Fórum dos Leitores

FORMADOS EM CUBA

O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2011 | 03h05

Curso de Medicina

O governo brasileiro resolveu bancar um "cursinho" e dar uma bolsa de ajuda de custo para que médicos formados em Cuba consigam passar no exame de revalidação. Ora, todos sabem que foi estudar em Cuba quem não teve capacidade de passar no vestibular e era ligado de alguma forma ao PT. É uma afronta aos médicos formados aqui, que estudaram mais, sacrificaram-se mais e são mais competentes. Nota zero para o governo.

DEBORAH MARQUES ZOPPI

dmzoppi@uol.com.br

São Paulo

*

Validação do diploma

Mais uma vez o governo se supera! Onde está o Ministério Público (MP) para questionar mais esse absurdo? Como o governo vai criar meios para subsidiar "alunos" que foram cursar Medicina em Cuba na "validação" do diploma e ainda lhes quer pagar uma bolsa no período do curso? Ora, esses alunos simplesmente não tiveram competência/inteligência para passar nas universidades brasileiras e agora querem que nós, contribuintes, arquemos com o ônus que assumiram ao fazerem esses cursos de quinta categoria? Gostaria que o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o MP tomassem providências para barrar tal absurdo, uma vez que, quando optaram por fazer o curso fora, sabiam que não poderiam atuar no País sem a validação!

CÁSSIA CARLIN MALTEZE, médica

cassia.carlin@terra.com.br

São Paulo

*

Madureza

Só faltava essa! Um "curso de madureza" para os pseudomédicos formados em Cuba. É uma vergonha e um desrespeito aos médicos aqui formados e aos estudantes de Medicina. O CFM terá de rever essa posição, dado que até hoje seus integrantes lutam não só pela não abertura de novas faculdades de Medicina, como sempre dizem que a formação dos médicos de nossas faculdades não tem sido das melhores. São de indignar decisões dessa natureza.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

Três por seis

Antes de o governo pagar cursinho para ensinar médicos formados em Cuba a clinicar, deveria pagar cursinho para os 46% dos formandos brasileiros que bombaram na recente avaliação feita pelo Cremesp! Quem se forma em Cuba deveria ficar por lá, dando apoio aos "hermanos" Castro. Trocaram cursos de seis anos no Brasil por um de três em Cuba e agora nós é que pagamos a conta? Em vez de se preocuparem com formandos em Cuba, deveriam estar preocupados com as péssimas universidades brasileiras. Se formados aqui têm péssimo desempenho cursando seis anos de faculdade, imaginem o nível dos que cursaram apenas três. E na "próspera" Cuba, hein?

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2012

Haddad, o ungido

O PT é como o PDT da época de Brizola, faz de conta que o partido não tem dono! De farsa em farsa, vamos ver até onde esse partideco vai. Foi assim com a URSS: caiu de bruços e se afogou no próprio estrume.

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

MMDC

No mínimo em respeito aos que lutaram e até se sacrificaram em 1932, sonhando com um Brasil sério, justamente em 2012, quando se homenagearão os 80 anos da Revolução Constitucionalista, os paulistanos não podem permitir que o lulopetismo tome a maior Prefeitura do País. É uma questão de honra e de muita escolha.

LAFAYETTE PONDÉ FILHO

lpf41@hotmail.com

Salvador

*

CORRUPÇÃO

Golpe das elites?!

É uma agressão aos brasileiros escutar do PT e de José Dirceu que a campanha contra a corrupção é golpe das elites. Eu, que posso ser considerado "das elites", tive minha filha no feriado construindo casas em favelas pela ONG Um Teto para Meu País, que luta com enormes dificuldades para arrecadar dinheiro para as construções. Só no fim de semana foram 105 casas em várias comunidades. ONG séria não recebe milhões de reais do governo porque não sobra para os políticos desviarem parte do dinheiro. Portanto, o PT e José Dirceu estejam certos de que nós que não somos políticos temos absoluta certeza que este país está podre de corrupção e não queremos dar nenhum golpe, mas tornar este país mais ético.

FRANCISCO A. PEREIRA LIMA

faugplima@gmail.com

São Paulo

*

Engodo

Já passou da hora de o PT declarar que "rouba e deixa roubar". Embusteiros!

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

Ratos e queijo

O governo estuda eliminar convênios com ONGs. Creio que a moral disso tudo é: ratos incontroláveis obrigam o governo a eliminar o queijo.

CARLOS R. FERREIRA

nolasco@uol.com.br

São Paulo

*

Perguntar não ofende

O povo está curioso: por que o Paulinho da Força não usa o plenário da Câmara para defender as ONGs do ministro Carlos Lupi e do governador Agnelo Queiroz?

ROBERTO MARQUES DE OLIVEIRA

robertomarques@veseg.com.br

Paraguaçu Paulista

*

De lobbies, ONGs e limpeza

Não seria este um bom momento de montar uma ONG para arrecadar "grana" e pagar a um lobista para o governo continuar com a tal faxina - ou, no mínimo, ter uma ficha limpa?!

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

Escândalos diários

Depois do Esporte, agora é a vez do Trabalho. Quantos já se foram e quantos mais estão na lista? Para mim, Celso Daniel foi queima de arquivo. Ele descobriu algo de podre no reino petista, ia começar a abrir a boca e precisava ser morto. Foi crime de pistoleiro, os caras não levaram um tostão.

CARLOS Y. TAKAOKA

cy.takaoka@hotmail.com

São Paulo

*

UMA VIDA DUPLA

                                 

O artigo do diplomata sr. Roberto Abdenur (“Crise moral”, 15/11, A2) veio como uma bofetada  às palavras de José Dirceu, que, na tentativa de desqualificar as iniciativas da população brasileira de lutar contra a próspera corrupção vigente no País, atacou o que chamou de “luta moralista contra a corrupção”. Ora, é moralista, sim, falou o óbvio, pois, como bem disse o sr. Abdenur, vivemos uma crise moral, mais do que qualquer outro tipo de crise. Qualquer manifestação nesse sentido é para moralizar os costumes, do que José Dirceu tenta subtrair o mérito, porque  isso  o atormenta. Pudera, isso o prejudica. Não se deve levar em consideração uma pessoa que passou a vida atacando as elites, a “burguesia capitalista”, mas delas tirando proveito e como elas vivendo com muito conforto e riqueza. Ao contrário. Dirceu é o último interessado em que o Brasil se livre da corrupção, pois isso seria sua definitiva sentença de morte. Ainda exibe uma camiseta ganha da “juventude do PT”, na qual está escrito: “Contra o golpe das elites – inocente”. Para entender: a que tipo de elite está se referindo? Essa que sustenta seu rico e demasiadamente lucrativo lobby? Não vai nos dizer que é “pela causa”, né?

