Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2011 | 03h06

Mais um escândalo

Continuam a falta de transparência e a desmoralização dos técnicos pelos políticos na área de transportes. Para quem não sabe, VLT é uma forma de transporte coletivo por trilhos (veículo leve sobre trilhos) e BRT, a sigla em inglês de nossos velhos conhecidos e mal operados corredores de ônibus. Estes últimos são bem mais baratos e competem em capacidade com os VLTs. O governo federal quer porque quer o VLT, daí o escândalo do projeto de Cuiabá no âmbito do Ministério das Cidades revelado ontem pelo Estadão. Aqui, em São Paulo, a ligação do Aeroporto de Congonhas e da Estação Jabaquara à Vila Sônia, servindo ao Estádio do Morumbi, também obra da Copa de 2014, já foi aprovada, contrariando igualmente opinião "velada" de técnicos e de moradores da região da Operação Urbana Água Espraiada: ela será em VLT a uma altura de 15 metros do chão!

EDUARDO JOSÉ DAROS

daros@transporte.org.br

São Paulo

*

VLT x BRT

É espantoso como uma suspeita de corrupção, muito comum hoje em dia no meio político, pode mudar o foco da questão. Querer comparar uma via de ônibus (BRT) com uma de VLT é um sofisma criado por "dinossauros" interessados em manter o status quo do perfil de transporte do Brasil, que privilegia o transporte sobre rodas. Comparar preços de um sistema com o outro seria o mesmo que comparar o bonde puxado por cavalos com o bonde elétrico. Certamente os interessados em vender cavalos, à época, estariam resistindo e fazendo as mesmas comparações. A permanecer esse sofisma, estaríamos ainda, como de certa forma ainda estamos, sendo puxados por "cavalos". Certos estão os governantes interessados em modernizar o seu sistema de transporte e evitar que soluções "tupiniquins" possam fazer os cidadãos padecer por décadas com sistemas de transporte antiquados, desconfortáveis, deficientes e desprovidos de tecnologia que permitam crescimento, integração e flexibilidade. Soluções parecidas o Ministério das Cidades está adotando em cidades do Nordeste, com chassis de ônibus adaptados a trucks para trafegarem em trilhos. As soluções provenientes desse ministério e de outros "dinossauros" são espantosamente retrógradas e deficientes. Em vez de procurar comparar VLT com BRT, o ministério deveria ter tido a coragem e a vontade política que teve o governo de Mato Grosso de optar pelo moderno, e não comparar os incomparáveis.

MANOEL S. DE ARAUJO PEDROSA

link.pedrosa@uol.com.br

São Paulo

*

O sétimo ministério

Enquanto o atual (des)governo não agir com autoridade e austeridade, os "malfeitos" continuarão a ocorrer. Chegou a vez do Ministério das Cidades, que aprovou uma fraude de R$ 700 milhões. O "crime" desta vez é mais grave, pois houve adulteração no projeto de infraestrutura da Copa de 2014 em Cuiabá, e com o aval do próprio ministro Mário Negromonte (PP-BA). Será que esse ministro só sai "à bala" ou "à granada"? O da "bala" continua, pelo visto. Então, esse também vai continuar... Como anda rápido, já é o sétimo ministério! Quem será o próximo da fila?

MARIA TERESA AMARAL

mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

Demissão de Lupi

A presidente (ou "presidida"?) Dilma Rousseff está em situação difícil: não demite Carlos Lupi para não dar o braço a torcer à mídia e à opinião pública. E ao assim proceder mostra subserviência ao ministro, que declarou que só deixa a pasta do Trabalho se for abatido à bala de grosso calibre. O que tem a temer o Executivo?

FLÁVIO JOSÉ R. DE AGUIAR

rsd100936@terra.com.br

Resende (RJ)

*

Até quando?

Por que a presidente não toma atitudes firmes para afastar ministros envolvidos em práticas de corrupção? Por que a decisão de substituição fica com os partidos? Fica claro que o atual sistema de sustentação do governo se baseia no loteamento sem limites da administração federal por partidos políticos que o apoiam. Estes, por sua vez, agem para desviar o máximo de recursos públicos em seu favor, visando o seu próprio enriquecimento e sua perpetuação no poder. E os que denunciam esse esquema perverso são chamados de moralistas ou impedidos de fazer uma denúncia mais ampla à sociedade. Até quando vamos tolerar isso?

CARLOS DE OLIVEIRA AVILA

c.avila@modusoperantis.com.br

São Paulo

*

USP

Aula de transtorno

Interessante a "aula de democracia" dos grevistas da USP, ontem: fechar a Avenida Paulista e prejudicar a sociedade inteira, principalmente os trabalhadores que usam ônibus! Engraçado que esse e outros protestos deles são sempre supervisionados de forma pacífica e respeitosa pelos "monstros torturadores" da PM...

RENATO REA GOLDSCHMIDT

reagold@gmail.com

São Paulo

*

PAC

Restos a pagar

A respeito da reportagem Governo aposta no PAC contra a crise (23/11), esclarecemos que, ao informar que o governo "se concentrou em pagar os restos contratados no governo Lula", a matéria ignorou as informações dadas pela ministra Miriam Belchior, durante o segundo balanço do PAC 2, na terça-feira (22/11), em Brasília, de que os restos a pagar do PAC são diferentes porque não são contingenciáveis. Dos restos a pagar de 2010, foi pago R$ 1,7 bilhão (71% em janeiro de 2011), referente a obras concluídas já no final do ano e sem tempo para o pagamento efetivo. Quase a totalidade dos restos a pagar do PAC 2 (R$ 14,1 bilhões) é relativa a obras iniciadas já em 2011. Em nenhum momento a ministra disse que houve redução dos investimentos do PAC, conforme publicado na reportagem. Até porque, comparados os períodos de janeiro a setembro de 2010 e 2011, os valores pagos registraram aumento de 22%.

GIOCONDA BRETAS, diretora de Comunicação Social do Ministério do Planejamento

palova.brito@planejamento.gov.br

Brasília

N. da R. - A matéria utiliza dados do balanço ao afirmar que foram pagos, este ano, R$ 16,1 bilhões de restos a pagar e registra a explicação da ministra de que se referem a despesas efetivamente feitas no ano - embora tenham sido contratadas em anos anteriores. Sobre a redução dos investimentos, a reportagem trata do montante do governo federal, sendo PAC ou não.

