Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2012 | 03h05

Círculo vicioso

Altamente preocupante a manchete Infraestrutura precária eleva custo logístico em R$ 17 bi para indústria (20/2, B1). O brasileiro paga impostos dos mais altos do mundo, quase 38% do PIB, e muito desse dinheiro se perde pela ineficiência e corrupção dos órgãos públicos supostamente responsáveis por sua aplicação. Assim, pouco sobra para investimento em estradas, portos, ferrovias, hidrovias, etc., ficando o transporte e escoamento da produção nacional em estado progressivamente lastimável de abandono. Nesse conjunto, só as estradas privatizadas se salvam. Assim o Brasil perde em todos os sentidos. Os que trabalham e produzem são sobrecarregados por alta carga tributária. Nossos produtos ficam mais caros e não conseguem competir com os importados. As indústrias brasileiras se encolhem ou vão à falência, reduzindo empregos. E o governo, para atender à massa crescente de desempregados da indústria, terá de aumentar impostos e reforçar os programas sociais. Ou seja, estamos enfrentando um círculo vicioso dos mais sérios, que só poderá ser rompido se houver mais honestidade, eficiência e bom gerenciamento do dinheiro público. A corrupção, o corporativismo, o nepotismo e o apadrinhamento políticos são como as saúvas da história: ou acabamos com elas ou elas acabarão com o Brasil. Algo terá de ser feito, o Brasil em que viverão nossos filhos e netos não pode esperar!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Logística e corrupção

Não é nenhuma novidade a logística brasileira custar R$ 17 bilhões/ano a mais por falta de infraestrutura. O empacado PAC, que deveria acompanhar o desenvolvimento do País, parou por causa da corrupção. Se o Ministério Público investigasse todos os departamentos e ministérios, a perda constatada seria muito maior. Há anos o Brasil forte, trabalhador, cumpridor de seus deveres cívicos, moderno e eficiente tem sentido na pele o que é crescer arrastando esse governo obeso mórbido, corrupto e sem gestão. Nem precisamos fazer contas, basta olhar nossos vizinhos latino-americanos, que atolados na mesma crise internacional vêm crescendo sistematicamente mais do que o Brasil. Mas com certeza eles não têm a maciça propaganda do governo brasileiro para enganar os trouxas como "nunca antes neste país"! Quem acham que paga a conta desses prejuízos?

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Pecado estrutural

A matéria do Estadão de ontem que aborda, de forma oportuna, a precária infraestrutura do País - as péssimas condições de estradas, portos, aeroportos e ferrovias -, que vem impondo à nossa economia um prejuízo anual de R$ 17 bilhões, conforme estudo da Fiesp, é a triste realidade e uma das razões por que é difícil exportar e competir com países mais bem estruturados. Certo que outros fatores, como baixo nível de educação, juros altos, excesso de burocracia, etc., também pesam muito no custo Brasil. Sugiro acrescentar a esse estudo que o prejuízo é maior quando sabemos que muitos investidores deixam de aplicar outros bilhões de reais anualmente em novas plantas industriais principalmente nos Estados da Federação onde a infraestrutura é mais do que caótica. E esse somatório negativo da dificuldade logística para escoar nossa produção é que faz o crescimento do nosso PIB ser sempre de segunda classe...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Custo Brasil

Ou o Brasil acaba com o custo Brasil, ou o custo Brasil acaba com o Brasil.

