Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

16 Abril 2015 | 02h05

Mais um em cana

Ouvi dizer que prenderam um ex-sindicalista petista, barbudo, acusado de corrupção. É elle?

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo_7@terra.com.br

São Paulo

O 'Moch'

O preso é João Vaccari Neto, o segundo tesoureiro do PT a ir para a cadeia. Fica a pergunta: quando é que vão prender o chefe?

ARY BRAGA PACHECO FILHO

ary.pacheco.filho@gmail.com

Brasília

Paladinos de mentira

O PT mostra que, assim como na economia, na ética também não aprendeu nada nestes 13 anos de governo. De novo o partido tem seu tesoureiro preso por corrupção. Uma vergonha para qualquer brasileiro, mas mais ainda para aqueles que batiam no peito gritando ser os paladinos da moralidade. Agora sabemos que essa foi só mais uma mentira do PT!

VICTOR S. CASSIANO DALTIN

victorscdaltin@gmail.com

Catanduva

'Prisão política'

Para alguns políticos petistas, a prisão do tesoureiro João Vaccari Neto é "política". Será que o juiz Sergio Moro decretou a prisão de Vaccari porque pretende tomar o poder e assumir o cargo de presidente da República? Esses petistas continuam achando que somos idiotas...

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

O deputado federal Sibá Machado (PT-AC) insiste em dizer que a prisão do tesoureiro João Vaccari Neto é, sim, política. Se continuar com esse discurso, Sibá, ex-coveiro, vai acabar "enterrando" o PT de vez!

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Partilha

Após prisão, o PT anunciou o afastamento de Vaccari da tesouraria do partido. Certo, mesmo porque, se fosse continuar na função de tesoureiro na cadeia, teria de partilhar a propina com muitos outros parceiros de cela.

JOSÉ CARLOS ALVES

jcalves@jcalves.net

São Paulo

Mãos queimadas

A presidente Dilma Rousseff disse que poria suas mãos no fogo por Vaccari. E agora, presidente? Ainda o defende ou mais uma vez, como é de seu costume, vai fazer reverência com o chapéu alheio e dizer que mandou a Polícia Federal prendê-lo?

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

LULOPETISMO

A mesma essência

Hoje o lulopetismo se esmera em jogar Norte/Nordeste contra Sul/Sudeste, ricos contra pobres, negros contra brancos, etc. Nos anos 1950 a coisa era mais bucólica. O grande discurso da época era dizer que o gato da madame nos Jardins bebia leite tipo A enquanto criancinhas no Nordeste morriam de sede. Aumentou a agressividade de lá pra cá, mas a essência continua a mesma: blindar políticos e governantes de suas responsabilidades.

HERMÍNIO SILVA JÚNIOR

hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

STF

Novo ministro

Mais um petista de carteirinha...

ATTILIO CERINO

attiliocerino@yahoo.com.br

São Paulo

O advogado Luiz Edson Fachin, que tem fortes ligações com o MST, a CUT e o PT (partido que sempre privilegiou alianças com ditadores e autoritários), deixa todos em grande dúvida: atuará com a exigida isenção ou empunhará a bandeira vermelha em nossa mais alta Corte de Justiça?

SÉRGIO LEME ROMEIRO

adm.romeiroaguiar@gmail.com

Campinas

Outra herança maldita

Entre as inúmeras heranças malditas que o PT deixará, certamente se inclui o aparelhamento do Supremo Tribunal Federal (STF) com ministros que chegam dispostos a trocar a toga pelo voto. Ao contrário da economia, que, apesar dos enormes estragos, do desemprego e do desalento para as famílias, tem chances de ser recuperada em alguns anos - desde que resgatada a racionalidade -, o estrago no STF prolonga-se por décadas. Não era necessário levar meses para indicar o novo ministro se a intenção era escolher um nome ligado ao PT e ao MST. Na verdade, nem precisava ter carreira no Judiciário, bastava ter a carteirinha do partido, como já ocorreu com aquele que, reprovado em concursos para juiz de primeira instância, saltou todos os degraus hierárquicos e foi parar no topo da carreira. A escolha do novo nome para o STF é um sinal para os presos do petrolão: fiquem de boca fechada; na pior das hipóteses, pegarão uma pena leve, como Delúbio, Dirceu & Cia., e logo serão beneficiados com prisão domiciliar e poderão desfrutar as fortunas amealhadas com dinheiro público. É o câncer da corrupção que chega a todas as esferas do poder público, por obra do partido que um dia se disse defensor da ética.

