Fórum dos Leitores

FERNANDO BEZERRA

O Estado de S.Paulo

14 Janeiro 2012 | 03h09

Só pode ser brincadeira...

Foi de muito mau gosto a afirmação do líder do PT no Senado, Humberto Costa, de que o ministro da Integração Nacional está sendo atacado por ser nordestino! O incomum líder parece sofrer de amnésia quando esquece que há exatamente um ano centenas de vidas foram ceifadas na Região Serrana do Rio e a "presidenta" prometeu que a prevenção contra esses desastres seria prioridade. O que os "competentes" fizeram? É só acompanhar o noticiário e ouvir o depoimento dos sobreviventes! E o que dizer das quase 200 cidades mineiras sob as águas? Parem de demagogia e desvio de verbas e trabalhem, os senhores são pagos para isso, não para deitar conversa fiada!

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Verba bem alocada

Mais um ano com deslizamentos e mortes. Cadê o dinheiro, ministro? Seu salário e o de seus parentes foram pagos direitinho, né?

RICARDO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

ELEIÇÃO MUNICIPAL

'Santo' Lula

Os partidos governistas, prevendo a cura do câncer de Lula, já o transformaram em "santo". Como o ex-presidente se considerava um enviado de Deus, agora, com os aliados venerando-o, a disputa com o PT para tê-lo nos palanques e comícios, traduzindo sua presença em apoio, vai virar uma guerra santa. A oposição, representada pelo PSDB, que se cuide e não se deixe contaminar pela soberba, como os petistas, levando-os a pensar que são super-homens, porque no final a humildade triunfará. Nas eleições municipais de São Paulo espero que o governador Geraldo Alckmin tenha lucidez e sabedoria para escolher seus aliados na disputa pela Prefeitura, antes de fechar com o PP de Paulo Maluf, tradicional inimigo do PSDB e do PSD de Gilberto Kassab (que considero um traidor), em troca de mais tempo no horário eleitoral gratuito da TV e apoio à sua reeleição em 2014. Mantenha a aliança com o DEM, antigo aliado, mais confiável, que está sendo assediado pelo PMDB. Ouça as bases e os pré-candidatos do partido. Alckmin, católico fervoroso, conhece bem a virtude da humildade, que se expressa em verdade e sinceridade, não se deixará levar pelos embustes do inimigo. "Deus exalta os humildes e reduz os soberbos ao nada."

CLEITON REZENDE DE ALMEIDA

cleiton_rezende@uol.com.br

Araraquara

Queda de braço

Alguém tem dúvida de quem será o vencedor da queda de braço entre Lula e seu pupilo Fernando Haddad versus Michel Temer e seu Gabriel Chalita? Cada um defende o seu para sair candidato único, representando os dois partidos, à Prefeitura de São Paulo.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

CRACOLÂNDIA

Só em abril?

A intervenção da Polícia Militar (PM) na cracolândia foi no momento certo. Essa conversa do governo federal de que somente em abril seria lançado um plano de ação em conjunto com o Estado e o Município, que incluiria a ação policial para combater esse mal, é pura fachada. O que o governo federal quer é que os marqueteiros do PT explorem o problema social com soluções mirabolantes a favor do seu candidato à Prefeitura paulistana.

JOSÉ MILLEI

elymillei@hotmail.com

São Paulo

Nas fronteiras

Como era de esperar, a esfera federal tinha de aparecer na empreitada cracolândia. Se a União dotasse os órgãos competentes de equipamentos e de verba nas fronteiras com os países produtores de drogas, creio que as várias cracolândias existentes no País não teriam a dimensão que têm hoje. Esse combate, com a participação das esferas estadual e municipal, só tem sucesso se o Planalto fizer a sua lição.

ALOISIO PEDRO NOVELLI

celnovelli@terra.com.br

Marília

Zumbilândia paulista

Os traficantes devem estar gratos à Defensoria Pública pela iniciativa de emascular a ação da PM na cracolândia. Os moradores e comerciantes da região, que com seus impostos pagam os salários dos nobres promotores, não estão. Estes têm uma noção peculiar de direitos e deveres dos cidadãos, defendendo o direito de ir e vir dos zumbis noiados e ignorando solenemente o mesmo direito e o de usar espaços públicos que o restante da comunidade tem visto serem sistematicamente negados pelas hordas de viciados. É uma pena que o Brasil não adote a prática de eleições diretas para a Defensoria. Teríamos menos correção política de centro acadêmico e mais compromisso com as necessidades da sociedade.

FABIO OLMOS

f-olmos@uol.com.br

São Paulo

Mestres de obras feitas

De um lado vemos a PM usando a tática de dispersão para dificultar o trabalho dos traficantes, em conjunto com os serviços sociais do governo, que procuram atender os viciados quer no tratamento psicológico (abandono do vício), como também no tratamento de saúde propriamente dito. No meio, o Ministério Público e a turma dos direitos humanos criticando toda iniciativa que está sendo levada a cabo, mas todos fisicamente longe do local dos acontecimentos, comprovando que no Brasil a categoria "mestre de obras feitas" é muito grande. Na outra ponta está a Defensoria Pública, que, usando debaixo do braço a Constituição (direito de ir e vir), incentiva os noias a resistirem a qualquer iniciativa da polícia e a permanecerem nos locais que eles preferem. E pior: incentivando os viciados a manterem seu status quo e se aproximarem cada vez mais rápido da morte. Meu Deus, que país é esse?

