Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2011 | 03h05

Passado e presente

A presidente Dilma, no intuito de arrefecer a crise com o ministro Carlos Lupi, citou um líder gaúcho que dizia que o passado simplesmente passou. Cara presidente, prefiro, neste caso, ficar com as palavras de Mario Quintana, quando diz que "o passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente".

ALEXANDRE FUNCK

afunck1@gmail.com

Bragança Paulista

Correio elegante

Depois das trapalhadas do ministro Carlos Lupi, do PDT, e em meio a tantas evidências de irregularidades, a presidente Dilma diz que o passado passou. Fica no ar uma pergunta: virou carrossel de correio elegante? Presidente Dilma, é preciso jogar pesado com essa gente! Eles não titubeiam se puderem passá-la para trás. Abra bem os olhos.

ISAEL COLEONE

isael.coleone@itelefonica.com.br

Indaiatuba

Frase de efeito

Finalmente nossa presidente Dilminha adotou sua frase de efeito: "O passado simplesmente já passou". Como seu antecessor Lullinha com a frase "eu não sabia de nada", ela encerra qualquer dúvida/controvérsia com relação aos seus "coligados". Com isso mais um ministro - do governo que também é do passado - fica impune e seguimos em frente como se nada houvesse, até que se levantem mais dados "fictícios" de outro ministro. Afinal, em milhares de ONGs, só umas poucas não são confiáveis e, por coincidência, estas são de parentes, amigos, partidários, etc., de políticos que desviam, digo, repassam o dinheiro público sem vergonha alguma. Estamos falando de milhões de reais para uma ou outra ONG.

FERNANDO CHAGAS PEDROSA

fchagasp@gmail.com

São Paulo

Acabou a bala?

Esse Lupi deve ser mesmo um osso duro de roer ou a presidente Dilma está sem bala na agulha para abater esse monstrengo.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Palhaçada

Se eu fosse presidente, demitia o sr. Carlos Lupi, independentemente de ele ser ou não corrupto. Lupi está mais para palhaço de circo do que ministro.

JOSÉ C. DE MELO REIS

jcelid@uol.com.br

São Paulo

Fanfarronices

Antes de ter certeza se é ou não corrupto, eu também o demitiria pela fanfarronice, pela quantidade de bobagens proferidas nos últimos dias e pelo machismo démodé que, definitivamente, não fica bem num ministro de Estado.

VICTOR GERMANO PEREIRA

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

Desavergonhados

Muito oportuna a publicação da crônica Os desavergonhados (11/11, A8), de Nelson Motta, na mesma página em que se noticiam os destemperos do ministro do Trabalho. Infelizmente, mesmo há cinco anos no cargo - num país que cresce e luta para ocupar posição relevante entre as nações desenvolvidas -, ele ainda não percebeu a diferença entre ministro e pelego em porta de fábrica. Quando assisti às suas diversas declarações na TV, envergonhado fiquei eu!

HOOVER AMERICO SAMPAIO

hoover@mkteam.com.br

São Paulo

Exemplo a ser seguido

A atitude dos policiais militares do Batalhão de Choque que prendeu o traficante Nem é digna de aplauso e reconhecimento da população brasileira. Mesmo ganhando um mísero salário, eles rejeitaram manchar sua farda com o recebimento de dinheiro sujo, saído das mãos dos bandidos do tráfico. Já está mais do que na hora de nossas autoridades valorizarem o trabalho desses heróis que arriscam a vida para nos proteger, pagando um salário digno a esses profissionais. Afinal, quem faz mais por nós, cidadãos comuns, os policiais ou os deputados, senadores e ministros, que ganham verdadeiras fortunas e ainda usam sua posição para roubar o dinheiro que deveria servir ao povo? Será que esses "caras" não se envergonham ao ver exemplos como esse? Bem, para isso teriam de ter vergonha...

MARINA B. MALUFI

mmalufi@terra.com.br

Olímpia

Perniciosa ocupação

O governo do Rio de Janeiro deveria emprestar à Presidência da República a equipe que prendeu o Nem da Rocinha para acabar com a perniciosa ocupação do Ministério do Trabalho.

ILMAR MELLO DE CARVALHO

ilmarcarvalho@gmail.com

São Paulo

USP

Passeata brancaleone

Se os alunos da Universidade de São Paulo (USP) passeassem pelas ruas da nossa cidade, como o fizeram na quinta-feira, sob a motivação que moveria a indignação popular - a corrupção - para falar em bala, teriam encontrado a bala de prata galvanizadora da população e cruzariam gloriosamente a linha no velho e sempre novo território livre do Largo de São Francisco. Acontece, porém, que, nesse caso, exporiam o governo federal e desnudariam as correntes fundamentalistas de esquerda que o elegeram, entre elas as que apoiaram o delírio de uma minoria, com base em preconceitos ideológicos, desvios comportamentais e sem nenhuma independência política.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Parado no tempo

É muito triste ver pessoas com um passado de lutas, como Plínio de Arruda Sampaio, fazerem papel de bobo e perderem a noção do ridículo. Ao defender a ação dos estudantes reacionários da USP e atacar a ação legítima da polícia, o sr. Plínio de Arruda Sampaio revela que parou no tempo, perdeu o bonde da História e não sabe distinguir o certo do errado. Ora, por acaso a universidade é um território sacrossanto que paira acima da lei? Ainda estamos nos anos de chumbo da ditadura militar? As reivindicações dos estudantes são minimamente sensatas e legítimas? Lamentável ver pessoas que antes eram progressistas e libertárias hoje defenderem bandeiras conservadoras, reacionárias e demagógicas.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

