Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

06 Abril 2012 | 03h07

Torrentes

Começou na Casa Civil, com Waldomiro Diniz, e foi classificado como "cascata". Passou ao Senado com Demóstenes Torres e, aí, passou para "cachoeira". Agora com deputados, mais governadores, então, teremos "cataratas".

LUIZ CARLOS TIESSI

tiessilc@hotmail.com

Jacarezinho (PR)

*

País da impunidade

Carlinhos Cachoeira está preso e a bola da vez é o senador Demóstenes Torres. Mas, antes disso, aquele senhor de nome Waldomiro Diniz, auxiliar de José Dirceu quando era ministro da Casa Civil, foi flagrado em vídeo pedindo propina ao empresário do jogo. Gostaria de saber: Waldomiro foi punido pela malandragem? Ou continua leve e solto por Brasília, a Terra do Nunca, isto é, nunca se pune ninguém?

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

Ideli, Pimentel, Erenice...

Certas as investigações sobre Demóstenes e outros envolvidos no caso Carlinhos Cachoeira. Certo também será que a CPI proposta, se instalada, venha também a apurar o caso Ideli-lanchas-Ministério da Pesca, mesmo porque nesse último caso quem está sendo lesado é o povo brasileiro. Um ministério desnecessário, empregando gente que não deve, comprando coisas de que não precisa, visando "caixinha" para campanhas políticas dos cumpanheros. Essa futura CPI poderá aproveitar e apurar também os casos Fernando Pimentel, Erenice Guerra, Bancoop, etc. Certamente, assim, prestará relevantes serviços ao Brasil e, apurando diversos outros casos semelhantes, economizará recursos públicos.

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@estadao.com.br

Cunha

*

Caso Demóstenes

Pelo que entendi, com todo esse barulho da mídia, basta ser do PT para ser defendido com unhas e dentes pelos companheiros, ainda que sejam praticados os piores atos contra o povo pagador de impostos?

VITOR DE JESUS

vitordejesus@uol.com.br

São Paulo

*

Honestidade sincera

À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta. Ora, o senador Demóstenes Torres nem é a mulher de César, no entanto, parecia ser muito honesto. Já os da turma do mensalão eram todos mulheres de César e não pareciam ser tão honestos. Esperamos julgamentos iguais para as mulheres de César e para as que não são de César.

EUCLIDES SORDI

euclidessordi@hotmail.com

Maringá (PR)

*

USINA DE JIRAU

Vandalismo

É flagrante a ilegalidade do que aconteceu nos últimos dias na Usina Hidrelétrica de Jirau. O Brasil não pode ser conivente com a destruição do patrimônio, não pode conviver com ações de inquestionável ilegalidade que desestabilizam não só os Poderes, mas a sociedade. Não existe pretexto aceitável para o descumprimento da lei. Onde está a força de coação capaz de impedir acontecimentos desse tipo? Onde está a repressão que pune movimentos nessa direção? O setor elétrico brasileiro não pode ficar sujeito a ações destrutivas de tal magnitude, que representam total desrespeito às instituições, sob risco de ver comprometidos a expansão da oferta de energia, o crescimento econômico, a geração de empregos e a inclusão social.

CLAUDIO J. D. SALES, diretor-presidente do Instituto Acende Brasil

claudio.sales@acendebrasil.com.br

São Paulo

*

APAS

Falta de higiene

Lemos no Estadão (4/4) que a Associação Paulista de Supermercados (Apas) anunciou que pretende implantar um programa de sacola reutilizável que o cliente pode alugar e depois devolver e receber seu dinheiro de volta. Sendo reutilizável, essa mesma sacola passaria pela mão de dezenas de pessoas, em condições de higiene pelo menos suspeitas. O sr. João Galassi, presidente da Apas, poderia pensar em algo mais inteligente ou, então, ficar quietinho, porque o consumidor paulista está cansado de ser ludibriado.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

Saúde pública

O aluguel de sacolas pelos supermercados é uma ideia esdrúxula. Quantas doenças poderão ser transmitidas pela sua contaminação? Como exemplo, basta que eu transporte em meu carro alguém, ou até um cão, com doença contagiosa transmissível ao homem para disseminar esse mal aos que vierem a reutilizá-las.

M. EULÁLIA MEIRELLES BUZAGLO

membuzaglo@bol.com.br

São Paulo

*

Contaminação

As sacolinhas plásticas, além de higiênicas e fáceis de portar, têm mil e uma utilidades. É cômico ver clientes dos supermercados levando sacolas retornáveis e misturando alimentos de geladeiras com os empoeirados das prateleiras, quando não com produtos de limpeza. Se o supermercado fornecer caixas de papelão, pior ainda, ninguém sabe se não houve uma coleção de roedores passeando por elas nos depósitos. O inocente cidadão acredita estar ajudando a despoluir o ambiente, enquanto para os donos dos supermercados é tudo maravilha, pois estão fazendo as contas de quantos milhões de reais estão economizando. O que faz falta são campanhas educativas para os cidadãos se conscientizarem de como devem colaborar na despoluição do ambiente em que vivem.

JOSÉ MILLEI

j.millei@hotmail.com

São Paulo

*

Sacos de papel Kraft

Tenho acompanhado pelo Estadão, com muita surpresa, a polêmica que a suspensão das sacolinhas plásticas está causando. Por que os supermercados e lojas em geral não voltam a adotar os sacos de papel reciclado (do tipo Kraft), que sempre foram usados antes das sacolinhas plásticas? Todo e qualquer supermercado, armazéns e lojas usavam os comuns saquinhos de papel, que eram fabricados em quatro tamanhos padronizados: 1, 2, 5 e 10 kg. É um tipo de embalagem muito prática e, acredito, mais barata do que a plástica. O papel não é poluente, além de ser de fácil reciclagem. Vamos voltar a usá-lo!

