Fórum dos Leitores

POLÍTICA ECONÔMICA

O Estado de S.Paulo

04 Abril 2012 | 03h06

Pacote meia-boca

Esse novo pacote de incentivos à produção, anunciado pelo governo federal, contempla apenas 15 setores da economia. A única medida interessante é a desoneração dos 20% sobre a folha de pagamento, substituídos por um porcentual do faturamento. Essa experiência, se comprovar eficiência, reduzindo custos da indústria e de alguns setores de serviços, incentivará um debate importante para que toda a cadeia produtiva em futuro próximo se beneficie da nova metodologia. No mais, as medidas anunciadas pelo Planalto são paliativas e de duvidosa eficácia. E são mais uma razão para o Congresso ser pressionado a aprovar uma radical reforma tributária. De qualquer forma, diferentemente de Lula, a presidente Dilma parece estar mais sensível aos clamores do setor produtivo. E para comprovar sua boa intenção urge também cortar os gastos improdutivos de seu governo.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Espírito animal

A nova tentativa de despertar o espírito animal do empresariado corre o risco de estimular o "espírito vegetal" dos setores acostumados a receber proteção, embora não adotemos práticas protecionistas, ao menos na retórica oficial.

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

*

Protecionismo

Será que temos uma irmã gêmea de Cristina Kirchner na figura de Dilma Rousseff? Tenho a impressão de que estamos fazendo uma viagem de retorno ao passado: protecionismo econômico, ampliação do crédito e nenhum planejamento de longo prazo. Só falta ressuscitar a Guerra do Paraguai, como nas Malvinas... E o emPACado? Socorro! A presidente argentina vai boicotar os bancos da Inglaterra no seu país. Que tal?

LAURA LEME MACHADO DE SOUZA

lauralemems@globo.com

Brasília

*

'Revival'

A equipe econômica da presidenta Dilma está promovendo um verdadeiro revival das políticas da ditadura militar, com profusão de empecilhos à importação, impostos proibitivos, cotas de importação e toda a parafernália que privou os brasileiros de poderem consumir o que lhes aprouvesse. Geisel, um dos mais protecionistas que tivemos e emérito criador de empresas estatais, deve estar feliz no túmulo com o resgate de sua política econômica. Eu, que iniciei a minha vida profissional no fim dos anos 1970, sei muito bem quais foram as consequências dessa política.

MARIO JOSÉ GOMEZ DELGADO

gomez.delgado@hotmail.com

São Paulo

*

Ponto eletrônico

Nosso governo é engraçado, preocupa-se com horário dos funcionários de empresas privadas, obrigando-as a usar o ponto eletrônico, quando este deveria ser instalado em todas as repartições públicas e estatais, no Judiciário, nas Casas Legislativas e até no palácio do governo. Aí, sim, acredito que seria uma economia de bilhões de reais.

ROBERTO ANTONIO MASSARENTE

massaren@terra.com.br

Araçatuba

*

MÉDICOS

Formados no exterior

O governo vai afrouxar as regras para aprovar médicos formados no exterior. Se o número de médicos resolvesse a situação da saúde no Brasil, por que as autoridades federais moradoras em Brasília, cidade que tem a maior porcentagem de médicos por habitante, vêm tratar-se em São Paulo?

AFFONSO RENATO MEIRA, professor emérito da Faculdade de Medicina da USP, presidente da Academia de Medicina de São Paulo

armeira@usp.br

São Paulo

*

Vale a pena?

Por que tanto receio de fazer a prova para validar o diploma? Será pela certeza da péssima qualidade dos cursos estrangeiros? Então, tá. Eu aceito essa "flexibilização" desde que a sra. Dilma, seus ministros e os parlamentares que apoiarem tal medida passem a ser tratados única e exclusivamente por esses "médicos". Vamos trocar a medicina de qualidade por ideologia?

LUIZ NUSBAUM, médico

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

SACOLINHAS PLÁSTICAS

Estrago maior

Hoje os supermercados paulistas acabam com a distribuição das sacolinhas plásticas descartáveis - que eram pagas pelo consumidor indiretamente - em definitivo. Segundo a Associação Paulista de Supermercados (Apas), o objetivo maior da medida é "tirar o planeta do sufoco", como se retirar as sacolinhas fosse solucionar, definitivamente, a grave questão ambiental do descarte do lixo urbano no nosso Estado. Nada mais enganoso. Na prática, o que vai ocorrer é a economia de R$ 200 milhões/ano para os filiados à Apas, que ganharão com a venda de sacolas retornáveis, com preços de R$ 0,49 a R$ 5,99 (nas maiores redes), e ainda vão faturar alto com a venda de sacos de lixo não biodegradáveis, oriundos do petróleo (caro, finito e poluente), causando um estrago ambiental ainda maior do que as sacolinhas, pois aqueles são de volumes maiores e muitas vezes mais densos que estas, além de prejudicarem diretamente as parcelas mais carentes da população, que não podem adquirir os onerosos e poluentes sacos de lixo convencionais. Portanto, a solução da questão passa obrigatoriamente pela distribuição aos consumidores, pelos membros da Apas, de sacolas 100% biodegradáveis a preço de custo, abrindo caminho para a compostagem do lixo orgânico em São Paulo.

