhum nhenhenhém que vai abafá-lo. Não pode ficar barato.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
EM DEFESA DA PETROBRÁS

Após o abraço (de tamanduá) em setembro Lula volta ao seu cinismo inato falando em “defender” a Petrobrás, quando na verdade é o principal causador do maior desastre do País. É como a aranha que parecendo proteger suas presas envolve-as com o fino e forte fio da teia, para sugar lentamente seu sangue. TarântLula.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
CABEÇA ERGUIDA

Em ato de “defesa da Petrobrás”, no Rio, o ex-presidente Lula pede para a sua sucessora Dilma que “levante a cabeça”. Levantar ainda mais a cabeça depois de tudo que aprontaram e roubaram do País e do povo brasileiro? É ser muito “cara de pau”, não é mesmo?
 
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*
CULPADA

Lula sugeriu que Dilma levante a cabeça – deduz-se que estava de cabeça baixa. Ao que se sabe, aquele que abaixa a cabeça demonstra sempre um sentimento de culpa. Presidente, a senhora se sente culpada?  

Paulo Juvenal da Costa costa-paulo@ibest.com.br 
São Paulo

*
FRASE INCORRETA

A frase de Lula (“Estadão”, 25/2, A5) está incorreta quando ele diz “a Dilma tem de levantar a cabeça e dizer ‘eu ganhei as eleições’”. Se dissesse a verdade, diria: “A Dilma tem de levantar a cabeça e dizer ‘nós roubamos as eleições’”.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
OS CONSELHOS DE LULA 

No ato de “defesa” da Petrobrás, Lula aconselhou Dilma a “deixar o negócio de Petrobrás para Petrobrás” e disse que ela deve levantar a cabeça e dizer “eu ganhei as eleições”. Ocorre que a estatal é pessoa jurídica, neutra. Quem rouba para benefício próprio e para encher os caixas 2 do PT e seus aliados são as pessoas físicas. Logo, é Dilma que deve resolver o problema, mesmo porque foi presidente do conselho da estatal, responsável pela compre desastrosa da refinaria de Pasadena. Passando a alegria de ganhar as eleições, ela deve resolver os graves problemas do Brasil, frutos da política de seu próprio governo, ou da “herança maldita” do governo anterior. 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com
São Paulo

*
A GUERRA DE LULA

Obra prima de Lula: “E nós sabemos brigar também, sobretudo quando Stédile colocar o exército dele na rua”. Será que o ex-presidente já combinou com os russos (frase genial do filósofo Garrincha ao técnico Feola em 1958, na Suécia)? 

Osmar José Gomes osmar_jg@terra.com.br 
Camanducaia (MG)

*
GOLPE DENTRO DO ESTADO?

Não bastassem os problemas políticos e administrativos do atual “desgoverno”, corremos o risco de ter um golpe dentro do Estado. Tal afirmação pode ser  confirmada quando ouvimos declarações do ex-presidente Lula de que o sr. Stédile (coordenador do movimento dos sem-terra MST) poderá colocar o exército dele na rua. Será que o sr. Lula quer derrubar o PT e colocar o PT no lugar? Será uma nova versão para o filme “Kramer x Kramer”? O ex-presidente continua a alimentar o nós conta eles. 

Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@hotmail.com
São Paulo 

*
‘O EXÉRCITO DE STÉDILE’

Espero que o Exército dos brasileiros, que tem como missão defender o nosso povo e a integridade da Nação, não tenha fechado os olhos e ouvidos para convocação que Lula fez ao “exército de Stédile”, no caso o MST, durante ato na ABI. Espero que as Forças Armadas e as Polícias Militares não nos deixem à mercê de uma milícia formada por criminosos e vagabundos que se perfilam para defender crimes e criminosos. Lula é um legítimo escroque, que sai às ruas defendendo seus pares sem esboçar nenhum resquício de vergonha. Enquanto isso, nós, brasileiros, padecemos da ressaca econômica e social fruto dos desmandos e das irresponsabilidades dos dois governos Lula, mais o da sua sucessora, que, além de extremamente incompetente, se acha a mais pura manifestação de inteligência na Terra.

