Fórum dos Leitores

CRISE NO JUDICIÁRIO

O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2012 | 03h08

 

Pressa estranha

Muito estranha a rapidez com que a ação sobre os limites de investigação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entrou na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) – já nesta quarta-feira. Enquanto isso, crimes do processo do mensalão correm o risco de prescrever. Será demais pedir um pouco menos de corporativismo?

ROBERTO SARAIVA ROMERA

robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

Reunião secreta...

O ministro Cezar Peluso e o CNJ fizeram uma reunião "secreta" para debater licitação milionária. Ora, reunião secreta para discutir dinheiro e assuntos de interesse público? E a transparência? E os interesses do cidadão pagador de impostos? Com a palavra a dra. Eliane Calmon.

MARCO ANTONIO R. NUNES

nunesmarcelao1@ig.com.br

Pindamonhangaba

*

Sofisma indiscutível

Depois que o noticiário nacional escancarou os absurdos salários dos nossos juízes, a quase totalidade deles iniciou uma campanha sistemática contra o CNJ e outros tentam justificar o injustificável. É o caso do presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que em declaração pública (25/1, A8) atribuiu os altos salários à falta de juízes. Com certeza é o maior sofisma que li nos últimos anos. Se assim fosse, quanto deveria ganhar um professor estatutário, que recebe um salário de miséria na comparação com o de um magistrado? O mesmo se aplica aos engenheiros, cujos salários obrigam atualmente o Brasil a ter de importá-los, pela falta de mão de obra para desenvolver nossas empresas e por necessidades técnicas. Idem quanto aos médicos e demais profissionais da área da saúde, além de todas as outras profissões deste país cujos ordenados não atingem nem 10% do salário inicial de um juiz. É, de fato, um sofisma indiscutível.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

Penduricalhos revoltantes

Agora ficou claro, com o caso dos juízes do Rio de Janeiro, por que os magistrados defendem com unhas e dentes as férias de 60 dias. Não é para se recuperarem de um trabalho estafante, não, mas para venderem 30 dias e fazerem 14 salários por ano, sem contar, logicamente, todos os outros revoltantes penduricalhos. As folhas de pagamentos dos tribunais têm de ir para a internet, já!

FERNANDO PIERRY

fernando.pierry@uol.com.br

São Paulo

*

Sardinhas na brasa

Os magistrados não se interessam se as leis que se aplicam aos cidadãos comuns os fazem permanecer carentes de direitos fundamentais, como saúde, educação, segurança. Mas, especificamente para eles, exigem que elas se mantenham fartas de privilégios, benefícios, mordomias. E, muito mais grave, que tais benesses pairem livres de fiscalizações externas ao Poder Judiciário! Em resumo, não vivemos num Estado de Direito, mas num Estado de privilégios dominado por oligarquias articuladas que puxam as brasas para as suas sardinhas.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

*

Estelionato togado

Não bastassem as graves denúncias contra membros da magistratura nos últimos meses, dois juízes federais de Brasília, Moacir Ramos e Solange de Vasconcelos, são denunciados criminalmente pelo Ministério Público Federal por terem vendido uma sala comercial pertencente à Associação dos Juízes Federais da 1.ª Região (Ajufer) e embolsado a quantia de R$ 115 mil para pagar dívidas particulares. Não por outra razão o comprador, hoje procurador-geral do DF, não conseguiu ainda a escritura definitiva do imóvel. A corregedora Eliana Calmon cunhou a expressão "bandidos de toga". Agora, esses dois juízes poderiam ser chamados de "estelionatários de toga"... E assim caminham as nossas instituições!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

De respeito e confiança

Tenho 86 anos e um filho de 48, mas tenho receio de lhe expor certas ideias e ser considerado mentiroso por ele. O negócio é o seguinte: quando tinha os meus l8 anos, ia com frequência ao Rio de Janeiro visitar parentes ou frequentar o Teatro Municipal, onde meu irmão Assis Pacheco, grande tenor, cantava óperas. E sempre que ia ao Municipal passava pelo Senado Federal, que ficava bem ao lado do teatro. Sentia vontade de fazer o sinal da cruz, como os católicos fazem ao passar em frente a uma igreja. Outra coisa que eu sentia era a impossibilidade de um juiz não ter compostura ilibada. Hoje não se pode ler os jornais sem achar ridículas essas ideias. Fico estarrecido pensando nisso. Será que meu filho acreditará em mim ou me achará careta? Meu medo só aumenta. Será que um dia a gente poderá de novo respeitar o Senado Federal e seus senadores, ou confiar em nossos juízes ou em nosso Judiciário, o que seria a mesma coisa? Só resta esperar para ver se as coisas e as pessoas mudam um pouco, para o bem do país – que gostaria de escrever com maiúscula, como antigamente.

DIOGO PACHECO, maestro

dpacheco @ uol.com.br

São Paulo

*

Já faz tempo que os brasileiros deixaram de confiar nos políticos. Se perdermos também a fé no Judiciário, o que nos restará?

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

zaffalon@uol.com.br

Bauru

*

Devo admitir que perdi a fé no STF desde que, sob o comando do indefectível Nelson Jobim, conseguiu derrubar a cláusula pétrea que protegia o direito adquirido dos aposentados. Depois disso nada mais poderia provocar maior perplexidade.

CONRADO DE PAULO

conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

Grandes mulheres!

A história da corrupção neste país está mudando pela coragem de mulheres incríveis, competentes e destemidas, como Denise Frossard, Patricia Acioli e Eliane Calmon, para citar apenas algumas, às quais rendo minhas homenagens e declaro profundo respeito e admiração. Precisamos de pessoas assim, homens e mulheres honestos, dignos e com coragem para fazer do Brasil um país realmente para todos.