LUIZ FERNANDO BITTENCOURT

lufebittencourt@yahoo.com.br

Santos

*

Os mais prejudicados

Mais uma vez a classe pobre será prejudicada, pois não terá como carregar em ônibus, metrô ou a pé as suas compras. Ou, então, terá de pagar pelas sacolas reutilizáveis, enquanto os ricos e os políticos sempre terão várias delas nos porta-malas de seus carros.

CARLOS NORBERTO VETORAZZI

cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

*

Isenção de ICMS...

Então, tiram-nos as sacolinhas "gratuitas" e querem isenção de ICMS para sacos de lixo... de plástico?! Alguém tem a lista dos supermercados não filiados à Apas?

GUIOMAR DONNE TEIXEIRA

São Paulo

*

HORA DE MUDAR

O episódio envolvendo o senador Demóstenes Torres vem demonstrar de maneira cabal que o nosso sistema de representatividade política está falido. Insistir neste modelo é aceitar passivamente ser enganado, explorado, roubado e infernizado pela classe política. Já existe uma proposta alternativa viável em que o cidadão se representa, sem intermediários. Leiam o livro Democracia Pura, do professor Vasconcelos, ou busquem na internet informações sobre este modelo de representatividade política. Ou reagimos ou continuamos nos comportando e sendo tratados como uma sub raça.

Carlos Eduardo Stamato dadostamato@hotmail.com

Bebedouro

*

O GRANDE ORADOR GREGO DEMÓSTENES

Quem diria! Grande orador grego, batalhador, cônscio de suas responsabilidades, neste século, neste episódio, sucumbiu. Como disse Sócrates, o jogador de futebol: “Para tudo tem um jeito, deixa o moço na reserva...”.

 

Ubirajara Vieira Xavier ubirajaravieiraxavier@yahoo.com.br

Tremembé

*

O LADO BOM DA COISA

É com tristeza que vejo um senador da República ser pego numa armadilha petista e seu partido, ao contrário do que o PT faz com sua corriola, exige sua renúncia em vez de defendê-lo. O senador Demóstenes Torres está sendo execrado pelos próprios companheiros, mas, por outro lado, podemos ver alguma coisa boa em tudo isso. Ninguém do PT tem moral para atirar uma pedra sequer no senador mais combativo do Senado e que mais incomoda o governo e sua legião de corruptos. Espero que Mantega e Padilha também sejam investigados sem interferência do Supremo.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

ERRO PRIMÁRIO

Quem vive no meio de pecadores um dia peca. O grande erro do senador Demóstenes foi não ser do PT e, portanto, perdoado pelo malfeito

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

MORAL

Uma pergunta ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante. O senhor acha mesmo que a permanência de Demóstenes desmoraliza o Congresso Nacional? Eu não sei onde o Congresso teria essa moral para que isso aconteça. Para mim esse local já ultrapassou, há muito, o nível crítico mínimo da imoralidade pública. Aliás, juntamente com a renúncia de Demóstenes, poderia fechar as portas. Aí, sim, estariam prestando um serviço ao País.

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

CASCATA

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) é suspeito de ter negócios ilícitos com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, por exploração de jogos ilegais em Goiás.     Evidentemente que outros políticos também estão envolvidos. O caso “Cachoeira” parece que se tornou um efeito “Cascata”. Muita água suja ainda vai rolar debaixo dessa ponte!

 

Fernando Faruk Hamza botafogorio@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

DEMÓSTENES

Foi mexer com o DEMônio, é isso que dá!

 

James F. Sunderland Cook sunderland2008@gmail.com

São Paulo

*

É IMPERDOÁVEL, SENADOR

 

Em quem devemos confiar hoje nas atuais circunstâncias? Como uma pessoa pode desvirtua tanto seu caráter, como uma pessoa consegue enganar tantos ao mesmo tempo? Juro que tinha o senador Demóstenes Torres como exemplo de político honesto ilibado sem macula e confiável até surgirem as denúncias de seu envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, foi uma decepção imensurável para com o senador que não só devia ter pedido a desfiliação do partido, mas também renunciado ao mandato mesmo correndo o risco de fazer companhia ao amigo Carlinhos Cachoeira na cadeia. Porém, como resolveu não renunciar ao mandato e sim pedir a desfiliação do (DEM), tem grande possibilidade de se juntar ao grupo dos senadores que honra a casa com seu caráter ilibado como é o caso dos senadores José Sarney, Renan Calheiros, Jader Barbalho e Fernando Collor de Melo! O senador ex-DEM, pra quem não sabe também é promotor de justiça em Goiás seu Estado natal, porém, faça o que fizer o fato é que seu nome deve entrar para a história como um dos políticos mais corrupto do congresso nacional. É lamentável, para dizer o mínimo...  

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

TRAIÇÃO

Proponho que seja outorgada ao execrável ser que atende pelo nome de Demóstenes Torres a comenda de Grande Oficial da Ordem do Demérito aos Traidores da Ética e da Honestidade.

