Fórum dos Leitores

DOIS PESOS

O Estado de S.Paulo

28 Janeiro 2012 | 03h06

Correta essa demissão de Elias Fernandes, por suspeita de corrupção no Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), órgão que ele dirigia, e por haver destinado boa parte da verba do departamento para ao seu estado, o Rio Grande do Norte, para favorecer a eleição de seu filho. Cabem, entretanto, duas pergunta à presidente Dilma: Por que a corrupção do Elias no Dnocs não foi tolerada e a de Fernando Bezerra no Ministério da Integração foi? Por que destinar recursos para favorecer eleição de filho no Rio Grande do Norte não pode e em Pernambuco, como foi feito por Bezerra, pode?

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

TROCAM-SE AS MOSCAS...

Dona Dilma decapitou mais um ladrão, porém deu autorização ao padrinho para contratar outro. Num país sério, padrinho e afilhado estariam na cadeia.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

DEMISSÕES

A responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) entregou o cargo; o diretor do Dnocs foi demitido. Os incompetentes que têm altos cargos no governo estão sendo pressionados a se demitirem... isso é uma boa medida.

Carlos E. Barros Rodrigues carlosedleiloes@terra.com.br

São Paulo

*

DESAFIO DO PMDB

Em um gesto público de insatisfação com o governo de Dilma Rousseff, o PMDB desafiou o Palácio do Planalto a demitir a apadrinhado da legenda que comanda um órgão federal de combate à seca. É um absurdo deixar os nordestinos sem água! É, sem a condução política do PMDB no Dnocs, o Nordeste fica sem o líquido precioso que tanto jorrava durante a gestão deputado Inocêncio de Oliveira. O recado foi dado pelo líder da bancada de deputados federais do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN) que é candidato oficial da base governista a comandar a Câmara a partir de 2013. Diz o deputado que o governo vai brigar com a metade da República, 80 deputados, 20 senadores? Vai brigar por causa disso? Perguntou o deputado Henrique Alves. Não, deputado! O governo sabe que o seu partido é do toma lá da cá, igualzinho o PT. Jamais faria isto porque seu apadrinhado está sendo acusado de desvio só de R$ 192 milhões. Isso é mixaria para o governo petista!

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

INUTILIDADE CARA

Vendo noticiário na TV esta semana, falava-se que o controle eletrônico de ponto no Senado que custou caríssimo aos contribuintes, e que acabaria com as polêmicas horas extras de seus funcionários, que causou grande escândalo na época, quase  não é mais usado pela maioria de seus funcionários. Controle esse que foi instalado em fevereiro de 2010, conforme nota da Diretoria Geral do Senado, que afirmava que  a instalação foi determinada pelo primeiro-secretário da Casa, Heráclito Fortes (DEM-PI), e seria aplicada a servidores efetivos e comissionados.

Conforme declaração do diretor-geral do Senado , Haroldo Tajra na época: "O novo sistema vai aprimorar o controle de presença dos funcionários. Com isso, todos ganham: os servidores, que deixam de ser alvo de críticas, e a administração do Senado, que passa a dispor de um instrumento eficaz de controle. Pura conversa afiada! Assim gastou uma enormidade para se comprar e instalar esses aparelhos por todo o  Senado, e que viraram  uma inutilidade cara. Na matéria desta semana, o jornalista disse que no começo abriu-se uma brecha para que 1.300 funcionários fossem liberados de usar o controle eletrônico. Agora são mais  2.266 funcionários, a maioria comissionados, que trabalham nos Estados, e estão longe do controle eletrônico. Quer dizer, o nefasto José Sarney que é presidente dessa casa de tolerância, na época disse que iria moralizar o escândalo das horas extras e o descontrole da direção da  casa  sobre os seus funcionários. Agora vai justificar o quê? É muita desfaçatez!

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

São Paulo

*

CASA DA MÃE JOANA

Mais uma vez nosso Senado, outrora casa de homens probos, políticos experimentados, ex-governadores, deputados, até ex presidentes, agora vive na mídia com notícias escandalosas, sem seriedade, abriga funcionários fantasmas, média salarial 50mil, agora nem precisam assinar o ponto, para que máquinas de ponto de última geração? para receber propina dos fornecedores?  senadores em desacordo com o projeto Ficha Limpa, recebendo poderes do STF, voto de ministro advogado sem notório saber jurídico, com idade tenra, ex-militante do PT que ali dará aval às ações deste governo do PT, desaba no país também salários dos magistrados, média mensal de 120mil, e ainda acham correto, os vereadores fazem farra com dinheiro público nas barbas do povo cada vez menos atendido pelo estado em suas necessidades básicas? e nada acontece, em 2011 diminui 21% índice de emprego e a popularidade da presidenta aumenta? como entender este paradoxo? quem vota? a meu ver os bolsista que receberam um índice de aumento superior ao assalariados de mais de um SM, onde vamos parar políticos?onde vocês querem chegar?nossos poderes estão mancomunados, um quebra o galho do outro e tudo vira bagunça.