                                         

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

 

*

 ‘CRISE MORAL’

O artigo do Diplomata Roberto Abdenur relata de forma clara o anseio de milhares de brasileiros que acreditam na ética, na democracia, nos princípios morais estabelecidos quando o fio de barba era referência de palavra honrada. A ética como educação traz frutos de consciência, de liberdade de ir e vir, deixando de lado interesses pessoais para prosperar o coletivo. As regras devem existir e ser cumpridas. Este país era para estar num patamar muito mais alto, com uma educação forte, uma saúde bem estruturada e políticos e homens públicos defendendo os princípios estabelecidos, não fossem os desvios de conduta de homens não só na base, como diz o autor, mas na gestão dos homens públicos. Parabenizo pelo excelente artigo, o qual tenho como princípio e faço parte dos que divulgam com atos e ações dentro da minha sociedade.

Helder José Correa Humberto helderhumberto@terra.com.br

Pirassununga

*

O QUE FAZER?

Concordo em gênero, número e grau com a indignação do sr. Roberto Abdenur, nem como com as manifestações de repúdio ao cinismo e desfaçatez de José Dirceu publicadas ontem no ‘Fórum dos Leitores’. Minha pergunta: como cidadãos comuns, como eu e a maioria dos brasileiros, podem ajudar a pôr as coisas em ordem? Pelo voto já vimos que não funciona, pois qualquer dentadura, promessa de cesta básica ou Bolsa-Família compra a opinião da enorme maioria do povo ignorante e sem parâmetros éticos. Haverá solução?

Fernando Caiuby fbcaiuby@gmail.com.br

Vinhedo

*

TEMA ARRISCADO

O ex-ministro e eminência parda José Dirceu resolveu, no congresso da juventude petista, discorrer sob um tema particularmente perigoso. Mas como ele gosta de conviver com o perigo e é um confesso adepto do “falem mal, mas falem de mim”, vamos lá. O ex-ministro diz que, das lutas moralistas do passado, uma deu em Jânio e outra em Collor. Mas esqueceu a última luta moralista, aquela que, vislumbrando os problemas da privatização e compra de votos para reeleição, movida por um doutor em Sociologia, trouxe o seu oposto, um líder operário do ABC que era o paladino do partido da moralidade e no poder não cederia às classes dominantes (políticos). Deu no que deu. E agora, José (Dirceu)? Só nos restas mudar o discurso, afinal, moralidade já saiu de moda e o partido de Jânio e o próprio Collor, sem falar no famigerado Sarney, já foram cooptados.

Márcio M. Carvalho mmcoak@hotmail.com

 Bauru

*

LIÇÕES DE MORALIDADE

Sr. José Dirceu, essas lições de moralidade somente aceito de pessoas com reputação ilibada!

 

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

CINISMO

O cinismo de José Dirceu (PT) salta aos olhos e não tem limites. Ao invés de defender a ética, a dignidade e o respeito aos ideais republicanos, Dirceu vem a público para condenar aqueles que se indignam e lutam contra a corrupção no País. É triste ver pessoas que lutaram contra a ditadura no passado traírem seus ideais e se tornando cínicas e indecentes, sem o menor compromisso com a ética, a moral, a justiça e  bem do povo brasileiro.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

MISSÃO

Para Dirceu os movimentos anticorrupção não passam de movimentos moralistas, e com essa definição ele pretende desqualificar a reação que nasceu do povo. Concordo com Dirceu pela primeira vez, e se eu sou pela preservação da moral e dos costumes, inclusive no meio político, é porque me orgulho de fazer parte de movimentos por ele ditos moralistas. Se Dirceu tenta abafar as manifestações com pretensas ofensas, saiba que nos dias de hoje ser reacionário é mérito e levar às ruas a nossa crítica ferrenha contra a corrupção oficializada por este governo é um prazer e uma missão. E fico feliz por Dirceu ter estabelecido ele mesmo a diferença entre nós e eles: se para eles nós somos moralistas, é porque eles próprios se reconhecem amorais.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

QUEM TE VIU E QUEM TE VÊ

Para José Dirceu, aquele que exercia o cargo de chefe da Casa Civil do (des)governo Lulla no primeiro mandato e caiu diante do escândalo do mensalão, sendo qualificado como "chefe da quadrilha" pelo então procurador-geral da República, dr. Antonio Fernando de Souza, e é réu no processo no STF com outros 37, aguardando  julgamento, esses movimentos  sociais anticorrupção não passam de "movimentos moralistas e golpe das elites". Cara-pálida, essas afirmações emboloradas faz anos que já cansaram. Quem o conhece e quem o viu e o vê sabe muito bem quem ele é.  Um covarde, que fugiu do País e quando voltou foi se esconder numa cidade chamada Cruzeiro do Oeste, no Estado do Paraná, onde enganou uma jovem, casando-se com ela com identidade trocada, já que em Cuba havia feito uma cirurgia para modificar essa cara de... que sempre teve. Então, Dirceu deve enganar essa juventude imberbe que não conhece seu passado sujo nem sabe das falcatruas que  já fez. E agora, para continuar fazendo,  intitula-se consultor de empresas internacionais, o chamado lobista, em causa própria e de seu PT, que se diziam os arautos da honestidade e contra a corrupção. Saiba, cara-pálida, que continuaremos fazendo parte desses "movimentos moralistas", já que lutamos contra ladrões do nosso dinheiro.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

DESFAÇATEZ

Não há mais o que comentar quanto à atitude do ex-ministro José Dirceu, réu no processo do mensalão... Mas ninguém teve até hoje a coragem de enquadrá-lo por termos só covardes e oportunistas compondo o atual governo. A sua desfaçatez é tão grande que mandou fazer camisetas com a própria estampa em sua homenagem.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CAMISETA

Imaginei o verso da camiseta de defesa do Dirceu contra as "elites". Poderia ser: "Ele é apenas mais um...". Ou: "Ele foi apenas o primeiro do mensalão". Ou ainda: "O pior está por vir". E até: "Vocês não viram nada".

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

HERÓIS DA REPÚBLICA

Há 122 anos, em 1889, o marechal Deodoro da Fonseca, Lucas da Fonseca, Quintino Bocaiúva, Benjamim Constant, Rui Barbosa, Campos Sales e Floriano Peixoto praticaram um ato heroico e histórico, proclamando a República dos Estados Unidos do Brasil. Esses nomes são apenas os de alguns heróis brasileiros, para mostrar ao ex-presidente Lula e a seu PT os atos históricos registrados por grandes homens brasileiros  da época. E, na época atual, que atos heroicos o sr. Luiz Inácio Lula da Silva poderia mencionar de si próprio, de José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares, Antônio Palocci, José Sarney, os Suplicys, Renan Calheiros, Collor, Jucá e outros?

