Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

02 Março 2012 | 03h08

Ministério da Pesca

O Ministério da Pesca, de grande importância pelo nosso imenso litoral e pela falta de cuidado no trato do controle da pesca predatória de muitos tipos de peixes, acaba de ter nomeado o seu terceiro titular. Claro que Marcelo Crivella, conhecido como "pescador de almas", não entende nada de pesca. O motivo da nomeação é acalmar os evangélicos de São Paulo em relação ao candidato à Prefeitura paulistana Fernando Haddad (PT), para ver se a rejeição diminui. A pesca mesmo não é o foco, e nunca vai ser, mas sim fazer média, e muita. O fundo político sempre supera os interesses nacionais e os dos mais necessitados - neste caso, os nossos humildes pescadores -, infelizmente.

JANI BARUKI

janibaruki@bol.com.br

Belo Horizonte

*

Implicância

A escolha, pela presidente Dilma Rousseff, do senador Marcelo Crivella para o (des)importantíssimo Ministério da Pesca tem tudo que ver com o saber técnico do escolhido. Ele pode não entender nada de peixes, mas não deixa de "pescar" milhares de almas para seus cultos. Qualquer outra explicação para tão inusitada escolha que possa implicar os caminhos das próximas eleições na cidade de São Paulo deve ser mera implicância da oposição.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

*

Tira o tubo!

Recém-nomeado, o ministro Marcelo Crivella (PRB-RJ) disse na manha de ontem à Rádio Estadão/ESPN que os seus conhecimentos sobre o assunto da pasta são nulos. "Nem sei colocar uma minhoca no anzol", confessou, ao ser questionado se tinha experiência na área. Relembrando um antigo personagem de Jô Soares: "Me tira o tubo!". Enquanto todos clamam por nomeações técnicas, escolha de profissionais gabaritados para atender a um mínimo da demanda dos ministérios, dona Dilma comete esta "lulice" e faz uma nomeação pirotécnica. Uma declaração dessas é, no mínimo, para desmoralizar a nomeação. Acho até que Crivella foi obrigado a aceitar, em nome do partido.

ODAIR PICCIOLI

odairpicciolli@moradadoscolibris.com.br

Extrema (MG)

*

Mais um biônico

"Não sei nem colocar uma minhoca em anzol", admitiu o novo titular da Pesca (para que tal ministério?). Esse é o retrato dos ministérios no governo lulopetista, quase 40, para acomodar os cumpanheros, visando à eternização no poder. Às favas as "almas" que votaram no senador evangélico (PRB-RJ) para que elas e seu Estado tivessem boa representação no Congresso Nacional, né, senador? Mais um biônico, sem voto, vai ocupar seu lugar. Pobre Brasil!

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@estadao.com.br

Cunha

*

Candidato ao cargo

Presidenta Dilma, como não estou com um emprego muito bom, e vendo que a senhora não consegue mesmo acertar nas suas nomeações, ponho-me à sua disposição para a próxima tentativa no extraordinário Ministério da Pesca. E olhe que até um razoável pescador eu sou.

RENATO JOSÉ ALDECOA

renatoaldecoa@gmail.com

Socorro

*

O PT ouve as bases?

Diz-se que dentro do PT as bases são sempre ouvidas e as decisões vêm sempre de baixo para cima. Mas parece que não foi isso que ocorreu no caso da escolha da presidenta Dilma para a Pesca e também do ex-ministro para candidato à Prefeitura paulistana, simplesmente indicados por Lula e Dilma e acatados por todo o partido. É o velho "centralismo democrático" dos comunistas.

CARLOS YOSHIKAZU TAKAOKA

cy.takaoka@hotmail.com

São Paulo

*

Novo pescador

A Bíblia mostrou-nos Cristo multiplicando os peixes para distribuí-los aos pobres. Oxalá não caiba ao novel pescador o milagre de distribuir aos seus apaniguados as benesses do novo cargo.

HENRIQUE MASSARELLI

hermassa@uol.com.br

São Paulo

*

Ensinando a pescar

O senador Crivella entende de parábolas, principalmente aquela da multiplicação dos pães e peixes. Aguardai, pois os amigos e seguidores receberão muitos peixes para aplacar a fome desse grupelho da base esfomeada. Para atenuar o seu gesto magnânimo certamente dona Dilma ensinou aos companheiros sequiosos: "É dando que se recebe".

ALBERTO B. C. DE CARVALHO

albcc@ig.com.br

São Paulo

*

Afinal, os evangélicos

Nos seus planos de "partido único" nacional, finalmente o PT conseguiu a primeira e importante adesão dos evangélicos. O novo ministro de pasta desnecessária manterá, para fins políticos, as despesas inúteis. Assim caminha a política do partido.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

'Guerra santa'

A nomeação de um bispo evangélico para o inútil Ministério da Pesca dá bem o retrato de que o PT encara a arte de governar como um troca-troca de vantagens para os políticos e para o governo. Os evangélicos são parte importante da população e ajudam a encobrir a incompetência do governo, para se manter no poder. Mas a mistura de religião com política vai acabar levando à situação em que se encontram os países árabes hoje: luta entre seitas e religiões, com prejuízos para os países e suas populações.

