Fórum dos Leitores

PETROBRÁS

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2015 | 02h04

De cara limpa

A Petrobrás limpou o que tinha de limpar, afirmou a presidente Dilma Rousseff em discurso em Duque de Caxias (RJ). Bom, por enquanto... Porque o governo não implantou uma política transparente de gerenciamento, baseada na competência e na meritocracia, e porque as estatais continuam sendo usadas como moeda de troca para compensar os companheiros (Ideli Salvatti presidente dos Correios?) e satisfazer os ferozes aliados. Ou seja, o capítulo Lava Jato eventualmente terminará, mas a novela continua, com variações apenas no nome das operações da PF.

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Falou e disse

O Brasil espera a imediata prisão e o bloqueio dos bens de todos os citados pela presidente como responsáveis pelo escândalo da Petrobrás, principalmente da ex-presidente da empresa Graça Foster. A estarrecedora declaração de Dilma não deixa dúvidas: "A Petrobrás limpou o que tinha que limpar. Tirou aqueles que tinha que tirar e que se aproveitaram das suas posições para enriquecer seus próprios bolsos".

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarilafilho@me.com

São Paulo

Lava Jato na Transpetro!

A Transpetro substituiu o diretor pastor Rubens Teixeira, suspeito de envolvimento em corrupção nos contratos da Diretoria Financeira. O mais interessante é que a saída do diretor passou de maneira praticamente omissa pela mídia. Quem foi nomeado? O assessor desse diretor. E os gerentes regionais que apoiavam Rubens Teixeira? Ao que se saiba, nenhum foi substituído, indicando que a estrutura montada permanece a mesma, está tudo como dantes no quartel de Abrantes. Há de se pensar que Rubens Teixeira continue administrando a distância a estrutura montada por ele. É assim que Dilma quer livrar a empresa de predadores internos?

HOSANA MARTINS

martinshosana2015@bol.com.br

São Paulo

É, quase sigilosamente, na calada da noite, saiu o ex-diretor pastor sr. Rubens Teixeira, suspeito de um esquema de corrupção na Transpetro. Mas e toda a estrutura gerencial que apoiaria o suposto esquema? Permanece inalterada, da ponta onde os fatos ocorreram à sede da empresa? De que adianta tirar os Duques, se são os Baruscos que operam?

INGRID SCHNYDER

schnyderingrid@bol.com.br

São Caetano do Sul

CORRUPÇÃO

Outros mares

Ouvindo, sexta-feira, entrevista ao vivo com os delegados da Polícia Federal de Curitiba, um deles afirmou que as investigações da Lava Jato até aqui estão praticamente no início e, com certeza, elas os levarão para mares nunca navegados. Para bom entendedor, poucas palavras bastam para explicar a podridão que ainda virá à tona. Tomara que navegando mares estranhos descubram novamente nosso sofrido país.

ALOISIO A. DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

Bifronte

Com essa "redelação" do Paulinho, aquele da Petrobrás, dá para afirmar que somos todos aprendizes. E nós, brasileiros, que achávamos que já tínhamos visto tudo, como é que ficamos?

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

Correios

Temos uma fila cada vez mais longa de processos abertos por suspeita de corrupção: Petrobrás, Eletrobrás, Caixa Econômica, ministérios, fundos de pensão das estatais, cooperativas habitacionais. Pergunta simples (com resposta difícil): por que uma empresa como os Correios, monopolista por lei, é uma das maiores investidoras em propaganda do país (em letras cada vez mais minúsculas) e ainda não apareceu nas manchetes?

ALDO BERTOLUCCI

accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

Avião sem asas

É desesperante, em tudo o que eles fizeram nestes 12 anos houve suspeita e a maioria dos casos teve a confirmação da maracutaia. Agora fica sob suspeição a compra dos aviões suecos. Na ocasião já havia rumores acerca da compra do Rafale (caça francês), acertada entre Lula e Nicolas Sarkozy. Aí, sem explicação, Dilma compra um avião que nunca enfrentou uma guerra, nunca foi fabricado, e quase pelo mesmo preço do melhor avião do mundo, o americano F-18. Será que não dá para fazer alguma coisa inteligente e honesta?

