Fórum dos Leitores

LIGAÇÕES PERIGOSAS

O Estado de S.Paulo

28 Março 2012 | 03h08

Demóstenes e Cachoeira

É inacreditável e espero, sinceramente, que o senador Demóstenes Torres tenha ótimos argumentos para esclarecer sua relação com Carlinhos Cachoeira, senão será mais uma decepção com a chamada "classe política brasileira". Realmente, é de desanimar qualquer eleitor. Até aquele que acreditava ser uma rara exceção é envolvido pelo lodo que toma os três Poderes, tanto no nível municipal, como estadual e federal.

HELEO POHLMANN BRAGA

heleo.braga@hotmail.com

Ribeirão Preto

*

Iguais e desiguais

Afinal, quem são os iguais e desiguais? O senador Demóstenes Torres se encaixaria em qual categoria? A pergunta fica para todos os parlamentares e quem sabe de que lado está que se manifeste, porque neste momento não dá para acreditar em ninguém. Triste constatação.

MARCOS ANTONIO SCUCUGLIA

sasocram@ig.com.br

Santo André

*

Que se 'exploda'!

Com as más notícias de menos um na contabilidade da malandragem (senador Demóstenes Torres), que era tido e havido como político idôneo, veio-me à mente uma frase que vi aqui, em minha cidade, no vidro de um carro com placa de Brasília, que dizia: "Sou de Brasília, mas juro que não fui eu!!!". Sarcasmo e exageros à parte, a frase não deixa de conter uma certa verdade com relação à maioria dos políticos, não somente de Brasília, embora injusta com a população da capital federal, que tem de conviver com políticos que fazem jus ao que dizia um personagem do eterno Chico Anysio: "O pobre? Quero que o pobre se exploda".

WANDER CORTEZZI

w.cortezzi@uol.com.br

São José do Rio Preto

*

TJSP

Precatório

Foi com muita indignação que li no Estadão que o Tribunal de Justiça vai pagar auxílio-alimentação em São Paulo (24/3, A16). Sou credor de um precatório alimentar desde 2005, cujo processo se iniciou em 1993 - portanto, há 19 anos -, e ainda aguardo o pagamento. Enquanto isso, juízes e desembargadores receberão auxílio-alimentação retroativo a 2006. Será que somos mesmo todos iguais perante a lei?

WALDIR ROBERTO

wroberto04@yahoo.com.br

São Paulo

*

Auxílio-alimentação

Depois de os desembargadores e juízes do TJSP receberem o auxílio-alimentação, retroagindo a 14 de abril de 2006, perfazendo um total de atrasados para cada magistrado de R$ 40 mil, com custo estimado em R$ 145 milhões, o procurador eleito para o cargo de chefe do Ministério Público Estadual, que já foi conselheiro do CNJ, sinaliza a possibilidade de conceder também o auxílio-alimentação a todos os promotores e procuradores de Justiça de São Paulo - teremos de arcar com despesa extra de R$ 80 milhões em valores nominais, que chegaria a R$ 105 milhões após correção. Como conseguiram sobreviver estes anos todos sem o referido auxílio? É aquela velha história: deu a um, tem de dar ao outro...

ANTONIO R. KORTZ ABUJAMRA

aabujamra@uol.com.br

Itu

*

EDUCAÇÃO

Mudanças em SP

Cumprimento o Estado pelo editorial Mudanças na educação estadual (26/3, A3), que aponta problemas importantes da educação pública paulista, evidenciados pela intempestiva e equivocada decisão da Secretaria de Educação de acabar com as aulas de reforço para os alunos com dificuldades de aprendizagem, ministradas no "contraturno". Como diz o editorial, as políticas educacionais que vêm sendo praticadas na rede estadual carecem de coerência, ficando alunos, professores e toda a comunidade escolar à mercê das inconstâncias dos sucessivos governantes do PSDB, que se vêm revezando no comando do Estado há quase duas décadas.

MARIA IZABEL AZEVEDO NORONHA, presidenta da Apeoesp

ana.impr@apeoesp.org.br

São Paulo

*

Tristeza imensa

Nos primeiros tempos de governo Mário Covas foi feito um levantamento entre as crianças que iniciavam a vida escolar cujos números, publicados no Estado, citavam cerca de 80% dos jovens estudantes com alguma deficiência visual ou auditiva. (Nunca mais consegui esses números, nem na Secretaria de Educação.) Acompanhando nos últimos dias as práticas com que se pretende extirpar essa chaga crônica, purulenta, do analfabetismo funcional com medidas estritamente pedagógicas, senti imensa tristeza! Nos meus anos de sala de aula vivi a dura realidade em que discalculia é palavrão, de problemas de processamento auditivo nunca ouvi falar, não se estabelece relação entre os alunos rebeldes e o pavor deles de convulsionarem na presença de seus pares... Sobre a dislexia (conhecida há mais de cem anos no Velho Mundo) a pergunta recorrente é: como é mesmo? Será que a escola, que há séculos é excludente, jamais deixará de sê-lo? Existe farta literatura indicando estreita relação entre os problemas de letramento e os de cidadania. Resolvendo tais problemas, não resolveríamos grande parte do vandalismo e da violência?

VERA LUCIA PASCHOALICK

veralpaschoalick@gmail.com

Mauá

*

ADMINISTRAÇÃO KASSAB

Queda de árvores

Surpreendente, mas esclarecedor, o comentário do chefe de assessoria de obras da Secretaria Municipal da Coordenação das Subprefeituras, Marcelo Bruni, na reportagem Queda de árvore destrói carro ou casa todos os dias (25/3). Disse ele: "Fazemos cerimônia para podar, para remover uma árvore" - para tentar explicar que a culpa é do cidadão, como se este cometesse grave delito ao solicitar uma simples poda de árvore que, muitas vezes, oferece perigo aos pedestres, aos veículos, aos imóveis e à fiação elétrica. Foi o caso de nosso pedido de poda para uma árvore no Butantã, que demorou um ano e meio para ser atendido, após várias reclamações na subprefeitura e na imprensa. É o estilo "cerimonioso" da equipe do prefeito Gilberto Kassab de tratar os moradores.

