Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

11 Março 2015 | 02h07

Impeachment

Leio no Estadão de 10/3 que a presidente não vê razões para impeachment, o mesmo repetindo FHC. Num país sério Dilma já estaria fora há tempo e os surrupiadores da Petrobrás, presos (alguns estão; mas, e os outros?). A oposição é raquítica e incompetente, ou teria outra razão para sê-lo? Os políticos defendem interesses pessoais, não públicos. O panelaço veio de todas as classes, sobretudo da baixa, mesmo porque a "zelite" não dá 1% da população. Veio de pessoas simples o descontentamento geral, mesmo de quem votou na PeTralhada. Em São Paulo piorou muito o trânsito com faixas para ônibus e bicicletas, não sobra espaço para outros veículos - basta tomar um táxi e perguntar que já se ouve um palavrão. A cidade tem muitas subidas e não há cultura para bicicleta, ficando 99% das faixas vazias. Nem o huno Átila, que salgava as terras por onde passava, fez tanto estrago como o petismo.

BENEDITO SILVÉRIO RIBEIRO

beneditosilverioribeiro@ig.com.br

São Paulo

Dilmês

É interessante ver a presidente em exercício incorporar e pronunciar mais uma palavra em seu vocabulário: impeachment.

RICARDO C. T. MARTINS

rctmartins@gmail.com

São Paulo

Terceiro turno

Estimada presidente, em nenhuma hipótese se ofende uma mulher, como tem ocorrido com a senhora desde as manifestações de 2013. A senhora me desculpe, mas precisa assumir que ganhou a eleição para presidente! Quem continua em campanha é a senhora, a mentir sobre a situação econômica caótica do País - com perigo de rebaixamento na avaliação de risco de crédito pelas agências internacionais -, causada por sua administração temerária. É a senhora que continua a desqualificar a gestão passada, e lá se vão três governos do PT. É a senhora que está com sua avaliação pessoal e de seu governo no ponto mais baixo na História da República. Ainda bem que não haverá terceiro turno! Coincidência ou não, depois que a senhora se tornou ministra de Minas e Energia o mensalão foi descoberto e o financiamento das campanhas do PT e da base aliada passou a ser feito pelo petrolão! Presidente, comece a falar a verdade e a governar!

WALTER SANT'ANNA ZEBINDEN

zebinden@terra.com.br

Campinas

O EXÉRCITO DO STÉDILE

Continua em ação e impune

Caro sr. José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, como ficamos? O senhor não tomará providências contra os vândalos, ou vândalas, do MST? Eles podem continuar a atacar impunemente? Até quando? Fazem os estragos que querem e nada? O mais estarrecedor é que depois vão lanchar em Brasília para participarem de ato presidencial. Pode?! O Brasil vive a maior desordem civil, o PT reverteu todos os valores de civilidade, involuímos. Ontem a Dilma levou a maior vaia em São Paulo. Como procederá o seu advogado ministro, sr. Cardozo? Aguardem...

FERNANDO PASTORE JUNIOR

fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

Bolivarismo

Alguém ou alguma instituição precisa pôr um ponto final nesses agitadores da ordem social e política. Agora me vem esse sr. Stédile fazer um discurso inflamado na Venezuela contra o Brasil! Ora, tenha paciência. E ainda menciona os nomes da "presidenta" e do "presidento" na festinha do ditador venezuelano. É de estarrecer!

URSULA METZ

ursula.e.metz@gmail.com

Itapecerica da Serra

AOS AMIGOS, TUDO

Bom só para os outros

Com carências em qualquer setor da vida brasileira - tais como ética, moral, saúde, educação, infraestrutura, o dólar americano indo às alturas, além de uma inflação que ameaça escapar do controle -, vejo o BNDES liberando US$ 150 milhões para reforma e ampliação de aeroporto em Havana, Cuba, para que aviões norte-americanos e seus turistas lá aterrissem. Que negócio bom esse, não? (Menos para nós, brasileiros.)

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

Empréstimo a Cuba

Socorro! Alguém poderia fazer-me entender por que razão um país tão carente como o meu, especialmente nas áreas de saúde e educação, faz um empréstimo de US$ 150 milhões para reforma do aeroporto de Havana? Quem é o desgraçado que aprova esse trambique? E mais: com que interesse?

JOSÉ HORÁCIO DE A. CANCHERINI

josehoraciocafe@gmail.com

Itu

Nova galinha?