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

NA DEFESA

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, já procura outro "trabalho". A cada dia que passa surgem mais denúncias, semelhante ao que aconteceu com os outros cinco ministros demitidos pelos mesmos motivos, os quais sempre negaram, mas caíram e grande parte das denúncias foi confirmada. Agora surgem alguns defensores: Rui Falcão, presidente nacional do PT, e José Zé Dirceu, o inocente, afirmando que o governo do PT nunca combateu tanto a corrupção. Nunca mesmo, nunca combateu... Na defesa de Agnelo Queiroz (ex-ministro do Esporte, ex-diretor da Anvisa,  atual governador do Distrito Federal) e de Carlos Lupi (ainda ministro do Trabalho, expert em ONGs e lobbies, “carona em voos particulares”). Como sempre, a melhor defesa é o ataque, para tentar iludir a opinião pública, o que não "cola" mais. Além da Polícia Federal, o Ministério Público Federal também vai investigar para confirmar os desvios do erário ou deixar pra lá? Quem será o próximo? 

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

LUPI E DILMA

 Desespero, medo, provocação, gozação, deboche, maluquez ou um pouco de tudo no “eu te amo” do ministro Carlos Lupi para a  presidente Dilma? Com certeza, não deu para ninguém entender.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

AMOR SEM FIM

Lupi ama Dilma, que ama Lula, que ama Dirceu, que ama Palocci, que ama... O amor é lindo.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

CAFONICE

Sucesso do momento nos corredores de certo ministério:

"Eu não presto, mas eu te amo!"

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

MINISTRO FANFARRÃO

Presidente Dilma, o que é mais relevante para o Brasil, manter um ministro fanfarrão, com declarações polêmicas e mentirosas, para não perder 26 votos na Câmara e cinco no Senado, ou demiti-lo, para o bem do interesse coletivo?

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

POLÍTICA BICHADA

A política brasileira está bichada, como a bela goiaba que colhemos no pé e ao mordê-la nos decepcionamos. Isso acontece em razão dos conchavos e acordos político-partidários para chegar ao poder e dividir o bolo dos favores entre a corriola ávida e faminta. O fato de sabermos ou não escolher os nossos dirigentes e representantes não lhes dá o direito de praticarem o que claramente sabem que é ilícito, não existe no planeta ser humano que desconheça a lei da razão. Do contrário nasceria bicho e no lugar da razão teria instinto. Acho que é o que está acontecendo.

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

Matão

*

CORRUPÇÃO

Será que, diante de tanta corrupção dentro desse governo

petista, ainda tem gente com coragem de apoiar esse governinho cheio de escusas ações?

Antonio Ranauro Soares antonioranauro@bol.com.br

Sete Lagoas (MG)

*

DILMA PRECISA COMEÇAR A GOVERNAR

Muita gente ironizou a presidente Dilma quando ela afirmou que ia fazer uma faxina e acabar com a corrupção no governo. A linguagem foi simples, afinal, um chefe de governo tem de falar a linguagem do povo  para ser entendido por todas as camadas  da população. Disseram que a presidente estava sendo simplória, que era uma faxineira, e não a mais alta autoridade do País. Dilma não ligou nem respondeu às críticas. Simplesmente agiu. A cada nova denúncia, não tomou providências açodadas nem agiu no calor dos acontecimentos. Deu aos acusados todo o direito de defesa, guardando a devida e sempre prudente distância emocional dos fatos, tão necessária em qualquer julgamento e em toda justa decisão. Mas quando as denúncias ficam provadas e a culpa dos acusados é inquestionável, os envolvidos são demitidos. A presidente deve entender que não deve explicações a políticos corruptos e negocistas, pertençam eles a qualquer partido. Sua base aliada é uma colcha de retalhos da pior qualidade. No dia em que a presidente se convencer de que só deve satisfações ao povo brasileiro e agir seguindo os ditames de sua consciência, deixará de ser refém e de sofrer pressões e tentativas de chantagem dessa malfada "base afiada", que só lhe tem causado dissabores,embaraços e constrangimentos. Esses seus "aliados" no Congresso têm atrapalhado seu governo, mais que a própria oposição. Dilma foi eleita pelo povo em eleições livres, limpas e democráticas e tem de se convencer de que sua força política independe de quaisquer dessas alianças espúrias com essas velhas raposas, essas tristes e desacreditadas figurinhas carimbadas da política brasileira. O governo Dilma Rousseff já vai fazer um ano e a presidente tem perdido mais tempo com crises criadas por autoridades que lhe foram impostas pela base, que diz garantir a governabilidade do País. Pura balela! Para tirar qualquer dúvida basta que a presidente mande fazer uma pesquisa de opinião e verá que a pessoa Dilma é aprovada pela maioria da população. Já seus auxiliares são totalmente desaprovados. É chegada a hora de uma ampla reforma ministerial. Só assim a presidente poderá dar ao Brasil o governo que prometeu e que todos esperam que ela faça. O País não aguenta mais uma crise a cada mês. Basta!

José Carlos Werneck jc_werneck@hotmail.com

Brasília

*

HAJA DESPERDÍCIO...

Se nos EUA, na Alemanha e na França que são países ricos e desenvolvidos, seus governos administram a máquina pública com somente 15 ministérios, por que no Brasil, que ainda é uma nação pobre, a gestão federal petista irresponsavelmente mantém 38 ministérios? Na era FHC eram apenas 23! Mais um dado importante para o leitor: a Índia, que tem uma população cinco vezes maior que a brasileira, tem só 13 ministérios! Na época do governo tucano o Palácio do Planalto tinha 1.800 funcionários e agora, com o PT no poder, são 3.800. Para cargos de confiança a atual gestão contratou 21 mil camaradas, no governo do PSDB eram 9.500. Não por outra razão o crescimento do PIB nestes últimos nove anos tem uma média medíocre, abaixo de 4% ao ano. Nível de investimentos irrisório. Além da saúde, que é um caos, e da qualidade da educação, que não evoluiu nada! O que evoluiu no petismo, e é incontestável, foram a corrupção e o desperdício com gastos improdutivos. Precisa mais explicação...?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

TURBULÊNCIA GLOBAL

A turbulência global financeira de nossos dias, oriunda da crise de 2008, está, segundo os melhores analistas, longe de terminar. Agora o mundo se volta preocupado com a Itália, que tem a credibilidade de seu premier posta em cheque. O que se tem de novo é a conscientização de que temos de refundar o capitalismo com preocupação social, única forma para se debelar a atual crise e termos um longo ciclo de paz e crescimento na economia global.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

A RENÚNCIA DE BERLUSCONI

É uma ótima notícia para os italianos, para a Itália e mesmo para o mundo, a renúncia do primeiro ministro Silvio Berlusconi. Demorou. Em 10 anos, Berlusconi mergulhou a Itália em grave crise econômica, com o mais baixo crescimento de toda a Europa. Mais do que isso, ele desmoralizou seu país, tornando-o motivo de piadas em todo o mundo, devido á corrupção, escândalos sexuais e vexames. Berlusconi representa o que há de pior na política e só se manteve tanto tempo no cargo através da corrupção e do abuso do poder econômico. Oxalá a Itália reencontre o seu bom caminho e volte a ser uma grande nação.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

DÍVIDA E JUROS BRASILEIROS

O Brasil ainda tem, vergonhosamente, as maiores taxas de juros do mundo, com persistente endividamento, lastro do atual mecanismo monetário, proporcionando danoso impacto orçamentário para o País e seus cidadãos. Reforça a discussão ampla sobre o assunto o contexto de graves crises financeiras internacionais, indicando que essa discussão deve ser mais bem visualizada por toda a sociedade, com uma ampla auditoria da dívida pública brasileira, de modo totalmente transparente, a ser divulgado sistematicamente pela mídia, afastando a ausência de publicidade adequada – algo nada democrático – que é motivo de reclamação sobre o tema pelos vários grupos que questionam o capitalismo atual e seus mecanismos de controle e de criação de dinheiro.