MAURÍCIO LIMA

mapeli@uol.com.br

São Paulo

Dignidade

Quando alguma coisa é feita de concreto pelas autoridades competentes e com resultados muito bons, conforme os noticiários, vem a turma do quanto pior, melhor. Pergunto: por que os promotores, os vereadores, a OAB, as assistentes sociais não levantam a bandeira da dignidade, com o mesmo apetite, contra a corrupção e o mau uso do dinheiro público, que são os grandes vilões da saúde, da educação, da segurança, aviltando os princípios honestos dos trabalhadores deste país?

WILSON LINO

wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

 

OU É OU NÃO É

 

A presidenta Dilma pediu a substituição do presidente interino da estatal Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Clementino Coelho, que é irmão do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, suspeito de favorecimento de parentes e do Estado dele, Pernambuco, onde é pré-candidato à Prefeitura da capital, Recife. É evidente, até para um símio razoavelmente treinado, que uma estatal não pode ser presidida pelo irmão do ministro da pasta à qual essa estatal está vinculada. Os manos Bezerra mantiveram essa esdrúxula situação por quase um ano sem que a interinidade de Clementino, à frente da estatal, fosse questionada ou vetada. Com o surgimento de uma série de outras denúncias de irregularidades no ministério da Integração Nacional, a substituição foi solicitada pela presidenta. Apesar das evidências, Dilma continua aparando arestas sem mexer no miolo podre do governo herdado. Da mesma forma que não existe a meio grávida ou o meio gay, também não existe o meio corrupto...

 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

 

*

PIORES AS EMENDAS

 

Os sofríveis sonetos da política brasileira atual contemplam ministros que, ao tentar emendá-los, só nos legam versos canhestros de terceira categoria. A justificativa para o privilégio de R$ 70 milhões para Pernambuco, dada por seu dileto e combativo filho, Fernando Bezerra Coelho, está em sua legitimidade por haver abalado o princípio da isonomia entre os estados da Federação na companhia do Ministério do Planejamento e a Presidência da República. A emenda parlamentar de seu filho também foi procedente porquanto compartilhado o critério com mais 24 parlamentares. E não há nepotismo nem favorecimento num irmão que assume um cargo em vacância (como se pudesse fazê-lo preenchido), interinamente, por um ano, sendo afastado somente quando o nepotismo veio à tona. Presidente Dilma, ser ou não ser, eis a questão.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

CLÃ BEZERRA

 

A família Bezerra está cada vez mais dando leite aos coelhos.

 

H. D. Grandberg  h.d.grandberg@terra.com.br

Guarujá

 

*

RIEM DE QUÊ?

 

Na quinta-feira, 12/1, o ministro da Integração Nacional foi ao congresso (minúscula mesmo!) se explicar pelo montante de verbas destinadas ao seu estado, em especial ao seu curral eleitoral.  Apesar do recesso parlamentar, a bancada governista, comandada por petistas e peemedebistas prestou solidariedade e apoio ao ministro, vítima de preconceito por ser nordestino, como definiu o líder do PT, Humberto Costa.  Após depoimento o ministro e o tetrapresidente do Senado saíram às gargalhadas,  abraçados, flagrados pelo fotógrafo do O Estado de S. Paulo.  Ante as tragédias recorrentes no Rio de Janeiro e Minas Gerais, entre outros estados, vitimados por inundações, deslizamentos e mortes, pergunta-se: de que riem essas hienas?

 

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

 

*

SARNEY E BEZERRA

 

É muito triste e difícil acordar tão cedo para trabalhar e deparar-se nos jornais com o fato desses dois nepotistas, políticos nacionais, gargalhando nas nossas caras. Sinto-me absolutamente impotente.

Só me resta a esperança em Deus Onipresente, Ele certamente saberá responder um dia a essas duas almas maquiavélicas Sarney e Bezerra, os bons companheiros pelo tamanho do mal que fazem a nós, trabalhadores brasileiros!

 

Beny Schmidt benyschmidt@gmail.com

São Paulo

 

*

PRECONCEITO?

 

O chefe da maioria no Senado disse ao ministro ligado ao "pudê" e o Estadão publicou: "Vossa Excelência está sendo vítima pelo fato de ser nordestino". Pois bem, senhor Humberto Costa, nordestinos são, também, dentre outros (senão haja papel e tinta para nominá-los), só para citar alguns: os Sarneys, os Renans, os Jucás, o Geddel, o Duda, o "sanguessuga" e, de raspão, o Barbalho. Chega, ou quer mais?

 

Ruy de Jesus Marçal Carneiro ruycar88@uol.com.br

Londrina (PR)

 

*

OS NÚMEROS FALAM POR SI SÓS

 

O ministro Bezerra apresenta números realmente convincentes: O órgão recebeu 3 mil projetos na área de prevenção de desastres; somente 34 foram considerados aptos a receber recursos (1,13% do total); destes 34, um ou sei lá quantos, mas para um mesmo estado, recebeu 90% dos recursos (não falem pra ninguém, foi Pernambuco); os que sobraram receberam a “significativa” parcela de 10% “porcentão” (bem grandão).Esta é a síntese de   seu depoimento no Senado – em recesso – mas que contou com, dentre outros, o Exmo Sr José Sarney, com quem sai de braços dados dando gargalhadas (foto pag. A6)  que não tenho dúvidas são dirigidas a todos os otários e fieis eleitores... Será que ele, além do Senado, consegue convencer mais alguém?

