Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

21 Março 2015 | 02h07

Caos político X propaganda

A manchete do Estadão de 18/3, Documento do Planalto avalia que País vive 'caos político', revela a total falta de compromisso do governo Dilma Rousseff com a recuperação da economia. O tal documento aponta como necessidade maiores gastos com propaganda, como se melhorar a imagem do governo fosse algo essencial na crise que vivemos, e não suas medidas de austeridade. Antes de aumentar impostos e reduzir direitos trabalhistas, Dilma deveria anunciar profundos cortes de gasto público, como a redução de ministérios, de cargos em comissão no governo federal, eliminação de cartões corporativos, redução de gastos com propaganda oficial, concentração dos investimentos de infraestrutura exclusivamente no Brasil. Enfim, cortes que façam sentido diante das necessidades de conter a inflação e a recessão causadas pela gastança desenfreada que tivemos em 2014 e culminou com a ordem de Dilma de alterar a lei para não ser enquadrada em crime de responsabilidade fiscal.

CARLOS DE OLIVEIRA AVILA

gardjota@gmail.com

São Paulo

O governo federal quer dar como solução para a crise "investimento em propaganda em São Paulo". Não seria melhor investir em moradias populares, para acabar com favelas; na limpeza de nossas ruas, que estão mais sujas do que nunca; na remoção de entulhos que a própria Prefeitura deixa após obras; no corte de mato (já não podemos chamar de grama) de nossos canteiros; na poda de árvores e na remoção de galhos que estão espalhados pela cidade por causa dos temporais que derrubaram inúmeras árvores na cidade? Com tantos problemas, continuamos pintando ruas e agora vamos informar à população paulistana que tudo está bem?! Os paulistanos sabem a verdade e não vai ser um informativo mentiroso que mudará a opinião deles. Quanto à "informação" do sr. Sibá Machado, líder do PT na Câmara dos Deputados, de que a CIA estaria por trás da passeata de domingo, é estranha: estive lá e não fui convidado pela CIA.

CARLOS ALBERTO DUARTE

carlosadu@yahoo.com.br

São Paulo

Estou curioso para saber o que exatamente o documento reservado do Planalto quer dizer com investimento maciço em publicidade. Teriam material para tal? Quanto à maior exposição de dona Dilma, vão conseguir aumentar a venda de panelas e frigideiras... O PT está na última lona, pois seus adeptos também vão ter de pagar a conta, estão sentindo isso e caindo na real.

AIRTON MOREIRA SANCHES

moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

Eles não entendem mesmo

O governo e seu partido continuam não entendendo nada. O problema não é massificar a publicidade em São Paulo, a solução é estancar a corrupção e interromper esses discursos divisionistas. A rejeição dos paulistas a essa governança está clara, só não vê quem não quer ou é cego e surdo.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Mistérios

1) Quem será o verdadeiro autor do "documento reservado" do Planalto que se refere ao "caos político", veementemente negado pelo ministro da Justiça, o qual diz desconhecer quem o teria redigido? 2) Esse autor desconhecido, ao elaborar os termos do documento, promoveu antes um diálogo com a cúpula palaciana? 3) Como podem os altos membros do Executivo se propor a dialogar com o Legislativo e com os vários segmentos sociais, se não conseguem dialogar coerentemente entre si? 4) Como é possível o ministro da Justiça não ter percebido uma situação, que podemos chamar, sem medo de errar, de caos político, se foi exatamente contra essa situação que estiveram nas ruas do País 2 milhões de testemunhas brasileiras, no dia 15 de março? Alguém se disporia a fazer as vezes de Sherlock ou Poirot para desvendar tais mistérios?