Julio Jose de Melo julinho1952@hotmail.com

Sete Lagoas (MG)

*

DESCONTROLE

O Senado instalou um moderno sistema de controle de ponto para os funcionários. Custou mais de R$ 1 milhão, pago por nós. 33% estão dispensados do controle. São os que exercem os cargos comissionados, e os que trabalham no escritório do senador, no Estado que ele representa. Um diretor do Senado disse que este controle tem que ser exercido pelo senador. Deve estar brincando. O senador, em Brasília, vai controlar, através de quem, a frequência do empregado? E os outros dirão se ele faltou ou não? É isso? Este diretor deve acreditar em Papai Noel também. Pois é, vamos ver até quando o povo vai aguentar este desrespeito e a anarquia que se instalou o país. Por muito menos saíram as ruas em 64, e os militares deram o golpe. Fizeram o protesto para quê? Para este país que temos? Preocupa-me o silêncio dos militares.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CONGRESSO GASTADOR

É incrível a capacidade e facilidade que os parlamentares têm em gastar o dinheiro do contribuinte. O presidente do Senado, Sr. José Sarney, inventou a compra de tablets; o presidente da Câmara, Sr. Marco Maia, a licitação para engraxates, ele quer os sapatos dos deputados e servidores brilhando à nossa custa. Os senadores, além de usarem aparelhos eletrônicos modernos, pagam os maiores salários aos assessores, muitos dos quais nem nível médio possuem e assim, a gastança é livre de qualquer controle. Coitados de nós que sustentamos esse Congresso que tem recursos bem acima do primeiro mundo e uma população tão carente que vive atolada na lama!

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

São Paulo

*

'O BRADO RETUMBANTE'

O Brado Retumbante, minissérie que está sendo transmitida pela TV Globo,  representa a realidade dos fatos políticos desses últimos anos. Uma denuncia verdadeira de todas as formas de ladroagem, picaretagem e conchavo para a pratica do ilícito, onde com certa clareza, vemos   envolvimentos  de presidentes da República , deputados, senadores, governadores, prefeitos, vereadores e seus apadrinhados. A maioria, exímios colaboradores em falcatruas. Magnífica a caracterização dos personagens. Os diálogos e os trejeitos da maioria dos personagens são  inconfundíveis. Qualquer  semelhança com pessoas vivas ou mortas não é mera coincidência. O político que aparece é sem um mínimo de duvida aquele que você pensou. É  muito triste informar que, enquanto o BBB,  um  programa  degradante, obteve na semana que passou de 20 a 36 pontos de audiência, O Brado Retumbante  um programa que deveria ser de interesse de todo o povo brasileiro ficou entre os  14 a 20 pontos. Pobre Brasil.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

DITADURA

A Radio Jovem Pan e mais duas emissoras da capital serão obrigadas a retransmitir A Voz do Brasil, programa nacional instituído pela ditadura de Getúlio Vargas: uma hora diária repleta de notícias supérfluas já divulgadas por todas as emissoras do país, além de informações relevantes e de interesse nacional, como por exemplo, a nomeação de José da Silva para o cargo de 3º Secretário Adjunto do distrito de Água Doce na divisa do Brasil com o Suriname.  A decisão de implementar o programa à força reflete a tão decantada "democracia"  do PT".

 

James F. Sunderland Cook sunderland2008@gmail.com

São Paulo

*

É PRECISO ARRANJAR UM PATO

Dia 25 de janeiro de 2012 ocorreu um grande desastre no Rio de Janeiro. Um prédio de 20 andares caiu sobre outro de 4 andares e mais um de 10 andares. Em virtude do horário, próximo das 21h00, tivemos menos de 30 mortos, isto porque os três prédios são comerciais e nessa hora tinham poucas pessoas no interior deles. Se este desabamento tivesse ocorrido por volta do meio dia, teríamos muitas centenas de mortos. Nossas autoridades em uma tentativa de transferir a culpa para terceiros, procurou arranjar um pato para servir de culpado. Primeiro informaram precipitadamente que isto só podia ser erro de estrutura do prédio. Aí, souberam que o prédio tinha mais de 80 anos, portanto esta desculpa não colava. Depois, como havia uma obra no 9º andar, imediatamente disseram que não podiam se precipitar, mas que tudo indica que os responsáveis por essa obra seriam os causadores do desastre (não podiam se precipitar, mas deixaram na população a quase certeza de que esta obra fora a causadora do desastre). Ora, todos que relataram o desabamento, informaram que este começou no 20º andar e, como em um castelo de cartas veio desmoronando totalmente, atingindo o prédio ao lado de 4 andares e depois o de 10 andares. Tudo parecia uma implosão. Se fosse causado pelas obras do 9º andar, este seria o primeiro a ruir. Segundo trabalhadores desta reforma, que fora chamada de obra, foi apenas trocado o piso e remanejado um banheiro, nada que afetasse vigas ou colunas. Por outro lado, não havia caçambas no prédio para recolher o resto de obra, configurando ser uma pequena reforma. A ausência da caçamba já configura como obra de pequeno porte. Esqueceram de averiguar se havia infiltrações no último andar que pudesse minar toda a estrutura do prédio. Se isto existisse seria um processo longo. Esqueceram também de detalhar que faz uns trinta anos, quando da construção do Metrô que este prédio sofrera com essas obras, inclusive tendo se separado do outro. Esqueceram também de informar que estes prédios foram construídos em áreas alagadas e aterradas. Esqueceram, mais ainda, que com a construção do metrô e para evitar infiltrações na linha do Metrô, tiveram que impermeabilizar o "túnel". Com isto, as águas do lençol freático ficaram bloqueadas, pois a impermeabilização vale para os dois lados. Aliados a isto, a trepidação do metrô neste terreno arenoso, funcionava como um vibrador de concreto sobre as sapatas desses prédios. Ao longo dos anos este processo acaba criando uma fadiga de material. Qualquer pessoa que se colocar na Uruguaiana ou na 13 de Maio, sentirá a trepidação toda vez que o trem passar. Até dentro da padaria da 13 de Maio se sente a trepidação. Portanto, querer arranjar um pato para servir de laranja e tirar a responsabilidade do governo é muito cômodo. Não sei qual é o nome da empresa responsável pela reforma nem tampouco os seus sócios, só sei que se o governo e a mídia não correrem para esclarecer a verdade, sem falsas conjecturas, poderemos ver pessoas serem linchadas como no caso da escola de base de São Paulo, que por culpa da mídia e de um delegado de polícia, vimos a escola ser apedrejada e seus diretores terem suas vidas destruídas.