CYRO QUEIROZ FIUZA

cyrofiuza@uol.com.br

São Paulo

*

Cracolândia

Assaltos caem no entorno da cracolândia e sobem na periferia. Os larápios só mudaram de endereço, as mazelas seguem como sempre.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ELEIÇÕES 2012

Agora está definido. José Serra foi eleito como candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB. Caberá a ele, ao partido e eventuais aliados não só convencer o eleitor de suas propostas, mas principalmente opor barreira à sanha voraz do PT e sua intenção totalitarista.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

FANFARRONICES

O candidato eleito pelo PSDB à Prefeitura do município de São Paulo é conhecido pelas suas fanfarronices. É pena que o eleitorado se esquece com facilidade, nem se lembra mais de 2004. Entre ele e um poste, o poste tem mais utilidade e estabilidade.

Carlos Laue Junior bibalaue@volny.cz

São Paulo

*

COMPARANDO

Pela sua competência administrativa e sua seriedade com o trato público, será mil vezes melhor José Serra por três anos e meio na Prefeitura da maior cidade do Brasil do que petistas por nove anos, como já está provado.

 

Maria Helena mhgualberto@uol.com.br

São Paulo

*

É PARA LEVAR A SÉRIO?

Zé Dirceu diz que as prévias do PSDB em São Paulo foram uma piada. Bem, ele até pode falar o que quiser, mas com tal passado enlameado, cassado pelo Congresso Nacional e tendo de responder a um processo por formação de quadrilha no Supremo Tribunal Federal (STF), além de seus conhecidos lobbies a favor dos poderosos Eike Batista e Carlos Slim, fica difícil levar a sério qualquer declaração sua. Francamente, o tempo de validade do Zé Dirceu como alguém cuja opinião possa influir já passou. Nem sei como ainda publicam algum pensamento desse charlatão metido agora a consultor, mas que, infelizmente, ainda encontra espaço para transitar nos corredores do Palácio e adjacências, sempre com sua compulsão à repetição para atuar na clandestinidade. O Brasil ganharia muito mais credibilidade se o ignorasse. 

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

A VERDADEIRA PIADA

José Dirceu não perde a oportunidade de ficar de boca fechada. Réu de uma das mais escancaradas roubalheiras do dinheiro público, apontado como chefe da gangue do "mensalão", se mete onde não é chamado. Sem olhar para a verdadeira "grande piada" de ser obrigado a aceitar as imposições do Lula ao PT, engolindo goela abaixo primeiro a Dilma e, agora, o Haddad, despreza as prévias do PSDB em São Paulo. Macaco que não olha seu próprio rabo. Dor de cotovelos?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

O ZÉ É UMA PIADA

O ex-ministro da Casa Civil venera Fidel, mas, com desenvoltura, mercadeja nos territórios selvagens de Slim e Eike. Ri dos tucanos, mas, obediente, bate continência quando o Metamorfose Ambulante é a prévia. 

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

ESPERANÇA

Espero que a escolha de José Serra na prévia do PSDB para candidato a prefeito da nossa capital não venha a partir esta legenda, muito pelo contrário, que o partido continue unido e coeso.  Quero, parafraseando o cancioneiro, ver a "alegria de mãos se encontrando para enfeitar" a vida do paulistano com a vitória que virá. "A família reunida permanece unida"!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

PSDB E SERRA

Seria José Serra o Lula do PSDB?

 

Celia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

*

TUCANO DEPENADO

O editorial do Estado de 27/3, A prévia tucana, é a triste realidade de um partido liquidado pela arrogância da maioria de seus membros (FHC não é) e pela extinção da oposição no Brasil, que o PT conduziu magistralmente. O PSDB só sobrevive por causa dos eleitores que odeiam o PT, vai lá, disputa eleição presidencial, faz tudo para não ganhar, como em 2010, e se vangloria de que manda no Estado de São Paulo por quase 20 anos. Mas já há milhões de paulistas, como eu, que abominam Lula e que não suportam mais Serra e Alckmin. Vai chegar o dia em que a casa vai desmoronar de vez. O PT agradecerá.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

FOCO NAS PROPOSTAS

Bastante enviesado o editorial do Estadão de terça-feira, criticando asperamente o processo interno de escolha do candidato à Prefeitura de São Paulo promovido pelo PSDB. José Serra foi eleito com mais de 50% dos votos e assim conquistou, legitimamente, com o apoio da maioria dos filiados que participaram do pleito, a posição de postulante ao mandato executivo da maior cidade do País. Não foi indicado conforme os desejos de um líder partidário supremo – caso de Fernando Haddad – nem teve de encenar um enésimo ato de infidelidade partidária para se colocar à disposição da mais fisiológica sigla brasileira – caso de Gabriel Chalita. Ademais, a campanha que a imprensa paulistana vem fazendo contra o ex-governador por causa do tal "papelzinho" assinado por ele em 2004 é de um ridículo sem tamanho. Em vez de procurar fornecer material de campanha para PT e PMDB, por que os veículos de comunicação não se ocupam de questionar os candidatos de PT e PMDB sobre suas propostas para a cidade?