 

João Batista Piovan jb@reunidaspiovan.com.br

Osasco

 

*

DEPOIMENTO

 

Se o governo está achando que esse depoimento de cartas marcadas de Fernando Bezerra a essa comissão representativa do Congresso, que tem apenas 4 oposicionistas dentre os seus 25 membros, vai encerrar o ciclo de desgastes do ministro, pode ir tirando o seu cavalo da chuva. Totalmente desnecessária essa encenação em que o ministro mente, diz que é inocente e sai aplaudido por verdadeiras vaquinhas de presépio. O governo pode ter certeza que aqui fora, no mundo real, Fernando Bezerra perde de goleada, e será perseguido sem quartel por brasileiros defensores da ética e da moralidade.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

 

*

FORA DO PASTO

 

A pantomima que o Congresso preparou para preservar o ministro não convencerá à sociedade. Tem de tirar a bezerra do pasto.

 

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

 

*

DILMA ROUSSEFF

 

Dama de Ferro? Como? Até hoje não vi nenhuma atitude dura, severa. Ah! Sim, para blindar os amigos que cairão, mais tarde, de maduro.

 

Diodi Okamoto

São Paulo

 

*

CARTAS MARCADAS

 

O "circo" montado no Congresso para ouvir às explicações e os argumentos já forjados do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, é uma verdadeira e vergonhosa "palhaçada" armada pelo governo. Dos 25 integrantes da Comissão Representativa, apenas 4 são da oposição. Alguém tinha alguma dúvida do resultado final?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

NÃO CONVENCEU

 

Pelo que vi na TV o ministro Bezerra não convenceu o Senado, deixando um monte de dúvidas sobre a sua honestidade. Meu saudoso pai dizia que não existe pessoa meia honesta e assim no meu entendimento ele (o ministro) tem que ser substituído imediatamente pois o Brasil não admite mais "raposas tomando conta do galinheiro". Nós brasileiros não aceitamos pessoas "meio honestas". Este governo da Dilma está de mal a pior... Resta uma dúvida: Será que temos algum ministro 100% honesto?

 

José Carlos Farina josecarlosfarina@yahoo.com.br

Rolândia (PR)

 

*

AS BEZERRICES DO MINISTRO

 

A cada dia que passa aumenta as "bezerrices" do ministro da "entregação" nacional de verbas e para desesperança total, a presidente Criatura em vez de dar um pé na bunda do abusado passa a mão em sua cabeça. Em parte desculpa-se sua inação, porque ela é apenas a marionete do Burla, o presidente de fato e devedor de mil favores a politicalha do Cambalacho Nacional. Para disfarçar, ela vem com a novidade de   criar mais um setor, que será  apelidado de "força nacional de combate a enchentes", pura perfumaria que servirá mais para dar cargos a vagabundos que uma resposta eficaz  a essa  situação de descalabro total. Não é novidade, anualmente nesta época assistimos  o mesmo circo de sempre, com os políticos justificando os desastres e prometendo mil obras que jamais sairão do papel.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo 

 

*

BEZERRA OU COELHO?

 

Os dois animais. Ora “Coelho” que não faz mal a ninguém e é adorado por todas as “inocentes criancinhas” que compõem a equipe do Executivo. Ora “Bezerra” que já prevendo é chegada a hora de ser desmamada, e, inconformada com a possível abstinência do leite gordo e farto diariamente sugado das tetas da mamãe Brasil, sai de forma desembestada, dando coice em todos aqueles que só querem explicações e a verdade sobre a sua conturbada gestão frente ao Ministério da Integração (Familiar). Ministro! O povo perguntou e o Sr só enrolou. Por isso, pegue o seu banquinho e saia de fininho.

 

João Batista Piovan jb@reunidaspiovan.com.br

Osasco

 

*

O MINISTRO E SUAS FUNÇÕES

 

...talvez o Bezerra esteja somente mamando...

 

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

 

*

TRAUMAS ADMINISTRATIVOS

 

Diante do atual sistema de favorecimento político partidário a sociedade brasileira novamente está às voltas com mais um trauma administrativo, agora envolvendo  o ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) do Ministério da Integração Nacional. Com o objetivo de fazer parte do cenário de propaganda eleitoral da presidente Dilma Rousseff, os contratos que foram feitos  às pressas com empreiteiras para as obras da transposição do Rio São Francisco  já tiveram um reajuste de quase R$ 2 bilhões. O que acontecerá então se o projeto do trem-bala estimado em R$ 36 bilhões sair do papel somente para satisfazer a obsessão de grandeza dos "cumpanheiros"? Haja coração!

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

FORRÓ DO BEZERRA

 

O ministro vida animal (bezerra e coelho) está sendo tão elogiado e defendido pelo executivo federal et caterva, que na continuidade poderá, brevemente, ser santificado dentre outras.

 

Iracema M. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

 

*

TRAGÉDIAS BRASILEIRAS

 

Começo a suspeitar do modus operandi de alguns políticos no que se refere às tragédias produzidas pelas chuvas excessivas, inundações e deslizamentos de terra. Aliadas às forças da natureza, que se repetem de modo previsível, a incompetência administrativa, a corrupção e o total descaso pelas necessidades da população fazem com que estas tragédias se tornem cada vez mais trágicas. Vão cozinhando o galo, enrolando, inventando desculpas, para nada fazer e esperar a repetição da tragédia, e aí receberem novas verbas. Até quando a memória dos mortos e dos desabrigados será violentada por estes abutres.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

OBRAS CONTRA DESASTRES NATURAIS

 

Durante a campanha eleitoral, candidatos, e, especificamente Dilma Rousseff prometeu obras em diversos setores. No governo, incluiu verbas no orçamento federal do Ministério da Integração Nacional,  para prevenir desastres naturais, atenuá-los ou remediar seus efeitos. O mesmo ocorrera no governo Lula,.  Constatada a distribuição aleatória, mas com endereço certo. No governo Lula, o ministro era baiano, e no atual, é pernambucano. Ambos responsabilizaram os municípios por não apresentarem "projetos aptos" como justificativa para não contemplar os realmente necessitados, do Brasil e não apenas de seus estados. Afinal, as promessas foram dos candidatos ao Governo Federal que, indica a lógica, deveria prover os "projetos aptos". Mas o que se constata, é que o governo "entra" com o dinheiro, que está sobrando, mas alguém tem que fazer o trabalho mais difícil; planejar, projetar as obras e administrar sua execução. Certamente os candidatos "não conversaram com os russos".

