Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

15 Março 2012 | 03h09

Crise na base aliada

Dilma Rousseff trocou os seus líderes na Câmara dos Deputados e no Senado. Tirou duas figurinhas carimbadas e as substituiu por outras... De nada vai adiantar, suas novas lideranças vão causar mais polêmicas. O grande erro de Dilma está em não saber manter e controlar a sua base aliada.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

carlosedleiloes@terra.com.br

São Paulo

*

Mudança de líderes

Ao ler a reportagem sobre a troca de líderes no Congresso (14/3, A4) e cotejá-la com a opinião de José Nêumanne (Um chute no traseiro da Constituição, 14/3, A2), fico pensando no que, de fato, esses políticos fazem ao longo do dia senão cuidar de seus interesses e de suas castas, enquanto confabulam sobre a tomada do poder... Quanto aos interesses do povo, bem, quem se preocupa com o povo? O povo é mantido em cativeiro (no sentido amplo, tolhido em tudo e de quase tudo), sendo agradado com migalhas de quando em quando somente por causa das eleições...

GUILHERME ASTA LOPES

guilherme@asta.adv.br

Barueri

*

Retrocesso

As fotos na página A4 de ontem são o retrato fiel do Congresso. Conversas reservadas em grupelhos de parlamentares, murmúrios aos ouvidos, Temer confabulando com Sarney, todos, enfim, urdindo estratégias em benefício próprio e de seus partidos. Projetos importantes paralisados, um marasmo institucional a toda prova, enfim, o País praticamente inerte por causa do Poder Legislativo. Interesses pessoais e partidários têm prevalência sobre tudo, em detrimento dos descuidados interesses nacionais. Até quando?

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

Troca-troca no Congresso

A presidente Dillma ainda não sacou que se não der aos coligados tudo o que seu antecessor lhes deu vai se cansar de ficar trocando dois por meia dúzia. O toma lá, dá cá instituído por Lulla não será fácil de extirpar da nossa classe política. Criou-se o troca-troca individual, em vez da responsabilidade de legislar em favor do Brasil. A herança maldita de Lulla criou raízes difíceis de cortar, e como ela é a continuidade...

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PMDB

O PMDB ameaça "declarar guerra ao governo". Quem viu o partido na sua origem e vê no que ele se transformou... Isso deve fazer seus fundadores se revirarem na tumba! Sem sombra de dúvida, o PMDB é o partido mais adesista e oportunista da História do Brasil. Seu lema: "Tem governo? Então, somos a favor" - desde que o governo apoiado por ele esteja preocupado com o povo ($$$). O que o PT esperava quando se aliou a essa turma? Há um ditado que diz: dize-me com quem andas e te direi quem és. É isso aí, os iguais se procuram.

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

Sob investigação

O novo líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), está sendo investigado por supostos crimes na desapropriação de um terreno quando era governador do Amazonas (2003-2010). O caso foi enviado ao STF em janeiro. Será que não existe um único político que não esteja envolvido em algum caso de improbidade?

JOSÉ MARQUES

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO MUNICIPAL

Haddad, the Kid

O ex-ministro Fernando Haddad disse que "Serra foi cruel com a educação". Cabe perguntar o que foi Haddad, com suas trapalhadas e seus equívocos ideológicos, pau-mandado de grupelhos de esquerda, delfinzinho do Lula. Foi aldrabão? Remendão? Troca-tintas?

ALEXANDRE DE M. MARQUES

ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

TOMBAMENTO

Contestação

A reportagem Tombamentos demoram até 20 anos e São Paulo mantém 1.237 imóveis 'congelados' trata de uma questão complexa e alguns equívocos merecem esclarecimento. O elevado número de imóveis indicados em abertura de processo de tombamento é resultado, principalmente, de duas iniciativas tomadas pelo Conpresp, em momentos distintos, para coordenar dois instrumentos legais que São Paulo possui para preservação de bens culturais, igualmente relevantes: o tombamento e o zoneamento de proteção. Antes mesmo da criação do Conpresp, por meio de dispositivo pioneiro da Lei de Zoneamento, entre 1972 e 1974, que criou a "zona especial de preservação", a Z8-200, deu-se início à proteção legal de bens de interesse cultural na cidade. Como decorrência dessa legislação, mais de 850 imóveis foram protegidos pela Lei de Zoneamento, independentemente de seu tombamento por qualquer esfera de preservação. Em 2004 a Câmara Municipal discutiu o novo Plano Diretor e a legislação de zoneamento. Na ocasião, o conceito de Z8-200 foi aperfeiçoado, resultando nas Zonas Especiais de Preservação Cultural (Zepecs).No mesmo ano a Câmara aprovou expressivo número de indicações de imóveis como Zepec. Por cautela e para reconhecer provisoriamente o interesse da sociedade, acatado pela Câmara, encaminhadas por intermédio dos Planos Diretores Regionais das Subprefeituras, o Conpresp abriu, pela Resolução 26/2004, o processo de tombamento de centenas de imóveis e vários núcleos de bairros indicados pela Lei 13.885/2004. Cerca de 90% dos imóveis destacados com tanta ênfase no título da matéria não se encontram no limbo: há mais de 30 anos já são protegidos por legislação de zoneamento e não são desconhecidos pela população paulistana, como se repete ao longo do texto. Sobre o conjunto de 41 casas e galpões industriais do Brás, informamos que o tombamento definitivo foi deliberado em 1992, dois anos depois da abertura do processo, o que contraria o teor da reportagem.

JOSÉ EDUARDO LEFÈVRE, presidente do Conpresp

conpresp@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. - As considerações da Secretaria da Cultura estão na matéria. Foram os próprios donos dos imóveis que informaram à reportagem o status de suas propriedades. Quanto às 41 casas e aos galpões industriais do Brás, eles dizem respeito à Resolução 4/90, que trata de imóveis nas Ruas do Bucolismo, Fernandes Silva, Sampaio Moreira e Monsenhor de Andrade, e não às construções mencionadas na carta.