No momento que o Brasil passa por séria crise financeira e a inflação volta com toda a força, parece-nos estranho que o BNDES libere US$ 150 milhões para a Odebrecht promover a reforma e ampliação de terminal do aeroporto de Havana. Ao que parece, a Odebrecht está se tornando, como a Petrobrás, a galinha dos ovos de ouro dos corruptos, uma vez que é mais fácil desviar verbas de uma empresa privada e ainda mais em obras de Cuba. Dilma, Lula e outros certamente estão fazendo seu pé-de-meia em Cuba, haja vista o grande interesse em "ajudar" esse país. O paraíso fiscal, para eles, não seria a Suíça, com certeza. Por sua vez, com toda a certeza o Brasil jamais recuperará o dinheiro "emprestado" a Cuba, assim como não vai receber o dinheiro "emprestado" a Eike Batista. Cabe, certamente, uma investigação profunda a respeito de tais empréstimos e seu destino.

CLAUDIO MAZETTO

cmazetto@ig.com.br

Salto

Vergonha

Empresas envolvidas em falcatruas fechavam as portas e abriam outras com outros nomes. Hoje ganham projetos como o aeroporto de Cuba.

REGINA MORETTI FERRARI

ferrari@tavola.com.br

Santana de Parnaíba

Mais Médicos'

Os dados do Tribunal de Contas da União confirmam o que já era sabido: o programa Mais Médicos, de forte cunho ideológico e que liga o atual governo à ditadura cubana dos irmãos Castro, foi feito às pressas às vésperas das eleições e tem caráter eleitoreiro (As falhas do Mais Médicos, 9/3, A3). Infelizmente, a presidente está brincando com a saúde do povo brasileiro: cada vez há menos leitos, menos recursos e mais cursos de medicina de qualidade duvidosa. O resultado dessa sinistra equação certamente não será positivo.

YUSSIF ALI MERE JR., presidente da Federação e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo

redacao@sindhosp.com.br

São Paulo

DILMA E AS CAMPESINAS

Depois de ler e não acreditar que a presidente Dilma Rousseff teve a coragem de recepcionar no Planalto um bando de delinquentes da Via Campesina que invadiu violentamente uma fábrica em Luziânia (GO), realmente não consigo entender como esta senhora quer continuar presidente e não consegue saber por que sua aprovação está indo ladeira abaixo. Infelizmente, sabemos que movimentos como o dos Sem Terra (MST) são bancados pelo PT e pelo governo, mas será que não há oposição neste país que consiga impor limites a este bando de vândalos? Aliás, conforme pedido pelo sr. Lula, “o exército do Stédile” deverá estar a postos para mais uma quebradeira no próximo dia 15. E como ficam as demais autoridades para impedir tal bagunça?

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br 
São Bernardo do Campo 

*
LULA QUER CONFUSÃO

Em virtude da má administração do governo Dilma em seu primeiro mandato, o Brasil enfrenta uma grave crise financeira, que está afetando todos os brasileiros, principalmente os mais pobres. E, descontentes com essa situação, milhares de brasileiros, por meio das redes sociais, estão se mobilizando e prometem sair às ruas no próximo dia 15 para pedir a saída da Dilma do governo, que se reelegeu graças a um estelionato eleitoral, financiado com verbas públicas e pelos seus marqueteiros. Contrário às manifestações pacíficas e para defender o seu legado (projeto de poder), Lula convocou o “exército do Stédile”, formado por uma militância paga com o nosso dinheiro e bem preparada para agir com truculência. Quem vencerá esta guerra: o bem ou o mal? A democracia ou a ditadura? O Exército de Caxias ou o “exército do Stédile”?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
O DIABO A QUATRO

O PT fez o diabo para Dilma ser reeleita. Agora, terá de fazer o diabo a quatro para que consiga governar até o fim do seu segundo mandato. A conferir...

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
INSENSATEZ

O ex-presidente Lula, irresponsavelmente, convocou o “exército do Stédile” para encobrir os seus assaltos e os do PT aos bens públicos. Devemos começar a contagem das mortes das vítimas de sua insensatez para constar de sua biografia e cobrá-lo no futuro como crime contra a humanidade.
               
E. M. Lagazzi elvio.babi@hotmail.com  
Araras

*
A ALMA DO PIQUETEIRO

Conheci Lula, rapidamente, em 1957. Eu era engenheiro de manutenção da São Paulo Light. Estava trabalhando na subestação de Mauá com uma equipe de eletricistas quando chegou um piquete de grevistas exigindo de desligássemos a subestação. Fiquei sabendo que o chefe do grupo era Lula, porque um piqueteiro o chamou pelo nome. Peguei um fio desenergizado, liguei-o ao alambrado que cercava a subestação e gritei que ligaria o fio ao primeiro que encostasse no alambrado. Disse-lhes mais: “Se desligar esta subestação, os hospitais, as escolas e lares ficarão no escuro. Os bares fecharão sua portas”. Diante destes argumentos, foram embora. Acho que o fator decisivo foi o fechamento dos bares.

