Fórum dos Leitores

GOVERNO FEDERAL

O Estado de S.Paulo

09 Abril 2015 | 02h04

Temer presidente

A indicação do vice-presidente da República, Michel Temer, e a recusa do ministro Eliseu Padilha a assumir as atribuições da articulação política do governo no Congresso foram o tiro de misericórdia no poder do PT. Quem governa de fato o País é o PMDB. Após a queda do poder de Dilma Rousseff por sua débil reeleição, alcançada por pequena margem de votos, acrescentada pela queda vertiginosa nas pesquisas de avaliação de seu governo e pelo fracasso dos movimentos estimulados por Lula, Dilma praticamente já caiu. Fica na Presidência até quando suportar o vexame de ficar sangrando com a corrupção na Petrobrás e com a alta da inflação. Sua renúncia é a única atitude decente diante desta situação.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Abdicação

Deixou de ter sentido pedir o impeachment de Dilma. Dilma abdicou, Temer é o novo presidente da República. Bem no dia 7 de abril, data em que dom Pedro I abdicou em favor de seu filho que se tornou dom Pedro II.

MILTON AKIRA KIYOTANI

miltonak@gmail.com

São Paulo

Terceirização do Planalto

O Palácio do Planalto terceirizou o governo (?) Dilma. Mãe Dilmá já havia terceirizado a condução do estrago que causou na economia nomeando Joaquim Levy para a Fazenda; havia desistido de influir na Câmara e no Senado, que foram terceirizados por Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Renan Calheiros (PMDB-AL). Agora, para completar, Mãe Dilmá entrega a coordenação política a Michel Temer (PMDB-SP). E eu achava que o PT havia ganho as eleições... Lulla deve estar tendo pesadelos.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

De muleta a protagonista

O PMDB tem agora, com o vice-presidente Michel Temer na articulação política, a real oportunidade de sair da condição de coadjuvante para aspirar ao protagonismo, com candidato próprio à Presidência da República. E deixar, assim, de ser a muleta dos governos petistas. Não tenho dúvida de que essa indicação tem o dedo do sr. Lula da Silva, preocupado que está com o esfacelamento do PT, esse grande engodo da política brasileira, que poderá comprometer até sua pretensão de eventual volta ao poder, no futuro. E Dilma, tentando se equilibrar, vai fazendo tudo o que seu mestre mandar.

RUBENS MUNIZ FERRAZ

rferraz4@uol.com.br

São Paulo

Para salvar a dona Dilma, será que o Lula vai abrir mão da sua candidatura à Presidência da República, em 2018, em favor de Michel Temer?

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Rejeitada

A presidente Dilma demonstrou mais uma vez que não entende de administração e de política, ao ter rejeitado pelo ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, seu convite para assumir a Secretaria de Relações Institucionais. Ao não mandar um dos seus muitos assessores sondar previamente Eliseu, ela ficou exposta à recusa, que se confirmou, pois seu escolhido preferiu continuar voando a aterrissar no campo minado da articulação política.

HÉLIO DE LIMA CARVALHO

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

LULOPETISMO

Reescrever a história

No programa do PT levado ao ar na TV aberta, segundo o Estadão (8/4, A6), surgiu esta estranha conclamação: "Agora é hora de reescrever nossa história. Participe do 5.º Congresso Nacional do PT". De fato, nada mais flexível que o passado!

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

Propaganda enganosa

O PT veicula propaganda na TV em que continua fomentando o confronto. A burrice de sempre. Realça ter tirado 38 milhões da pobreza (com o nosso dinheiro!), mas omite que deu o peixe e não ensinou a pescar. Omite também que a inflação empurrará muitos de volta ao limite da sobrevivência, como já demonstra a queda da popularidade da presidente. Querem enganar os de sempre, mas agora parece bem mais difícil, felizmente.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

Ódio

Em sua próxima propaganda político-partidária o PT vai fazer campanha contra o ódio (na ótica deles) que ultimamente a população vem manifestando pelo partido. O curioso é que o principal líder da agremiação não vai participar da peça. Ora, justo ele, o quase divindade, que foi o indutor da guerra de classes no País, que graças ao bom senso da população não sucedeu! As palavras utilizadas pelo Loligo brasiliensis ainda estão claras e frescas em nossa memória e, como se pode ver, foi um tiro no próprio pé, pois agora não pode sequer aparecer em público ou na televisão, correndo o risco de ser premiado com apupos grosseiros e panelaços.