EDMÉA RAMOS DA SILVA

paulameia@terra.com.br

Santos

Óbvias respostas

O texto que cita "caos político" não é oficial, afirma Dilma (20/3, A4). Será que se trata de mais um documento falho? O texto foi divulgado pelo portal estadao.com.br na terça-feira. O documento reservado do Planalto é um retrato do momento caótico por que passa o governo e foi elaborado pela Secretaria de Comunicação da Presidência, sob o comando de Thomas Traumann, com três interrogativas pertinentes. A primeira, "onde estamos?", atesta que estão sem rumo, totalmente à deriva. A segunda, "como chegamos até aqui?", é elementar: usando medidas populistas, reelegendo a presidente com mentiras, subornando deputados e senadores com cargos, aliciando a base aliada com verbas e acariciando a corrupção. A terceira, "como virar o jogo?", não vai virar nunca, time ruim e covarde não vira jogo, além disso, 200 milhões de torcedores irritados batem panelas, buzinam e exigem a demissão de toda a comissão técnica. Assim, Traumann vai fazer companhia a Cid Gomes no rol dos desempregados e a presidente Dilma, "sem querer querendo", vai mudando o seu Ministério.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

A voz do PT

Escutando rádio na segunda-feira, dia 16, fiquei com uma grande dúvida: A Voz do Brasil é um programa do Estado brasileiro ou dos PeTralhas? Outra dúvida: nossos políticos, deputados e senadores, estão no Brasil ou vivem na Lua e são alienados? Essas dúvidas surgiram porque depois da maior manifestação contra um governo corrupto, "como nunca antes visto neste país", simplesmente não falaram nada no programa de rádio. Será que os PeTralhas querem continuar a iludir a população, tendo em vista esse programa ser muito escutado no interior, principalmente no Nordeste brasileiro?

N. SALLES

sallesnivaldo@gmail.com

São Paulo

Desperdício

Há dois meses e meio que esse governo corrupto faz água. Falta canalizá-la para a Cantareira.

HUMBERTO DE L. FREIRE FILHO

hlffilho@gmail.com

São Paulo

ENCHENTES

Chuvarada esperada

Tudo o que sobe uma hora cai, claro que os governantes não sabem disso e acordam quando a enxurrada varre a rua. Só resta ao contribuinte que teve a sua vida destroçada entrar na Justiça por indenização, que o governante lhe pagará no Dia de São Nunca, como é a prática dos governos nanicos no Brasil.

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O BALANÇO DA PETROBRÁS

A Petrobrás deverá considerar como “perdas” os valores já apurados pela Operação Lava Jato. Cabe perguntar: os valores não são recuperáveis? Corruptos e corruptores até agora identificados não reporão o dinheiro surrupiado, com multas e correção? Seria o caso de criar o item (que vergonha!) “valores a recuperar”?