Antonio Antunes antonioantunes@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

SEM CULPADOS

O desabamento  de dois edifícios e de um sobrado representa um acidente em cadeia e sem duvida não existe uma única causa, mas a superposição de diferentes componentes estruturais. O colapso estrutural acontece quando o material é submetido a capacidade limite da sua resistência. Existem dois tipos de colapso chamados de "frágil e dúctil". O colapso de tipo frágil acontece de improviso sem sinais premonitórios e do ponto de vista da segurança é considerado catastrófico em quanto é impossível prevê-lo. O colapso de tipo dúctil  ao contrario é amplamente pré-anunciado. A crise das vigas horizontais é anunciada por fissuras e trincas determinada pelo fenômeno de inflexão e suas deformações não se transmitem necessariamente a inteira estrutura. A crise dos pilares (colunas verticais) ao contrario é rápida e improvisa enquanto é denunciada somente por fissuras internas não visíveis e na hora da ruptura acontece uma redefinição do comportamento estático geral. È evidente que se trata de um colapso de tipo frágil. Os fatores que contribuem a gerar uma situação de degrado das estruturas em concreto armado devem ser entendidos como perda das prestações iniciais causadas por  eventos lentos correlatos ao ambiente pelo efeito de agentes naturais como a umidade, a temperatura, a corrosão. Lembro que as técnicas construtivas em concreto dos anos quarenta (época da construção destes edifícios) não estavam totalmente integradas com os problemas relativos a vida útil e aos fenômenos de carbonização da argamassa e oxidação das armações, fatores que podem comprometer a vida útil da construção. Através das causas indicadas emerge a necessidade de executar o reconhecimento e o  controle das construções em concreto armado que apresentem  fatores de risco até somente por efeito da carga gravitacional. Estatísticas indicam que somente em 3% dos casos as patologias verificadas são imputáveis a sinergia entre o colapso e o degrado (quebra das fundações em ambiente agressivo) em quanto o restante 97 %  é de natura tecnológica  e de projeto em associação com  a idéia que a leveza dos elementos estruturais representasse uma expressão de virtuosismo e uma possibilidade de economia de materiais e mão de obra. Acho justo concluir que neste triste acontecimento não encontraremos uma única causa e um único culpado, mas para prevenir outras tragédias será necessário prescrever e tornar obrigatórios controles de edifício cuja vida útil pode ser considerada um fator de risco.

Franco Magrini framagr@ig.com.br

Cachoeira  Paulista 

*

NINGUÉM LEVANTOU ESTA HIPÓTESE

Vocês sabiam que a área em que foram construídos os prédios que desabaram no Rio de Janeiro já foi um pântano? Pois no Brasil colônia travou-se ali a última batalha entre portugueses e os invasores franceses, havendo os comandantes lusitanos invocado a proteção de Santo Antônio, cidadão português nascido em Alfama - Lisboa; cujo nome real é Fernando de Bulhões y Taveira. Prometeram em caso de vitória, erguer ali um convento com luz votiva que permanece acesa até hoje. O santo foi consagrado sargento-mor "post mortem". Depois promovido a General, incluído no Almanaque do Exército Brasileiro, bem mais tarde, por Dom Pedro Primeiro. Registra a história que só a um milagre poderia explicar a sobrevivência dos soldados da Colônia, combatendo em meio aos jacarés que infestavam aquele lodaçal, hoje aterrado, e transformado no Largo da Carioca... Não sou engenheiro, mas o solo composto com areia de restinga, me parece impróprio para construções, a não ser com tratamento adequado. Já perceberam o volume de emanação de gases? Quantos bueiros já explodiram ali pelo centro do Rio? Tudo isso e mais o acumulo de tantas irresponsabilidades? Por exemplo: Vocês sabiam que ao lado dos edifícios sinistrados, erguidos nos idos de 1938, bem ao lado mesmo, foram feitas as fundações do metrô do Rio de Janeiro, e que os prédios ficam entre as Estações Carioca e Cinelândia do metropolitano, resistindo à bateção das estacas que deram fundação à obra? Será que alguém percebeu que a trepidação do ir-e-vir constante dos trens no subsolo, também poderia abalar o alicerce das construções fragilizadas e bem antigas? Os mais idosos certamente hão de lembrar, quando eu disser, que bem ao lado, o Teatro Municipal do Rio de Janeiro, foi por muito tempo o palco dos bailes oficiais de carnaval da Cidade Maravilhosa... Talvez possa avivar-lhes a memória, de que a festa foi tirada de lá, por Antônio Vieira de Mello, enquanto diretor do teatro e secretário de educação no governo Negrão de Lima, porque temia-se pela segurança, diante da pulação dos foliões, por causa da estrutura debilitada... Lembro mais que, em 1971 meu Amigo Jurista Jorge Beja - Jornalista e Advogado - entrevistava Clóvis Bornay pela Rádio Nacional, e ele, o campeoníssimo dos Carnavais, considerava um absurdo o uso do Municipal, cuja estrutura frágil balançava durante os bailes. Não sou engenheiro, mas diante dessas explicações não fica difícil encontrar a razão para o que se deu na Avenida Treze de Maio, quase esquina de Almirante Barroso, onde o acúmulo de irresponsabilidades recebeu, como gota d'água, os abalos ou imperícias de obra clandestina, sem conhecimento do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, denunciada após o acidente. Foi assim que, penso eu, um prédio caiu sobre os demais, fragilizados, produzindo efeito dominó... Dizem os físicos que a cada ação corresponde uma reação. O Homem afronta as regras mínimas. Agride o planeta. Perfura as camadas terrestres em busca de petróleo. Tira enormes quantidades de óleo e gás das regiões abissais e pré-sais. Nada coloca em troca... Fica difícil explicar acomodações de placas e a razão de tantos terremotos e erupções vulcânicas, depois disso? Minhas proposições são, no fundo, temática para reflexão ambiental no momento em que todos estão preocupados com a sacolinha do supermercado... Aliás, enorme  hipocrisia. Pagando 20 centavos você pode tê-la. O saco preto que continua a ser vendido a farta para embalar o lixo não prejudica a natureza. Só a sacolinha que era usada pelo pobre! Ora, ora... tirar as colunas do prédio também não desafiava a gravidade. Deu no que deu...

