Fórum dos Leitores

IMPOSTOS

O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2011 | 03h07

Recorde histórico

O impostômetro atingiu a marca histórica de R$ 1,5 trilhão, 17,1% a mais do que em 2010. Descontando a inflação oficial, foi maior em 11%. Um recorde, superando todas as expectativas! É tanto dinheiro que não justificará a falta de melhorias em educação, saúde, segurança, saneamento, moradia e todo tipo de infraestrutura e investimentos para benefício do povo brasileiro. Não inventem desculpas, estaremos atentos!

MARIA TERESA AMARAL

mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

Placar do 'gastômetro'

De fato, neste ano de 2011 foi batido o recorde histórico de arrecadação de impostos no País. Isso tudo graças a um sistema moderno e eficiente de informatização (federal, estadual e municipal), bem como à implantação do regime de substituição tributária por parte dos Estados, que praticamente acabou com a possibilidade de sonegação de impostos pelos contribuintes. Mas, por outro lado, sabemos que essa descomunal e confiscatória arrecadação de impostos não reverte de forma satisfatória e eficiente em prol dos contribuintes e do povo em geral. Os governos sempre estão precisando das tais parcerias público-privadas (PPPs) para fazerem alguma coisa. Que venha agora, em 2012, o placar do "gastômetro", para sabermos para onde vai e como é investida essa dinheirama toda! Mas, desta vez, a Associação Comercial de São Paulo deverá instalá-lo num endereço mais adequado que não a Rua "Boa Vista"!

LUIZ H. FREIRE CESAR PESTANA

cpestanadv@aasp.org.br

São Paulo

*

JADER BARBALHO

Luta inútil

Merece prêmio o repórter que fotografou o comportamento do garoto Daniel na posse de seu pai, Jader Barbalho. Uma resposta sem palavras em que uma criança mostra a todos nós, cidadãos, a inutilidade de nossa luta pelo fim da corrupção na vida pública. Um tapa na cara de milhões de brasileiros que lutaram pela Lei da Ficha Limpa para políticos e governantes. Um flash, em dias da linguagem digital, de nosso velho conhecido: "A lei? Ora, a lei..."

ELZA M. NACLERIO HOMEM BAIDER

elzabaider@ig.com.br

Vinhedo

*

Benevolência

A foto publicada na primeira página do Estadão de ontem é sintomática: mesmo sem saber, o filho do "grande" Jader Barbalho expressa o que esse e todos os políticos sentem pelo povo brasileiro: um grande desprezo! De que valeu a mobilização de milhões de pessoas em defesa da Ficha Limpa? Graças ao nosso Judiciário benevolente, só os poderosos têm valor neste país. Agora que o Judiciário começou a lavar roupa suja em público, com certeza histórias escabrosas virão à tona.

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

Deboche

Levar o filho para fazer palhaçada na posse, como nas fotos publicadas pelo Estado, já demonstra que esse político ficha-suja não devia estar naquela Casa. O filho apenas repete o que o pai tem feito como político, isto é, deboche total para com o povo brasileiro.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

Trindade

Não bastasse o deboche do pai, ainda temos de aturar o deboche do filho. Agora, só falta o do "espírito santo"...

CARLOS JOSE BENATTI

cjbenatti@globo.com

São Paulo

*

Caretas para quem?

Muito apropriadas para a ocasião as caretas do filho do senador Jader Barbalho durante a sua posse. A quem se destinam: ao povo paraense, a todo o povo brasileiro ou ao Judiciário, anunciando que não vai dar para cumprir o acordo salarial?

DALTON LUIZ DE LUCA ROTHEN

daltonrothen@uol.com.br

São Paulo

*

Filho de peixe peixinho é

Sob o sorriso complacente do pai, Daniel faz careta para os fotógrafos e, indiretamente, para todo o povo brasileiro. Será isso um retrato de nosso futuro político?

SERGIO GIUDICE

sergiudice@gmail.com

Campos do Jordão

*

A fruta não cai longe do pé

O filho do ficha-suja faz caretas para o povo - povo marcado, povo feliz... Até quando? Feliz 2012, povão!

MÁRIO ALDO BARNABÉ

mariobarnabe@hotmail.com

Indaiatuba

*

'Ridi pagliaccio'

As caretas do filho de Jader Barbalho deveriam ser endereçadas aos ministros do Supremo Tribunal Federal que permitiram a esse senhor assumir a vaga no circo, digo, no Senado Federal.