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

ÓBVIO

Prévia tucana: democraticamente tendenciosa e óbvia.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

FHC VOTOU EM SERRA

Uma coisa que se pode admitir no PSDB é que às vezes são mais pragmáticos, se tudo está perdido, o que não está é consenso. A briga foi transferida para a eleição para a Presidência, e sugiro ao outro pavão-tucano que, neste caso, pule do poleiro e se candidate pelo PMDB, que há séculos está sem homem "de raça" para concorrer à Presidência, no máximo, algum boi de piranha que se torna vice à custa dos mensalões. Aécio no PMDB (afinal, Aécio tem alguma ideologia?) já teria sido presidente, mas falta coragem ou inteligência para perceber isso. Não que o Brasil iria ganhar muito, apenas ficaríamos livres do PT, e isso já é alguma coisa.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

SOLUÇÕES LOCAIS

Uma pena o PSDB colocar o José Serra como candidato à Prefeitura de São Paulo. Mais uma vez, deixará de cumprir seu mandato e não fará nada pela cidade, e ainda corremos o risco de vê-lo eleger o Haddad, pois está completamente desatualizado, sem programa de governo, levando a discussão em nível nacional, quando precisamos de soluções locais. O Kassab acabou com nossa cidade e não temos um nome novo para atender aos interesses da maior cidade da América Latina. Uma pena, um homem despreparado é como não ter candidato para este pleito! Infelizmente, o PSDB esta deixando muito a desejar nos últimos dez anos.

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@ig.com.br

São Paulo

*

MOTIVO

Nas próximas eleições municipais, já sei em quem eu não vou votar. Não vou votar em Serra, porque não quero que ele se candidate, mais uma vez, a presidente em 2013. Além disso, com a qualidade dos marqueteiros que teve, o PT vai ganhar de novo.

Roberto Castro roberto458@gmail.com

São Paulo

*

PEC

Proponho aos iluminados congressistas (deputados federais e senadores) que apresentem a seguinte emenda constitucional: todo candidato eleito que quiser se afastar da função para a qual foi eleito, com a finalidade de exercer qualquer cargo em comissão no executivo (federal, estadual ou municipal), obrigatoriamente terá de renunciar ao seu mandato no Legislativo. Acredito que essa medida será de grande valia para a retomada da moralidade no Poder Executivo, pois, trata-se de uma medida simples e objetiva. Quem se habilita?

Antonio Manoel Gonzales tomsotello@uol.com.br

São José do Rio Preto

*

LOBO EM PELE DE CORDEIRO

Está ficando cada vez mais difícil a escolha de um político honesto. Eu colocaria a mão no fogo pelo senador Demóstenes Torres (DEM). Ledo engano, me queimaria todo. Sua atuação no Senado sempre foi exemplar, usava a tribuna com frequência para defender a lisura de conduta, que um homem público deve ter. Ferrenho opositor do governo Lula e, agora, da presidente Dilma na luta contra a corrupção que impera no Brasil. Agora vem a público e admite que recebeu um presente de um “bicheiro”, por ocasião de seu casamento e foi pego numa gravação pedindo dinheiro ao mesmo contraventor, para pagamento de uma passagem aérea. Que barbaridade, onde vamos parar? Será que ficará só nisso? Com certeza não, tem muita grana ainda em jogo. E nós, eleitores, procuramos escolher os melhores candidatos para nos representar e vejam no que dá! “Se quereis provar o caráter de um homem, dai-lhe poder” (Abraham Lincoln)

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

O BRASIL PEDE TRANSPARÊNCIA

O grande magistrado Demóstenes Torres, paladino da Justiça e do esclarecimento geral e irrestrito quando é para ameaçar ou atacar adversários políticos, vai fundo e com os dois pés. Gostaria muito que agora ele abrisse todos os seus arquivos, para vermos o tamanho da encrenca e da amizade com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. O Brasil não merece nem precisa de políticos metidos a honestos que na verdade são iguais a todos os outros. Independentemente de partido.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

Belo Horizonte

*

OS SALTEADORES DO DINHEIRO PÚBLICO

 

A televisão flagrou a ação de fornecedores corruptos que fazem conluio entre si e pagam propinas a servidores público, também corruptos, para vencer, com preços superfaturados, as concorrências e licitações em repartições. Esse fato concreto demonstra a grande sangria que a corrupção e a falta de controles provocam ao erário. A imprensa, pelos diferentes veículos, tem feito um brilhante trabalho investigativo que, sem dúvida, eleva os brios e promove a justa indignação popular. Se tudo for levado avante, poderá ser o fim da corrupção. Os rumores sobre corrupção nas compras do governo são tão antigos quanto os próprios procedimentos. Diz-se que toda compra governamental rende pelo menos 10% para a corrupção. A matéria da TV provocou a abertura de vários inquéritos. O procedimento é positivo, mas não pode dormir nos escaninhos da Justiça, como ocorreu no caso de Waldomiro Diniz, flagrado em 2004 pedindo propina, que só no início deste mês foi condenado, mas não se encontra preso. É importante que esses atos tenham conseqüências e sirvam, inclusive, pedagogicamente, para demonstrar que o crime não compensa. Além das grandes concorrências, é importante verificar as pequenas compras, especialmente nas prefeituras. Para valores até R$ 8 mil, não há licitação. Bastam cartas-convites e, via de regra, os fornecedores tratam os preços, lesando o erário. Seria conveniente o Ministério Público de cada cidade comparar os preços pagos e o mercado. Isso poderá abrir uma grande e insólita caixa preta.

           

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CORRUPÇÃO

Ao ver na TV as sórdidas cenas de roubo do nosso dinheiro no Rio de Janeiro, com aquelas negociatas fáceis e camaradas, respaldadas por uma certa ética de mercado, me lembrei do George Orwell e seu livro A Revolução dos Bichos. No final da história, os animais foram se transformando em gente até que não se distinguia mais quem era gente ou bicho. Pois foi isso que presenciei ao ver e ouvir aqueles pilantras tripudiando sobre o suado dinheiro de nossos impostos: pareciam ratões e ratazanas se esbaldando e chafurdando pelos cofres entreabertos em busca de todo tesouro possível. E saber que tais gatunagens grassam por toda a Nação, e a céu aberto. Cadê os órgãos fiscalizadores, as autoridades constituídas para isso, o Ministério Público, a polícia?  Por que sempre é a imprensa que escancara essa roubalheira e os malfeitos das hordas do governo? Não esqueçamos que um dos propósitos do PT e asseclas é botar uma mordaça na imprensa; segundo eles, a culpada pelos grandes problemas do Brasil. Triste caminho de um país que achava que estava no rumo da democracia!

