Fórum dos Leitores

DILMA E A FIFA

O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2011 | 03h07

Gol contra

Pela primeira vez na história das Copas do Mundo de Futebol, o pontapé inicial está sendo dado com salto alto no Brasil. PC do B ou Ponto contra a Copa no Brasil.

RENATO GUIMARÃES JR.

renatogjr@yahoo.com

Campinas

Copa do Mundo

Então, agora teremos a Copa da Dilma?

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

Desoneração?!

A MP da desoneração (para quem?) vai aumentar imposto porque o governo isentou a Fifa e vai baixar a arrecadação?

CESARE MOROSINI

cesare@listasinternet.com.br

Guarulhos

*

CORRUPÇÃO

Orlando Silva

Mais um ministro na marca - literalmente - do pênalti. Não seria má ideia fazer uma checagem em todos os ministros e suas atividades. Brasil, o país dos hilários, gozadores, charlatões e dos que usam a política para suas vaidades financeiras pessoais, e isso com nosso realzinho. Mas o mais displicente, imprudente e intocável pela Justiça é o fato de que os promotores dessa desavergonhada e impune diarreia política, quando apanhados, não devolvem o fruto dos seus roubos e, principalmente, não são apenados com cadeia. E é em razão desse quadro que o dono do futebol brasileiro, o "inderrubável" Ricardo Teixeira, continua em sua eterna marca do pênalti.

CECÉL GARCIA

cecelgarcia@msn.com

Santo André

De responsabilidades

A responsabilidade só se cobra de quem atua com liberdade. Assim sendo, como responsabilizar o sr. ministro Orlando Silva, se sua liberdade está cerceada pelo partidão ou pelos partidos que apoiam este governo?

CARLOS ROLIM AFFONSO

profrolim@globo.com

São Paulo

Provas

O ministro Orlando Silva afirmou várias vezes que é inocente e não existem provas contra ele. Ora, se ele é inocente, como poderiam existir provas contra ele...?!

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

Cadeia é pouco

Crianças descalças chutando bola num campo de terra batida, sem orientadores nem educadores, obra das ONGs que consomem bilhões do Orçamento e não cumprem sua parte. É hora de dar um basta. Usar crianças para enriquecimento ilícito é tão imoral quanto pedofilia. É trabalho para a PF e a Receita pôr os bandidos na cadeia e confiscar seus bens.

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Tática de malandro

Desviar dinheiro de programa de incentivo ao esporte para crianças carentes é uma aberração, ainda mais num país que investe pouquíssimo em educação. Assim, o que poderemos esperar da segurança pública, com o governo seguindo tal (des)caminho?

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

GREVE

Infraero

É hilário os funcionários da Infraero justificarem a greve como sendo para servir de alerta sobre a queda do nível dos serviços no caso de privatização dos aeroportos. Será que pode cair a nível abaixo do que já temos?

ALTAIR SANTANA DA SILVA

asantana@dsconsulting.com.br

Curitiba

Cabide de empregos

A Infraero é uma das mais ineficientes e corruptas empresas estatais e precisa ser investigada. Vejam a situação dos aeroportos no Brasil, um caos. Os serviços por ela prestados têm aumento de tarifa absurdos, muito acima da inflação. Chegando de viagem internacional, um taxista me disse que cada um dos 600 taxistas tem de pagar R$ 2 mil por mês, que são divididos entre cooperativa, sindicato e Infraero. A privatização dos aeroportos vai mostrar quão ineficiente é esse órgão, que deveria ser extinto, pois nada mais é que um cabide de empregos. Desde 2007, quando o Brasil ganhou o direito de sediar a Copa e Olimpíada, o que fez para melhorar os aeroportos? Nada além de puxadinho sem concorrência em Guarulhos. O que vai deixar uma péssima impressão para o mundo, dada a total falta de planejamento, gerenciamento e seriedade. Gostaria de saber o que fazem com todo o dinheiro arrecadado.

LUIZ HENRIQUE CHAVES DAVILA

luiz_davila@terra.com.br

São Paulo

*

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Casa Modernista

Em atenção à Nota da Redação (26/9) em réplica à minha resposta à nota Patrimônio? (Direto da Fonte, 21/9), esclareço que as grades nas portas e janelas da Casa Modernista foram instaladas pelo próprio Gregori Warchavchik, autor do projeto da casa, em reforma realizada entre os anos de 1934 e 1935. Esse fato é de simples comprovação. No livro de José Lira Warchavchik: Fraturas da Vanguarda, editado pela Cosac Naify e lançado em abril deste ano, entre as páginas 338 e 339 é possível observar diversas fotos da casa pós-reforma e constatar a existência das grades, que a nota publicada diz que descaracterizam o imóvel. Reiteramos que elas integram a casa por decisão do arquiteto.

GIOVANNA LONGO, Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Cultura

giovannalongo@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

*

CUMPRIMENTOS

Prêmio Vladimir Herzog

Nossos cumprimentos à direção desse importante veículo de comunicação e aos seus profissionais pelo Prêmio Vladimir Herzog pela publicação Guerras desconhecidas do Brasil. Essa justa homenagem adquire maior significado neste momento em que a sociedade brasileira defende a criação de uma Comissão da Verdade que resgate a verdade histórica e faça justiça aos que lutaram e se sacrificaram pela democracia em nosso país.

LUIZA ERUNDINA DE SOUZA, deputada federal

dep.luizaerundina@camara.gov.br

São Paulo

 

*

TRIBUNAL DE EXCEÇÃO

O ministro Orlando Silva, com base nas denúncias sofridas, disse se sentir num "tribunal de exceção", lembrando o tribunal de Nuremberg. Ora, ministro, e nós, brasileiros, nos sentimos como escravos, trabalhando diuturnamente para sustentar certa burguesia governista. Pelo seu comentário logo se vê que o ministro nunca foi funcionário de empresa privada, porque se fosse saberia que no mundo real um alto executivo é responsável por seu departamento e responde pelos subordinados que contrata. Seria motivo de demissão sumária! Se o ministro não teve culpa no cartório, foi omisso e deve sair do cargo. Não é apenas o olho do dono que engorda o gado, do funcionário responsável também. Depois dessa desculpa emotivamente esfarrapada, é melhor sair de fininho e pelos fundos. Acusar denúncias de fascismo é típico da esquerda quando pega em delito. Já estamos acostumados.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ORLANDO SILVA NA CÂMARA

Mais um show de cumplicidade explícita na Câmara dos Deputados, dos mesmos que recentemente inocentaram a gulosa Jaqueline Roriz. Governistas e aliados ouviram emocionados as palavras de Orlando Silva, e aplaudiram-no com entusiasmo febril. Alguma dúvida? Para mim, nenhuma dúvida ou surpresa. Aquela Casa virou um covil  de malfeitores (desmintam-me, se eu estiver errada) e está claro que esta "deputança" vai sempre ovacionar seus ídolos, seus mentores, seus heróis! Neste mundo há quem admire um Super-Homem, mas há também quem se norteie por um metralha. Há gosto para tudo neste país onde os irmãos siameses corrupção e impunidade foram gerados a partir de um mensalão. E que fique bem claro, o primeiro da República. Pois nunca antes neste país se havia visto coisa igual.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

NA BASE DO GRITO

Não, sr. ministro Orlando Silva, não! Ninguém deseja tirá-lo na base “do grito”, mas, sim, tirá-lo na base das várias e justas leis penais e administrativas (afora as morais não escritas, mas ligadas a essência do povo brasileiro) as quais o senhor afrontou e, ouso dizer, talvez com o agravante de formação de quadrilha à frente do 'Mini$terio do$ 'E$porte$'! Com a palavra, agora, este estranho procurador-geral da República, que pouco procura e quando o faz, mais estranhamente ainda, pouco acha onde todos sabemos, tem coisa.

