Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA (?)

O Estado de S.Paulo

25 Março 2015 | 02h07

O oPorTunismo, de novo!

No mesmo dia em se noticiou a manutenção do grau de investimento do Brasil pela Standard & Poor's (S&P), decisão baseada no ajuste fiscal a ser implementado, a manchete do Estadão foi que a presidente sinalizou ao PT que pretende rediscutir os termos das MPs que foram anunciadas como parte do ajuste fiscal. Ou seja, garantido o grau, rasga-se o compromisso! Será que a S&P não se vai sentir traída?

JOÃO PAULO MENDES PARREIRA

jpmparreira@hotmail.com

São Caetano do Sul

Ajuste fiscal fajuto

Falar em ajuste fiscal e depois dar um jeitinho brasileiro ou fazer uma contabilidade criativa? Têm de avisar ao Planalto que as agências de classificação de risco são esclarecidas! Aliás, valeu fazer o diabo? Cobrança do capeta sai cara: inflação em alta, dólar nas alturas, educação devedora,desmatamento recorde, emprego em baixa, avaliação no chão...

MOISES GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

Mala aviada

Não se iludam com o voto de confiança da agência S&P mantendo a nota de crédito do Brasil no patamar considerado "grau de investimento". Na minha opinião, a manutenção do tal selo de bom pagador se deve exclusivamente à palavra empenhada do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, dono de merecido prestígio internacional. É bom, todavia, o ministro deixar a mala pronta, pois dona Dilma já prometeu a Lula e ao PT que vai rever "pontos" de seu ajuste fiscal.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Promessas

Não é ao PT nem ao Lula que Dilma deve prometer mudanças, mas sim ao povo!

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

Enganação de sempre

Joaquim Levy pode ficar sossegado, pois, como Dilma não cumpre suas promessas, desta vez os enganados serão Lula e o PT.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

O jogo de Lula

À parte a arrogância e o individualismo da presidente Dilma, Lula precisa ser lembrado de que a atual situação brasileira, fruto do seu "poste", não é uma mera partida de futebol de várzea. Estamos à beira de uma crise institucional e esse cidadão, responsável direto por tudo o que está acontecendo, mantém seu discurso canhestro, achando que continua sendo o dono da bola. A questão principal é: precisamos ou não das reformas fiscais propostas? O resto é lorota de jogadores fracassados (Executivo e Congresso) tentando justificar as vaias da torcida.

HONYLDO R. PEREIRA PINTO

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

Vendedor de ilusões

Para alguns, um gênio; para os eleitores brasileiros sensatos e preocupados com a Nação, Lula está mais para pai das quadrilhas do mensalão e da Operação Lava Jato. O ex-presidente, que do alto do seu delírio prometeu que, se chegasse ao poder, entregaria um País desenvolvido e acima de tudo ético, passados 12 anos do PT no Planalto nos faz amargar uma economia em recessão e a corrupção em nível nunca antes visto! Tentaram sem cessar enganar o povão, porém hoje o PT, com Lula, Dilma & Cia., vive achincalhado e ao som de panelaços pelas ruas e avenidas do Brasil. Ou seja, perversos que são, confundiram o apoio das urnas com senha para libertinagens no seio das nossas instituições. O PT faliu moralmente, boa parte da sua cúpula hoje, como ocorreu com o mensalão, está próxima de encerrar a vida pública na cadeia, pelo desvio de bilhões da Petrobrás e outras estatais, incluindo déficits milionários nos fundos de pensão. Esse megaprejuízo que o PT impõe ao País vamos levar anos, décadas para recuperar. Mas que essa mácula da nossa vida republicana sirva de exemplo para que doravante discursos populistas, mentirosos, farsantes como os do PT sejam desprezados.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Atitude

A presidente Dilma está com uma grande chance de se redimir, mandando às favas o PT, o Lula, o Gilberto Carvalho e toda a patota que só ajuda a destruir o Brasil. Livre-se dessa catrefa, volte-se para uma governança séria, honesta, e procure cercar-se de pessoas competentes e patriotas. Pode crer que dará certo.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Quem é presidente?

Afinal, quem manda no governo do Brasil, Dilma ou Lula? Lula quer que o ajuste fiscal proposto por Levy seja revisto. Mais uma vez o ministro é desautorizado em suas medidas para pôr a economia do País no seu devido lugar porque Lula não concorda. O melhor caminho seria Levy entregar o cargo, se tiver ainda um pouco de amor próprio, e Dilma nomear Lula ministro da Fazenda e afundar de vez o Brasil.

JOSÉ OLINTO OLIVOTTO SOARES

jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

O PMDB

Observo a movimentação dos políticos e o comportamento do PMDB e, pelo que se pode concluir, quem está governando o Brasil é o PMDB, não mais o PT. O cerco vai se fechando em torno da bancada petista nas duas Casas legislativas e o PMDB vai fazendo exigências ao Planalto, cada vez mais distantes do jeito petista de governar. O tempo dirá se estou com a razão.