Ronald M. da Cunha ronaldcunha@hotmail.com 
Monte Santo de Minas (MG)

*
CONVERSÃO

Já não cabe ao Estado brasileiro uma reforma política, fiscal ou outra que seja. O Estado está falido e as instituições, absolutamente corrompidas, todas. É necessário morrer para nascer de novo, assim como se projeta o termo “morte iniciática” nas religiões comparadas, em que o homem velho viciado morre para a vida e renasce quando em seu íntimo se processa a conversão, assim como ocorreu ao cristão Francisco de Assis, que abandonou uma vida fútil, suntuosa e se consagrou à natureza, aos pobres, aos pequeninos irmãos, a Deus. A desfaçatez do poder instituído no Brasil é tamanha que corrói todos os segmentos da sociedade. O projeto de poder desta pretensa esquerda do PT e seus aliados é o mesmo da direita fascista que exerceu o poder durante 30 anos da ditadura militar. Os mesmos artifícios, a sanha de roubar, de mentir, de passar por cima dos princípios do bem comum, de aviltar os costumes e as garantias do cidadão. Nada escapa ao desatino dessa barbárie que acomete o País: o Poder Executivo, na figura da ex-guerrilheira e nefasta governanta; seu criador, o raivoso e ignorante ex-presidente, que manobra “as massas”, ataca as elites, mas conquistou um império à custa do erário que o vai sustentar por várias gerações. Um Poder Legislativo em que suas lideranças estão metidas até o pescoço nessa sórdida empreitada. E o Poder Judiciário, que diante do petrolão vai, assim como no mensalão, punir um pequeno número com penas brandas, enquanto seus chefes, inimputáveis, se abraçam ao poder incólumes. Da sociedade civil, exemplos crassos de quem deveria se posicionar em defesa do bem público e não o faz: a OAB, que deixou de ser um baluarte na defesa do Estado de Direito, agora exerce o espírito de corpo acobertando advogados de porta de cadeia (de colarinho branco), defendendo-os publicamente no lugar de exigir a apuração das denúncias da Operação Lava Jato e de tantas falcatruas que assolam neste desgoverno do PT. Ao invés de se posicionar diante da gravidade da situação, prefere, numa represália, impedir momentaneamente o direito de Joaquim Barbosa de advogar, postergando a entrega de sua carteirinha de classe. A Associação Brasileira de Imprensa (ABI), que deveria estar atenta è ao lado da Nação na defesa da ética e da ordem pública, causa profundo mal estar em acolher em suas dependências Lula num discurso em tom nazista que ameaça colocar o “exército do Stédile” nas ruas se houver manifestações pedindo a cassação da governanta. A sociedade civil deve acordar e banir este cancro que se enraíza em nosso meio, antes que se torne de todo inevitável. A conversão que se dá no nível espiritual é a mesma que deve mover o cidadão comum em sua vida cotidiana. É morrendo que se vive para a vida eterna. 

Rogério Prandini rogerioprandini@gmail.com 
Itapecerica da Serra 

*
INSUSTENTÁVEL

Dilma afirmou que não há “razões para impeachment”. Será que ela pretende renunciar?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
‘RENÚNCIA JÁ’

O artigo do jurista Miguel Reale Júnior, “Renúncia já” (7/3, A2), é completo, sintético e não deixa dúvidas. Se ainda existe um mínimo de honradez e bom senso na presidente Dilma, renúncia é a única alternativa possível. E logo, pois o panelaço que ocorreu durante mais um discurso mentiroso no domingo foi apenas o começo...

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
ENTREVISTA FHC

Da entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, sobre o impeachment da atual presidente da República não resolver o problema do País, concluo que o PSDB não aprendeu a fazer oposição ou não tem projeto (“‘Não é hora de afastar Dilma nem de pactuar’”, 10/3, A7). Quando do escândalo do mensalão, avaliaram que não deveriam fazer nada, pois Lula chegaria ao fim do mandato do tamanho de um chaveirinho. Já sabemos o que aconteceu. Ainda que tenham receio da forma petista de fazer política – raivosa e nada digna –, e ainda que cause algum desconforto o senador Antonio Anastasia ter sido incluído na lista do procurador-geral da República, o fato é que não dá para esperar que Dilma “sangre” nestes próximos anos para, então, chutar cachorro morto. Esperava mais de um intelectual tão prestigiado.