ANA MARIA CARMELINI

carmelini.ana@terra.com.br

São Paulo

*

AÉCIO 2014

Conforme entrevista do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a uma revista inglesa (24/1, A7), o senador Aécio Neves (PSDB -MG) seria o candidato óbvio à Presidência da República em 2014. Como um simples cidadão brasileiro, eu lembro que Aécio Neves, quando governador de Minas, através de um projeto de sua autoria, efetivou 98 mil funcionários não concursados (Estadão, 6/11/2007). Em abril de 2011, ele cometeu uma infração no trânsito no Rio de Janeiro por dirigir alcoolizado e se recusou a fazer o teste do bafômetro; foi multado e teve a carteira CNH apreendida por estar vencida. Como o meu partido é o Brasil: será que dá para confiar no Aécio Neves como candidato a presidente da República?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

CONCORDÂNCIA

Sempre votei no PSDB e o continuarei fazendo até que possa. Vendo o andamento as corrupções e o Estado em que nos encontramos politicamente, acredito que muitos pensam e farão da mesma maneira. Portanto, para o bem do País, José Serra (PSDB-SP) deveria concordar com a opinião do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, embarcar e apoiar a candidatura de Aécio Neves (MG), para presidência do Brasil em 2014. Pois no atual quadro político é o único com enormes e reais possibilidades vencer as eleições.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

OPOSIÇÃO FAZ FALTA

Democracia sem oposição não funciona. O único partido ético de porte no país e que poderia fazer oposição, o PSDB, foi "diminuído" em sua força pela arrogância e vaidade dos dois pretensos candidatos a 2014, Serra e Aécio. Felizmente, Alckmin está "juntando os cacos" que sobraram. Oxalá consiga refazer a oposição de que o País tanto necessita.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

NÃO EXISTE OPOSIÇÃO

Não é que o deputado Cândido Vaccarezza, do PT, contrariando a sua habitualidade, dessa vez fez um comentário com bastante propriedade: "A fala de FHC reflete a insegurança e a confusão em que está metida a oposição. Nenhum projeto, nenhuma perspectiva e, no final de contas, nenhum nome". O único reparo que eu poderia fazer nessa declaração é retirar a palavra "oposição" dela, já que não existe oposição a este governo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

DEBATE

FHC, ao antecipar sua opinião sobre o candidato do PSDB para as eleições de 2014, aquece o debate político da oposição, que pode trazer a tona a realidade desorganizada e sem rumo dos partidos que compõem a oposição. FHC sabe que o imbróglio político que esta por vir, merece toda atenção e uma nova forma de se pensar o papel da oposição nas eleições e na atual conjuntura político brasileira.

Cyro Galaso cyrogalaso@hotmail.com

São Paulo

*

SERRA JÁ ERA?

Lendo no Estadão as declarações de FHC de que Aécio é o nome para 2014, tendo em conta que FHC ainda tem influência no PSDB, já entendo que para 2014 Serra já era. Pelo menos pra a Presidência. Como para a prefeitura de São Paulo também já está descartado, sobra o que? O Governo do Estado. Alckmin que fique alerta e prenda bem o tapete. Parece que a inapetência política demonstrada por Serra na última eleição começa a mostrar seus resultados. O próprio partido já não o quer. Hora de pendurar as chuteiras.

Odair Picciolli odairpicciolli@moradadoscolibris.com.br

Extrema (MG)

*

DECEPÇÃO

Durante o governo do FHC, passei a ser fã de carteirinha do PSDB. Mas hoje estou desiludida com os políticos de tal partido: 1) Aécio Neves - traiu a Pátria quando não aceitou ser vice do Serra na eleição passada; 2) Alckmin deveria apoiar os policiais que trabalharam na operação de reintegração de posse em São José: os policiais não foram recebidos com rosas, por isso precisaram usar da "força"para cumprir a determinação judicial. É fácil criticar o trabalho dos policiais, mas por que os críticos não vão lá e resolvem o problema pacificamente, antes da chegada dos policiais? 3) FHC diz em entrevista à revista Economist que Aécio Neves é "candidato natural"do PSDB à presidência. Será, que em sã consciência, ele acredita que os paulistas e paulistanos vão votar no traidor Aécio Neves? Ou ele quer assistir de camarote sua derrota na próxima eleição? Pois, o "poste", que inteligentemente se "iluminou" e está seguindo a cartilha do FHC, está fazendo um bom governo e provavelmente será reeleita.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes Goulart carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

FHC, SERRA E AÉCIO

 

Ver FHC defender o Aécio é pensar pequeno acreditar que o eleitor paulista dará voto a este traste.  Também olhando um José Serra, que teve duas  chances de chegar lá, mas falhou por covardia em encarar o Lula assim como o Alckmin, fica a impressão de que o petista tomará posse da nossa capital amanhã e depois do Estado, algo que ele não tolera até agora não ter conseguido. Não me iludo, somos poucos e os analfabetos seguidores lulistas são muitos.

 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça 

*

EM MINAS

Em Minas, os quase 10 anos de governo Aécio-Anastasia foram marcados pelo desrespeito as leis e a constituição. Os fatos mais recentes deixam isto bem claro.Em 2011, profissionais da educação fizeram uma greve histórica pela implantação do Piso Salarial Nacional, que aqui era (e ainda é) desrespeitado, e tiveram como conquista a destruição da Carreira, para que os valores pagos se adequassem a lei, sem sequer um centavo de reajuste!. Mas o mais grave não foi isso. Em 2007, o Governo Aécio criou e a Assembleia Legislativa, dominada por ele, homologou o maior desrespeito a Constituição do qual tenho notícia. Dezenas de milhares (sem exageros) de servidores foram efetivados sem concurso  público, através da Lei Complementar nº 100. Este servidores estabilizados, garantiram os mesmos direitos constitucionais dos concursados, sendo até privilegiados em algumas diretrizes internas que organizam unidades escolares. A imprensa mineira, trata tudo com a maior naturalidade, pois convém aos planos presidenciais do neto de Tancredo; os sindicatos se calam, pois tal medida beneficiou milhares de filiados. Resta a indignação de alguns, como eu, que pautam sua vida pela legalidade e respeito as normas. Solicito, encarecidamente, que este respeitado jornal de alcance nacional faça esta denuncia e mostre ao povo brasileiro a forma rasteira de fazer política da oligarquia aecista, que se evidencia no claro descumprimento as leis, com a conivência do MP, e da Justiça mineira. Desde já, muito obrigado e coloco-me a disposição para quaisquer esclarecimentos.

Marcílio Soares Marinho marciliomarinho@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

APARIÇÕES DE LULA

É espantoso como o ex Lula não aguenta ficar longe dos palanques e holofotes.

