Fórum dos Leitores

LULOPETISMO EM AÇÃO

O Estado de S.Paulo

24 Abril 2015 | 02h07

Era uma vez...

... uma empresa brasileira de petróleo, imensa e muito bem avaliada mundialmente. Aí, como nunca antes na História deste país, um sapo barbudo aparelhou a estatal outrora orgulho brasileiro e a conclusão é que... não vivemos felizes para sempre! O conto da carochinha foi premiado com a cereja do bolo, R$ 6 bilhões de perdas. Então, tá, faz de conta que o número é só esse e nós fingimos que acreditamos. Só falta dizerem que são R$ 6 bilhões redondos! Quem é da área financeira ou qualquer pessoa de bom senso vai sentir um cheiro estranho no ar. Oxalá não seja de pizza.

RENATO AMARAL CAMARGO

natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

R$ 6 bilhões foram desviados da Petrobrás por corrupção. O que gostaria de saber é exatamente quando os responsáveis por esse desfalque realmente serão presos e, principalmente, quando vamos recuperar esse dinheiro.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Balanço da Petrobrás

Perceberam como o governo e, em especial, os petistas se referiram aos rombos na Petrobrás quando tiveram de revelar o balanço? Em nenhum momento usaram a palavra prejuízo, fizeram rodeios e reviravoltas para parecer que estava tudo o.k. Certamente muitas foram as pedaladas fiscais, mais um crime a ser esclarecido. Como pode a maior empresa brasileira ter sangrado tanto sem que a Justiça movesse um dedo para livrá-la dos ratos? Pior é saber que os verdadeiros culpados serão poupados. Como é que a Receita Federal não chega a esses desvios bilionários? Definitivamente, este país não é sério. Que vergonha a nossa "pátria educadora"! Essa gente do governo e da Petrobrás, mais os partidos políticos envolvidos nem ao menos ficam corados, pois vermelhos já são.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Todos nós perdemos com a corrupção na Petrobrás. Mas somente R$ 6 bilhões da corrupção? Duvido. E para onde foi o dinheiro? Já se respondeu em parte: foi para o PT (para a eleição da Dilma?), foi para vários bolsos, foi para as empresas corrompidas e corrompedoras. Um monte de safados, que não podem devolver apenas quireras. Os contratos superfaturados, e não raro nem executados, devem ser rigorosamente auditados e as empresas, exemplarmente punidas com devoluções, multas, prisões. Vamos passar pelo menos parte do País a limpo. Acionistas americanos serão ressarcidos, provavelmente, o que levará os brasileiros a reivindicar o mesmo. O povo, prejudicado pelos preços dos combustíveis, pelo dinheiro dos impostos desviado para socorrer a empresa, etc., tem toda a razão ao pedir a saída da incompetente, dos asseclas e do partido. É inconcebível só o Vaccari ir para o brejo.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

Estava na cara

A situação financeira do Brasil e a da Petrobrás são exemplos claros das consequências de permitir que sejam administrados por quem levou à falência uma lojinha de R$ 1,99 usando seus conhecimentos de economia.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

Desculpas, meras desculpas

O sr. Ademir Bendine, presidente de Petrobrás, veio a público pedir desculpas pelo roubo na estatal, em nome dos funcionários. Se há alguém que não teve culpa foram os funcionários da empresa. O sr. Ademir deveria pedir desculpas em nome do PT. Aliás, gostaria de saber da sra. Graça Foster: se no seu extrato bancário viesse um valor a menos de R$ 10, não teria notado? Então, como ela e sua chefe, sra. Dilma Rousseff, não notaram um desfalque de R$ 6,2 bilhões? Será que não sabiam mesmo?

JORGE EDUARDO NUDEL

jorgenudel@hotmail.com

São Paulo

Conivência

Empresa pilhada, gestão temerária e incompetente. Tudo o que se previa foi provado em números, ainda não definitivos. Graça Foster não foi vítima. Ficou no poder e foi conivente porque lhe convinha. Estragou sua biografia como funcionária de carreira tida antes como exemplar. Os demais diretores e membros dos conselhos são corresponsáveis por essa situação. São, portanto, passíveis de investigação e, se provada a culpa, devem ser punidos, mesmo que pela omissão. Uma situação que deixou um legado desse montante aos brasileiros não pode ficar impune.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

Pré-sal

A Petrobrás tornou-se um poço de corrupção. Estamos nas águas rasas de investigação e já escandalizados com manchas tão grandes. Imaginem quando (e se) atingirmos o pré-sal...

MARCO DULGHEROFF NOVAIS

marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

FIASCO DO FIES

Pátria educadora...

