Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

13 Abril 2012 | 03h09

Medo de quê?

O Congresso Nacional aprovou CPI mista para investigar o contraventor goiano, com o apoio do PT e do PMDB. Chutaram a bola para cima e agora estão com paúra de que a bola caia no seu próprio gol. Medo de que eles têm? Um doce para quem adivinhar.

PAULO C. LEITE

paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

Catadupa de incertezas

A Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, poderá causar alguma perplexidade. Não é surpreendente o tempo que levou? Não é espantoso o fato de que inúmeros trechos de conversas apareçam - de repente e simultaneamente - na imprensa, apesar de o sr. ministro da Justiça ter negado a existência de vazamentos? Não é impressionante a coincidência de todo esse lixo emergir justamente agora, quando está para ser (será?) julgado o "inexistente" mensalão? Não é fascinante ver a situação e a oposição irmanadas no ardor investigativo? Decerto o Sobrenatural de Almeida do inesquecível Nelson Rodrigues explicaria facilmente essa cachoeira de dúvidas.

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

Manobra diversionista

É evidente que Lula e o Congresso querem a CPI do Cachoeira só para desviar a atenção do mensalão, limpando a barra de Lula e dos congressistas mensaleiros. Só não vê isso quem não quer.

IRACEMA PALOMBELLO

cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

Esperança

Embora avesso à criação de CPIs, que servem apenas para pôr políticos obscuros em evidência e invariavelmente não levam a nada, acredito que essa comissão para apurar ilícitos do bicheiro Carlinhos Cachoeira e seus asseclas vai tirar o sono de muitos políticos que dormiam em berço esplêndido. O fio da meada está sendo puxado e já foram descobertos vários deputados e assessores de governadores. Quantos ainda estarão metidos nessa bandalheira? Creio que muitos, pois onde se mexe se sente logo um cheiro de podridão no ar. Portanto, deputados e senadores responsáveis pelas investigações, não deixem que a corrupção saia vencedora em mais este escândalo. Punindo com severidade os envolvidos, quem sabe, passemos a acreditar um pouquinho mais nos senhores. E lembrem-se: "Ofende os bons quem protege os maus".

SÉRGIO DAFRÉ

sergio-dafre@hotmail.com

Jundiaí

Lugar incomum

Onde a cachoeira do Demóstenes do DEM se encontra com a cachoeira do Agnelo do PT, tudo termina numa profunda poça de águas sujas e mansas...

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

'Modus operandi'

A ministra Ideli Salvatti foi convocada para prestar depoimento à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados a respeito da compra de lanchas inúteis pelo Ministério da Pesca. Mas não adianta discutir sobre quem é o culpado desse ato, a gravidade é que o beneficiado pela venda foi "induzido" a doar dinheiro ao PT após o recebimento de parte da dinheirama. Esse é o modus operandi desse partido, que tira proveito de tudo e de todos em benefício próprio. É aí que mora a irregularidade, ou melhor, na língua dos petralhas, o "malfeito". Essa regra já foi apontada inúmeras vezes e não vimos ninguém ser punido.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

O beneficiário é...?

De fato, é inócua a discussão sobre quem pediu ou deixou pegar dinheiro das lanchas do Ministério da Pesca. O cerne da questão é que foi pedido dinheiro para o PT. Assim, não importa a autoria do ato, mas sim o mandante e beneficiário do "malfeito". E o beneficiário é o PT. Simples. O resto é discutir o sexo dos anjos, justamente para não se chegar a nada e reinar a impunidade de sempre.

M. CRISTINA R. AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Naufrágio da ministra

O inaceitável acontece como se tudo fosse normal. Tenho conhecimento do mundo náutico e vejam: uma lancha de 35 pés com acabamento de luxo, equipada com gerador, televisões, suíte, máquina de gelo, freezer, etc., etc., custa aproximadamente R$ 600 mil. E aí vem a pergunta: como um barco de serviço, sem nenhum requinte, pode custar R$ 1,1 milhão? Os tais R$ 150 mil para a campanha de dona Ideli são boi de piranha. O rombo - ou roubo - é próximo de R$ 15 milhões. Gostaria de ver essa licitação.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

De maracutaias

Perguntas que não querem calar: o que a presidente Dilma Rousseff está esperando para 1) demitir a inefável ministra Ideli Salvatti, há tempos envolvida em inúmeras maracutaias e hoje atrapalhada com a encomenda das 28 lanchas de controle da pesca em troca de presente do estaleiro construtor à campanha do PT em Santa Catarina? 2) Instruir o ministro da Justiça para que mande prender Agnelo Queiroz (PT), governador de Brasília, acusado de receber propinas quando ministro dos Esportes, de ligações com Cachoeira e outros seriíssimos "malfeitos", sendo o mais hediondo aquele em que, como diretor da Anvisa, foi flagrado liberando fraudulentas licenças para indústrias farmacêuticas?

JOSÉ SEBASTIÃO DE PAIVA

j-paiva2@hotmail.com

São Paulo

TEMPORAIS EM SÃO PAULO

Árvore atinge carro

Na foto de ontem (C6) nota-se que é uma tipuana, que não tem raiz profunda. Será que ninguém da Prefeitura percebeu que tais árvores são perigosas e sempre elas é que causam acidentes?

VICTÓRIO CANTERUCCIO

vicv@terra.com.br

São Paulo

ELETROPAULO

Apagões frequentes

O Jardim Marajoara é um bairro pequeno, nobre, bem arborizado, mas sofre apagões de até oito horas, enquanto toda a região ao redor, alguns metros adiante, tem energia. Na noite de anteontem foi o quarto ou quinto do ano!