Paulo Ribeiro de Carvalho Jr. paulorcc@uol.com.br

São Paulo

*

O RETORNO DO 'PODEROSO CHEFÃO'

Incrível: mesmo em tratamento, aquele que prometeu desencarnar e assar coelhinhos, se deslocou - às vésperas de mais uma sessão de radioterapia - a Brasília para prestigiar seu favorito à Prefeitura de São Paulo. Vestido a caráter (só faltou a camisa preta), como o poderoso chefão, não deixa dúvidas de quem é que manda.  A única dúvida que existe é quanto á gravidade da doença, ou se é mais um bem planejado golpe publicitário, haja vista a foto tirada com o ator global, também em tratamento.

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

'SUI GENERIS'

Levar seu fotógrafo oficial (Instituo Lula) para fazer fotos no hospital a cada sessão de radioterapia a que se submete e ainda mandar distribuí-las  a toda a imprensa depois é, no mínimo, grotesco! O Sr. Lula é mesmo sui generis.

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

'REPROVADO NO ENEM'

Excelente o artigo publicado na quinta-feira no Estadão pelo Sr José Serra, só faltou acrescentar que a justiça suspendeu o direito do aluno solicitar a correção nas provas de redação, alguns conseguiram, os outros ora os outros não vão ter os mesmos direitos. Por favor, PSDB, continue demonstrando a falta de competência dos vários ministérios que a Dona Dilma teve de engolir.

 

Wilson Lino wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

*

SERRA E O ENEM

Sou eleitor do PSDB e votei em Serra para presidente, mas discordo de seu artigo sobre o atual Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Idealizado pelo ministro Paulo Renato no governo FHC, e hoje elevado a condição de grande vestibular nacional, o Enem, apesar das falhas, é um avanço muito grande na educação do país, em minha opinião. Tive curiosidade de ler uma das provas(2009) e a conclusão que cheguei foi a que as questões propostas privilegiam a capacidade de ler e entender o que foi pedido, avaliando o raciocínio e a habilidade de trabalhar um mínimo de conhecimento das matérias propostas, na resolução das questões. Essas habilidades nenhum cursinho pode ensinar, e isto pode ser um perigo para estas máquinas de fazer dinheiro. O Enem favorece aquele aluno, que mesmo sem condições financeiras para pagar um colégio de elite, ou mesmo um cursinho, mas que aplicou-se nos estudos ao longo de sua vida escolar, pode almejar um curso superior numa boa faculdade, com sucesso. Isso não seria a famosa inclusão social? Espero que o Enem seja preservado nos moldes e filosofia atual. Em minha opinião, o artigo do professor Serra foi infeliz ao colocar o Enem como centro de mera disputa política

Milton Lara t.lara@terra.com.br

São Paulo

*

TRAGÉDIA NO RIO DE JANEIRO

Depois da tragédia, aparecem os políticos para darem uma porção de ideias e sugestões. Inspeção periódica é a sugestão do senador Crivella. Equipar os órgãos de fiscalização, dizem outros. É? E quem os desestruturou? Alugam o ouvido do povo. E sabem o pior? Não fazem nada disso. Passa a onda, o clamor da população e cai no esquecimento. Daqui a pouco teremos outra tragédia, aliás já temos um governo estadual que é uma. Deveriam mudar alguns pontos da legislação sobre obras/reformas, permitindo ao Crea, por exemplo, fiscalizar e comunicar as irregularidades ao órgão competente do poder público para as providências, e, o principal, colocar fiscais sérios. Se colocar um fiscal que chega no local, vê uma irregularidade e a multa é de R$ 10 mil, por exemplo, e por baixo dos panos pega R$ 1 mil e está tudo certo, aí não adianta nada. Não adianta lei nem a mudança dela. A mudança começa com fiscais honestos.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DESABAMENTO

Rio de janeiro enlutado.

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

POR QUE OS EDIFÍCIOS ENTRAM EM COLAPSO?

Em pleno século 21 vemos imagens assustadoras de pessoas correndo nas ruas, em meio à poeira emanada da queda de grandes edifícios, ocasionada na Cidade Maravilhosa. Uma pergunta fica no ar, o que pode ter dado errado? Bem, como Professor das disciplinas Materiais de Construção, Concreto Armado, Práticas de Laboratórios de Concreto, Resistência dos Materiais e Estabilidade, para cursos técnicos em Edificações do CEFET-OP, e do CEFET-MG, dentre diversas outras, fica mais fácil compreender que são inúmeras as causas que podem levar a um colapso de uma edificação. Os erros podem começar na falta de uma boa análise do solo. Podem também estar ligados a erro de concepção do projeto. Podem ainda ser encontrados no cálculo do concreto armado, mas não param por aí. A Construção Civil possui o privilégio de ter iniciado a era da qualidade. Todos os materiais a serem adquiridos devem passar por testes de qualidade, tanto por parte do fornecedor, quanto por parte do usuário antes do seu emprego nas obras. Exemplos clássicos são as barras de aço e o concreto que chega por meio de caminhão betoneira. Não basta constar do certificado do fabricante a resistência das barras de aço. Necessário é que o usuário recolha e envie para testes em laboratórios, algumas amostras. Do mesmo modo, deve ser conferida a resistência do concreto na nota e moldados alguns corpos de prova, segundo normas ABNT, para que sejam rompidos antecipadamente em datas previstas, antes da retirada do escoramento. Este também é parte importante da obra e deve ser dimensionado por especialistas no assunto. As formas devem ser limpas e estanques, para evitar a perda de água de amassamento do concreto, e a presença de matéria orgânica. Estas levam à porosidade do concreto, a qual retira entre 20 a 30% de sua resistência à compressão. Jamais pode ser utilizada areia do mar em construção, por possuir materiais que, com o tempo se desagregarão, deixando vazios. Da mesma forma, todo material que entra na obra, deve ter procedência analisada e sua qualidade atestada, no mínimo por gente experiente no assunto, como Engenheiro, Mestre de Obra, Encarregados e Oficiais. Existem testes de qualidade da areia, da resistência do concreto,  de pega do cimento, da granulometria dos agregados graúdos e miúdos, porque uma ferragem colocada de forma errada pode impedir a passagem destes, formando nichos ou brocas, ou seja, um vazio onde deveria estar um bloco monolítico de concreto. O projeto deve ser efetuado de acordo com as características do terreno, e o cálculo estrutural deve ser efetuado por Engenheiro Civil registrado no Conselho Regional de Engenharia (Crea), sob a assinatura de uma anotação de responsabilidade técnica (ART). Da mesma forma, toda manutenção deve ter um estudo prévio por parte destes profissionais, visando à segurança das atividades e, principalmente a estabilidade da construção, com as ARTs e um desenho denominado Asbuit (Como foi construído), porque pode haver modificações no projeto durante a confecção da obra ou nas manutenções. A simples retirada de um pilar, de uma viga, ou de uma parede estrutural, sem um prévio estudo, pode levar a uma redistribuição de esforços. Caso as demais componentes estruturais não possam absorver esta redistribuição, a devolução do excesso será imediata. A vantagem é que as obras confeccionadas em concreto armado costumam avisar antecipadamente o que ocorrerá por meio do não fechamento de janelas e portas, quebra de vidros, fissuras que se transformarão em trincas, problemas nos forros e nos pisos, como abaulamentos por aumentos da flexão, e assim por diante. O ideal antes de modificar qualquer coisa que apresente riscos, é efetuar uma revisão de segurança no projeto, efetuada por especialistas. Sendo Mestre em Engenharia Civil, e Especialista em Segurança do Trabalho, sugiro a todos que leiam a dissertação que efetuei para a UFSC, sobre Análise dos Indicadores de Segurança do Trabalho em Reformas de Altos Fornos em Siderúrgicas, que se encontra facilmente no site Domínio Público, gratuitamente. Nela são encontrados alguns conceitos fundamentais de segurança para obras quer sejam industriais, quer não. A segurança do trabalho deve se antecipar às etapas da obra, visando garantir o sucesso do empreendimento, a integridade física dos operários, e a saúde econômico-financeira dos investidores.  Caso isto não ocorra, serão elevados os Custos dos Acidentes, diretos e indiretos, haverá a perda da imagem da construtora, problemas com o meio ambiente, dentre mais de uns trinta fatores passíveis de indenização. Fora os riscos de silicose para as equipes de resgate, de explosões, choques elétricos, dentre diversos outros.