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

ABORDAGEM INCORRETA

Segundo notícia na primeira página do “Estado” de ontem, a Petrobrás contabilizará como perda os valores apurados pela Operação Lava Jato. Pelo que entendo, referidos valores correspondem a sobrepreço cobrado pelos seus fornecedores, para ressarcimento de valor por eles pago, a título de suborno, a funcionários daquela empresa e a terceiros, inclusive partidos políticos. Como contador, sinto-me obrigado e expor que essa abordagem é incorreta e irresponsável, pelas absurdas consequências que dela advirão. Para início de conversa, ela é incorreta, já que tais pagamentos foram efetuados pelos seus fornecedores a terceiros, sem nenhuma participação da Petrobrás, mesmo se entre eles alguns de seus funcionários estivessem envolvidos. Apenas para exagerar o alcance dessa interpretação, é suficiente considerar que, em principio, todo sobrepreço cobrado por fornecedores – parcela acrescida ao preço de custo (lucro bruto); a comissão paga pelo fornecedor foi um custo por eles incorrido, independentemente de sua procedência jurídica – deveria ser abatido do preço faturado, o que teoricamente obrigaria o comprador a contabilizar o custo do produto ou serviço pelo valor de custo ao fornecedor, sem parcela de sobrepreço para remuneração econômica da atividade. O preço de custo é um dos principais elementos objetivos considerados pelas normas de contabilidade geralmente aceitas. Essa observação conduz a outro absurdo, pois pressupõe que o comprador deverá recorrer a um “second guess” para determinar qual o preço justo da compra do bem ou do serviço. Ademais, segundo os preceitos contábeis, a Petrobrás não tem como contabilizar o efeito econômico de transações entre seus fornecedores e terceiros, já que ela não foi objeto do evento econômico, como entidade jurídica, dessas ocorrências. Em segundo lugar, igualmente grave, é o precedente que essa iniciativa introduz nas normas contábeis, pois em todas as transações entre compradores e vendedores, que ocasionaram suborno a terceiros, deverão doravante ser identificadas e quantificadas, e devidamente contabilizadas como perda pelo comprador. Finalmente, o fato econômico é que o preço faturado e pago pela Petrobrás foi o custo dos correspondentes bens ou serviços por ela adquiridos. Para reduzir esse custo, sob a justificativa de que ocasionou perda por sobre-preço para subornar terceiros, em ultima analise, seria reconhecer que a Petrobras foi intermediaria nesses pagamentos por seus fornecedores, já que pretende reconhecê-lo como perda por ela incorrida. Como subproduto dessa imprudente decisão, deve-se considerar seus efeitos fiscais, referentes aos valores das depreciações contabilizadas e abatidas do lucro tributável referentes a valores subseqüentemente retificados. Finalmente, para concluir, desde já alerto que, se os auditores independentes da Petrobrás aceitarem semelhante contabilização sem ressalva, irei levar o assunto à analise do Conselho Regional de Contabilidade e à Comissão de Valores Mobiliários, para determinar qual a base doutrinária que justificou essa decisão profissional. Minhas pesquisas não apuraram nenhum caso no mundo em que o custo de aquisição de um bem ou serviço deverá ser retificado pelo valor da propina paga pelo fornecedor a um terceiro que facilitou o negócio.

 

Paulo Adolpho Santi pasanti@terra.com.br

Valinhos

*

CONSULTORIA

O glorioso Aldemir Bendine, aquele do empréstimo para a socialite Val Marchiori, diz que a Petrobrás precisa ser reinventada e quer contratar uma consultoria para fazer este trabalho. Eu tenho uma sugestão: que tal contratar o renomado “consultor” José Dirceu? Para quem recebeu dinheiro até de Cuba, é sinal de que o cara é “bão” no assunto e entende do riscado. Se não der certo, temos Palocci, Vaccarezza, Delúbio, Lula e outros renomados “consultores”. Aliás, Graça Foster pode ser uma ótima opção também. Enfim, atualmente nomes de “expressão” não faltam, infelizmente.

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

O PETROLÃO NA SUÍÇA

A Suíça bloqueou US$ 400 milhões da roubalheira. Já não se sabe o que é governo e o que é quadrilha. Ou, pior, se é uma coisa só...

A.Fernandes standyball@hotmail.com  

São Paulo

*

PETRODÓLARES JORRAM NA SUÍÇA

As provas da corrupção desta era petista só aumentam. Para incrementar mais ainda a agonia do Planalto, a procuradoria Suíça identifica em 30 de seus bancos US$ 400 milhões, ou R$ 1,3 bilhão, de supostos recursos desviados da Petrobrás. Com os US$ 120 milhões, ou R$ 400 milhões já repatriados, a conta chega aos impressionantes R$ 1,7 bilhão. Isso somente nestes bancos suíços... Já imaginaram quantos outros milhões ou bilhões de dólares desviados da Petrobrás, e de outras estatais brasileiras, não estão enrustidos em outros bancos de paraísos fiscais? O Planalto que se cuide...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CADÊ OS ÓRGÃOS FEDERAIS?