ALBERTO FUTURO

carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CACHOEIRA DE LAMA

Para o esquema de contravenção de Carlinhos Cachoeira, “Agnelo Queiroz” é apenas o “01”. Para os demais brasileiros, um “zero”: zero à esquerda.

Amâncio Lobo Amancio lobo@uol.com.br                                               

São Paulo

*

O ESQUEMA ATINGE O PT

O caso Cachoeira caiu como uma tromba d’água em Brasília, alagando todo o núcleo do poder central. Pena que não há possibilidades de alguém soçobrar ou se afogar, visto que lixo e merda não afundam.

Décio José Balles telasballes@bol.com.br

São José dos Campos

*

PLÁGIO

No esquema corrupto do contraventor Carlinhos Cachoeira, temos um membro envolvido conhecido como “Brahma”, por se tratar do número “1” do esquema o governador Agnelo Queiroz (PT), do Distrito Federal. Aliás, a Ambev poderia até processá-lo por “plágio”, não? 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O FEDOR DO PLANALTO

Simplesmente hilário esse debate sobre a CPI do caso Cachoeira. Os partidos fingem se digladiar, mas na verdade estamos mais carecas do que o Demóstenes em saber que não há inocentes no Planalto. Aquilo é como as águas do Tietê e Pinheiros – basta agitar que fede.

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

PRIVADA

Parabéns a Loredano (Sinais Particulares, 12/4, A2) pela mais perfeita imagem do Brasil na atualidade. Retrata não somente os políticos, mas também grande parte do povo que compactua, vota e dá altos índices de popularidade a esta corja.

 

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

IMPUBLICÁVEL

Sobre seu excelente Sinais Particulares de ontem, comento: muito otimista e futurístico, já que a presente situação é ainda impensável e impublicável!

Murilo Luciano Filho muarilou@uol.com.br

São Paulo

*

EFEITO CASCATA

Tudo indica que, finalmente, teremos uma CPIM isenta, duela a quien duela (já ouvimos essa estória). Os partidos (todos) estão unidos, nossos parlamentares e o governo, tranquilos, sem preocupações com os desdobramentos das profundas e extensas relações simbióticas e, o mais importante, sem acobertamento, buscando e preservando a “verdade” a “justiça” e, sobretudo, a “ética e a retidão”. Nada de exposição na mídia para vinganças pessoais ou partidárias, interesses feridos e expostos, ou para abafar os pares, mensalões, corruptos, corruptores e doadores (compulsórios ou não), além de outras podridões. Que belo sonho, traduzido em poesia sonhadora de uma “Estrela Luz que é a CPIM”. “Cachoeira”, de autoria de Roberto D’Ara, postada em 07/2009 em Poesias On Line, reflete bem os sentimentos do digníssimo povo. Estrela luz / Manhã desfaz a névoa / Leva longe o que o olhar finge não ver / Árvore pequena onde o futuro deixa escapar / O presente que o passado deixou viver / Pecado sentir o que teu sorriso pede / Enganei meu coração na ilusão do talvez. Viva a nobre democracia ou “democraronia”.

Luiz A. Bernardi luizbernardi@uol.com.br

São Paulo

*

MAPEAMENTO DE CACHOEIRAS

O jornalismo investigativo deveria mapear todas as UF e mostrar que, se a contravenção em Goiás/DF conseguiu recrutar tão seleta equipe, formada por senador,governadores, deputados, delegados da Policia Federal, policiais militares, funcionários da Infraero e da Receita Federal,advogados, empresários, quiçá  juízes,  o Brasil possui dezenas de "cachoeiras", quem sabe assessoradas por figurões políticos, à imagem e semelhança do que ocorre em Goiás.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

CACHOEIRA E MENSALÃO

O chamado “mensalão” está sub judice no Supremo Tribunal Federal. Por outro lado, serão objeto de investigação por uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) as andanças do ubíquo Carlinhos Cachoeira por diferentes instâncias de Poder, cooptando pessoas para seus domínios, como o personagem central de “Teorema”, de Pasolini, que seduz e corrompe pai, mãe, filho, filha e empregada de uma família decadente. Tudo a ver, não? Adicionalmente, o presidente do PT, orientado pelo ex-presidente Lula, entende que a CPMI servirá para “abafar” o julgamento do mensalão. Ou seja, em seu entender, a mais alta instância do Judiciário, ao julgar o mais escandaloso processo de que se tem notícia na História recente do País, deverá sujeitar-se às discussões bizantinas, midiáticas e improdutivas que transcorrerão em breve no Congresso Nacional. E por que, afinal, Lula e o PT pretendem “abafar o mensalão”, se sempre afirmaram que “ele nunca existiu”? E já que Goiás, berço de tudo isso, é a terra das duplas caipiras, sugere-se a criação de mais uma – Cachoeira e mensalão – preferencialmente cantando “Ai, se eu te pego!”

 

Gil Cordeiro Dias Ferreira gil.ferreira@globo.com

Rio de Janeiro

*

DUAS PALAVRAS MÁGICAS

 

Leio o Estadão há mais de 50 anos. Tenho 74 anos e tudo o que vem junto... Lendo e ouvindo tudo o que acontece em nossa terra, cheguei a uma conclusão: Existem no Brasil duas palavras mágicas: “jeitinho” e “quebra galho” que não têm nenhuma tradução para outro idioma... Era só o que eu queira dizer... será que tem mais?