Santelmo Xavier Filho, conselheiro do Crea-MG santelmoxf@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

FUGA

A presidente desmarcou a viagem que ia fazer ao Rio por conta da tragédia ocorrida. Isso que é governar! Ninguém quer ver tragédia, né, dona Dilma?

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

CATASTROFISMO

O Brasil economicamente em crescimento no campo social e de infraestrutura a cada dia apresenta uma catástrofe. São enchentes, inundações, alagamentos, prédios que caem e outras situações de risco que se oferecem à indefesa população. O governo deveria criar um Ministério apenas para prevenção e, se for o caso, combate aos graves aspectos que se irradiam por causa de políticas públicas deficientes e os repasses de recursos que não chegam aos respectivos destinos

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

SÉRGIO CABRAL

"Cabral, vada a bordo"! Mas não adianta o carioca gritar e fazer refrão dessa ordem porque o governador já está acostumado a ouvir isso. Para ser franco, eu e a maioria dos cariocas não temos a menor idéia de onde anda o homem que se diz governador do Estado do Rio de Janeiro. Uns dizem que ele foi para o Canadá, outros juram que viram o "turista governamental" passeando de bicicleta pelas ruas de Paris. Alguns dizem que ele deu uma entrevista a uma rádio em algum lugar do Rio de Janeiro, talvez no balcão do Clipper, lá no Leblon. Parece que ele está com alergia, ou medo, de povo e televisão. O prefeito do Rio de Janeiro continua sendo a grande piada de mal gosto que o eleitorado assinou ao colocá-lo na prefeitura. Enfim, esta é a situação das coisas por aqui. Na rua você não pisa em tampa de bueiro porque ele pode explodir, desvia das portas dos restaurantes, porque a cozinha pode explodir, não passa embaixo de marquises, por que elas podem cair, e agora estamos todos com medo de entrarmos dentro dos prédios porque eles podem desabar. Ninguém fiscaliza nada, não existe uma lei para punir os culpados dos desabamentos dos prédios, nem das explosões dos bueiros. Estamos num região sem lei, onde impera a propina e a omissão. Como última tentativa só nos resta ficar gritando sem parar: "Cabral, vada a bordo"!

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

*

DEMOLIÇÕES

O Sr. Gilberto Kassab explodiu São Paulo com 800kgs de dinamite e não derrubou o prédio, que diziam que queria cair, enquanto no Rio de Janeiro, por falta de inspeção do Sr. Eduardo Paes, tiraram o calço de um e caíram três edifícios. É muita incompetência num país só.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

MARRETA

Após fracassada implosão nota 10 de Kassab, tecnologia da marreta derruba prédios no Rio.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

ANO DO DRAGÃO

Se na China, com alegria, o ano de dragão ocorre de tempos em tempos, no Brasil ele acontece sempre.  Entra ano e sai ano, com tristeza, vemos de novo os dragões da corrupção, do corporativismo, do loteamento de cargos públicos, dos ataques à imprensa, da falsa democracia, do desvio de verbas,  do jeitinho brasileiro para acomodar poderosos, dos super-salários, dos impostos exagerados, da falta de segurança, da sujeira embaixo do tapete, da demora dos julgamentos, da prevalência da impunidade, das favelas, da falta de saúde, das estradas esburacadas, da falta de ética e compromisso de políticos e governantes, das licitações fictícias, das obras superfaturadas e inacabadas, do direcionamento político de verbas, do desrespeito à leis, dos ataques ao meio-ambiente, da arrogância para com os cidadãos, etc. Haja dragão! Em verdade, se título merecemos, é o do país dos dragões, assim entendidos aqueles queimam o tecido da nação brasileira, reduzindo-o, ano a ano, à cinzas.  Sugiro que nós, cidadãos do bem, criemos como símbolo dos desonestos a figura de um dragão a ser usada em camisetas, carros, faixas, etc. Isto, objetivando, tanto distingui-los deles, como motivando uma repulsa à perigosa situação em que nos encontramos. Com a palavra os brasileiros e com a pena os cartunistas.

