Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

03 Abril 2012 | 03h06

Demóstenes e Waldomiro

Em suas relações com o sr. Carlinhos Cachoeira, o principal engano do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) pode ter sido acreditar que iria receber tratamento igual ao que teve Waldomiro Diniz, então homem do Palácio do Planalto.

WILSON SCARPELLI

wiscar@estadao.com.br

Cotia

*

Gravações permitidas

Cidadã atenta e inconformada com as maracutaias dos homens públicos, gostaria de avivar a memória daqueles que agora estão pegando no pé, com razão, do senador Demóstenes Torres para o fato de que outras figurinhas carimbadas da República foram apanhadas em conversas telefônicas nada "republicanas", tais como Ideli Salvatti, Fernando Pimentel, Antônio Palocci e Erenice Guerra, para citar algumas das mais recentes. Como está o andamento dos inquéritos produzidos em consequência dessas gravações? Se houve um motivo forte para gravar tais conversas, há de existir um mais forte ainda para todos irem a julgamento.

LEILA E.LEITÃO

São Paulo

*

Escutas

Se Demóstenes prevaricou, rua e punições. Mas que justiça caolha é essa? As conversas de Santo André, mutiladas, só aparecem na internet. E os papos dos aloprados, da turma da Bancoop, onde estão? E os acertos de Marcos Valério com o Palácio do Planalto, as conversas entre Palocci e Mattoso (caso Francenildo Costa), os telefonemas de Pimentel, de Erenice e de Ideli, foram todos para o espaço? Bastos, Tarso Genro e José Eduardo Martins Cardozo poderiam clarear o horizonte.

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

Vulnerabilidade

Agora foi o senador Demóstenes Torres. Se quisermos encarar com real seriedade a questão da corrupção, teremos de criar algo novo para substituir o modo atual de financiamento das campanhas eleitorais. O povo brasileiro terá de entender que a atividade política é importante e demanda recursos. Deixar os políticos vulneráveis aos interesses de transgressores e espertalhões não é do interesse da Nação. Simples não é. Mas é necessário.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euros@ig.com.br

Itatinga

*

Propina das lanchas

Lamentável constatar que mais uma estrela da constelação do universo de Dilma Rousseff, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, poderá vir a integrar a galeria dos que deixaram o governo por irregularidades e trapalhadas cometidas.

PEDRO SERGIO RONCO

sergioronco@uol.com.br

Ribeirão Bonito

*

AINDA O PAPA EM CUBA

De miopia

O sr. Rafael Alberto (Injustiça, 31/3), secretário de Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, contestou minha carta (Bento XVI e o regime cubano, 29/3) em que "supus" ser a Igreja Católica míope com relação ao regime cubano. Para começar, se a Igreja se manifestou nestes 50 anos de ditadura em Cuba, foi tão sutil que ninguém viu, e na semana em que o papa esteve diante dos irmãos Castro perdeu uma ótima oportunidade de reforçar a posição da Igreja com relação ao regime que eles impõem àquela população há tantos anos. Aí, sim, veríamos repercutir mundialmente a posição do papa, com a cobertura da mídia em grande escala que costuma ocorrer nesses eventos. Quanto à Igreja combater o comunismo mundial, não foi o que vimos no Brasil à época da ditadura militar, quando houve forte apoio aos que nos queriam impor a mesma ditadura de Cuba. Hoje apoia invasões de terra pelo MST, menosprezando as leis do País e o respeito à propriedade alheia. Sem querer lavar roupa suja, podemos ainda pôr em xeque como a Igreja trata assuntos cabeludos como a pedofilia, quando jogou para debaixo do tapete, durante anos, a punição aos padres acusados. Só tomou atitudes convincentes depois de pagar indenizações milionárias nos EUA. Como católica não posso deixar de observar os defeitos da Igreja, há muito precisando de renovação. Após 2 mil anos, em muitos assuntos sérios continua lavando as mãos. Isso é ou não ser míope?

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

SACOLAS PLÁSTICAS

Defesa do consumidor

Amanhã, dia 4, os supermercados vão suspender a entrega das sacolinhas plásticas, por força do Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre a Apas, o Ministério Público e o Procon-SP, prazo dado para que os consumidores se adaptassem a fazer suas compras sem elas, consideradas as vilãs que prejudicam o planeta. Nesse período visitei diversos mercados e constatei que mais de 80% dos clientes não levaram sacolas para suas compras. A pesquisa da Apas dizendo que a adesão dos consumidores era de 80% foi mais uma falácia para que o acordo fosse fechado e o cliente, prejudicado. Como se sabe, a decisão está com o Tribunal de Justiça de São Paulo, que certamente decidirá a favor do consumidor, até porque um acordo não pode sobrepor-se a uma lei federal.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

Rios só pioram

A principal causa da deterioração da qualidade das águas dos rios da Região Metropolitana de São Paulo é o baixo índice do tratamento de esgotos. No entanto, há ainda os efeitos da poluição difusa, que deverá ser ainda mais agravada em razão do recente "acordo de cavalheiros" celebrado entre os supermercados e a Prefeitura de São Paulo abolindo a distribuição "gratuita" das sacolas plásticas. É sabido que a população também utiliza essas embalagens para a disposição do lixo doméstico e que a indisponibilidade desses recipientes acabará por contribuir mais ainda para o aumento da sujeira dos nossos rios.

JOSÉ EDUARDO CAVALCANTI

avalcanti@ambientaldobrasil.com.br

São Paulo

*

Grande negócio

Os vários tipos de sacolas retornáveis viraram um ótimo negócio para os supermercados, e o preço varia de acordo com a exigência de "luxo" de cada cliente. Mas o povão quer é continuar com a "gratuidade", como antes, sem luxo. Chega de abusos!