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

Falta de projetos

Nos últimos meses tivemos explicações de ministros de que o saneamento básico inexistente em mais de 50% dos municípios brasileiros se deve ao fato de que as prefeituras não apresentam bons projetos. O dinheiro existe. As verbas de prevenção e combate às cheias foram destinadas principalmente a Pernambuco, o único Estado onde as prefeituras tinham projetos aptos. Nesse assunto, repetiu-se o que fora feito na Bahia no governo anterior. Candidata, Dilma Rousseff prometeu 6 mil creches, número que depois passou de 6.400. Em 13 meses nenhuma creche foi feita porque as prefeituras não apresentaram projetos bons. Agora, fica-se sabendo, pelo relato do vice-chefe do Dnit, que as estradas federais estão paradas no tempo, causando a maioria das tragédias rodoviárias, pelo seu mau estado e/ou pela má qualidade técnica, que não é por culpa das prefeituras, e sim do governo federal. Para um serviço comparável ao desse órgão, o DER de São Paulo tem 3.800 funcionários - 9 das 10 melhores estradas do País são estaduais paulistas. No Dnit, para "cuidar" das estradas federais, existentes ou em falta, são 2.695 funcionários. Não falta dinheiro. Falta competência gerencial. E falta prioridade.

MARIO HELVIO MIOTTO

mhmiotto@ig.com.br

Piracicaba

Dnit

Lendo sobre a falta de funcionários "necessários" ao Dnit (19/2), concluo que a "faxina" afetou o objetivo principal do órgão, que é arrecadar fundos para os partidos no poder e seus correligionários. Querem agora recuperar as receitas perdidas e para tanto o aumento de funcionários tem dupla função: abrigar amigos, parentes e cabos eleitorais e aumentar a máquina arrecadatória.

OSCAR SECKLER MULLER

oscarmuller2211@gmail

São Paulo

DEPOIS DO CARNAVAL

Ao trabalho

A maior festa popular do País adia obrigações e decisões. Em Brasília, o Congresso antecipou a folga e ficou vazio. Em São Paulo, o sr. José Serra só vai decidir se será candidato à Prefeitura depois do carnaval. O sr. Gilberto Kassab, em cima do muro, quer o PSD apoiando e do lado do PT, mas se o sr. Serra confirmar a sua candidatura a prefeito, o conhecido "maria-vai-com-todos" de que lado fica? O STF finalmente aprovou a Lei da Ficha Limpa, que não valeu para 2010, mas a partir de 2012 será aplicada. Será mesmo? E o Brasil ainda é o país do carnaval e do futebol? Do futebol já não é há dez anos... Enfim, como de costume, o País começa a trabalhar só depois do carnaval.

LUIZ DIAS

lfd.silva@bol.com.br

São Paulo

JET SKI

 

Até quando vamos ficar assistindo passivamente a crianças sendo mortas por vândalos de famílias abastadas, claro, e sem limites, os famigerados “di menor”, pilotando jet skis nas praias? E os pais, irresponsáveis e sem impor limites aos filhinhos deixam esses vândalos fazer o que quiserem... Agora um “di menor” atropelou e matou uma criança de 3 anos em Bertioga e – pasmem! – eles ainda se mandaram, ou seja os pais deram um ótimo exemplo ao vândalo do filho: se mandaram da praia sem a mínima assistência à criança nem aos pais dela. Mas o pai do vândalo já avisou que está contratando um advogado para, claro, dizer que o culpado foi o acelerador do jet ski, que não funcionou... Chega de irresponsabilidade e impunidade neste país de pais irresponsáveis e incentivadores de erros dos filhinhos!

 

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

 

FUGA

 

Segundo o advogado da família do menor que provocou um acidente com um jet ski, matando uma criança de 3 anos em Bertioga (SP), ele acionou indevidamente algum comando e o jet ski foi para a areia desgovernado e matou a menor. Disse também que a família não fugiu. Bem, a família não prestou socorro e saiu do hotel onde estava. Isso, segundo o advogado, não é fuga. Então poderia ele nos dizer o que é fuga? Talvez haja um novo conceito de fuga que eu desconheça. O que vai acontecer? Nada. Não esqueçam que estamos no Brasil.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

 

CRUZEIROS E MORTES

 