José Carlos Cataldi josecarloscataldi@bol.com.br

São Paulo

*

CAIXA PRETA DO JUDICIÁRIO

Seria trágica se não fosse cômica a declaração do  presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Manoel Alberto Rebelo dos Santos, de que a falta de juízes no Estado explica o pagamento de salários de até R$ 150 mil, acima da remuneração de R$ 24.117,62. O desembargador ainda afirmou que os magistrados têm de acumular trabalho e por essa razão recebem verbas extras. Por que não se pensa em realizar concursos no TJ-RJ quando há 185 cargos vagos e milhares de candidatos aguardando uma vaga? Será o medo de ter de dividir as verbas extras? Bem se vê que cada um faz o que quer em sua aldeia. Certamente, o mesmo ocorre nos demais TJ do país.  A caixa preta do Judiciário nada deixa a desejar à do Legislativo e do Executivo. Socorro!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

AUTONOMIA FINANCEIRA

O Judiciário fluminense conquistou sua autonomia e independência financeiras mediante o retorno do custeio das despesas processuais. Evidente que é um avanço e de grande valia para a prestação dos serviços jurisdicionais. O que não sabíamos é que ao invés de serem destinadas as verbas para a sua infra estrutura e dos servidores, a toga abocanha grandes fatias e retira qualquer possibilidade de aquinhoar os menos favorecidos, notadamente aqueles que esperam justiça. Se não houver teto ou limitações constitucionais o interesse público da justiça se resumirá na manifestação particular de poucos e o nosso Brasil continuará no seu atraso secular. Que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) regulamente a matéria e acabe, de vez, com os excessos.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

QUE JUSTIÇA É ESSA?

Magistrados que recebem de R$ 40 mil a R$ 150 mil por mês têm muita razão em não aceitar o Conselho Nacional de Justiça! Com tanta mamata assim, para que esta parte do judiciário precisa de uma implacável Eliana Calmon no cangote?! Puxa vida: os juízes que têm somente carros oficiais na porta, auxílio aluguel, antecipação de verbas indenizatórias, vale refeição maior que o maior dos salários mínimos no País, etc., por que ainda devem ser investigados?! Seria uma crueldade no País da impunidade, não é verdade?!... Eles já quebram um grande galho em não penalizar presidentes, e políticos em geral corruptos, e até dos empresários que abastecem os cofres desta gente, então porque, repetindo, não podem livrar suas caras também...  E o povo parece estar muito feliz com tudo isso, porque paga seus impostos regiamente, e comparece às urnas, e ainda dá alta aprovação nas pesquisas para governos corruptos...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PAÍS DA ROUBALHEIRA

 

De um lado os juízes e de outro os políticos. Ambos, unidos contra o povo metendo a mão na grana! Descaradamente. Será que o país aguenta tanta roubalheira, em detrimento das suas prioridades básicas e fundamentais? E, até quando o contribuinte já surrado de tanto pagar impostos, terá de conviver com esses gatunos do poder? Vamos aguardar o carnaval para que tudo seja esclarecido. Pelo que já sabemos, cadeia mesmo só para preto, pobre e pingaida.

  

José Pedro Zanetti zanettao@yahoo.com.br

Rio Claro

*

CALMON 2014! POR QUE NÃO?!

Eliana Calmon 2014! Por que não?! Estou, na coragem democrática de cada cidadão que se responsabiliza pela própria cidadania, lançando - em nome do povo, pelo povo e para o povo!- , na abertura autônoma e democrática de um plebiscito mais do que legítimo - porque supralegal! -, a candidatura dessa salvadora da pátria, naquilo que sua coragem, seu caráter, sua envergadura cultural e existencial lhe dão o direito - não o privilégio! - de falar, por suas ações, em nome do ideal e do ideário democráticos de milhões de brasileiros que têm construído esse nosso monumental país, sob a tutela de uma quadrilha política, infestada de corruptos de toga e sem toga, coronéis sem farda e corruptos fardados, mantendo essa criminosa impunidade, cuja contemporização, no tempo e no espaço democráticos, só confirmam a frase de que justiça que retarda é injustiça confirmada! Esse movimento deve partir dentro do esquema da verdadeira Opinião Pública - que jamais tivemos! -, visto que interessa mais aos "políticos" e aos "partidos", seus conchavos para se manterem no "pudê", do que lutarem, com coragem e desprendimento, pelos ideais culturais, de saúde, de educação verdadeira, de segurança e de direitos humanos para fazerem jus a seus mandatos e aos deveres e obrigações que assumem perante o povo e perante  si mesmos! A sociedade dos Estados Unidos da América do Norte, em sua famosa "Public Opinion", sempre prevaleceu sobre todos os partidos e todos os políticos, sempre temerosos dessa "Society of Complaint", onde cada cidadão - como faço agora! - fala em nome dessa Sociedade da Reclamação, fazendo-os temer as forças do "complaint" que, mais do que partidário democrata ou republicano, é um libelo patriótico de americano! Vamos começar, desde já, essa campanha de independência cultural e social, em nome de nós mesmos, cidadãos pacatos e verdadeiros construtores de nossa nacionalidade, nesse nosso atual libelo para que um partido decente - e não oportunista! -, tenha a coragem de convidar essa nobre magistrada da causa democrática, essa incrível - e jamais amordaçável! - Ministra Eliana Calmon para suceder a Dilma Rousseff em 2014! "I have spoken!", como diria "Abe" Lincoln, de seu túmulo nos States, se pudesse colaborar com  nosso Brasil de JK! E Obama, transferindo para nós sua coragem americana, nos gritaria lá de cima: "Yes! You can!"