Ary Nisenbaum aryn@uol.com.br                 

São Paulo

*

ROMPER E CORROMPER

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso produz um bom arrazoado da situação de aparente impunidade dos crimes de corrupção no País (Crime sem castigo, 1/4, A2). De mesma origem latina, duas palavras precisam se aglutinar: romper o corromper. As estruturas de corrupção pautam-se pelas leis permissivas que, incompletas, confusas, dúbias e impraticáveis, dão alento às manobras que permeiam as páginas de jornais e revistas. Romper com isso é difícil, pois os mesmos que defendem corruptos e corruptores em uma ponta da linha (chamados por FHC de "bons advogados" – um contrassenso na origem) são os que criam esses dispositivos legais falhos na outra ponta. A maioria dos legisladores é formada no Direito. As saúvas não acabaram com o Brasil, mas estão cada vez mais confinadas, a agricultura cada vez mais usuária de defensivos o que resulta em sucessivos recordes de produtividade. Desenvolvamos os mesmos instrumentos e pratiquemos as mesmas ações no âmbito da gestão de recursos públicos.

Adilson Roberto Gonçalves priadi@uol.com.br

Lorena

*

‘CRIME SEM CASTIGO’

Li com atenção o artigo Crime sem Castigo, sobre o fenômeno da corrupção nas instituições e na sociedade brasileira. Então faço a seguinte pergunta: Por que o senhor Fernando Henrique Cardoso, nos primeiros dias após assumir a Presidência da República, fez desaparecer o fundamental relatório da Comissão Especial de Investigações, que lhe foi entregue em mãos pelo presidente Itamar Franco e que dava todas as informações a respeito da corrupção sistêmica que dominava os ministérios? Por que ele, também como uma das primeiras medidas do seu governo, revogou o Código de Ética do Servidor Público, fundado nos direitos da cidadania e no controle interno do funcionalismo frente aos atos de improbidade dos altos escalões ministeriais? Como cidadão, gostaria de uma ampla e cabal explicação de sua parte, incitado que fui pelos valores defendidos no seu discurso contra os corruptos e corruptores publicado no Estadão de domingo, 1º de abril (mera coincidência?) em nosso prestigioso O Estado de S. Paulo.

Modesto Carvalhosa carvalhosa@carvalhosa.com.br

São Paulo

*

O RABO DO MACACO

O diagnóstico da doença da corrupção feito pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, como seria esperável, envolve profunda análise sociológica, mas é praticamente equivocado. Não são bons advogados que dificultam as decisões judiciárias. São todos, que têm o dever de invocar a aplicação das leis vigentes em prol de seus constituintes. As leis brasileiras é que não primam pela objetividade e simplicidade, como recomendava o Marquês de Beccaria. Por exemplo, a Medida Provisória n.º 2.224-45, de 4/9/2011, editada pelo articulista e que alterou a lei de improbidade administrativa e criou um processo recortado, uma corrida de obstáculos de fases desnecessárias, cada qual com seus recursos. Ruim para o Estado e para os acusados, já que interminável. A evolução da doença da corrupção o comprova.  Com o devido respeito e, como dizia um velho provérbio russo, "macaco, olhe o seu rabo".

Amadeu R. Garri do de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

INCOERÊNCIA

Do alto de sua sapiência, Fernando Henrique Cardoso destila incoerência e até cinismo, e digo isso depois de ter lido seu artigo Crime sem castigo (Estadão, A2, 1/4), onde ele discorre sobre a corrupção e a impunidade, afirmando que "se não houver reação, dia chegará em que a corrupção será condição de governabilidade". Eu não sofro de amnésia e me recordo de minha indignação quando percebi a mudança do discurso de políticos da oposição em plenário quando da época do maior escândalo político brasileiro, o mensalão, que até então condenavam com veemência os envolvidos. Tal arenga foi substituída por orientação de FHC, por outra que defendia a governabilidade política, portanto, conspirando a favor dos que hoje fazem parte da chamada quadrilha dos mensaleiros, mas, principalmente, favorecendo Lula ao assim evitar que houvesse um pedido de impeachment contra o presidente. Oficialmente, tudo acabou numa pérfida declaração de Lula alegando que não sabia de nada... e a tal governabilidade foi assegurada, resultando no que hoje temos: o império da corrupção oficializada, protegida pela impunidade ilegal legalizada. Por isso peço a FHC que, se ao abordar um assunto não puder ser coerente consigo mesmo e com suas decisões pretéritas, mude de tema ou fique em silêncio, por favor!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

FHC E A CORRUPÇÃO

FHC, em seu artigo no Estadão de domingo, cita exemplos para que se acabe com a corrupção que assola o País. Então só nos resta invocar um “Eliot Ness” (lendário policial americano que ajudou a prender mafiosos) para chamar de nosso, ou está faltando boa vontade daqueles que sempre pregaram a lisura e honestidade? FHC faz parte da oposição e, no entanto, deixou que os mensaleiros ficassem impunes na época certa, poupando o ex-presidente Lula de culpa, que, em troca da governabilidade, provocou essa corrupção endêmica no País. Foram covardes quando deixaram para o “povo” decidir nas urnas e FHC foi carta fundamental para esse processo. Agora vem falar bonito contra a corrupção? Teria sido melhor falar da descriminalização da maconha!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

TUDO COMBINADO?

Brilhante como sempre, mas também evasivo como sempre, FHC critica a corrupção (1/4, A2) sem mencionar o mensalão, o maior crime contra a democracia já praticado no País envolvendo indiretamente o ex-presidente Lula, e com o agravante da conclusão em seu artigo que põe a culpa na sociedade porque não reage. Isso no primeiro de abril, dia dos tolos, que só podem ser nós mesmos, poucos dias após a visita de uma hora ao ex-metalúrgico, revigorado e agressivo como sempre não somente pela suposta vitória contra o câncer, mas também ungido pelas bênçãos do cardeal do PSDB. Será que foi tudo combinado? O que está acontecendo?

