Fórum dos Leitores

EDUCAÇÃO

O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2012 | 03h05

Em frangalhos

Dia destes comprei dez doces em padaria conceituada e bem frequentada de São Caetano, funcionários bem apessoados, uniformizados, gentis. Na hora de calcular o valor a ser pago, a atendente voltou-se para um colega e - pasmem! - perguntou-lhe quanto seria o preço dos dez doces. É esse o retrato da educação nos dias atuais, tão bem apresentado no editorial Desastre na educação (9/2, A3), mostrando a prioridade dada à criação de várias universidades (quem não se lembra do ufanismo do ex-presidente ao discorrer sobre o assunto?), com facilidades para acesso aos cursos superiores, em detrimento da educação básica. Ficamo-nos perguntando: como atuarão os futuros engenheiros, médicos, advogados e outros profissionais que dependem, e muito, de uma base sólida para cálculos, muita leitura e entendimento do que é lido?

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

Péssima política

A péssima política para a educação herdada do governo Lula e mantida pelo governo Dilma tem trazido aos jovens brasileiros, dada a qualidade ruim do ensino nas escolas, dificuldade para conseguirem empregos em empresas bem equipadas, que necessitam de pessoal qualificado. Só mesmo na administração pública petista, neste período, elementos sem a mínima capacidade para a função têm acesso a altos cargos. Hoje basta ser sindicalista para ocupar essas elevadas funções públicas. Quem perde é o Brasil.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

INFLAÇÃO

O instituto que calculava

O IBGE informou que o IPCA, cognominado inflação oficial (esta difere radicalmente daquela que o cidadão vê dia a dia), fechou em 0,56% em janeiro, acrescentando: levemente superior a dezembro (0,50%). Por outro lado, informa que a inflação de 2011 fechou em 6,5%, no teto da meta (se fosse 0,01% a mais o Banco Central teria de se explicar). Quanta precisão! O IBGE tem de calcular com muito carinho a inflação, pois é um fator político delicado, por isso, faz o malabarismo numérico para não desagradar à "presidenta". Lembram-se do "efeito Orloff"? Os hermanos já estão praticando a prestidigitação dos números de inflação há muito tempo.

ALBERTO B. C. DE CARVALHO

albcc@ig.com.br

São Paulo

*

Maioridade sem maturidade

Há 18 anos Fernando Henrique Cardoso, ministro da Fazenda do governo Itamar Franco, criou a Unidade Real de Valor (URV), uma moeda escritural de transição que deu origem ao real e liquidou com a inflação no Brasil. A disciplina fiscal, que deu a Lula e a Dilma folga para injetar dinheiro na economia, também começou no governo FHC, com a Lei de Responsabilidade Fiscal. A estabilidade da economia chega à maioridade, mas ainda falta maturidade aos atuais governantes.

CARLOS IUNES

canhoba@bol.com.br

Bauru

*

PETROBRÁS

Cabide petista

O lucro da PeTrobrás caiu. Em contrapartida subiram 49% as despesas com a folha de pagamentos! Se continuar sendo cabide de emprego dos que vestem a camisa do PT nas eleições, vulgo "cabos eleitorais", em poucos anos a PeTrobrás, antiga Petrobrás, nem o pré-sal salva! Se cuidem, investidores...

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO MUNICIPAL

Marta x Kassab

Manchete do Estadão na edição de quinta-feira: Marta rejeita mãos dadas com Kassab. A parte boa é que, até que enfim, alguém do PT tem a coragem de discordar do deus Lula, "o iluminado". A ruim é que o PT já anda de mãos dadas com Sarney, Collor, Renan Calheiros, Romero Jucá, Michel Temer, para ficar só em alguns exemplos. Marta, há um ditado popular que diz: para quem já está no inferno, não custa falar com o diabo. Em matéria de vender a alma ao diabo para se manter no poder, o PT é imbatível! Vade retro!

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

Nada é para sempre

Ao ler a declaração da senadora Marta Suplicy (PT-SP) de que não quer o prefeito Gilberto Kassab no palanque do PT na campanha para a Prefeitura paulistana, veio-me à mente a seguinte indagação: de onde ainda viria tanta rejeição de correligionários petistas a políticos conservadores e de direita? Se for por motivos pessoais, não entro no mérito da questão. Mas se for por questões de incompatibilidade ideológico-partidária, o tempo já mostrou que nada é para sempre. Para quem considera "pesadelo" o acordo com Kassab e não quer "acordar de mãos dadas" com ele, termos usados por Marta, o que dizer, então, de Collor, Sarney...? Mais um não vai fazer tanta diferença assim.

CAMILA TEIXEIRA SOUSA

camilasousaaa@yahoo.com.br

São Carlos

*

Pesadelo

Pesadelo mesmo os paulistanos já sentiram em gestão municipal anterior de dona Marta. Eram pesadelos em que o sujeito vai caindo, caindo e só acorda desse horror quando está pertinho do chão, todo molhado de suor. Queiram ou não, o ex-presidente Lula não deixou que isso acontecesse novamente.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

Planalto contesta

A reportagem Padrinhos atuaram para manter Denucci, publicada na edição de ontem, é leviana. A presidente Dilma Rousseff não teve relações com Tereza Cristina Denucci Martins e nunca pautou as indicações de cargos no governo por relações de amizade. O texto, sem fontes identificadas, assume ilações caluniosas e irresponsáveis que não correspondem as boas práticas do jornalismo e ao histórico do jornal.