ANTONIO DE SOUZA D'AGRELLA

antoniodagrella@yahoo.com.br

São Paulo

*

A REVOLUÇÃO POLÍTICA, ÉTICA E MORAL

 

Os casos do senador Demóstenes Torres e do deputado Stepan Nercessian, envolvidos com o contraventor Carlinhos Cachoeira, demonstram que, felizmente, o País caminha para novos tempos. A situação era inimaginável até recentemente, quando, diante de rumorosos escândalos – “mensalões”, “sanguessugas”, “dinheiro na cueca” e outros –, as lideranças partidárias e autoridades preferiam o constrangedor e escandaloso “eu não sei”, multiplicando o desapontamento do povo em relação à classe política. A Lei da Ficha Limpa, o trabalho investigativo da imprensa, a ação da Polícia Federal e o perfil moralizador (embora lento) da presidente Dilma Rousseff, criam o caldo necessário para a implantação da sonhada revolução ética. Espera-se que os demais partidos façam o mesmo que o DEM em relação a seus errantes. É assim que se faz nas sociedades e países desenvolvidos, onde se exige caráter, retidão e dignidade do homem público. Se conseguirmos resolver a questão moral e ética da classe política, poderemos vislumbrar, a partir daí, o fim da corrupção e a possibilidade da justa distribuição da renda nacional, dando ao povo as reais oportunidades de saúde, educação, emprego, renda, segurança pública e a verdadeira cidadania.           

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CACHOEIRA E OS POLÍTICOS

O deputado federal e ator Stepan Nercessian se adiantou à fritura e pediu licença temporária do PPS solicitando ao Conselho de Ética de Decoro Parlamentar da Câmara a abertura de uma investigação contra si próprio. Ele confirmou ter recebido R$ 175 mil de Cachoeira, de quem assume ser amigo há 19 anos, mas alega desconhecimento total das atividades ilegais de seu amigo, e só por isso aceitou o empréstimo de emergência no ano passado. Como pode Stepan dizer tal despropósito tendo mantido um vínculo de amizade com Cachoeira por quase 20 anos? Será que Stepan sofre de déficit de atenção ou de ingenuidade mórbida? Fica a pergunta: para quantos políticos mais Cachoeira "emprestou" dinheiro ou deu presentes, além de Demóstenes Torres e Stepan Nercessian?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

EFEITO DOMINÓ

Parece que Demóstenes Torres não cairá sozinho. O efeito dominó começou. Algumas pedras já caíram. O jogo completo tem 28 pedras. Salve-se quem puder!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

‘ESTAMOS SALVOS’

O comando do Congresso Nacional, formado principalmente por PMDB e PT, deve sentir-se aliviado por aparecer alguém, Demóstenes Torres, para “jogar aos lobos” da opinião pública e identificar como o “gerador da corrupção” no Parlamento. Aparentemente, devem sentir a euforia por “encontrarem” um excelente culpado que desviará a atenção de malfeitos de seus colegas, que a Casa conseguiu encobrir magistralmente e com as mãos de ferro de Marco Maia e Sarney. Ministros demitidos pela presidente por corrupção transitam normalmente pelo Congresso, com a maior desfaçatez, agora, quando se encontrou alguém que pagará pelos pecados de todos. Fantástica oportunidade para os partidos que controlam o poder. Oportunidade também para a autopromoção de órgãos como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Tenhamos a esperança de que, algum dia, a corrupção comece a ser debelada de fato, e não só essa enganação.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

A SOLUÇÃO

Difícil de acreditar, em virtude disso o negócio é esperar para ver até onde a sujeira vai, mas quando vemos que essa já passou da altura da boca e o futuro defunto está na ponta dos pés tentando respirar à espera de um milagre, não há como ficar quieto. Torci um bocado para que não fosse verdade, já que o senador Demóstenes era um símbolo da resistência contra o lulopetismo, esse câncer que infesta todos os órgãos governamentais, mas realmente o futuro finado senador está a cada dia em situação periclitante. A solução para ele é ver se há um jeitinho de se filiar ao PT e ficar ao lado da cúpula do partido, junto com o José Dirceu, João Paulo Cunha, Delúbio Soares, aliás, com todos os que estão no processo do mensalão, assim quem sabe ele será ferozmente blindado, e nada acontecerá.

Alberto Souza Daneu albertodaneu.health@gmail.com

Osasco

*

DEMÓSTENES E A OAB

Primeiro, se Demóstenes tem culpa, que pague integralmente por ela, inclusive com cadeia, e não somente com a perda do mandato, se assim a lei determinar. Só estranho um pouco a celeridade da OAB. Em outros casos, tão ou mais escabrosos, percebe-se um silêncio estrondoso dessa entidade agora tão ciosa de sua responsabilidade ética e moral. A propósito, o que a OAB tem feito no caso do mensalão, escândalo infinitamente mais grave que este do senador? Será que a OAB não vê problema no fato de o julgamento deste caso estar sendo postergado e seus réus estarem aí livres, leves e soltos, prestando "consultorias", se candidatando e se elegendo novamente e, ainda por cima, influenciando em decisões do governo federal? E o caso do ministro Fernando Pimentel, não caberia uma ação, digamos, mais enérgica da OAB? E os sete ministros afastados, também não mereceriam mais atenção da OAB? Por que a OAB ainda não tomou providências no caso das lanchas da ministra Ideli? Com a palavra, os dirigentes da OAB.