 

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

ORLANDOS

 

Entre os dois homônimos – Orlando Silva, o cantor do passado e o atual ministro do Esporte –, certamente o primeiro teve um desempenho bem melhor.

 

Fernando Faruk Hamza botafogorio@bol.com.br

São Paulo

*

TIRANDO O PODER

Que (des)governo medíocre, a presidente está tirando o "poder" do ministro do Esporte, por que não "tira" o ministro? Quem manda? Tem que esperar negociar com as bases e aliados? É muita safadeza nos ministérios, o do Esporte desde o seu antecessor, Agnelo Queiroz, ex-ministro do ex-Lula, tem histórico de "roubalheira", como os demais. A partir de agora a presidente assume as negociações da Copa-2014, que ficarão centralizadas nas mãos da ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, o que entende de esportes? Que tal escolher um ministro do Esporte que conheça e viva do esporte e no esporte, caso contrário o $uce$$o da Copa-2014, será outro... É só esperar.

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

ESCÂNDALO NO MINISTÉRIO DO ESPORTE

Das duas uma: ou o Sr. ministro do Esporte é um dos mais probos entre todos os políticos brasileiros ou a grande imprensa nacional é totalmente irresponsável, posto que  publica reportagens sem prova alguma e totalmente infundadas sobre altas autoridades governamentais.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

PERFORMANCE

No ministério PC do B, roubalheira é mesmo Esporte de Alto Rendimento.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

INVESTIGAÇÃO E RESPONSABILIDADE

Considerando que a corrupção já existia na época de Jesus e que ele foi crucificado por fazer pregações indesejáveis tanto para os corruptos como para os corruptores da época, então, passados mais de dois séculos, é de considerar que nesse tempo a corrupção foi aperfeiçoada e que os corruptos e corruptores têm suas manhas para não deixar rastros. Levando isso em conta, não é de admirar que o ministro do Esporte, suspeito de corrupção, faça alarde sobre sua inocência e até exija apuração pela Polícia Federal... Se, o Poder Legislativo levasse a sério sua responsabilidade de fiscalizar o Poder Executivo, já teria apurado muitas irregularidades quando da instalação da CPI das ONGs. O que a Polícia Federal precisa fazer é uma investigação em todos os partidos políticos, principalmente naqueles que formam a base do governo.

 

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

COMO NUNCA ANTES...

Ridícula a montagem, pelo governo, de esquema de vigilância dos passos de Orlando Silva, que fica no cargo "enquanto apresentar respostas convincentes".  Para quem, caras pálidas? Enquanto isso, D. Dilma, diretamente de Pretória, África do Sul, diz que o sinistro (S mesmo!) tem o direito à presunção de inocência.  Oras, D. Dilma, esse é mais um a merecer as páginas policiais, aliás, o dito cujo não é primário, desde a estória da tapioca – paga pelo bolso do contribuinte, através de cartão corporativo – o indivíduo se mostrou nada correto.  A história se repete: primeiro as negativas, acompanhadas, pela desqualificação do denunciante.  Depois as juras eternas de confiança, depois... Sai já daí moço, não complica mais a situação desse governo enterrado, até as presas,  na lama fétida que se espraia pelo Planalto.  Quanto mais as esfarrapadas desculpas são dadas, mais maracutaias aparecem!  Como nunca antes na história deste país! 

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

CORRUPÇÃO, FIFA E O PT

Orlando Silva não é diferente de nenhum dos outros ministros petistas. Apenas seu Ministério é aquele que vai arrecadar incomensuravelmente com a Copa no Brasil, números que nem se projetam para não dar inveja aos colegas de corrupção ativa. É beneficiado até com mudança da Lei e da Constituição, grana mais do que certa. O que veio à luz no Ministério do Esporte não é diferente do que já se constatou nos demais colegas do partidão da mão rápida: vão caindo, um pós outro, o esquema é o mesmo, varia a quantia e a maior ou menor ousadia do gatuno. Acochambrados no governismo, novo nome dado ao grupelho de estelionatários engravatados em postos do governo, prosseguem na rotina de negar, esbravejar e, em seguida, sair de fininho tal um Palocci, ou outro qualquer da lista interminável de afastados petistas, desde o famigerado mensalão. Sob as togas vermelhas da vergonha imposta à Nação, só resta apostar, feito bingo, em qual o nome da próxima chacota. Enquanto isso, bilhões e bilhões de reais da sociedade brasileira escorrem bolsos e cuecas abaixo, sem a menor probabilidade de serem recuperados. O símbolo da farra petista melhor seria uma torneira aberta a jorrar reais ininterruptamente, com as boquinhas safadas de seus pares se empurrando abaixo para ver quem sorve mais. Já se faz justificável uma força-tarefa civil, fora das esferas contaminadas da Justiça brasileira, sejam milícias, voluntários e talvez até mercenários, há muito mais em jogo do que o cidadão consiga entender, ou mesmo, calcular.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

*

SER E PARECER

A coluna da Dora Kramer é para mim um artigo indispensável de todo dia. Sempre muito bem escrita, com humor e direto ao ponto. A de terça-feira (Ser e também parecer, A6), porém, cai num argumento que vem sendo cada vez mais difundido nos jornais e entre os leitores: o de que Dilma Rousseff precisa mostrar autoridade e fazer o serviço completo quando se trata de corrupção (e do que mais se trata no Brasil de hoje?...). No caso do ministro do Esporte, ao dizer que Dilma não pode errar, que precisa conferir grandeza ao gesto, que tem que levar em conta o interesse do Brasil, Dora Kramer parece ter se esquecido de quem estamos falando: de alguém que há mais de 8 anos faz parte do poder, que era a chamada “gerentona”, a “mãe do PAC”, a amiga e mentora da Erenice (de triste memória), enfim, o “poste” colocado por Lula na chefia da Nação. Por que alguém com esses atributos iria de repente mudar de rumo e de atitude? Dilma é o que sempre foi, não há motivo para cuspir no prato em que comeu e reverter os “malfeitos” da era Lula. Até a fama de faxineira-mor ela já recusou! Ela está aí apenas para ocupar a cadeira até o chefe voltar e não vai – porque não tem brilho próprio nem autoridade moral para isso – combater a corrupção explícita que é o grande e permanente legado da era Lula. Achar que, por estar agora como presidente, Dilma vai mudar toda a sua concepção de vida para agradar aos brasileiros honestos – cada vez em menor número – é ingenuidade ou wishful thinking. Seria muito bom, mas não vai acontecer. Só fico espantada de ver que até a minha querida Dora Kramer esteja embarcando nessa canoa furada.