*

DILMA E O COMEÇO DE SEU INFERNO ASTRAL

 

No começo era a base aliada tão expressiva – quantitativamente – que Dilma podia dar-se ao luxo de governar sem alterar seu estilo pessoal, enérgico, executivo e sem táticas e acomodações políticas. Como essa base, em sua maioria, nunca visou o bem do Brasil, mas os cargos que tornam mais felizes seus acólitos, o divórcio, mais cedo ou mais tarde, era uma crônica anunciada. Começou com o PR. Sete senadores pesam e as dezenas de deputados do partido que foram para a oposição tendem a acompanhá-los. O PMDB rosna como um leão aprisionado, ávido de ganhar a liberdade e prover-se das generosas vitaminas do Estado brasileiro. Inicia-se o grande teste da presidente, pelo qual não passaram presidentes que portavam experiências bem mais significativas.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

TENSÃO GOVERNO

 

Toda a tensão política existente neste momento com a base governista, provavelmente, deverá refletir nas próximas votações de interesse do governo no Congresso Nacional. Essa eventual “represália” por parte dos aliados, contrários à troca de líderes no Senado e na Câmara, deve ganhar mais força e causar um mal-estar ainda maior entre os membros da equipe do governo. E, como sempre, o povo será o maior injustiçado. Afinal, já se torna naturalmente difícil e morosa a aprovação de leis e projetos de interesse social no Congresso com a maioria governista, imaginem se esta suposta ameaça realmente se concretizar...

 

Filipe Luiz Ribeiro Sousa filipelrsousa@yahoo.com.br

São Carlos

 

*

CONGRESSISTAS HUMILHADOS

 

No Congresso Nacional – composto de duas Casas: o Senado, integrado por 81 senadores, que deveriam representar as 27 unidades federativas, e a Câmara, integrada por 513 deputados federais, que deveriam representar o povo –, vergonhosa e humilhantemente, 80% dos parlamentares, de “joelhos” perante o Executivo, só votam matérias de interesse deste (des)governo, ao invés de representarem os interesses da Nação.

 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

VACCAREZZA

 

O nobre deputado Vaccarezza (PT-SP), aquele que defendia a Dilma até debaixo d’água, tomou um pontapé no traseiro e ficou parecendo cachorro caindo de caminhão de mudança. Ou seja, mesmo dando nó em pingo d’água, a presidenta, por capricho, dispensou-o sem prévio aviso? No PT é assim mesmo, descarta-se como se fosse plástico? Acredito que Vaccarezza, mesmo sendo antigo no partido, pela sua trajetória não deveria ter sido tratado como nada.

 

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

Belo Horizonte

 

*

VAGAREZA...

 

Parece, que a Dilmona descobriu que o nome correto do Vaccarezza é, na certa, Vagareza.

 

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

 

*

ROMERO JUCÁ

 

A melhor definição do defenestrado Romero Jucá  que ouvi até agora: “É um político típico do Brasil – sem ideias, assexuado ideologicamente e vive do toma lá, dá cá. Nos tempos bíblicos, poderia ter sido servil tanto a Davi como a Golias”.

 

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

 

*

INTERIOR DE SP

 

Muito boa a iniciativa do Estadão de criar uma coluna dedicada ao interior de São Paulo, que é bastante pujante economicamente e, portanto, de importância fundamental para o desenvolvimento do País. O interior merece mais atenção dos leitores, que precisam saber o que faz o governo do Estado pelas suas cidades, tais como Campinas, São José dos Campos, Santos, Ribeirão Preto e outras mais. A impressão que se tem hoje é que todas as atenções do governo do Estado se restringem à área metropolitana da capital. Parabéns ao Estado pela nova coluna.

 

Sergio Lopes blackfeet@uol.com.br

São Paulo

 

*

SERRA, HADDAD E A EDUCAÇÃO

 

Segundo Fernando Haddad, quando era ministro do Planejamento, José Serra foi cruel com a educação, afirmativa com a qual não concordo, por fugir totalmente da realidade. Mas já que o tema é a educação, no caso de Haddad, quando ele era ministro, a educação é que foi cruel com ele, pois não deixou ele acertar umazinha sequer. Foram diversas polêmicas e escândalos, passando pelos exames do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) cancelados, refeitos, vazados e surrupiados, pelos vergonhosos livros do “nós pega o peixe”, pelo inacreditável kit anti-homofobia, pela demagógica crítica à ação policial para reintegração de posse da reitoria da USP, dentre outras grandes trapalhadas.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

CANDIDATO SOLITÁRIO

 

O PT, aquele PT que "dizem" que tinha ética, transparência e que durante anos mobilizou grande parte dos brasileiros, esse PT parece que mixurucou. Hoje PT é Lula, com toda sua carga positiva e negativa. E tão somente Lula. Viu-se isso quando ele, carregando por quase dois anos a desconhecida Dilma a tiracolo, conseguiu levá-la à Presidência da República. Agora, infelizmente, Lula está no "estaleiro" e seu indicado a concorrer à Prefeitura de São Paulo está correndo solitário, e o trajeto de sua campanha mais está a lhe parecer uma esteira rolante.  Fernando Haddad, tentando demonstrar otimismo, proclama que Lula está muito bem e já na próxima semana retoma sua vida pública, e que, portanto, as coisas vão mudar. Infelizmente, sua declaração só confirma sua incapacidade de, por si mesmo, se mostrar o melhor candidato para os eleitores... Enem dá mesmo.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

HADDAD AVISA: LULA VEM AÍ

 

Demonstrando independência e grande brilho pessoal, Fernando Haddad já avisa que Lula vem aí. Quem não conhece como se portam alguns meninos mimados quando estão perdendo um jogo, não é? Chamam o papi e com muita coragem vão logo advertindo os coleguinhas adversários: "Pois agora quero só ver: o papi superpoderoso está chegando! Ele vai logo mostrar para vocês quem tem de ganhar esse jogo!"