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com 
São Paulo

*
NO TAPA?

O que Lula pretende quando diz “nós sabemos brigar também, sobretudo quando Stédile colocar o exército dele na rua”? Que todos nós saiamos no tapa?

Roberto Bruzadin bobbruza@terra.com.br 
São Paulo

*
A CACA DE LULA

O hipócrita Lula esteve no Rio de Janeiro em ato promovido pela CUT para defender a Petrobrás. Foi aplaudido pelas besteiras que falou, pois tem os sindicatos nas mãos. Disse que o que aconteceu na estatal foi uma caca. Pois bem, uma caca tão grande que vem prejudicando todo o País e a conta sendo imputada nas costas dos trabalhadores. Há como comemorar e aplaudir tamanha sandice? O roubo na “PTbrás” produz consequências em todos os setores. Na fala de Lula a meia dúzia que fez caca se saiu bem, levou bilhões para fora do País, ninguém vai ser punido e o mensalão está aí para mostrar. Todo núcleo político está livre, quem se ferrou foi Marcos Valério. Triste ver uma militância se deixar levar pela mentira, engodo e trapaça. Mas o que não se faz por dinheiro?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
LULA, PETROLÃO E A MILITÂNCIA RAIVOSA

A cena de impacto nos jornais e internet foram os militantes governistas reunidos por Lula na terça-feira (24/2), no Rio de Janeiro, massacrando covardemente um cidadão comum do público passante que ousou criticar o governo  e sua culpa na roubalheira na Petrobrás. Uma cena típica e corriqueira dos trogloditas anencéfalos militantes da Venezuela da era Chávez/Maduro. Pelo menos ainda não estão assassinando promotores como na Argentina – outra aberração política e econômica da América Latina. Está aí uma pista para entender o porquê do silêncio do governo brasileiro, quando qualquer democrata genuíno esperava assistir a reprovação veemente pela diplomacia brasileira, da prisão de importantes políticos de oposição na Venezuela sem que tivessem cometido crime algum. Para o regime venezuelano, eles cometeram o “crime” de serem opositores ativos, eloquentes e cheios de bons argumentos. Aqui no Brasil há uma situação parecida, que vai num crescendo: as garras do totalitarismo truculento, até então escondidas, começam a aparecer. Até em democráticos fóruns sociais como o Facebook, os que protestam contra a roubalheira dos governantes são muitas vezes enquadrados pelos trogloditas anencéfalos do pensamento único (de terceiros), como “golpistas”. Uma forma primitiva, simplificada e conveniente de interpretação de movimentos ideológicos complexos. É fácil chamar o adversário político de golpista; essa continua sendo, como nos últimos 40 anos, a “criativa” fórmula de João Santana e Cia Bela. E até certo ponto, vem funcionando, pela ausência de melhores argumentos – que aliás, julgam que não seriam compreendidos pela massa ignara controlada. Foi o que lhes restou como estratégia única de defesa.
 
Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br 
Cotia 
 
*
INADMISSÍVEL

Inadmissível o que Lula está fazendo, contando mentiras para um povo que acredita piamente em suas palavras. Novamente culpa a elite, mas não cita, em momento algum, que o dinheiro desviado foi para o PT. Ou, então, que foi o PT o responsável pela atual situação dessa empresa que tanto nos orgulhou.
 
Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com 
Bauru

*
A FARRA NA  CÂMARA DOS DEPUTADOS

Em plena crise que estamos atravessando, sem precedentes, com greves, falta d’água, indústrias minguando, aumento de tarifas e impostos, a Câmara dos Deputados aumenta o  pacote e  a  “mesada”  de  bondades  aos  seus deputados. E, pior, ainda concede  “benesses”  e passagens  aéreas  para  as “dondocas”  esposas dos parlamentares. Só um golpe de Estado para acabar com esta farra e picaretagem em Brasília e limpar estes políticos  corruptos  que  estão  roubando o  nosso país.