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br 
São Paulo

*
O MESMO ERRO DE 2005

FHC diz que não é hora para impeachment. O que é isso, FHC? Outra vez? Não basta o erro de poupar Lula em 2005? Fora Dilma e fora FHC!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
‘NÃO É HORA’

Por que será que FHC não quer que a bancada do PSDB levante a bola do impeachment? Será porque está com ciúme de que surja um novo sociólogo, ministro da Fazenda de Michel Temer, capaz de colocar, mais uma vez, o Brasil nos trilhos?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
A HISTÓRIA SE ENCARREGA

Cumprimento o ex-presidente FHC. Quanto aos nanicos petralhas, bem, estes a história se encarregará de relegá-los ao lixo.

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo

*
FHC E LULA

Lá vem o velho sociólogo FHC dar sua opinião dispensável e pensando que, na atualidade, a opinião dele representa alguma coisa para a política do País. Não representa. Fosse inteligente, ele não teria tantas e tantas vezes no passado conversado e andado com Lula, inclusive torcendo para que o retirante chegasse ao topo. Será que o cara nunca enxergou o que Lula realmente era? Que sociólogo é este?

Antônio Genésio Borsetto agenesioborsetto@hotmail.com
São Paulo

*
COZIMENTO LONGO

O ex-presidente FHC certamente não enfrentará dificuldades causadas por este desgoverno, mas o País certamente sofrerá, e muito, razão pela qual esta conversa de “cozinhar até o fim” é inaceitável. A crise real que vive esta nação não é algo trivial, mas fica a impressão, na entrevista, de que a classe política continua numa bolha e fora da realidade. Lamentável.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*
IMPEACHMENT E SAÚDE MENTAL

O debate em torno do impeachment parece-me pobre por se ater somente ao plano da política. Há outras dimensões a considerar. Por exemplo: uma pessoa que, para garantir sua gratificação narcísica, se nega compulsivamente a reconhecer a realidade externa, convencendo a si mesma de que tudo vai bem e, em atitudes perversas, tenta envolver outras pessoas nessa percepção distorcida está saudável mentalmente?

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br  
São Paulo

*
DIREITO MEU
 
Sou advogado, professor de Direito, branco, membro de uma denominação cristã protestante de origem inglesa que respeita o mandamento “não roubarás”, abomino a falaciosa teologia da libertação, estudei em colégio nobre, gosto de ópera, música clássica, cinema europeu e frequento bons restaurantes com meus amigos. Se não fosse minha nacionalidade brasileira (que eu amo), eu poderia ser um “WASP” (acrônimo, em inglês, de “branco, anglo-saxão e protestante”). Esta minha condição social, existencial e cultural não me retira o direito de pedir o impeachment de quem quer que seja que esteja no poder, conspurcando a moralidade e a ética. O corrupto Partido dos Trabalhadores (PT), de quem eu já fui eleitor (ah, se arrependimento matasse!), e os seus asseclas fascistoides querem fazer crer que, hoje, só pode ser considerado cidadão brasileiro, com poder de reivindicação política, quem está atrelado aos seus programas sociais assistencialistas, eleitoreiros e populistas, que são mantidos pelos escorchantes impostos que eu pago. Que moral tem um partido execrável de “quinta categoria” para querer transformar-me num cidadão de “segunda categoria”? Fora Dilma!
 
Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com 
Belo Horizonte

*
TERCEIRO TURNO

Gostaria de poder avisar a nossa presidente de que, assim como eles mesmos apregoam que não há terceiro turno, parece que não sabem que também não há dois presidentes num mesmo país. Parece que a sombra de um ex-presidente está mais atuante do que deveria.

M. C. caldeira  cuca@mdbrasil.com.br
Bebedouro

*
VAIAS

A presidente Dilma Rousseff, que foi vaiada em evento em São Paulo ontem, precisa se preparar para a realidade. De agora em diante, as vaias serão frequentes em suas aparições em público. Até quando, com a sua arrogância, ela irá suportar?

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
QUEM FOI?

Quem será que vaiou a presidente Dilma na Feira da Construção em São Paulo (Feicon)? Seriam por acaso as madames das elites e a burguesia paulistana, todas reunidas e pagas pelos oposicionistas, ou tudo não passou de um gesto voluntário e espontâneo de um povo calejado, maltratado e humilhado por esta bandoleira que não se cansa nunca de mentir, mentir e mentir? Vendo e ouvindo as vaias daquela multidão gritando sem parar “fora Dilma”, fica difícil de acreditar na possibilidade, por menor que seja, de a presidente recuperar algum porcentual de credibilidade, melhor seria jogar a toalha.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
VELHOS CHAVÕES

É a “burguesia que está vaiando”, diz o PT, usando a velha mania de “lutas de classes”. São os pobres que mais pagam impostos neste país, e pagam suas dívidas em dia. Pobre é trabalhador e fica revoltado vendo os ladrões roubarem o futuro de seus filhos, pois não querem que amanhã eles sejam meros beneficiários do Bolsa Família. Eles querem empregos, eles querem futuro, que só terão com o Brasil livre dos petralhas. Mudem o disco, caros Aloizio Mercadante, Rui Falcão e cia. Isso sem falar em Gilberto Carvalho, que está ocupado  contando o alto salário que esta ganhando atualmente como “conselheiro” (burguês?). O povão é honesto, além de não ser burro.

