Fórum dos Leitores

PODER JUDICIÁRIO

O Estado de S.Paulo

01 Março 2012 | 03h07

Punição de magistrados

Corretíssima a ministra Eliana Calmon ao defender punição para juízes "vagabundos". Em toda profissão há bons e maus. A lei deve ser implacável com quem não se enquadra no papel a que se presta. Por coerência, o CNJ deveria valorizar os juízes que trabalham corretamente, restaurando a credibilidade do Judiciário. Não dá para conceber que juízes, promotores, delegados, desembargadores e até ministros se vendam sob o guarda-chuva da Justiça.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

Corrupção

Concordo plenamente com a corregedora sra. Eliana Calmon quanto a combater os "vagabundos" infiltrados no Judiciário - felizmente, minoria, em meio a magistrados honrados. Todavia não só os "vagabundos" devem ser extirpados, mas também os corruptos (que, por exemplo, vendem sentenças em troca de favores) e os malandros que fazem vista grossa a privilégios usufruídos pela categoria, os quais, embora legais, são imorais perante a realidade do País - 60 dias de férias, aposentadoria compulsória e salário integral como "punição" a magistrados flagrados em crimes, etc. Quando isso acontecer, começarei a acreditar que nossa Justiça é de fato séria e imparcial.

PAULO RIBEIRO DE CARVALHO JR.

paulorcc@uol.com.br

São Paulo

*

'Juízes vagabundos'

Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, o desembargador Nelson Calandra desafiou a ínclita ministra Eliana Calmon a revelar quem é a "meia dúzia" de juízes "vagabundos". Cuidado, porque qualquer advogado que milita em nosso Judiciário os tem na ponta da língua... Criticada por ter levado os problemas do Judiciário aos jornais, Eliana Calmon, de cabeça erguida, respondeu: "Eu falei muito porque precisava. Se eu não falasse com a imprensa, estava frita. Faço em prol da magistratura correta, decente, que não pode ser misturada com uma meia dúzia de vagabundos que estão infiltrados na magistratura". Parabéns, ministra, e, por favor, não desista, pois precisamos de pessoas dignas como a senhora!

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO MUNICIPAL

Circo do absurdo

Para quem já viu desfilar Erundina, Pitta e Marta no comando da Prefeitura paulistana, não causa tanta surpresa que o PR, sem receio da mais pura palhaçada, deseje lançar Tiririca candidato a prefeito. Estão confundindo democracia com circo e, assim, a cidade e o País vão perdendo a seriedade, a ética, a meritocracia. E a escolha dos mais preparados vai ficando no fundo da gaveta. Com sua ganância, o partido esquece que pior, muito pior, pode ficar, para vergonha dos verdadeiros paulistanos. Quem sabe o candidato do PR acorde de mãos dadas com o candidato do PT...

FLAVIO MARCUS JULIANO

opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

Piorar sempre é possível

Dizem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Não sei se por ilusão, deboche ou simples ingenuidade, o deputado Tiririca pensa que fará carreira política quer no Legislativo ou no Executivo. Esquece-se dos outros "cacarecos" que obtiveram votações expressivas uma ou duas vezes, mas foram banidos da vida pública.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

BASE ANTÁRTICA

Responsabilidade

De quem é a culpa pela destruição da base brasileira na Antártida, consumida pelo fogo? Não terá sido pela demora na liberação de recursos para a reforma pleiteada pelos pesquisadores?

ALBERTO NUNES

albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

Fogo no País

É vergonhoso saber que esse governo federal do PT gastou em 2011 R$ 54 milhões em festas no Palácio da Alvorada e a base de pesquisa na Antártida recebeu somente R$ 9 milhões de investimento. Se deixarmos, esse governo vai pôr fogo no Brasil!

JOSÉ CARLOS COSTA

policaio@gmail.com

São Paulo

*

USP

Desafios

Em atenção ao editorial A USP e seus desafios (25/2, A3), cabe-nos fazer os seguintes esclarecimentos. O Prêmio para Excelência em Docência em Graduação deve ser entendido como uma forma de agradecimento e reconhecimento da comunidade universitária aos professores de graduação. O principal prêmio a ser concedido aos docentes será uma viagem para participação em congresso internacional de sua livre escolha, sendo os aparelhos eletrônicos apenas acessórios. O Estado reproduz opinião de dirigente da Adusp sobre classes superlotadas e falta de equipamento. Entretanto, publicou, em oportunidades diferentes, matérias sobre projetos da Pró-Reitoria de Graduação que visam justamente à melhoria da infraestrutura e modernização dos espaços da graduação: USP vai investir R$ 5 milhões em ensino prático (10/10/2011) e USP lança projeto para reformular graduações do período noturno (29/3/2011). Estranhamente, tais projetos, que estão em pleno andamento, nem sequer são citados no editorial. Ressalte-se que cabem às unidades a alocação de classes e respectivos professores, bem como o gerenciamento e emprego das verbas dos projetos citados. É obrigação legal que cargos de professor doutor sejam criados pela Assembleia Legislativa. O envio do projeto pela Reitoria ao Poder Executivo estadual, em novembro de 2010, representou uma iniciativa oportuna da administração central da universidade para que não se chegue ao momento crítico de falta de docentes em razão da implementação de novos cursos de graduação e de aposentadorias de professores. A Adusp foi interpelada judicialmente para esclarecer as afirmações feitas sobre o "desvio de verbas acadêmicas para construções", ou se retratar, sob pena de ação penal de difamação.

ADRIANA CRUZ, assessora de Imprensa da Reitoria da USP

acruz@usp.br

São Paulo

N. da R. - Limitamo-nos a registrar a criação do prêmio, lembrando que ele foi mal recebido por parte da comunidade acadêmica e mostrando que a diferença de opiniões e prioridades entre dirigentes universitários e corpo docente é um preocupante sintoma da atual divisão interna da USP.

