Fórum dos Leitores

ECONOMIA

O Estado de S.Paulo

28 Dezembro 2011 | 03h07

Brasil na sexta posição

Segundo o jornal britânico The Guardian, o Brasil bate o Reino Unido e se torna a sexta maior economia do mundo. A nós, brasileiros, cabe um exercício de imaginação sobre o que poderia ser o nosso grande país sem essa corrupção institucionalizada, presente nos três Poderes, comendo as suas riquezas.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

De que adianta?

É bom saber que o Brasil superou o poderoso Reino Unido e se tornou a sexta economia mundial. A Inglaterra ficou para trás. Juntamente com China, Índia e Rússia, o Brasil é um dos principais agentes da economia global do século 21. Mas fica a pergunta: de que adianta ser a sexta economia mundial (em breve, seremos a quinta, superando também a França), se ocupamos um vexatório 84.º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)? O mais importante é que o povo brasileiro viva com dignidade, tenha acesso à saúde, educação, cultura, lazer e cidadania, e que os direitos humanos sejam respeitados no País, coisas que ainda estamos longe de alcançar.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

Pobreza extrema

As autoridades governamentais têm muito a fazer pelo povo brasileiro, pois 8,5% vivem em extrema pobreza, com a renda per capita inferior a R$ 70/mês. Urge melhorar a situação econômica dessa camada da população sofredora, que deseja melhorar de vida como qualquer mortal.

PAULO DIAS NEME

profpauloneme@terra.com.br

São Paulo

*

Crédito não basta

Dizer que somos a sexta economia mundial não é suficiente para o aumento e a distribuição da renda no País. A melhora da economia deve ser acompanhada da redução das desigualdades sociais, com educação e cultura, do que a maior parte da população está distante. Não se edifica uma grande nação distribuindo apenas crédito, e não acesso a serviços essenciais - o que é reflexo da incompetência do Estado brasileiro para retribuir ao cidadão o mais de R$ 1 trilhão anualmente arrecadado em impostos.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

abraoc@terra.com.br

São Paulo

*

Desperdício

A despeito de sermos, talvez, a sexta economia do mundo, no IDH - que é o que de fato interessa - estamos na constrangedora 84.ª posição. Embora a carga tributária seja cada vez maior, mais de 11 milhões de brasileiros moram em favelas e em condições sub-humanas. Os governantes brasileiros gastam muito mal e jogam o dinheiro de nossos impostos pela janela. Em que país do mundo se torram R$ 650 mil para que o primeiro mandatário possa usufruir 15 dias de férias?

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

*

História sem fim

Como no futebol, o Brasil precisa reaprender tudo para tentar ser o país do futuro, como muitos cantam. Veja-se a realidade deste país: o nível de vida da grande maioria nem se compara ao europeu. Uma triste realidade também podemos encontrar no EUA, aonde grande número de brasileiros acorre para suas compras, em geral com valores que são, no mínimo, a metade do que se paga aqui, e com qualidade superior. Para complicar, a indústria brasileira está com um crescimento irrisório. Qual será o final dessa história?

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

COPA 2014

Exigências da Fifa

Extremamente importante e esclarecedor o editorial A Fifa exige tudo (26/12, A3). Como perguntar não ofende, apreciaria que o meu Estadão me esclarecesse: desde quando uma empresa e/ou entidade privada - repito: privada - tem "poderes" na gestão pública do nosso Brasil? Considerando que a Lei Geral das Copas, em tramitação na Câmara dos Deputados, está recebendo "inclusões no texto de cláusulas", por seu relator, quer autorizando o consumo de álcool, durante os jogos, nos estádios, quer garantindo eventuais prejuízos financeiros da Fifa, no meu entendimento, isso é inconstitucional. O País não se pode curvar, jamais, aos interesses da Fédération Internationale de Football Association. O Brasil é muito maior do que os interesses da organização das Copas.