Sempre no intuito de enganar o povão otário que votou nela, Dilma lançou o programa chamado "Pátria Educadora", que deveria ter começado no Palácio do Planalto. Afinal, são tantas falcatruas e tantas mentiras... Que exemplo para este país! Para a coisa ainda ficar pior - no Brasil nada está tão ruim que não possa piorar -, o tal Fies virou um calvário para milhares de estudantes necessitados desse crédito, alguns até já perderam a vaga por aumento abusivo das mensalidades - exemplo: a PUC de Campinas. O governo considera no crédito 6% de aumento e a PUC (católica), por ganância, aumentou em 9%, então nada feito para dezenas de estudantes. E ainda há gente defendendo esse governo e essa política enganation nunca antes vista no Brasil. Nada melhor do que um dia após o outro, hein, Lula?

ANTONIO JOSE GOMES MARQUES

a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

PODER JUDICIÁRIO

Corporativismo

A propósito do artigo Captura corporativista do CNJ (23/4, A2, de autoria do procurador da República Luciano Rolim), enquanto assistimos, aborrecidos, à elite do funcionalismo público dando um jeitinho para turbinar ainda mais seus altos salários e nos prestando um serviço medíocre, há cortes em financiamento estudantil, os professores continuam sendo desvalorizados e a educação, como sempre, é deixada em último plano. Por isso este país jamais será de Primeiro Mundo. Chega de espertalhões! Precisamos mudar o caráter de nossos cidadãos, principalmente dos que têm poder.

CÍNTIA THOMAZ

cintiathomaz@gmail.com

São Paulo

O BALANÇO DA PETROBRÁS

Antes mesmo de conhecer o “arrombado” balanço da Petrobrás de 2014, com R$ 21,6 bilhões de prejuízo, publicado na noite de quarta-feira, sem que os números fossem minuciosamente analisados, bancos oficiais do Brasil injetaram na estatal mais R$ 6,5 bilhões, que, somados a outros empréstimos tomados anteriormente, totalizam endividamento monstro de R$ 79 bilhões. Estão claras, nas operações, a incúria e a rolagem de dívida, práticas que fogem da boa técnica bancária, ao contrário do que informou o Banco do Brasil, e podem acarretar em expressivos prejuízos aos cofres públicos. Celso Ming, ao final de seu artigo “Começar de novo” (23/4, B2), após brilhante abordagem sobre o balanço, faz duas interrogações: como puderam instituições financeiras sérias emprestar tão vultosos recursos sem conhecer as reais condições financeiras da empresa? Que garantias foram oferecidas para as operações? Sérias? Trata-se do tripudiado, do manipulado dinheiro público em que todos “metem a mão” e ninguém é punido, assim, essas operações, respondendo ao segundo questionamento, estão garantidas pelos escorchantes impostos que pagamos e de que, na hora do aperto, o Tesouro Nacional, sem o menor constrangimento, faz uso para cobrir valores prevaricados pelo governo.

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí 

*
OS NÚMEROS DA ESTATAL

O resultado do balanço da Petrobrás é vergonhoso e, com certeza, deve ser de muitos anos em que balanços provavelmente foram maquiados.

Wagner Monteiro wagnermon@ig.com.br 
São Paulo

*
‘COMEÇAR DE NOVO’

Revisar de novo, porque o texto de Celso Ming ficou prejudicado: “A Petrobrás pode sair daí mais enxuta, porém mais sadia” não faz sentido. O correto seria: A Petrobrás pode não sair daí mais enxuta, porém mais sadia.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
A PERDA COM CORRUPÇÃO

A vergonha expressa em números é difícil de ser discutida. O balanço auditado da Petrobrás que chega com cinco meses de atraso revelou ao mundo o prejuízo de R$ 6 bilhões da estatal com corrupção. É a cara do Brasil exposta ao exterior, para quem quiser ver. A combinação de incompetência, corrupção, aparelhamento político, mentiras deslavadas e pedaladas contábeis dá à população brasileira a noção da causa deste descalabro.
 
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
QUEL É A REAL?

O lucro acumulado da Petrobras durante o primeiro mandato de Lula foi de R$ 85,1 bilhões, e de R$ 118,4 bilhões no segundo mandato dele. Nos primeiros quatro anos de Dilma, o lucro foi de R$ 56,5 bilhões. Nos dois últimos anos do governo Dilma, o resultado foi de R$ 2 bilhões. O valor médio do barril de petróleo em 2014 foi de US$ 98. A produção de petróleo no Brasil em 2014 foi 50% maior que em 2003. A maior empresa do Brasil estava crescendo continuamente e apresentando resultados positivos há vários anos, e, de repente, em 2014, a situação financeira demonstra um prejuízo de R$ 21 bilhões, segundo Aldemir Bendine, e de R$ 88 bilhões, segundo Graça Foster. Não se pode atribuir a culpa somente ao preço do barril, à corrupção e ao preço dos derivados do petróleo congelados no Brasil até dezembro de 2014. As refinarias produzem ininterruptamente, bem como as antigas e novas plataformas. Os acionistas não receberão dividendos em 2015, mesmo diante do aumento de produção de 11% em relação a 2013. Qual é a real situação da empresa com os bancos credores?