PAULO FERRAZ COSTA NEGRAES

paulonegraes@trident.com.br

Itapuí

*

O PAÍS DOS ENGANADOS

A popularidade de Dilma Rousseff está nas alturas: 77% de aprovação. Dilma é popular porque, mesmo se fosse de graça, a maioria dos brasileiros jamais teria paciência de ler um jornal ou uma revista para ficar sabendo da corrupção endêmica, das obras que não saem do papel, da pilhagem do dinheiro público através de uma Copa de futebol, do senador que trata o sócio bandido por professor, do mensalão que não cala na mente dos brasileiros honestos. Enfim, é o Brasil, destruído por Lula, sem oposição e que, se amordaçarem a imprensa, vira uma Venezuela.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

PESQUISAS OU MARKETING?

 

Não sou cientista política nem tenho tempo para saber onde e como são feitas as pesquisas de aprovação/reprovação dos políticos em cargos Executivos. Mas sempre me intrigou a quantidade mínima de pesquisados, ou seja, num universo de 5.561 municípios do Brasil, geralmente apenas 141 ou 142 municípios são consultados, ou seja, nem 3% (2,535%) da população, e talvez nos mesmos locais! Então, o que deduzo é que novamente tem instituto se "prestando" a incensar e aumentar a popularidade da presidente, para que mais tarde ela venha a participar das eleições de São Paulo dando seu apoio ao candidato do PT. Conhecemos esse marketing para enganar tolo (e haja tolos), pois afinal não vemos consultas em municípios grandes e/ou governados pela oposição.

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

PESQUISA CNI/IBOPE

Alguém sabe onde são localizados os postos que coletam os dados para estas pesquisas CNI/Ibope? Para a Dona Dilma ter 77% de aprovação, só pode ter sido feita na porta dos sindicatos da CUT, fila do Bolsa-Família ou com os industriais integrantes da CNI que mais uma vez receberam as benesses do governo.

 

José Gilberto Silvestrini jsilvestrini@hotmail.com

Pirassununga

*

IBOPE X RIO+20

Deixa ver se eu entendi: a presidenta está com 77% de aprovação porque quer iluminar todo o planeta, mesmo que tenha que destruir a Amazônia e eu que vivo num estado de fantasia?

Irene Sandke irene@frettes.com.br

Curitiba

*

ESTATÍSTICA

Pela estatística, vejo que o povo brasileiro está cego e surdo! O que essa senhora fez neste um ano e meio pelo Brasil? Educação, zero; saúde, zero; segurança, zero. Muito blá blá blá, como o criador! Acorda, Brasil! 77% de incapacidade, isso, sim!

 

Maria Helena Gualberto mhgualberto@uol.com.br

São Paulo

*

ERRADO!

Tenho certeza de que a pesquisa do Ibope está erradíssima e de que o índice de aprovação da petista e presidente do Brasil Dilma Rousseff já bate na casa dos mais de 187.32% e uns quebrados... Afinal, um governo que já trocou mais de sete vezes seguidas ministros de Estado por denúncias escandalosas de corrupção em apenas um ano de governo só pode ter mesmo este alto índice de aprovação da parte de um povo honesto como é o brasileiro!

 

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

TRISTE REALIDADE

A aprovação de 77% da Dilma comprova a ignorância do povo brasileiro. Mesmo com promessas não cumpridas continua dando apoio a esse governo corrupto.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

DILMA NOS BRAÇOS DO POVO

A manchete exata da notícia sobre a pesquisa CNI/Ibope deveria ser O governo Dilma possui 56% de aprovação (avaliação entre as opções ótimo e bom). Alguns iluminados na mídia pela aritmética de Fernando Haddad resolveram considerar que os quase 32% que informaram achar o nono ano do Governo Lula “regular” – também devem ser inseridos no conceito de ótimo e bom. A pesquisa até é clara ao apontar que 57% julgam os dois governos iguais, comparando a Lula, isso não quer dizer bom ou ruim; mas esse indicador apenas reforça a tese de que é o continuísmo já está instalado ao que se afigurava desde o tempo do mensalão. Dilma está blindada em sua imagem, e mesmo com toda corrupção que desmoraliza a vida pública do país o demagogo dono do Poder passa incólume. Vale notar que ela continua exatamente com a mesma incidência do eleitorado que a elegeu. Afinal sequer temos oposição, que também fica claro depois do tosco artigo que FHC com “cara de paisagem” teve o desplante de escrever como se todo leitor tivesse perdido o trem da história. Bem sentimos hoje a herança espúria que nos deixou, evidentemente não é a mesma que Lula evidencia, mas é a que passou incólume por seu Governo e que lulopetismo-fisiológico faz de meio a todos os fins.   

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

PRESIDENTE DE SORTE

A impensável popularidade da presidente Dilma Rousseff (77%) tem como principal alicerce o triste fato comprovado em também recente pesquisa de que o brasileiro não lê. Como sabemos, quem não lê mal fala, mal ouve, mal vê. Sorte dela poder contar com tamanha massa inerte.

 

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Rio de Janeiro

*

O PROBLEMA É O LEGISLATIVO

A presidente Dilma faz por merecer tal popularidade. Reconhece a importância da imprensa e a liberdade de expressão: faz uma gestão técnica, reconhece os pontos fracos e ainda  demitiu ministros como nunca antes visto neste país. Resta à população melhorar a qualidade do Legislativo na próxima eleição. Será?