JORGE LUIS DOS SANTOS B.

jlsantos@northpoint.com.br

São Paulo

*

FIM DE ANO

Mortes no trânsito

As estatísticas de mortes no trânsito em épocas festivas são estarrecedoras. Apenas acentuam o que ocorre durante todo o ano. Todos os dias morrem dezenas de motoristas nas ruas, avenidas e rodovias brasileiras. O principal fator é o excesso de velocidade. Na Alemanha, os adolescentes têm quatro anos de aulas de trânsito nas escolas. Quando chega o momento de tirarem sua carteira de habilitação, já sabem tudo o que devem e o que não devem fazer no trânsito. Infelizmente, por aqui, há poucas aulas práticas e quase nenhuma teórica. Ainda por cima, há a corrupção para facilitação de quem vai se habilitar. Sei disso porque quando fui tirar a minha, em 1974, pediram-me 250 cruzeiros, equivalentes a uns R$ 400 em dinheiro de hoje. Bilhões de reais são gastos todos os anos por causa dos graves acidentes no trânsito, tanto com pensões e aposentadorias por invalidez quanto com consultas, tratamentos, remédios, etc. Pior mesmo é a tragédia familiar. Há uma omissão educacional quase total da nossa sociedade em relação ao aprendizado de uma matéria que envolve vidas e sonhos. Quem educa uma criança não precisa punir um adulto.

FRANK ODDERMAYER

frank_oddermayer@hotmail.com

Bragança Paulista

*

BOAS FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e feliz e próspero ano-novo de Adriano Pires, Aloísio Arruda De Lucca, Aloísio de Toledo César, Ana Luzia de Aveiro, Angelo Antonio Maglio, Arcangelo Sforcin Filho, Carlos Dias, Carlos Eduardo Russo, Casillo Advogados, Cid Heráclito de Queiroz, Cleiton Rezende, Conrado Alberto Bannwart Mortean, DAN Galeria, Danilo F. Santa Rosa, Debora Judite dos Santos, Du Pont - Divisão Pioneer Sementes, Ecilla Bezerra, Equipe Mental, Erreacom e Fabio Figueiredo.

*

MÁGICA

 

O ministro Guido Mantega faz previsões excessivamente otimistas quando diz que o País terá o padrão de vida dos europeus, nos próximos 20 anos. Ser a sexta economia do mundo é plausível, porém em termos de distribuição de renda, temos muito a caminhar. Evidência: não temos 5 milhões de favelas no Brasil, sr. ministro? Até esse enorme contingente de brasileiros ter moradia digna, educação adequada, água potável em suas casas, muito investimento, planejamento e trabalho serão necessários para que o enorme fosso social que divide os brasileiros diminua de tamanho. Palavrório fácil é marca registrada de políticos, soa bonito, e tem a mágica de enganar.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

SOBRE O BRASIL

Brasil, sexta economia do mundo. Primeiro em corrupção.

Brasil, sexta economia do mundo. Primeiro em políticos ladrões.

Brasil, sexta economia do mundo. Primeiro em desnível social.

Brasil, sexta economia do mundo. Meu Deus!...

 

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br

Ribeirão Preto

*

VAGABUNDOS

Segundo a reportagem, o PIB brasileiro supera em dólares o PIB britânico em aproximadamente 1%. Como todos sabemos (todos menos a turma do governo e do PT), o real está supervalorizado e se fosse colocado num nível mais ou menos correto, redução de 20%, o PIB britânico passaria a ser 20% maior que o do Brasil. Vamos trabalhar, vagabundos.

Ronaldo José Neves de Carvalho rone@roneadm.com.br

São Paulo

*

SEXTA O QUÊ?

O Brasil é mesmo um país iluminado, apesar de todos os problemas que tem afetado a economia mundial, em especial aos países europeus a noticia que se tem é a de que o Natal e final de ano de 2011 pode ter sido um dos melhores para o comércio, para as empresas prestadoras de serviço e porque não dizer para economia do país. O Brasil vai começar 2012 em sexto lugar entre as dez principais economias do planeta, ultrapassando assim o Reino Unido nessa classificação, segundo a Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios (Cebr) divulgado pelo jornal da Grã-Bretanha, The Guardian. Mas nem tudo são flores, a riqueza e distribuição da renda continua concentrada na mão de poucos. A renda per capita dos ingleses está anos luz da dos brasileiros. A pobreza no Brasil, ainda afeta mais de 20 milhões de brasileiros, sendo que mais 11,4 milhões delas ainda vivem em favelas a margem da pobreza nos maiores centros urbanos do país, sofrendo com a falta de água encanada, saneamento básico,luz e atendimento médico decente. Um outro ponto negativo em nosso país, além da impunidade, é o número cada vez maior de políticos corruptos ocupando os melhores cargos de comando do país, como, vereadores , deputados estaduais e federais, senadores e governador. Temos também  os corruptos e ladrões que se esconde atrás das togas como bem exemplificou recentemente a corajosa e exemplar corregedora nacional de justiça, Eliana Calmon, que vem incansadamente denunciando a sujeira que se esconde embaixo dos tapetes vermelhos dos tribunais, vem sendo duramente criticada e perseguida por aqueles que até pouco tempo se sentiam intocáveis para praticar todo tipo de crime, inclusive o mais contundente e mais grave deles que é a corrupção. E o enriquecimento repentino de grande parte do judiciário que nunca teve de dar uma explicação a ninguém. Mas, como afirmou a presidente Dilma Rousseff em cadeia de rádio e TV antes de sair de recesso para suas merecidas férias na Bahia, que a corrupção será em seu governo uma "luta incessante", é o que espera realmente toda sociedade brasileira da mulher presidenta! 2012 promete...

