Fórum dos Leitores

NOVA LÍBIA

O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2011 | 03h05

Tarefa difícil

Não importam as explicações do governo de transição, o ditador Muamar Kadafi foi executado sem direito a julgamento e seu assassino, provavelmente, não será punido. Introduzir valores democráticos, morais e humanitários num povo que nunca os teve e mal sabe o que significam é tarefa longa, árdua e muito difícil.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Kadafi e direitos humanos

Quem gostou das cenas de espancamento do criminoso Kadafi ou achou que ele "teve o que mereceu" é porque não ama a ciência do Direito. Um processo penal com regras e punições previamente estabelecidas, defesa técnica, contraditório e prazos é direito de cada ser humano, por mais que reúna a essência do que há de pior entre seus pares. Cesare Beccaria tratou do assunto há mais de dois séculos e até hoje muitos não entenderam. A questão não se refere aos "direitos humanos", expressão com carga pejorativa e criticada pelos leigos, mas a um simples direito essencial do ser humano, até do que não concorda com nada disso.

GUSTAVO RENE NICOLAU

gustavo@usp.br

Barueri

Vitória de quem?

Qual não foi minha surpresa ao ler o comentário de dois patriotas americanos afirmando, com tranquila desfaçatez, que a morte do ditador líbio "foi uma vitória de Obama"! Fiquei com a impressão de viver em outro planeta, onde o noticiário internacional divulga há meses notícias sobre a enérgica ação francesa e britânica naquele país, à frente das forças da Otan. Ação decisiva para o encaminhamento de uma solução (que a barbárie local denegriu). A pálida intervenção americana e seu silêncio envergonhado talvez se expliquem pelo comprometimento intestino com o ditador agora desaparecido, revelado com discrição e muito pouco comentado entre nós.

MARLY N. PERES

lexis@uol.com.br

São Paulo

Em nome da 'liberdade'

Finalmente o poder ocidental alcançou seu objetivo. Sem envolver seus próprios soldados em outra guerra, subjugou mais uma nação, cujo pecado, mais que seu governo ser uma ditadura, era ser nacionalista. A potência ocidental ordenou a seus satélites fazerem o serviço sujo, que se vendeu como limpo e justo por ter a finalidade de instaurar a democracia. Democracia que fará da Líbia um novo dependente e fornecedor dócil de petróleo e demais necessidades ocidentais. Antes o povo líbio servia a um ditador nacionalista, agora servirá aos poderes multinacionais democráticos. Tudo em nome da "liberdade".

OTTFRIED KELBERT

okelbert@terra.com.br

Capão Bonito

Cuidado

Assim caminha a humanidade... Um após outro, lá se vão os ditadores e demais traidores de sua pátria e seu povo. Que se cuidem os que pensam em um dia poder exercer o instinto animalesco que guardam dentro de si.

L. DUTRA

l.dutradvogado@uol.com.br

Avaré

*

CORRUPÇÃO

O engano da presidente

A corrupção chegou a tal ponto na política, sobretudo na esfera federal, que a presidente é obrigada a fingir-se de juíza. Em cada caso de ministros e altos funcionários envolvidos em atos suspeitos, sejam dele próprio, de sua família e/ou de seu partido, a alta mandatária procede a um julgamento que culminará na demissão ou não do envolvido. Com isso a presidente julga ter realizado um ato político perfeito e dado satisfação à sociedade. Ledo engano. A leitura que se faz dessas "reuniões" com os implicados em eventuais desvios é a de que se busca pretexto para a convivência criminosa dentro do governo. Nem a imprensa nem o povo acreditam em outra coisa.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Raposas x galinhas

No Brasil, as galinhas auditam as contas das raposas e estas, quando querem provar que são honestas, dizem de forma enfática que suas contas foram auditadas pelas galinhas... Quem tem o direito de questionar isso?

CARLOS JOSE BENATTI

cjbenatti@globo.com

São Paulo

*

PRECATÓRIOS

Justiça não paga

Em 25/5 a Procuradoria-Geral do Estado depositou no Tribunal de Justiça a importância a que tenho direito referente ao precatório n.º 80-2000, originário do processo 683-1989, que demorou 22 anos. Já faz cinco meses que esse valor está de posse da Justiça, que não salda o débito. Quando questiono meu advogado, a resposta é sempre a mesma: "A liberação depende da boa vontade do juiz". Nossa Justiça ainda não está aparelhada para agir com mais rapidez? Terei de esperar mais 22 anos? Já estou com 72!

JOSE MASCHIETTO SOBRINHO

jmaschiettosobrinho@gmail.com

São Paulo

Marisco

Aproveitando a oportunidade da missiva do leitor sr. Corinto Luis Ribeiro (15/10) - que espera esclarecimento, "por quem tiver a responsabilidade", sobre como funcionam as listas dos precatórios alimentares -, também sou portador de doença grave (câncer) e, portanto, tenho prioridade no recebimento. Para isso tive de juntar vários documentos, e não preciso provar que estou vivo, pois todos os anos tenho de fazer declaração de vida. Mas o tempo passa e até agora não recebi o que é meu de direito, tampouco conseguem dar-me uma satisfação, objetiva e clara, de quanto tempo terei de aguardar. Nós, aposentados e pensionistas da Prefeitura, não temos direito, na visão do prefeito, a reajuste nem paridade com os funcionários da ativa. Nossos proventos estão congelados há mais de dez anos, pois os reajustes são feitos por categoria. Exemplo: prefeito, secretários, vereadores, médicos, guardas metropolitanos. Os coveiros e os operacionais não tiveram reajuste. Finalmente, conforme a PEC do Calote, estou sujeito a uma negociação unilateral imposta pela Prefeitura, aguardando a vontade do Executivo, pois o Judiciário vem a reboque dele. Estou entre as ondas e o rochedo, sou um marisco. O atual alcaide fundou um partido, mas afundou a vida dos funcionários.