*

SALÁRIO DE PROFESSOR

O Ministério da “Educação” divulgou o piso nacional para os professores de educação básica. O valor será de R$ 1.451,00. Esse salário incrível e “invejável” é pelo trabalho de 40 horas semanais. Mais espantoso ainda é que mais de 30% das prefeituras do País afirmam que não há como pagar esse salário aos professores! Isso é uma humilhação. Um país bem-sucedido se distingue pela educação, e todo sucesso se faz na base dela, ou seja, nos 1.º, 2.º, 3.º, 4.º anos. É justamente aí a raiz do problema do por que os adolescentes concluem o ensino médio sem saber interpretar textos ou fazer contas básicas de matemática. Conclusão: o sistema educacional precisa de modificações e o começo da mudança se faz com a valorização dos educadores. O resto são fábulas!

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

PROFESSORES OU VEREADORES

Os prefeitos estão dizendo que não podem pagar o novo piso salarial dos professores. Mas ninguém disse nada com o aumento que terão com mais vereadores nas suas Câmaras Municipais. Terão que fazer obras para acomodar mais vereadores, o gasto salarial com eles vai aumentar, entretanto ninguém disse nada. Pura hipocrisia. Ninguém reclamou. Um participante da reunião ocorrida em Brasília para tratar desse assunto disse que o aumento acarretaria um aumento na aplicação de recursos na educação conforme estabelecido em lei. Alguém tem que dizer para este participante que a lei fixou o mínimo a ser aplicado. Se aplicar mais não está cometendo nenhum erro. Nunca vi nenhum tribunal de contas condenar um gestor por ter aplicado mais recursos do que o estabelecido em lei. Quando é que este país vai se espelhar em países como Finlândia, China, Coréia do Norte e do Sul que investiram na educação? Vejam os resultados que estão tendo. A Educação é a base de tudo. Mas parece que isto não interessa. Quanto mais analfabetos ou semi-analfabetos o país ter, inclusive no Congresso, melhor para os políticos. Para as prefeituras que não puderem pagar o novo piso, apresento uma solução: se não podem se autossustentar, abdiquem da emancipação e retornem a condição de distrito, como eram antes. Vão querer? Claro que não. A mamata é boa demais.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

EDUCAÇÃO É PRIORIDADE

Ignóbil é o piso salarial nacional dos professores, de R$ 1.450,00, aprovado há pouco tempo pelo Congresso e que já está originando apreensão em inúmeras prefeituras, receosas de não poderem arcar com a consequente despesa, conforme divulgado pela Confederação Nacional de Municípios, a mesma que não se mobilizou suficientemente por ocasião da aprovação da PEC 38 em 2009, que permitiu o aumento de mais 7 mil vereadores, contra a vontade da  opinião pública. A sociedade precisa exigir que a Educação, eterna promessa de campanhas eleitorais, se transforme em política de Estado permanente, se quiser que o País mude realmente de patamar, ao mesmo tempo que deve mobilizar-se para impedir a implantação de leis que só servem para atender a interesses individuais  de alguns políticos sem espírito público, exatamente, talvez, por não terem tido uma educação de qualidade, voltada para o bem comum.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PREFEITOS EM BRASÍLIA

Os prefeitos foram a Brasília conseguir dinheiro para pagar o piso aos professores, Como é que eles não vão lá para arrumar dinheiro para pagar os assessores das Câmaras, os seus amigos nomeados para cargos políticos sem concurso. Perguntem, ou melhor, façam um fórum na capital do País, para ver como se arruma dinheiro para pagar 4.5000 empregados de confiança do governo federal e apliquem estes conhecimentos para pagar aos professores sem pedir nada ou ajuda a ninguém.

Ciro Bondesan dos Santos cirobond@hotmail.com

São José dos Campos

*

‘HOUAISS’ E O TRATAMENTO PRECONCEITUOSO

Não me espantou a nota veiculada pelo Estadão em que se noticia que o Ministério Público Federal entrou com ação na Justiça, censurando os editores do Dicionário Houaiss pela inclusão de termos pejorativos relacionados aos ciganos. Como é muito recente em nosso país a tentativa de se conscientizar sobre a gravidade do tratamento preconceituoso, seja de indivíduos, de grupos étnicos, religiosos, de cor, de orientação sexual, desejo fazer menção a um termo que, de tão preconceituoso já é, por tradição linguística, verbo: judiar. Poucos se questionam, utilizam-no no dia-a-dia, sem se darem conta que remete à mais retrógrada era da Igreja Católica: continuamos a incluir nos dicionários (em todos!) a noção de que os judeus maltratam, fazem sofrer, atormentam (Aurelio); apoquentam (Michaelis); tratam mal, física ou moralmente, zombam (Houaiss). Pelas leis vigentes (e pela norma moral), deveríamos abolir este lastimável verbo do uso corrente.

Daniel Klotzel dklotzel@uol.com.br

São Paulo

*

CIGANOS

Na edição de 28/2/2012, o jornal O Estado de S. Paulo publicou matéria sob o título MPF quer tirar dicionário Houaiss de circulação. O procurador federal, autor da façanha, alega que “ a publicação conteria, em uma das acepções da palavra cigano, expressões “pejorativas e preconceituosas e praticaria racismo. A publicação registra, com data de 1899, o “uso pejorativo” da palavra cigano como “aquele que trapaceia; velhaco, burlador”. Devo dizer que essa definição é perfeita em relação a ciganos que conheci em  minha infância. Minha avó possuía um sítio no bairro rural da Barra Mansa, município de Jau, no interior paulista. O sitio ficava quase defronte a essa pequena povoação. Na época,  lá por 1950, era costume chegarem a essa paragem circos populares, “mambembes”, e boa parte deles era de ciganos. Eles pediam para instalar a lona no pasto, ao lado da estrada de terra, e minha avó atendia, pois o circo era sempre uma atração para os moradores, que podiam passar o ano todo sem ver qualquer novidade. Mas os ciganos eram um terror. Na calada da noite avançavam para a pequena casa do sítio e se achassem a porta da cozinha aberta entravam e pegavam tudo, principalmente os varais de linguiça, de toucinho defumando, as réstias de alho, de cebola, as galinhas e ovos que encontravam pelo quintal, leitões, e até roupas, enxugando no varal, desapareciam. Durante o dia, sob o pretexto de que vinham pegar água no poço, faziam a inspeção do local para a coleta noturna. Sempre queriam negociar seus artesanatos, principalmente em metal e couro. Se aceitavam trocar uma boa faca por um cabrito, levavam o cabrito e diziam para que a pessoa fosse lá no carroção buscar a faca. Aí era a trapaça. Ou lendo a mão do incauto, sempre com ameaças de desgraças, queriam “duas galinhas e uma dúzia de ovos” para exorcizar o azar, ou, para entregar a faca, queriam “uma bacia de tomate” a mais. Sempre descumpriam a palavra, enrolavam, enganavam e quando iam embora muita coisa daquela gente simples já estava escondida em seus carroções. E, quase sempre, infundiam medo. Quando estavam se retirando as mães escondiam as crianças, pois havia, na imaginação popular, o risco de que “os ciganos levam embora as crianças”. Realmente, na Barra Mansa isso nunca ocorreu, mas na retirada dos ciganos não ficava um pedaço de lingüiça no varal. Por isso é absolutamente correta a definição contida no Dicionário Houaiss. Na verdade é questão muito pequena para incomodar membro do Ministério Público Federal. É claro que essa consideração remete-se há 60 anos. Certamente a comunidade cigana no Brasil vive hoje integrada ao modo de ser rotineiro de nosso país e nenhum deles se dedicaria mais a circos rurais, ainda que grupos de ciganas estejam diariamente no viaduto do Chá, Praça da Sé, fazendo “a leitura das mãos”. Mas o próprio dicionário, com sua reconhecida competência cultural e seu zelo ético, deixa claro que a definição espelha a realidade de uma época, o que revisores atuais não tem capacidade de entender.      