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

*

DIREITOS HUMANOS

Pastor condenado à morte

A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes, foi à ONU e pensávamos que, como exímia defensora desses direitos, lá estivesse na imprescindível defesa do pastor iraniano Youssef Nadarkhani, condenado à morte pela Justiça dos aiatolás e pelo ditador Mahmoud Ahmadinejad por ser evangélico e não professar a religião islâmica. Quanto à defesa do pastor, ela se calou, demonstrando que direitos humanos, para o Brasil atual, não existem, a não ser para salvar os companheiros PeTralhas dos processos em que são devedores.

WALTER GASTALDI

waltergastaldi11@hotmail.com

Londrina (PR)

*

PREFEITO TIRIRICA

Um palhaço na Prefeitura de São Paulo. Por que não? Com Tiririca, pior do que está não fica! Alguém em sã consciência 20 anos atrás diria que Lula da Silva seria presidente do Brasil?

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

SÃO PAULO MALTRATADA

Já foi um absurdo – e uma verdadeira palhaçada promovida por eleitores alienados e ignorantes – Tiririca ter sido eleito o deputado federal mais votado do Brasil, com mais de 1,3 milhão de votos, em 2010. Agora, ele deve disputar a eleição para prefeito de São Paulo, neste ano. Só faltava essa! A maior, mais rica e pujante cidade do Brasil e da América do Sul corre o risco de ter como próximo prefeito alguém que não tem a mínima qualificação, experiência, conhecimento ou nível cultural. São Paulo detém o 4º orçamento do País, é uma potência, mas vem sendo castigada e maltratada pelos eleitores com a escolha para prefeito de gente como Maluf, Pitta e Kassab. Se eles já foram um desastre para a cidade, imaginem se Tiririca for seu sucessor. Chegaremos de vez ao fundo do poço na capital paulista. 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

É POSSÍVEL

É um erro fatal menosprezar a candidatura de Tiririca. Nesse Brasil tudo é possível...

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

REVERSÃO DE VALORES

Tem alguma coisa muito errada acontecendo neste país. Está havendo uma reversão de valores brutal. Nunca se viu tanta ladroagem com o dinheiro público, tanta gente corrupta ocupando cargos públicos sérios. Agora, só faltava Tiririca ser eleito prefeito de São Paulo. Aí sim, a "vaca vai pro brejo".  O mínimo que um político deveria, para ocupar um cargo da responsabilidade que ocupa, era ter doutorado. Afinal, eles são nossos representantes. Se com estudo a coisa anda difícil, quase impossível até, sem estudo condizente, o que esperar? Que está acontecendo com a cabeça dessas pessoas? Pelo visto, eles não estão nem aí para nós daqui de baixo. Que tal sair do país do "faz de conta" e vir para o país real? Acordem, senhores!

 

Tânia Pinotti tkita@uol.com.br

São Paulo

*

NETINHO DE PAULA

O cantor e vereador Netinho de Paula (PCdoB) será pré-candidato a prefeito de São Paulo. E como ficam os mais de R$ 790 mil reais extraviados da ONG do Netinho? Será que fica valendo o "devo, não nego e pago se quiser"?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

O VEXAME VIRÁ

José Serra já declarou que será candidato. Tiririca colocou-se a disposição do partido. Haddad já confirmou que vem. Serra, na campanha para a presidência, teve sua maior votação em São Paulo, Tiririca, para deputado, teve mais de 1 milhão de votos e Haddad... Naquela velha máxima, se você bater no bêbado é um covarde, se apanhar do bêbado, é um frouxo. Pela lógica, Serra está eleito. Se Tiririca ficar em segundo lugar, Haddad teria apanhado até do Tiririca. Se Haddad ficar em segundo, teria, no máximo, conseguido vencer o Tiririca. O PT tinha engolido a pílula Kassab e todos já se desmanchavam em elogios à sua administração, na certeza de ele apoiaria Haddad. Bastou Serra anunciar sua candidatura para Kassab saltar o muro e até indicar vices, e o PT ficou a pé. O vexame virá. Coisas do PT.

Odair Picciolli odairpicciolli@moradadoscolibris.com.br

Extrema (MG)