*

PIADA PRONTA

A denúncia de que a diretora de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades forjou um parecer com o intuito de desbancar o projeto original de linha rápida de ônibus em Cuiabá (MT), substituindo-o por outro de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), deve promover um outro tipo de “mobilidade”, só que desta vez na própria cúpula ministerial, a começar pela inevitável defenestração do ministro Negromonte e  dos responsáveis pela mais nova maracutaia na gestão petralha. Aos tantos  “malfeitos” já denunciados, responsáveis pela queda de cinco  ministros comprometidos com indícios claros de corrupção, soma-se mais este ‘negro monte’ de recursos públicos (R$700 milhões!), subtraídos dos bolsos exangues dos contribuintes, com o propósito de elevar para R$ 1,2 bilhão, sem qualquer justificativa,  o custo uma obra, na cidade de Cuiabá, que deveria custar  tão-só  R$ 489 milhões aos cofres públicos. É o governo da piada pronta!  Realmente, com esse monte de “malfeitos” a contrariar não só o dito de que “o PT não rouba e não deixa roubar”, mas também as promessas de 1º de janeiro de que Dilma seria intolerante com os desvios, fica, a cada dia, mais difícil de acreditar que o atual governo vai mesmo se distinguir da gestão Lula, marcada pelo mais despudorado desprezo à boa aplicação dos recursos públicos.

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

*

PACIÊNCIA TEM LIMITE

Nem bem Dilma botou panos quentes para segurar Lupi surge outro escândalo de corrupção e desvio de verbas públicas, agora no Ministério das Cidades, com provas óbvias. Basta! Ou Dilma e a Justiça aplicam punições exemplares nessa corja ministerial ou teremos de promover a derrubada por caminhos menos pacíficos. Lula transformou os 300 picaretas em 3 milhões...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

MAIS UM ESCÂNDALO

A bola da vez, por falar em Copa 2014, é a falcatrua envolvendo o Ministério das Cidades, pela União, e o próprio governo do Estado do Mato Grosso. Em âmbito federal, periga mais este escândalo não só cair na vala comum do esquecimento e ficar enterrado na cova rasa da impunidade, como abafar os outros, principalmente o de Carlos Lupi, ainda titular do Ministério do Trabalho, que bambeou na corda da ladroagem, mas não caiu equilibrando-se na vara da mentira-sobre-mentira. Quantos presídios federais poderiam ser construídos com R$ 700 milhões (supondo que a verba inicial não esteja superfaturada...), para neles trancafiar preferencialmente as ratazanas esquerdopatas? Em nível estadual, o Mato Grosso integra a Amazônia Legal Brasileira, abriga parte significativa do Pantanal, é protagonista do agronegócio brasileiro e faz fronteira com a Bolívia, por onde entra toda a sorte de contrabando e descaminho, drogas e armas inclusas, sem falar no que “exporta” o crime organizado por aquela banda; fácil notar que R$ 700 milhões, ao menos, poderiam ser muito bem aplicados em benefício do ser mato-grossense e dos demais brasileiros. Na esfera municipal, dos 5.564 municípios brasileiros, quantos têm orçamento anual igual ou superior a R$ 700 milhões? Estimava-se, há bem pouco tempo, em R$ 83 bilhões o total de recursos públicos desviados no Brasil na era do lulopetismo, que ainda vige e opera; some-se a este número estes R$ 700 milhões pegos na botija, 5 ministros caídos, mais 1 na berlinda, todos por corrupção, e já se terá uma boa ideia de grandeza do incremento – ou seria excremento? – à estatística...  Na cidade de São Paulo existe um “Impostômetro”, que mostra em números assustadores uma das vergonhas nacionais: a pérfida carga tributária, que torna o Estado um sócio perverso e indigesto da iniciativa privada; que tal instalar em Brasília um “Impostorômetro”, para medir em moeda a tunga da riqueza nacional pelos impostores esquerdopatas, que levam para casa uma parcela relevante do que o Estado arrecada e não devolve aos brasileiros? Aproveito para perguntar: e a Comissão da Verdade para apurar e punir a malversação de recursos públicos nos últimos 50 anos, sai ou não sai?

Saulo Vieira Tortelli saulo_tortelli@msn.com

São Paulo

*

FUMAÇA

A situação do ministro esta ficando mais para um Monte Negro!

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

ERA DA MEDIOCRIDADE

A mais nova crise que se abate sobre o governo Dilma – agora localizada no Ministério das Cidades – nos dá o atestado definitivo de que algo muito acima do tolerável se deu na gestão Lula, em relação à conivência e leniência com a bandidagem política vendedora de apoio parlamentar em troca de benesses irregulares. Tudo o que se permitiu durante os oito anos lulistas emerge em meio a um aroma desagradável, e nós, pobres contribuintes, testemunhamos, sem ação, o quanto fomos e estamos sendo lesados diariamente por ratos travestidos de homens públicos. O País, parado, trava uma luta inglória contra a corrupção, atolado num tsunami de desvios éticos resultantes de acordos forjados por um partido disposto a tudo a fim de alcançar seu único intuito: perpetuar-se no poder. Eis o Brasil, preso aos grilhões da era da mediocridade petista.

 

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

POLÍTICA E POLÍCIA

Mais uma fraude grosseira e pedestre, desta vez no Ministério das Cidades. Um parecer contrário à implantação de um VLT em Cuiabá é mantido rigorosamente em seu mesmo número de páginas, um "não" é suprimido, a conclusão é contrária à que fora obtida pelo especialista Hugo Guerra, que se demitiu. O que não era bom foi adotado, com custos muito maiores para a coletividade, por pressão política do governo estadual e do referido Ministério. Não há alternativa: nossa República deve transformar-se numa imensa Polícia.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

O RICO LEGADO – PARA ELES

Vamos somando,  gente! Já temos um Lupi que foi mantido sob a batuta de Dilma, o que acarretará mais conluios e danos ao erário público. Agora, temos mais uma fraude, no Ministério das Cidades: o projeto de uma obra (uma!) para a Copa foi aumentado em R$ 700 milhões. Peguemos os  milhões desviados para ONGs de fachada, saídos de todos os ministérios. Somem a tudo isso os 344 milhões de dólares (dólares!) desviados  entre 1993 e 2001  por Maluf e Pitta em suas gestões como prefeitos, fora o que outros tantos desviaram e levaram para fora do País, ou investiram em ilhas particulares, terras, aviões, tapiocas, fundações para aplacar surtos de ególatras doentios, viagens para sogras,  amantes... no decorrer de décadas...  Quanto deu a soma para vocês? Aqui  deu um super-big atraso para o Brasil mais a sensação amarga de asco. Como diria Arnaldo Jabor, é o nosso Patrimônio Histórico da Corrupção. Tombado pelo Planalto, no que meu marido completa. E isso na cara de todas as autoridades e Judiciário. E sabido por todos brasileiros. É mole, não!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