ODESIL DE BARROS PINHEIRO

odesil@uol.com.br

São Paulo

Com razão o Bucci

É, não faz sentido os Correios não repassarem R$ 1,1 bilhão ao fundo de pensão dos seus funcionários (Postalis) e gastar tanto em publicidade em horário nobre na TV. Não é admissível o Ministério da Educação não repassar recursos para o Fies e para o Pronatec e torrar verba com publicidade. Não é razoável a Petrobrás vender ativos (num momento de alta desvalorização) e criar tanto desemprego em sua cadeia de produção e torrar tanta verba em publicidade (especialmente em telejornais). E assim tantos ministérios e empresas estatais ou controladas pelo governo. Ou é para "adestrar" a mídia, usando a tática de Rui Falcão de usar verbas para coibir críticas ao governo, ou para garantir "créditos" para futuras campanhas partidárias. Que o governo corte na própria carne, dando exemplo, especialmente em publicidade caríssima na TV e em blogs chapa-branca.

MARCO CRUZ

mm.cruz23@gmail.com

São Paulo

O ROMBO NO POSTALIS
 
O PT e o PMDB, por meio de seus representantes no Postalis, o fundo de pensão dos funcionários dos Correios, administram mal a entidade e os servidores terão de arcar, durante 15 anos, com o desconto de 1/4 de seus salários para cobrir o rombo na entidade. Daí que as greves, mesmo que prejudiciais ao povo, são justas, mas poderiam ser evitadas se houvesse uma intervenção no sentido de que os responsáveis arcassem com parte, pelo menos, dos danos causados ao fundo. De outro lado, as notícias sobre os acontecimentos na gestão do Postalis precisam ser mais abrangentes, possibilitando aos leitores que sintam mais de perto as maracutaias realizadas pelos políticos no Postalis. Processo neles.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
À BEIRA DA PENÚRIA

A propósito da matéria de capa do “Estadão” de 23/3, “Funcionários pagam rombo de fundo dos Correios”, gostaria de agradecer o espaço e a divulgação dada ao assunto. Em que pese ser considerado um dos grandes fundos de pensão do País, em realidade somos o “primo pobre” entre eles, pela quantidade de funcionários e aposentados, cerca de 130 mil, em relação ao seu patrimônio. Creio que, agora, com este chamado “equacionamento”, estaremos abaixo da linha da pobreza. Como aposentado dos Correios, estou sentindo na pele a situação dos “beneficiários” da Aeros, e após décadas de contribuição vemos ruir a tão sonhada tranquila aposentadoria. Com certeza, o jornal deve ter recebido uma correspondência do Postalis explicando o inexplicável, ou seja, as razões que levaram o nosso patrimônio a ser dilapidado em R$ 5,6 bilhões. Pasmem: quiçá maior que o prejuízo que a Petrobrás teve! Tem explicação? Não bastasse toda essa situação que beira a penúria, é como se nos dissessem: “Você está bem, primo! Você está bem!”.
 
Mikio Kamiya mikio.kamiya@gmail.com 
São Paulo

*
CARIMBO LULOPETISTA

Não bastasse o “vazamento de óleo” na Petrobrás, o PT “extravia as cartas” no Postalis...

A.Fernandes standyball@hotmail.com
São Paulo

*
CAOS ADMINISTRATIVO
 
O primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff poderá entrar para a história do País como a gestão dos rombos. Rombo no Branco do Brasil, na Caixa Econômica Federal, no BNDES, nas contas públicas, deficitárias, e agora nos Correios. Neste último querem a todo custo impor a responsabilidade do rombo de R$ 5,6 bilhões aos dedicados funcionários. Não se suporta mais esse caos administrativo.
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
TEM DE SER INVESTIGADO

A manchete do “Estado” de 23/3, “Funcionários pagam rombo de fundo dos Correios”, dá a exata dimensão do que é uma administração pública incompetente e, possivelmente, corrupta. Fundos de pensão devem reger-se por uma administração profissional e conservadora, afinal, estão cuidando de recursos que vão pagar as aposentadorias de seus filiados por vários anos. Então não se justifica a ocorrência de qualquer déficit. Aplicações em títulos da Venezuela não são recomendáveis, e certamente foram feitos por interesses ideológicos do grupo que está no governo federal, contrariando o bom senso financeiro. Isso se não houver indícios de corrupção, que tem sido a marca desta administração. E agora, quem vai pagar essa conta? Os funcionários? Os acionistas, no caso o governo, o que vai direto no nosso bolso? Acredito que uma boa auditoria independente pudesse revelar responsáveis por esse déficit, talvez os mesmos da organização criminosa que assaltou a Petrobrás em R$ 88 bilhões.