 

Turíbio Liberatto Gasparetto  turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

PARA INGLÊS VER

Sexta economia do mundo? E quem acredita?Só se for para banqueiros, empresários multimilionários, políticos,  na grande maioria corrupta, mas para o resto do povo continua na mesma, favelas pegando fogo e seus moradores ficando ao desalento, pessoas substituindo cães e revirando cestos de lixo, homens, mulheres e crianças puxando carroças enormes cheias de lixo, aposentados vendo seus direitos sendo desrespeitados a cada ano que passa, taxas de inflação falsas e maquiadas para atender a vontade do governo, por isso, grande coisa, ser a sexta economia ou quinta, grande coisa mesmo! É só para inglês ver!

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

A CAMINHO DA QUINTA

Que grande notícia. O Brasil é a sexta economia do mundo. Que maravilha. Quer dizer que não temos mais miseráveis? Analfabetos funcionais ou não? Desigualdade social? Corrupção controlada? Justiça ágil e crível? Infraestrutura invejável? Saúde perfeita? Ah! Não. Que pena.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

PÊSAMES

O Brasil chegou à 6ª posição no mundo em termos de economia.    Isso se deve muito mais à recessão dos países europeus do que à ascensão do Brasil que, dentre os ditos países emergentes,  ficou bem atrás de China, Rússia e Índia em 20111. Nosso PIB realmente melhorou,  mas as desigualdades sociais são imensas, e o governo nada tem investido para que elas diminuam ou desapareçam.  Os investimentos prometidos para saúde, educação, saneamento básico e moradia, não atingiram nem de longe as metas propostas na campanha eleitoral.  Os restos a pagar deixados por Lula,  de 2010,  não foram quitados e passarão para 2012, junto com os do primeiro ano do governo Dilma, a faxineira.  Collor, quando se elegeu, dizia ser o caçador de marajás, mas não caçou nenhum, pelo contrário, foi cassado,  e Dilma resolveu sanear  seu ministério e vários ministros corruptos tiveram que sair, junto com mais de 80  de seus colaboradores e "cumpanhêros",  ministros escolhidos por ela e indicados por seu antecessor. Assim, nada temos a comemorar com esta 6ª posição, apenas dar pêsames aos ingleses que em idos tempos dominaram o mundo.

 

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

JUDICIÁRIO CONTURBADO

Parabenizamos o desembargador Ivan Ricardo Garisio Sartori que tomará posse como presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), no início de 2012, justamente num momento conturbado do Judiciário Nacional. Na entrevista concedida ao jornal O Estado em 26.12, não entendemos a comparação feita, "das atuais práticas investigativas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) às da "ditadura" – regime militar –, com todo o respeito a comparação foi infeliz. "Vamos respeitar a Lei, então não precisaríamos de Legislativo", advertiu. "Processo não precisaríamos mais, já vai lá, avoca tudo, não tem defesa", não é assim. Será que o CNJ está descumprindo a Lei ou a Constituição? Então prá que serve o CNJ? Nos dias de hoje, ser ou não investigado, em regra não dá em nada, é a impunidade que impera em nosso país, no entanto durante o regime militar os direitos humanos valiam e muito para os humanos direitos e de bem. Agora privilegiam os "bandidos" de toda espécie, conforme Lei 12.403, que não me deixa mentir, é ou não é?