Sérgio Aranha da Silva Filho filhoaranha@adv.oabsp.org.br

Garça

*

MUDANÇA NA PETROBRÁS

Quem pensa que a saída de Sergio Gabrielli da presidência da Petrobrás foi uma vitória da presidente Dilma está muito enganado. Sergio Gabrielli ficou no cargo enquanto lhe  foi conveniente. Como se pode notar essa gente só larga o osso quando um outro lhe é oferecido. É certo que desde o início de seu governo, Dilma queria na presidência da estatal a Diretora de Gás e Energia, Maria das Graças Foster, porém teve de engolir Gabrielli por ordem de seu antecessor. Dilma vem fingindo que faz faxina, mas suas trocas não passam de acordos entre os partidos. Vamos ficar de olho na gestão dessa senhora que segundo comentam tem o estilo da presidente Dilma, mas chega à presidência da Petrobrás tendo que explicar a negociata feita por seu marido, desde 2008, a C. Foster, de propriedade de Colin Vaughan Foster havia assinado 42 contratos, sendo 20 sem licitação, para fornecer componentes eletrônicos para áreas de tecnologia, exploração e produção a diferentes unidades da estatal. Erenice também  foi indicada por Dilma e deu no que deu. A nova presidente da Petrobrás  é   petista e a regra  é a seguinte: os não-petistas, especialmente se oposicionistas, são sempre culpados ainda que não haja nem indícios contra eles. Já os companheiros são sempre inocentes, até mesmo contra as provas. A conferir.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

OURO NEGRO

A presidente Dilma entregou o nosso "ouro negro" a mulher conhecida como mulher do "lobo". As duas cuidaram do Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), lembram-se? Já divulgam que o marido da recém nomeada presidente da Petrobrás, Sr. Colin Vaughan Foster, já vivia lá dentro e com caminho livre, tanto é que fechou contratos num total de R$ 614 milhões, presume-se que agora a porta escancarou de vez... Fiquemos atentos, vem mais "chumbo grosso" por aí, para ser pago pelo povo brasileiro! 

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

PIADA

Não teve graça nenhuma, mas Mr. Foster está rindo até agora.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O VALOR DA EMPRESA

Sucessão de gestão é quando a direção da empresa consegue valorizá-la pela sua eficiência. A Petrobrás sofreu enorme desvalorização sob o mandato do presidente que está saindo tardiamente. Mas ele já conseguiu um novo emprego com o seu companheiro que atualmente governa(?) a Bahia. Esse é o Brasil de todos.

 

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

PAÍS BICHADO

Depois de sete anos destruindo a maior empresa brasileira, decapitaram o sindicalista incompetente que ocupava a presidência, e que só era mantido no cargo por fazer parte da mega quadrilha. O cara era tão pernicioso para a empresa que, mesmo antes de se saber qual será o desempenho da indicada para substituí-lo, as ações da empresa tiveram uma expressiva valorização no mercado. Porém o momento não é para euforia. Já se sabe que, usando a novilíngua, há "malfeitos" no novo reino da Dinamarca. Se correr o bicho pega se ficar o bicho come. O País está bichado.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

CACIQUE POR CACICA

Perguntar não ofende: Colin Vaughan Foster, uma empresa que nos últimos 42 contratos com a Petrobrás teve 20 sem licitação, será que tem alguma coisa a ver com Maria das Graças Foster, a nova "dona" da Petrobras? Se tiver, nada demais, é da regra, novidade é se não tiver.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

GABRIELLI E FOSTER

A presidente Dilma Rousseff demonstrou grande coragem e força ao defenestrar o senhor Gabriele e colocar em seu lugar uma amiga de longa data que parece ser competente. Foi um verdadeiro soco no pâncreas do lulopetismo, pois, como sabemos e víamos, Gabriele sempre foi o grande municiador de práticas secretas do lulopetismo. A fonte estava secando.

J. Treffis jotatreffis@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

'O PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS'

A solução simplória sempre encontrada é aumentar o preço da gasolina para viabilizar o etanol. No Brasil o consumidor já paga um dos mais elevados preços do mundo pelos combustíveis, pela energia elétrica pela água, pelo gás, etc. A solução não é elevar ainda mais o preço da gasolina (uma das mais caras e piores do mundo, sem falar no diesel caro e "enxofrado") a solução é baixar as taxas, os impostos, e as contribuições que incidem sobre o etanol.

Gustavo Guimarães da Veiga gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

*

ENERGIA E TRANSPORTE

Providenciais os editoriais Energia e padrão de vida e Recursos para as hidrovias (24/1, A3). Buscamos uma vida sustentável de características cada vez mais urbanas, metropolitanas, com a produção de bens (e energia) longínquas. O advento de milhões de consumidores que antes estavam relegados a planos inferiores da sociedade traz o alerta dos gargalos de infraestrutura, mas também é uma oportunidade para repensarmos nossos padrões de consumo - e de vida. O transporte hidroviário é o mais barato de todos, superando a ferrovia, mas, mesmo em um país coberto de rios como o nosso, ele é minúsculo. Vejamos os rumos estruturais de nosso país em um mundo colapsando financeiramente.

Adilson Roberto Gonçalves priadi@uol.com.br

Lorena

*

DILMA EM CUBA

Se na bagagem que Dilma levará em breve a Cuba, além da aprovação de duas parcelas de US$ 380 milhões em financiamento com dinheiro brasileiro e a abertura de uma linha de credito para importação, estiver um pedido de permissão para que a blogueira Yoani Sánches possa participar como convidada no Brasil do lançamento de um documentário da qual é a própria personagem num filme que aborda um assunto proibido na ilha de Fidel, "a liberdade de pensamento", sua viagem terá valide a pena. Se o objetivo da viagem for só para posar ao lado dos sanguinários irmãos Castro e Che Guevara "In Memoriam"  lembrando sua memória de guerrilheira, melhor poupar nosso suado dinheiro.