Rogério Proença Ribeiro roger_fani@hotmail.com

Araras

*

PROPAGANDA DEMAGOGA

Até quando essa boa parte de brasileiros que acreditam em Papai-Noel, no Saci-Pererê e em contos de fada vai continuar acreditando nessas pesquisas deturpadas que, a cada dia que refazem, aumenta mais...? Só deixo um recado para os petralhas e a imprensa marrom que sua publicação estipulada no "vale-quanto-pesa", para mim, a verdadeira pesquisa são as urnas da votação, e mesmo assim já está desacreditada com a possível violação das urnas eletrônicas, tão a gosto dos corruptos. Como é que pode esse governo ter uma avaliação tão elevada se o Brasil está classificado como o mais incompetente do mundo na administração pública? É o campeão mundial dos impostos mal aproveitados! Não acredito que tenha tantos brasileiros desonestos, ignorantes e corruptos a ponto de alcançar 77% de avaliação! Talvez essa gama da maioria dos políticos descaradamente corruptos, desonestos, queira enganar, iludindo a todos com publicações que não condiz com a realidade e mostrando alucinações para alegrar os que não acompanham de fato nossa péssima administração pública no Brasil de norte a sul, leste a oeste. Estão quase me convencendo que a Suíça é atrasada cobrando tributação anual de 63 horas para bem administrar. Ou somos nós, o Brasil, o mais evoluído cobrando 2600 horas anuais para apresentar uma má administração e um PIB ridículo, caindo a cada ano, o lanterna dos Brics. Quero ver agora a imprensa publicar esta carta concordando comigo ou quem sabe, apresentar desmentido. aguardarei.

Benone Augusto de Paiva benone2006@bol.com.br

São Paulo

*

VASSOURA

Após receber 77% de aprovação, segundo pesquisa, a "presidenta" faxineira poderia acelerar a sua faxina, que está muito devagar, considerando os "malfeitos" que ocorrem diariamente diante dos seus olhos complacentes. Por favor, "presidenta", assista às partidas de curling e veja como deve usar a sua vassoura.

Alberto Bastos C. de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

*

FALTA GOVERNO, NÃO IMAGEM

Com uma imagem simpática e bem cuidada, Dilma atingiu uma invejável marca de aprovação popular, conforme último levantamento do Ibope. Nas áreas sociais e econômicas, no entanto, foi reprovada conforme a mesma pesquisa. É idêntica à impressão revelada pelos economistas e empresários, relativamente à atuação do governo no pacote econômico anunciado no dia 3 de abril. Embora as medidas sejam positivas, são consideradas pontuais, muito aquém do necessário e distantes do que seria recomendável para o país.  Restritas a alguns setores da economia, não consideram o que seria imprescindível à recuperação da indústria, a maior criadora de empregos, cuja participação no PIB passou de 27% em 1985 para menos de 15% atualmente. O executivo carece de um planejamento mais consentâneo com a necessidade de melhorar e modernizar o país, fortalecendo-o diante da crise atual. É incompreensível que um governo com a maior bancada no Congresso não consiga aprovar medidas nas áreas mais vitais, apontadas pela imensa maioria como a educação de base, reforma tributária, infraestrutura e o custo de energia, responsáveis pelo êxito de economias pujantes como a da Coreia e da China, por exemplo. Em nada o brasileiro é tão unânime quanto na visão dessas prioridades.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

BAJULADORES

Atualmente quando ligamos a TV Senado ou a TV Câmara temos o desprazer, salvo raríssimas exceções, de assistir a bajuladores deste (des)governo e do anterior elogiando essas administrações que não cumprem o que prometeram e, pior, só votam matérias de interesse do governo em detrimento dos interesses da Nação. Devem pensar mais no Brasil e adular menos, votando matérias para a melhoria na educação, na saúde, na segurança e nas nossas rodovias que estão situações precárias. Devem também se empenhar para promoverem as reformas necessárias, como a tributária e política, para tornar o País mais competitivo, eficiente e sem corrupção.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

FISCALIZAÇÃO  INEFICIENTE

                                                                                                                                                                                                                                                                  

Mais R$ 969 mil vão para a lata de lixo. O Ministério da Pesca, durante a gestão da arrogante Ideli Salvatti, liberou a verba citada a uma ONG a fim de que fosse viabilizado um projeto para a criação de peixes. Nada absolutamente aconteceu e, naturalmente, o dinheiro foi para o ralo. Este é mais um perverso sintoma de mau uso e desrespeito ao dinheiro público. Na verdade, a nefasta herança deixada pelo governo anterior, quando criou uma burocracia de 38 ministérios que permanecem na administração atual, prejudica sensivelmente o processo de fiscalização. E, por evidente, nós é que pagamos a conta

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

MAIS UMA

E agora Dona Ideli Salvatti mordeu a isca, como os peixes morrem pela boca, semelhante aos corruPTos. Como negar? Também contaminada pela falta de "ética e moralidade", como a grande maioria dos petistas... Não basta dizer que é, precisa ser na prática, não foi e agora é a "bola" da vez, será que vem mais "coisa" por aí? A Organização Não Governamental (ONG) de funcionário do governador de Brasília, Agnello Queiroz (PT/DF), que também está sendo investigado pela procuradoria-geral, recebeu a "bagatela" de R$ 770 milhões, do Ministério da Pesca, não implantou o projeto prometido e também não devolveu a "grana", como fica? É muita gente envolvida em maracutaias, as desculpas sempre serão as mesmas, por mais bem feito, são os chamados "malfeitos", resta a Procuradoria-Geral, o Ministério Público e o Judiciário apurar e punir os responsáveis com a consequente devolução do valor ao erário, ainda têm dois ministros na espera, Fernando Bezerra e Fernando Pimentel, ou foram perdoados? Vão esperar os próximos... Quem será, quem? Mais um ou mais uma?