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

DE DAR PENA

O futuro presidente do TJ-SP diz que CNJ age como "ditadura". Diz mais: "os juízes trabalham muito, enxugam gelo, com prejuízo do convívio familiar" (Estadão, 27/12). É de dar pena. Ganhando tão pouco, em comparação com os demais servidores públicos; pouquíssimos dias de férias e recessos; sem nenhum auxílio extra-salários; nenhuma vantagem "atrasada" para somar a seus vencimentos. Acho que os demais "mortais" tais como, escriturários, motoristas, serventes, atendentes do executivo, agentes penitenciários, policiais, guardas de presídios, professores, etc., deveriam se solidarizar e pedir reduções de salários, redução dos trinta dias de férias a que têm direito, bem como pararem de reclamar das condições de seus serviços, mesmo que isto venha a afastá-los do convívio familiar.

Éllis A. Oliveira elliscnh@estadao.com.br

Cunha

*

A ATUAÇÃO DO STF

Eu quisera, como advogado, entender a posição de nossa presidente e do Congresso Nacional, quando o STF age como se fosse o único que manda nesta terra, interpretando leis a bel prazer,desde que possam assegurar seu domínio. Sou além d e advogado inativo hoje, por motivo de câncer na próstata, professor de língua portuguesa, formado em 1961,na PUC,de São Paulo, em letras clássicas(latim,português,e grego clássico), e dei aulas por cerca de 25 anos .A lei que instituiu o CNJ é mais que clara que pode intervir em todo o Judiciário,até no STF,se houver  infração dela. Pois bem! Eles agora determinam (contra a lei) que o CNJ pare. Por que a Presidenta e o Congresso não intervêm no STF determinando que STF cumpra a lei e,se preciso, cassem até mandatos, como fazia o Exército, sem mais nem menos? A Presidenta e o Parlamento têm poderes para isso, pois eles criaram a lei do CNJ.

Olavo Principe Credidio adv.principecredidio@terra.com.br

São Paulo

*

JUÍZES CORRUPTOS

A decisão do STF em proibir o CNJ de investigar juízes corruptos mostra claramente que, se não proibisse, certamente, o CNJ acabaria com a festa dos juízes no STF.

 

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

DEFESA DA OAB

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, defendeu hoje que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tenha poderes para investigar juízes e apurar valores recebidos pelos magistrados. Na semana passada duas liminares do Supremo Tribunal Federal (STF) suspenderam investigações da corregedoria do CNJ, abrindo uma crise interna no Poder. "Nenhuma autoridade está imune à verificação de correção de seus atos, daí porque é fundamental que para além de preservar a competência concorrente do CNJ para apurar desvios éticos, em respeito ao cidadão brasileiro, sejam apurados todos e quaisquer recebimento de valores por parte de magistrados, explicando à sociedade de onde provém a razão porque foram pagos", disse Cavalcante, presidente da OAB, que afirma estar inserido na Constituição Federal essa atribuição ao CNJ, competência para exercer o controle administrativo e financeiro do Judiciário e o cumprimento dos deveres funcionais dos juízes. Para Cavalcanti, o conselho pode iniciar investigações independentes de as corregedorias dos tribunais locais forem ou não apurado as suspeitas de irregularidades. A atitude do STF concedendo liminar impedindo a investigação do CNJ é um ato autoritário, ditatorial, que não demonstra haver vontade de resolver essas questões em apurações e conduz o povo acreditar na intenção de esconder algo mal feito. O STF é a  maior corte do país. Porém, contra a razão não há força que resista.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