SEVERINO NEVES BATISTA FILHO

bat.filho@hotmail.com

São Paulo

*

A REALIDADE DOS JUROS

Banco Central corta meio ponto porcentual na taxa Selic para amenizar os efeitos gerados por ambiente global mais restritivo. Leia-se: “para amenizar os efeitos da p... recessão que vem por ai...”

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

AOS PINÓQUIOS DO PT

A Argentina, até agosto deste ano vem num ritmo espetacular de 9,1% de crescimento de seu Produto Interno Bruto (PIB). E o Brasil neste ano crescerá algo próximo de 3,3%... Nesta era petista, mesmo que em boa parte deste período, foi possível usufruir a bonança da economia mundial, a média de crescimento até 2011, será de pouco menos de 4% ao ano.  Medíocre! Mas a propaganda petista de que o País está uma maravilha é monumental (mentira).  Se verdade fosse as estradas estariam perfeitas, assim como os portos, aeroportos, ferrovias, etc. E educação em alto nível, e a saúde não no caos que se encontra. É bom lembrar, que FHC, no início de seu governo em 1995, recebeu o porte de uma carga tributária de 29,46%.  Entregou a faixa presidencial ao Lula, em 2003 com carga tributária de 31,86%!  E o Luis Inácio, infelizmente elevando impostos em 13% chegou a 36%. Ou seja, jamais vista na história deste País, tamanha afanação no bolso do contribuinte. E o da Argentina, é bom que o leitor saiba, há muito não ultrapassa a 25% a cobrança de impostos. Por esta razão que dificilmente a nossa Nação, crescerá em ritmo portenho e tampouco chinês... Agora, a corrupção nesta era petista bateu todos os recordes...  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

NOVAS FÓRMULAS

A presidente Dilma Rousseff diz que quer "novas formulações" para superar os desafios do cenário econômico mundial. Não seria muito mais interessante e apropriado ela fazer este pedido para conseguir superar a crise política brasileira "corrupta", atolada na lama até o pescoço? Com certeza, se tivesse coragem suficiente para assumir e limpar essa "corja" que nós cerca, teríamos dinheiro sobrando o suficiente para suportar qualquer crise.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

DILMA CONSELHEIRA

A presidente defende políticas econômicas não mais presas a "velhos paradigmas", e recomendou aos países desenvolvidos o incentivo do governo ao consumo e ao desenvolvimento. Por "velhos paradigmas" entendemos o velho "não gastar mais do que se arrecada". Os europeus e americanos sabem que chegaram aonde chegaram fazendo a lição de casa, e não na base de políticas populistas de curto prazo. Por isso, simplesmente ignorarão os conselhos da professora Dilma. Já nós, brasileiros...

Marcelo Guterman margutbr@gmail.com

São Paulo

*

MÁGICA NÃO EXISTE

O aumento do endividamento e da inadimplência dos consumidores, conforme noticiado pelo Estado (20/10), era previsível. A farra do crédito irresponsável iria mesmo cobrar seu preço! Só fechou os olhos para isso quem tinha algum interesse em incensar um governo populista ou quem não entende nada de Economia. Os pobres consumidores, mal informados e mal formados, acreditaram que haviam chegado ao céu e agora conhecerão o inferno. Pior: serão deixados sozinhos nele. Quem mandou acreditar em mágica?

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

PESOS E MEDIDAS

Há  coisas que não conseguimos entender . Como é possível em um país como o nosso, onde se pagam tantos  tributos, a  saúde, segurança pública e educação estarem na situação que se encontram? Eu pressuponho que por haver tanta corrupção onde em muitos casos, políticos do alto escalão quando  pego com a mão na botija assaltando os cofres da União, muitos recebem como castigo  o retorno ao cargo de ministros com  salário que beira   R$ 30 mil ,alem e claro de outras mordomias. Enquanto isso ocorre, mais de 18 milhões de pessoas que trabalharam a vida toda para o engrandecimento da pátria amada ,está condenado a receber uma mísera para sobreviver,e ainda são obrigados a ouvir dizer que este é um país de todos.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

SAÚDE

Pergunta: se a saúde no Brasil vai tão bem, por que a Dilma, o Sarney, o Temer e centenas de outros políticos vão se tratar no Sírio Libanês, Einstein, Beneficência Portuguesa, etc.? Que sejam internados e tratados em hospitais públicos de Brasília, ou de seus estados de origem. O mesmo vale para os governantes estaduais: porque a Roseana Sarney vem se tratar em São Paulo? Que fique no Maranhão, sendo tratada nos mesmos hospitais e da mesma maneira que seus conterrâneos. Aliás, isto deveria ser lei: todos os senadores, deputados federais, estaduais, vereadores, governadores, prefeitos, deveriam se internar somente em hospitais públicos localizados em suas cidades e estados de origem.

Geraldo Roberto Banaskiwitz geraldo.banas@gmail.com

São Bento do Sapucaí

*

SEM DIFERENÇA

Não existe mais tanta diferença entre o Sistema Único de Saúde (SUS) e os planos de saúde. Para possibilitar custos decentes para os titulares e dependentes, os planos de saúde só se interessam por acobertar atletas. Assim como as seguradoras que só querem segurar a vida de menores de 18 anos, nessas mesmas condições. Pior é que você fica vários meses sem utilizar o plano e não tem nada restituído. Mas se for se consultar ou fizer exames, já paga um percentual. Dois pesos diferentes. Então, basta ter um pouco de paciência que o SUS pode resolver sua situação, sem custo algum. Oferecendo, ainda, o transporte de forma gratuita. Claro que o SUS ainda precisa de muitos avanços, mas atualmente não difere muito dos planos.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