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 
Rio de Janeiro

*
COMPETÊNCIA

Temos de reconhecer que os canalhas foram muito competentes para roubar. Afinal de contas, foram mais de R$ 6 bilhões e, brevemente, estarão todos na rua para gozarem a vida. Viva o Brasil!

Ariovaldo J. Geraissate ari.bebidas@terra.com.br
São Paulo

*
FEITOS

Parabéns, PT! Em apenas 12 anos, vocês conseguiram: quebrar o Brasil; falir estatais e fundos; corromper, ainda mais, os políticos e as empreiteiras; fazer da mentira a verdade; e envergonhar a Nação.

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br  
São Paulo

*
MAU CHEIRO

Mesmo depois de camuflado com maciças doses de perfumarias contábeis, o balanço auditado da Petrobrás cheira mal.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
MISTÉRIO

Uma pergunta para meu esclarecimento: Se a Petrobrás reconheceu em seu balanço de 2014 a perda de R$ 6,194 bilhões identificados na Operação Lava Jato da Polícia Federal e tendo os nomes dos envolvidos nesses roubos, desvios e fraudes, onde está o dinheiro?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
DINHEIRO QUE NÃO VOLTA

Perda de R$ 6,1 bilhões com corrupção, no balanço da Petrobrás, como o próprio nome diz, é perda mesmo. E vai ficar por isso mesmo. E ainda tem o prejuízo da estatal, parte dele influenciada pelas cotações do petróleo, queda de produção, etc. Mas há nessa perda um componente da má gestão. A verdade é que é um dinheiro que não volta. Levando em conta que o governo é o principal acionista da empresa, quanto não receberia de dividendos? O que não poderia fazer em saúde pública, educação, etc.? O pior é que, com os responsáveis por isso, PT, PP, PMDB, e seus operadores, não vai acontecer nada. Em 2018 o povo vota neles de novo.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
QUEM PAGARÁ A CONTA

Não se preocupem os políticos nem os partidos (que continuam ricos e com dinheiro suficiente para contratar os marqueteiros de plantão, no caso, um deles, João Santana, o Goebbels brasileiro), que continuaram amando mamar nas tetas do governo. Não se preocupem, porque quem pagará a conta é o povo brasileiro. E o governo pode ficar tranquilo porque, como o escândalo da Petrobrás ocorre agora, daqui a três anos Lula poderá voltar, pois o povo esquecerá tudo e o reelegerá para um terceiro mandato.

Ciro Bondesan dos Santos cirobond@hotmail.com 
São José dos Campos 

*
AGORA, SÓ ESPECULAÇÃO

Nem adianta esperar as agências internacionais rebaixarem a nota de investimento da Petrobrás, depois que divulgaram o engodo balanço de 2014. O próprio mercado já o fez. Na Petrobrás, agora, vale apenas “especular”. A cotação das ações está num looping ascendente e descendente, sinal claro de que a Petrobrás já era. Só especulação.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
NAS CORDAS

O desastre mostrado no balanço da Petrobrás evidencia o que todos nós já sabíamos: o governo petista, com sua ideologia jurássica, com a incompetência já provada dos petistas e com a corrupção enraizada na empresa, levou a empresa às cordas. Como diria aquele ex-presidente, “nunca antes na história do País” tivemos uma situação tão devastadora e ao mesmo tempo tão clara do que não se deve fazer na gerência de uma companhia. A avidez que transformou a manutenção do poder no fim de todas as coisas e ainda a falta de competência para administrar uma grande companhia deram no que deu. E note-se: a admissão dos números da perda não foi uma atitude dos dirigentes da Petrobrás, muito menos foi do governo federal ou de autoridades públicas, mas, sim, uma exigência da PricewaterhouseCoopers, a empresa que admitiu assinar o balanço sob essas condições. A ideologia estúpida e barata e a demagogia forçaram a Petrobrás a arcar com as obrigações impostas sob o regime de partilha no pré-sal e mostraram que a tacanhice não funciona no mundo real. E mais, Dilma, que sempre foi tida e havida como uma “gênia” na área da energia, mostrou-se incompetente e ineficaz não só como ministra de Minas e Energia, como também como presidente do conselho da estatal, chefe da Casa Civil e como presidente da República. Agora ficam todos ou sumidos (Lula e Dilma) ou dando desculpas esfarrapadas, quando não mentiras homéricas (Gabrielli e Graça Foster). O fato é que o PT não sabe nada de administração decente e honesta. Consegue grandes resultados para si quando a corrupção campeia. Assim o País se transformou num caos financeiro e econômico. Chega de PT!
 