CRISE NO JUDICIÁRIO

Nos últimos dias muito se tem divulgado sobre certas anomalias que ocorreram nos meios jurídicos superiores  do país. A ministra  Eliana Calmon, corregedora nacional de Justiça denunciou que há bandidos atrás de togas.Pronto, mexeu num vespeiro, dos 11 ministros do STF, 3 ficaram indignados com suas  apurações sobre o suposto favorecimento irregular a magistrados de TJ do país, em especial do TJ de São Paulo, onde alguns  teriam recebido, de uma só vez, benefícios de uma decisão judicial sobre auxílio-moradia, mais indignados ficamos nós, pois 2 deles estavam vendo que as investigações fatalmente chegariam a seus pés, Cezar Peluso que afirmam ter levado 700 mil reais e Ricardo Lewandowski, ao que  parece também andou levando um troquinho. O terceiro indignado foi o ministro Marco Aurélio de Mello, andou atendendo aos reclamos de associações de magistrados. Tem outro que é mestre em engavetar processos, anda preocupado demais com sua  dor no fim da coluna. Outros seis se abstiveram num vergonhoso exemplo de respeito ao princípio do espírito de corpo do órgão. Sobrou apenas um ,  o ministro Gilmar Mendes, que publicamente criticou a ação do STF, foi goleado por 10 a  1, mas agigantou-se , deu mostras de sua flagrante superioridade moral e ética sobre os demais.  A corregedora quase foi crucificada, mas quanto mais batiam nela, mais ela revidava, andou batendo em muitos marmanjos posudos, mas de miolo meio mole,  ficando evidente, até para os leigos,  que ela tinha toda razão, o que inclusive foi reconhecido pelo presidente da  OAB Ophir Cavalcante, que em sua nota  a respeito dos poderes do CNJ, afirmou. “Nenhuma autoridade está imune à verificação da correção de seus atos,  é fundamental preservar a competência concorrente do CNJ para apurar desvios éticos, em respeito ao cidadão brasileiro”. Advertiu que a Constituição atribuiu ao CNJ competência para exercer o controle administrativo e financeiro do Judiciário e o cumprimento dos deveres funcionais dos juízes, independentemente de as corregedorias dos tribunais terem ou não apurado as práticas suspeitas. Deu uma lição nos nossos ministros em particular em marco Aurélio, que afirma exatamente o contrário, isto é,  alegou inconstitucionalidade nos atos da corregedora, pois o caso teria que ser analisado previamente pelos TJ de instâncias inferiores. Ficou muito pior para a maioria dos senhores da capa preta.Se é assim no Supremo, imaginem do resto do país o que o CNJ poderia encontrar, era o caso mesmo que abortar suas investigações. Finalmente, o caso mais emblemático é do presidente do TJ de São Paulo, Ivan Sartori,que hoje em entrevista de página inteira da Folha,em que se posicionou contra a corregedora Eliana Calmon, mas distraiu-se ao dizer : “ há casos difíceis, eu sei que há, é preciso investigar, verificar.Quem vende(sentenças), lógico  é abominável,quem vende é bandido. Bingo, também chamou togado de bandido, só legitimou o que a corregedora falou, mais um que perdeu a oportunidade de ficar quieto.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

*

UM HEROI EM APUROS

A podridão nos três poderes da república de Macunaíma continua sempre crescendo. Mas, infelizmente, 80% da imprensa nacional está há 48 horas empenhada em divulgar e até defender as baixarias de um bandido, mau caráter (me nego a pronunciar seu nome), travestido de jogador de futebol, que deveria estar preso, mas continua livre e ganhando em um ano o que um profissional liberal de nível superior, com pós graduação, não ganha em toda uma vida de trabalho produtivo. Um retrato fiel do país. Mesmo sem conhecer o PT, Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney, Tiririca e etc, o general Charles de Gaulle, ex- presidente da França, pronunciou uma célebre frase "O Brasil não é um país sério". Nada mais verdadeiro. 

