Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2011 | 03h06

Mais um...

Nem bem o ministro Carlos Lupi saiu, deixando seu rastro sujo na Esplanada dos Ministérios, já emerge uma nova figura contaminada pela doença geral dos políticos, o tráfico de influência. As alegações são boas, mas que consultoria caríssima é essa, sr. Fernando Pimentel? Sei não...

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

Fernando Pimentel

Vamos ser claros: um ministro que busca, ou ao menos aceita, proteção dos parlamentares governistas para não ser obrigado a dar explicações no Parlamento sobre as suspeitas que pairam sobre ele acaba retirando a premissa de que nada deve à opinião pública.

ADEMIR VALEZI

valezi@uol.com.br

São Paulo

*

Explicações

Se o ministro Pimentel, em vez de tráfico de influência, tivesse roubado uma galinha, com certeza teria de explicar tudo nos mínimos detalhes.

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

Mordaça

TCU, TCEs, Corregedorias, Advocacia-Geral da União, Ministério da Justiça, CNJ, Procuradorias, de que adiantariam todos eles se não fosse a imprensa a observar tudo e denunciar? E a "base do governo" (PT e PMDB em primeiro lugar) ainda pensa em estabelecer restrições à ação dos meios de comunicação usando uma terminologia que tenta falsear a verdadeira palavra, que é censura! Que seria do Brasil se não fosse a imprensa?

FRANCISCO SAMUEL FIORESE

samucafiorese1@yahoo.com.br

Campinas

*

Liberdade de imprensa

Lupi caiu "atirando" na mídia, culpando-a de perseguição para seu descrédito e seu triste fim, além de atacar "as elites conservadoras inimigas do trabalhismo", em suas palavras, e também não se esqueceu de fustigar o Conselho de Ética da Presidência, que pediu a sua demissão. É o sexto ministro que cai envolvido em atos de corrupção: Palocci, Nascimento, Rossi, Novaes, Silva e agora Lupi. A mídia não inventa fatos, apenas investiga e os divulga. Estamos certos de que se não fosse a atuação competente da nossa imprensa nada teria vindo à tona e todos estariam aí, lépidos e fagueiros, aperfeiçoando a corrupção, vergonha nacional. Portanto, salve a liberdade de imprensa!

LUIZ NUNES DE BRITO

rosahollmann@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

MINISTÉRIO DA MULHER

Sem mistério

Ao ler a matéria sobre o Ministério da Mulher (7/12, A4), vi pela primeira vez uma foto da ministra Iriny (PT) ao lado da presidente Dilma. Fiquei me perguntado o que a ministra fazia ali - no ministério, não na foto, na qual empresta o seu charme à presidente, que, aliás, ficou mais fotogênica do que nunca. Mas logo a seguir o texto respondeu à minha pergunta: ela coordena a sistematização da apresentação de propostas prioritárias dentro do plano nacional de políticas para as mulheres, que tem deflagrado a discussão no processo de preparação das conferências, com cobranças em todos os níveis. Convenhamos, isso dá um trabalho que não acaba mais... É o PT ajudando a construir o Brasil.

STANISLAW CORDEIRO

ratles2@hotmail.com

São Paulo

*

ECONOMIA

Camuflagem

Por que o Brasil não utiliza o exemplo dos países do Primeiro Mundo e esclarece à população a real situação de risco financeiro que corremos? E que estamos no meio de um furacão? Basta ver os resultados do PIB brasileiro no terceiro trimestre, que, entre os países emergentes do chamado Brics - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul -, teve o pior desempenho. Com mais uma agravante: fomos ainda pior que a Europa, hoje em plena crise financeira. Chega de camuflagem, vamos encarar a realidade!

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

'A produção entravada'

Em discurso passado, disse a presidente: "Meu governo não irá permitir ataques às nossas indústrias e empregos, não vai permitir jamais que artigos estrangeiros venham concorrer de forma desleal com os nossos produtos". Mais uma grande mentira. Ou o setor de cama-mesa-banho-tapetes, inundado de produtos chineses a preços aviltados, é um daqueles que o governo brasileiro, profundamente, desconhece? Os supermercados logo estarão vendendo arroz e feijão a tecelões e costureiras chineses, pois os nossos só poderão olhar as vitrines.

FLAVIO MARCUS JULIANO

opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

GRAMPO ACREANO

No comitê tucano

Do modo como foi, só pode ter sido feito por adversários poderosos. Não deverá ser muito difícil concluir quem foram seus mentores. Talvez em breve saibamos o nome do autor da obra.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

LEI DAS CALÇADAS

Atraso

Ao contrário do que diz a matéria Cobrança de multa por buraco em calçada vai atrasar (1.º/12), a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa que o início da aplicação da nova lei das calçadas não está atrasado. Publicada em 9/9, a lei tem 120 dias de prazo legal para ser regulamentada, ou seja, até janeiro de 2012. Preocupada em minimizar os transtornos causados à população, a secretaria está empenhada em dinamizar ao máximo o processo de regulamentação, mas para isso alguns fatores, como deixar as regras claras e específicas, estão sendo cuidadosamente verificados para que a nova lei não possa ser mal interpretada, causando prejuízos à população.