Uma tripulante de um navio da MSC Cruzeiros morreu na madrugada deste sábado após passar mal e ser encaminhada para um hospital de Santos (litoral de São Paulo). O navio em que ela trabalhava foi vistoriado pela Anvisa na manhã do mesmo dia já foi liberado, de acordo com a empresa. Não e a primeira vez que isso acontece e já passou da hora de as autoridades brasileiras e mundiais atentarem para o seguinte: é muita comida e uma constante mudança de temperaturas entre os corredores e cabines. Isso, claro, para quem está com baixa imunidade gera problemas sérios de saúde. Além disso, a mistura de raças e o inglês sofrível de muitos complicam a comunicação. Por fim, os departamentos médicos em geral são sofríveis e não atendem seguros-saúde. Então, um revisão e um maior controle disso pode evitar essas mortes. Já fiz muitos cruzeiros e é tudo a mesma coisa, tanto no Brasil como fora.

 

Anibal Vilari anibalvilari@bol.com.br

São Paulo

*

 

PAÍS SUI GENERIS

 

Este é um país diferente e único no mundo, com tantos contrastes, seria cômico se não fosse trágico. É o país onde morre mais gente no mundo, muito mais que no Oriente Médio. Mortes por falta de segurança, de saúde, no trânsito, latrocínios (estes são os que mais acontece diariamente depois no trânsito, em todas as cidades e estradas. No que diz respeito à saúde, é incrível, morre-se até nas portas dos hospitais! (Com exceção de alguns bons hospitais de tradição em São Paulo para onde os políticos correm, de Brasília, e procuram se tratar; deveriam procurar o SUS, que foi recomendado pelo sr. Lula ao presidente Obama, mas ele mesmo procurou o Hospital Sírio-Libanês!) Tudo é esquecido pela maioria do povão, que só se interessa por carnaval, futebol, Bolsa-Família... Alguns dias atrás, em Salvador, com problema de greve da Polícia Militar, a qual ganha salário de fome, morreu uma centena de pessoas, casas comerciais foram saqueadas, houve assaltos, latrocínios, mais de 20 carros furtados... E essa cidade virou uma praça de guerra, sem falar do Rio de Janeiro, outra maçã podre (bonita por fora e podre por dentro). Enquanto fazemos carnaval, os problemas continuam com pão (Bolsa-Família) e circo, e os políticos mafiosos são eleitos e reeleitos. Assim vamos, deitados em berço esplêndido, com carnaval, futebol e patifaria.

 

Mario Antiqueira Rocha m.antiqueira@ig.com.br

São José dos Campos

*

 

CARNAVAL

 

O entusiasmo contagiante do povo brasileiro pelo carnaval e pelo futebol é uma característica marcante que não deixa dúvida. Praticamente todo o País para e fica envolvido nessa euforia. Milhões de pessoas vão para a rua expressar um sentimento de falsa alegria que não corresponde à realidade. Os enredos das escolas – salvo raríssimas exceções – cai numa vala comum de homenagens a personagens do mundo político de comportamento mais que duvidoso, com a finalidade explícita de bajulação em troca de alguma benesse. Todo esse aparato é de uma inutilidade monumental, no sentido de melhorar a qualidade de vida da população. Os defensores do carnaval alegam que o evento contribui para o incremento do turismo, trazendo lucro substancial para todo o setor de serviços, o que não deixa de ser real. Esse entusiasmo exuberante nas ruas devia ser demonstrado também para expor as mazelas reinante nos três Poderes da Nação. E aí, sim, as estruturas iriam balançar por uma causa maior, em prol da coletividade. Que tal?