CARLOS TAQUARI

taquari1@hotmail.com

São Paulo

Teoria contrária à prática

A perspicácia, ou audácia, da presidente Dilma Rousseff chega a ser lamentável. Vive discursando ser defensora da Petrobrás, implacável contra a corrupção e que nunca nenhum governo investigou tanto quanto o dela, porém a prática é ao contrário. Articulou com o ministro da Justiça, o procurador-geral da República e o ministro Dias Toffoli a transferência deste para presidir a segunda turma do STF a fim de assegurar a impunidade dos envolvidos nas investigações da Lava Jato. Não por acaso, demorou oito meses para pesquisar quem indicaria para a vaga do ilustre dr. Joaquim Barbosa, pois objetivava encontrar um jurista renomado, mas que antes fosse alguém capaz de corresponder às suas expectativas. E encontrou. O novo ministro, além da capacidade inquestionável, é amigo da CUT, do MST, do PT e não é admirador dos militares, tanto que participou da Comissão Nacional da (in)Verdade pelo Paraná, seu Estado de origem. A par dessas lamentáveis coincidências, o que esperar desse caótico governo, que não diz uma só palavra confiável? No meu ponto de vista, nós, brasileiros desejosos de um País próspero e realmente democrático, sem corrupção nem adeptos do Foro de São Paulo, precisamos unir-nos com os patriotas dos demais Estados e fazer uma manifestação supermaciça para exigir a queda deste governo. Porque, se ele continuar, acabará com o Brasil.

VICENTE MUNIZ BARRETO

dabmuinizbarreto@hotmail.com

Cruzeiro

A PRISÃO DE JOÃO VACCARI NETO

João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, foi preso ontem em sua casa, em São Paulo, e a Procuradoria da República diz que ele recebeu propinas para o PT por quase dez anos, ainda antes de assumir o cargo no partido. Obviamente, Lula da Silva vai dizer que não sabia de nada, enquanto dona Dilma vai alegar que está “mandando prender” todos os envolvidos nos escândalos da Petrobrás.  É necessário ter muita cara de pau para tratarem deste assunto como se eles não tivessem o mínimo conhecimento dele. Até quando vamos ter de aguentar tanta hipocrisia e desrespeito com a população brasileira?
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com
Taubaté

*
RENASCIMENTO

João Vaccari Neto é aquele que surrupiou a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) em mais de R$ 100 milhões para a eleição de Lula em 2002, respondendo a processo até hoje por deixar milhares de mutuários sem sua casa própria. É hoje o tesoureiro do PT, que viveu nas coxias da Petrobrás angariando fundos não contabilizados para ajudar no “projeto de poder do PT”, de acordo com a delação premiada do doleiro Alberto Youssef. Foi incansavelmente interrogado pelos deputados na CPI da Petrobrás, jurando inocência, e acaba de ser preso pela Polícia Federal em São Paulo. Isso está até parecendo nota de falecimento, mas do PT. Meus pêsames aos brasileiros, estes, sim, inocentes, que caíram nesse conto do vigário. O Brasil está tendo chance, finalmente, de renascimento.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
DE NOVO!

Assistir ao noticiário em tempos de PT é como assistir aos Teletubbies: você só espera com horror a hora em que vão gritar “de novo, de novo”!

Lucas D. Fuster Pinheiro lucasdomingues@adv.oabsp.org.br  
Novais

*
A PRÓXIMA ETAPA

O juiz federal Sérgio Moro não está para brincadeira. De etapa em etapa da Operação Lava Jato – todas bem calculadas –, ele vai chegando ao seu destino. Na 12.ª etapa da operação, para desgraça do PT e de Dilma Rousseff, o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, foi preso pela Polícia Federal. E, pelo jeito, ele agia em família, já que também a sua mulher foi interrogada e sua cunhada teve a prisão decretada, porém está foragida. Agora, com a prisão de Vaccari, se confirmadas as denúncias de que recebeu de US$ 150 milhões a US$ 200 milhões de propina para rechear o caixa do PT, o movimento para um impeachment da presidente pode prosperar e até se materializar. Quem sabe essa comprovação da participação do Planalto como beneficiário deste escárnio da corrupção apareça na próxima etapa da operação, a de número 13 – o número da sigla petista. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
EM FAMÍLIA

Como é linda a família quando todos os seus membros são tão unidos... O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, é preso e leva consigo a esposa e a cunhada. Louvem-se, mais uma vez, a Polícia Federal, o Ministério Publico e o corajoso juiz Sérgio Moro, que honra nosso Judiciário, hoje um tanto desacreditado. 

Roberto L. P e Silva robertolpsilva@hotmail.com 
São Paulo

*
OS COFRES DO PT

Já que João Vaccari Neto não renunciou ao cargo de tesoureiro do partido, pode-se dizer que os cofres do PT também estão sob os cuidados da Polícia Federal. Vai aí mais um tento lavrado do juiz  dr. Sérgio Moro.  