ALEXANDRE FUNCK

afunck1@gmail.com

Bragança Paulista

*

CRISE NO JUDICIÁRIO

Discernimento cristalino

A respeito da manifestação do leitor sr. Honyldo Roberto Pereira Pinto, sob o título O ministro, o CNJ e o Coaf (29/12), em que pesem meus parcos conhecimentos jurídicos, envio os meus parabéns a Ribeirão Preto por abrigar um cidadão possuidor de discernimento cristalino - raro nos dias de hoje, diga-se -, bem diferente de outros de seus "exponenciais" cidadãos - exemplificativamente, Palocci & Cia.

LUIZ ROBERTO SOUZA NORONHA

souzanoronha@uol.com.br

São Paulo

*

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e feliz e próspero ano-novo de Jean Claudio Santana e equipe: Marcelo Nogueira, Lóiam Torres e Elaine Vidal; João Crestana, Torrear Incorporações e Planejamento Imobiliário Ltda. e Sindicato da Habitação (Secovi); João Francisco Lobo Ribeiro; João Gambini; Kahtia, Atelier de Ideia Comunicação Empresarial; Leila Elston Leitão; LPH Brasil, Departamento Comercial; Luciana Leal e família; Luciano Monteiro, Santillana; Luiz Antonio da Silva e Marisa Stucchi; Luiz Claudio Zabatiero; Marcius Villela; Marco Antonio Leite e família; Marta Calha, Grupo CCR; Mendonça e Rocha Barros Advogados; Milton Seligman e Alexandre Loures, Ambev; Mistral Importadora Ltda.; Museu Mágico; Núcleo da Notícia Comunicação Corporativa; Opticanet; Panayotis Poulis e Portal R7.

*

POSSE DE JADER BARBALHO

A posse de Jader Barbalho no Senado foi a mais perfeita posse de um senador! Só seria mais perfeita com a presença de José Sarney e Cezar Peluso. Em pleno recesso, com caretas e curiosidade com o que acontece sob as cadeiras do Senado.

Jair Rosa Duarte jair_rosaduarte@yahoo.com.br

Rio de janeiro

*

BEM-VINDO

Não entendi por que os senadores não fizeram uma bela festa com dinheiro público dando as boas-vindas ao nobre e ilustre senador Jader Barbalho, tendo em vista que ele é apenas mais um.

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

TAPA NA CARA

O sorriso de Jader Barbalho na sua posse foi um tapa na cara do brasileiro.

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

*

RETRATO

Barbalhinho mostra a língua. Barbalhão sorri. E que se dane o Brasil!

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

BANÂNIA

O sr. Jader Barbalho finalmente tomou posse como senador eleito e mais votado do Estado do Pará. O Supremo Tribunal Federal (STF), que temos como a mais alta Corte do País, entendeu que a Lei da Ficha Limpa não poderia impedir sua posse, mesmo estando com a ficha suja. Nesta hora não se lembram de que “todo o poder emana do povo e em seu nome deverá ser exercido”. Eta, Justiça brasileira! Mas isso não é motivo para preocupar o sr. Barbalho, vi as fotos de sua tomada de posse e notei que tem um filho à sua altura para lhe suceder, tão logo tenha idade para cumprir as determinações da nossa Constituição, que, afinal, ela só está existindo mesmo pro forma, não é mesmo? Está tão pisoteada pelos três Poderes e a maioria do povo sem cultura não está nem aí com isso. Deixa afundar a republiqueta de Banânia.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

PRESSÃO RESOLVE

Graças à gritaria feita por muitos brasileiros (muitos, porém muito poucos em relação ao total da população) através de cartas enviadas a jornais e críticas pelas redes sociais, o indecente e imoral pagamento de cerca de R$ 30 mil que seria feito a Jader Barbalho foi cancelado pelo Senado. Ele receberá apenas o salário proporcional aos poucos dias em que esteve senador neste ano. Valor em torno de 10% do que ia ganhar. Essa vitória do povo é a confirmação de que pressão resolve e é essencial em qualquer que seja o regime político do País.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

IMORALIDADE

A sorrateira posse de Jader Barbalho no recesso do Congresso Nacional foi um mal disfarçado atentado violento ao pudor.