Rodrigo Borges de Campos Netto rodrigonetto@rudah.com.br

Brasília

*

CAÇA-NÍQUEIS

Congratulo-me com o nobre presidente da OAB, Ophir Cavalcanti, pela feliz iniciativa de pedir a imediata renúncia do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), investigado pelo STF por envolvimento de exploração ilegal de jogos, ou seja, das máquinas caça-níqueis. A essa altura o senador e sua esposa, recém-flagrada pela Polícia Federal, comemorando com Cachoeira “a obtenção de sua carteira da OAB; a conquista aí é nossa” “Tô com a vermelha no bolso, 32.650, pode arrumar cliente aí pra mim (...)” aprovada no Exame da OAB, antes mesmo de concluir o curso de Direito, estão cantando a música de Beth Carvalho: Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão. Isso porque caça-níqueis atrai caça-níqueis. O senador Demóstenes foi o relator que, a pedido dos mercenários, de maneira irresponsável e desrespeitando a Constituição e aos direitos humanos, rejeitou e arquivou em 3/3/2011 a PEC nº 01/2010 do nobre senador Giovane Borges, que pretendia banir do nosso ordenamento jurídico a máquina de arrecadação da OAB, o caça-níqueis Exame de Ordem. Assim como as máquinas caça-níqueis são programadas para os apostadores perderem, o caça-níqueis Exame da OAB se iguala, pois é feito para reprovação em massa: quanto maior reprovação, maior o faturamento, de fazer inveja aos caças-níqueis do Carlinhos Cachoeira. Abocanha  R$ 72,6 milhões por ano, dizimando sonhos, sem prestar contas ao TCU, sem dar  nada em contrapartida, corroborando com o aumento do caldo da miséria, gerando fome desemprego (num país de desempregados) e doenças psicossociais, verdadeiro  mecanismo de exclusão social (bullying social).

Vasco Vasconcelos vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

Brasília

*

JOGATINA POLÍTICA

Jogos de apostas e políticos brasileiros andam juntos e não é de hoje. Bingo, bicho, caça-níquel. Teve senador que "ganhou" mais de três vezes na Mega Sena. Até castelo para abrigar cassino um deputado federal construiu no Brasil, caso fosse aprovada a lei para construção do lucrativo passatempo. Não existe nada sério aqui: partido, político, causas sociais; é tudo pedras do mesmo saco, ou melhor, farinha do mesmo saco.

Rodolfo Jesus Fuciji fucijirepresentacao@ig.com.br

São Paulo

*

POR QUE DEMÓSTENES TORRES?

O Partido Democrata não pode falar em expulsar o senador Demóstenes Torres; tem, na verdade, de defendê-lo. O partido quer ser ético, mas como ser ético no meio de tanta roubalheira? Pois qual é o mal em ser amigo de Carlinhos Cachoeira? O PT tem José Dirceu e tantos outros piores que Cachoeira e, mesmo assim, eles continuam sendo membros do partido. Ainda vem a Ordem dos Advogados do Brasil dizendo que senador tem de renunciar. Ora, a OAB tem de ser justa e não se manifestar por apenas um lado, como está fazendo – aliás, nesse caso, o correto é que permanecesse em silêncio, como tem feito na maioria dos casos de grande repercussão, e quem não se lembra do caso José Sarney? O partido também não cogitou em expulsá-lo e não o abandonou diante das inúmeras falcatruas que ele praticou, e a Ordem dos Advogados do Brasil, onde estava naquela ocasião, que não interferiu?

Daniel de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br

Paranavaí (PR)

*

ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA?

Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita é o título em Português de um antigo filme cujo enredo gira em torno do comprometimento com o crime organizado de representantes do Estado Italiano, desde o mais baixo escalão até as mais altas patentes. Para perplexidade do protagonista, quanto mais ele investigava mais se expunham os tentáculos da máfia. O filme vem à lembrança com o recente noticiário sobre o Senador Demóstenes Torres (“Até tu, Demóstenes”, é a pertinente manifestação de espanto do leitor Leônidas Marques, neste fórum, em 28/3). E, mais do que o próprio filme, vem à lembrança a perplexidade que ia crescendo na medida em que a investigação avançava, subindo degraus na hierarquia das instituições, e desvendava o envolvimento de figuras públicas até então reconhecidas como impolutas. Tudo indica que a tecnologia vem sendo assimilada neste nosso País onde está ficando cada vez mais difícil escolher um político em quem confiar. E, para piorar, parece que nem perplexos ficamos mais; efeito da repetição de deploráveis procedimentos que se revelam em rotineira sequência, a ponto de passarem a ser percebidos como naturais, havendo até quem cinicamente entenda que já fazem parte da nossa cultura.

Roberto Barone rbtob@hotmail.com

São Paulo

*

RENÚNCIA

É óbvio, claro e notório que vivemos num país onde "política" e "justiça" estão totalmente falidas, sem moral e decência e com corruptos, bandidos e inescrupulosos. Pois, se após tudo o que vimos e ouvimos a respeito do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), com seu envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira, a Justiça ainda lhe faculta o direito de "renúncia" para evitar ser cassado e não perder seus direitos políticos, não há meios nem maneiras de expressar nosso repúdio, além de considerá-lo vergonhoso!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O MÉDICO E O MONSTRO

O senador Demóstenes Torres (DEM), perversa e dissimuladamente, fez o ingênuo e esperançoso eleitorado acreditar que ele era um “médico” capaz de prescrever eficientes remédios contra a corrupção. Entretanto, as escutas da Polícia Federal – que flagraram nebulosos e estarrecedores diálogos entre Demóstenes e o bicheiro Carlinhos Cachoeira – mostraram que o “médico” é tão somente um “monstro” devorador da ética e do decoro. Vale para o enlameado senador uma das enérgicas falas do capitão Nascimento, no filme Tropa de Elite: “Você acha que ninguém aqui sabe que você recebe dinheiro do jogo do bicho? (...) Pede pra sair! Pede pra sair!”