 

Renato Wieser renato_wieser@yahoo.com.br

Juiz de Fora (MG)

*

ARITMÉTICA

Parabéns a Dona Dilma. Sendo os juros reais, grosso modo, a diferença entre os juros nominais e a taxa de inflação, no passo com que esta última anda, em breve teremos os juros reais menores do planeta.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

OS SALÁRIOS MÍNIMOS EM 2012

É bom observar que os aumentos de 30%, na Venezuela, e 20%, na Argentina, mais refletem o caos, o desvairo e o descontrole socio-politico-econômicos institucionalizados naqueles países do que propriamente consequências benéficas do sucesso de iniciativas de renda e emprego. A relevância desta observação, para nós outros? Contribuir para evitar que os ilusionistas de plantão explorem, por má-fé ou ignorância, a imagem de que Chávez e Christina são o Casal Noel latino-americanos... Aproveito o ensejo para perguntar: como dar credibilidade a estatísticas sobre emprego no Brasil, em que metade da mão de obra está na informalidade? Não seria a bravata do pleno emprego no Brasil mais um engodo?

Saulo Vieira Tortelli saulo_tortelli@msn.com

São Paulo

*

PINÓQUIOS E PACS

“O Tribunal de Contas da União (TCU) pediu a paralisação de 26 obras do governo federal, a maior parte relacionada ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)”. A sigla PAC serviu de trocadilho para “Paquiderme”. Mas os paquidermes são enormes e pesados, fáceis de serem vistos e consequentemente de serem abatidos. “Segundo o relatório, das 26 obras onde o TCU encontrou irregularidades “gravíssimas”, 11 são reincidentes do ano passado, quando um acordo evitou a paralisação delas. As demais são empreendimentos deste ano. “Os maiores problemas que nós encontramos são superfaturamento e sobrepreço”, disse Carreiro (Agência Brasil, Estado). Mas, depois desta segunda parte da notícia, a reincidência deixa perceber que a justiça está mais cega que “rinoceronte”, e sem o faro do animal, para exigir transparência e apuração que resulte em punição dos envolvidos. Com essas obras paquidérmicas e justiça de “quelídeos” (cágados), no país “auto-suficiente em petróleo” e “importador de álcool”, Pinóquios seriam campeões de salto com vara, usando apenas seus narizes! E o PT, na liderança das medalhas de ouro, na disputa de “conte o melhor causo”.

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

*

CONJUNTURA E MÍDIA

Sobre o que tem se passado no atual momento político deste país de gestores sem gestão e projetos, da inércia e quase nula oposição, da corrupção desenfreada que inviabiliza o futuro de nossas crianças e jovens, recursos estes que são desviados para o bolso de poucos e que poderiam estar sendo aplicados na melhoria principalmente de hospitais, escolas, segurança e infraestrutura. Na realidade presente, o que me parece problemático é a polarização que se impõe ao debate político em boa parte da mídia, sobretudo na esfera dita "de opinião", seja ela de apoio ou não ao governo federal. O modo como questões práticas da atuação do governo se deixam reduzir a um abstrato singular entre “direita-esquerda”, em declarações e embates de valores que acabam por distorcer a percepção dos brasileiros da “real importância da esfera pública”, desviando o foco das questões concretamente necessárias. A corrupção é algo que aflige o Brasil em todos os ditos poderes, sem restringir-se a um partido específico, o que indica não ser uma exclusividade da esfera pública e que muitos na iniciativa privada lucram com a cupidez da classe política como um todo. Percebê-la como uma questão partidária, ou mesmo ideológica, apenas abstrai a sua capacidade de transcender essa barreira botando por terra a já corroída influência dos valores ideológicos no cotidiano prático da dinâmica pública em nosso país. São poucos os momentos onde se vê embates realmente produtivos e de valores ideológicos no Congresso Nacional e legislativos estaduais e municipais que transcendam ao superficial campo das denúncias e declarações vazias, possibilitando o nascimento de verdadeiros programas nele inspirados. Nossa vida pública é regida por interesses primários e diante da pouca participação popular em questões públicas ou ideológicas, sempre acabam favorecendo coligações espúrias que reduzem a coletividade a massa de manobra destes mesmos Partidos. Assim, cria-se a abstração do debate público e às polarizações ditas “ideológicas” são utilizadas para distrair a população da realidade e desperdiça o potencial construtivo do embate de opiniões interessado à atuação do governo. É quase uma inversão dos papéis tradicionais, e a mídia, que nas vestes da imprensa deveria ver além do embuste ideológico que recobre os reais interesses dos atores políticos, se limita a debater estes, deixando a classe política livre da necessidade de apresentar ações motivadas em princípios coletivos “servir ao povo”. Há de se incentivar as pessoas de bem a voltarem a ter seu foco para a verdadeira política, tenha ela a ideário que tiver, participando de debates a até se candidatando nas eleições futuras, além de cobrar efetivamente de seus representantes, para assim, altivamente mudarem o atual estado das coisas.Não manter um olhar distante dos políticos e da política é dever de todo cidadão brasileiro, para que sejamos realmente seja admirados como nação e prevaleçam os interesse coletivos deixando legado as futuras gerações.