CARLOS FERNANDO BRAGA

cafebraga@yahoo.com.br

São Paulo

Apocalipse

A verdade é uma só: toda essa palhaçada de Lula, Dilma, PT, esquerda, ideologia bolivariana, etc., perdeu a graça e o País não suporta mais aventureiros brincando de cavaleiros do apocalipse das elites.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

URNAS ELETRÔNICAS

Fraude em eleições

Ontem e anteontem, neste espaço dos leitores, missivistas fizeram comentários acerca de fraudes nas urnas eletrônicas. Eu, cá com meus botões, concluí que é impossível o eleitor provar o seu voto. Por exemplo, eu votei no candidato xis, mas a única coisa que garante isso é a minha palavra, não existe nenhum meio de prová-lo. Ou seja, é muito fácil alguém com conhecimentos avançados de informática mudar o meu voto na urna e eu não poder provar nada. E não me digam que é impossível. Num mundo onde um celular tem a mesma capacidade eletrônica dos computadores usados para levar o homem à Lua e onde é possível criar nanorrobôs do tamanho de células, não seria difícil mudar a linha de comando do sistema operacional de uma urna eletrônica. Será que ninguém liga para isso? Só este jornal, com voz rouca, e um filósofo boicotado se prestam a denunciar essa esdrúxula situação?

WERLY DA GAMA DOS SANTOS

gama_eamsc@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

A ARTICULAÇÃO DO GOVERNO
 
A articulação política do governo Dilma Rousseff agora a cargo do vice-presidente da República, Michel Temer, pode encerrar vitórias para dona Dilma, mas também pode render derrotas para ambos. Se o núcleo mais duro do PMDB resistir ao assédio do presidente do partido, Michel Temer, a escolha não melhorará para o Planalto, mas piorará para Temer. Entretanto, se Temer e o PMDB acordarem na redução de 39 para 20 ministérios, por exemplo, ambos sairão vitoriosos e terão os aplausos populares. E dona Dilma lucrará também se proceder à redução das pastas. Assim, se bem explorada a oportunidade, parece ter chegado a hora de dona Dilma e o PMDB poderem captar a credibilidade popular, condição fundamental para o desenvolvimento. Eis que Michel Temer é hábil e sabe interpretar bem o que as ruas desejam, restando saber se dona Dilma irá acatar as recomendações do articulador e do PMDB. É esperar para ver, e observar o PT.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
COBRA CRIADA

Michel Temer é do ramo. Tarimbado, conhece a turma, os alunos e mestres com quem terá de lidar. Na verdade, Temer já é articulador informal, faz tempo. Passa a ser, agora, oficial. Terá êxito se tiver força total do governo. Michel Temer tem excelente trânsito em todos os setores da sociedade. Temer é cobra criada. Bem criada. Jeitoso, articulado e envolvente. A meu ver, foi boa escolha. Mãos à obra. Temer também será bom porta-voz de Dilma e do governo em andanças pelo Brasil. Explicando, esclarecendo, trocando em miúdos temas e decisões de Dilma que muitas vezes não chegam aos lugares mais distantes do País, muito menos ao conhecimento de milhares de brasileiros. Vale a pena tentar vitórias com Dilma, se todas elas forem creditadas ao bem-estar da coletividade.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 
Brasília

*
MICHEL TEMER

Agora vai! Com a escolha do novo articulador político do governo Dilma, a vaca, além de tossir, vai para o brejo.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 
São Paulo

*
DE MÃO BEIJADA

A presidente Dilma Rousseff, na verdadeira assepsia da palavra, “está num mato sem cachorro”. Manifestações gigantescas querem a sua cabeça, ela está nas mãos do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, nomeado para tentar consertar as lambanças de quatro anos de mandato, pois medidas impopulares estão sendo adotadas, e tem de digeri-las, mesmo com “oposição” de alas de seu próprio partido, o PT, e de aliados, se não a “vaca vai para o brejo” com chifre e tudo. Os presidentes da Câmara e do Senado, ambos do PMDB, já não olham para a suprema mandatária com bons olhos, querem é ver, na verdade, a sua derrocada. E agora Dilma acaba de entregar o comando da articulação política ao vice-presidente Michel Temer, que vai assumir também a Secretaria de Relações Institucionais, até então comandada pelo petista Pepe Vargas, com autonomia para negociar com o Congresso. Isso é mais do que melzinho na chupeta, é entregar o poder de bandeja aos peemedebistas. E o PSDB, como é que fica nessa transição? Vai continuar no que somente fez até agora: criando mais e mais inócuas CPIs. 