Amâncio Lobo Amancio lobo@uol.com.br                                               

São  Paulo

*

OS AMANTES DE CUBA

 

Devem estar preocupados os amantes de Cuba e de seus ditadores, quando leem o que a imprensa internacional está falando sobre a recente morte do dissidente do regime, que querem seja ele mero sujeito de entrevero familiar, para o despistamento global. E ficam mais ainda tristes, quando sabem que a Presidente Dilma, em sua próxima ida à Ilha do Constrangimento aos Liberais, receberá centenas de queixas sobre a falta de todas as liberdades no Arquipélago Gulag das Américas. E, ainda, mais incomodados ficam, ao saberem que a cubana dissidente Yoani Sánchez, blogueira reconhecida internacionalmente, já pode vir ao Brasil, embora dependa de autorização de seu governo, oportunidade em que deverá abrir as baterias contra a completa ausência de liberdade em sua pátria, inclusive de imprensa, que reina na ilha há mais de meio século. Na verdade, se o Brasil caiu 41 posições no ranking da liberdade de imprensa, como pode haver classificação para Cuba?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

YOANI SÁNCHEZ

O Brasil já deixou entrar. E Cuba, vai deixar sair?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

PERGUNTA INTRIGANTE

Todos esquerdistas brasileiros, petistas, comunistas e outros falam bem  e defendem Cuba, Fidel Castro e seu sistema comunista de governar... Mas, se lá é tão bom assim, por que Chico B. Holanda não comprou imóvel lá em Havana ou pelo menos fosse passar férias nessa ilha abandonada? Mas, nada disso ele quis, preferiu Paris, da mesma maneira de tantos outros seus companheiros, até seus filhos vão para outros grande e adiantados centros culturais para estudar. Além disso, se lá é tão bom, por que proíbem seus cidadãos sair do país? Só com autorização do ditador-mor? Como estão exigindo da blogueira Yoani Sánchez... Nunca vi alguém querer sair do céu e além do mais, precisar de autorização! Mintam que o povo ignorante gosta de ouvir.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

VIAGEM INÚTIL

A respeito dos noticiário de que a Sra. presidente Dilma viajará a Cuba, questiono, que importância e quais benefícios trará ao Brasil, uma viagem a Cuba? Só mesmo se for para receber charutos! Qual naçÃo decente que forma uma comitiva enorme, com pesados gastos para deslocar-se a até Cuba? Qual o governo que se dá ao respeito  vai visita um caudilho demoníaco como Fidel Castro? Essa mal versada viagem tem interesses particulares da Sra. Dilma e deveria ser à sua própria custa, não à nossa! E tem mais, viajará também ao Haiti, cuja viagem também não trará nenhum benefício ao Brasil, muito ao contrário, levará nossos minguados recursos, afora os imigrantes recém-chegados de lá. Cadê o Congresso Nacional, que não barra esse tipo de "viagem do terror", da aberração?

 

Raimundo Félix da Silva rfelixdasilva@yahoo.com.br

Niterói (RJ)

*

IMIGRAÇÃO

Li no jornal que o Ministério da Justiça irá propor uma nova Lei de imigração daqui a dois meses. Antes de qualquer coisa, o Governo deveria informar ao povo brasileiro o número estimado de imigrantes ilegais vivendo no Brasil, porque, com certeza, deve ser muito maior do que os que se encontram legalizados. Espero que essa nova lei venha a contemplar os imigrantes qualificados em detrimento dos desqualificados, como é nos países desenvolvidos, a exemplo do Canadá. Os imigrantes qualificados trazem conhecimentos tecnológicos para o País, o que lhes garantem bons salários, facilitando a sua integração social com os Brasileiros. Já os imigrantes desqualificados agravam os problemas sociais que o povo brasileiro tem enfrentado, por disputarem empregos de baixa remuneração na economia formal e informal, o que não lhes garantem nenhuma perspectiva de vida digna, sem precisarem da ajuda do Governo. Sugiro, ainda, que nessa nova Lei haja um artigo que permita deportar a todos imigrantes que em dois anos não se incorporem no mercado de trabalho, se auto-sustentando, porque para ser pobre e viver da caridade alheia é melhor ir viver em seu País. Espero que os governantes formulem uma nova Lei de forma realística, sem hipocrisia e sem medidas populistas, pensando no povo Brasileiro e levando em consideração o alto grau de violência urbana apontados nas estatísticas das cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, onde somos obrigados a conviver com uma guerra urbana contra os traficantes e as milícias, além de problemas crônicos, tais como: favelização das cidades e falta de saúde e de educação de qualidade, de segurança, de transporte e de saneamento básico.

Olavo Guterres Silva oguterres@yahoo.com

Rio de Janeiro

*

HAITIANOS NO BRASIL

O sofrimento deles pode ser resolvido. Se existe aqui  uma Constituição onde todos são iguais perante a Lei, a sugestão é a seguinte: O haitiano que pretender viver tranquilamente no Brasil, necessita matar pelo menos 4 pessoas lá no país dele e fugir pra cá como fez o italiano Batistti.   Deu realmente algum trabalho, mas ele está aí tranqüilo com os mesmos direitos de todos os brasileiros.  

Plínio Zabeu pzabeu@uol.com.br

Americana

 

*

MÃO DE OBRA

A população economicamente ativa no Brasil é 100 milhões de habitantes, que precisam de empregados de baixa qualificação. A solução é empregar os haitianos, que entram no Brasil clandestinamente. Além de ser um gesto humanitário, resolve o problema do brasileiro, que está em boa situação econômica, que pode dar ao luxo de ter empregados.

 

Paulo Dias Neme profpauloneme@terra.com.br

São Paulo

*

CÉREBRO E CORAÇÃO PARA ACOLHER OS HAITIANOS

 

O Brasil enfrenta grande desafio na questão imigratória. A invasão de haitianos nas fronteiras do País vem gerando desconforto e constrangimentos às nossas autoridades, imbuídas em resolver o impasse. O Ministério das Relações Exteriores, em Brasília, e a Polícia Federal, têm um abacaxi em mãos e não há como recuar, O imediatismo da solução tem tirado o sono de muito engravatado, pois se trata de um compromisso assumido pelo então presidente, Luís Inácio Lula da Silva, que se comprometeu, diante dos olhos do mundo, ajudar o povo do Haiti, vítimas da miséria e do terremoto que devastou Por au Prince.