MAIS CORRUPÇÃO

Mais um caso, agora, mais um no Ministério das Cidades. Não só a corrupção continua no Brasil mas, o que é apavorante, está crescendo num ritmo "alucinante". Um dos motivos são os "cargos de confiança" em repartições e empresas públicas. Calcula-se 90 mil no governo federal, 20 mil em São Paulo e a mesma quantidade em Brasília. Considerando-se que os demais governos e as 5.600 prefeituras tenham elementos nesses cargos, especialistas chegaram à estimativa de cerca de 1 milhão de pessoas vivendo nessas condições. Ou seja, amigos, correligionários, conselheiros com outras experiências e "interesses" permeiam todas as nossas administrações. Por isso e por ser tão gigantesco o problema é que não adianta querer combater a corrupção se não se começar pela justiça. É de lá que vem a impunidade. Lá são geradas essas "oportunidades". Um país que necessita de uma legislação especial de "ficha limpa" é um país onde não há justiça funcionando. Não é porque somos o Brasil que isso deveria ser tratado assim, com esse desprezo, por um assunto dessa magnitude.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

MUITO CIRCO

Nem bem se iniciou a distribuição do dinheiro do povo para os grandes eventos esportivos que se avizinham e já nos deparamos com a roubalheira, que pelo andar da carruagem, será estupenda. Lemos temerosos que a fraude vem da Pasta das Cidades onde foi forjado um parecer com a tirada de um simples "não" de uma das folhas de um projeto – construção de uma BRT em Cuiabá trocado por um VLT –, desaprovado tecnicamente e aprovado politicamente por todos os envolvidos que o assentiram, deu um rombo de R$ 500 milhões. Esse nos pareceu o mais caro “não” forjado por enquanto; com toda a certeza outros virão e o povo pagante que se divirta sem pão, mas com muito circo. Infelizmente, a presidente Dilma que levava a pecha de “poste” como candidata à presidência, vem confirmando a pejorativa alcunha quando se mostra dependente do ex – Lula e dos desmandos dos partidos que lhe dão apoio. Uma pena que a primeira mulher no comando do País seja uma verdadeira decepção aos olhos de milhões de brasileiros.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

OUTRO ROMBO

O Ministério das Cidades deveria passar por faxina, a exemplo de outros. Se os fatos forem obtemperados, como ocorre com o Ministério do Trabalho, então, temos de concordar que o recente Congresso do PT serviu para sepultar a tese de que o trato adequado que se deve dar a atos contrários à ética e à moral não devem importar muito, porque seriam engendrados pela mídia e pela oposição. Assim, a imprensa vai denunciando e o governo vai varrendo para sob o tapete da comodidade e das teses absurdas e imorais os fatos que agridem os brasileiros pagantes de tributos. Não é justo!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PELO RALO

Quantas consultas daria para fazer pelo SUS com esse novo superfaturamento que apareceu na obra em Cuiabá?

 

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

A FILA ANDA

O primeiro da fila, agora, é o ministro das Cidades, Mário Negromonte. Quando será o dia em que ministros do governo Dilma Rousseff deixarão de ser manchetes de jornais por envolvimento em corrupção? E quando será o dia em que a principal responsável por esse roubo de dinheiro público vai cumprir o seu juramento de respeitar a Constituição, e botar ordem na casa? Bom para Lupi, que passará a dividir o foco das atenções com o seu novo companheiro de berlinda.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

JÁ DEU

Pode-se enganar uma pessoa por muito tempo, pode-se até enganar alguns por algum tempo, mas só Lupi conseguiu enganar tantos por tanto tempo.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

REAJUSTES NA CÂMARA DE SP

Como não bastasse haver 4 mil funcionários para servir 94 deputados – o que ocorre na Assembleia Legislativa de São Paulo –, agora vêm também os vereadores se dar aumento na calada da noite, de R$ 9 mil para mais de R$ 15 mil, e mais outros 39 cargos comissionados, provavelmente são amigos ou parentes, sem concurso público. Enquanto isso, na universidade estadual de Campinas (Unicamp), que tem 36 mil alunos, são 2 mil professores e 7 mil funcionários para atendê-los. A propósito, em São Paulo faltam funcionários para a saúde, a educação e a segurança. Até quando a população vai ter de aquentar essa pouca vergonha?

Anderson Aparecido dandersonaparecido@yahoo.com

Hortolândia

*

MONSTRENGO

Não bastasse a impunidade no mundo político, agora vem o descaramento com o abusivo aumento salarial, autoaprovado pelos srs. vereadores de São Paulo. Isso é uma vergonha! Com tantas prioridades e carências que esta cidade tem, não é compreensível porque a sobrevivência desse monstrengo faminto e inútil, que é a Câmara de Vereadores. E a população segue quieta e feliz com tudo de ruim que recebe das autoridades.

 

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

POUCO DESTAQUE

A imprensa incentiva tanto a população brasileira a sair às ruas para protestar contra a corrupção, mas, quando os vereadores de São Paulo dão aumento e 13º a si próprios, os jornais não dão manchete de capa. Não entendi.

Renata Rodrigues huppertt@ibest.com.br

São Paulo

*

ELES VÃO ALÉM

A "máfia" política que comanda na Câmara de Vereadores da cidade de São Paulo, regida pelo prefeito Gilberto Kassab, tem um projeto que prevê reajuste salarial também para o segundo escalão da Prefeitura, de até 236%. Vamos gravar o nome dessa "corja" para bani-los da política.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

AUMENTO DOS PROFESSORES

Por falar na reivindicação de aumento de salário dos vereadores do município de São Paulo, aproveito para solicitar desses laboriosos edis informação se vocês vão aprovar para a classe mais importante do país, "professores", um aumento idêntico ao que você já receberam no início do ano e ainda querem mais outro de 20%? Srs. vereadores, não se esqueçam que o que vocês sabem foi ensinado pelos professores.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

AMADORES

Genial o esclarecimento dado ontem pelo ministro Guido Mantega ao justificar a compra pela Caixa Econômica Federal do mico PanAmericano: "Era uma fraude profissional". Donde podemos deduzir que a Caixa e o Banco Central são geridos por um bando de amadores.