 

Aparecido Longo de Souza cid_longo@hotmail.com

Itatiba

*

 

LEVANTANDO POEIRA

 

Enquanto nossos políticos dançam nas passarelas do samba, nossa sofrida sociedade dança o ano todo, só que para sobreviver... Aliás, em plena festa de carnaval provavelmente já há políticos pensando no feriado da Semana Santa.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

 

PRIORIDADES

 

Tema do bloco dos políticos e autoridades em Brasília: “Mamãe, eu quero mamar”.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

 

FOLIA DA ERA PETISTA

 

De Maria Caveirão, passando pela ministra que quer aborto e chegando na veia da truculenta manutenção do colega Fernando Pimentel, o Ministério da presidente que goza férias na Bahia brinca o carnaval fora de Brasília e de seus compromissos funcionais. Os milhões e milhões flagrados pelo crime dos depostos ministros continuam sumidos, não há registro de busca, recuperação, senão comemorações em tom de alta cumplicidade. Este pior governo que o País jamais sonhou ver real prossegue sob as barbas da safadeza consentida e ainda paga a publicidade de todos os amorfos da dignidade e da consciência político-moral que honraram antes a classe profissional. A farra petista cavalga a céu aberto, sem nuvens, sem fronteiras e sem patrulha. A fragilidade da certeza na corrupção abre cada vez mais as veias da latrina do Brasil da mentira, da safadeza institucionalizada, do pecado ao sul do Equador, da selva de ladroagem que tinge as cores da capital sonhada em prostíbulo social da maior rentabilidade. A vergonha nacional começa lá, prossegue nas sedes dos congressistas e morre nas ruas das cidades atropeladas pela criminalidade desenfreada, posto que impune. Nem o Rei Momo pode estar a salvo nesta festança do tráfico, do jogo do bicho e na folga dos políticos. O carnaval antes lavava a alma do folião, agora lava a grana que é roubada em horário comercial.

 

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

*

 

O CORDÃO DOS PUXA-SACOS

 

Nunca torci para nenhuma escola de samba. O resultado de cada ano, para mim, sempre foi indiferente. Mas este ano, especialmente, serei a mais fervorosa torcedora contra a Gaviões da Fiel, que está mais para o cordão dos puxa-sacos. São Lula do Agreste não foi, mas a ex-primeira-dama o representou no Sambódromo, levando a tiracolo o candidato Fernando Haddad. Que a escola tenha o mesmo resultado pífio que teve o filme “Lula, o Filho do Brasil”. Pobre país ... de tolos!

 

Maria Eloiza Rocha Saez m.eloiza@gmail.com

Curitiba

 

*

REPRESENTAÇÃO CADENTE

 

Uma ala de ministros de Lula poderia substituí-lo no carro alegórico, mas poderiam despencar na avenida, para desgraça dos gaviões.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

 

POLÍTICA PARTIDÁRIA

 

A Gaviões da Fiel, a maior torcida organizada de São Paulo, no recente desfile de sua escola de samba no carnaval paulistano, criou uma situação muito interessante. O ex-presidente Lula, que é motivo de muitas ironias e críticas de pessoas que não o aceitam como uma grande liderança, foi o tema escolhido para a escola e mostrou as razões pelas quais ele está em destaque em seu partido. E mais: por que dá muitas indicações sobre encaminhamentos políticos que não se limitam à cidade de São Paulo. Esta é uma questão que deveria ser mais bem avaliada por qualquer cidadão. Se adepto da filosofia política do ex-presidente, que participe dos encaminhamentos, opinando quanto aos rumos da campanha. E se não o aceita como liderança, que atue refutando seus posicionamentos, mas em alto nível. Isto é fazer a política que precisamos, para que efetivamente possamos colocar em determinados cargos pessoas que representem suas comunidades. É uma forma de mudar o que vemos a cada dia no campo político-partidário.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

 

GAVIÕES DA FIEL

 

Ao ligar a TV na hora do desfile da Gaviões da Fiel, custei a entender por que a bateria da escola vinha fantasiada de Papai Noel, e de preto, como se estivesse de luto.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

 

SANTO DE PÉS DE BARRO

 