                                                                                                                                                                           Sagrado Lamir David david@powerline.com.br

Juiz de Fora (MG)

*

ESCÁRNIO

 

Segundo o dicionário Houaiss, eventual significa "fortuito, que pode não ocorrer".  Como é que o ministro Marco Aurélio Bellizze, do Superior Tribunal de Justiça STF pôde receber R$638,251,95 sobre a rubrica de "vantagens eventuais", quando deixou o Tribunal de justiça do Rio de Janeiro TJ?. Não é possível que um valor astronômico dessa natureza, seja colocando em folha de pagamento do TJ do Rio "como vantagens eventuais". Certos desmandos que acontecem nos poderes da República, nos enchem de vergonha.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

OS HÉRCULES DA MAGISTRATURA

O ilustre desembargador do TJ do Rio de Janeiro justifica os pagamentos astronômicos feitos a magistrados, entre outros argumentos, com o fato de trabalharem em dobro, exercendo dupla função; além disso, vendem suas férias acumuladas, algumas ao longo de toda a carreira, pagas no momento da aposentadoria. Daí importâncias aproximadas de meio milhão de reais. Uma sugestão: já que teremos as Olimpíada no Rio de Janeiro, bem se poderia acrescentar uma modalidade, a dos testes de resistência física e intelectual de juízes.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

ATRIBUIÇÕES

Dizer o TJ do Rio que são legítimas e previstas em lei as vantagens que elevam a remuneração de seus magistrados, são exatamente iguais a todos os abusos de atribuições de autoridades do Legislativo, principalmente. O texto é sempre o mesmo: Considerando o uso de suas atribuições... Considerando o fundo especial... e resto que nós criamos... Considerando que nós precisamos disso... Considerando que nós precisamos daquilo...

Considerando que povo não entende nada mesmo... Resolve: Elevar seus rendimentos por conta disso. Assim é muito fácil... e considerando o pobre trabalhador? Nada.

 

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

TRIBUNAL DE JUSTIÇA-RJ

Que dizer então que tem desembargador do TJ-RJ que recebe mais de seiscentos mil de salário (R$ 600 mil) e o presidente, do órgão vem me falar em legalidade? Será que ele já ouviu falar em moralidade pública?

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos  professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

JUÍZES NA BERLINDA

 

Há que se dar um basta nessa deletéria e generalizada ação orquestrada contra os magistrados. Os detratores tem agido à sorrelfa e sem desvelo malsinam e excogitam a realidade dos fatos. Abjetamente revelam desconhecer que os magistrados, diferentemente de membros do executivo e do legislativo e de vários outros segmentos da sociedade não recebem auxílios para moradia, alimentação e educação, plano de saúde, seguro de vida e verbas para manter uma sólida estrutura funcional. Os juízes quando são obrigados a viajar a serviço arcam com as despesas de locomoção, hotelaria e refeições. Não têm direito à horas extras e nem compensação de jornadas. Exercem suas funções com precária estrutura física, humana e tecnológica. Os salários não são corrigidos anualmente pela inflação como prevê a Constituição Federal. Como atividade secundária os juízes só podem exercer o magistério e em horários não conflitantes. Férias de 60 dias de há muito virou peça de ficção. Aposentadoria com salário integral é subsidiada pelos próprios juízes por anos a fio. Sim, há juízes que cometem malfeitos, mas são raríssimas exceções, como ocorrem nas esferas do executivo e do legislativo, neste caso muitas das vezes como regra. Os arautos da moralidade e execradores da moral dos juízes, com certeza, não resistem à uma séria acareação pública.

 

Mafalda Guida Paes Leme junios.paesleme@ig.com.br

Santos

*

ESCONDERIJOS

STF, STJ, CV, CNJ, TJ, MST, PT, TC, INSS, PCC, etc... São tantas siglas neste país, que não podemos saber por trás de quais delas encontram-se as maiores quadrilhas...

 

Elaine Navarro elainenavarro.pa@hotmail.com

São Paulo

                                                

*

BANDA...LHEIRA

Diferentemente da banda de Chico Buarque, a bandalheira com os recursos públicos não passa. Todos os dias somos contemplados com noticiários ( informações ) sobre saques aos cofres públicos.