Dalisio dos Santos suelimboari@hotmail.com

São Paulo

*

O MUNDO DÁ SUAS VOLTAS

Infelizmente a força aérea americana cancela o pedido de compra de 20 aviões Tucanos da nossa competente Embraer. Pode ser um troco dos EUA, ao governo brasileiro, porque o Lula na sua gestão prometeu ao Sarkozy que faria um pedido de bilhões de dólares na compra caças para FAB, de um fabricante francês sem tradição com este equipamento.  Coisa nebulosa... Se por outro lado, o governo americano em ano de eleição quer prestigiar também empresas locais, o Palácio do Planalto, não deveria ficar surpreso, porque recentemente a Dilma impôs um duro golpe, a importação de veículos de empresas automobilísticas que não têm fabrica no Brasil, elevando seu imposto em até 60%. É isso que dá, o petismo beneficiar alguns poucos setores da nossa indústria, em detrimento da maioria. E a Embraer, paga o pato! Empresa esta orgulho nacional, que quase quebrada na época foi privatizada por FHC...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PONTO COM NÓ

Não deixa de ser intrigante a atitude da Força Aérea Americana em "por de lado" o contrato de US$ 355 milhões para aquisição de 20 aviões Super Tucano, da Embraer, justamente no momento em que o Planalto discute a retomada do projeto FX-2, para a compra de novos caças para a FAB. O Tio Sam não costuma dar ponto sem nó!

Alexandre Funck afunck1@gmail.com

Bragança Paulista

*

TUCANOS

O governo dos EUA suspendeu a compra dos aviões Tucanos da Embraer, uma encomenda de apenas US$ 350 milhões, para favorecer uma empresa americana. O Brasil pode dar o troco tirando os caças americanos F18 da Boeing, da lista tríplice que o governo tencionar comprar. Pode tirar os  caças americanos colocando na lista os  Mig russos, junto com os Rafale franceses e os Grippen suecos. Uma "encomendinha" de bilhões de dólares.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

Garça

*

O ‘TU’ ENTROU PELO ‘CANO’

Só o departamento comercial da Embraer acreditou que os EUA comprariam aeronaves Super Tucano ALX sem que o Brasil comprasse o Super Hornet F18C/D.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

NÃO DECOLOU

A Força Aérea dos Estados Unidos cancelou a licitação referente ao projeto Light Air  Supporte (LAS) que havia vencido. Os americanos optaram pelo Super Tucano, no dia 30 de dezembro de 2011. Já no início de 2012, a compra havia sido suspensa depois que juma rival, a Wawrer Beechcraft contestou o resultado na justiça. Ora, num país onde os negócios são tratados com bastante seriedade, essa licitação vencida pela Força Aérea dos EUA merece cuidadosa fiscalização. Afinal, trata-se de um contrato de R$ 600 milhões segundo a Patrícia Poeta no Jornal Nacional de 28/2. Essa fortuna pode acolher na sua cabine, não só o piloto, como também um ''desvio de rota''. Disse um executivo da Força Aérea dos EUA que irá investigar a qualidade da documentação que definiu o vencedor. Enquanto o Tucano A29 repousa no hangar, novidades, por certo surgirão.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

ESTAMOS DE OLHO

Mensagem pouco comentada pela mídia nacional, mas nem por isso deixa de ser  importantíssima, sobre denúncia feita no WikiLeaks nessa semana, mostrando que telegramas trocados entre as Embaixadas Americanas no Brasil e governo americano aviavam hipótese de se pagar propina para a venda dos jatos à FAB! Os americanos são sérios em suas transações comerciais e dificilmente consta que pagam propina a negócios feitos em outros países e se isso foi aviado por telegramas trocados entre embaixada e governo, prova que “alguém” pediu, logo, subentende-se que a compra dos jatos americanos estaria completamente empacada se não entrasse de igual para igual com os outros países concorrentes. Isso nos remete a dúvida que nós, contribuintes, sempre tivemos: Quanto os integrantes do governo brasileiro e partido estariam levando em comissão na compra desses jatos diante da insistência nessa compra em detrimento de outras necessidades mais prementes das nossas Forças Armadas? Não podemos nos esquecer de que serão desembolsados mais de R$ 30 bilhões o que deixaria qualquer “zé mané” milionário da noite para o dia. Estamos de olho...