 

Peter Wolff  peterwolff@ig.com.br

São José dos Campos

*

POLÍTICOS E SUAS SALAS DE VISITAS

Um pedido, uma sugestão e uma lembrança: 1) Ao delegado-deputado comunista Protógenes (o da Operação Satiagraha) – “Mate nossa curiosidade. Conte-nos como em Sânscrito se escreve e se pronunciam ‘dissimulado’, ‘canalha’, ‘ladrão’ e ‘pilantra’. Se necessário, peça assessoria ao probo promotor-senador Demóstenes. Ele deve entender do idioma”. 2) À base aliada do governo – “Já que os ParTidos  que a compõem são tão íntimos dele, por que não elevá-lo à Presidência da República? Afinal, ele sabe onde agir com precisão e tem mais competência em chefiar quadrilhas do que quem lá está. Ah, estou falando do Carlinhos, o da Cachoeira que, a cada dia que passa, despeja toneladas de corrupção e escândalos que comprometem toda a República”. 3) À direção do Estadão – “Revejam as notícias da época do assassinato do prefeito Celso Daniel, verifiquem e, caso encontrem, divulguem quem primeiro chegou ao apartamento dele e de lá retirou documentos, provavelmente muito comprometedores, e por que o fez. Consultem também sua família”.

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

*

CPI SUSPEITA

É bom que a oposição fique de olho nas movimentações do PT visando à instalação de uma CPI sobre os negócios escusos envolvendo Carlinhos Cachoeira e políticos graúdos de Goiás e outras redondezas. O que Demóstenes Torres fez ao se envolver com um tipo altamente suspeito como Cachoeira não tem nada a ver com os valores que ele pregava em sua atuação no Senado, que serviam de claro contraste às frequentes condenações da moralidade e ética que tão bem caracterizam o governo federal nesses mais de nove anos sob a égide petista. Demóstenes traiu, sim, todos aqueles que admiravam sua postura combativa e de confronto político contra os desmandos petistas e, por isso, deve individualmente responder pelos seus atos. Mas não é o que pretende o PT. O partido, sob o tacão de Lula, vê na eventual CPI uma janela de oportunidade para aniquilar os restos mortais da oposição, juntando todos no mesmo pacote de Demóstenes e servindo, assim, ao projeto de consolidar seu projeto de transformar o Brasil num regime de partido único. Se assim não fosse, como explicar o crescente envolvimento de Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça de Lula, na defesa de Cachoeira? Fiquemos de olhos abertos: estamos em ano eleitoral e a oposição encontra-se mais raquítica do que nunca. As intenções do PT de investigar as tramoias de Cachoeira parecem ter aquele cheiro da virtude a serviço de um vício bem conhecido do partido: minar a democracia.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

CONTENTES OU DESCONTENTES?

Perguntar não ofende, mas essa CPI que o Congresso vai abrir sobre o Cachoeira está sendo encabeçada pela ala pró ou descontente com o governo Dilma? Não nos esqueçamos de que foram retirados bilhões do orçamento e em sua maioria verbas dos deputados e senadores. No decorrer das investigações saberemos o que motivou essa história. Se acabar em pizza, foi a ala aliada que quer bagunçar o julgamento do mensalão. Se descobrirem fundo todos que se locupletam do dinheiro sujo de Cachoeira, foi a ala descontente. Tenho certeza que no decorrer dessa CPI muita verba escorrerá para o bolso dos descontentes, porque de nove anos para cá o Congresso Nacional só trabalha na base da coação e chantagem. Mas quem sabe nessa “cachoeira” não existe um método mais sinistro para encobrir o julgamento do mensalão, não é?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ENTENDENDO O PAÍS

Agora entendo porque nossa oposição é tão fraquinha no País. Se o senador Demóstenes era um dos que mais bradava contra o governo, os membros de nossa oposição devem dever muito, porque sempre ficaram quase quietos ou na surdina, falando alguma coisinha para não dizer que eram ou  estavam do lado contrario. Na realidade não temos oposição, porque quase todos devem alguma coisa a corrupção que impera no Congresso Nacional. O que se explica a popularidade de Dilma, pois parece uma das poucas que fazem oposição a corrupção. Parece também que o STF vai parecer imparcial, saindo da parcialidade demonstrada até agora, querendo julgar o mensalão, antes que este caia no esquecimento ou vire pizza ou saia do prazo para que todos os petistas saiam livres.

Ciro Bondesan dos Santos cirobond@hotmail.com

São José dos Campos

*

CORRUPÇÃO GENERALIZADA

Cachoeira, Demóstenes, cacique, UniRio, etc. Afinal para onde vamos? Tudo isso é consequência da falta de leis mais severas contra a corrupção. E falta de educação mais voltada para a formação da cidadania: "é de pequeno que se torce o pepino".

Minoru Takahashi minorutakahashi@hotmail.com                

Maringá (PR)

*

GANGRENA

Enquanto a gangrena infectar a moral dos que dirigem, não haverá ordem social no seio do povo.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

CASSAÇÕES E RENÚNCIAS

O Estadão publicou, no domingo, dia 8/4, uma relação de deputados e senadores que renunciaram ou foram cassados a partir da constituição de 1988. Foram 43 parlamentares e relacionei os partidos dos mesmos. Assim, pela ordem, PMDB (14); PTB (6); PFL (5); sem partido (4); PP (3); PSB, PL e PT, 2 cada e PSD, PPR, PTN, PSDB e PPS, 1 cada. O PMDB, com mais de 30%, foi o partido que apresentou o maior número de parlamentares cassados ou que renunciaram.