 

Jonas Tokarski jtokarski@uol.com.br

Campinas

   

*

PROMESSA

No governo Dilma não existe corrupção. As denúncias na TV foram montadas, uma farsa! Dilma tem o Congresso sob controle e o Brasil está economicamente estável e seguro. Assim que desamarrarem a minha camisa de força vou pessoalmente a Brasília manifestar meu apoio a nossa presidente. Prometo!

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

FRAUDES

Em suas cartas Ou somos bobos ou hipócritas e Corrupção na saúde (Fórum dos Leitores de 24/3), os senhores Paulo César Godoy, de Ilhabela, e Heleo Pohlmann Braga, de Ribeirão Preto, discorreram com muita propriedade a realidade nacional no que se refere aos processos de licitações, não só no serviço público, como na iniciativa privada. Somos um país de desonestos. Vivem os brasileiros, em sua imensa maioria, de maracutaias, cambalachos, roubalheiras, fraudes, esmolas assistencialistas, mas não é de agora,é de muito tempo atrás. Essas manobras em processos de licitações no serviço público consomem o erário ilegalmente, e contribuem para o enriquecimento de bandidos do serviço público e bandidos da iniciativa privada, com o dinheiro que devia estar sendo aplicado na própria saúde, educação e segurança. Essa mesmo procedimento na iniciativa privada, aumenta os custos de produção de bens de consumo, eleva os preços de mercado de produtos industrializados, aumenta os tributos incidentes sobre custos de produção, inviabiliza a concorrência de nossos produtos no mercado externo, dando um prejuízo enorme à população economicamente ativa, e ao País. Não devemos continuar aceitando como bobos e vivendo na hipocrisia, pois somos nós que trabalhamos honestamente que carregamos o ônus dessa bandalheira irresponsável. Temos de exigir auditorias, fiscalização e controles dos órgãos governamentais competentes, e também dos empresários, que sabem apenas reclamar das elevadas cargas tributárias, mas não movem um dedo para a moralização do País. E devemos nos unir em torno de um objetivo muito sério: a moralização do Judiciário, pois a impunidade é fator determinante para que bandidos atuem muito à vontade, como temos visto inertes e impotentes.      

 

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

MUITO MAIS DISPENDIOSO...

“Os homens são atormentados pelo pecado original dos seus instintos anti-sociais, que permanecem mais ou menos uniformes através dos tempos. A tendência para a corrupção está implantada na natureza humana desde o princípio. Alguns homens têm força suficiente para resistir a essa tendência, outros não a têm” (Aldous Huxley). Cada sociedade tem o governo que merece. Isto porque nas democracias liberais, o povo é  quem escolhe os seus próprios agentes, o qual  é obrigado, através de mecanismos apropriados, a prestar contas... Se não tiver respondido aos anseios do povo, então pode ser derrubado por via das eleições, livres, justas e transparentes. A tendência para a corrupção está implantada na natureza humana e podemos comprovar que existem diversos casos de corrupção das instituições em diversos países do mundo.  Na minha opinião o povo elege o governo, mas depois divorcia-se do seu direito de cidadania, deixando os governantes exercer o poder a seu bel-prazer, sem que haja uma fiscalização e acompanhamento de quem elege. Nos Estados democráticos há muito mais pretendentes, que só podem ser satisfeitos com uma quantidade muito maior de espólio. A experiência demonstrou que o governo democrático é geralmente muito mais dispendioso do que o governo por poucos.

Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo

*

BENDITOS

A atual denúncia de corrupção na área da saúde pública, que tanta indignação está provocando, pode ser o estopim de um movimento nacional contra as nossas principais vulnerabilidades, que tem no desvio de verbas públicas a ponta mais visível dessas tristes realidades. Se tal denúncia tiver esse efeito, ou seja, produzir uma profunda modificação de estruturas de gestão pública entre nós – como a sempre citada e nunca operacionalizada reforma política –, benditos corruptos. Oremos.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

LENIÊNCIA COM A CORRUPÇÃO

Ainda que eu concorde com Leonardo Avritzer (Aliás, 24/3) de que "a sociedade brasileira está vivendo um processo de mudança" (em relação à corrupção), e para demonstrá-lo cita como exemplo nossa crescente intolerância a casos de acidentes provocados por alcoolismo no trânsito, creio que ainda temos um longo caminho a seguir. Nossa indignação, a priori, vale para outros, nunca para nós mesmos. Com a mesma veemência que criticamos os políticos corruptos ou os motoristas alcoolizados, defendemo-nos das infrações de trânsito ("necessárias") que cometemos, ou das propinas que ("indispensavelmente") pagamos para conseguir algo. Evidentemente, somos uma sociedade melhor do que 10 ou 20 anos atrás, mas ainda há muito a fazer. Infelizmente, a resposta à pergunta do repórter Ivan Marsiglia "as pessoas que condenam a corrupção não a praticam no seu dia a dia?" deveria ser "sim, na grande maioria das vezes...".