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

DE VOLTA À ATIVA

 

O Lula saiu do hospital, mas mesmo lá não "largou o osso", com medo de perder sua importância no cenário,  até usando a  doença, da qual não se sabe qual a gravidade real desta, para usar politicamente hoje e amanhã se concorrer novamente à Presidência, já que a presidente criatura apenas a esquenta aguardando sua volta. Venderá sua imagem aos eleitores ignorantes do País como aquele que nem o câncer derrota.  Por mim, ele sara e ainda viverá bons anos para dar tempo ao aparecimento de uma liderança honesta que o derrube do pedestal e revele toda a podridão no período do governo  petista.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

 

*

BAIXO ÍNDICE DE APROVEITAMENTO

 

Os paulistanos tentam dizer ao candidato Haddad, através das adversidades: "e", "nem", também, mas, porém, todavia, entretanto...

 

Mara Fonseca Chiarelli mara.chiarelli@ig.com.br

Mogi Guaçu

 

*

GESTÃO HADDAD

 

Educação no Brasil herdada da gestão Haddad: "Tem para vender, para que aprender?".

 

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

 

*

ADMINISTRAR?!

 

Novas descobertas indicam que mais escolas no Ceará tiveram acesso às provas do Enem/2011. E agora mais alunos saem prejudicados com essas descobertas. E o atual ministro da Educação, sr. Mercadante, disse que o MEC não tem culpa de o Brasil ser tão grande? Preocupa que o atual ministro Mercadante (PT) apoia o ex-ministro da Educação Fernando Haddad (PT), que não conseguiu administrar 6.221.697 candidatos ao Enem, mas quer candidatar-se a administrar a Prefeitura da maior cidade do Brasil, que é São Paulo, com 10.886.518 de habitantes. Nós não merecemos incompetentes!

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

INÚTIL

 

Fernando Haddad está  empenhado em criticar a gestão do atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD). Não vemos a menor necessidade desse empenho e de continuar batendo na mesma tecla, pois a população paulistana sabe muito bem e o classifica como um péssimo prefeito e o pior que a cidade já teve. Portanto, se achar que essa atitude lhe trará votos, desculpe minha franqueza, mas pode se considerar derrotado.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

CAOS ORGANIZADO

 

O caos está tão organizado no governo Dilma que os cardeais do PT esperam que Lula auxilie sua companheira estafeta, a presidente, para poder acalmar as crises com os militares, e com a candidatura de Haddad para a Prefeitura de São Paulo. No meu modesto ponto de ver, devido ao seu estado doentio, Lula deveria se aposentar de vez, e gozar essa merecida regalia nas edênicas ilhas dos irmãos Castro, seus companheiros e camaradas.

 

Roberto Stavale  bobstal@dglnet.com.br

São Paulo

 

*

ELEIÇÕES 2012 – URNAS ELETRÔNICAS

 

O leitor Jair Gomes Coelho se referiu  com muita propriedade na edição de 8 do corrente aqui, no  Fórum dos Leitores, sobre as eleições 2012. Chamou-me a atenção a referência que o mesmo faz sobre as “desconfiáveis  urnas eletrônicas”. Quem acredita verdadeiramente nas urnas eletrônicas? Acho que nem o judiciário acredita. Todos os dias os noticiários nos informam de ações de malfeitores invadindo computadores. Sendo assim pergunto: porque isso não pode acontecer nas eleições  também? O computador é uma máquina e como tal obedece o que determina quem a programa. Logo é passível dessa burla. Quem nos pode responder isto é a população de Marília e São José do Rio Preto, interior do Estado de São Paulo que têm até hoje  engasgada na garganta o que ocorreu nas eleições municipais de 2004.

 

Ernesto Nogueira ernestonogueiralopes@yahoo.com.br

Araraquara

 

*

HERANÇA MALDITA

 

A presidente Dilma Rousseff herdou do Lula aquele sistema que o PT sempre criticava dos governantes antigos, o famosos toma lá da cá. Isso sempre houve, mas nunca com tanta intensidade a partir do governo Lula, que acolheu de braços abertos até seus grandes inimigos políticos publicamente conhecidos como corruptos; agora bonzinhos, desde que sigam a cartilha do desgoverno petista. Um dia o efeito orloff  teria que aparecer, está evidenciado com os recentes desentendimentos da presidente Dilma com o governador do Ceará, senadores e deputados. O PT escolheu o mais fácil caminho, esse do troca-troca. Agora, ou continua com o toma lá da cá ou inicie um governo sério. Mas, saibam que governo sério não agrada a maioria dos governados e muito menos os políticos e grande empreiteiros no balaio poder.

 

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

LÊNIN E O BRASIL DE HOJE

 

Parece-nos que o momento é  propício para relembrar os pensamentos de Vladimir Lênin. Ele foi o líder da  Revolução Russa em 1917. Qualquer semelhança com os últimos acontecimentos políticos no Brasil não é mera coincidência. Afinal, vamos ao que escreveu Lênin em 1913: 1) Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual. 2) Infiltre e depois controle todos os meios de comunicação. 3) Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os à discussões sobre assuntos sociais. 4) Destrua a confiança do povo em seus lideres. 5) Fale sempre em democracia e em estado de direito,mas, tão logo haja oportunidade, assuma o poder sem qualquer escrúpulo. 6) Colabore para o esbanjamento do dinheiro publico  e provoque o pânico e o desassossego na população. 7) Promova as greves mesmo ilegais nas industrias vitais do país. 8) Promova distúrbios e contribua para  que as autoridades constituídas não os coíbam. 9) Colabore para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. 10) Procure catalogar todos aqueles que têm armas de fogo, para que sejam  confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência. Coincidências? Certamente quem viver verá.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

 

*

NUNCA DANTES

 

Nunca o País pôde sentir e nem conviver com uma forma tão espúria de governar, em nome da democracia. O loteamento do poder, como está sendo feito, não é progressismo, mas retorno à era das capitanias hereditárias, quando os beneficiários mandavam, de forma irrestrita, nos seus feudos. E é o que ocorre com os partidos da base aliada e que não é aliada em benefício do povo. Até a diretoria da Casa da Moeda passou a ser objeto de acertos e concertos, quando se trata de cargo eminentemente técnico. O Planalto e os brasileiros precisam mudar essa forma de governar, porque ela suga recursos que poderiam estar sendo direcionados para a nossa carente saúde, nossa fraca educação, nossa previdência, que não prestigia os aposentados e nossa segurança, que não propicia a mínima garantia de vida aos cidadãos. Entretanto, parece que não será com a presidenta atual que vamos encontrar uma maneira ética e competente de governar o País! Fumar em cachimbo deixa a boca torta?