 

Luiz Dias lfd.silva@bol.com.br

São Paulo

*

ELA NÃO TEM?

Se a Dona Ideli não tem nada que ver com o dinheiro que recebeu para sua campanha, muito menos eu. Não daria nem darei um real furado ao PT.

José Luiz Tedesco wpalha@terra.com.br

Presidente Epitácio

*

DECLARAÇÕES HILÁRIAS

Quando será que os nossos políticos criarão vergonha na cara? Depois da compra das 28 lanchas que não servem para nada, lá vêm os três maiores responsáveis por esta maracutaia com justificativas que não convencem a ninguém. As declarações de Ideli Salvatti, ex-ministra da Pesca, de seu antecessor, senhor Aldemir Gregolin, e do senhor Karim Bacha, ex-secretário do Planejamento do Ministério da Pesca, alegando inocência, são hilárias. Haja óleo de peroba para tanta cara de pau.

 

Adolfo Zatz dolfizatz@gmail.com

São Paulo

*

AS LANCHAS DO MINISTÉRIO

As lanchas custaram cerca de R$ 25 milhões. E só doaram R$ 150 mil ao PT? Duvido. Se alguém conseguir saber em que a fabricante gastou dinheiro certamente vai encontrar gatos em tubas.

Sergio Moura saamoura@uol.com.br

São Paulo

*

‘A PARALISIA DO DNIT’

Li com atenção o editorial do Estadão sobre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a entrevista do presidente da Associação Nacional de Obras Rodoviárias (Aneor), José Alberto Ribeiro, e estou perplexo com o fato de o órgão ter recebido um orçamento de R$ 14,8 bilhões em 2011 e só ter conseguido gastar pouco mais de R$ 5 bilhões. O órgão está parado e devolveu mais de R$ 8,5 bilhões ao Tesouro porque não conseguiu gastar. O presidente da Aneor disse que o general Pinto Fraxe foi nomeado como diretor do órgão em meados do ano passado, quando o governo demitiu mais de 40 diretores e funcionários, acusando todos de corrupção através de superfaturamento nas obras e de cobrança de propina para o PR. Mas passados nove meses, ninguém foi denunciado à Justiça ou preso pela polícia. O desvio de mais de R$ 5 bilhões do órgão ficou no caminho. O governo nomeou um general para diretor geral e o um coronel para diretor executivo do Dnit. O órgão foi paralisado. Este ano, com um orçamento de R$ 14,5 bilhões, só conseguiu gastar R$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre, segundo o Sr. José Alberto.  O presidente da Aneor acha que a presidente Dilma deve ir à TV pedir desculpas ao ex-ministro Alfredo Nascimento, demitido e acusado publicamente de corrupção ou exigir do general que cumpra o seu papel e conclua todos os inquérito e os envie a justiça, exigindo a prisão dos 40 e dos empresários que pagavam propina. É o caos em setor vital. Pelo que se depreende da denúncia do empresário, o órgão está parado, não investe na conservação e ampliação da malha rodoviária e não prende quem roubou.Quem foi acusado também não tem como se defender. Não há processo. Desse jeito, o único punido é povo que paga o tal imposto Cide-combustível destinado a conservar as rodovias, que não são conservadas.

 

Antonio Symão hdeditorial@gmail.com

São Paulo

*

LULA E RONALDO

A foto de Lula e Ronaldo Fenômeno, ambos de camisa preta, é um sinal inconsciente de luto pela morte da ética e da honestidade no Brasil.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

GOVERNO NA PAREDE

Finalmente um sindicato cria vergonha e promove manifestação com milhares de trabalhadores em São Paulo. A Força Sindical, ligada ao PDT, depois de anos mamando nas tetas dos governos petistas, engolindo corrupção e outras indecências, agora em ano eleitoral, resolve se juntar aos empresários para tentar, até tardiamente, chamar a atenção do País para a derrocada da indústria nacional. Impostos dos mais altos do mundo, assim também o custo de empréstimos, infraestrutura caótica, etc., vem tirando a competitividade do setor. É bom que se diga que esse declínio vem ocorrendo principalmente nesta era de governo do PT.  Assim como a CUT é serviçal ao Planalto, a Força Sindical também se escondia em troco de benesses espúrias... Mas, como diz o ditado popular, “antes tarde do que nunca”, vamos ver se realmente agora é para valer esse ato importante na Capital. E por que não também contra a corrupção?!...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

LUGAR ERRADO

A CUT, a Força Sindical e a Fiesp transformaram São Paulo num inferno. Idiotas! O mau cheiro estava em São Paulo, mas a origem está em Brasília. É lá que essa cambada de desocupados deveria fazer manifestações e paralisar o que nunca funcionou.