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

‘MALFEITO’ NA PESCA

Muito se comenta sobre os R$ 150 mil pedidos (impostos!) à Intech Boating, contratada para fornecer 28 lanchas-patrulhas para o Ministério da Pesca por R$ 31 milhões, mas nada se questiona quanto ao planejamento que seria necessário para decidir essa compra.  Qualquer pessoa ou empresa privada, antes de gastar valor tão alto, faria um completo estudo da utilidade, dos complementos necessários ao uso, do cronograma de entrega, onde seriam armazenadas as lanchas, disponibilidade de comandantes e tripulação etc. Será que foi feito tal planejamento?   Ou será que nosso dinheiro foi gasto de forma improvisada e irresponsável?  O fato de a Intech Boating declarar que teria de cobrar mais R$ 400 mil pelo armazenamento de umas tantas unidades já é indício de que a compra foi feita sem essa devida previsão. A presidente Dilma, que tem fama de "gerentona", devia também ser cobrada por essa falha de seu ministério.  Ou será que acha normal o dinheiro, sendo público, ser gasto de qualquer jeito, desde que traga benefício a companheiros(a) de seu partido?

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

CARESTIA

A que preço o Ministério da Pesca serviu para alguma coisa útil... Livrar-nos de Ideli Salvatti.

 

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

PEIXES E BICHOS

Por um lado, o PT procura um espaço para acomodar companheiros do primeiro, segundo e terceiro escalões, para oferecer um churrasco aos envolvidos em corrupção e demais qualidades, a exemplo, pesca em Santa Catarina. Por outro lado, o DEM programou expulsão aos ligados ao jogo do bicho. E o PSDB? O que nos reserva o futuro deste país? Será que ainda temos pessoas com dignidade que nos governam? Não consigo ver!

Rolf Thieme kthiemme@gmail.com

São Paulo

        

*

A VASSOURA, DE NOVO

Em meio ao forte cheiro de peixe podre da corrupção, embora a ministra Ideli Salvatti esteja se escondendo para não sair na foto, sua impressão digital está bem clara no episódio da compra de 28 lanchas – desnecessárias e superfaturadas – pelo ministério da Pesca quando ela era titular da Pasta. O fato de que as embarcações ficaram sem utilização e parte delas acabaram sendo doadas à Marinha torna evidente que a licitação foi feita apenas para possibilitar o roubo de dinheiro público para abastecer o diretório do PT de Santa Catarina e a campanha de Ideli ao governo daquele Estado. Alguns sigilos bancários, a começar pelo de Ideli, precisam ser quebrados para descobrir em que bolsos foi parar o quase R$ 1,5 milhão que sobrou do total superfaturado após subtrair a doação de R$ 150 mil ao PT, considerando-se o preço dado pela empresa que venceu inicialmente a licitação, sendo depois desclassificada sem justificativa convincente, segundo entrevista do dono dessa empresa no sábado (A4). Dona Dilma vai ter de empunhar novamente a vassoura e varrer mais lixo para fora do governo.

 

Jorge Manuel de Oliveira jmoliv11@hotmail.com

Guarulhos

*

QUEM SÃO? QUAL A PUNIÇÃO?

Já tivemos o caso da compra de mais de 100 ambulâncias que ficaram paradas por falta de motoristas, esqueceram de contratá-los pois o que interessava era a propina. Agora, temos o caso de compra de 28 lanchas patrulha pelo Ministério da Pesca, que não tem o que fazer com elas nem lugar para guardá-las, mas o interesse também foi a propina. Nesse caso das lanchas, tem o envolvimento da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e, como todos os políticos que são pegos, ela nega o envolvimento. Agora eu pergunto: Quem são os envolvidos e qual será a punição?

 

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

LANCHAS DE PATRULHA

Sugiro colocarem uma das lanchas do Ministério da Pesca, que está sobrando, no Lago do Ibirapuera, para patrulhar a pesca predatória naquele local. Nós, os paulistanos e paulistas, ficaremos agradecidos e nos lembraremos muito mais da ministra em quem

não devemos confiar.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

GOVERNO DE MALFEITOS

Agora um membro do PT, Luiz  Sérgio (PT-SC) ex-ministro da Pesca (?) vem a público criticar o "malfeito" da sua antecessora, Ideli Salvatti (PT-SC) no caso das lanchas do ministério de pesca. Ocorre que os governos do PT, que saqueiam nosso país há quase dez anos, são os típicos governos dos "malfeitos": estradas mal feitas; transposição das águas do São Francisco mal feita; o programa Minha Casa, Minha Vida (ou seria Minha Dívida?) mal feito; as obras do PAC são mal feitas; as prova do Enem são mal feitas; a cooptação dos partidos políticos em nome da "governabilidade” é um malfeito; a submissão do Judiciário é um malfeito; o enriquecimento dos políticos / consultores ligados ao governo é um malfeito; enfim, até a corrupção que grassa como nunca é apenas um “malfeito”. Já o mensalão foi algo que nunca existiu, visto que inventado pela imprensa...