 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

ONDE FOI PARAR A OPOSIÇÃO?

 

Artigo da Dora Kramer Gigante Adoecido (Estado de 13/3) mostra que Dilma governa sem oposição, que há tempos deixou de existir. Com números que circundam a casa dos 20%, o Executivo dá as cartas e joga de mão (com as cartas marcadas). Aprova tudo que quer e as poucas dificuldades que aparecem não passam de um teatrinho de fantoches, cujos dispêndios para montagem são equivalentes aos das grandes apresentações. É chover no molhado dizer que não há governo forte sem uma oposição equilibrada. A fatura para manter uma base aliada (sustenta pelo governo) é grande, fazendo com que a insustentável carga tributária cresça cada vez mais. O povo da classe pobre, vivendo à custa de migalhas recebidas a título de bolsa tudo – mas necessária para quem não tem nada – aplaude o governo e ovaciona-o como se estivesse sentado na primeira fila do grande espetáculo. À classe média só resta o recurso de continuar pagando por está infindável conta... 

 

João Batista Piovan jb@reunidaspiovan.com.br

Osasco

 

*

PERDIDOS NO PLANALTO

 

O ministro de Fazenda, Guido Mantega, diz que tem armas para enfrentar a valorização do real! Mas o que utilizou até aqui não passa de estilingues! Ou seja, não servem para nada! Prova está que a menos de um mês aumentou para 6% o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para operações financeiras feitas por empresas brasileiras no exterior com prazo de até três anos. Com o pífio resultado, e é o que o mercado já previa, o ministro agora aplica este venoso imposto para quem fizer empréstimo externo com prazo de até cinco anos...  Se der certo, o dólar sobe, e contribuinte paga a conta, porque a inflação vai para as alturas devido à alta dependência que temos de importar produtos até básicos. E se essa inoperante medida falhar novamente, teremos um governo mais do que desmoralizado, perdido no espaço econômico porque não ataca há nove anos as causas principais que afetam a nossa economia, como: a melhoria da educação no País, impostos elevadíssimos para cadeia produtiva, infraestrutura caótica, juros proibitivos para as micros, pequenas e médias empresas, e para o consumidor final.  O resto é cosmético de quinta qualidade...  Ou melhor, desespero do petismo em ano eleitoral!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

GOVERNO TEIMOSO

 

Todos os dados de nossa economia demonstram que quando crescemos geramos elevada inflação. Se superarmos 4% de crescimento, ficaremos com a inflação acima da meta, ao redor de 7%. O que não dá para entender é porque nosso governo não procura seguir a maioria dos especialistas que reclamam das reformas estruturais, sem o que nosso crescimento fica comprometido. Sendo que o atual governo tem condições de fazer tais reformas, já que tem o controle do Congresso, a indagação que fica é porque não a fazem. Alguma implicação no programa político do PT?

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

NÃO QUEREMOS DÓLARES

 

Nos anos 1970, o Brasil estava na maior miséria de dólares, com tudo complicado, tivemos o primeiro prêmio de Fórmula 1 em São Paulo. Vieram muitos turistas e técnicos ligados ao esporte, que só tinham dólares e pagavam os lanches nas barraquinhas em torno de Interlagos com essa moeda. Virou piada nacional uma foto de uma dessas barracas que, sem saber o que fazer com aquela moeda estranha que ele não conseguia converter para nossa moeda, colocou uma placa “Não aceitamos dólares”. Agora é piada de novo ou é sério o que o Ministério da Fazenda está fazendo?

 

Aldo Bertolucci accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

 

*

IMPOSTÔMETRO

 

O Impostômetro em 13/3 já registrava de impostos pagos pelas empresas e pessoas físicas o valor de R$ 318, bilhões, em apenas 73 dias. Projetando-se para os 366 dias de 2012, chegaremos a R$ 1,6 trilhão, no entanto a educação e saúde tiveram uma redução na verba destinada no orçamento do corrente ano. Enquanto extrapolam nas despesas com a Copa, mas "país rico é país sem pobreza", não é mesmo?

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

 

*

COMPETITIVIDADE INDUSTRIAL

 

Muito interessantes as matéria e os artigos do caderno de Economia do Estadão de domingo (11/3) tratando da competitividade industrial brasileira. De fato, em momentos de crise, o pragmatismo sempre fala mais alto e já fez os EUA e a Europa inundarem o mercado de dólares e euro, e a China controlar o câmbio com rigor para garantir sua competitividade. Também no Brasil, não é hora de purismos ideológicos de mercado e portanto, a queda dos juros, a intervenção cambial e mecanismos de proteção da indústria nacional são instrumentos que o governo não deve ter receio em usar para evitarmos o pior lá na frente.

 

Tatsuo Sasaki tatsuo.sasaki@gmail.com

São Paulo

 

*

50 ANOS DA FAPESP

 

O tempo de avaliação e seleção de projetos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) é menor do que o tempo médio de suas similares americanas. Sobre a questão da relação entre universidade, Fapesp e indústria, os bons resultados obtidos por projetos de pesquisa voltados para pequenas, médias e grandes empresas, como o Pipe/Pite.

 

Elson Longo elson.liec@gmail.com

São Carlos

 

*

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

 

Como no Brasil temos até  Ministério para cuidar das relações de trabalho e um exército de fiscais, é muito estranho responsabilizar apenas as empresas que eventualmente têm em sua cadeia de fornecedores empresas que não cumprem a legislação trabalhista. Todos sabem das deficiências de nossa fiscalização do trabalho, e não é com mobilização da Justiça que tais problemas serão resolvidos, como no caso relatado na matéria Pernambucanas é processada por 'trabalho escravo' (10/3, Negócios, B23). O "termo de Ajuste de conduta" deveria inicialmente ser aplicado no pessoal da fiscalização do trabalho, bem como no Sindicato da categoria de trabalho correspondente. 

