Fórum dos Leitores

O 1º DE MAIO

O Estado de S.Paulo

02 Maio 2015 | 02h03

Imposto sindical

A CUT e a Força Sindical do Paulinho comemoraram o 1.º de Maio, Dia do Trabalhador, com muito entusiasmo, apesar do aumento da taxa de desemprego para 6,2% em março (IBGE). Embora divergindo quanto à terceirização de serviços, a CUT e a Força concordam em não acabar com o imposto sindical compulsório, equivalente a um dia de trabalho descontado na marra do trabalhador e que contraria as normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Largar o osso? Nem pensar!

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Sindicato para quê?

Qual seria a melhor finalidade de um sindicato para seus filiados e até para a sociedade: defender o investimento pelo governo do que arrecada de impostos em benefício da população, melhorando a saúde, a educação, a segurança, ou a redução da carga horária para 36 horas semanais sem redução de salário? Será que o povo quer trabalhar menos horas ou quer trabalhar para garantir um futuro melhor para si e para seus filhos? Será que o povo quer que eles defendam ideias populistas demagógicas ou apenas que o governo cumpra suas obrigações, pois já pagamos para ter saúde, educação e segurança? Será que o povo prefere aumento salarial ou um governo ético, sem corrupção e com serviços públicos de boa qualidade? Acho que os sindicatos precisam modernizar-se, pois estão ultrapassados e perdendo associados, como eu, que não pago uma mensalidade para ser enganada com propostas demagógicas e fora do contexto da atualidade.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Trabalhador desorientado

Dia do Trabalho, do trabalhador em descanso. A presidente da República não fez pronunciamento à Nação em cadeia de rádio e TV por não saber responder por que sua falta de planejamento provocou o buraco financeiro que tem a pagar. Sem esperança, imotivadora. Líderes do Congresso Nacional, faladores desunidos, criticam a falta do muito de que já dispõem. O Judiciário perde com solturas incompreensíveis para a maioria da população. Um plano fiscal teórico, que nunca se efetiva porque políticos temem o futuro deles. A conta não fecha. Com isso ficam próximos o aumento e a criação de mais impostos. Afinal, alguém deve pagar a dívida... O povo, claro! E o círculo vicioso se fecha novamente, com o trabalhador desorientado pelo que está por vir.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

O 'day after'

Você, trabalhador brasileiro, como amanheceu neste day after? Sentiu falta da fala da sua presidente? Com certeza você, como eu, esperava ouvir da mandatária que a inflação é de 2%, os ministérios foram reduzidos a metade, a taxa tributária caiu para 20% e o desemprego para 1%, os aposentados tiveram seus benefícios reajustados de acordo com a inflação de 8,5% e que a corrupção na Petrobrás chegou ao fim com todos os envolvidos presos. Mas a mulher que até outubro de 2014 aparecia na TV a cada cinco minutos mentindo para os brasileiros não teve coragem de mostrar a cara. Primeiro, porque nada tem a dizer. Cortou benefícios dos trabalhadores ao iniciar o segundo mandato, reduziu a pensão por morte à metade e não reajustou a tabela do Imposto de Renda, o que poderia ter livrado cerca de 15 milhões de trabalhadores da sanha arrecadatória do leão. Dilma aumentou a taxa de juros, a mais alta do mundo, o preço da energia elétrica, a inflação e sua péssima política econômica arrasou com as contas do País. O que esperar desse desgoverno? Silêncio, covardia e assalto aos nossos bolsos.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Sábias palavras

O silêncio de Dilma foi o melhor discurso feito por ela até hoje.

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

Dilma discursar ou não no dia 1.º de maio passou a não ter a menor importância, afinal, ela iria mentir mesmo.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

1º de abril?

Patéticos e embusteiros, assim Dilma Rousseff e Lula se comportaram neste 1.º de Maio. Ela, falando (pelas redes sociais) das "conquistas" passadas, passando ao largo da presente situação econômica precária do Brasil, além da tentativa de engodo ao citar a correção da tabela do Imposto de Renda, quando todos sabem que esta está defasada em mais de 60%. Já Lula, novamente raivoso e agressivo, para não variar, investiu contra as "elites", negou o que todos sabem que é seu maior desejo, ou seja, voltar à Presidência, e afirmou sua honestidade, em detrimento de outros, quando todos sabem que ele foi, no mínimo, conivente, eis que como autoridade fez vista grossa para muitos "malfeitos". Até quando pensam que conseguem enganar o Brasil?