*

O SANEAMENTO DO PAÍS PELO RALO

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) diz que mais da metade doa lares brasileiros não tem acesso à rede de esgoto. Quer dizer: saneamento básico, água tratada, tratamento de esgoto para não lançamento de resíduos em rios, etc., nada disso mais da metade dos brasileiros tem. No entanto, o Ministério do Esporte tem verba para distribuir para ONGs irregulares e que estavam sob suspeita, distribui dinheiro para ONGs de partidários do PC do B por todo o Brasil, chegando ao cúmulo de dar R$ 10 milhões de reais à uma fábrica de jogos de damas e de xadrez no interior da Bahia e de dar R$ 28 milhões para ONGs de uma vereadora e ex-jogadora de basquete no interior de São Paulo que não comprova a utilização deste dinheiro. Se houvesse uma administração eficiente no governo federal, esse tipo de absurdo não aconteceria. Portanto estamos nas mãos de incompetentes e de mal intencionados que não tem a menor vergonha de colocar os mais necessitados, que eles dizem proteger, em situação de risco de saúde. Eis aí um grande exemplo do que é o Brasil de hoje.

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

LAMENTO

A presidente Dilma lamentou a morte do ex-presidente da Líbia Muamar Kadafi. Eu também! Queria vê-lo preso, condenado a prisão perpétua nas mesmas condições em que deixou todos os prisioneiros políticos na Líbia durante seus 40 anos de ditadura. Com certeza teria tempo suficiente para pensar no estilo de vida que levou e como poderia ter sido diferente. Toda a pobreza que ele condenou seu país nesses longos anos, da corrupção de seus pares, porque assim com certeza quando morresse poderia estar tranqüilo e arrependido. Realmente agora não dá mais e todos aqueles que perderam seus entes queridos, mortos pela sandice desse déspota não se sentirão vingados. Não tiveram chance da anistia da dor. Espero que esse tenha sido o lamento pela morte de Kadafi manifestado pela presidente Dilma!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

O PRIMEIRO DA FILA

Mataram Muamar Kadafi, o primeiro dos muitos amigos de Luiz Inácio Lula da Silva. Na fila de espera encontram-se Bashar Assad, da Síria, Hosni Mubarak, ex do Egito, Mahmoud Ahmadinejad, do Irã, e Teodoro Obiang Neguema Mbasogo, da Guiné Equatorial. Como se vê, no mais tardar, até o fim do ano o "cara" terá muitos velórios e funerais para cumprir. Isso para não falar do nosso vizinho do norte que já está com um pé na cova. Eu, sendo a dona Dilma, daria licença remunerada para o grande Celso Amorim acompanhar o apedeuta nas ezéquias, só não emprestaria o "Aerolula". Enquanto isso, nas terras tupiniquins, José Genoino, atual assessor do Ministério da Defesa, assumiria a pasta para o bem de todos e felicidade geral da nação.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 

São Paulo

*

PAUSA PARA A ALMA DO TIRANO

Deixemos que a corte do ''Tinhoso'' receba o tirano líbio com todas as pompas e circunstâncias que o cheiro de enxofre e o calor do fogo infernal possam lhe proporcionar. Falemos da nossa surreal ''Comissão Nacional da Verdade, irmã siamesa da Comissão de Anistia.Esta, segundo afirmação de seu presidente Paulo Abrão, as indenizações dos anistiados e pensionistas não serão aceitas por serem ''exorbitantes e fugirem à realidade brasileira e o princípio da razoabilidade.Somente em dois casos, o dos aposentados das pensionistas (viúvas dos anistiados) em número de 129, a Comissão conseguiu uma economia de R$1,9 milhão mensal, sem considerar outras categorias que de uma forma ou de outra estão se beneficiando do fato de não conseguirem cubanizar o Brasil.O que pretende a Comissão Nacional da Verdade? Criar novos anistiados e pensionistas, polpudas indenizações,rever somente a ação do governo ou também a da guerrilha oponente ? ''A verdade é às vezes mais inverossímel que a ficção'' (Camilo Castelo Branco).

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

ALERTA CONTRA A CENSURA

Sobre o primoroso editorial Alerta contra a Censura, no Estadão de 20/10/2011, sou obrigado a discordar que o Brasil vive um período de "relativa tranquilidade em relação à liberdade de imprensa". Enquanto os petistas estiverem no poder, essa liberdade e a dos demais meios de comunicação sempre estarão ameaçadas. Devemos manter atenção redobrada.

Paulo Ribeiro de Carvalho Jr. paulorcc@uol.com.br

São Paulo

*

REFINO

Melhor que"democratizar" a mídia seria "honestizar" nossos políticos.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

POR QUE NÃO SE DISCUTE?

Em algum momento da história, algum imbecil disse: "Política, Religião e Futebol não se discute." Isso foi a melhor coisa que aconteceu para os políticos corruptos e para os religiosos que exploram os ignorantes. Formou-se uma massa de alienados. Política, Religião e Futebol são justamente as 3 áreas onde o povo é mais explorado. Porque será?

Corintho Junior corintho.junior@meuguia.com

São Paulo

*

NOVO PREFEITO DE CAMPINAS

Porque Serafim (PDT) se emocionou tanto durante a posse na Prefeitura?  Chegou até a dizer: “É com tristeza que passo ao Thiago o cargo de presidente da Câmara dos Vereadores de Campinas. Assumo o cargo de prefeito sem motivos para comemorar, mas cumprirei a minha obrigação”. Até onde fiquei sabendo tanto o Dr. Hélio de Oliveira Santos (PDT) e sua esposa, como Demétrio Vilagra (PT) que o sucedeu...não deixaram um bom lastro de suas passagens pela prefeitura de Campinas por motivos que o povo campineiro está farto de saber. Afinal, é tanta afinidade assim com os ex-prefeitos defenestrados que até macula de tristeza a sua subida ao cargo?... Já dá para ficar com uma pulga atrás das duas orelhas. Porque Campinas parece estar no inferno astral de seu zodíaco...que mais falta acontecer?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

POCHMANN

Se a estratégia do Sr. Luis Inácio é emplacar um candidato com perfil anticorrupção em Campinas, esse candidato, para não se mostrar estupidamente alienado em relação ao que aconteceu no Brasil nos últimos dez anos, vai ter que ser também anti Lula e anti Zé Dirceu. Caso contrário, a candidatura estará comprometida por um insanável vício de origem. Será que o Sr. Marcio Pochmann topa essa empreitada?