Maria Cristina Godoy mcgodoy@terra.com.br

São Paulo

*

IMPUNIDADE

Até quando teremos de ver e ouvir diariamente os crimes de corrupção, desvios de verbas, enriquecimento ilícito, ONGs de fachada e nenhum dos envolvidos e acusados serem condenados? Só neste ano mais de quatro ministros e outras tantas pessoas que ocupavam cargos de confiança estiveram envolvidos em escândalos e nada aconteceu. Diariamente o vereador Netinho de Paula aparece na TV dizendo que defende o povo, mas não devolve os R$ 800 milhões que recebeu do governo e não utilizou em projetos sociais. Se conseguimos a devolução de todo o dinheiro desviado por estes corruptos, com certeza teríamos melhores hospitais, escolas e muito mais segurança. Isto é uma democracia ou ainda vivemos uma ditadura?

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@ig.com.br

São Paulo

*

PODRIDÃO OFICIAL

Só para esclarecer: o ministro do Esporte, Orlando Silva, classificou de bandido o soldado quatro estrelas da Polícia Militar de Brasília, com quem ele mantinha relações escusas. Ora, ministro, quem dá audiência a bandido em seu próprio gabinete, para mim, também não passa de bandido. Diz-me com quem andas que ti direi quem és.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

MINISTRO DO ESPORTE

Diz o ditado que é ladrão tanto quem rouba um centavo como quem rouba um milhão. E quem rouba um saquinho de farinha é o mesmo que quem rouba todo o pilão? Ora, ora, diz o ditado; ladrão é ladrão. Aí me lembro daquela musiquinha: ...se gritar pega ladrão, não sobra farinha “mermão”... A verdade é que essa gente não tem o devido bojo moral pra cuidar do bem público. Fora!

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos prof.tenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

MALFEITO E BEM FEITO

 

Como esperar solução para eliminar a canalha que rouba o País de cabo a rabo, se começa pela presidente Criatura trocando corrupção para "malfeito"? Parece mais um alerta aos corruptos para fazer "bem feito" o assalto ao erário.

 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

SOBRE A HERANÇA DE LULA

Veja, Lula da Silva, o rastro que você deixou em sua passagem pela presidência! A história se repete com mais um dos seus “cumpanheros” desses tais que se dizem preocupados com justiça social, o Sr. Orlando Silva, que você deixou de herança para sua criatura... e tudo isso parece uma história sem fim. E veja só quem o denunciou: um ex-militante do PCdoB de Orlando Silva e dono de duas ONGs voltadas ao esporte, o  PM João Dias. Este senhor se tornou um dos policiais mais ricos e temidos de Brasília. Possuidor de um arquivo com vídeos e papéis de conteúdo explosivo, o soldado enfrenta superiores, escapa de investigações e ainda indica apadrinhados para cargos no governo Agnelo Queiroz, governador do DF, do PT. Afirma também ter provas que demonstram tudo o que diz. Meu Deus! Até onde vai a corrupção neste país? Que país é este? Qualquer brasileiro sabe que há um contraste entre a imagem que se projeta lá fora e a realidade suja e mal cheirosa daqui de dentro. Estima-se que R$ 70 bilhões vão parar no ralo da corrupção aqui no Brasil. A corrupção está entranhada como uma metástase em todos os órgãos e instituições brasileiras; tornou-se sistêmica! Se o povo brasileiro teve sua renda aumentada nos últimos anos, imagine como poderia ser tão maior se a corrupção não levasse para um buraco negro tantos recursos que poderiam ser usados em seu benefício!  O fato é que a corrupção está completamente fora de controle. Não sei como a sociedade brasileira conseguiria impor um limite a isso porque, para piorar, existe a impunidade. Não há quem não seja tomado de um sentimento de impotência diante dessa avassaladora corrupção! Nada parece afetar os corruptos, absolutamente nada! Eles contam com as brechas e recursos que a lei permite para escapar das punições. É só ver o que está acontecendo com o mensalão. Quantos foram punidos até agora? Periga ainda serem absolvidos pelo Supremo. E pagamos impostos, cada vez mais impostos, nos sacrificamos enquanto eles nos roubam cada vez mais, como se o dinheiro público a eles pertencesse. Apoderaram-se do que pertence ao povo brasileiro, do que é nosso!  É certo que a corrupção não é nova no Brasil, mas incontestavelmente agora ela tomou proporções monstruosas, assustadoras! Que herança maldita deixada por Lula! Barbaridade!  Essa, a do laissez faire, da impunidade, a do vale tudo para manter-se surfando na popularidade. O povo mais sofrido que tanto agradece a Lula ignora que poderia estar muito, mas muito melhor, se tanta corrupção não tivesse estado no meio do caminho como pedras intransponíveis. Eis aí o resultado dessa moral elástica que vingou nessa era Lula, com sua falta de ética, sua indiferença pelos destinos do povo,  sua obsessiva e sôfrega necessidade de ser 'popular'. Mais um de seus ministros, deixados de herança para Dilma, é desmascarado pela mídia, mas faz caras e bocas de caluniado! Sempre mais do mesmo. Nem as desculpas mudam de estilo. "Eles não têm provas", brada fazendo eco com os demais já defenestrados. Claro, malandro dificilmente deixa provas. Malandro que é bom de malandragem, sabe roubar sem deixar impressões digitais. Mas sempre deixam indícios. Só que indícios não levam ninguém para a cadeia. Todos eles foram ministros de Lula da Silva, com os quais o alegre e pululante mandatário convivia numa paz celestial. Agora já é o quinto, sem contar aqueles que ainda não foram pegos com a boca na botija nem com o que saiu demonstrando absoluto desprezo com a criatura. Pensar que Lula teve tudo para ser um grande presidente e passar para a história como um herói. Mas não, preferiu o caminho dos que só se servem e querem levar vantagem e reparti-las com a corriola. Vida longa a você, Lula da Silva, para que possa assistir à sua derrocada moral e testemunhar a forma como irá passar para história: não como um presidente de origem humilde que chegou lá honradamente, mas como alguém que deixou um rastro sujo de corrupção. Só não consigo entender como há gente que ainda lhe rende 'homenagens' e paga pelas baboseiras ditas em suas 'palestras'.  Qualquer um é capaz de imaginar que tipo de 'palestras' são estas a portas fechadas. Vá de retro, Lula da Silva! Chega de sua nefasta influência junto ao povo mais pobre e junto àqueles que precisam acreditar num mito na falta de uma crença mais substanciosa, mais válida, realista e construtiva.

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

DESPREPARADOS

O país do futebol não está preparado para a realização de uma Copa do mundo. Essa é a triste realidade. Do modo que as coisas caminham, os benefícios para alguns Estados e times serão inegáveis, com reformas, ampliação e construção de novos estádios. Por outro lado, os custos são incalculáveis, já que nem o próprio governo sabe estimar esse valor. Incluam-se aí as despesas com os corruptos de sempre. Quanto ao prazo de conclusão das obras, é outro mistério. Será que vai dar tempo?