MARIANA NOGUEIRA SANDOVAL

mariananogueira@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. - O secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Ronaldo Camargo, informou pessoalmente ao 'Estado', durante evento na Câmara Municipal, que a regulamentação da lei das calçadas sairia no começo de novembro. O gabinete do prefeito confirmou a informação.

*

‘ESTADAO’

Pelo terceiro ano consecutivo, enviamos cumprimentos e felicitações ao Estadão nosso de cada dia, por ter sido apontado como o jornal mais admirado do País em pesquisa elaborada pelo Grupo Troiano de Branding (6/12, B18). Manter a mesma postura ética desde sua fundação, com credibilidade e independência editorial irrepreensíveis em 137 anos de vida, é mais do que louvável. Num Brasil ainda tolhido pela censura, que insiste em tentar calar a verdade dos fatos, é de admirar sua integridade, resistência e bravura no embate entre a luz e as sombras. Bravo!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

FAMÍLIA

Sem desmerecer nenhuma outra empresa jornalística, não podemos deixar de afirmar e mencionar que nós nos orgulhamos de pertencer à família do melhor jornal do Brasil, o indiscutível Estadão. Cumprimentamos o jornal mais uma vez, por ter sido eleito o "jornal mais admirado do País". Estendido a todos os seus integrantes.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ADMIRAÇÃO

Quer uma leitura de conteúdo e qualidade?  Leia o Estadão! Quer uma leitura com credibilidade?  Leia o Estadão! Parabéns, Estadão, por mais uma vez ser o jornal mais admirado do País.

Vera Lúcia Corrêa correa.vera@uol.com.br

Vinhedo

*

A REALIDADE PREVALECE

Esta gente do PT não aprende mesmo! Em termos de previsões sobre o Produto Interno Bruto (PIB), chutam com os dois pés e para todos os lados, como se fossem analfabetos funcionais em economia! E, apesar das indicações preocupantes dos analistas, o governo teimava em afirmar que o PIB cresceria 5% em 2011. Mas, os dados divulgados pelo IBGE de que no terceiro trimestre o crescimento foi zero e, no acumulado do ano, 3,2%, provam que o Planalto continua blefando. Em 2009, foi a mesma ladainha. Enquanto o mundo ardia em crise, o Lula trombeteava que o Brasil iria crescer e bem. Santa ignorância! O PIB foi zero... Lembram?! O governo que não venha se justificar agora de que o pífio crescimento deste ano é em função da derrocada fiscal da zona do euro. Fosse isso, nossas exportações não estariam crescendo acima de 20%. O problema é que o orçamento da família brasileira não tem mais espaço para se endividar, porque em 2010 o governo estimulou até irresponsavelmente o consumo! A inadimplência é alta. Então o resultado não poderia ser diferente. Ou seja, uma economia estagnada. Já para 2012, aí, sim, vamos ter de conviver com os reflexos da crise europeia, e o nosso PIB no máximo será igual a 2011, o pior entre os BRICs...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

VERGONHOSO E PREOCUPANTE

Decepcionante o Brasil ter crescimento nulo no terceiro trimestre deste ano. É um resultado pífio, frustrante e inaceitável para um país continental e pujante como o nosso. Se o governo brasileiro tivesse reduzido a taxa Selic e as taxas de juros, facilitado o crédito ao consumo, além de reduzir os tributos, a burocracia e a corrupção, certamente teríamos um resultado bem positivo de crescimento do PIB, e não este, zero, que é vergonhoso e preocupante.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

‘COMBINAÇÕES IMPOSSÍVEIS’

No artigo Combinações impossíveis (Carlos Alberto Sardenberg, 5/12, B2) um déficit previdenciário de R$ 25 bilhões (9 bilhões libras) está causando grande preocupação na Inglaterra e no Brasil somente o déficit da previdência dos funcionários públicos federais neste ano será de R$ 50 bilhões de reais. A pesquisa Focus em novembro estima um déficit em conta corrente do Brasil em US$ 54,72 bilhões e o ministro Guido Mantega declarou que a retração das atividades econômicas no terceiro trimestre é  passageira e que tudo está sob controle. Haja coração!

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

A VOLTA DA GALINHA

É corriqueiro atribuir ao resto do mundo a paralisação do PIB brasileiro no terceiro trimestre (o único nessa situação entre os Brics), mas ninguém mais se lembra de que o governo Lula e agora de Dilma nada fizeram para tocar as reformas estruturais que dariam musculatura à economia. Vamos continuar assim, pulando em vez de voar.