THOMAS TRAUMANN, porta-voz da Presidência

thomas.traumann@presidencia.gov.br

Brasília

N. da R. - A leviandade não foi do jornal, que consultou a assessoria da Presidência da República antes de publicar o que apurara com fontes que considera confiáveis. Informada do teor da reportagem, a Presidência disse que não a comentaria, o que o faz somente agora.

*

OBRAS PARADAS

Será que apenas eu vi a candidata Dilma Rousseff em propaganda política prometendo aplicar em ferrovias, hidrovias, etc. para levar ao mais longínquo município o desenvolvimento? Agora, um ano após sua posse, com verbas estrondosamente cortadas da malfadada Ferrovia Transnordestina, a presidente, em visita às obras paradas, sai com suas perolas e desculpas esfarrapadas adquiridas do seu “mestre” nos três anos de propaganda eleitoral antecipada! Engraçado. Ela se elegeu pela força do povo nordestino e começa cortando verba justamente no Norte/Nordeste, que em recente pesquisa mostrou estar 30 anos atrasado com relação ao Sul/Sudeste... São justamente eles que votam naqueles que mais boicotam seu desenvolvimento e os deixam 30 anos atrás dos Estados mais desenvolvidos da Nação. Povo cego é povo feliz, fazer o quê?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ZELO DE MÃE

Só após nove anos a "mãe do PAC" percebeu que, exceto os natimortos, os outros filhos estão todos raquíticos.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ESQUECIMENTO

O problema não está apenas na memória curta do brasileiro. É que é tanta crise, tanto escândalo, tanta sem-vergonhice, que não dá para ficar lembrando de tudo. É um assunto escabroso após o outro, ocupando as manchetes dos jornais e as conversas entre as pessoas, que quando chega uma nova, a anterior fica para um plano inferior, até cair no esquecimento. Quem, por exemplo, com o atual problema das greves de policiais na Bahia e no Rio de Janeiro, estaria preocupado com o enriquecimento do ministro Pimentel com as suas consultorias fantasmas? Ou com os desvios de dinheiro em seu ministério para favorecimento ao seu filho, do ministro Bezerra? Casos graves como esses, já caíram no esquecimento.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

GOVERNO DILMA

É isso que dá ficarem inaugurando pedra fundamental, placas, prédios inacabados como os das universidades federais, escolas sem professores, navio que não navega, etc. Quando dá vontade de “mostrar serviço”, tem de se contentar com “chapéu de couro”, sorriso amarelo e desculpa esfarrapada.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

AGORA VAI!

Não é ser do contra de maneira gratuita, pois podemos ser injustos com que não merece. Mas a presidente Dilma escorregou, e feio. Depois de 9 anos do petismo, somente agora as coisas (obras) serão acompanhadas? Com um ministério deste tamanho? É de ficar boquiaberto. Isso é muita incompetência, e o pior, o prejuízo é do Tesouro. Que barbaridade.

 

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

O DESMONTE DOS PALANQUES

Projetos técnicos, licitações, outorgas, negociações, maracutaias, alocações de numerário (aqui no sentido de separar empiricamente), cronogramas de obras e de pagamentos, projeções de entregas das tais obras e seus inícios...  É bem aqui, nesta hora "H", que se descobre a inexistência da verba que estava só no... papel! Arrumar algum dinheirinho para dizer que tiveram início as grandes obras geridas pela mãe, avó e bisavó do PAC, é mais ou menos fácil; afinal recolhemos, todos, aos cofres públicos durante o ano recém-findo, cerca de três trilhões e quinhentos bilhões de reais, a título de impostos conhecidos pelos mais diversos "codinomes".  É zero que não acaba mais! Desta forma, por alguns meses e alguns dias, as obras seguem celeremente, mas, finalmente, param! Cadê o resto da bufunfa, hein? Isso mesmo. Assim é o governo Dilma/Lula (ou Lula/Dilma – c’est tout la même chose): o maior conto do vigário que este país, desde os tempos da Ilha de Vera Cruz, já viu.  Se preferem os leitores, estamos vivendo o maior passa-moleque que o Brasil está tendo que enfrentar estoicamente. Este governo é totalmente composto por uma turba de malandros que a "gerentona" não ousa desmontar.  Ela não é louca! Não é verdade? Mas, tenham a certeza, não perdem por esperar!

 

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

ABANDONO

Prestes a visitar o canteiro de obras da Transnordestina, a presidente Dilma anunciava checar online as obras do PAC, visando a acompanhar detalhadamente cada contrato. Esse propósito já fora manifestado no governo Lula. Ironicamente, horas antes o palanque foi desmontado e a visita, cancelada. Seguramente, o que ela iria lá encontrar não era o anunciado. A primeira lição de casa já começa errada. A propósito, a imprensa já havia relatado também obras do canal de transposição do Rio São Francisco abandonadas.