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

CARTA À SECRETÁRIA MARIA DO ROSÁRIO

Cara secretária, não posso acreditar, assim como muitos, na sua, leia-se em nome do Brasil, condenação as ações "fora da ONU" contra um ditador inescrupuloso assassino de civis e corrupto como o da Síria, e que tal qual ao pai julga-se dono do país. Por acaso ele age de acordo com princípios, digamos, de direitos humanos? Aliás, o comportamento desse governo ao qual a senhora integra, tem se mostrado useiro e veseiro em acalentar e apoiar ditadores sanguinários por exemplo como o de Cuba e até assassinos condenados na Itália por tribunais mais sérios que os nossos, ao caso o Cesare Battisti graças ao seu conterrâneo Tarso Genro. Até admito vocês, esquerdistas, serem rancorosos com a felicidade alheia, mas o infeliz e decadente mundo em que sonham implantar, enquanto os verdadeiros comunistas espertamente caíram fora, não justifica essa ridícula ação. E ainda querem integrar o desacreditado, desde a invasão da Hungria em 56 ou 58, Conselho de Segurança da ONU, só rindo da ideia do Lula pra chamar a atenção, e deu no que deu. O mais interessante, para não dizer bizarro, é que os governos petistas estão sempre ao contrário do mundo em seus apoios, ou seja: Cuba, Venezuela, Irã, Síria, "sir" Mugabe e sei lá quantos. Pobre Brasil, menos mal nossa esquerda, aquela da ética, não é levada a sério nem por nós dados os escândalos na procura do "vil metal”. Será que atrás disso tem o dedo  do "coiso" daquele seu colega que humilhou os mortos, familiares e cidadãos, quando do acidente da TAM em Congonhas, e conhecido pela alcunha de Marco Aurélio "top-top" Garcia, o teórico aprendiz de cubano, revoltado e infeliz? Modere-se, senhora secretária. O País não é de vocês e os petistas não são anátas, ié, aqueles portadores de benefícios eclesiásticos. Inclua nos seus convenientes direitos os verdadeiros deveres e, nesses, a corrupção que nos assola. Ou não? Cuide mais da bagunça federal no loteamento de cargos a atender partidos e seus indicados sem quaisquer competências, como o recente pastor na pesca! Isso é que abala nossos direitos humanos e monetários diante da carga de impostos desviados. Como a sra deve saber, o Estado não gera, ele transfere recursos arrecadados. Não venha dizer que a presidente (presidenta não existe, assim como estudanta ou jumenta) demitiu. Só o fez graças a imprensa que denunciou, obrigando-a a demiti-los. Não fora a mídia nada teria acontecido. Esperando que tenhas uma gestão começando com deveres e depois direitos a quem merece.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

POR QUE NÃO TE CALAS?

Desde quando o PT assumiu o poder (nove anos e dois meses), o Brasil tem se destacado em apoiar ditadores sanguinários. Quando o presidente Lula tornou- se grande amigo dos irmãos Castro, Hugo Chávez, Evo Morales, Rafael Correa et caterva. Infelizmente, a presidente Dilma Rousseff, de forma velada, vem seguindo a mesma política do seu antecessor. As declarações feitas na ONU, pela Ministra Maria do Rosário, reclamando da pressão contra o governo sírio, foram muito infelizes. Se o Brasil não queria apoiar essa pressão, deviria no mínimo, se manter neutro, em vez de se intrometer em negócios que não lhe dizem respeito. No lugar de dizer asneiras, melhor faria a ministra se ficasse calada.

 

Adolfo Zatz dolfizatz@gmail.com

São Paulo

*

ENVERGONHADOS

Nós, brasileiros, cidadãos conscientes e patriotas nos sentimos muito envergonhados pelas atitudes de nossos governantes em defender ditadores sanguinários e terroristas pelo mundo a fora. Essa agora de colaborar com as Farc servindo de interlocutor será a gota d’água em nossa dignidade. Infelizmente desde Lula muito de nós não se sente representados nas atitudes de política exterior do governo.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

DIREITOS HUMANOS?

Gostaria de entender. Talvez alguém possa explicar. Na ONU, a ministra Maria do Rosário dos Direitos Humanos, faz um discurso tolhendo os Direitos Humanos?

 

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

IMBECIS

Que vergonha me dá a postura da presidente e de sua ministra, em nosso nome, a respeito do hediondo Assad. Imbecis.

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

A DOENÇA DE CHÁVEZ

Por mais que tente não consigo encontrar alguma razão plausível que justifique o tratamento de Chávez em Cuba, já que sabemos que lá não se pratica a chamada medicina de ponta. Será que existe algum centro de excelência para estrangeiros? Pouco provável, pois o próprio Castro “importou” um médico espanhol para operá-lo. Talvez a única justificativa seja que poderia contar com total sigilo quanto ao diagnóstico e evolução de sua doença. Terá mesmo câncer ou apenas tudo não se trata de uma pantomima tão a gosto de alguns ditadores.

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

BANCO DO BRASIL

Fazenda manda BB investigar suposto vazamento de informação sigilosa (A8, 29/2). Quem tem que ser investigado é quem recebeu tanto dinheiro de uma bondosa senhora e não quem contou o "segredo" desse recebimento, porque, sobre o vazamento, até um leigo sabe a resposta. Depois que o ex-vice-presidente do Banco do Brasil, Allan Toledo, aliou-se ao presidente da Previ, Ricardo Flores, numa briga – por mais poderes – contra o presidente do BB, outra coisa não se esperava que, além de sua demissão, uma desmoralização pessoal e individual ao "atrevido" ex-vice-presidente. Quanto "a roupa suja se lava em casa", a presidente Dilma está confundindo discussão de assuntos familiares com discussão de assuntos "públicos" (públicos, é bom repetir). Quem quer privacidade deve permanecer na vida privada e não entrar na vida pública. Estou cansada de ouvir as barbaridades que dizem esses senhores que, ainda, não entenderam o quanto suas absurdas ações refletem diretamente na economia, e, consequentemente, na vida individual de cada cidadão.

 

Mirna Machado mirna.machado@hotmail.com

Guarulhos

*

VAZAMENTOS

A preocupação do Ministério da Fazenda é saber como vazaram informações de sigilo bancário, que divulgaram movimentação atípica de R$ 953 mil, pelo ex-presidente do Banco do Brasil Allan Toledo, e não a atitude em si a qual pode ser criminosa. Será talvez receio que possa ocorrer novamente e envolver outros nomes e valores?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

REAJUSTE DOS COMBUSTÍVEIS

Não vejo graça em ser lógico corrigir o preço dos combustíveis, pois, necessário se faz perguntar o porquê de os brasileiros das fronteiras abastecem seus carros nos países vizinhos. Países esses que não são produtores de petróleo e operam com preços muito abaixo dos nossos. Não existe mágica para eles, e se existe, seria oportuno conhecermos seus ilusionistas. Infelizmente  o nosso petróleo já custa muito caro para os brasileiros, para pensar-se em corrigir seus preços.