Olympio F. A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

*

INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA E DEMOCRACIA

 

Os escandalosos acontecimentos divulgados nos últimos dias – o envolvimento de policiais e porteiros em assaltos no Morumbi (SP), os esquemas do contraventor Carlinhos Cachoeira e os favorecimentos (ou conivência) de servidores públicos aos crimes e à corrupção – demonstram que o Brasil contemporâneo tem desprezado a informação estratégica. Engolfados de democracia, os constituintes e os governantes de então, ocuparam-se demagogicamente em varrer o chamado “entulho autoritário”, mas não verificaram se aqueles procedimentos, com a devida adaptação, poderiam servir ao novo regime. O sucedâneo do odiado Serviço Nacional de Informações (SNI) não comete os exageros do órgão da época autoritária, mas, pelo visto, também não informa o governo e, se o faz, não merece crédito dos governantes. Se o fizesse, teria evitado tão numerosos escândalos na administração pública democrática e figuras como Cachoeira, Marcos Valério e outros errantes não encontrariam ambiente para agir. O país poderia estar livre dessa vergonha e as autoridades não precisariam recorrer ao patético “eu não sei”. A informação estratégica é uma das ferramentas de gestão e a sua falta constitui grave deficiência. Exemplo de sua utilidade está nas ações do Ministério Público e da Polícia Federal que, mesmo com pequena estrutura, vêm desmontando grandes esquemas de crimes e fraudes. Se a prática fosse disseminada a todos os estados e, até aos pequenos municípios, a simples presunção de vigilância evitaria muitos deslizes, crimes e atos de corrupção. E nem por isso deixaríamos de viver numa democracia.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

DESABAFO

Os ministros do STF devem estar assoberbados de trabalho... são tantas questões "prioritárias"  que são jogadas em suas costas para serem decididas que, coitados, não vão conseguir achar tempo de realizar o julgamento dos mensaleiros, aqueles desqualificados quadrilheiros do PT que montaram a incubadora de corruptos cara-de-paus que, de lá para cá sempre saem ilesos de suas falcatruas. Hoje, decidir pelo aborto dos anencéfalos realmente é prioridade máxima neste Brasil dominado pelo PT! Merecemos... nós, cidadãos, fizemos muito pouco para impedir que eles se assenhoreassem deste país. Quanto à imprensa escrita, falada e televisiva, no geral  estava  toda bem aparelhada pelos militantes e  trabalhou ativamente para que o PT chegasse lá! Agora, como gratidão, elles querem botar mordaça na imprensa. Bem feito!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

O JULGAMENTO DO MENSALÃO

Anencefalia do STF abortará o mensalão por prescrição.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo                      

*

ANENCÉFALOS

Parabenizo o STF pela decisão justa e sensata de descriminalização do aborto nos casos de gravidez com cérebro anencéfalo. Na verdade, o aborto precisa ser descriminalizado e tratado como questão de saúde pública. É um direito da mulher e não uma questão criminal. Até as 12 primeiras semanas de gestação, a mulher deve ter total direito de dispor do seu corpo e de decidir se quer ou não prosseguir a gravidez.  

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

FALTOU UM PARÁGRAFO

O aborto dos fetos anencéfalos não é uma decisão humana, mas sim da natureza.  O feto anencéfalo nasce para morrer, pois o aborto nesses casos é praticado pela própria natureza na totalidade dos casos. Os ministros do STF como sempre lucubraram seus votos, pois são especialistas nisso, mas a sua decisão foi apenas de encurtar o sofrimento das mulheres grávidas cujo feto teve o diagnóstico de anencefalia antecipado. Acho apenas que um parágrafo é importante na redação desta decisão: “o aborto de anencéfalos está liberado, até que o desenvolvimento da engenharia genética permita no futuro, a criação de um cérebro normal para essas criaturas”. 

Victor Germano Pereira      victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

VIDA

Como pediatra, vejo diariamente o amor dado pelas famílias às crianças com necessidades especiais. Sofrem muito com a sua perda (como vivenciei em meu último plantão). Mas se elas são tão queridas, por que querem criar leis para abortá-las? Será que querem criar uma indústria abortista como a dos Estados Unidos, com lucros que superam os 600 milhões de dólares anuais? Ou será para conseguir embriões para criar células troncos e lucrar com tratamentos ditos milagrosos, como na China? Talvez, a intenção seja menor, como encobrir a deficiência de nossa medicina, pois a maior parte das malformações do sistema nervoso central podem ser evitadas apenas com o suplemento de ácido fólico, o que não ocorre na maioria das gestantes... Ou será para ocultar um pré-natal deficiente: não basta dar bolsa gestante, se não há médicos, exames subsidiários e atendimento ao parto adequados. Isto sim eleva a mortalidade, não riscos teóricos facilmente identificáveis por um bom pré-natal, mesmo no caso dos anencéfalos. Um bom médico sabe que o Estados Unidos na gestação tem erros que chegam a 50%, dependendo da patologia, especialmente no diagnóstico de malformações, ou até por não detectá-las! Será que podemos acabar com uma vida com uma margem de erro tão grande? Se deixarmos a nossa sã consciência julgar os fatos reais, sem sermos ludibriados por uma falsa mídia, não teremos dúvidas em defender as mães e seus filhos, dando-lhes todo o amor e carinho que necessitam!

Hugo Hideo Kunii, pediatra hugo.kunii@terra.com.br

Campinas

*

VITÓRIA DA DEMOCRACIA

Louvável a atitude dos religiosos que se colocaram à frente do STF para manifestar sua opinião contrária a respeito da descriminalização da antecipação do parto de anencéfalos, bem como de todos que se manifestaram desta forma. É tudo que se deseja numa democracia em que as ideias são discutidas com argumentos e não pela força, como já aconteceu quando as igrejas se sentiram ameaçadas, com trágicas consequências para as pessoas que não se alinhavam com suas prescrições, como no período do obscurantismo e com Galileu Galilei. Louvável também a atitude dos ministros do STF que não votaram de acordo com suas convicções, sem se sentirem atemorizados, votando com a ciência e não com dogmas.