 

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

O DEFENSOR

Perguntar não ofende: o advogado do senador Demóstenes poderia recorrer à delação premiada, junto do Conselho de Ética, e safar seu cliente da cassação?

Angelo Antonio Maglio angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

*

OVELHAS ACOVARDADAS

Mas onde estamos, senador Demóstenes! O senhor, que vendia coragem e indignação, cuja atuação dava-nos a certeza de que nada estava perdido, agora arrepiou caminho e pertence ao grupelho que infelicita a Pátria e zomba de nós, que não passamos de um bando de ovelhas acovardadas, conduzidas ao precipício por uma alcateia voraz e insaciável! Será que vamos ter que refundar o Brasil?

Aguinaldo Bernardes Fleuy

São Paulo

*

SÓ QUEM SABE...

...Pescar que pesca o PT (Partido dos Trambiqueiros), no qual poucos ficam de fora das maracutaias, conforme inúmeros envolvimentos divulgados. O Ministério da Pesca, que em menos de três anos teve quatro ministros (Altemir Gregolim, Ideli Salvatti, Luiz Sérgio e o atual, Marcelo Crivella), gastou pouco mais de R$ 31 milhões para compra de lanchas patrulha. Conseguiu do fornecedor  (Intech Boating), cujo proprietário é ex-militante petista, que achou normal fazer uma doação de R$ 150 mil para o PT de Santa Catarina, "merreca" em relação valor do negócio, desde que não tenha havido superfaturamento, é preciso investigar. O que dirá a atual ministra da Integração Nacional, Ideli Salvatti, ex-Pesca? Deve ser uma acusação infundada ou perseguição política. Será que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, vai agir com o mesmo rigor que agirá com o senador Demóstenes Torres? É importante acabar com a impunidade e os maus exemplos das nossas chamadas "autoridades".

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

LANCHAS-PATRULHA

Uma das garotas da "presidenta", dona Ideli Salvatti, quando candidata a governadora de Santa Catarina, felizmente para o bem dos catarinenses derrotada, recebeu da empresa Intech Boating, de propriedade de um ex militante do PT, R$ 150 mil para a sua campanha, em troca da contratação pelo governo da construção de 28 lanchas-patrulha para serem usadas pelo Ministério da Pesca. Acontece que, não havendo o que patrulhar e local para colocar as tais embarcações, a empresa construtora tornou-se fiel depositária de 14 das 28 unidades construídas. Para que tudo não caia no esquecimento e as embarcações não passem e ser patrimônio da empresa, sugiro que 13 delas sejam transferidas para o Lago Paranoá e sirvam de motel flutuante para a cúpula do governo, evitando assim o uso de cartão corporativo, frequentemente utilizado nessa atividade, e que a última seja pintada de vermelho, tenha o prefixo "PT" e seja  posta no espelho d'água do Palácio da Alvorada como símbolo da corrupção reinante no País.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

A PREDADORA CORRUPÇÃO GOVERNAMENTAL

Ao final do regime militar no Brasil, ouvi um comentário de um amigo: “Agora que os políticos vão tomar o controle do Brasil, pode ter a certeza de que vão descontar todos os anos que ficaram sem assaltar o erário. Vão meter a mão como nunca”. E sabemos que isso aconteceu, pois em decorrência da notável impunidade e do gigantesco corporativismo que envolve os Três Poderes, a voracidade dos políticos, mancomunados com maus empresários se torna cada vez mais ousada. Mas aponto uma maneira fácil de acabar com a festa dos assaltos diários ao erário. Basta que a presidente da República, politicamente correta, mas também refém do sistema, edite uma medida provisória e, depois, com a força de seus aliados, a transforme em lei: a Lei do Preço Teto. Através de um site específico para isso, se exibirá uma listagem de todos os produtos, de todos os serviços, de todas as contratações, de  todas as licitações e todos eles terão de obedecer ao preço teto, que nunca poderá ser superior aos preços internacionais praticados do mercado. Em um site do governo, específico para o preço teto, terão de estar uma listagem de todos os preços internacionais para todos os produtos usados pelos governos da União, dos Estados e municípios, com preços atualizados diariamente. Em qualquer licitação, não se aceitará um só orçamento no qual quaisquer dos itens, seja pela compra de um esparadrapo ou até por um quilômetro quadrado do Metrô, por compras de emergência ou não,  ultrapasse um só real do preço teto. Evidente que deverá ser publicada uma Lei que determine a prisão sem direito a fiança além dos bens penhorados todos os empresários e funcionários  públicos que burlarem o preço teto. Se isso for realizado, a saúde, a educação e os demais passarão a ser de primeira linha. As demais regras que  sejam realizadas por especialistas afins.

Waldecy A. Simões   netsimoes@terra.com.br

São Paulo

*

SÃO PAULO DAS SAVANAS

Patética a entrevista de Fernando Haddad ao Direto da Fonte, Estado de 2/4. O candidato tutelado por Lula demonstra, como qualquer petista, horror à palavra mensalão, o maior escândalo de corrupção oficial de todos os tempos no Brasil. O senador Eduardo Suplicy é o paladino do Programa da Renda Mínima, Haddad é o filósofo do O Rei Leão, o filme infantil, com um saber profundo sobre a obra. O único argumento que podemos comparar em igualdade, entre o rei dos animais e o PT, é a fome, o leão devora honestamente carne e o PT devora ilicitamente dinheiro público.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

ELEIÇÃO

Diz Fernando Haddad: "Lula está se recuperando". É isso que se espera de um candidato? Não confia no seu "taco", ou não tem "aquilo" roxo? Francamente...