Paulo Vaz de Lima avacanoeiro@hotmail.com

Limeira

*

OBRAS PÚBLICAS E BAJULAÇÃO

Durante uma viagem profissional pela Zona da Mata Sul de Pernambuco, quando tive de utilizar a BR-101, em um dos seus trechos duplicados, deslocando-me da cidade de Palmares para o Recife, tive o desprazer de constatar que aquele segmento da BR recebeu o nome de Rodovia Gov. Mário Covas, conforme está devidamente comprovado nas fotos anexas. Isso é um despropósito! Apesar de não ter nada contra Mário Covas (aliás, muito pelo contrário), considero uma tremenda “babaquice” ter batizado um trecho da BR que passa pelo estado de Pernambuco com o nome do político paulista, que deveria ter recebido tal homenagem no estado em que desenvolveu toda a sua carreira política. Será possível que os aloprados que escolheram o nome para batizar a rodovia que faz a ligação do Recife com Palmares não tinham um pernambucano ilustre que fosse merecedor de tal honraria? (quem sabe não fosse essa a oportunidade de homenagear condignamente o poeta Ascenso Ferreira, nascido em Palmares e autor de obras que dignificaram a região, a exemplo do poema Trem de Alagoas, popularmente conhecido como Vou Danado pra Catende...). A escolha do nome de Mário Covas para “batizar” uma rodovia em Pernambuco é a mais clara concretização daquilo que o sertanejo, recorrendo a sua tradicional sabedoria e esperteza, costuma classificar como “idéia de jerico”. Lanço um desafio! Faça-se uma pesquisa, sem “mutretagens”, na região de abrangência da rodovia e será comprovado que, para a enorme maioria dos pernambucanos pesquisados, Mario Covas não passará de um “ilustre desconhecido”.

 

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

CARNAVAL E SEGURANÇA PÚBLICA

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, garante que haverá carnaval tanto no Rio de Janeiro como na Bahia, se os policiais estiverem em greve, pois colocará o Exército e a Força Nacional para garantir a folia. Afinal, para que foi criado o glorioso Exército Brasileiro, para garantir a soberania da Pátria ou das Escolas de Samba? Ou a máxima do Sr. ministro é aquela "quem não gosta de samba bom sujeito não é"? E o cidadão que não gosta do carnaval estará protegido de eventuais atos praticados por marginais? A segurança nacional está em jogo, pois sabemos que nossas fronteiras estão desprotegidas, por onde entram e saem a qualquer hora traficantes, as Farcs, os pistoleiros de aluguel e tantos outros delinquentes internacionais e nacionais. Enquanto isso, as fronteiras entre as escolas de sambas no Rio de Janeiro e os trios elétricos na Bahia estarão a salvo. Que tal após os desfiles o outrora glorioso Exército Brasileiro desfilar na Marquês de Sapucaí e também no Farol da Barra? Aí seria a apoteose da desonra dos soldados do nosso Exército. Exército brasileiro, guardião da Pátria na Constituição, e, para o governo do PT, apenas uma abre-alas da insegurança que está o nosso Brasil.

Walter Francisco Barros walterfbarros@yahoo.com.br

Araçatuba

*

LETARGIA DA OPOSIÇÃO

Até quando a oposição vai ficar cochilando, em vez de denunciar os desmandos dos políticos e do PT e se preparar para as próximas eleições? Acorde, PSDB! Acorde, DEM!

Roberto Romanelli rjromanelli@ibest.com.br

São Paulo

*

MINISTÉRIO DA VERDADE

“Se o Partido tem o poder de agarrar o passado e dizer que este ou aquele acontecimento nunca se verificou, então a mentira se transformava em história, em verdade”. George Orwell, 1984 – revisitado, na oportunidade em que as conquistas realizadas no mandato de FHC – Plano Real, Lei de Responsabilidade Fiscal, privatizações – não foram defendidas quando deveriam ter sido, foram vaporizadas e os camaradas reescreveram a história, tomando para si a paternidade das realizações. Crer e perseverar não é o forte dos partidos de oposição.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

SUSPEITAS

Os ministros do Turismo, Esporte e Trabalho, caíram porque os repasses de verbas de seus ministérios às ONGs sem fins lucrativos apresentaram desvios. Depois das quedas, o governo fez uma malha fina em todos os convênios de ONGs com a União e descobriu que 305 deles, que custaram R$ 755 milhões, estão sob suspeita.  Pergunta-se: quantos convênios não estão sob suspeita, e quais os ministros que consequentemente estão sob suspeita?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O PT E O CALA-BOCA

E lá vem o PT querendo democratizar a mídia (calar a boca de quem mostra a verdade). Outra vez. Claro, vamos esconder a incoPTência que salta aos olhos. O PT só mostra que é bom em fazer barulho, em cuidar dos seus... O povo, ora, o povo que se dane! Eu prezo a minha liberdade mais do que tudo. Já morei num país governado por um ditador há uns anos e não quero ninguém me dizendo o que ler, ver, ouvir, me proibindo de ir e vir nunca mais. Onde estão aqueles que deveriam defender nossa liberdade? O Brasil é um país maravilhoso, com um povo cordial, trabalhador. Merecemos coisa melhor!