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*
PASSANDO O BASTÃO

Dilma entrega o comando de articulação política a Michel Temer. É a volta da sarneyzação. Ou, como diria o outro, esse é o verdadeiro avanço político.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br
São Paulo 

*
TENTATIVA POLÍTICA

A presidente Dilma Rousseff, na tentativa de recuperar totalmente o apoio político do PMDB ao seu governo, tratou de dar ao vice-presidente, Michel Temer, tirando-o da tranquilidade em que vivia, o trabalho de, além de exercer a função do seu cargo, o de comandar a articulação política do governo, para que este volte a ter o apoio que sempre teve do referido partido, inclusive da ala mais desgostosa do PT, que é a da esquerda. O vice-presidente acumulará a função que era de Pepe Vargas, o que agradou aos aliados. Não é uma função fácil, chega até a ser temerária, né não?

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br 
Assis

*
PONTO COM NÓ

Governo escancara e entrega poder de articulação ao PMDB. Com isso, Dilma agradou à base aliada. Mas, como Dilma não dá ponto sem nó, o que estaria ela pleiteando, o que teria ela confabulado com o ex-presidente Lula?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
O QUE FAZER COM DILMA?

Então se consuma um dos quesitos do acordo costurado há cinco anos com o PMDB, de apoiar dona Dilma desde que estivesse cercada de peemedebistas, o vice, o presidente do Senado, os aliados. Isso para que, em caso de essa senhora perder o controle, estaria tudo em boas mãos, digo, em casa. A pergunta agora é: O que fazer com dona Dilma?

Flávio Cesar Pigari  flavio.pigari@gmail.com
Jales 

*
KAMIKAZE

A gerentona petista decidiu: o vice-gerente-peemedebista é o escolhido para amarrar o guizo no pescoço do gato...

A.Fernandes standyball@hotmail.com
São Paulo

*
PONTO DE INTERROGAÇÃO

A “presidenta” Dilma Rousseff decidiu que o vice-presente, Michel Temer, cuide da articulação política do governo. Será que já não seria um preparativo para logo adiante Temer colocar a faixa de presidente no peito?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
DANOU-SE

Na foto da página A4 de ontem, com Temer e Dilma, só faltou a legenda “Danou-se heim?”.
 
J. Horácio de A. Cancherini horaciocafe@gmail.com
Itu 

*
CABEÇA QUENTE

Parece que Dilma está mais preocupada com o regime dela do que com a situação do País!
 
Robert Haller robelisa1@terra.com.br
São Paulo

*
HUMILHAÇÃO

Em sua coluna de 7/4 Eliane Cantanhêde considerou humilhante a recusa pública de Eliseu Padilha ao convite de Dilma para assumir a Secretaria de Relações Institucionais. Mais uma vez a presidente demonstrou sua incompetência em assuntos político-administrativos, e vai sendo deglutida pelas cobras criadas do PMDB. 
 
Hélio de Lima hlc.consult@uol.com.br 
São Paulo

*
A CERTEZA QUE TEMOS

O que houve com Eliseu Padilha, Pepe Vargas, Thomas Traumann, Cid Gomes e Fernando Thompson? Nunca saberemos de toda a verdade. Em apenas 96 dias do novo mandato presidencial, Dilma conseguiu desagradar a própria equipe várias vezes. Sem o apoio do povo, vai ser difícil de governar, pois os políticos sabem que o povo espera que as promessas de campanha sejam cumpridas. Nestes três primeiros meses de governo, Dilma provou que mentiu durante a campanha eleitoral e a sujeira escondida debaixo do tapete apareceu. O povo sabe que a sujeira vem de longa data, mais precisamente dos últimos 12 anos, contendo muito roubo do dinheiro do contribuinte. O governo está desgovernado, está fora dos trilhos, está completamente sem rumo. A única certeza que temos é de que vamos pagar muitos impostos, seremos penalizados mais uma vez com o desemprego e a inflação, enquanto Lula e Dilma não serão investigados.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br
São Paulo

*
INFLAÇÃO RECORDE

Inflação atinge maior taxa para março desde 1995. Parabéns, “nova matriz econômica” e Guido Mantega! Como todo fracasso bem construído, vocês conseguiram! Fora Dilma! E cadeia aos petralhas!