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo 

*

O BRASIL DOS SONHOS

Hoje vemos grande parte da mídia dando grandes destaques aos R$3,9 milhões encontrados na casa de um bicheiro. Dinheiro este que encheu um carrinho de supermercados. Se acompanharmos com isenção todas as roubalheiras praticadas por ministros, governadores, deputados federais, deputados estaduais, prefeitos, juízes, desembargadores e membros de nossa Suprema Corte, veremos que necessitaremos de dezenas de milhares de carrinhos de supermercados, ou seja, todos os carrinhos de supermercados de todo o Brasil não serão suficientes para transportar todo esse dinheiro roubado. Sem querer se alongar nesta roubalheira que envolve trilhões, basta ver a tragédia da região Serrana do Estado do Rio, onde morreram milhares de pessoas e quase um milhar delas ainda continua soterradas, o dinheiro fora todo roubado e os riscos de desabamentos continuam como antes. E não há governador algum, secretário de obras ou prefeito na cadeia. Em um país sério este seria um crime contra a humanidade, porem aqui vemos governadores defendendo o secretário que prevaricou e gastou o dinheiro em orgias e outras coisas. Na estrada que liga o Rio a Angra dos Reis (BR 101), os barrancos continuam do mesmo modo. Nas favelas do Rio, ao invés de resolver os problemas dos deslizamentos, colocaram sirenes para avisar que parte dos favelados vai morrer soterrada. Cometeram o crime de destruir o Maracanã, mas deixaram o esqueleto para que se tenha idéia de que é uma reforma. Com o dinheiro dessa roubalheira, construir-se-ia um novo estádio em outro ponto da cidade e deixaria o Maracanã para Flamengo e Fluminense, mas aí não teria graça, pois não haveria tanta roubalheira. Nos jornais de hoje (26/12/2011) é dito que apenas cinco ministérios desviaram 1,1 bilhões de reais. Isto é apenas o que eles apuraram. Se alguém quiser saber o real montante do roubo, basta checar o valor dos bens de todos os políticos. O valor do enriquecimento de nossos políticos é suficiente para salvar a economia de Portugal, Espanha, Itália e Grécia, e, ainda sobraria dinheiro para levar o Brasil para o topo do mundo. Não podemos esquecer que nossos políticos têm suas economias baseadas somente nos salários de políticos, portanto é fácil apurar o enriquecimento ilícito. Quase 90% de nossa mídia protege esses corruptos esquecendo que na Argentina a mídia também era dócil e vivia das benesses do governo, até que um dia o governo viu que custava caro comprar o silêncio dessa mídia e agora vemos essa imprensa esperneando e tentando fazer com que toda a imprensa do mundo fique do seu lado. Só que a imprensa externa era mais racional.  Diante disto, e antes que ocorra uma ruptura violenta através de uma secessão, principalmente porque nossa Suprema Corte está também envolvida em maracutaias, como protelar a condenação dos envolvidos no escândalo do mensalão para que haja a prescrição das penas, atrofiar o Conselho Nacional de Justiça para que nada seja apurado contra os membros do STF, conceder asilo com honras e glórias a um assassino italiano, só nos resta dissolver os três poderes. Depois, eleger por voto popular os ministros do STF e STJ. Cada mandato será de quatro anos, tendo o direito de se candidatar por mais um período. Depois disso não poderá participar de qualquer coisa que envolva o governo. Cada juiz ou desembargador será eleito por concurso ou por voto popular. Criar um sistema unicameral com 300 deputados federais. Não importa o estado ou município, cada deputado será eleito com 400.000 votos. Não haverá migração de votos de um candidato para outro, com isto, os 300 candidatos mais votados serão eleitos. Haverá estados com apenas um deputado (na realidade será um voto distrital onde todos os distritos terão o mesmo tamanho). Será uma democracia de fato. Não haverá mais senadores. Será menos políticos para roubar. Os deputados só poderão se reeleger uma única vez e depois não poderão trabalhar em qualquer tipo de lobby que envolva o governo, de modo direto ou indireto. Nenhum político poderá migrar de um partido para outro. Ficam proibidas coligações partidárias. Todos os políticos terão que prestar contas dos seus bens. Esta prestação de contas será pública. Cada estado elegerá um governador e não haverá vice. Cada estado elegerá os deputados de acordo com sua população ( um deputado para cada 400.000 eleitores e não haverá quantidade mínima de deputados por estado. Cada município elegerá um prefeito por período de quatro anos, não podendo se reeleger. Teremos um vereador por cada 300.000 eleitores e não haverá exceção. Nenhum deputado estadual, vereador poderá se reeleger por mais de um período, nem tampouco trabalhar em áreas que envolvam o governo ou o dinheiro dele. O mandato do presidente da república será de cinco anos. Não haverá reeleição para presidente, governador ou prefeito. Tampouco haverá cargo de vice-presidente, vice-governador ou vice-prefeito. Nenhum governante poderia fazer propaganda direta ou indireta.  Não haverá mais verba publicitária, assim evita-se que um prefeito asfalte alguns metros de ruas e gaste milhões para enganar os munícipes dizendo que foram 700 quilômetros. Dissolveria os tribunais de conta do estado e da união. Com a proibição da publicidade governamental, a mídia seria o órgão fiscalizador. Todo o político condenado por desvio de dinheiro, mesmo depois de cumprir a pena, só poderia ser solto após ressarcir o governo no total do dinheiro desviado, mais juros e correção monetária.  Em menos de cinco anos, o Brasil seria talvez a maior potência do mundo.