E você, leitor, saiba que neste exato momento, cerca de cinco mil haitianos estão acampados na fronteira brasileira, na divisa com o Peru, aguardando a liberação do visto de entrada no reduto de Dilma Rousseff. São homens, mulheres e crianças que clamam por justiça. Todos eles estão famintos e dormem ao relento, em condições inaceitáveis para um cidadão que tem cérebro e coração. Os oficiais de imigração do Brasil já avisaram que serão emitidos apenas 1.200 vistos de entrada no País para haitianos. Os demais - os excluídos - deverão fazer o caminho de volta. O Motivo? Não há como abrigar tanta gente. E abrir as portas, sem critérios, é um risco que ninguém quer assumir. Enquanto isso, um amontoado de pessoas desnutridas e cheias de esperanças não arreda o pé, pois acredita que o Governo Brasileiro reconsidere a sua decisão e lhes permita entrar no Brasil para trabalhar e viver decentemente. Mas, a indecência dos fatos é que não há água, nem colchões, muito menos locais para a higienização de seus corpos. O Rio Acre, por exemplo, tem servido de banheiro para os haitianos, pois muitos se deslocam até a sua margem para urinar e defecar. Mas eles -os refugiados - não se banham no rio temendo  ataques de cobras e de jacarés. O Pelotão de Fronteira, com integrantes da Força Nacional, estão no local dia e noite. Um ônibus da Polícia Federal se locomove sobre a ponte que liga Assis Brasil ao território peruano. Na madrugada, é comum ouvir o choro de crianças e o lamento de adultos, exaustos diante do descaso e do caos. Há quem diga que Deus deu as costas para o povo do Haiti. As autoridades do Peru reclamam com o Brasil pela invasão de haitianos em seu território. Culpam o Governo Brasileiro pela sucessão de erros nas fronteiras e por não tomar medidas cautelosas. Os peruanos exigem imediatismo, pois não há como comportar tantos "estrangeiros" em seu reduto. Verdade seja dita: ninguém quer descascar o abacaxi. E a notícia da falta de empregada doméstica no Brasil, caiu como bomba no ego de "patroas" e "dondocas". A suposta escassez de auxiliares do lar causou frisson e debates. A mudança na Economia brasileira vem influenciando, gradativamente, no comportamento de mulheres simples, que descartam a condição de servil. Com isso, cresce a possibilidade de o tiro sair pela culatra. Talvez - e por que não? - seja este o momento de recrutar mulheres haitianas nas fronteiras para trabalharem como domésticas no Brasil. A possível alternativa, a exemplo do que ocorreu nos Estados Unidos, nos tempos áureos, quando brasileiras e demais imigrantes, ganharam a vida como housecleaner ou housekeeper. A drástica realidade aponta para o impasse que se agrava a cada dia, diante de acampamentos às margens dos rios brasileiros, em meio a florestas, habitados pelas personagens mais indesejadas: os refugiados haitianos. E fica uma questão a ser resolvida: quem se arrisca a levar os haitianos para casa? Haverá no nosso Brasil de meu Deus alguém disposto a isso? Uma coisa é certa: nós, brasileiros, não podemos fazer vista grossa ou fechar os olhos diante do perigo iminente.

Walther Alvarenga walther_autor@hotmail.com

São Paulo

*

SORRISO DE BATTISTI É OFENSA AO POVO ITALIANO

 

Alguns jornais da quarta-feira, 25/1, estamparam uma foto do ex-terrorista Cesare Battisti, militante da esquerda italiana, sorrindo. O sorriso obviamente que é um instinto e reação natural de todo e qualquer ser humano  A foto foi tirada em Porto Alegre onde o homicida, condenado em seu país de origem, lança um livro durante o Forum Social Temático que ali se realiza.  No caso de Battisti, no entanto, um sorriso fotografado e publicado na mídia, soará sempre como uma autêntica afronta ao povo italiano. Decisão judicial de um país soberano como o nosso não se discute, mas não há dúvida que os italianos vão protestar sempre pela concessão, em princípio definitiva, de refúgio político a Battisti. A Itália, com toda razão clama por justiça e recorreu à Corte Internacional de Justiça, em Haia, para tentar anular a decisão da Justiça Brasileira e trazê-lo de volta, para o cumprimento da pena. Os italianos permanecem indignados. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu acatar, tempos atrás, por maioria dos votos de seus ministros, a decisão tomada anteriormente pelo Presidente Lula de não extraditar Battisti, sendo-lhe também concedida a liberdade. O direito, a meu ver, é da Itália e das famílias das vítimas do ativista, militante de uma organização comunista, nos anos 70, que pegou em armas para a prática de terrorismo além de assassinar quatro pessoas, sendo condenado a 30 anos de prisão pela Justiça Italiana. Caracteriza-se o Brasil, com tal discutível decisão, perante o cenário mundial, não há dúvida, como um novo 'albergue' de assassinos terroristas, como já se não bastasse ser o país do direito penal mínimo, onde criminosos, cometam o crime que cometerem, são beneficiados por progressões de regime carcerários, redução de penas, visitas íntimas, saídas para visita ao lar ( boa parte não regressa à prisão), razoável alimentação, ociosidade plena no cárcere, etc, etc..., tudo pago pelos impostos de todos nós em nome dos "direitos humanos". Dois pesos e duas medidas com relação ao caso, por exemplo, dos dois lutadores de boxe que durante os Jogos Panamericanos no Rio, em 2007, tentaram fugir da ditadura cubana e foram imediatamente devolvidos ao "companheiro Fidel". Ressalte-se também o caso do argentino Manuel Pincentini, criminoso de direita, envolvido na chamada Operação Condor, no cone sul, extraditado para o seu país de origem para responder pelos crimes cometidos. Ou seja: opositor de esquerda e criminoso de direita extradita-se, terrorista de esquerda concede-se refúgio político. Fica o país, portanto, doravante aberto e receptivo aos terroristas do mundo, inclusive os da Al-Qaeda e das Farc, para que aqui também se refugiem sob o argumento jurídico de crimes conexos a crimes políticos ou em nome do fundamento religioso e de que em seus países de origem serão vítimas de "perseguição". A Itália esclarece inclusive que Battisti, independente dos atos terroristas que cometeu, no caso dos quatro assassinatos foi considerado um criminoso comum, fato que derruba o argumento brasileiro de "perseguição política". A Itália almeja, portanto, o cumprimento de uma decisão soberana de sua Justiça , dentro de um estado de pleno direito, inclusive quando o citado país tinha, paradoxalmente, um governo de centro-esquerda. A pena para o homicida é de 30 anos de prisão pelos quatro homicídios. É isso que a Itália deseja: a extradição e que a sentença seja cumprida e não desconsiderada pelo Brasil. Profundamente lamentável. Tal decisão fere, inegavelmente, direitos humanos das vítimas de Battisti e de seus familiares. Registre-se que naquele país europeu hoje vivem, sem nenhum tipo de perseguição, após cumprirem as penas pelos atos de terrorismo praticados na década de 7O, inúmeros militantes do terror naquele período. Com a palavra as organizações internacionais protetoras de direitos humanos, que sempre permanecem em estranho silêncio quando que lhes convém. Com tanta benevolência, no país da criminologia misericordiosa, Battisti, livre, leve e solto, pode até de se tornar comentarista político. Espaço de mídia certamente não lhe faltará.