 

Alvim Candido da Fonseca alvimcandido@hotmail.com

São Paulo

*

O PREÇO DA GASOLINA

Quem está no comando da Petrobrás: a nova presidente Maria das Graças ou o ministro de Minas e Energia, Lobão? Os acionistas precisam saber exatamente quem está no comando, pois estes não aguentam mais perder dinheiro investindo em uma empresa micada, sob a administração do PT. 

 

Maria Carmen Del Bel Tunes Goulart carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

BRUNO DANIEL NO ‘RODA VIVA’

Na última segunda feira, muita gente que assistiu ao programa Roda Viva, da TV Cultura, desligou a televisão revoltada. As manifestações nas redes sociais foram tantas, que o tema “Bruno Daniel” chegou a ocupar os trending topics do Twitter por muito tempo. O que se viu ali foi um show de horror. O jornalista Mario Sergio Conti lá estava apenas para tentar desqualificar o entrevistado e, mais tempo houvesse, seria capaz de culpar Bruno Daniel pelo assassinado de seu irmão, Celso Daniel.  O Sr. Conti não fez jornalismo, mas sim um trabalho de inquisição, tentando impor o seu ponto de vista. Tentou, durante todo o tempo, fazer com que os fatos se adequassem à sua muito particular versão dos acontecimentos, todos por ele encarados isoladamente, como se não tivessem a menor conexão uns com os outros, o que levaria a conclusão de que Bruno Daniel seria um paranóico e que o ex-prefeito foi morto por acaso. Nunca antes neste país se viu algo parecido, de tamanha vileza e leviandade. E pensar que este senhor é pago com o dinheiro dos paulistas!

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

AGRESSIVIDADE E VIOLÊNCIA

A vergonhosa e escandalosa atuação do jornalista Mario Sérgio Conti à frente do programa Roda Viva que entrevistava o irmão do petista assassinado Celso Daniel (o cadáver insepulto que o PT e Zé Dirceu querem enterrar a qualquer custo) foi uma aberração tamanho o mau gosto, violência e agressividade a olhos vistos contra o entrevistado da parte daquele senhor! Que a maioria das redações e a imensa maioria dos jornalistas são marxistas e pró-PT de um jeito ou de outro, todos nós sabemos, mas nunca vi na TV Cultura tamanha infestação que salta aos olhos escancaradamente e que lhe compromete a isenção!

 

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA

A corregedora nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon, participou de uma audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no Senado federal, para debater propostas de emendas à Constituição que asseguram e concedem mais poder ao Conselho. Ela afirmou que a principal dificuldade do órgão que comanda é julgar juízes de segundo grau. “Não tenho medo dos maus juízes, mas do silêncio dos bons, que se calam quando têm de julgar colegas”. “Luto pela magistratura séria, e que não pode ser confundida, nem misturada como meia dúzia de vagabundos infiltrados na magistratura”. Por isso o apoio popular e da imprensa ao CNJ é fundamental para reverter e acabar com a impunidade de juízes cafajestes e negociadores de propina.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

‘JUÍZES VAGABUNDOS’

O adjetivo empregado pela corregedora Eliana Calmon, no campo da linguagem popular, expressa um fato lamentavelmente verdadeiro. O Tribunal de Justiça de São Paulo, para dar cumprimento à meta n.º 2 do CNJ, viu-se obrigado a redistribuir os processos que se encontravam com juízes desidiosos para aqueles conscientes de seus deveres e vocacionados ao elevado mister público que assumiram – a maioria.  E não consta que os primeiros sofreram algum tipo de punição, da qual no momento cogita a Corregedora Nacional, com sólido fundamento ético e funcional. Lembremos que a desídia constitui falta grave para dispensa por justa causa do trabalhador, segundo dispõe o art. 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

TOGAS

É isso mesmo, ministra Eliana Calmon! Bandidos de toga e vagabundos de toga têm que ser identificados e punidos. O povo brasileiro sabe que o Judiciário é majoritariamente composto por magistrados sérios, honestos e qualificados, mas para o bem da nação, e do próprio poder, essa parcela de joio tem que ser separada do trigo. Continue com essa sua brava luta que estaremos, agradecidos, aplaudindo cada vez mais o seu trabalho.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

INTOCÁVEIS

 

A corregedora Eliana Calmon afirmou, em audiência do Conselho Nacional de Justiça de 28/2, que o maior problema está nos Tribunais de Justiça. E quanto ao Supremo Tribunal Federal (STF), em que colarinhos brancos e mensaleiros são sempre blindados? Quando é que os ministros do STF deixarão de ser intocáveis?

 

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

*

NOTÍCIAS ADMINISTRATIVAS

O jornal de ontem, 29/2, nos trouxe duas notícias superlativas, uma pela sua excelência e outra pelo absurdo. A primeira, no primeiro caderno, é mais uma declaração alvissareira da corregedora nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ministra Eliana Calmon, que na Comissão de Constituição e Justiça do Senado defendeu a punição de juízes “vagabundos”, para proteger os juízes honestos. É uma atitude inusitada e há muito almejada por todos nós, brasileiros. Se a ministra conseguir consertar de vez o sistema judiciário, vai merecer no futuro uma estátua na Praça dos Três Poderes. Podemos lembrar, como exemplo, além das situações citadas pela própria ministra, o processo que o filho do presidente do Senado abriu contra o Estadão e que até hoje não tem solução, já que foi encaminhado às catacumbas do Maranhão. Todas as mazelas que sofre a população com os processos dos precatórios, das liberdades provisória e semiaberta de criminosos perigosos, são oriundas do excesso de processos abertos no Judiciário, da burocracia, da falta de condições de trabalho de seus funcionários, mas também de muita maracutaia que corre por todo o País. Outra notícia, no caso, sórdida, está no caderno Metrópole, que nos informa que “cinzinhas” da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) repassam dados de veículos infratores para marronzinho multarem. É mais uma realização inovadora do ”destacado” prefeito de São Paulo, ou seja, a terceirização das multas de trânsito, para aumentar a arrecadação da Prefeitura de São Paulo. Deve ser mais um Processo Sub Democrático, onde o direito e a própria Constituição são aviltados. Ao contrário da ministra Eliana Calmon. O prefeito deverá merecer o desprezo eterno dos paulistanos.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