Godofredo Soares caetano.godofredo@terra.com.br 
São Paulo 

*
OBRA DA ODEBRECHT

Dilma Rousseff culpa a seca, a crise mundial, fala das crises passadas, pede paciência e compreensão à população e manda, não sei a que custo e via BNDES, US$ 150 milhões para Cuba reformar o seu aeroporto em Havana. Não tem alguma coisa errada nisso?

Silvio Leis  silvioleis@hotmail.com 
São Paulo

*
A CEGUEIRA DA PRESIDENTE

Assim como todos os ladrões, escroques, assassinos e correlatos presos, que se dizem “inocentes” e têm advogados que dizem “vamos provar a sua inocência”, Dilma Rousseff diz que “não há razões para pedido de impeachment”. Agora, além de incompetente, dissimulada e criminosamente omissa, Dilma, que não vê o que todos veem, prova também ser cega. Avante, Brasil, é hora de colocar o lixo para fora.

Marco Tulio Scussel marco.scussel@globo.com 
Cotia 

*
O DISCURSO DE 8 DE MARÇO

Plagiando dois leitores do “Fórum dos Leitores” de ontem, durante o discurso de Dilma no domingo eu também me senti um sueco em crise no dia 1.º de Abril. 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                     
Rio de Janeiro 

*
ENGANAÇÃO

O teor do discurso que a presidente Dilma Rousseff fez à Nação no domingo, quando se comemorou o Dia Internacional da Mulher, só engana as mulheres do “exército do Stédile”, que, com a proteção do governo, destruiu, numa ação criminosa em Itapetininga (SP), na semana passada, pesquisas científicas sobre a plantação de eucaliptos. Mulheres conscientes deste país e desacreditadas deste governo, durante o pronunciamento, participaram do “panelaço” e do “buzinaço” que foram ouvidos em várias cidades do País.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br 
São Paulo
 
*
PROFUNDA IRRITAÇÃO

Então a “carga negativa até agora foi toda absorvida pelo governo”? Será que somos mais de 200 milhões de imbecis? Carga negativa se traduz em passagens aéreas para cônjuges de parlamentares pagas com dinheiro público? Em auxílio-moradia para juízes que têm casa própria em Brasília? Ou em aumento de 18% para verba de gabinete – para pagamentos a servidores não concursados? Não é possível considerar que um governo que destina R$ 1,3 bilhão aos portos esteja fazendo qualquer sacrifício. Dona Dilma, sacrifício fazemos nós, com “bandeira vermelha” na conta de energia, com pagamento de ar no lugar de água, com desvios milionários para “ajudar” correligionários (que não são nossos, mas seus). Sacrifícios fazem nossos doentes nas filas do SUS, nossos aposentados com R$ 788,00 de aposentadoria após 35 anos de “moleza”, enquanto senadores e deputados recebem mais de R$ 30 mil após 6 anos de “árduo trabalho”. Sacrifício fazemos nós, nos ônibus superlotados. Por favor, pare de nos encarar como idiotas. Vale para você o que disse o rei da Espanha a Hugo Chávez: “Por que no te callas?”. Pelo menos nos pouparia de mais uma profunda irritação. 

Marcos L. Susskind eulerei@gmail.com 
São Paulo

*
MERECIDO PANELAÇO

Desobedecendo aos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, Dilma gastou nossos recursos em benefício próprio (sua reeleição) e, agora, socializando o prejuízo, nos apresenta a fatura, disfarçada como “ajuste fiscal”? Seria necessário tanto ajuste, se sua administração tivesse sido eficiente e menos corrupta?

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com
São Paulo

*
DILMA E AS GALÁXIAS

Com todas aquelas citações de normalidade, interrompidas apenas pela vitimização diante da crise internacional e da “inesperada” crise hídrica, o pronunciamento da excelentíssima presidente da República, Dilma Rousseff, parece mesmo ter sido direcionado a habitantes de outra galáxia.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
O GOVERNO ACABOU

Em outubro de 2014, um total de 54.501.118 brasileiros acreditaram no maior estelionato eleitoral da história brasileira. Baseada na mentira, na calúnia e na difamação, a campanha petista venceu a eleição presidencial. Hoje, passados menos de seis meses, o País está fazendo água por todos os lados, mas a presidente Dilma ainda acredita que pode continuar mentindo e distorcendo fatos na tentativa desesperada de se manter no cargo. Em discurso, que deveria ser em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a presidente Dilma apenas recitou dados como se ainda estivesse em campanha. Foi lastimável sob todos os aspectos e só prova que, com impeachment ou sem impeachment, seu governo acabou.

Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com 
São Paulo 

*
REPETIÇÃO

Ouvimos a presidente Dilma dizendo na TV que a causa dos nossos problemas econômicos é a crise financeira internacional. Tive a impressão de que ela estava lendo o discurso anterior, pois outra vez a causa é a mesma. Na realidade, é também repetição de todos os discursos anteriores. Quem ler isso em jornal pensará que há erro de impressão. Alguém precisa contar-lhe que todo o mercado internacional a que ela se refere saiu da crise, exceto uns dois ou três países ainda. A minha sugestão é alguém do palácio de Dilma explicar a ela, que, notadamente, não entende de economia, o motivo real da crise por que estamos passando, a fim de não enganar os menos esclarecidos e ingênuos cidadãos em seus próximos discursos.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*
A PRESIDENTE ACUADA
 
Foi ridículo o uso da data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher para que a presidente Dilma fizesse seu pronunciamento político. Na verdade, distorceu completamente o objetivo principal, que era de enaltecer as mulheres do Brasil, e, com sua fala, mais uma vez deu a entender que menospreza a capacidade do povo brasileiro em perceber as mentiras do governo. Com certeza a presidente estaria acuada ante a manifestação pública desta semana contra os desmandos da política, notadamente daqueles que compõem o quadro de amizade ou fazem parte do grupo a que pertencem Dilma, Lula e outros envolvidos em tamanha avalanche de corrupção. Mais ainda, com certeza o pronunciamento foi feito pelos marqueteiros de plantão, os mesmos que para esconder o lobo trocaram sua pele, ou seja, tiraram o casaquinho vermelho e colocaram um verde.
 
Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br 
Salto

*
DIVISOR DE ÁGUAS
 
O Dia das Mulheres foi mais um dia de incertezas. Dilma usa a mídia para dizer que está ajustando as contas para depois melhorá-las. Como pode, se ela gasta mais do que arrecada e também com tantos desvios, achar que o povo vai acreditar? O Brasil não pode esperar, os trabalhadores estão no limite, então não são engodos que vão nos acalmar, queremos soluções, e não discursos, mais empregos para que o País avance, eliminando a corrupção e os desmandos. E isso já teria de começar em casa, coisa que ela não faz e nunca fez. E dizer que está eliminando a pobreza é porque está longe das ruas, e, com tanto desemprego, só aumenta mais os excluídos. As mulheres merecem, sim, comemoração, com mais empregos, equidade, justiça social e fim da impunidade e das fraudes que eles proporcionaram. O dia 15 de março será um divisor de águas. Aguardem.
 
Nelson Scatena nelson.scatena@hotmail.com 
São José dos Campos

*
TEMPERATURA EM ALTA

A temperatura está esquentando, domingo foi apenas um ensaio do que ocorrerá no próximo dia 15/3. Enquanto dona Dilma falava em rede de TV, lendo um texto que fatalmente foi escrito por algum ilusionista, e mal e porcamente interpretado pela má atriz, que de novo mente para a população brasileira, pelas redes sociais foi combinado que neste horário houvesse um panelaço contra suas mentiras, das sacadas dos prédios, e bunizaço nas ruas. As manifestações contra a fala da presidente foram imediatamente postadas nas redes sociais. E não é que foi um belo ensaio para o próximo dia 15/3? Estamos esquentando os tamborins, ou as panelas.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com 
São Paulo

*
ESTÁ NA HORA

Presidente Dilma Rousseff, mesmo não tendo noção de nada, V. Exa. não pode ignorar a situação do momento e o que se prevê para o Brasil em 2015/2016. O repúdio e o panelaço ocorridos no Brasil todo durante suas fantasiosas considerações no domingo evidenciam que a palavra de V. Exa. não vale mais nada. Foi uma mensagem do dia internacional do ajuste fiscal. Para o bem do País e dentro do seu jargão “eu acredito”, a renúncia é bem melhor que o impeachment. 
  
Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 
São Paulo

*
A ANÁLISE DO PT

Os dirigentes do PT avaliaram que o panelaço durante o pronunciamento da presidente Dilma foi um movimento isolado da “burguesia e da classe média alta” e conta com “financiamento” da oposição. Que tipo de democracia os petistas conhecem? Por acaso quem mora bem e paga seus impostos não tem o direito de se manifestar? Os petistas querem descaracterizar qualquer movimento vindo das ruas como se somente a burguesia fosse atingida pela incompetência petista? As medidas tomadas pelo desgoverno Dilma afetam todas as classes. O PT insiste na divisão do País entre ricos e pobres. O ex-presidente Lula convocou o “exército do Stédile” para ir às ruas. O desespero dos petistas tem explicação na queda de popularidade de Dilma, e isso significa que quem votou nela também se arrependeu. A tentativa de dividir o País não vai levar a lugar nenhum. O pacote de maldade de dona Dilma atinge muito mais a população pobre, cujo poder de compra é cada vez menor. A insatisfação é geral, não adianta o partido mascarar a realidade, que está posta. Aumento dos juros, alta da inflação e subida do dólar tornam inviável a vida de todo brasileiro. Só não vê quem não quer. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
DO VERMELHO AO VERDE

“Orquestração da burguesia e da classe média alta com viés golpista”, segundo o partido corruPTo, foi a manifestação durante o pronunciamento de Dilma, deixando de considerar ter ocorrido em pelo menos 12 capitais. Não satisfeitos, o PT alega que impedir o alcance da mensagem mostrou o fracasso em seus objetivos. A propósito, a suposta mensagem da presidente na TV não passou de enganação terceirizando problemas que ela criou e, se houve novidade no bizarro pronunciamento, foi a presidente ter trocado a cor vermelha habitual pelo verde, quem sabe para não se identificar com o próprio partido, que dela se afasta.
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
PANELAÇO

A diferença que há entre o Brasil e a Argentina é que na argentina o panelaço é feito por pessoas de barriga vazia e, no Brasil, por gente de barriga cheia.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
PROTESTO ‘DA BURGUESIA’

O povão nem panela tem mais.

Decio Tozzi deciotozzi@uol.com.br 
São Paulo

*
DILMA, THATCHER E CHURCHILL

Ao ouvir o discurso da dona Dilma no domingo, tão minúsculo, não pude deixar de me lembrar e sentir saudade da grande estadista Margareth Thatcher: “Governos socialistas duram até que o dinheiro do outro acaba”. Como somos desprovidos de estadistas nestes tristes trópicos! Este governo populista recheado de misérias socialistas e corrupção da alta corte, que não tira o povo da miséria eterna nestas paragens latinas, me fez lembrar ainda de outro grande estadista, também inglês: Winston Churchill: “O socialismo é a filosofia da falha, o credo da ignorância e o evangelho da inveja. Sua virtude inerente é a divisão igualitária da miséria”. Na verdade o que o socialismo no mundo nos deixou de pior foram estes resquícios apodrecidos de um sistema senil e populista tupiniquim, já em fase terminal, mas que insiste em contaminar democracias frágeis para manutenção do “status quo” da sua corte, nada mais do que isso. Não há nada de ideologia nesta turma.
  
Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br 
São José do Rio Pardo

*
A CONVENIENTE SAÍDA DE DILMA

Fica muito difícil para um governante que é constantemente desmoralizado, como é o caso da presidente Dilma, continuar governando milhões de brasileiros. Sem o respeito desses milhões que a põem em situação degradante com piadas vulgares, e apelidos como “anta”; sem a confiança em sua pessoa, que se esvai a cada discurso seu, a cada aparição, pois usa de mentiras para levar o povo a uma esfera irreal, quando o povo já percebe uma realidade muito diferente da que ela pinta; sem credibilidade no exterior; sem respaldo do Congresso; sem o apoio da população, que entende agora que, se hoje nos encontramos numa caótica situação econômica, foi Dilma que nos conduziu a ela. Se percebemos que há uma crise ética que proliferou sob seu consentimento silencioso, numa corrupção descontrolada e maléfica na maior empresa brasileira; se não enxergamos que o Brasil vai melhorar com Dilma; se não vemos nela competência para nos livrar da crise que ela própria instaurou, ficará impraticável a permanência da petista na condução do País. Para ter uma ideia da gravidade da condição da presidente, no domingo, depois de seu discurso, a hashtag “VAIADILMA” ficou em primeiro lugar no trending topics do Twitter no mundo, numa incrível manifestação pública de rejeição. Panelaço, buzinaço, o Brasil, assim, não sairá do atoleiro. O mais saudável e prudente para o País é que Dilma renuncie.