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

*

NINGUÉM SABE DE NADA

A análise de Luiz Antônio Próspero, Uma Copa do Mundo não é feita só de histórias de roubalheira e descasos, é um dos textos mais surrealistas que já li em qualquer jornal. Aliás, li e reli para ver se entendi corretamente a dita análise. ‘A coleção de pequenos testemunhos de gente que se deu muito bem com o evento nas seis Copas do Mundo’ que Próspero cobriu são pequenas “histórias de gente que se deu muito bem” e não eventos que trouxeram benefícios perenes para a toda uma população, como dizem e pretendem governo e interessados diretos aqui no Brasil. Próspero, meu caro, tudo indica que a Copa do Mundo no Brasil não será um evento próspero, muito pelo contrário. Com está claramente exposto na matéria da mesma página de Esportes (E4 e E5, domingo, 16 de outubro de 2011) ninguém sabe quanto irá custar a brincadeira, o que irá ficar pronto a tempo, se ficar pronto; enfim, ninguém sabe nada, e como você mesmo escreve, Próspero, “Vamos ter acesso às histórias de muita roubalheira e também de sucesso de extraordinário desde um simples vendedor de bandeiras até o fornecedor de alta tecnologia”. O sucesso extraordinário a que você se refere é individual ou de empresas, não macro, coletivo. Será um ganho extraordinário para poucos, no suor ou roubalheira (citada por você), mas não do povo brasileiro, do Brasil. Como “não podemos esquecer que a Fifa vai chegar aqui e levar o dela”, como você mesmo escreve, mui provavelmente o Brasil terminará o grande evento com menos dinheiro em caixa, portanto com seus graves problemas sociais e estruturais agravados. Mas terá sido dado o pão e circo. E concordo com as palavras que você termina sua análise: “É sempre assim”.

Arturo Alcorta  arturoalcorta@uol.com.br

São Paulo

*

GASTOS DA COPA

Desvio de dinheiro das obras da Copa é como assalto a cofre de Banco: ninguém saberá o valor roubado.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

A FALÁCIA DO MUNDIAL DE 2014

A manchete de 16/10 do Estadão, Brasil não sabe quanto custará a Copa, diz por diz dó a falácia que é a famigerada Copa do Mundo de Futebol. De fato, como salienta matéria no caderno de Esportes, quatro anos após ser confirmado como sede da Copa, tem muitas obras a serem realizadas e não tem uma pálida ideia de quanto custará aos cofres públicos. Quanto à Fifa, entidade particular que visa ter o maior lucro possível com o evento, tem a petulância de pressionar o governo a mudar a legislação do país para obter os lucros que acredita ter direito e o pior, nossos governantes aceitam, a começar pela presidente da República. Mudar a legislação das licitações, em um país onde a corrupção corre solta, devido ao fato que o governo anterior “o melhor de todos os tempos do país” chega a ser indecente. E o ministro do Esporte deverá responder agora à acusação de desvio de dinheiro público. E vende-se para a população a ideia de que a Copa vai contribuir para a melhoria da infraestrutura do País é um absurdo e um cinismo inadmissível. As verbas que os governos estão gastando para as construções dos estádios, seriam muito melhor aplicadas na saúde, na educação e na assistência social, sem contar a infraestrutura. Qual poderá ser o futuro dos estádios de Brasília e Manaus, entre outros? Eu não vejo nenhum. E o que vêm aplicando em infraestrutura deveriam ser aplicadas independentemente de Copa de Futebol, ou quaisquer outros torneios. Pelo contrário, em São Paulo o governo municipal abriu mão de R$ 420 milhões e o governo estadual destinou R$ 20 milhões, para a construção do Estádio de Itaquera. O governador acelerou a construção de um ramal elevado para o Metrô, para que ficasse pronto antes da Copa, ao contrário do que ocorre com as demais linhas que são subterrâneas. Inventou um novo Minhocão sobre bairros bem dotados de infraestrutura para atender o Estádio Morumbi, enquanto nas demais linhas os trens trafegam com superlotação. Na realidade a Copa interessa apenas à Fifa, à CBF e aos políticos mal intencionados dessa pobre Nação.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

BRASIL X FIFA

O enfrentamento Brasil–Fifa é fruto de um lado do estilo oba-oba do Lula que aceita patrocinar coisas desconhecendo as regras do jogo e do outro Joseph Blatter, conhecido fora das quatro linhas como o rei da maracutaia, também aceitando coisas sem se inteirar bem de suas possibilidades. Vamos ver se a presidente Dilma Rousseff, com seu estilo arrogante de professora primária, vai conseguir driblar esse problema que, como vemos, parece adentrar perigosamente para dentro das quatro linhas, pois, segundo o andar da carruagem, parece que não poderão ser estabelecidas nem com engenharia de Primeiro Mundo.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Rio de Janeiro

*

TORCEDOR DESRESPEITADO

Lamentável que no país que pretende sediar a próxima Copa do Mundo de futebol ainda haja desorganização e falta de respeito principalmente com os torcedores que adquirem seus ingressos numerados, através da internet. Para segurança e conforto, eu, que moro no interior, comprei meus ingressos (04) para o jogo entre São Paulo Futebol Clube e Internacional de Porto Alegre, na Arena Barueri, dia 12/10/2011, no cartão Visa, ingressos numerados (arquibancada amarela superior S4-E). Acontece que, ao passar pela catraca, a impressora não estava funcionando e mesmo com o meu pedido na mão não encontrei os meus assentos pois estavam já ocupados. Pergunto: Quem é o responsável pelo transtorno, o São Paulo F.C., mandante do jogo, a Arena Barueri ou o Cartão Visa? A confiabilidade, principalmente do Cartão Visa, fica questionável.

 

José B. P. Jesus jpompeuj@hotmail.com

Itapetininga

*

MAUSOLÉU

Roseana Sarney enviou proposta à Assembleia do Maranhão para que o governo desse Estado (ou seja, o povo maranhense) pague as contas da Fundação Sarney, que incluem a manutenção do túmulo onde o ex-presidente quer ser enterrado. Façamos um trato: marquem esse enterro para até o final de dezembro de 2011 que eu apoio a ideia de que o povo, não só do Maranhão, mas de todo o País, pague pela manutenção do mausoléu.

Anselmo Carlos Fiorini a.fiorini@ig.com.br

São Paulo

*

FUNDAÇÃO SARNEY

Como é que é? No Estado mais miserável da Federação, o povo ainda terá que arcar com as despesas dessa Fundação da Memória Republicana, caso seja estatizada a Fundação Sarney? A filha (governadora desse mesmo Estado, não é?) desse oligarca que mantém o Estado abaixo da dignidade, apesar das polpudas verbas do Fundo de Participação dos Estados, tem a cínica iniciativa de propor essa imoralidade? Essa Fundação é um amontoado de papéis, fotos e jornais que qualquer fósforo poderia fazer sumir, pois não valem nada! É o esgoto da história. Não, não! Melhor: que não se queime esse entulho, pois pode servir de prova material nos tribunais da história!

Augusto Francisco Paulo afpaulo@usp.br

São Paulo

*

SAFADEZA

Safado não tem pátria, não obedece a fronteira, não tem limites, não tem escrúpulo e existe em qualquer classe social. Os exemplos são muitos e diários. O caso das roupas hospitalares (lixo) advindas dos EUA é um exemplo de safadeza de americanos e brasileiros. Lucro fácil e poder são as vitaminas dos safados, de qualquer lugar do planeta.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

MADE IN USA

Os lençóis sépticos do hospital americano que foram vendidos por quilo na cidade pernambucana são insuficientes para encobrir a vergonha de ser brasileiro.