 

Ademir Valezi valezi@live.com

São Paulo

*

O PT HIPOTECA O FUTURO DO POVO BRASILEIRO

A dívida pública federal, no Brasil, já chegou a R$ 1,805 trilhão, se não fosse à taxa de juros Selic  de   11% ela seria relativamente modesta em face do Produto Interno Bruto (PIB), que no ano passado chegou a R$ 3,674 trilhões. Portanto, a situação complica-se, ainda mais, quando se acrescenta as outras unidades da Federação e o setor privado (bancos principalmente). Apesar da redução de 0,5% ponto, o Brasil continua na incômoda liderança do ranking de juros reais mais altos no mercado mundial. Entretanto, seria necessário que o Copom reduzisse a taxa Selic em 3,50 pontos porcentuais na reunião de 30.11.2011, para que o País abandonasse o topo da lista. O endividamento tem os seus lados problemáticos, as suas faces negativas: o crescimento exagerado da dívida, segundo dado do Conselho Federal de Economia, em 31/12/2002 a Dívida Pública Federal era de R$ 623,19 bilhões. Portanto, em oito anos do governo Lula ela cresceu por volta de 168,0%, uma média de 21,0% ao ano e ao final de 31.12.2010 ela foi entregue por volta de R$ 1.670 um trilhão; segundo os dados divulgados em 29.11.2011 pelo Tesouro Nacional, o endividamento total da dívida está no prazo reduzido em médio de 3,52 anos; o custo médio dessa dívida é de 12,66% ao ano; no total de emissões, 64,22% são títulos prefixados que deixam pouco espaço para renegociação, com juro estabelecido em tempo de escassez de crédito; 24,2% da dívida vence em 12 meses, R$ 419,14 bilhões; o maior problema se encontra no fato de que, com um superávit primário insuficiente, temos de pagar a maior parte dos juros com a emissão de títulos. Até o final de outubro, o Tesouro resgatou R$ 57,61 bilhões do principal da dívida, portanto, deveria ter acusado uma redução. Porém, para cobrir os juros, teve de emitir R$ 170,13 bilhões em novos papéis, aliás, este fato condena a dívida crescer sem parar. Já a dívida pública federal externa que muitos petistas desinformados, alienados, pensam que o governo petista pagou, não suscita problemas: segundo o Tesouro Nacional, no final de outubro era de R$ 73,94 bilhões. Esta dívida leva-se em conta que se trata de empréstimos cujo custo é inferior ao de outras instituições financeiras, por se trata de taxa de juro menor, praticada em outros Países. Os problemas se concentram na dívida mobiliária federal interna, que é muito mais importante do que a externa, com R$ 1,732 trilhão. O governo brasileiro já pagou este ano o equivalente a R$ 216,82 bilhões em juros da dívida pública. Segundo cálculo realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que lançou o "Jurômetro". A ferramenta é inspirada pelo "Impostômetro", da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Enquanto o "Impostômetro" mostra em tempo real o peso da carga tributária brasileira, o "Jurômetro" utiliza dados oficiais do Banco Central em um modelo estatístico que considera a taxa básica de juros (Selic) e o número de dias úteis. Ainda, de acordo com a entidade Fiesp, se o volume de R$ 216,82 bilhões fosse aplicado em educação, o valor seria suficiente para construir 234.542 escolas de ensino fundamental, considerando a Campanha Nacional para o Direito à Educação. Os recursos, se aplicados em habitação, seriam suficientes para construir 64,22 milhões de ligações de esgoto, considerando o Plano Plurianual 2012-2015 do Ministério das Cidades. O dinheiro também serviria para inaugurar 332 novos aeroportos com o padrão do Aeroporto de Natal (RN). Em termos de renda, essa verba seria suficiente para 895,96 milhões de beneficiados pelo Bolsa-Família, conforme o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Mas, esta política do governo petista de aumentar a dívida mobiliária pública federal estar hipotecando cada vez mais o futuro do povo brasileiro. Cada brasileiro que nasce hoje, já começa devendo R$ 9,5 mil, é pouco ou quer mais. Este é o jeito do PT governar!

Francisco Aureny Braz Franbraz55@estadao.com.br

Barueri

*

SAUDADES DE FHC

A única e original "herança maldita"é a de Lula, que  está chegando aos brasileiros, com PIB 0% de crescimento , a Petrobrás importando 400% a mais de petróleo, 6 ministros corruptos indicados pelo ex-sapo barbudo demitidos, Copa do Mundo seremos campeões, da corrupção, tudo isso é só a  ponta do iceberg da prodridão que o ex-presidente deixou como legado.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

TÍMIDO

O PIB brasileiro não chegará a 3,80%, que era a meta do governo. O desempenho do Brasil ficou semelhante ao da Espanha, com toda a crise por qual passa. Muito tímido o PIB brasileiro. Deveriam crescer mais, investir mais, mas tal não acontece há anos. Talvez a corrupção atrapalhe, ou a incompetência dos gestores.