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

MALFEITOS E BENFEITOS

Frequentemente, quando apanhado pela imprensa ou órgão de investigação, o governo reconhece ‘malfeitos’. O das 28 lanchas do Ministério da Pesca foi o último. O Aurélio define ‘malfeito’ como “feito sem perfeição: mal executado”. Também define ‘malfeitor’ como “aquele que comete crimes ou delitos”. Assim, atos criminosos de governo identificados pelos prejudicados (nós) são ‘malfeitos’.  Por outro lado, tais atos seriam ‘bem-feitos’ quando não identificados pelos prejudicados?  Deve haver muitos ‘bem-feitos’ escondidos por aí.

Wilson Scarpelli wiscar@estadao.com.br

Cotia

*

MAIS UMA MEGAQUADRILHA

Após ser publicada a mais nova patifaria que resultou na compra de 28 lanchas-patrulha para serem usadas pelo Ministério da Pesca, patrocinada com dinheiro público, por uma das 37 facções da megaquadrilha que nos governa, vem o presidente do PT, oráculo da divina bandidagem, com seu dízimo de R$ 150.000,00 embolsados, defender a dona Ideli Salvatti, como sempre costuma fazer com outros ratos, inclusive os já decapitados pela imprensa livre. Segundo o sr. Rui Falcão, a garota da "presidenta" não tem nenhuma culpa, ela simplesmente pagou uma parcelazinha pendente do contrato no valor de R$ 5.2 milhões. Até quando o cidadão brasileiro que trabalha, produz, paga imposto vai ser chamado de idiota por esses corruptos que tomaram conta do poder? E, como se não bastasse, ainda vê seu dinheiro alimentar conta corrente de bandidos, enquanto a saúde pública é sucateada, tornando o governo responsável direto por sucessivas mortes evitáveis. Afirmo isso com conhecimento de causa, sou da área e desafio quem discordar. Não tenho rabo preso com nenhum partido político, com nenhuma entidade, nem com ninguém. Sou um cidadão brasileiro sem medo de corruptos.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO

Agora sabemos que também no Ministério da Pesca dotação é álibi para alimentar deslanchada corrupção.        

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

A FILA VOLTOU A ANDAR

Mais um ''malfeito'' vem à tona entre tantos outros que emergirão dessa prática que se tornou um estandarte do Partido dos Trabalhadores (PT) há nove anos com a faca e o queijo a sua vontade.Imaginemos por comparação as verbas que o Ministério da Pesca tem para manipular diante de ministérios como os da Saúde, Educação e Transportes. A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, quando candidata a governadora foi beneficiada com um quantia de R$150 mil, de uma firma que forneceu ao governo 28 lanchas patrulha no valor de mais de R$ 1 milhão cada. De um total de R$ 31 milhões, a empresa foi procurada para oferecer uma propina para a campanha de Ideli. Não há dúvida de que se trata de caso típico de favorecimento ilícito com corrupção ativa e passiva, segundo o senador Alvaro Dias. A máquina está, sem dúvida, com suas garras afiadas para extorquir dinheiro para as campanhas eleitorais. A ética e a moral dos bons costumes já tiveram a sua condenação sumária na política brasileira. Resta parodiar o saudoso Chico Anysio com seu personagem, o deputado Justo Veríssimo: ''Eu sou, mas quem não é?''.            

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

JEITINHOS

Agora está confirmada a justificação da criação do inexpressivo Ministério da Pesca: ele não foi criado para controlar a desenfreada e predatória pesca  nos mares brasileiros. A pescaria e os peixes são outros, que não necessitam de água para viverem, mas, sim, de gordas iscas recheadas de corrupção, no caso, para beneficiar não pessoalmente, a ex-ministra Ildeli Salvatti (PT-SC), mas para, através do Ministério, adquirir as chamadas "lanchas patrulha", pelas quais pagou a importância de R$ 31 milhões, dinheiro do povo, para ficarem guardadas em estaleiro, eis que a finalidade principal do negócio era receber em contrapartida a quantia de R$ 1 milhão par salvar a campanha da ex-ministra da Pesca ao governo do seu Estado, Santa Catarina. Está com a razão o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, quando diz com outras palavras que, no Brasil, dá-se "um jeitinho" para resolver tudo!  Santa imaginação!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

 

*

‘MODUS OPERANDI’

O ex-ministro confirmou o "malfeito". Esperamos que o TSE faça benfeito.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

DÚVIDA

Sr. Crivella, eu só queria entender: o governo já tinha pago cerca de R$ 26 milhões e só faltavam R$ 5 milhões, e a Sra. Ideli foi obrigada a pagar! Mesmo que os "peixinhos'' estavam dormindo sem uso! E os R$ 150 mil, ela foi obrigada a receber também? Como diria o Jô: Me tira o tubo!