 

PRINCESA ISABEL DO BRASIL

Há 90 anos, em 14 de novembro de 1921, morreu a princesa Isabel, distante do Brasil que tanto amava, no mais penoso e longo exílio impingido a um governante brasileiro, numa página de dor em nossa história  que ainda hoje comove aos que estudam com seriedade os documentos há tanto tempo esquecidos e evitados por aqueles que a detrataram e procuraram diminuir a importância de sua vida, de inequívocas virtudes heróicas e cívicas, que honrou o primeiro posto desta Nação. D. Isabel Cristina de Orléans e Bragança foi uma das que melhor compreenderam a alma do povo brasileiro, por isso foi tão querida no tempo em que governou, e não fraquejou em tomar decisões acertadas e corajosas, de feliz memória, dentre elas a que culminou no 13 de maio de 1888, com a abolição da escravatura em nosso País. Destinada a dirigir os destinos da Nação (de personalidade forte e resoluta, mas humaníssima em sua compaixão pelos sofredores); preparou-se como nunca antes outra autoridade política havia cuidado com tanto zelo em corresponder aos desafios e as incumbências do governo. Ao contrário do avô e do pai, afetados por uma infância de tão grandes turbulências, a princesa Isabel teve ambiente propício para desenvolver seus talentos e assumir seu imperativo vocacional. Não apenas com dedicação aos estudos, mas ainda com percepção aguda dos problemas do seu tempo, desejando dar ao Brasil soluções sociais pautadas em princípios e valores humanos e cristãos. A sua fé – catolicíssima – deu-lhe força para fazer com alegria tudo o que empreendia (como mãe e esposa exemplar, como filha e amiga leal, como governante mulher) e a confortou nas horas de amargura, que não foram poucas. Sofreu as angústias de ver o Brasil em guerra externa, com o risco de tornar-se viúva, ainda recém-casada, ou ter de ser forçada ao arranjo nupcial urdido pelo ditador paraguaio Solano Lopez. Pesou-lhe tanto a pressão de grandes proprietários rurais, que resistiram e dificultaram a aprovação da libertação dos escravos, criando obstáculos no parlamento, ameaças e um temor infundado de desestabilização social. Foi preciso então agir com sabedoria, mas de modo perseverante, para ver bem sucedido o movimento abolicionista. Desde 1810 o Brasil comprometera-se em acabar com a escravidão, mas o processo político não foi fácil, porque era preciso preparar o País para tão significativa mudança. O movimento foi lento e gradual, exigiu mobilização e prudência, mas que poderia ser postergado ainda mais não fosse a precisão decisória da princesa em seus períodos de regência, que tudo fez para que a vitória do abolicionismo fosse obtida pela via institucional, e sem derramamento de sangue. Com a Lei Áurea, a princesa Isabel visava não apenas a assinar o fim da escravidão, mas preparar os meios concretos de indenização e suporte social para oferecer aos libertos condições de dignidade para o exercício da liberdade, com acesso a educação e o trabalho com justa remuneração. Atestam os historiadores a visão de estadista da princesa Isabel, que não viu acontecer por completo seu projeto de promoção social do povo brasileiro, especialmente os libertados pela Lei Áurea, porque tal relevante iniciativa foi solapada pelos republicanos positivistas, que temiam o 3º Reinado tendo à frente uma mulher de tão profundas convicções cristãs. Pois justamente o catolicismo da princesa Isabel (e sua atuação pública e pessoal coerente com a doutrina social e moral da Igreja) levou os republicanos a forçarem a quartelada de Deodoro e ao cruel banimento (exigindo que ela e sua família deixassem o País em 24 horas), exílio este que se prolongou por 32 anos, até a sua morte. O fato é que, apesar do patrulhamento ideológico e a conspiração do silêncio por mais de um século, a princesa Isabel não está no inteiro esquecimento, pelo contrário, seu nome ressoa luminoso em nossa história. O nevoeiro ideológico que a vitimou ao pior dos ostracismos, parece agora começar a ser dissipado, especialmente quando a Arquidiocese do Rio de Janeiro recebeu oficialmente, no mês passado, o pedido para a abertura do seu processo de beatificação. Isso comprova que a Princesa Isabel haverá de perdurar como estrela fulgurante no coração dos brasileiros, ad eternum.

Hermes Rodrigues Nery hrneryprovida@uol.com.br

São Bento do Sapucaí

*

AFINOU

Ridículo o comportamento do bufão ministro Carlos Lupi, depois das desastrosas declarações machistas que deu sobre as denúncias feitas contra ele: “Duvido que a Dilma me tire. Para me tirar, só abatido a bala”. Precisou ser enquadrado pela presidente Dilma, que, por meio da ministra Gleisi Hoffmann,  mandou que Lupi se retratasse, lembrando-o de que quem indica e demite  no governo é a presidente da República. E, como um cachorrinho amestrado, fez uma retratação humilhante, quando foi à Câmara dos Deputados, surpreendendo até os presentes que lá estavam: “Presidente Dilma, me desculpe, eu te amo”. Seria mais honroso que pedisse para sair. Que papelão! Será questão de mais mês e meio a saída de Lupi, que está na marca do pênalti. Sua saída estava planejada para início de  2012, quando  a presidente  fizer a tal reforma ministerial – isso se nesse ínterim  não ocorrerem mais  denúncias.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

QUE NÍVEL...