 

Um órgão do governo da Suíça descobriu e bloqueou, no Banco HSBC, várias contas de funcionários da Petrobrás e políticos brasileiros. Cadê os órgãos do governo federal, TCU, CGU, Receita Federal, que dizem ter um software avançadíssimo, etc.? São incompetentes ou recebem ordens superiores para não verem, não ouvirem nem saberem de nada, plagiando Lula? Brasil, Pátria Corrupta.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

ÓDIO

Todo petista tem o direito de considerar como ódio o que sinto pelo PT e seus vis caudatários. E sabem por quê? Porque toda vez que vejo crianças pedindo esmolas nos semáforos; que penso nas crianças que vivem nas favelas passando fome; nas famílias desgraçadas do agreste Norte/Nordestino; que vejo hospitais públicos lotados e o povo em seus corredores abarrotados; que vou aos centros de saúde e vejo que eles não têm os remédios que deveriam ter sido enviados pelo Ministério da Saúde; que vejo vítimas das drogas que entram pela fronteira da Bolívia e, ao lado disso, vejo estes canalhas do PT com milhões de dólares no exterior desviados da Petrobrás e certamente de outros órgãos estatais, eu me lembro deles!

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

‘HORA DE CALAR’

O silêncio de Renato Duque na CPI da Petrobrás demonstra o quanto essa camarilha agiu e continua agindo no erário nacional. O Brasil está se levantando e certamente banirá os assaltantes e quadrilheiros que se instalaram no poder, deixando o Brasil e seu povo em um mísero estado. Este país tropical e abençoado por Deus é o nosso país, que estamos defendendo com o nosso labor e amor.

Valdir Abdallah papi.brasil@hotmail.com

São Paulo

*

FALANTE OU CALADO?

Da série “sarcasmo numa hora dessa?”: e nas horas que o meliante Renato Duque pedia propina? Ele o pedia falando ou pedia calando?

Gustavo Gori Maia ggmaia@gmail.com

Itatiba

*

CPI DA PETROBRÁS

Já pensaram num Renato Duque com a desenvoltura e a verbalização do Cid Gomes? O pau ia comer solto.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

FICHA LIMPA

De que adianta estender a Lei da Ficha Limpa a todos os funcionários federais, inclusive a ocupantes de cargo de confiança? Nestor Cerveró, Renato Duque e Paulo Roberto Costa não eram fichas limpas quando ingressaram na Petrobrás?

Odilon Otávio dos Santos

Marília

*

LULA E CID

 

Em setembro de 1993, referindo-se à Câmara dos Deputados, Lula se notabilizou com a seguinte frase: “Há uma maioria de 300 picaretas que defendem apenas seus próprios interesses”, sem que nada lhe acontecesse. Depois Lula galgou o cargo de presidente numa profícua gestão a que Dilma deu continuidade. Agora, como ministro da Educação, Cid Gomes se deu mal e está em vias de ser processado, sem estar blindado, ao aumentar para 400 o número de “achacadores” naquela Casa. Ambos erraram: não deveriam externar seus pensamentos.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

FARINHAS DO MESMO SACO

O ex-presidente Lula, quando foi eleito deputado, dizia que na Câmara havia 300 picaretas. Cid Gomes, agora ex-ministro da Educação, porque foi demitido, disse que na Câmara há 300 ou 400 achacadores. Merecem credibilidade esses políticos. Pelo visto são todos farinhas do mesmo saco!

Celso Xavier da Rosa celsoxr@hotmail.com

Estiva (MG)

*

EL CID DO CEARÁ

 

Encarnando seu xará El Cid Campeador, o Cid do Ceará investiu de lança em riste contra o feudo Câmara dos Deputados. Como El Cid no ataque a Toledo, acabou derrotado e desterrado do Ministério da Educação. Qual será sua próxima aliança para buscar a volta por cima?