 

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

 

*

CONTRIBUIÇÃO PATRONAL

 

O ministro Mantega está  convidando os industriais para combinarem a substituição da contribuição patronal para o INSS. Só espero que os empresários convidados sejam os industriais organizados em associações de fabricantes e não os organizados no sindicalismo dependente do setor público. A proposta é que em lugar dos 20% sobre o total dos salários e remunerações seja criada uma contribuição sobre o faturamento. Fala-se em algo em torno de 1,5%. Afirma o ministro que tal alteração dará mais competitividade mundial pela redução do encargo sobre a mão de obra. Para mim mais parece um embuste. Primeiro porque de acordo os princípios das finanças públicas, a contribuição para atender o grupo específico deve ter como base valores desse mesmo grupo. E essas contribuições são consideradas de para fiscais porque não devem – as suas receitas e as suas despesas – serem misturadas com o orçamento público geral. Segundo porque para atender a demanda futura da aposentadoria e pensão um matemático irá indicar que será necessária uma contribuição de em torno de 31% da renda. Considerando um juro real de 3% ao ano e um prazo de vida de 82 anos. Ao descolar a contribuição da remuneração o ministro ficará como dono da bolinha e o segurado perderá a razão de cálculo. E aumentará a taxa de atratividade para a venda parcial ou totalmente informal. O que está destruindo a indústria brasileira é o câmbio. E os inimigos não me parecem ser os apontados pela presidente. Eu encontraria as causas na gestão fiscal do governo. Os encargos para fiscais que precisam ser eliminados sobre a mão de obra são de duas naturezas: uma é de limitar a contribuição patronal de 20% sobre até o valor da remuneração de contribuição do segurado. Para pagar os beneficiários que nunca recolheram e outras concessões as empresas já recolhem a Cofins; a outra é de eliminar a contribuição para terceiros que hoje é de 5,8%. Outra bobagem que ainda perdura é o salário família criado para incentivar o brasileiro ter mais filhos. Espero que o Senado barre essa operação esdrúxula.

 

Hélio Mazzolli mazzolli@terra.com.br

Criciúma (SC)

 

*

ANOS DE CHUMBO

 

Parabéns ao jornalista Flávio Lobo pela matéria que traz novos detalhes sobre a prisão e morte do professor da USP, Norberto Nehring, ocorrida em 1970, nos porões da ditadura militar. Passados 42 anos, por decisão do Tribunal Regional Federal da 3a. Região, a União foi condenada a pagar R$ 200.000,00, à família da vítima, por danos morais. Mas,  a rigor, a indenização fixada, aliás justíssima, não deveria ser paga pelo atual governo e sim pelos seus algozes, em que pese a malsinada lei de anistia, promulgada por um congresso biônico. Caberá à Comissão da Verdade corrigir essa injustiça, definindo responsabilidades   e punindo os assassinos,  como determina o Direito Internacional.

 

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

 

*

DEMAGOGIA

 

Bom, quando a coisa chega ao ponto de terem que recolher uma edição do dicionário Houaiss por ter sido publicado a definição de uso comum da  palavra ‘cigano’, e o fabricante do azeite de oliva Gallo ser obrigado a tirar do ar um comercial em que usaram a expressão ‘o vidro escuro é o segurança’, este país não merece mesmo ser considerado um país sério, definitivamente. 

 

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

 

*

FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA

 

Para garantir que a TV Cultura desempenhasse suas funções de forma profissional e atrelada exclusivamente aos objetivos para os quais foi criada, a lei que instituiu a Fundação Padre Anchieta – a qual ela se subordina –, dispôs que o seu Conselho Curador, além de contar com representantes do governo estadual fosse também integrado por representantes natos da sociedade paulista. Esse é um arranjo estrutural – comum nos países mais avançados –, que assegura o seu não desvirtuamento e a aplicação do dinheiro público rigorosamente dentro dos interesses do Estado e não dos governantes eventualmente no poder. Pena que tais disposições, que poderiam servir de exemplo para o resto do País, possam estar com os dias contados conforme denuncia o editorial A TV Cultura ameaçada (12/3, A3). As nomeações feitas pelo prefeito Kassab (12/3, C1) nas suas pseudoestatais, demonstram na prática, lamentavelmente, como o editorial do Estadão está certo.

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo

 

*

TALEBAN À VISTA

 

Um sargento americano, cuja identidade ainda não foi revelada, executou 16 civis, entre eles três mulheres e nove crianças. É evidente que um grande mal estar se instalou entre o Afeganistão e os Estados Unidos. O massacre ocorreu no vilarejo de  Panjawi da área de Kandahar, conhecida como reduto do movimento Taleban. Sem outra alternativa, os Estados Unidos trataram de por panos quentes, mas a reincidência das agressões ultimamente praticadas torna improvável a permanência militar até 2014. Em abril de 2008 o profeta Maomé foi ridicularizado num jornal dinamarquês; em março de 2011, o Alcorão foi queimado por um pastor na Flórida; em janeiro de 2012, soldados americanos são filmados urinando em cadáveres de combatentes do Taleban; em fevereiro de 2012,na maior base militar do Afeganistão foram queimados exemplares do Alcorão, o livro sagrado islâmico. O ocidente tem ainda uma conta pendente com os seguidores de Maomé desde as Cruzadas, no séculos 12 e 13. O fundamentalismo e o fanatismo religioso desse povo não conhece limites quando se trata de reparar uma ofensa. O ataque  às Torres Gêmeas em 11/9/2001 é um exemplo da violência e desapego à vida com que se atiram contra o inimigo.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

MASSACRE NO AFEGANISTÃO

 

Punição exemplar a esse facínora é o que o mundo  espera das autoridades americanas.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

 

*

O PATROCINADOR DE GUERRAS

 