Chega a dar um certo desânimo ver a falta de nível, inclusive mental, desses políticos em nosso país. Um ministro de Estado, envolvido em suspeitas de desvios de dinheiro público na pasta onde é o responsável – e, assim sendo, mesmo que não tivesse roubado, foi incompetente ao não detectar tal fato, o que já seria motivo mais que suficiente para que, se tivesse vergonha, pedir demissão – declara em rede nacional: “Só saio daqui a bala”. Imagina só, está mais para xerife no antigo Texas do que qualquer outra coisa. Só por essa declaração, não fossem todos farinha do mesmo saco, deveria ser demitido na hora. Lastimável ver em que mãos estamos, em que mãos foi colocado o nosso país.

 

Heloisa A. Martinez heloisa_martinez@hotmail.com

Mogi das Cruzes

*

A FARRA NA POLÍTICA

Pode até nos faltar o pão, porem, circo temos de sobra...

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

MÁQUINA PÚBLICA LOTEADA

Em abril de 2002 contávamos com 23 ministérios no governo de Fernando Henrique. Já era um número alto, mas no governo de Lula da Silva, ao serem criadas as tais Secretarias Especiais (com status de ministério), ele os aumentou para 32. E por que isso?  Porque Lula modificou a razão de ser dos ministérios, e maximizou seus "resultados paralelos" ao transformar os ministérios em máquina de arrecadar recursos para os partidos. Por sua vez, os partidos encontraram ali um bom cabide de emprego para pendurar seus filiados cuja missão precípua é desviar parte das verbas deste ministério para o cofrinho do seu partido. Não é à toa que eles brigam para não perder a sua Pasta... Chegou? Não, tem mais: ocupar um ministério significa para o político entrar em contato com os megaempresários, e neste contato podem sair bons negócios para ambas as partes... sem falar que estes empresários serão aqueles mesmos que nas eleições farão generosas doações em dinheiro para seu dileto amigo. Conclusão: Lula conseguiu lotear a administração pública no Brasil, virou uma bandalheira geral, e mão por acaso em 11 meses de mandato Dilma foi obrigada a defenestrar 6 dos seus ministros. E, pelo visto, outros também cairão. Que desserviço, que herança maldita nos foi legada por Lula!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

O TRABALHO INDIGNO

No país dos absurdos, a "Dilma Alice", que não é das maravilhas, alisa ministro que na pasta só dá trabalho! E o estorvo é minimizado, porque a sujeira que já era muita, não pode parecer maior. E enquanto o Lupi não cai, a esbórnia corre solta ao se tentar dar sustentação, ao que para nada presta. A inversão moral fica completa quando, na "cidade maravilhosa", policiais fazem escolta a traficantes. Daí concluirmos: a má gestão nos quadros dos servidores públicos é genérica e segue a mesma lógica do vértice da pirâmide da administração federal.

 

Mara fonseca Chiarelli mara.chiarelli@ig.com.br

Mogi Guaçu

*

GRANDES MINISTROS

Estamos bem de ministros neste nosso Brasil, não é não? Que ministro do Trabalho é esse, que dá atestado de idiotice ao mundo inteiro, ao vivo e em cores? Como é que pode uma cavalgadura como essa ser ministro? E não é só esse, alguns já saíram, mas outros permanecem, como o tal de Haddad, queridinho do Lula, que só não é mais incompetente por falta de espaço. Estamos precisando de uma limpeza de verdade no poder público.

Luiz Carlos Amorim lc.amorim@ig.com.br

Florianópolis

*

TESTANDO A CORAGEM DA PRESIDENTE

Ao que parece, chegamos ao ponto em que os ministros que foram "empurrados goela abaixo" pelo ex-presidente Lula no governo Dilma Rousseff resolveram seguir a orientação do chefe, e colocar em cheque a autoridade da presidente de plantão, como que fazendo um teste quanto a coragem cívica da ex-guerrilheira. Recorde-se que em relação ao ministro Orlando Silva, quando começaram a surgir as denúncias de "mutretagens" no Ministério do Esporte, o ex-presidente Lula foi incisivo no incentivo para Orlandinho resistir às pressões, negando-se a deixar o cargo. Infelizmente, para decepção de Lula, Orlandinho preferiu jogar a toalha, talvez com medo de que, chegando-se a um embate, o PCdoB acabasse perdendo o direito de indicar seu sucessor, o que colocaria em risco a garantia de que, ficando o Ministério do Esporte nas mãos de um "cupincha", suas maracutaias pudessem ser "empurradas para baixo do tapete". Agora, quando a podridão começa a tomar conta do Ministério do Trabalho, parece que o ministro Carlos Lupi está disposto a seguir a orientação lulista, e promete resistir até as últimas consequências, inclusive fazendo discursos ameaçadores, dando a entender que, se cair, vai "botar a boca no trombone". Agora eu quero ver se essa tal de Dilma Rousseff, cantada e decantada como uma mulher de fibra, é tudo isso que dizem ser? Afinal, depois do que foi dito por Carlos Lupi, só falta a presidente Dilma Rousseff fingir que não entendeu as ameaças veladas contidas nas últimas declarações do "boquirroto" Lupinho.

 

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

ELOGIO DE FHC

Realmente Fernando Henrique Cardoso tem razão. A presidente Dilma é como uma linda flor no meio de um pântano putrefato e fétido

Ronald Martins da Cunha ronald.cunha@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

GENTALHA

Herança ou não, seja o que for, mas que a presidente Dilma precisa ter estômago, isso a presidente precisa ter. Olha que lidar com essa turma que está a sua volta, de fato, não é fácil. Muitos, ou até a grande maioria, quem sabe, que estão em seu dia a dia são todos péssimos brasileiros. Verdadeira gentalha.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

ENGOLINDO SAPOS

Só mesmo cantando o “quem te viu, quem te vê...” para a presidente Dilma. Aquela que era famosa por dar murros na mesa, agora engole sapo por conta da governabilidade. E olha que esse sapo não é nenhum sapo barbudo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro  

*

DESVIOS E MALFEITOS

Se não sou um completo bocó, acho que a presidente Dilma, quando se refere a episódios de corrupção da sua gente como desvios e malfeitos, está procurando aliviar para os corruptos?!