Alvaro Bertoli alvarosheriffloripabertoli@gmail.com

Florianópolis

*

BRASIL PRIVATIZADO

Parei para refletir sobre a condução pelos diversos políticos/partidos na liderança do nosso Brasil, após a saída do último presidente militar e fiquei muito triste ao analisar, o quanto de tempo estamos perdendo pela má gestão do poder público no que tange a progresso, eficiência, organização e muito mais, pois os nossos impostos pagos poderiam trazer vários benefícios para a população brasileira. Vamos aos fatos: A título de exemplo vou citar 3 (três) empresas públicas que foram privatizadas (Vale do Rio Doce, Embraer e o sistema Telebrás) e hoje são modelos de empresas progressistas. A Vale, quando privatizada, tomou uma série de medidas, dentre elas, diminui o número de Funcionários, colocou metas a serem cumpridas e cobrou eficiência de toda a Organização. Para se ter uma idéia de como esta empresa cresceu sob o domínio da gestão privada, suas ações valorizaram 500% (quinhentos por cento) nos últimos 5 (cinco) anos. A Embraer, enquanto empresa pública, tinha como seu maior cliente, a Aeronáutica, ou seja, outra empresa pública. Quando foi privatizada, abriu-se para o mercado externo, gerando divisas para o País, Concorrendo diretamente com a Bombardier Canadense. A privatização do  sistema Telebrás, foi a mais benéfica  para a população brasileira. Antes da privatização, um telefone demorava por volta de 3 (três) anos para ser instalado e tinha alto custo financeiro, ou seja , somente as classes “A” e “B”, tinham condições de adquirir tal produto de suma importância. Após a privatização, até pessoas que moram debaixo do viaduto possuem telefones celulares, ou seja, a telefonia foi popularizada. Ao ver como foram bem-sucedidas as privatizações, venho-me a idéia de como seria bom para o Brasil a privatização do tripé sempre utilizado em campanhas políticas por nossos governantes: Educação, Saúde e Segurança. Vejo a educação pública como uma farsa, pois, o gestor público quer apenas mostrar com números, que por sua vez, são transformados em percentuais eleitoreiros mostrados na mídia falada e escrita, que a educação vai muito bem, que o Brasil tem menos de 1% de analfabetos e 99% dos alunos freqüentam as escolas.  Mas por que será que nas Escolas públicas existem violência, desmotivação da classe de professores e salas de aulas sem condições básicas. Por que os filhos de nossos políticos não estudam em Escolas públicas? A Organização Mundial de Saúde (OMS) , classificou o Brasil como o 125º lugar no ranking mundial pela qualidade de atendimento da saúde pública oferecido ao povo brasileiro, isto quer dizer que estamos abaixo de países como Bósnia, Líbano, etc... Ora não precisamos  visitar várias cidades, para constar que a Saúde brasileira está com AVC (acidente vascular cerebral)  na UTI. Para onde vão os nosso dirigentes políticos, quando estão enfermos, será que procuram um Hospital público?? Não. Eles vão para o Hospital Sírio-Libanês, Beneficência Portuguesa em São Paulo, Mater Dei em Belo Horizonte, ou irão se tratar na Europa e Estados Unidos, para evitarem qualquer risco. A nossa segurança pública, é caso de polícia. O aumento da sensação de insegurança, nos faz sentir que estamos entregues a própria sorte.

A ineficiência na correção e prevenção policial, junto com a superlotação nos presídios brasileiros e o tratamento materno com o menor infrator, representam a fragilidade da segurança pública brasileira. Proponho a privatização do tripé, tão falado nos comícios públicos e tão esquecido após as eleições. Quais os benefícios teríamos com a gestão do tripé: Educação, Saúde e Segurança,  pela iniciativa privada: eficiência; fim da distribuição de ministério/secretaria, como se fossem capitanias hereditárias, no tempo do Brasil Colônia; fim do cabide de emprego; impostos mais bem aplicados. Ao propor a privatização do tripé público, que são setores tão importantes para a sociedade brasileira, quem sabe teremos os mesmos êxitos que tivemos com as empresa citadas acima (Vale do Rio Doce, Embraer e o sistema Telebrás).

Elcio Elieser Salomão Elcio@tecnosys.inf.br

Belo Horizonte

*

ELEIÇÕES 2012

Não sou petista, nunca votei no PT por consequência, na Dona Marta também não, mas vejo esta senhora como o mais forte nome da sigla para disputar a Prefeitura de São Paulo.  Infelizmente, a ex-prefeita deu uma demonstração de total subserviência ao partido e seus caciques que, de uma tacada só, calaram a sua voz, a do seu ex-marido e ainda impingiram goela abaixo o nome do trapalhão ministro da Educação, Fernando Haddad. Mais uma vez, ficou patente que o PT só tem coadjuvantes, que obedecem ao comando do ex-presidente que

por sua vez ainda faz o que quer, quando quer e com quem quer.

Cabe agora, aos partidos de oposição, a união de forças para impedir a realização dessa manobra petista, livrando a cidade de São Paulo de mais um paraquedista de momento que ENEM sabe onde fica Itaquera.

Renato Queiroz Telles Arruda renato@rigelmoveis.com.br

São Paulo

*

PRÓXIMA DISPUTA

O povo brasileiro precisa urgentemente de acordar e dar um basta  nessa proliferação inconteste de sindicatos e de ONGs que vem dominando o país desde o ano de 2002. Se continuarmos aceitando as coisas como elas estão acontecendo,  vamos todos nós parar no fundo do poço.  Não tenho mais dúvidas que essas novas entidades  estão sendo  criadas para se unirem as demais que, acobertadas financeiramente vão  garantir os desejos do ex-presidente Luiz Inácio lula da Silva e da presidente Dilma,  a perpetuação dos “guerrilheiros” nos Poderes da Republica. Precisamos ficar com os  olhos  vivos nas próximas  eleições. Com certeza eles vão trabalhar para garantir a próxima disputa.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

ABRA OS OLHOS...

Até os japoneses da Sony conhecem, em profundidade, a periferia de São Paulo. Já o candidato petista à Prefeitura, conhecendo a cidade como conhece Educação, confunde Itaim Paulista com Itaim Bibi. É um calhambeque, bibi... um ato falho, sempre falhando.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

DESASTRADO

E Fernando Haddad ainda quer ser prefeito de São Paulo... Com as declarações desastradas dos últimos dias, não vai longe.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

ALTA PRETENSÃO

O ministro da Educação, fernando haddad (minúsculo, por favor), alem de só fazer besteira no Enem, apoiado por um analfabeto (“cara”), agora quer ser prefeito de São Paulo. Se não sabe dirigir um ministério, que dirá ser prefeito da maior cidade do País. Que ele vá dormir, e que pedisse demissão, para fazer parecer que tem caráter...

Delcio da Silva delcio796@terra.com.br

Taubaté

*

RELEMBRANDO...

 

Mais um ano com problemas nas questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Das duas uma: ou se acaba com o Enem, ou se acaba com a incompetência do ministério da Educação.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

LULA QUE ELEGER OUTRO POSTE

 

Não vejo motivo algum para os tucanos estarem felizes pela desistência da Martaxa em concorrer a prefeitura de São Paulo, até porque creio eu existir no eleitorado paulistano analfabetos em numero suficiente para votar em quem o "padim" Lula mandar e ele fará isso por dois motivos: primeiro porque ele quer provar que assim como elegeu um poste para presidente da República, sua Criatura, também elegerá outro pior ainda, o atual sinistro da educação. Depois,  le não suporta  até hoje não dominar nosso Estado e ganhar a prefeitura paulistana seria o começo disso, a cereja do bolo.  Até sua doença vai ajudar, porque já o estão considerando um "santo", por enfrentar  um mal terrível que em seu caso está sendo tratado num dos melhores locais do país com chances  quase totais de cura, diferente de milhões de brasileiros que morrem ao abandono do Estado desassistido por um Sistema Único de Saúde (SUS) que o Lula divulga como perfeito.