ROBERTO TWIASCHOR rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

VERGONHA

Meu nome é Jader e me sinto envergonhado quando meus amigos, brincando, me chamam de barbalho (com minúscula mesmo). Considero a política uma arte, a arte de conversar e convencer meu interlocutor sobre minhas ideias, porém no Brasil política é sinal de promiscuidade e corrupção, devido aos maus políticos, infelizmente, a maioria. Vendo as fotos da primeira página e as da página A5 do Estadão de ontem, não pude deixar de me indignar com o fato de como os maus políticos e, consequentemente, seus descendentes tratam o povo brasileiro, com o apoio do Poder Judiciário.

JADER COLLA SILVA colla.silva@ig.com.br

Americana

*

DEBOCHE

Nada mais fiel à nossa triste realidade do que a foto estampada na primeira página do Estadão de ontem: o deboche explícito na face do ficha-suja e a atitude do seu filho, numa demonstração de que o futuro deste país já está totalmente comprometido. Considerar a Lei da Ficha Limpa como sua “inimiga” demonstra, por si só, o desprezo que essa criatura alimenta em relação a valores que deveriam ser cultivados por uma nação. Meus pêsames ao povo do Pará que o elegeu. Com gente desse tipo em Brasília fica difícil acreditar que 2012 será um ano bom.

Angela Caracik angelacaracik@terra.com.br

São Paulo

*

FOTO IMORAL

Os principais jornais do País circulam ontem com gigantescas fotos que bem retratam o desmoralizado Brasil. Mas isso não aconteceu por acaso, é sistemático. É resultado da falta de ética e moral que impera nos três Poderes da República, hoje fundidos e mancomunados para defender interesses sujos de um bando que há nove anos tomou conta do poder e diariamente agride com as maiores baixarias o cidadão de bem. Sugiro que na galeria dos diplomados ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sejam afixados quatro fotos: uma do Cesare Battisti, neocidadão brasileiro; uma panorâmica da marcha da maconha; uma do primeiro feliz casal gay; e, por último, a obra-prima ontem estampada. Tenho certeza que o Estadão e O Globo não se furtarão a oferecer o original da foto à Suprema Corte para que possa ser extremamente ampliada e atinja o tamanho da imoralidade reinante na Casa.

Humberto de Lunba Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

FICHA-SUJA DE VOLTA

A foto da primeira página mostra exatamente a posição da elite política com relação ao Brasil. Aqueles que pensaram que os eleitores do Pará sabem votar porque não permitiram a divisão do Estado em três devem lembrar que foram eles mesmos que elegeram Jader Barbalho. Pobre Pará, pobre Brasil.

Ronaldo José Neves de Carvalho rone@roneadm.com.br

São Paulo

*

O QUE SERÁ?

Muito sugestiva a foto da capa do Estadão de ontem. O gesto do filho de Jader Barbalho representa o quê? Um gesto infantil de criança ou a resposta do senador à Lei da Ficha Limpa?

Henrique Massarelli hermassa@uol.com.br

São Paulo

*

POR BAIXO DOS PANOS

Pelas fotos alegres do filho do senador Jader Barbalho estampadas no Estadão, será que alguém já não conseguiu as perguntas do exame do Enem antecipadamente para o garoto?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

LEI DA PALMADA

As caretas irritantes e próprias de uma criança sem educação e sem limites, em plena posse de um senador, por mais ficha-suja que seja, prova mais uma vez que, além de serem repugnantes os fatos recorrentes na política brasileira, são também repugnantes certos gestos dos filhos que não respeitam ninguém, nem os próprio pais. Posso imaginar como será esse menino se, no futuro, transformar-se em político. Este fato é um bom exemplo para justificar a impropriedade de se aprovar a tal lei da palmada.