*

O JOGO DE SERRA

O inesperado anúncio de que José Serra será o candidato do PSDB à Prefeitura provocou uma reviravolta no quadro político de São Paulo e trouxe à tona uma série de questionamentos sobre as tramas políticas dos bastidores tanto nas hostes dos tucanos quanto das demais candidaturas. Depois de reiterar que não seria candidato, a repentina entrada de Serra atropelou as prévias que os quatro postulantes tucanos participavam. Hoje, não se sabe nem mesmo se elas vão acontecer neste domingo, dia 4. Nos bastidores os cardeais tucanos cogitavam adiá-la ou até mesmo suspendê-la. Gabando-se de que era o único partido a escolher seu candidato em eleição interna, a manutenção das prévias, que segundo os jornais já custava mais de R$ 500 mil, seria a solução para conter o alto grau de insatisfação dos filiados tucanos. Mas a trama teve outro lance. Antes de Serra anunciar sua candidatura, seu fiel parceiro de todas as horas, o prefeito Kassab insistia em propor uma impensável aliança com o PT, oferecendo para isso um nome de seu PSD como vice. Tão logo seu padrinho político mudou de idéia, Kassab mudou de lado. O discurso de que alianças se fazem em torno de projetos e programas são para inglês ver e desculpas esfarrapadas que não colam. A verdade é que a aproximação de Kassab do PT não passou de uma jogada para conter e esvaziar as críticas da sua mal avaliada administração e para apressar a decisão de Serra. Hoje, o PT está tentando retomar o discurso de oposição ao prefeito, que durante as três últimas semanas havia sido esquecido por grande parte de sua bancada de vereadores. Enquanto seguem atrás de alianças com outros partidos e seus potenciais candidatos como o PDT (Paulinho da Força), PV (Eduardo Jorge), PPS (Soninha) e PC do B (Netinho), e do DEM (órfão de candidato majoritário), o único candidato que esta ganhando fôlego extra com toda essa trama é Gabriel Chalita (PMDB). Ele manteve sua coerência de oposição desde o início e é o único que já recebeu a adesão de um partido, o PMM. Apesar de hoje não contar com nenhum vereador na Câmara Municipal, o PMDB dispõe de uma boa fatia de tempo na TV que poderá conferir um discurso autêntico de oposição a gestão Kassab, marcada por ter bilhões de reais para investir neste ano eleitoral, mas longe de ter sido aceito pela população. Diante disso, Chalita poderá se beneficiar do alto grau de rejeição de Serra e, principalmente, do namoro Kassab/Haddad, patrocinada pelo ex-presidente Lula, mas que foi mal visto pelos militantes petistas. Nesse jogo, restam duas dúvidas cruciais no desenrolar das campanhas: Como será o discurso do candidato petista Haddad diante da gestão Kassab? E Serra vai cumprir seu mandato ou se lançará ao Planalto em 2014, a sua eterna obsessão? Vale lembrar: em 2004 seu compromisso foi registrado em cartório, mas rasgado dois anos depois. Vamos aguardar!

 

Ricardo L. Carmo Ricardo@sindjorsp.org.br

São Paulo

*

‘FÓRUM DOS LEITORES’

 

Há anos que observo o Fórum dos Leitores, e sempre a mesma choradeira por parte dos leitores. Em política não se aplica a máxima água mole em pedra dura... etc. Nós, a sociedade, criamos uma raça à parte, nós temos de exterminá-la, não adianta o nhê nhê nhên de sempre.

Batista C. Albino batista.albino@gmail.com

São Paulo

*

CRIVELLA ¬– O PESCADOR DE ALMAS

A presidente Dilma acredita que engana quem quando diz que o Palácio do Planalto não vai interferir nas eleições municipais e nomeia o senador Marcelo Crivella como ministro da Pesca? Está mais do que na cara que o premio de consolação é para que a bancada do PRB fique em silencio sobre o kit gay e não produza mais fogo amigo, incendiando a campanha de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo e fazê-lo desistir do apoio a Celso Russomano.  O senador Crivella, pescador de almas, agora pescará robalos e “otras cositas mas”. Pobres brasileiros, vão continuar sendo enganados pelo discurso mentiroso do PT que bate a afaga ao sabor de suas conveniências. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

OREMOS

Governo leva PRB ao ministério (da Pesca) para blindar ataque evangélico a Haddad (Estado, A4, 1/3). E eu me pergunto: por que tanto medo assim, hein? Eu mesmo respondo: para evitar vazamentos de algumas coisinhas engarrafadas no âmago da IURD, de Edir Macedo e quejandos, que poderiam prejudicar a candidatura do ex-ministro da Educação – ilustre organizador de Enems – à Prefeitura de nossa capital. Por isso, e somente por isso, foi que colocaram o bispo Crivella para tapar a garrafa – ou melhor, a boca – da comunidade evangélica, obediente, fiel e concentrada nas orientações de seus líderes. A bem da verdade, nesse particular os católicos estão bem inferiorizados, se comparados aos fiéis de Macedo. De minha parte, doravante vou me referir ao senador Crivella como bispo Marcelo Rolha, embora deixe aqui a minha recomendação a ele: cuide-se, senhor novo ministro, porque, quando a pressão é muita, nem rolha de champanhe consegue manter o gargalo em oclusão! Haja "perlage" para manter o padrão... Em todo o caso, se como Simão Pedro o bispo Marcelo Crivella, agora no Ministério da Pesca, também for pescador de almas, pode ser que, tal e qual no milagre da multiplicação dos peixes e mediante as orações da comunidade evangélica brasileira, a inflação se desmultiplique e as políticas fiscal e monetária se comportem civilizadamente. Porque se dependermos da competência desses que estão no governo, estamos perdidos! Quanto à corrupção?  Ora, ora... Deixem para lá! Isso é de somenos importância. Oremos!