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*
PAZ E TRANQUILIDADE

O Brasil é o país mais bonzinho do mundo. Mesmo depois de causar um prejuízo bilionário à maior empresa do País, Graça Foster continua passeando por aí sem ser incomodada, sem prestar qualquer esclarecimento sobre sua parcela de culpa no desastre da Petrobrás. Seu marido deve continuar contando o dinheiro das dezenas de contratos que mantém com a Petrobrás, como se nada de errado tivesse ocorrido. Nenhum outro país no mundo oferece tanta paz e tranquilidade aos que cometem malfeitos como o Brasil.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*
O ROMBO É MAIOR

Graça Foster, funcionária de carreira da Petrobrás, onde entrou em 1978, como estagiária, antes de pedir demissão da presidência da empresa, anunciou que as perdas por corrupção ali poderiam passar de R$ 88 bilhões. Aldemir Bendine, funcionário de carreira do Banco do Brasil, onde entrou em 1978, como menor aprendiz, e agora é presidente da Petrobrás, finalmente anunciou o balanço de 2014 com perda por corrupção de R$ 6,1 bilhões. Se esse imenso buraco de mais ou menos R$ 80 bilhões que a prata da casa Foster diz ter enxergado realmente existe, resta saber onde o estranho no ninho, Bendine, o escondeu.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                     
Rio de Janeiro 

*
UMA TRISTEZA ATRÁS DA OUTRA
 
Não vejo nenhum motivo de alegria para as bizarras condenações dadas aos oito acusados do escândalo da Petrobrás, entre eles o ex-diretor Paulo Roberto Costa.  As penas (?) vão de 4 a 11 anos de prisão, ou seja, quase nada, se comparadas aos graves problemas sociais causados com o desvio de tanto dinheiro, “perda de R$ 6,19 bilhões por gastos com corrupção feitos de 2004 a 2012” (23/4, A1).  São bilhões que deixaram de ser investidos em áreas com graves problemas, como a saúde, a educação, a segurança, a habitação e tantos outros investimentos mais necessários para o mínimo de uma vida decente, sem os sobressaltos diários deste povo já tão sem esperança num futuro melhor. Os crimes praticados contra a população, com o desvio de bilhões dos cofres públicos, deveriam ter penas mais exemplares, para desestimular essa vergonha nacional chamada corrupção. A pena de sete anos e seis meses de prisão por lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa dada ao sr. Paulo Roberto Costa é para qualquer brasileiro chorar, pois o sr. Costa, que já cumpre prisão domiciliar desde o ano passado, vai ficar na mesma situação até outubro, quando deverá passar para o regime semiaberto. É uma tristeza atrás da outra.

Mirna Machado mirnamac@uol.com.br
Guarulhos

*
RECUPERAÇÃO

Na primeira página da edição de ontem: balanço financeiro com perdas com corrupção de R$ 6,1 bilhões. Ressarcimento de condenados: R$ 18,9 bilhões. Conclusão: recuperados 0,3% do dinheiro ou uma parte em cada 332. Que trabalho hercúleo.

José Cândido de F. Júnior
São Paulo

*
ASSALTO À PETROBRÁS

O assalto à Petrobrás define que o buraco foi demasiadamente escancarado, auditado e perfeitamente, como é sabido, praticado por uma cambada treinada da cabeça aos pés em práticas criminosas. O mais estarrecedor é que essa cambada permanece no poder, e, por vezes, sendo amparada por brechas em nossos códigos. Brasileiras e brasileiros, este é o nosso Brasil, Pátria amada que vem sendo escorchada.

Valdir Abdallah papi.brasil@hotmail.com 
São Paulo

*
PROPINAS

Quem conhece o Brasil sabe que nenhuma empresa consegue obras pelo governo se não der propina ao governante (seja federal, estadual ou municipal). Então, o que fazer com o governante? Todo mundo sabe, mas eu não posso escrever, porque o jornal não publica.