 

Celia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

*

CATAPULTA

 

O ex-presidente Lula, "criador" do candidato Haddad à Prefeitura de São Paulo, vai ter muita dificuldade de separar o caruncho do feijão, pois o Haddad que todos conhecem é o Haddad do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que todos no governo querem esquecer, mas quem vota é o povo e será que o povo esquece tão rápido? E Lula, já recuperado de seus graves problemas de saúde, como vai se comportar no palanque curado de "tudo"? Uma coisa é Lula falando o que bem entende no palanque, e outra é pensando antes de falar. Será que vai conseguir mais um milagre? Improvável. O Haddad do Enem é o que é. Do Enem, e não do Lula...

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

LULA ATACA

Foi só os médicos liberarem o Lula para retornar aos poucos à política, já começou com ataques ao candidato do PSDB, Sr. José Serra: "É um político de ontem com idéias de anteontem". É verdade o país só não está pior graças aos políticos de ontem e com idéias de anteontem, se não fosse o Estado de São Paulo e o plano econômico do FHC, o que seria do Brasil? Os políticos do PT conseguiram implantar no país a desordem, a impunidade, a corrupção e a "roubalheira" do erário. Eleitores esclarecidos preferem a honradez de ontem a ter que pactuar com a falta de ética, a imoralidade e a ilegalidade da atualidade, já que os chamados pelo ex-presidente de "pobres" brasileiros que seriam tirados da "merda", ainda permanecem e continuarão sendo enganados, até quando? "Brasil, país rico, elite nobre, povo e aposentado pobre".

 

Luiz Dias lfd.silva@bol.com.br

São Paulo

*

IDEIAS

É sem susto e sem SUS, mas com um frio na barriga, que se vê o ex-presidente Lula, curado, segundo seus médicos, em tratamento de fonoaudiologia, luxo ao qual pouquíssimos brasileiros que só contam com a saúde publica podem se dar, reativando sua língua incisiva, ao qualificar José Serra, adversário do seu apadrinhado político, Fernando Haddad, ex-titular trapalhão, durante mais de nove anos, do Ministério que deveria ser o mais importante do País, como político de ontem, com ideias de anteontem. Pode ser até que hoje o Brasil precise de políticos que tenham ideias, não de ontem, mas até de algumas décadas atrás, para tirar o País do estado de ameaça à democracia em que se encontra, graças às manobras politiqueiras, demagógicas e de corrupção, realizadas ao longo do governo do PT. Se por acaso, o candidato de Lula for um político de amanhã, com ideias de depois de amanhã, é de arrepiar, caso eleito, o futuro que aguarda São Paulo, principalmente depois do que se viu nas várias edições do Enem.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

MODERNIDADE FÉTIDA

Dessa vez acertou em cheio nosso ex-presidente! Devemos mesmo separar os políticos de hoje dos de ontem:  coloquemos de um lado os modernos José Sarney, Renan Calheiros, Ideli Salvatti, Fernando Collor e José Dirceu. Bem afastados, lá do outro lado ficarão aqueles com "ideias de anteontem" como José Serra, Geraldo Alckmin, Pedro Simon e os saudosos Jefferson Perez e Roberto Campos. Nós paulistas saberemos escolher o lado que mais combina com nossa eterna sede de progresso. Non ducor duco, Lula!

Julio Cruz Lima juliocruzlima@uol.com.br

São Paulo

*

O ENCONTRO DE FHC COM LULA

Deve ter sido politicamente muito interessante o bate-papo ocorrido entre os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e  Luiz Inácio Lula da Silva, no Hospital Sírio-Libanês. Certamente falaram de tudo aquilo que aconteceu na política nas décadas 60/80, embora a relação de amizade entre os dois tivesse começado em 1978. Esperamos que tenham  conversado e meditado bastante sobre as provocações desencadeadas por essa  tal Comissão da Verdade, mais conhecida como Comissão da Vingança. Que eles tenham acordado para as verdades.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

POR QUE LULA IRONIZOU SERRA?

 

Lula "Boca de Fel" agradeceu a visita de  FHC para desejar  seu  pronto restabelecimento atacando o Serra. Por que  dessa agressão tão cedo? No seu imo, o petista gostaria mesmo de  atacar FHC por invejar a cultura e o respeito internacional de que o tucano goza, mas como pegaria mal agir assim, como de hábito, descarrega nos outros.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

POLÍTICO DE ONTEM COM IDEIAS DE ANTEONTEM

Culpa do milagreiro FHC, que, além de curar o tumor do ex-presidente Lula, despertou nele o bom senso nos seus disparos contra José Serra.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

SUCESSÃO MUNICIPAL

Leio diariamente a opinião dos demais leitores principalmente a respeito da sucessão municipal e concordo plenamente com uma carta postada no jornal ontem (2/4/2012). O candidato do PSDB, José Serra, de fato deveria se ater somente aos fatos na disputa eleitoral que se aproxima: poderia começar explicando a razão pela qual após duas décadas que o grupo político do qual faz parte administrar o governo do Estado e os índices da educação pública não mostrarem evolução satisfatória, bem como o motivo pelo qual cresce a deficiência do serviço de transporte oferecido pela rede do metrô e dos trens metropolitanos, todas as investigações referentes à irregularidades serem sumariamente rejeitadas na Assembleia Legislativa( na qual seu grupo detém a maioria absoluta), nunca uma CPI é instalada para averiguar nada e os escândalos são simplesmente empurrados para debaixo do tapete, ainda declarar o que acha da gestão do atual prefeito, seu correligionário, que assumiu o cargo (sendo reeleito posteriormente) quando o senhor Serra renunciou à prefeitura para se candidatar ao governo do Estado. Para a maioria dos moradores da cidade a atual gestão é péssima. Será que o candidato tucano acha a mesma coisa? Estou ansioso para escutar o sr. Serra durante a campanha falar sobre Gilberto Kassab.