 

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

*

RECRUTAMENTO

Pretendendo ajudar nossa governanta, estive cogitando alguns nomes para ocupar a recente vaga no Ministério da Educação desta “Pátria Educadora”: Stédile, com seu exército de armas brancas; o nobre deputado Tiririca, um circo em cada esquina; Luciana Genro, uma ova; Gilberto Carvalho, a proverbial verve; Marilena Chauí, “odeio a classe média” (aposentada na USP com um salário de R$ 23.508,00); Jair Bolsonaro, “não estupro quem não merece”; Marco Aurélio Garcia, top top; entre outros.

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

*

DÚVIDA

Será que foi falta de educação do sr. ministro da Educação, ou ele foi defenestrado por apontar um número de achacadores superior ao apresentado pelo nosso ex-presidente?

Alexandru Solomon alex101243@Gmail.com

São Paulo

*

CID GOMES DEMITIDO

Cuidado, se você disser meia dúzia de verdades, você pode ser demitido!

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

DIÁLOGO COM HUMILDADE

O Ministério eu não mudo, mas se a mudança não acontecer podemos mudar o ministro, assim a Pátria Educadora vai mudar a educação e para mudar tem de melhorar a educação no Brasil. Muito obrigada.

 

Sergio d’Avila samvilar@uol.com.br

São Paulo

*

O CONGRESSO DE NOVO...

O Congresso Nacional aprovou o Orçamento da União de 2015 e aproveitou o embalo na calada da noite (17/3) para incluir a emenda que reajusta o Fundo Partidário dos atuais R$ 289,50 milhões para R$ 867,50 milhões. A medida agora seguirá para sanção da presidente Dilma. Mas o objetivo primordial do governo não é conter as despesas e pôr a economia nos trilhos? Para mais essa afronta à sociedade, sempre é bom refletir a frase do ex-presidente norte-americano Harry Truman (1945-1953): “As minhas vocações na vida sempre foram ser pianista num bordel ou ser político”.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

ESCÁRNIO

Deixa eu ver se entendi: para sanar o rombo nas contas públicas, o povo miserável contribui com mais impostos, enquanto a União destina R$ 867 milhões ao Fundo Partidário, assim, como se fosse a coisa mais natural do mundo? Dá para ficar calado?

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

INIMIGOS DO BRASIL

É inaceitável que o Congresso Nacional tenha triplicado os valores do Fundo Partidário. Estamos no meio de uma grave crise econômica, em que todos deveriam apertar os cintos e reduzir custos e gastos. Mas eis que o Congresso Nacional vai na direção oposta, da gastança, do desperdício e, sobretudo, nas decisões feitas em causa própria, em seu próprio benefício e contra os interesses da população brasileira. Figuras como Eduardo Cunha e Renan Calheiros – que comandam a Câmara e o Senado Federal – são o melhor exemplo do que há de pior na política. Esses deputados e senadores que aprovaram que o valor do Fundo Partidário seja triplicado agem apenas em causa própria e são verdadeiros inimigos do povo brasileiro.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

ACHAM QUE SOMOS TROUXAS?

Num momento que o País passa por dificuldades, com o caixa estourado, gastando mais do que arrecada, o governo empurra goela abaixo dos contribuintes impostos e mais impostos, com a desculpa esfarrapada de equilibrar as contas, mas mantém as mordomias dos Três Poderes em alto astral. Recentemente, num toque de mágica, os políticos reajustaram sem pudor a tal “verba de gabinete” para encher os seus bolsos. Agora, como se não bastasse, aprovaram de supetão o famigerado Fundo Partidário, triplicando o valor a ser repassado para os partidos políticos. Sinceramente, eu não entendo. Ou estão subestimando a nossa capacidade de entendimento ou simplesmente nos fazendo de “trouxas”. Dá vergonha de ser brasileiro.

José Pedro Zanetti zanettao@yahoo.com.br

Rio Claro

*

DILMA E O CONGRESSO

Longe de mim querer defender Dilma Rousseff, mas com um Congresso desses é quase impossível governar. Triplicar o valor do Fundo Partidário e insistir em financiamento público de campanha? Será que eles não entenderam o recado de domingo 15/3?