 

Jose Moacyr Brunhek moabek@hotmail.com

Santos

*

LIXO HOSPITALAR

A que ponto tão humilhante chegou, não só o Pernambuco, mas todo o Brasil e principalmente os governantes atuais de plantão! Ignorando ou abusando do perigo que significa o lixo hospitalar, a Polícia Federal encontrou no Porto de Suape (PE) grandes quantidades de lixo hospitalar vindo dos Estados Unidos comprados por comerciantes de Santa Cruz do Capibaribe, a 205 km do Recife, que fazem a reciclagem e revendem sem a menor preocupação do grande perigo que corre em adquirir doenças contagiosas desse material que vem até com as inscrições de hospitais americanos. E a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que a União gasta tanto dinheiro com a sua manutenção e não fiscaliza tais atos que significam grande perigo aos brasileiros? Será que essa desastrosa atitude impensada de importar o lixo hospitalar ocorre somente em Pernambuco?

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

UMA VERGONHA

Lixo de hospital americano é vendido no Nordeste? Podemos imaginar há quanto tempo? Aonde vai a criatividade de brasileiros crápulas? Viramos o lixão do mundo. E só pegaram esses containeres, claro, porque alguém não deve ter levado o seu quinhão. Uma coisa dessas deveria ter prisão perpétua, pois com toda dificuldade no Nordeste ainda têm gênios inventando uma maneira de faturar em cima do lixo dos outros. Isso é uma vergonha.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de janeiro

*

‘ELOGIO AO ÓBVIO’

Em casa onde falta pão, todos gritam e ninguém tem razão. O agrônomo ambientalista Xico Graziano (Elogio ao óbvio, 18/10, A2) tanto está certo como errado, "depende" como diz o ditado. A agressão ambiental é um fenômeno social humano, decorrente da urbanização do homem, começado no final da Idade Média. Tanto o capitalismo como a própria indústria e até mesmo a ciência como conhecemos hoje, foram frutos desse fenômeno social, todos serem amontoados em cidades, como as colméias das abelhas. A única diferença é que para as colmeias de abelhas, existem leis que se cumprem para a colmeia humana, não, e as que há mesmo ruins, não se cumprem. Que tal o Sr. Xico Graziano nos informar onde vai parar o lixo das colmeias das abelhas, seu esgoto etc. etc. Estaria contribuindo para os cientistas ambientalistas que berram nas reuniões da ONU, como fazer para resolver a questão. Falta ciência para tanto, mas falta muito mais moral e ética nas elites em geral. Está aí a solução que as religiões pregam há milênios, mas não serve ainda nem mesmo para suas igrejas. Moral e ética é o pão da sociedade humana, está em falta desde os faraós.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

PROJETO  DE  LEI

Atenção, nação brasileira: acabo de registrar na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais   uma sugestão  de projeto de lei envolvendo a área educacional. A minha sugestão propõe incluir quatro novas matérias ao programa curricular do ensino fundamental e ensino médio: Filosofia, Literatura, OSPE (Organização Social, Política e Econômica) e Educação Física. Explicando melhor, a Assembleia Legislativa mineira abriu um programa convocando a população a dar sugestões para projetos de leis. Coloco à disposição daqueles que quiserem conhecer o conteúdo completo da sugestão o meu e-mail para solicitação.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

RESIDÊNCIA MÉDICA

Concordo com muitos editoriais do Estadão, geralmente inteligentes. No presente caso (O governo e a residência médica, 17/10, A3), peço licença para discordar. Como paciente do SUS estou acostumado a ver as desgraças humanas que o deficiente atendimento à saúde pública tem apresentado, agravado durante o governo incompetente do PT e aliados. Há uma unanimidade na imprensa, e entre a população que tem planos de saúde privados, de que não deve haver aumento de tributos para a saúde. Se melhorada a administração pública e coibida a corrupção (nem uma criança de 5 anos acredita que isso seja possível com a Justiça que temos hoje, que se recusa a punir políticos e seus indicados notoriamente desonestos e bem relacionados), sobrariam recursos para investir mais na saúde. Ora, quando dois ministérios resolvem milagrosamente agir de comum acordo, o da saúde e o da educação, e resolvem que o médico que participar do programa de valorização profissional de atenção básica durante um ano terá como incentivo uma pontuação extra para ingressar numa residência médica, o Estadão é contra. Não deveria sê-lo porque faltam médicos (recém formado é médico também, ora essa!) nos hospitais públicos e há notória dificuldade para convencer esses profissionais a atender a quem precisa e frequentemente os ajudou com os tributos que paga a formá-los, principalmente nas localidades onde médico não gosta de ir. Acho que é uma alternativa inteligente para cooptar esses privilegiados profissionais que se dão ao luxo de escolher onde e quem querem atender. A imprensa deveria ser favorável.

Antonio do Vale adevale@uol.com.br

São Paulo

*

FALTA DE SEMANCOL

Quando o governo federal inventa alguma novidade, se compara ao Lampadinha, ajudante do professor Pardal (HQ). É um absurdo pretender levar médicos recém-formados para trabalhar em regiões carentes do País. Os alunos que aceitarem terão   bônus nos cursos de residência médica. Um recém-formado, com salários aviltantes não tem condições de trabalhar numa região carente sem as mínimas condições materiais. Somente depois da residência, já com formação médica completa esse programa poderia ter um resultado paliativo. O presidente do  Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), Renato Azevedo Júnior, chama o programa de ''mirabolante e inexequível''. Os Lampadinhas do governo ainda vão revigorar o sistema geocêntrico. Está faltando Semancol na praça.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

‘ROUBALHEIRA RECORDE’

Roubalheira recorde, o editorial do Estado de 16/10, relata a barbaridade de um País corrupto de nascimento em 1500, e  Lula institucionalizando a safadeza geral, junto com o do Czar da trapaça José Sarney. Brasileiros honestos não sabem o que fazer, o que pensar,será que a ditadura  era melhor? Nem  terroristas que mata  políticos, temos,  e, se o povo fosse de sangue quente  o Brasil seria melhor?

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

CORRUPTOS SEGUROS

Sob as bênçãos de Lula, implantou-se no Brasil a impunidade para pessoas "não comuns". Era o que faltava para que os marginais travestidos de políticos se sentissem seguros e a roubalheira batesse recordes (Estadão de 16/10, A3).

Nilson Otávio de Olveira noo@uol.com.br

São Paulo

*

O POVO QUER PAZ

Já  que estão  roubando  sem nenhum pudor e, rindo  da cara  do povo  e as  autoridades dos três  poderes  não punem  estes bandidos e recuperar  o que foi roubado, porque não  pedir aos militares que intervenham? Sabemos que uma intervenção militar gera muitos problemas legais mas, do jeito que está  não pode continuar.Estamos cansados de sermos feitos de trouxas. Nunca houve tanta  roubalheira como nos últimos tempos. Será  que o povo terá que pegar em armas  e derramar sangue? Não é isso que queremos para nosso país. Queremos paz, honestidade, progresso, educação, saúde, segurança , etc...