 

Achille Aprea newplay1@terra.com.br

Vitoria (ES)

*

PRÁTICA BANCÁRIA

É simplesmente de indignar! O pessoal do Banco Central do Brasil mais o pessoal da Caixa Econômica Federal, mais auditores contratados a peso de ouro para verificarem contas do Banco Panamericano e todos literalmente foram ludibriados com falsos números da contabilidade do Banco em questão? Aí tem coisa, e cabe a pergunta. Até tu, Meirelles? Banqueiro experiente!?

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

COMISSÃO DA VERDADE

Vera Paiva, filha do deputado Rubens Paiva, desaparecido em 1971, critica o governo por não ter deixado que parentes de vítimas da repressão se manifestassem durante a cerimônia em que Dilma sancionou a criação da Comissão da Verdade, sob alegação de que a fala poderia ser considerada uma afronta aos militares.  Vera critica dizendo que os militares deveriam também falar (e concordo!)  pois iriam dizer o que: "Defender a ditadura? A tortura? Acho que muito mais do que isso... Creio os militares poderiam bem explicar que primeiramente eles impediram que Jango implantasse em 1964 um regime comunista no Brasil nos moldes de Cuba.  Que em seguida  constituíram um governo, e contra este governo agiam os terroristas com ações mortíferas... e por isso foram reprimidos. Que militares e civis também perderam a vida em ações realizadas por guerrilheiros e terroristas. Ah, se eles pudessem ter falado, diriam mais ou menos isso. Agora me pergunto: cria-se uma Comissão da Verdade e impedem-se manifestações verbais? Para que militares não pudessem falar, impediram que falassem os familiares de vítimas? Que raio de Comissão da Verdade é esta? Ficou bem claro que só interessa fazer valer uma versão dos fatos...

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

GEOGRAFIA LULOPETISTA

Comissão da Verdade: Ilha da Falácia no Oceano da Mentira.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

GUERRILHEIROS

Tudo muito comovente na cerimônia de abertura da Comissão da Verdade, mas vale uma pergunta: serão abertos também para a sociedade jovem, que não viveu as agruras da ditadura militar, o papel das guerrilhas armadas da época? Bombas pipocavam em lugares públicos nas principais cidades brasileiras e se houve excesso dos militares, houve por parte dos guerrilheiros também e a sociedade precisa saber. Ou será que vale apenas investigar mortos do lado dos guerrilheiros? Os que morreram defendendo a população brasileira das barbáries cometidas pela maioria que hoje nos governa não conta? História é história e a sociedade mais jovem como disse a presidente Dilma, que não vivenciou precisa saber de toda a verdade sem camuflagens e partidarismos, senão reescreverão a história a partir apenas da experiência deles e não da sociedade brasileira como um todo. À época tínhamos medo dos guerrilheiros, e não dos militares.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

COMISSÃO DE QUE VERDADE?

 

Presidente assina a lei de criação da Comissão da Verdade, enquanto acoberta seu ministro mentiroso. Dá para acreditar nessa comissão?  E a verdade da vida dela, vai ser contada finalmente? É mais dinheiro nosso jogado no lixo.

 

José Alberto de Paiva alpai12@yahoo.com.br

São Paulo

*

PARA ESCLARECER

Se a Comissão da Verdade não for “Comissão de Meias Verdades”, terá a obrigação de divulgar quem são os “guerrilheiros” responsáveis pelos crimes, entre outros, da morte do soldado Mário Kozel Filho, (“explodido” em 26 de Junho de 1968), do assassinato do Capitão Charles Rodney Chandler (metralhado em 12 de Outubro de 1968) e do famoso roubo do “cofre do Adhemar”, ocorrido em 18 de Julho de 1969.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

COMISSÃO A QUE PREÇO?

Sexta-feira costuma ser, nas crenças religiosas oriundas de cultos africanos, o dia escolhido para os ''despachos'' nas encruzilhadas.

Na sexta-feira l8/11, numa encruzilhada do Palácio do Planalto, foi ''despachada'' pela presidente Dilma Rousseff, uma ''oferenda''

chamada ''Lei de Acesso ás Informações Públicas'' e a lei que institui a ''Comissão da Verdade''. A presidente afirma que não se trata de revanche, mas de um direito da sociedade à verdade. O alvo da Comissão terá como foco a ditadura militar de 1964 a 1985,desejo ensandecido e até então reprimido, daqueles que tentaram por instrumentos de violência, como terrorismo, assaltos, homicídios e sequestros, instalar no país um regime comunista nos moldes do castrismo, stalinismo e maoísmo. ''A verdade é como a túnica de Cristo. Não tem costura''. Que essa comissão não tenha no seu bojo o germe da ''forra'', e que as nossas Forças Armadas possam continuar em paz para proteger o desenvolvimento do Brasil.Só o tempo dirá o verdadeiro rumo dessa ''Comissão da Verdade''. Velcaeco appareat (até um cego vê

isso). Coisas que só acontecem com gente da Terra Papagalli.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

CRIMES ONTEM E HOJE

A presidente da República faz saber que está criada a "Comissão da Verdade", buscando esclarecer crimes contra os direitos humanos. A intenção não é revanchismo, e sim buscar a verdade dos fatos (?) dos chamados anos de chumbo. O próximo passo é derrubar a Lei da Anistia. Alguns personagens importantes daqueles tempos não serão julgados por crimes contra os direitos humanos. Por exemplo digamos que um certo Daniel, conhecido também como José D, ou um certo Geraldo, vulgo de José G, um Alex, hoje político carioca influente, Fernando G, ou mesmo Stella, hoje personalidade de proa de nossa política ocupante do mais importante cargo do país (será técnico da seleção brasileira?), não cometeram crimes contra os direitos humanos... Mas deveriam ser julgados com base em crimes elencados em nosso Código Penal: porte ilegal de armas, roubo, furto, sequestro, cárcere privado, homicídio doloso, formação de quadrilha ou bando. Todos esses crimes cometidos no período que eles mesmos chamam de anos de chumbo... os crimes mais atuais dos mesmos personagens?