 

Mario Helvio Miotto mhmiotto@ig.com.br

Piracicaba

 

*

ALÉM PARAÍBA

 

A população da cidade de Além Paraíba em Minas Gerias necessita urgente da atenção dos governos estadual e federal em virtude de ter sofrido graves danos em virtude das fortes chuvas que a atingiram, muitas pessoas estão desabrigadas, vias públicas intransitáveis, pontes desmoronadas, vias de acesso destruídas e o único hospital da cidade interditado, com ameaça de cair a qualquer momento. A cidade não pode esperar medidas paliativas e burocráticas, pois as necessidades carecem de providências urgentes, pois a sua população está sofrendo muito.

 

Marcos Tito marcostito@pop.com.br 

Belo Horizonte

 

*

CHUVAS

 

Penso que o "bicho-homem" deveria ter aulas com os índios onde e como habitar. Ter uma consultoria... Alguém já ouviu dizer que em aldeia ocorre enchente e/ou deslizamento? E Cumbica, que em tupiguarani significa nevoeiro? Vem o homem e implanta um aeroporto!

 

Emílio Carlos dos Santos kkrodeo@hotmail.com

Barretos

 

*

O DESMATAMENTO E AS ENCHENTES

 

O congresso nacional terá muito o que avaliar na teoria, o que a natureza esta mostrando na prática, através das enchentes, deslizamento de encostas e o soterramento de pessoas. Estes eventos fazem parte da evolução de um problema, cuja origem esta no mal uso do solo e no  descaso com o verde. Como nesse país tudo fica na base do faz e depois vê como fica, muitos inocentes estão perdendo suas  vidas e suas casas. Sem uma legislação que acolha as necessidades de sobrevivência da espécie humana,nós brasileiros teremos muito o que chorar. Especialista da área ambiental há muito, tem mostrado às autoridades, a dimensão e a origem de todo o problema, entretanto, os mandatários da nação, continuam com uma visão truncada e fixada no hoje. Este  não é um país de políticas de prevenção, tudo se foca na remediação, ou seja, acudir o que já foi! Daí vir algum dinheiro para aluguéis sociais , cobertores, remédios e psicólogos para socorrerem as famílias destroçadas... Por que não atentar para a origem do problema? Todo mundo tem medo da bancada ruralista e sua Kátia Abreu? O que fez o ex- ministro Aldo Rabelo? Por que não se escolhem pessoas bem familiarizadas com as pastas que ocupam, nos ministérios? No Brasil existem plantações de cana de açúcar, na região próxima ao Recife, em morros! Isto é o cúmulo do descaso com a natureza!

Diante do que experimentamos podemos concluir que a população  vai continuar a correr grandes riscos.  Os problemas  estão aí , todo verão, à mostra! Em tempo: não podemos deixar ao acaso também, as mudanças climáticas globais, que se somarão ao caos doméstico!

 

Mara Fonseca Chiarelli mara.chiarelli@ig.com.br

Mogi Guaçu

 

*

AS TRAGEDIAS  E AS ROUBALHEIRAS

 

Nem mesmo começamos o ano de 2012, o Brasil que é a sexta Economia do Mundo, a  87 no IDH, Índice de Desgosto Humano,  está mergulhado num mar de lama, deslizamentos, soterramentos na região Sudeste, cujas  tragédias são agora um troco da Natureza, e na Região Sul, pela Seca e a Estiagem, na maioria dos 3 Estados  foi retirado toda cobertura vegetal, agora os rios secam, as plantações não vingam, os animais morrem, e o ser humano está inquieto e impaciente pela falta do liquido que nos garante a vida. Nas liberações de recursos, o governo federal liberou R$ 75 milhões para os Estados atingidos pelas Secas, e R$ 150 milhões pelos atingidos pelas águas, porem o mais grave é o que foi mostrado na Imprensa Brasileira, de que no ano de 2011,  os recursos desviados dos Ministérios, Esporte, Turismo, Trabalho e Transportes, já chegaram a R$ 3,2 bilhões, e não tem como reaverem esses recursos,  que seriam  para ajudar o sofrido Povo Brasileiro, nas Escolas e Capacitação de Jovens e na reconstrução das Estradas, nada disso pudemos ver, esse é o país do “sumiu” e do “eu não sabia”. Esse é o Brasil hoje no início do ano, o resto é o resto.

 

Jose Pedro Naisser jpnaisser@brturbo.com.br

Curitiba

 

*

DECISÃO TÉCNICA?

 

Que desfaçatez! Transferência de 90% de verba de prevenção de desastres naturais para privilegiar interesses numa base política ser chamada de decisão técnica, enquanto em vários Estados as chuvas castigam cidades destruindo vidas, estradas, casas, causando enfermidades e com desabrigados e desaparecidos, é vergonhoso! Tudo feito à sombra de possível chantagem no apoio político. Ninguém consegue eternizar a glória para si na má gestão.

 

Alberto Raad raadalberto@yahoo.com.br

Colina

 

*

TOMARA QUE O CÉU DESABE!