José C. M. Reis jcelid@uol.com.br

São Paulo

*

E NÓS ASSISTIMOS A ISSO?

Vergonhoso, absurdo que o País, em plena crise, com a população sendo sacrificada e tendo de sobreviver mal e porcamente devido a este governo incapaz, inoperante e corrupto, tenha de ver o Congresso triplicar o valor do Fundo Partidário, que era de R$ 289,5 milhões e passará a R$ 867,5 milhões. Além disso, cada novo congressista, independentemente de precisar ou não, foi contemplado com R$ 10 milhões em emendas parlamentares, sendo que os mais antigos terão direito a R$ 16 milhões. Ou seja, como a maioria é da velha guarda, obterá tal valor. Será um tal de fraudar emendas, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ULTRAJANTE AUMENTO

Não acreditei que fosse verdade a manchete que se via impressa na primeira página do “Estadão” esta semana: “Congresso triplica valor do Fundo Partidário”. Quando mais se luta para diminuir custos, calar a corrupção, os deputados e senadores, na calada da noite, na surdina, resolvem simplesmente surripiar dos cofres públicos o triplo do que vinham surripiando, ou seja, R$ 867,5 milhões, para o Fundo Partidário. É ato vergonhoso. Revoltante. Tenho por absolutamente certo que o Congresso é composto de homens desconectados da realidade brasileira, pois não é cabível tentar apagar o fogo da revolta popular que irrompe por todos os cantos do País com mais esta provocativa e sonora bofetada na cara do povo. Zombem, senhores congressistas, afrontem a ira popular, com esta mais inacreditável zombaria. Pelo visto e pelo certo o Congresso é surdo aos rumores das ruas. Eles, os congressistas, não dão a mínima importância para a revolta soturna que, tanto como nuvens prenunciadoras de borrasca iminente, negrejam pelos lados de Brasília. Continuem com este ar de desdém e de ultrajante desprezo pelo povo. Atirem-lhes na arena da revolta popular mais esta solene “banana”, aliás, como sempre o fizeram! Porém, senhores, atentem para o que dizem e o que fazem, pois “montar num tigre” é fácil, o difícil é desmontar dele depois.

 

Antonio Bonival Camargo  bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

A PALAVRA DE DEUS

Sobre a notícia de que os congressistas triplicaram (!) o valor do Fundo Partidário, ou seja, dos recursos para o livre uso (e desperdício) em manobras políticas de seu próprio interesse, amplamente alheias às necessidades da sociedade que deveriam representar, quero, aqui, como cristão evangélico, lembrar ao menos os parlamentares ditos evangélicos que se omitiram em impedir essa afronta ao cidadão trabalhador e contribuinte – a começar pelo presidente da Câmara – o que diz a respeito o padrão de ética de todo evangélico, a “Bíblia”: “[Os arrogantes] dizem: ‘Como saberá Deus? Terá conhecimento o Altíssimo?’ Assim são os ímpios; sempre despreocupados, aumentam suas riquezas” e “entrei no santuário de Deus e então compreendi o destino dos ímpios. Certamente os pões em terreno escorregadio e os fazes cair na ruína” (Sl 73.11-12 e 17-18). Recomendo também a leitura de Salmo 94.7, Isaías 5.8 e Amós 6.1 e, finalizando: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba, pois o que o homem semear, isso também colherá” (Gl 6.7).