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Lula e a 'zelite'

Não bastasse a herança maldita do vendedor de fumaça, cujo governo usou as mais ignóbeis práticas no comando do País, com asseclas na maioria incompetentes, condenados e suspeitos, além de patrocinar postes como Dilma, Haddad e Padilha, ele agora se lança como salvador da Pátria, que haverá de repudiá-lo, alegando terem as elites medo dele. Realmente, os que estudam, trabalham, empreendem, pagam impostos e se comportam com ética têm medo de que mensaleiros, aloprados, cupinchas, sindicalistas imorais, tesoureiros como Delúbio, Vaccari e personalidades como Duque, Barusco, Costa continuem a assaltar a Nação. Os brasileiros decentes não têm medo, têm é imensa vergonha do que fizeram com este grande país. E não foi a elite.

JOÃO BATISTA PAZINATO NETO

pazinato51@hotmail.com

Barueri

FGTS

É muito difícil ser otimista no Brasil atual, vendo o que este governo faz com os cidadãos. Fico perplexo e muito indignado por saber que o FGTS tem mais de R$ 11 bilhões (dinheiro do trabalhador!) aplicados em empresas envolvidas no petrolão.

CAIO VINICIUS DA ROCHA FUJITA

caiofujita@gmail.com

Lagoinha

Em outubro o ministro Luís Barroso, do STF, prometeu à direção da Força Sindical pôr em votação até o fim do ano a mudança do indicador que atualiza os valores do FGTS. 2014 acabou, o governo continua metendo a mão no dinheiro do trabalhador e o Judiciário, fingindo que vai tratar do assunto. Até quando?

MARCO FARIAS

marcodefarias@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

LIXO ELETRÔNICO

“Nunca na história deste país” um presidente da República deixou de discursar em um 1.º de Maio, Dia do Trabalho. Mas, como tudo tem a primeira vez, este ano, que os anjos digam amém, não fomos obrigados a assistir à mesma empáfia na TV e ouvir às lorotas de sempre nas rádios. A presidente petista, Dilma Rousseff, fugiu da raia e economizou tempo, dinheiro e a paciência dos telespectadores. Segundo seus “aspones”, foram utilizadas as redes sociais para que a presidente, no escurinho da internet e no reduto luxuoso do Palácio, pudesse falar aos trabalhadores. Ficou mais fácil ainda não ouvir o que a presidente não tem a dizer. Mensagens suspeitas, duvidosas, são arquivadas em “lixo eletrônico”. Quer local mais apropriado do que este, para descartar as sujeiras produzidas em 12 anos de governo petista?

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

DILMA COM MEDO DAS VAIAS

Um coração tão “valente” e ouvidos tão “covardes”...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

SALÁRIO MÍNIMO

Pela internet, a presidente Dilma destacou o aumento do salário mínimo. É tanto que tem trabalhador que nem sabe o que fazer com o aumento. Nunca viu tanto dinheiro! Está parecendo pinto no lixo. Presidente, sinceramente, a sra. podia ser menos debochada. Proponho-lhe receber o salário mínimo por um mês. Vamos ver até quando ele vai durar no mês. Aceita?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PANO PARA MANGA

A presidente Dilma teria muito o que falar ontem, Dia do Trabalho, como, por exemplo, sobre: o mensalão; o petrolão; os juros de cartão de crédito, em torno de 380% ao ano; o crescimento da economia em torno de zero em 2014; a retração do PIB de 1,5% em 2015; a inflação de mais de 8% ao ano; os juros básicos de 13,25% ao ano; o rombo fiscal de R$ 32,6 bilhões; o déficit nas contas externas de mais de US$ 90 bilhões em 12 meses; o investimento menor que 19% do PIB; o aumento do Fundo Partidário, de 200% para 2015; a absurda quantidade de  39 ministros e o custo de mantê-los todos – idem quanto ao quadro de 513 deputados federais e ao Senado (81 senadores); a utilização descabida e desmedida de cartões corporativos; etc. Ao final, pede para sair!