Euclides Rossignoli euros@ig.com.br

Itatinga

*

TERMINAL

O Brasil, após a posse de Lula, seu "PT", "PMDB" e "partidos aliados", foi sendo minado e destruído durante seus oito anos no "pudê". Na ocasião da saída de Lula, este deixou o País em estado "agonizante". Agora, com a mudança, tendo a Dilma no poder, porém com os mesmos partidos e dirigentes corruptos, o País passa de "agonizante" à "fase terminal".

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

LIDERANÇA

Não há dúvidas de que o Brasil tem grandes problemas e não é necessário descrevê-los. Há, em contrapartida, solução para todos eles e temos recursos para isso. No entanto, os países, assim como as empresas, as famílias e grupos  em geral, precisam de líderes que tomem a dianteira e com coragem e determinação  façam as coisas acontecerem e estabeleçam regras e ações baseadas  no trabalho, respeito, ética e compromisso. E aí está nossa maior carência: não temos líderes. Na história dos países e particularmente nas empresas, foram os grandes líderes que deixarem uma marca de transformação positiva que muitas vezes duram para sempre (Abraham Lincoln, Charles De Gaulle, Konrad Adenauer, Jack Welsh, Bill Gates, Steve Jobs etc). No Brasil, não temos líderes. Temos autoridades, quase todas corruptas e sem compromisso com a Nação. Sem credibilidade. Até nos meios empresariais, culturais, artísticos e entidades profissionais (sindicatos, conselhos etc.) falta a atuação de líderes. Onde estariam escondidos esses líderes? Será que nos transformamos todos numa nação de cidadãos acuados e dominados pela corrupção, medo e descrédito?

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

AS MESMICES DA ROTINA

Logo após o "trabalho", a presidente poderá ir, se quiser, para a "cidade".  Vai se divertir bastante...  Afinal ninguém é de ferro, além de que S. Exia não é nenhuma Margaret Thatcher, "né"?! Mas, e depois?

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

DE CUMPANHEIRO PARA CUMPANHEIRA

 

Que bela herança e legado deixou o Lula PT da Silva para a Presidenta. É tanta podridão e sujeira que a vassoura não dar conta. A bola da vez diz que só sai à bala. Isso que é "o amigo da onça"!

 

José Alberto de Paiva alpai12@yahoo.com.br

São Paulo

*

LARANJA PODRE

Todos nós conhecemos o velho ditado popular que diz: “Uma laranja podre no cesto, contamina (apodrece) todas as outras!”. Porém, no governo federal, o inverso é que é o verdadeiro, ou seja: “o governo federal é um cesto de laranjas podres”!

Walter Rosa de Oliveira  www.raminelli.com.br

São Paulo

*

O MINISTÉRIO DE DILMA

Os Ministérios parecem árvores e como tal sempre terão seus frutos podres!

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

CONTORCIONISMO

Acompanho política há muito tempo e confesso que jamais vi uma leva de ministros de tão baixo nível ético e moral. Incompetência no primeiro escalão do governo não deveria existir, mas de uma república sindicalista não poderíamos esperar muita coisa, ninguém é culpado por não ser capaz. O que mais impressiona e fala mal é a tamanha concentração de ladrões, verdadeiros casos de polícia. E para coroar a baixaria, acabamos de ver a subserviência de um ministro se contorcendo, com o traseiro para cima na tentativa de beijar a mão da chefe. Dá nojo ao cidadão. O Brasil não merece isso.

 

Humberto de Luna Freire Filho lffilho@gmail.com

São Paulo

*

QUADRILHA

O Brasil é muito maior que essa turma que está entrincheirada no poder! O País está nas mães de quadrilhas criminosas travestidas de partidos políticos que têm como único objetivo desviar o dinheiro público para seus bolsos, sempre com a criminosa desculpa que desviar dinheiro pra fazer campanha não é crime! O Brasil é muito maior que essa porcaria toda que está aí! Incompetentes! Corruptos! Chega! Basta! Fora Dilma! Você não criou um ministério, formou uma quadrilha!

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo           

*

MINISTÉRIO

Distrito Federal, Palácio dos “podres Poderes”: a insustentável “leveza” do Ministério Dilma. Fora!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

SAMBA

Se gritar "pega ladrão", não sobra um.

Jorge Zaven Kurkdjian zavida@uol.com.br

São Paulo

*

SIMPLES ASSIM

Que coincidência: auxiliar de Dona Dilma, diz estar cansado de crises!  Nós – o público pagante – também!  Isso é o que dá tantos ministérios para distribuir entre os "cumpanheros" e aliados para manter a dita 'governabilidade, distribuindo ministérios de 'porteira fechada', aos velhos praticantes das antigamente chamadas 'maracutaias', as práticas corruptas que o governo petista prometeu "mudar tudo isso que está aí". Houvesse apenas meia dúzia de ministérios, seria bem mais fácil controlar e cobrar atuação dos ministros responsáveis e de suas equipes.  Simples assim... Que tal pensar seriamente nisso, hein?!  

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

INSUPORTÁVEL

Se Gilberto Carvalho não mais suporta as denúncias de corrupção, imagine-se a depressão que acomete o povo brasileiro.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

E NÓS?