Mario Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TENTANDO ENTENDER

Apesar de tentar, eu nunca consegui entender o relacionamento de safados com seus familiares, falo dos indivíduos que estão sempre na mídia pelas falcatruas e desvio os mais diversos. Afinal, esses caras têm família, como todos nós, e nunca aparece alguém para pôr os caras no eixo. Desconfio que a resposta pode ser a foto estampada no Estadão ontem, onde um menino aparece em atitude deseducada e causa orgulho em seu genitor, o probo Jader Barbalho. Taí um exemplo de liberdade e de confirmação de que tal pai, tal filho. Logicamente, sem querer ofender nenhuma progenitora.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

POUCO-CASO

A foto na capa do Estadão reflete a que ponto chegou o desrespeito do governante por nós. Um garotinho de 9 anos (Daniel), filho de político, fazendo, descaradamente, pouco-caso da população. Tem exemplo em casa.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

JADER "RANÁRIO" BARBALHO

Peraltice ou imitação? Inocência ou deboche total da Nação? Aprendeu em casa?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

QUE GRACINHA!

Tal pai, tal filho.

Sidney Cantilena sidneycantilena@bol.com.br

São Paulo

*

O HERDEIRO

É, tal pai tal filho. Com os exemplos do pai e da Justiça, o filho de Jader Barbalho promete...

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

*

PRECOCE

O garoto começou cedo, aprendeu rápido a zombar do povo!

Mohamad Soubhi Smaili mssmaili@aasp.org.br

São Paulo

*

CIRCO

Quanto o assunto em destaque, agora completou-se o circo: dois palhaços e nós, aqui, pagando o cachê.

Oswaldo Cruz odottocruz@hotmail.com

São Paulo

*

JADER CONSEGUIU SUJAR A FICHA LIMPA

Está absolutamente certo o filho de Jader Barbalho demonstrar o que nós somos, na foto estampada no OESP de ontem: Palhaços. Entretanto, com o grau de corrupção que existe hoje, em todos nos meios políticos, judiciários e administrativos no Brasil, gostaria de saber, desta vez, qual foi a moeda de troca usada por Jader Barbalho para que não se respeitasse a LEI DA FICHA LIMPA. Com a posse dada a esse político, ele conseguiu uma forma de receber durante os próximos sete anos um salário e mais mordomias que fazem inveja a qualquer cidadão e alegria a seus familiares e agregados, as nossas custas. Não será surpresa que esse político consiga retroagir a posse de seu mandato ao princípio deste ano, e com isso receber seu salário e coisas mais. Sinto-me envergonhado de ser brasileiro.

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

*

RECADO

A foto do garoto Daniel, filho do senador Jader Barbalho, na capa do Estadão define muito bem o que é a política em nosso país: pode roubar, pode mentir, pode fazer o que quiser, não acontece nada mesmo e eles nos mandam suas caretas e nos tiram “de babacas”... Mas um dia vai aparecer um cidadão brasileiro para pôr um basta nessa pilantragem que é a política brasileira... Justiça Eleitoral brasileira, um recado a ti: a partir desta só anularei meu voto.

Renato Silva graficarealize@hotmail.com

São Paulo

*

QUEM SAI AOS SEUS...

Eu – e todo o povo brasileiro – me senti ofendido em cheio com a “careta” do filho do senador Jader Barbalho na primeira página do Estado de ontem – só faltou o nariz vermelho de palhaço! Esse garoto, sem dúvida, tem a quem puxar e não me admiraria que ele venha a trilhar os passos e a carreira do pai!

José Francisco D’Annibale dannibale@uol.com.br

São Paulo

*

O FILHINHO DO PAPAI

Confesso que senti vergonha de ser brasileiro quando vi a fotografia do filhinho de Jader Barbalho, que, certamente a mando do pai, apareceu fazendo caretas para o povo. É a família Barbalho comandada por Jader provocando aqueles cidadãos que querem acabar com essa política podre que passa de pai para filhos e netos. De uma coisa tenho certeza, a careta do garoto e o sorriso irônico do Jader não foram para os ministros do Supremo Tribunal Federal.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

FALSOS DEUSES

Viram a insolência com que o filho e a família de Jader Barbalho gozam e zombam do povo brasileiro, apoiados por esse STF de reputação duvidosa? São uns ridículos! Até quando temos de aguentar gente execrável zombando de nós?! Está na hora (aliás, já vai tarde!) de começar a pressionar o STF e esses políticos inescrupulosos a pagarem pelo que fizeram. Atitude ridícula e zombeteira do filho de Jader (ensinado por ele mesmo!) contra o povo brasileiro. Pensam que são Deus. Deus lhe dará o que merecem!

Vicente Lentini vplentini@uol.com.br

São Paulo

*

TAL E QUAL...