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

PESCA GRAÚDA

Pelo navegar da canoa e com o mar revolto como está, já, já estarão fisgando a licença de pesca da então ministra da pasta, Idelli Salvatti. São tantos os malfeitos que a rede está rasgando e o arpão nesses casos é certeiro. Isso não se trata de história de pescador, não, é peixe grande no anzol.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

CAMPANHA ELEITORAL ANTECIPADA

Lula quer ajudar Dilma a terminar a reforma ministerial. O ex-presidente não se deu conta de que foi sua ajuda a compor o ministério de Dilma que fez com que sete ministros caíssem por “malfeitos”? Resta a Lula a arte de convencer os partidos rebeldes a voltarem para a base do governo. É a hora de conferir se PR e PDT falavam a verdade, quando declararam rompimento com o governo  Dilma ou se foi apenas uma ameaça para ganhar a atenção de Lula. Vai depender do que for oferecido e é bom que o TRE fique alerta, com a volta de Lula está em campo a propaganda eleitoral antecipada. Lula pode? Todos podem. A conferir.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

COM A CORDA TODA

Lula realmente voltou com a corda toda a ponto de dizer que irá ajudar a Dilma a renovar seus ministros, ao mesmo tempo em que sonha ser presidente novamente e que retornará na primeira oportunidade. Peca pela indelicadeza e desmerece a capacidade da presidente no seu mister. Continua com a mesma papagaíce até com a garganta "inflamada".

Leila E. Leitão

São Paulo

*

PT: NOVE ANOS E TRÊS MESES DEPOIS...

 

O presidente Lula (ele é) e sua marionete Criatura que finge ser, depois de 9 anos e 3 meses que melhorias os dois trouxeram ao País? Afora a economia que cresceu nesse período ainda porque os petralhas sabiam que não deveriam mexer na política do Plano Real  do governo FHC e como essa não era perfeita, se acovardaram e deixaram o barco navegar ao sabor das ondas. Quanto ao resto, nada foi melhorado  em educação, saúde, transportes, meio-ambiente, administração, reformas políticas, enfim, todas as atividades que fazem parte de um governo. Ainda assim, para justificar que fariam tais promessas de campanhas eleitorais, de "prático" mesmo foi aumentar a quantidade de ministérios e milhares de cargos extras que o brasileiro paga via impostos, como o de Renda, com sua tabela defasada em mais de 40% como reclamavam os petistas anteriormente e agora podendo ajustar, quando a atualizam é com percentuais mínimos.  Então, porque da popularidade do Lula e de sua Criatura? As razões são  o pão e circo, via Bolsa Família que só faz viciar o beneficiário que se preocupa mais em gerar filhos que aprender alguma profissão, a economia que nada mais é que a herança do Plano Real que deixou o brasileiro com mais estabilidade financeira, somado ao circo vindouro de Copa do Mundo e Olimpíada,  que custará ao país valores acima de R$ 40 bilhões, dos quais pelo menos uns 30% será desviado para empreiteiras e bolsos da politicalha nacional. Todos esses eventos propagandeados ao máximo elevando a figura do Lula e quanto a da Criatura, essa surfou na onda lulista e lucro com o escândalos de alguns ministros,  mais porque a imprensa caiu de pau com tal agressividade e menos por coragem sua, que não houve como safar-se a não ser demitindo esses e sair com fama de ter feito uma faxina. Pior é saber que essa  dinheirama toda será  gasta nesses dois eventos em  obras que podem apostar, daqui algum tempo mostrarão falhas e mais custos para corrigir defeitos. E pensar que com essa grana imensa seria possível construir país adentro  hospitais dotados de todos equipamentos necessários que acabaria com essa deficiência que atinge aqueles que dependem de assistência médica governamental. Por tudo isso, quando vejo alguém reclamando em hospitais públicos que está ou tem algum parente jogado em macas de corredores imundos de hospitais em ruínas e sem equipamentos e pessoal médico para um atendimento decente, digo a ele para reclamar direto ao Lula.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

SÓ BICO DOCE

Não sei de onde tiraram a idéia de que “até Lula estaria achando que o fisiologismo passou da conta e, portanto, é solidário com a presidente “, como se Lula estivesse descolado deste governo. Ora, o que mais vemos é Dilma Rousseff e os principais figurões do governo irem ao “presidente de facto”  para tomar o que alguns chamam de “conselhos” e que, na verdade, são instruções. Ninguém ainda se esqueceu que Lula deixou claro que continuaria governando através de Dilma. A campanha da presidente foi feita com esta base: votando nela, estariam votando nele Lula lá ou Lula cá, dá no mesmo, e Dilma Rousseff sequer tenta disfarçar sua submissão. Se existe crise e esta crise tem dono, o nome dele é Luiz Inácio Lula da Silva, que fez sua “articulação política”, a vida inteira, na base da compra e venda. Só no  bico doce”, ele não consegue nada. Acontece que acabou o dinheiro , a base tem fome de cargos e verbas. Governar com “base alugada” é assim mesmo!

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

PARA A PRESIDENTE DILMA

Em recente data, a senhora apareceu na TV, no programa político do PC do B, dando sua mensagem elogiosa ao tal partido. A pergunta é a seguinte: A senhora estará disposta a fazer o mesmo com todos os partidos, ou apenas com os aliados? E com respeito à próxima eleição para prefeitos: a senhora pretende também aparecer como propagandista dos candidatos de seu partido e dos partidos aliados? Se o fizer, estará descendo de seu alto posto de presidente de todos, para se imiscuir no engalfinhamento eleitoreiro, favorecendo apenas uma parcela da nação. Quando de sua posse, a senhora disse solenemente, e com justificada emoção, a seguinte frase: Deste momento em diante eu sou a presidente de todos os brasileiros? Em face disso, faço-lhe, respeitosamente, o seguinte apelo: Mantenha essa postura, digna e imparcial, na próxima campanha eleitoral, não se tornando cabo eleitoral de ninguém, permanecendo como comandante suprema desse importante processo democrático da nação inteira. Será uma postura exemplar.