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

EX-PETISTAS

Marina Silva, Luiza Erundina, Fernando Gabeira, Cristovam Buarque, Hélio Bicudo, Plinio de Arruda Sampaio, Marta Suplicy e outras tantas personalidades emblemáticas. A lista é extensa. Em comum, todos expressaram o mesmo sentimento: “PT saudações!” ao partido que levou o Brasil à corrupção endêmica, que traiu os ideais de seus fundadores e que quebrou todos os recordes de incompetência administrativa.

Sergio Bialski serbial@bol.com.br

São Paulo

*

A SAÍDA DE MARTA

Marta Suplicy finalmente formalizou seu pedido de desfiliação do PT, justificando sua saída ao afirmar que o papel do partido na corrupção é constrangedor e que os princípios e programa partidários nunca foram renegados pela própria agremiação de forma tão persistente. Interessante essa justificativa só ser feita agora, pois, enquanto estava ministra, tanto no governo do criador como no da criatura, ela se manteve bem quietinha, apesar dos escândalos que desnudaram a verdadeira face do partido. Então... aí tem, não?!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

NÃO CONVENCE

A senadora Marta Suplicy é mais uma a deixar o PT. Mas seus argumentos não convencem. Por certo, alguns militantes desse partido, ocupantes de cargos importantes na vida pública, cometeram deslizes e precisam ser punidos. Mas os demais, os que atuam com seriedade, têm a obrigação de ajudar a implementar rumos corretos. O que ela está omitindo é  seu inconformismo em não ser indicada como candidata a prefeita ou governadora de São Paulo.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

‘RELAXA E GOZA’

Marta Suplicy filiou-se ao PT em 1981, foi deputada federal, ministra da Cultura, prefeita de São Paulo, senadora e líder da campanha de Lula. Após vestir a camisa do PT por 34 anos, no dia 24 de abril, Marta declarou que “o PT se distanciou dos seus princípios éticos, das suas bases e de seus ideais”. Marta demorou três décadas para chegar à conclusão de que os seus “companheiros” de partido são traidores, corruptos, sem ética e que a cúpula do partido tem interesses corporativistas. Se Marta tivesse sido eleita governadora de São Paulo, como desejava em 2014, será que teria a mesma opinião sobre o Partido dos Trabalhadores? Em 2007, Marta disse a seguinte frase, que poderá servir a ela mesma neste momento: “Relaxa e goza que depois você esquece de todos os transtornos!”.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

OPOSIÇÃO

Marta, bem-vinda à oposição! PT saudações!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

FALSO BRILHANTE

Que não se iludam novamente os paulistanos. A saída de Marta Suplicy do PT não se prende a nenhum arroubo de moral ou ética da referida figura. Durante 33 anos, participou ativamente e exerceu cargos eletivos sob a égide da “Podridão Total”. Pelo menos e durante os últimos 13 anos, embora não se conteste sua ausência nas listas de malfeitores do partideco, serviu como senadora e serviu-se como ministra do banquete pantagruélico de seu chefe maior e de sua serviçal menor, sem a menor cerimônia e sem tecer nenhum comentário maior sobre os malfeitos do partido. Pelo contrário, ainda proclamou aos quatro ventos a volta desejada (por ela) do “molusco” ao poder, após a tempestade do mensalão, esquema em que o boquirroto estava (e está)  metido até o pescoço. Sua saída tem apenas caráter de uma sem-caráter. Percebeu que seus sonhos de voltar a disputar uma eleição pela maldita legenda foram mortos pelo seu antigo ídolo e deus. É apenas uma oportunista (característica de todo e bom petralha). É apenas uma ratazana abandonando o barco furado que lhe serviu de abrigo durante tanto tempo.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

JÁ ERA

O PT já não é mais o mesmo. Agora só falta o ex- presidente Lula ir também para outro partido, como já fez a senadora Marta Suplicy. O PT já era...

Olympio Félix A.Cintra Netto Olympiofélix@gmail.com

Bragança Paulista

*

O TEMPO PASSOU

 

Muito estranho, estranho mesmo dona “Martaxa” se demitir do PT. É bem verdade, não lhe faltam motivos para sair do partido. Ocorre, entretanto, que o PT “saiu” dela. Colocada em segundo plano pelo guru, esperneou, bronqueou, gritou, mas não adiantou. Fernando Haddad e Alexandre Padilha foram ungidos e ela, com todo o seu cacife, esquecida. Sugeria a nobre senadora limitar-se ao Senado e aos netos. Assim como seu ex, seu tempo passou. Cai fora!

José Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

*

INDIGNAÇÃO

O PT ficou indignado com a carta de despedida de Marta Suplicy. E a indignação do povo brasileiro com os desmandos do PT?

Domingos Carelli Netto carelli@tamaita.com.br

São Paulo

*

O QUE MARTA QUER?

Depois de décadas “relaxando e gozando” no seu grupo político, dona Marta abandona a turma. Será que ela percebe que a farra com dinheiro fácil chega ao fim? Por patriotismo é que não é essa retirada.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

MANDATO

Na hipótese da senadora Marta Suplicy (PT-SP) perder o mandato por ter se desfiliado do PT, sua vaga jamais será destinada ao seu suplente. Pois, na eleição majoritária os suplentes são meros e abstratos (não)-candidatos. Tanto o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quanto o Supremo Tribunal Federal (STF) darão, caso o segundo colocado da coligação e seu partido pleiteiem a vaga, a Netinho di Paula (PC do B).

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘MARTA E O PT’

Gostaria de cumprimentar o “Estadão” pelo excelente editorial de 30/4. Não sou petista nem “martista”, mas reconheço que este jornal fez justiça ao discorrer com imparcialidade as atitudes da senadora, por um lado, e ilustrar o lamentável “modus operandi” do PT, amparado pelas declarações fortes em credibilidade, feitas por uma fundadora, ex-prefeita e ex-ministra. Muito bom!

Otávio V. de Freitas otaviovf@gmail.com

São Paulo

*

O PÊLO E O HÁBITO

Dona Marta nunca foi tão petista quanto agora, que se esforça para que o distinto público acredite que não é petista. Os truques de dar o dito pelo não dito, o feito pelo não feito, a fé e o “modus operandi” na abjuração são nitidamente usos, costumes e vícios do petismo e de seus sectários. Não, dona Marta, não acreditamos. Ministra de todos os governos petistas, militante apaixonada, soldada de todas as campanhas, prefeita de São Paulo que se esmerou em seguir a cartilha petista de A a Z. Aí incluída a maracutaia da tentativa de troca do enorme terreno na Vila Nova Conceição, onde está instalada uma escola, por um terreno baldio na periferia da cidade. Em boa hora fulminada pela Justiça. Ou os numeritos folclóricos de saracotear em cima de um monstruoso trio elétrico celebrando a alegria gay. Não, dona Marta, não. Estamos cansados. A senhora continua tão petista como sempre foi. É coisa da alma. Lembro o ditado “o lobo perde o pêlo, mas não perde o hábito...”.

 

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

NAS URNAS

Tem gente por aí que jura que jamais votaria em Marta Suplicy, ex-PT, tão somente pelo partido. Todos estes serão eleitores de Marta em 2016 e ela será a prefeita dos paulistanos na próxima gestão. Na capital e no Estado de São Paulo os Haddads e Padilhas não terão mais vez. Aliás, será muito difícil de o PT eleger algum prefeito em algum município deste imenso Brasil.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

O CALDEIRÃO DO PT

A água do caldeirão petista ainda estava bem fria no início dos anos 80 quando dona Marta entrou e gostou da temperatura natural. A água ficou morna e gostosa entre os anos 90 e 2010 dava para nadar de braçadas nesta banheira partidária. Um bom petista submerso no mergulho do poder não quer nem saber se por fora rola mensalão, petrolão, BNDESão ou fundo de pensão. Não sabe nada, não viu nada, não conhece nada, você não faz pergunta e eu não comento. Agora, que o caldeirão ferveu, a água borbulha e a temperatura está insuportável, dona Marta arrancou o botão enferrujado e despedaçado do que outrora foi uma cintilante estrela na lapela e, antes que o juiz Sergio Moro adicione a pimenta malagueta no prato principal do PT, que virou um barreado, ela pulou fora sem entregar o chefe teflon, e foi logo dizendo “se você não estava ali naquela meia dúzia, você não sabia de nada”. Provavelmente, ela será mais uma dirigente histórica que sai de forma traumática de dentro do PT, mas o lulopetismo nunca sairá de dentro dela. 