 

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

CANDIDATO À ALTURA

Agora Fernando Haddad tem um candidato à sua altura, tendo em vista seu passado de altíssima relevância no Ministério da Educação mormente no que tange aos fatos ligados aos exames do Enem dos últimos anos todos. Trata-se do ilustríssimo, letrado Tiririca que anunciou que será o prefeito do povão, caso eleito. O PR nos empurra mais uma aberração goela abaixo só com o firme intuito de nos ofender moralmente e psicologicamente. Qual o verdadeiro intuito disto? Brincadeira tem limites o este partido nanico e sem escrúpulos está beirando o surreal, o absurdo, além da imaginação! Por isso somos um país subdesenvolvido, cheio de falcatruas, mensalões, sanguessugas, fraudes em todos os níveis, conchavos, sarneys, collors, lullopetismo, etc. Existe uma música americana da década de 70 do conjunto Ace chamada: How long is this being going on, ou seja por quanto tempo isto ainda vai perdurar?.

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

PESCANDO APOIO

Aleluia!  O governo de Dilma eleva o bispo Crivella – senador pelo PRB/RJ – a ministro da Pesca, com isso querendo pescar o apoio da bancada evangélica à candidatura de Haddad. Tem lógica... peixe é um animal absolutamente mudo, e é assim que o governo pretende manter os evangélicos insatisfeitos, entre tantas questões, com as ameaças de legalização do aborto. Eu não sou evangélica, mas sou tão cristã quanto eles, e espero que eles se mantenham firmes no seu posicionamento, pois questões de fé são inegociáveis. Não são? Ou são?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

A ISCA NO ANZOL

Viram como se governa um país? Nomeando quem não entende nada para ser ministro. O recém nomeado ministro da Pesca, Marcelo Crivella, disse que não sabe colocar nem uma isca no anzol. Querem o quê? Viram o histórico deste ministério? Com exceção do 1º a ser nomeado, que era agricultor, todos os outros foram nomeados e nem sabem por que foram. Aliás, qual a finalidade deste ministério? Isso não poderia ficar dentro da pasta da Agricultura? Isso é novidade ou exclusividade petista? Não. Todos os governos fazem isso. Vejam o PSDB no governo federal, nos Estados e municípios, ou o DEM, ou o PMDB? Todos são iguais. Agora, concordo que o PT chega a ofender o cidadão com aumento destes abusos. Nomeia sem nenhum critério. Até diretoria criou na Petrobras para acomodar o José Eduardo Dutra.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PERDIDO NO MINISTÉRIO

O novo ministro da Pesca, Marcelo Crivella, está boiando.

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

*

PESCARIA

Pela constante substituição de ministros no importante e eficientíssimo Ministério da Pesca, conclui-se que o trabalho lá é árduo. Por que não fazer divisão de tarefas criando os Ministérios da Pesca em Águas Salgadas (com supersecretarias de Peixes de Escama e Peixes de Couro) e Ministério da Pesca em Águas Doces (subdividido em Supersecretarias de Rios, Lagoas e Riachos)? Não seria uma medida extremamente importante para dar maior velocidade ao incrível desenvolvimento do País? Que acha, presidenta Dilma?

Walter Duarte duartecont@globo.com

São Caetano do Sul

*

MINISTÉRIO PARA QUÊ?

O Ministério da Pesca deve ser vir para acabar com o setor. Segundo o IBGE, na criação da pasta, em 2003, o setor tinha superávit de US$ 222.804.451.  Em 2010, acumulava déficit de  US$ 757.169.796 . A conclusão é imediata: a Pesca, no Brasil, ia muito melhor sem ministério algum! Já para os companheiros, sempre renderá algum carguinho interessante.

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

PEIXE PODRE

Do Ministério da Pesca, utilizado pelo governo da presidente Dilma Rousseff tão somente para promover politicagem e negociatas, exala um permanente e catinguento cheiro de peixe podre.

 

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

A CONTA PARA DILMA

A coisa não deve estar lá muito católica pelos ares brasilienses, porque parece que a gerentona foi colocada de joelhos e está tirando até petistas de ministérios para colocar no lugar os tais “coligados”! Tudo bem que o Ministério da Pesca não pode ser chamado de "O Ministério", mas tem lá suas verbas que devem alegrar muita gente, porque colocar como ministro um pastor de ovelhas, para aprender a pescar é no mínimo desespero de causa! Será que o jeito durão da presidente Dillma em início de mandato fez lá seus desafetos políticos que cobram agora seus “dízimos”?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

A RESPONSABILIDADE DE CRIVELLA

 