Rolando Körber roland@korber.com.br

São Paulo

*

PICARETAS E ACHACADORES

Lula, em certa oportunidade, disse que a Câmara dos Deputados tinha 300 picaretas. Recentemente, Cid Gomes, irmão de Ciro, disse que o mesmo órgão tem 400 achacadores. Picareta ou achacador poderíamos considerar sinônimos, se considerarmos quem está sendo averiguado. A Operação Lava Jato, que atingiu somente o nanico PP, já botou no banco dos réus 48 congressistas. Imaginem quando chegar a vez do PT, do PMBD e da base aliada. Certamente daremos razão a Cid e a Lula, que breve também virará réu pelos mesmos motivos.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FUNDO PARTIDÁRIO TRIPLICADO

Alguém pode avisar aos parlamentares (deputados federais e senadores) que os brasileiros não estão indo para as ruas apenas para derrubar a Dilma, mas para moralizar o País, e isso incluiu o Congresso e o STF? Agradeço.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

ALÍVIO

O povo brasileiro vai dormir tranquilo agora, após a divulgação do “pacote anticorrupção”. A partir de agora, as dezenas de milhares de leis brasileiras serão cumpridas. Que alívio! Ainda bem que temos uma presidente tão inteligente e tão bem assessorada por 39 ministros, 81 senadores e mais de 500 deputados federais. A partir de hoje, a crise acabou, os empregos estão disponíveis para todos, podemos perceber a deflação, o câmbio está favorável para o comércio exterior e a segurança e a paz reinam no nosso Brasil continental.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

PACOTE ANTICORRUPÇÃO

...e então a “senhora idosa” serviu um “prato requentado” (velho pacote).

José Gilberto Silvestrini jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

*

A NETA DA ‘SENHORA IDOSA’

A presidenta Dilma falou: “A corrupção não nasceu hoje, ela não só é uma senhora bastante idosa neste país, como não poupa ninguém, pode estar em tudo quanto é área, inclusive no setor privado”. Ela tem razão, mas parece que essa “senhora bastante idosa” tem uma netinha de 12 anos de idade que é muito mais levada que a avó. A netinha aprendeu muito rápido a praticar travessuras e anda aprontando bastante em Brasília e na Petrobrás.

Amaury Vieira novopen@hotmail.com

Campinas

*

A SENHORA CORRUPÇÃO

Dilma, minimizando suas responsabilidades, personifica a corrupção e afirma tratar-se de uma “senhora idosa”. O termo cabe bem aos valores petistas que tratam a senhora corrupção como suprema, com tanto respeito e carinho que corremos o risco de essa criatura sorrateira viver eternamente entre nós.

 

Eduardo L. Bicudo Ferraro brigadeiroourinhos@gmail.com

Ourinhos

*

PEREM

A presidente Dilma e seus articuladores políticos continuam com a mesma e mísera mensagem “nós não engavetamos...”. Do seu pacote anticorrupção nada será feito. Quanto à corrupção para baixo do tapete, isso não é possível, pois não cabem em 2 estádios do Maracanã. Deixem o passado, pois José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoino e João Paulo Cunha já faziam caixa 2 desde 2003. Agora são Renato Duque e João Vaccari, além de outros. A popularidade da senhora Dilma está na casa dos 13%. Mude de atitude ou renuncie.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

POPULISMO

Governo populista oferece R$ 4 bilhões para ajudar os clubes esportivos, que são mal administrados. Assim, somos nós que pagamos salários de jogadores de até R$ 500 mil por mês. É revoltante...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

AS DÍVIDAS DOS CLUBES

Futebol! Tudo o que faltava ao interesse do País é a prorrogação por 20 anos das imensas dívidas dos clubes, entre elas com a Previdência Social. Incrivelmente, com tantos jogos, plateias, estádios, alugueres, vendas de jogadores por preços absurdos para o exterior e, mesmo assim, continuam devendo. Esse e outros benefícios públicos, ou o nome que queiram dar, em seus efeitos colaterais já mostraram consequências negativas, mais ainda quando se propões ajuste fiscal. A redução de direitos ao trabalhador, juros nas alturas tendendo a mais aumentos, inflação subindo, preços administrados  energia e combustível idem, em suma, mais custos para a sociedade sem perspectivas, endividada e que não tem a quem recorrer. Se a presidente Dilma, não obstante seus propósitos delirantes, tivesse um pouco de prudência, preferiria da mesma forma a sociedade mais necessitada que os times de futebol.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