Helena Majuri majuri.helena@gmail.com

São Paulo

*

MÁ-FÉ

“Democratização dos meios de comunicação", como quer o PT, é pura falácia. Os meios de comunicação no País já são reconhecidamente democráticos. Prova: Seis ministros do governo Dilma foram afastados por envolvimento em desmandos e má conduta, graças a colaboração da imprensa livre. Qualquer outra iniciativa que pretenda impor novas regras à democrática imprensa do Brasil, somente poder ser cunhada de má-fé.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

CENSURA

Mediante a volta do PT defendendo o controle da mídia, está praticamente esclarecido o motivo da manutenção da censura imposta ao Estadão pelo clã Sarney não ter sido julgada até hoje. A Justiça só está aguardando a determinação final do governo para que não se fale mais nisso e, desta forma, se confirme a penalização.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ROMÁRIO E O TRABALHO NA CÂMARA

Em relação às declarações explícitas de inércia e inoperância por parte de seus colegas em Brasília, feitas pelo deputado Romário, podemos concluir que o "baixinho", se não for um exímio parlamentar até o fim de seu mandato, ao menos não teme por represálias. Romário, ao contrário do que muitos pensavam, não se acomodou com o salário e "sumiu" após as eleições. Se existe um jogo de cena ou interesses escusos em suas manifestações e atitudes até aqui, pouco interessa, e estão ficando em segundo plano neste momento. O que importa a nós, brasileiros, é o escancaramento da podridão, do mau uso do dinheiro público e as ações ilícitas que imperam nos porões de Brasília. Afinal, as declarações feitas por Romário chamam, e muito, a atenção da opinião pública e da grande massa da sociedade brasileira.

Filipe Luiz Ribeiro filipelrsousa@yahoo.com.br

São Carlos

*

MARCHA LENTA

Em Brasília (DF), nossos políticos andam tão devagar que até o deputado Romário reclama da falta de trabalho.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

O CASAL SUPLICANTE DO SENADO

 

Paulistanos natos ou vindos do norte e nordeste, mesmo que sejam de famílias petistas, é chegada a hora de eliminar de vez esse casal inoperante que onera nossa folha de pagamento mensalmente e nada faz de importante para São Paulo ou para o Brasil. O Eduardo tenta ludibriar a todos mentindo e acusando a PM Paulista no caso de São José dos Campos. A Marta, melhor não saber por onde ela anda, pois quando aparece só fala e faz besteirol e não há nada que se aproveite. Por que os dois não se manifestam na defesa dos "humanos" da Bahia? Será que nós, eleitores da maior cidade brasileira, teremos a infelicidade de vê-los reeleitos?  Para mim, será mais uma vez decepcionante...

 

José Alberto de Paiva alpai12@yahoo.com.br

São Paulo

*

PALHAÇOS E PALHAÇOS

É duro pagarmos uma fortuna em salários e benesses para Eduardo Suplicy, que nada faz por São Paulo, a não ser matar os paulistas de vergonha! Entre Eduardo Suplicy e Tiririca, acreditem, Tiririca revela-se o mais sério. Suplicy tenta ser engraçado em um cargo em que a graça cai muito mal. 

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

PRIVATIZAÇÃO

Olha como cabe aquela frase: nada se cria, tudo se cópia. Mas o PT pode! O ex-presidente Lula repudiava as privatizações. Lembro-me quando o governo Fernando Collor deu início à privatização no Brasil do setor automobilístico, quando o mesmo classificou os automóveis na época como carroças e o PT foi contra privatizar. Mas todo grupinho petista hoje tem carro importado. Durante todo mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso, o PT não suportava a ideia da privatização. Mas hoje, maioria da população brasileira tem um telefone em casa, e o setor de comunicação cresceu tremendamente, constatando eficiência a população hoje tem internet, TV a cabo, celular e outros. O PT, nos oito anos de governo Lula, continuou a ignora as privatizações e a presidente Dilma, na época ministra, era conivente com as decisões do partido PT. Mas no ano passado ela pensando na Copa do Mundo e Olimpíada, privatizou o aeroporto de Natal. Agora vejo que o PT não acha tão ruim privatizar. Taí a prova, com mais três aeroportos privatizados. Embora precise melhorar muito o setor aeroportuário e modernizar vários outros setores na área de transporte, o Brasil deslancha e o PT leva os créditos dos projetos de campanha dos partidos adversários que eram tão criticados nos debates eleitorais.

Márcia Callado marciacallado@bol.com.br

São Paulo

*

PRIVATARIA

Cinicamente, o PT, que tanto criticava as privatizações do ‘partido adversário’, acaba de privatizar os aeroportos de Cumbica, Brasília e Viracopos. A indecência começa aí.  A avaliação que foi de R$ 5,5 bilhões agora acaba se transformando em R$ 24,5 bilhões, devido principalmente à propina, que vai rolar solta. Só que o descalabro continua. Do total de R$ 24,5 bilhões, R$ 19,5 bilhões sairão do bolso do contribuinte, via BNDES, com ridículos jurinhos de 5% ao ano e miríades de meses para pagar. E o cúmulo dos cúmulos, essa diferençazinha de R$ 19 bilhões vai ser descontada nos impostos devidos pelos arrematantes.