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
PARCERIA

A corda da verdade e da vergonha está se esticando e, sem dúvida alguma, a prisão de Vaccari vai explodir na cara de Lula e de Dilma. A proximidade de mais de 30 anos de convivência me permite dizer que não é só respeito que Vaccari tem por Lula, mas, sim, uma parceria que agora será revelada. A Justiça, dizem mesmo no Brasil, tarda, mas não falha, e eu acredito agora mais do que nunca nesse ditado popular. Que os deuses sejam brasileiros e que Vaccari abra o bico de uma vez.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br 
Rio de Janeiro

*
TIMÓTEO 6:10

Se o PT fosse um lutador acuado no córner por um oponente de nome “Lava Jato”, poderíamos narrar que este lhe desferiu um potente “jab” bem na ponta do queixo. Assim o PT recebeu, “surpreso”, a prisão do tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, pela Operação Lava Jato. Rui Falcão, presidente do PT, nega que o tesoureiro tenha sido depositário de fortunas via empreiteiras com a vampirização da Petrobrás. O mais interessante – ou, melhor, o Prêmio Nobel de Mau-Caratismo, no dizer do prefeito de Sucupira, Odorico Paraguaçu – é que a cúpula do partido anda à procura de razões para a prisão de Vaccari. Já agendaram uma reunião de cardeais do partido. Mas a casa caiu, como um castelo de cartas. “Pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” (Timóteo 6:10).
  
Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
A DECISÃO DE VACCARI

O PT sempre na dianteira da corrupção e sempre defendendo o indefensável Vaccari, por ser um “cumpanheirão”. Agora vai ter de abrir a boca ou se ferrar sozinho e proteger os caciques chefes Dilma, Lula e Zé Dirceu. Espero que acorde e ponha a boca no mundo, afinal de contas, para este país melhorar, só passando tudo a limpo, e Vaccari e o PT são os elos da vergonha, da falcatrua e da corrupção que assolaram o Brasil e a Petrobrás.

Alberto Fumace Baruthy afumaaabaruty@bol.com.br  
São Paulo

*
DUAS NOTÍCIAS NOTÁVEIS
 
A primeira delas é que João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, em outra fase da Lava Jato, foi preso, o que significa que o cidadão é perigoso e a sociedade precisa ser protegida contra ele. Mais uma do PT. A outra é que Luiz Edson Fachin, advogado do Paraná, foi nomeado por dona Dilma Rousseff para o Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga de Joaquim Barbosa, ilustre cidadão e jurista emérito. Se analisado o rol dos candidatos possíveis à vaga, verifica-se que o contemplado recebeu a honraria porque é ligado ao PT do Paraná e tem seus amigos na agremiação. Ressalte-se que o Brasil, especialmente São Paulo, possui juristas de alto coturno, não políticos e capazes de abrilhantar muito mais a Corte Suprema. Aguardemos para ver se o cidadão tem ou não gratidão a ser distribuída futuramente.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
QUE DEUS NOS AJUDE
 
Após longa espera, finalmente foi escolhido o mais novo integrante do STF: Luiz Edson Fachin, advogado e professor titular de Direito Civil da Faculdade de Direito do Paraná e da PUC-PR. Pode-se dizer que o escolhido é mais um “homem do PT” dentro da Corte Suprema. Amigo do casal Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, ex-ministros petistas, e é homem simpático ao MST – a organização criminosa chefiada por João Pedro Stédile, o tal que poria seu “exército” na rua a pedido de Lula, em caso de necessidade. O professor ora nomeado frequenta as listas para o STF faz tempo, mas a bola sempre tem batido na trave. Segundo o jornalista Reinaldo Azevedo, Lula desistiu de indicá-lo depois de uma conversa em que o referido fez uma defesa tão entusiasmada do MST que “até mesmo o chefão petista se assustou”. Escreveu recentemente: “Use a testa, não esquecendo do texto e seu contexto”. Pelo que se depreende, o novo ministro do STF entende que, no julgamento das causas, em primeiro lugar deve vir a opinião (subjetiva) do magistrado, para, só então, ler o que diz o direito material (o texto da lei), lembrando que isso só não bastaria: há, sempre, que se observar o “contexto”. Caminho aberto para a relativização das leis. E não apenas isso. Fachin menospreza o “juiz liberal”. Refere-se ao liberalismo como se o sistema – vertente no Ocidente – fosse algo superado na História. Depois de dois atos de “Fora PT” em todo o País e oito meses e meio de expectativa, somos brindados com mais esta prova de explícito aparelhamento de uma das mais importantes instituições: o STF. Pior é ver os elogios – até de tucanos, arre! – à indicação. Espero estar equivocado, mas antevejo tempos sombrios à frente com a flexibilização das leis em nome do que o PT chama de “justiça social”. Que Deus nos ajude.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 
São Paulo

*
FORÇA NO STF

Após longa espera, Dilma Rousseff encontrou alguém para indicar para o STF, para ocupar a vaga de Joaquim Barbosa. Coincidentemente ou não, o jurista indicado foi Luiz Edson Fachin, o mesmo que pediu votos para Dilma em 2010. Será só uma retribuição ou a intenção do Planalto é obter mais força e, consequentemente, mais votos em seu favor na Corte?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
JOGO DE CENA