JOSÉ SERRA ESTÁ DE VOLTA

 

 Ninguém em sua sã consciência dúvida de que o ex-governador José Serra é um dos políticos mais bem preparados para administrar a cidade de São Paulo, e porque não dizer o Brasil. Apesar das negativas que vinha fazendo, eis que o tucano resolveu dar um basta nas especulações, resolveu voltar ao cenário político - se bem que nunca deixou. O ex-presidenciável se escreve nas prévias do partido que seria realizada em 4/3, porém foi adiada para o dia 25/3, até lá José Aníbal e Ricardo Trípoli podem sair do páreo deixando o caminho aberto para José Serra, para disputar a prefeitura da capital. Qualquer semelhança com o pleito de 2010 não é mera coincidência, visto que José Serra só lança seu nome como pré-candidato no último minuto. O que convenhamos é uma falta grave de sua parte para com os eleitores. Desta vez, o PSDB analisa a participação do ex-governador nas prévias, como forma de evitar desgaste junto aos integrantes do partido ao empurrar "goela baixo" a candidatura de Serra mais uma vez. Porém, enquanto ele estava indeciso, outras quatro candidaturas do PSDB já estavam na avenida: O secretário estadual da energia José Aníbal, o deputado federal Ricardo Trípoli, o secretário estadual da cultura Andrea Matarazzo e Bruno Covas, secretário estadual do meio ambiente, os dois últimos da lista saíram do páreo em apoio a candidatura de José Serra. A razão de suas saídas pode ter sido também pelo fato de nenhum dos quatro postulantes não serem tão conhecido do eleitorado quanto Serra. Em pesquisa datafolha do final de janeiro,  Serra tinha á preferência de 21% dos entrevistados. Covas aparecia com 6%, e Aníbal 5%, enquanto Matarazzo e Trípoli fechavam o cordão com 2% cada. Ou seja: O ex-governador José Serra tinha quase o dobro da soma dos quatro postulantes juntos. Covas e Matarazzo, que são secretários do governo estadual, seguiram determinação do chefe, Geraldo Alckmin e abrirão mão das próprias candidaturas. Aníbal e Trípoli parecem dispostos a seguir em frente na disputa. Porém, a cúpula  busca uma forma de empurrar mais para frente a disputa interna, como já o fez ou talvez a desistência dos dois, pois sabe que a indicação de Serra pela direção do partido, é garantia de vitória possivelmente em primeiro turno. O que importa para os tucanos, em meio a essa manobra, a imagem do ex-governador sairia intacta, já que democraticamente, afirmou que se submeteria de bom grado as prévias. Quem não deve está gostando nada da entrada de José Serra na disputa da mais importante cidade da América Latina e a terceira do mundo, é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff que sonhavam em emplacar o ex-ministro da educação "o aprendiz" Fernando Haddad. Cá para nós, será que a meta de Serra é 2014? É esperar pra ver. Meu voto ele já tem por antecipação.

           

Turíbio Liberatto Gasparetto  turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

LAMENTÁVEL

Simplesmente  lamentável  a  candidatura  de  José  Serra  a  prefeito  de  São Paulo. O que  está  havendo  com  ele? Está perdendo  terreno dentro  do PSDB? Mas,  na  minha  modesta  opinião, simplesmente não  devemos  votar  no  Serra. O  homem  foi  prefeito  e  abandonou  o  cargo  para  se  aventurar  a  candidato a  presidente  da República. Teve  a  sua  oportunidade.

PSDB, escolha  outro  candidato, porque  esse não vai  dar  Ibope.

 

Milton de  Abreu milton@mastergold.srv.br

São Paulo

*

TIRIRICA PARA PREFEITO

O PR tem intenção de lançar Tiririca para prefeito de São Paulo!!! É bom lembrar que ele só conseguiu um número recorde de votos para deputado porque aqui em São Paulo está a maior concentração de nordestinos, fora do nordeste. Não por acaso, ao ser perguntado , na época, por que se lançara candidato por São Paulo e não pelo Ceará, candidamente respondeu bem ao seu estilo: "porque aqui tem mais abestados que lá". Para prefeito desta cidade precisamos de gente capaz, não de alguém que se elegeu graças ao bordão "pior do que está não fica" ! Até hoje Tiririca não deu um passo sequer sem a ajuda de seus assessores , perenemente tutelado por gente do partido que cuida para que não dê um passo em falso pois ele é o coringa desta sigla. Só nos faltava essa...existir a possibilidade de termos um prefeito-marionete do PR em São Paulo...é ruim demais!  Mas o PR , partido nanico, graças ao Tiririca e seu voto de protesto, conseguiu eleger mais 3 deputados federais, por isso, para eles é tudo de bom! Mas para melhorar o Brasil nosso voto tem que ser escolha responsável, não pode ser mera expressão de modismo, de bordão nem brincadeira. Muito menos  o eleitor ser um joguete de qualquer partido.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

PALHAÇOS ELEITORES

Considerando que as eleições são um verdadeiro circo onde os palhaços são os eleitores, eis que o deputado Tiririca se aventura no papel de candidato à prefeitura de São Paulo. Seu mentor, Valdemar da Costa Neto (PR-SP) réu no processo do mensalão está pouco se lixando para seus eleitores, O deputado faz um jogo de cena para pressionar a presidente Dilma a dar um lugar no primeiro escalão ao partido que foi alvo de tanta corrupção no ministério dos Transportes. O eleitor paulistano está vacinado contra o estelionato eleitoral. Saberá escolher quem deverá administrar essa cidade não se iludindo com discursos demagógicos, “pior do que está  não fica” , fica sim e isso pôde ser sentido nesse ano e meio em que Tiririca está no Congresso e nenhuma vez subiu à tribuna para defender o país, ou propor leis que de fato moralize essa bandalheira que virou o Brasil. Mas seria exigir demais, querer que alguém como Tiririca moralize a política, se como se viu, sua entrada no picadeiro chamado Congresso Nacional  serviu de pano de fundo para abrigar aventureiros. Os responsáveis por esse ato impensado sofrem agora as consequências do voto impensado.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