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com

Campinas

*

A IMPORTAÇÃO DO LIXO HOSPITALAR

 

Os lençóis, fronhas, travesseiros e outros materiais utilizados em hospitais podem e devem ser reciclados em lavanderias e esterilizadores para a reutilização no próprio estabelecimento ou descartados de forma segura e eficiente. Mas jamais comercializados a terceiros ou “exportados”. O que ocorreu no Nordeste foi uma afronta e nós, os brasileiros, não podemos nos calar. Além da ação rigorosa das autoridades locais em relação aos que importaram esse material impróprio, há que se esperar comportamento idêntico do governo e das autoridades norte-americanas quanto aos responsáveis pela comercialização e embarque do material. Quem vende lixo hospitalar também poderá vender rejeitos radioativos e uma série de outros “lixos” que fazem mal à saúde da população. E se o fazem para o Brasil, um país com certa estrutura, legislação e base científica para rejeitar esses produtos, com toda certeza, também devem estar direcionando o material criminoso aos países extremamente pobres e subdesenvolvidos, numa ação desumana que merece todas as reprimendas. O reaproveitamento do lixo hospitalar é um grave problema de saúde pública e um crime contra a humanidade. Esse procedimento pode promover o alastramento de moléstias que a ciência se esforça para combater. O mínimo que os responsáveis por essa prática podem merecer é a cadeia. E as instituições que não monitoram adequadamente a destinação de seus rejeitos têm de responder pelos danos causados por sua incúria e assumir os custos da reparação...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

TODDYNHO

Na sexta-feira foi publicada uma nota da PEPSICO que me causou indignação, então resolvi escrever para o jornal. Quando acontece um erro num produto alimentício, consiste num ato grave que deve ser amplamente discutido e corrigido. Quando se comete um erro grave num produto alimentício voltado para crianças. É inadmissível. Se a PEPSICO deixasse isso acontecer num país civilizado, estaria tendo que pagar indenizações astronômicas e correria o risco da marca Toddynho ser banida do mercado. Gostaria que, se é que existe, o (ir)responsável pela qualidade, tomasse todos os Toddynhos envenenados que foram distribuídos para as crianças. É no mínimo vergonhoso o que aconteceu, e fiquei indignado com a nota no jornal de hoje “agradecendo a todas as manifestações de apoio”, que na verdade consiste numa pequena tentativa publicitária, fora de propósito e de hora, de tentar mostrar a todos que – “embora nós quase envenenamos algumas crianças, muitos nos apóiam...” Quem apoiar vocês é mais irresponsável que vocês. Natural que minha família não se utiliza mais de nenhum produto da marca PEPSICO. Vergonhoso.

Alexandre Davide Miller alexandre@millerambiental.com.br

São Paulo

 

*

ACORDO SECOVI X MINISTÉRIO PÚBLICO

O acordo assinado entre o Secovi e o Ministério Público paulista inclui também a Bancoop – Cooperativa Habitacional dos Bancários, ligada à CUT e ao Partido dos Trabalhadores, que há anos não entrega os imóveis de seus cooperados?

 

Mario Napolitano marionapolitano@r7.com

São Paulo

*

PERÍODO DE ENCHENTES

Brasileiros e, principalmente, paulistanos, cuidem-se, a época das enchentes estão aproximando e as prevenções contra inundações estão como antes: nem a previsão orçamentária feita pelo atual prefeito, Gilberto Kassab, R$1,5 bilhão foi usado. Ainda bem, porque desde 1950 as inundações estão cada vez mais agressivas, além de mortes, com muitas vítimas perdendo seus bens móveis e imóveis. E, incrivelmente, com um festival de gastança bilionário inúteis, desde 1950 até hoje; e qual foi a solução encontrada pelos governadores e prefeitos responsáveis por essa tragédia revivida anualmente? Quando será que o governador e prefeito terão a responsabilidade de apresentarem um plano viável contra as enchentes como uma solução definitiva semelhante à feita na cidade de Tókio?

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

HÁ UM SÉCULO

Diante da triste realidade brasileira, o Estadão comenta as enchentes e seus efeitos há um século (19/10/1911) e Tutty Vasques (19/10/2011) antecipa as desculpas que serão apresentadas ao começarem o ciclo dos problemas em 2011, século atual,  decorrentes da incompetência de nossos administradores públicos.

 

Ilmar Mello de Carvalho ilmarcarvalho@gmail.com

São Paulo

*

O ÁLCOOL E O CÓDIGO PENAL

O caderno Metrópole de 18/10 do Estadão publicou notícia auspiciosa em que juristas renomados e membros da Comissão de Reforma Penal declararam a intenção de propor penas mais rigorosas para os malfeitores, embriagados ou não, que de posse de seus veículos andam atropelando e matando pessoas e normalmente se livram da prisão ou no máximo pagam sexta básica. Suas vítimas, quando não morrem, têm as suas vidas totalmente comprometidas como ocorre com o casal atropelado por um facínora, devido aos ferimentos decorrentes. Curiosamente a mãe do motorista, em entrevista publicada na mesma página, procura defender seu filho, pintando um quadro de um rapaz trabalhador e não dado a bebidas, Afirma que seu filho não é um monstro e que não fez de propósito. Mas de certa maneira fez sim, ao dirigir alcoolizado e sem ter carteira de habilitação e provavelmente não recebeu uma educação adequada para não fazer o que lhe é proibido por lei.  As mudanças no Código Penal são urgentes e deve aumentar as penas de prisão para muitos crimes, que hoje estão longe de ser proporcionais ao ato praticado. Os corruptos que se apropriam do dinheiro público deveriam ser enquadrados como crimes hediondos, pois em um país que as verbas sempre são insuficientes, no limite, a quantia roubada vai fazer falta na Saúde e algum cidadão vai pagar caro por isso, devido o atendimento precário nos hospitais públicos. E não apresentem como justificativa o fato de não haver prisões suficientes para tantos ladrões. Em São Paulo, por exemplo, existe um número enorme de prédios públicos abandonados e que poderiam ser transformados, com algumas adaptações, em prisões para os criminosos de baixa periculosidade e que estariam cientes que se dali se evadissem, ao ser recapturados, iriam direto para uma prisão comum. E deveriam, enquanto ali permanecessem prestar serviços para o Estado para pagarem o seu sustento. Chega de moleza para os criminosos de colarinho branco ou não.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