Max Toledo max.toledo@hotmail.com

Guarulhos

*

ENTREVISTA ESCLARECEDORA

O cientista político Leonardo Avritzer deu uma esclarecedora entrevista no caderno Aliás de domingo, 25 de março. Perguntado qual seria o nó na questão da impunidade o professor não titubeou, a presunção de inocência. Esse um artifício que vem sendo usado sempre que se quer absolver algum protegido, colarinho branco ou endinheirado. Outro ponto abordado a reforma política. Lembrou o professor que somente uma participação ativa da sociedade civil será capaz de por em prática a reforma política tão desejada pelos eleitores e benéfica ao país. Relembrou o caso da  Lei Ficha Limpa  um instrumento que reuniu mais de um milhão de assinaturas e teve forte apoio da imprensa, o mesmo deveria ser proposto pela sociedade já que esperar que algum parlamentar faça a proposta é esperar um milagre. E a solução para o Brasil vem com o seguinte desafio combater a corrupção, fortalecer os órgãos de controle e fazer a reforma política. Eu colaborei   na coleta de assinaturas para o Projeto da Ficha Limpa   e podem contar comigo que estarei disposta a angariar assinaturas para a reforma política. Vamos lá, Brasil. País rico é país sem corrupção.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

CRISE DISSIMULADA

O governo está ameaçado de perder a votação do novo Código Florestal por causa da rebelião da base aliada, que não concorda em ser alijada da política do ''toma lá dá cá''. A presidente Dilma dissimula a crise instalada no Congresso, nega a sua existência e ainda ironiza, afirmando de forma equivocada que ''perder ou ganhar é do jogo democrático”; mente quando acrescenta que o governo não tem de ganhar todas. A presidente julga que a qualquer momento o Congresso vai se aquietar, principalmente se ela alimentar o ''toma lá'' e reconsiderar o corte de R$18 bilhões nas emendas parlamentares, considerando ainda que este é um ano de renovação das prefeituras e câmaras municipais. A presidente, num acesso de deslumbramento e veneração só comparados aos seguidores dos aiatolás, disse que Lula transformou o mundo (?) e que ele teve momentos de gênio na política. Só acertou quando disse que o ex-presidente é uma pessoa divertidíssima (principalmente quando abre a boca para falar).

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

SAFRA DE CANA  2012/2013 NO CENTRO-SUL

A previsão da produção de cana safra 2012/2013 em 520 milhões de toneladas, citada por algumas consultorias do mercado, acreditamos estar fora da realidade. Com base em visita dentro de todas as usinas do Centro-Sul, em nossa previsão, não chega a 500 milhões de toneladas.

 

Sérgio A. de Paula sergio@kanna.com.br

Santa Cruz do Rio Pardo

*

EDUARDO PAES E A RIO +20

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, fará apelo à população carioca para hospedarem turistas na conferência “Rio+ 20”, que deverá ocorrer neste ano. Falta de alojamento em hotéis num evento muito menor que a Copa 2014 e Olimpíada 2016, imaginem o que não acontecerá nessas datas? Quem viu a euforia do prefeito e do governador do Rio quando da decisão de receber a Copa e a Olimpíada naquela cidade sabia que em algum momento o caos estaria formado. O Estado não tem dinheiro nem para ajudar os flagelados que até hoje choram para reconstruir suas cidades, imaginem receber satisfatoriamente tais eventos. Mas pelo jeito o prefeito seguiu o conselho do ministro do Esporte e resolveu dar o tal “jeitinho brasileiro” na Conferência Rio+20. Até a Copa e a Olimpíada, precisarão inventar um jeitão.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

É MUITA OUSADIA

Essa inacreditável notícia que diz que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, vai pedir socorro ao povo carioca para abrigar em suas casas os participantes da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) que não conseguirem acomodação na rede hoteleira da cidade, já que a rede é insuficiente para o porte do evento, mostra a falta de preparo e de previsão dos nossos governantes. Um evento desse porte, que todos já sabiam há alguns anos que iria ocorrer, está na dependência, agora, da campanha que Paes vai lançar incentivando os moradores do Rio a hospedar estrangeiros em suas casas. Com esse retrospecto de desorganização, e de deixar tudo para última hora, é realmente muita ousadia pretender sediar mega eventos como a Copa do Mundo de 2014, e a Olimpíada de 2016, e ter de usar o “jeitinho” brasileiro para resolver o problema.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

VAI FALTAR DINHEIRO

A  presidente Dilma vetou pela segunda vez a destinação de verbas do FI-FGTS, fundo de investimentos formado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para obras da Copa-2014 e da Olimpíada-2016.  por desvirtuar "a prioridade de aplicação do fundo".  Essa proposta foi incluída em medida provisória aprovada no Congresso no início do mês e já tinha sido vetada por Dilma no final do ano passado em outra medida provisória (MP) que também recebeu aval de deputados e senadores. A iniciativa da proposta partiu da bancada do PMDB no Congresso.  Parece que nossos representantes (?)  querem meter a mão no dinheiro do FGTS.  Felizmente a presidente está impedindo esse absurdo. Com enormes investimentos na Copa, na Olimpíada, no pré-sal e no trem-bala  (este um tanto esquecido, felizmente), nosso Congresso está buscando fontes para cobrir o rombo sem mexer em suas muitas benesses. A conta, certamente, não vai bater.  Só um enorme aumento nos impostos ou um milagre de multiplicação de fundos é que permitirão concluir satisfatoriamente esses faraônicos projetos.  Por hora Dilma segurou nossa barra.  Mas... até quando?

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

ACERTO

A presidente  Dilma deve ser elogiada pelo veto ao uso do FGTS nas obras da Copa e Olimpíada. Parlamentares espertos enxertaram  essa “maracutaia” no Projeto de conversão da Medida Provisória 545 (caderno Esportes, 27/3, E2)  para pulverizar  os recursos dos trabalhadores nessa orgia de gastos. Foi uma segunda tentativa para espoliar o FGTS. Parabéns à presidente.