A indicação do advogado Luiz Edson Fachin para preencher a vaga deixada por Joaquim Barbosa foi divulgada pela presidente depois de quase nove meses de espera. Um verdadeiro parto, mas tudo não passou de jogo de cena. O juiz escolhido nada mais é do que um defensor do MST e do PT. No vídeo a seguir, ele aparece pedindo votos para Dilma Rousseff: https://www.youtube.com/watch?v=7u0RKisHwhM. A Justiça não precisa de lado, ela precisa e deve defender a verdade. Antes de tudo, um juiz deve ser independente. Como a sabatina no Senado é um teatro, e a indicação já tem nome e endereço certos, em breve teremos o Toffoli 2. Reputação ilibada e notório saber jurídico, ora essa, para quê? Pobre Brasil, o PT conseguiu aparelhar também o Judiciário. Estamos mais parecidos com a Venezuela a cada dia que passa.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
JURISTA

Dilma indica o jurista Luiz Fachin, que já advogou para o MST e é ligado à CUT e ao PT. Este termo jurista, aqui mencionado, significa que, ao ser sabatinado pelo Senado, ele vai jurar que nunca vai julgar e condenar os cumpanheiros? Vai ser totalmente imparcial? Fora Dilma! Fora PT!
 
Basilio José Bernal bernal@roloflex.com.br  
São Paulo

*
O SUBSTITUTO DE JOAQUIM BARBOSA

Finalmente Dilma (presidente, rainha ou qual é mesmo o seu cargo?) indica mais um “brilhante” jurista para o preenchimento da vaga existente no STF, e o escolhido foi Luiz Edson Fachin, nome ligado ao PT e à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Será que, após ser sabatinado pelo Senado, Renan Calheiros (PMDB), presidente da Casa, irá reprová-lo? Claro que não, pois o PMDB também tem boas razões para o STF estar do lado do governo e contra a Operação Lava Jato e o povo. Mas e o gigante, será que gostou da escolha feita por Dilma? Enfim, quando será a próxima manifestação? Eu fui dia 15/3, dia 12/4 e não vejo a hora de ir novamente. 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br  
Americana

*
BALCÃO DE NEGÓCIOS

A indicação, pelo governo, de Luiz Edson Fachin para ocupar a vaga aberta no STF em 2014 com a aposentadoria do ex-ministro Joaquim Barbosa, não foi bem recebida pelo presidente do Senado, mas dona Dilma o convidou para uma conversa nos porões do Palácio do Planalto e o sr. Renan Calheiros saiu de lá pensando totalmente diferente. Por outro lado, o candidato a ministro logo recebeu a aprovação de Ricardo Lewandowski. Precisa falar mais alguma coisa?

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 
São Paulo 

*
O SPTF

Com a entrada de Fachin no lugar do ministro Barbosa, realmente o STF pode se consolidar como o SPTF. A turma do petrolão agradece.

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com
São Paulo

*
O STF E O FORO PRIVILEGIADO
 
O pano de fundo das dificuldades em escolher ministros para o STF é o foro privilegiado de congressistas receosos de quem vai julgá-los, além de obrigar esse tribunal a atuar em função penal, e não constitucional, afastando-o da função primordial de sua existência. Aliás, esse desprezível privilégio é uma distorção inconstitucional ao permitir que um grupo de cidadãos possa ser julgado diretamente na instância superior, enquanto nós, pobres mortais, somos obrigados a respeitar a hierarquia processual na busca por justiça. Quando 513 deputados e 81 senadores são mais iguais que 200 milhões de brasileiros, a igualdade proclamada na Constituição é vergonhosamente desprezada. Não me sinto representado por este bando de pseudolegisladores, salvo exceções cada vez mais raras.
 
Honyldo Roberto Pereira Pinto honyldo@gmail.com 
Ribeirão Preto

*
DÁ PARA CONFIAR?

Pergunto ao escolhido Luiz Edson Fachin, que, em manifesto a uma grande plateia, pediu votos para Dilma Rousseff no segundo turno de 2010, enaltecendo os feitos do PT como governo: por acaso o futuro ministro do STF não acompanhou o julgamento do mensalão nem tomou conhecimento da Operação Lava Jato, que roubou do povo brasileiro, sobretudo dos mais sofridos, bilhões e bilhões, cujo processo teve início durante o primeiro mandato de Dilma, que ele tanto defendeu? Esta é a justiça social “ofertada” – como se não fosse obrigação fazê-lo – ao povo a que o magistrado se referiu durante sua fala? Como confiar na isenção e na ética de alguém de defende a candidatura a presidente de alguém que faz parte de um partido envolvido até o pescoço em crimes de corrupção dessa magnitude? Sinceramente, isso é muito preocupante. A meu ver, fica-lhe faltando o senso ético e moral para tão alto cargo. 
 