Gilberto Carvalho declara: "Cansei". Se ele cansou, calcule o povo...

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

SER OU NÃO SER

A presidenta Dilma terá que decidir entre ser fiel  com aquele um  que a indicou e a colocou “lá” ou ser digna  com os milhões que ratificaram a indicação  através  do voto. Se optar pelo primeiro,  naufragará no mar da corrupção instalado  tal qual o “Titanic”, se optar por nós,  indignados brasileiros que vemos tudo manietados e horrorizados, terá a oportunidade de entrar para a história como aquela que expurgou essa verdadeira quadrilha instalada há tempo em todos os níveis, de corruptos que permutam apoio político em troca de poder,  junto com seus apadrinhados de confiança, roubar  milhões. Correrá seguramente o risco da difícil governabilidade mas, com o apoio da nação,  estará fazendo o que é correto. E cá entre nós ela sabe direitinho quem são e onde  estão.

Gattaz Ganem gattaz@globo.com

Carapicuíba

*

XADREZ

 

Um jogo histórico, com as regras às avessas, onde só se venciam os peões. O jogo ia e vinha, ninguém caía do cavalo e nunca se chegava aos bispos e nem às torres; às damas, nem pensar. Agora já se chega aos bispos, ainda sem derrubá-los, invadem-se algumas torres e se atacam os falsos guardiões. Um jogo onde o final deveria dar xadrez, porque o poder está em cheque e a influência do rei nu quase dá um xeque-mate na rainha.

 

Carlos Delphim Nogueira da Gama Neto carlosgama@conjeituras.com.br

Santos

*

*

DOBRA SEIS

Deu trabalho, mas com Lupi Dilma configura seu ministério-dominó.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PIQUE-PIQUE

Então como é que é? É Lupi, é Lupi, é Lupi, Lupi, Lupi. É hora, é hora, é hora, hora, hora. Há, tchim, bum! Lá se vai mais um.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ESPERANÇA NA IMPRENSA

Em nome da democracia, registro aqui meus mais sinceros agradecimentos à imprensa brasileira que, enfrentando toda sorte de dificuldades, se mantém à frente do trabalho investigativo que ainda oferece alguma esperança de moralidade para o sistema político nacional, denunciando até agora seis esquemas de corrupção ministerial que envergonham os patriotas e revoltam os contribuintes. Espero que o Estadão consiga vencer a censura ainda existente e possa desnudar outro caso que de tão vergonhoso mobiliza e compromete até os guardiões da Justiça. Fora corruptos!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

‘A DEMOCRACIA DA COMPETÊNCIA’

Bastante oportuno o artigo de José Serra na edição do dia 10. Se ele defende o fim do loteamento de cargos políticos com esses chupa-cabras nomeados, por que não começa no seu partido no governo do Estado? Seu ex-assessor de imprensa, por exemplo, foi nomeado presidente do Sebrae-SP. O que este indivíduo conhece de empreendedorismo? Nada, tanto como o ex-presidente da instituição, companheiro do Lula. Tenho um amigo que, enquanto se desdobrava num recente processo seletivo no Sebrae-SP, com quatro desgastantes etapas, um chupa-cabra entrava no mesmo cargo, nomeado pelo chupa-cabra diretor-presidente. É a democracia.

Carlos Rodrigues Amarula cramarula@gmail.com

Atibaia

*

PARECE BRINCADEIRA

No Brasil, onde há milhões de pessoas passando fome, 50% da população sem saneamento básico, somos  campeões mundiais da corrupção, e da desigualdade social, e a riqueza está  nas mãos de meia dúzia de gato pingado. Apesar disso, a ONU concedeu à Dilma o prêmio de maior combatente mundial da fome, pelo fato de o governo dar dinheiro de montão  a países vizinhos e países africanos, com vistas a conseguir um assento no Conselho de Segurança  da ONU –  ideia fixa do Lula, que acabou virando obsessão.  É dando que se recebe... E nós temos de pagar a conta do delírio de um megalomaníaco.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

DEVER E PODER DE FISCALIZAÇÃO

Quando da publicação da entrevista da Sra. Maria Elena Pereira Johannpeter, presidenta da organização Parceiros Voluntários, incomodou-me sua afirmação de que "Quem dá o dinheiro deve fiscalizar e controlar sua aplicação, como padrões técnicos". Não pelos padrões técnicos, obviamente. Mas pelo "deve" fiscalizar. Como o enunciado é retomado como "exemplar", como de "muita propriedade", resta perguntar: Que ética é esta, em que as organizações para funcionarem adequadamente devem ser fiscalizadas? Quem dá o dinheiro tem o poder de fiscalizar, porque em princípio nenhuma organização deveria fazer bandalheira somente por medo da fiscalização! Uma sociedade que se funda no princípio de que o governo deve fiscalizar, admite que não estando presente a fiscalização, tudo é permitido! Se é uma questão de dever, então o furto só se torna crime se o ladrão é pego pela polícia (um tipo de fiscalização); não cumprir as leis de trânsito só é crime quando há uma fiscalização (radar, polícia rodoviária) e assim sucessivamente. Parece que as organizações agem ao arrepio da lei e culpam o governo (secundados pelo jornalismo atuante entre nós) por não fiscalizar!