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

DOGMAS RELIGIOSOS

O ministro Marco Aurélio de Mello disse: “Dogmas religiosos não podem guiar decisões estatais”. Sr. ministro, o Estado é laico, concordo! Mas somos de formação cristã e temos em nosso caráter e moral embutidos os ensinamentos de Jesus Cristo. Dizem país laico, mais a influência religiosa indiretamente é muito forte.

 

Ednamérico Minhoto stengetelhado@yahoo.com.br

Campinas

*

FOI A DECISÃO CERTA?

Questionamentos polêmicos à parte,nos levam a tirar conclusões não muitas vezes coerentes com o assunto em si, mas devido a enormidade de informações médicas, psicológicas, religiosas e interferências familiares, as mães que infelizmente venham a gerar um feto anencéfalo ficam num dilema terrível de indecisões, quase num beco sem saída. Abortar já é um atentado contra a vida, gerar um filho sabendo da anormalidade, aí, sim, vai depender da estrutura psíquica-moral-religiosa da mãe. A decisão do STF libera as mães para decidir, se decidirem pela interrupção da gestação, suas consciências serão seus juízes. O amor e a dedicação de milhares de mães com filhos excepcionais – em todos os tipos de excepcionalidade – serão questionados, será que fizeram a coisa certa?

Aloisio Arruda De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

CASA VAZIA

A nova lei bem que poderia também promover o aborto dos anencéfalos do Congresso Nacional. A casa ficaria quase vazia. Como eles são muito ricos (com o nosso dinheiro roubado), as heranças seriam devolvidas aos contribuintes.

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com

São Paulo

*

NOSSA JUSTIÇA NOS SURPREENDE

   

Já não nos espantam determinadas atitudes dos senhores magistrados. Recentemente o supremo tribunal de justiça (STJ) absolveu um homem acusado de estuprar três adolescentes de 12 anos, sob alegação que as menina já se prostituiam, a decisão da corte repercutiu de forma negativa perante a população, como também na organização das nações unidas (ONU). O alto comissariado das Nações Unidas para os direitos humanos (ACNUDH) condenou a decisão, alegando que "é inconcebível que a vida sexual de uma adolescente de 12 anos de idade possa ser utilizada para revogar seus direitos". Ou seja, o estatuto da criança e do adolescente foi jogado no lixo pelo "STJ". Como pai de dois adolescentes me sinto envergonhado de ser brasileiro ao tomar conhecimento dessa decisão retrogata. Pensem em quantas meninas poderão ser, daqui em diante, estupradas e agredidas por canalhas endinheirados sob alegação de que elas já mantinham relações sexuais ou já haviam sido vitimas de violência, muitas vezes praticada por pessoa sem caráter da própria família. O pior desta história, foi saber que o voto que desempatou a questão no STJ foi emitido por uma mulher, que mesmo "apenas aplicando o texto da lei", como tentou justificar o presidente do STJ, em momento algum se solidarizou com o que passaram essas três garotas nas mãos dos calhordas. Se o órgão supremo da justiça no país não é capaz de fazer com que a lei seja efetivamente aplicada, quem vai fazer? Acho que faltou discernimento e bom senso para diferenciar o que é de direito e o que é de fato. Agora começo entender o porque de muitos estrangeiros virem ao Brasil para fazer exclusivamente turismo sexual com meninas menores de idade. É uma vergonha essa nossa justiça dos "homens".

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

DECISÃO VERGONHOSA

O Superior Tribunal de Justiça em recente decisão polêmica que envergonha o nosso Poder Judiciário absolveu o acusado de estuprar três meninas de 12 anos. Tal decisão reflete a falência de nossas instituições e no caso em tela vulnera a credibilidade do Poder Judiciário no Brasil. Com toda razão a ministra Eliana Calmon corregedora do CNJ fala em altos brados que é preciso eliminar dos quadros do Poder Judiciário os bandidos de toga. É incrível como um Tribunal Superior tenha a coragem e o despudor de proferir uma decisão deste naipe! Esta decisão reprovável sob todos os aspectos é um incentivo à impunidade e uma violência contra crianças indefesas, abandonadas pelos pais e pelo Estado. A ONU através do Escritório Regional para a América do Sul do seu Alto Comissariado repudiou de forma veemente tal insensatez que é contrária aos atuais direitos conquistados para a infância. É impensável que a vida sexual de uma criança possa ser usada para revogar seus direitos. Repita-se, criança abandonada pelos pais, pela família, pelas instituições e, sobretudo pelo Poder Público sofra mais esta injustiça avalizada por um Tribunal Superior. Espera-se agora que o Supremo Tribunal Federal através de recurso do Ministério Público corrija esta pagina infame do STJ.

Marcos Tito marcostito@pop.com.br

Belo Horizonte

*

PLANOS ECONÔMICOS

Mais uma vez os banqueiros conseguiram adiar a decisão dos planos econômicos. Isto se constitui em mais uma violência contra o estado de direito do cidadão, que já espera há duas décadas, o ressarcimento dos rendimentos de sua poupança. Enquanto não se mudar a mentalidade dos dirigentes deste país, o poder econômico falará sempre mais alto. E a população, resignada e indefesa, continuará aguardando receber aquilo que por direito, lhe pertence. Quantos já morreram e quantos ainda morrerão, até que nos seja devolvido o que nos foi "surrupiado", na calada da noite? Não deva aos bancos, sr. leitor, porque, o que é deles, não haverá escrúpulos para serem cobrados.

 

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo

*

DONO DA BOLA

 

A peregrinação do jogador Neymar à Câmara dos Deputados expõe uma chocante, humilhante e vergonhosa realidade. Um menino miudinho, franzino, de origem humilde, de profissão genuinamente popular conseguiu ofuscar o brilho, a pompa e a arrogância e até mesmo ridicularizar aqueles que deveriam ser o exemplo de estima de confiabilidade e esperanças do sofrido e bravo povo brasileiro.