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo

*
A PRESIDENTE E SEUS RECORDES

A presidente Dilma Rousseff vem quebrando recordes atrás de recordes em seu segundo mandato. Depois de bater o de ter apenas 7% dos eleitores que consideram o seu governo como bom ou ótimo, em apenas três meses depois de sua reeleição ela alcançou agora outro recorde: o na demora em indicar um ministro para o Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Joaquim Barbosa saiu da Corte no final de julho de 2014 e a vaga ainda está em aberto. Embora a população de modo geral não atente para tamanho absurdo, a falta de um ministro no STF causa sérios problemas nas decisões de processos importantes para todos nós. Também lhe cabe a “glória” de ser a chefe da Nação que mais rapidamente perdeu a popularidade e, pior, a credibilidade, além do apoio do Congresso Nacional. A presidente decidiu, lá atrás, adotar uma política econômica junto com o seu ignóbil ministro da Fazenda, Guido Mantega, objetivando prioritariamente se reeleger, e acabaram dando com os burros n’água. E, no caso, os burros fomos nós, brasileiros, que não a impediram de fazer esse malfeito. Agora, reeleita, ela procura nos convencer de que teremos de assumir o ônus de sua desonesta atitude, enquanto o seu governo continua a conduzir os destinos do País aos trancos e barrancos, com seus 39 ministérios, ocupados em muitos casos por incompetentes. Na edição de 4/4 do “Estadão”, o artigo do ex-procurador-geral da Fazenda Nacional Cid Heráclito Queiroz explicou com clareza que o alegado rombo na Previdência é uma deslavada mentira e cita inclusive a declaração do ministro da Previdência de que “não podemos pensar em vamos cobrir o rombo. Não tem rombo, entende?”. O que ocorre é que o Tesouro Nacional retém indevidamente a receita da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social e da Contribuição Social Sobre o Lucro das Pessoas Jurídicas, que são tributos a serem utilizados somente para a Previdência. Para compensar o ilícito, reduziram-se os direitos dos trabalhadores, como as restrições às pensionistas. Todos esses malfeitos propositais é que explicam seu vertiginoso descrédito. Até agora, parece-nos o pior poste que um político já fincou nesta terra e o seu autor insiste ainda em dizer que a crise é política, e não econômica. Mas as opiniões do ex-presidente Lula já não impressionam mais como antes e aproxima-se a hora em que ele também deverá responder pessoalmente por um plano de permanecer no poder por muitos anos que custará, como já está custando, muitos sacrifícios ao povo brasileiro e um atraso enorme em nossa economia. Esta, sim, será uma herança maldita para as futuras gerações.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
AUMENTO DE IMPOSTOS

Pobre classe média, vai pagando de novo a conta da bobajada esquerdo-corrupto-petista. A classe média vai ficando tão empobrecida que Marilena Chauí já está odiando a classe C!

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 
Vinhedo

*
PARTIDO DOS TRABALHADORES

O PT tem feito muito bem o papel de cigarra. É uma pena que o Brasil necessite de formigas.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo

*
A FARSA DO PT NO CAMPO SOCIAL

Frei Betto, desiludido com o PT, afirmou: “O PT trocou um projeto de Brasil por um projeto de poder”. Depois de ter aberto as entranhas dos governos do PT, Frei Betto afirmou que não foi concretizada até hoje nenhuma reforma de estrutura, nenhuma daquelas prometidas nos documentos originais do PT. Afirmou também que o que falta ao governo – e desde 2003 – é planejamento estratégico. E continuou afirmando: os governos do PT facilitaram “o acesso dos brasileiros aos pessoais, mas não aos bens sociais” e, complementando, que as famílias continuam no buraco, sem saneamento, sem acesso a saúde e todas as demais necessidades básicas. Resumindo, os governos do PT não concretizaram nenhuma de suas reformas, não fizeram ou não souberam fazer, desde 2003, nenhum planejamento estratégico, e o seu “projeto” de maior projeção era o programa Bolsa Família, que também não deu certo para a população mais carente do Brasil, que continua no buraco sem terem sido atendidas suas principais necessidades básicas. Isso para o povo brasileiro, principalmente para os mais carentes, porque deu certo para os governos do PT, que atingiram seu objetivo principal, ou seja, 40 milhões de votos para sua manutenção no poder. 

Márcio José Batista marciojb1948@gmail.com 
São Paulo 

*
VOTOS

Numa entrevista de Hélio Bicudo, outro desiludido do PT, ele relatou num programa gravado na TV em que, em 2003, numa reunião com membros do governo (entenda como uma ação entre amigos) sobre a implantação do Bolsa Família, José Dirceu, então chefe da Casa Civil, questionado sobre quais seriam os reais objetivos e benefícios do programa, respondeu de pronto: “Quarenta milhões de votos”.