Panayotis Poulis Panayotis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CONSULTORIAS

Não é “abracadabra”, “shazam” ou “abre-te, Sézamo”. A palavra mágica usada pelos membros do atual governo é “consultoria”. Todo o numeroso séquito que presta obediência cega a presidente Dilma, possuidores de sagacidade felina, encontraram a galinha dos ovos de ouro ou descobriram a fórmula da pedra filosofal, ou, quem sabe, arrebataram tal qual o herói grego Jasão, o Velocino de Ouro. Por coincidências lenda e história se misturam e o Velocino era guardado pendurado num ''carvalho'', sob a guarda de um ''dragão''. A facilidade com que a palavra consultoria enriquece a “raposada” instalada no Planalto envergonha até mais idiota dos Eremildos. Os notáveis foram, sem dúvida, José Dirceu, Antonio Palocci e, recentemente Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, que faturou R$ 2 milhões em dois anos, entre a saída da Prefeitura de Belo Horizonte até a chegada ao governo Dilma. Se apenas 10% do que é desviado (roubado) fosse usado na educação, saúde, transportes e eegurança, estaríamos vivendo numa real Xangri-Lá, em estado de Nirvana. Enquanto isso, a execrável carga fiscal abarrota os cofres da “ratolândia”.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

EXPERTISE

De onde terá vindo a expertise de alguns membros do governo na área de consultoria empresarial? Terá sido da participação em movimentos estudantis, ou da luta, armada ou não, contra a ditadura militar, ou dos “estágios” em Cuba ou da simples militância no PT?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

AULA

O artigo do prof. Roberto DaMatta, Ética e poder=papéis e atores (7/12, D10), deveria servir como aula obrigatória para todos, especialmente nossos dirigentes  e políticos.  As ideias abordadas são precisas e perfeitas.  Gostaria de enfatizar as seguintes: "O Brasil precisa mais de um projeto que integre pessoas e papéis do que de planos mirabolantes e óbvios porque são inexequíveis". E "queremos que sociedade e Estado estejam submetidos a um mesmo código de ética.  Não é mais possível conviver com uma máquina estatal cujas engrenagens e atores estão acima do bem e do mal.  Não precisamos de pais e mães, exigimos um  governo de presidentes, senadores, deputados, governadores, magistrados, prefeitos, procuradores, policiais, ministros e corregedores responsáveis - conscientes dos seus papéis e enredos."  O ponto mais importante abordado é que "sem distinguir papéis e atores ficamos prisioneiros de maquinações".  E, acima de tudo, para que o Brasil se torne uma país mais sério e confiável, é necessário termos "um mínimo de coerência institucional... regulada pelo ajustamento entre as demandas dos papéis e a capacidade das  pessoas que os ocupam". Enfim, chega de politicagem de interesses pessoais e partidários! Precisamos lutar por um Brasil politicamente mais digno e competente para o bem de nossos filhos e netos!  Parabéns professor DaMatta pela aula magistral!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

MAIS UM MINISTRO?

Suspeitas geram insônia a mais um ministro: Fernando Pimentel, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Segundo uma lição lógica de Aristóteles, fatos em grande número numa série podem indicar que toda ela guarde a mesma essência. Não nos autoriza a generalizar, mas fundar interrogações. De qualquer modo, o jeito ético de governar do PT já ficou escancarado para a Nação.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

IGUAIS

Nada contra o ministro Fernando Pimentel, mas se for aplicado o Princípio da Isonomia,Antonio Palocci tem todo o direito de voltar ao Governo. Afinal reza a Constituição Federal que todos são iguais perante a lei.

José Carlos Werneck jc_werneck@hotmail.com

Brasília

*

PRESSA

Os petistas passaram anos realizando passeatas, com trajes de proletários e revolucionários, fantasias essas que foram jogadas no lixo depois da tomada do poder. Agora os trajes são outros, roupas de grife caríssimas, restaurantes top de linha, vinhos, whisky e champanhe agora é tudo de primeiríssima linha. Para sustentar esse luxo,  só dando palestras e consultorias a preços extorsivos, por isso a pressa de enriquecer, pois não se sabe até quando ficará ministro. Agora é o Fernando Pimentel?

 

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

A BOLA DA VEZ

A "bola 7" já caiu. No bilhar, acaba por aí, mas no governo PTralha, vai até a "bola 40". Agora é a vez de Fernando Pimentel, o "bola 8".

 

Maria Eloiza Rocha Saez m.eloiza@gmail.com

Curitiba

*

EXORBITÂNCIA

Ofende a inteligência de cada brasileiro a alegação do ministro Fernando Pimentel de que cobrou um milhão e reais por nove meses de consultoria para a Federação e o Centro das Indústrias de Minas Gerais. Por que o ministro não apresenta à imprensa e ao público, ou o próprio cliente o faça, uma justificativa para tal exorbitância?

Antonio do Vale adevale@uol.com.br

São Paulo

*

MINISTÉRIO OU GRANDE PROBLEMA

Todos os ministros de Dilma que caíram foram nomeados por ela.