BAFÔMETRO A DISTÂNCIA

Num caso de acidente de trânsito, os motoristas responsáveis que fazem questão de se submeter ao teste do bafômetro para provar que não estão alcoolizados, incriminam, direta e inexoravelmente, aqueles que se recusam fazer o teste, mesmo amparados pela lei.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

DIREÇÃO, ÁLCOOL E IRRESPONSABILIDADE

Essa combinação tem feito das ruas de São Paulo um tormento para as autoridades de trânsito. São diárias as noticias de pessoas sendo pegas dirigindo embriagadas e às vezes sem a carteira de habilitação atropelando e matando pessoas por pura irresponsabilidade. Motorista invade a calçada em frente ao shopping, atropela e mata mãe e filha. Administrador de empresas é atingido na calçada por um jipe blindado. A condutora do veículo estava embriagada, sem habilitação e em velocidade incompatível á via. Esses são apenas dois exemplos dos muitos casos que ocorrem todos os dias e comprovam que álcool e direção são combinação mortal. Quem bebe sempre acha que está em condições de dirigir. Ao assumir o volante alcoolizado, o motorista tem plena noção que seus reflexos estão alterados e que, pode sim, provocar um acidente, muitas vezes fatal, até por saber da impunidade continua praticando o delito. Porém, o número de casos envolvendo álcool e direção vem crescendo assustadoramente, o que mostra que, apesar das várias legislações sobre o tema, há impunidade. Esse tipo de delito é grave e deve ser considerado, em casos de morte, como homicídio doloso, quando há intenção de matar. Radicalismo? Pode até ser, mas o motorista sabe das possíveis conseqüências e assume esse risco ao dirigir bêbado, às vezes drogado e falando ao celular deve ser punido com rigor. Em São Paulo, cerca de 150 pessoas se reuniram para protestar contra a impunidade e violência no trânsito que tem tirado a vida de jovens e pais de família. O grupo aproveitou para lançar campanha de coleta de assinaturas para apresentar ao congresso o projeto de lei que aumenta punições para quem bebe e dirige. Certo é que andar pela calçada virou situação de risco eminente de morte. Cabe a nós pais mudarmos essa realidade, educando melhor nossos filhos sobre a lei de trânsito e ao vicio da bebida alcoólica e os males que ela traz para o organismo se beber em excesso, principalmente se é um condutor de um veículo.    

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

CADEIA

Socorro, deputados! Socorro, senadores! Temos de mudar a lei penal. Se qualquer pessoa dirigindo embriagada matar ou ferir gravemente cidadãos inocentes, deverá ir imediatamente para a cadeia e lá ficar por pelo menos dois anos, sem direito a fiança ou liberdade provisória. Precisava morrer algum filho de político importante para que criem vergonha na cara e cesse este impunidade. Quem quiser beber, que não dirija veículos. Quem violar esta norma deverá pagar o crime sempre com cadeia, além, é claro, da indenização à família da vítima. Pelo amor de Deus! Tem alguém que preste aí no Congresso Nacional para acabar com esta lei aberrante que permite as pessoas matarem inocentes no trânsito e ficar por isso mesmo?

José Carlos Farina josecarlosfarina@yahoo.com.br

Rolândia (PR)

*

PREVENÇÃO

O Brasil passou a ser o terceiro país do mundo em mortes no trânsito (40 mil/ano) devido ao alcoolismo, sem contar as que sofrem acidentes e ficaram paraplégicas ou incapacitadas. Claro que a vida não tem preço, mas o custo desta irresponsabilidade poderia ser direcionado a milhares de problemas que nosso sistema de saúde apresenta. Muito se fala em “prevenção de acidentes” e, em cima disso, atitudes deveriam ser tomadas na tentativa de reduzirmos os números acima. Estatísticas mostram que os jovens começam hoje, a beber e a fumar, bem mais cedo. É nossa responsabilidade mudar este quadro atual, claro, para melhor. Por que não começarmos pela cerveja? Seu alto consumo a torna, talvez, a campeã em mortes. Diminuindo gradativamente seu teor alcoólico (1% ao ano) até zerar ou e forma mais drástica, de uma única vez. Este procedimento, deveria ser aplicado paralelamente a outras bebidas alcoólicas, como também direcionar medidas contra o fumo, diminuindo as químicas neles existentes, outra droga que causa milhares de mortes em todo o mundo. Talvez haja uma chiadeira geral, mais tais providências seriam bem menos dolorosas, de vermos nossos filhos e netos causando mortes ou morrendo em acidentes.

Newton A. Prado newtonaprado@gmail.com

Americana

*

MAIS UMA FALÁCIA?