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

GOVERNO LULOPETISTA

Insensatez

As recentes atitudes do governo Dilma - a saber, ajuste fiscal, privatização da atividade de seguros da Caixa e, agora, as declarações do ministro Eduardo Braga, de Minas e Energia, de que vão "revisitar" (pobre idioma português, tão maltratado!) a exigência de conteúdo nacional de fornecimentos à Petrobrás e o sistema de partilha do pré-sal - trazem-me à lembrança os versos do saudoso Vinicius de Moraes em Cotidiano n.º 2: "Se foi pra desfazer, por que é que fez?". Ou, em outras palavras, por que durante a campanha eleitoral tanto falaram mal de Aécio Neves e Marina Silva, se era para eles, do PT, fazerem (mal) o que esses candidatos propunham fazer (bem)?

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

esc@scvs.adv.br

São Paulo

Chute ministerial

O ministro de Minas e Energia declarou que uma descarga elétrica numa linha de transmissão provocou o recente apagão no Nordeste - essa, aliás, tem sido a desculpa frequentemente utilizada pelo governo do PT. Sou engenheiro eletricista aposentado. Na minha vida profissional fui responsável pela construção de 1.500 km de linhas de alta-tensão. Acho que sei alguma coisa, pois essas linhas até hoje, depois de mais de 40 anos em operação, nunca sofreram nenhum defeito decorrente de descargas elétricas. Uma linha de transmissão de acordo com as normas da ABNT, com dois circuitos, deve contar com dois cabos guardas acima dos cabos de força e cada torre age como um para-raios, tendo de ter um índice de aterramento igual ou menor que 3 ohms (medida de resistência elétrica). Com essas medidas, de acordo com as normas DIM (alemãs), deve resistir a uma descarga elétrica superior 50 milhões de ampères. Os cabos guardas deverão ser de aço, com uma bitola de 3/4 de polegada. Ou o ministro chutou ou a linha em questão foi construída segundo as normas do PT.

RONALD MARTINS DA CUNHA

ronaldcunha@hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

MANIFESTAÇÕES DE 12 DE ABRIL
 
Enfim, o povo brasileiro parece entender que o ocorrido na Petrobrás, nos Correios, na Receita Federal, na Eletrobrás, no BNDES, no Banco do Brasil, etc. humilhou o nosso país e arrasou as nossas instituições. O Brasil e a maior parte dos brasileiros são grandes e dignos demais para consentir que um bando de canalhas que se sente acima das leis e das instituições consiga destruir o País. Os escândalos têm sido tantos e tão descomunalmente monstruosos que é impossível que, no curto prazo, não sejam escorraçados do Planalto, como os vendilhões o foram por Cristo do templo de Jerusalém. Vamos às ruas!

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br 
Valinhos

*
OS POLÍTICOS NÃO ENTENDERAM 

Por que as ruas estão dizendo que eles não entenderam nada? É muito simples de explicar. O nosso jovem sistema democrático - os Três Poderes, os partidos políticos, as entidades atuantes de todos os setores - está profundamente viciado numa fórmula mágica que vinha dando certo até recentemente: bastava, a cada nova eleição, dar novas respostas às mesmas velhas perguntas da sociedade. O que era conseguido facilmente através de iniciativas e proposições meramente cosméticas, tendo como ponto de comparação o passado (retrovisor) e contando sempre com o providencial apoio de bons marqueteiros, encarregados de maquiar e perfumar as novas respostas. Limitavam-se a trocar cores, siglas, sons, movimentos, formas, slogans, ou seja, mais do mesmo. Acontece que a sociedade brasileira mudou, evoluiu e está podendo, devendo e querendo fazer novas perguntas, quer algo diferente, tendo como ponto de referência o futuro da Nação (farol de milha). Perguntas estas que ela não sabe ainda formular com clareza e que precisam ser rapidamente decodificadas, interpretadas, para aí, então, poderem ser respondidas. Importante guru da qualidade diz que o cliente não sabe o que quer, reconhece quando vê e recompensa corretamente quem atendeu às suas necessidades. Espaço plenamente aberto, portanto, para quem estiver disposto a mudar os seus paradigmas e estiver disposto a priorizar iniciativas e proposições de natureza cirúrgica, contando necessariamente com a imprescindível e intensa colaboração das melhores cabeças pensantes de nossa sociedade. E não esquecendo, antes, de tirar os marqueteiros da sala.