Se eram indicações de Lula ou da base aliada não importa. Ela os aceitou e ela os nomeou. Não é diferente com o atual "bola da vez" Fernando Pimentel. Se é pessoa da sua estima e confiança não importa, ela também o nomeou e nem por isso é ele diferente dos outros. O que tem se falado de ser a presidente uma pessoa que não tolera "malfeitos" é pura falácia. Os que a tem elogiado como uma "faxineira" não prestam atenção ou emitem estes fatos.

Tendo participado do governo anterior Dilma sabe muito bem que é quem. E o seu amigo e companheiro de armas não agiu diferentemente de Antonio Palocci. Conclusão: um governo obrigado a demitir 6 ministros suspeitos de corrupção tendo mais 2 na mira curta também sob a mesma suspeição não é um governo confiável. Temos é um grande problema.

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

REVISÃO

Chamando Pimentel para explicar-se, Dilma mostrou a última novidade lullopetista: "recall" de ministro.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PIMENTEL E PALOCCI

Esse “imbróglio” no qual está metido o ministro Fernando Pimentel, atualmente pendurado em um “cabide de empregos” chamado Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, é análogo aos “rolos” nos quais esteve metido o ex-ministro Antonio Palocci. Na prática, ambos usaram de suas posições no “staff governamental” para, através do artifício de estar prestando consultorias, receber “rios de dinheiro” de empresas interessadas em “mamar nas tetas da viúva”. Em país minimamente decente, com um governo minimamente comprometido com a ética e o respeito às normas republicanas, esse tal de Fernando Pimentel já deveria ter sido defenestrado, inclusive pelo seu cinismo em alegar, a guisa de desculpas, que quando prestou as tais consultorias não estava exercendo nenhum cargo público. Está querendo enrolar quem, Pimentelzinho? Se na época das consultorias você não estava oficialmente “pendurado” em nenhum cargo público, havia deixado recentemente a Prefeitura de Belo Horizonte e estava participando ativamente da coordenação da campanha da candidata presidencial Dilma Rousseff, posição que permitia o seu livre acesso  aos meandros da gestão do então presidente Lulla e do prefeito de BH, Marcio Lacerda , seu “afilhado político”, criando as condições ideais para que, sob o “apelido” de consultorias, ganhasse uma “baba”, fazendo tráfico de influência, lobby e “otras cositas más”. Toma tenência, Fernandinho! Pede logo pra sair, pois a lista de “ministros mutreteiros” nesse governo da presidente Dilma parece ser extensa, e a fila precisa andar...

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

FAXINA DE ARAQUE

E lá se foi o Lupi nessa faxina de araque que a presidente vem promovendo. A limpeza no ministério é falsa pois visa unicamente aplacar a mídia. Defenestrado o ministro em questão, nada é investigado, e, pior, frequentemente o substituto é do mesmo partido do "injustiçado". Isso equivale a trocar 6 por meia dúzia. E assim segue este Brasilsão de Meu Deus - neste momento nossa brilhante oposição no Congresso deve estar preocupadíssima com o recesso do natal e ano novo; depois virá a preocupação com o recesso do carnaval: depois com o das festas juninas e assim por diante. Bravo, ilustres deputados e senadores - que não lhes falte "jetons", horas extras, generosas contribuições de lobistas e "otras cositas mas".

 

Nestor Rodrigues Pereira Filho  rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

CULPA DA IMPRENSA

O já ex-ministro Carlos Lupi, acredita que sua queda se deu por culpa da imprensa que o perseguiu. Pressuponho que não só ele, como os outros 6 ministros que "caíram" no governo Dilma Rousseff  tivessem  feito a lição de casa, não teriam "caído".À imprensa simplesmente relata os fatos,seria  impossível, quê,  com tantas maracutaias, a imprensa se calasse...

 

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PELA TANGENTE

O "ministro" Lupi saiu pela tangente. O próximo, por favor!

 

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

QUEDA EM SÉRIE

Quem será o próximo a sair?

Olympio F. A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

*

NEGROMONTE

Com a queda do Lupi e com a descoberta das sem-vergonhices de Fernando Pimentel, o ministro Negromonte acabou ficando ausente da mídia. Não podemos nos esquecer dele, que ainda nos deve explicações sobre o favorecimento irregular de seu ministério a empreiteiras ligadas ao seu partido.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

A INVESTIGAÇÃO CONTINUA

Qual o "calibre" de Marília Muricy? Se o Lupi precisava de chumbo grosso (sic) para ser abatido, o calibre da Sra. Marília Muricy deve ser bem mais pesado que o da presidente Dilma.  Convém anotar para as próximas eleições.

Claudio Juchem Cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

CALIBRE DO ‘CARA’

 

O calibre que abateu o tiranossauro lupix é o .50 lula dum-dum. À armeira mantenedora que carrega bovinamente seu fuzil, fica delegada a limpeza da potente arma com muito carinho e irrestrita obediência  total. Coisas entre reis, vassalos e lacaios...