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

CASO DEMÓSTENES TORRES

Ninguém aceitou a nomeação para a Comissão de Ética do Senado, para a questão do senador Demóstenes Torres. A Comissão não existe. O indicado pelo presidente da Casa não o obriga a assumir. É aquela história que conhecemos, o chamado "rabo preso" ou o "eu sou você amanhã". Aliás, eu acho que a Comissão de Ética do Legislativo deveria ser composta por membros da sociedade civil organizada, pelos eleitores. Estes é que devem julgar os desvios dos políticos. Eles devem o mandato deles ao povo e não ao seu colega. Não foram eleitos pelo povo? Então? O povo é que tem que julgá-los, e não seus colegas. O mandato é do povo, aliás, está lá na Constituição, e em nome dele será exercido. Não é isso? Pois é... só no papel.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

VERDADE

Falando genericamente, se um partido se pauta pela ética, pela decência e pelo respeito aos eleitores, ele logo afasta os seus integrantes que agem em desacordo com a lei e com seus mandamentos. Ao contrário, se um partido é dirigido e composto na sua maioria por crápulas, canalhas, biltres, patifes, parasitas e assemelhados e está pouco se lixando para princípios, ele prefere blindar seus malfeitores e comprar jornalistas para criar uma verdade que lhe convenha.

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com

Campinas 

*

OPORTUNIDADE

O senador Demóstenes Torres disse, certa feita, que  corrupção não escolhe partido, apenas a oportunidade. Realmente, esta frase caiu-lhe como uma luva.   E agora, senador, já que saiu do DEM,  vai entregar o cargo ou se submeter ao Conselho de Ética?

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

TEIA DE ARANHA

A política em nosso país é muito semelhante a uma teia de aranha, só ficam presos bichos pequenos, os grandes nem se aproximam, mesmo que suas mazelas tenham chegado ao extremo. Alguns que caíram, caíram na teia com ar-condicionado e TV de tela plana.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ACREDITE, SE QUISER!

Gravações da Polícia Federal mostram que o grupo do contraventor Carlinhos Cachoeira utilizou servidores da Infraero e da Alfândega da Receita Federal para obter facilidades na entrada e saída de mercadorias contrabandeadas no Aeroporto de Brasília. Como podemos esperar atuações rigorosas nos portos e aeroportos, diante de ilícitos de importação de produtos chineses, se a triste realidade do País é outra? 

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

CARLINHOS CACHOEIRA

Tem envolvimento com gregos, troianos, da direita, da esquerda de cima e de baixo. Deixou de ser um empresário do jogo ilegal, já tem status de multinacional do jogo ilegal...

Victor Germano victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

CALA A BOCA, BÁRBARA

Depois de advogado formado pela PUC/Goiânia,  de promotor de Justiça aprovado por concurso do Ministério Público goiano e posteriormente procurador-geral de Justiça de Goiás e além de secretário de Segurança Pública do seu Estado natal; depois, ainda, de senador da República desde 2002, exercendo a relevante função de líder do DEM,  tendo sido também candidato ao governo de Goiás em 2006 e hoje em dia, como um bisonho – que ele não é – renunciante da presidência da Comissão de Constituição e Justiça do Senado(CCJ) e de líder do seu partido, que ele acaba de manchar indelevelmente, o senador Demóstenes Torres transmudou-se, como um lobisomem, num reles Judas da sofrida democracia brasileira.  Chego até a pressupor que, como o lobo sob pele de cordeiro, enquanto exercia os importantes cargos por que passou, traidor e pífio ele sempre foi. Em outras palavras, com seus últimos atos e procederes, ele nos dá condições de assim pressupor. Convenhamos que ninguém – a não ser os lobisomens – sofre tamanha transformação da noite para o dia. É triste, muito triste, fazer chegar ao ainda senador esta mensagem: "finis coronat opus" (é o fim – ou término – que coroa uma obra/vida). Entretanto há males que vêm para bem: louve-se, aqui, a atitude do DEM e do senador José Agripino Maia, seu presidente que, a "toute force" e após confirmação das acusações a seu filiado, já apressava-se a declarar a expulsão de Torres que, antecipando-se ao ato, renunciou  ao seu cargo na CCJ e à sua filiação ao partido.  Bastante diferente, em todos os sentidos, dos exemplos e procedimentos de Lula, Dilma, do PT e de todo o ministério desse governo descarado que, embora nauseados, temos de suportar. Somente do vergonhoso caso do mensalão, 40 meliantes já declarados réus pelo STF nada sofreram e, pressinto, não sofrerão. Até quando?! Respondo, sim: até quando nós também (e principalmente nós) criarmos vergonha na cara! Se eu vier a merecer a desonra da leitura do senador, tenho uma pergunta a lhe fazer! Ei-la: Como o cidadão Demóstenes Torres vai enfrentar sua família, seus ex-colegas do MP, seus eleitores e o que lhe resta de vida? Como um zumbi? Como um... lobisomem? Ou como se nada houvesse ocorrido? Relembrando Chico Buarque de Holanda em Calabar, escapa-me da boca o mote: "Cala a boca, olha o frio... Cala a boca, Bárbara!"

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

COERÊNCIA

A cada dia surgem fatos novos em relação aos recentes acontecimentos envolvendo o arauto oposicionista, o ex-senador do DEM,  senador Demóstenes Torres. As notícias  mais recentes informam sobre o pedido de demissão de uma chefe de gabinete do governador de Goiás, que é do PSDB. Ela mantinha contatos com a turma do Carlinhos Cachoeira, cuja máfia se reunia na casa do senador do DEM, que acaba de desligar-se do partido pelo qual se elegeu. Fica apenas a expectativa de qual será a atitude de seus ex-correligionários no Congresso, para mostrar coerência com as críticas que sempre fizeram a membros  do governo federal.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