A Gaviões da Fiel está antecipando os acontecimentos em pelo menos dois anos e passando à frente do que seria prerrogativa do Vaticano ao declarar Luiz Inácio Lula da Silva um santo. Queimou inclusive a etapa da beatificação. O homem já é São Jorge do Agreste. Derrotou a ditadura, estabilizou a economia, defendeu a liberdade de imprensa e acabou com a fome. Esqueceram-se de dizer que ele ficou rico e deixou no poder uma das maiores quadrilhas já surgidas na face da Terra. Perdoo as emoções plenamente justificadas dos torcedores do Corinthians e encaro isso como festa de carnaval. Porém, para 60% do editorado brasileiro, é uma pura verdade e o santo de pés de barro ainda vai ter mais algum tempo na Terra Brasilis para continuar, mesmo fora da Ilha da Fantasia, promovendo milagres para alegrar a alma do bravo, heroico e politizado povo tupiniquim.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

 

SÃO JORGE QUE SE CUIDE

 

Está formado um lobby fortíssimo por petistas em geral e da Gaviões da Fiel em particular, com a finalidade de despojá-lo e destroná-lo e no seu lugar colocar e nomear o novo “santo Lula”. Porém com um detalhe muito importante: no lugar de estar matando o dragão, aparecerá ele matando a população brasileira!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

 

NOVO MESSIAS

 

Se levarmos em consideração todas as mentiras apresentadas pela Gaviões da Fiel sobre o ex-presidente Lulla, cujo tema é tão alucinógeno quanto mentiroso, faltando beatificá-lo como o “salvador do Brasil”, quem sabe o novo Messias não está bem aqui entre nós, encarnado como o santo do Agreste, e não vimos? Tudo bem que até os santos têm seus pecadilhos, que escondem a sete chaves para que seus seguidores não descubram. Mas diante de toda essa mentirada, por que não colocaram nos carros alegóricos como “apóstolos” Zé Dirceu, Sarney, Renan, Jader Barbalho, para completar a turma? Já pensou? Gostaria de saber quais empreiteiras foram financiadoras da Gaviões da Fiel neste ano, enaltecendo o mais famoso santo do pau oco que o Brasil já conheceu! Juro que rezamos pelo pleno restabelecimento do ex-presidente Lulla, senão na próxima história da carochinha teríamos de engolir que o novo Messias foi brasileiro. Ai, ai...

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

 

OMISSÃO IMPERDOÁVEL

 

A Gaviões da Fiel esqueceu-se de convidar para a festa das loas ao santo Lula os irmãos Castro, o Evo Morales, o Ahmadinejad e outros mais para lhe fazer companhia.

 

Paulo C. Leite paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

 

PIRATAS

 

O PT de Lula votou contra o Real. Agora a “escola” da Gaviões pirateia o Real a favor do Lula? Que vergonha para os fiéis corintianos...

 

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

*

 

HOMENAGEM FORJADA

 

A homenagem forjada ao pior presidente que o Brasil já teve, o mais corrupto e incompetente, deteriorou o carnaval paulista, que se tornou palco de propaganda política enganosa.

 

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br

São Paulo

*

 

PULO DO GATO

 

Com certeza, depois do carnaval e do desfile da Gaviões da Fiel, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai dar continuidade à campanha política de Fernando Haddad para a Prefeitura de São Paulo. O desfile da Gaviões foi só o pulo do gato. Esperamos que aquela turma que estava nas arquibancadas do Sambódromo paulistano tenha sentido o cheiro de campanha política durante a passagem da escola, principalmente quando Lula, no final do desfile, em gravação, se dirige ao povo paulista, em especial à nação corintiana. Mais uma armadilha, preparada e financiada pela turma do PT, passou pelo Sambódromo na tentativa de contaminar ainda mais o eleitor paulistano. Sai dessa, gente”

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

 

ALTER EGO

 

Alegórico: adj; metafórico, simbólico, emblemático. Zorro, o justiceiro libertador. Sargento Garcia, o corrupto repressor. Do alto do carro alegórico, assim se pronunciou Andrés "Garcia" Sánchez sobre Ricardo “Garcia” Teixeira: “Ricardo Teixeira só deixará a CBF quando o sargento Garcia prender o Zorro”. Ao lado de dona Marisa, mas bem distante de Dilma.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

 

LEMBRETE AO PREFEITO

 

Carnaval, canto, dança, fantasias (até as mais ousadas), música de todo tipo, mas tem aquela frase sábia que diz: “Pra tudo acabar na quarta-feira”. Acorda, Kassab!