 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça 

*

ADOLESCENTE REBELDE

O PT está usando a tática infantil do adolescente rebelde para enrolar os incautos, que por total falta de informação possam ser eleitores, o candidato do PT é falado em revistas "cult" por gente que não mora em São Paulo, ou até no exterior, e tem sempre a informação tola: Oh, precisamos votar em fulano, ele é de esquerda, como se isto fosse credibilidade, e o pior é que existe uma ala de intelectuais, artistas e estudantes, que não aprendem, tenho muita fé que São Paulo não caia em mãos mafiosas, digo fé, afinal se depender do Alckmin ou do PSDB, São Paulo está quase entregue , eles não fizeram nada ainda para nos livrar do perigo iminente, parecem " mortos vivos" outros políticos que gostem de São Paulo devem fazer algo urgente, já deu para ver como estamos presas fáceis para ser tomado o ultimo reduto de oposição a bandalha, socorro!

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

SAÍDA HONROSA

A saída da Dona Marta foi simplesmente vergonhosa. Praticamente expulsa pelo próprio partido do Zé, e ainda vai fazer campanha? Vexame.

José Luiz Tedesco tedescoporto@hotmail.com

Presidente Epitácio

*

NÃO MERECEMOS

Vamos, Dona Marta... solte a mulher tinhosa que habita seu âmago – mude de partido. Já pensou o cidadão tendo de escolher entre Fernando Haddad e Gabriel Chalita? Ninguém merece!

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

SOLIDARIEDADE

Gostaria de cumprimentar a senadora Marta Suplicy que mesmo sabendo que seria a candidata do PT com mais chances  de se eleger de novo prefeita da cidade, abriu mão por solidariedade ao Lula que no momento luta contra um câncer e tomara que se recupere o mais breve possível. Temos que reconhecer esse lado humano da nossa senadora também. Enquanto alguns petistas de ocasião aparentam estar ajudando ao partido, a Marta uma petista da cepa dá esse lindo exemplo de humanismo e verdadeira amizade ao Lula.  Isso é uma realidade inconteste Essa atitude dela tem que ser reconhecida sempre, bem como à presidente  Dilma que teve ativa participação nesse gesto da senadora em consideração ao estado de saúde do ex-presidente.

Luiz Alberto Duarte carfrandua@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

A ÚLTIMA CIDADELA

Excetuando-se a desistência por obediência a Lula e Dilma, dos pré-candidatos, senadora Marta Suplicy e o senador Eduardo Suplicy, e, ainda Aloizio Mercadante, ministro da Ciência e Tecnologia, que preferiu não trocar o emprego certo por uma derrota inglória, ainda sobram 14 candidatos à prefeitura da cidade de São Paulo. Um verdadeiro convescote que parecem concorrer, não a uma das maiores cidades do mundo, mas a uma vila qualquer do interior.A cidade que sempre desafiou os mais experientes políticos paulistanos, não pode, na hora de escolher seu timoneiro, escolher um grumete sem experiência administrativa. Gente, São Paulo é coisa séria. Positivamente está faltando Semancol nas farmácias. Vanitas vanitatum et omnia vanitas (Eclesiastes 1:2) – 'Vaidade das vaidades tudo é vaidade.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

CANDIDATOS

Uma vez declarada oficialmente a desistência de todos os candidatos a Prefeitura de São Paulo pelo PT, a favor do candidato do "cara" Fernando Haddad. Acredito que ainda restará um round decisivo neste combate entre Lula e Michel Temer, o qual tem candidato próprio pelo PMDB, que é o deputado federal Gabriel Chalita.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

BRASIL DOS TOLOS E TIRIRICAS

Dá pena ver como certos  homens são feitos bonecos nas mãos de Lula. O ditador fala e todos abaixam a crista. Dona Marta abriu a porteira por onde passou o senador Suplicy, mais desacreditado que nota de 3 reais. Oportunamente virão os demais pretensiosos petistas fantoches, Carlos Zarattini e Jilmar Tatto, ao governo do município de São Paulo. E por que toda essa demora em desistir da candidatura? Para manter a propaganda eleitoral em franca atividade. O TRE fecha os olhos e assim o PT de Lula começa a campanha muito antes da lei autorizar. Fernando Haddad, o ministro trapalhão, entra na corrida para a prefeitura de SP e facilita o trabalho da presidente que não precisará demiti-lo pelos maus serviços prestados à Educação. Uma saída pela tangente que não será notada pela imensa maioria daqueles que acreditam  nas  mentiras contadas por  Lula. Pobre Brasil, um país de tolos e tiriricas.

Izabel Avallone  izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

PAULISTANO SOFRE

O péssimo prefeito Gilberto Kassab, o príncipe dos novos partidos, o rei das inundações, felizmente não vai deixar sucessor. O Lula mede forças para mais um incauto a sentar no trono que um dia foi ocupado por Olavo Setubal, Figueiredo Ferraz, Faria Lima e outros bem intencionados. Mais uma nádega inexpressiva, se eleito for! Dona Marta Suplicy, uma péssima funcionária, também queria a boca. Ela mendigou, implorou votos para o Senado e, agora, queria largar o emprego pela metade. Que papelão, pensa que a vida é relaxar e gozar. Nós, habitantes da cidade extremamente mal cuidada, vamos sobreviver ao mais próximo desastre eleito – e, se sobrevivemos ao governo Sarney, será fácil até. Em breve começa tudo de novo, os pontos de alagamento, as enchentes, a falta de luz, os buracos e as mesmas desculpas idiotas de sempre.

Mauricio Villela mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

*

PEDÁGIOS

Nova fórmula de cobrança de pedágios: o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, está cumprindo as promessas de campanha ou já esta preparando o caminho para a reeleição? E quantos outros projetos, promessas de campanha, estão engavetados? A reeleição criou estrategistas que estão no poder para se locupletarem e se esquecem que um ano sem investimentos em uma metrópole como São Paulo significam no mínimo dez anos de atraso. Engana-me que eu gosto.