Marcos Mendonça  marcao58@yahoo.com.br

São Paulo

*

LUZ SOBRE A HISTÓRIA

Como historiador saúdo a criação da Comissão da Verdade que pretende iluminar o manto de escuridão que envolve os acontecimentos pós 64 entre nós.Com isso teremos condições de nos apresentar diante do mundo civilizado, sem a vergonha de sermos apontados como um país que tenta esconder seus erros do passado - nos dois lados em disputa na época -, para debaixo do tapete. É de se realçar  ainda a atual postura democrática das Forças Armadas que finalmente, entenderam,  que tal fato não a desmerecem e sim, muito pelo contrário, as fazem crescer no conceito da população e da nação brasileira.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

A ONU E A COMISSÃO DA VERDADE

A Sra. Navi Pilai, da ONU, considera que deva haver punições por aqui? Vale a pena ler quem entende um pouco do assunto. Diz o jornalista Reinaldo Azevedo, da Veja: “Navanethem Pillay, a “Navi”, como é conhecida, é sul-africana, da minoria tâmil. A África do Sul é sempre um país interessante quando se trata de debater paz e guerra.O país pôs fim ao odioso regime de apartheid, sob a batuta de Nelson Mandela, que fez uma escolha: ou se punha termo àquele modelo mandando para a cadeia os líderes do antigo regime, dando início a uma nova guerra, esta de outra natureza, ou se lidava com o conceito de “anistia política”, e a anistia política significa “perdão político”, sem significar inocência. São escolhas que as sociedades, por intermédio de seus líderes, fazem. E a África do Sul escolheu olhar para a frente em vez de olhar para trás.Por que Dona Navi, em seu próprio país, não pede a punição de todos aqueles que colaboraram, direta ou indiretamente, com o apartheid? “

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

DIREITOS HUMANOS

No Brasil o clima de interesse pela questão dos Direitos Humanos tem crescido muito. Tanto a discussão teórica e geral, sempre importante, quanto a discussão concreta, dirigida à realidade de Estados, municípios, regiões. As Comissões de Direitos Humanos e órgãos similares multiplicam-se por todo o território nacional: comissões ligadas às OABs, às Igrejas, a Assembléias Legislativas, a Câmaras Municipais, Comissões de origem popular que testemunham o grito da sociedade no sentido da construção de um Brasil mais justo e digno para todos. Em muitos Estados da Federação (São Paulo, Espírito Santo e outros), a partir das Comissões “Justiça e Paz”, que surgiram em plena ditadura militar, por inspiração da Igreja Católica (mas numa abertura ecumênica), quantos frutos e sementes advieram! A Carta das Nações Unidas, que criou a ONU, estabeleceu como um dos propósitos desse organismo internacional promover e estimular o respeito aos Direitos Humanos. Em atendimento a esse objetivo, o Conselho Econômico e Social, órgão responsável por esta matéria no seio da ONU, criou a Comissão de Direitos Humanos. A Comissão de Direitos Humanos, como sua primeira empreitada, discutiu e votou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, submetida depois à Assembléia Geral.  A Assembléia Geral da ONU aprovou e proclamou solenemente a Declaração no dia 10 de dezembro de 1948. O trabalho da ONU, em favor dos Direitos Humanos, não tem sido realizado pelo Conselho de Segurança, um esdrúxulo organismo no qual as nações poderosas têm “poder de veto”, em radical oposição ao princípio da igualdade jurídica das Nações.  A igualdade jurídica das nações, postulado da mais profunda radicação ética, foi defendida por Rui Barbosa, na Conferência de Haia, em 1907. A luta da ONU pelos Direitos Humanos deve ser creditada a suas agências especializadas e à Assembléia Geral, um organismo democrático onde se assentam, com igualdade, todas as nações. Se a ONU, no que tange a seu papel de guardiã da paz, tem falhado, não se pode deixar de reconhecer seu mérito em outros campos de atuação. É magnífico o trabalho da ONU na educação, na saúde, na defesa e proteção do refugiado, na luta contra a miséria, na busca de preservação do meio ambiente, na construção de uma ideologia da paz. O mundo não é tão bom quanto queremos, sob a bandeira da ONU. Mas seguramente seria pior se a ONU não existisse. As forças que lutam pelos Direitos Humanos, pela germinação de uma consciência de paz e tolerância no coração dos povos, pela educação, saúde, meio ambiente, dentro da ONU, não são as mesmas forças que subscrevem a guerra e sustentam políticas opressivas.  Estas são contradições presentes nas mais diversas instituições humanas.

 

João Baptista Herkenhoff jbherkenhoff@uol.com.br

São Paulo

*

DEVASTAÇÃO LEGAL

O Estadão noticiou: ONU pede que Brasil revogue Lei da Anistia; a Fifa acabou com a Lei das Licitações. O que falta agora? Ah!, sim, nos legarão um “Belo Monte”.

Ruy de Jesus Marçal Carneiro Ruycar88@uol.com.br

Londrina (PR)

*

QUE ABORTO

Creio que com uma dor no coração o petismo finalmente aprova condenação da Síria na ONU, por violação dos direitos humanos! Ufa! Como é difícil para esta gente alojada no Planalto, se desgarrar de governantes déspotas!  A lista de amigos do PT nesta condição é imensa: Hugo Chávez, Fidel, Ahmadinejad, o já falecido Kadafi, e também esse Bashar Assad, da Síria, a turma da Farc, entre outros.  Fora aqueles que nos ministérios desta era petista formam quadrilhas com ONGs ou sem para saquear o erário! Que sina!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PRIMAVERA DEMOCRÁTICA

Cada vez que vejo a Praça Tahrir tomada pelo povo em busca de sua liberdade, lamento não existir praça semelhante em Havana, e poder ver o povo cubano lutando pelo fim de uma ditadura que já dura mais de 50 anos! De livre e espontânea vontade, Fidel, Raúl e apaniguados não vão querer "largar o osso" tão cedo.

Nivaldo Silva ouvidoriaativa@gmail.com

São Paulo

*

VIAGEM AO LÍBANO

Depois da viagem real feita por D. Pedro II há 135 anos, que incentivou a imigração libanesa, Lula foi o único presidente brasileiro que, no exercício de seu mandato, visitou o país amigo.