 

Ilmar Mello de Carvalho ilmarcarvalho@gmail.com

São Paulo

*

 

SAMPA

 

Não se pode nem se deve comparar o carnaval paulista com o carioca, por várias razões. Mas não se pode nem se deve deixar de elogiar a desenvoltura das escolas de samba paulistanas ao longo dos anos, que dão verdadeiro show de criatividade e evolução em todos os quesitos em julgamento nos desfiles. Rio de Janeiro tem samba no pé no Sambódromo e São Paulo tem "sampa" no pé no “Sampódromo”. Alalaôoo...

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

 

CLÃ SARNEY

 

Tendo sido a Beija-Flor patrocinada pelo governo do Maranhão, veio ao Rio um grupo grande de conterrâneos do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A turma diverti-se em dois camarotes na Sapucaí, comandada pela governadora do Estado, Roseana Sarney. Adivinhem só se isso tudo foi ou não patrocinado com o seu, o meu, o nosso dinheiro público.

 

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

 

CADÊ O SAMBA NO PÉ?

 

Vendo os desfiles de São Paulo e do Rio, os carnavais de Salvador e do Recife, pela TV, vi muita ostentação, carros alegóricos gigantescos, pessoas fantasiadas com extremo luxo, ou sem roupa nenhuma, enfim, muita pompa e circunstância, mas samba, este eu não vi. Faz parte do carnaval? Antes viam-se passistas dando verdadeiros espetáculos nas avenidas, agora tudo que se vê são pessoas que mal conseguem segurar fantasias pesadas, dão passos apenas para acompanhar o tempo das escolas e nem devem saber seu significado, se é que tem algum. Enfim, é um espetáculo para o turismo. Nem os blocos são espontâneos e de fato populares. Deve ser por isso que o IBGE constatou que 75% dos brasileiros não se importa com o carnaval.

 

Francisco da Costa Oliveira fco.paco@uol.com.br

São Paulo

*

 

CAPA ESTADÃO DE 20 DE FEVEREIRO

 

Salta aos olhos a muito maior graça e sensualidade da mulher vestida com saia comprida, na porta da igreja barroca da alegoria da Portela, do que as três semipeladas mostradas na mesma capa.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

 

ESCASSEZ HORMONAL

 

Uma em cada quatro modelos pode ter bulimia. E se o quadril da menina medir 90,002 cm, está descartada. Diz-se que a culpa pela magreza excessiva das modelos é dos estilistas. Estranho a sociedade e os jovens aceitarem essa aversão ao sexo feminino, procurando exibi-lo como um cabide ambulante, após a enxurrada de fotos carnavalescas de mulheres fartas, bem ao gosto brasileiro, enquanto não se sabe de modelos masculinos anoréxicos, bulímicos e desfilando mostrando as costelas. Alguém com testosterona deveria impor um novo padrão feminino e mandar agências e estilistas catar coquinhos.

 

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

 

DESFILES MIRINS

 

O carnaval 2012 no Rio começou com os desfiles mirins, e isso impressiona. São crianças que com pouca formação cultural, educacional e humana fazem muito bem aquilo que está no seu DNA. Dançam com a disciplina de quem não é alienado, cantam com o entusiasmo de quem é absoluto no pedaço e se comportam com a elegância e a altivez de quem tem o seu território perfeitamente demarcado pela competência e pela tradição. Não é à toa que é considerada a maior festa do mundo. O que falta mesmo a esses profissionais mirins do samba para que sejam bem-sucedidos na sua vida futura é a referida formação cultural, educacional e humana. Não existe nada pior do que um talento desperdiçado!