 

Lourenço Gomes Henriques Lghenriques@hotmail.com

Avaré

*

PRESENÇA

Com a presença de Neymar na Câmara, tivemos presença total dos parlamentares no ápice da liturgia dos cargos.

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br

São Paulo

*

NOSSOS HERÓIS!

 

A primeira página do jornal Estado de 11 de março traz a foto de nosso herói nacional com o título Neymar leva a Câmara ao delírio! É impressionante a fama e o salário concedidos a um jogador de futebol! As faces risonhas dos membros da Câmara denotam o entusiasmo reinante! Neymar joga uma bola e todos o admiram! Nada tenho contra o esporte e os bravos 100 anos do Santos, clube de meu falecido pai. Mas, por que o exagero? Pobre Brasil! O que vamos esperar de seus filhos, quando toda honra e glória são voltadas a um simples jogador de futebol! E com tapete vermelho, homenagem só concedida a chefes de Estado e de Governo! Delírio pelo seus cabelinhos penteados à moicano? Que triste exemplo aos jovens inteligentes e estudiosos que desejam honrar o Brasil pelos méritos reais, frutos de estudo, persistência e sacrifício! Os heróis do Brasil são os analfabetos, os jogadores de futebol, as mulheres que se vendem ao melhor pagador e por aí a fora... Para que estudar e ser gente num país como o nosso? É desanimador! O que mostraremos aos nosso filhos e netos? Onde estão os médicos de relevo, os cientistas pesquisadores, os advogados corretos e justos, os artistas de talento, os religiosos exemplares, as famílias lutadoras e corajosas, os bons costumes e a educação? No ostracismo. É aí que estão os modelos a serem seguidos, na lata de lixo.   

 

Eny da Rocha darocha@hydra.com.br

São Paulo

*

‘RENOVAÇÃO’ NA CBF

Impressionante a capacidade de superação dos nossos dirigentes. Aparentemente saiu Ricardo Teixeira. Eis que me assume o "novo" José Medalha Marin. Não é que "estão" indicando Za gagá llo para a vice-presidência. Sugiro darmos um cargo póstumo a Cláudio Coutinho, o campeão moral e uma vaguinha pro glorioso Niemeyer. Isso sim que é "renovação" ! Ave maria ...

 

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

ROMÁRIO

Meus cumprimentos ao deputado federal Romário ao dizer que a Copa no Brasil será a Copa da mentira, tudo maquiado. Tem toda a razão. É uma festa para poucos bancada com dinheiro público, e, disseram, que a Copa no Brasil não teria dinheiro público. Acreditaram? Então os reelejam, para continuarem a meter a mão no seu bolso e você ficar olhando, eleitor. A Copa e a Olimpíada serão a festa das empreiteiras e de uma meia dúzia de outros empresários e políticos. Quando é que você vai acordar, eleitor?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PLANO B DA COPA

Acho que o presidente da Fifa não imaginava a fria que estava entrando ao dar a Copa do Mundo de 2014 para o Brasil, faltou percepção e rever o histórico das pessoas envolvidas, era um conjunto de fanfarrões, corruptos e alguns somente grotescos. O que o presidente da Fifa não sabia é que aqui temos corruptos profissionais e sabem criar as dificuldades necessárias para atrasar obras, para que possam super faturar e ganhar fabulas de dinheiro. A Fifa é quem detém os direitos sobre a Copa, portanto, deveria dar realmente um chute no traseiro do Brasil e mandar a Copa para os Estados Unidos que com certeza é o plano B mais confiável.

 

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim  

*

OLIMPÍADA À VISTA

Lá vem mais uma Olimpíada. A de Londres, como o jogo festivo mais importante do mundo, em 1966, a Copa do Mundo. Pois é. Desta vez não temos Gérson, Zico, Falcão, ou mesmo Rivaldo, como outrora. Mas contamos com Ganso. Que precisa mostrar, na amarelinha, que não é amarelinho. O que não é fácil, tem razão, caro leitor. Mas Paulo Henrique fez com o São Caetano justamente o esperado dele, e por ele. Deu passes magistrais para seu parceiro/amigo Neymar.  Que dispensa qualquer tipo de comentário. Se a vitória do azulão foi nota dois. A exibição do craque foi 10, como a camisa que o veste. Mesmo que os três pontos fiquem mais para a avaliação concebida ao São Caetano, o destino gosta mais da de Ganso. O Brasil precisa de um gênio. Que mais se parece com Zidane, que Pelé. Falcão, que Maradona.  Rivaldo, que Cruyff. E precisamos entender que isso não é nenhum problema. Para terminar, apenas ressalvo que a posição que PH exerce no Brasil não é a que mais se adequa ao seu estilo de jogo. A que chega mais ao ataque. Ganso, segurando a bola, é mais produtivo para o time e sua carreira. Que tem tudo para deslanchar, se assim o destino quiser. E pela bola, bem que ele quer.

Guilherme Cimatti guilherme483@hotmail.com

São Paulo

*

ALCKMIN E O MST

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, finalmente regularizou as 31 mil propriedades pertencentes a 4.664 famílias no Pontal do Paranapanema,onde sempre acontecia conflitos fundiários (8/4, A3). Esta decisão acabou frustrando os "companheiros petistas" do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), que já estavam preparando o tal "abril vermelho", e que pelo visto acabou mesmo ficando no vermelho.