César R. Alves Moreira caesar.joi@terra.com.br 
Joinville (SC)

*
VERGONHA NA CARA

Os políticos de fato não têm vergonha na cara! Vão cortar pela metade a pensão por morte e outros benefícios previdenciários dos brasileiros, enquanto cônjuges de deputados vão passar a ter passagens aéreas pagas pela Câmara. Que país é este? Este governo todo deveria ser deposto!
 
Virginia A. Bock Sion vickybock@hotmail.com 
São Paulo

*
BAIXARIA NO CONGRESSO

Notícia de primeira página do “Estadão”: “Cônjuges de deputados vão viajar por conta da Câmara”. E para as amantes? Quem pagará?

Coly de Campos Pieri coly.pieri@gmail.com 
Avaré

*
ERRATA

Na sua capa de ontem (26/1), o “Estadão” afirmou que “cônjuges de deputados vão viajar por conta da Câmara”. O correto é que os cônjuges dos deputados viajarão por conta dos contribuintes.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 
São Paulo

*
ÂNIMOS EXALTADOS

É inadmissível a forma como o ex-ministro Guido Mantega foi destratado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Tampouco é admissível a forma como ele e o governo federal petista destrataram o Brasil nos últimos 12 anos. Toda atitude tem causa pregressa e os ânimos estão exaltados.

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
A TOGA E O PORSCHE
  
Em tópicos, porém vergonhosos, episódios para a magistratura brasileira, juízes, desembargadores e ministros do Judiciário se exibem ao sol do escândalo, da soberba, da arrogância, da prepotência, da pretensão da divindade que morre e apodrece. Em 1989, o ministro Wagner Pimenta, mais tarde presidente do TST – homenageado, em 2000, com pompa, no TRT-8, em Belém –, foi flagrado com a família em férias, em Balneário Camboriú, Santa Catarina, em carro do TST, com a chapa oficial encoberta por uma outra chapa, fria. Fugiu da praia vaiado e quase foi linchado pela multidão. Em 2005, no Rio de Janeiro, juiz processou porteiro do prédio para exigir que fosse chamado por “vossa excelência”. E está na memória nacional o assombroso caso, também no Rio, do togado barrado em blitz da Lei Seca, sem carteira de habilitação e o veículo sem placa e documentos. A agente que interceptou o infrator foi processada e obrigada a indenizá-lo em R$ 5 mil, pena confirmada pelos desembargadores. Seu crime? Ter observado ante a carteirada exibicionista: “O senhor é juiz, mas não é Deus”. No Pará, juíza acusada em processo de sacar em benefício próprio dinheiro de depósito judicial foi elevada ao desembargo. E, esta semana, o juiz federal Flávio Roberto de Souza, da 3.ª Vara Federal Criminal do Rio, pilotava, deslumbrado, o Porsche de Eike Batista que fora apreendido. Nos corredores de varas e tribunais, a rádio cipó murmura que sonho de consumo de juiz é carro importado traçado e nota em coluna social. A toga, digo, os deuses, não resistem a um Porsche. 

José Maria Leal Paes josemarialealpaes@gmail.com 
Belém

*
ARTISTA DE TOGA

O juiz Flavio Roberto de Souza, que foi flagrado dando uma voltinha no Porsche do empresário Eike Batista, aproveitou a ocasião e levou o piano de calda apreendido para o seu condomínio. O zelo do juiz pelos bens do réu é extraordinário! Seria mais apropriado se o piano ficasse sob a responsabilidade da Orquestra Sinfônica Brasileira, do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, ou ainda com nosso solista internacionalmente conhecido Nelson Freire, que certamente daria o tratamento adequado ao instrumento, salvo se o juiz quisesse arriscar tocar algumas melodias de Chopin ou provavelmente alguns estudos de Wagner, que era a preferência da família de Eike.
 