Antonio Martins Ferrari amferrari@pobox.com

São Paulo

*

CORTANDO IMPOSTOS

A desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) anunciada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, pela qual zera os impostos de vários produtos, em nada adiantará, se produtos chineses continuarem enchendo as gôndolas de nossos mercados.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

COMPETITIVIDADE EM RISCO

Dilma baixa 40 medidas protecionistas e os empresários querem bem mais. São os mesmos que reclamam das medidas protecionistas da Argentina. Pela teoria deles, pimenta só arde nos olhos dos outros, ou será que o Brasil, quando exporta, não causa desemprego nos países importadores? Por que não brigam pela redução da carga tributária, esta, sim, o verdadeiro motivo que prejudica nossa competitividade?

 

Eduardo Henry Moreira henrymoreira@terra.com.br

Guarujá

*

‘BURLA NAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO CONSIGNADO’

Muito interessante o editorial econômico sobre o crédito consignado na edição de domingo, 25, no Estado. Faltou, entretanto, mostrar que os tais “pastinhas”, ou seja, os intermediários – muitas vezes sem escrúpulos – que em nome dos bancos procuram insistentemente os aposentados e lhes oferecem os empréstimos, dizendo-se às vezes mentirosamente seus funcionários, esses intermediários, dizia, dispõe de informações que deveriam ser mantidas em sigilo pelo INSS e que entretanto não o são. Os pastinhas trabalham principalmente por telefone, aborrecendo diuturnamente as pessoas, das quais dispõem do nome completo, endereço, telefone, o rendimento mensal, os empréstimos que já fizeram, os que estão ainda quitando, o saldo estimado dos contratos, tudo fornecido evidentemente pelo INSS. Certamente há corrupção dentro do INSS para que esses pastinhas consigam tantas informações sigilosas. O ministro da Previdência Social poderia coibir essa prática e não permitir intermediários e vazamento de informações pessoais dos segurados.

Antonio do Vale adevale@uol.com.br

São Paulo

*

‘PASTINHAS’ DESNECESSÁRIOS

Ao ser criado o crédito consignado, em 2003, um dos mais poderosos argumentos para introduzir esse modelo de financiamento pessoal – que deu certo, por sinal – foi o de afastar das portas das empresas os famigerados agiotas. Os "pastinhas", agentes dos bancos à cata ansiosa de clientes, não são agiotas, mas são intermediários que somente dificultam as relações entre as partes, maxime quando o cliente pretende antecipar o pagamento de seu débito. E absolutamente desnecessários, como alertou o editorial econômico de O Estado.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

O STF E OS APOSENTADOS

É incrível, parece mentira mas é verdade! O Supremo Tribunal Federal (STF), muito bem pago, como última decisão judiciária do País, tem por obrigação fazer justiça indistintamente a todos os brasileiros. Os aposentados da Previdências estão sendo desrespeitados nos seus direitos constitucionais desde dezembro de 1998, há mais de 13 anos! Todos os que se aposentaram antes de 1997 ainda estão esperando por uma decisão do STF, nossa corte suprema, se para esses aposentados valerá o prazo de dez anos para revisão. É interessante. O governo desrespeita os direitos dos aposentados por mais de uma década e ainda quer impor um período menor para ressarcir o prejuízo dos infelizes beneficiários. E se o governo fizesse o mesmo com os membros do Judiciário, mais de 50% de corte nos seus salários, os funcionários do Judiciário estariam passando o mesmo que passam os beneficiários da Previdência? E depois ainda dizem que todos são iguais perante as leis brasileiras. Só um Poder Judiciário eficiente e justo poderá fazer cumprir a nossa Constituição.

Benone Augusto de Paiva benone2006@bol.com.br

São Paulo

*

A TAXA DO LIXO HOSPITALAR

O  prefeito paulistano, Gilberto Kassab, sem comunicação prévia, acaba de  ressuscitar a Taxa Especial pelo Recolhimento do Lixo em estabelecimentos de saúde, como clínicas e ambulatórios. Um meu parente que é psiquiatra e tem um pequeno consultório, e não tem lixo hospitalar, também recebeu o boleto com vencimento em abril. Pelo visto, a distribuição do imposto foi generalizada a todos os médicos, e quem desejar a exclusão da cobrança deverá enfrentar a conhecida burocracia com uma "tonelada" de documentos. Será que estamos evoluindo de verdade nas práticas administrativas?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

‘NÃO TEM NADA DE MAIS’

Muito bom o artigo de Carlos Alberto Sardenberg (26/3, B2)! Sou empresário e convivo há décadas com a muito custosa e emaranhada burocracia que os nossos órgãos públicos nos impõem. Eu gostaria de sugerir algo bem objetivo: por que a equipe do jornalista não organiza uma investigação a fundo, tentando chegar à pessoa que elaborou o projeto de coleta de resíduos sólidos? Tentem saber quem foi que maquinou a absurda lei, aplicando o “se colar, colou” nos coitados dos contribuintes. Mesmo que já houvesse um projeto do tempo da Marta (de nenhuma saudosa memória!), alguém se encarregou de transformar em boletos o imposto em foco, sem nenhuma verificação prévia da real aplicabilidade do mesmo, conforme o profissional. Dar os nomes aos bois seria um serviço de utilidade pública! O mesmo poderia ser aplicado aos políticos que encaminham projetos absurdos, favorecendo a sua própria categoria. Descubram, por exemplo, quem permitiu ou apresentou o projeto de aprovação de custo ilimitado nas despesas médicas dos membros do Congresso e do Senado – alguém fez o projeto andar, culminando na sua promulgação, certo? No caso da nova tarifa municipal, obviamente no final das contas nós, os pobres consumidores finais, é que pagaremos o pato – inevitavelmente os médicos, laboratórios, clínicas, etc. repassarão o custo nos preços dos serviços prestados, aproveitando a deixa para colocar uma gordurinha a mais – outro procedimento “cultural” nosso – afinal, não tem nada de mais!