Milton Corrêa da Costa milton.correa@globomail.com

Rio de Janeiro

*

MANEIRA PETISTA DE SER

Agora Battisti aparece no Fórum Social Mundial e o PT reclama!

Vivam Lulla, Dilma e seus quejandos e o STF.

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

A MÁSCARA DE CHÁVEZ

A filha caçula do Hugo Chávez de 14 anos apareceu na internet com um punhado de dólares nas mãos e mostrando que, diferentemente do pai, que só vive criticando os Estados Unidos, a garota deve gostar bastante de dólares e de gastá-los a rodo, pois a corrupção na Venezuela com a alta e queda do Petróleo deve ter alimentado um caixão dois do Chávez. Isso é uma pequena mostra da antiga mas celebre mensagem: Façam o que eu digo e nunca o que eu faço,ou seja Chávez é um safado e mostra uma cara de patriota fanático. Que nas próximas eleições caia a máscara, para a coisa ficar ainda mais clara e mostrar o lado escuríssimo desse déspota.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

VALE MAIS

A foto onde se vê a filha do ditador Hugo Chávez segurando um leque de notas de dólar lembra o dito chinês que diz, um quadro vale mil palavras. É o exemplo escancarado de como funciona o socialismo de século 21 na Venezuela imposto pelo autocrata bolivariano. Aos próximos,  fartura, enquanto ao povo, restrições de toda natureza. De Hugo Chávez ao povo, fartura mesmo só a de falta de alimentos, inflação e criminalidade. Difícil acreditar, mas o Brasil o déspota tem vários simpatizantes e seguidores.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

INSIGNIFICANTE

As fotos de uma das filhas do presidente da Venezuela exibindo notas de dólares está sendo colocada na mídia com um destaque que não se justifica. Percebe-se a intenção de provocar críticas ao mesmo, o que já está acontecendo por parte daqueles que fazem oposição a ele. Mas é omitido que ela mora com a mãe, ex-esposa do presidente Chávez e mais, quem tem bom senso não pode dar atenção a um fato tão insignificante. Essa é a forma de desabafo de quem não tem argumentos para criticas construtivas.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

2012 - O DISCURSO DE OBAMA

Embora de cunho político eleitoral, o discurso do presidente Barack Obama revelou um viés de caráter nacionalista que, na minha opinião, será fundamental para a retomada do crescimento da economia dos EUA.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

POLÍTICA

 

Já que o PT não conseguiu enfiar goela abaixo o controle da mídia, tentado várias vezes por Lula, resolveu enquadrar a maior emissora e formadora de opinião do país na cartilha do partidão. Ali Kamel estava incomodando, pois se continuasse a cair ministros corruptos logo não teria mais ninguém em Brasília e mandou colocar um "cumpanhero" no lugar dele, um esquerdista. O nome era Amauri Soares, um grande entusiasta dos petistas. Os petistas já cooptaram a UNE, os sindicatos, a OAB, bancaram a maravilhosa e imparcial Carta Capital e agora a Globo acabou cedendo. Estamos caminhando a passos largos para virarmos uma Venezuela cubana.

 

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

*

FAXINA GLOBAL

José Roberto Wright está fora da Globo, agora só falta mesmo o Galvão para a faxina se tornar global.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

OEA E PRECATÓRIOS

Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) vai julgar o Brasil por desrespeito aos direitos humanos, pelo não pagamento dos precatórios dos Estados Brasileiros a centenas de milhares de pessoas. É obrigação dos Estados respeitar os direitos humanos, é dever também adotar disposições de direito interno e dar garantias judiciais e prazo razoável para processos em um recurso simples, rápido e efetivo. Para aceitar a denúncia, a CIDH alegou que a legislação Brasileira não oferece meios de obrigar o Estado a pagar efetivamente suas dívidas com os cidadãos. A situação brasileira se enquadra em um termo da Convenção Americana que trata  do "relativo" dos recursos de jurisdição interna, inclusive a PEC do Calote aprovado no Congresso Nacional  especialmente os precatórios alimentar.

Severino Neves Batista Filho bat.filho@hotmail.com

São Paulo

*

PRECATÓRIOS - VERGONHA INSTITUCIONAL

A Comissão da Dívida Pública da OAB SP se reuniu segunda-feira (23/1) com o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), Ivan Sartori, para debater o pagamento de precatórios pela Corte. A Ordem entregou documento com pedidos para liberação de créditos a idosos e doentes graves, criação de um Comitê Gestor e pagamento de honorários sucumbenciais a advogados. Quando o cidadão comum deve ao Estado, ele é penalizado e fica impedido de qualquer transação, pois o seu nome acaba no Serasa e ele sofre toda uma série de percalços. Quando o Estado fica devendo ao cidadão, ele pode passar 20,30 ou até 40 anos, e nada lhe acontece! Como diria um jornalista, "isso é uma vergonha!" O não pagamento de precatórios é ilegal e uma vergonha nacional.

Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo

*

JORNAL? DEIXA PARA LÁ...

O Estado de 25/1 publicou a evolução das vendas de jornais no Brasil. Os números comprovam o brasileiro não tem o hábito de ler jornal, ai se comprova os altos índices de aprovação de Dilma Rousseff, CEO (o dono de fato é Lula) de um governo que só produz escândalos de que envolvem milhões e milhões de reais, nos 3 Poderes da República. Na era Lula teve uma mega pilhagem do dinheiro público, o mensalão, agora o butim é setorial cada ministério tem seu esquema particular. Tudo isso está exposto na imprensa escrita todo santo dia, e a maioria não lê e assim Dilma surfa nos 59% de aprovação.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

CENSURA

Domingo passado constava "há 905 dias - por decisão judicial,o Estado está sob censura". Há aqui um grave erro de interpretação. O jornal está assim por falta de decisão judicial. No Brasil quem primeiro não prima pelo cumprimento da lei é a justiça... O retardo na decisão é uma das firmas de manipular a lei (digo formas).

Jose F. Cruz josefcruz2009@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.