JUSTIÇA = VERGONHA

Após termos ouvido e visto as barbaridades absurdas e vergonhosas envolvendo o senador Demóstenes Torres com o contraventor Carlinhos Cachoeira, onde em trechos das conversas o mesmo é tratado como chefe da gang, seu advogado, Antonio Carlos de Almeida Castro, afirmou que entrará segunda feira com recurso no Superior Tribunal Federal pedindo anulação de todas as investigações contra seu cliente apuradas até agora. O pior de tudo é que em se tratando da "Justiça" brasileira é muito provável que o recurso seja deferido!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

GOIÁS NÃO ESTÁ SÓ

O poder, quando alcançado pela via democrática, é caro e, obviamente, o dinheiro, quase sempre alheio, entra nessa equação de maneira decisiva. Os financiadores estão numa faixa que compreende, desde empresários que cobram a fatura por meio de favorecimentos em licitações viciadas, até contraventores que condicionam o comportamento de seus "representantes" no Congresso em prol de interesses escusos, como se comprova, nas gravações, pelo tom de submissão do senador Demóstenes Torres ao Carlinhos Cachoeira, virtual imperador de Goiás, ao qual todo político daquele estado parece estar amarrado.  Mas Goiás não está sozinho, o mecanismo se repete Brasil afora. E o eleitor, essencial na hora da urna e descartável depois dela, é levado a crer que o voto é a sua arma mas desconhece que a munição é do eleito  que a usa mais para o interesse próprio do que para lutar pelo único caminho que pode mudar este panorama melancólico: a educação.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DINHEIRO PODRE

O Brasil é o país do cinismo institucionalizado. Enquanto todos os holofotes estão voltados para as maracutaias envolvendo Carlinhos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres, envolvendo algumas migalhas financeiras, ninguém questiona como aquele senhor, acusado de ser o rei da contravenção no estado de Goiás e adjacências, consegue reunir dinheiro para contratar para sua defesa, entre outros, o doutor Márcio Thomaz Bastos, que além de ex-ministro da Justiça do primeiro mandato de Lula é tido e havido como um dos advogados mais caros do Brasil. Diante desse fato, uma dúvida passa a martelar a consciência daqueles pouquíssimos brasileiros que ainda conseguiram preservar algum nível de capacidade de indignação: será que o dinheiro que está sendo usado para pagar o “nobre causídico” é fruto das tais operações ilegais pelas quais Cachoeira está sendo acusado? Tomara que a Receita Federal e o Banco Central, que adoram propalar competência técnica, notadamente quando da fiscalização de “simples mortais”, tenham capacidade de rastrear de qual “fonte” está jorrando o “grana” usada para custear o nababesco esquema jurídico montado para “livrar a cara do amigo do Demóstenes”.

 

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

O FIM

E triste e melancolico ver um senador da Republica do Brasil acabar como canalha e corrupto, depois de décadas defendendo o direito e a verdade e sendo um membro desse selecionado clã. É lamentável ver o que o dinheiro faz e como consegue transformar e mudar as pessoas honestas em verdadeiros bandidos com ou sem  toga. Se as pessoas percebem-se de que quando morrem não levam nada, apenas a roupa do corpo, se for delas, muitas vezes são doadas, não perderiam seu precioso tempo em falcatruas, maracutais, aloprações, bandidagem, matança, e se dedicariam a ser felizes com o que têm, e não com o que obtêm em negociatas. Todos se julgam acima da lei e do bem, por isso a casa literalmente cai, e com força.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

Belo Horizonte

*

BRASILEIROS PUERIS

Pegando um gancho no Caderno 2 do Estadão (3/4), cito uma frase de N. Tommaseo: "O homem que a dor não educou será sempre uma criança". Nosso Brasil está coalhado autoridades crianças. Ou não? A honestidade leva a uma conclusão desanimadora, pois são crianças que mandam em crianças. Ou não?

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

DEMÓSTENES

É lamentável e deprimente ver um  senador da República envolvido em tamanho escândalo e vendendo uma imagem de paladino da Justiça e defensor do bem. É lamentável ver um aparente cara do bem se travestir de bandido e, ainda mais triste, por ter sido o relator da CPI contra o jogo do bicho e sendo quase irmão siamês do Cachoeira, que lhe deu um banho de corrupção. O Brasil é o país das surpresas em geral desagradáveis no quesito políticos canalhas e corruptos e ninguém muda as fracas e ridículas leis cheias de buracos, inspiradas em algum queijo suíço de qualidade.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

A REPRESA E A CACHOEIRA

Eis que surgem da "lama" donos de vozes falando em punir o senador moralista. Mas, se as denúncias vierem à tona, acredito que todos serão levados pela "cachoeira" de atos inconfessáveis. Ou viraram santos de uma hora prá outra?

 

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

SANGRIA

Em cascata no affair Cachoeira, o cinismo do senador vaza pelo ladrão.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

JOGOS ILÍCITOS

 

A ambição do governo de querer dominar tudo que lhe convêm é histórica. Os governos de forma geral só montam equipes para sugar o patrimônio público, quando na verdade o governo deveria apenas fiscalizar o bom funcionamento dos interesses de toda a sociedade, e não apenas dos seus pares. Exemplos não faltam, então vamos a eles: o jogo do bicho para mim joga quem quer, mais é proibido, os bingos idem, maquinas caça-níqueis, a mesma coisa. Mais então por que é proibido pelo o governo? Simples, é porque não paga imposto para o governo e, principalmente, porque não é explorado pelo o governo. E os jogos das casas lotéricas, ah! esses jogos podem ser explorados, pois quem os explora é o governo, além disso, as receitas destes jogos é uma das principais vigas de sustentação da Caixa Econômica Federal, ai está a grande diferença.