FHC, que ficou 8 anos no poder, apesar de insistentemente convidado, não se dignou a visitar o Líbano, mesmo com o Brasil tendo uma população de milhões de descendentes de libaneses.

Em compensação, FHC viajou incontáveis vezes a Paris para recordar seu doce exílio.

Wilson Haddad wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

CORPORATIVISMO SEM CONTROLE

Quando já achamos que vimos tudo em matéria de corporativismo no Brasil, que aliás não tem nível nem padrão, vem o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), nobre ministro Ari Parglender, na calada da noite ou do dia, fazer das tripas coração e usar todos os meios e poderes para colocar sua cunhada, a desembargadora Suzana Camargo, como a número um para ser indicada a ministra desse STJ. O que será o fim disso? Além do que, ministros unidos têm melhores natais e anos novos sem limites. Quem viver ainda verá que o Gerson perto disso era um santo e um ingênuo.

Jani Baruki janibaruki@bol.com.br

Belo Horizonte

*

FERNANDO HADDAD

Sr. presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, li seus comentários a respeito da ausência do ministro da Educação, Fernando Haddad, na 21ª Conferência Nacional dos Advogados, em Curitiba (PR), onde iria palestrar sobre os instrumentos de avaliação do ensino no painel "Direito Social à Educação".  Faria bem a todos saber que a permanência do Fernando Haddad no Ministério da Educação é apenas para mantê-lo em evidência para que ele possa “crescer na política”, apenas isso, pouco ele está se lixando para a Educação neste País.  Falar que o Brasil tem ministro da Educação virou uma piada como aquela que circulava tempos atrás sobre o Paraguai ter ministro da Marinha...

Jatiacy Francisco da Silva www.lettersofjatiacy.wordpress.com

Guarulhos

*

O SELO DA OAB X CURSOS DE DIREITO

Tiro o meu chapéu para toda e qualquer medida moralizadora que visa melhoria da nossa educação em todos os níveis, notadamente a melhoria dos cursos de direito. Nenhum cidadão ou entidade cônscias de suas responsabilidades sociais, é contra a melhoria do ensino, bem como a fiscalização dos cursos superiores. Se a Universidade não presta o correto é diagnosticar possíveis falhas, corrigi-las  e de última hipótese fechá-las. Se o MEC não fiscaliza as universidades a culpa não é dos alunos. Por que a OAB não fiscaliza?  Ah mas isso dá trabalho não gera lucro fácil. Mil vezes os jovens nos bancos das universidades do que  nos bancos dos réus ou nas ruas fumando crack e outras drogas pesadas, colocando a população em risco iminente.  É claro que a elite não quer corrente.  Só ela pode ser advogado, assim como na época do café, em que os filhos dos abastados atravessavam o atlântico para cursar direito na Universidade de Coimbra Portugal. Senhores a fila anda, o mercado é seletivo só sobrevivem os bons  profissionais. Assegura o art. 205 da Constituição Federal,  “ A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. É papel do Estado (MEC) o qual tem por missão definir, coordenar, executar e avaliar a política nacional relativa ao sistema educativo, no âmbito da educação pré-escolar, dos ensinos básico e secundário e da educação extra-escolar, bem como articular, no âmbito das políticas nacionais de promoção da qualificação da população, a política nacional de educação e a política nacional de formação profissional (...) dentre outra atribuições, autorizar reconhecer fiscalizar os cursos superiores e avaliação dos cursos e dos estudantes. Porém  vejo com preocupação o jogo de cena, a iniciativa da Colenda Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, ao divulga no dia 23/11, durante a 21ª Conferência Nacional dos Advogados a edição do Selo OAB de 2011, com a indicação dos cursos de Direito avaliados pelo Conselho Federal da OAB como os de melhor qualidade do País, Estado por Estado.  Afirmou que num universo de 1.210 cursos existentes no Brasil atualmente, apenas 90 cursos, ou 7,4%, acabaram sendo recomendados pelo Selo OAB como cursos de destacada qualidade, dentro de critérios objetivos aplicados pela Comissão Especial da entidade para sua elaboração. O fato da proliferação de cursos jurídicos de baixa qualidade, da existência no país de cerca de 1210 faculdades de direito, não dão poder à colenda OAB de usurpar prerrogativas constitucionais do Estado (MEC). Estou convencido que a OAB deve se limitar a cumprir o seu papel constitucional de órgão de fiscalização da profissão, a exemplo dos demais conselhos de classes e fiscalizar e punir exemplarmente, respeitando a ampla defesa e o devido processo legal, os seus inscritos que desrespeitarem o Estatuto da OAB. Se todas as faculdades de direito são devidamente autorizadas e reconhecidas pelo Ministério da Educação, com o aval da OAB, conforme dispõe a Lei nº 8.906/94 – Estatuto da Advocacia e da OAB –, em seu art. 54, inciso XV, conferiu à Ordem dos Advogados do Brasil a competência de “colaborar com o aperfeiçoamento dos cursos jurídicos, e opinar, previamente, nos pedidos apresentados aos órgãos competentes para criação, reconhecimento ou credenciamento desses cursos”. Ora se  quase todos os professores são advogados juristas devidamente inscritos nos quadros da OAB, ela também  tem sua parcela de culpa pela má qualidade dos cursos de direito. 