Meier Strengerowski mauro@opeco.com.br

São Paulo

*

TAXA... MARTAXA...

Médicos que trabalham em clínicas médicas em São Paulo (capital) estão revoltados com o recebimento de boleto de cobrança da Taxa de Resíduos Sólidos, com valores a partir de R$ 117,33 e vencimento em abril. Foram bater na porta da Prefeitura para reclamar, mas no meu entender deveriam bater na porta de Marta Suplicy, pois foi em sua gestão que tal taxa foi criada. Não por outro motivo, a ex-prefeita passou a ser chamada de Martaxa. Se a lei só saiu do papel agora  é por que nossos vereadores certamente estiveram muito assoberbados com acúmulo de assuntos prioritários a serem resolvidos... Portanto, esse atraso é normal. Mas a mãe da criança indesejada é Marta. PT saudações!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

A HISTÓRIA SE REPETE

Não somente a Federação Paulista de Futebol (FPF), mas as autoridades constituídas precisam interditar definitivamente essas entidades ligadas ao futebol, como a Gaviões da Fiel e a Mancha Alviverde, que nestes últimos anos têm dado guarida a criminosos.  Prova está que neste último final de semana, antes do jogo entre Palmeiras e Corinthians, esses torcedores vândalos se confrontaram e dois destes jovens foram mortos, além de dezenas de feridos. Não adianta exigir mais da polícia! Precisamos cortar este mal pela raiz! Ou seja, condenando os culpados com penas altíssimas, e dando um fim a Gaviões da Fiel e a Mancha Alviverde.  Caso contrário, tudo no mais será apenas paliativo...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MMA X FUTEBOL

Muitas pessoas são contra as lutas do Mixed Martial Arts (MMA). Por ter muita violência, tipo: socos, pontapés, cotovelas, etc. a sangria é certa! Afinal, este tipo de combate é uma mistura de várias artes marciais, e a brutalidade dos golpes assusta!  Mas todos os lutadores são preparados para o duelo. Mas nada se compara com o futebol, onde atletas são desleais e violentos, se agredindo verbalmente e fisicamente. E, em relação aos torcedores a violência é geral, em qualquer lugar do País as brigas, pancadarias e mortes viraram rotina. Recentemente um torcedor do Guarani foi morto a pancadas! No jogo entre Corinthians e Palmeiras teve torcedor morto com tiro na cabeça, outro está em estado grave na UTI, dentre outros muitos feridos. A selvageria é geral, tudo é fruto de falta de punição, ou seja, leis rigorosas! Conclusão: o esporte mais violento do país e do mundo é o futebol, dentro e fora dos gramados! Ou não?

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

PAIXÃO NO FUTEBOL

Torcer por um time é rasgar o coração de alegria e sofrimento a cada gol marcado e tomado, a cada vitória conquistada e derrota sofrida. A paixão pelo futebol é algo quase inexplicável tamanha a força e comoção que provoca, pois transcende a própria razão. Quando o time em questão é a seleção do País, então tudo é ainda mais intenso, avassalador, quase incontrolável. Torcer não é brigar, ferir e matar o outro que escolheu cores diferentes para a vibração de seu coração. Torcer é jogar junto, ganhar ou perder, empatar e seguir em frente. As torcidas organizadas perderam o jogo da vida no último domingo antes mesmo da bola rolar. Viva o futebol!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

MORTE EM DIA DE JOGO

Este é um momento em que toda solidariedade é devida aos pais, parentes e amigos de André Alves Lezo. Gostaria, contudo, de dirimir uma dúvida que deve ocupar a mente de muitos daqueles que acompanham as notícias sobre a tragédia que se abateu sobre aquela família. Seria a Avenida Inajar de Souza a melhor, ou única  via de acesso ao Pacaembu, a partir da residência da vítima?

Caiuby Luciano Gomes caiubylgomes@yahoo.com.br

Botucatu

*

A SOCIEDADE E OS BANDOS UNIFORMIZADOS

Sei que muito já foi dito neste Fórum sobre esse assunto. Mas não  consigo deixar de me manifestar diante de mais uma barbárie às portas  de um estádio de futebol. O que mais me irrita neste momento é ver que a polícia tem recebido a  maior parte da culpa, quando, na verdade, aqueles que têm o poder de  tomar decisões não o fazem e não explicam o motivo da sua omissão. Li  hoje que a última partida entre Ponte Preta e Guarani não registrou  incidentes graves porque a PM teria se preparado com 30 dias de  antecedência, e destacado 550 homens para o evento! Levando-se em  conta que pouco mais de 7 mil pessoas foram ao estádio em Campinas,  aqueles privilegiados puderam contar com 30 dias de planejamento  da PM e com o incrível número de cerca de um policial para cada 13 pessoas. Pergunto: quantos de nós, cidadãos pagadores de impostos,  desfrutam desse privilégio?  Não sei quantos homens a PM destacou para o clássico do Pacaembu, no  último domingo, mas não é esse o ponto. A questão é que a sociedade  como um todo não pode ser penalizada por causa de algumas dezenas de  marginais travestidos de torcedores, que insistem em barbarizar nossas  cidades sob os olhos complacentes do Estado.  É mais do que evidente – e simples – o que já deveria ter sido feito  há muito tempo: 1) banir definitivamente e indistintamente todas as torcidas organizadas dos estádios; 2) instituir jogos com uma só  torcida – a do mandante do jogo – em clássicos e “derbies” regionais; 3) penalizar com perda substancial de pontos e pesada multa financeira a equipe cuja torcida causasse qualquer tumulto ou dano ao patrimônio  público; 4) prender, julgar, condenar e manter presos os responsáveis  pelas badernas, de acordo com o que preveem as leis. Simples, não? Qualquer ser medianamente pensante sabe que isso deveria  ser feito. O que eu gostaria de ouvir das nossas autoridades é por  que ainda não o fizeram. Já está mais do que na hora de a sociedade se posicionar a respeito. É inaceitável que tantos recursos sejam  destinados a tão poucos marginais, e que a imensa maioria dos cidadãos  de bem continue a pagar por isso.