 

Everardo Miquelin everardo.miquelin@ig.com.br

São Paulo

*

REPÚBLICA DE CÍNICOS

O editorial do Estadão de domingo, Roubalheira recorde, traz uma ponderação sobre os roubos em série praticados junto aos cofres públicos por  marginais  travestidos de homens públicos que não se envergonham em assaltar os bolsos dos trabalhadores brasileiros. Triste e decepcionante é saber que a corrupção se alastra em todos os poderes, partidos, Estados e municípios. A falta de punição a esses bandidos, a facilidade que encontram para roubar sem serem incomodados é tão evidente que basta olhar os resultados das investigações. Os larápios enriquecem, gozam de prestigio e são protegidos pela lei, quando a lei deveria puni-los, pois todos têm nome e sobrenome e são facilmente identificáveis. Realmente está tudo errado. Um dia um cidadão roubou um pouquinho e ninguém reclamou, depois roubou mais e ninguém sentiu falta. Hoje se rouba a portas abertas e fica por isso mesmo. Nosso patrimônio está  sendo dilapidado e parece que ninguém se incomoda mesmo.  O cinismo tomou conta dessa republiqueta de bananas.

Izabel Avallone  izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

FRAUDES E MAIS FRAUDES

A "roubalheira" não tem fim, só no Estado do Amapá, os Três Poderes desviaram nos últimos dez anos apenas e tão somente R$ 1 bilhão (um bilhão de reais), dos cofres públicos. É de fazer "inveja" a outros Estados mais ricos, saber que até no Amapá temos uma "quadrilha" das boas, nada nos admira. Já ia esquecendo, por mais incrível que pareça, o senador do Estado do Amapá, é o nosso tetra presidente do Senado, José Sarney... Mera coincidência!

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

REFORMA POLÍTICA

Não posso ser contado entre os eleitores ou admiradores do nosso vice-presidente da República, Michel Temer, mas apreciei muito seu artigo propondo um plebiscito sobre a Reforma Política (Reforma Política e participação popular, A2). Numa época em que grande parte da população não se sente representada na Casa que deveria ser sua, a ideia de perguntar à sociedade o que ela deseja em termos de sistema político me parece ser o ideal. Será uma ótima oportunidade para a sociedade civil organizada impedir reformas que visem atender apenas os interesses pessoais de políticos e chefes partidários. Além de uma consulta realmente popular, uma mobilização neste sentido teria um cunho altamente educativo e, termos políticos. Não é uma proposta e tanto?

Alfredo dos Santos Junior alyar01@uol.com.br

São Paulo

*

CONSULTA

O vice-presidente Michel Temer propõe uma consulta popular para, na reforma política, saber se a população prefere financiamento publico ou privado nas campanhas eleitorais, voto distrital ou voto distrital misto, voto com lista aberta ou fechada etc.. Aproveito esta rara oportunidade para colaborar com a reforma política: proponho que se consulte o povo, já nas eleições municipais do próximo ano, se o povo é a favor de que os vereadores sejam remunerados em toda e qualquer cidade do País, ou se preferem que apenas as cidades maiores, com mais de 100 mil habitantes, possam pagar a seus edis. Os vereadores das cidades menores, esta é outra proposta, receberiam apenas um certificado de bons serviços prestados à Nação.

Euclides Rossignoli euros@ig.com.br

Itatinga

*

ENGANAÇÃO

Por mais claro que Michel Temer, vice-presidente do PMDB, tenha tentado ser claro em seu artigo no Estadão de 16/10, muito explica e pouco convence aos leitores do jornal sobre o assunto, imaginem a grande maioria da população que não lê e terá que se esforçar para entender as diferentes formas propostas para a tal reforma e que com certeza será manipulada pelos governistas interessados em se perpetuar no poder. Para ter validade a tal "consulta popular”, os instrumentos de elucidação aos cidadãos, sobre o tema, deverão ficar a cargo de uma empresa imparcial com finalidade unicamente didática, mostrando minuciosamente o que cada proposta da  reforma contém e quais as suas implicações, durante um espaço de tempo significativo. Da forma como o vice propõe, os partidos usarão o horário político para convencer os ouvintes como melhor lhes prover. A mais pura enganação.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

INTENÇÃO OCULTA

Deixa-me ver se eu entendi: o Sr. vice-presidente da República argumentando que o povo deve ser convidado a opinar sobre a reforma eleitoral no sistema político brasileiro? E desde quando esse senhor e seu partido (o PMDB) deram importância ao que o povo pensa? As pessoas de bem lamentam e, com certeza repudiam o que este senhor diz, porque decerto haverá aí alguma intenção oculta que em nada vai favorecer o povo e a democracia brasileira. Está aí a Lei da Ficha Limpa, que só foi votada depois de muita pressão. Assim mesmo, inseriram nela (os políticos, é claro) algo que nem passou pelo espírito e nem pelo projeto enviado ao Congresso pelos milhões que assinaram a iniciativa popular. Pobre Brasil!

Beatriz Coutinho bholica@hotmail.com

Cruzeiro

*

GREVE NO JUDICIÁRIO

Sobre o assunto greve no Poder Judiciário, li a manifestação do Dr. Mazzucco (15/10) e, se me permitem, gostaria de lhe acrescentar ao rol que, além dos 60 (sessenta) dias de férias pessoais dos senhores juízes temos ainda: (sou péssimo em matemática) ajudem-me a contar: 60 de férias; mais 30 de recesso (a lei autoriza 20 dias) mas, pelo princípio da colmatagem (um pouco para mais e nada para menos), acrescentam-se 5 dias antes e cinco dias depois do recesso; oito dias da semana da pátria; e igual número para semana santa; carnaval; finados; sábados e domingos; licença “unha encravada”; licença-estudo; “licença quinquênios” etc.etc. temos minguado o ano-judiciário para menos de 150 dias de trabalho, se tanto!? Quem diria que Rui, ao se referir aos Tribunais assim pressagiava: “Eu instituo este Tribunal venerando, severo, incorrutível, guarda vigilante desta terra através do sono de todos, e o anuncio aos cidadãos, para que assim seja de hoje pelo futuro adiante”. (Discurso de 23/4/1892). Pelo que se vê (quem diria!) os gênios também erram!

Antonio Bonival Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

SOBRANDO GENTE NOS CORREIOS

Bem, depois de 28 dias de greve houve anúncio de que os serviços seriam normalizados em “apenas” 10 dias. Alguma coisa está errada. Se for verdade, está sobrando funcionário nos Correios, pois em 10 dias fariam o trabalho de 38 dias (28 da greve + 10 do normal).

Altair Santana da Silva asantana@dsconsulting.com.br

Curitiba

*

CIDADÃO PALHAÇO

Quem deve ser remunerado pelos dias parados dos funcionários do correio, somos nós os cidadãos, que agora temos que nos virar para conseguir junto à uma série de serviços e de fornecedores, a 2ª. via de boletos ou o adiamento desta e daquela cobrança. Somos nós que graças à greve dos funcionários do correio, estamos perdendo horas nas filas de inúmeros bancos para pagar com os devidos acréscimos, as várias contas entregues com atraso. O engraçado, é que nós cidadãos brasileiros, estamos tão acostumados com tanta incompetência e tanta irresponsabilidade da administração pública, que podemos prever para um futuro próximo, uma mutação genética por aqui. A característica principal dessa nova raça será o aparecimento de uma protuberância esférica e vermelha na ponta do nariz de nossos recém-nascidos...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

NOVAS TAXAS

Aguardem em breve novas "taxas" a serem cobradas pelos bancos a todos seus correntistas. Com a finalidade de suprir o aumento salarial dado a seus funcionários, decidido junto ao Sindicato dos Bancários. Afinal alguém tem que pagar a conta, e como sempre sobra para a população, não é ? E nós dizemos em coro "amém".