 

Roberto Damatta: Tudo o que foi construído se desmantela nas primeiras chuvas porque foi malfeito (Estado, 11/1). Como gostaria de ver todo o malfeito engendrado em Brasília e adjacências desmantelado por uma chuva de conscientização dos brasileiros. Mesmo que fosse apenas um aguaceiro, ou uma "garoa", que já foi comum na cidade de São Paulo. Bons tempos de garoa e de lideranças autênticas.

 

José Jorge Ribeiro da Silva jjriberos@yahoo.com.br

Campinas

 

*

TROLOLÓ

 

Meu Deus. Que governador é esse que o eleitor do Estado do Rio reelegeu. Falando sobre as chuvas e enchentes que castigam o Estado, disse vai chover ainda mais na região serrana, no norte e noroeste do Estado e até em Minas Gerais. Virou porta voz do Inmet. Será que não tem ninguém ao lado dele para dizer: governador, disso o povo sabe, basta ligar para o Inmet. O que querem saber é o que está sendo feito e o que vai se fazer, prometido desde janeiro de 2011. O que temos que engolir. Que mal fizeram os não eleitores dele.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

SALVE-SE QUEM PUDER

 

Pior do que a Cracolândia é a situação em que se encontram os Poderes Constituídos da Republica Federativa do Brasil. A corrupção, o trafico de influência, o protecionismo da Presidenta aos membros de seu governo que são acusados de atos ilícitos e são tratados como santos. O que fazer quando uma Comissão no Congresso que apura irregularidades de ministros e composta de 13 elementos do governo e 4 da oposição. O resultado já esta pronto o Sr. Bezerra e totalmente inocente. Assim tem sido em todos os casos levantados até hoje. Quando o individuo não tem como provar sua inocência ele e afastado temporariamente e retorna com honras e festas. Como exemplo maior tem o caso de José Dirceu. Participantes do mensalão e outros crimes praticados contra a sociedade brasileira são totalmente inocentados e agraciados com cargos dentro do governo ou em seus partidos. Atualmente os acusadores são criminosos e colocados em situações vexatórias sem emprego e amaldiçoados. O motorista que fez as denuncia de propinas esta sem trabalhar e com dificuldades de arranjar empregos. O deputado Jéferson foi cassado e hoje e o presidente do PTB porque o partido honrosamente acolheu o seu membro enquanto os denunciados continuam livres e praticando atos corruptos. Se formos mais fundo onde anda os 6 (seis) ministros que foram afastados por corrupção? Foram punidos ou exercem cargos dentro do governo ou em seu partido. A nossa única e verdadeira salvação e o fechamento do Congresso e todos os poderes da republica e a criação de uma Junta Popular de transição para apurar todas as irregularidades praticadas por esses criminosos e condená-los a prisão perpetua e em trabalho forçado. Somos 190 milhões de Brasileiros que estamos sendo massacrados e mortos por pouco mais de mil ladrões. Nunca na Historia do Império e da Republica Brasileira assistimos tantas covardes agressões ao nosso patrimônio. A impunidade veleja em mar tranqüilo enquanto o povo paga o preço do abandono e da destruição.

 

Antonio Ranauro Soares antonioranauro@bol.com.br

Sete Lagoas (MG)

 

*

SERPENTES NO ASFALTO

 

Eliana Calmon, corregedora nacional de justiça, muito mais do que numa eleição majoritária que corriqueiramente segue órfão de debates construtivos, ou do nosso Congresso em decadência absoluta, ou ainda do Executivo, que não tem propostas relevantes para o País, trás para o seio da nossa sociedade um debate bem a céu aberto expondo a magistratura brasileira como jamais se imaginou ocorrer. A citada corregedora, após declarar em novembro de 2010, que “há bandidos de toga”, em função da resistência de parte dos magistrados contra as ações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), fez mobilizar até alguns ministros do Supremo, outrora mais reservados, que se debelaram também contra a implacável determinação de Eliana, de investigar magistrados que cometem ilicitudes. O que está, diga-se de passagem, contemplado na nossa Constituição. E nesse tiroteio inconsequente e corporativo de boa parte dos juízes contra a responsável pelo CNJ, Calmon diz que não vai recuar e acrescenta, “eu estou vendo serpentes nascer, não posso me calar”. Certamente Eliana, não está sozinha nesta sua empreitada moralizadora, porque graças a este surpreendente debate, e com ampla divulgação da imprensa, vem merecendo todo apoio da sociedade.  Que esta luz do bem comum, que a corregedora ascendeu no limiar de 2011, ilumine o ano novo não somente no âmbito do judiciário, mas de todos os setores das nossas instituições, que há muito, não ouvem as ruas, e negam escandalosamente os clamores da população, que exige a penalização dos que não respeitam a nossa Carta Magna, e ainda desviam bilhões de recursos do erário!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

ELIANA CALMON

 

O desembargador Roberto Bellocchi, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), aprovou para si próprio um pagamento milionário, aponta investigação conduzida pela corte paulista, no valor de mais de R$ 1,5 milhão. Por essas e por outras a Dra Eliana Clamon (CNJ) tem que ser prestigiada por todos que querem o bem da causa publica e o ético em todos os setores?O nosso Judiciário esta parecendo um colcha de retalhos cheio de buracos e da vergonha? Que lástima.

 

Jani Baruki janibaruki@bol.com.br

São Paulo

 

*

DIVISOR DE ÁGUAS

 

É um divisor de águas que está sendo discutido no País; em minha opinião, trata-se em última análise do mais importante tema abordado em nossa história. Precisamos todos apoiar a postura da ministra Eliana Calmon, jamais encontramos alguém com a coragem de colocar o dedo nessa ferida. Parabéns, corregedora, estamos contigo!