 

Márcio Rosário daril_old@hotmail.com

Leme

*

FUNDO DO POÇO

Quem diria! A imprensa apoia agora o MST. O tal “Levante Popular da Juventude”, cujos membros andaram pichando casa alheia e cuspindo em octogenários nada mais é que um novo braço do MST e é liderado por João Pedro Stedile.  Reuniram-se, pela 1a vez, entre os dias 1 e 5 de fevereiro, no Rio Grande do Sul, sob as bênçãos – e com a presença – de Tarso Genro, aquele mesmo que estava “passando do outro lado da rua” nas agressões do Clube Militar, no Rio de Janeiro. Chegamos ao fundo do poço?

 

M. Cristina R. Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

RESPEITO AOS ACORDOS

 

A atitude da presidente Dilma está correta quando cobra dos EUA para que cumpram os acordos celebrados. O Departamento de Defesa americano, em atitude inusitada, cancelou a decisão de comprar 20 aviões Super-Tucanos A-29 fabricados pela Embraer. Essa decisão, além de contrariar os interesses nacionais, pois a venda dos aviões alcançaria a soma de US$ 355 milhões, afeta as boas relações entre os dois países, pois como prescreve o antigo adágio latino pacta sunt servanda, isto é, os  acordos devem ser cumpridos. Temos toda certeza de que, se decisão semelhante partisse do Brasil, muito provavelmente não escaparíamos de alguma forma de sansão por parte dos EUA. As boas relações e o respeito entre países requerem condutas compatíveis com a ética.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

DECISÃO SENSATA

Se o Brasil,  um país tradicionalmente pacífico,  não enseja ter armas nucleares e ainda assim quer ser alçado a posição de líder global, servindo de exemplo para outras nações, algumas sob suspeita de usarem a energia nuclear para fins bélicos como o Irã, então deveria renunciar ao programa de enriquecimento de urânio, já que isso representa, além de riscos aos moradores do entorno das usinas, um  gasto extra na produção de uma energia cara, quando temos abundancia de recursos naturais muito mais baratos. Essa importante colaboração na pacificação do planeta, além de servir como bom exemplo, aumentaria  as chances do país conseguir uma cadeira permanente na ONU,  posição há muito  sonhada pelo Brasil. Além da melhoria na imagem global,  certamente o Brasil teria autoridade suficiente para fazer caírem barreiras comerciais e tarifarias  impostas pelos EUA ao etanol brasileiro, além de tantas outras no continente europeu e asiático , melhorando nossa competitividade a nível mundial. Essa tomada de posição  faria a popularidade de Dilma Rousseff, talvez crescer ainda mais do que no Brasil,  passando, aí sim a ser uma  figura mundialmente admirada, por seus grandes feitos. Mas sempre tem  o “SE”.

Paulo R. Kherlakian kherlakian@uol.com.br                                               

São Paulo

*

NUCLEAR E RESPONSÁVEL

Quem não deve, não teme. Essa é a conclusão da leitura do artigo de Michel Temer (O Brasil e a segurança nuclear, 7/4, A2). O mundo bem como os indivíduos precisam tomar ciência de que liberdade é um conceito relativo que tem de estar atrelado à responsabilidade para não ser algo fugaz ou mesmo fútil. Países que ladram para se impor aos demais sustentam a forte indústria bélica mundial e a energia nuclear que poderia ter um uso mais pacífico e sereno fica sombreada pelo medo do mau uso. A regulação já é forte no Brasil, como mostra o vice-presidente, o que não impede o indispensável uso medicinal, apesar do ainda alto custo. Precisaríamos melhorar a discussão para avaliar também a que preço (ambiental, racional e de segurança) podemos chegar no seu emprego como matriz energética.

Adilson Roberto Gonçalves, professor da Escola de Engenharia de Lorena (USP) priadi@uol.com.br

Lorena

*

ENTREVISTA DE MOHAN GURUSWAMY

Em sua entrevista, o presidente do Centre for Policies Alternatives (8/4, A15) externa seu receio quanto ao fornecimento de armas e transferência de tecnologia nuclear da China para o Paquistão. E o Paquistão não prometeu varrer a Índia do mapa... De modo "coerente"  ele reprova a "demonização" do Irã por Israel.

 

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2012 – SÃO PAULO

A Câmara dos deputados tem gosto de quero mais. Tiririca aprendeu o que faz um deputado e por isso desistiu de candidatar-se à prefeitura de São Paulo. Ninguém é tão ingênuo que não perceba que para ser prefeito de uma cidade como São Paulo, o candidato tem de ter muito preparo e conhecimento, como não é o caso do deputado, seu staff achou por bem deixá-lo onde está, pois pior do está já vem ficando a cada gravação que é disponibilizada e a cada vídeo mostrados. A “escola” onde Tiririca entrou é a mais fácil para o cidadão alfabetizar-se.  Brasil, um país rico se faz sem corrupção.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

SERRA JÁ DORME SOSSEGADO

Ufa! Que alívio! O mais sério adversário do candidato José Serra à Prefeitura de São Paulo, o Palhaço Tiririca, desistiu de concorrer ao cargo de prefeito. O outros concorrentes só causam risos mesmo. Zé Serra já pode dormir sossegado.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

TIRIRICA, EX-CANDIDATO

Olhai o Tiririca no Congresso. Ele não discursa, pouco fala, mas, em toda sua simplicidade, nem o Grande Lulla, do alto de sua soberba, foi tão sincero como ele.