Carlos Cardoso cardoso.axxions@uol.com.br 
São Paulo

*
INSATISFEITOS
 
Ei, você aí! Está satisfeito com a corrupção e a politicagem dominante no Brasil? Se não estiver satisfeito, tire o traseiro do sofá e vá para a rua, participe da passeata na sua cidade neste dia 12, de forma ordeira e sem cor política, para protestar contra o descaso com os recursos públicos. Somos submetidos a uma das maiores cargas tributárias da face da Terra, no entanto são caóticos os serviços governamentais disponibilizados (saúde, educação, segurança, transportes e infraestrutura). Mas nossos líderes enriquecem e ampliam suas mordomias, enquanto prevalece o descaso com a população e o Brasil afunda economicamente. Depende de nós, pacificamente, melhorar a situação, antes que piore ainda mais.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 
Vila Velha (ES)

*
POR UM BELO PAÍS

Apenas um detalhe falta para o Brasil se tornar o melhor e mais belo país do mundo. Falta um sonho, o de serem honestos os representantes do povo no governo. Falta essa gente estudar com dedicação a democracia, se apaixonar por ela, essa maravilha de vida global, estupenda prática possível de liberdade e justiça. Falta pensar no povo, e não unicamente no próprio estômago. Há mil maneiras de acabar com a raça de uma democracia, e a principal delas é a corrupção. O debate e o controle constitucional que fazem salivar nossos políticos são um luxo dos poderosos. Chegou a hora de eles temerem os inconformados inflexíveis, aqueles que sempre lutaram por uma nova ordem. 
 
Apollo Natali apollo.natali2@gmail.com 
São Paulo
 
*
PARTICIPAÇÃO POPULAR

Se você, caro leitor, tem dúvidas sobre a legitimidade dos resultados da apuração das últimas eleições presidenciais, se você está farto de tantos assaltos aos cofres das empresas estatais e da corrupção endêmica que toma conta do País, não deixe de comparecer às manifestações que terão lugar em todas as cidades brasileiras neste domingo, 12 de abril. Igualmente, se você acha que o resultado do pleito presidencial de 2014 foi realizado dentro da maior lisura e transparência e que os governos petistas não têm culpa de nada do que está acontecendo, compareça também, e defenda seus pontos de vista. O importante é que todos participem e, ordeira e pacificamente, expressem suas opiniões a respeito de tudo o que vem ocorrendo ultimamente no Brasil. Só com este debate amplo, direto e legítimo teremos um diagnóstico verdadeiro que ajudará o Brasil a implantar a verdadeira democracia, almejada por todos os cidadãos interessados num País melhor. A participação popular é mais que importante e é sem sombra de dúvida o instrumento mais autêntico numa democracia que realmente faça jus a este nome. Não deixe, também, de colocar as cores de nossa bandeira nas janelas de suas casas ou apartamentos. A sua manifestação tem importância muito maior do que o discurso de qualquer político e é muito mais legítima e isenta, pois é despida de quaisquer interesses menos transparentes. A voz das ruas, neste momento, é importantíssima e certamente mostrará de maneira límpida o que o povo brasileiro deseja para o Brasil. Não se acomode. Compareça! Contamos com a sua importantíssima, essencial e insubstituível participação.

José Carlos Werneck werneckjosecarlos@gmail.com 
Brasília

*
CONVOCAÇÃO DE 12 DE ABRIL

O Brasil é feito por nós. Só falta, agora, desatar os nós.

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br
São Paulo
                                                              
*
ESTOU INDO

Primeiro de maio, dia consagrado ao trabalhador, se aproxima e marqueteiros e assessores de imprensa já estão redigindo o discurso que presidente Dilma Rousseff fará, na televisão, dirigido aos "queridos brasileiros e queridas brasileiras". Tudo o que tiver no script será lido "ipsis litteris" pela presidente, pois é pública e notória sua dificuldade com improvisos, mas pouco importa, pois o que dirá entrará por um ouvido e sairá por outro. Os diletos brasileiros e brasileiras já estão curados da lavagem cerebral que os acometeu durante anos. A única coisa que alegraria a população seria que, ao final do discurso, ao contrário de Dom Pedro I, que disse "se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo de fico", dissesse "estou indo". Assim Primeiro de Maio de 2015 entraria para a História do Brasil também como o dia do "já fui". Se questionada sobre a sua decisão, a resposta da presidente estaria na ponta da língua: "Forças estranhas redigiram um discurso falho e incompleto".       
Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí 