No início, a Senhora Eliane Calmon seria a interventora. Isto aqui seria um paraíso. Lá fora o Brasil seria conhecido como o país do presente. O Conselho Nacional de Justiça teria poderes para fiscalizar todos os poderes da república.

Antonio Antunes antonioantunes@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

AS FÉRIAS DOS INCOMUNS

País rico é assim mesmo:  "Marinha gastou R$ 657,9 mil com reforma e compras para residência onde Dilma passa o recesso" - Base Naval de Aratu (BA).  Na viagem a presidente está acompanhada da filha e do neto, Paula e Gabriel, do genro, Rafael Covolo, da mãe, Dilma Jane, do ex-marido, Carlos Araújo e sua atual esposa, além de uma tia.  Enquanto a incomum família  e  agregados (ex-marido com atual mulher) usufruem as benesses do poder, o povo que se lixe trabalhando 5 meses por ano para ver seu suado dinheirinho sendo esbanjado por essa gente, que se diz preocupada com a população.  É ou não para causar engulhos, essa notícia?

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br  

São Bernardo do Campo

*

GARIBADA

Nos últimos nove anos, como nunca antes na história deste país, os presidentes gastaram tanto para ajeitar a praia privativa aonde passaram ou passarão o réveillon. A marinha "investiu" R$ 650 mil na base onde está Dilma. Presidente, a senhora não quer passar o réveillon em casa? Prometo utilizar este dinheirinho pra dar uma ajeitada na minha morada. Falando em gastos, comovente a economia do Zé no Senado. Para uma folha corrida de bilhões, ele conseguiu "economizar" R$ 32 milhões. Puxa Zé, deve ter sido um esforço enorme, né não?!

 

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

ONDE ESTÁ PIMENTEL?

Ao ver a foto da presidente Dilma na praia de Inema, descansando e se isolando dos problemas do governo, e da imprensa, tentei achar o ministro Fernando Pimentel na foto, como naquele jogo do “onde está o Wally?”. Não consegui achar. Provavelmente ele está no lado sombrio da foto, onde quem quiser achá-lo, vai continuar querendo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro  

*

FÉRIAS? NÃO PARA OS BRASILEIROS

A imprensa brasileira proporcionou ao ministro Pimentel sob suspeita de irregularidades e a presidente Dilma um excelente final de ano, quando voltaram suas lentes para o escândalo no Judiciário. Eles passarão um feliz ano-novo e gozarão de uma excelente féria, mas nós, brasileiros, não! Os cofres públicos continuam escancarados!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

DESCANSO DA PRESIDENTE

Época de final de ano, tempo de descanso e meditação sobre o balanço e planos para 2012. A presidenta resolveu esticar o período e permanecerá duas semanas numa praia em companhia de sua família. Em função de questão ética e moral, de economia de gastos, penso que os familiares não poderiam e nem deveriam se deslocar no avião presidencial ou se alojar no mesmo lugar. Não assistimos esse tipo de comportamento em qualquer Nação desenvolvida. O melhor a ser feito é adotar o princípio que ela própria sustentou de tolerância zero para os brasileiros e para a família.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

DESPERDÍCIO

Nos dias atuais gastar R$ 650 mil com a passagem de fim de ano do nosso dinheiro de contribuintes é no mínimo uma extravagância das muitas que a presidente faz neste pobre Brasil. Pena que o povinho, sempre mal informado, não fica sabendo desses fatos.

 

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

BOA HORA

Marinha gastou R$ 657,9 mil com reforma e compras para residência onde Dilma passa recesso... Boa hora para o Ministério Público efetuar uma auditoria no local para saber onde foi parar os móveis e equipamentos comprados para alojar o ex-presidente (2010/2011?)... e, apurar o culpado pela depredação do imóvel para justificar a necessidade de reforma! O povo que paga exige!