Os EUA são amigos e inimigos ao mesmo tempo, isto ficou provado ao longo de sua historia, principalmente quando assumiu a posição de liderança mundial após a Segunda Guerra Mundial. Esta função pertencia até então aos Ingleses que onde havia uma revolta contra o governo e que este governo não tivesse a simpatia deles (Ingleses) estes revoltosos. Tinham o apoio dos Ingleses isto aconteceu inclusive no Brasil em (Canudos Bahia) na ultima década do Século 19 onde foi encontrado varias armas com um possível espião Inglês que pretendia levar estas armas para Canudos. A Guerra fria foi talvez o maior exemplo, sem contar com a dor de cabeça que deu ao próprio EUA, dor de cabeça que atendia por Osama Bin Laden, este treinado no Afeganistão pelo o EUA para enfrentar os Russos que tinham invadido o Afeganistão. Onde há algo de seu interesse os EUA vão a guerra seja de forma direta ou indireta, esta observação vale para a situação de Israel que ameaça bombardear o Irã confiando nos americanos daí Israel acredita que atacando o Irã vai destruir as instalações nucleares Iraniana e os americanos serão beneficiados com o petróleo seria mais uma Guerra patrocinada pelo os americanos.

 

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

 

*

CHACINAS

 

Se os americanos matam suas próprias crianças em repetidas "chacinas escolares", por que haveriam de não fazê-lo no Afeganistão?

 

Ricardo Gasparino de Sousa ricardo.gasparino@gmail.com

São Paulo

 

*

A COPA DE 2014 E O BRASIL

 

A Copa do Mundo de Futebol, considerada uma grande vitória do governo Lula trazendo-a para ser realizada no Brasil em 2014, na verdade, é uma grande ousadia e um tremendo pesadelo para a nação brasileira. O nosso país está classificado como emergente, isto é, saindo da miséria para a pobreza. Mesmo assim os nossos governantes fazem tudo sem planejamento, apenas visando os holofotes para colher dividendos para os seus interesses pessoais. Em 1986, com uma situação econômico-financeira melhor do que a de hoje, o então presidente General João Figueiredo bateu o martelo e disse: “Não, não podemos gastar dinheiro com supérfluos”. O México assumiu o ônus. Ficamos perplexos quando sabemos da escolha de 12 cidades-sedes, em  que muitas irão ter uma mísera disputa entre “Egito x Paraguai”, países sem expressão no futebol mundial. Do Acre ao Rio Grande do Sul, todas as capitais brasileiras querem uma casquinha do evento. Como brasileiros gostamos de futebol, mas achamos um verdadeiro absurdo, cidades sem infra-estrutura de saneamento, água potável, hospitais, escolas, moradias e outras carências gastando centenas de milhões de reais para reformarem estádios.

 

José Batista Pinheiro batistapinheiro30@yahoo.com.br

Fortaleza

 

*

ANO PERDIDO

 

O ano de 2014 tem todos os ingredientes para ser um ano considerado inútil pelos brasileiros sérios e trabalhadores. O carnaval é no início de março, termina no final da primeira quinzena, mas em alguns Estados pode ser estendido até o início da Copa do Mundo (geralmente os turistas chegam alguns dias antes). As férias escolares são no mês de junho e a Copa, em julho, com feriados em dias de jogos. Na prática, em escolas mantidas pelos governos municipal, estadual e federal será feriado todos os dias em que houver qualquer jogo. O primeiro semestre será ótimo para os fabricantes de bebidas, enfeites e fantasias de carnaval e lembranças da Copa do Mundo, o que não garante o PIB do Brasil. Acabou a Copa e começa o bate-boca do por que justamente  a Argentina foi ganhar a Copa aqui e porque o Brasil teve um desempenho tão medíocre. Faltou preparo, treinamento, técnico, cabeça fria e principalmente organização que deveria ter começado em 2010 logo após a desclassificação na África do Sul. Mas, só foram pensar em time para a Copa em 2014, pois o interesse maior era faturar com as obras e não em levantar o caneco. Na bolsa de aposta de Londres em 2014 o Brasil vai de azarão.

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

 

*

PIADA PRONTA NA CBF

 

Manchete de jornal: Teixeira sai e Marin avisa que nada muda. Alguém tinha alguma dúvida acerca disso?

 

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

 

*

DESGRAÇA

 

Será que não corremos o risco de ver o Zé Dirceu, ou Diniz (aquele da Loterj), ou o Delúbio ou qualquer outro petista na presidência da CBF? Do jeito que as coisas andam por aqui, dá prá acreditar em qualquer desgraça.

 

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

 

*

DEMISSÃO E RENÚNCIA

 

Quando um ministro corrupto é demitido, ele vem a público e afirma que “renunciou” ao cargo. O senhor Ricardo Teixeira que, indiretamente, foi escorraçado da presidência da CBF, declarou publicamente, que “renunciou”.  Se a moda pega...

 

Adolfo Zatz dolfizatz@gmail.com

São Paulo

 

*

REFORMAS

 

A reforma ministerial é  tão mal conduzida que é capaz do governo considerar a saída de Ricardo Teixeira como parte dela.

 

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

 

*

ATUALIDADE EM TROVAS

 

Na CBF caiu o  Ricardo Teixeira

No governo Dilma cai Vacarezza

No Corinthians cai o Imperador

Que para torcida é só tristeza.

 

Seiscentos  mil por mês por mês

E o que o Adriano ganhava

Alem de marcar só dois gols

No campo dificilmente entrava.

 

Com Teixeira foi diferente

Mamou na CBF por 23 anos e sempre viveu nas alturas

Comprou diversas fazendas

Também várias coberturas.

 

Já o Cândido Vacarezza

Continua como deputado

Porem como Líder no Governo

Dilma não quer a seu lado.

 

Três pessoas renomadas

Caíram sem dizer Adeus

Mas pra falar francamente

Nada  a sociedade  perdeu.