 

Julio Cesar Cardoso Costa juliocesarcardosocosta@hotmail.com

São Paulo

*

USUÁRIOS SACANEADOS

Até o presente momento, a presidente do Brasil não deu um centavo de aumento para os hospitais que trabalham para o serviço de usuários sacaneados (SUS), segundo o cara que se trata no Sírio-Libanês, o melhor plano de saúde do mundo. Por essa razão há indivíduos nas portas de hospitais clamando por uma internação ou deitados em macas, enquanto os figurões da República pegam o jatinho da presidente e vêm se tratar nos melhores hospitais do Brasil. Qual a misteriosa razão pela qual o antigo metalúrgico não entrou na fila do SUS para se tratar do câncer de laringe e a presidente não tratou seu câncer pelo SUS. Será que o maior plano de saúde do mundo não tem médicos competentes para tratar a doença deles? Afinal, quem está pagando o tratamento deles somos nós, com os impostos cobrados da população. Enquanto a presidente retira R$ 5 bilhões da saúde, patrocina a Fifa em 2014. É o fim da picada.

Plinio Vergueiro Neves plinio_neves@uol.com.br

Espirito Santo do Pinhal

*

200 MORTOS, E NADA

A secretaria municipal de Saúde da cidade do Rio de Janeiro não constatou nenhuma irregularidade na morte de mais de 200 pacientes no Hospital Salgado Filho. A suspeita é de que tenha havido infecção hospitalar, mas a secretaria não confirma. Morreram duzentos e pouco pacientes e está tudo bem? Claro. Não morreu nenhum parente ou amigo deles. Devem estar dizendo: azar de quem morreu. O que acontece na rede pública de saúde da cidade do Rio e do Estado é de deixar qualquer nazista de boca aberta.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

REVOLTA ESCLARECIDA

Assisti na TV à pequena reportagem do Jornal Nacional sobre a precariedade do atendimento médico em pronto-socorros e hospitais do Brasil. Não importa o Estado, qualquer um é extremamente falho para o povo sem recursos: em todos eles mostraram gente empilhada nos corredores e sendo tratada enquanto sentados nas salas de espera. Também leio sobre o custo dos parlamentares no Brasil, que é talvez o mais alto do mundo, com cada deputado custando a bagatela de R$ 6 milhões por ano, aproximadamente! Dessa maneira, e mencionando apenas dois gravíssimos argumentos, pergunto: como é que o governo federal tem a coragem de levar avante esse disparate de realizar a Copa no Brasil, indo na contramão das necessidades do povo, e/ou de arrumar a "casa Brasília"? Quem tem consciência e não se locupleta, tem é que demonstrar a esse mesmo povo carente que a total falta de atendimento hospitalar origina-se nas mesmas reuniões ou nas decisões das mesmas pessoas que lhes oferece essa grande esmola do famigerado bolsa-família que pretende torná-los cativos por toda sua vida, desse modo comprando seu voto e mantendo-os à margem de qualquer decisão, anulando assim a importantíssima massa de manobra que são. É difícil, pois trata-se de povo carente e que sequer sonha em informar-se, não tem a menor condição de esboçar sua vontade, não quer nem pão e circo, basta (e como basta) o pão! A resposta está na imprensa e na movimentação que ela pode agregar de pessoas melhor privilegiadas que se voluntarizem para fazer chegar pouco a pouco ("gramscianamente", como o PT fez para chegar onde chegou) a "revolta esclarecida", não violenta porém firme e que exija o que lhe é de direito através de seu enorme poder de decisão enquanto monumental massa de manobra que é. Grande imprensa: não sejamos omissos, precisamos começar algo para parar essa bandalheira política, aonde qualquer partido faz o que quer, quando quer e como quer; afinal, não há um só que escape! Comecemos conscientizando  a população que se mantém informada da necessidade de passar adiante a idéia de que a Copa só nos deixará um enorme passivo, uma experiência que enriquecerá – para começar – as grandes empreiteiras e/ou suas diretorias que descaradamente (e veladamente) estão ajudando a "fritar" o Brasil perante o mundo todo! Citando apenas um item, será que esse pessoal altamente esclarecido e profissionalmente sofisticado não percebe o que poderiam estar construindo para realmente melhorar o país e nosso bem estar, ao invés de estádios absolutamente desnecessários? Parar a roubalheira política já! E só o que precisamos fazer é conscientização. Conforme alguém já falou há 50 anos, vamos lembrar que o real problema sempre será: "o silêncio dos bons..."

Antonio Carlos de S. Queiroz Cardoso Filho acardoso@acardoso.com

São Paulo

*

NOBEL EM MEDICINA

Interessante e cientificamente, talvez, um passo importantíssimo na medicina brasileira para que se conquiste um Nobel. As vitórias contra certos tipos de câncer em nosso país, não devem passar despercebidos pela comunidade médica mundial. Artistas e políticos em franco restabelecimento, com tratamentos feitos no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, sem que fossem aos grandes centros de pesquisa dos Estados Unidos ou Europa, são no mínimo notórios.Os pacientes saem corados, sorridente e cheios de auto-confiança, mesmo após as sessões avassaladoras de quimio e radioterapia. Seria muito importante que um estudo fosse realizado com muita seriedade para que tais milagres se comprovem, com atestados médicos indiscutíveis e consequente reconhecimento da nossa avançada medicina. Nossa! Já pensou o Brasil acolhendo celebridades de todo mundo para receberem tratamento no Sírio-Libanês em São Paulo? Seria maravilhoso! Pena que o Hugo Chávez não confiasse na capacidade brasileira.