 

Edison Ribeiro Pereira edisonribeiro@hotmail.com

São Paulo

*

PARQUE DO IBIRAPUERA

A alteração da Resolução 6/97 pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) para permitir a construção de grandes prédios no perímetro do Parque do Ibirapuera foge à razão e levanta suspeitas. Na verdade, o “destombamento” da principal área verde da cidade decreta a condição do Conselho de mero fantoche e enterra de vez o que restava de respeito à coisa pública nessa cidade. Como bem se sabe, a ideia de mais construções ao redor de áreas verdes nos dias de hoje simplesmente não se explica, pois nenhum benefício traz ao meio ambiente ou à população. Muito pelo contrário! Maiores construções e mais adensamento significam prejuízo e danos ao Parque, vez que cobrem a entrada de luz, abafam circulação de ar, impermeabilizam ainda mais o solo, pioram o trânsito, etc. O que se conclui, portanto, é que a medida do Conpresp atende (mais uma vez) apenas e tão somente o interesse de uns poucos especuladores que sob o insustentável argumento de que há que atender as "novas diretrizes" do Plano Diretor, pressionaram o Conpresp pela mudança no tombamento, em pleno ano eleitoral. Há que se estabelecer limites para esse “vale tudo” na cidade de São Paulo e obrigar nossos governantes a voltar a atenção para a coletividade e a preservação dos bens públicos. E, no caso, o limite é o respeito à Resoluções nºs 6/97 e 5/2003 que tombaram o Parque do Ibirapuera.

Fabio Cury fabio@cury.adv.br

São Paulo

*

PALITEIRO DE CONCRETO

Pouco a pouco a especulação imobiliária vai avançando sobre áreas “protegidas” por um Conpresp aparentemente venal. Se persistir essa ocupação urbana desordenada e verticalizada São Paulo se transformará num gigantesco paliteiro de concreto armado.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

MOTORISTAS E CICLISTAS

Ao ler a matéria no Estadão dizendo que motoristas serão multados se cruzarem bicicletas, senti-me indignada com esse processo que está ocorrendo constantemente de "vilanização" dos motoristas de carros e de "endeusamento" dos ciclistas. Acredito que numa cidade como São Paulo, é necessário uma convivência pacifica e organizada entre todos , mas gostaria de saber quem irá controlar os abusos dos ciclistas quando são estes que cruzam intempestivamente nossas frentes, andam sobre a calçada (já vi alguns atropelamentos por culpa deles), não respeitam faixa de pedestres, ultrapassam sinais vermelhos e invadem as pistas de corrida exclusivas dos pedestres (sou frequentadora assídua do Ibirapuera e cansei de ter que brigar com esses indivíduos que ainda faltam com o respeito constantemente, nunca admitindo seu erro). O meu medo é que estejamos criando, por negligência e precipitação, uma nova classe de "monstros", a serem odiados no futuro, assim como hoje em dia temos imensa dificuldade de conviver com os motoboys! Acho que as regulamentações devem ser feitas para todas as partes envolvidas, antes que isso seja tarde demais!

Denise Miranda denise@tectex.com.br

São Paulo

*

‘MAGRELAS’, CUIDADO

Um novo tema tomou as manchetes ultimamente. Grupos ciclistas forçam a opinião pública para exigir o direito de circulação segura das bicicletas, apoiados por políticos interessados em promoção. As redes sociais lotaram em comentários. Há uma nítida tendência dos organizadores em criminalizar indiscriminadamente os motoristas de autos, caminhões e ônibus, serão os “suspeitos de sempre”. O assunto carece de melhor compreensão dos organizadores pelo fato de estarem criando animosidades inúteis entre os cidadãos, já que nem todos são “inimigos das bikes”. Carece, também, da honestidade de políticos lidando com o assunto. Bicicletas são veículos ainda novos e muito pouco comuns no transito, às quais motoristas não estão acostumados. Elas surgem “do nada”, silenciosamente e às vezes em áreas não visíveis aos motoristas. Não há área segura para seu tráfego, não há sinalização, não há atenção de fato das autoridades com o assunto, exceto as usuais promessas. Tão fáceis promessas que 70% das ciclovias são construídas em áreas de lazer, não difíceis de executar. Não só as autoridades devem calar essas inúteis e infelizes  promessas, como multar  carros a menos de 1,5m das bicicletas (quem e como vai aferir?), como todos devemos nos engajar em campanhas educativas e obras para o setor. Maior segurança demandará tempo e o transito mais acostumado com elas. Enquanto isso, “magrelas”, muito cuidado.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

CICLISTAS, DIREITOS E DEVERES

Sugiro ao Estado uma matéria sobre o comportamento dos ciclistas no trânsito da capital. Recomendo a observação na Avenida Faria Lima em horário de pico, onde os ciclistas frequentemente trafegam ora ziguezagueando entre os carros, ora na calçada, algumas vezes na contra-mão, muitas vezes sem usar os equipamentos obrigatórios (?) e muitos com fones nos ouvidos. Muitos ignoram os semáforos e tratam os pedestres como obstáculos. Como a prefeitura pretende educar/punir esses comportamentos? Essa mesma "ausência de regras" já vimos com os motociclistas que, impunes pelas leis de trânsito, acabam pagando com a vida pelas leis da física.

Renato Gentile Rocha rerocha65@gmail.com

São Paulo

*

CICLOVIAS

Multar quem fecha ciclista é mais uma lei inócua. Faça mais ciclovias e barre a queda de IPI para veículos.

Mario Ghellere Filho marinhoghellere@gmail.com

Mococa

*

SACOLINHAS E CICLISTAS

Os ecochatos que me desculpem. Viva os supermercados, coitados dos idosos. Ficou quase impossível aguentar o peso das sacolas retornáveis: tirar do carrinho, colocar no carro (para quem tem a sorte de ter um), retirar do porta-malas, carregar para casa. Sem falar da falta higiene: produtos de limpeza misturados aos comestíveis. Quanto aos ciclistas, quem vai multá-los? Eles, tal qual os motoboys, não respeitam faixas, faróis pedestres.

Vera Helena Carvalho vhcarvalho66@gmail.com

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.