Quanta meiguice, finesse, educação, formação de primeira demonstradas na foto do herdeiro do ranário – o incomum senador do Pará. Essa criança já mostra as presinhas, seguindo os passos do paipaizinho! Tal e qual aqueles outros da capitania do Maranhão, que se lixam para o público pagante. Não é à toa que esses Estados são os mais atrasados e carentes do País!

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

JERICOS

70 anos de vida e mais de 50 no jornalismo dão-me credencial bastante para avaliar o extraordinário valor da foto de capa do Estadão de ontem, quando o filho do senador Jader Barbalho – mesmo na sua inocência de criança – certamente expressou a verdadeira mensagem que o Senado da República mandou ao povo brasileiro: que fiquemos todos abanando as orelhas, como jericos humilhados, diante do poder incomensurável da corrupção! Parabéns e votos de que continuem que por todo ano de 2012 na sua heroica luta em defesa da moralidade no Brasil.

Adelindo Kfoury Silveira (grapiúna itabunense) a.kfoury@globo.com

Salvador

*

FOTOMODELO

A pose do filho do senador Jader Barbalho retrata exatamente o tratamento que a classe política e o STF dispensam ao povo brasileiro. Emblemática, deveria servir de modelo para nova estátua, a substituir a da justiça, presente na Praça dos Três Poderes.

Lafayette Pondé Filho lpf41@hotmail.com

Salvador

*

CARREIRA GARANTIDA

Alguém duvida que o “tolinho” que saiu fazendo caretas na capa do Estadão no futuro será eleito pelos paraenses para qualquer cargo político que desejar?

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

Garça

*

ESPELHO

Velho ditado, mas tão bem encaixado ao filho de Jader Barbalho: quem sai aos seus não degenera, ou tal pai, tal filho. Vê-se que está tendo uma educação primorosa. Aliás, o espelho está diante dele.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

ULTRAJE

Abominável a foto em que o ficha-suja Barbalho sorri, enquanto seu filho Daniel faz uma careta não para fotógrafos, como está escrito, mas sim para o povo brasileiro, para a decência e para a democracia. Senti-me pessoalmente ultrajado com a cena, nenhum país merece essa pouca-vergonha e cinismo.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

QUEM SAI AOS SEUS...

A foto de capa do Estadão nos leva a pensar que Daniel Barbalho tem futuro garantido na política. Tal e qual o papai.

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

ELOQUÊNCIA

Sem dúvida, uma imagem vale mais do que mil palavrões. Desde a dança da pizza, da paquidérmica Ângela Guadagnin, uma imagem não exprime tanto o que a classe política pensa de seus eleitores. Ele tem só 9 anos e já superou o paizão. Jader Barbalho deve estar orgulhoso (é o meu garoto!!!). Estou antevendo Daniel deputado, senador, governador e, quem sabe, presidente. Parabéns ao Barbalhinho, parabéns ao Senado por sua hora extra e seu novo integrante, parabéns ao STF por livrar a cara de mais um... Feliz 2012!

Luciano Nogueira Marmontel automat_br@ig.com.br

Pouso Alegre (MG)

*

CARETAS

Quem sai aos seus não degenera, o menino Daniel, de 9 anos, filho do senador reempossado, só fez caretas, que é coisa de criança. É fichinha em relação aos “envolvimentos” do senador, o qual continua impune. Tudo é uma questão de intere$$e$, para a atualidade, nada de anormal. Diz-se “tal pai tal filho”, apenas imaginamos se chegar a ser político. Pobre Brasil... “País rico é país sem pobreza”, saia da pobreza, torne-se um político, jamais precisará fazer caretas. Será preciso citar exemplos?

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

GOZAÇÃO

Será que o glorioso Jader ensaiou com seu filho ou o garoto fez que o papai gostaria de ter feito?! Só faltou fazer a famosa banana para o povo brasileiro, aliás, graças ao STF do primo do Collor, aquele que na teoria iria caçar marajás, sendo um delles. Por falar em promessas, quem se lembra daquela lambança do famigerado Fome Zero? Sugeriram até um mundial... Deus do céu! Enquanto isso, o tiroteio no Judiciário continua, sendo que os beneficiados se apoiam e se escondem, enquanto os corregedores refutam e rebatem as declarações eivadas de aleivosia, para falar no mesmo juridiquês dos togados de plantão. Com todo esse barulho, feliz ano-novo!