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

*

AFRONTA AO PLANALTO

O MST, esta organização filhote do PT, certo desta íntima relação e cumplicidade com altos membros deste governo, comunica seu “Abril Vermelho”, em que somente em terras baianas serão realizadas 50 invasões. Certamente esta entidade ilegal, levará novamente terror àqueles que mesmo assim produzem alimentos a preços acessíveis a família brasileira, e ainda garantem a esse governo das múltiplas indignações, o superávit na balança comercial. Até quando vamos assistir esta passividade do PT?! Esses mesmos petistas que pretendem enterrar a Lei de Anistia, que também são favorecidas por ela, e fecham os olhos para esta contínua barbárie do MST?!  Oras, vamos parar de brincar com esta Nação!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

OS SEMIGLOTAS, A CORRUPTELA E A CORRUPÇÃO

Toda vez que um "plá" como a manchete de primeira página de ontem do Estadão me chama a atenção (Dilma vai anunciar mais R$ 18 bilhões de incentivos à indústria, 2/4), sinto algo como se fosse um tranco na minha nádega direita. Talvez seja porque, coincidentemente, aquele é o mesmo local onde está o meu bolso, no qual tento guardar, desesperadamente, minha pobre e depauperada carteira. Entretanto, vã tentativa a minha...  Afinal de contas, dez anos após a ascensão ao poder da turba que nos governa, adotei como máxima a seguinte sentença latina: Abusus non est usus, sed corruptela (o Abuso não é uso, mas corruptela). No caso do Brasil, já até mesmo uso e vez, ultimamente. Dos semiglotas do PT (e nem venham me dizer que a "presidenta" é correta no uso do nosso idioma vernáculo), "já estou purraquí"! Podem ser semi no uso da "nossa mais bela flor do Lácio", mas no uso da cupidez, são completos!

 

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

BASTA QUERER

 

Finalmente bons ventos sopram favoravelmente ao contribuinte brasileiro. O elevado Custo Brasil tende, inclusive para possibilitar, a nível internacional, a competitividade brasileira. Dilma declarou na Índia, junto aos demais líderes do Brics e tendo como papagaio de pirata Mercadante, que fará de tudo para reduzir a carga tributária (hoje beirando a 40% do PIB). Lembra? Na gestão FHC Mercadante, cheio de razão, quando a carga tributária evoluiu de 25% para 34% do PIB, incansavelmente alardeava que deveria retornar aos 25%, a um patamar civilizado. O momento é agora. Dilma tem a faca e o queijo em mãos e Mercadante sabe o caminho das pedras para reduzir drasticamente a carga tributária. Basta querer.

Humberto Schuwartz Soares soares@uol.com.br

Vila Velha

*

CETERIS PARIBUS

Governo taxa importado e reduz imposto nacional (A1, 30/3). Se não coibir a circunvenção – triangulação de produtos têxteis chineses via Paraguai –, não extirpar a corrupção e o suborno nas aduanas, não combater o subfaturamento, nem multar documentação conflitante com o conteúdo de contêineres, a diferença de competitividade com produtos brasileiros e com aqueles que importam correta e honestamente continuará sempre constante. É só a Receita Federal pesquisar no mercado.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

ILHAS MALVINAS/FALKLANDS

Decorridos 30 anos do conflito em que os Argentinos pretenderam conquistar as ilhas, voltam o governo argentino e o seu povo a reclamar o direito à posse daquele território. Aquelas ilhas foram descobertas pelos ingleses, que as colonizaram. Naquele território residem apenas ingleses ou seus descendentes, e só o idioma inglês é falado. Se considerarmos a vontade dos ilhéus e for feito um plebiscito, se concluirá que 99,9% querem os argentinos apenas como vizinhos. Porém, os argentinos alegam razões geográficas, pois as ilhas ficam próximo ao seu território. Se a vontade dos habitantes da ilha não vale, então os EUA poderiam tranqüilamente invadir e tomar posse de Cuba, pois esta ilha fica mais próxima do território americano que as Falklands da Argentina. E muito mais razões teríamos para reclamar a posse da Península Cisplatina, que hoje se denomina Uruguai, pois que se trata de um território colado ao nosso país, que em tempo passados já foi considerado como brasileiro.

Pedro Paulo Rocha rocha.pp1@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

FALKLANDS BRITÂNICAS

As Falklands, Malvinas para os argentinos, não são ilhas desertas, seres humanos lá vivem, são britânicos, que têm uma cultura própria e que precisam ser respeitados porque lá permanecem por gerações há 180 anos. Jamais seus habitantes optariam pela cidadania argentina. No caso hipotético, muitíssimo remoto, da Argentina vier um dia ocupar as Falklands que ela faria com os seus habitantes; deportá-los? jogá-los no mar? A proximidade de 500 quilômetros das Falklands da Argentina não justifica a sua pretensão. Nações pequeníssimas existem encravadas em outras maiores, como Luxemburgo Mônaco, Liechtenstein, Andorra, Vaticano, Timor Leste, e são respeitadas internacionalmente. O que Cristina Kirchner só pretende fazer é manter acesa essa polêmica a fim de unir o povo argentino em torno do seu nome, ela bem sabe que o Reino Unido jamais abrirá as mãos das Falklands, ainda mais agora em que foram descobertas zonas petrolíferas em volta do arquipélago.