Carlos de Oliveira Avila gardjota@gmail.com 
São Paulo

*
QUE NÃO SOBRE PARA O CONTRIBUINTE

Querem que os Correios assumam o rombo no fundo Postalis? Por acaso os interessados não fiscalizaram o que faziam com o dinheiro deles? O contribuinte é que não pode arcar com mais essa, até porque a Previ, o Petrus e outros fundos estatais não devem estar diferentes desse aí. Que procurem a CUT, o PT, Lula ou sei lá quem para resolver essa parada.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*
QUEM SERÁ O PRÓXIMO? 

O PT e o PMDB não se contentam em destruir pouco, querem é destruir tudo. Petrobrás, Empresa Brasileira de Correios (por meio do rombo do fundo de pensão Postalis). Todas as estatais que seus membros participam da administração estão sob suspeita. Logo teremos notícia da Caixa Econômica Federal... É só esperar para ver.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 
São Paulo 

*
AOS TRABALHADORES, A CONTA!

Bilhões de reais “mal administrados” por “trabalhadores” em nome de “trabalhadores” públicos. Fundos geridos por membros do partido dos “trabalhadores”. Mais uma vez, a sociedade que realmente trabalha vai pagar a conta.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo

*
EM MÁ HORA

O problema surgido agora no Postalis (fundo previdenciário dos funcionários dos Correios) para o governo chegou muito rápido e em má hora. Deve ter vindo via Sedex.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
DESMANDOS

Manifesto minha satisfação em ver que ainda temos jornalismo sério, que defende os direitos de quem realmente trabalha neste país. Registro meu elogio à matéria que falou sobre os desmandos ocorridos com o plano de previdência dos funcionários dos Correios.
 
Luciene Ferrari Malbar lmalbar@hotmail.com 
São Paulo

*
‘ROGAI POR NÓS’

Cumprimento o jornal pela matéria veiculada a respeito do Postalis/ECT. Ainda temos neste país a voz e o apoio da imprensa. Rogai por nós, trabalhadores traídos.
   
Neusa Maria Barbosa Wetler neusinhaw@correios.com.br
Vitória

*
AS GARRAS DO DRAGÃO

Ótima a matéria sobre a “roubalheira” na nossa previdência (23/3). Como sempre, o trabalhador é quem vai pagar o pato. Com a ajuda da imprensa, isso está sendo veiculado e todo mundo vai saber aonde as garras do dragão da corrupção estão chegando.

Maria Tereza A. Pacheco TETE@correios.com.br 
Vitória

*
2 MIL DIAS

A falta do julgamento do mérito da censura imposta ao “Estadão”, que já se alonga brutalmente por mais de 2 mil dias, é somente um exemplo do pouco-caso com que o Poder Judiciário contempla a todos os que a ele recorre.
 
Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
UM TÍTULO ADEQUADO

Gabriel García Marquez, famoso escritor colombiano, na sua obra “Cem anos de solidão”, nos dá uma paródia de um título que está mais apropriado às ditaduras de republiquetas do que às democracias ocidentais: “Dois mil dias de censura ao Estadão”. Se o término dessa censura depender da queda do poder da dinastia Sarney, este processo já teve início com a queda do poder político no Maranhão e com outra, que está a caminho: a queda do império petista. “Os maus se destroem pelas suas próprias obras.”

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
SAGA

Já dá para fazer a continuação da saga “2001, uma Odisseia do ‘Estadão’ no espaço”! Que pena de quem depende do Judiciário neste país...

Alda Gleise Scaramuzza alca.scaramuzza@gmail.com 
São Paulo

*
RUI FALCÃO EM BATALHA CONTRA ‘MÍDIA’

Os dirigentes do PT são tão arrogantes que continuam achando que cortando verba para os meios de comunicação, como sugeriu Rui Falcão, presidente do PT, numa chantagem explícita, terão como convencer a população de que a presidente Dilma é ótima e que sem o PT o Brasil estaria na pior. Se democraticamente precisamos aguentá-los nos governando até o fim do mandato, levaremos 3 anos e 9 meses com panelaços, negando-nos a ouvir qualquer coisa que venha deles. Melhor se recolherem à atual insignificância.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
O PT E SUA IMPRENSA ‘SIMPÁTICA’

Mesmo sabendo que Falcão é um “Mané” cuja opinião não serve para nada, é evidente que ele é o ventríloquo da ideologia petista comandada por Lula, algo similar ao que fez Hitler quase um século atrás. É claro que Lula tem a pretensão de ser um Hitler, ou Stalin, ou talvez um mero Nero da vida. Seu modelo atual ainda é o esclerosado Fidel Castro.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
DELÍRIOS CASTRO-BOLIVARIANOS

Muito me admira que algumas pessoas ainda acreditem nas “boas intenções” do PT, como quando o ministro José Eduardo Cardozo diz que o governo está aberto ao diálogo. Enquanto Cardozo faz papel de conciliador, Rui Falcão se reúne com seus partidários para conspirar e planejar ações contra a imprensa. Falcão foi propositalmente implantado por Lula na presidência do PT, primeiro porque foi jornalista e sabe como funciona a máquina por dentro, e, segundo, porque sua verve sindicalista conspira, inflama e incentiva os seus correligionários a praticar toda sanha de delírios castro-bolivarianos contra ela. O “Estadão” e demais órgãos de imprensa não podem deixar de forma alguma que este Frankenstein jornalístico tome corpo e ameace a nossa liberdade de imprensa e nosso acesso à informação.