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

*

EU ACREDITO

Depois das declarações do aliado Carlos Lupi e da ex-prefeita Marta sobre o partido do governo, quem sou eu para não acreditar nisso tudo? Só não acredita quem se beneficiou com o mensalão e o petrolão.

Moises Goldstein moisesgoldstein1@gmail.com

São Paulo

*

DESFILIAÇÃO DE MARTA SUPLICY

Que ela seja a primeira de muitos!

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

MAL AGRADECIDA

Dona Marta, a senhora está cuspindo no prato em que comeu, porque, a bem da verdade, foi o PT que te pariu.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

FRANCO ATIRADORA

Em meio a tantas turbulências, o PT deveria receber com entusiasmo a saída de Marta Suplicy, a ministra do “relaxa e goza”, a “Martaxa” dos paulistanos. À beira do ostracismo e procurando um partido que acolha sua já malfadada pretensão de concorrer à Prefeitura de São Paulo, é fácil fazer o papel de franco atiradora. Pergunta: foram precisos 33 anos de militância para perceber tantos desvios éticos? Mais lamentável ainda é ver o beija-mão de Aécio Neves, o candidato que desconhece não haver terceiro turno nas eleições.

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

*

MUDANDO DE BARCO

Marta Suplicy diz que o Partido dos Trabalhadores (PT) tem sido o protagonista de um dos maiores escândalos de corrupção que a Nação brasileira já experimentou. Eu concordo plenamente com ela, só o que dona Marta não pode esquecer é que por mais de três décadas ela foi uma das pessoas mais influentes daquele partido. Fica fácil agora, que o circo pegou fogo, sair de fininho e pular para outro barco.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

‘PONTO FINAL NO MENSALÃO’

O editorial “Ponto final no mensalão” (29/4, A3) é a síntese de uma história que a Justiça italiana oferece aos brasileiros, em que pese a falação de “amigos poderosos falarem mais alto que a decência”. Os brasileiros agradecem em nome da própria decência, agora reposta no seu devido lugar. Na mesma edição, na página A6, da licenciada jornalista Dora Kramer, podemos afirmar que, se faltasse um prego para fechar o caixão do PT, a senadora Marta Suplicy acabou de pregá-lo.

Nicanor Amaro Silva Neto nicanoramaro@yahoo.com.br

Bauru

*

E CESARE BATTISTI?

O editorial de 29/4, “Ponto final no mensalão”, ilustra muito bem a lição que representa a histórica extradição de Henrique Pizzolato. Falta, ainda, esclarecimento cabal a propósito do sinistro Cesare Battisti, aqui muito bem protegido, sabe-se lá por quê. Há, nos autos em que foi condenado, lá na pátria do Direito, informação dando conta de que, antes de abraçar a “causa” do terror, a personalidade de Battisti já estava forjada na prática de crimes comuns, como furtos e outros do gênero.

Ataíde Jorge de Oliveira ataidejorg@gmail.com

Brasília

*

PASSAPORTE

Entreouvido na engraxataria: afinal, qual dos seus passaportes Pizzolato vai mostrar na volta ao Brasil?

Eduardo Menezes Serra Netto decimoserranetto@uol.com.br

São Paulo

*

‘O CARA’

Segundo publicação de uma revista semanal, o ex-presidente da OAS, empreiteira poderosa do sistema de corrupção “made in Brazil), a pedido do então presidente Lula, assumiu no Guarujá obras inacabadas da  Bancoop, cooperativa de bancários ligada ao PT que faliu e deu prejuízo a 3 mil mutuários. Tratava-se de um prédio luxuoso onde os beneficiários eram ninguém menos que Lula, dono de um triplex de 297 m2, e o sr. João Vaccari Neto. Será que, com salário de presidente, dá para ter patrimônio de elite? Não está passando da hora de verificar a origem de tanta riqueza de um cidadão que nunca trabalhou de verdade? Certa vez Barack Obama  disse “este é o cara”. Realmente, com certeza, é o cara responsável por tudo isto que está acontecendo no Brasil.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

LIBERDADE, AGORA NÃO MAIS TARDIA

No julgamento do mensalão, o “SPTF” (sigla atual do Supremo Tribunal Federal), por causa do trabalho do ministro Joaquim Barbosa, não conseguiu livrar os empresários criminosos junto com os do partido. Agora, livres do ministro, tudo corre dentro do determinado pelo ParTido e da pressa necessária para evitar a delação premiada que estava em curso. Cadeia, jamais! Liberdade, agora, também para eles, não é mais tardia, na Ilha da Fantasia. O juiz Sérgio  Moro que se cuide...