 

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

*

ESCANCARADO

E o PT finalmente não mais esconde; escancarou ter aderido às privatizações que tanto demonizaram nos governos anteriores, embora já façam isso de forma velada em vários setores, inclusive na Petrobrás. Bateram no FHC, no Alckmin, no Serra durante as campanhas eleitorais, alegando que se eleitos entregariam o Brasil à iniciativa privada. Chamaram as privatizações de "privataria"! Mas com eles no poder os fatos sempre se invertem e entra em cena o costumeiro "como nunca antes na história desse país". Os métodos já são tão previsíveis que até o mais humilde e desinformado cidadão é capaz de captar. E com razão estão satisfeitos com o resultado das privatizações dos aeroportos. Concluíram aquilo que para qualquer ser humano de inteligência normal é óbvio: a transferência de gestão de importantes serviços públicos garantem não só a melhoria dos mesmos como disponibiliza muito mais recursos para as coisas essenciais, como Educação, Saúde, Saneamento, Habitação, Segurança e finalmente Infraestrutura, sem o que o país será incapaz de levar a cabo um desenvolvimento verdadeiro e sustentável. Agora é esperar vangloriarem-se ad nauseam. Depois do ovo em pé tudo fica mais fácil, sobretudo quando não há protestos e quebra-quebra. Eita, PT que não se emenda! É tanta incoerência para conviver que não se sabe como dão conta. A greve na Bahia e seus desdobramentos é que o diga!

 

Eliana França Leme efleme@gmail.com

Campinas

*

PRIVATARIA PETISTA

A quem os petistas pensam que ainda enganam com essa conversa para "boi dormir" de "concessão". Se não fosse o radicalismo míope dos dirigentes petistas, entre eles Lula da Silva, hoje o Brasil não estaria passando pelo sufoco que está com todos seus aeroportos sucateados e ineficientes faltando dois anos para sediar a copa do mundo de futebol. Alvo de críticas petista durante a gestão de FHC e munição contra os candidatos tucanos nas campanhas de Dilma Rousseff e a reeleição de Luiz Inácio da Silva, as privatizações estão de volta á agenda econômica brasileira – para o bem, ou para o mal. Após oito anos de esquecimento – Lula no máximo, concedeu algumas rodovias federais - o governo retomou a parceria com a iniciativa privado, e os resultados parecem satisfatórios. A união garantiu R$ 24,5 bilhões de arrecadação pelos próximos 30 anos, mas a fatia variável da receita bruta de cada aeroporto pelo mesmo período. Paralelamente, livrou-se do vexame de receber com obras incompletas os turistas que virão ao Brasil para a copa do mundo de 2014. Toda a cúpula tucana não deve estar achando tudo isso nada engraçado. O difícil é ter de explicar ao eleitor como o partido que chegou ao poder criticando, intransigentemente, as privatizações feitas por seu antecessor agora lança mão do mecanismo para garantir investimentos em infraestrutura – um modelo á lá PT, apelidado de "concessão", para os menos informados, é bom que se diga, já que a Infraero estranhamente permanecerá com 49% do controle dos três aeroportos privatizados, (Guarulhos, Campinas e Brasília). O que aconteceu foi muito importante, um marco do ponto de vista econômico e político, porque vinha tendo um debate ideológico e raivoso, sem muita argumentação pela questão das privatizações feitas no governo de FHC. Quando o governo Dilma Rousseff inaugurou um processo claro de privatização, sem eufemismo, sem semântica, com a simbologia de bater o martelo, mostra que inicia uma fase diferente, em que podemos ter bom senso na discussão. Parafraseando, de qualquer forma, não foi só Fernando Henrique Cardoso que esqueceu o que "escreveu". Muitos petistas vivem hoje um verdadeiro estado de amnésia esquecendo tudo o que pregavam no passado não muito distante. Esse parece ser um problema de todo político brasileiro quando chega ao poder.

 

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

UNIÃO EUROPEIA – CRISE

Os que emprestaram dinheiro a rodo para a Grécia e para Portugal deveriam ter sido mais cautelosos, fiscalizando-os melhor. Demoraram demais para perceber que a gastança estava institucionalizada. Como se diz lá em Minas, não se deve servir ração demais para porcos magros, com o risco de empanziná-los.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

POBREZA NA EUROPA

Estudos revelam que a pobreza afetou 1 em cada 4 europeus em 2010. 25% da população europeia, ou 115 milhões de pessoas, foram afetadas diretamente pela pobreza devido á crise econômica de 2008. É mais um exemplo do estrago provocado pelos donos da banca, que comandam o sistema financeiro internacional, empobrecendo a população e os países europeus e prejudicando a vida de centenas de milhões de pessoas na Europa e no mundo todo. Uma pequena minoria fica cada vez mais rica, graças á pobreza e exclusão de milhões de pessoas. Antes próspera e desenvolvida, a hoje decadente Europa vê um quarto de sua população afetada pela pobreza, crise, desemprego e falta de perspectivas.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