José Carlos de Castro Rios jc.rios@globo.com

São Paulo

*

30 ANOS DE UMA MILONGA TRÁGICA

Uma sociedade em que larva um ressentimento por uma perda internacional, um revanchismo latente, uma amargura encarquilhada na glote, está sempre sujeita a ser manipulada por demagogos que sabem provocar a erupção do vulcão em momentos graves da economia, com recessão, desemprego, desabastecimento, inflação, em suma, nas horas problemáticas em que o povo poderia voltar-se contra esses governantes. Hitler, Mussolini, os militares argentinos da guerra das Malvinas e, agora, uma líder caricata, desviam o sentimento popular de revolta em direção a  um inimigo externo, o que na linguagem castrense se chama "manobra diversionista". O arquipélago dos kelpners serviu precisamente a esse artifício populista que significou mortes e dores, sobretudo para os jovens militares argentinos e suas famílias.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

AS MALVINAS, A ARGENTINA E A OMISSÃO

Tal qual o presidente demagogo e populista  Leopoldo Galtieri, no auge da ditadura argentina vendo sua popularidade fazer água, sua pupila também populista e demagoga Cristina Kirchner,  vendo  seu governo iniciando um processo de extrema deterioração econômica, financeira e moral, tenta salvar sua pele com ações cujas estratégias e táticas estão baseadas na Venezuela,  para atender aos compromisso assumidos com a PDVSA venezuelana,  pode colocar o Brasil em situação extremamente delicada na geopolítica  sul-americana e quiçá mundial, se nosso governo não reagir rapidamente a essa mais uma estripulia dos nossos vizinhos. Que daqui a 30 anos não tenhamos de ler de novo que nosso governo foi pego de surpresa.

 

Jose G. Santinho msantinho@uol.com.br

Campinas

*

PAPA BENTO 16

Em sua visita ao México o papa Bento 16 passou por uma grande  saia justa. No dia da visita foi lançado o livro La Voluntad de No Saber, de Alberto Athie & Outros, que trata dos abusos sexuais do falecido padre mexicano Marcial Maciel. As primeiras denúncias contra o padre foram feitas em 1998 na Congregação para a Doutrina da Fé, dirigida por Joseph Ratzinger, hoje papa Bento 16. Mas a Igreja “enrolou” até 2004, quando, só então começou a investigar.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

LEONARDO BOFF E O PAPA

Duvido que Ratzinger tenha alguma vez na vida aceitado a tese protestante de que Jesus não fundou uma Igreja, mas apenas deixou um legado. Isso seria cometer um deslize histórico pueril, algo inconcebível para a grandeza intelectual de um homem como Ratzinger. O protestantismo surgiu somente 15 séculos após a instauração da Igreja católica e só sobrevive graças à Bíblia que os monges da Igreja católica ciosamente conservaram.

Edson Luiz Sampel, doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense, de Roma el.sampel@uol.com.br

São Paulo

*

A IGREJA SE MANIFESTA

Sr Rafael Alberto, secretário de Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, questiona a expressão da leitora Sra. Beatriz Campos ao criticar duramente a omissão da Igreja Católica na defesa dos direitos humanos desrespeitados pelo governo cubano contra seu próprio povo. Sinceramente, não vejo injustiça nas declarações da dona Beatriz. O que ela mais deseja aos cubanos é que seu povo seja respeitado pelos ditadores sanguinários Castros, que há mais de meio século não os tratam como seres humanos. E pior ainda, a Igreja Católica nas mãos de parte do clero que estão mais preocupados na defesa dos comunistas do que da evangelização da própria religião Católica e de todos os cristãos. Com isso, está perdendo diariamente muitos fiéis que estão migrando para outras religiões onde possam acreditar na verdadeira defesa de Jesus Cristo. Onde estava a CNBB que não cumpriu seu dever de defender o bisp o Bergonzine, de Guarulhos, um lutador heróico contra esse governo que quer implantar o aborto e já implantou o casamento de homossexual? E a arquidiocese de São Paulo porventura teve a dignidade de manifestar sua posição referente a esse caso? Não sendo a favor do eminente bispo Bergonzine, qual seria outra?

Benone Augusto de Paiva benone2006@bol.com.br

São Paulo

*

CALAMIDADE PÚBLICA

As chuvas que caíram em Minas Gerais nos últimos meses causaram muitos danos a várias cidades que até hoje sofrem suas conseqüências com graves prejuízos, sobretudo para as populações mais carentes. Entre estas cidades podemos citar Guidoval, Além Paraíba, Pirapetinga e muitas outras na Zona da Mata. Em Além Paraíba várias pontes foram destruídas, estradas vicinais, vias públicas e muitas casas onde seus moradores continuam até hoje desabrigados vivendo sob as mais precárias condições de vida. Para agravar mais a situação, o Hospital Salvador, o único da cidade, foi duramente atingido, obrigando seus usuários deslocarem para outras localidades em busca de tratamento médico. É preciso urgente que o poder público atenda estas cidades de forma objetiva com recursos urgentes para minorar o seu sofrimento. Não é possível que a burocracia e a falta de vontade política impeçam soluções urgentes que não podem esperar mais.

Marcos Tito marcostito@pop.com.br

Belo Horizonte

*

VIVA RAUL!

Anteontem, fui ao cinema ver o filme do Raul Seixas. Não acreditei, sai do cinema emocionado – não imaginava que, depois de tanto tempo de sua morte, ainda seria possível ter tanto material de vídeo e cinema para refazer a trajetória de um personagem com a vida tão bonita e turbulenta. O filme é lindo e emociona a todo momento. Alegre e com uma quantidade enorme de passagens musicais, que dá vontade de ficar cantando em voz alta dentro da sala de projeção. Outra coisa que observei: havia pessoas de todas as idades, muito legal! Várias gerações sentindo e gerando fortes vibrações. Raul é místico, não tem outra. Baixa um santo-forte na sala durante o tempo todo da projeção. Viva Raul,  Toca Raullllllll.

Rodrigo Cordeiro Rodrigo_imóveis@yahoo.com.br

Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.