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com

São Paulo

*

DECISÃO DE DIAS TOFFOLI

O presidente da 2.ª Turma do STF já mostra a que veio: soltar bandidos.

José Luiz Tedesco wpalha@terra.com.br

Presidente Epitácio

*

TOMANDO PARTIDO

Quem diria... o nosso saudoso STF tornar-se uma sucursal do PT!

Attilio Cerino attiliocerino@yahoo.com.br

São Paulo

*

SÓ O BÔNUS

O STF decidiu. Fica combinado assim: Lula e Dilma não respondem por nada, apenas usufruem!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

INTERFERÊNCIAS NA LAVA JATO

Agora que aperta o cerco, o objetivo da Procuradoria da Republica é melar a Operação Lava Jato.

                                                                                                                                                                         Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

DISSE O EX-MINISTRO

Confesso que, após ouvir o ex-ministro Antônio Delfin Netto dizer numa entrevista que a Petrobrás foi invadida, apropriada e espoliada, que a maior empresa do Brasil foi destruída financeiramente pelo governo, que a mistura da corrupção com a má administração dentro da Petrobrás foi desastrosa para todo mundo, dizer, em outras palavras, que sindicato mais política resulta em corrupção, deu-me uma vontade louca de fugir para o meio da Floresta Amazônica e não sair de lá nunca mais.

 

Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

LIMPEZA NA PETROBRÁS

Após a divulgação do balanço da Petrobrás de 2014, o governo se apressa em dizer que a empresa agora está limpa e que virou a página. A empresa realmente tem tudo para voltar a ser o que era, mas com influência política isso é impossível. A empresa precisa limpar de seus quadros gerenciais ex-sindicalistas que hoje ocupam cargos gerenciais sem ter a menor condição, a empresa está aparelhada deles, principalmente no seu RH e em comunicação. Na diretoria financeira administrativa da Transpetro, onde o ex-diretor pastor supostamente envolvido em esquema de corrupção tinha o mérito, para coordenador, consultor ou gerente “obreiro”, de ser evangélico, e muitos nem sequer foram concursados, com nível superior, o que dificilmente ocorreria em empresas semelhantes. Não adianta limpar só o primeiro escalão, a sujeira está nos andares abaixo.

 

Hosana Martins martinshosana2015@bol.com.br 

São Paulo

*

JUSTIÇA TRABALHISTA

Além da corrupção no Brasil, um dos assuntos em pauta nos noticiários é a morosidade da nossa Justiça para aqueles menos favorecidos. Considero a Justiça do Trabalho a mais ineficiente das cortes brasileiras. Entrei com um processo trabalhista em 2004; em 2010 foi publicado um acórdão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) dando ciência de que todas as minhas reivindicações haviam sido aceitas e negando os recursos apresentados até então pela empresa onde trabalhei. Após vários novos recursos dos advogados dessa empresa, agravos de instrumento, embargos declaratórios, recursos de revista, etc., meu processo foi digitalizado (para maior agilidade!), voltando ao TST em outubro de 2014, e não foi julgado até o momento. Em resumo: entrei com o processo no Tribunal Regional do Trabalho com 51 anos de idade e hoje estou com 62 e sem previsão de receber o que eu tenho direito. Isso não é um fato que só está ocorrendo comigo, mas com milhares de brasileiros que não têm poderio econômico, assim como têm os donos de empreiteiras para influenciarem em decisões da nossa Justiça (?).

Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com

São Paulo

*

EPIDEMIA DE DENGUE

 

O dengue já é uma epidemia no Brasil. Quando vemos nos telejornais a situação de Campinas, no Estado de São Paulo, por exemplo, pedimos a Deus que proteja as nossas crianças. Pelo que vi, a reidratação oral, ou seja, o soro caseiro e muito líquido são de fundamental importância no combate à doença, e o uso deve ser constante, logo que se suspeite de virose, gripe ou dengue. A água perdida pelo organismo pela desidratação deve ser logo reposta. Outra questão que, como leigo e leitor, eu entendi é que o uso da dipirona ou o uso do paracetamol deve ser equilibrado e somente quando necessário. O abuso de medicação pode fazer mais mal que bem. O mosquito deve ser combatido sempre, todo o ano. Pareça que ele ataca mais crianças e idosos com perigo de vida para os mais frágeis. A vigilância deve ser redobrada! Já temos pessoas em nossas famílias e amigos com diagnóstico de dengue. É melhor ser prudente e colaborar com os agentes sanitários e o pessoal da saúde. Todos unidos contra o dengue!

 

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@uol.com.br

Fortaleza

*

COMBATE À DENGUE

Por opção de deixar a população doente ou morta com o alastramento da dengue, provocado por um mosquito, o governo é criminoso. O espalho da dengue é proposital, porque, se as autoridades quisessem, a dengue ia ser erradicada em mais ou menos três ou quatro meses, já que o Aedes Egypti só vive 45 dias. Era só fazer a mesma coisa que a prefeitura do Rio fazia há muitos anos (naquela época não tinha dengue): pulverizava com aviãozinho fumacê, uma vez por semana, às 5 horas da manhã na cidade toda e na mata. Vivi 15 anos lá com as janelas abertas a noite toda por causa do calor, e não tinha um mosquito.

Michelle Schott mschott@sti.com.br

Santana de Parnaíba

*

PROFESSOR FERNANDO HADDAD

Fiquei pasmo quando li no Jornal “O Estado de S. Paulo” que cerca de 40 moradores na região de Parelheiros, na zona sul, invadiram a aula do prefeito Fernando Haddad na Universidade de São Paulo, na manhã do dia 27/4, para exigir a criação de linhas de ônibus. Pergunto: 1) quem estava administrando o município de São Paulo, que tem tantos problemas, lá no prédio da Prefeitura, no Anhangabaú, nesse horário? 2) As salas de aulas da USP são o melhor lugar para encontrar o prefeito de nosso município? 3) Quais os horários de expediente do prefeito Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo? 4) Quantas aulas semanais o professor Haddad leciona no período diurno na USP? 5) O governo do Estado de São Paulo permite que um funcionário acumule dois empregos remunerados no mesmo horário: o de professor na USP e o de prefeito, na hipótese de que neste horário o prefeito deveria estar na Prefeitura? Sei que a nossa Constituição permite que um funcionário público acumule cargo técnico e de professor, desde que em horários compatíveis. Daí minhas dúvidas.

Carlos Vieira vieiraevieira18@gmail.com

São Paulo

*

ENSINO BÁSICO

 

O sr. Alexandre Schneider põe o dedo na ferida no artigo “Ensino básico, uma nova oportunidade”, publicado em 29/4 (página A2). As secretarias estaduais e municipais não têm a competência necessária e esbarram na burocracia, no corporativismo e na corrupção quando se dispõem a melhorar a qualidade do ensino básico. As ONGs voltadas para a educação têm competência e agilidade para enfrentar essa tarefa. Conclusão: unir poder público e ONGs para, juntos, elaborarem e porem em prática um programa de aperfeiçoamento e valorização do professor.

Roberto Pereira da Fonseca roberfon@uol.com.br

São Paulo

*

MORTE DE TORCEDOR PALMEIRENSE

Na terça-feira, dia 28/4, morreu no hospital aquele torcedor palmeirense que, após o jogo contra o Santos, saíra do estádio em companhia da namorada e encontrou cerca de 15 torcedores santistas, que o agrediram barbaramente. O matador provavelmente não será identificado e, mesmo que venha a sê-lo, por que não penalizar o Santos, exigindo que jogue a final com portões fechados, estendendo o castigo pelas próximas 10 partidas? Essa penalidade deveria ser adotada a partir desta ocorrência e valer em todo o território nacional. Outra providência seria proibir torcidas uniformizadas nos estádios. Quem sabe assim os animais selvagens tornam-se humanos? Em tempo: sou torcedor corintiano.

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.