Antes, eram as negociatas e saques do poder legislativo, que continuam com os benefícios que não param de ser criados e que num passado recente, recebera o incentivo do "cara" com a permanente troca de interesses. Nos últimos anos, assistimos a desmoralização total do executivo, como principal ator do processo corruptivo. Agora, bem... agora é o Judiciário, última instância do cidadão! Com que despudor vão criando benefícios, vantagens, adicionais, verbas disso, daquilo, enquanto a nação assiste à grande parte de seus filhos sem  um mínimo, um teto, uma moradia digna, um emprego decente, uma escola para os filhos. Como enxergar o futuro? Mas futuro de quem? Dos mesmos? Coincidência ou não, ao escrever essas palavras, vejo no noticiário televisivo a presença do "cara" no Alvorada prestigiando a troca daquele que nada fez, por aquele que nada fará, simplesmente por pura incompetência. Quando essas pessoas vão se dar conta de que seu tempo passou, o que fez ou deixou de fazer é passado, que devem abrir espaço para outra geração, do contrário a "banda...lheira jamais passará.

 

Haroldo Rocha haroldoerocha@ig.com.br

São Paulo

*

SUPERSALÁRIOS

É um absurdo a existência de supersalários de juízes, no Rio de Janeiro. Inúmeros magistrados fluminenses recebem de R$40 mil a R$150 mil, por mês. Tudo isso pago com o dinheiro do povo, de forma ilegal e indevida, eis que muito acima do teto constitucional. Não fosse o CNJ e a imprensa, os juízes continuariam fazendo a festa e sua farra particular, tudo por debaixo dos panos e ás custas dos contribuintes. É triste ver a decadência moral e ética e o mais deslavado corporativismo dominando a Magistratura no país. No passado, os juízes eram pessoas abnegadas, vocacionadas e devotadas ao difícil ofício de bem aplicar a lei e fazer justiça. Hoje, ao contrário, parece que ser juiz virou sinônimo de ter um bom emprego, com estabilidade, altos salários e privilégios sem fim. 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

VERDADES OCULTAS

A corregedora do CNJ Eliana Calmom, com sua "astúcia", "coragem", "dignidade" e com apenas duas palavras: "bandidos de toga". Conseguiu alvoroçar o meio da Justiça em geral no País. Tanto isso é verdadeiro que vemos movimentos fortíssimos para reduzir e até eliminar o poder de investigação dos órgãos responsáveis por tais atitudes. Agora também com desembargadores contra a Coaf. Ou seja tudo leva a crer que existe!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

'A QUEM INTERESSA?'

O desembargador José Renato Nalini voltou a algaraviar. Não mudou nada e, claro, isto pouca mossa lhe causa. Mais, refugiando-se em palavras vazias, já antes ditas,  não logrou, nem quis, justificar e esclarecer o seu dito confessional que a mim, e a tantos  mais, enojou. A confissão, como sabemos, está nestes termos: "O Poder Judiciário é o  menos corrupto dentre os três Poderes". Com isso, dedurou o Executivo e o Legislativo nominando-os como os corruptos máximos do Brasil, tentando diminuir, com mão-de-gato, a própria corrupção do Poder ao qual está ligado, na cômoda companhia daqueles dois Entes corruptos, esquecendo-se de dizer,com falta de respeito à decência, qual a medida, o sistema, os cálculos de quantificação de que se serviu para pintar de marrom aqueles outros Dois, pintando-se, ao revés, de azul celeste, a cor daqueles que  não atingiram o ápice da infâmia. Ainda!

 

Alcides Marques marques.al@terra.com.br

Sao Paulo

*

FÉRIAS DE JUÍZES

Estranho. Uma juiz diz que os 60 dias de férias é para manter a saúde mental dos juízes. Outros juízes recebem milhares de reais, alegando que são férias não gozadas. Imagino que este juízes não devem estar bem mentalmente. Como podem julgar?

João Carlos Macluf jcmacluf@delta.inf.br

São Paulo

*

BADERNA À VISTA

Só foi a aproximação de mais uma eleição, os partidários do PSTU, PSOL e PT saem às ruas, como neste dia do aniversário de São Paulo, para entre outras indignações tentar agredir o prefeito Gilberto Kassab. Até um jornalista do Estadão apanhou... Esta gentalha não tem compromisso com a sociedade, apenas com o poder... de avacalhar!  Falta a estes aliados do terror grau de cidadania, civilidade! E são da mesma laia dos que invadem a USP, e tentaram vender ao povo que construiriam uma Nação sem corrupção, e respeito à Constituição! Pura mentira!  E bem feito para o Kassab, que pelo noticiário tenta fazer aliança com esses baderneiros de carteirinha...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ESFERAS DE PODER

Quando o Ministro da Justiça José Eduardo Cardoso declara que a Cracolândia não é assunto federal e sim estadual, não quer dizer que ele entende como as coisas funcionam no mundo democrático. Desde sempre o ministro faz parte da cúpula do PT e como tal está sempre pronto a demonizar qualquer atitude da oposição. Mesmo que positiva. O problema é que qualquer declaração contrária ao desmantelamento da Cracolândia seria como dar tiro no próprio pé, porque se existem drogados no país, é porque o governo e o Ministério da Justiça não dão conta de nossas fronteiras por onde as drogas entram com facilidade e nesses nove anos de governo do PT não foi realizado nenhum estudo sério no combate ao narcotráfico. Não nos enganemos achando que o Ministro Cardozo aprendeu como as coisas funcionam no mundo civilizado!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

CRACOLÂNDIA

Caso eu não esteja equivocado, mas baseado nos noticiários, nada ou quase nada se ouvia falar a cerca de tratamento dos nossos viciados em todos os tipos de drogas. Até onde se sabe, não havia verbas nem locais para enviar esse verdadeiro exército de drogados. O ministro da saúde tem vindo a público declarar que todo e qualquer que seja o viciado, será prontamente atendido e tratado. Em outras épocas eu diria: 'Teremos nos tornado em uma Dinamarca ou numa Suécia ou qualquer outro país desse naipe, onde a saúde pública é prioridade do governo? Duvido muito!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