Klaus Reider vemakla@hotmail.com

São Paulo

*

CASO DE PSIQUIATRIA

Como não vejo nada acontecer de prático com os ministros demitidos, nem com as dezenas de ladrões descobertos nas roubalheiras dos ministérios, onde alguns são colocados na rua e outros continuam em seus postos gastando alegremente o dinheiro surrupiado, resolvi perguntar ao Google o seguinte: "Algum dos acusados de roubalheira nos ministérios está preso? Algum ladrão devolveu o dinheiro?" Cliquei no botão "Estou com sorte". Depois de algum tempo veio a resposta: "Procure um psiquiatra com urgência".

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

*

‘SINDICATOS DESPREPARADOS E ACOMODADOS’

 

O artigo do Sr. Jorge J. Okubaro (4/12, B2) volta ao velho tema que reforma boa é aquela feita no quintal dos outros. Por motivos históricos no Brasil o voto é obrigatório; com dinheiro do contribuinte os partidos recebem, por força de lei, dinheiro para sua própria sobrevivência e também ganham espaço no horário nobre de rádio e TV também à custa do povo através da renuncia fiscal. Os Sindicatos tanto patronais como dos trabalhadores recebem a contribuição Sindical. Creio que a reforma a ser discutida deve ser um pouco mais ampla. O Sr. Okubaro destoa de sua escrita pois se tem acomodação e falta de competência a proposta não deve ser acabar com a instituição. O raciocínio de viver da contribuição espontânea deve valer para todos ou seja organizações patronais (sistema S, por exemplo) trabalhadores e partidos políticos ou pensar melhor acerca das raízes históricas que as criaram.

 

Carlos R. Ferreira sdsnol@ig.com.br

São Paulo

*

IMPOSTO SINDICAL

É surpreendente que no artigo do dia 4, sobre a questão sindical "a quem esse imposto beneficia", não se mencione o ponto principal da questão: a inconstitucionalidade da contribuição sindical obrigatória. Citando a Constituição: 1) Ninguém poderá ser obrigado ou coagido por qualquer modo a fazer parte de uma associação, seja qual for a sua natureza. 2) Aquele que, mesmo que seja autoridade pública ou administrativa, obrigue, ou exerça coação para obrigar, alguém a inscrever-se numa associação incorrerá nas penalidades cominadas no artigo 291º do Código Penal. Note bem: seja qual for a sua natureza. E basta!

Geraldo Ferreira quartoplanejado@yahoo.com.br

Campinas

*

A QUEM INTERESSA O IMPOSTO SINDICAL

A união demonstrada por dirigentes de centrais sindicais de trabalhadores e de confederações empresariais em defesa do imposto sindical, durante debate sobre o tema promovido pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, deixou claro que propostas de mudança nessa área enfrentarão fortíssima resistência. O abuso do uso do dinheiro pelos sindicatos dos empregados é conhecido. O segredo das federações patronais está no pagamento dos honorários e proventos para o Presidente. Algo como R$ 3 milhões durante o mandato. Dependendo da Federação. Na representação empresarial proliferam as associações de produtores e comerciantes que se sustentam voluntariamente.

 

Hélio Mazzolli www.hmazzolli.com.br

Criciúma (SC)

*

PEGOU MAL

Pegou mal a recente declaração do Ministério do Meio Ambiente de que o novo Código Florestal estimulará a recuperação das florestas desmatadas ilegalmente até julho de 2008. O pessoal da CoP-17 de Copenhague não gostou e deu hoje ao Brasil o primeiro lugar do Prêmio Fóssil do Dia, dado aos países que mais se destacam em atrapalhar as negociações de clima. Não é a toa que a nossa ministra ainda não deu as caras por lá.

 

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

DÁ PARA COMEMORAR?

O governo está comemorando a queda da taxa de desmatamento. Diz que é a menor taxa registrada em 23 anos. Pudera, depois de anos de desmatamento sem fiscalização, as matas estão acabando. A taxa só tinha que cair!

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

DESMATAMENTO

Alguém já reparou que desde que a sra. Marina Silva deixou o Ministério do Meio Ambiente, o desmatamento na Amazônia não parou mais de cair. Curioso, né?!

Carlos Augusto Pereira Lima guto@fazendamutuca.com.br

Mococa

*

PSDB

Se o PSDB , quando foi governo,  conseguiu a duras penas – contando com a oposição sistemática do PT além de uma situação econômica mundial em crise – fazer uma gestão com saldos tão positivos para o futuro do Brasil, já imaginaram se os tucanos naquele tempo contassem , como hoje acontece com a gestão petista, com maioria de mais de 70% no Congresso? Pois com esta maioria toda, até agora, não conseguiram fazer aprovar (porque não apresentaram nem mesmo proposta viável)  sequer um plano que tirasse a Segurança e a Saúde da situação caótica em que estão mergulhadas. Será que é pura falta de interesse? Será que estes políticos estão lá para defender interesses outros? Chego a conclusão que o gigantismo da máquina política é falso... porque esta máquina é composta de políticos moral e/ou intelectualmente nanicos. Uma congregação de governistas e aliados nanicos...não melhora o desempenho de governo algum. Ainda mais quando os governistas são também famosos pela incompetência...