O novo ministro da Pesca, Marcelo Crivella, afirmou que acompanha o ministério desde 2003 e que: "eu partido já ocupou uma secretaria com status de ministério, que fez um estudo de metas e que a pesca previa gerar um milhão de empregos, triplicar a produção sustentação da agricultura, duplicar a captura de peixes e duplicar o consumo per capita de peixe no Brasil. Acho que nós devíamos ter uma Embrapa da pesca", disse. Pois bem, esse malfadado Ministério da Pesca, criado no governo anterior, até o momento somente conseguiu gerar empregos foi no próprio ministério, pois de uma secretaria com pouco mais de duas dezenas de funcionários, hoje opera com algumas centenas de funcionários. Visitando o site do Ministério observa-se que apenas nos quadros executivos (ministro, secretários, assessores e coordenadores) são 60 pessoas. Enquanto isso, o volume de pescado no Brasil vem decrescendo dramaticamente ano a ano, inclusive como mostram reportagem recentes. No entanto, apesar de aumentar significativamente seus quadros, não foi apenas a produção pesqueira que diminuiu no país, mas também os dados disponíveis no Ministério. A última Estatística de Aquicultura e Pesca no Brasil data de 2007 e foi feita pelo Ibama, apesar de que a Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca ter sido criada em 2003. Dessa forma, caro ministro Crivella, sua responsabilidade é aumentada para que realmente transforme em ações e produtos o que afirmou em sua posse.

 

Edison Roberto Morais ermorais@uol.com.br

São Paulo

*

SALVEMOS AS SARDINHAS

Espero que o Marcelo Crivella consiga apoio do seu deus para converter os predadores da sardinha na costa catarinense em pescadores de sardinhas para vendê-las ao povo, e não em jogá-las para os atuns. A safra anual de 1982, quando não existiam, os atuneiros foi de 482 mil toneladas.

Hélio Mazzolli mazzolli@terra.com.br

Criciúma (SC)

*

PROJETO NUCLEAR OU ALIMENTOS

A Coreia do Norte acaba de confirmar que o estômago continua sendo o regente do universo. Após tantas bravatas científico-militares, o regime do herdeiro de ditador demonstra sua fragilidade, já que nem sustentar-se consegue. Portanto, os grandes celeiros do mundo, inclusive o Brasil, continuarão, devido ao seu peso específico, mais do que os produtores de energia, a influenciar na política global.

 

Caio Augusto Bastos Lucchesi cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

*

UM PASSO PARA A PAZ

As uvas da paz efetiva ainda não amadureceram, apesar dos avanços positivos do grupo dos seis (as Coréias, os EUA, a China, O Japão e a Rússia), precisamente no sentido do que há tempos se preconiza: a troca de empenhos militares estéreis por alimentos que minimizem a fome crônica da Coreia do Norte. A Coréia do Sul, principalmente, tem motivos para não ser crédula, depois do bombardeio da ilha de Yeonpyeong e do afundamento de sua corveta, com a morte de 46 marinheiros, em 1910. De qualquer modo, a mudança, ainda que meramente sucessória e familiar, do regime de Pyongiang e, o compromisso de suspender os testes nucleares e, sobretudo, a autorização para inspeções, são os avanços que, no momento, correspondiam ao realismo.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

ESCORPIÃO

Palavra de comunista é como palavra de escorpião, não vou picar, acredita o imbecil que quer acreditar.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

(IM)PERÍCIA

Com toda repercussão da tragédia do Hopi Hari, como foram fazer a perícia na cadeira errada? Isso sim, é estranho! E o problema era crônico, oito meses, segundo funcionários. Quem fiscaliza isso aí? Imaginem outros parques menores e no interior do País.

 

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

*

MORTE E LUCRO

Que coisa triste, passível de cadeia por omissão, por crime: o Parque Hopi Hari não nega que a cadeira, cuja trava se abriu e matou a garota  era inoperante há anos.  Cadê a manutenção diária e preventiva do parque?  O que leva a manter um brinquedo (ou muitos) sem a devida manutenção, durante tanto tempo? Não seria a ganância? Na minha terceira e última visita ao parque numa sexta-feira, havia muitos ônibus escolares. Fiquei estarrecida com o comportamento das crianças:  não respeitavam as filas, e faziam muita baderna, portanto é previsível que haja brinquedos quebrados, pois o vandalismo imperava. No brinquedo Rio Bravo – uma boia com talvez uns 10 acentos, sem cinto de segurança – os adolescentes ficavam em pé, colocando a si mesmos e aos demais passageiros em risco. Quando reclamei com um dos funcionários da parque, o que me foi respondido era que eles estavam pagando e por isso não poderiam ser constrangidos.  Será que em parques de outros países existe essa leniência, essa tolerância com vandalismo, em nome do lucro?

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

ABSURDO

Infelizmente o Hopi Hari teve uma atitude lamentável ao levar a perícia – muito ingênua? – a fazer a investigação na cadeira errada. Coisa de simples verificação bastava ver a foto da família que comprova a exata localização da vítima – fato que deveria ser constatado anteriormente. Na cultura deste País sempre os poderosos procuram levar vantagem mesmo numa situação como essa onde perdeu-se uma vida. Simplesmente absurdo!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

HOPI HARI

Sempre quando houve um acidente em parque de diversão foi fechado integralmente, para fazer uma vistoria completa, mais desta vez não aconteceu, será porque, dois pesos e duas medidas, sem saber que os outros brinquedos estão seguro, o Hopi Hari continuou a funcionando, será que eles esperam que morra uma criança em cada aparelho, para suspender o funcionamento, a desculpa que tinha muita gente com planejamento de divertimento marcado, é um irresponsabilidade e uma falta de respeito pela morte da jovem, ainda mais agora que veio a tona que o aparelho tinha cadeirinha com defeito, quantos mais poderá ter defeito?