TENTATIVA DE CENSURA

Você pensam que os dinossauros foram extintos? Está totalmente enganado. A Advocacia Geral da União (AGU) está cheia deles. Acredite, acabam de entra com uma ação na Justiça Federal de Goiás, pedindo o bloqueio de perfis do Twitter usado para alertar motoristas sobre horário e locais das blitz de trânsito. A modernidade passa longe na republiqueta bananal.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

INCENTIVO À MORTE

A morte anual de trânsito no Brasil é macabra. São 55 mil mortes anuais, parte significativa delas está associada ao consumo de bebida alcoólica! Sem contar as pessoas que sofrem sequelas deixando de ter uma vida produtiva precoce. Por isso deveria de proibir a propaganda de bebidas alcoólicas em todo meio de comunicação, pois é um incentivo à morte.

 

Paulo Dias Neme profpauloneme@terra.com.br

São Paulo

*

CEPAM

Excelente a notícia sobre a construção do Centro Educacional Paulista de Motociclistas (8/2, C8), num convênio entre a Prefeitura de São Paulo, a Abraciclo e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O número crescente de acidentados e vítimas fatais revela a urgência de se empreender uma ação educativa e preventiva que tenha como meta diferenciar motos de mortos! Já não é sem tempo!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

RODOVIA DOS BANDEIRANTES

Quando será que as nossa autoridades irão concluir o traçado todo da Rodovia dos Bandeirantes, que era no início para chegar até Ribeirão Preto/SP, e até hoje, só chega em Cordeirópolis/SP? A Via Anhanguera não suporta mais o trânsito que tem, e não adianta fazer em alguns trechos 3ª via, ela está cheia no seu total, e se a Bandeirantes chegasse no seu final em Ribeirão Preto/SP, facilitaria a vida de milhares de pessoas que viajam por estas rodovias todos os dias.

José Claudio Canato jccanato@yahoo.com.br

São Paulo

*

IPTU INDEXADO

Mais lamentável do que o aumento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) na cidade de São Paulo (o IPTU de 2011 de nossa residência no bairro City Pinheiros sofreu 62% de acréscimo sobre seu valor de 2009!), é a justificativa para aumento proporcionalmente maior nas regiões ditas nobres que, segundo o Prefeito, foram beneficiadas ao longo dos últimos anos. O que observamos de fato, especialmente nestas regiões, é uma degradação contínua, promovida pelas diversas administrações, incluindo esta, que desrespeitam as leis de zoneamento e ignoram reclamações dos moradores. Faz-se "vistas grossas" ao uso irregular destas "áreas nobres" ao permitir a CET desviar o tráfego de veículos para o seu interior, acompanhado de caminhões, vans de serviços, ônibus fretados, micro-ônibus da EMTU e etc.; ao permitir a ação dos valets, que se utilizam das ruas públicas de zonas residenciais para fins estritamente comerciais. A prefeitura não faz cumprir nem as leis e decretos (50.566/2009, que regulamenta os valets) assinados pelo próprio Prefeito! Parece que a palavra vale muito pouco, não é Sr. Prefeito? Então, como e por que acreditar que o acréscimo no IPTU "social" irá mesmo beneficiar a população menos favorecida? Parece óbvio, mas sempre vale como sugestão: Que tal primeiro ganhar um pouco de confiança de toda a população desta cidade? Não crie mais discórdias. Não faça como os outros.

Domingos H. U. Marchetti marchett@if.usp.br

São Paulo

*

INUNDAÇÕES EM SÃO PAULO

As inundações em São Paulo podem até demorar, tardar, mas não falham. As nossas inundações, de cada ano, às vezes nos enganam dando a impressão que não virá e que o governo de São Paulo e do Município estejam fazendo obras certas para acabar com esse sofrimento dos paulistanos. Ledo engano! Já faz mais de 50 anos que essas mesmas promessas e obras vêm consumindo as economias do estado e ainda estamos precisando de muitos barquinhos e triplicação dos bombeiros para atender a demanda feroz imposta pelas inundações. São Paulo tem solução para acabar com esse martírio de todos os anos. Precisamos que façam um projeto definitivo e viável para por fim nas enchentes. Engenheiros técnicos e especialistas nesse serviço afirmam que São Paulo é mil vezes mais fácil para resolver do foi feito na cidade de Tóquio, nível do Mar. E São Paulo, além de Estar a 750 metros acima do nível do mar, está rente com a serra do mar, tudo facilitando por uma solução. Só nos falta é uma forte cobrança dos paulistas ao governo do Estado. Sem essa posição popular, continuaremos na mesma.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

LAUDO

Mais uma do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Após o absurdo da Lei das Calçadas, agora esta de Laudo Técnico de prédios de mais de 500 metros quadrados, de cinco em cinco anos. Para os milhares de prédios de uma cidade como São Paulo, haja engenheiros!  Ou mais multas a engrossarem os cofres da Prefeitura, que não se peja em doar um valioso terreno para uma obra do PT. Os vetos anteriores, da Câmara e mesmo do próprio prefeito, demonstraram o seu absurdo! O acidente no Rio de Janeiro deveu-se a obras irregulares, e não ao estado de conservação do edifício.