*
GOVERNO TERCEIRIZADO

Dilma Rousseff jogou a toalha ou não acredita mais no PT. Por falta de gente qualificada no âmbito do partido de Lula, a presidente, que já decidiu - diga-se, em boa hora - indicar para o cargo de ministro da Fazenda um quadro fora das hostes petistas, Joaquim Levy, agora, na tentativa de salvar seu mandato, terceiriza de vez os postos-chave do Planalto com a escolha do vice-presidente, Michel Temer, para a articulação política do governo. Lógico que o vice-presidente, no comando deste importante cargo, não garante a solução dos graves problemas do País, protagonizados exclusivamente pelo PT. Porém, com a sua larga e reconhecida experiência vivida no Parlamento, pode otimizar a atuação dos parlamentares para que votem reformas constitucionais importantes como a política, a tributária, etc. Que ele faça cumprir o que seu partido surpreendentemente passou a defender, como a redução drástica do número de ministérios. Será? O efeito mais importante dessa indicação é que, a partir de agora, Lula não terá mais espaço para suas alegorias políticas desprezíveis. O ex-presidente fica sem discurso, porque vai precisar se curvar a Temer, e não mais a Dilma.
 
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
LULA E TEMER

A recente aproximação de Lula e do vice-presidente, Michel Temer, e a indicação de Temer para a coordenação política do governo petista escondem algo que serve à reflexão. Dizem que não existe almoço grátis e ainda mais na política nada é de graça. Para Lula, esperto, que prevê a possibilidade de afastamento de Dilma do governo pelas vias legais ou de forma voluntária, não custa acordar com Temer, substituto natural da presidente, e com ele compor um eventual novo governo. O atual vice-presidente e coordenador político permanecerá estável no mais alto cargo da Nação e satisfeito o rebelde PMDB, enquanto o partido corruPTo continuará vivo e junto do poder. Com essa dupla tudo é possível.
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
RESOLVIDO

Michel Temer vai cuidar de tudo. Dilma já pode se retirar para seu retiro espiritual.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
RENÚNCIA

A presidente se supera ao delegar competências normalmente atribuídas ao chefe do Poder Executivo para seu vice, na inepta tentativa de se sustentar no poder e iludir os poucos que ainda a apoiam por mais algum tempo, afinal de contas, é só nisto que o PT pensa. Desista, Dilma, seu governo já acabou, quer queira quer não. Chega de malabarismos econômicos e políticos para manutenção do governo que menos se preocupou com a população brasileira na história do nosso país. Renuncie já!

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com
São Paulo

*
RENUNCIAR JAMAIS

Dilma jamais renunciará. É mulher de fibra, guerreira, não dará esse gostinho aos derrotados e aprendizes de golpistas. Sempre indago, para efeito de argumentação, será que Aécio Neves teria competência para tirar o País da crise, caso fosse eleito? Fazer marola, insinuações, piadas de mau gosto e ameaças, tudo com pitadas acentuadas de hipocrisia, ódio e ressentimento, é cômodo e fácil. As tais redes sociais estão aí, basta "escrever" sandices contra Dilma, claro, evidente, usando nomes falsos, na tentativa patética, ridícula e leviana de desestabilizar o governo e apunhalar a Constituição e a democracia, além de violentar o resultado das urnas. O mais sensato é propor soluções, criticar com grandeza e espírito público, apoiar Dilma no que for importante para a coletividade, enquanto não chegam as eleições de 2018. É pouco, quase nada, dezenas de microfones e câmeras ansiosos ouvir Aécio e seus clichês surrados, que apenas alegram desocupados e recalcados, babando e rosnando porque estão fora do poder.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 
Brasília

*
A RAPOSA NO GALINHEIRO

Neste segundo mandato, conquistado nas discutíveis urnas eletrônicas e ao peso de um repertório de fazer inveja ao mais sisudo dos Pinóquios, a presidente Dilma enfrenta uma borrasca em mar que, de tão bravio, não sabe se conseguirá atracar em porto seguro. Apenas um trimestre foi suficiente para que as peças do tabuleiro ministerial fossem mexidas quatro vezes. Dilma queria Eliseu Padilha para a Secretaria de Relações Institucionais. "Vai pra casa, Padilha!", já dizia Jô Soares. E ele foi. Solução: o vice-presidente, Michel Temer, vai assumir a pasta. São os tentáculos do PMDB se articulando. O substituído, Pepe Vargas, desagradou tanto a presidente que ela mandou para o ralo a Secretaria de Relações Institucionais e Pepe Vargas só soube da sua defenestração pela imprensa. Tem raposa no galinheiro ou os hunos estão chegando. Na verdade, estamos vivendo num regime parlamentar brancaleone, com o PMDB tendo dois presidentes comandando a Câmara e o Senado e o vice-presidente da República atuando como um cardeal Mazzarino da França dos Luízes. Só nos resta cantarolar a moda popular: "A coisa tá feia, a coisa tá preta, quem não for filho de Deus da na unha do capeta".