Angelo Antonio Maglio angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

*

O GOVERNO ALCKMIN E OS INSTITUTOS DE PESQUISA

O uso da ciência na obtenção de conhecimentos para geração de tecnologias é prioridade que deve ser reconhecida por dirigentes e postuladores de políticas públicas, constituindo estratégia de sobrevivência para nações soberanas. A Declaração sobre o Uso do Conhecimento Científico formulada na Conferência Mundial sobre a Ciência (Unesco-1999) demonstra a necessidade de união e colaboração efetivas entre todas as áreas de conhecimento, principalmente no uso de estrutura e envolvimento de pesquisadores qualificados. São Paulo possui, ainda, Institutos de Pesquisa com condições de dar suporte no atendimento estratégico das necessidades de sua população tendo como base a ciência e tecnologia. Porém, não há sensibilidade no sentido de que a geração de novo conhecimento produz um enriquecimento educacional cultural e intelectual, levando a avanços tecnológicos e benefícios econômicos. É fundamental um alerta: a inovação tecnológica não é imediata ou linear, depende principalmente de equipes competentes e que foram precedidas por iguais e que atuarão necessariamente na estruturação de futuras. Os Institutos de Pesquisa devem ser fortes, devem facilitar o treinamento científico, promover a compartilhamento da atuação de seus pesquisadores e efetiva difusão da informação científica. Neste sentido é preocupante o texto e causa frustração o informado por J. Mauricio Murgel (Estado, 26/9/2011, Fórum dos Leitores), sobre a desestruturação e desestabilização dos Institutos de Pesquisa de São Paulo, causadas pela desigualdade estabelecida na carreira da Pesquisa Científica entre pesquisadores do mesmo nível e funções: a progressão por mérito é anulada na medida em que fica vinculada a decisões judiciais que tem sido desiguais para méritos iguais. Nosso sistema de pesquisa é suficientemente competente de maneira que possamos prescindir de nossos Institutos de Pesquisa, sem nenhum comprometimento futuro? Quando estaremos à altura de pesquisas atuais e altamente qualificadas, como por exemplo, das que foram desenvolvidas por C. Venter e equipe que obteve o primeiro genoma sintético de uma bactéria, vislumbrando sensacionais domínios para aplicação desta revolução científica? O que realmente querem nossos postuladores de política científica em relação aos Institutos de Pesquisa de São Paulo?

Francisco J. N. Kronka, pesquisador científico e ex-diretor geral do Instituto Florestal de São Paulo cidakronka@globo.com

São Paulo

*

SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NA AMÉRICA LATINA

Com relação ao artigo Sociedade civil e educação na América Latina (8/11, A2), do representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid) no Brasil, a pajelança continua em alta na ONU e no Bid. Mobilizar a sociedade civil para proceder a melhora da educação, porque a obrigação do Estado não é cumprida. A corrupção resolveria a educação e a saúde juntas! Na Idade Média, a educação era "privilégio" dos conventos e mosteiros, o cristão era proibido de ler a Bíblia, saber ler era privilégio dos "pajés" e de poucas elites aristocráticas, etc. etc. A ignorância é o segredo dos "dogmas de fé". É exatamente essa forma de "governar" que ainda impera no país, e surgimos com essa história de mobilização civil! Imagine se os EUA há séculos, ou a Ásia recentemente tivessem de adotar a pajelança de "mobilização civil", enquanto os caciques e pajés continuam mentindo para governar. Os caciques de hoje são os economistas e políticos, que desalojaram os dogmáticos religiosos, mas a pajelança continua a mesma.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

A CARREIRA DE PROFESSOR

Hoje, no Chile nada é mais importante do que a educação. “Os países que têm uma boa educação valorizam os professores, atraem talentos para a docência, dão boa formação e condições para se desenvolverem como profissionais pensantes (Hocchscild)”. Atrair talentos para a carreira de professor não é uma preocupação exclusiva do Brasil. O Chile, tido como referência em educação na América Latina – o país obtém os melhores resultados em avaliações internacionais, como o Pisa – também tem dificuldade em atrair para a profissão os melhores alunos do ensino médio e, uma vez que eles já estão estudando, oferecer uma boa formação aos futuros professores. Com o intuito de modificar essa realidade, uma ação público-privada que envolve campanhas publicitárias, palestras, visitas a escolas, pesquisas e políticas públicas chamada Elige Educar está sendo realizada desde 2009. Em um ano a iniciativa conseguiu elevar de 30% para 40% o percentual de estudantes que obteve as melhores notas na avaliação realizada ao final do colégio (o Enem chileno) e escolheu a carreira de professor. Hoje, no Chile nada é mais importante do que a educação. Mas diferente do que ocorre no Brasil, onde um déficit de professores se aproxima, no país vizinho esse não é um problema. Apesar de entre as classes sociais mais altas a carreira ser pouco valorizada, entre as mais baixas muitos optam pela docência. As faculdades oferecem cursos com baixo custo e muitas pessoas sem vocação acabam estudando para dar aulas porque não vêem outra oportunidade na vida. Nos últimos anos, as matrículas para carreiras de educação cresceram – existem 190 mil professores formados e outros 110 mil estudando para a carreira. Com o Elige Educar, o número de interessados só tende a aumentar porque uma campanha publicitária apresenta depoimentos de professores bem sucedidos em horário nobre na TV.

Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo

*

A IMAGEM DO BRASIL

Em qualquer momento histórico que estudarmos, em qualquer solução que tivermos de desenvolver para solucionar um impasse, temos de recorrer ao passado e desvendar as origens para o problema. Da mesma forma como historiadores recorrem ao Império Romano para descobrir que a origem do conflito do Tempo presente de Israel e seus arredores está na diáspora que outrora os judeus sofreram, a educação no Brasil deve ser analisada nas raízes a que foram impostas. Como em pleno século de desenvolvimento ainda existam crianças que são semi-analfabetas estudando na 4ª série? A preocupação não deveria ser com a imagem que o Brasil passará para fora, mas com a imagem que o Brasil passará para o próprio Brasil.

Pedro Beja Aguiar pedrobejaaguiar@gmail.com

Rio de Janeiro

*

SEM LIMITES E SEM QUARTEL

 

O meu dicionário, que já perdeu seu valor para os outros, por conta do recente e esdrúxulo acordo ortográfico e deve perder ainda mais, depois da recente prática do Ministério da Educação e Cultura (MEC) no uso informal da língua, adotando livros que ensinam a falar errado, porque "falar corretamente é elitismo". Cada qual puxa a brasa para a própria sardinha e, deixem de fora os gatos... E as trutas? Isto não é piada minha, não! É a mais pura e triste realidade, como reais são as notícias sobre os "extras" de alguns ministros de Estado da Bruzundanga. Eu classifico como "extras", só por causa de meu dicionário, talvez meio defasado e que me faz perder a confiança neste velho companheiro, que é herança de meu pai. Ainda assim, vamos lá a ver o que significa a palavra ministro e vemos que dentre as muitas acepções está "intermediar"; pois é o que vêm fazendo alguns mui dignos assessores diretos da dignitária maior da nação bruzundanguense. Cada um – especialmente lá em cima – pode interpretar os dicionários como melhor lhe aprouver ou de acordo com as suas mais íntimas carências morais ou, quiçá, econômicas. Assim, a toque de caixa e ao som de trombetas, lá se vai parte da tropa ministerial cuidando de intermediar negócios que não são do estado e, com isso deixam-no cada vez mais em evidência, com suas tetas alongadas pelo uso... Que uso! Como são elásticas as velhas tetas da rês pública.