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com 
São Paulo

*
‘REINVENTA-TE OU TE DEVORO’

O título acima é do excelente artigo do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto, publicado no “Estadão” de 22/3 (página A2).  Esse nobre brasileiro define com rara presteza o que viu do clamor popular das manifestações de rua no dia 15/3 por todo o País. E faz uma advertência aos dirigentes públicos e, principalmente, à presidente Dilma: que “cidadãos mais e mais informados, críticos, exigentes e que aprenderam a correlacionar seus direitos, com deveres das autoridades públicas”. E acrescenta, “logo, o desafio da primeira mandatária do País é elevar-se de chefe a líder. De gerente a estadista. De inquilina do Palácio do Planalto a protagonista central da história”. E lembra uma frase de Thomas Jefferson de que “a arte de governar consiste exclusivamente em ser honesto”.  Ayres Britto, traduzindo o sentimento das ruas, diz que o povo brasileiro passou a entender que ela (Dilma) é quem mais tem culpa no cartório pela baixa qualidade ético-funcional da vida pública brasileira. E encerra seu artigo recomendando: “A palavra está com dona Dilma. É pegar ou largar, pois nesse transe de vida brasileira não há mais espaço para vacilo, meias-palavras, faz de conta. A hora é de fazer destino e o tempo se blindou contra qualquer tentativa de prorrogação”. Magistral! Uma verdadeira aula magna do nosso respeitado poeta e jurista Carlos Ayres de Britto! Reinventa-te ou te devoro...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmal.com
São Carlos

*
O CONSELHO DE AYRES BRITTO

Acredito que a presidente Dilma Rousseff, assim como seus assessores e ministros que a rodeiam, não têm o hábito da leitura, tal e qual seu criador, e é por isso que o Brasil se encontra nesta draga de dar dó.  Acreditam piamente que toda a imprensa, como diria o corrupto Odorico Paraguaçu, em “O Bem Amado”, é marronzista. Mas, se porventura abriram o “Estado” de domingo, 22/3, logo na página A2 leram com atenção o artigo “Reinventa-te ou te devoro”, de autoria do brilhante ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto. Direcionado diretamente à presidente da República, nomeia uma a uma as atribuições para que um verdadeiro estadista tenha sucesso à frente de uma Nação. Termina o texto dizendo: “A palavra está com dona Dilma, é pegar ou largar, pois nesse transe da vida brasileira não há mais espaço para vacilo, meias-palavras, faz de conta. O tempo já se blindou contra qualquer tentativa de prorrogação”. Por favor, leiam na íntegra o conteúdo, um banho de ensinamentos que, em poucas palavras, diz tudo o que em quatro anos de governo a suprema mandatária jamais ouviu de seus “conselheiros”. 

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*
REINVENTAR...

No caminhar deste desgoverno, talvez seja bom mudar o sistema político: parlamentarismo já! Com novas regras para eleição de um novo Parlamento a partir do próximo ano. Justificativa: troca de governo ouvindo o povo.

Martim Affonso Santa Lucci mslucci@uol.com.br
São Paulo

*
BASES PARA DONA DILMA

No artigo do sr. Carlos Ayres Britto publicado no domingo estão as bases sobre as quais dona Dilma deve se orientar para reinventar-se. É muito bom tomar conhecimento das ideias de pessoas capacitadas. Muito obrigado ao ministro Ayres Britto.
 
Silvio Rangel silviofrangel@yahoo.com.br 
Jarinu

*
NA CORDA BAMBA

Como a “presidenta” Dilma não demonstra personalidade para reinventar-se, espera-se que tenha o patriotismo de renunciar, pois, até ser devorada, o Brasil permanecerá nesta corda bamba, à beira do abismo cavado pelo desgoverno.

Claudio Salce claudiosalce@papirus.com 
Indaiatuba

*
E AGORA, MINISTRO ROSSETTO?

O Datafolha apurou: 84% dos brasileiros acreditam que a presidente Dilma sabia sobre a corrupção na Petrobrás (UOL, 22/3/2015). Entre aqueles que votaram em dona Dilma, 74% têm a mesma opinião. Será que agora o ministro Miguel Rossetto ainda acha que o 15/3 foi um movimento dos que votaram em Aécio Neves? Então houve “maracutaia” na última eleição? Será que entendeu os milhões nas ruas pedindo “fora Dilma” e “fora PT”? Nesta mesma linha de raciocínio está o brilhante artigo do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto “Reinventa-te ou te devoro”, pois, quando sentencia que o “desafio da presidente é elevar-se de inquilina do Planalto a protagonista central da História”, já deixa claro que o Palácio do Planalto não é o lugar apropriado para um simples inquilino. 