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
IMPEACHMENT LIGHT

Nunca antes na história um "impeachment" foi tão suave, quase imperceptível. Após pacíficas cobranças populares, o Congresso exclui a presidente, o vice assume o governo e segue o programa econômico da oposição.

Haroldo Nader nader.haroldo@gmail.com 
Valinhos

*
SONHO E REALIDADE

Sonhando que dona Dilma renunciasse (brasileiros, é sonho), então quem assumiria seria Michel Temer (PMDB). Sonhando que ele também renunciasse, quem assumiria seria o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB). Sonhando que ele também renunciasse, quem assumiria seria o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). Ainda sonhando que Renan também renunciasse, quem assumiria seria o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. É só um devaneio e a realidade seria que não há ninguém para assumir, e o certo seria trocar todos. Minha sugestão: acabar com a reeleição para todos os cargos públicos, de vereador a presidente.
 
Carlos R. Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br 
Ourinhos 

*
TROICA

Os eleitores de Dilma Rousseff têm todo o direito de protestar. Afinal, votaram nela para governar a Nação, e não na troica peemedebista (Michel Temer, Eduardo Cunha e Renan Calheiros).

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
PODERES

No Brasil até FHC, tínhamos Três Poderes: o Judiciário, o Legislativo e o Executivo. Na era petista, isso mudou para quatro: o Judiciário, o Legislativo, o PT (pelo Executivo) e o crime organizado (traficantes, PCC e Comando Vermelho). Hoje temos cinco: o Judiciário, o Legislativo, Joaquim Levy, Michel Temer (PMDB) e o crime organizado (traficantes, PCC, Comando Vermelho e o PT). Ninguém merece.

Miguel Pellicciari emepe01@uol.com.br
Jundiaí

*
PACTO DO CAPETA

O PMDB não fez nada, nem "o diabo". Mas hoje está governando mais que o capeta.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 
São Paulo

*
GOVERNO DILMA

A única pergunta a ser respondida é como um governo quebrado, com sua credibilidade arrasada, mergulhado no maior escândalo de corrupção da história, motivo de chacotas dos mais ricos aos mais humildes, vai conseguir terminar seu mandato?!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 
São Paulo

*
TAPEAÇÃO

Primeiro, o PT desfalcou o País! Agora, pretende tapear a Nação!

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*
PESQUISAS

Segundo a última pesquisa CNI-Ibope, o índice de reprovação de Dilma atinge espantosos 78% (!) da população. Como se já não bastasse, levantamento da consultoria política Arko Advice revelou que 61% (!) dos 102 deputados federais de 22 partidos avaliam como "ruim" ou "péssimo" o convívio do Legislativo com o Executivo. A esta altura da crise político-econômica, quando os números falam de per si, resta saber como o País sobreviverá intacto ao segundo mandato. Oremos.

J. S. Decol  decoljs@globo.com 
São Paulo

*
ABANDONO

Alguém conhece uma pessoa, de qualquer atividade, mesmo bolsista não filiado ao PT, que apoie incondicionalmente a Dilma?

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
BAIXO ÍNDICE DE APROVAÇÃO

Diante do baixo índice de aprovação do governo, Dilma dirigiu-se ao espelho e perguntou: espelho, espelho meu, existe presidente melhor do que eu? E o pior é que o espelho está rindo até agora.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br
São Paulo

*
OBRIGADO, PRESIDENTE

Dilma, apesar de sua incompetência e arrogância, vai deixar seu nome registrado na história do Brasil: implodiu o PT. Tenha um lampejo de sabedoria e renuncie já. O Brasil agradece.
 
Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com 
Itapetininga

*
QUEDA LIVRE

A popularidade da presidente Dilma está tão baixa que mais um pouco irá ultrapassar a camada do pré-sal.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
DESAFIO

Presidente Dilma, você quer fazer um teste de popularidade? Programe um passeio pela principal avenida do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Belo Horizonte ou qualquer outra capital do Brasil. Escolha qualquer dia útil, entre 12 horas e 13 horas. Você vai sentir realmente qual é a reação, o grau de satisfação, o índice de aprovação dos brasileiros após 100 dias de seu segundo mandato. Sugiro que você esteja protegida dentro de um tanque de guerra e mais os aparatos de praxe, tais como batedores, carros blindados, etc. Mas, se você quiser mesmo provar que o povo aprova os últimos 12 anos de governo do PT, convide o Lula para te acompanhar neste passeio.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br
Rio de Janeiro

*
PREVISÃO

Anos atrás, o genial Chico Anísio criou o personagem Pantaleão, um velho rabugento contador de vantagens. Tinha uma esposa resignada, que passava o tempo tricotando e se chamava Terta. Recebiam visitas em sua casa e o Pantaleão contava vantagens de si mesmo e mentiras lascadas. Cada vez que contava uma mentira, o visitante duvidava e ele perguntava: "É mentira, Terta?". E ela, com voz esganiçada, respondia: "Verdaaaade". Chico não imaginaria que, anos depois, Lula e Dilma seriam a realidade do casal Pantaleão-Terta. Naquela época, isso era humor. Mas hoje isso é trágico.
 
André Coutinho arcouti@uol.com.br
Campinas

*
O EXEMPLO

Ninguém garante que ficaremos melhores sem Dilma, porém a recíproca não é verdadeira. Todos pagam por seus crimes e Dilma deve ser apeada de seu trono para pagar pelo seu principal crime hediondo: mentir ao povo. Não só por esse motivo, mas também para mostrar que a justiça deve ser feita àqueles que fazem malfeitos, sejam eles pequenos ou grandes, assim como os criminosos réus do mensalão e da Operação Lava Jato. O exemplo vindo de cima tem a força de um furacão, devastador, e ensina o que deve ser feito para alcançarmos uma verdadeira democracia. Temer poderá ser um presidente-tampão equilibrado, culto e com a estampa que convém ao Brasil.
 
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
OPERAÇÃO LAVA JATO
 
Que notícia auspiciosa! Nossa esperanças de que, neste país, haja justiça para a punição de poderosos se revigoram. Três ex-deputados federais foram encarcerados e mais quatro poderão ser presos. Todos estão incursos em delitos investigados na Operação Lava Jato. Parece-nos que a Justiça brasileira finalmente dá sinais positivos de que cadeia não foi feita apenas para delinquentes pobres. 
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
CPI DA PETROBRÁS

Dirigindo-se aos deputados que questionavam o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura irregularidades na Petrobrás, o deputado Hugo Motta, presidente da comissão, disse aos deputados: "Será que os eleitores de Vossas Excelências estão satisfeitos com o comportamento dos senhores?". Deputado Hugo Motta, fique tranquilo, nós, eleitores, prometemos a resposta para hoje, 12 de abril, quando iremos às ruas de todo o País dizer o que estamos pensando realmente dos Poderes Legislativo, Executivo e do nosso STF.
 
Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br
Volta Redonda (RJ)

*
RATOS

Na foto estampada na capa do "Estadão" de sexta-feira, viam-se "ratos" soltos no plenário da CPI da Petrobrás. Ficou difícil de distinguir quem é quem para separá-los, uma vez que eles se misturaram aos parlamentares.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
A CAIXA NA LAVA JATO

A caixa que tinha seis ratinhos deixados na Câmara de Deputados teria conotação com a caixa cheia de ratazanas alvos da Operação Lava Jato?

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo
 
*
SUSTO NA CÂMARA

Ainda bem que foram pequenos ratos, pois, se fosse um gato, estaria até agora tremendo de medo tendo em vista o tamanho das ratazanas.

Roberto Castiglioni rocastiglioni@hotmail.com 
Santo André

*
DEMISSÃO
 
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), demitiu o funcionário Márcio Martins de Oliveira, por ter soltado roedores durante a sessão da CPI? Que pena... ele não deveria ser punido, mas, sim, promovido.