Reginaldo de Paula reg.paula@hotmail.com

Campinas

*

FÚRIA ARRECADADORA

É inconcebível o governador Geraldo Alckmin emprestar policiais militares para o “alcaide” Gilberto Kassab aumentar a arrecadação municipal através de multas aos motoristas dessa cidade, até mesmo os mais respeitadores das leis de trânsito como eu. Hoje passei por um comando de trânsito, onde vi um policial militar anotando placas de carros aleatoriamente. Qual seria essa intenção se não multar depois. Esse policial militar teria uma meta a cumprir? (encher o bloco de multas). Tenha paciência senhor governador, use esses policiais para o serviço a que foram treinados, ou seja, tirar de nossas ruas ladrões, assassinos, etc... dar mais segurança para nós paulistanos, que somos obrigados a pagar seguros altíssimos de nossos veículos, para proteger nosso patrimônio, que seria sua obrigação governador. Afinal, o senhor foi eleito, para entre outras obrigações, cuidar da segurança e não da “multança”.

 

Pedro Luiz Scalisse iedro@uol.com.br

São Paulo

*

FÁBRICA DE MULTAS

“Cinzinhas”, “marronzinhos” ou “amarelinhos”, são todos farinha do mesmo saco, onde a função básica é a de orientar e supervisionar com a finalidade de fluir o tráfego para evitar congestionamentos. Porém com certeza absoluta são orientados por Gilberto Kassab com a finalidade única e exclusiva de "faturar" cada vez mais para a "fábrica das multas".

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MARRONZINHOS NA AREIA

Que tal marronzinhos na areia das praias, multando pilotos de Jet skis infratores? Talvez multas sejam a motivação, já que a segurança dos banhistas não parece interessar.

Carmen Quadros csdeoquadros@uol.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO ANTÁRTICA

Pane elétrica, incêndio na casa de máquinas, troca do combustível utilizado, não importa, o grande causador da destruição da estação Antártica Comandante Ferraz, foi a política de distribuição de verbas implantada pelo governo Lula: nada para a cultura, pesquisa e educação e tudo para as "bolsas suborno" e para o financiamento dos ditadores amigos do rei.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ESTAÇÕES DE VERDADE

Estações na Antártica deviam ser separadas em duas classes: as de primeira categoria, localizadas entre as latitudes 70º S e 90º S ( 4 dos EUA, 1 da Nova Zelândia, 1 da Rússia, 1 da Argentina e 1 do Reino Unido ) e as demais, de periferia, de segunda categoria.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

CADEADO NA PORTA

Com o incêndio na Antártida, o governo brasileiro passou cadeado na porta. Pena  que só depois da porta arrombada, digo incendiada.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

RICARDO TEIXEIRA FICA NA CBF

Depois de reunião de mais de três horas nesta quarta-feira, no Rio, os 27 dirigentes das federações de todos os estados do Brasil, não poderiam moralmente decidir outra coisa; senão, concordarem que o sr Ricardo Teixeira continuasse a frente no comando da CBF e da Copa 2014. É difícil, quase impossível saber qual dos dirigentes das Federações estaduais responsáveis pelas eleições de Teixeira teriam coragem de contrariar as metas desse dirigente do futebol brasileiro! Com tantos favores e bom grado, algum dos dirigentes das federações teriam coragem de contrariar as pretensões do chefão? Sem poder ser ao contrário, decidiram que Teixeira continuasse no trono que vem ocupando desde 1989. Menos mal! Sabe quem seria seu possível substituto? Nenhum dos herdeiros inspiraria confiança. Muito menos que o Teixeira. Só para ter uma idéia, até o Fernando Sarney, filho daquele homem que mantém refém e pobre o povo maranhense, poderia ocupar o cargo de quem está destruindo o futebol brasileiro. Tanto na política quanto no futebol, a tsunami brasileira é brava.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

REALISTA

Sejamos realistas: o barulho em torno da saída ou permanência de Ricardo Teixeira à frente da CFB e a avalanche de notícias sobre possíveis ilegalidades ou irregularidades na entidade são só para vender notícias. Ele só sai dali, morto ou se quiser. Teixeira tem o apoio da Rede Globo, manda na seleção, comanda o projeto da Copa do Mundo, controla bilhões de reais em publicidade, obras etc. Muitas das obras e serviços relativos á esse evento serão tocados por políticos empresários/empreiteiros e assim, Teixeira tem o apoio que faltava. Não existe nenhuma autoridade constituída hoje no País que tenha moral ou força para expulsá-lo da CBF.

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

SERÁ QUE FICA PRESO?

Quem quer apostar que o Carlinhos Cachoeira – aquele filmado pedindo propina para o “homem” – não vai ficar nem uma semana na cadeia?