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

OUTRO MANIFESTO

Em relação à propaganda Brasil com juros baixos, em que se uniram empresários (Fiesp,Ciesp), centrais sindicais (CUT, Força) e sindicatos dos metalúrgicos, fiquei surpresa, pois, como só agora "resolveram" se manifestar? Os juros não eram altos antes? Porque não o fizeram quando Lula estava lá? Ninguém é contra baixar os juros, mas antes disto, gostaria de ver juntos estes empresários e estas entidades lutando contra um inimigo de todos os brasileiros: a corrupção, esta sim, pior que juros altos e causadora de grandes estragos em todos os setores. Mudem o manifesto!

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

Sao Paulo

*

PLANOS BRESSER E VERÃO

Estranha e abruptamente,  a 4ª turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) votou a favor dos bancos, prejudicando milhões de pessoas que entraram na justiça tentando reaver as perdas dos planos Bresser e Verão. Essa decisão, que ignora até algumas jurisprudências, mostra a força do poder econômico em detrimento dos poupadores que viram seu rendimento prejudicado e ignorado. Espero que o Ministério Público Federal, a mídia e parlamentares que, teoricamente deveriam defender as causas do povo, intervenham nesta questão e façam justiça.

 

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo

*

ATÉ QUANDO?

Todos nós, poupadores lesados pelos Planos Econômicos de Sirney e Collor de Mello com processos até então em andamento da justiça e parados nas mãos de Dias Tófolli do STF por ordem de Lulla e Dilma para beneficiarem bancos estatais e privados, seus eternos patrocinadores de campanhas políticas, estamos esperando a mais de um ano que o STF se digne a dar o devido andamento em todos estes processos e faça com que os bancos nos devolvam o dinheiro que nos levaram ilegalmente. Até quando teremos que esperar pela "boa vontade" e tomada de posição honesta do STF?

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

O ‘IMPERIALISMO’ BRASILEIRO

Segundo reportagem do Estado, US$ 7,21 bilhões foram destinados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para diversos países da América Latina. Em grande parte, para construção de metrôs e renovação de frotas de ônibus urbanos (por exemplo, US$ 473,4 milhões para Santiago do Chile). Não obstante, muito ainda denunciam o imperialismo brasileiro. Porém, na hora de receber o precioso dinheirinho, a juros mais do que módicos, não insistem no "brasileiros, go home". E a maioria dos financiamentos é destinada a obras de que somos extremamente carentes, como as citadas.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

OS GRANDES NEGÓCIOS DE LULA

Temos visto nos jornais os "grandes negócios de Lula" para o Brasil.  Emprestou  via BNDES, mais de US$ 50 bilhões para países da América Latina, África, e Oriente, de preferência para os que são dirigidos por ditadores brutais, como Kadafi, Chávez, Ahmadinejad, e outras figuras inimigas da humanidade. As construções, evidentemente, ficam por conta de empresas brasileiras que colaboraram e continuam colaborando com o apedeuta, como a Odebrecht.   A Petrobrás entrou numa fria com a refinaria do Nordeste, onde já colocou 7 bilhões, o BNDES, 10 bilhões, e a Venezuela nenhum tostão, embora seja sócia. Há uma promessa do truculento ditador venezuelano de que até o fim do ano colocará seu 1 bilhão nesse negócio.  Dá para acreditar nesses bandidos? E Lula ainda pensa que é o chefão por aqui, deu ordens para todos os pré-candidatos do PT à Prefeitura de São Paulo que desistam dela até novembro e apoiem o seu predileto, o tal Fernando Haddad,  um péssimo ministro da Educação. Será que ainda, depois de sabermos quem é Lula, o PT e o lulopetismo, ainda teremos que engolir essa desprezível figura ?  Está mais do que na hora de reagirmos contra essa turma, o que estamos esperando?

 

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

DORMINDO NO EMPREGO

Nos dois últimos anos de seu desgoverno, o ex-presidente Lula distribuiu mais de R$ 61 bilhões do contribuinte brasileiro para 27 países, a maioria na America Latina, oito na África e  algumas das mais detestáveis ditaduras, como Líbia, Síria e Irã. Agora, pasmem! A maior parte dos recursos saiu do Brasil por meio de financiamento do BNDES para obras tocadas por empreiteiras favoritas do governo, sem autorização do Senado. Pergunto aos perplexos, indignados, surpresos e atônitos senadores: isso não é crime de lesa-pátria? o que vocês estão fazendo aí, dormindo? Vocês sabem para que serve um senador ou algum palhaço vai ter que explicar? Qual a" taxa de sucesso" desses empréstimos? Eduardo, Aloysio,Aécio, acordem e expliquem!

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

BNDES

Não há recursos para duplicar e tapar buracos nas BRs brasileiras – o que causa milhares de mortos por ano –, para  escolas, hospitais,  portos, presídios, aeroportos, Olimpíada, Copa, etc., mas o  Burla mandou o BNDES financiar obras em vários países, como se o dinheiro fosse dele e, não, nosso. Acho isso muito suspeito, porque, no governo mais corrupto, não haveria "algum agrado", como habitual,  onde impera a impunidade e não houve "faxinas", durante oito  anos embora não faltassem evidencias e noticias publicadas na mídia?

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

UM IMPOSTO NA CARNE (HORÁRIO DE VERÃO)

                                                                                                         

Não bastasse a sobrecarga de imposto que pesa sobre o bolso dos brasileiros (está ai o impostômetro registrando a carga tributária, cerca de R$ 1 trilhão em 7/10/11), o governo reserva o final do ano (a partir da 2ª quinzena de outubro) para impingir um outro, agora na própria carne da  população, testando a paciência,a subserviência e saúde, não de parcela mas de todos, inclusive crianças, idosos, enfermos e não enfermos. Ao se adiantar todos os relógios de uma hora, aqueles que não o fizerem no mínimo estarão perdendo suas conduções, chegando atrasados ou faltando em seus empregos, etc. etc. Transtornos inúmeros ocorrerão, exigindo nova hora para remédios, refeições, horários de repousos, inclusive noturnos, etc. Vê-se que a preocupação principal do governo é a financeira, não a saúde ou o bem estar dos seus governados, pois para economizar mixaria de energia (favorece apenas as empresas de eletricidade), o povão subserviente que se dane com mais essa imposição. Nessa ordem de idéias, se surgir outra maluca e semelhante como cortar a água, ou a luz, por uma hora, todos os dias ou noites, veríamos mais uma vez que “os administradores” não estariam nem um pouco interessados em trazer ou motivar satisfação para os seus administrados.Aliás, se pensassem em trazer “migalhas” de felicidade para os viventes das cidades e dos campos cogitariam de retirar impostos embutidos nos preços da gasolina, dos alimentos, etc., inclusive da própria energia elétrica (aquela “ajudazinha” compulsória e provisória havida para a construção das usinas, etc.). A sanha arrecadatória é tão grande que mentes cerebrinas cogitam de criar outro imposto para a saúde que alguém mui oportunista (a tempos atrás) surrupiou a idéia do imposto único para criar a odiosa e famigerada CPMF de  triste memória. Outra boa notícia para cidadãos e cidadãs seria a abolição senão do tributo ao menos da declaração do detestável imposto de renda. Esse pode ser considerado o mais escabroso dos impostos que azucrina o psíquico dos brasileiros com sua publicidade desde o começo de fevereiro a fins de abril (naturalmente colaborando para o incremento das clínicas psiquiátricas). O “gentil” governo já o recolhe na fonte (o descontando de todos os salários e operações financeiras) e faz questão de obrigar o pobre do governado sofrer ainda mais, recordando todas as misérias de que foi vítima, com declaração por escrito, Xerox dos documentos etc.