Igor Luiz Zanetti igor.luiz.zanettii@gmail.com

São Paulo

*

TORCIDAS ORGANIZADAS

Verdadeiras gangues,  travestidas de torcedores... lastimável.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

BRIGAS

Só há uma maneira de acabar de vez com brigas de torcidas:  tirar muitos pontos dos times envolvidos ou rebaixá-los.

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

O PAPA E CUBA

 

Sem dúvida, a ida do papa Bento XVI a Cuba se reveste de muita importância. Menos para a Igreja Católica e mais para o mundo cristão, porque a sua oportuna manifestação sobre a abertura do regime e a demonstração em ajudar a reconstrução do país, na realidade, vão de encontro aos desejos de todos os cubanos. Outrossim, a esquerda brasileira não pode ficar calada diante das mais de 150 prisões de dissidentes, que iriam às ruas manifestar-se publicamente ao papa, porque esse ato é mais uma demonstração da truculência que impera na ilha e que torna o regime absolutamente incompatível com a ordem democrática existente na quase integralidade do planeta. Um ponto, no entanto, precisa ser ressaltado. Durante dezenas de anos a Igreja Católica foi reprimida e subjugada em Cuba. A visita serve como brado ou rebelião contra os procedimentos ditatoriais dos Castro, mas dentro dos princípios bíblicos do perdão e da solidariedade.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

DUAS VELAS EM CUBA

 

A visita de Bento XVI a Cuba teve, entre outros, o mérito de desnudar um pouco mais – se é que isso ainda é possível –  a opressão a que o regime castrista submeteu todo o povo daquela ilha. Ao tempo em que Raul Castro se derramava em mesuras ante S. Santidade,  seus gorilas atuavam nas sombras, cortando linhas telefônicas de conhecidos dissidentes  ou mesmo prendendo-os  – às dezenas –  sem que tivessem cometido qualquer ilícito; presos  apenas pelo fato de serem pessoas reconhecidamente contra o regime, ainda que nada tivessem feito para demonstrar esse antagonismo na presente oportunidade.  Segundo a conhecida blogueira Yoani  Sánchez, estão fazendo uma “limpeza  ideológica” para impedir tais pessoas de assistir às missas celebradas pelo Sumo Pontífice. Raul – sabidamente ateu assim como seu irmão Fidel – acende, como se vê, uma vela a Deus, quando recepciona com honras o Papa, mas não se descura de dedicar outra, bem vermelha,  ao diabo, quando mostra ao mundo do que o regime comunista é capaz calando a boca de quem dança fora do compasso da música oficial. No Brasil de algumas décadas atrás, simpatizantes desse mesmo modelo pegaram em armas dizendo que lutavam “pela liberdade”. Alguém, em sã consciência, acredita nisso?

 

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

*

BRASIL X EUA

 

Os EUA facilitarão a entrada de brasileiros. Claro para eles, business is business.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

CONFIGURAÇÕES DA CONTA: DESATIVAR

Acabo de excluir minha conta no Facebook. Meu coração dói tanto, parece que saí de casa e me esqueci de alguma peça de roupa. A princípio, ele era uma ótima ferramenta de comunicação, tornou-se muito mais popular que os concorrentes, ótimo para propagandas e melhor que qualquer ferramenta de spam para espalhar um boato. Inteligente, o Facebook encontra amigos de infância, do colégio, ensino médio, faculdade, empresas que trabalhei e ainda sugere amigos que nem eu lembrava que conhecia. Além disso, o filme “Rede social”, que conta a história da criação do site e o processo milionário que foi movido por coprodutores ao presidente da rede, apenas deixaram mais popular o que até menos de dois anos, era conhecido apenas fora das bordas brasileiras. Descredenciei-me do Facebook pois ele é utilizado atualmente apenas para entreter a massa com joguinhos, charadinhas, tirinhas e prende qualquer vulnerável cidadão à discussões quase nunca produtivas, ninguém discute nele assuntos como política, sociologia, filosofia.  Não há como negar que, além de muito didáticos – o que trouxe à rede de computadores pessoas que jamais se viam em frente a um computador – sites de relacionamento em geral são muito coloridos e divertidos, prendem mesmo a atenção de todos e fazem o usuário pensar que é mais popular entre sua rede de relacionamento. Contudo, novas políticas de privacidade – como a recente divulgada pelo Google, que infelizmente, a maioria dos usuários nem tem ideia que pode agredir a soberania nacional – cliques pagos, páginas oficiais, verified accounts e curtir evidenciam o verdadeiro objetivo de quem os administra, propaganda e moda. Por esses motivos, quem quiser me contatar, de agora em diante, terá de se render ao bom e velho telefone celular (velho?), ao meu endereço de e-mail (também velho, não?) ou bater palmas em frente ao portão da minha casa.

Jackson Henrique de Campos Dias jackson@infinitylog.com.br

São Paulo

*

CHICO ANYSIO

A morte de Chico Anysio não se resume ao desaparecimento de um homem apenas, constituindo-se, mesmo, num genocídio – com ele vão-se, também, inúmeros personagens que, por décadas e décadas, marcaram e alegraram nossas vidas. Sentiremos muito a falta de todos.

 

José Hamiton Port port.jose@hotmail.com

Vinhedo

*

PAIXÃO

Chico Anysio morreu e até hoje ninguém sabe para qual time de fato ele torcia. O cara foi Botafogo, América e Vasco. Qual dos três clubes teria sido a sua verdadeira paixão?  Ou foi mais uma piada dele?

 

Fernando Faruk Hamza botafogorio@bol.com.br

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.