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

A SALVAÇÃO DO SETOR TÊXTIL

Ideia visionaria e impar de uso de uma autoridade econômica (BNDES), tendo aliada uma grande liderança política (presidenta), para resolver problemas de esqueletos judiciais históricos, que só se amontoam e prejudicam o já lento judiciário brasileiro. Tem em contrapartida empresas de renome e importantes geradoras de emprego, que reverteriam uma situação de insolventes para solventes, voltando a ter relevantes resultados que se traduziriam em lucros expressivos para o governo e socialmente falando, deixando de tirar empregos do setor têxtil (um dos maiores geradores de emprego no Brasil). Ideia: Temos vários casos na justiça com pareceres favoráveis em varias instâncias do credito de IPI exportação, relevantes para empresas,  do outro lado passivos em impostos a credito do governo,  também relevantes. Por que não fazer um encontro de contas e ter um denominador comum? Se controladores das empresas vendessem participação ao BNDES em % que dessem a elas uma garantia destas contingências fossem pagas, o governo e as empresas acertariam pendências históricas com relevantes resultados para ambos. As empresas e BNDES  teriam retornos significativos anulando as pendências absurdas e históricas e podendo o BNDES no futuro fazer leiloes de ações na Bovespa de suas participações nas empresas já com resultados relevantes e visadas por grandes fundos de pensões e até fundos estrangeiros ou equity funds. Vejam o que a presidenta diz: 17 de fevereiro de 2012 - A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira que o Governo aprofundará as medidas tributárias e de acesso ao crédito para estimular a produção e as exportações com o objetivo de ganhar competitividade no contexto de crise. "Neste ano aprofundaremos as medidas tributárias de estímulo à produção e à exportação. Crédito em condições mais adequadas,  estímulo à inovação e formação de mão de obra e adoção de medidas de defesa comercial", declarou Dilma, segundo um comunicado da Presidência. A governante pronunciou estas palavras na abertura da Festa da Uva, no município de Caxias do Sul. "Temos certeza que o Brasil será um dos poucos países nesse cenário internacional que vivemos a ter uma taxa de crescimento significativa", acrescentou. A presidente considera que a crise internacional exige do mercado brasileiro uma maior competitividade, além de medidas adicionais de estímulo para combater "todas as práticas comerciais depredadoras". A Presidente anseia por novas ideias que solucionem, desenvolvem e defenda a indústria nacional, como ela diz, contra "praticas comercias depredadoras". O fortalecimento da indústria com parcerias, onde todos são ganhadores resolvendo impasses jurídicos ou "esqueletos históricos" fazendo do limão (que é ruim para todos) uma bela limonada (bom para todos, desde que sejam parceiros). É a excelência em termos de resultados e altamente promissor para fortalecer nosso parque industrial tornando-o um importador de manufaturados , para exportador e continuando a exportador de matérias primas dos excedentes de nosso consumo, ainda sendo grandes nesse quesito, pela pujança de nossa agricultura. Vejam exemplo da Índia no algodão (safra 2010/11,com problemas mundiais de safras, fechou as fronteiras e a cotação da commodity teve alta no absurdo 300%, um marco histórico). A industria agradeceria e o governo sairia com ganhos financeiros relevantes, dividendos políticos impares e históricos,

principalmente estancando e resolvendo um problema de longa duração, do setor têxtil, que há muito(1990, abertura comercial do Collor, real valorizado, vem sendo penalizado e agora mais recentemente depredado pelo chineses. O absurdo "estão tirando proveito de nossas relações amigáveis com vizinhos,Paraguai e Uruguai, não dando trégua nesta guerra comercial visivelmente prejudicial ao Brasil. Como dito pela Presidenta, "a crise internacional exige do mercado brasileiro uma maior competitividade, além de medidas adicionais de estímulo", quer maior estimulo que esse e ainda com ganhos em escala para o Brasil!

Hugo Ferreira hugo_rferreira@hotmail.com

Belo Horizonte

*

NOVO INCIDENTE COM A COSTA CRUZEIROS

O Costa Marina, o menor da frota da subsidiaria da Carnival, a Costa Cruzeiros, é  um dos mais agradáveis e simpáticos navios de cruzeiro, junto com o Costa Allegra. Ambos, antigos porta-containers de origem finlandesa, se tornaram antieconômicos e foram adquirido pela Costa Cruzeiros que os adaptou ha cerca de 30 anos. Com capacidade limitada de cerca de 700 passageiros, acrescentavam ao charme dos primeiros cruzeiros, o atendimento primoroso. Mas, assim como no mais famoso Eugenio Costa, a estrutura mecânica mostrou bem cedo o peso do tempo. Em meados dos anos 90 o Eugenio "C" sofreu a mesma pane no único gerador dos dois ainda funcionando  ao regressar  da Patagônia.

 o blackout com direito a incêndio  se deu a 500 metros do cais no porto de Santos.  Uns dias antes e a catástrofe num mar de força 10 montante, teria contabilizado mais de mil vitimas por afogamento ou congelamento, Tudo se resolveu com um vale de US$ 300 e outro por cruzeiro equivalente mas... com prazo de utilização entre um ano. A obrigatória manutenção comporta em parada nos estaleiros e numa perda diária de receita de cerca de US$ 60-100 mil, prejuízo inaceitável pelos antigos donos genoveses, e aparentemente pelos atuais norte-americanos. E as vistorias obrigatórias das autoridades portuais? Como se vê, os generosos cruzeiros oferecidos, aparentemente com excelente retorno econômico, funcionam como bom fechamento de um olho... ou dos dois