Não estou defendendo aqui repasses viciados de recursos a organizações, sejam elas quais forem. Estou defendendo que é crime tanto o erro no repasse viciado que parece estar acontecendo quanto as organizações acharem que somente precisam cumprir a lei face ao dever do Estado de fiscalizar. Aliás, para o pensamento hegemônico defendido em outros espaços do mesmo jornal, como um "estado mínimo" teria condições de vigilância sobre tudo e todos? O ideal de um estado mínimo é que as pessoas tenham ética que as faça agirem independentemente da fiscalização! Pobre país, quando um enunciado como o aqui comentado é considerado como exemplar e apropriado! Isto me lembrou uma antiga entrevista na televisão de um presidente de sindicato das transportadoras de gás de cozinha: havia a denúncia de que caminhões cobravam mais de 9 mil quilômetros rodados num único dia... e o presidente do sindicato das empresas teve a desfaçatez de dizer que a culpa era do governo porque não fiscalizava! Esta afirmação da Sra. Maira Elena provém de uma ética do "locupletemo-nos todos" até sermos pegos. Lastimável que tenhamos chegado tão no fundo em termos de ética.

João Wanderley Geraldi jwgeraldi@yahoo.com.br

São Sebastião

*

MANOBRA PARA BARRAR CPIS

A decadência moral começou assim. Durante oito anos o desgoverno Lula colocou sua tropa de choque para impedir ou camuflar Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs). A CPI das ONGs foi uma delas. Tanto houve razão para abertura dela, que agora descortinou o que acontecia por baixo dos bastidores. Mas no nono ano de governo petralha, já se sentem tão donos da bola que o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS) tem a ousadia de arquivar todos os pedidos de CPI, sem nem levá-la a apreciação do Congresso. O que mais podemos esperar daqui para frente? A arrogância é tanta que só falta fecharem o Congresso fisicamente porque já não servem para mais nada. Onde estão nossas autoridades para impedir esse desmonte democrático que vem acontecendo no Brasil? Supremo Tribunal Federal (STF), onde está você?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

BLINDAGEM NO DISTRITO FEDERAL

Deram início a blindagem do governador de Brasília (DF), Agnelo Queiroz (PT/DF), que está envolvido em denúncias de desvios do dinheiro público e na conhecida "roubalheira" instalada no país nos últimos nove anos. A "coisa" é antiga, desde 2003/2007, quando ministro do Esporte, como se percebe a "encrenca" vem de longe, de 2007/2010, como diretor da Anvisa. Quantos "predicados" tem o atual governador para agir sempre de maneira nada recomendável, claro que nega tudo da mesma forma que os outros denunciados, também negam. A blindagem no DF começou a nível doméstico, o corporativisto da câmara distrital venceu por 19 votos dos 24 deputados distritais – como é bom não ter oposição -, pelo menos por enquanto não corre o risco do impeachment, que bom, que bom! Os PeTistas até comemoram afirmando que: "com Agnelo não há quem possa"! Em breve vai se dar muito mal é só o povo brasileiro abrir os olhos para acabarmos de vez com a "roubalheira" instituída em nosso país, pior com a conivência das procuradorias, ministério público e judiciário. A presidente, comandada pelo ex, dificilmente conseguirá extirpar todos os envolvidos nas inúmeras ilicitudes, quer dos partidos aliados, quer do seu próprio partido, que dá um péssimo  exemplo público para toda a sociedade brasileira. Será que conseguirão fazer a blindagem no DF? Lá já passaram o Roriz e o Arruda que se deram muito mal... Como ficam os ministérios? Um dia os "ladrões" do povo vão se arrepender amargamente!

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

ASCO DE POLITICAGEM

O PT continua mandando as favas à ética e os bons costumes! Como Agnelo Queiroz (PT) é um dos denunciados por corrupção quando da sua passagem pelo Ministério do Esporte, (e com claras evidências, diga-se de passagem), com autorização do Planalto, a cúpula petista comandada pelo quadrilheiro chefe do mensalão José Dirceu, se reuniu numa churrascaria levando apoio irrestrito ao governador do DF. Em conseqüência deste corporativismo excrescente conseguiram até o arquivamento do pedido de impeachment da oposição contra o citado governador. E sabe Deus, como! E as fotos estampadas na nossa imprensa sobre este lamentável encontro festivo me fazem lembrar o dos traficantes nos morros cariocas. A diferença é que os políticos citados traficam ilegalmente influência dentro das nossas instituições com milionários desvios de recursos públicos. E os dos morros e afins, se enriquecem com a venda de drogas ilícitas.

E perante as leis, os ditos políticos vis, têm foro privilegiado, o tal que não condena ninguém no País...  E os chefes de traficantes de drogas, quando são presos...   nas cadeias têm até serviço de spa patrocinados por policiais cúmplices da bandidagem, como temos visto no Rio... Enquanto isso, a Dilma derrete seu ego, porque o “cara de pau”, e também patrocinador de ONGs fantasmas no Ministério do Trabalho, Carlos Lupi, em audiência no Congresso, como praticamente um réu, disse que “ama a presidente”... É ou não é uma degradação institucional?!...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

FESTA DA IMPUNIDADE

A descrição da festa comemorativa do aniversário de Agnelo Queiroz provocou-me a sensação idêntica  à que se tem ao abrir uma caixa de esgoto repleta de baratas e outras imundícies. Tais como estes insetos asquerosos e transmissores  de doenças, esta nata da política nacional só se preocupa  por sua própria sobrevivência e seus baixos interesses.  Deixaram de ser humanos e como as baratas, se perpetuarão, enquanto a humanidade desaparecerá, dizimada pela falta de qualidade do ensino, péssimo de atendimento médico, ausência de saneamento básico, enchentes, violência urbana, desastres  automobilísticos,  e outros problemas que deveriam ser geridos por humanos, mas foram delegados  à baratas.