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 
São Paulo

*
VAMOS COM CALMA

Vivemos num Estado Democrático de Direito, e nada mais justo que os cidadãos com voz ativa e não reprimida (como nos duros tempos da ditadura) clamarem por justiça. Mas vale lembrar que justiça não se faz às pressas, com enfraquecimento das instituições e seus representantes, tampouco das sacadas de condomínios. Não deveríamos copiar a vizinha Argentina no panelaço, que, ao que sabemos, não resolveu coisa alguma, mas buscarmos fortalecer um Congresso com legítimos representantes do povo, pois de nada resolvem 50 milhões de insatisfeitos e 513 deputados e 81 senadores refestelados em gabinetes.

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com
São Paulo
   
*
PREVISIBILIDADE

Apostei com alguns amigos que cortaria o mindinho se, no pronunciamento pelo Dia internacional da Mulher, dona Dilma não se ufanasse pela promulgação da lei que torna crime hediondo o assassinato de mulheres – o feminicídio. Ufa! Meu dedinho está salvo! Ainda bem que a governanta é tão previsível! 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul 

*
CPI DA PETROBRÁS

O depoimento do engenheiro Pedro Barusco na CPI da Petrobrás ontem (“Propina foi ‘institucionalizada’ em 2004, afirma ex-gerente à CPI”) mostra um quadro que exige muita reflexão. Em primeiro lugar, como aceitar que uma empresa do porte da Petrobrás não tenha um controle sobre seus funcionários de cargos de chefia e os contratos firmados por eles em várias atividades? Vem a seguir a facilidade com que o empresariado formulava propostas e pagava propinas para prestar serviços. E até que ponto as afirmações do depoente podem ser aceitas como  verdadeiras? Como criminoso confesso, podem ser consideradas como verdadeiras as suas acusações? E, por fim, as fraudes se deram apenas nos governos petistas?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
PROPINA PARA O PT

Se Dilma Rousseff e Lula sabiam da roubalheira que estava sendo praticada na Petrobrás, conforme delação do doleiro Alberto Youssef – e com certeza sabiam –, de forma alguma pode-se dizer que todas as informações existentes indicam ser a presidente uma pessoa honesta. Independentemente de ser responsabilizada por ação ou omissão, se ela sabia, é tão culpada quanto aqueles que recebiam o butim surrupiado. Não há nenhuma diferença. Não existe motivo para ela estar fora da lista dos políticos investigados.

Humberto Boh hubose@gmail.com 
São Paulo

*
DELAÇÃO PREMIADA

Evidentemente, os denunciados pelo delatores da Operação Lava Jato sempre negarão os ilícitos. Entretanto, considerando que o aceite dos termos da delação premiada não admite mentiras, pois os delatores perderiam a futura diminuição de pena, sem ganhar nada os apontando, acredito plenamente nas acusações. Oportunidade única de passar a limpo a Justiça.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com  
São Paulo

*
A CORRUPÇÃO E A CAMPANHA DE 2010

Se não há indícios mínimos contra Dilma, então o coelhinho da Páscoa existe.

Glória Anaruma gloria.anaruma@gmail.com
Jundiaí

*
NUNCA ANTES

Os brasileiros já estão com saudades do tempo em que as propinas cabiam em cuecas. Hoje, com os swissleaks e doleiros, a coisa está de um jeito como nunca se viu antes neste país tropical...

Roberto Cardieri Ferreira roberto1283@terra.com.br 
São Paulo

*
DIA 13

Sabem o que Lula vai pedir no próximo dia 13? Vai pedir que os ladrões da Petrobrás salvem a Petrobrás!

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*
A LISTA DO PETROLÃO

Ao ver o nome da petista Gleisi Hoffmann (PT-PR)  no  listão negropetróleo “A Petrobrás é nossa”, logo me ocorreu Nelson Rodrigues: “Bonitinha, mas ordinária...”
 
Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br 
São Paulo

*
TRISTE REALIDADE
 
Não há mais quem aguente tanto descalabro do qual é vítima o nosso país. Não é possível que possa haver tranquilidade nas hostes nacionais, quando o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, ambos do PMDB, são acusados de receber propinas do escabroso caso da Petrobrás. Confirmadas as práticas desses ilícitos pela Justiça, o que devemos esperar deste Congresso Nacional? A paciência do povo brasileiro tem limites, está se esgotando e a cada dia ele se enoja mais desta classe política, com raras exceções, que denigre a imagem da Nação e que não tem mãos a medir na defesa de seus interesses pessoais. 
  
Francisco  Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
LUGAR DE BANDIDO

Com a predominância dos deputados do PP na gangue que depenou a Petrobrás, finalmente o deputado Paulo Maluf, procurado pela Interpol, poderá mostrar serviço trabalhando para a prisão de seus companheiros e fazendo jus ao mote de sua campanha política: “Lugar de bandido é na cadeia”. 

Paulo Ruas pstreets@terra.com.br
São Paulo 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.