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo

*
O STF ONTEM E HOJE

Peço ao jornal transmitir minhas congratulações ao ministro Carlos Ayres Britto pelo excelente artigo “Reinventa-te ou te devoro”. Jogo inteligente de palavras, utilização precisa de citação de fatos e de autores, clareza na exposição das ideias. Enquanto o lia, lamentava que o STF, órgão que tão bem presidiu e representou, esteja hoje ocupado por figuras menores, em razão de meras indicações políticas e/ou de conveniência dos inquilinos do Palácio do Planalto (como bem disse o ministro em seu artigo), tais como Toffoli, Lewandowski, Barroso e Zavascki. Congratulo-me com o “Estadão” por haver trazido o ministro para o seu quadro de colaboradores, fato que dignifica o jornal e brinda seus leitores com excelentes artigos. Muito prazeroso ler artigos inteligentes, atuais, claros, objetivos e esclarecedores.

Cláudio Eustáquio Duarte claudio_duarte@hotmail.com 
Belo Horizonte

*
CARTA DE FHC NO ‘FÓRUM’

Fernando Henrique Cardoso (“Fórum dos Leitores”, 24/3, A2) afirma que o petrolão foi uma corrupção específica e recente, quase um bebê. Só que essa afirmação contradiz o ex-gerente da Petrobrás Pedro Barusco, que na CPI da Câmara dos Deputados (10/3) afirmou que ele começou a receber propina na Petrobrás já em 1997 – governo FHC (1995-1999). Ou seja, tudo indica que o esquema de propinas estava, então, na fase inicial e passou a ser institucionalizado depois de 2003, já na era petista. Em suma, muita água vai rolar no caso petrolão.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas   

*
DILMA E A LEI ANTICORRUPÇÃO

Ao ler o artigo do jurista Modesto Carvalhosa, “O patético pacote anticorrupção”, na edição de segunda-feira no “Estado”, em que conclui que o decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff para regulamentar a Lei Anticorrupção, além de “...não comporta(r) nenhuma regulamentação, na medida em que é autoaplicável a partir de 29/1/2014, abrangendo todos os crimes continuados de corrupção, caso dos listados na Lava Jato”, é “...regulamento espúrio que procura revogar, neutralizar e tornar letra morta a Lei Anticorrupção”. Isso nos leva a suspeitar de que, a exemplo do ocorrido na aprovação da compra da refinaria em Pasadena, quando se fundamentou em parecer falho e incompleto, a nossa presidente confia cegamente nos laudos técnicos de terceiros para tomada de decisões de grande responsabilidade. É natural e inevitável que a presidente dependa da assessoria de especialistas para analisar os aspectos de medidas a serem por ela tomadas. Sua boa-fé quanto à natureza humana demonstra certa carência objetiva para julgar a competência e a honestidade das pessoas que fazem o trabalho de casa na análise dos prós e contras para fundamentar seus juízos e decisões sobre assuntos de vital importância para o País e para sua população.
 
Paulo Adolpho Santi pasanti@terra.com.br 
Vinhedo

*
TRISTE CONSTATAÇÃO
 
Com um sorriso de satisfação e orgulho, Rodrigo Janot, procurador-geral da República, segurava um cartaz em que se lia que ele era a esperança do Brasil (“Estadão”, 3/3/2015). Entendo que um procurador deve ser, no correto exercício da sua função, livre para investigar, analisar, decidir e denunciar sem interferência ou ingerência de qualquer outra autoridade da República. Sua responsabilidade é investigar qualquer desvio de conduta por empresas, instituições, autoridades, sem obrigação de submeter sua decisão à apreciação de outras autoridades, entre as quais um ministro de Estado suspeito de estar mancomunado com empresas fraudadoras por ter se reunido, secretamente, com advogados das mesmas. A recomendação e a concordância de não investigar a presidente Dilma põe por terra o que está no cartaz: até a estátua de Borba Gato, em Santo Amaro, sabe que ela é pau-mandado de um partido e que carrega considerável parcela de cumplicidade na mais recente e volumosa atitude fraudatória desde a proclamação da República. Se isso é a nossa esperança, não há esperança.
 
Geraldo Hernandes gherr@ig.com.br 
Santo André
 
*
A PRESIDENTE E O DOLEIRO

Dilma Rousseff e Alberto Youssef, que bela rima...