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com 
São Paulo

*
AGORA É TARDE

Não, dona Dilma, não há o que possa fazer para reparar os danos que calculadamente provocou ao longo de todo o seu primeiro mandato para se eleger. Não dá para desculpar o que Lula fez de mal a este país com seu despudor a desprezar valores éticos e morais imprescindíveis para nortear um povo que o tinha como líder e como exemplo. Não é possível aceitar mais esta contínua tentativa de dividir e instilar o ódio usando diferenças entre irmãos brasileiros, já que as que existem não podem ser atribuídas a nós que os elegemos exatamente para consertar as injustiças que só fizeram aumentar. Não dá para entender, sem espanto, o apoio de intelectuais, artistas e até religiosos se fazendo de cegos perante tanta corrupção, desvios de conduta e desperdício do dinheiro público. Não é possível mais segurar o pejo perante empresários e certos políticos que se aliaram, usaram e abusaram do conluio com estes predadores do patrimônio público para conseguir vantagens indevidas ou ilícitas. Não dá para desculpar aqueles que, mesmo não sendo beneficiários dos becos sem saída, votaram nesta gente que fez do País e do povo seu capacho, sua fonte de enriquecimento ilícito e sede de poder. Não, não dá mais, mesmo que este governo se proponha a fazer tudo o que deveria ter feito antes, pelo bem do País. Agora é tarde, dona Dilma, para consertar o que nunca deveria ter sido desconstruído: um futuro melhor para nossos filhos, netos e, sobretudo, para aqueles que mais necessitavam de um governo probo, eficiente, honesto para que sua vida não continuasse sendo vivida como um calvário. Domingo, dia 12/4, vamos gritar novamente nas ruas deste Brasil, mais alto ainda: “Chega, pode parar, não dá mais!”. E tampe os ouvidos, se não quiser ensurdecer com o brado retumbante deste povo heroico que suportou tudo até agora pacificamente ao ponto do insuportável. Agora demo-nos as mãos e somos milhões a avisar: basta!
 
Eliana França Leme efleme@terra.com.br 
São Paulo

*
MANIFESTAÇÕES

Pelo andar da carruagem, CUT e MST também estarão presentes na manifestação de 12 de abril...

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
O EXÉRCITO DO PT

Alguns partidos, sindicatos e organizações sociais contra 74% da população brasileira. Sem chance!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
PALAVRA DE ORDEM

Estou indeciso sobre o que colocar na faixa que levarei próximo dia 12/4. Pensei em colocar a figura da presidente com o nariz de Pinóquio, mas me pareceu lugar comum; pensei em representar uma grade com vários braços com punhos cerrados saindo; pensei na mão do ex-presidente suja de petróleo, o dinheiro viria depois; acho que vou resumir com os dizeres “sou inocente” e “não sei de nada”. Adiciono “vigarista?”. Aceito sugestões, urgente.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com 
São Paulo

*
RECADO À PRESIDENTE

Nada mais o convence, o povo já não acredita. Por favor, ouça as ruas, dê logo “linha na pipa”!

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com 
Campinas

*
O LIMITE DA RUPTURA

A esta altura da grave crise política econômica e social que vive o País, provocada pela notória incompetência e inépcia do desgoverno de plantão, vale a pena destacar a contundente declaração do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos, dada na entrevista ao jornal “Valor”: “Não dá mais para haver avanço popular sem reformas estruturais. (...) A política de se fazer conciliação se esgotou. (...) Achar que se governa sem comprar briga é uma ilusão. Dilma preferiu comprar briga com o povo. (...) Do jeito que as coisas estão, é difícil pensar em 2018. Tem que ver se esse governo termina 2015”. Se até um aliado do governo fala assim, é porque a água está próxima do ponto de ebulição e a situação caminha, inexoravelmente, para o perigoso e delicado limite da ruptura. A contagem regressiva começou. Tic tac, tic tac, tic tac...

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
QUEM PAGARÁ A CONTA?
 
O panelaço é uma manifestação justa de um povo que não está satisfeito com uma situação política. Devemos sempre evitar a violência verbal e física nestas manifestações. Não sabemos exatamente o que significa o ajuste fiscal de que a presidente fala. Mas, se for arrocho salarial, aumento dos juros e retirada de direitos trabalhistas, nós, brasileiros, não aceitaremos. Porém, se for economia nas contas públicas, diminuição de privilégios no governo, no Executivo, Legislativo e Judiciário, nós promoveremos. Vamos ver quem vai pagar a conta do ajuste fiscal: o povo sofrido ou os privilegiados de Brasília. É hora de ver quem desviou o dinheiro público e fazê-los devolver aos cofres da União. Assim teremos ajustes fiscais.
 
Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com 
Fortaleza

*
RENÚNCIA
 
“Eu tenho certeza de que a luta para a recuperação da Petrobrás é minha, é do meu governo, e eu tenho certeza de que interessa a todo o povo brasileiro”, afirmou Dilma Rousseff na posse do segundo (!) ministro da Educação da Pátria Educadora em três meses de mandato. É digno de riso que justamente a grande responsável pelo aniquilamento de nossa maior empresa – seja por ação, seja por omissão – venha a público exibir-se como grande “defensora” de nossa petroleira, assim como que sugerindo não ter “nada que ver com o peixe” mas que, ainda assim, está fazendo todo o possível para resolver o assunto. Também soa ridículo dizer que a recuperação da empresa “interessa a todo o povo brasileiro”, primeiro, pelo óbvio que encerra e, segundo, porque o que interessa mesmo ao povo, segundo as pesquisas de opinião pública, é que Dilma renuncie ao cargo.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 
São Paulo

*
HORROR SEM FIM

A situação está preta. Como está não pode ficar, e, se as alternativas são o impeachment ou a renúncia, qualquer uma serve. Afinal, é melhor um fim horroroso do que um horror sem fim!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
DISCURSO ENJOATIVO

Na cerimônia de posse do novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, dona Dilma, da “Pátria Educadora”, usou o evento para “defender” a Petrobrás, mas nada foi dito a respeito da admissão de cortes na pasta! Não está se tornando enjoativo esse discurso em defesa da estatal (ou defesa própria?), com tudo o que sabemos sobre a gestão da companhia nas mãos de dona Dilma e seus amigos? De que soberania essa senhora fala, quando o dinheiro de nossos impostos, via BNDES, está sendo de$viado para países de ditadores amigos – metrô da Venezuela, reforma e doação de usina na Bolívia, etc. –, como se não tivéssemos problema algum? Onde dona Dilma vive?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul

*
NOVO MINISTRO

Na trupe do teatro de variedade de Dilma Rousseff, Renato Janine é apresentado como o mágico que tira coelho da cartola.
 
Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
SINUCA DE BICO

Está previsto para hoje (9/4) o depoimentos do tesoureiro petista, João Vaccari Neto, na CPI da Petrobrás. Há duas hipóteses: se o tesoureiro falar tudo o que sabe, a casa cai; se ficar calado, como outros fizeram, vale dizer que quem cala consente, tem culpa no cartório. A pergunta que não quer calar é por que Vaccari não está na cadeia. Foi divulgado na internet que no início de novembro, dias antes da Operação Juízo Final, que colocou na cadeia alguns dos principais empreiteiros do Brasil, o tesoureiro do PT reuniu a família e fez um desabafo sobre o que estava por vir. Disse para ficarem preparados, porque certamente o dia dele teria chegado, ele teria o mesmo destino de outros próceres do partido e seria preso em questão de dias. O tempo passou e ele está aí, livre leve e solto.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com 
São Caetano do Sul

*
ACABOU A DIVERSÃO

Dentro do seu mundinho ideológico, os ministros da área econômica do primeiro mandato do governo da presidenta Dilma Rousseff se descuidaram dos investidores estrangeiros que adquiriram ações da Petrobrás. Agora, desapontados, concluíram que sem “balanço” não tem como haver diversão no playground da corrupção petista.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br  
Monte Santo de Minas (MG)

*
PT CORTA GASTOS

O PT finalmente está colhendo o que plantou e, após destruir a economia brasileira, está sentindo no próprio bolso, com a queda brutal de arrecadação, o que está levando o partido a ter de fazer um ajuste em seu orçamento, cortando despesas e demitindo funcionários. Essa notícia é maravilhosa, pois com certeza muitos “militontos” perderão suas tetinhas e deixarão de perturbar os “coxinhas”, invadindo seus e-mails e com comentários em redes sociais. Aviso aos “militontos” desempregados que há vagas para “coxinha”, mas este é um trabalho voluntário, sem fins lucrativos, apenas por amor à Pátria.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
O DÍZIMO DO PARTIDO

É bem provável que os 20 mil (ou muito mais) comissionados contribuam para o PT mensalmente, falido financeiramente e moralmente. Este seria o motivo de serem intocáveis, jamais serão extintos. Os meios justificam os fins.
 
Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br 
São Paulo

*
RECUPERAÇÃO JUDICIAL

As empresas que participaram do esquema investigado pela Operação Lava Jato estão solicitando recuperação judicial. Não seria mais fácil solicitar o dinheiro da propina de volta?

Carlos Alberto Duarte carlosadu@yahoo.com.br 
São Paulo

*
OPERAÇÃO É ILEGAL?