Lizete Galves Maturana lizete.galves@terra.com.br

Jundiaí

*

RAPAZ DE BOA ORIGEM

O único voto do qual não tenho me arrependido, já lá se vão trinta e poucos anos como eleitor, tem sido o que venho concedendo ao agora ministro dos esportes Aldo Rebelo. Daí ter ficado um tanto decepcionado com ver sair de sua lavra juízo tão pequeno-burguês como o que emitiu em defesa do ex-ministro Orlando Silva, dizendo do mesmo ser "rapaz de [...] boa origem". Correlato do "gente bonita" que certa classe média utiliza para se referir aos que têm dinheiro, o "rapaz de boa origem" do ministro Aldo é juízo tão preconceituoso e vazio quanto, pois enxerga na pobreza o mesmo valor em si que os da "gente bonita" vêm na riqueza.

Carlos Alberto Bárbaro cabarbaro@uol.com.br

São Paulo

*

E NOSSAS PRATINHAS?

Em 5/11/2011, o Estado noticiou que Aldo Rebelo determinou o encerramento do convenio que o Ministério dos Esportes assinara com o sindicato dos cartolas, no final de 2010, e que fora totalmente pago em abril de 2011 – que absurdo, pagar tudo sem receber nada do trabalho “conveniado” –, um total de 6,3 milhões de pratas. Há pouco tempo, o Estado também entrevistara Mustafá Contursi, famigerado cartola presidente do tal sindicato, e este declarou que o dinheiro estava todo no banco, preservado. Mas e agora que o convenio foi encerrado, como ficam nossas pratinhas? Tem que devolver, sem descontos de qualquer espécie, e com os juros gerados no depósito no banco. Aldo Rebelo precisa esclarecer esse ponto, e bem esclarecido.

Sergio Lopes blackfeet@uol.com.br

São Paulo

*

FORA DO LUGAR

O agora ministro do Esporte Aldo Rebello pode ter condições de administrar o seu ministério com o estilo arroz feijão, sem sal. Fica  nítido a total falta de afinidade de Aldo com os esportes, um ministério que deveria ser comandado por um ex-atleta ou um ex-treinador, alguém do ramo que sabe onde investir e o quanto investir. O Brasil poderia ser um celeiro de atletas olímpicos se houvesse um mínimo de seriedade e boa vontade dos governos federal e estadual para investir em jovens promessas, mas como no Brasil nada se planeja, tudo acontece quando a barriga empurra para a frente, o desempenho de nossos atletas na Olimpíada de 2012 e 2016 vai ser a decepção de sempre. Podemos nos orgulhar de sermos os melhores do mundo em alguns esportes coletivos, que de olímpicos nada têm, e individuais como judô e tênis de mesa. Muito pouco, para não dizer nada!  O ministro Aldo tem uma pinta de juiz de jogo de bocha ou malha e  é uma pena que ainda não são esportes olímpicos. Ele poderia ser capitão de uma das equipes...

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

A VERDADEIRA FACE DE ALDO REBELO

Ao levar a estátua de Mao Tse Tung para seu gabinete, o “camarada” Aldo Rebelo mostra sua veneração por um homem que assassinou milhões de chineses. E também mostra quem é a “camarada” Dilma, que quis tê-lo em seu ministério.

Celso da Costa Carvalho Vidigal celsovidigal@uol.com.br

São Paulo

*

ROSA WEBER FUTURA MINISTRA DO STF

A presidente da República, Dilma Rousseff, foi muito feliz ao escolher a nobre colega bacharel em direito Rosa Maria Weber para ocupar o cargo de Ministra do Egrégio STF a maior Corte de Justiça do nosso país, na vaga deixada por Ellen Gracie, recém aposentada. Trata-se de uma polivalente magistrada do TST com relevantes serviços prestados àquele Tribunal, portadora de um conjunto de caracteres  invejáveis e tem tudo para fazer  um belo trabalho em defesa dos direitos humanos, no combate ao desemprego, haja vista que a privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. ”Assistir os desassistidos e integrar na sociedade os excluídos. É uma prova cabal de que um bom operador  direito se faz ao longo dos anos de militância forense e não com extorsão  de certos exames. Que a sua passagem pelo STF seja marcada, pela ênfase e respeito à  Declaração Universal dos Direitos Humanos, notadamente o disposto  no  Artigo XXIII -1 – Toda pessoa tem o direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, à justas e favoráveis condições de trabalho e à proteção contra o desemprego. Destarte em nome de milhares de bacharéis  de direito  aflitos, endividados e marginalizados  pelo corporativismo despótico da OAB, congratulo-me  com  Vossa Excia. por esse importante evento, lembrando que a função primordial dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder. É  preciso habilitar em vez de marginalizar

Vasco Vasconcelos vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

Brasília

*

NOMEAÇÕES DE MINISTROS E OUTROS

 