Antonio Carlos Mesquita emaildomesquita@gmail.com 
São Paulo 

*
TEM JEITO

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou dez medidas para aperfeiçoar a prevenção e o combate à corrupção e à impunidade. Deltan Dallagnol, o jovem e compenetrado coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, do MPF no Paraná, explicando que o caso Lava Jato indignou o País, fez, na verdade, uma conclamação ao povo brasileiro: “Se você é um brasileiro que não vê saída nessa situação, eu gostaria de dizer que existe uma luz e que cada um de nós, a imprensa, o Ministério Público, os órgãos públicos e a sociedade têm um grande poder e uma grande responsabilidade na implementação dessas mudanças”. Eles, do Ministério Público, já estão fazendo sua parte com um trabalho sério, determinado, dentro do mais legítimo caminho constitucional. A imprensa tem colaborado de forma pujante – se não toda, uma boa parte dela. Nós, a sociedade, apesar de termos ido às ruas manifestar nosso descontentamento, fazendo já parte dessa empreitada rumo à moralização da nossa política, precisamos ainda no nosso dia a dia, em pequenos atos, dar exemplos de cidadania, não colaborando para o incremento da odiosa corrupção. Dallagnol nos assegurou que o Brasil tem jeito, mas isso depende da ação conjunta de todos os brasileiros! Avante!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 
São Paulo

*
GENEROSIDADE DEMAIS

São estarrecedores e inacreditáveis os valores doados pelas empreiteiras aos políticos e seus partidos. Como pode uma empresa pagar quantias tão altas, sem pôr em risco seu equilíbrio financeiro? Certamente não existe mais neste país nenhum néscio que ainda acredite nesta balela de doações “desinteressadas” e doações “legais” registradas nas prestações de contas dos partidos à Justiça Eleitoral. Pois já dizia J. M. Keynes que não há almoço de graça! Seria muito útil para o maior esclarecimento dos brasileiros, especialmente os que pagam seus impostos corretamente, se a Justiça Federal do Paraná divulgasse um quadro comparativo entre as doações descobertas pela Operação Lava Jato e as doações verdadeiras que as empreiteiras fizeram (se é que o fizeram) para instituições beneficentes sérias e reais, tais como a AACD, as Obras da Dra. Zilda Arns ou as da Irmã Dulce, por exemplo. Aí poderemos constatar se a generosidade delas é a mesma.

Elias da Costa Lima preussen@uol.com.br 
São Paulo

*
OBVIEDADE

Uma das frases mais utilizadas pelas pessoas físicas e jurídicas – estas por meio de suas assessorias – atingidas pela Operação Lava Alma, perdão, Lava Jato, é que estão à disposição das autoridades, como se existissem alternativas. Mesmo exercendo o direito constitucional de calar-se para não se incriminar, ao fim e ao cabo, chega o momento em que não há mais como ou para onde fugir. O senhor Henrique Pizzolato que o diga. A rigor, o estar à disposição das autoridades não passa de uma obviedade.

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com
São Paulo
 
*
AS CONTAS NA SUÍÇA

Pegou mal para os famosos artistas brasileiros que foram flagrados com contas secretas no banco HSBC da Suíça. Atores, escritores e cineastas estão envolvidos, e alguns deles receberam vultosas quantias através da chamada Lei Rouanet, de isenção fiscal. É mais um exemplo de como a elite brasileira é oportunista e só pensa nos seus interesses privados. Para eles, o Brasil e o bem público que se explodam. Nada como uma imprensa livre e investigativa para dar transparência e trazer a verdade dos fatos à tona.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
QUE PAÍS É ESTE?

O Brasil tem destaque em mais uma ação que denigre o nome do País em nível internacional. De inicio, foi a fase dos “mensalões”, envolvendo políticos de renome, vindo a seguir a Operação Lava Jato, com petroleiros, empresários e políticos. E eis agora a divulgação de uma operação que envolve um banco de prestígio internacional e cerca de 8.667 clientes, entre os atuais nomes famosos da classe artística, que autorizaram a remessa de suas contas bancárias  para a Suíça, para evitar o pagamento de taxas e de impostos aqui, no Brasil. Que país é este? E qual será a próxima classe a ser atingida?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
POR QUÊ?

Artistas famosos e ditos honestos depositam dinheiro na Suíça? Por que será que Claudia Raia, Jô Soares e Hector Babenco mandam dinheiro para a Suíça, se não são corruptos, como imagino? Só pode ser para sonegar ou mentir para o Fisco, que, a propósito, vive me ferrando... Acho que a fama leva à corrupção e a corrupção leva à fama – e este círculo vicioso começa a comprar tudo. 

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br 
Rio de Janeiro

*
PARANOIA ACUSATÓRIA

Dentro dessa onda de denúncias de corrupção entre nós, há que distinguir entre a realidade e a paranoia acusatória, que pode atingir muitos inocentes. É o que pode estar ocorrendo na lista do SwissLeaks, em que só há crime caso ditos valores não tenham origem lícita ou não tenham sido declarados à Receita Federal. Por isso todo cuidado das autoridades investigativas é necessário para que não se cometam injustas imputações criminais, cuja reparação se torna muito difícil.