Soube que existe um projeto para endurecer a lei de trânsito no que se refere a motoristas que provocam acidentes com vítimas fatais, principalmente se eles estiverem sob efeito do uso de bebidas alcoólicas. Não será mais uma falácia do legislativo apenas para satisfazer o clamor popular diante dos cada vez mais frequentes acidentes com mortes? Porque a Lei Seca já existe, mas tão cheia de brechas que deixou de funcionar nem bem foi aprovada. E esta ainda teve um reforço deletério através da lei 12.403 sancionada em maio deste ano por Dilma Rousseff  e aprovada tão somente para esvaziar as prisões de seus ocupantes e impedir novos hóspedes indesejáveis, visto que a superpopulação carcerária é um ponto negativo perante a ONU, e a construção de novos presídios...não dá votos em eleições. A impunidade é que está incentivando estes irresponsáveis no volante a cometer acidentes com vítimas fatais, visto que nada lhes acontece.  Porém, a impunidade está minando toda a nossa sociedade em seus diversos setores, e não só na questão do trânsito. Os exemplos de impunidade legalizada e oficial a gente assiste quase diariamente, principalmente entre os políticos.  Este fato devemos creditar ao Legislativo e também ao Executivo que , não só endossa mas também direciona ao Congresso para votação os projetos de lei de seu agrado...todos estes políticos eleitos pelo povo...este povo pouco consciente do valor de seu voto e que escolhe tão mal entre os diferentes candidatos a cada nova eleição. Do jeito que a coisa vai... acabaremos por despencar do "abismo" pois pouco falta para o caos social.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

LEI SECA

Mesmo sendo totalmente politicamente incorreto, achei demais o que disse um rapaz na reportagem sobre a desobediência à lei seca, ele diz: "Ora, se for pego ou sofrer um acidente, tenho airbag em meu carro, o "carinha" da Ferrari, pagou R$ 240 mil e " ta na boa" eu pago o proporcional a meu carro que vale menos e tudo bem", vejam o que os pais de hoje estão criando, junto com os governos corruptos e viciados em multas, multas e mais multas, estamos vivendo um total individualismo, egoísmo total, e o dinheiro é o único bem, depois vem a vida, bem depois os outros, ele é um exemplo claro da sociedade atual, estamos criando loucos por dinheiro e mais nada, as pessoas nada valem, a paquera não existe mais, só sexo, advogados, drogas, e o pior é que estes garotos já quase adultos não tem culpa, uma sociedade podre que usa lei para defender bandidos,assassinos, homicidas por latrocínio, por que iria punir tão severamente homicidas não intencionais, se as autoridades querem sonhar em impor respeito algum dia, primeiro pune severamente os criminosos e assassinos de verdade, caso contrário, que moral tem para punir no transito? Sinceramente este rapaz da reportagem, escancarou a falta de moral que as autoridades estão, sendo tão relapsas com o crime de verdade.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

BELO EXEMPLO

O pedido de prisão do ex-coordenador da Lei Seca foi revogado. Atropelou quatro a um morreu. Se fosse um ladrão de galinha estaria mofando na prisão. Como foi coordenador e sub-secretário, revoga-se a prisão.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DEPUTADO INFRATOR

Que país é este? Um deputado do PR, do Rio de Janeiro, chamado Edino Fonseca, tomou mais de R$ 100 mil em multas? Quem irá pagar isso? Será que é ele? Não acredito que esse valor vai sair do bolso dele... No Brasil isso é normal, afinal, autoridades sempre ajudam seus pares a fazer algo, certo? E a consciência da coisa errada nunca vai mudar? Quem teria de dar exemplo da o quê?

Anibal Vilari anibalvilari@bol.com.br

São Paulo

*

MUDANÇA DE HÁBITOS

O povo brasileiro está assustado e preocupado com o aumento da criminalidade, a falta de segurança e a violência no país. A pesquisa CNI/Ibope mostra com clareza a mudança de hábito e de opinião do cidadão, embora tenham entrevistado apenas 2002 pessoas, em 141 cidades, em Julho/2011, quando confirmaram que 46% aceitam a pena de morte e 51% aceitam a prisão perpétua. O brasileiro de bem mudou o seu comportamento e os seus hábitos em razão do crescimento de crimes, acidentes de veículos, desrespeito humano, desrespeito as Leis e o pior a impunidade generalizada além dos maus exemplos das chamadas "autoridades", dos três poderes. Essa pesquisa também revela algumas informações para reflexão: 1) 57% não acreditam na redução da criminalidade com a legalização da maconha. 2) 60% aceitam penas alternativas para crimes menos graves. 3) 65% concorda com a proibição da venda de bebidas após à meia-noite. E 4) 53% são favoráveis à privatização dos presídios. Por que só agora que é divulgada a pesquisa? Será que servirá para melhorar a segurança da população ou é apenas um esclarecimento ou informação só para conhecimento, sem objetivo ou finalidade?

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

SALÁRIOS DE DELEGADOS

Em razão dos baixos salários dos delegados de Polícia, o Estado de São Paulo apresenta muitas delegacias vagas, pois outros Estados da Federação oferecem melhores salários e melhores condições de carreira, conforme luta do desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo Aloisio de Toledo César. Por essas razões, há muitos delegados que simplesmente abandonam a carreira para ter outra atividade, mesmo que seja um absurdo. Para fazer um simples boletim de ocorrência, é muito complicado. No caso de mortes violentas de trânsito, a situação é pior ainda, pois essa mudança na Lei Seca piorou tudo. É muito simples pagar o valor estipulado e sair pela frente da Delegacia. É um grande absurdo.