Eliana França Leme efleme@terra.com.br 
São Paulo

*
ACORDO COM O SENADO

A que ponto chegamos! Após negociação com o “aliado” Renan Calheiros, ficou combinado: o Senado aprova o meu candidato e leva em troca um ministério. Topas? Topo! Claro, com a anuência do presidente em exercício, senhor Michel Temer. Sempre achei que quem é sustentado pelo dinheiro público fosse funcionário público. E que sempre careceu de concurso público, com provas e títulos e, claro, ser aprovado. Na raça: quem sabe sabe, quem não sabe não sabe.

Pedro Ravelli pedroravelli@uol.com.br 
São Paulo

*
MILITANTE

Em nenhum país sério de todo o mundo existem juízes, e muito menos ministros da Corte Suprema, outrora militantes de partidos políticos.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
‘CAMARADAS’

Até quando assistiremos calados ao PT, tendo o PMDB como “cúmplice”, “governar” o Brasil para os seus “camaradas”, em vez de governar o Brasil para os brasileiros? Aliás, hoje tenho sérias dúvidas se é o PT que governa tendo o PMDB como cúmplice ou o contrário.

José Carlos Thomaz
São Paulo

*
A SABATINA NO SENADO

Renan Calheiros chegou a dizer que nenhuma indicação com “a digital do PT” para o cargo de ministro do STF seria aprovada pela Casa. O que se tem notícias é de que Fachin já foi cotado anteriormente para o cargo, com a aprovação de Gleisi Hoffmann e de Paulo Bernardo, ex-ministros deste governo, teve o apoio do prefeito de São Bernardo do Campo, Luís Marinho (PT), com suposta estreita ligação com a CUT e o PT, além de integrar a Comissão Estadual da Verdade do Paraná. Logo, com a afirmação de Renan Calheiros, será difícil a efetivação pelo Senado, após a sabatina do indicado.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br 
São Paulo

*
UM TESTE

PT de carteirinha é nomeado para ministro do STF. Cabe ao Senado a sabatina para sua aprovação, um teste para sentirmos mais uma vez se existe no Parlamento independência ou obediência.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br
São Paulo

*
PREOCUPANTE

Luiz Edson Fachin é um nome que, em matéria de currículo, tem um cabedal de tirar o chapéu. Mas preocupa por ter alguma ligação com o PT, por ser apoiado pelo prefeito de São Bernardo, pela CUT, pela dupla paranaense Gleisi Hofmann e Paulo Bernardo ex-ministros no governo petista, por já ter defendido o presidente Lula em certa ocasião, e, para finalizar, porque a presidente Dilma, antes de divulgar o nome escolhido, consultou Renan Calheiros, o mandachuva do Senado.

Laércio Zannini spettro@uol.com.br 
São Paulo 

*
A PETIZAÇÃO DO STF

Com a indicação de Luiz Edson Fachin para o STF, a presidente Dilma dá mais um passo para o aparelhamento petralha do Supremo Tribunal Federal, para votar ações judiciais de forma a que favoreçam o partido trambiqueiro. Com essa indicação flagrantemente partidária petista, os julgamentos do STF vão perder a imparcialidade, confiabilidade e credibilidade. Tá tudo dominado... E o povo brasileiro que se dane.

Carlos A. Ramos Soares de Queiroz soares.queiroz@terra.com.br
São Paulo

*
MAIS UM ‘DELLES’

Mais um. Luiz Edson Fachin, o jurista que em 2010 assinou manifesto em defesa do direito do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva de opinar sobre as eleições, que integrou a Comissão da Verdade do Paraná, ligado ao PT, à CUT e aos movimentos sociais MST e MTST, acaba de ser indicado pela presidente Dilma Rousseff para ocupar a vaga deixada por Joaquim Barbosa no STF. Parece-nos que no último encontro entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e a presidente Dilma ficou tudo acertado para a aceitação de Fachin. A sabatina no Senado vai ser só mais um detalhe. O STF agora vai ser só “delles” e de mais ninguém. A felicidade estampada na face do presidente do STF, Ricardo Lewandowski, deixou claro que o time agora está completo. Acorda, povo brasileiro, vamos para a rua!

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br 
Volta Redonda (RJ)

*
O GRITO DAS RUAS

Mais uma vez o governo federal faz “ouvido de mercador” às reivindicações das manifestações de rua do País. Os milhares de manifestantes que estiveram na Avenida Paulista no último domingo, em São Paulo, não pediram reforma política, o grito geral era “Fora Dilma!”, “Fora PT!”. Será que dá para entender, senhores congressistas? Então, mãos à obra!
 