 

Ricardo Teixeira,Cândido Vacarezza e Adriano

Escrevo  sem vaidade

Para o Brasil e para o Corinthians

Esses três já foram tarde.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

VAGA NA CBF

 

O cargo está vago, exigência número um: ser filiado ou no mínimo ser beatificado pelo PT.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

PETISMO INTERNACIONAL

 

Ricardo Teixeira é o exemplo do petista internacional . Responde a todos os crimes corriqueiros que os petistas famosos respondem por aqui, apenas que em esfera internacional, na Suíça, na Fifa.  Fosse só o comezinho caseiro, seria apenas um  mero Palocci, um outro Dirceu, um qualquer Gushiken . Mas, a fama da jornada de vinte e três anos gatunando lhe dá a medalha olímpica petista, o primeiro a representar legitimamente o mundão vermelho da corrupção, mundo afora . Não é a toa que se aconselhou com o velhaco para sair de fininho, com desculpa de licença medica e pinote, picando a mula rapidinho. É um legitimo, um mestre,  a ser admirado e copiado pela patota petista , com direito a medalha por “serviços” prestados. E, por conseguinte, cabo eleitoral da turma do leva e se livra , a rotina que este partido sem eira propõe, impõe e estimula para se vender na propaganda enganosa.

 

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

 

*

QUE ESPERAR DO FUTURO?

 

O Brasil é mesmo o país do futuro. Tudo que se diz neste país logo se conclui a frase quase sempre da mesma maneira: “O Brasil vai ser uma grande potência no futuro”.  Para que isto aconteça um dia e se torne realidade é preciso que se invista na educação de nossas crianças através de um projeto com base na educação hoje, agora. Contradizendo ou apenas afirmando o que disse “Talvez no futuro apareça alguém que dê prioridade em investimento na educação de nossas crianças, invista em nossa juventude”.Porque até agora o descaso com a educação é total em nosso Brasil. O maior exemplo que demonstra muito bem isto é a guerra dos administradores públicos para não pagarem o piso nacional dos professores. Que futuro tem um país que gasta migalhas com as ferramentas de transformação do futuro de nossos filhos e netos, com as pesquisas e o desenvolvimento tecnológico e ao contrário da lógica gasta bilhões com eventos supérfluos como a Copa do Mundo e a Olimpíada? Os dois eventos servirão apenas para mostrar ao mundo o país de desdentados quando filmar a comemoração de algum sucesso improvável de nossos atletas. Também existe a disparidade absurda de um político valer o mesmo que 20 ou mais professores em valores monetários. A desculpa que não existe dinheiro para se criar o piso nacional para os professores é mais uma farsa porque ninguém questiona a falta de dinheiro quando o assunto é aumento salarial da classe política. Quando os governantes pensarem no futuro e investir no presente, na educação de nossas crianças, teremos em 20 anos uma revolução de mentalidade do nosso povo, tão miscigenado, mas com o mesmo projeto, o projeto de um " Brasil sem miséria para todos", sem excluídos e excludentes, onde toda a criança possa ter a oportunidade de crescer como cidadão e não crescer como apenas mais um número a ser contado nas mazelas e incompetência dos governantes que não tem um mínimo de planejamento. Certamente o que vai dificultar esta missão salvadora da pátria amada é o fato que no momento que se investir além da qualificação de nossos professores, na qualidade e excelência do ensino as pessoas irão perder o cabresto eleitoral e enxergarão sem a tutela dos vales-pinga e outros vales-tudo, que atrela o nosso povo à velha política do toma lá e me vota cá. Brasil: Um país do futuro tem que começar a ser construído no presente. Urgente.

 

Manoel José Rodrigues manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

 

*

STAND FARAÔNICO NA FRANÇA

 

A Prefeitura de São Paulo participou pela 4ª vez da feira MIPIM em Cannes, Feira imobiliária internacional, de 06 a 09/03/12, para vender a cidade que pertencia aos munícipes até então. O seu novo stand faraônico custou a “bagatela” de R$ 408.983,00, alem das despesas de viagem de inúmeros secretários e funcionários que se ausentaram por cerca de 10 dias para o evento. Paralelamente ao estande na feira, a cidade também participou com missão empresarial à Cannes promovida pela Secretaria Municipal de Relações Internacionais. Faz parte das atribuições de Prefeitura participar e/ou organizar e/ou patrocinar eventos comerciais? A missão empresarial se beneficiou do presente stand – já que os agentes imobiliários compõem o único público atendido pela administração atual? Agora, há a urgente necessidade de publicar na internet a relação com os dados completos de todos os visitantes ao stand para acesso dos pagadores do stand, ou seja, nós todos que pagamos impostos nessa cidade.

 

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

 

*

SEGURANÇA PÚBLICA

 

Segurança Pública no Rio de Janeiro é maquiagem. Nem os traficantes ou marginais foram presos nas comunidades onde a policia entrou e implantou as UPPs. Isto sem falar nas milícias que continuam fazendo o que querem. As comunidades continuam com medo. Os traficantes ameaçam os moradores e os obrigam a dizerem ou fazerem atos de protesto acusando os policiais ou o exército de agressões, etc., como no caso do complexo do alemão. Os moradores ainda estão nas mãos dos marginais e milicianos. E ficam fazendo reportagens mostrando outra coisa. Pegam um, dois moradores, dizem o que devem dizer e passa-se a impressão que está tudo bem. Tudo bem para quem? Joseph Goebbels, mago da propaganda nazista, fazia a mesma coisa.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

 

*

TEM DE SER DADO UM BASTA

 