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 
Rio de Janeiro

*
TRANSAÇÃO NEBULOSA

O Fisco da Espanha caiu em cima dos presidentes do clube Barcelona ao descobrir que esconderam o custo real dos valores pagos para contratar o jogador Neymar e, além das multas que a equipe catalã levará, os dois mandatários que participaram da negociação parece que serão condenados a até oito anos de cadeia. A pergunta que se faz é: a Receita Federal brasileira, sabedora do que aconteceu na Espanha com essa transação, conferiu os valores transacionados com impostos pagos?

Laércio Zannini spettro@uol.com.br  
São Paulo

*
‘PEGADINHA’

Bastou a agência de classificação de risco Standard & Poor’s manter o selo de bom pagador do Brasil e o Planalto diz que vai rever os pontos do ajuste fiscal. Tá parecendo a eleição de 2014.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 
São Paulo

*
RADICALISMO

Recentemente, manifestei num site da internet minha decepção a respeito da postura dos parlamentares do PSDB no sentido da rejeição das medidas econômicas que serão apresentadas pelo governo federal. Para meu espanto, recebi uma enxurrada de manifestações iradas e até agressões verbais, de toda sorte de internautas, e, apesar de ter votado no candidato Aécio Neves, fui acusado desde “petista safado” até de ser um semianalfabeto e burro, pois não havia entendido a reportagem. Na verdade, manifestei minha opinião de que, apesar de serem tímidas, as medidas propostas pelo ministro Levy representavam um primeiro e alvissareiro “mea culpa” do governo, que deveriam ser apoiadas por todos os brasileiros de bom senso. Por outro lado, não precisa ser nenhum expert em economia para entender que é indispensável uma sequência de trabalho no sentido de enxugar a máquina governamental, reduzir o número de Ministérios, enfim, gastar menos do que a arrecadação de impostos.  

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br
São Paulo

*
DE QUEM É A CULPA?

A manchete do “Financial Times”: “Crise no Brasil é culpa do próprio País e vai piorar”. Mas a culpa não é diretamente do povo brasileiro, mesmo porque apenas 1/3 dos eleitores votou pela reeleição de dona Dilma. Nossa economia está ruim em razão da incompetência, da incapacidade, da arrogância e das mentiras da atual presidente, que cometeu inúmeros desmandos forçados pelo ex-presidente Lula e outros tantos beócios do partido do desgoverno, o PT. Está ruim a economia e deve encolher ainda mais este ano e em 2016. O jornal inglês já compara a situação ao pior desempenho, de 1931. Estamos muito mal! A inflação, mesmo maquiada, já atingiu 8%, porém o quadro é de hiperinflação. As instituições estão se segurando, até o Judiciário. No dia 15/3, mais de 1 milhão de manifestantes foi às ruas para expressar seu descontentamento. Estamos vivendo uma crise hídrica. A Petrobrás está envolvida no maior escândalo de corrupção de todos os tempos, que já supera US$ 10 bilhões desviados. Como já sabemos “de quem é a culpa”, só nos resta banirmos os reais responsáveis dos desajustes causados ao Brasil, antes que seja tarde demais. Ninguém aguenta mais!
 
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*
O BRASIL EM CRISE

Nesta quadra deveras preocupante da história do País, que sirvam de alerta vermelho as duras palavras do professor de Filosofia da Unicamp e pesquisador do Cebrap, Marcos Nobre, no excelente artigo do “Estadão” (22/3, “Aliás”), a seguir reproduzidas: “(...) A estabilidade que se teve nos 20 anos que vão desde o impeachment de Collor até junho de 2013 foi pontuada por momentos de crise. Mas, em termos de gravidade, nenhuma crise chega perto da que se vive agora, com a conjunção de crise de governabilidade, crise econômica, crise hídrica e de energia, crise do sistema partidário. (...) Porque o pior da crise ainda está por vir. A Lava Jato ainda não fez todo o estrago que tem para fazer. A recessão econômica ainda não mostrou seus dentes. O desemprego ainda não chegou a seu pior momento nem a inflação atingiu seu pico destrutivo. Os racionamentos de água e de energia ainda não se tornaram oficiais. Os protestos de rua ainda não são cotidianos”. Infelizmente, se nada for feito com a devida urgência, dias piores virão. Quem viver verá.

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
A GRAVIDADE DA CRISE

Não existindo mais “bolas de cristal” confiáveis, são em artigos profundos e ricos como o de Marcos Nobre (22/3, “Aliás”) que temos de nos fiar para entender a gravidade da atual crise política e antever suas consequências, que podem ser deletérias.  Parabéns ao autor pela clareza e abrangência do quadro pintado, leitura obrigatória para a busca de uma nova democracia. 
 