DEPENDÊNCIA IMOBILIÁRIA INCURÁVEL

Kassab quer dividir responsabilidade (Opinião, 25/1) com os demais poderes, e com a população, em matéria de dependentes de crack, mas ele quer continuar sozinho em sua administração voltada ao atendimento único dos agentes imobiliários, e sem que reste qualquer beneficio para os verdadeiros donos da cidade - o povo paulistano; em painel de 18/1 na Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp), a Dra. Rosangela, sua coordenadora da área de dependência química, permite-se assinalar a alternativa de que dependentes de crack não necessitam de internação para se libertar do vicio - certamente para justificar a ausência de leitos suficientes para as necessárias internações de longo prazo. O bairro Santa Ifigênia representa o maior cluster eletro-eletrônico da America Latina e a 2ª maior área comercial de São Paulo; Kassab o chama em seu artigo de "cracolândia" o que é um bullying urbano inserido no quadro da degradação urbanística planejada da região; ainda mais, Kassab faz propaganda subliminar de seu projeto confiscatório quando lembra ao leitor que a "região da cracolândia" tornar-se-á a futura Nova Luz! Temos a nova ação policial atual na data em que Kassab espera leiloar o bairro Santa Ifigênia; temos também as leis 14917 e 14918/09 da nefasta concessão urbanística e da Nova Luz promulgadas juntas em maio 2009, sob a justificativa do crack, e logo a seguir a ação social iniciada em julho 2009 no local; quantas "coincidências", todas elas só em benefício da especulação imobiliária para ela maximizar seus lucros. Kassab, através de sua dependência imobiliária, fez por merecer o diploma de pior prefeito da história da cidade.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

RESPONSABILIDADES

Parabéns ao prefeito Kassab pela bela iniciativa, em Crack - hora de unir responsabilidades (25/1, A2), ao não fazer uso político da situação na cracolândia, até porque esta é a última coisa que os usuários e seus familiares tão vítimas quanto precisam. Já que o Estado não teve a competência de coibir a infestação desta droga na sociedade que agora no mínimo tenha respeito e coerência na sua atuação.

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

A ORIGEM DA DROGA

O assunto do dia na mídia é a famigerada "cracolândia", agora eu pergunto: de onde sai o crack? Até agora só se fala no usuário, interna não interna, é licito ,não é licito e o fornecedor não conta? Ate o PSDB virou o grande vilão. Ora, meus senhores ,tenham vergonha na cara.Chega de achar que somos cegos, surdos e mudos.

 

Celia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

*

O QUE ESPERAMOS DO CASO CRACOLÂNDIA

Assistindo ao noticiário sobre um assunto grave e importante para que nossa sociedade reaja diante um inimigo forte, traiçoeiro e devastador, resolvi escrever  minha opinião do que vem ocupando a mídia atualmente: diante de umas das drogas mais devastadora do planeta, o crack, estamos assistindo a uma tentativa honrosa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo através da Policia Militar, de enfrentar um enorme câncer denominado Cracolândia. Uma ação que merece nossos aplausos. Mas aqui no Brasil, acontece tudo diferente, pois o famigerado Ministério Público, que deveria dar as mãos para a Secretaria de Segurança Pública a um apoio amplo e irrestrito,e se prontificar a um chamamento ao Governo Federal, objetivando somar forças para prender e não mais soltar a grande quantidade de traficantes que transitam pelo território da Cracolândia, como se donos fossem e  governam de forma soberana. Da mesma maneira, buscar alternativas como até mesmo uma convocação da Secretaria de Saúde de São Paulo, com a missão de desempenhar  ações sociais para amparo aos viciados, perdidos, desamparados, verdadeiros farrapos humanos. Nossa sociedade assistiria uma mobilização grandiosa dos Poderes constituídos com realização de ação corretiva como prisões de traficantes, determinação de cumprimentos de mandados de prisões, recondução de foragidos da justiça aos presídios  por motivos óbvios. Com certeza esta mesma sociedade aplaudiria a capacidade de mobilização da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, na busca de abrigar, de conduzir, de amparar aquela legião de viciados, no esforço de pelo menos tentar reabilitá-los para que voltem ao convívio da sociedade. Infelizmente não estamos vendo estas iniciativas, que sem sombras de dúvidas eram  as atitudes esperadas por toda a sociedade, o cumprimento eficaz do dever do Estado, mas não, o que estamos assistindo é uma fogueira de vaidades da mais pura e cristalina hipocrisia desse jocoso Ministério Público em divulgar na grande mídia que vai impetrar uma Ação Civil Pública contra o Polícia Militar do Estado de São Paulo, pela sua atuação. Ora Digníssimos Promotores de Justiça, desçam de seus carros de luxo, que circulam sempre com os vidros escurecidos e fechados para o funcionamento perfeito do ar condicionado, como também para não serem notados e vistos pelo povo, deixem também seus gabinetes luxuosos, com elevadores Exclusivos, com tapetes felpudos, com vista para a cidade e equipados com ar condicionados, com belas estantes repletas de livros, com imensas mesas, com cadeiras de espaldar imensos, com um dos nossos mais honrados Símbolos da Pátria a nossa Bandeira Nacional embelezando o cenário e  servindo de fundo majestoso. Pois bem, a sociedade gostaria de vê-los deixando seus gabinetes e saindo a campo para tomar sol e chuva na cara, dando as mãos aos pobres soldados da Policia Militar, naquela árdua batalha, pois eles sim, estão acostumados a lutar de sol a sol de chuva a chuva, para defender essa pobre e desamparada sociedade brasileira. Parem e pensem Nobres Senhores Promotores de Justiça, representantes legal desse nosso povo, pois foi por vontade própria que os Senhores se propuseram a defender os interesses da sociedade e se transformaram em Guardiães das Leis, acreditamos sem o objetivo de continuar em seus templos requintados, recebendo ordenados altíssimos e se apresentando para somar nesta luta contra esta droga que assola todo nosso Pais, das nossas famílias, dos nossos jovens, de pais e mães de família que de uma forma ou de outra estão neste caminho sem saída e quem sabe essa droga maldita não esteja bem próxima ou se aproximando silenciosamente dos filhos dessa classe de fidalgos. O povo brasileiro não merece ver e ouvir declarações dos Senhores Procuradores, que com palavras escolhidas, com textos elaborados e na maioria das vezes inócuos, com destaque apenas nas falas que dizem em um ritmo desarmonioso em impetrar "Ação Civil Pública" que não interessa a nenhum cidadão do povo. Portanto imploramos a esses Procuradores que compõem o Ministério Público, que mostrem suas caras, nesta guerra. guerra esta que estamos perdendo de muito, por favor lutem pelo povo, que pagam salários dignos aos Nobres Procuradores, salários estes que ultrapassam e muito nossa órbita. Vão a luta Dignos integrantes do já citado Ministério Público e deixem as posições e as falácias infecundas sobre tão importante assunto que a guerra contra este inimigo comum: o "crack". Vamos lá a sociedade conta e espera dos Digníssimos Procuradores bem mais que um Processo sem qualquer objetivo claro e com resultados realmente eficaz  para a sociedade e que arregacem as mangas e vão a engrossar as fileiras dos que estão na linha do "front" nessa guerra. Esperamos ver um Estado unido, somando forças para enfrentar os inimigos que formam do outro lado esse batalhão ordeiro e conhecedores de todos os caminhos e atalhos que fazem chegar a 'quase todos"  que formam nossa famílias, nossa sociedade, esta abominável  droga chamada crack.