 

Roberto Corrêa rcorrea@mpcnet.com.br

Campinas

*

A CONTA DO HORÁRIO DE VERÃO

Considerando que, pelas informações do governo federal, o horário de verão economizará R$ 100 milhões; considerando que somos 190 milhões de brasileiros e que o famigerado horário durará quatro longos meses, a conclusão é que a economia será de R$ 0,50, menos de R$ 0,15 por mês,  por brasileiro. Vale a pena?

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

HORA DE VERÃO BAIANA

Com a hora de verão a partir deste ano (2011) na Bahia, Estado da Região Nordeste onde não vigora a hora de verão, criou-se uma situação bizarra entre Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), cidades-gêmeas, separadas pelo rio São Francisco, mas unidas pela ponte Presidente Dutra, de 800 m de extensão. Os habitantes desses municípios e de outros vizinhos, que fazem parte do pólo vinícola do Nordeste, e que cruzam frequentemente o rio, vão precisar usar dois relógios, um em cada pulso, para saber a hora legal dependendo de onde estejam…

Roldão Simas Filho rsimas@aos2.com.br

Brasília

*

LABOR SEM ROSTO

O sociólogo Ricardo Antunes demonstra ter memória curta na entrevista feita por Monica Manir (16/10), pois diz que "nenhuma empresa que se privatizou prestou melhor serviço a população e mais barato". Como assim , cara pálida? E as Telecomunicações? Esqueceu-se rápido como era no tempo da Telebrás?

Edgar Hamilton Duro  edgarduro@gmail.com

São Paulo

*

TROCA DE PRISIONEIROS

Israel faz e sempre fará de tudo para defender a vida dos seus cidadãos. Está na Torá, o livro sagrado dos judeus: quem salva uma vida, salva a humanidade. Uma vida não tem preço. Daí se entende, para muitos, esta “estranha matemática”. Seja bem-vindo à casa soldado israelense Gilad Shalit.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE

Se o governo de Israel, em troca da liberdade de um sargento, capturado e mantido em cativeiro por cinco anos, liberta 1.027 presos palestinos, entre os quais terroristas condenados pela justiça, no caso de outros militares israelenses, capturados e sacrificados cruelmente por grupos radicais islâmicos, o governo de Israel devia mandar executar 1.028 por cada um deles.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

VALOR

Os palestinos mesmos deram seu próprio valor, 1.000 por um, eu ficaria profundamente ofendido se me dissessem: 1.000 brasileiros em troca de 1 chileno, ou venezuelano, ou argentino, mas quem sou eu para medir o valor alheio. Nunca imaginei que o grupo Hamas desvalorizasse tanto seus compatriotas.

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

PELA TOLERÊNCIA, AQUI E LÁ

O caso desta senhora muçulmana que teria sido discriminada em um exame para carteira de motorista é certamente um caso isolado e mostra o quanto o Brasil, um país de bases cristãs, é um lugar bom de viver. No Afeganistão, ela possivelmente não conseguiria entra numa faculdade, nem mesmo aprender a ler e conhecer seus direitos. Na Arábia Saudita, não teria a necessidade de uma habilitação para dirigir, porque não poderia sequer sair as ruas desacompanhada de um homem da família, muito menos dirigir um automóvel. Agora vai acionar a justiça para que sirva de exemplo. Desejo sucesso, é assim que se faz em um país laico, onde há justiça e instituições sólidas. Enquanto isso no Egito, incendiar igrejas cristãs está virando esporte nacional, dentre outros abusos que são perpetrados sistematicamente em países de maioria muçulmana contra outras crenças e religiões. A comunidade islâmica no Brasil bem que poderia ajudar, informando seus irmãos naquelas terras sobre as vantagens da tolerância e do bom convívio entre os povos. Enquanto isso não ocorre, vamos redobrar esforços e preservar nosso país longe das trevas medievais e da intolerância. Que ela consiga na justiça a reparação e o exemplo que uma cristã nem sonharia em obter vivendo sob um regime teocrático.

Antonio Cavalcanti da Matta Ribeiro antoniodamatta@ig.com.br

Bragança Paulista

*

PICHAÇÃO NAZISTA

Absolutamente patética a pichação nazista na Emei do bairro do Limão (SP) (Estadão, 18/10, C4). Em sua neura pela "purificação racial", caso a Alemanha Nazista tivesse vencido a guerra, mataria todos os cidadãos não-alemães, fossem arianos ou não - o que seria a certidão de óbito mesmo para estes nazistas-tupiniquins, considerados escória pelo próprio regime de seu "adorado líder". Mas, graças aos Estados Unidos e ao Império Britânico, vencemos.  Cabe às autoridades abrir os olhos para o Nazismo e o Fascismo – cânceres sociais – e reforçar ainda mais o combate e a caça aos seguidores desta doutrina nefasta e doentia de superioridade; que é mito, pois somos todos iguais.

 

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

ÁFRICA NAS SALAS DE AULA

É muito bom que o Sabático dedique parte de seu espaço para noticiar a produção de material didático sobre o continente africano. Questionável é a postura dos jornalistas que com o desejo de estar sempre noticiando em primeira mão afirmam que até agora não havia nenhum material didático disponível sobre o assunto. Como autora premiada com o Jabuti de 2007 na categoria livro didático e paradidático com a obra África e Brasil africano, da editora Ática, que também foi distribuída pelas Secretarias Estaduais do Amazonas e Ceará em suas redes públicas além de integrar o Programa Nacional Biblioteca para a Escola para o Ensino Médio de 2008, protesto quanto à desinformação daqueles que deveriam estar disseminando informações corretas, pensando também em todos os autores e obras didáticas já produzidas sobre o assunto e disponíveis em livrarias, bibliotecas e versão digital. Estas, aliás, escritas por autores brasileiros e mais atuai s do que a coleção noticiada, sem dúvida muito importante, produzida na década de 1980.

Marina de Mello e Souza, professora de História da África da Universidade de São Paulo, coordenadora do Núcleo de Apoio à Pesquisa Brasil África marinamellos@uol.com.br

São Paulo

*

JOVENS DE 29 ANOS

Interessante. Aprovaram uma lei (federal, diga-se de passagem) onde o jovem estudante até 29 anos pague meia entrada em eventos artísticos e de entretenimento e lazer. Agora, se um jovem de 16, 17 anos cometer assassínio ou latrocínio, ele vai para a Fundação Casa com todo Estatuto do Adolescente debaixo do braço, até atingir a maioridade. Por que uma pessoa com quase 30 anos tem privilégio de um adolescente, e, o jovem não tem responsabilidade de um adulto?  Só no Brasil mesmo...

Rodolfo J. Fuciji fucijirepresentacao@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.