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

ESCUSAS E ESQUIVAS

Impressionante este pobre Brasil. Políticos, sejam eles ministros, deputados ou senadores, ao serem flagrados ou denunciados por corrupção, saem com respostas do tipo "Só o vi uma vez em 1912", "Paulinhos há muitos por aí", entre outras frases lapidares. Homossexuais são agredidos por homofóbicos que justificam sua selvageria dizendo "fui provocado". Quando surgem vídeos mostrando a mentira, algumas pessoas mais nobres deixam de atender seus clientes, como no caso de um advogado. A família provavelmente dirá que o vídeo é montagem ou outras sandices do tipo. O pior é que a moda está pegando. Infelizmente já vimos várias acidentes com carros de alta cilindrada neste ano, com várias vítimas fatais. Depois de matar ou deixar pessoas inocentes com sequelas pro resto da vida, os causadores de tais acidentes são defendidos por familiares com declarações do tipo "meu filho não é um monstro", "ele teve cãibras", entre outras frases infelizes. Deus do céu, desde quando cãibras causam um apagão mental?! Só na argumentação das famílias. Um jovem que toma três doses de uísque e atropela pessoas num ponto de ônibus, é defendido pela mãe que diz que ele "dormiu" ao volante, apesar de testemunhas que não são ricas e nem poderosas, afirmarem que ele dirigia em alta velocidade num pega, ou seja, tentando alcançar um outro carro. Seria fantástico se as pessoas fossem honestas o suficiente para erguerem suas mãos e reconhecerem "Errei". Infelizmente parece que este dia ainda está muito longe de chegar na Terra Brasilis... Enquanto isso, esperamos que o código penal seja revisto e crimes como corrupção, assassinato por direção perigosa, entre outros, tenham suas penas aumentadas. Glorioso alcaide Kassab, além de se preocupar com o horário de encerramento das feiras livres, que tal impôr uma lei seca e colocar a CET nas ruas para voltar a fazer fiscalização?!

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

A INDÚSTRIA DAS MULTAS

É evidente que cada avenida tem suas próprias características e, portanto, deve ter seu próprio limite de velocidade. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), porém, prefere ignorar isso, criando terríveis distorções: em algumas avenidas 60 km/h será pouco, em outras será muito! Basta imaginar transitar na Avenida dos Bandeirantes de madrugada a esta velocidade, por exemplo! Além da chateação e desnecessária perda de tempo, nos tornamos alvos fáceis para marginais! É evidente que algumas avenidas devem sim ter limites mais baixos, porém deve se usar um critério para se estabelecer esta velocidade! Não podemos tratar avenidas diferentes como iguais, a menos que a intenção seja justamente criar uma situação onde facilita-se a infração... Aliás, será coincidência a arrecadação recorde de multas vir ao mesmo tempo que a "padronização" da velocidade?

Renato Rea Goldschmidt reagold@gmail.com

São Paulo

*

RADARES

Uma das receitas de maior aumento no Município de São Paulo é a das multas de trânsito. Com um fantástico aparelhamento de radares modernos, a arrecadação passa a ser fundamental em nossas finanças. Nova fórmula de aumento de receita é a redução de velocidade máxima de 70 para 60, por exemplo, de pouca significação prática, mas, muita do ponto de vista de receita. O essencial, no entanto, é que o valor da multas no Brasil é irrisório comparado com outros países cujo transito admiramos. Isso é o  que faz com que nosso transito seja bastante caótico. O aumento de acidentes não será revertido sem aumento das multas e penalidades. Se isso ocorresse, no entanto, cidades como S Paulo teriam substanciais melhorias no transito e redução de acidentes, mas redução de receita. Qual a decisão das autoridades diminuir os acidentes ou a receita?

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

OSESP

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) pagará US$ 52 mil por semana trabalhada, além de US$ 120 mil anuais para a sua nova regente, a maestrina norte-americana Marin Alsop. Se a Osesp fosse uma orquestra privada, nenhum problema. E nem se discute aqui a competência e os méritos de Alsop. Todavia, como a Osesp é pública e 75% de seus gastos são feitos com dinheiro público, então a coisa muda de figura e estamos diante de um grave caso de desperdício de dinheiro público na área da cultura. Já tivemos o péssimo exemplo do antigo regente, Neschling, que recebia R$1,3 milhão anuais da Osesp. Cada vez mais, aumenta o fosso existente entre os salários dos regentes e o dos músicos das orquestras, reproduzindo as injustiças do mercado. Enquanto isso, inúmeras orquestras, músicos e artistas talentosos não recebem nenhum tipo de apoio ou patrocínio e tem dificuldades para sobreviver com a sua arte.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