Está na hora de se pensar em alternativas inteligentes, visando a humanização da OAB,  transformando-a  parceira dos bacharéis em direito (advogados), ao invés de algoz. Com todo esse volume dinheiro, R$ 72,6 Milhões, por ano, sem dar nada em contrapartida, tosquiados dos bolsos e dos sacrifícios dos bacharéis em direito, atolados em dívidas do Fies, livres de prestação de contas, junto ao TCU, numa afronta ao princípio da publicidade/transparência, deveriam substituir tal excrescência por estágio supervisionado nos escritórios órgãos credenciados pela OAB, e/ou convocando os maiores juristas deste país, das mais variadas áreas, para ministrarem palestras, durante a Semana Jurídica da OAB ou seja para transmitir suas experiências positivas e negativas, idéias, reflexões e conselhos seguindo os ensinamentos de Ruy Barbosa, enriquecendo assim os conhecimentos dos jovens e velhos operadores do direito, rumo aos futuros desafios forenses. Todos sairiam ganhando: A OAB através das altas taxas cobradas principal objetivo do seu exame, além de manter a reserva de mercado, é claro, e os bacharéis em direito (advogados), através da aprendizagem e dos ensinamentos/práticos jurídicos disseminados pelos renomados mestres, e o livre ingresso dos operadores do direito nos quadros da OAB, sem precisar se submeter à  humilhação do seu abusivo exame, o qual vem gerando, terror (bullying), fome, desemprego  (num país de desempregados), depressão e outras doenças psicossociais  mecanismo de exclusão social, causando incomensuráveis prejuízos ao país. Já imaginaram os prejuízos causados  à  Previdência Social, Receita Federal com esse enorme contingente  de advogados qualificados pelo Estado,  fora  do mercado de trabalho? Art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) “Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de ADVOGADO, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas. A OAB precisa substituir o verbo arrecadar pelo verbo humanizar. Precisa respeitar a Convenção nº 168 da Organização Internacional do Trabalho – OIT,  relativa à Promoção do Emprego e à Proteção contra o Desemprego, assinada em Genebra, em 1º de junho de 1988. Conclamo aos dirigentes da OAB, inclusive os Ministros do Egrégio STF visitarem o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, para conhecer “in-loco” o que é qualificação o Programa Nacional de Qualificação. Doutores enquanto a qualificação do Ministério do Trabalho e Emprego,está voltada ao combate às desigualdades de oportunidades; preparando o trabalhador para os desafios que caracterizam os tempos modernos ou seja sua inserção no mercado do trabalho, contribuindo com o aumento da produtividade e da renda, rumo à conquista da sua autonomia financeira, sua dignidade do ser humano, para que passe a integrar a sociedade, a tal “qualificação” que se diz fazer a OAB, e os seus defensores de plantão, é totalmente inversa, visa a manutenção da reserva pútrida de mercado, em um país de desempregados, gerando fome, desemprego e doenças psicossomáticas enfim corroborando para o aumentando do caldo da miséria,da mendicância e as desigualdades sociais, num flagrante desrespeito a dignidade da pessoa humana. Vamos respeitar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, notadamente art. XXIII -1 – Toda pessoa tem o direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, (…) e à proteção contra o desemprego. Afinal a função primordial dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder.É indubitavelmente uma vergonha internacional, que deve ser denunciado à Organização Mundial do Trabalho – OIT, bem à Corte Interamericana de Direitos humanos,  haja vista que o Exame de Ordem é  mesmo um bullying social.  É uma falácia afirmarem que Exame de Ordem protege a sociedade . É uma mentira deslavada afirmar que as Universidades formam Bacharéis em Direito e OAB, advogados..A propósito, lesões maiores à ordem, à saúde, à segurança e à economia pública, estão sendo causadas, por advogados inscritos na OAB, a exemplo do advogado do ex-goleiro Bruno Fernandes, fumando crack em uma favela de Belo Horizonte conforme vídeo disponível na internet, e tantos outros fatos de advogados envolvidos em crimes bárbaros,bem como advogados repassando ordens de celerados presos, para os ataques criminosos no Rio, ao ponto dos principais matutinos do país estamparem em suas manchetes: Presidente do TJRJ classifica advogados envolvidos nos crimes como 'pior que bandidos'. A OAB tem que se limitar a fiscalizar os seus inscritos e puni-los exemplarmente, fato que não está acontecendo veja o que relatou a reportagem de capa da revista Época edição nº 297 de 26/01/2004 “O crime organizado já tem diploma e anel de doutor. Com livre acesso às prisões, advogados viram braço executivo das maiores quadrilhas do país. O texto faz referência aos advogados que se encantaram com o dinheiro farto e fácil de criminosos e resolveram usar a carteira da OAB para misturar a advocacia com os negócios criminosos de seus clientes”. Reportagem da Folha de S.Paulo de 29/09/2011 Advogado é acusado de abusar de filha.Advogado de Bauru é acusado de abuso sexual de uma filha de 9 anos, um filha de 13 e uma cunhada de 18 anos.(...). Matéria do blog Espaço Vital: Porto Alegre, 03.10.11“Advogado professor mata a aluna na saída da faculdade “O professor de direito do UniCeub, emBrasília,  e coordenador-adjunto da mesma cadeira na Faculdade Projeção, advogado Rendrik Vieira Rodrigues, 35 anos, se entregou na sexta-feira (30) na 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) após matar a estudante Suênia Sousa Faria, 24. A jovem, que era aluna do 7º semestre do curso de Direito no UniCeub, foi surpreendida por Rendrik quando entrava no carro que ela costumava usar, para deixar a faculdade, na Asa Norte”. Reportagem de O Globo  de 21/11 “MP vai pedir a prisão preventiva de advogados que forjavam ações. Polícia suspeita do envolvimento de cerca de 20 profissionais no golpe. O lucro da quadrilha pode chegar a R$ 10 milhões”. Disponível: http://oglobo.globo.com/rio/mp-vai-pedir-prisao-preventiva-de-advogados-que-forjavam-acoes-3285799#ixzz1edQZMm8c. Sempre é tempo de repetir a avaliação feita pelo magistrado Sylvio Capanema em alguns veículos da mídia - neles incluído o Espaço Vital (edição de 09 de maio passado): "as provas da OAB estão num nível de dificuldade absolutamente igual às da defensoria do Ministério Público e da magistratura; posso dizer com absoluta sinceridade que eu, hoje, não passaria no Exame de Ordem”. E finalmente faço  minhas as palavras do brasilense W.A: “Um belo dia, quando tudo isso for passado, a própria OAB vai se envergonhar de sua tirania ao impor esta absurda humilhação aos bacharéis em direito e à sociedade, através de um falso e hipócrita discurso de defesa da sociedade. O Egrégio Supremo Tribunal Federal  e o Congresso Nacional de hoje passarão à história como submissos ao poder da OAB.” Cícero, orador emérito, respeitado por sua conduta ética na política e na vida pessoal, pôs em sua boca a indignação popular: Até quando, ó Catilina, abusarás da nossa paciência?”, indagou Marco Túlio Cícero ao senador Lúcio Sérgio Catilina, a 8 de novembro de 63 a.C., em Roma. "Os abusos, que destroem as boas instituições, têm o privilégio fatal de fazer subsistir as más." (Pierre-Édouard Lémontey).