 

Luiz Eduardo Penazzi luizpenazzi@ig.com.br

São Paulo

 

*

IMAGEM (IN)FIEL

 

Nossa Justiça é representada pela imagem da Thêmis, aquela deusa mitológica elegante, com olhos vendados, que segura uma espada numa mão e uma balança na outra. Sua estátua pode ser vista na Praça dos Três Poderes, em Brasília, nos Fóruns e em quase todos os escritórios de advocacia do país. É uma efígie de mulher de porte nobre e altivo. Diz a mitologia grega, que ela foi a segunda esposa de Zeus. Tinha mesmo que ser bonita! É lamentável, mas essa charmosa top model do Olimpo não tem nada a ver com o nosso Judiciário! Associá-la ao barraco judicial chega a ser uma ofensa!  Thêmis é uma beldade, mas nossa Justiça – ou a geringonça que leva esse nome – não é nada moça, tem mais de 500 anos e, além do mais, nada tem de bonita: é mais feia que rascunho de capeta! Para começo de prosa, nossa desmilinguida Justiça é lerda, mas não dessa lerdeza comum das tartarugas, das lesmas... A mocoronga judicante movimenta-se com uma vagareza que não encontra semelhança com bicho algum em toda a fauna planetária. Dizem que é cega. Cega uma ova! A malvada é mentirosa isso sim: só faz de conta que não vê! É capaz de distinguir uma nota de cem, no meio de um Lixão, lá do outro lado da Via Láctea! É o tipo da velha que ninguém quer por perto, nenhum parente a suporta, nem asilo aceita sua presença! É público e notório que a matusalém sempre viveu à custa da desgraça alheia! Apesar de caquética, a velhota “se acha”. Vive em casarões chiques, rodeada por serviçais de togas negras, a quem o povaréu chama de excelência. Cheia de “não me toques”, salamaleques e outras frescuras, além de ter passado toda sua existência sem trabalhar, ainda esbanja o dinheiro do contribuinte em benefício próprio. Exige altos salários para seus servidores, manda construir palacetes, que ela chama de egrégio tribunal, compra carros de luxo e inventa um monte de leis só para se fazer de importante e garantir seus privilégios! A dita-cuja é também esquizofrênica: ouve vozes, vê coisas e baba! Nenhum psiquiatra pode com ela... Nenhuma dose de Haldoll dá conta do recado! Nenhuma UTI consegue curar a matusquela enxerida! Às vezes, a anciã entra em surto: manda prender quem não deve e solta quem não merece ver a luz do Sol. Uma coisa é certa: ninguém do povo gosta dela. Todo mundo fala mal da encardida pé-na-cova! Há quem diga que a fulana é mais falsa do que artigo ching-ling e tem gente que foge dela como o diabo foge da cruz! A cafifenta Justiça tupiniquim jamais poderia ser representada pela Thêmis. A imagem ideal para personificar essa pegajosa tribufu, por certo, é a Medusa! Essa sim é a sua cara: além de ter cobras na cabeça, transforma em pedra quem espera uma sentença! 

 

Benedito Madaleno Mendes beneditomadalenomendes@yahoo.com.br

São Paulo

        

*

CRISE NO JUDICIÁRIO

 

Temo pela vida da corregedora: interessados secudários há que, no ímpeto, podem ir a desatinos, sem que o interessado primário saiba. Estaremos diante de riscos? E a OAB, tão explicita, nada teria para nos iluminar?

 

Renato Guimarrães Jr. renatogjr@yahoo.com

Campinas

 

*

HAITIANOS NO BRASIL

 

Ajuda humanitária ao Haiti o Brasil pode dar in loco, lá na terra deles. A entrada sem controle de levas de haitianos no Brasil é prova de que nossas fronteiras continuam desguarnecidas, e se facilmente entraram tantos haitianos, também devem ter entrado, pelo mesmo caminho,  traficantes de armas e drogas, bandidos de toda espécie , visto que o Brasil tem fama de dar guarida a estes elementos. E se medidas mais efetivas que as inócuas e tardias agora tomadas por Dilma Rousseff para conter a entrada furtiva dos haitianos e demais forasteiros não forem aplicadas, em pouco tempo teremos um quadro mais caótico na área social e principalmente da segurança do que já vivemos na atualidade. Já temos bolivianos, peruanos, equatorianos, africanos a disputar mercado de trabalho com os brasileiros...e infelizmente, o "mar não está para peixe", pois a crise , de marolinha , ameaça virar uma ressaca brava. Para se ter uma visão do nosso futuro caso não se breque a entrada destes estrangeiros, basta perguntar a um espanhol ou francês, italiano , alemão o que eles pensam hoje da imigração que foi tão facilitada por seus países há alguns anos atrás. Prevenir é bem melhor do que nem poder remediar depois!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

PROPAGANDA ENGANOSA E IMIGRAÇÃO

 

Depois de duas semanas na Espanha, conversando com espanhóis e imigrantes que lá lutam para sobreviver, fiquei espantada com a imagem que fazem do Brasil:o paraíso para os despossuídos, o Éden sem fim.As notícias sobre a fuga de haitianos para o Brasil, que poderiam ter aportado em Cuba, Venezuela e outros países mais próximos, talvez seja a face perversa da propaganda enganosa que a comunicação social oficial faz propagar pelo mundo. E la nave va...