 

Tercio Sarli terciosarli.edicoes@r7.com

Campinas

*

COPA, BEBIDAS E QUEJANDOS

Com pompa e circunstância, Lula, Cabral e Teixeira e outros asseclas firmaram com a Fifa (entidade particular), acordo para a realização da Copa do Mundo no Brasil, acordo esse que pressupunha entre outras coisas, mudanças na legislação do País, Estados e até mesmo dos municípios como se viu em São Paulo. A pergunta é a seguinte: Quem outorgou procuração para que o País assumisse tais compromissos. Não seria necessário que a "Lei Geral da Copa" tivesse aprovação prévia do Congresso? Vemos agora que estamos obrigados, às carreiras, a aprovar leis que contrariam, como no caso das bebidas, o disposto em nossa legislação.

Luiz Carlos G. Pannunzio giotto.pan@gmail.com

São Paulo

*

TRADIÇÃO

Senhor Blatter, o poder petista foi conquistado com palavras, o maior nome do partido se criou com palavras, a ideologia petista é de palavras e as promessas dos petistas, são só palavras. O senhor não pode querer transformar de uma hora para outra, toda essa tradição, em ações...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

FALAR MENOS, FAZER MAIS

O senhor  Joseph Blatter presidente da Fifa, afirmou que os governantes brasileiros precisam "parar de falar e começar a fazer mais", e só faltou repetir o "pontapé no traseiro". Aos poucos o presidente Blatter vai se inteirando do blablablá dos políticos brasileiros , que é muito comum em palanques na época de eleições , e nas realizações de grandes eventos como a Copa.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

MAIS CHUTE

O que Joseph Blatter está dizendo? Que o Brasil precisa de um chute no traseiro...

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

TORCIDAS

Bom dia, após mais um episódio trágico com vidas desperdiçadas e cenas de guerra protagonizadas por integrantes de torcidas organizadas, me pus a pensar se realmente poderia existir um meio de acabar com esses eventos que já fazem parte da cultura do nosso futebol. Acredito que não seja uma coisa simples, visto que as torcidas fogem ao controle dos seus clubes, porém penso também que elas estão diretamente ligadas a eles. Já vimos que o fato de tentar punir as uniformizadas não levam a nada. Geralmente após um clássico com brigas, as torcidas não podem freqüentar as próximas partidas do clube, ou não podem vestir seus uniformes ao ir aos estádios. Tempos portanto, os mesmos guerrilheiros nas arquibancadas, somente sem as suas fardas. Ao meu ver um modo de inibir essas brigas seria, ao invés de punir as torcidas, punir diretamente os clubes, desclassificando-os de campeonatos, ou zerando as suas pontuações. Imaginem se os torcedores incentivariam uma briga sabendo que os seus times seriam prejudicados pelas suas ações... Obviamente não; na verdade acredito que todos eles se policiariam para evitar que aqueles mais exaltados cometessem qualquer tipo de agressões e provocações. Uma torcida depende do seu time, e quer vê-lo sempre melhor, se elas fores as culpadas pelo rebaixamento, desclassificação ou prejuízo, mudarão suas atitudes para evitá-los.

Bruno Cocozza bruno.cocozza@gmail.com

São Paulo

*

AFRONTA AO DIREITO DE SILÊNCIO

Chocou-me  a notícia de que um professor , digno e respeitado membro da sociedade, num momento de desespero, tomou a justiça em suas mãos e matou um e feriu outro, por não mais suportar o barulho infernal que o impedia de descansar à noite.  Antes desta atitude insana, o professor já havia tentado conversar com os perturbadores da paz pública e também procurado amparo aos seus direitos, bem como o cumprimento da lei que determina silêncio após as 22h, fazendo um boletim de ocorrência sobre a transgressão. Em ambos os casos foi ignorado.  Este fato me faz questionar o Estado, que abdicou de sua obrigação de zelar pelo bem estar da população, aceitando passivamente  a destruição dos mais básicos princípios da convivência em sociedade.  Cada vez mais certas pessoas se sentem desobrigadas de respeitar o direito do próximo, vivendo unicamente para o seu próprio deleite. E o Estado permite. Não se preocupa mais em refrear os maus hábitos que tornam a vida da maioria em um inferno.  Os bares barulhentos, as festas embaladas pelos amplificadores ensurdecedores, os carros com equipamentos sonoros  tonitruantes a qualquer hora do dia ou da noite são totalmente aceitos  pelas autoridades, que em sua maioria, nada fazem para coibi-los. Resta ao cidadão comum, desesperado, conformar-se para não cometer um ato desesperado, como o que fez o professor,  bem como outras pessoas que também perderam o controle pelo mesmo motivo. E o Estado, partícipe nestes crimes, pois se omitiu na hora de defender o cidadão, encarcera mais uma vítima de sua incompetência e leniência.

Lizete Galves Maturana lizete.galves@terra.com.br

Jundiaí

*

PROFESSOR MATA POR CAUSA DE BARULHO

Conforme relato de vizinhos há algum tempo os problemas com a perturbação alheia vinha acontecendo, inclusive com Boletim de Ocorrência registrado na Polícia, retrato de uma Justiça morosa e que não pude devidamente. Esse Sr. não suportou a pressão e em um distúrbio de raiva perdeu o controle e cometeu um erro maior. Não seria o momento de alguma atitude ser tomada em relação à reforma das leis jurídicas serem mais severas e assim evitar tais atos?