Eugenio de Araujo Silva eugenio-araujo@uol.com.br 
Canela (RS)

*
PARA OS GRANDES

Marcio Martins de Oliveira, depois de conviver por três anos nas proximidades do nosso Congresso, deveria saber que esta Casa não é lugar de ratos pequenos. Consequência: demissão por justa causa.
 
Francisco de Carvalho Filho  icasadosenhor@gmail.com  
São Paulo

*
ROEDORES EXÓTICOS

E eu pergunto: e a Sociedade Protetora dos Animais, não tem representante em Brasília (DF)?

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com  
Avanhandava

*
ALVO ERRADO

Na sessão de depoimento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, os roedores saíram enjaulados da sessão da Câmara. Pena, o alvo foi errado.

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*
SANTO TESOUREIRO

A CPI que começou com ratos deveria ter acabado com pombas e trombetas para anunciar a canonização de "São" João Vaccari Neto, um tesoureiro esculpido em madeira de lei.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
CORRUPÇÃO, CRIME HEDIONDO
 
Historiadores dizem que a corrupção é um fenômeno preexistente na vida brasileira. Já era praticada antes de nos constituirmos com nação independente. Por muito tempo, os serviços públicos foram reservados exclusivamente a afiliados de gente importante. O concurso público tornou as oportunidades mais disponíveis a todos. A concorrência ou licitação tem por objetivo selecionar os melhores fornecedores e, pela disputa, obter os menores preços, reputando bem o dinheiro público. No entanto, temos visto as mais sórdidas fraudes nos diferentes certames, fruto da ação dos propineiros, falta de fiscalização e de comprometimento dos governos e dos envolvidos. É preciso varrer todos os tipos de corrupção. Há que se exigir que cada indivíduo viva das rendas do seu trabalho ou patrimônio, que as autoridades e os servidores cumpram efetivamente suas obrigações, que o empresariado seja submisso às leis, e que todos recolham regularmente seus tributos. A corrupção, em todos os níveis, tem de ser tratada como crime hediondo porque, desviando a finalidade do dinheiro público, mata o povo por falta de saúde, educação, moradia, trabalho, segurança pública e outros serviços fundamentais. 
 
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
TRISTE REALIDADE

Assistindo ao festival de besteiras, baixarias, traições, hipocrisias e mentiras que assolam o País, lembro-me de alguns velhos ditados portugueses: "os ratos são os primeiros a abandonar o barco que afunda", "quem desdenha quer comprar", "a união faz a força, desde que cada um cumpra seu papel" e "onde tem onça, macaco não pia", "em festa de macaco inhambu não pia", "em rio que tem piranha jacaré nada de costas" e, para finalizar, "falar é prata, ouvir é ouro".
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
'NÓIS' E 'ELES'

Lula, que no seu projeto de tomada do "pudê" inventou esta dicotomia "nóis" e "eles", hoje onde se situa? Hoje Lula é mais um "deles", da elite branca, milionária, latifundiária, especuladora, etc., dono de uma grande fortuna, bem como toda a cúpula dos petralhas, encabeçada por Zé Dirceu. E "nóis" é a legião dos inocentes que ainda acredita em seu líder e ainda vota nele ou em quem ele escolhe e indica. Isso precisa mudar. Para as ruas, para as praças, povo brasileiro!

Ivan Marinho mariniv26@gmail.com 
São Paulo

*
FORA BANDIDOS!
 
A violência crescente que assola o País vem de muito longe. Tem suas raízes numa perversa ideologia, em debandada no mundo civilizado, mas, pasmem, persistente em nosso país, que afirma ser o criminoso uma vítima da sociedade "burguesa". Tais devaneios ideológicos são balizados pelo destrambelhado Foro de São Paulo, que preconiza a construção da grande pátria socialista e bolivariana da América Latina. Para tanto, seus prosélitos precisam calar a mídia, destruir os valores da odiada classe média, entronizar as Farc, satanizar as Forças Armadas e as forças policiais, o Judiciário (o julgamento do julgamento: "Dirceu guerreiro do povo brasileiro...") e as demais instituições tradicionais, que desqualificam como reacionárias. Não acreditam no Estado constitucional. Enquanto existirem na República dirigentes comprometidos com tais estapafúrdias teses, jamais teremos a formulação de uma séria política de segurança pública, e os brasileiros, paradoxalmente os mais pobres, continuarão a ser diariamente assassinados. Fora bandidos!
 
Rui da Fonseca Elia ruielia@terra.com.br 
Rio de Janeiro

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.