José Erlichman joserlichman@gmail.com

São Paulo

*

DESCASO NA GESTÃO

É improdutiva a atitude do prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab, de doar um valioso terreno no centro da cidade para a construção de um memorial da democracia, a cargo do Instituto Lula. Diversas instituições que cuidam da saúde e da educação do povo sobrevivem sem auxílio governamental, enquanto a administração pública municipal busca investir em uma obra que não proporcionará nenhum benefício para as reais necessidades da população. O descaso da administração e a passividade dos munícipes são preocupantes.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

UMA VERGONHA

Felizmente não moro em São Paulo, sou do interior, mas fico indignado com a atitude do prefeito Kassab em doar o terreno da cracolândia ao ex-presidente Lula. Ali deveria construir um grande centro de tratamento aos dependentes químicos, e não para um único dependente. Plagiando o Boris: isso é uma vergonha.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim 

*

ERROS E ACERTOS

O Sr. Kassab, com seus antecessores no cargo, tem alterado erros e acertos em suas decisões. Creio que sua maior falha, uma vez que já administrava a cidade, foi prometer metas que mostraram inexequíveis. Surpreenda-me a viabilização de sua criação, o PSD, em âmbito nacional, bem na tradição mineira de fazer política, e seria lamentável atrelá-la ao PT, e a seu candidato para São Paulo. Recordamos que o PL, que poderia se tornar opção inteligente, desabou ao se ligar ao falecido Sr. Quércia. Acho a criação de "memoriais" de pessoas vivas, que só os enaltecem, um absurdo.

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

TUDO PELAS ALIANÇAS

Sr. Gilberto Kassab pode se filiar até ao capeta. Mas a população paulistana dará sua resposta nas urnas! Senhores vereadores da cidade de São Paulo, a população esta esperando resposta contra o absurdo cometido pelo prefeito Kassab! Manda ele fazer doação utilizando o imóvel dele.

Márcia Callado marciacallado@bol.com.br

São Paulo

*

SINERGIA

Ninguém entendeu a sutileza desse prefeito Gilberto Kassab.  Instituto Lula na 'Cracolândia': paisagem interativa?

Moacyr Castro jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

O PÚBLICO E O PRIVADO

É preciso passar urgentemente ao prefeito Kassab a informação importantíssima para um político, que o bem publico não está disponível como se fosse um bem privado. Apesar de ser homem público, só pode dispor, para suas necessidades pessoais, de bens privados.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

DOAÇÃO

Será que ex-ministro da Educação o sr. Fernando Haddad acredita no Papai Noel, no coelhinho, em duendes, etc.? Que a doação do terreno não vai ter alguém para pagar a conta?

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

ADORAÇÃO

Criar um Memorial da Democracia para homenagear Lula é o mesmo que criar um Memorial da Paz para homenagear Bin Laden.

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br

São Paulo

*

SACOLAS PLÁSTICAS

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) informou que, com o não fornecimento das sacolas plásticas terão uma economia de R$ 190 milhões, mas não disseram qual será a receita que terão com a venda das mesmas sacolas plásticas, cujo custo unitário é de R$ 0,03 (três centavos) e que serão vendidas por R$ 0,20 (vinte centavos), com essa medida as sacolas plásticas deixarão de poluir o meio ambiente, dos donos de supermercados que poderão contribuir com valor maior para as campanhas eleitorais. É assim que funciona o nosso país... Que virou um pandemônio. Assunto resolvido e encerrado, fim de papo! 

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

 

*

ESTRANHO

É de estranhar que o Ministério Público, única instituição pública nacional que, nos dias de hoje, briga pela sociedade, não haja assumido a defesa dos seus interesses, neste momento em que ela é vítima do conluio entre supermercadistas e Prefeitura, para, pura e simplesmente, abolir a sacola plástica que embalava suas compras. Jogar as mercadorias compradas nas suas gôndolas e pagas nos seus checkouts, no colo dos seus indefesos clientes, mandando-lhes simplesmente “se virar”, é uma das formas mais vis de tripudiar sobre os direitos mais elementares de um povo. Esta atitude é mais chocante porque é, notoriamente, apoiada pelo Prefeito que tanto necessita de doações generosas para sustentar o partido político que acaba de fundar. As campanhas políticas são caríssimas e os candidatos estão aí mesmo esperando recursos que financiem as suas aventuras. Não se aceitam os pífios argumentos de que as sacolas são as algozes do planeta, pois, se quisessem salvar a Terra, substituíam-nas pelas antigas embalagens de papel,  estas sim, recicláveis. O que os supermercadistas estão de olho, a meu ver, é no lucro extra de bilhões anuais que esta operação lhes renderá. Isto porque os saquinhos que hoje se sonegam já são pagos pelo cliente, pois os mesmos constituem custo da mercadoria vendida e é em cima do custo final que é calculado o lucro do comerciante. Sempre foi assim. Pagar novamente embalagem é o melhor dos mundos para ele.