Começam os advogados dos empresários envolvidos no “petrolão” a defender a tese de que os meios usados para incriminar seus clientes são ilegais. Isso preocupa quem se lembra que a Polícia Federal costuma montar e destacar via TV operações espetaculares e de apelidos sugestivos, mas, na hora da coleta de documentação irrepreensível e a prova de qualquer defesa advocatícia, tem falhado, e os supostos culpados escapam. Tomaram que na Operação Lava Jato não repita essa falha. 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br 
Garça

*
TIRO NA IMPUNIDADE
 
A tese do juiz Sérgio Moro e da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), de que o condenado por crimes do colarinho branco – corrupção, lavagem de dinheiro e peculato – espere preso pela tramitação dos recursos é um verdadeiro tiro na impunidade. Na prática, isso já acontece aos réus pobres, que não podem pagar bons advogados. Causa nojo encontrar verdadeiros abutres que tanto mal causaram à comunidade, libertos como se nada tivessem praticado. Pior é que tais indivíduos, mercê dos recursos cavados por bons defensores, muitas vezes, chegam à prescrição do seus crimes sem terem sofrido a mínima punição. É daí que vem a máxima popular de que cadeia foi feita para pobre e outros “pês”. Precisamos colocar na cadeia os grandes corruptos, como propõe o juiz Moro. Mas não podemos nos esquecer de que também há o problema do pivete ou jovem que nos assalta na esquina de nossa casa. Mais do que punir, precisamos prevenir e lutar por sua recuperação...
 
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
OS INSANOS DA PETROBRÁS

Isto só acontece no Brasil: a Petrobrás, em crise, pediu aos seus acionistas para aprovarem um aumento de 13% nos salários dos diretores da estatal, hoje considerada internacionalmente a mais corrupta do País. Um acréscimo de mais de R$ 10 mil mensais para cada executivo. Isso só pode ser deboche. Nós, brasileiros, consideramos essa a proposta mais idiota dos últimos anos. Um acinte contra o cidadão de bem que recebe o misero salário mínimo. Essa proposta só pode ter partido dos dirigentes insanos e alienados que ainda estão na empresa e fingem desconhecer a situação financeira da empresa. É uma loucura, esqueceram que o salário dos diretores da Petrobrás estão entre os maiores do País. Certamente, o povo brasileiro que está preparado para ir para a rua no dia 12 de abril vai falar muito dessa falta de respeito e dos insanos que ainda comandam a Petrobrás.
  
Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br 
Volta Redonda (RJ)

*
DECADENTE

Nossa “res publica” está morta, esquartejada e soterrada por um monte de entulhos. O ex-presidente da Receita Federal e atual presidente do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), Otacílio Cartago, assumiu o cargo, vedado a ex-auditores da Receita Federal, por mudança do regimento do órgão determinada pelo governo. Quem? Ex-auditores não podiam ser presidentes. Incompatibilidade manifesta. Otacílio está sendo investigado pela Operação Zelotes.  Quando comandava a Receita, caiu na malha fina da Corregedoria (!), por manter dinheiro sob o colchão e fazer doações incompatíveis com seu salário. Só nos resta lembrar de Pessoa (“O Livro do Desassossego”): “Isto está tão decadente que já nem decadentes há”. 
 
Amadeu R Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
INJUSTIÇA

Será uma enorme injustiça se falsa for certa delação premiada da Operação Zelotes de que o Grupo Gerdau foi beneficiário do esquema de propinas no Carf. Caso contrário, para decepção de muitos, a pergunta será: até tu, Jorge? Oxalá não seja!

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava 

*
TERCEIRIZAÇÃO
 
A Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (7/4), com 316 votos favoráveis, regime de urgência para o projeto de lei que regulamenta contratos de terceirização. Atualmente as empresas operam meio no escuro nessa área, pois existe somente uma pequena regulamentação criada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) que origina diferentes interpretações entre o que é chamada atividade-meio e atividade-fim da empresa. O projeto em vias de aprovação pela Câmara federal elimina de vez as tais atividades “meio” ou “fim” e permite que empresas contratem trabalhadores terceirizados para qualquer função. Acabou o tempo em que a empresa fabricava desde o parafuso até o automóvel, ou empresa verticalizada, como era chamada. No mundo atual, as empresas criam cadeias de fornecedores e a produção fica horizontalizada, aumentando assim a competitividade, o que é um avanço e tanto para as indústrias brasileiras. 
Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
ESTADO TUTOR

Desde quando trabalhadores têm seus direitos assegurados quando empregados diretamente na atividade-fim? Quantas empresas encerraram as atividades e deixaram trabalhadores a ver navios? As empresas prestadoras de serviços para a Petrobrás acabam de tomar um solene calote da estatal e transferiram para quem a conta? Vide Comperj... Sendo funcionário de uma ou de outra, o que manda é a saúde financeira da empresa, sua responsabilidade social, ética e moral – se não tiver compromisso, não paga, e não tem TRT, TST e TJT que as faça pagar. Somem, viram fumaça. Por mais que se busque proteção ao trabalhador, diante deste novo projeto de lei, quem é responsável continuará sendo, quem não é não vai mudar, tem de deixar o mercado se ajustar à nova realidade. O Estado tem de deixar de querer ser o tutor do trabalhador, achando que essa superproteção lhe transfere tranquilidade.