Eduardo Britto britto@znnalinha.com.br 
São Paulo

*
ADEUS AOS INVESTIMENTOS

Li no “Estadão” de domingo que, de todas as montadoras de carros chinesas que pretendiam se instalar no Brasil, apenas uma o fez. Seriam investidos R$ 8,7 bilhões no País. Desistiram porque o Brasil não é mais um “negócio da China”, por causa do caos econômico, político e social em que nos encontramos, resultado de 12 anos de administração petista. Espero que agora o nosso governo compense a desistência chinesa convidando montadoras de países como Cuba, Venezuela e Bolívia, afinal esses países recebem grandes investimentos do nosso governo, enquanto aqui estamos afundando.

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com 
Eldorado

*
O AVANÇO DA DENGUE

A dengue está se alastrando pelo interior do nosso Estado e, para combater esse mal, o governador Geraldo Alckmin solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização para uso de vacina contra a dengue, que está em fase de estudos no Instituto Butantã, nas quais ficou evidenciada a sua eficácia em 85% de quatro tipos da dengue e em 95% para a imunização de outros três tipos. O Instituto Butantã tem 12 mil doses da vacina prontas para serem distribuídas entre as regiões com maior incidência da doença e está aguardando a decisão da Anvisa de liberá-la, pois, se for esperar o teste clinico na chamada fase 3, somente após dois anos acontecerá a liberação. Seu uso não tem contra-indicação e a vacina é feita em apenas uma aplicação, conforme disse o governador Alckmin. Em razão da urgência de seu uso, pois a dengue vem se alastrando rapidamente, havendo cidades como Sorocaba, Catanduva, Bauru e outras que estão enfrentando sérios problemas com a quantidade enorme de infectados que lotam os hospitais, a Anvisa deveria liberar o uso da vacina do Butantã, cuja qualidade do trabalho é reconhecida no mundo inteiro. Esperamos que o governo federal aja com rapidez, exigindo a liberação imediata da vacina.

Douglas Jorge douglasjorge@terra.com.br 
São Paulo 

*
O ESTADO ISLÂMICO NO BRASIL

O serviço de inteligência do Brasil descobriu que o Estado Islâmico (EI) está buscando por jovens brasileiros para serem terroristas. Ora, vieram ao local correto. Aqui já há terroristas formados e experientes que conseguem destruir um país inteiro. Basta procurar por black blocs, sindicalistas da CUT, pessoal do MST, no Congresso e entre nossas autoridades.
 
André Coutinho arcouti@uol.com.br
Campinas 

*
‘DIÁLOGO’?

Em setembro de 2014, a presidente Dilma Rousseff lamentou os ataques americanos contra a organização terrorista Estado Islâmico e disse acreditar “que a melhor forma é o diálogo”.  Pergunto-lhe: a senhora vai chamar ao Planalto, para um bate-papo, os “representantes” dessa organização que os setores de inteligência do governo brasileiro detectaram estar tentando cooptar nossos jovens para atuarem como extremistas?
 
Maria Teresa Siloto Azevedo Palu mariateresapallu@gmail.com
São Paulo

*
COMBATE AO TERRORISMO

Os terroristas do EI estão recrutando jovens brasileiros, conforme foi detectado pelo Palácio do Planalto. Quem sabe agora, já que temos pronta uma lei que está há anos para ser aprovada, nosso Executivo e nosso Legislativo acelerem as tomadas de decisões a fim de termos já em 2016, antes da Olimpíada, leis e sanções super rígidas para condenar atos de terrorismo em nosso país? Contamos com a célere providencias dos nossos congressistas a respeito.
 
Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté

*
REFORÇO

Governo “detecta” que Estado Islâmico tenta cooptar brasileiros. “Detecta” como, se a presidente Dilma o convidou publicamente, defendendo os terroristas islâmicos? Isso está me parecendo muito mais um reforço para “o exército do Stédile” do que qualquer outra coisa...
 
Tereza Cristina do Vale Bertolucci tereza.cvb@gmail.com 
Guararapes

*
CUIDADO COM O PT

Se o EI levar o PT, a organização vai soçobrar e desaparecerá sem dar um tiro. Ora faltará armas, ora remédios, ora hospitais, ora comida. Eles que tomem cuidado.
 
Vitório F. Massoni suporte@eam.com.br 
São Paulo

*
ERA O QUE NOS FALTAVA...

O Estado Islâmico tenta cooptar jovens brasileiros para atuar como extremistas. Tudo isso por eles não estarem nas listas internacionais de terroristas e terem maior mobilidade aqui. Há mais de 20 anos o Congresso discute regras para tornar o terrorismo crime no Brasil, mas elas não vingam, por medo de que movimentos sociais como o MST possam ser criminalizados.  Agora não tenham dúvidas: o Estado Islâmico fará sucesso no Brasil. 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.