Osmar Araújo osmararaujo@zipmail.com.br

São Paulo

*

PSEUDOSUSTENTABILIDADE

As sacolas plásticas não podem ser as vilãs que agridem o planeta. O que dizer da maioria dos senadores deste país que já passou dos 80 anos que depredou o País e nem assim o planeta Brasil foi atingido? Um belo exemplo de que a “pseudosustentabilidade” apenas visa ao lucro dos grandes empresários. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

MENTIRAS, PODER E SACOLAS PLÁSTICAS

 

Novamente o atual prefeito de São Paulo quer obrigar o povo paulistano a fazer o que ele não quer fazer, sem nunca jamais tê-lo ouvido a respeito.  Como fez, faz e tenta fazer enganosamente em tantas outras questões de interesse do povo. Pensando errado achou e acreditou sozinho, que age bem ao obrigar o comercio a acabar com a distribuição gratuita de sacolas plásticas feitas pelo comércio da cidade aos paulistanos. Alegando que procura contribuir para a diminuição  da poluição ambiental e, com isso espera receber destaque e aparecer na foto com  bom moço, como o fez com a obrigatoriedade da inspeção de veículos, a qual mostra-se do modo que é feita como ineficaz para o ambiente e, prejudicial aos paulistanos por onerar-lhe ainda mais, com desnecessárias despesas. Ocorre que mais uma vez e sempre pensa e age errado. O que com certeza fará é que pessoas que já tem seu poder aquisitivo diminuído pela manipulação oficial da inflação, gastar ainda mais, tendo elas que comprar suas sacolas plásticas, ou similares mais caras e incômodas, ou ter que carregar suas compras na mão, sem qualquer proteção ou apoio. Uma vez que seus sacos plásticos de lixo chegarão da mesma maneira em embalagens plásticas, recebidas por um mesmo caminhão que amassando e comprimindo tudo, junta todo tipo de plástico a outras substancias. Plásticos estes que continuarão indo para mesmo tipo de lixão  e a poluição ambiental continuará a ser a mesma. Com uma única diferença as pessoas estarão pagando mais caro pelas embalagens plásticas e, os hipócritas sorrirão satisfeitos enganosamente tentando mostrar a todos: Olha o que eu fiz pela natureza. Em vez disso o que deveria ter feito é dar incentivos para que todo o comércio distribuísse sacolas plásticas de várias cores e, as pessoas saberiam que em cada sacola deveriam colocar um tipo diferente de lixo. Para isso os caminhões da coleta de lixo e os lixões também seriam seletivos, recebendo cada tipo de lixo, por exemplo: as sacolas verdes iriam para um lixão de vidros, as  sacolas  amarelas para plásticos, as sacolas azuis  para latas, metais, celulares, pilhas, baterias, as sacolas vermelhas  para papéis, papelões e assemelhados, as sacolas pretas  para lixo orgânico, restos de alimentos e afins, etc.

Walter Lopes Filho walofi@terra.com.br

São Paulo

*

SACOLINHAS E POLÊMICAS

Sobre o fim da distribuição de sacolinhas plásticas em São Paulo, nós consumidores novamente vamos "pagar" a conta. Os Supermercados com o pretexto de Amigos do Meio-Ambiente deixam de fornecer sacolinhas, cortam custos e engordam seus lucros. Evidente que o consumidor vai substituir as sacolinhas por sacos plásticos e haverá somente migração de consumo na qual, o consumidor vai arcar com os custos dos sacos de lixo. Ao invés de educar a população para a prática dos 3 Rs (reutilizar, reciclar e reduzir), os grandes supermercados agem de forma unilateral sem a participação e discussão da sociedade. Veremos o aumento do uso de caixas de papelão, sacolas de papel e outros. Além dos contratempos o consumidor terá que se preocupar com a contaminação no transporte de suas compras, visto que, produtos de limpeza e verduras podem concorrer em espaços nas sacolas retornáveis, um completo absurdo. Enfim os supermercados e os empresários com o apoio da Apas procuram uma imagem de Amigos do Meio-Ambiente sem qualquer investimento e ou conscientização ambiental. Pagamos o preço!

Cyro Galaso cyrogalaso@hotmail.com

São Paulo

*

INTERESSES

 

Essa "lei" foi aprovada por interesse econômico dos supermercados, e não ambiental. Estima-se que a economia das redes será de R$ 500 milhões. Os supermercados vão repassar essa economia para os clientes? Eu duvido. Perdoem-me os ambientalistas, mas essa é minha opinião.

 

Pascoal Di Nardo Neto netonardo@hotmail.com

São Manuel

*

SEM ALTERNATIVAS

De tanto insistir, eles venceram. Os supermercados não mais fornecem sacolas de plástico, apoiados na ecologia e amparados por nossas autoridades, sem que para isso ofereçam qualquer alternativa ou exista lei normativa a respeito. Há muito as padarias fornecem sacolas de plástico biodegradáveis e também seria o caso de indagar se pneus, móveis velhos, embalagens e garrafas de plástico, etc.,etc. não poluem. O resumo de todo o movimento é que os supermercados vão economizar milhões, e a despesa com sacolas já está embutido no custo dos produtos, além de lucrar na venda das sacolas biodegradáveis. Um escândalo, uma vergonha!

Zulney W. Andreatta zulneywa@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.