 

Luiz Antonio da Silva lastucchi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

 

ALEGRES TRÓPICOS, APESAR DE TUDO

 

Embora alguns desavisados digam que o espírito do carnaval carioca esteja se perdendo, a realidade desmente essa pessimista afirmação. É o que estamos vivenciando nestes dias de Momo, em que milhões se divertem nos blocos de rua, que retornam com força; as escolas de samba dão um show de impressionante profissionalismo técnico – a maior ópera de céu aberto do mundo –, bem como ainda o retorno com força dos bailes de clubes. É a prova de que, ao contrário já disseram, nós estamos, apesar de tudo, vivendo nuns alegres trópicos.

 

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

 

DESORGANIZAÇÃO

 

Faltam banheiros, tiroteio na entrada da Vila Isabel. Será que um dia a segurança e a organização vão fazer parte das nossas festas? E, por favor, sem essa de muita gente, todos sabem disso e não é novidade para ninguém! Na verdade, a incompetência e a falta de planejamento são o forte das nossas autoridades, que não conseguem resolver o problema dos bombeiros. Então, é uma vergonha tudo isso.

 

Antonio Jose Justino anjogoma@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

 

FLANELINHAS NO MÉIER

 

Pagamos pesados impostos para sermos atacados por canalhas travestidos de flanelinhas no Méier, na Rua Carolina dos Santos, e haver falta de policiamento! Isso não pode ser mais tolerado. Esses crápulas querem ser donos das ruas e tomar conta de tudo. Já passou da hora de a polícia prender esses traficantes e bandidos. Por favor, ajudem a comunidade.

 

Marieta Barugo mbarugo@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

 

PUNIÇÃO JÁ

 

O Brasil precisa ser um país sério, não dizer que é sério. Domingo, em pleno Aeroporto Santos Dumont, canalhas travestidos de taxistas cobrando 150/200 dólares – repito: dólares! – de turistas menos desavisados e as nossas “otoridades” deviam estar se esbaldando em algum lugar tranquilo e bem arejado. Isso é o que queremos para os nossos turistas? Não dá mais para conviver com Gersons travestidos seja do que for. E os alvarás e concessões deveriam e precisariam ser cassados sem uma segunda chance! Chega de panelas, muito menos de taxistas. Se o prefeito não fizer nada, realmente vai dar seu OK para a bandalha se oficializar. A hora é agora de moralizar.

 

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

Belo Horizonte

*

 

CAMISINHA

 

Neste carnaval, não vá imitar o setor de supermercados e dar a desculpa do meio ambiente, use sempre a sacolinha plástica...

 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

 

CALMA, FOLIÕES

 

Estamos todos “pulando de alegria neste carnaval”, não só pela tradição festiva, mas pela aprovação da Ficha Limpa. Mas, em se tratando de nossos governantes, fico com receio de que alguns não sujem a ficha de alguns outros, daqui em diante, mesmo com todas as provas possíveis, como já tivemos em toda a nossa História. Pode, sim, gerar uma onda enorme de impunidade. Devemos ficar atentos e cobrar o justo e devido pela lei, para que depois do carnaval não “pulemos de raiva” por um bom tempo. É, que saudade dos bons carnavais e das marchinhas.

 

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

 

LIMPEZA...

 

...com água e sabão na terra do samba! Com a Ficha Limpa em ação, a marchinha “Ei, você aí, me dá o dinheiro aí...” deverá ser pensada, antes de cantada, pelos nossos políticos. E aquela “Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão...” Literalmente, não ficará ladrão algum, nos Legislativos , nas prefeituras...

Mara Fonseca Chiarelli mara.chiarelli@ig.com.br

Mogi-Guaçu

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.