Marco Antonio Fernandes maf.radar@terra.com.br

General Salgado

*

NOSSO ETANOL EVAPOROU

Lula não vivia apregoando aos sete ventos que éramos os campeões do combustível alternativo? Pois é... mas o etanol evaporou-se. Temos de comprá-lo agora dos USA que entra no país, para compensar a baixa produtividade da safra brasileira, fruto de intempéries e da descontinuidade de investimentos. Quem diria! Dilma vai a Obama falar de etanol, mas país ainda precisa de 120 usinas. Não seria melhor menos papo e mais competência para gerir o país? Parece que o Brasil virou uma grande ilha da fantasia onde tudo é alardeado para o mundo antes de fazer acontecer. Não seria melhor contar vantagem depois das coisas concretizadas? É para levar a sério mesmo os anúncios feitos com tanta frequência, cheios de pompa e circunstância, lá no Planalto?

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

SUCATEANDO USINAS

Por total inércia, desinteresse é apoio o governo está deixando sucatear as usinas produtoras de etanol no país. Combustível de alta tecnologia e importância, pois além de reduzir nossa dependência nas importações, os índices de poluição e até ao aquecimento global. Mas sem dúvidas interesses obscuros políticos, corrupção implantada no país estão acima de qualquer boa intenção em benefício ou a favor da população brasileira.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

BRASIL-ESPANHA

Mal comecei a ler a reportagem sobre o arrogante cônsul espanhol querer facilidades para "profissionais" virem atuar no Brasil e já senti náusea. Não acredito que em um momento como esse, único na história do Brasil o povo e vocês da imprensa vão se calar e ser conivente e omisso a essa petulância arrogante. Ele diz que o Brasil "precisa" de engenheiros e outros profissionais capacitados...  sim, mas precisamos dos nossos engenheiros, e se estamos carente que aceleremos o processo para formarmos nossos "engenheiros, técnicos, médicos" nunca deixarmos principalmente quem tem no sangue a arrogância e a intolerância histórica querer ter a cara de pau de aterrissar aqui como diretores, gerentes, chefes enquanto brasileiros ficam como servos. Se fosse ao contrário a imprensa espanhola estaria berrando até rebentar os pulmões em defesa do pais deles. Jamais devemos permitir que isso ocorra, se tiver que vir que venham mão de obra servil para ser mandado e nunca mandar. Esses arrogantes humilharam milhares de brasileiros em seus aeroportos e ainda vem um cretino desses como esse cônsul com a cara de pau de vir querer que o Brasil abra as portas para os arrogantes espanhóis. Porque devemos tolerar esse povinho arrogante se nem eles se toleram, vivem querendo separar regiões, mesmo sendo um paisinho menor que Minas é catalão que não suporta castelhano, que não gosta de basco, que não gosta da Andaluzia; eles que façam a lição de casa, cortem gastos e trabalhem lá e vivam de acordo com a realidade deles para se recuperar e que se quiserem que comprem nossos produtos pois o Brasil sofreu e aprendeu e não vamos dar papinha na boca desses perdulários prepotentes. Sugiro uma ampla reportagem mostrando o real interesse desse cônsul petulante, mostrando as próprias palavras dele dizendo que nós "precisamos deles como especialistas e os brasileiros como empregadinhos serviçal" e a seguir um fórum para a população dar seu parecer. Duvido que ele não vai ser posto prá correr do Brasil se a população entender o que esse cretino quer. Que cortem os gastos do (incrível) rei, poxa um país que mantém um parasita mor com toda uma corte vem querer tirar vagas de brasileiros em nossas empresas, essa Espanha é uma piada.

Arnaldo Nunes arnaldo-nunes@operamail.com

São Paulo

*

REFÉNS DA ARGENTINA

Carta neste fórum em 31/3 levanta  importante questão. Por que a política externa brasileira é refém da Argentina na questão das Malvinas? A presidente Cristina criou um fato político levantando essa questão, tentando desviar a opinião pública da caótica situação econômica do país. Da mesma maneira como fizera o Gen. Galtieri quando bêbado, segundo relatos  , determinou a invasão das então ilhas Falkland. Ele,  igualmente, tentava  obter apoio, devido à  greve contra o governo realizada 2 dias antes de o conflito começar. Após 660 Argentinos e 300 Ingleses mortos, rendeu-se a Argentina cujo governo fechou a comunicação do continente com as ilhas, então sob o controle do Reino Unido. O apoio brasileiro 30 anos atrás, já foi uma grande e perigosa demonstração de solidariedade aos nossos vizinhos, pois realizávamos na ocasião negociações de enormes  dívidas financeiras com a Inglaterra. Atualmente o Brasil continua impossibilitado em manter comunicação e transportes com o arquipélago em “apoio” à Argentina, enquanto o bravo Uruguai liberou transporte e comercio para aquelas ilhas. A questão que se coloca é porque o Brasil deve tal e inútil solidariedade ao vizinho, em detrimento de melhor relação diplomática com os ingleses. Porque esse espírito de “sulamericanidad” tão desgastado, fracassado e no qual nosso país é, invariavelmente, explorado e prejudicado principalmente pelos Argentinos? Porque somos bonzinhos?

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.