IGREJA CATÓLICA

Em sua carta Tem de sair publicada em 19/10, o leitor Ariovaldo Batista foi infeliz em comparar o descrédito especialmente em alguns ministérios dos governos do PT, que estão mais para “mistérios” do que para ministérios, com a Igreja Católica Apostólica Romana. Lamentavelmente isto infelizmente sempre aconteceu quando a pessoa quer atacar gratuitamente a Igreja e sem conhecer a sua verdadeira história de conquista e de contribuição incomensuráveis à sociedade. Esta Igreja Católica que foi e continua sendo a grande responsável pela construção da civilização ocidental, com a conversão de bárbaros na “idade das trevas”, com a Renascença Carolíngia, e com a lenta reconquista do conhecimento, particularmente com seus monges copistas (passavam grande parte do tempo fazendo “back ups”). Com o início do monarquismo (cerca de 17.000 mosteiros na Europa) com as suas artes práticas, consultoria técnica, obras de caridade, palavra escrita e centros de educação. Uma organização única na história Da humanidade, com a instituição das cidades e das togas, com a criação do sistema universitário, e com a idade da Escolástica. Na relação da Igreja e ciência, deve-se conhecer a verdadeira história de Galileu, que centrou-se em torno do trabalho do astrônomo polonês Nicolau Copérnico (1473-1543), cientista de renome nos meios eclesiásticos, tendo sido consultado pelo Concílio de Latrão (1512-1517) sobre a reforma do calendário. Apesar do feroz ataque dos protestantes, que viam uma frontal oposição do sistema heliocêntrico à Sagrada Escritura, esse sistema não foi objeto de uma censura católica formal até que surgiu o caso Galileu. A Igreja entendia que não havia nenhum mal em apresentar o sistema heliocêntrico como um sistema hipotético, isto porque a rotação da terra e o heliocentrismo só vieram a ser comprovados experimentalmente em 1851, com o pêndulo que Léon Foucault pendurou no ápice do domo de Panteão de Paris. Sensível às acusações protestantes de que os católicos não faziam muito caso da Bíblia, em 1616, depois de Galileu ter ensinado pública e insistentemente a teoria copernicana, Galileu foi advertido pelas autoridades da Igreja Católica de que deveria parar de apresentá-la como verdadeira, até que houvesse comprovação prática, embora fosse livre para apresentá-la como hipótese. Galileu concordou e prosseguiu com os seus trabalhos No entanto, o Diálogo sobre os dois grandes sistemas do mundo, publicado por Galileu em 1632, escrito a pedido do papa Urbano VIII, ignorou a instrução de que o copernicanismo devia ser tratado como hipótese e não como verdade estabelecida. Para a sua infelicidade , em 1633 o astrônomo foi declarado suspeito de heresia e proibido de publicar escritos sobre o tema (silêncio obsequioso). Galileu continuou a produzir outras obras, aliás ainda melhores e mais importantes, particularmente os seus Discursos e demonstrações matemáticas (por exemplo, a mecânica racional) em torno de duas novas ciências (1635).  Mas nós católicos devemos reconhecer que essa censura insensata manchou por muito tempo a reputação da nossa Igreja. Mas também se deve reconhecer humildemente que embora se possa parecer tão óbvio que desperte pouco interesse, a ideia de um universo racional e ordenado  - enormemente fecunda e indispensável para o progresso da ciência – escapou a civilizações inteiras. Em  Science and Creation (1986, página 150), Stanley L. Jaki examina à luz dessa tese que sete grandes culturas – a árabe (exceção com reservas à maometana), a babilônica, a chinesa, a egípcia, a grega, a hindu e a maia – e concluiu que em todas elas a ciência sofreu um “aborto espontâneo”. Conceber o universo de modo panteísta, como um gigantesco organismo dominado por um panteão de divindades e destinado a um ciclo sem fim de nascimento, morte e renascimento, tornou impossível o desenvolvimento da ciência. Continuando a afirmação de que a igreja Católica construiu a civilização ocidental, sobre a Igreja e a Ciência deve-se ainda citar o problema do momento inercial, a Escola Catedral de Chartres, os sacerdotes cientistas, as conquistas cientificas dos jesuítas, e as catedrais como observatórios astronômicos. Quanto à arte, a arquitetura e a ciência deve-se citar a longa discussão sobre o iconoclasmo (o ódio às imagens), as catedrais, o Renascimento, e a arte (se não me falha a memória, cerca de 80% da arte mundial consta dos acervos da Igreja Católica, sendo que cerca de 50% só em Roma, mas como patrimônio da humanidade). Quanto às origens do Direito Internacional, deve-se ainda conhecer a história de uma voz no deserto (a primeira grande reprovação contra a política colonial espanhola, em dezembro de 1511, no atual Haiti e Republica Dominicana), que se deu em torno de um sermão dramático chamado “Eu sou a voz que clama no deserto”, feito por um frade dominicano de nome Antônio de Montesinos (? – 1545), conhecer também Francisco de Vitória, Igualdade segundo a lei natural, Bartolomé de las Casas, e Direito Internacional versus Estado Moderno. Na relação Igreja e Economia, deve-se conhecer os fundadores da ciência econômica, a teoria do valor subjetivo, e as divergências entre protestantes e católicos. Deve-se conhecer ainda como a caridade católica mudou o mundo. Como a Igreja influenciou decisivamente no direito ocidental, contribuindo para a separação entre a Igreja e o Estado, e também na prevalência dos direitos naturais. Conhecer a influência determinante da igreja na moral do ocidente, com a moral católica e as morais não católicas, com a questão do duelo, das chamadas guerras justas, com a castidade e dignidade da mulher, e com a vida virtuosa da pessoa humana. Enfim, a Igreja Católica depois de mais de 2.000 anos de existência continua afirmando que: 1) Esta instituição cristã católica é constituída de famílias de todas as raças, etnias, idades, e também de pecadores e de santos. 2) É uma instituição que tem o maior número de hospitais para cuidar de doentes. 3) De orfanatos para cuidar de pobres. 4) É a maior organização caritativa do mundo. 5) A que mais educa crianças no mundo. 6) A que fundou o sistema universitário. 7) A instituição que jamais deixou de defender a dignidade da vida humana, desde a concepção até a sua morte natural. 8) A que preserva valores e preceitos fundamentais como a preservação do casamento indissolúvel e do direito e do  apoio inalienável à constituição da família. 9) Uma instituição que tem como marcas insofismáveis nomes de seus santos em nossas cidades. 10) Uma instituição que tem atualmente mais de um bilhão de fiéis batizados, embora a messe continue grande em face da pequena quantidade de operários (estamos chegando aos sete bilhões de filhos de Deus aqui na terra). 11) Uma instituição religiosa que por séculos reza pelo mundo, particularmente nas Santas Missas (que é a oração mais excelsa que existe, o sacrifício, agora incruento, do Filho como oferenda ao Pai, no Espírito Santo, e que se celebram nas 24 horas do dia ao redor do planeta). 12) É a única religião cristã fundada pelo próprio Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro (duas naturezas, a humana e a divina), quando lançou as fundações de nossa fé sobre Pedro, o primeiro santo Papa. 13) Que por mais de 2000 anos tem uma linha ininterrupta, inclusive sem que houvesse sequer a revogação de um único dogma, todos estabelecidos sob a inspiração do Espírito Santo. Então, se você está fora desta Igreja por motivos que nós respeitamos, temos o dever sagrado de convidá-lo a olhar esta instituição cristã católica apostólica romana com um olhar diferente, porque ela também merece pelo menos o seu respeito.

Luiz Antônio da Silva lastucchi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.