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

‘QUEM NÃO SE COMUNICA, SE TRUMBICA’

Fernando Henrique Cardoso, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura (5/12), disse sobre o PSDB: "Não soubemos deixar uma marca. Fizemos reforma agrária, demos acesso à educação, organizamos o SUS, mas faltou capacidade de explicar. Se o PSDB quer voltar ao poder, primeiro tem de falar com as pessoas". FHC: "Quem não se comunica se trumbica!", já dizia o 'Velho Guerreiro' Chacrinha. Ou o PSDB encontra um canal apropriado de diálogo com os brasileiros e dá o seu recado ou vai continuar falando para as paredes, que como se sabe, não votam.

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

PROGRAMA DA OPOSIÇÃO

Como sempre, brilhantes as considerações e respostas de FHC no Roda Viva. Da mesma forma que a situação tem que desenvolver a sua pauta de governo, a oposição precisa afinar o discurso, de tal sorte que ele esteja conforme o programa traçado e de interesse nacional. Daí que as críticas se fazem necessárias e são até inevitáveis. Oposição para falar a mesma linguagem do governo, na verdade, é situação disfarçada. Pessoas e fatos precisam ser analisados com precisão nas falas da oposição, caso contrário os opositores deverão sentar-se ao lado dos situacionistas e dizerem amém. Depois não reclamem das votações. Tão importante para um país é o bom governo situacionista, como uma oposição presente e construtiva no discurso.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

REPASSES DE CONVÊNIOS

Não é novidade que as cidades governadas pelo PT, que  hoje é situação, sejam as que mais receberam repasses de convênios do governo federal. Já em estados governados pelo PSDB acontece o mesmo com as cidades. Se é uma prática, por que os Tribunais de Contas desses municípios não fiscalizam como o dinheiro é empregado? A título de exemplo, como controlar os R$ 106 milhões que Luiz Marinho embolsou em nome da prefeitura de São Bernardo? Pelo que se sabe a vida do cidadão são bernardense não melhorou em nada. Os problemas das escolas são os mesmos, as enchentes continuam infernizando a vida dos munícipes assim como o transporte. E então como fica?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

IMPOSIÇÃO

A proposta franco alemã para a zona do euro feita ontem por Angela Merkel e Nicolas Sarkozy é o começo da ditadura capitalista que será imposta por esses dois países (Alemanha e França) aos demais membros da zona do euro. Outros países que não aderirem, que caiam fora e assim será uma dor de cabeça a menos, esse é o claro recado. Essa nova proposta, em verdade elaborada por banqueiros ameaçados de calote, seria uma maneira provável de contornar tal crise.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

TEMPOS AUSTEROS

A crise econômica neoliberal globalizada que atinge agora a outrora orgulhosa Europa, é emblemática. Na verdade o velho continente não se deu conta que parte de sua outrora pujança, era  principalmente em razão do colonialismo que exerceu por séculos em rincões da África, da Ásia e desta América. Ultrapassado essa fase colonial e a consequente interrupção das expropriações das riquezas das antigas colônias, resta agora a eles adaptarem-se a padrões de vida mais austeros, de acordo com efetivamente produzem e não mais com as gorduras que viveram até agora.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

LEI GERAL DA COPA

É revoltante a intromissão da Fifa nas leis e costumes do nosso país. A lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol do Brasil, não foi fruto de um capricho, teve graves motivos para ser criada e está prestes a ser desrespeitada pelos nossos políticos que devem votar a Lei Geral da Copa, pressionados por um poderoso lobby da Federação Internacional de Futebol. Não me esqueço do dia 20 de agosto de 1995, em que fui com minhas duas filhas pequenas (7 e 10 anos) assistir ao final da Supercopa de Futebol Junior entre São Paulo e Palmeiras no estádio do Pacaembu. Esse jogo terminou numa batalha campal transmitida ao vivo e a cores pela TV e apresentou o triste saldo de 101 feridos e um morto. Assistimos minhas filhas e eu, a toda aquela selvageria, impossibilitados de sair do estádio e com muito medo de sermos igualmente massacrados. Guardamos até hoje no nosso subconsciente, as imagens terríveis de seres tresloucados se agredindo estupidamente sem que algum motivo importante houvesse. Apesar de adorar futebol, nem eu nem minhas filhas voltamos a um estádio para assistir a um jogo de futebol ao vivo. Espero que nossos políticos ao aprovarem a Lei Geral da Copa, não se esqueçam daquele triste episódio, que contribuiu para a proibição da venda de bebidas alcoólicas nos estádios e façam com que aqui no nosso país, a FIFA se limite a legislar sobre regras de futebol. 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