REZEMOS JUNTOS

Gilberto Kassab abandonou – pelo menos por enquanto – a proposta de vender “de graça” à especulação imobiliária 20 terrenos e imóveis públicos em troca de creches certamente mal localizadas ou mesmo inexistentes.  Ainda mais, Kassab dignar-se-á a alugar imóveis para fazer creches, como em qualquer lugar decente do mundo. São Paulo necessita, sim, que sejam criadas praças e equipamentos públicos transformando todos esses 19 terrenos em novos Quarteirões da Cultura a exemplo do quarteirão salvo no Itaim. Ainda faltam salvar os bairros Santa Ifigênia e Luz, e diversas áreas de operações urbanas, da destruição e da sanha incontrolável de Kassab favorecer os agentes imobiliários em detrimento da população. Já que o Tribunal só julga a favor de Kassab e contra o paulistano em 2ª instância, rezemos juntos aos Deuses de nós todos!

Suely Mandelbaum, urbanista suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

ÁREA NO ITAIM

A Prefeitura desistiu de vender o seu quarteirão do Itaim. É assim que funciona a democracia: pressão popular em cima do governo. Em ano de eleição não tem erro...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

A PRAGA DO IPTU

Todo mês quando pago a parcela do IPTU rogo praga a Kassab.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

O DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA, E O FUNPRESP

Não há responsabilidade nem relevância tratar sobre previdência social sem análise dos efeitos e resultados de todos os regimes e subsistemas existentes, e tão apenas depois correlacionar o que aqui acontece ao que sobrevém em outros países. No RGPS anuncia-se o “saldo previdenciário negativo” de R$ 35,6 bilhões em 2011. De seus dois subsistemas, o urbano-previdência trabalhista e de caráter contributivo, obteve-se o saldo previdenciário, ou primário positivo de R$ 20,5 bilhões, é o único superavitário no Brasil. No rural, assistencialista, e sem caráter contributivo, e que subvenciona um melhor padrão de vida à terceira idade na zona rural, o saldo negativo foi de R$ 56 bilhões (1,4% do PIB). O rural é eminentemente assistencialista, pois dos quase 8,5 milhões de beneficiados apenas 16 mil o são por contribuição. Somente a previdência do funcionalismo público federal (RPPS) nas três esferas (Executivo, Judiciário e Legislativo) corresponde a 5,13% do PIB. A média na OCDE é de 2,0% para todo tipo de funcionalismo. Estudos da mesma entidade demonstram que no grupo de 26 países considerados em estágio de desenvolvimento, a incidência média é de 1,5% do custo do funcionalismo sobre o PIB. Menos de um milhão de ex-servidores federais geraram em 2011, R$ 56 bilhões somente em déficit, valor este que cresceu 9,8% em relação a 2010; ou que cresceu 91% em relação a 2002 (R$ 29,4 bilhões). Estima-se para 2012 que ultrapasse R$ 61 bilhões (1,47% do PIB) - um acréscimo de 9% em termos absolutos ao ano passado. O Tesouro cobriu em 2011 tal déficit, ao custo médio por ex-servidor ao valor equivalente a três vezes a renda per capita brasileira. Nem a Grécia conseguiu tal proeza. Apenas 0,5% da população consome o equivalente (em déficit) a 83% daquilo que se gasta com a Saúde Pública aos 99,5% restantes brasileiros. 4% dos aposentados brasileiros são responsáveis por quase 5o% do déficit previdenciário do país. Enquanto a previdência do funcionalismo público federal (menos de um milhão de pessoas) correspondeu a 5,13% do PIB, - o total do RGPS, incluindo os 3,6 milhões de beneficiários atendidos pela Lei Orgânica de Assistência Social-Loas (total geral de 27,9 milhões de pessoas) representou 7,71% sobre o PIB.  Temos o mais absurdo mecanismo de concentração de renda do planeta, cujo déficit crescente acumula desde 2003 - R$ 378,9 bilhões (1,7% do PIB). O Fundo de Previdência Complementar do Servidor Público (Funpresp), proposta do governo enviada ao Congresso, dará uma economia de R$ 26 bilhões/ano a partir de 2035, segundo o Ministério da Previdência Social; ou seja, apenas 50% do atual déficit. Contudo, só atingirão as novas contratações, até lá o contribuinte arcará com o incoerente e crescente déficit que os atuais inativos originam e que os quase 2 milhões de servidores ainda ativos causarão quando se aposentarem. A solução é medíocre, paliativa e absurdamente distante da realidade brasileira. Apenas agrada a quem não se inteirou dos fatos e números. Fato ainda, que esse “fundo previdenciário” a ser criado, se juntará ao outros que chegam a 8,1 % do PIB e que já estão sob a administração de pessoas conhecidas da malta petista – José Dirceu; Luiz Gushiken, e Ricardo Berzoini, que “por acaso” é o relator desse projeto de lei na Câmara. O Estado paga mal e injustamente. Não há como conceber um Juiz brasileiro receber, no mínimo e sem as benesses, tal qual um Juiz Federal norte americano, lá onde a renda per capita é 4,5 vezes maior que a daqui. Tal qual conceber que uma dessas “excelências” receba ao ano, com suas imorais benesses, aquilo que três dúzias ou mais de policiais, professores, ou médicos nos serviços públicos recebem. A proposta que o Governo apresenta pode ser salutar quanto às novas contratações e vem com atraso de décadas; porém também é necessário, tal qual nas economias sérias ou nas que estão forçosamente se ajustando neste específico sentido- aposentadoria dos servidores públicos (Grécia, Portugal e Espanha), a redução da “taxa de reposição”; ou seja, da relação do valor do benefício para com a última remuneração do servidor. Enquanto no Brasil é de 100%; ou muito próxima a isso; nas nações ricas da OCDE, variam aos seus servidores entre 50% e 65%% no máximo. Tal qual a existente no Brasil não há mais nenhuma, a que se assemelhava era a grega, e que foi rebaixada compulsoriamente na recente renegociação de sua dívida a no máximo 57%, a depender do valor do benefício e valendo de imediato para os atuais aposentados do serviço público. No Brasil não só isto bastaria, é necessário ainda que os reajustes doravante ocorram apenas pela variação do INPC e não pela paridade dos colegas da ativa que recebem produtividade. Assim, talvez em 2035 a sociedade brasileira deixe de ser exageradamente espoliada por uma minoria – “os cidadãos de primeira classe, os servidores públicos federais” – que oferecem serviços de quinta categoria diante das necessidades da nação que sobejamente lhes paga.     