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com 
Matão

*
ÁGUA

Muito oportuno e bem referenciado o editorial “Gestão sustentável da água” (6/7, A3), que aponta para a necessidade de “um planejamento estratégico sério” e também mostra a tendência de as autoridades públicas se limitarem à tomada de decisões de curto prazo. Fundamentado no último relatório da ONU sobre o tema – “Água para um mundo sustentável” –, o texto induz a uma reflexão tanto da massa de consumidores como dos gestores de recursos hídricos, em todas as instâncias decisórias. Se Phnom Penh, capital do Camboja, conseguiu mudar um quadro de desperdício de 60% para 6% em dez anos, qual a contribuição das concessionárias brasileiras na minimização de perdas de água potável e aprimoramento tecnológico de gestão? Afinal, a água é um ativo precioso, essencial à vida e finito.

Marcello Giuseppe Deliza m.deliza@yahoo.com.br 
São Paulo

*
INCÊNDIO EM SANTOS

As TVs mostraram o incêndio que aconteceu em Santos (SP) e dezenas de grandes tanques contendo combustíveis altamente inflamáveis. Os tanques estão muito próximos uns dos outros. A empresa dona deste estoque ou os engenheiros que fizeram o projeto e aprovaram isso não são muito cuidadosos e racionais.

Mário A. Dente dente28@gmail.com 
São Paulo

*
PANAMBY – AÇÃO POPULAR

Merecem ser cumprimentados e receber o reconhecimento de toda a cidade o Ministério Público Federal e os moradores da região do Panamby, por terem conseguido barrar a construção das torres que iriam destruir uma importante área de preservação (“Estado”, 7/4). Esperamos que esta luta consiga também barrar os projetos da Brookfield e da Camargo Corrêa. Os moradores nos deram um exemplo de como união e articulação são capazes de salvar os valores da cidade e evitar que natureza e história, tudo se transforme em ruína e morte pela ganância do empreendimento imobiliário. Essa vitória merece um editorial – e constante vigília sobre as imobiliárias.

Anneliese Fischer fthom@uol.com.br 
São Paulo

*
A VIDA IMITA A ARTE

É incrível e triste a coincidência entre o provável ato suicida do copiloto Andreas Lubitz – que teria espatifado o avião da Germanwings nas montanhas dos Alpes – e o suicídio arquitetado pelo frustrado e infeliz Gabriel Pasternak, do belo filme “Relatos Selvagens”, de Damián Szifron.

Izidoro Blikstein izidoro@blikstein.com 
São Paulo

*
A POLÊMICA DAS SACOLAS PLÁSTICAS

O governo do PT é perito em invenções que, como sempre, acabam originando custos para o consumidor. Esta última, das sacolas plásticas em São Paulo, demonstra claramente isso. Claro que, na prática, a sacola reciclável é importante, mas cobrar do consumidor é inaceitável. Com certeza o custo da embalagem o comércio sempre acrescenta ao preço do produto.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
EMBALAGENS INFORMATIVAS

Depois de ler e reler as confusas regras para uso das sacolinhas recicláveis impostas pela Prefeitura de São Paulo, chegamos à conclusão de que, para melhor compreensão da população, elas deveriam vir estampadas com a foto dos políticos. Para saber qual deveria ser utilizada nos lugares específicos como dita a regra (banheiro, cozinha, lixo hospitalar, etc.), faríamos uma consulta popular, como o prefeito Fernando Haddad tanto adora!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
VERDE OU CINZA?

Gostaria de tirar algumas dúvidas a respeito desse assunto de suma importância para a cidade de São Paulo que, acredito, devo dirigir ao nobre prefeito Fernando Haddad. Vamos lá, nobre guru: 1) Quando passeio com meu cão, ele costuma defecar na calçada, como devo proceder com o conteúdo despejado? Puxo o carro, me mando de fininho, fingindo não saber de nada, não ter visto nada? Empurro o monte para a sarjeta e deixo a chuva lavar? Apanho-o com saquinho verde ou cinza, pois, dependendo do ponto de vista de alguns políticos, sempre dá para reciclar merda, não é verdade (não desmerecendo a merda)? Devidamente embalado o pacote, devo jogá-lo na lixeira da Prefeitura, que tem boca estreita e rasga o saco e vai merda para todo o lado? Ou nenhuma das anteriores?

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.