 

Ana Lucia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo

 

*

HAITI E BRASIL

 

É a versão ambiental das duas Coreias. A diferença foram as escolhas, basicamente. O Haiti e a Republica Dominicana são um país e o que restou de outro numa mesma ilha. De um lado, a Republica Dominicana é um país que vive com certa dignidade, meio ambiente preservado, destino turístico a despeito da vizinhança:  tecido social em decomposição, recursos naturais esgotados, uma história pouco louvável e pouco comentada. As pessoas preferem o caminho mais fácil do vitimismo em vez de cobrar a parcela de responsabilidade dos haitianos pelo seu próprio destino. Qual será o custo dessa obsessão do governo fazer o Brasil parecer uma potência que nunca foi? O que nossos soldados foram fazer no Haiti? Qual é mesmo nossa divida ou compromisso para com uma ex-colônia francesa? Terá o Brasil condições de suportar e acolher todos os refugiados ambientais do planeta enquanto o estado não consegue prover saúde, segurança educação e transporte dignos aos brasileiros? Ok. Estou sendo desumano, precisamos ajudá-los: Se você pensa assim, leve ao menos um para dentro de sua casa. Acolha de verdade, além do discurso e da patrulha politicamente correta. Estará ajudando de efetivamente.

 

Antonio Cavalcanti da Matta Ribeiro  antoniodamatta@ig.com.br

Guarulhos

 

*

BRASIL (ÉIA), HAI (DE) TI!

 

Multiplicam-se as cartas de brasileiros indignados com a "invasão haitiana" no Acre. Estranho, todavia, alguns silêncios: nenhuma rica ONG internacional defensora da Amazônia os está ajudando? O "movimentos sociais" dos "sem-terra" e "sem-teto"- pois o são, os refugiados - tão providos de recursos públicos, nada fazem? Nenhuma seita milionária os acolheu em seus megatemplos?  A Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Fome não os inscreveu no Bolsa-Família? E as de Igualdade Racial e Direitos Humanos, não criaram quotas em escolas e empregos públicos para instrutores do dialeto "créole"? Sarkozy não quis levá-los para a Guiana Francesa, onde trabalhariam na Base Aeroespacial de Kourou ou no Batalhão da Legião Estrangeira ali existente? Se São Luís, como o Haiti, também tem origens francesas, por que a Governadora Roseana Sarney não os emprega na Fundação de mesmo nome, recentemente estatizada? E nossos "hermanos" "socialistas chavistas bolivarianos" do Peru e da Bolívia, por que proibiram o ingresso dos haitianos em seus países? Por fim - o que os militares brasileiros ainda têm de fazer no Haiti? Melhor trazê-los para o Acre! Com a palavra os acreanos irmãos Jorge e Tião Viana, Jarbas Passarinho e outros ilustres herdeiros de Galvez!  

 

Gil Cordeiro Dias Ferreira gil.ferreira@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

INVASÃO

 

Estou chocado com a passividade do governo brasileiro em relação à imigração massiva e fora do controle de haitianos no Brasil. O governo brasileiro está recebendo todos de braços aberto, como se isso fosse um processo temporário e passageiro. Não há a menor dúvida de que alguém está por trás dessa invasão, financiando a vinda deles para o Brasil. Uma coisa é o Brasil ajudar o Haiti. Outra bem diferente é permitir que o problema do Haiti se instale no Brasil. Nenhum país do mundo permitiria uma imigração desse porte. Nós não precisamos de mão-de-obra desqualificada. O atual governo, que foi eleito para governar para os brasileiros, está permitindo a criação de um Haiti dentro do território brasileiro, como se o Brasil já tivesse resolvido o problema da pobreza dos duzentos milhões de brasileiros. Nunca caiu tão bem o bordão dito pela Kate Lyra: “Brasileiro é tão bonzinho.” Essa bondade vai custar muito caro para as futuras gerações de brasileiros.

 

Olavo Guterres Silva Oguterres@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

 

*

FERIDAS ABERTAS

 

Parece que aquella brilhante ideia de levar a seleção da CBF para o Haiti não deu muito resultado.

 

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br

São Paulo

 

*

LARANJA OU ABÓBORA

 

O texto de Eugênio Bucci é fascinante (Quanto custa o alaranjado?, Estado, 12/1), mas permito-me discordar de alguns pontos cruciais. Primeiramente, o Itaú tem sim interesses na exportação de suco de laranja, ainda que indiretos, uma vez que a Elekeiroz, empresa do grupo, atua na fabricação de componentes de embalagens e outros, que serão utilizados no acondicionamento desse suco. E dizer que o leitor é, acima de tudo, telespectador é no mínimo desconhecer o comportamento de parcela significativa de seu próprio público. Sem contar que pode ser ofensivo, ao nivelar por baixo a forma como cada qual tem seu acesso à informação e entretenimento. Por fim, cabe lembrar que laranja é também a cor da abóbora e foi por essa denominação que eu fui apresentado a essa radiação eletromagnética que fica entre o amarelo e o vermelho.

 

Adilson Roberto Gonçalves priadi@uol.com.br

Lorena

 

*

‘QUANTO CUSTA O ALARANJADO?’

 

Além de não explicar nada, vamos melhorar sua lista de cores. O vermelho também é cor da falida URSS, do despudorado PT, seu partido, do Banco Bradesco, da Ferrari, da Malboro etc. Realmente o Itaú mudou de cor, o laranja lembra o vermelho, que transformou o Brasil no paraíso dos banqueiros na era Lula do PT, vermelho como a falida URSS, até o "brasão" foi chupado da China comunista. Não há sequer uma falcatrua de governo onde não se encontre algum banco dando seu "apoio", e vamos por aí afora. Como a coluna não trás conteúdo algum para se comentar, fica também uma mensagem de que os jornais poderiam melhorar suas colunas editoriais.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

EUGÊNIO BUCCI

 

Prezado Eugênio Bucci, gostaria de fazer uma observação acerca de seu artigo Quanto custa o alaranjado (12/1, A2): o Itaú passou a enfatizar 'sua' cor laranja em reação ao Santander, que se 'apropriou' da cor vermelha como sua identidade visual mundo afora. O Banco do Brasil usa como 'sua' o amarelo; o extinto Bamerindus, o verde; o extinto Nacional,o azul. Nada de muito moderno nem inovador, pois não?!