 

Carlos Delphim Nogueira da Gama Neto carlosgama@conjeituras.com.br

Santos

*

EXAME DE ORDEM, CONSTITUCIONAL  

Na qualidade de quem acabou com o entulho burocrático do governo do Distrito  Federal, anos atrás; o 1º cidadão brasileiro que mesmo  ainda não sendo senador da República teve  um Projeto de Lei aprovado por unanimidade no Senado Federal (PLS nº104/96) dispondo sobre a criação do dinheiro em Braille para facilitar a vida os deficientes visuais  e o  1º operador do direito brasileiro que mesmo antes de obter registro na OAB a ter sua tese defendida dia 26/10 p.p. no plenário do egrégio Supremo Tribunal Federal (STF), pelo eminente Advogado Ulisses Tomazini, quero congratular-me com o Dr. Ophir Cavalcante, presidente da egrégia Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pela sua vitória  histórica junto ao  STF, o qual julgou por unanimidade, constitucional,  o Exame de Ordem. Como jurista mantenho minhas convicções, porém me curvo  e  reconheço a derrota perante a decisão da Suprema Corte de Justiça. Lamento que os eminentes  ministros da Casa de Suplicação  terem olvidado  de mencionar em seus votos  relativo ao RE 603.583, o disposto no  art. 43 da LDB (Lei 9.394/96 (LDB) que a educação superior tem por finalidade formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais;  art. 48 que os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular;  art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) “Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas. Que  segundo o dicionário Aurélio, advogado é o "bacharel em Direito legalmente habilitado a advogar, i. e., a prestar assistência profissional a terceiros em assunto jurídico, defendendo-lhes os interesses, ou como consultor, ou como procurador em juízo. Se olvidaram, outrossim,  de dizer que a privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. ”Assistir os desassistidos e integrar na sociedade os excluídos.” Que os atentados contra os Direitos Humanos terão repercussão nacional e internacional, por serem considerados “bien commun de l’humanité” e crime de lesa humanidade;  que está insculpido na Declaração Universal dos Direitos Humanos, um dos documentos básicos das Nações Unidas e foi assinado em 1948. Nela estão enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Está previsto Artigo XXIII 1: toda pessoa tem o direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, à justas e favoráveis condições de trabalho e à proteção contra o desemprego. Os documentos que o Brasil é um dos signatários, impõem a obrigação de tomar medidas para garantir o exercício do direito ao trabalho como meio de prover a própria vida e existência. Que a função primordial dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder. Foi indubitavelmente uma  fantástica vitória  da OAB e uma humilhante derrota para os Direitos   Humanos. Ensina-nos  Ruy Barbosa (Comentários, Homero Pires, v.6, p.40), “demonstrada a aptidão profissional, mediante a expedição do título, que, segundo a lei, cientifica a existência dessa aptidão, começa constitucionalmente o domínio da liberdade profissional”. “A injustiça, senhores, desanima o trabalho, a honestidade, o bem; cresta em flor os espíritos dos moços, semeia no coração das gerações que vêm nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade [...] promove a relaxação, insufla a cortesania, a baixeza, sob todas as suas formas." Em face da decisão em tela, da obrigatoriedade do Exame de Ordem para todos os Bacharéis em Direito, que desejarem  exercer a advocacia, o bom senso recomenda a  colenda OAB, “data venia”  revogar urgente o Provimento n° 136/2009, que dispensou do Exame de Ordem os bacharéis em direito oriundos da Magistratura e do Ministério Público, bem como o Provimento nº 129 de 8 de dezembro de 2008,  que dispensou desse Exame os Bacharéis em Direito oriundos de Portugal, sob pena de ferir o princípio constitucional da isonomia. Como é sabido a isonomia deve ser efetiva com a igualdade da lei (a lei não poderá fazer nenhuma discriminação) e o da igualdade perante a lei (não deve haver discriminação na aplicação da lei). Fundamento: todos nascem e vivem com os mesmos direitos e obrigações perante o Estado. Conceito: consiste em tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais. O princípio da dignidade da pessoa humana é um valor espiritual e moral inerente à pessoa, que se manifesta singularmente na autodeterminação consciente e responsável da própria vida e que traz consigo a pretensão ao respeito por parte das demais pessoas, constituindo-se em um mínimo invulnerável que todo estatuto jurídico deve assegurar, de modo que apenas excepcionalmente possam ser feitas limitações ao exercício dos direitos fundamentais, mas sempre sem menosprezar a necessária estima que merecem todas as pessoas enquanto seres humanos. "Art. 5° da Constituição: 'Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes. Aristóteles afirmava que a lei tinha que dar tratamento desigual às pessoas que são desiguais e igual aos iguais.  Assim o  legislador constituinte de 1988  (Constituição Cidadã), decidiu a   positivação de vários direitos fundamentais com o fito de dotá-los de maior efetividade. Citamos por exemplos a dignidade da pessoa humana e os valores sociais do trabalho enquanto princípios fundamentais da República Federativa do Brasil (CF, 1°, III); o objetivo de promover o bem de todos, independentemente de origem, raça, cor, idade e toda e qualquer forma de discriminação (CF, 3°, IV); a liberdade e a igualdade entre todos, justiça social assegurada pela redução das desigualdades regionais e sociais e a busca do pleno emprego (CF, 170, VII e VIII. Art. 170  CF- A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios (...). A OAB é hoje indubitavelmente uma das entidades de maior credibilidade e respeitabilidade deste país.  Ela sempre esteve à frente dos grandes acontecimentos nacionais que transformaram nossa  história a exemplo da questão dos direitos humanos, a anistia, a campanha das diretas-já, a convocação da Constituinte e o impeachment do ex-presidente Fernando Collor,  Lei da Ficha Limpa, Marcha da Corrupção (...) ou seja participou intensamente desses momentos, sempre na defesa da ordem jurídica e da liberdade democrática. Destarte em respeito a essa colenda entidade que este ano estará  comemorando  81 anos de existência  e preocupado com a Humanização da OAB  notadamente Exame de Ordem, peço “vênia” para sugerir ao Dr. Ophir  Cavalcante  Presidente da OAB e seus pares no sentido de editar  um novo Provimento isentando de submeter  à primeira fase do Exame de Ordem, todos bacharéis em direito aprovados nessa fase, nos  últimos cinco anos. Lembre do parlamentar inglês William Wilberforce (1759 – 1833) que lutou vida inteira contra o tráfico negreiro dentro e fora do império inglês. Nunca desistiu, apesar de inúmeras  derrotas que a vida lhe impôs. Afinal ele conquistou o banimento dessa instituição na comunidade britânica das nações. Sigo o exemplo dele de nunca ter abandonado a luta na arena própria e jamais ter partido para a burla e o desrespeito às instituições. É preciso habilitar em vez de marginalizar. Parabéns, Dr. Ophir  Cavalcante, o senhor venceu.

Vasco Vasconcelos vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.