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br 
Ribeirão Preto 

*
POBREZA

Pobre Petrobrás. Pobre em todos os sentidos: empobrecida moralmente por uma administração desastrosa e devedora de um montante que seria impagável, não tivesse participação majoritariamente pública. 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba

*
MÃE AGREDIDA
 
Já deu para sentir e apreciar que a Petrobrás é a mãe da esquerda que só fala de ética e moral, mas não as coloca na sua cartilha de atuação. É o caso do lulopetismo, cujos integrantes, se pudessem, colocavam-na inteiramente nos bolsos, demonstrando uma espécie de gatunagem nunca antes vista neste país. Eis que governada, ainda, pelo luloptismo, apresenta seu balanço auditado, cuja exposição, por certo, não serve de convite para aquisição de suas ações, porque a petroleira já perdeu mais da metade do seu valor. Ainda Júlio Camargo, executivo da Toyo Setal, em delação premiada, assevera a intervenção de José Dirceu em favor da empresa junto ao ex-presidente da petroleira, José Sérgio Gabrielli. Sem dúvida, a petroleira era, se ainda não é, a cama e o travesseiro do lulopetismo, cujas acrobacias éticas e morais envergonham a esquerda digna e decente deste país.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
DILMA E A PETROBRÁS

Ministra de Minas e Energia, ministra da Casa Civil, presidente do Conselho da Petrobrás, presidente da República e querem que a gente acredite que Dilma Rousseff não tem nada a ver com a derrocada da empresa? Não aceito o rótulo de idiota...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
A PETROBRÁS LIMPA

Seria prudente a presidente Dilma Rousseff refrear seus duvidosos arroubos de entusiasmo, como a sua afirmação de que “a Petrobrás está limpa”. Enquanto não terminar a Operação Lava Jato, tal afirmação só é verdadeira se for referente ao caixa da empresa. Disso ninguém duvida.

Lazar Krym lkrym@terra.com.br 
São Paulo

*
TEMER CÍNICO

O que dizer dos comentários do comandante do PMDB que “está” vice-presidente da República na sociedade “PT/PMDB Brasil Participações, Sociedade por Cotas”? Indagado sobre a corrupção na Petrobrás, declarou que “pegar bem, não pegou...” e que “ninguém aplaudiu”. Que é isso? Cinismo de mau gosto, ausência completa de pudor, insensibilidade psicopática?

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br 
São Paulo

*
TEMOR

A maior empresa do País reconhece oficialmente que só em um único ano “gastou” R$ 6 bilhões com corrupção; notório líder criminoso é “condecorado” por um governador envolvido em enriquecimento ilícito; os outrora semianalfabetos pés de chinelo do partido do poder exibem-se com um padrão de vida de fazer inveja a xeiques milionários; a mais alta Corte do País é loteada sem pudores e à luz do dia! Temo pela próxima geração de brasileiros...

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com  
São Paulo

*
‘UMA AFRONTA AOS BRASILEIROS’

O editorial do “Estadão” (22/4, A3) com o título acima traduz bem o que todos nós, brasileiros, estamos sentindo com mais este vexame do nosso Congresso Nacional, que, sempre cúmplice da falta de austeridade do governo petista, elevou o Fundo Partidário em 299,65%. Ou seja, de R$ 289,5 milhões, em 2014, os partidos receberão este ano R$ 867,5 milhões. E somente o PT de Lula vai abocanhar do Fundo Partidário, em 2015, R$ 117 milhões, ante R$ 50,3 milhões de 2014. Um escárnio! Porém, nesta triste história da elevação das verbas, diga-se, a fundo perdido para os partidos políticos, não tem santo algum. Este excrescente projeto foi aprovado no Senado e na Câmara por unanimidade! Ou seja, os 511 deputados federais e 81 senadores eleitos pelo povo deram “uma banana” para seus eleitores. E também se lixam para a situação calamitosa em que Dilma meteu a nossa economia.
 
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos 

*
ESCUTAR E RESPEITAR O POVO

Então o governo petista (que se acha o Estado) triplica a verba partidária na surdina, concede medalha de relevância nacional a um terrorista de seus quadros e ainda tem a pretensão de dizer que está “escutando e respeitando a voz das ruas”? E ainda declara explicitamente a título de desculpa e justificativa que é necessário receberem “doações” de qualquer fonte devido aos elevados custos das campanhas eleitorais? Para variar, querem ser o que nunca existirá: diabolicamente bondosos. Esse raciocínio demonstra que muita gente ainda terá de ser presa de dentro dos quadros petistas até a extinção total do partido: trata-se do suprassumo da falta de respeito com a coisa pública sendo aberta e justificada como certa. Jamais teremos “ordem e progresso” novamente enquanto o PT governar. Jamais!