 

Jorge S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

‘ESTADÃO’, 137 ANOS

 

Ao grande jornal Estadão, os parabéns pelos 137 anos de luta pelo Brasil, onde suas páginas vibraram e vibram, pela lei, pela lisura, pela seriedade, pela decência e se empinam aos ditadores, aos incompetentes, aos demagogos enganadores do povo. Continue lutando, nós estamos contigo.

 

Walter Gastaldi waltergastaldi11@hotmail.com

Londrina (PR)

 

*

VOTOS

 

Desejo ao jornal O Estado de S. Paulo um feliz 2012, com ética e responsabilidade.

 

Luiza Nagib Eluf, procuradora de Justiça do Ministério Público de São Paulo biamurano@gmail.com

São Paulo

 

*

PRÊMIO REI DA ESPANHA

 

São impressionantes o flagrante e o instante perfeito da foto da Dilma Rousseff tirada pelo fotógrafo Wilson de Souza Junior do Estadão, que lhe proporcionou o prêmio de jornalismo Rei da Espanha. Demonstrou muita habilidade e capacidade profissional e desta forma explica também o porquê dele pertencer ao quadro de profissionais que compõe o melhor jornal do Brasil.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

FELIZ

 

Parabéns ao fotógrafo Wilson de Sousa Júnior, ao Estadão e à Comissão Julgadora pela felicidade da foto, independentemente da conotação política dos participantes, pois creio que tanto o cadete das Agulhas Negras, como a presidente Dilma não tinham qualquer intenção em serem flagrados. Apenas se vê que, apesar das freqüentes e cansativas manipulações e photoshops, ainda resta espaço para o bom fotógrafo de olhos e disparador atentos.

 

Luiz Philippe Westin Cabral de Vasconcellos lpwcv@terra.com.br

Jundiaí

 

*

BIG BRONCA

 

Existem coisas que eu não entendo. Várias celebridades do meio cultural, autoridades educacionais e outros tantos, estão indo à TV, aos jornais escritos e à Internet, para manifestar seu repúdio ao programa Big Brother, da Rede Globo: “Um desserviço à cultura”, dizem uns. “Uma forma de emburrar o povo brasileiro, mantê-lo burro”, exclamam outros mais. Manifestar-se favoravelmente ao meu livro O Amor Que Ficou, no qual abordo o obscurantismo a que foi propositalmente conduzida  e vem sendo mantida a Nação; e através do qual proponho a adoção de novo modelo educacional para edificarmos um novo cidadão brasileiro; não ouvi nenhuma voz. E, saibam, que mandei um exemplar (na época de seu lançamento – 2007)  para vários jornalistas dos maiores veículos de comunicação do País, e para inúmeras autoridades educacionais de norte a sul,  em diversos níveis. E, saibam ainda que, transformei o meu ideal de novo modelo educacional, em proposta de projeto de lei e o enviei à Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, que já me respondeu que encontra-se em análise por parte dos deputados daquela casa. Será que alguma voz irá levantar-se em favor de minha proposta? Ou por ser um ilustre desconhecido minha proposta ganhará a lata de lixo?

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

 

*

PRÉ-SAL ÉTICO/CULTURAL

 

Às vezes ligo a TV para ver a série Dercy, e aquele verdadeiro esgoto chamado BBB ainda infecta o ar. Esse verdadeiro fenômeno da ignorância e bestialidade já morreu no mundo todo. Para ser enterrado aqui, precisamos anotar os nomes dos patrocinadores e entulhá-los com e-mails de protesto. Vamos evitar seus produtos! Vai funcionar...Vamos colocar essa excrescência debaixo do pré-sal.

 

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

 

*

TELEVISÃO

 

No Brasil a TV está simplesmente um absurdo. Com qualidade excepcional mas com uma programação horrível. Nas novelas vemos cenas totalmente banais e exageradas improváveis no nosso dia a dia. A emissora líder reiniciou uma aberração chamada BBB e a concorrência lançou As Milionárias, programas que não agregam nada a sociedade, muito ao contrário, só a desvaloriza e demonstra a falta de respeito pelas emissoras.  

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

 

*

BIAL

 

Este big brother esta com pouca ação! Dá um prêmio para os machões que gostam do Big Brother e manda as meninas passearem na Praça Tahrir, no Egito.

 

Moussa Simhon pacenge@gmail.com

São Paulo

 

*

ROMÁRIO

 

Quando o ex-jogador Romário foi eleito deputado, muitos pensavam que era mais um cacareco amplamente votado pelo povo simples. Eu pensei assim. Errado. Votamos bem. Com seus objetivos e claros  discursos favoráveis à Educação, á importância do professor, denunciando a escancarada corrupção ocorrida no Pan e agora no Mundial  de 2014, com uma Faculdade de Educação Física no currículo e um curso de modas para estudar sua paixão em ver o povo bem vestido, evidentemente show de bola em suas origens humildes, show de bola em campo e show de bola na Câmara. Não pare por aí, Romário, ao ataque!

 

Apóllo Natali apollo.natali2@gmail.com

São Paulo

 

*

COPA OU CAPA?

 

O governo brasileiro deve atentar para a farra da grana da "copa do mundo" para não virar  "capa de revista da pobreza do mundo", como aconteceu na Grécia.

Mara Fonseca Chiarelli mara.chiarelli@ig.com.br

Mogi Guaçu

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.