Valdy Callado valdypinto@hotmail.com 
São Paulo

*
O QUE QUEREMOS

Com a clara manifestação do dia 12de abril, a família brasileira disse o que quer e entrega o destino do País à oposição. Não há mais nada a fazer. Nem seria necessário. Pesquisas, análises, discussões serão inúteis, se não houver vontade política da oposição. 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
REFORMA

O segundo governo Dilma já completou 100 dias sem ter realmente começado. As vozes da rua pedem seu afastamento. O script marqueteiro não funciona mais quando acabam as ilusões e as mentiras se evidenciam. O plano econômico restritivo acirrará ainda mais os ânimos, já que ninguém gosta ou quer perder. Se cobramos do governo a falta de planejamento, também a sociedade civil tem de planejar o que seria necessário para evoluir no âmbito político, que hoje tem credibilidade rejeitada em altos índices. É inegável que o modelo político partidário atual se esgotou e um novo tem de ser planejado e implementado. A simples mudança de mandatário não resolverá sem que executemos antes as medidas necessárias neste âmbito. Manifestantes não se esquecerão de se referir a esta reforma, que este jornal também defende.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba

*
GOVERNO DILMA

O senhor João Vaccari Neto teve prisão decretada. A senhora Erenice Guerra, amiga da presidente Dilma Rousseff, faturou R$ 365 milhões em um ano na sala ao lado da Presidência. Senhora Dilma nomeia para o Supremo Tribunal Federal (STF) o professor de Direito Civil Luiz Edson Fachin, membro da CUT, simpatizante do MST, militante do PT e que fez campanha em 2010 para a presidente. Dos seus atos nada há que possa enaltecê-la, são decisões vividas, sem combate à corrupção. Ou ela pensa que somos idiotas? A pizzaria agora é Dias Toffoli, Fachin e mais dois sócios ocultos.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br  
São Paulo

*
SISTEMA POLÍTICO ‘FLEX’

Num sistema presidencialista, cabe ao presidente da República traçar as linhas mestres da economia, educação, saúde, etc. para garantir o desenvolvimento sustentável do País. Enfrentada por resistência no Legislativo e insatisfação popular generalizada (inflação, economia estagnada, insegurança, etc.), a presidente Dilma abdicou dessas responsabilidades, entregando o comando da economia ao ministro Joaquim Levy e a coordenação política ao seu vice, Michel Temer. Essa situação esdrúxula de mistura de dois sistemas não serve o Brasil. Além de concentrar muito poder na mão de uma pessoa, o presidencialismo custou muito caro (mensalão, petrolão e vem mais aí, com certeza). Não seria a hora de empenhar-se em ressuscitar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n.º 31 de 2007, sobre a mudança do regime para parlamentarista? Pelo menos votaremos em programas de partidos, e não em “caudilhos” salvadores da Pátria. De sobra, o partido majoritário (hoje o PMDB) assumirá oficialmente sua responsabilidade política, ao invés de ficar governando dos bastidores.

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com
São Paulo

*
CRISE POLÍTICA

O PT só atravessará a torrente se pagar o preço. Sem tossir ou mugir, Dilma é o boi-de-piranha...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
‘O NÃO A DILMA PERSISTE’

Com a revelação diária de novos esquemas fraudulentos através da utilização de inúmeras empresas de fachada montadas por integrantes do PT, chega-se à conclusão final: tal qual as empresas do PT, também o Partido dos Trabalhadores é um partido de fachada, montado apenas para viabilizar a espoliação das riquezas e do patrimônio do povo, com a escravização dos humildes através de eterno assistencialismo oficial, sem chance de progresso ou futuro.

Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com 
Capão Bonito 

*
ENRASCADOS

O ex-presidente Lula classifica como “enrascada” o momento vivido por Dilma? Enrascados estão ele, ela e todo o Partido dos Trabalhadores!

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
‘FHC, LULA E A HISTÓRIA’

Oportuno o artigo da jornalista Eliane Cantanhêde “FHC, Lula e a história” (“Estadão”, 15/4, A7). Só não estou de pleno acordo quando ela diz que Lula deve repetir a trajetória de Fernando Henrique Cardoso. FHC é estadista, enquanto Lula é mentiroso maquiavélico e desleal. Também as glórias do PT foram todas maracutaias e politicagem rasteira. Era de esperar que a verdade sobre seus procedimentos aparecesse e a máscara de paladinos da ética caísse. Enquanto oposição, Lula e o PT eram contra tudo o que fosse bom para o País, inclusive o Plano Real e a Lei de Responsabilidade Fiscal, entre outras coisas mais. Creio que o PT nunca mais volte a encantar ninguém. Nem os menos desavisados. Há um ditado que diz “o coração pode se contentar com ilusões, mas o estômago é mais exigente”.

Antonio Molina molinaengenharia.santafé@gmail.com 
Santa Fé do Sul 

*
LULA 2018

Pesquisa do Datafolha apurou que Lula já perdeu 21 (!) pontos de popularidade desde novembro de 2010 até agora, e que, se houvesse eleição hoje, perderia para Aécio Neves. Como se vê, o “volta Lula” vai ficando cada dia mais distante, até se tornar apenas uma miragem no deserto. O santo de pés de barro está ficando nu. Fim de linha e de devoção. Basta!