Onde é que estamos? A morte de um ser humano de forma cruel, por preconceito e intolerância nos remete a tempos medievais, em que pessoas em situação de rua expõe, mais uma vez, o déficit na política social direcionada a esta parcela da população é maldade intrínseca, na madrugada do último sábado dois moradores de rua foram mortos com tiros na cabeça a cerca de 20 quilômetros do centro de Brasília. O caso ocorre duas semanas depois que outros dois moradores de rua serem queimados em Santa Maria, cidade satélite a poucos quilômetros da capital federal. Sete pessoas, sendo dois menores, teriam participado do crime. O mandante era um comerciante que alegou que os moradores de rua, que dormiam perto do seu estabelecimento, prejudicavam os negócios. No fim do ano passado três pessoas foram assassinadas com golpe de marreta em Campinas(SP). Esses poucos exemplos, em meio a tantos outros que ocorrem, nos deixa indignados e demonstram a fragilidade   da área social no país. A grande maioria das pessoas em situação de rua é vítima  de problemas familiares e da dependência química. Há necessidade de um tratamento social mais efetivo junto aos milhares de moradores de rua das grandes metrópoles e a construção de centros de tratamento para dependentes. O que vem fazendo o governo federal nesta área? Quase nada. Não adianta tirá-los das ruas e não dar suporte para sua reintegração na sociedade. Sem apoio necessário, com é feito em outros países que sofreram com os mesmos problemas, ao serem colocados frente aos problemas do cotidiano e a discriminação da população, fica muito mais fácil voltar para um ambiente sem cobranças. Quanto as pessoas que acham divertido torturar e matar pessoas indefesas, os menos favorecidos, ou os que não se encaixam nos padrões da sociedade, nos resta esperar que a justiça faça sua parte, que esses seres irracionais paguem pelos crimes bárbaros, que apodreçam na cadeia.

           

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

RODOVIA PAULISTA

 

Senhor governador Geraldo Alckmin, como seu eleitor desde a primeira eleição a governador, venho lhe pedir especial atenção com a difícil condição de tráfego de veículos nos finais de semana na rodovia Rio Santos, principalmente entre Boiçucanga e a estrada Piaçaguera-Guarujá. Hoje temos a mesma estrada inaugurada há quase 30 anos e o fluxo de veículos aumentou muitas vezes neste período. Tanto que, uma viagem de 150 km que podia ser feita em 120 minutos, hoje é feita em 300 minutos todos os domingos e todos os sábados pela manhã, assim como graves problemas na sexta a noite. Esta estrada poderia muito bem ser concedida à iniciativa privada( junto com a serra para Mogi das Cruzes ) que teria condições de investir ali o necessário para que todos façam suas viagens com segurança e conforto, dando assim, condições ao Estado de investir mais em Saúde e Educação.

 

Carlito Sampaio Góes carlitosg@estadao.com.br

São Paulo

 

*

FERNÃO DIAS

 

No ano passado a pista de subida da Rodovia Fernão Dias entre São Paulo e Mairiporã foi liberada após longa interdição. Surpreendentemente a velocidade nessa serra foi mantida desde então reduzida a 60km/h exatamente como no período de interdição. Gostaria de iniciar uma campanha junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que se restaure a velocidade de 80 km/h nesse trecho, pois a estrada foi projetada para essa velocidade na serra. Afinal, trata-se de uma rodovia interestadual que liga regiões de grande força econômica e que conta com 6 pistas de rodagem nesse trecho. É ridículo que tenhamos que tolerar velocidades tão reduzidas em uma estrada de tal importância. Faço esse apelo motivado pela resposta que recebi da ANTT em 27 de fevereiro referente à essa minha demanda, que reproduzo abaixo.  Nela, a agência aventa a possibilidade de se discutir tal restrição: "Em atenção à manifestação de V.Sª, retransmitimos os esclarecimentos que esta Ouvidoria obteve da Gerência de Fiscalização e Controle Operacional de Rodovias – GEFOR:" "Ressaltamos que a restrição de velocidade a 60 km/h nos trechos de serra em Mairiporã/SP foi definida entre a Concessionária e o Depto. da Pol.Rod.Federal – DPRF, com aval da ANTT, em função do histórico de acidentes." "Mesmo assim, entendemos o posicionamento do sr. usuário, da possibilidade de aumentar o limite de velocidade máxima, e acreditamos que isso pode ser alvo de maior discussão entre os órgãos federais e sociedade, embora as questões de velocidade e segurança do tráfego são fiscalizadas pela Polícia Rodoviária Federal."

 

Ernesto Berl berle@osite.com.br

São Paulo

 

*

GERENCIAMENTO DO TÚNEL

 

Ao ver a matéria sobre o valor a ser pago pelo "gerenciamento" do túnel entre Brooklin e Rodovia dos Imigrantes, mais uma vez senti a lógica perversa da malversação de dinheiro público em ano eleitoral. Em 1989 por meio de concurso público, a prefeita Luiza Erundina proveu a Emurb de um corpo técnico de excelência, reconhecido por todos, quando assumiu a Prefeitura, o Prefeito Paulo Maluf com este mesmo corpo Técnico executou todas as grandes obras viárias do Município, sem qualquer "gerenciadora", o prefeito Celso Pitta mesmo em seus piores momentos preservou a competência técnica da empresa, sempre apolítica desde a administração Erundina. Quando Marta Suplicy assumiu a Prefeitura, para poder "politizar" a Empresa, transformando-a num cabide de empregos para petistas originários de locais onde o PT perdeu as eleições (como Campinas e Belo Horizonte) simplesmente arrasou a Diretoria de Obas de Emurb dispensando cerca de 80% de seus técnicos, todos concursados e de alto gabarito profissional tanto que voltaram à iniciativa privada de onde eram oriundos. Na administração Kassab, a Emurb, constituída em 1976, foi inexplicavelmente dividida em duas Empresas, SP-Urbanização e SP-Obras, sendo que SP-Obras nada mais é que a antiga Diretoria d Obras da Emurb, sem efetivo, sem sede até pouco tempo atrás e até sem independência administrativa, pois até o seu RH é o mesmo de SP-Urnbanização, a sucessora legal da Emurb. Mas tem Presidente, diretores, superintendentes etc., etc. só não tem Técnicos e aí vem a contratação de "Gerenciadores". Por que será?Talvez porque os Consórcios vão contribuir para o caixa d campanha?Acho que também o MP e o TCE deveriam se preocupar com a necessidade, viabilidade e lisura da obra, pois até verba de ATO (acompanhamento técnico de obra) já foi gasta sem ter obra.Quanto a afirmação do Diretor de SP-Obras de que não pode dispensar funcionários a qualquer momento é inverídica, pois os funcionários de SP-Obras são todos celetistas.

 

Reinaldo Jose Barbosa Lima barbosalima_br@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.