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

*

A TARDIA LEI DA RECIPROCIDADE

Somente depois de mais de mil passageiros brasileiros terem sido maltratados na Espanha, o governo brasileiro resolver exigir tratamento igual aos espanhóis que chegam no Brasil (lei da reciprocidade). Por que o Brasil abaixou a cabeça por tanto tempo e deixou que os brasileiros fossem humilhados na Espanha? O diplomata espanhol, Manuel de La Cámara disse que a Espanha está triste, e não ficou triste quando expulsou os brasileiros de seu país?  É o que dá não reagir de pronto. Até nisso os brasileiros têm azar, a diplomacia daqui anda a dez por hora. Como os governantes saem e entram em qualquer país sem serem barrados graças aos seus passaportes diplomáticos,  o passageiro que se lixe. Segundo se sabe a Espanha enfrenta grave crise econômica e falta de emprego. Se há alguém precisando do Brasil é a Espanha. Ou não?

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

ESPANHA

O Brasil está pagando com a mesma moeda o que a Espanha está fazendo com os brasileiros que são barrados ao tentar entrar naquele país. O Estadão, na sua primeira página do caderno Cidade de 2/12, enumera as exigências que serão feitas  para tal fim. "Quem com ferro fere com ferro será ferido"!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

DRAMALHÃO

Desculpem-me os nacionalistas e patriotas, mas não é só a Espanha que faz exigências básicas para a entrada de turistas. Em qualquer país da Europa é assim! Que grande dificuldade há, para um turista, em apresentar a passagem de volta,  e informar onde vai ficar? É evidente que um turista tem que ter meios de sobreviver durante a viagem, e então ter dinheiro suficiente é o mínimo que se espera dele. Dificuldades há só para quem não consegue cumprir estas simples exigências. Além disso, o Brasil, convenhamos, especializou-se em exportar prostituição e drogas! Já diziam os mais antigos: “quem faz a fama, deita na cama”. A Europa não é Casa da Mãe Joana. Fica ao lado de países que abrigam terroristas e zela pela segurança de seus cidadãos. Errado é o Brasil, que não só permite a entrada de qualquer um, como ainda dá guarida a terroristas. Está se fazendo aqui um dramalhão por uma coisa que é normal em países civilizados.

 

M. Cristina R. Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

A SEXTA-FEIRA SANTA

 

Até essa data a igreja não vê esse dia como de pranto e de luto. mas sim como amorosa contemplação do sacrifício cruento de Jesus, fonte de nossa salvação. Ela não faz da sexta-feira santa, um funeral, mas celebra a morte vitoriosa do senhor. O que deve ser considerado como mais significativo são os exemplos que ele deixou, os ensinamentos que dele herdamos, o conteúdo das suas palavras que calam fundo bem dentro de todos nós. Este dia em que celebramos o ato da paixão e morte de nosso senhor Jesus Cristo se constitui num marco evidente de que ele foi homem, veio para nosso meio para nos deixar a herança que deixou, com o único intuito de nos salvar. O dia de hoje nos sugere a oportunidade mais cristalina e propícia para nos debruçarmos sobre esses fatos e, através deles, fazemos as nossa reflexões. Cristo passou pela terra como a brisa que sopra na primeira, deixando o aroma da sua passagem, numa verdadeira floração de bênçãos variadas. Esteve no mundo como um marco de permanente esperança, insuflando coragem nas almas aterradas de pavor antes as próprias deficiências. Viveu no planeta entre a luz do céu e as almas nebulosas da terra, buscando levantar o coração humano para as altitudes felizes, onde vibram os seres angélicos dos quais ele fazia parte. Aquilo que afirmou como fundamental á alegria e a paz tratou de expressar em sua vida, na condição de modelo e guia de todos nós, por isso nos amou e por nós deu a própria vida. Atendeu às necessidades das almas enfermas que o buscaram, ofereceu a água fresca de sua dedicação, afim de que quem dela bebesse não mais tivesse cede. Saciou a fome de entendimento, de conhecimento e de carinho, tudo havendo transformado no sublime pão da vida; Apresentou-se atencioso e verdadeiro para com seus discípulos, ajustando á posição de mestre inigualável. Somente Jesus Cristo conseguiu ensinar e exemplificar com seu viver as lições que nos passou. E esse ainda hoje nos vemos envoltos nessas ondas de felicidade, e porque o Senhor de Nazaré, essa sublime estrela, continua a nos mostrar o caminho, a verdade e a vida. Em suas doces palavras encontramos alívio para nossa alma dorida, sofrida, desalentada... Hoje, mesmo tendo se passado mais de dois milênios, ainda buscamos o seu olhar de ternura, como o fizeram Maria de Magda, Judas, a mulher samaritana, Pedro, e sempre encontramos aconchego no seu abraço de luz. Jesus é o mesmo, ontem, hoje e por toda a eternidade. Ainda que passem os séculos, ainda que a esperança esteja distante, ainda que tudo pareça irremediavelmente perdido, sua voz jamais se cala: "vinde a mim todos vós que estais sobrecarregados, e eu vos aliviarei". Reflitas sobre isso, irmão, retempere o ânimo e persevere. Não se deixe caminhar na escuridão, busque a luz para lhe orientar os passos, e siga confiante. Afinal, foi ele que assegurou: "Aquele que vier a mim, nunca lançarei fora". Feliz Páscoa para todos!

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

ABSTINENCIA É COMILANÇA?