Antonio C. Queiroz Cardoso acardoso@acardoso.com
São Paulo

*
FUNDO PARTIDÁRIO

A decisão da cúpula do PT, após longos anos de ladroagem, de não mais aceitar doações de empresas privadas deixou claro que o partido não tem mais condições de sobrevivência. A presidente Dilma, diante do problema financeiro, em conluio com o Congresso Nacional, aprovou o aumento do repasse da verba ao Fundo Partidário no valor de R$ 867.000,00.  Cabe destacar que no Brasil os partidos políticos são verdadeiras quadrilhas. Quanto ao aumento da verba partidária, mais uma inovação do PT, agora institucionalizada, de como roubar o dinheiro público.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 
Itapeva

*
REVOLTANTE
 
Em 2 de janeiro de 2015 a presidente Dilma sancionou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que impede o contingenciamento dos valores do Fundo Partidário. Assim, pois, o dinheiro do fundo pode ser gasto à vontade pelos partidos, uma vez que a lei acima descrita impede qualquer forma de contingenciamento sobre os valores conferidos aos mesmos. Não é de hoje que conhecemos as manobras de parlamentares cujos interesses pessoais e de seus partidos, têm primazia sobre tudo. Num momento em que é essencial o corte de gastos para o necessário equilíbrio das contas do governo federal, deparamo-nos com mais esta orgia de dinheiro público, um escárnio que ofende sobremaneira e de forma acintosa os trabalhadores brasileiros
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
INSENSATEZ
 
Sejamos sensatos: na situação de miséria em que nos deixaram, em que os investidores externos, com toda razão, vão se aproveitar dos restos que sobraram, R$ 867,5 milhões para um bando de sanguessugas é demais.

José Sergio Trabbold sergiotrabbold@hotmail.com 
São Paulo 

*
DESCASO

O poste reajusta o Fundo Partidário de R$ 290 milhões para quase R$ 780 milhões, e, no mesmo noticiário, vimos uma mãe precisando internar seu recém-nascido, e não encontrando vaga. É muito descaso... E depois temos de engolir a propaganda vermelha do PT dizendo mentiras e mentiras, assim como dona Dilma fez para enganar os pobres nordestinos.

Carlos R. Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br  
Ourinhos 

*
PROVOCAÇÃO

Quanta vergonha de ser brasileiro... Enquanto seu ministro da Fazenda tenta promover um ajuste fiscal, dona Dilma aprova a verba superinflacionada dos partidos... Enquanto o País lembra seus mártires mineiros, Tiradentes e Tancredo Neves, o governador petista Fernando Pimentel condecora João Pedro Stédile e Ricardo Lewandowski com a Medalha da Inconfidência... Até quando os cidadãos vão aguentar tanta provocação? 

Eliana Pace pacecon@uol.com.br
São Paulo
  
*
CONDECORAÇÃO INJUSTA

Parabéns ao Grupo Bandeirantes de televisão, em especial ao repórter Fábio Pannunzio, pela reportagem exibida no jornal do dia 21/4. Reitero que Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, líder da Inconfidência Mineira e primeiro mártir da Independência do Brasil, deve estar até agora se revirando em seu túmulo depois do absurdo cometido no dia de aniversario de sua morte pelo atual governador do Estado de Minas Gerais, sr. Fernando Pimentel, em condecorar com medalha da Inconfidência Mineira o líder do MST, sr. João Pedro Stédile, que nada mais é que um desordeiro do patrimônio público, da ciência e da tecnologia. Porque quem promove arruaça, destruição de anos de pesquisa merecia ir para a cadeia, em vez de ser comparado a heróis da história do Brasil. Caro governador Fernando Pimentel, isso é uma vergonha querer comparar uma história de luta pela liberdade e progresso do País, como fez Tiradentes, com o sr. Stédile.
 
Márcia Callado marciacallado@bol.com.br  
São Paulo
                     
*
OFENSA

Ao conceder a medalha de Tiradentes ao notório malfeitor João Pedro Stédile, invasor de propriedades alheias, o governador de Minas Gerais insulta a memória do protomártir da Independência, e também a todos nós, cidadãos cumpridores da lei.

Eduardo Spinola e Castro esc@scvs.adv.br 
São Paulo

*
VERGONHA MINEIRA

O povo mineiro e seus representantes deveriam cassar a condecoração dada pelo seu maluco governador a Stédile. É uma vergonha para o povo mineiro. Tiradentes também não merece ser equiparado a este bandido.

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com 
São Paulo

*
FALTA IMPERDOÁVEL

Imperdoável, senhor governador Fernando Pimentel. Como foi possível esquecer-se de incluir na lista dos agraciados com a Medalha da Inconfidência, honraria criada por Juscelino Kubitschek em 1952, os senhores José Dirceu, Genoino, Cerveró e Vaccari Neto? O que o senhor João Pedro Stédile tem que os injustiçados acima não têm?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
AJUSTE FISCAL

Não é justo e não aceito o ajuste fiscal da forma como vem sendo conduzido. Durante os quatro anos do governo Dilma foi feito um derrame de dinheiro inexplicável, dinheiro para África, Cuba, Venezuela, Bolívia e outras dezenas de coisas que estão sob sigilo e cuja caixa preta (BNDES) não querem de jeito nenhum abrir. Pois bem, acabou o dinheiro e acabou a orgia de distribuições, e agora ela (Dilma Rousseff) quer aumentar os impostos para nós pagarmos os seus desatinos. Não, não, não! Tem muito lugar de onde ela pode tirar esse dinheiro, por exemplo, dos 100 mil funcionários nomeados sem concurso e mais alguns milhares de cargos de confiança, além dos 39 ministérios... 