A COPA E OS CONTRIBUINTES OTÁRIOS

O relator da Lei Geral da Copa, Vicente Cândido (PT-SP), revela a incontinente incompetência do país em sediar um evento da magnitude da Copa do Mundo de Futebol. Permite o afrontamento da legislação nacional, entregando a soberania do Estado a uma entidade crivada, mundo afora de denúncias de corrupção. E até sugere que o Estado se valha de aeroportos militares para não assoberbar os já lotados aeroportos brasileiros. Suponho que a corrupção já levou a grana que diziam ter para os aeroportos. Até o puxadinho (vergonhoso) de Cumbica caiu antes da inauguração. Agora só faltam fazerem estádios nas cidades que possuem bases militares: Anápolis GO; Cachimbo MT; Santos SP; Ponta Pelada AM; Santa Cruz RJ; Afonso RJ; Alcântara MA; Canoas RS e Barbacena MG. Os deputados brasileiros espelham a vergonhosa cultura e educação do nosso povo, e há quem ouse dizer que a Copa e a Olímpiada irão deixar algum legado positivo. Para quem?

Oswaldo Colombo Filho olomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

LIBEROU

O deputado Vicente Candido (PT-SP), relator da Lei Geral da Copa que analisa a norma na Câmara, apresentou seu parecer sobre o projeto de lei e incluiu no texto a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol nos jogos da Copa do Mundo de 2014 e, também, em partidas do futebol brasileiro. Senhor Deputado realmente para que temos leis se os que deveriam zelar pelas mesmas querem deturpá-las? Tantas coisas importantes para ajudar o povo sair das drogas principalmente do álcool que desgraça a vida de tantos, e lá vem o Deputado Petista com seu parecer desproporcional. O que realmente está por trás desse “parecer”?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BEBIDA ALCOÓLICA NA COPA

Já não basta tudo que acontece em estádios de futebol, necessitando de reforço enorme do policiamento. Já vimos diversas tragédias,com  mortes e muita quebradeiras próximo aos estádios e em todo o trajeto, pois as Torcidas Organizadas são compostas  por muitos vândalos. Vejo com muita preocupação essa liberação de bebidas, cuja origem às vezes nem sempre é saudável, pelo contrário. Seria como aceitar o comando da Fifa. Perde-se a autonomia, uma vez mais. Bate o complexo de vira-latas!

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

TEMOS MUITO A FESTEJAR EM 2012

A cidade de São Caetano do Sul, conhecida nacionalmente por ter um nível de vida só comparável a de países de primeiro mundo, com renda per capita capaz de dar inveja a muitas capitais no país, poderá ter pela primeira vez em sua história uma administração comandada por dois corintianos roxos, o prefeito e seu vice. São Caetano sempre foi administrada por palmeirenses deis de sua emancipação. Não só em São Caetano mas no país inteiro a fiel torcida do alvinegro do Parque São Jorge vai ter um final de ano, um natal e ano novo, digno de comemorações, principalmente pelo fato de o Palmeiras, ser nosso principal arqui-rival no futebol, ter dignificado ainda mais nossa conquista fazendo uma partida magistral, digna de quem queria provar alguma coisa quando para si já não valia mais nada, a não ser botar água no shop da fiel torcida que sofreu até o apito final dos árbitros no Engenhão e Pacaembu domingo passado. 2012 promete!

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

FILHO DE PEIXES...

Alertado pela minha esposa, tive a oportunidade de ler a crônica Um Amante do Ócio de João Marcello Bôscoli, publicada no caderno C2+m/ Música Brasileira no último sábado, 3/12. Quero dar os parabéns ao João Marcelo pelo interessante texto sobre o estilo de vida de seu pai. Sendo João Marcelo filho também de Elis Regina, tive a grata surpresa em saber que ele herdou de seus pais um talento que pode ser visto nas linhas desta  crônica que o Estadão publicou como matéria especial, fazendo a gente crer mesmo que filho de peixes peixinho é. Quem sabe esteja aí surgindo um novo  cronista, a exemplo de Nelson Motta, para as páginas deste jornal.

 

Rubens Muniz Ferraz rferraz4@uol.com.br

São Paulo

*

ATENDIMENTO MÉDICO NO ICESP - AGRADECIMENTO

Estou fazendo tratamento médico no ICESP devido um câncer nas vias biliares,depois da cirurgia fui encaminhado ao setor de Radioterapia,  estou surpreso quanto ao atendimento profissionais  somos tratados com muito amor e carinhos pelos os funcionários abaixo descritos. Dra.Karina Goldim Moutinho. Enfermeiras: Vivian, Sheila. Tecnóloga de imagem: Daniela. Tecnólogas de radiologia: Rielly Gomes, Juliana Mariano. Técnico de Enfermagem: Liliane, Simone e Anaílton. Camareira: Priscila. Administrativos: Erica Figueiredo, Maria Rennária, Patrícia Viana.

Severino Neves Batista Filho bat.filho@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.