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

DESPUDORADOS

A foto do filho de Jader Barbalho fazendo uma careta para os fotógrafos, apesar de ser a foto de uma criança inocente fazendo brincadeira, tem um grande significado muito além disso. Ela nos lembra que é assim mesmo que os políticos e gestores do nosso país se sentem com relação ao povo brasileiro, aquele que paga com o suor de seu trabalho os exorbitantes salários e benefícios que são gastos por eles sem o menor pudor. É isso que os corruptos fazem todo dia para nós, brasileiros conscientes que apontamos os vis atos de corrupção, mas que nunca vemos punição de qualquer espécie, que se revoltam com as palavras cínicas que diariamente inundam os noticiários. Que essa foto fique guardada no fundo de nossa mente para que toda vez que soubermos da roubalheira que assola o nosso país possamos nos indignar e tentar combater a corrupção impune.

Maria Tereza Murray email terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

O USO DOS FILHOS PELOS POLÍTICOS

Virou moda político fazer beicinho ou chororô diante das câmeras de TV... Rende votos. Parece também que se apresentar com filhos pequenos em circunstâncias “apertadas” igualmente serve para dissolver constrangimentos: Orlando Silva, ex-ministro do Esporte deu um bota-fora público, e de nível nacional, jurando inocência perante a pequena filha... Agora Jader Barbalho volta ao Congresso acompanhado do filho, o qual, fazendo caretas e gracinhas para os fotógrafos, espera talvez que esqueçamos que a volta de seu pai à política afronta a lei que nasceu da vontade popular, a da Ficha Limpa. Afronta, sim, porque a ficha de seu pai é mais suja que pau de galinheiro. Que exemplo nefasto...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

EM FAMÍLIA

Então, como se não bastasse termos que aguentar as falcatruas desses políticos corruptos, agora temos também de aturar as criancinhas sem educação nos fazendo micagem? Essa foto na capa do Estadão demonstra bem o que essa criança ouve do pai – e desejam ao povo brasileiro.

Elaine Navarro elainenavarro.pa@hotmail.com

São Paulo

*

TANTO QUANTO

Pior que Jader Barbalho, o tal ficha-suja, retornando ao poder é a corja de "corruptos", "sujos" e "desleais", etc., que comanda o País, permitindo que isso acontecesse.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ENDEREÇO

Fica uma duvida no ar: a careta do filhinho do ficha-suja Jader Barbalho foi para a Justiça, que engoliu um tremendo sapo, ou para o povo brasileiro, que continua com um enorme nariz de palhaço? Filho de peixe...

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

BARBALHICE

Da leitura do Estadão de ontem, ao examinar a “posse” do senador peemedebista, chega-se à conclusão: Barbalho ou educou de forma infausta seu filho, ou educou-o no sentido de deboche e escárnio, justamente daqueles que o sustentam e mantêm sua nababesca vida. Na primeira hipótese, ele nem sequer conseguiu educar de forma média seu filho, razão pela qual não serve para ocupar nenhuma função pública, seja de senador ou mesmo de mero barnabé. Na segunda hipótese (mais provável), a conduta deixa transparecer a falta de caráter e o menoscabo para com a população, preparando o Barbalhino para a geração seguinte de malfeitos (a corrupção mudo de nome). Penso que o País não precisa de homens públicos com o sobrenome Barbalho. Mas não é assim que pensam os caciques do PMDB, Sarney (AP), Calheiros (AL), Jucá (RR), Raupp (RO), Henrique Alves (RN) e Peluso, o presidente do tribunal em que a população já sabe que não pode confiar. A propósito, o por que da demora no julgamento da mordaça na Operação Boi Barrica? Mais uma troca de favores no compadrio, ou pura “barbalhice”.

Newton Kamuchena n.kamuchena@gmail.com

São Paulo

*

BERÇO

Sobre a foto estampada no Estadão, tenho a dizer: educação vem do berço!

Vanderlei Zanetti vanzanetti@uol.com.br

São Paulo

*

EDUCAÇÃO

“A educação tem por objetivo suscitar e desencadear na criança estados físicos e emocionais que são requeridos pela sociedade no seu conjunto” – Émile Durkheim.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.