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

FÉRIAS PRESIDENCIAIS CARAS

 

É  incrível como a cada período de "férias" dos presidentes do país, como ocorre agora com a presidente Criatura, essas sempre significam  gastos exagerados nos locais onde isso acontece. São gastos com as mesmas reformas de sempre e compra de equipamentos que a nós mortais comuns parecem absurdos como:  porque a necessidade de 6 frigobares  e cada um custando quase 5000 reais ? Em ofertas,  vi o mais caro custar 1699,00 reais e tenho certeza que satisfaz a necessidade de uma pessoa, a não ser que essa seja algum xeique árabe que possa torrar seus petro-dólares sem precisar justificar.  Espreguiçadeiras  a quase 6000 reais cada e porque tão caras assim, se vi algumas anunciadas em madeira jatobá custando 529,00 reais ? Conforme informou este jornal, em 2009 já haviam gastos R$ 800 mil em reformas no mesmo  local para uso do  presidente Burla e agora foram mais 650.000, que somados chegam a R$ 1.450.000 em apenas dois anos. Com essa verba, compro um belo apto. em São Paulo nos melhores e mais caros bairros. Por isso a pergunta: Como justificar absurdos com tais gastos, sendo que dos atuais 650.000 reais, R$ 450 mil foram somente em moveis e eletrodomésticos, parecendo que cada presidente exige ter  o local modificado a seu gosto. Espero que um dia respondam por tais absurdos, porque enquanto deliciam-se com móveis e equipamentos de luxo, nos hospitais públicos faltam equipamentos simples como macas, camas, aparelhos para medir pressão, lençóis, fronhas, cobertores, toalhas e por aí vai.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo   

*

TALENTO

Vendo na TV os "Retrospectos 2011" e suas figurinhas carimbadas pela mídia, firmei a convicção que o Lula da Silva e sua criatura, D. Dilma, têm o design perfeito para o seu grande talento: empurrar com a barriga.

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

RESUMO DO GOVERNO

O que deixaram na mão da presidenta Dilma poderia ser o thriller de filme de terror A herança maldita. Aproveitando esta linha de filmes, vamos fazer uma Premonição usando O sexto sentido, os Sinais são evidentes. Eu sei o que vocês fizeram no verão passado como A rede onde os caluniados sempre colocam a culpa em Os Outros, mas sempre tem Uma janela indiscreta que tudo vê e com as provas eles logo se vêem Na teia da aranha e renunciam atendendo O chamado. Presidenta, não é preciso ter O dom da premonição para continuar fazendo a limpeza geral, afinal a senhora tem A chave mestra e se for preciso use a Amnésia como desculpa para romper com O amigo oculto e deixar de ser Refém do silêncio.

Manoel Jose Rodrigues manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

MAIS UMA INAUGURAÇÃO, APENAS

A pergunta que merece ser feita: como o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inaugura uma fábrica de hemoderivados (Hemobras) que, além de não estar pronta, já foi flagrada em variadas falcatruas? Além do sobre preço e irregularidades na licitação e de atrasos no cronograma levantados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) houve inauguração com a presença do ex-ministro "sanguessuga" da saúde Humberto Campos e as atividades que estavam marcadas para iniciar em 2010 foram remarcadas para 2014. Até quando vamos vivenciar e tolerar esse tipo de desrespeito com coisas de primeira importância para o País? Mais uma inauguração só pra inglês ver?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

SEGURANÇA EM SÃO PAULO

É inaceitável o aumento significativo de roubos e latrocínios no Estado de São Paulo, em 2011. O latrocínio (roubo seguido de morte), crime gravíssimo, teve aumento de mais de 15% neste ano. Fica claro o total fracasso do modelo de segurança pública adotado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Os paulistas pagam caros impostos e não tem um mínimo de segurança e proteção. A sensação é de que estamos indefesos e jogados á nossa própria sorte, ao Deus dará. É triste quase 300 pessoas terem sido vítimas e perdido injusta e precocemente suas vidas em latrocínios, em 2011. Por aí se vê o desastroso legado deixado depois de quase 20 anos de governos seguidos do PSDB em São Paulo.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

ABANDONADOS

Governador Geraldo Alckmin, sempre votei no senhor quando foi candidato. Porém sua atuação deixa a desejar, pois se assemelha ao PT com sua inoperância e conduta. Não é o que esperávamos por São Paulo tendo o senhor no seu comando. Em especial ao que se refere à área de segurança. Na qual estamos abandonados a mercê da própria sorte!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PROMESSAS, JAMAIS

Na minha opinião a  Confederação Brasileira de Automobilismo está certíssima ao notificar o COI e o COB sobre a impugnação da construção do Parque Olímpico no Autódromo de Jacarepaguá. Não se deve confiar em promessas desse governo corrupto, irresponsável e improvisador. Ou constroem um novo circuito antes de demolir o antigo, ou nada feito.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.