 

Paulo Tadeu da Silveira Pereira paulotsp@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

RETRATO DAS CLÍNICAS

Sobre a reportagem publicada no caderno Cidades/Metrópole - Um retrato das clínicas de tratamento, por Adriana Ferraz - gostaria de enfatizar o risco de tráfico de drogas dentro de algumas delas, pois existe um esquema de funcionários para fornecê-las, como crack e cocaína. Isso ocorreu comigo, quando internei meu finado marido para tratamento psiquiátrico e alcoolismo. Ele acabou saindo de lá viciado em cocaína. Na ocasião, ele havia sido diagnosticado como portador de câncer incurável, o que o levou ao desespero, tornando-se alcoólatra. Nesta situação, meu filho e eu optamos por sua internação involuntária, em regime de vigilância constante, em uma clínica em Cotia. Mas, logo após sua alta, para nossa surpresa, constatamos que ele havia se tornado dependente de drogas (crack e cocaína) dentro da própria instituição. Fomos obrigados a interná-lo em outra clínica, após um surto psicótico e tentativa de suicídio,  quando estava visivelmente drogado. Na ocasião, sustei o cheque para pagamento dos últimos dias de estadia, notificando a clínica do motivo da sustação: o vício em cocaína adquirido durante a malfadada internação. Passados três anos, a clínica foi desativada, e eu estou sendo processada judicialmente para cobrança do referido cheque sustado.

Maria Isabel de Azevedo e Sousa misabelazevedo@yahoo.com.br

São Paulo

*

À VONTADE

Tendo sido paciente de internação na antiga e prestigiosa Clínica Bela Vista, nos tempos "mais ingênuos" de minha pós-adolescência (1979), fiquei estarrecido quando um amigo alcoólatra me confidenciou, há alguns anos, que decidira ficar "eternamente" internado em outra, não sei qual, pois já havia feito muitos amigos e podia beber à vontade "sem causar qualquer dano a si e à sua família". Estranho esse fato: como pode uma clínica de desintoxicação fornecer bebida alcoólica ao paciente? O fato é que, por sua vontade e risco, e capacidade de arcar com o alto custo da internação, ele continua lá.

Armando C. da Serra Negra a.serranegra@terra.com.br

São Paulo

*

CLÍNICAS DE RECUPERAÇÃO

Ao mesmo tempo em que a reportagem Luta contra crack sai por até R$ 44 mil ao mês traça um perfil das clínicas de recuperação, deveria servir de gancho a outra - de interesse público, investigativa,  importantíssima e inédita (ao que eu saiba) - sobre o de tráfico de drogas e álcool praticado por funcionários criminosos dentro das mesmas.

 

Yolanda Monti ymgmonti@gmail.com

São Paulo

*

PELAS FAMÍLIAS

Alguém já avaliou o quanto custou à nação os drogados? Sem leis mais rigorosas para os traficantes (de qualquer volume), uma vez que não conseguimos impedir o ingresso das drogas, será o cachorro correndo atrás do rabo. Não digo penas similares à Indonésia, etc., mas perpetuas, ou quase. As famílias agradecem.

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

DROGAS E A CLASSE MÉDIA

Li, somente hoje o artigo do jornalista Carlos Alberto Di Franco

publicado no Estadão do dia 23/1, segunda-feira, na página A2, do Espaço Aberto. É uma obra prima para todas as mães, pais e educadores lerem.

Olympio F.A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.