J. S. Decol decoljs@globo.com    
São Paulo

*
LEI DA TERCEIRIZAÇÃO

No momento, está em debate a aprovação de uma lei que regulariza a terceirização no País. As empresas privadas vão poder contratar sem se preocupar com direitos trabalhistas, já que estes ficarão a cargo da empresa prestadora de serviço. É uma ótima maneira de burlar a lei e escravizar o empregado. A lei está em fase de aprovação e já sofreu algumas emendas, como a proibição de terceirização por empresas públicas. Evidentemente que as empresas públicas não precisam de lei de terceirização, pois na prática isso já acontece há muito tempo. Os cargos em comissão e por indicação rolam soltos em muitas prefeituras e órgãos públicos. Inclusive muitos foram denunciados pelo Ministério Público, só que depois volta tudo de novo. É como enxugar gelo. O “quem indica” continua valendo, seja para serviços meio, seja para serviços fim. Esse povo não conhece a palavra imparcialidade e impessoalidade, para eles o mau-caratismo vale muito mais que qualquer currículo. Fulano indicou cicrano, beltrano indicou fulano. Vocês sabiam que até rola “propinoduto” para indicação? As seleções, quando ocorrem, também levam esses fatores em consideração. A companheirada agradece. O que seria dos parentes, se não fosse a lei da companheirada? O que seria dos corruptos, se não fosse a lei da companheirada? Manda quem pode, obedece quem tem juízo. E a moralidade, a justiça, a impessoalidade, a imparcialidade onde ficam?

Daniel de Melo Costa danielmcdf@outlook.com.br
Brasília

*
SÓ PARA ALGUNS

O PT diz ser contra a lei da terceirização. Não a aceitam de jeito nenhum. Só os médicos cubanos e as consultorias dos “cumpanheros” puderam, lógico. 
 
José Sergio Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com 
São Paulo
                   
*
O POVO DEVE PROTESTAR

A Câmara dos Deputados aprovou por 324 votos a favor o texto do Projeto de Lei 4.330/2004, que regulamenta os contratos de terceirização no setor privado e para as empresas públicas, de economia mista, suas subsidiárias e controladas na União, nos Estados, no Distrito Federal e nos municípios. Não concordo com a lei acima, que está sendo analisada no Congresso Nacional. Ela vai favorecer muito a corrupção na influência política para novas admissões nesses setores. Ainda tiram os direitos dos trabalhadores nas empresas públicas e privadas. Vários parlamentares que votaram a favor são empresários nos diversos setores da economia brasileira. Eles estão se apoderando dessa nova lei da terceirização, que lhes favorecerá no futuro.  Acho que o povo deve, sim, protestar contra este novo modelo.

Manoel Limoeiro manoeljs127773997@hotmail.com 
Recife 

*
GREVE E DESORGANIZAÇÃO
 
O Brasil é campeão de greves no setor público. Em nenhum país do mundo, seja rico, seja pobre, seja muito democrático ou não democrático, há tantas paralisações no serviço público como em nosso país – e algumas são por “tempo indeterminado”. Por qualquer coisa diminuta se promovem greves, como a recente, de parte dos Correios do Rio de Janeiro, desta feita contra a “terceirização” e o desconto a mais de seu rico fundo de pensão, fundo esse que nenhum trabalhador comum tem. Os governos, há anos, de vários matizes políticos, nada fazem em relação a essas paralisações e a maioria do povo é que é prejudicada. No Brasil, ao contrario também de qualquer outra nação, anualmente categorias fortes exigem reajuste pela inflação dos últimos 12 meses e algo mais. Alguém já ouviu falar de tal mecanismo nos Estados Unidos, na Argentina, na Bolívia ou em qualquer outro país? Até quando viveremos nesta eterna desorganização?
 
Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br 
Araruama (RJ)
 
*
INVASÕES DO MTST

É uma lástima que continuem a acontecer invasões de propriedades por este grupo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que age acima da lei. Para a Justiça, parece que são intocáveis. Basta que a lei seja cumprida para que cessem estes atos. Existem cadastros para pessoas que pretendem ter acesso a uma moradia (Minha Casa Minha Vida), oferecido pelos programas sociais do governo, que, por ironia, é do PT, e bastaria que as pessoas que participassem dessas invasões não tivessem mais, a partir de então, direito a este cadastramento. Talvez dessa forma percebessem que são manipulados pelos Guilhermes Boulos da vida, que têm outros objetivos políticos e ideológicos maiores que essas invasões.