Vasco Vasconcelos  vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

Brasília

*

DIA DO PESQUISADOR CIENTÍFICO

Sexta feira, 18 de novembro, "comemorou-se" o dia do Pesquisador Científico (Institutos Butantan, Adolfo Lutz, Agronômico de Campinas, Florestal, Pesca, etc.). Apesar de serem responsáveis por grande parte da pesquisa científica e tecnológica de São Paulo, além de reconhecidos prestadores de serviços técnicos especializados à população, há 4 anos não têm seus vencimentos reajustados. Mais grave ainda é o desrespeito à lei 727/93 que rege a carreira de Pesquisador Científico e que, desde 1995 não é cumprida, obrigando seus membros recorrerem à justiça com inúmeros grupos ganhando a causa no STF. Dessa forma, profissionais com a mesma qualificação e trabalhando no mesmo Instituto, recebem salários com diferenças de até 100%.  Como o Estado de São Paulo sempre foi um baluarte da legalidade tenho certeza de que o Sr. Governador Geraldo Alckmin, reconhecidamente um democrata e cumpridor das leis,  desconhece tal aberração. Como agora já tomou conhecimento, com toda certeza fará com que a lei seja cumprida.  Seria muito legal, não acha Sr. Governador ?

Sonia E. Alt  sonialeinz@gmail.com

São Paulo

*

EMISSORAS CATÓLICAS

O procurador Adjame de Oliveira alega que “a concessão (de TV à Igreja Católica) deveria ter sido precedida de licitação". Então por que isso não aconteceu no momento oportuno? Não é um dever do Estado zelar pelo controle da proliferação dos veículos de comunicação? Não seja imparcial Senhor Procurador, que se abram também os processos licitatórios, se é que existem, dos grandes grupos de comunicação existentes neste país, quase sempre nas mãos poderosas de políticos que alavancam o curral eleitoral dos Estados e municípios. Temos um dever de gratidão pelo muito que as emissoras católicas trabalham para o bem da família e da sociedade brasileira.

Leonice Camarani leonicecamarani@hotmail.com

Londrina (PR)

*

DESABAFO

Algumas vezes a gente tem que falar mal... cansei... O procurador Adjame Oliveira, mais um que, em vez de cuidar do que está podre vai se meter no pouco que ha de bom, pra ver se "mela" (queria dizer caga, mas achei que não ficava bem) de vez o país... Papo furado esse de ter ou não ter licitação para fazer as coisas boas, num país onde você "pagando" está super "licitado" – para o mal, lógico. Para que proibir o funcionamento de emissoras católicas no interior, que só fazem tentar ajudar a miséria dos outros? Por que não fecha os zilhões de puteiros que tem por quarteirão nessa cidade? Ou esse senhor acha bonito puteiro ter licitação? Enfim, estou profundamente indignada com a postura medíocre, de outro cara do poder que quer mostrar trabalho e vai mexer com os indefesos, porque claro, com os traficantes (de tudo que é ruim) é mais difícil...

Glaucia Maria I. B. Ramos glaumariamaria2011@hotmail.com

São Paulo

*

TUDO COMEÇOU COM OS CDS

Amante da boa musica iniciei há alguns anos, uma coleção interminável de Compact Discs, inebriado pela tecnologia a Laser que eliminara definitivamente o chiado dos LPs. Diga-se de passagem sou da época dos “bolachões” de 78 rotações. Nestes então o chiado era absolutamente fantástico. Nos anos 50 e 60 eu ouvia Gino Becchi cantando Strada del Bosco acompanhado de um chhhchhhiado do inicio ao fim. Mas voltando aos CDs, o problema que surgiu foi outro. Embalado em celofane mais agarrado ao estojo do que calça jeans de manequim, era impossível abrir a dita embalagem do tão desejado disco recém comprado. Ficava quase louco, até que tive a brilhante idéia de trazer para casa os bisturis que usava nas minhas cirurgias. Ah! Desculpe, sou médico ortopedista cirurgião e portanto uso com freqüência esse instrumento. Que maravilha. Meu problema estava resolvido. Comprava o CD e sorria com escárnio para o celofane agarradinho. Com uma bisturizada, o Cd pulava na minha mão. Agora estou ficando com mais idade (recuso-me a dizer velho) e meu médico receitou-me (contra a minha vontade) o polivitaminico All 26 Geriátrico. Comprei e quem disse que eu consegui abrir. Na tampa escrito push down and turn... apertei para baixo, virei para esquerda... nada. Apertei para baixo, virei para direita... nada. Deu-me vontade de comprar uma marreta para quebrar a tampa. Mas após uns bons doze minutos... eureka... abri a tampa. Doce ilusão porque ainda havia um papelzinho grudado e eu havia cortado minha unha, portanto impossível puxar a pontinha. Aahh, peguei meu velho e salvador bisturi e pronto, após 15 minutinhos consegui abrir o remédio. E como já disse que sou médico recebo dos Laboratórios de Análise e dos Serviços de Imagem exames por mim solicitados. O Fleury manda o resultado num envelope fechado para não dizer lacrado, com a cola-tudo mais eficiente que já vi na vida. Impossível abri-lo. Introduzi mais um aparelho para abrir esses envelopes: a tesoura. E tem que ser tesoura de poda de galho de árvore porque já o Einstein manda seu exames lacrados com aquele cinto plástico que os eletricistas chamam de enforca-gato. Só com tesourão. E a embalagem das lâminas de barbear Mach3 e Fusion. Bem, primeiro é necessário chamar um cientista Premio Nobel para estudá-las. Como abrir? Pela frente ou por trás? Que material usar? Bisturi, tesoura ou marreta? Com os dentes é impossível. Só com a mão? Nem pensar! E para completar, outro dia num restaurante pedi um Gatorade e para minha alegria nem o garçom conseguiu abri-lo. Agora já tenho um alicate na minha mesa de almoço para abrir o Guaraná ou a Coca-Cola. E estou deixando a unha comprida porque se for Gatorade vou ter que puxar o papelzinho grudado com a ponta de minha unha. E caso não consiga, bisturi nele. Que está acontecendo com as embalagens? Ou sou eu que estou ficando velho. Só falta agora eles inventarem uma senha para você poder abrir uma embalagem. Seria maravilhoso pois teria que acrescentar mais algumas senhas nas vinte e poucas que já tenho. Pergunto: a vida ficou bem mais fácil com a tecnologia moderna?

Sergio Bruschini sergiobruschini@unipot.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.