E a nós o que importa a nomeação de ministros para o Supremo Tribunal Federal (STF)? Tudo! Independe se os escolhidos são mulheres ou homens, critério que deveria ser irrelevante. São apenas 11 pessoas que podem decidir e mudar a vida de todos nós – quase 200 milhões de pessoas. Mas algo de estranho acontece quando das nomeações. Primeiro é em vista do que dispõe o Art.37 da Constituição que diz: “A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: II – a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração.” Esclarecendo: quando se fazem as ressalvas retro mencionadas, entendamos nomeações nas quais prevalecem as indicações essencialmente políticas, passando a secundários os demais critérios, sem dúvida os mais importantes e que se deveriam priorizar. Art. 101. Parágrafo único: Os Ministros do Supremo Tribunal Federal serão nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada as suas escolhas pela maioria absoluta do Senado Federal. E aqui mais um questionamento: Então o Presidente da República indica e ao mesmo tempo nomeia? Por que não as entidades às quais estejam vinculados os pretendentes a um cargo dessa magnitude não indicam um determinado número – lista tríplice de interessados, por exemplo -, criteriosamente escolhidos na forma que definirem, quando então o Senado os sabatinaria e designaria o escolhido para a sanção presidencial? Somente assim ficaria patenteado que não se trata de uma imposta nomeação onde prevalecem critérios políticos, mas sim e preponderantemente critérios de competência técnica, vivência e de méritos pessoais, nessa ordem. Estamos ainda longe de um aprimoramento desejável das nossas instituições não só pela metodologia de escolha, como também por  existir conjecturas sobre se realmente há a desejável e imprescindível independência dos indicados a assunção de cargos dessa relevância em relação a quem os indica.

 

José Hildeberto Jamacaru de Aquino hildebertoaquino@yahoo.com.br

Russas (CE)

*

SABATINA

Sugestão para a sabatina da indicada por Dilma: Vossa Excelência, para estar ministra do STF, aceita o compromisso irrevogável e irretratável de, a partir desta data, utilizar exclusivamente os serviços públicos, o mesmo valendo para seus familiares em grau próximo?… Ops, esqueci-me de que a sabatina será realizada por senadores da República…

Saulo Vieira Tortelli saulo_tortelli@msn.com

São Paulo

*

BRASIL IMITA EUROPA

Seguindo o princípio do "eu sou você amanhã", o Brasil imita a Europa em matéria de política. Se o Silvio "Burlesconi" for o sétimo líder europeu a cair, o Carlos Lupi será o sétimo ministro(?) a ser denefestrado. Nada como um pouco de cultura européia para melhorar a nacional.

Geert J. Prange prange@sul.com.br

Paranaguá (PR)

*

PRISÃO DE NEM

Com a prisão do chefe do narcotráfico Antonio Bonfim Lopes, o Nem, pelo visto, agora  o crime no Rio de Janeiro irá dar uma trégua a policia e a sociedade carioca,a não ser com a prisão do Nem,pode assumir em seu lugar o Quem, ou  o Alguém,o Porém,mas para o  bem do povo carioca e fluminense, esperamos que Ninguém venha assumir este tão escabroso cargo ,que tanta  desgraça trás às famílias e a sociedade.Parabéns aos dignos policiais que não aceitaram o suborno para dar passagem ao criminoso em fuga.Que estes sirvam de  exemplos de dignidade e honradez, a certos políticos de nosso Congresso e Ministérios,pois estamos vivendo nestes dias verdadeiros oceanos de lama na classe política nacional.O povo brasileiro agradece aos valorosos e honrados policiais cariocas pela prisão de Nem.

Walter Francisco Barros walterfbarros@yahoo.com.br

Araçatuba

*

UPP NA ROCINHA

No momento da implantação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na Favela da Rocinha e com a prisão de parte do bando de narcotraficantes e seu chefe que agia e oprimia a comunidade, um fato entre os vários emblemáticos que ocorreram, um chama a atenção e deve ser incensado por nós, opinião pública: a correta coordenação do aparato repressor entre as polícias Federal e Estadual, onde tanto a PM como Polícia Civil se houve tecnicamente perfeita.E para culminar esse exitoso entrosamento, o fato que mais nos deixa confiantes, foi a postura ética dos policiais militares que ao serem alvo de tentativa de suborno, reagiram dando voz de prisão a "escolta", tudo dentro do rigor da lei, como só é possível com o processo democrático de Direito, que estamos vivendo. Mais perfeito, impossível.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

TOTAL INSEGURANÇA, PATIFARIA E CORRUPÇÃO

Por incrível que pareça, mais de quarenta e quatro mil (44.000) pessoas foram assassinadas no Brasil. O número de homicídios não para de crescer. Atualmente somos penta campeão não só no futebol, mas também na patifaria e corrupção. Dinheiro público, dinheiro suado de empresários e trabalhadores que pagam tributações tão altas e não recebem nada em troca. Muito dinheiro é desviado para encher os bolsos dos canalhas cuja maioria do povo o elegeram e reelegeram. Cada povo tem o governo que merece. Servimos de chacota e piada, é muito triste; mas é a realidade de um povo deitado em (Berço Esplêndido), onde falta de tudo; Educação, Saúde, estradas de ferro, Rodovias, Segurança e vergonha na cara. Não é a toa que somos discriminados quando desembarcamos nos aeroportos no  exterior. Agora o Brasil esquece o povo e se prepara para a copa do mundo de futebol, verdadeira fortuna que resolveria muitos problemas brasileiros,porem para nossos governantes o mais importante, é a Copa, Carnaval, Corrupção, Samba e Pandeiro para um Brasil bem brasileiro, onde a "Ordem e Progresso" letras de cor verde, virou vermelha e  "Desordem no Congresso”. Sou aposentado, e já não recebo mais benefício e sim donativo, pois com o passar do tempo meu benefício virou donativo. (Defasagem, golpe, roubo). Fui roubado como todos aposentados que ganhavam mais de um salário mínimo. Já fui roubado em mais de três salários mínimos como a maioria dos aposentados. Embora tenha 81 anos de idade, graças a Deus, sou lúcido e tenho os pés no chão, sem medo dos mafiosos que aí estão no poder.

Mario Antiqueira m.antiqueira@ig.com.br

São José dos Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.