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

APOSENTADOS E DROGADOS

Auxílio-doença a drogados já preocupa a Previdência?  O pagamento desse auxílio varia entre um salário mínimo a R$ 3.916, sendo que o valor médio pago é de R$ 861?  É revoltante para o aposentado que trabalhou arduamente durante 30, 35 ou mais e pagou seus tributos em dia; milhares recolheram à Previdência para terem uma velhice digna e hoje achatados, recebem muito aquém daquilo que teriam direito e vivem quase na indigência, ou na dependência de terceiros.  Que País é esse: tratando o idoso aposentado como pária da sociedade e drogados tratados como coitadinhos?  O que pretendem nossos legisladores, inda mais agora com projeto prevendo tratar "pequenos traficantes" com brandura?  Será que os "incomuns" pretendem um País de zumbis e mortos de fome dos bolsas tudo, para dominarem e se refestelarem com as mordomias do poder? 

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

CASO MÉRCIA NAKASHIMA

Todos desfrutam da presunção de inocência e tem direito á ampla defesa, ao contraditório e a um julgamento justo e imparcial. Dito isso, no caso do brutal assassinato da advogada Mércia, todas as provas indicam que Mizael Bispo de Souza seja mesmo o cruel assassino da ex-namorada. O mínimo que se espera é que a justiça seja feita e que, ao final do julgamento, o covarde homicida seja condenado pelo Tribunal do Júri a cumprir a pena máxima prevista em lei. Causa indignação o fato do mesmo ter permanecido foragido, fugido da Justiça, em liberdade, por mais de um ano. Quem não deve não teme.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

HOMEM CHIQUE

Se não existe no Brasil uma prisão adequada com ar condicionado, frigobar, lagostas a termidor, champagne viuve glicout, para prender o assassino na Nakashima, o ilustre Misael Bispo, imaginem se eu cometer um crime algum dia, eu sou muito mais chique que ele, bem nascido, tenho 2 faculdades, sou muito mais bonito,terei que ser preso no Copacabana Palace, ou no George v de Monte Carlo, em Mônaco, o Brasil é o único país no mundo que o criminoso vira celebridade e tem direitos, quem trabalha e tem empresas bens, paga muito e é constantemente perseguido, preso, morto, e melhor o povo gosta, pelo amor de Deus, que palhaçada.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

INJUSTIÇA

Por que não apagar da Constituição brasileira o artigo 1º que reza "somos todos iguais perante a Lei?

 

Antonio Rochael Jr. antoniorochael@gmail.com

Iguape

*

SELEÇÃO BRASILEIRA, COM A CARA DO BRASIL

Começamos mal nossa preparação para uma Copa do Mundo em nosso país. Manter um goleiro que jogou machucado na última Copa, frangueiro, repetiu na  Copa América e ainda está lá? Ronaldinho anda em campo até no perdido Flamengo, retorna, este zagueiro David Luiz tromba com seus companheiros, se enrola e sempre tomamos gols, andam lembrando de Robinho? Estão brincando, este saiu muito tardiamente, temos no país jogadores que não perderam suas características, nestes devia sem investido nosso selecionado, muito mais raça veríamos. Daniel Alves mostra um futebol diferente do Barcelona, lá se entrega de corpo e alma, aqui faz muitas graçinhas, perde passes em demasia. Portanto temos uma equipe com um técnico que não mostra a táticas, desfila moda também, não temos jogadas ensaiadas. Tudo é falta de tempo, parte da imprensa sempre lhe dá razão. Imaginem perdermos uma Copa aqui, a votação do carnaval em São Paulo deu mostras de uma torcida enfurecida, de que são capazes. Nos últimos anos neste país os errados têm mais razão dos que certos. Ninguém é preso, ninguém devolve o roubo, como este goleirinho. Com esses jogadorezinhos europeizados ficaremos à deriva, e logo na largada. Dá pena, ganhando de um adversário inexpressivo como este e com gol contra, cairemos no ranking, certamente.

Julio Jose de Melo  julinho1952@hotmail.com

São Paulo

*

SELECINHA

Que Bósnia de seleção, hein?

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

PRÓXIMOS!

Para salvar a pele de Mano Menezes, Andres Sanchez já acertou amistosos contra Ilhas Faroe, San Marino e Lichtenstein.

Luiz Henrique Penchiari Jr. luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

*

O HEXA

É de tal incompreensível que o desqualificado Mano seja o técnico da seleção milionária brasileira que para-se para pensar. O momento “corintiano” imposto pelo torcedor numero um nunca deu ponto sem nó, alojou a turma toda também no futebol e levantou o clube que caia pelas tabelas. Com dinheiro, com prestigio e proteção, o corintianismo domina a cena : o técnico é o mano da casa, o chefe de seleções é outro mano, o invejoso, o estádio que sempre foi piada, aconteceu, parece , e, segundo comentaristas, o apito mantém-se mais amigo, os inimigos sofrem toda a sorte de boicotes e dificuldades, até para aprovar um projeto, e os cambalachos da CBF continuam vivos e ricos com ameaças nunca cumpridas de punição à corrupção que o mundo todo já sabe. Identifica-se, às claras, os nove dedos do modo petista de gestão. E, parando para pensar, só uma coisa pode explicar todo este estado de coisas que todo mundo acaba aceitando, igual acontece quanto ao governo que cai pelas margens da corrupção que acomete os três poderes da Republica . Fica-se com a impressão clara que no acordão feito com a Fifa, deve ter sido incluída a taça como parte do pagamento, porque com a incompetência do dito mano não há como crer que aconteça.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.