Mário Negrão Borgonovi  marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro
 
*
PORSCHE, PIANO E JUIZ

Tristeza. Não há outro sentimento que nos comprima ante a conduta de um juiz que mata sua vontade de conduzir um Porsche e faz de seu condomínio o fiel depositário de um piano, coisas luxuosas “sub judice”. Não bastassem todas as razões que justificam a melancolia deste povo de Deus, compreende-se a existência de simulacros de homens até mesmo na magistratura. Mas, se vier a aposentadoria com vencimentos, o ilustre magistrado, cumulando o ócio com a advocacia, poderá saciar-se de Porches e pianos. Cabe à OAB não o aceitar em seus quadros. 
 
Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
A FALÊNCIA DA MORAL

Mil vezes ou mais já se afirmou nestas páginas a contundente frase de que “à mulher de César não basta ser honesta, tem de também parecer honesta”. Perspectiva e roupagem estas de que se devem revestir todas as autoridades. E, de todas, com maior apreço e zelo os senhores juízes, sal da terra, no âmbito da Justiça. Que dizer da conduta de sua excelência flagrada dirigindo Porsche apreendido para reparar os danos causados pelo devedor? Do contraste entre o chulo desse comportamento e a seriedade da Justiça nascem duas seriíssimas preocupações: seria essa falta generalizada do senso moral e ético a permissibilidade de uma democracia xoxa? Ou é a falência moral da sociedade? Cabem aqui as certeiras palavras de Vieira às autoridades constituídas: “Andais buscando a honra com olhos de lince, e sendo que para a verdadeira honra não há mais que uma porta: a ética; andai-vos desvelando pela riqueza com mais olhos que Agros, e sendo que a porta certa da riqueza não é acrescentar fazenda, senão diminuir cobiça, ninguém atina com esta porta”.
 
Antônio Bonival Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br
São Paulo

*
VERGONHA NACIONAL

Mais uma vergonha para a justiça brasileira a atitude do juiz federal que prendeu os veículos do empresário Eike Batista e o usou, contrariamente à lei, demonstrando visivelmente que não tem condições de exercer a magistratura plena. 

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 
Itapeva

*
BAIXO NÍVEL

Nos meus 84 anos de vida jamais imaginei: um juiz de Direito (Flávio Roberto de Souza), a seu bel prazer, se dar ao desfrute de usar um bem de um golpista (Porsche Cayenne), sob custódia da Justiça, alegando estar protegendo o tal bem em sua garagem particular. Será que sua Excelência esqueceu que também há um belo iate à sua espera para ser protegido em fins de semana ensolarados? É mais chique. E ainda dá para levar a família junto. Eleve o nível, meritíssimo!

Suad Hanna ricardopapi@bol.com.br 
São Paulo  

*
FIM DA LINHA?

A que ponto chegamos no Brasil! Um juiz federal usa o carro de um picareta para passear. Somos um país governado por bandidos, legislado por mercenários e julgados por parasitas de braços com o crime. Lula diz para Dilma “levantar a cabeça”. Quem tem de levantar a cabeça somos nós, pessoas de bem, peitar esta corja e mandá-los todos para a cadeia.
  
André Coutinho arcouti@uol.com.br
Campinas

*
LAVA JATO

O juiz que levou o carro de Eike para sua casa, para protegê-lo do sol e da chuva, agora deveria mandá-lo para Curitiba, onde não falta água e tem o melhor Lava Jato do Brasil...
 
Sergio d’Avila samvilar@uol.com.br 
São Paulo

*
ROLEZINHO COMPLICADO

Um “rolezinho” com o Porsche Cayenne tudo bem, mas procurando por Luma, aí já é demais.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.