 

Arrigo Lenzi, ex-presidente de cabotagem e diretor da Costa Cruzeiros de 1994 a 1999 aalenzi@hotmail.com

São Paulo

*

PAULO DE MELLO BASTOS

Fiquei muito comovido com a publicação feita pelo Estadão sobre o falecimento do arquiteto Paulo Bastos no dia 28 de fevereiro. Para mim foi uma grande perda, de um amigo, e de um grande mestre. Tive a honra de conhecê-lo, e de ter sido seu orientando, de ter trabalhado em seu escritório em alguns projetos. Penso que não somente São Paulo está de luto, mas o Brasil inteiro; pois foi ele "um grande pensador" no que tange a área de Humanismo, Arquitetura e Urbanismo. Com suas idéias, Paulo Bastos enriquecia de conhecimentos, através de projetos, palestras e conversas, a todos que pudessem ter contato com ele. Estou entristecido, pois o Brasil perdeu "um grande ícone da Arquitetura" que com certeza poderia contribuir muito mais com a sua genialidade para a melhora da paisagem urbana, não só de São Paulo, como também do Brasil inteiro. Onde estiver, Paulo, envio-lhe o meu "muito obrigado" por tudo que aprendi com você! E parabenizo o jornal O Estado de S. Paulo por ter se lembrado de "forma honrosa" sobre o nosso querido amigo arquiteto Paulo de Mello Bastos.

Riccardo Testi  www.riccardotesti.blogspot.com

São Paulo

*

CULTURA NACIONAL

Meus sinceros parabéns pela equipe maravilhosa de colunistas, críticos e enviados especiais do Caderno 2 que desvelam nosso dia a dia através de suas crônicas poderosas, suas entrevistas marcantes e seus artigos interessantes que matam a nossa fome por lucidez! Interpretam o nosso cotidiano com seu olhar aguçado e bem treinado para ver melhor e além do puro fato. Desdobrar cada mistério brasileiro em seu sentido oculto como o Roberto da Matta e o Sérgio Telles, ativar nosso senso crítico com o paladar refinado do Arnaldo Jabor e as delícias insuperáveis de Luiz Fernando Veríssimo e rede tesa de João Ubaldo Ribeiro. Ler o que nos trazem do cinema o Jotabê Medeiros com o auxílio luxuoso de Luiz Zanin e Luiz Carlos Merten, saborear com calma as impressões líricas de Ignácio de Loyola Brandão, a verve cosmopolita de Lúcia Guimarães, a potência de Lee Siegel e a descontraída elegância de Marcelo Rubens Paiva.Fora o povo das Artes Plásticas e do Teatro! E pra coroar esse naipe de feras, cito também o Poeta Oscar Quiroga que faz previsões como quem verseja, tamanha sintonia astrológica e poder de síntese literária. Espero que o nosso saudoso Daniel Pizza esteja bem feliz ao lado de Machado flutuando nas nuvens e dando vivas a estes homens e mulheres que prezam pela cultura nacional! Amém.

 

Eleonora Bettiol Prado da Silva noraprado@greco.com.br

Embu das Artes

*

ESCLARECIMENTO – MINISTÉRIO DA CULTURA

Em resposta à carta do leitor Sr. Antônio Jader Pereira dos Santos, publicada na edição de 27/2/2012 do Fórum dos Leitores, o Ministério da Cultura esclarece que: 1) O Prêmio Areté foi cancelado por determinação da Auditoria da Controladoria Geral da União, reiterado por parecer da Consultoria Jurídica e da Assessoria Especial de Controle Interno do MinC. 2) Todos os selecionados foram comunicados e o processo de sindicância para apurar responsabilidades tem o prazo final previsto para maio de 2012. 3) No caso da edição 2009 do Prêmio de Culturas Populares, que homenageou Mestra Izabel, foram pagos 196 prêmios de R$ 10 mil, em conformidade com o edital publicado.  A iniciativa de ampliar a concessão dos prêmios para mais 200 mestres não se efetivou, pois não havia amparo legal. 4) A edição do Prêmio Culturas Populares 2012 concederá 400 prêmios a mestres e mestras em todo o país. 5) Em consequência de análise da CGU e de auditoria interna sobre os prêmios do Programa Cultura Viva (2008 a 2010), está em implementação um Plano de Providências, monitorado pela CGU, para aperfeiçoar as ações desenvolvidas. 6) O MinC, em parceria com o IPEA e com a participação de representantes de gestores estaduais e municipais, da Comissão Nacional de Pontos de Cultura e de parceiros, iniciou em dezembro de 2011 o redesenho do Programa Cultura Viva para consolidar as conquistas e promover a pactuação de protocolos e metodologias, além de uma política de fomento e financiamento junto ao Sistema Nacional de Cultura.

Marcia Rollemberg, secretária de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura imprensa@cultura.gov.br

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.