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br
São Paulo

*
O GOVERNO E O MEU BOLSO

Planejamento amplia limite para gasto de ministérios. E para mim: a gasolina sobe, a luz sobe, a inflação sobe, os juros sobem, até a certeza de que o etc. vai subir existe, haja vista a instabilidade econômica e política pela qual passa o governo do PT. E para quem ficou enjoado por eu não ter optado por usar a figura de estilo elipse para ocultar o verbo subir, confesso também que estou cansado desse verbo. Quero que “elle” desça.

Werly da Gama dos Santos gama_eamsc@yahoo.com.br 
Rio de Janeiro

*
MINISTÉRIOS

Joaquim Levy sinaliza que governo está disposto a discutir redução de cargos e ministérios, isso não quer dizer que vá executar, até por que duvidamos muito que isso ocorra. É de total conhecimento que o Brasil tem nada menos que 39 ministérios, simplesmente mais que os EUA e Chile juntos, aos quais pagamos nada menos que R$ 58 bilhões por ano. Entre eles, mais da metade é totalmente inútil e nada fazem em prol do País, só servem para manter empregos, altos salários e benefícios para o PT, PMDB e aliados.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO

O projeto da terceirização aprovado na Câmara por certo não vai atender ao principal interessado, o trabalhador. Esta é uma situação que não precisa de nenhum especialista para sua constatação. E mais, há muito tempo a terceirização está presente no serviço público municipal, estadual e federal, na iniciativa privada e nas empresas estatais. O que se lamenta é que até sindicalistas tenham defendido sua aprovação. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
MEDIÇÃO DE FORÇAS

O projeto de terceirização foi aprovado pela Câmara dos Deputados e certamente o será pelo Senado, não porque é de interesse da sociedade, mas por ser contra o governo federal. É mera medição de forças e a presidente Dilma não arreda pé do poder. Até quando?

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
PRIVATIZAÇÃO

A reportagem “Para fazer caixa, Fazenda quer retomar modelo antigo de concessão ferroviária” (17/4, B1) indica que possivelmente mais um item será adicionado ao estelionato eleitoral perpetrado contra os eleitores brasileiros. Ora, ora, se o tal “modelo antigo” não é a boa e velha privatização tão premente para o Brasil, cuja interrupção ocorreu por vacilo de FHC, possivelmente devido à sua formação de sociólogo, e por isso muito permeável ao lero-lero do esquerdismo tupiniquim. A privatização é, de fato, fundamental para o crescimento, aumento da competitividade e produtividade brasileiras, mas, conduzida com inépcia e dissimulação por quem nem sequer acredita na mesma, apenas para resolver problemas de caixa gerados por corrupção e incompetência, é temerária.
 
Airton Reis Júnior areisjr@uol.com.br 
São Paulo

*
VOTO DISTRITAL

O voto distrital é uma reforma política que irá efetivamente submeter o vereador aos eleitores do seu distrito. É a aplicação do verdadeiro espírito constitucional do poder emanando do povo. Infelizmente, provavelmente teremos de “engolir” o sistema misto que irá preservar os oligarcas no poder. Mas já é um passo rumo à democracia plena e ampla que nós, brasileiros, almejamos desde sempre. Cumprimento o senador José Serra e pares, pela iniciativa; e repudio o senador Humberto Costa, pelo seu voto contrário, próprio dos oligarcas visionários exclusivos de seus interesses.
 
Honyldo Roberto Pereira Pinto honyldo@gmail.com 
Ribeirão Preto

*
UM PESTICIDA IMPORTANTE

Políticos da América Latina – mais precisamente do Brasil – deveriam se espelhar nos exemplos de amor à causa pública do ex-presidente do Uruguai José Mujica, que está em campanha para tirar da política quem gosta de dinheiro. A política maligna em terras brasileiras é como erva daninha. Talvez o voto distrital do senador José Serra seja um pesticida importante para começar a eliminar inúmeros insetos políticos.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com 
São Paulo

*
O TAMANHO DOS MUNICÍPIOS

O Senado, por projeto do senador José Serra (PSDB-SP), aprova a instituição do voto distrital para vereadores em cidade com mais de 200 mil eleitores. O que o Congresso deveria era propor regulamentação rígida quanto à qualificação dos candidatos para evitar a exploração da popularidade de semianalfabetos que servem de joguete nas mãos dos políticos. É um absurdo distritos de 25 mil a 30 mil habitantes, por interesses políticos, levem à emancipação municípios que não possuem condições de se equilibrar nas próprias pernas, não têm condições de progredir e passam a mendigar verbas estaduais e federais. No entanto, não são poucos os que conseguem bons empregos e melhores salários. A preocupação deve ser voltada ao problema dos municípios nanicos. 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
E ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE

Grupos radicais e violentos, repudiados pelos líderes das religiões pelas quais se dizem inspirados e das quais se declaram paladinos, proliferam por vários países da África e do Oriente Médio. Para isso, precisam de armas e das respectivas munições de vários tipos, produtos que, para serem fabricados necessitam de parques industriais que só os desenvolvidos do primeiro mundo dispõem e, para serem distribuídos, contam com as ações de traficantes que, às vezes, possuem até cobertura secreta dos governos dos países onde os artefatos são projetados e criados. Munidos destes equipamentos, os fanáticos cometem atrocidades mostradas ao vivo e a cores pelas redes de televisão, contra cidadãos locais e profissionais da imprensa internacional. As cenas geram reações de indignação e obrigam os líderes do mundo, dito civilizado, a se posicionarem, corados e inconformados. O que fazem? Tomam uma atitude.Enviam para os locais conflagrados aviões e sistemas dotados da mais moderna eletrônica que realizam bombardeios cirúrgicos contra alvos selecionados.Conhecedores das regiões e habituados às suas condições de relevo, no entanto, os grupos sobrevivem e até ganham mais adeptos, continuando a sua ação extremada contra as populações, inspirados, segundo sua propaganda, pelas obrigações impostas através dos cânones religiosos . E assim, o movimento clandestino tende a se expandir. Mas, para isso, necessita de armas e munição e aí se reinicia o ciclo. Adivinha quem sai ganhando em cada ciclo? A indústria bélica dos países do primeiro mundo e os traficantes associados. E assim caminha a humanidade. 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com   
Rio de Janeiro

*
PARA SALVAR A ÁFRICA

Creio que encontrei uma solução para o problema que a Europa vive, marcando reuniões para acabar com os milhares de africanos que se perdem nas costas da Europa tentando acessar o continente europeu fugindo de guerras e da fome: Plano Marshall para toda a África. Por acaso França, Inglaterra, Espanha, Portugal, Itália, Alemanha e Bélgica não tiraram o suficiente da África? Chegou a hora de pôr a consciência a trabalhar! O primeiro Plano Marshall não ajudou a Europa então falida a se levantar em 1945? O que a Europa está esperando?

Nagib Saba lailasaba@hotmail.com 
Ribeirão Preto

*
GENOCÍDIOS

A negação do genocídio de 1,5 milhão de armênios pelo Império Otomano durante a 1.ª Guerra Mundial e o de 6 milhões de judeus pelo regime nazista na 2.ª Guerra constituem crime de lesa-humanidade, vez que o não reconhecimento e a impunidade são as premissas básicas para sua repetição. Basta de hipocrisia!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*
DIREITOS HUMANOS

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, vai apresentar um relatório sobre direitos humanos no mundo. A comunidade internacional faz uma pergunta: Israel está em primeiro lugar, pelo que faz com os palestinos?

Jorge M. Bernaba jorgebernaba@gmail.com 
Araçatuba

*
FUTEBOL E O TRABALHO DA IMPRENSA

A imprensa esportiva de São Paulo deve desculpas a seu público. Bastava ter visto a Libertadores ano passado e saber que o San Lorenzo nunca apresentou um grande futebol. Bastava saber que o São Paulo iniciou o ano com problemas financeiros e com seus principais jogadores (Pato, Ganso e Ceni) em momentos duvidosos de suas carreiras e que o futebol burocrático de resultados do Corinthians era muito chato de ver. Mas a imprensa precisava de um destaque, de uma promoção adequada para um torneio fraco tecnicamente e pior ainda em sua organização. Então se criou o “Grupo da Morte”. Jogos ruins, sem emoção, sem técnica, com um saco de pancadas que ainda conseguiu uma vitória para desmoralizar totalmente o grupo, seu atual campeão e tirar toda a perspectiva de emoção da última rodada. Mas isso não é culpa desse jogadores que atuam no País do 7 a 1. Muito menos de um campeão reformulado (para pior) ou de um insignificante quarto time do grupo. Isso é culpa de nossa imprensa, que não acompanha com atenção as situações do dia a dia do futebol. Poderiam ser diferentes outras coisas também: seria bem legal se um jogador tivesse peito de falar que era mais interessante perder de dois ao invés de um. Só um inocente para não ter visto o cruzamento que se formou a partir daí. Bom, poderíamos ter muitas outras coisas no futebol que não temos. Mas começar pela verdade de uma tática seria legal. Até Bernadinho já fez isso numa Liga Mundial.

Alexandre Mantovani pamantovani@icloud.com 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.