OS CLUBES E OS PEQUENOS

Os clubes de futebol terão 20 anos para refinanciar as suas dívidas em suaves prestações. Se uma pequena empresa ficar devendo impostos, o que acontece com ela? É protestada e vai parar no Serasa. Certo? O governo poderia dar uns 20 anos para as pequenas e médias empresas pagarem as suas dívidas? Será que o futebol tem mais importância neste país que uma empresa de alimentos ou de tecidos, ou de prestação de serviços?

José Martin jlmartin@estadao.com.br

São Paulo

*

CBF

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, declarou em Zurique que no Brasil pagam-se salários aos jogadores de futebol fora da realidade. Em Brasília a presidente, demagógica e irresponsavelmente, envia ao Congresso medida provisória que permite o refinanciamento da vergonhosa dívida fiscal dos clubes de futebol que terão até 240 meses, ou seja, até 20 anos para pagarem suas dívidas. Arrocho de todo o lado e para a populista e irresponsável comunidade futebolística... “moleza”. Isso faz-me lembrar o provérbio francês: “Quem se parece se junta”.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

É DE REVOLTAR

Por que as dívidas dos clubes podem ser parceladas em 20 anos, sem entrada, e para as empresas não podem? As empresas que produzem, pagam tributos, geram empregos, trazem inovações tecnológicas, contribuem para o avanço do País não podem ter essa benesse. Um bando de sonegadores, sim, sonegadores, este é o termo correto, que deveriam estar atrás das grades, tem uma facilidade que nos deixa revoltados.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A SURDEZ CONTINUA

As reações da Presidência e de seu partido às contundentes manifestações das ruas deixam claro que Dilma Rousseff pretende seguir fingindo que não foi pega na mentira. Isso diante de um país indignado com a quebra de promessas ainda vivas para quem lhe deu atenção na campanha eleitoral, por quem mais deveria respeitar regras básicas e não escritas de convivência social (promessa é dívida!). Diante do Legislativo o Executivo está de joelhos. Golpes fatais foram desferidos na verdade, na confiabilidade, na competência. Conquistas sociais entram em risco por conta da condução da economia. O Brasil vai mal. Diante desse cenário, inalterável até com multidões nas ruas, por que Dilma quer permanecer numa função para a qual não tem mais nenhum poder?

 

Carlos Serafim Martinez gymno@uol.com.br

Campinas

*

COM AMOR E CARINHO

Juro que não estou entendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Será que tem uma carta poderosa em mãos? Primeiro afirmou que a crise deve ser levada em banho-maria, depois, ao “Estado”, disse que a presidente Dilma teria um tempo para reagir. Caríssimo presidente, se a situação fosse inversa e tivéssemos um presidente do PSDB questionado por ilícitos ou fracassos políticos, econômicos e sociais como o da atual mandatária, Lula, Dilma e seus asseclas já teriam ido às ruas sem qualquer receio e acredite, até o impeachment já teria sido votado, pois para os petistas não seria necessário uma bomba atômica, como a que destruiu a Petrobrás, mas,  apenas um traque para que detonassem o governo. Do jeito que as coisas caminham, não será de estranhar que um buquê de rosas vermelhas seja enviado ao Palácio para uma dama triste e abandonada e com um bilhetinho escrito com esmero, amor e carinho: não se preocupe nesta vida tudo passa e esta crise também vai passar, uma estrela solitária em sua vida, novamente vai brilhar. 

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

FACILITADORA

Não concordo com a opinião de FHC, pois acho que a base do impeachment é que a presidenta facilitou a corrupção na Petrobrás, como também em outras estatais que estão sendo investigadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Renzo Orlando renzoorlando@uol.com.br

São Paulo

    

 

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.