Na tradição cristã, não apenas católica, a sexta feira Santa ou da Paixão, é um dia de reflexão sobre o significado do Cristo imolado na cruz e, consequentemente, de luto e abstinência. No entanto, parece que este aspecto  religioso e o litúrgico da data foi ao longo do tempo  sendo substituído pelas “tentações do mar”. Estamos transformando a última sexta feira da quaresma em  “festança do bacalhau” e frutos do mar regado a vinho branco seco, ou verde e com sobremesa a altura. Ao final da comilança não seria estranho uma criança perguntar à mãe: “Mamãe, quando é que nós vamos fazer abstinência de novo?”.  A meu ver, um completo desrespeito ao personagem e ao significado da  data.

Roberto Castro roberto458@gmail.com

São Paulo

*

PÁSCOA

A Páscoa está chegando e, como vocês aprenderam ao longo dos anos, para mim é uma oportunidade para manter nosso canal de comunicação e reflexão aberto. Recentemente muitos eventos chamaram a minha atenção, entre outros a polêmica sobre o atraso das obras da Copa o Mundo e da aprovação da lei geral da Copa. O Dr. Jerome, representante da Fifa, perdeu a paciência e a vergonha e excedeu-se nas palavras gerando um justo ressentimento entre as autoridades brasileiras. O Jerome com certeza deu-se conta que passou dos limites e com muita humildade retratou-se elegantemente, afinal percebeu que estava ferindo não apenas as autoridades, mas também milhões de honestos cidadãos brasileiros. Mas, meus amigos e parceiros, quantos de vocês gostariam de manifestar a própria indignação com a falta de nacionalismo que as nossas autoridades desfilam todos os dias. Hoje somos a sexta potência econômica do mundo, em breve a quinta e até 2015 seremos a quarta... amigos, parece que a mídia quer que nosso “rebanho” seja imbuído de um espírito de arrogância e digamos ao mundo: somos poderosos. Peço desculpa, mas não podemos cair nesta armadilha e seguir o caminho de pura ilusão, a nossa competição com o mundo não pode ser neste sentido. A nossa competição deve ser nos índices de qualidade de vida! Como podemos explicar que nosso País é um dos últimos do continente na educação e na saúde estamos atrás até de Bolívia e Paraguai. Percebo, portanto, meus amigos, que tem algo muito estranho nesta história, tanta riqueza e tanto descaso com o nosso amado povo brasileiro. Sempre gosto de lembrar etapas da minha infância para servir de epílogo às minhas reflexões: A minha era como disse inúmeras vezes, uma família de gente humilde e honesta. Quando nosso árduo trabalho começou a prosperar todos queriam mudar do nosso bairro e morar perto daqueles mais abastados. Meu avô foi categórico e não quis. Ele disse: “o dinheiro não compra a dignidade e nosso maior patrimônio é a nossa capacidade de aprender com as dificuldades, ainda temos muito a aprender, se a gente sair daqui temos que ter a certeza que não seremos obrigados a voltar porque pecamos por presunção”. Meus amigos, os olhos do mundo estão voltados sobre o Brasil, mas se nossa arrogância for maior que nossa capacidade de crescer de forma sustentável, cairemos outra vez para o fim da fila e todo mundo vai rir de nós. Não se iludam, mas lutem para que as nossas autoridades tenham vergonha dos índices de qualidade de vida e não se vangloriem de uma riqueza efêmera e falsa. Nesta Páscoa quero deixar esta mensagem, convido a todos a ser humildes e a respeitar o próximo. Que o espírito de renovação de Cristo esteja no coração de todos vocês. Feliz Páscoa!

Pasquale Cosenza claudia.santana@ilpianeta.com.br

São Paulo

*

PEDÁGIOS

Ainda sobre pedágio, a maiorias das estradas de São Paulo foram privatizadas e a alíquota do IPVA não baixou! Uma das destinações de tal arrecadação não era exatamente a manutenção das vias públicas, incluindo as estradas? Agora que a manutenção é privada, por que a alíquota não baixou? E o dinheiro arrecadado com as multas, resultado da proliferação de "pardais" e toda a sorte de radares "inteligentes"? Não deveria ser revertido para o trânsito? Pagamos IPVA com alíquota antiga, pagamos muito mais multas e continuamos trafegando em ruas esburacadas e com sinalização precária.

Ronaldo de Andrade r.andrade@terra.com.br

São Paulo

*

A SOCIEDADE EM SÍNTESE GLOBAL

João Crestana, presidente do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) demonstrou em memorável prosa metafórica (Fígado, Cérebro ou Coração, 4/4, A2) que as entidades corporativas brasileiras dispõem de quadros possuidores desses três órgãos em funcionamento harmônico na interpretação global e sistêmica da sociedade de hoje, que o conhecimento não é privilégio dos expoentes das academias, mediante uma análise direta e objetiva do desenvolvimento sustentável. Um exemplo para os que teimam em anatematizar os sindicatos (econômicos ou profissionais), como se fossem entidades incapazes de olhar um metro à frente de seus respectivos narizes, na defesa única do corporativismo.  Parabéns ao articulista.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

REFLEXO

Por que o Departamento de Trânsito (Detran) não faz as trocas das placas refletivas gradativamente, sem ônus para os proprietários, de acordo com a data de vencimento do emplacamento do veículo? Seria muito mais honesto e sensato. Mas como todos os cidadãos brasileiros são tidos como verdadeiros otários, exigem a troca imediata de todos os veículos, sob um preço absurdo e escandaloso. O que só nos resta refletir que a finalidade real não é a segurança dos motoristas, mas sim a estrondosa arrecadação que o serviço proporcionará aos cofres públicos.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

*

GILBERTO KASSAB

Multar motorista que atrapalhar ciclista? Chega de inventar medidas eleitoreiras e pague seus precatórios, cara de pau!

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.