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com 
São Paulo

*
COMBATER NÃO

Há que ligar o alerta para esta sequência de invasões em prédios de empresas e órgãos públicos. Aliás, já deveriam ligar este alerta há tempos. Coincidência ou não, essas invasões recrudesceram a partir de outubro de 2002, logo depois da eleição do ex-presidente Lula. O pessoal do MST deve ter pensado “agora é nóis”. E tomem-lhe invasões. O PT vai combater? Claro que não. Eles querem é mais. É onde estão os votos deles.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
IRRESPONSABILIDADE

Li no “Estadão” de terça-feira que uma senhora de 56 anos ficou feliz porque finalmente arranjou lugar para morar com os 7 filhos, que antes deixava espalhados por casas de amigas. Isso é um retrato da epidemia de irresponsabilidade natal que assola o nosso país. Será tão difícil de entender que a desestruturação da família é um vírus na saúde da Nação? Não é possível que uma mulher sem moradia e muitas vezes sem sustento se permita engravidar e colocar no mundo crianças que ela não tem a mínima condição de criar. Só seria admissível se tivesse sido violentada. Na cracolândia encontram-se vários casos similares. Só quem lucra com essa irresponsabilidade são os políticos corruptos e essa corja de agitadores profissionais que mamam em dinheiro público à custa da desgraça dos outros. E quem paga a conta são os idiotas que trabalham feito mulas para ceder 40% do seu suor em impostos ao governo, sem usufruir de um mínimo de serviços públicos decentes. A ajuda é necessária, mas em troca da contracepção. Fora disso, é chover no molhado ou alimentar um círculo vicioso que interessa a muita gente safada.

João Carlos A. Melo jca.melo@yahoo.com.br 
São Paulo

*
O SACRIFÍCIO

Recentemente, a nossa presidente veio a público solicitar compreensão e um pouco de sacrifício ao povo brasileiro para o ajuste fiscal. As medidas anunciadas resumem-se a aumento de impostos, preço exorbitante dos combustíveis e inflação comendo o nosso bolso. Se ela realmente deseja que o povo aceite esse “sacrificiozinho”, por que não começa pelo próprio governo? Não precisamos de tantos cargos comissionados e de 39 ministérios, já que ela não tem mais a base e muito menos aliados. Dê o exemplo e talvez o sigamos. Continuamos pagando o mico sozinhos.

José Antonio Moreira rsbrasil@real-soft.de 
São Paulo 

*
JUROS AGRÍCOLAS MAIS ALTOS

Joaquim Levy e Kátia Abreu anunciaram um “realinhamento natural diante da situação que a gente está vivendo”, e os agricultores que os receberam na Tecnoshow, mesmo não tendo nada que ver com essa tal situação, sorriram alegremente para a foto. 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
QUEM PAGARÁ A CONTA DO AJUSTE?

O panelaço é uma manifestação justa de um povo que não está satisfeito com uma situação política. Devemos sempre evitar a violência verbal e física nessas manifestações. Não sabemos exatamente o que significa o ajuste fiscal de que a presidente Dilma fala. Mas, se for arrocho salarial, aumento dos juros e retirada de direitos trabalhistas, nós, brasileiros, não o aceitaremos. Porém, se for economia nas contas públicas, diminuição de privilégios no governo, no Executivo, no Legislativo e no Judiciário, nós o promoveremos. Vamos ver quem vai pagar a conta do ajuste fiscal: o povo sofrido ou os privilegiados de Brasília. É hora de ver quem desviou o dinheiro público e fazê-los devolver aos cofres da União. Assim teremos ajustes fiscais.

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com 
Fortaleza

*
ABUSO

Não bastava o absurdo nas tributações, o comércio, no geral, aproveitando a situação, nos explora. Como aceitar uma tabela oficial de preço de medicamentos (essencial) em que um remédio é “tabelado” por R$ 140,01, numa rede de farmácia é vendido por R$ 99,48 (Drogasil) e noutra (Ultrafarma) por R$ 68,41, uma diferença de 33,23%? Tal fato nos deixa revoltados. Como pode uma discrepância tão grande, num abuso de poder e desrespeito ao consumidor? Algo está errado e não dá para aceitar. Do governo até dá para “aceitar”, é incapaz, mas do comércio, com toda a estrutura, fica impossível.

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
O ESTADO ISLÂMICO NO BRASIL

Nada mais coerente do que o presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib) alertar sobre o preço que se paga pela inação (“Uma lei necessária”, 15/4, A2). O Holocausto é um exemplo claro sobre isso, como bem descreveu o filosofa Hanna Harendt na brilhante obra “Origens do Totalitarismo”.

Werly da Gama dos Santos gama_eamsc@yahoo.com.br 
Rio de Janeiro

*
70 ANOS DA FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA

Seria cômico, se não fosse trágico que, no ano em que o mundo celebra os 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial, no Brasil um grupo queira se apoderar do terreno destinado à construção de um memorial em homenagem aos brasileiros que lutaram pela democracia e pela liberdade em terras italianas. Ao invés de estarmos todos interessados em saber o porquê da demora em viabilizar os recursos para essa construção, um grupo pretende se assenhorar do espaço para dar-lhe outra destinação. E, o pior, para “homenagear” um cidadão que só ajudou a produzir o caos na nossa pátria. Pobre país, sem memória e sem história.

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.